Page 85

Em Órbita

China lança Shijian-9 A tão adiada missão SJ-9 Shijian-9 foi lançada a 14 de Outubro de 2012 desde o Centro de Lançamento de Satélites de Taiyuan. Lançados a bordo de um foguetão CZ-2C Chang Zheng-2C/SMA, os dois satélites que compõem a missão irão realizar várias demonstrações tecnológicas em órbita. Os satélites SJ-9 Shijian-9 A missão Shijian-9 (‘Prática-9’) tem como objectivo demonstrar a tecnologia envolvida no voo orbital em formação. A missão consiste em dois pequenos satélites de diferentes dimensões e é levada a cabo para a Administração Espacial Nacional da China. O conceito geral da missão é o de demonstrar a funcionalidade de uma variedade de técnicas recém desenvolvidas sobre o voo orbital em formação entre dois veículos, além de demonstrar os seus componentes e validar os algoritmos de voo GNC (Guidance, "avigation and Control, isto é Orientação, Navegação e Controlo) e estratégias da configuração dos sistemas. O satélite SJ-9 Shijian-9A é baseado na plataforma CAST-2000 que está disponível para o ensaio de elementos chave incluindo o sistema de propulsão electrónica, uma pequena câmara de alta performance, etc. Por seu lado, o satélite SJ9 Shijian-9B é baseado na nova plataforma CAST-100 que valida os sistemas chave e componentes, tais como o componente de plano focal LWIR, ópticas de baixa temperatura, sistema de arrefecimento criogénico de longa duração, etc. Os dois satélites foram projectados e desenvolvidos pela DFHSat (DFH Satellite Company Ltd.) do CAST (China Academy of Space Technology), Pequim. A utilização da plataforma CAST-2000 proporciona ao satélite Shijian-9A um controlo de altitude de alta precisão e estabilidade. O satélite está equipado com um sistema de telemetria, de rastreio e de controlo (TT&C) de banda S e com um subsistema de transmissão de banda X. A integração de dados é fornecida com o subsistema OBDH (OnBoard Data Handling, Tratamento de Dados a Bordo) utilizando a plataforma BUS para comunicações. Ao Shijian-9 é fornecida uma grande capacidade de geração de energia. O satélite é composto por um módulo electrónico, um módulo de propulsão e um módulo de carga. Os sistema de propulsão Hall e o sistema de propulsão iónico estão instalados de forma separada na superfície +X e na superfície –X. A câmara está instalada no plano inferior do módulo de carga. A unidade de monitorização do subsistema Electric Propulsion Test Subsystem – composto por um microbalanceador de cristal de quartzo, uma sonda Langmuir e um analisador de potencial – deve proporcionar as funções: a) medição dos parâmetros do plasma em torno do satélite (chama de exaustão) durante a operação da propulsão eléctrica; b) medição directa da poluição causada pela propulsão eléctrica; c) monitorização da variação dos potenciais influenciados pela propulsão eléctrica.

Um modelo do satélite SJ-9A Shijian-9A. A tabela seguinte mostra os principais parâmetros do satélite Shijian-9A. Dois sistemas de demonstração de propulsão eléctrica estão integrados a bordo do Shijian-9A18: um sistema de propulsão iónica e um sistema de propulsão por Efeito de Hall. A tecnologia de propulsão eléctrica é bastante complexa e requer uma grande capacidade de geração eléctrica por parte do veículo. Isto tem consequências para a projecção do desenho do radiador bem como para a tecnologia de isolamento. Também está correlacionado com a configuração do satélite, fonte de energia, controlo orbital e de atitude, controlo térmico e no desenho de outros subsistemas. 18

Zhi-ming Zhao,Ming Li, Yi-wei Liu, Bin Xie,Feng Zhai, Fang Yao, “The Key Demonstrations of High-Precision Formation Flight for Two Satellites,” Apresentado no 63º IAC (Congresso Internacional de Astronáutica), Nápoles, Itália, Out. 1-5, 2012, artigo: IAC-12-B4.2.5. Em Órbita – Vol.12 – .º 130 / ovembro de 2012

84

Profile for Rui Barbosa

Em Órbita 130 - Novembro de 2012  

Edição do Boletim Em Órbita para o mês de Novembro de 2012.

Em Órbita 130 - Novembro de 2012  

Edição do Boletim Em Órbita para o mês de Novembro de 2012.

Advertisement