Issuu on Google+


renato soeiro +351 96 773 4 663 rsoeiro.arq@gmail.com http://cargocollective.com/renatosoeiro


renato soeiro PERFIL

05

PROJECTOS ACADÉMICOS

11

CENTRO DE MONITORIZAÇÃO AMBIENTAL . CAXIAS

13

HABITAÇÃO UNIFAMILIAR . TIRES

17

RESIDÊNCIA ARTÍSTICA . LISBOA

21

PROJECTOS

29

LOJA EM VISEU

31

CASA EM PENEDONO

37


PERFIL

05


NOME Renato Ferreira Silvestre Soeiro Lopes QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL Arquitecto OBJECTIVO estágio para integrar a O.A. NASCIMENTO 1984 TELEMÓVEL 00351 96 773 4 663 E-MAIL rsoeiro.arq@gmail.com


LOCAL DE ENSINO Faculdade de Arquitectura e Artes da Universidade Lusíada de Lisboa FORMAÇÃO ACADÉMICA Mestre Arquitecto PROFESSORES DE PROJECTO prático e teórico Arq. Arq. Arq. Arq. Arq.

José Maria Assis e Arq. Fernando Hipólito João Antunes e Arq. Vitor Neves Nuno Simões Pedro Domingos e Arq. Fernando Hipólito Helena Carqueijeiro

5º 4º 3º 2º 1º

ano ano ano ano ano

EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL Escola de Condução em São João da Pesqueira Loja em Viseu Escola de Condução em Penedono Habitação Unifamiliar em Penedono *

colaboração colaboração colaboração em curso

APTIDÕES E COMPETÊNCIAS línguas Português Inglês Castelhano

língua materna médio médio

software Adobe Illustrator Adobe InDesign Adobe Photoshop Autodesk AutoCAD Artlantis Grafisoft ArchiCAD Google SketchUp Mac iWork (Pages, Keynote) Microsoft Office (Word, Powerpoint Sistemas operativos Windows e Mac

médio avançado avançado avançado médio médio médio médio avançado avançado

OUTROS INTERESSES hobbies cinema, design, economia, fotografia, marqueting, teatro desporto corrida, hóquei no gelo (de 1997 e 2002), ski, squash, ténis VIAGENS Alemanha . Berlin Eslovénia . Liubliana Espanha . Madrid, Barcelona França . Paris Holanda . Amesterdão Inglaterra . Londres Itália . Roma, Milão, Veneza, Florença República Checa . Praga

* co-autor Arq. Mário Serrano


REPETIR NUNCA É REPETIR in Álvaro Siza - Imaginar a Evidência por Siza Viseira, 2009, p.15


PROJECTOS ACADÉMICOS

11


CENTRO DE MONITORIZAÇÃO AMBIENTAL CAXIAS orientador . Arq. Pedro Domingos 2º ano . 2005

O programa previa a construção de um Centro de Monitorização Ambiental na Quinta Real de Caxias. A proposta apresentada procurou re-estabelecer a continuidade da Quinta Real de Caxias, que se encontra dividida por uma via de circulação. Para tal, foi trabalhado o terreno de foma a criar uma ligação através de uma nova estrutura que se estende ao longo da Quinta Real de Caxias. Esta implantação levou à redefinição dos limites da Ribeira da Barcarena, bem como à redefinição do muro que limita a Quinta Real de Caxias. Pela sua implantação, o Centro de Monitorização Ambiental relaciona-se, então, por um lado, com a Quinta Real de Caxias e por outro, com o Convento Real de Caxias.

13


planta localização


entrada residências temporárias auditório foyer

laboratórios laboratórios armazém auditório apoio auditório

perspectiva


HABITAÇÃO UNIFAMILIAR TIRES orientador . Arq. João Antunes 4º ano . 2008

O projecto para a Habitação Unifamiliar enquadra-se no Plano de Requalificação Urbana de Tires. O programa propunha uma habitação de reduzidas dimensões e espaço de cultivo. Dessa forma, o carácter rural da zona é mantido. As habitações unifamiliares propostas desenvolvem-se a partir de uma estrutura cental que engloba zonas de distribuição e espaços de apoio, encontrando-se cada habitação ligada a um jardim privado, apto às necessidades dos seus habitantes.

17


2.1

2.2

1.1

2.1 planta piso 2

1.3

1.2

1.1

0.4 planta piso 1

0.6 0.3

0.2

0.1

0.5

0.4 planta piso 0

0.1 0.2 0.3 0.4 0.5 0.6

hall garagem cozinha sala lavabo arrumo

1.1 sala estar 1.2 lavado 1.3 arrumo 2.1 quarto 2.2 i. s.

plantas habitação unifamiliar


RESIDÊNCIA ARTÍSTICA LISBOA orientador . Arq. José Maria Assis 5º ano . 2010

No espaço ocupado pelo Mercado do Chão do Loureiro foi proposta a criação de uma Residência Artística para o Chapitô. A ideia para a nova escola do Chapitô surgiu de forma bastante clara. Pretendera-se estabelecer uma relação entre o edifício que iria albergar o Chapitô e a própria cidade. Para tal, elevou-se todo o edifício do plano do solo, criando-se um espaço público-privado capaz de atrair a atenção, recebendo o espectador antes mesmo de este entrar no interior do edifício. Mais, este espaço permite o seu aproveitamento pelos alunos, que podem utilizá-lo para treinar, promovendo assim o contacto, a interacção e a socialização dos mesmos com os actores da cidade.

21


planta cobertura

planta piso 4

planta piso 5

planta piso 3


planta piso 2

planta piso 1

planta piso 0

planta piso -1


perspectiva foyer


audit贸rio


A’

A

corte A/A’


Por um lado isto: percebemos um grande volume e olhamos para baixo e não há pernas. A sensação de que fomos enganados pelos olhos ou pela engenharia. Mas pernas há, algures, lá para dentro do edifício, mas a ideia é mesmo esta: há elementos pesados que flutuam, há um diálogo à distância entre o que vemos quando olhamos para cima e o que vemos quando olhamos para baixo. A primeira sensação é, então, a de que só há cabeça. Depois, o nosso corpo avança e avança, e continua a avançar, e entra num edifício, e num instante já está no seu centro, sem atravessar porta, portão ou portinhola. in CEAI@EBG por Gonçalo M. Tavares, 2010, p.25


PROJECTOS

29


LOJA EM VISEU 2010

O programa propunha um eficaz aproveitamento do espaço aliado a uma imagem forte, adequada ao tipo de roupa vendida na Loja. Apesar da heterogeneidade espacial, pontuada por diversos pilares, facilmente se idealizou a intercepção de dois sólidos: um grande paralelipípedo intercepta diagonalmente um segundo, dotando de ortogonalidade e geometria este espaço irregular. Os dois sólidos articulam dois diferentes espaços. Um primeiro, de entrada, onde se encontra exposta roupa, e um segundo, onde se expõem acessórios, se encontra o balcão, os provadores e o acesso ao armazém.

31


Praça do República

Rua Francisco Alexandre Lobo nº 32/36

Sé de Viseu

localização


perspectiva original

ideia

perspectiva proposta


planta


CASA EM PENEDONO projecto em curso *

O lote que irá albergar a Casa Unifamiliar situa-se no centro da Vila de Penedono. Devido à pendente, procurou-se não criar um volume único vertical pousado sobre a colina. Assim, optou-se por framentá-lo em três volumes que se sobrepõem ao longo da colina. Esta distribuição permitiu uma maior privacidade aos seus habitantes. A cada um dos três pisos foi dada uma função: no primeiro piso encontra-se a garagem, no segundo piso desenvolvem-se os espaços mais públicos da casa e no terceiro piso os espaços mais privados. Tendo presente que o projecto se encontra numa fase inicial de desenvolvimento, os desenhos apresentados são apenas esquemáticos. Na verdade, limitam-se a traduzir de forma directa a ideia, permitindo, ao mesmo tempo, apreender a gestão e relação dos vários espaços.

* co-autor Arq. Mário Serrano

37


estudo


planta implantação


“Pois cada texto se deve tornar necessidade, ou não significará muito. Assim igualmente acontece na prática de Arquitectura.” in 01 Textos - Álvaro Siza por Siza Vieira, 2009, p.149


renato soeiro +351 96 773 4 663 rsoeiro.arq@gmail.com http://cargocollective.com/renatosoeiro


renato soeiro portfolio