Page 1

Associação dos Operadores do Estado de São Paulo

Ano 03 - Abril 2010

PRESIDENTE DA AOESP SE ENCONTRA COM O MINISTRO DAS MINAS E ENERGIA EM SÃO PAULO Editorial

1º DE MAIO

CONSCIÊNCIA, UNIÃO E LUTA DOS TRABALHADORES

Washington dos Santos (Maradona) Presidente

A classe trabalhadora brasileira tem uma história de grandes lutas pela garantia dos direitos conquistados. Milhares de trabalhadores foram presos, torturados ou perderam emprego por lutar incansavelmente a favor de bandeiras que garantissem melhores condições de vida de inúmeras famílias. Nesta data histórica, Primeiro de Maio, a Associação dos Operadores Eletricitários com a UGT enfatizam que estão participando no Congresso Nacional uma ampla campanha pela revisão da legislação que regula o Fundo de Garantia de Tempo de Serviço – FGTS. As entidades recomendam a toda a classe trabalhadora que

também faça parte dessa luta. A perda acumulada chega a 58 bilhões de reais desde 2002 de acordo com o Instituto FGTS Fácil. Não é possível admitir que o FGTS permaneça com um reajuste abaixo da inflação e que o trabalhador continue acumulando perdas substanciais. A Associação dos Operadores do Estado de São Paulo destaca ainda a necessidade da redução da jornada de trabalho das atuais 44 para 40 horas semanais sem redução de salário. A luta não é fácil, mas a Associação participa ativamente de todas as manifestações e discussões a respeito desse tema que pode representar a criação de milhares de empregos em todo o país. Primeiro de Maio tem de representar a conscientização dos trabalhadores para podemos garantir nossos direitos históricos. Vamos participar das manifestações de Primeiro de Maio e cobrar dos Sindicatos que mantenham os trabalhadores unidos e mobilizados para defender os direitos na Campanha Salarial de 2010. Estaremos participando das manifestações organizadas pela UGT – União Geral dos Trabalhadores em São Paulo e Guarulhos. Veja programação em nosso site: www.aoesp.org.br

O presidente da Associação dos Operadores do estado de São Paulo, Washington dos Santos (Maradona) se encontrou com o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão no Fórum de Temas Nacionais da Associação dos Dirigentes de Vendas e Marketing do Brasil (ADVB), que aconteceu em março em São Paulo. Washington dos Santos aproveitou a oportunidade para apresentar ao ministro Edson Lobão um documento sobre a situação da Energia Elétrica no Estado de São Paulo. A Associação dos Operadores de Usinas Geradoras, Transformadoras e Distribuidoras de Energia Elétrica do Estado de São Paulo, como é denominada, é legitima representante da categoria pela sua história em defesa da qualidade dos serviços essenciais de geração, transmissão e distribuição de energia elétrica do Estado de São Paulo. Essa qualidade da AOESP lhe

dá condições para contribuir ao debate estratégico e necessário sobre o papel da energia elétrica no desenvolvimento do país. O presidente da AOESP, Washington dos Santos (Maradona) disse que: "não podemos nos dar ao luxo de cruzarmos os braços diante da enificiência das empresas do setor de energia elétrica no Estado. Segundo Washington dos Santos, a oportunidade se apresenta, o debate é necessário, e a busca pela eficiência deve ser constante. Ele justifica a situação com os constantes apagões que acontecem tanto na capital paulista quanto no interior do Estado. Para o presidente da AOESP, Washington dos Santos (Maradona), o ministro das Minas e Energia, Edson Lobão tem de tomar providencias no sentido de resolve a situação, caso contrário os prejuízos serão cada vez maiores para a economia do país.

O presidente da AOESP, Maradona e o Ministro das Minas e Energia, Edson Lobão.


Ministro das Minas e Energia recebe em Brasília a Associação dos Operadores do Estado de São Paulo A Associação dos Operadores do Estado de São PauloAOESP preocupada com a continuidade dos bons serviços prestados pelos Operadores de Sistema e de Instalações, esteve em Brasília em março/2010 em uma audiência com o Ministro de

Minas e Energia Edison Lobão. A audiência foi agendada pelo Senador Romero Jucá Filho, e a AOESP foi representada pelo seu presidente Washington Santos (Maradona) acompanhado do Técnico de Operação de Sistemas e de Instalações José

Encontro com o líder do Governo no Senado Romero Jucar O presidente da AOESP esteve em reunião com o líder do governo no senado para apresentar proposta da aoesp que trata da certificação dos operadores como forma de manter a qualidade do serviço e termos os profissionais preparados

de maneira preventiva a fim de evitar futuros apagões que não estão longe de acontecer, o senador gostou da proposta e comprometeu se a interceder junto ao ministro de minas e energia para darmos continuidade a este debate.

O presidente da AOESP e o líder do governo no senado, Romero Jucar

Joaquim Rodrigues Filho “JJ” e do vice presidente da UGT-União Geral dos Trabalhadores, Lourenço Ferreira do Prado. O presidente Washington dos Santos (Maradona) entregou um documento ao Ministro Edison Lobão detalhando a preocupação da AOESP e aponta uma forma como poderia participar do processo junto com o Ministério. O secretário de Energia Elétrica Josias Matos de Araujo, parti-

cipou da audiência e disse que uma das preocupações do Ministério de Minas e Energia também está em rever falta de assistência às subestações pelas empresas. A proposta da Associação dos Operadores do Estado de São Paulo-AOESP, será analisada e posteriormente o Ministério das Minas e Energia deve dar o seu posicionamento em relação à proposta apresentada pela AOESP.

AOESP justifica medida ao Ministro Edson Lobão A recomposição do sistema elétrico após desligamentos como ocorrido em novembro de 2009, que prejudicou milhares de pessoas em 12 estados brasileiros, é uma das situações mais críticas enfrentadas pelos operadores. O número de consumidores que inesperadamente ficam sem energia elétrica neste tipo de ocorrência chega a milhões, e dependendo do porte das instalações e do alcance do problema podem demorar para ser providenciado o restabelecimento. Com a expansão das linhas de transmissão aumentou a complexidade do sistema, há falhas na assistência de subestações pelas empresas, redução do número de operadores experientes ao longo dos anos por causa da aposentadoria dos profissionais mais experientes e a carência absoluta de transmissão do conhecimento armazenado, o que torna necessário um constante treinamento com qualificação exclusiva.

Hoje a certificação inicial é praticada pelas próprias empresas que consiste em um treinamento qualificado nos locais onde o operador trabalha. A Associação dos Operadores do Estado de São PauloAOESP entende que apenas essa medida não é suficiente, uma vez que a certificação deveria ser coordenada por órgão do governo e realizada por uma entidade formada por profissionais da área, com toda a experiência e lisura como a da AOESP, que há mais de 42 (quarenta e dois) anos trabalha junto aos operadores. Ela oferece suporte específico aos profissionais e está atenta a tudo que ocorre no Setor Elétrico. É legitimada pela sua história em defesa da qualidade dos serviços essenciais de geração, transmissão e distribuição de energia elétrica, como entidade juntamente com os profissionais do SEP – Sistema Elétrico de Potência.

AOESP participa de debate sobre geração de emprego no Brasil O presidente da Asssociação dos Operadores do Estado de São Paulo, Washington Maradona, participou no sábado (10//05), no Grande ABC, num evento que reuniu representantes de seis Centrais Sindicais – CUT, Força Sindical, UGT, CGTB, CTB e Nova Central. O objetivo foi promover um debate e um balanço sobre a geração de emprego no Brasil e um mapa da

qualificação profissional. O evento aconteceu na sede do Sindicato dos Metalúrgicos, em São Bernardo do Campo. Marcaram presença a précandidata do PT à presidência da República, Dilma Rousseff, ex-ministra da Casa Civil e o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, entre inúmeras lideranças sindicais e autoridades políticas.

Dra. Maria Isabel Cuevas Moraes, Procuradora do Ministério Público Federal, Jorge Ferreira, presidente do Sindmestres, o presidente da Federação, Maradona, presidente da AOESP e o Dr. Sidnei Teixeira, Procurador do Ministério Público do Trabalho.


1º de Maio da AOESP CONSCIÊNCIA, UNIÃO E LUTA DOS TRABALHADORES

Companheiros operadores, venham comemorar o dia do trabalhador! Presente na festa de 1º de Maio da União dos Sindicatos de Guarulhos

UNIÃO DOS SINDICATOS FAZ FESTA GIGANTE PARA OS TRABALHADORES DE GUAR ULHOS E REGIÃO


BELO MONTE

ANIVERSÁRIO VICENTINHO

Protesto contra a Construção da Usina ganha reforço de Hollywood Índios da região do rio Xingu (PA) em protesto em Brasília contaram (em abril) com a presença do do diretor James Cameron e da atriz Sigourney Weave na mobilização social contra a construção da UHE de Belo Monte. O autor e a atriz de "Avatar" participaram do movimento organizado por 54 instituições que entregaram ao Ministério de Minas e Energia um documento com críticas à construção da usina. O documento que foi protocolado no Ministério pede o cancelamento da licença prévia ambiental e do leilão realizado no dia 20, maspermanece sem resultado difinitivo por força judicial. Segundo eles “definitivamente, a construção de Belo Monte não é necessária porque não vem atender aos interesses reais do povo brasileiro". Os autores de Avatar protestaram contra a mercantilização de bens naturais e a obtenção de lucros privados com a construção da usina. James Cameron afirmou ter procurado bases científicas em diversas fontes para criticar o projeto do governo brasileiro. A batalha jurícida contininua, mas o consumidor paga a conta dessa negociata!

O presidente da Asssociação dos Operadores do Estado de São Paulo, Washington Maradona, entre inúmeras autoridades, esteve presente, em São Bernardo do Campo, em abril, na festa de aniversário em comemoração aos 50 anos do deputado federal, Vicente Paulo da Silva, Vicentinho.

Dr. Sidnei Teixeira, Procurador, Dra. Maria Isabel Cuevas Moraes, Procuradora, Aloísio Mercadante, Senador e Washington dos Santos (Maradona), presidente da AOESP.

Lula diz que é "insano" não apostar em Belo Monte O presidente Luiz Inácio Lula da Silva defendeu no seu programa de rádio “Café com presidente”, a construção da usina Belo Monte no Pará. Segundo ele a energia gerada por uma hidrelétrica “ainda é a mais barata” do mercado e que seria “insano” apostar numa termoelétrica a óleo diesel num momento em que o mundo negocia questões climáticas. Lula disse ainda que existe uma 'indústria do apagão" no país. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou que o projeto foi cuidadosamente estudado e pediu a compreensão dos brasileiros. “Belo Monte é um projeto de 30 anos, não é de agora. Nós temos um potencial hídrico de praticamente 260 mil megawatts. Se o Brasil deixar de produzir isso para começar a utilizar termoelétrica a óleo diesel será um movimento insano contra toda a luta que estamos fazendo pela questão climática”. Para o presidente, os críticos da ideia tentam impedir a construção para justificar erros do passado. "Nós temos aí uma indústria do apagão, pessoas que não querem que a gente construa a energia necessária porque querem que tenha um apagão para poder justificar o apagão de 2001. O apagão de 2001 foi incompetência e nós não vamos ter atos de incompetência", disse Lula.

Geração da Energias do Brasil cai 8,1% no trimestre A Energias do Brasil (EDP) registrou no primeiro trimestre um volume de 1.737 GWh de energia gerada pelas usinas do grupo. Isso representou uma queda de 8,1% em relação ao que foi registrado no mesmo período do ano passado. De acordo com as informações da empresa divulgadas ao mercado, a redução na venda é "resultado da estratégia de sazonalização dos contratos de venda de energia, com uma

alocação maior no segundo semestre do ano". No mesmo período, o volume de energia comercializada pela companhia totalizou 2.086 GWh, uma alta de 18,3%, na mesma base de comparação. N que se refere à distribuição, houve um crescimento de 39,2% no volume de energia, graças à base baixa de comparação, já que em 2009 o volume de energia em trânsito foi prejudicado pela crise.

CESP CESP lança sistema para o controle de cheia A Cesp lançou recentemente um sistema para administrar o controle de cheias. O objetivo do método PATRICh, é oferecer uma fundamentação para que os agentes proprietários de reservatórios de usinas hidrelétricas, que tenham restrições operativas hidráulicas de vazão defluente máxima, possam definir o Tempo de Retorno Implícito (TRi) ou da mesma forma, o grau de proteção contra enchentes a jusante das suas usinas. A informação é do gerente do Departamento de Planejamento Energético e Assuntos Regulatórios da Cesp, Sérgio Zuculin. Ele esclareceu ainda que "na operação hidráulica, é preciso oferecer a quem está na jusante maior segurança. Historiacamente no setor elétrico, essa ela é oferecida, porém, necessita de um embasamento metodológico para sua definição". O novo sistema é resultado de um trabalho de Pesquisa e Desenvolvimento feito em conjunto pela Cesp e pela Hidrasoft, que envolveu professores da USP e Unicamp, com apoio de diversos agentes concessionários hidrelétricos e do Operador Nacional do Sistema Elétrico.

www.aoesp.org.br


VOCÊ ESTÁ SEM PLANO DE SAÚDE? Entre em contato com a AOESP Temos um plano bem baratinho com qualidade! CONVÊNIO SAMCIL A PARTIR DE R$ 41,00

VALE A PENA FICAR SÓCIO DA AOESP LIGUE JÁ: (11) 3225-0681

Venha ficar sócio da AOESP


Expediente O informativo Jornal da AOESP é uma publicação da Associação dos Operadores do Estado de São Paulo. Diretor Responsável: Washington dos Santos (Maradona) Editor: Acácio Nascimento Diagramação e Arte: Marcio Rualonga (MTb 29.003) Fotos: Acácio Nascimento Tiragem: 20.000

Jornal da aoesp abril 2010  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you