Issuu on Google+

cotidiano

Tel.: 0/xx/11/3224-3402 Fax: 0/xx/11/3224-2285 E-mail: cotidian@uol.com.br Serviço de atendimento ao assinante: 0800-775-8080 Grande São Paulo 0/xx/11/3224-3090 Ombudsman: ombudsman@uol.com.br

EF

SÁBADO, 26 DE JANEIRO DE 2008 ★

C1

ESPORTE LEÃO INSINUA QUE ATLETAS PODEM ESTAR CONTRA ELE NO SANTOS

FÁBIO ASSUNÇÃO ATORÉLEVADOÀPF AOSERACHADO EM FLATCOMSUSPEITO DETRÁFICO

Pág. D2

Pág. C3

Moradorderuafere3emmissadeSPnaSé Ataque foi feito a facadas na catedral durante a celebração dos 454 anos da cidade; prefeito e dois ministros estavam na igreja Bruno Miranda/Folha Imagem

Professor e dois policiais sofreram ferimentos leves; detido é conhecido na região da praça da Sé e aparentava embriaguez

Fotos Luciano Amarante/Folha Imagem

................................................................................................

RICARDO SANGIOVANNI COLABORAÇÃO PARA A FOLHA

JOSÉ ERNESTO CREDENDIO DA REPORTAGEM LOCAL

Colaborou CATIA SEABRA, da Reportagem Local

FOTRO 4.0 31.0

Ivan Santos, um dos feridos

Homem com faca de cozinha é preso em missa na catedral da Sé, após ferir 3 pessoas; prefeito e dois ministros estavam no local

A faca que foi usada no ataque

Duasmulheres relatamfurto durantemissa

ATAQUE NA SÉ Homem entra na catedral armado com uma faca e fere três pessoas A missa na Catedral da Sé, em São Paulo, para a comemoração dos 454 anos da cidade, começa por volta das 10h

................................................................................................

Entrada trada principal ncipal

DA REPORTAGEM LOCAL

2 Ao sacar a faca, fere levemente na mão direita o professor Ivan Bezerra dos Santos

Ronaldo Marzagão

1 Por volta das 11h, o morador de rua Benedito de Oliveira, 45, entra aparentemente embriagado, na igreja, carregando um cavaco e com uma faca escondida. Após chegar perto do altar pelo lado esquerdo da igreja, ele começa a gritar “Mata eu, São Paulo! Eu não quero morrer de fome”!

Gilberto Kassab

(senador pelo PT)

(secretário da Segurança Pública)

(prefeito de SP)

Andrea Matarazzo (secretário das Subprefeituras)

Luiz Marinho (ministro da Previdência)

3

Carlos Lupi (ministro do Trabalho)

Local onde o homem foi detido

Altar

C E N A S

D O

Seguranças e policiais o imobilizam. Dois policiais se ferem ao tentar conter Oliveira, que foi preso

Infografia Marcelo Pliger e Rodrigo Cunha/Folha Imagem

Eduardo Suplicy

A N I V E R S Á R I O Luciano Amarante/Folha Imagem Alex Almeida/Folha Imagem

Três pessoas foram levemente feridas a facadas por um morador de rua no interior da Catedral da Sé durante a missa pelo 454º aniversário de São Paulo, ontem de manhã, que era acompanhada por autoridades, incluindo o prefeito Gilberto Kassab (DEM) e ministros. Havia 2.000 pessoas na Sé. A cerca de dois metros do agressor, que portava uma faca de cozinha com 30 cm e foi preso em flagrante, estavam sentados o secretário da Segurança Pública, Ronaldo Marzagão, e o senador Eduardo Suplicy (PT). No mesmo setor de cadeiras, próximo ao altar, ainda se acomodavam Kassab, os ministros Carlos Lupi (Trabalho) e Luiz Marinho (Previdência) e secretários municipais de São Paulo. O autor do ataque foi Benedito de Oliveira, 45, que é conhecido por colegas de praça da Sé como “Benedito do Pagode”. O acusado assistia à celebração segurando um cavaquinho. Oliveira, com diversas passagens pela polícia por roubos e furtos, foi indiciado por tentativa de homicídio. Três horas após ser preso, ainda aparentando embriaguez, ele negou a jornalistas ter dado as facadas. O crime ocorreu durante a homilia do cardeal d. Odilo Scherer. D. Odilo chegou a suspender a homilia, em que tratou da história de São Paulo, por alguns segundos. Na confusão, o cardeal pediu calma. Aos gritos de “Mata eu, São Paulo! Eu não quero morrer de fome!”, Oliveira pegou a faca e foi em direção ao altar. Poucos metros à frente estava o professor Ivan Bezerra dos Santos, 29, da Pastoral do Menor, que se preparava para fazer uma das orações. Ele levou dois cortes na mão direita ao tentar se defender do ataque. “Ele [Oliveira] iria acertar minha barriga [sofreu um leve arranhão]. Eu já tinha percebido que ele estava perturbado, resmungava a toda hora”, disse. Também ficaram feridos dois PMs, entre eles o capitão Mauro Ricciarelli, que ajudavam a conter o agressor. Logo em seguida, Oliveira foi imobilizado por sete pessoas, entre seguranças da igreja e policiais. Após a missa, d. Odilo disse que o caso foi “lamentável”. “Mas é preciso que a gente não atribua um peso demasiado a esse incidente. É claro que requer que tenhamos maior atenção à segurança na igreja quando há autoridades.” A polícia descarta a possibilidade de que Oliveira tenha entrado na igreja com o objetivo de atingir alguma autoridade. O delegado Aldo Galeano Júnior, diretor do Decap (Departamento de Polícia Judiciária da Capital), disse que Oliveira estava embriagado. “O laudo só sai na segunda-feira, mas isso fica evidente, pelo comportamento do preso”, disse. O coronel Álvaro Camilo, comandante do policiamento do centro, avaliou que não houve falha na segurança interna nem externa durante a missa. Havia 60 PMs no entorno da catedral. “A segurança da basílica foi adequada, tão eficiente que imobilizou rapidamente o agressor”, disse o coronel. A Arquidiocese de São Paulo também não avalia que tenha havido falha na segurança, segundo seu porta-voz, padre Juarez de Castro.

FOTO 2.0 18.00

FOTO 2.0 38.00

Apu Gomes/Folha Imagem

FOTO 2.0 18.00

) COMEMORAÇÃO O governador José Serra, a viúva de Paulo Autran, Karin Rodrigues, e o prefeito Gilberto Kassab inauguram túnel entre a av. Washington Luís e Congonhas; acima, mulher pega o tradicional bolo do Bexiga, com 454 m; abaixo, fogos no centro da cidade, na madrugada de ontem

Duas mulheres foram à polícia registrar queixa de furto durante a missa na Sé, ontem. O senador Eduardo Suplicy (PT) também sentiu falta de uma carteira com cerca de € 200, US$ 500, R$ 30 e carteira de habilitação quando, finda a missa, foi pagar cafés na padaria em frente à catedral. Somado, o prejuízo do senador chega a cerca de R$ 1.500. Suplicy, que estava com moeda estrangeira por ter chegado de uma viagem ao Oriente Médio, registrou boletim de ocorrência por extravio de documentos horas depois. O senador, que acompanhava a missa ao lado do secretário de Estado Ronaldo Marzagão (Segurança Pública), havia tirado R$ 10 da carteira durante a coleta de doações na Sé. Depois, se dirigiu à sacristia para cumprimentar amigos religiosos. Quando saía, parou para tirar fotos com pessoas que estavam à sua espera. “Só fui perceber na padaria, na hora de pagar o café. O Adriano Diogo [deputado estadual pelo PT], na hora, lembrou que eu estava com a carteira. Vou rezar para são Longuinho [santo a quem fiéis apelam para localizar objetos perdidos]”, disse o senador. Furtos A Polícia Civil registrou duas queixas de furtos no interior da Sé. Os dois casos teriam ocorrido na fila da comunhão, segundo relato das vítimas à polícia. Uma das vítimas foi a religiosa e advogada Michael Nolan, 66, que já atuou em processos que envolvem o padre Julio Lancelotti, da Pastoral do Povo da Rua de São Paulo. Padre Julio também estava na missa. Nolan disse que conseguiram retirar de sua bolsa cerca de R$ 50, a frente de um toca CDs e o terço que carregava. Com aparência tranqüila, repetia que “não foi o povo da rua, da Sé”. “Essas pessoas respeitam muito a catedral, não fariam isso lá dentro”, disse Nolan, que mora perto da Sé e advoga para movimentos sociais, como de indígenas. “O centro é um lugar calmo, mas já fui furtada outras vezes por aqui.” A outra vítima, que preferiu não se identificar, chorava e dizia estar em estado de choque ao relatar o caso. “Levaram meus documentos, minha agenda, tudo. Como vou fazer?”, dizia a mulher. (JEC)


6FC01NCA0126