Page 115

Em Órbita

A telemetria do lançador começava a ser recebida pela estação de Natal a T+7m 25s e a T+9m 00s terminava a queima do estágio criogénico principal EPC, com a sua separação a ter lugar a T+9m 6s. A ignição do estágio criogénico superior ocorria a T+9m 50s e os dados telemétricos do lançador deixavam de ser recebidos pela estação de Natal a T+13m 00s, começando a ser recebido pela estação da Ilha de Ascensão a T+13m 30s e pela estação de Libreville a T+18m 45s (depois dos dados deixarem de ser recebidos na Ilha de Ascensão a T+18m 00s). Entretanto, o ponto de altitude mínima na trajectória (a 165,4 km) é atingido a T+16m 30s. A estação de Malindi começava a receber a telemetria do Ariane-5ECA a T+23m 30s. O final da queima do estágio superior ESC-A ocorria a T+25m 7s com o lançador a entrar na fase balística a uma altitude de 584 km.

Estando colocando na posição superior, o satélite Skynet-5D seria o primeiro a separar-se do estágio superior. O procedimento para a separação do satélite iniciava-se a T+25m 12s com a orientação do conjunto e posterior estabilização. O Skynet-5D separava-se às 2216:13UTC (T+27m 6s). O conjunto é agora formado pelo estágio ESC-A, pelo adaptador Sylda-5 e pelo satélite Mexsat-3. Logo após a separação do Skynet5D, procedia-se à estabilização do conjunto e iniciava-se o procedimento de orientação em preparação da separação do adaptador Sylda-5 que ocorria a T+34m 37s. De seguida (T+34m 47s) iniciava-se a manobra de orientação e estabilização para a separação do segundo satélite que ocorria às 2225:18UTC (T+36m 11s). Com os dois satélites agora em órbita, era tempo de colocar o estágio ESC-A numa órbita segura e afastada dos satélites. O estágio era orientado para a manobra de separação a T+36m 21s e depois orientado para a manobra de estabilização a T+40m 48s. O ESC-A é então colocado com uma rotação de 45º/s a T+42m 21s. O tanque de oxigénio era colocado em modo passivo a T+43m 36s e o início do modo passivo para o ESC-A dava-se a T+48m 9s. A separação dos satélites teve lugar numa órbita com um apogeu a 35.981 km de altitude (apogeu alvo de 35.972 km), perigeu a 249,8 km de altitude (perigeu alvo de 249,7 km) e inclinação orbital de 1,99º (inclinação orbital alvo de 2,00º). Após a separação ambos os satélites utilizariam os seus próprios meios de propulsão para atingir as respectivas órbitas geossíncronas.

Em Órbita – Vol.13 – .º 132 / Janeiro de 2012

114

Profile for Rui Barbosa

Em Órbita 132 - Janeiro de 2013  

Primeira edição do Boletim Em Órbita para o ano de 2013. Neste número: a missão espacial Soyuz TMA-07M, os lançamentos orbitais realizados e...

Em Órbita 132 - Janeiro de 2013  

Primeira edição do Boletim Em Órbita para o ano de 2013. Neste número: a missão espacial Soyuz TMA-07M, os lançamentos orbitais realizados e...

Advertisement