Page 36

Em Órbita

A fase seguinte verá o astronauta a aprender a utilizar as ferramentas que serão necessárias durante a saída para o espaço. O astronauta pratica todos os movimentos dezenas de vezes até que os execute correctamente. Ao contrário dos astronautas que auxiliam na montagem da ISS ou que tiveram de reparar o telescópio espacial Hubble, os membros das tripulações permanentes da ISS aprendem a levar a cabo muitas tarefas no exterior da estação para estejam preparados a reparar qualquer falha que possa surgir durante a permanência em órbita. Os cosmonautas seguiram o regime normal de treinos e de preparação para a sua permanência a bordo da estação espacial internacional com visitas frequentes ao Centro Espacial Johnson (Houston – Texas) e ao Centro de Treino de Cosmonautas Yuri Gagarin (Moscovo). Preparativos finais para o lançamento Os preparativos do foguetão lançador 11A511U-FG SoyuzFG (E15000-045) decorreram sem problemas no edifício MIK-112 que serve a Plataforma de Lançamento PU-5 do Complexo de Lançamento LC1 (17P32-5) ‘Gagarinskiy Start’. O MIK-112 foi originalmente construído para o processamento dos foguetões lunares N-1 (instalações de processamento 11P591) e posteriormente do super-foguetão Energia. As salas altas 3, 4 e 5 foram destruídas devido ao colapso do telhado em Maio de 2002, mas as salas 1 e 2 ficaram intactas. A Sala 1 é agora utilizada para a montagem e integração dos foguetões 11A511U Soyuz-U e 11A511UFG Soyuz-FG, além da integração final dos veículos de carga Progress M-M e dos veículos tripulados Soyuz TMA-M. A Sala 2 é utilizada em três salas estéreis para a Starsem, uma afiliada da Arianespace. Após a remoção dos diferentes componentes do lançador, estes foram inspeccionados e mais tarde procedeu-se à sua montagem em preparação para o lançamento. Previsto para chegar a Baikonur no dia 23 de Março de 2013, o veículo 11F732A47 n.º 709 que seria utilizado na missão Soyuz TMA-09M chegava ao cosmódromo no dia 27 de Março. Após os usuais procedimentos alfandegários, o comboio foi transferido para a rede de caminhos-de-ferro do cosmódromo e transportado para o edifício de processamento, montagem e teste MIK da Área 254. Este edifício é utilizado para a integração e montagem dos veículos de carga Progress M-M, Soyuz TMA-M, preparação dos módulos russos para a ISS e preparação dos estágios superiores Blok-DM. Contém também uma sala estéril que foi utilizada para a preparação dos satélites de comunicações móveis Iridium e para a preparação dos satélites de comunicações Yamal, possuindo também uma câmara bárica e térmica. O edifício é utilizado para os preparativos finais por parte dos cosmonautas (onde vestem os fatos pressurizados, etc.) e no seu exterior estes apresentam-se à Comissão Estatal (desde a missão Soyuz TM-28 em Agosto de 1998). Após ser transportado para o MIK 254, o veículo 11F732A47 n.º 709 seria removido dos contentores de transporte nos dias seguintes, sendo colocado na plataforma de teste e processamento onde seria inspeccionado para atestar que não havia sofrido danos durante o transporte. Após a chegada ao cosmódromo, os testes na Soyuz TMA-09M incidiram sobre Em Órbita – Vol.13 – N.º 137 / Junho de 2013

os painéis solares do veículo com os especialistas da Corporação RKK Energia e do Centro Espacial Yuzhny, subsidiário da empresa TsENKI, a realizarem inspecções para verificarem o seu correcto funcionamento. De seguida foram realizados testes ao sistema de aproximação e acoplagem Kurs no interior da câmara anecóica e posteriormente a Soyuz TMA-09M foi colocada no interior da câmara de vácuo 17T523M onde foram executados os testes para a verificação da existência de fugas. A fim de preparar a estação espacial internacional para a chegada do veículo de carga Progress M-19M, para preparar a partida da Soyuz TMA-07M e a chegada da Soyuz TMA09M, procedeu-se à correcção da sua órbita no dia 3 de Abril. A manobra orbital foi realizada utilizando os motores do veículo de carga Progress M-17M e segundo os dados dos serviços de informação balística do FGUP TsNIImash (ФГУП ЦНИИмаш) e do Centro de Controlo de Voo (TsUP) de Korolev, a manobra realizou-se às 1940UTC e teve uma duração de 277,3 segundos. Em resultado, a ISS recebeu um incremento de velocidade de 0,6 m/s e a altitude média da órbita foi elevada em 1 km para os 410,7 km. Após a manobra a ISS ficou colocada numa órbita com um perigeu a 406,8 km, apogeu a 435,5 km e inclinação orbital 51,66º Nesta fase a tripulação da Soyuz TMA-09M já havia levado a cabo inúmeras sessões de treino de preparação para a missão. Estes treinos abrangem aspectos gerais a todas as missões, mas também aspectos particulares da Expedição 36/37. Os exames finais das duas tripulações decorreram nos dias 29 e 30 de Abril e 6 e 7 de Maio no Centro de Treino de Cosmonautas Yuri Gagarin. Esta divisão deveu-se ao facto de a Soyuz TMA-09M utilizar um esquema de aproximação rápida à ISS e haver a necessidade de avaliar as tripulações perante os dois cenários. No primeiro dia de exames a 29 de Abril, a tripulação suplente procedeu ao exame de treino no simulador da Soyuz TMA-M. Apresentando-se perante a comissão de avaliação, a tripulação procedeu posteriormente à obtenção do seu bilhete de exame que consistia na realização de procedimentos na ocorrência de uma falha do sistema de transmissão em VHF antes de uma sessão de comunicação com o Centro de Controlo de Voo, uma falha no sistema automático de limpeza da atmosfera da Soyuz TMAM e a resolução de problemas no sistema de encontro e acoplagem Kurs. Todas estas contingências que estavam na folha de exame da tripulação, eram desconhecidas e os procedimentos para a sua resolução foram elaborados no exame, servindo assim de formação. No exame os tripulantes procederam também à simulação do lançamento, separação do estágio Blok-I, e aproximação e acoplagem com a estação espacial internacional. O exame teve uma duração semelhante à de um voo real com a aproximação rápida à ISS. No final a tripulação obteve a classificação de 'excelente'. No dia 30 de Abril a tripulação suplente levou a cabo o seu exame no simulador do segmento russo da estação espacial internacional. Neste exame a tripulação teve de resolver os problemas associados a uma falha de comunicação com o computador central, bem como resolver os problemas 35

Profile for Rui Barbosa

Em Órbita n.º 137 - Junho de 2013  

Edição 137 para o Boletim Em Órbita onde encontraremos vários artigos sobre o voo espacial tripulado, sobre os lançamentos orbitais realizad...

Em Órbita n.º 137 - Junho de 2013  

Edição 137 para o Boletim Em Órbita onde encontraremos vários artigos sobre o voo espacial tripulado, sobre os lançamentos orbitais realizad...

Advertisement