Page 1

ano 4 | no. 16 | out/nov 2016

Revista Laboratório do Curso de Relações Públicas da PUCPR

EM ALTA!

A PESQUISA CIENTÍFICA GANHOU DESTAQUE E É UM DIFERENCIAL NO MERCADO

P. 15

VEGANISMO

UMA NOVA FILOSOFIA DE VIDA

P. 18

RESPONSABILIDADE SOCIAL

A PRÁTICA NA UNIVERSIDADE

P. 06


EDITORIAL Chega ao fim o ano letivo de 2016 e não tem como não realizar uma retrospectiva. Deixamos o saudosismo de lado e notamos que, mesmo em um contexto político-econômico complicado para o Brasil, finalizamos mais um ano com a cabeça erguida e com a sensação de dever cumprido. Esse foi o ano em que começamos a aumentar o horizonte de alcance da nossa revista, tendo uma reportagem na sua versão inglesa. É uma semente de uma bela e frondosa árvore, que pretendemos regar para que ela cresça e traga mais frutos! Também tivemos a premiação dupla da nossa revista, registrando o processo laboratorial desta publicação, que ajuda a tangibilizar o aprendizado deste veículo premium, que é a publicação empresarial. Não paramos por aí. Temos novidades a vista para a RP em Foco. Que ela cresça conforme a ambição e sonhos de nossos alunos, que querem ver sua revista sempre contemporânea, atualizada e de vanguarda. Esta edição encerra mais um ciclo mas ao retornar, tornar-se-á ainda mais forte, consistente e adequada às propostas do curso de relações públicas da PUCPR. Aproveite, então, a última edição do ano, que traz notícias da nossa área e ajuda a ampliar horizontes pessoais e profissionais. Como sempre, fizemos com muita dedicação e carinho, com foco nas Relações Públicas! Boa leitura! Profa. Gisele Passos

Expediente RP EM FOCO – Revista Laboratório desenvolvida na disciplina de Comunicação Dirigida, por estudantes do 8º período do curso de Comunicação Social - Relações Públicas, da Escola de Comunicação e Artes, da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR).

Reitor Waldemiro Gremski Decana da Escola de Comunicação e Artes Eliane Cristine Francisco Mafezzolli Coordenadora do curso de Relações Públicas Francieli Mognon - francieli.mognon@pucpr.br Coordenação do Projeto RP em Foco Gisele Passos Lima Romanel – gisele.passos@pucpr.br (DRT 0658 PR / CONRERP 3720) Coordenação do projeto gráfico André Schlemmer - schlemmer.andre@gmail.com Estudantes do 8º período de Relações Públicas: Amanda Benevides, Ana Flavia Gerva Fedrigo, Ana Paula Sanches, Bianca Bera Abinoski, Flavia de Mattos Marques, Igor Martins Ruis Chagas, Isadora Ronchi Gonçalves de Freitas, Mariana Andressa Machado, Natalia Mazetto de Brito, Nery Junior de Barros Rodrigues, Renata Caroline de Lara e Rute Helena Damasio Coordenadora do projeto de tradução Lucia Maria Silva Kremer Versão em inglês: Claudine Duarte e Luara Dittrich, do 8º período de Letras Português-Inglês (Portuguese-English Language and Literature) da PUCPR Diagramação Capa: André Schlemmer Miolo: Estudantes da turma do 8º ano de RP Finalização: Isadora Rochi Gonçalves de Freitas, Natalia Brito, Renata Caroline de Lara e integrantes do Bureau de RP

Relações Públicas PUCPR

Revisão Estudantes da turma do 8º período de RP, Profª Gisele Passos, Profª Francieli Mognon, Profª JXX e

rpemfoco.com.br

ERRAMOS! Faltou incluir entre os alunos autores das reportagens da RP em Foco 15 a estudante Natalia Brito. Desculpe-nos, Nati!

Distribuição gratuita e dirigida Tiragem: 500 exemplares Contato Curso de Relações Públicas da PUCPR Rua Imaculada Conceição, 1155 - Prado Velho CEP: 80215-901 Curitiba – PR. Telefone: (41) 3271-1393


SUMÁRIO ENTREVISTA

Nômade digital: um profissional independente e 100% online EVENTOS

Relações Públicas do bem CASE RP

Copel mostra sua íntima relação com RP PUCPR

Caminhando para a inovação | Walking to inovation CULTURA

Os relações públicas e suas atividades no mercado cultural | Site tem como tema principal a agenda cultural de Curitiba RP EM PESQUISA

Pesquisa científica: um fomento ao espírito investigativo PERFIL

Paixão pela comunicação, fotografia e oportunidade MERCADO E TENDÊNCIAS

Vegan: um mercado em ascensão RP EM IMAGENS

O olhar no detalhe faz a difereça em um evento ATUALIDADES

Facebook lança rede social para empresas FIQUE LIGADO

Cursos para não ficar parado nas férias

04 06 08 10 13 15 17 18 20 22 23


ENTREVISTA

NÔMADE DIGITAL: UM PROFISSIONAL INDEPENDENTE E 100% ONLINE A Comunicação Digital possibilita aos profissionais seguir uma carreira que permite integrar resultados mais eficazes através de uma maior liberdade na entrega dos serviços. Por Mariana Machado

ou se especializando em Comunicação Digital para prestar serviços a empresas de pequeno e médio porte. De acordo com o Portal IFD, cerca de 80% das empresas fecham as portas antes de completar um ano por não investirem em sua comunicação de maneira adequada. Com a finalidade de apresentar aos alunos áreas de atuação pouco conhecidas, mas que oferecem grandes oportunidades aos profissionais que decidem se dedicar a elas, a revista RP em Foco entrevistou Fernando Kanarski. Formado em Sistemas de Internet pela UTFPR, largou seu emprego fixo em uma Agência de Publicidade

para atuar como “Nômade Digital”. Hoje, ele é proprietário da Travel’n Tech Brasil e viaja o mundo trabalhando como consultor de marketing digital para pequenas e médias empresas, e comprovando que o trabalho pode e deve ir além de uma sala de escritório. Fernando já passou por grandes agências como Ópus Múltipla e House Cricket, e, apesar de não ser graduado em comunicação social, mostra que a Comunicação Digital é fundamental dentro do contexto de qualquer empresa – independente do segmento, e contempla sua aplicação ao redor do mundo tendo passado por países como Namíbia, Nova Zelândia e Vietnã.

Foto: Arquivo pessoal.

O mercado está mudando e, cada vez mais, percebe-se a necessidade de oferecer propostas diferenciadas e inovadoras de serviços para as empresas – independente do porte, principalmente com os avanços da tecnologia que disponibilizam diversas ferramentas para uso das organizações para fins de divulgação e relacionamento com seus públicos de interesse. Muitos profissionais optam por empreender e criar um modelo de negócios ao invés de trabalhar em uma organização tradicional, a maioria deles acaba desenvolvendo novas propostas de plataformas digitais visando solucionar um determinado problema,


trabalhar com grandes empreRP em Foco: O que te motivou sas de TI, com grandes equipes. a se tornar um nômade digiEsta possibilidade não parecia tal? viável, embora se fosse de meu Fernando Kanarski: Eu sempre conhecimento, talvez fosse uma gostei de viajar e de ser mais possibilidade a se explorar. independente quanto ao trabalho. Quando descobri que havia RPF: Você acredita que as pessoas viajando e conseguinRelações Públicas estão se do se manter não importa onde aproximando cada vez mais estivessem, a ideia entrou na das plataformas digitais em minha cabeça e comeseus planejamentos cei a pensar muito de comunisobre e acompacação? nhar blogs e FK: Sim, assim pessoas que como pratica"A Comunicação Digital faziam isso. mente qualganha novas ferramentas, quer profisestratégias e possibilidades todos RP em Foco: são, Relações os dias, tornando-se cada vez O que caPúblicas racteriza um também esmais flexível e abrangente. " nômade ditão cada vez gital? mais digital, Fernando Kanarski FK: Ser indepenusando funcionadente de localizalidades e a possibilição para manter sua dade da internet para rotina de vida e ganhos. Um expandir a otimizar a comunicanômade digital pode trabalhar ção. de qualquer lugar do mundo, usando na maioria das vezes a RPF: Como foi o seu primeiro internet para trabalhar. Um nôcontato com as ferramentas made digital geralmente ganha da Comunicação Digital? Exdinheiro em um país que teplique. nha boa remuneração e o gasta FK: Ainda durante a faculdade, (mantém sua vida) em países mas não ligado a ela, comecei a com menor custo de vida. Por frequentar eventos sobre Web, exemplo, existem muitos nômaque sempre mostravam muitas des que trabalham para empreinovações para a comunicação sas americanas (ganhando em digital. Foi por conta destes dólar) e vivem no sudeste asiátieventos que comecei a me inco, onde o custo de vida é baixo teressar mais e procurar mais e a internet é relativamente boa. sobre o assunto, fato que me inNômades não precisam necesteressou muito e trabalhar com sariamente abandonar tudo e isso em vez da minha área de viver viajando, podem ter uma formação. rotina mais flexível, viajando parcialmente e explorando diRPF: Você acredita que a versos lugares. Comunicação Digital está sendo revolucionada? Por quê? RPF: Você se via trabalhando FK: Sim, a cada dia. A comuna área que atua hoje na éponicação digital ganha novas ca em que estava na Universiferramentas, estratégias e posdade? Por quê? sibilidades todos os dias, torFK: Não, eu sou formado em nando-se cada vez mais flexível Sistemas para Internet. Na facule abrangente. dade, sempre fui direcionado a

RPF: Em sua experiência profissional, você teve contato com a área de Relações Públicas? Se sim, como foi e conte sobre a influência desse profissional em sua trajetória. FK: Sim. Pelo fato de trabalhar com comunicação digital para diversas empresas e startups, o processo de relações públicas faz parte da estratégia de expansão de muitas destas empresas, sendo uma forma extremamente importante de aumentar a autoridade das marcas e visibilidade frente ao público. RPF: Para você, qual é a melhor parte de ser um nômade digital? FK: Ter a flexibilidade de poder viajar para onde quiser, quando quiser, somente precisando adaptar a agenda de trabalho à rotina do destino. Além disso, o fato de estar fazendo algo que dá prazer faz com que as ideias fluam mais e o stress do trabalho seja infinitamente menor. RPF: Quais seriam as suas dicas para quem tem interesse em seguir o mesmo caminho que você? FK: Primeiramente, é importante ganhar experiência, construir uma autoridade, aprender e se especializar. Depois disso, ter dinheiro de reserva é extremamente importante, assim será possível “testar” o nomadismo digital com mais facilidade. Ter aproximadamente de 5 a 6 meses de salário guardado é importante para dar coragem e sanar qualquer problema que venha a ocorrer. Feito isso, é preciso escolher uma função que possa ser feita remotamente, testar, divulgar seu serviço e ir criando um modelo de trabalho que seja satisfatório e complementar às horas disponíveis para explorar os destinos e descansar.


EVENTOS Foto: Isadora Ronchi

RELAÇÕES PÚBLICAS DO BEM Em alta, o tema Responsabilidade Social desperta o interesse da universidade para o desenvolvimento de atividades práticas de RP Por Isadora Ronchi

N

em empresas, nem esfera governamental. O momento agora é a atuação do RP no campo social. Essa oportunidade tem sido aproveitada pelo curso de RP da PUCPR, aliando os valores maristas e do curso com a prática profissional. Ao longo do curso, os estudantes têm a oportunidade de desenvolver técnicas da profissão aliadas a competências sociais e em 2016, essa tarefa ficou a cargo dos alunos do 4º período, na disciplina de Gestão de Eventos e do 5º período de Relações Públicas, na matéria Comunicação Interna, com a orientação da professora e coordenadora do curso, Francieli Mognon. A professora enfatiza que todos

06

os anos uma temática diferente lidade social têm tudo a ver, a é escolhida para a turma do 5º realidade das organizações neperíodo desenvolver atividades cessita de padrões éticos que rede comunicação e em 2016, o conheçam a importância do ser tema responsabilidade social humano, da comunidade e do foi escolhido pela sua relevânmeio ambiente. Para a profescia no cenário mundial, para sora, esse tema é um dos braços que o aluno pudesse perceber da atuação do RP e a universidaa importância dele como de deve desenvolver e apricidadão neste conmorar as competências texto: “Inicialmente dos alunos para estas os estudantes enquestões: “Percebo “Este não é só um ato contraram muita que os estudantes profissional, é um ato de dificuldade para gostam muito de cidadania e humanização” elaborar ações desenvolver estas Francieli Mognon que agradassem e ações, este não é só atraíssem o público, um ato profissional, mas na medida em que é um ato de cidadania e foram pesquisando sobre o ashumanização”, complementa. sunto, começaram a se engajar Saiba mais sobre alguns dos mais sobre o tema”, comenta. eventos desenvolvidos pelos esA comunicação e a responsabitudantes em 2016 e inspire-se!


Seja o herói nessa Páscoa!

PU

CP

R

ulg a

çã

o

Entre os dias 10 e 19 de março, os alunos do 5º período, na disciplina de Comunicação Interna, promoveram a arrecadação de chocolates para entregar as crianças do Centro de Educação João Paulo II. Ao todo, foram arrecadados 5kg de chocolate, entre bombons, balas e outros doces em geral. Os estudantes da PUCPR entregaram 281 kits com os doces e realizaram atividades com os alunos da instituição, como oficinas de contação de histórias e dança.

Ser Criança

Foto: Di v

No dia 11 de outubro, na matéria Gestão de Eventos, os estudantes do 4º período organizaram atividades para os alunos da mesma instituição. Os acadêmicos realizaram gincanas com crianças de 3 a 6 anos o evento, como contação de histórias com fantoches e brincadeiras diversificadas. Já com os alunos de 7 a 10 anos, as gincanas realizadas variaram de dança das cadeiras a quiz. Além das dinâmicas, os futuros RP’s também promoveram a arrecadação de 82 bolas e 300 kits de doces, com pipoca, balas e chocolates.

Com o objetivo de educar e conscientizar os estudantes da Escola de Comunicação e Artes da PUCPR sobre os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), os alunos do 5º período desenvolveram campanhas de Comunicação Interna. Confira algumas das atividades desenvolvidas pelos estudantes:

Foto :D ivu lg

P ão

PR UC

vulgação PUCPR : Di

As alunas Ana Claudia Martins, Aniele Spinosa, Daniele Iachecen e Jaqueline Sureck organizaram a campanha com foco no 4º ODS proposto pela ONU. Durante o período de 18 de maio a 3 de junho foram arrecadados 110 livros infantis e infanto-juvenis, entregues no dia 22 de junho, no Centro Educacional Marista Irª. Eunice Benato, entidade parceira da PUCPR.

to Fo

Escrevendo uma história

Energia do bem Com foco no 7º ODS, as alunas Bruna Busch, Gabriela Castro, Isabella Volkmer e Larissa Collini realizaram a campanha Energia do Bem, que tinha o objetivo de informar os estudantes sobre a importância das energias renováveis. A campanha contou com uma palestra sobre o tema, com Caio Buso, presidente da empresa 3B Energy e a arrecadação de 31 itens, entre pilhas e bateria, para a sua destinação correta.

07


CASE RP

COPEL MOSTRA SUA ÍNTIMA RELAÇÃO COM RP A Companhia Paranaense de Energia Elétrica tem como tradição a profissão de relações públicas entre as áreas da administração da empresa há 58 anos. Por Amanda Benevides

Q

uem acompanha as atividades da Copel de perto talvez não esteja atento ao fato de que a concessionária paranaense de energia elétrica conta com o serviço de Relações Públicas há mais de 40 anos. Este espaço da revista RP em Foco será dedicado, então, a registrar essa caminhada tão próxima entre a Copel e a função de Relações Públicas, considerada uma parceria bem sucedida. A histórica começa em 1968, com a criação da revista COPEL INFORMAÇÕES,

um boletim da companhia. “A revista corporativa da Copel, a Revista Copel Informações, foi publicada de modo ininterrupto de 1968 até 2014, tornando-se uma das revistas de maior longevidade na história empresarial brasileira”, conta o assessor de imprensa corporativa da Copel, Marcelo Rothen.

telecomunicações e sobre os funcionários que ganharam prêmio por tempo de serviço. Tudo muito bonito, editorialmente falando e, a editoria desta revista tão antiga que encanta os olhos dos novos Relações Públicas é: “a importância das Relações Públicas”. Nela, a Copel registra alguns fatores históricos.

Vale ressaltar em especial a edição de aniversário de 18 anos, escrita por Romildo Furlan, que conta histórias como o progresso da empresa,

A ARP - Assessoria de Relações Públicas da Copel - surgiu em abril de 1958, o que mostra que dez anos antes de ser regularizada no Brasil


a profissão já era importante e considerada necessária pela companhia. A matéria da revista de 1972 traz a conhecimento as atividades realizadas pelo grupo ARP na época, como a realização mais de 150 viagens e atingiram todas as regiões do Estado do Paraná. Em 23 palestras, o setor atingiu o expressivo número de 7 mil participantes. Receberam e coordenaram em suas instalações visitas de 600 pessoas, entre estudantes, publicitários, jornalistas e deputados. A matéria trata sobre a admiração da empresa pela técnica que vinha crescendo ano após ano. Comentam sobre o empenho do Presidente da República do Brasil da época para regulamentar a profissão de Relações Públicas no país, em setembro de 1968. Ao longo da matéria

contam sobre “NOSSAS RP”, trazendo ao conhecimento dos interessados no funcionamento da companhia. Nota consistente na revista sobre a ARP: “Na COPEL todos somos responsáveis pelas boas Relações Públicas, desde os diretores aos mais modestos funcionários. De nossa maneira de agir, de realizar nossas tarefas, de tratar com o público em geral, depende a formação da imagem da Empresa perante a opinião pública. A par dessa necessidade de contar com a colaboração de todos, a COPEL mantém uma Assessoria de Relações Públicas, diretamente subordinada à Presidência, e encarregada de estudar, planejar, coordenar e controlar a execução constante de pesquisa, análise e identificação dos

problemas e imagem da empresa perante seus vários públicos. Além disso, estuda, planeja, coordena e controla nos planos e programas em geral de informações dirigidas ao público e de promoção institucional da empresa.” A Assessoria de Relações Públicas não existe mais. “Este núcleo evoluiu para a atual estrutura, regida por uma filosofia de comunicação integrada que exige versatilidade de seus profissionais de comunicação, ao tratarem com diversos públicos e atenderem a necessidades difusas de comunicação. É possível identificar ações de jornalismo, relações públicas e também publicidade, mas em geral todos os profissionais estão capacitados a atuarem nestas demandas”, conta Rothen. A Companhia Paranaense de Energia (COPEL) foi criada em outubro de 1954, para gerar, transmitir e distribuir energia elétrica e também para atuar nas áreas de telecomunicações de todo o Estado do Paraná. Abriu seu capital ao mercado de ações em 1994 e a partir de 2008 as ações da Copel passaram a integrar oficialmente o Nível 1 de governança Corporativa da Bolsa de Valores Mercadorias e Futuros - BM&FBovespa.

09


PUCPR

CAMINHANDO PARA A INOVAÇÃO A aceleradora da PUCPR, Hotmilk, traz ideias inovadoras e lança novos profissionais no mercado de trabalho Por Bianca Bera Abinoski

Fonte: Site Hotmilk

S

abe aquela ideia brilhante, que você já teve e não sabe como fazer funcionar? Talvez a PUCPR possa te ajudar. Com o objetivo de lançar startups, pessoas inovadoras e empreendedores de Curitiba, a universidade lançou, em 2014, a Hotmilk. Surgiu por meio de uma iniciativa que se difere de tudo no mercado atual. A aceleradora busca pessoas criativas e com instintos empreendedores para investir em suas startups. A ideia surgiu da necessidade da PUCPR começar a estimular o seu próprio ecossistema para um posicionamento mais empreendedor e inovador. “Não tínhamos nenhuma operação de incubação ou aceleração antes da Hotmilk”, diz o coordenador da aceleradora, Leonardo Tostes. O público alvo da Hotmilk são os alunos e egressos, assim como qualquer um que queira empreender, o coordenador também afirma: “temos uma boa procura de público, mas

10

varia bastante em volume, já tivemos de selecionar times a partir de mais de 100 inscritos, em geral os ciclos tem cerca de 10 a 15 times com 2 a 5 membros”, diz Tostes. A Hotmilk oferece espaços com toda uma estrutura criativa e dinâmica para atender e beneficiar a todos que quiserem participar dessa iniciativa. Tostes comenta um pouco sobre o objetivo da aceleradora: “aos poucos estamos chegando lá. O programa já passou várias mudanças e espero poder consolida-lo em 2017 já com grandes parcerias e as primeiras Startups atingindo um crescimento sustentado”.

Como começar Para participar da Hotmilk não é difícil! É só ter muita criatividade e força de vontade, não importa a idade ou gênero, só precisam ser grupos de dois a cinco pessoas, afinal, nada se constrói sozinho! Para começar é preci-

so seguir rigorosamente algumas orientações em um edital, fazer sua inscrição e descrever seu perfil, por meio de um formulário, no site da aceleradora. Serão visadas características de perfil empreendedor, adequação, capacidade de entrega e trabalho em equipe. Você vai precisar preparar um vídeo explicando a sua ideia. Depois disso deverá constatar que terá um tempo específico na sua semana, inclusive em horário comercial, isso tudo exige muita responsabilidade e dedicação! Na etapa de seleção de admissão, passará por uma banca avaliadora de seus projetos e perfis, cujos detalhes serão postados no site. Assim, são selecionadas algumas startups para uma maratona. Os participantes que permanecerem terão que desenvolver projetos inovadores que atendam às necessidades de empresas. As vagas que forem ocupadas pelas startups selecionadas passarão pela pré-aceleração, onde


têm a oportunidade de contato com investidores parceiros da Hotmilk, como o Broota, uma plataforma que oferece a capacidade de conectar investidores a empresas inovadoras. Na fase de pré-aceleração a empresa só deseja que, dentro do público-alvo, a equipe tenha três principais perfis: o Developer, responsável pelo domínio tecnológico; o Designer, que visa a compreensão do perfil de clientes e necessidades; e o Business, que cuida também do desenvolvimento do modelo de negócios. A empresa, nesta etapa, busca pelo engajamento do usuário. E tem mais, se sua startup for realmente criativa, tiver um diferencial e se destacar, é possível a entrada de investidores ainda na etapa de pré-aceleração ou na transição para a aceleração! “Nós temos os programas que são abertos um ou duas vezes ao ano assim como estamos hoje buscando parceiros para estender os benefícios do programa para alunos e professores. Além disso, temos palestras e workshops abertos para a comunidade como forma de sensibilização e treinamentos”, afirma Leonardo Tostes.

Hoje não fazemos investimos financeiro, apenas econômico, isso quer dizer, nada de dinheiro, mas entregamos espaço, conexões, parceiros, mentores e apresentamos para investidores. Cobramos 3% de participação na empresa para participar do programa. Leonardo Tostes

Dá uma olhada nas grandes ideias que foram colocadas em prática lá na Hotmilk: • Hotelja.com

Uma startup que oferece um serviço móvel com oportunidade de reservas para o mesmo dia. Se você está viajando a trabalho ou vai só passar o final de semana fora de casa e precisa de um hotel com reserva rápida, apenas para uma diária, é só baixar o aplicativo.

• Menthor.co

Um site de edição de suas referências dentro das normas da ABNT, não precisa de esforço nenhum! As referências podem ser de livros, web, artigos, e demais fontes diferentes.

•Eternalwed.com

É uma rede social para casamentos, oferecem aos convidados uma interface customizada, onde podem compartilhar fotos, verificar a localização da festa e da cerimônia, conectar diretamente com os aplicativos para navegação fácil, verificar informações importantes sobre a cerimônia, conferir a lista de presentes, seja ela dentro do Eternal ou de qualquer loja do mercado pelo link.

Foto: Bianca Bera


PUCPR | English

ON THE WAY TO INNOVATION PUCPR’s business accelerator, Hotmilk, brings innovative ideas and releases new professionals into the job market By Bianca Bera Translated by Claudine Duarte and Luara Dittrich

H

ave you ever had a brilliant idea and didn’t know how to make it work? Maybe PUCPR can help you. With the purpose of launching startups, innovative people and entrepreneurs from Curitiba, the University created Hotmilk, in 2014, through an initiative that differs from everything else in the market. The business accelerator seeks to invest in startups by creative people with entrepreneurial instincts. The idea emerged from PUCPR’s necessity of stimulating its own ecosystem into a more entrepreneurial and innovative position.“We had no business incubating or accelerating operations before Hotmilk”, says the accelerator coordinator Leonardo Toestes. Hotmilk’s target group includes students and former students as well as anyone who wishes to embark on an entrepreneurial project.“We have a good public demand, but the volume varies a lot. We’ve already had to select teams from over 100 candidates. In general, the cycles have about 10 to 15 teams of 2 to 5 members”, says Toestes. Hotmilk offers spaces with a creative and dynamic structure to attend and benefit everyone who wishes to take part in this initiative. Toestes comments on the accelerator’s goals:“Little by little we’re getting there. The program has gone through several changes, and I hope to be able to consolidate it in 2017 with great partnerships and to have the first startups reach sustained growth”. How to get started Participating in Hotmilk is not hard! All you need is a great deal of creativity and will power, no matter your age or

gender, and then get into groups of two to five people; after all, you cannot build anything on your own! To get started you need to strictly follow the rules in an official notice, apply and describe your profile by filling out the form on the accelerator’s website. The selection will be done by taking into account entrepreneurial profile characteristics, adequateness, the ability to deliver and teamwork. You’ll have to record a video explaining your idea. After that, you’ll need to dedicate a certain time of your week, even in business hours, to the project. It all requires a lot of responsibility and dedication! At the time of the selection and admission stages, your projects and profiles will go through an examination board, and the details will be posted on the website. Some startups are thus selected for a marathon. The participants who remain will have to develop projects which fulfill the needs of the companies. The selected startups will go through the pre-acceleration process, in which they will have the opportunity to contact Hotmilk’s investing partners, such as Broota, a platform through which is possible to connect investors to innovative companies. During the pre-acceleration phase, the company only requires the team to have, within the target group, three main profiles: the Developer, responsible for the tech domain; the Designer, who aims to understand customers’ profiles and needs; and the Business, in charge of coming up with the business model. The company, at this stage, looks for the user’s engagement. And there’s more: if your startup is really creative, different and stands out, it is possible to be chosen by investors even

during the pre-acceleration step or in the transition into acceleration!“We have programs which are open once or twice a year and we are now searching for partners in order to expand the benefits of the program to students and professors. Besides that, we have lectures and workshops open to the community as a way to raise awareness and train people”, says Leonardo Toestes. Take a lookt at the great ideas that are now at Hotmilk: • Hotelja.com: A startup that offers mobile service with the opportunity to make reservations on the same day. If the client is on a business travel or will only spend the weekend away and needs a hotel with a quick reservation just for the day, all he or she needs to do is to download the app. • Menthor.co: A website to edit your references according to the norms of ABNT (The Brazilian Association of Technical Standards), it does not need any effort! The references can be from books, websites, articles and other different sources. • Eternalwed.com: It’s a social network for weddings. They offer a customized interface for the guests so that they can share pictures, check the party and the ceremony’s address, have a direct connection with simple navigation apps, check relevant information about the Ceremony, and look at the gifts list in any store through the link or on the Eternal.


CULTURA

OS RELAÇÕES PÚBLICAS E SUAS ATIVIDADES NO MERCADO CULTURAL Eventos, Festas, Teatro, Música e Artistas. Curitiba já é considerada um polo cultural e ainda pouco explorado pelos profissionais de Relações Públicas. Por Nery Junior de Barros Rodrigues

mações e Indicadores Culturais, o Paraná é o estado que mais concentra Teatros na região sul do pais, ao todo são 75 casas.

Foto: Nery Junior

O

mercado cultural curitibano vem crescendo consideravelmente nos últimos anos, um ramo muito abrangente e ainda pouco explorado por profissionais de comunicação. A capital paranaense possui um tráfego cultural muito completo e recebe diversos espetáculos, artistas e atrações que vem ganhando evidência como o Festival de Curitiba. “[A cultura] É um mercado muito promissor. Aliás, com o Festival de Curitiba, a cidade ficou e permanece em evidência. É um mercado bastante efervescente. O que não podemos é esperar de braços cruzados”, diz o produtor cultural e professor da PUCPR, Cícero Lira. Com grandes nomes e companhia locais que são reconhecidas nacionalmente e internacionalmente esse mercado vem ganhado mais visibilidade nos últimos anos. Segundo dados do Sistema Nacional de Infor-

de comunicação. O produtor de teatro deve ter experiência na área de Assessoria de Comunicação, Planejamento, Publicidade e Marketing para realizar seus projetos e, por isto, o RP tem conhecimento de todas essas atividades, basta focar se este for seu interesse. O mercado está aberto para empreendedores e boas ideias implementadas são sempre bem-vindas”, explica Cícero.

Este segmento também enfrente desafios, como a falta de patrocínios locais que são muito tí¬mido em relação aos investimentos em cultura pois desconhecem as leis de incentivo e ações de marketing cultural. Para Cicero Lira, “o segredo está em mostrar que a marca pode fidelizar e enAo pensar nas poscantar seus cliensibilidades de tes e prospects trabalho para com investi“O segredo está em encantar a área, logo mento e ações vem à menseus clientes e prospects com criativas e investimento e ações criativas e te o salário. estratégicas”, Quer um estratégicas”. diz. bom exemO mercado plo? A reCicero Lira cultural lomuneração cal carece de do captador profissionais de de recursos emRelações Públicas e presariais ou procomunicação que sejam dutor executivo está especializados na área. O RP garantida por lei, 10% do valor possui uma formação compleangariado, será a dado como reta em comunicação podendo muneração ao seu angariador. trabalhar em ações do mercado Por exemplo, para produção de cultural. Muitas são as frentes um filme no brasil são necessápara a atuação como em Assesrios 2 milhões de reais em mésoria de Imprensa e Divulgação, dia, ou seja, 10% do valor, 200 Planejamento, Gestão da Comumil é destinado os honorários nicação, Captação de Recursos de seu captador. entre outros. Para captação de recursos empresariais, esta funFicou interessado em se aventurar mais nesta área? Siga a dica: Pesquise, ção está relacionada a leis de estude e faça estágios em produtoincentivo fiscal como por exemras. Faça um curso de especialização. plo a Lei Rouanet. A PUCPR, por exemplo, tem uma “O profissional de RP tem uma formação completa

pós-graduação de Gestão Cultural com excelentes professores.

13


SITE TEM COMO TEMA PRINCIPAL A AGENDA CULTURAL DE CURITIBA O Curitiba Cult traz agenda cultural na internet e cobre eventos pela capital paranaense Por Renata Caroline de Lara

Fo to: A

m a

nd aQ

z/ iro ue ult tiba C Curi

J

á imaginou uma das suas ideias durante a faculdade virar um negócio de sucesso? Foi o que aconteceu com o Curitiba Cult, site que movimenta a cena cultural da capital paranaense desde 2013. O criador do site, Augusto Torquato, durante o curso de Jornalismo pela Universidade Positivo, tinha vontade de falar sobre cultura. Auxiliado por amigos e professores na criação de algo que no começo era só

2013

O Curitiba Cult conquistou nesses 3 anos diversos parceiros, entre eles está CL Produções de Cícero Lira. “Nós temos uma parceria super boa com eles, sempre estamos em todos os eventos deles como apoiador cultural” diz Augusto Torquato. Outros parceiros que constam na rede de network são: Som Livre, Beto Carrero, Like entretenimento, Pátio Batel, entre outros. Segundo o criador do Curitiba Cult, uma das dificuldades de se criar parcerias é a falta de Relações Públicas no meio cultural, pois os assessores de imprensa não tratam o assunto com o cuidado que o assunto merece. “As parcerias demoraram um pouco a começar, foi depois de um ano e meio de site. Como éramos estudantes, sofríamos esse preconceito de todos. Quando o Curitiba Cult conseguiu se consolidar no meio cultural e jorna-

lístico, as parcerias foram aparecendo e ficando mais fácil”. Mesmo que Curitiba sendo considerada um pólo cultural, o jornalista não considera que está em um lugar privilegiado, pelo ao contrario, diz que “Curitiba sofre muito com shows e atrações, principalmente internacionais. Então creio que não somos privilegiados". Mesmo com essa dificuldade, considera que a cidade está preparada em relação ao turismo que o meio cultural movimenta. Augusto Torquato dá dicas a quem quer ingressar no meio cultural com criação de conteúdo para site: “Foco e ter convicção de que aquilo vai dar certo. A gente levou e ainda leva muitos nãos, encontra muitas portas fechadas. Mas com o tempo tudo começa a caminhar e a gratificação anima muito. Seja perseverante, porque o meio cultural é um pouco difícil e com egos enormes, mas tudo vale a pena no final”, diz o jornalista.

2016

Ideia de faculdade

6 colaboradores 700 visualizações/mês Leitores de Curitiba

14

por “diversão”. Torquato revelou que seu surgimento foi natural. “Chega a ser muito engraçado e assustador como as coisas caem no nosso colo”, relata o criador.

Negócio de sucesso 22 colaboradores Ultrapassa o milhão Diversos países


RP EM PESQUISA

PESQUISA CIENTÍFICA: UM FOMENTO AO ESPÍRITO INVESTIGATIVO Com a busca por respostas para aspectos cotidianos, a pesquisa científica é um aprendizado para a vida Por Natalia Brito

Foto: Freepik

P

ara você que acha que a pesquisa científica é um bicho de sete cabeças, entenda que essa experiência pode te ajudar a ir longe. Além de proporcionar oportunidades de desenvolvimento acadêmico é um super diferencial no mercado de trabalho.

nal e Ciência Sem Fronteiras. Os programas são ofertados a todos os alunos da universidade em parceria com o CNPq e Fun-

Na Pontifícia Universidade Católica do Paraná – PUCPR não são poucos os incentivos a pesquisa, a universidade conta com programas como PIBIC, PIBIC Jr, PIBITI, PIBIC Master, PIBEP, PIBIC | PIBITI International Mobility, PIBIC | PIBITI Mobilidade Nacio-

Adalgisa Oliveira

Aprender sempre é o segredo do sucesso! dação Araucária. Quem gerencia tudo isso é uma Diretoria e um Comitê de Ética, que tem função de “ajudar na reflexão e deliberação de decisões importantes para o bom andamento da ini-

ciação cientifica na PUCPR”, diz a Professora Doutora Adalgisa Oliveira, da Escola de Comunicação e Artes e participante do Comitê Gestor do PIBIC. Na PUCPR, o PIBIC é o programa de pesquisa mais procurado pelos estudantes e é desenvolvido no período de um ano em que o aluno recebe orientação de um professor mentor. Os estudantes podem participar em modalidade voluntária ou ainda concorrer à bolsa de auxilio financeiro para custear a pesquisa. Dentre as áreas disponíveis, algumas delas são sustentabilidade am-

15


RP EM PESQUISA

Foto: Natalia Brito

biental, administração estratégica, marketing e comportamento do consumidor. Para participar o aluno pode ser convocado por algum professor orientador que identifique características de pesquisador ou desenvoltura em um tema específico ou caso o aluno tenha interesse em um tema e queira desenvolvê-lo, sendo assim deve procurar por um professor que trabalhe nessa linha de pesquisa e apresentar sua ideia, explica o Professor Doutor Marcos José Zablonsky, que também é orientador de PIBIC. Após finalização, os projetos passam por analise de uma banca avaliadora que escolhem quais trabalhos serão expostos e apresentados no evento SEMIC, Seminário de Iniciação Científica. Neste ano o evento aconteceu nos dias 18, 19 e 20 de outubro no campus da PUCPR e contou com 1.100 participantes estudantes de graduação. Natally Navarro, estudante do quarto período de Relações Públicas, participou do seminário apresentando sua pesquisa de PIBIC com o tema “Publicidade voltada ao público infantil nos anos 80 – Seus impactos e

evolução dos controles no Brasil” na quinta-feira (20). A jovem concorre ao prêmio de participação com todas as despesas pagas para a Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência. “Frio na barriga” foi a sensação que a estudantes diz ter sentido durante sua apresentação, mesmo assim tudo correu bem. Quando perguntada se recomendaria a pesquisa científica a outros alunos, Natally foi categórica, “com toda certeza, apesar de todos os desafios envolvidos quando você decide desenvolver uma pesquisa, é muito gratificante ver o resultado final e, além disso,

eu acredito que os estudantes devem aproveitar ao máximo todas as oportunidades que são oferecidas, pois coisas boas acontecem aos que não se acomodam e decidem sair da sua zona de conforto”. Além do evento SEMIC, ainda os pesquisadores participantes de pesquisa podem enviar artigos para outros congressos e seminários nacionais e internacionais. Marcos José afirma que dentre seus orientandos, alguns projetos já foram selecionados para apresentação em Recife, Campinas e até em Portugal. Além disso, o professor aponta para oportunidades de mestrado e até a possibilidade de carreira científica. Para quem procura por conhecimento e experiência a pesquisa científica é a chave, “aprender sempre é o segredo do sucesso. A pesquisa científica aguça o olhar e torna o profissional muito mais atento e sensível às realidades”, diz Adalgisa.


PERFIL

PAIXÃO PELA COMUNICAÇÃO, FOTOGRAFIA E OPORTUNIDADE Egresso no curso de RP, Guilherme Danelhuk mostra sua vocação para a assessoria de imprensa, produção de conteúdo e sua grande paixão por fotografia. Por Ana Paula Sanches

A

ntes mesmo do mundo acadêmico, Guilherme já tinha um grande envolvimento com fotografia, sua grande paixão. Desde os seus dezesseis anos o jovem já realizava algumas fotografias, e hoje com vinte e cinco anos continua na área focado no ramo da moda. Hoje, Guilherme é formado em Relações Públicas pela PUCPR, e é muito apaixonado pela sua área.

AS EXPERIÊNCIAS ACADÊMICAS Durante sua vida acadêmica teve várias oportunidades para trabalhar com eventos, fotografia para editoriais de moda, institucional e também para a produção audiovisual para televisão e internet. Na reta final do curso, Guilherme também também expêriencia dentro de uma assessoria de imprensa. “Quando estava na faculdade nunca tive vontade de trabalhar como estagiário, mas tinha muita vontade de aprender, por isso, corri muito atrás de jobs temporários, e sempre estudei por fora da sala de aula para aprender cada vez mais... Sempre fiz muitas parcerias, mesmo não recebendo por isso”, relata.

AS EXPERIÊNCIAS ATUAIS Hoje, o jovem empreendedor investiu em seu próprio negócio abrindo sua empresa “F5 COMUNICAÇÃO”, que junto com sua sócia Mariah Luz, fundadora

da página no Instagram “O que fazer Curitiba”, realizam a criação de conteúdos para mídias sociais e assessoria de imprensa. Danelhuk acredita que para os futuros profissionais da área é preciso correr atrás de seus objetivos, mesmo que não haja um retorno financeiro, pois qualquer experiencia é válida.

Além da sua empresa, Guilherme trabalha como: - Colunista Social do Portal VrNews - Produtor do programa Flash Curitiba - Produtor e apresentador no programa online “Vamo ai”

Não tenham medo de arriscar! O importante é tentar e nunca desistir, mesmo escutando críticas Guilherme Danelhuk


MERCADO E TENDÊNCIAS

VEGAN: UM MERCADO EM ASCENSÃO Por Rute Helena Damasio

V

egano ou vegetariano? Cada vez mais, as pessoas conhecem e reconhecem as diferenças entre essas filosofias de vida. E o mérito é da comunicação por nichos, que vem ajudando a divulgar as vantagens e benefícios da prática, abrindo os olhos do mercado para um público faminto por novidades. Esse público em especial tem ganhado cada vez mais adeptos, que aderem a um estilo de vida com uma dieta baseada em vegetais, livre de todos os alimentos de origem animal, como: carne, laticínios, ovos e mel, bem como produtos como o couro e qualquer produto testado em animais, mostra o site Seja Vegano. De acordo com o SEBRAE, a adesão das pessoas ao veganismo é crescente. Em 2014, as vendas de produtos veganos

e vegetarianos cresceram consideravelmente (60%) em relação a 2013. Marly Winckler, presidente da Sociedade Vegetariana Brasileira, estima que dois mil brasileiros se convertem ao vegetarianismo toda semana. “Os veganos são o nicho do nicho, porém, um mercado também crescente, que possibilita criar diferentes tipos de produtos e serviços”, explica Marly. mil brasileiros se con" Dois vertem ao vegetarianismo toda semana " Ao conquistar o público deste nicho - ou seja, um mercado menor dentro de outro - essas pessoas são fidelizadas e se tornam seguidores, pois todos estão em prol de uma mesma causa, da mesma filosofia de vida. Carolina Caliman, dona da confecção King 55 de São Paulo, afirma: “Os veganos

Você sabe o que é veganismo? "É uma forma de viver que busca excluir, na medida do possível e do praticável, todas as formas de exploração e de crueldade contra animais, seja para a alimentação, para o vestuário ou para qualquer outra finalidade.” - The Vegan Society, mais antiga entidade vegana do mundo.

18


Foto: Rute Helena

gostam da nossa marca porque defendemos algo em que eles acreditam.

Ana Luiza T. Couto, sócia proprietária do VegAninha, afirma que “o público vegano escolhe os produtos conforme a sua ética, boicotando empresas que exploram animais. É um público mais consciente sobre aquilo que está consumido”. Devido a esta característica, as formas efetivas de se comunicar são realizadas virtualmente, por ser

NÚMEROS VEGANOS

7

bilhões de animais terrestres são mortos anualmente para consumo humano

181 animais mortos pela pecuária brasileira em cada segundo

Fonte: Ana Luiza T. Couto

70%

Até as pessoas que não são veganas admiram nosso negócio”, avalia. Esse nicho, como outros, possui as suas particularidades quando o tema é comunicação, seguindo seu estilo de vida e ética, não são adeptos a materiais impressos, pois estes agridem ao meio ambiente.

ecologicamente correto. Ana Luiza ressalta que “os anúncios no Facebook possuem efetividade, boa visibilidade, entretanto materiais impressos não atingem seu público-alvo”. VegAninha, o armazém vegano foi inaugurado em abril deste ano, e também assume o posto de primeiro “açougue vegano” da América Latina.

Fonte: site Seja Vegano

das doenças modernas são de origem animal e grande parte delas ligadas à pecuária

18%

das emissões mundiais de gases do efeito estufa são causados pela pecuária

19


RP EM IMAGENS

O OLHAR NO DETALHE FAZ A DIFERENÇA EM UM EVENTO Por Flavia Mattos

Q

uando um evento é feito ele tem um objetivo a ser alcançado com os seus diversos públicos. O profissional de RP traz para esse planejamento um pensamento mais crítico e um olhar para o detalhe, pois sabe que isso será o diferencial para essa experiência. No dia 31 de outubro, aconteceu o evento EXPERIENCE RP realizado pelas acadêmicas do 4º período do curso, que abordou os benefícios da dança para as pessoas. As futuras profissonais mostraram que os detalhes fazem a diferença neste momento.

A ambientação do palco é planejada para que uma só linguagem seja usada durante todo o evento. tornando assim um.

Organizar a aréa externa onde ocorrerá o evento é essencial, pois será o primeiro contato dos participantes com o evento.


O registro desse momento é essencial para a organização. Para que possa ser demostrado os acontecimentos

compreenda a

p

raticidade da integração para as empresas e não tente levantar vantagem em relação aos profissionais das outras áreas. No mundo utópico a integração da comunicação é algo que sempre ocorreu; todas as empresas deveriam unir as três habilitações. “Atualmente o que mais se vê, são empresas de grande porte que já adotaram esse método de comu-

A recepção é uma das partes mais importantes de um evento porque é o primeiro contado do público com a empresa e o evento promovido.

nicação e empresas de médio porte procurando esses conhecimentos

e

técnica

Quando o evento é planejado, um momento previsto é o coffee break para que os participantes socializem.


ATUALIDADES

FACEBOOK LANÇA REDE SOCIAL PARA EMPRESAS Workplace busca espaço nas empresas como nova ferramenta de comunicação Por Ana Flávia Gerva Fedrigo

C

a Fláv : An o t Fo

ia Gerva Fedr

i go

A nova ferramenta é um avanço para muitas empresas, uma vez que várias ainda utilizam o e-mail e chats internos como principal meio de comunicação. Em

10

contrapartida, o Workplace não é gratuito, as empresas que quiserem usar a plataforma terão que pagar uma assinatura por funcionário. Para as organizações com até mil funcionários, o valor inicial é de US$ 3 (R$ 9,39 na cotação atual). No entanto, esse valor diminui de acordo com o tamanho da empresa, empresas com mais funcionários pagarão menos por cada um. Carlos Luiz Driessen, profissional de direito, não viu vantagem para a empresa, uma vez que as ferramentas utilizadas pela instituição em que trabalha possuem diversos filtros de proteção e são livres de custo. "Na minha visão,

isso envolve questões bem mais profundas, como por exemplo a segurança das informações corporativas, das conversações internas da empresa/instituição, etc. Eu não adotaria em minha empresa. A questão de ter custo também não me parece cabível”, diz Driessen.

Apesar de contar com diversos novos recursos, para a designer Alyne Luz a nova rede ainda não convence, pois existem outros meios dessa comunicação ser feita sem misturar a vida pessoal e profissional. O próprio Facebook já possibilita isso

ao usuário, através dos grupos

e das páginas voltadas aos negócios e empreendimentos. “Eu utilizo o Linkedin e acho

um meio eficiente e mais formal para tratar de assuntos profissionais, mas sinto falta de poder incorporar meu portfólio no perfil. Se o Workplace suprir as necessidades dos diferentes profissionais, acho que será uma ferramenta interessante”, avalia Luz. Para Christianne Machiavelli, jornalista e assessora de imprensa, a nova plataforma é uma oportunidade para os colaboradores de uma empresa se conhecerem e interagirem entre si. Christianne argumenta que, para as pequenas empresas a nova plataforma talvez não seja tão viável, mas se analisar as grandes corporações, a rede pode ser utilizada como ferramenta para atingir seus objetivos na comunicação interna.

Foto: Divulgação Facebook

hegou o Workplace, o Facebook voltado para as empresas. Anteriormente denominado Facebook At Work, o Workplace, foi criado por Mark Zuckerberg e é uma ferramenta semelhante ao Facebook, que tem como principal objetivo ajudar os colaboradores de uma mesma empresa a se conectarem entre si. Livre de publicidades, a ferramenta ainda possibilita a integração com os sistemas de TI (Tecnologia da Informação) dessas empresas. A novidade foi anunciada no dia 10 de outubro e conta com uma interface extremamente semelhante a do Facebook, isso deve facilitar o uso, visto a familiaridade das pessoas com o design e recursos.


FIQUE LIGADO

CURSOS PARA NÃO FICAR PARADO NAS FÉRIAS Os meses de descanso também podem ser usados para inovar e se destacar por meio de qualificação profissional para todos os bolsos, gostos e estilos Por Igor Martins

Uma grande exigência atual do mercado de trabalho é o profissional multidisciplinar. Parte dos conhecimentos de um profissional são absorvidos na universidade, mas também devem ser adquiridos como atividades extracurriculares, cursos, palestras, eventos, entre várias outras formas de buscar conhecimentos. Pensando nisso, a RP em Foco buscou sete cursos interessantes, de curta duração para realizar nas férias. Curitiba tem Delegacia Regional do CONRERP. Os profissionais de Relações Públicas agora têm uma delegacia do seu conselho profissional em Curitiba. A delegacia é encabeçada pelo professor da UFPR, Camilo Catto, que assumiu como Delegado da Regional em Curitiba. Em sua equipe estão dois representantes da PUCPR: a professora Francieli Mognon e o professor Marcos José Zablonsky. Completam o time Veronica Souza, RP da Sanepar; Celsi Brönstrup Silvestrin, professora da UFPR e Welington Lisboa, professor da UTFPR. Entre as atribuições da delegacia está a valorização da profissão nas regiões que possuem cursos e profissionais de RP, desenvolvendo um diálogo entre o mercado e a atividade.

CURSO Compreender Análise e relatórios do Google Analytics Dados

OBJETIVO Busca auxiliar na compreensão da análise de midias digitais e como melhorar o desempenho web site. Adobe Photoshop Introdução ao software.

Como criar seu primeiro site

QRCODE

Curso sobre técnicas de marketing na Internet bem-sucedidas

Atendimento ao Cliente

Técnicas e atitudes profissionais visando o atendimento aos clientes internos e externos com qualidade e excelência. Comunicação Atualizar os conintegrada ceitos de comunicação integrada de marketing em uma economia globalizada. E-Commerce, Curso sobre técIntrodução às Es- nicas de markettratégias de Mar- ing na Internet keting na Internet bem-sucedidas para Negócios

23


Edição XVI - 2016  
Edição XVI - 2016  
Advertisement