Page 57

Em Órbita

para observar de forma repetida a superfície global em resolução moderada, isto é com uma resolução semelhante ao tamanho de um campo de basebol. A missão Landsat Data Continuity Mission (LDCM) irá continuar o legado do arquivo global de média resolução da série Landsat. Porquê estudar a superfície da Terra? Os dados dos Landsat têm ajudado a melhorar a nossa compreensão da Terra. Devido ao Landsat, hoje tenho uma melhor compreensão das mais diversas características da superfície, tais como recifes de coral, glaciares, e florestas tropicais. As imagens do Landsat preenchem um importante nicho científico. A órbita quase polar do Landsat permite uma cobertura quase global da superfície terrestre a cada 16 dias. A largura das suas observações (185 km) são o suficientemente largas para uma cobertura global de cada estação do ano. Com uma resolução espacial de 30 metros, as imagens obtidas pelo Landsat são suficientemente detalhadas para caracterizar os processos humanos tais como o crescimento urbano, irrigação agrícola, e desflorestação.

Ao estabelecer um conhecimento base das áreas terrestres durante o último meio século, o Landsat permite aos cientistas avaliarem as alterações ambientais ao longo do tempo. Ao longo de 40 anos de cobertura contínua, a série Landsat tornou-se numa referência global para matérias científicas relacionadas com a utilização dos solos e recursos terrestres. Por exemplo, os satélites Landsat possuem a distinção única de serem o único registo por satélite que é simultaneamente longo e consistente para permitir um seguimento das alterações relacionadas com o clima à escala das cidades e grandes quintas agrícolas. O Programa Landsat é valorizado em todo o mundo como o standard dourado da observação do solo. Nenhum outro satélite civil se aproxima de possuir a largura histórica e a abrangência, a continuidade e a cobertura do arquivo Landsat.

O crescimento e alterações das práticas de irrigação são visíveis nestas imagens do Landsat obtidas a 16 de Agosto de 1972 (esquerda) e 14 de Agosto de 2011 (direita). A imagem de 1972 foi obtida pelo Landsat-1, que havia sido somente lançado há três semanas; a imagem de 2011 foi capturada pelo Landsat-5- Ambas utilizam cores falsas tais que a vegetação doente surge com um vermelho brilhante, enquanto que as terras escassamente cultivadas e os campos com crescimentos espontâneos surgem em tons de verde. As imagens foram obtidas nas Sandhills do ebrasca. O que é que o LDCM irá fazer? A missão LCDM continua o registo de décadas da superfície terrestre a uma escala na qual os impactos da actividade humana e da Natureza podem ser detectados e monitorizados ao longo do tempo. A sociedade global requer a continuação das observações do Landsat para a gestão dos alimentos, água, florestas e outros recursos terrestres para o nosso benefício colectivo. A missão tem três objectivos científicos chave: recolher e arquivar dados multiespectrais e térmicos de toda a superfície da Terra, a Em Órbita – Vol.13 – .º 134 / Março de 2013

56

Profile for Rui Barbosa

Em Órbita n.º 134 - Março de 2013  

Edição de Março de 2013 do Boletim Em Órbita com vários artigos sobre os lançamentos orbitais levados a cabo em Fevereiro de 2013.

Em Órbita n.º 134 - Março de 2013  

Edição de Março de 2013 do Boletim Em Órbita com vários artigos sobre os lançamentos orbitais levados a cabo em Fevereiro de 2013.

Advertisement