Page 33

Em Órbita Às 1227UTC o índice das condições meteorológicas passou de ‘verde’ para ‘vermelho’ devido à ocorrência de fortes ventos em altitude. Porém, o Director de Voo decidiu prosseguir com a contagem decrescente enquanto que aguardava pelos dados que seriam enviados pelo último balão meteorológico. Apesar de não haver registo de qualquer problema técnico, a suspensão na contagem decrescente foi prolongada às 1230UTC o que implicou a perda da primeira janela de lançamento. Entretanto, eram enviados novos balões atmosféricos para atestar as condições dos ventos em altitude. Infelizmente os dados enviados por esses balões não foram satisfatórios o que levou ao adiamento do lançamento às 1307UTC. Após a decisão de se adiar o lançamento por 24 horas, os técnicos procederam à remoção dos propolentes criogénicos dos dois estágios do lançador e do querosene do primeiro estágio. Para protecção do foguetão e da sua carga a torre móvel de serviço foi novamente deslocada para junto do lançador. Para o dia 9 de Setembro as janelas de lançamento previstas ocorriam às 1233:25UTC e às 1312:31UTC. O lançamento seria novamente adiado no dia 9 de Setembro para assim proporcionar tempo adicional para os especialistas reverem os dados recebidos do sistema de propulsão aquando do processo de remoção dos propolentes. Após a drenagem do oxigénio líquido do tanque do primeiro estágio, um sistema de aquecimento ficou ligado mais tempo do que o previsto havendo o perigo de que alguns componentes do lançador poderem ter sido danificados. Após a revisão dos dados, a NASA anunciou que tal não havia acontecido e deu luz verde para o lançamento. Segunda tentativa e lançamento Às 0401UTC do dia 10 de Setembro iniciava-se a remoção da torre móvel de serviço, chegando à sua posição de lançamento às 0453UTC. Pelas 0829UTC a contagem decrescente encontrava-se a T-150 m, entrando aqui na sua primeira paragem prevista que terminaria às 0929:45UTC, recomeçando a contagem decrescente. Nesta fase iniciava-se a Contagem Decrescente Terminal que teria uma duração de três horas. Para este dia estavam previstas duas janelas de lançamento instantâneas às 1229:45UTC e às 1308:52UTC. Antes de se iniciar os trabalhos de abastecimento do primeiro e do segundo estágio e de se proceder à pressurização dos tanques de hélio e de azoto, a área em torno da plataforma de lançamento foi evacuada às 0900UTC. Pelas 0935UTC eram activados o sistema de controlo e o computador de orientação do lançador. A pressurização dos tanques de hélio e de azoto foi terminada às 0947UTC.

Após os técnicos verificaram as válvulas, medidores de fluxo, sensores e equipamento de controlo, o abastecimento de querosene RP-1 teve início às 0954UTC. O querosene encontrava-se armazenado em tanques adjacentes à plataforma de lançamento e era conduzido através de condutas específicas até à base do foguetão a partir da qual, e através de condutas internas, era conduzido ao depósito. O processo de abastecimento dos 37.805 litros de RP-1 terminou às 1022UTC num processo que teve uma duração de 19 minutos e 42 segundos. Este abastecimento é levado a cabo em duas fases. A primeira fase é a fase de abastecimento rápido até atingir 98% do volume necessário de propolente. A segunda fase, é a fase de abastecimento lento e completa o volume de propolente necessário para o voo. Pelas 1048UTC eram iniciados os preparativos para o abastecimento de oxigénio líquido (LOX) ao primeiro estágio do foguetão Delta-2. A luz verde para o abastecimento foi dada às 1049UTC e este iniciou-se às 1055UTC. O LOX encontra-se a uma temperatura de -183ºC e é consumido durante a fase inicial do lançamento. Tal como aconteceu com o querosene, o abastecimento do LOX é feito em duas fases. A primeira fase é a fase de abastecimento rápido até atingir 95% do volume necessário de propolente. A segunda fase, é a fase de abastecimento lento e completa o volume de propolente necessário para o voo. O abastecimento de LOX ao primeiro estágio terminou às 1123UTC num processo que teve uma duração de 27 minutos. Ao contrário do que acontece com o querosene, há a necessidade de se proceder ao abastecimento contínuo de LOX durante a contagem decrescente devido à natureza criogénica do propolente que se vai evaporando naturalmente. Após o abastecimento do primeiro estágio, os controladores procederam à verificação do sistema de segurança do lançador, seguindo-se um teste de mobilidade dos motores dos dois estágios. Estes testes garantem que os motores podem ser orientados durante o lançamento. Os testes de mobilidade dos motores do segundo estágio terminaram às 1144UTC enquanto que os testes de mobilidade do primeiro estágio terminaram às 1148UTC. De seguida procedeu-se à verificação das ligações de dados para atestar a recepção dos dados telemétricos do lançador.

Em Órbita – Vol.11 – .º 116 / Outubro de 2011

32

Profile for Rui Barbosa

Em Órbita n.º 116 - Outubro de 2011  

Edição do Boletim Em Órbita referente ao mês de Outubro de 2011. Nesta edição: O regresso da Soyuz TMA-21; O novo sistema de lançamento da N...

Em Órbita n.º 116 - Outubro de 2011  

Edição do Boletim Em Órbita referente ao mês de Outubro de 2011. Nesta edição: O regresso da Soyuz TMA-21; O novo sistema de lançamento da N...