Page 1

Revista Laboratório do Curso de Relações Públicas da PUCPR

FEBRE DO POKEMON GO CHEGA ÀS EMPRESAS

P. 16

GANHADORAS DO INTERCOM NACIONAL FALAM SOBRE CARREIRA P. 04 TCC 2016: RETA FINAL DOS TRABALHOS DE RP P. 06


EDITORIAL Como atividade acadêmica, essa edição da revista teve uma pesquisa sobre o perfil dos seus leitores, o que faz com que suas editorias estejam mais adequadas a seu público. Quem está à frente desta edição são alguns dos formandos de RP, estudantes que ainda contam com o suporte da universidade, mas estão com o pé no mercado. Nesta edição, vamos tratar de alguns temas atuais, como a febre do Pokemón Go, e alguns casos em que não podemos deixar de pensar: e se o RP estivesse participando deste processo? Entre as palavras de ordem destas reportagens estariam: integração, contemporaneidade e realização. Vale conferir! Esperamos que sua leitura seja agradável! Profª. Gisele Passos

Expediente RP EM FOCO – Revista Laboratório desenvolvida na disciplina de Comunicação Dirigida, por estudantes do 8º período do curso de Comunicação Social - Relações Públicas, da Escola de Comunicação e Artes, da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR).

Reitor Waldemiro Gremski Decana da Escola de Comunicação e Artes Eliane Cristine Francisco Mafezzolli Coordenadora do curso de Relações Públicas Francieli Mognon - francieli.mognon@pucpr.br Coordenação do Projeto RP em Foco Gisele Passos Lima Romanel – gisele.passos@pucpr.br (DRT 0658 PR / CONRERP 3720) Coordenação do projeto gráfico André Schlemmer - schlemmer.andre@gmail.com

Relações Públicas PUCPR rpemfoco.com.br

Estudantes do 8º período de Relações Públicas: Ana Flavia Gerva Fedrigo, Ana Paula Sanches, Bianca Bera Abinoski, Flavia de Mattos Marques, Igor Martins Ruis Chagas, Isadora Ronchi Gonçalves de Freitas, Mariana Andressa Machado, Nery Junior de Barros Rodrigues, Renata Caroline de Lara e Rute Helena Damasio Coordenadora do projeto de tradução Lucia Maria Silva Kremer Versão em inglês: Matheus Ramos do 4º período do curso Portuguese and English Language and Literature Revisão: Claudine Duarte do curso Portuguese and English Language and Literature Diagramação Capa: Renata Caroline de Lara Miolo: estudantes da turma do 8º período de RP Finalização: Renata Caroline de Lara. Bureau de RP Revisão Estudantes da turma do 8º período de RP, Profª Gisele Passos, Profª Francieli Mognon, Ana Hirahara e Maria Fernanda Rosa (integrantes do Bureau de RP). Distribuição gratuita e dirigida Tiragem: 500 exemplares Contato Curso de Relações Públicas da PUCPR Rua Imaculada Conceição, 1155 - Prado Velho CEP: 80215-901 Curitiba – PR. Telefone: (41) 3271-1393


SUMÁRIO PERFIL

O RP Paulo Fortunato conta sua trajetória SE MEU TCC FALASSE

Formandos de RP finalizam TCC CASE RP

Histórias recentes mostram a necessidade do RP ENTREVISTA

Estudantes premiadas falam sobre carreira acadêmica ATUALIDADES

Pokémon Go ajuda na comunicação das empresas MERCADO E TENDÊNCIAS

A integração das habilitações da comunicação é necessidade AGENDA

Confira os eventos e cursos do momento FIQUE LIGADO

Notas quentes sobre o mundo da comunicação LAZER RP

Caça palavras e jogo dos sete erros da comunicação

04 06 08 13 16 18 20 21 22


PERFIL

RELAÇÕES PÚBLICAS POR VOCAÇÃO A paixão pela profissão estava presente na sua vida desde a escola e o fez seguir carreira solo Por Renata Caroline de Lara

P

aulo Fortunato é empreendedor e social media, formado em Relações Públicas pela UniBrasil em 2013. Estudou no Colégio Estadual do Paraná, teve seu primeiro contato com a profissão enquanto era presidente do grêmio estudantil e descobriu a vocação para a comunicação. Fortunato foi a feira de profissões da PUCPR, encontrou o curso com todas as áreas que gostava: Relações Públicas. A principal estratégia que usou durante a faculdade foi conversar e buscar referências na área de afinidade com professores. Ele indica para os

04

estudantes que façam o mesmo e garante que esse método de aprendizado faz com que o profissional adquira conhecimentos relevantes para a atuação no mercado de trabalho. “Fazer contatos durante a faculdade é essencial para mim até hoje, sei que posso contar com os meus colegas. Aprendi muito com a contribuição deles”, diz Fortunato. Um dos maiores desafios enfrentados pelo empreendedor foi o tempo de contratação das empresas as quais prestava seus serviços, a permanência do profissional era em média de 6 meses a um ano. “Os contratantes queriam somente que ensinasse como fazer a comunicação de uma forma assertiva, depois de assimilado os conhecimentos me mandavam embora para fazer a função por eles mesmos”, lembra Paulo. Paulo Fortunato conversou com pessoas em que confiava , fez pesquisas de merca-

do no terceiro setor e fundou a TOWDAH Comunicação, empresa de comunicação digital. O seu negócio é a base de parcerias para sanar todas as necessi-


dades de seus clientes. A empresa de Fortunato atende a igreja Bola de Neve, pastores e alguns políticos. Nesse cenário é apontado como um ponto de oportunidade a seguinte situação: “as organ izações não veem o potencial que as mídias possuem”. Com esse fato, percebe-se que tem uma grande oportunidade dos

do na igreja Bola de Neve conta com 40 voluntários que atuam nas áreas de comunicação: relações públicas, jornalistas e publicitários e áreas relacionadas. O planejamento é feito mensalmente, analisando os dados obtidos nas mídias sociais e demandas que a organização tem. Com os dados obtidos das mídias sociais e resultados de

futuros profissionais poderem atuar de uma forma significativa. O trabalho desenvolvi-

métricas das postagens feitas, a instituição começou a perceber o valor de um bom planejamento de comunicação para todos

os públicos de interesse. Para o profissional, “social media trabalha diretamente com a assessoria de imprensa, pois muitas vezes o público da organização não lê um jornal ou olha os seus meios de comunicação escritos oficiais, mas esse público segue a organização em suas mídias”. Defende o trabalho colaborativo entre as áreas de comunicação, para que o trabalho seja o mais completo possível. Durante o curso de Relações Públicas, consolidou contatos profissionais mantidos até hoje. Para que os seus colegas de faculdade trouxessem à sua empresa potenciais clientes, o seu relacionamento com eles durante o curso foi de extrema importância.

05


SE MEU TCC FALASSE

TCC 2016: O RP MOSTRA VERSATILIDADE E ATUA EM TODOS OS SETORES Estruturas governamentais, empresas e terceiro setor estão contemplados nos TCCs de 2016 Por Ana Paula Sanches

N

a reta final para se formar, alunos do 8° período apostaram em fazer seus trabalhos em universos distintos, mostrando toda a amplitude e oportunidade para a área de Relações Públicas. Confira o teor de cada trabalho:

A aluna Flavia Matos produziu um estudo de caso com o objetivo de analisar a organização e o planejamento do Evento institucional Congresso Brasileiro das Ciências da Comunicação da Região Sul 2016 com o tema “Estratégia de Eventos no Contexto Universitário”. A estudante Natália Brito, aborda o tema “A comunicação do Discurso Político dos Vereadores”, visando o estudo da comunicação verbal e não verbal no discurso político dos vereadoras da Câmara Municipal de Curitiba. T e n d o como tema, " Co m u n i c a ç ã o Institucional em Órgãos Públicos", os alunos Bianca Bera, Isadora Ronchi, Nery Junior e Rute Damasio têm como objeto de estudo o Museu Paranaense. O objetivo do trabalho é aprimorar o relacionamento do museu com seus públicos essenciais a partir da comunicação institucional aumentando sua visibilidade.

06

Como objeto de estudo a empresa Quem disse Berenice?, a estudante Fernanda Glinski fez um estudo de caso com o objetivo de analisar como o posicionamento por causas pode contribuir para que as organizações conquiste uma boa imagem perante o público consumidor.

Já para o terceiro setor, o grupo da Ana Beatriz Bubola, Fernanda Lima, Igor Chagas, Lucas de Abreu e Renata Lara abraçou a ONG Salva Bicho. O objetivo do grupo é de propor estratégias de Relações Públicas para promover engajamento dos públicos de interesse da Associação Salva Bicho Curitiba.

Com o tema, "Comunicação dirigida para adolescentes: um estudo no colégio Santa Maria", a aluna Luiza Andrade fez um estudo de caso com o objetivo de identificar de que forma os instrumentos de comunicação dirigida influenciam no comportamento dos adolescentes.

Para o ramo de bares, as alunas Ana Flávia Fedrigo, Daniela Molinari, Fernanda Nogueira, Hellen Ewert e Mariana Machado fazem o estudo sobre a comunicação integrada como ferramenta das Relações Públicas no reposicionamento do Karaokê Bar, estreitando o relacionamento do estabelecimento com seus públicos de interesse.

As alunas Ana Paula Sanches, Daniara Lunardo, Flávia Silva, Maria Julia Gomes e Stephany Hübbe têm como cliente a empresa Cacá Nail Pub, abordando sobre a comunicação integrada no empreendimento, com o objetivo de fortalecer o conceito da empresa.

Estão curiosos para ver o resultado? Assistam as bancas que acontecerão nos dias 14, 16, 17 e 18 de novembro. A programação das bancas será divulgada por meio de edital do curso e todos os períodos serão convidados a prestigiar os formandos.


TCC: SUA HORA VAI CHEGAR! É comum ao formando chegar ao final do curso com muita expectativa sobre o Trabalho de Conclusão de Curso, o TCC. A melhor forma de se sobressair é estar informado sobre essa etapa da vida acadêmica. Por Ana Paula Sanches e Nery Rodrigues

Você, estudante, que ainda está em dúvida sobre o que irá fazer no seu trabalho de conclusão de curso, é

ansioso, não sabe quem serão seus colegas de equipe ou que já está a mil pensando que logo é a sua vez... Calma! A revista RP em Foco tem a solução para todo esse seu nervosismo. Confira agora algumas dicas infalíveis para você que te deixarão mais confiante e preparado para enfrentar tudo o que virá no seu último ano!

1

Pense em quais assuntos na área você mais se identifica. Com certeza apostando nas áreas que mais gosta, será mil vezes mais fácil para você produzir seu trabalho!

2

Entre em contato com professores para tirar suas dúvidas sobre a definição do tema e se o que está pensando se encaixa na área de Relações Públicas.

3

Após conversar com o seu professor, comece a selecionar os melhores temas e ideias!

4

Agora é a hora de você começar a recordar de todo o networking que você já criou em sua vida! Isso mesmo, comece a pensar em possíveis clientes para seu TCC ou ideias para sua monografia.

5 6

Depois que tiver todas essas ideias, vá atrás de leituras para se aprofundar no tema. É super importante você absorver um pouco mais do que já sabe na área, para ter certeza do que irá realizar nos últimos semestres. Às vezes amigos nem sempre são os melhores para realizar trabalho, então, escolha bem seus parceiros. Não dá pra ficar em pé de guerra nessas horas, não é mesmo? Até porque ninguém quer brigar com os colegas.

7

Separe bem seu tempo! É de extrema importância você se organizar. Você não quer levar um susto em saber que no dia seguinte tem que entregar uma parte do trabalho sem ter feito nada.

8

Seja legal com seu orientador, afinal, é ele que está te ajudando no momento mais decisivo da sua vida. Compareça as reuniões, pois é nelas que você irá tirar suas dúvidas.

9

Prepare-se para ficar horas e horas dentro da biblioteca ou trancado no quarto. É lá que você terá todos os materiais necessários para produzir seu trabalho.

O TCC não será um bicho de sete cabeças se você se preparar bem antes! Com certeza, você irá arrasar no seu trabalho com essas dicas!

07


CASE RP

RELAÇÕES PÚBLICAS: O PROFISSIONAL DO PRESENTE O atual cenário da comunicação demonstra a necessidade de um profissional que saiba como se comunicar com os seus públicos. E o RP tem essas características. Por Isadora Ronchi

V

ocê já imaginou o que teria acontecido se algo não tivesse dado errado em sua vida? Certamente algumas situações tomaram rquivo pessoal Fonte: A

um rumo totalmente diferente, correto? Na comunicação não é diferente, um pequeno deslize pode significar um grande dano a uma pessoa pública ou empresa, principalmente à sua reputação. E por isso, a revista RP em Foco trouxe alguns exemplos que demonstram a importância do profissional de Relações Públicas para uma marca ou personalidade. O conselheiro do Conselho Regional dos Profissionais de Relações Públicas da 3ª Região, CONRERP, Thiago Nicácio, comenta sobre os cases e apresenta

estratégias simples que poderiam ter feito toda a diferença nessas situações. Confira!

É necessário filtrar todo o conteúdo compartilhado e entender que a sua mensagem deve ser compreendida com clareza. Thiago Nicácio


Acabou a química O QUE ACONTECEU

da tocha olímpica, teve campanhas publicitárias e shows cancelados. Após todos esses acontecimentos, tuítes do cantor compartilhados em 2011 e 2012 foram resgatados pelo público e Biel foi ainda mais criticado, pois tinham conteúdos misóginos, homofóbicos e racistas. Após a sucessão de erros e para a felicidade de muita gente, ele anunciou uma pausa em sua carreira artística.

No início de maio deste ano, em uma entrevista com vários jornalistas, o cantor Biel assediou uma das repórteres presentes e disse frases como: "Idade não significa nada. Se te pego, te quebro no meio". Não havia momento pior para esse fato acontecer, pois um caso de estupro coletivo a uma garota de 16 anos repercurtia mundialmente. A sociedade estava revoltada e cansada de abusos como esse. Após a entrevista, a jornalista o denunciou por assédio sexual e, então, Biel recebeu diversas críticas em suas redes sociais.

O QUE PODERIA TER SIDO FEITO Reverter uma imagem ruim não é fácil. Fácil é piorar o que

já não está bom; e Biel fez isso com maestria. Por meio desses acontecimentos, pode-se perceber a importância de um gerenciamento de mídias sociais e, principalmente, a relevância de uma assessoria de imprensa. Para Thiago, “nas redes sociais e em qualquer outro meio de comunicação, é necessário filtrar todo o conteúdo compartilhado e entender que a sua mensagem deve ser compreendida com clareza”. No caso do cantor, com a falta de um profissional qualificado, ele perdeu o timing para tentar reverter à situação e, por meio de suas mensagens com forte apelo emocional, demonstrou imaturidade e falta de profissionalismo.

O cantor publicou uma declaração em sua conta no Instagram dizendo que suas atitudes não passavam de uma brincadeira e se defendeu afirmando que o seu sucesso estava incomodando outras pessoas – a jornalista, no caso. Após um vídeo divulgado pelo digital influencer, Felipe Neto, criticando o seu posicionamento e afirmando a imaturidade do cantor para lidar com a situação, Biel publicou um vídeo de desculpas, mas não “colou”. O público não o perdoou e nem as empresas que mantinham relacionamento com ele. O cantor teve alguns de seus contratos rompidos, foi desconvidado para participar do revezamento

Cantor Biel pede desculpas em vídeo. Foto: Reprodução/Youtube

O QUE FOI FEITO

09


O QUE ACONTECEU Para aproveitar o clima carnavalesco, em 2015, a marca Skol promoveu a campanha “Viva RedOndo!” com o mote: “Deixei o ‘não’ em casa”. A frase trouxe interpretações negativas e gerou polêmica por ser considerada uma apologia à falta de controle e desrespeito à mulher. Indignadas com a campanha, a publicitária Pri Ferrari e a jornalista Mila Alves fizeram uma intervenção em um dos cartazes expostos em pontos de ônibus de São Paulo; com uma fita isolante, elas escreveram: “e trouxe o ‘nunca’ comigo”. As garotas compartilharam o manifesto em suas redes sociais e então, o caso teve grande repercussão e foi alvo de muitas críticas.

O QUE FOI FEITO Percebendo o equívoco, em nota a Ambev informou que repudia qualquer ato de violência física e sexual e explicou que o objetivo da campanha era mostrar à população que os momentos bons da vida devem ser aproveitados. Após se desculpar diretamente com as garotas, a marca substituiu as mensagens por conteúdos mais claros e positivos,

10

O QUE PODERIA TER SIDO FEITO Thiago comentou que ao comunicar algo, uma empresa precisa saber qual o cenário em que o seu público está inserido e afirmou a importância de uma pesquisa pública antes do lançamento de qualquer campanha. O conselheiro complementou: “As empresas devem buscar realizar campanhas em que grupos discriminados ou que buscam por mais reconhecimento na sociedade são valorizados, pois gera empatia com o público”. Nadadores americanos após depoimento a polícia.

Foto: Estadão

Protesto divulgado pela internauta. Foto: Divulgação/Facebook

Viva loucamente

que transmitiam o conceito da campanha, com o slogan: "Neste carnaval, respeite". Os novos cartazes apresentavam frases como: "Quando um não quer, o outro vai dançar".

Se beber, não faça declarações O QUE ACONTECEU Perto da final das olimpíadas Rio 2016, quatro nadadores americanos - Ryan Lochte, 32; Gunnar Bentz, 20; Jack Conger, 21, e Jimmy Feigen, 26 - alegaram terem sido abordados de madrugada no trajeto de uma festa até a Vila Olímpica. Segundo os primeiros relatos, apesar de terem tido o dinheiro roubado, o suposto assaltante permitiu que eles ficassem com seus celulares e credenciais da Vila Olímpica. O caso teve repercussão na mídia internacional e causou constrangimento para o Brasil, prejudicando sua imagem perante a imprensa e ressaltando os problemas sociais do país.

O QUE FOI FEITO O Comitê Organizador da Rio 2016 desculpou-se pelo ocorrido, mas após alguns depoimentos, foram identificadas divergências nas declarações dos atletas. A Polícia Civil aprofundou as investigações para saber o que aconteceu de fato e descobriu que todos os nadadores estavam embriagados na madrugada do acontecimento e causaram tumulto em um posto de gasolina da cidade olímpica, depredando o banheiro e discutindo com os seguranças do local. Para pagar os danos, os atletas ofereceram dinheiro e logo após foram embora. Segundo Fernando Veloso, chefe da Polícia Civil do Rio, “a única verdade que eles contaram é que eles estavam bêbados”, disse. Ao longo das investigações, os atletas foram proibidos de sair do Brasil e Feigen, um dos envolvidos, pagou uma multa de R$35.000 a uma instituição de caridade para que pudesse voltar ao seu país. Em nota, o Comitê Olímpico dos Estados Unidos pediu desculpas ao povo brasileiro e comentou ser uma postura inaceitável. Todos os nadadores sofrerão correções disciplinares pelas atitudes.

O QUE PODERIA TER SIDO FEITO "Simples. Eles não poderiam ter mentido”, enfatiza Thiago. O caso foi muito discutido nas redes sociais e prejudicou a reputação de todos os envolvidos. As manchetes da imprensa internacional destacaram a irresponsabilidade dos nadadores e para o Conselheiro, eles deveriam ter comunicado aos membros de sua delegação e “se pronunciado antes mesmo da imprensa para não gerar uma repercussão maior”, comenta. Com a colaboração de Natalia Brito


CASE RP I English

PUBLIC RELATIONS: THE CONTEMPORARY PROFESSIONAL The current communication scenario shows the need for a professional who knows how to communicate with their audiences, and the PR has those characteristics

By Isadora Ronchi Translated by Matheus Ramos Translation revised by Claudine Duarte | Natalia Brito

H

ave you ever thought of what would have happened if something hadn’t gone wrong in your life? Some situations must certainly have taken a completely different turn, right? In communication that isn’t different; a small lapse may bring huge damage to a public person or company, mainly to their reputation. And for that reason, the magazine RP em Foco brings some examples that show the importance of the Public Relations professional to a brand or celebrity. Thiago Nicácio, Councilor of the Public Relations Professionals’ Regional Council of the 3rd Region, comments on the cases and presents simple strategies that could have made a big difference in those situations. Check them out! The chemistry is over What happened: At the beginning of last May, during an interview with several journalists, the singer Biel harassed one of the reporters and said things such as: “Age means nothing. If I catch you, I’ll break you in half”. There couldn’t be a worst moment for that to happen because the case of a 16-year-old girl who was gang raped reverberated worldwide. Society was outraged and tired of such

abuse. After the interview, the people when announcing he journalist filed a formal comwould be putting his artistic plaint against him for sexual career on pause. harassment and Biel was then What could have been done: criticized on his social media. Reversing a bad public image What was done: The singer is not easy. It’s easier to worposted a declaration on his Inssen what is already not good; tagram account saying his atand Biel did it masterfully. titude was nothing but a joke Through these events, one can and defended himself stating see how important social methat his success bothered other dia management is and, abopeople – the journalist, in this ve all, the relevance of a press case. After digital influencer Feagent. To Thiago, “on social nelipe Neto released a video tworks and on any other mecriticizing his point dia outlets, filtering all of view and deshared content and claring the way understanding that “Age me a ns the singer dea message must no thing. I f I ca tch alt with the be taken clearly yo u, I’ll bre a k yo u situation was is necessary.” In in ha lf ” immature, the singer’s case, Thiago Nicácio Biel released in the absence of a an apology viqualified professiodeo, but it didn’t nal, he lost the timing work. The audience to try to reverse the situadidn’t forgive him, nor did the tion and, through his messages companies that worked with with high emotional appeal, he him. The singer lost some of showed immaturity and lack of his contracts, it was disinvited professionalism. to participate on the Olympic torch relay and had advertising Live life on the edge campaigns and shows canceWhat happened: To enjoy the led. Subsequently, tweets of the carnivalesque mood, in 2015 singer posted in 2011 and 2012 the beer brand Skol promoted were brought up by the public, the “Viva RedOndo!” (“Live rOuand Biel was criticized for the nd!”) campaign with the motto: misogynistic, homophobic and “Leave the ‘no’ at home”. racist content. After that series of mistakes, he pleased a lot of

11


The line led to negative interpretations and created controversy for being considered an apology for lack of control and disrespect towards women. Indignant at the campaign, the advertiser Pri Ferrari and the journalist Mila Alves intervened in one of the posters exposed on São Paulo’s bus stops; on insulating tape, they wrote: “and brought the ‘never’ with me”. The girls shared the manifesto on their social networks, and then the case had a big impact and became the target of much criticism. What was done: Noticing the misunderstanding, on a press release Ambev informed to repudiate any act of physical and sexual violence and explained that the goal of the campaign was to show the population that good moments in life must be enjoyed. After apologizing directly to the girls, the brand substituted the messages for more positive and clear content conveying the concept of the campaign with the slogan: “This carnival, have respect”. The new posters showed sentences such as: “when one doesn’t want to tango, the other should dance alone”. What could have been done: Thiago commented that when communicating something, a company needs to know the environment that its publics are immerse and affirmed the importance of researches before launching any campaign. The Councilor complemented: “The companies must try to create campaigns in which groups

12

that are discriminated and is seeking for acceptance by the society are valued, because that generates empathy with the audience”

the Olympic city by vandalizing one of the bathrooms and arguing at the local security. The athletes offered money to pay for the damage, leaving soon after. According to Rio’s Civil Do not drink and make statePolice Chief, Fernando Veloso, ments “the only truth they told was What happened: Close to the that they were drunk”. end of Rio Olympics 2016, four Throughout the investigations, American swimmers – Ryan Lothe athletes were not allowed chte, 32; Gunnar Bentz, 20; Jack to leave Brazil and Feigen, one Conger, 21, and Jimmy Feigen, of the involved, paid a fine of 26 – claimed to have been as$35,000 reais to a charitable saulted at dawn on their way organization so he could go from a party to the Olympic back to his country. Through a Village. According to the first press release, the United States reports, despite having their Olympic Committee apologimoney stolen, the alleged thief zed to the Brazilian people and let them keep their cell phones commented that the athletes’ and Olympic Village attitude was unacceptabcredentials. The le and that they will case reverface disciplinary “on social networks and berated on actions for their on any other media outlets, internatioattitudes. filtering all shared nal media What could content and understanding causing have been that a message must be taken embardone: “It’s clearly is necessary”. ra s s m e nt simple. They to Brazil, shouldn’t have Thiago Nicácio damaging lied”, emphathe country’s sizes Thiago. The image in the press case was extensively and highlighting its sodiscussed on social media cial problems. prejudicing the reputation of What was done: Rio 2016 Oreveryone involved. Internatioganizing Committee apologinal press headlines highlighted zed for the incident, but after the swimmers irresponsibility, some reports, discrepancies and according to the Councilor, were identified on the athlethey should have informed the tes’ statements. The Civil Police members of their delegation deepened the investigations and “have pronounced somein order to find out what had, thing on the matter even befoin fact, happened and realized re the press generated a major the swimmers were drunk on impact", he says. the day of the event, causing With the collaboration of Natalia Brito disturbance at a gas station in


ENTREVISTA

CARREIRA ACADÊMICA: SIM OU NÃO? Ser professor ou pesquisador é uma oportunidade para quem é curioso e tem paixão por sua área Por Igor Martins

carreira acadêmica é - de longe - uma perspectiva de trabalho para a maioria dos estudantes. Alguns alunos até pensam nela, mas não procuram. Por outro lado, há alunos que não só procuram essa oportunidade, como chegam a realizar publicações e são premiados. Um exemplo de como unir carreira acadêmica e prática profissional, foi vivenciado recentemente por duas alunas no curso de Relações Públicas, Stephany Hübbe e Kelly Balbino. Ambas participaram do INTERCOM Sul, foram premiadas e qualificadas para a etapa nacional e, ainda, conquistaram o prêmio nacional, considerada a maior honraria da área da pesquisa em Comunicação para estudantes.

bos produtos do curso de RP da PUCPR.

Buscando motivar outros alunos a seguirem a carreira de pesquisadores, a revista RP em Foco entrevistou as duas premiadas pelo INTERCOM 2016. Confira a entrevista realizada com Stephany Hübbe, que apresentou a revista RP em Foco, e Kelly Balbino, que apresentou o portal RP em Foco, am-

Kelly Balbino – A principal influência foi a professora Francieli Mognon. Ela fez a proposta durante as aulas da matéria de eventos. Pois havíamos sido as responsáveis por organizar o evento de inauguração do Portal e já estávamos habituadas com todas as informações a respeito da plataforma. Outro motivo foi pelo fato de adquirir novos conhecimentos com textos científicos.

Nota de exclarecimento: O projeto do portal RP em Foco foi escrito pelas acadêmicas Ana Martins, Daniele Iachecen e Kelly Balbino que foi quem apresentou, a entrevista foi realizada apenas com ela.

RP em Foco – O que te motivou a investir na carreira acadêmica, a fazer PIBIC e apresentar trabalhos no INTERCOM? Stephany Hübbe – O que me motivou a participar do PIBIC foi principalmente a vontade de aproveitar tudo que a faculdade poderia me proporcionar, de fazer os 4 anos de curso valerem a pena. Já o interesse no INTERCOM surgiu no momento em que recebi um convite para participar do projeto pela professora Gisele Romanel e percebi o potencial do trabalho, sabendo que ele deveria ser compartilhado com a comunidade acadêmica.

RPF – Você se inspirou em algum professor ou profissional? SH – Na realidade não me inspirei em ninguém em específico, mas desde o início da

faculdade escuto de todos os professores e atuantes da área sobre a importância do PIBIC e outros projetos acadêmicos. Por isso achei interessante investir um pouco do meu tempo na produção de projetos e artigos. KB – Fiquei interessada pela área de pesquisa ao observar alguns professores relatando sobre a importância e a experiência de participar de artigos acadêmicos. RPF – Você pretende seguir a carreira de pesquisadora? SH – No momento não pretendo seguir a carreira de pesquisadora, porém tenho certeza de que as experiências que tive na universidade irão me ajudar muito em qualquer outra área que eu pretenda seguir. KB – Acabei pegando gosto pela área, pretendo aprender e me aperfeiçoar melhor, pois estou começando um PIBIC com a Coordenadora Francieli Mognon, sobre a Comunicação Interna como fator motivacional no ambiente de trabalho. RPF – Como foi participar do INTERCOM Sul, ser premiada e ganhar no INTERCOM Nacional? SH – A minha participação no INTERCOM Sul foi bem tranquila. Por ter sido na própria PUCPR, me passou uma maior segurança, além disso eu estava

13


rodeada de pessoas conhecidas que torciam pelo trabalho, então foi ótimo. Eu já conhecia o potencial do trabalho, mas a gente nunca espera ganhar um prêmio nacional! Foi realmente muito bom poder apresentar o projeto para pessoas de outras cidades e estados. A satisfação que eu senti fortaleceu a ideia de que estou no caminho certo e acredito que essa premiação vai motivar os alunos que vão dar continuidade ao projeto. KB – ...o Nacional foi puro nervosismo, passei horas antes me concentrando para a apresentação, foram três avaliadores, eu tinha apenas 15 minutos para comentar sobre o portal, seu seu desenvolvimento e também sobre o evento de inauguração. Durante as premiações haviam muitos estudantes de todos os lados do Brasil. Fiquei impressionada com a presença das universidades do nordestes, eles são vibrantes, d e m o n s t r a r a m muito amor e interesse pela área de comunicação, são inspiradores. A nossa participação no INTERCOM Nacional só foi possível por conta da nossa coordenação junto com o Decanato, que investiu financeiramente em toda a viagem. Vejo que a Universidade está investindo e incentivando cada vez mais a participação dos alunos em congressos estudantis. É uma ótima oportunidade para aqueles que desejam se destacar tanto no mercado de trabalho como na vida acadêmica.

14

“O projeto apresenta duas edições da Revista laboratório RP em Foco (11 e 12), que foram elaboradas pela minha turma no segundo semestre de 2015. No decorrer do artigo falamos sobre a revista em si e seus objetivos. É explicado sobre sua produção, como ela funciona passo a passo, desde a definição de pautas até a distribuição. Além disso, são expostas também as editorias que foram escolhidas pelos alunos, com uma breve introdução de cada uma delas. Por fim, falamos sobre as considerações finais do projeto, apresentando dados de pesquisas de satisfação e alguns pontos relevantes que foram observados. O artigo conta com ilustrações explicativas que auxiliam no entendimento do projeto”.

“O presente artigo visa mostrar a trajetória da criação da nova plataforma do curso de Relações Públicas da Pontifícia Universidade Católica do Paraná. O Portal RP em Foco foi criado no ano de 2015 em comemoração aos 20 anos de existência do curso na Instituição. O principal objetivo é utilizar a plataforma digital para divulgar eventos e atividades realizadas pelos estudantes e apresentar todo e qualquer conteúdo relacionado à área de comunicação. A principal finalidade é que todos os acadêmicos possam colocar em prática os assuntos abordados na teoria dentro da sala de aula aprimorando assim seus conhecimentos”.


15


Foto: www.redbull.com

ATUALIDADES

POKÉMON GO VIRA ESTRATÉGIA EMPRESARIAL O sucesso de 1990 volta com força e, em 2016, está sendo utilizado por empresas e empreendedores como uma poderosa ferramenta de marketing Por Bianca Bera e Rute Helena

á vinte anos as crianças ficaram totalmente apaixonadas por Pokémon, o desenho virou febre na época. Em 2016, o personagem voltou com força no mundo todo, só que de maneira diferente. Foi reproduzido em forma de aplicativo que teve como nome Pokémon Go, que permite aos usuários de smartphones se tornarem mestres em caçar Pokémons! O fruto da parceria entre Nintendo e Niantic já foi tema em jogos de Game Boy, Nintendo DS, e, há algum tempo, em cartas. Desta vez, o jogo ficou interativo e dinâmico, proporcionando à sociedade uma lembrança da infância e adquirindo milhões de novos adoradores de todas as idades e gêneros. O app busca inovar em suas

16

atualizações, deixando mais próximo ao anime original. A versão mais recente permite aos jogadores andarem ao lado de um dos personagens, escolha a seu critério. Segundo a Apple, em sua época de lançamento, bateu um recorde de aplicativo mais baixado pela App Store, no período de uma semana, e se tornou o maior jogo mobile na

O Pokémon Go tornou-se o maior jogo mobile na história dos Estados Unidos, passando até mesmo o famoso Candy Crush Saga.

história dos Estados Unidos, passando até mesmo o famoso Candy Crush Saga. Nos Androids, já é mais instalado que a rede social para relacionamento, o Tinder. Observando o crescimento e popularidade dessa nova onda, as empresas e empreendedores começaram a utilizar o aplicativo a seu favor, como uma forma bem-sucedida de faturamento. Chamou muita atenção da internet e acabou se tornando uma divertida e poderosa forma de divulgação para atrair novos clientes. “Apostei no aplicativo e elaborei um plano de como seria o serviço”, diz o designer Rogério Oliveira , que aderiu ao aplicativo como forma de ganhar dinheiro. As maneiras para criar campanhas são diversas, práticas e, com certeza,


Foto: Bianca Bera

O designer curitibano Rogério Oliveira, aproveitou o momento para usar o aplicativo como uma maneira de ganhar dinheiro. Criou um tour e leva crianças para caçarem Pokémon em Curitiba! O tour visita os parques São Lourenço,

Tanguá e Tingui, o passeio custa R$50,00, com duração de duas horas. “Desde que anunciaram o lançamento do Pokémon Go eu vinha acompanhando as notícias sobre o jogo. Então, apostei no aplicativo e percebi que muitos pais não tem paciência ou mesmo tempo para acompanhar seus filhos e elaborei um plano de como seria o serviço”, explica Rogério. O designer acredita que o aplicativo tenha uma jogabilidade muito simples e dinâmica, o que ajuda a atrair cada vez mais as pessoas. Comenta que foi procurado por muitos adolescentes e até adultos! “O aplicativo oferece uma série de possibilidades, pois efetivamente engaja os jogadores para se deslocar de um lado para outro. Se seu público são crianças e adolescentes, é possível direcionar ações para locais de ginásios e Pokéstops”, afirma Rogério, que sempre trabalhou com inovação e dá a dica de sempre ficar atento a estes focos de atenção.

Exemplos de cases segundo o site MKT News • O pizza bar L’inizio em Nova York, afirma que suas vendas saltaram em 75% pela ativação do Lure Module, atraindo Pokémons e a atenção de jogadores próximos;

• Uma empresa de turismo do Tennessee criou

um pacote especial Pokémon Go, que leva clientes para marcos específicos para capturar Pokémon ao longo da cidade;

O serviço de transporte Lyft ofereceu descontos para os usuários que estejam fazendo uma corrida até uma Pokéstop;

Uma loja em Utah aproveitou a chance do local ser uma Pokéstop e colocou uma sinalização anunciando a todos.

Foto: Trianons

dão certo, pelo menos até agora. As opções são variadas, desde aproveitar as Pokéstops para oferecer novos serviços, até proporcionar aos usuários opções de conforto no momento em que estão jogando, como ambientes em que podem deixar o celular carregando. Os empreendedores estão utilizando para vender qualquer tipo de produto ou serviço,

Curiosidades Segundo o site Fatos Inacreditáveis, o jogo tem cerca de 9,5 milhões de usuários até agora, e é claro que acabou acontecendo muitas situações inusitadas. Um homem em Nova York, já foi pego traindo a namorada durante o jogo, descobriram que o jogo ajuda bastante as pessoas que sofrem com depressão e ansiedade, e contribui até mesmo para aqueles que não tem vontade de fazer exercícios! Multidões estão invadindo pequenos negócios, por conta das Pokéstops e gyms. O lado ruim é que estão acontecendo muitos acidentes, como quedas e batidas de carro. Então, já sabe: quando for jogar, preste muita atenção!

17


MERCADO E TENDÊNCIAS

A INTEGRAÇÃO DE JORNALISMO, PUBLICIDADE E PROPAGANDA E RELAÇÕES PÚBLICAS: IDEIA PRÁTICA OU TENDÊNCIA DE MERCADO? A integração entre as três habilitações de comunicação como tendências no mercado atual Por Ana Flávia Gerva Fedrigo e Mariana Machado

A

cada dia, o mercado tem feito com que as empresas optem por unir as três habilitações da Comunicação Social, sendo elas: Jornalismo, Publicidade e Propaganda e Relações Públicas. Essas três áreas, uma vez que estejam integradas, possuem técnicas e ferramentas que são capazes de criar uma comunicação interna e externa eficaz com os seus públicos de interesse, além de alavancar a empresa no mercado.

Para Fabiane Klafke, Relações Públicas formada pela PUCRS e co-fundadora da RP School, existe uma concorrência entre as três habilitações, em que o jornalista quer atuar na área de Relações Públicas e vice-versa, o publicitário como Relações Públicas e assim por diante. Entretanto, para Fabiane, “cabe ao profissional mesmo compreender que as três habilitações estão aptas a realizar tais atividades de acordo com suas competências“. Com a evolução das tecnologias, as empresas passaram a sentir a necessidade de diferenciação em relação ao mercado e decidiram investir nas capacidades técnicas dos profissionais da comunicação. Tendo em vista que uma habilitação acaba por completar a outra, tornou-se comum no ambiente organizacional a contratação de profissionais completos, assim

18

como o investimento em uma equipe integrada, em que cada profissional pode exercer a sua função, sem precisar atuar ao mesmo tempo nas diferentes áreas.

Fabiane comenta que o mercado está indo por um caminho em que cada vez mais é necessário saber as novidades do mercado, as técnicas de publicidade, jornalismo, digital e marketing que estão surgindo. “Ter o domínio de conhecimento das outras áreas é essencial para que esses profissionais consigam fazer uma ação de comunicação de forma integrada e, consequentemente, consigam atingir seus objetivos”, diz Fabiane. No entanto, apesar do conhecimento das outras


áreas, é importante que o profissional compreenda a praticidade da integração para as empresas e não tente levantar vantagem em relação aos profissionais das outras áreas. No mundo utópico a inte-

gração da comunicação é algo que sempre ocorreu; todas as empresas deveriam unir as três habilitações. “Atualmente o que mais se vê, são empresas de grande porte que já adotaram esse método de comunicação e empresas de médio porte procurando esses conhecimentos e técnicas mais diferenciados”, diz Fabiane. Neste segundo caso, o conhecimento mínimo é o necessário, porém as vezes é mais vantajoso para empresas de pequeno porte ter apenas um profissional com todas as técnicas necessárias para cumprir a demanda e não um time integrado completo. Tendo em vista que as empre-

sas estão buscando cada vez mais profissionais completos; em outras palavras uma equipe completa. É

fundamental que os comunicólogos nunca parem de estudar e conhecer um pouco mais sobre as outras habilitações e capacidades técnicas específicas. É desta forma que seu trabalho será visto como um diferencial no mercado e, com isso, a necessidade do seu trabalho junto às outras habilitações.


Curso de Extensão OFICINA DE ÁUDIO-BOOK 11/11 a 26/11 Sexta-Feira: 19h às 23h Sábado: 08h ao 12h e das 13h às 18h Local: PUCPR - Câmpus Curitiba Investimento: R$ 620,00

2016 Curso de Extensão COMUNICAÇÃO INTEGRADA 05/12/2016 a 20/12/2016 Segunda e Terça feiras Das 19h às 23h Dias: 05,06,12,13,19 e 20 de Dezembro de 2016 Local: Escola de Negócios Bloco Laranja

20


FIQUE LIGADO

CONFERP LANÇA MANUAL O Conselho Federal de Profissionais de Relações Públicas (CONFERP) lançou um manual para orientar profissionais e estudantes sobre a importância do registro e da fiscalização. A publicação também orienta sobre o funcionamento do Conselho e traz o mote: Juntos Somos mais Fortes. O Manual está disponível no site www.conferp.org.br.

RELAÇÕES PÚBLICAS E GOVERNAMENTAIS EM ALTA

Pesquisa recente da McKinsey, divulgada em reportagem da Folha de S. Paulo do dia 30 de setembro, mostra que o foco das empresas nos stakeholders nunca foi tão forte. A pesquisa, realizada com executivos de 1.334 empresas do mundo, mostrou também que poucas empresas estão preparadas para essa demanda, sendo mínimo o número de atitudes proativas de engajamento com esses públicos no segundo setor. Entre os dados da pesquisa estão o destaque para as Relações

Públicas e para a atividade de Relações Governamentais, consideradas prioridade para 16% dos entrevistados. A reportagem também destacou a necessidade do profissional destas áreas terem jogo de cintura para alinhar princípios éticos sólidos, estratégias corporativas claras, contribuições efetivas para a política pública dos países envolvidos e atendimento aos stakeholders, além das demandas da opinião pública.

21


LAZER RP

ENCONTRE AS PALAVRAS ABAIXO EM NOSSO CAÇA-PALAVRAS Renata Caroline de Lara

IMPLEMENTAÇÃO | RELACIONAMENTO | DIAGNÓSTICO | ORGANIZAÇÕES | PLANEJAMENTO | IMAGEM | PÚBLICOS | REPUTAÇÃO | COMUNICAÇÃO | OBJETIVOS | RESULTADOS | AVALIAÇÃO | INTEGRAÇÃO | TRANPARÊNCIA | ESTRATÉGIA

I V N J R I N I I Q N O A I A E A

C M T G X Z M C E H Y A T H V B Z

R J P R W I I A Q B E K T Z A V Y

O E Y L A A N B G E Q Z J G L U W

Y R L C E N O E U E M O F D I A U

J K G A O M S A A O M Q B I A J U

B U U A C M E P R E P U T A Ç Ã O

W X S B N I U N A A Y R D G Ã E I

C C N O E I O N T R O P M N O S N

E U K Q W B Z N I A E X D Ó I T T

Y X Z F F O J A A C Ç N V S E R E

L E E B Y T I F Ç M A Ã C T R A G

O B J E T I V O S Õ E Ç O I A T R

P Ú B L I C O S Y J E N Ã C A É A

R E S U L T A D O S I S T O T G Ç

P L A N E J A M E N T O E O M I Ã

C I U T R O S I X Y Q G U I U A O

Respostas:

22


ENCONTRE OS 7 ERROS ABAIXO Renata Caroline de Lara

23


Edição XV - 2016  
Edição XV - 2016  
Advertisement