Issuu on Google+


Apostila|Auto-maquiagem

Sumário 1. Introdução.......................................................................... Pág . 04 2. Entendendo você................................................................ Pág. 05 2.1 Geometria dos olhos................................................................................. Pág. 06 2.2 Formatos de rosto..................................................................................... Pág. 06 _Oval................................................................................................................................... Pág. 06 _Redondo............................................................................................................................ Pág. 07 _Quadrado.......................................................................................................................... Pág. 08 _Hexagonal......................................................................................................................... Pág. 09 _Triangular.......................................................................................................................... Pág. 10 _Triangular invertido.......................................................................................................... Pág. 11 _Losango............................................................................................................................. Pág. 12 _Misto................................................................................................................................. Pág. 13 _Indefinido.......................................................................................................................... Pág. 13 _Assimétrico....................................................................................................................... Pág. 13

2.3Morfologia facial........................................................................................ Pág. 13 _Queixo............................................................................................................................... _Nariz.................................................................................................................................. _Lábios................................................................................................................................ _Olhos.................................................................................................................................

Pág. 14 Pág. 15 Pág. 18 Pág. 21

2.4 Tipos de pele.............................................................................................. Pág.25 _ Normal............................................................................................................... Pág. 25 _Seca..................................................................................................................... Pág. 25 _ Oleosa................................................................................................................ Pág. 25 _ Mista.................................................................................................................. Pág. 26 _ Acnéica............................................................................................................... Pág. 26

3. Pré-maquiagem................................................................... Pág.27 3.1 Limpeza..................................................................................................... Pág.28 3.2 Tonificação................................................................................................ Pág.28 3.3 Hidratação................................................................................................. Pág.28 3.4 Primer........................................................................................................ Pág.29

4. Etapas da maquiagem........................................................ Pág. 30 4.1 Pele............................................................................................................ Pág.31 _Correção............................................................................................................................ Pág. 31 _Uniformização................................................................................................................... Pág. 32 _Finalização......................................................................................................................... Pág. 32

4.2 Olhos......................................................................................................... Pág.33 _sombra.............................................................................................................................. Pág. 33 _lápis................................................................................................................................... Pág. 33 _delineador......................................................................................................................... Pág. 33

Mariana Rousseaux

2


Apostila|Auto-maquiagem

_rímel.................................................................................................................................. Pág. 33 _cílios postiços.................................................................................................................... Pág. 34 _sobrancelhas..................................................................................................................... Pág. 34

4.3 Lábios........................................................................................................ Pág. 34

5. Instrumentos de trabalho.................................................... Pág.35 5.1 Pré Maquiagem......................................................................................... Pág. 36 5.2 Rosto........................................................................................................ Pág. 37 5.3 Olhos........................................................................................................ Pág. 39 5.4 Lábios........................................................................................................ Pág. 42 5.5 Sobrancelhas............................................................................................. Pág. 42

Mariana Rousseaux

3


Apostila|Auto-maquiagem

Introdução Esta apostila tem o intuito de descrever minuciosamente os processos necessários para a aprendizagem da arte da maquiagem. Trata-se de um guia, fruto de estudos pessoais, para os estudantes aspirantes a auto-maquiadores. As competências registradas aqui neste material foram escolhidas de acordo com o meu entendimento sobre Maquiagem, englobando de forma sucinta tudo que eu considero indispensável para que uma pessoa entenda como se maquiar. Estão inclusas então: _Entendendo você: Tipos de rosto e pele, características e cuidados com cada um. _Pré-maquiagem, com as etapas que antecedem a camuflagem de fato. _Etapas da maquiagem, com o a explicação detalhada da aplicação dos materiais. _Instrumentos de trabalho, enumera e descreve cada instrumento necessário para realizar uma produção.

Mariana Rousseaux

4


Apostila|Auto-maquiagem

Mariana Rousseaux

5


Apostila|Auto-maquiagem

Existem vários formatos de rosto, e cada um deles demanda um cuidado especial. Para realizar uma maquiagem de qualidade, é preciso entender qual é o seu tipo e as suas necessidades.

4.3 Geometria dos olhos

Os olhos necessitam de um estudo específico, pois possuem a maior quantidade de detalhes do rosto, e é onde a maquiagem se concentra. Temos então alguns nomes importantes de serem guardados, para que posteriormente seja possível entender as aplicações de sombras. Dois eixos dividem os olhos horizontalmente e verticalmente, definindo os nichos interno, externo, superior e inferior. Numa análise diferenciada, temos a linha de transferência, que divide o olho marcando o côncavo, que é a parte mais funda do conjunto (algumas pessoas não possuem o côncavo evidente, e é necessária a criação de ilusão de que ele existe.). A parte móvel é a parte convexa do olho, é a que se movimenta ao abrirmos e fecharmos os olhos. Os supercílios são a parte acima da linha de transferência, onde se encontra o primeiro osso dos olhos, que é levemente saliente, e define as sobrancelhas.

4.4 Formatos de rosto Cada rosto possui um desenho, uma proporção, e relações diferentes entre as linhas geométricas. Esta diferença deu origem ao estudo de formatos de rosto, que é fundamental para o entendimento da cliente, possibilitando a determinação da maquiagem mais adequada para cada pessoa. Rosto Oval: É o que possui as proporções mais delicadas, e visivelmente mais bonitas. A maquiagem sempre vai ser feita para se chegar à ilusão de um rosto oval, para quem não o possui.

Mariana Rousseaux

6


Apostila|Auto-maquiagem

Rosto Redondo: A proporção entre a linha de comprimento e a de largura do rosto forma praticamente uma cruz de pontas iguais. A impressão é a de um rosto cheio, largo. O queixo neste tipo normalmente é muito sutil, e não há ruptura na linha de limite do rosto, ela desce numa única curva, dando forma a um rosto circular.

Mariana Rousseaux

7


Apostila|Auto-maquiagem

CORREÇÕES

Como a proporção do rosto é “achatada”, a camuflagem irá tentar fazer com que o rosto pareça mais comprido, portanto, iluminando as áreas de topo da testa e do queixo, e sombreando as laterais da testa e dos maxilares.

Rosto Quadrado: Neste rosto, a linha de limite do rosto não possui nada de sutil. Normalmente é o tipo mais facilmente identificável, pois possui uma ruptura quase ortogonal na linha próxima ao canto da testa e dos maxilares. O queixo é retraído quando se olha de frente, e os maxilares costumam ser bem marcados.

Mariana Rousseaux

8


Apostila|Auto-maquiagem

CORREÇÕES

Num rosto quadrado, o mais importante a ser camuflado são as “quinas”. Portanto, é necessário iluminar os topos da testa, do queixo, e abaixo das têmporas, e sombrear as laterais da testa e dos maxilares.

Rosto Hexagonal: As características deste formato são as mesmas do rosto quadrado, quando se observa acima da linha de centro da boca. A diferença se dá no queixo, que no rosto hexagonal é anguloso e usualmente proeminente.

Mariana Rousseaux

9


Apostila|Auto-maquiagem

CORREÇÕES

Para um rosto hexagonal, as correções são iguais às do rosto quadrado, com a diferenciação no queixo, que por ser muito anguloso, precisa ser camuflado na base e iluminado nas laterais. As laterais dos maxilares continuam a ser sombreadas.

Rosto Triangular: Num rosto como este, é possível ser visualizado um triângulo no sentido que, em proporção, os maxilares são mais largos do que a testa. Este volume pode ser visível tanto em virtude de bochechas acentuadas, quanto de maxilares mais proeminentes. O formato mais estreito da testa pode ser determinado por cabelos que começam um pouco mais fechados, ou mesmo pela estrutura do crânio da pessoa.

Mariana Rousseaux

10


Apostila|Auto-maquiagem

CORREÇÕES

Como o rosto triangular tem proeminente os maxilares, estes serão sombreados em suas laterais. A testa, para parecer mais larga, recebe iluminação nas laterais, e sombreamento no topo.

Rosto Triangular Invertido: Todas as características são semelhantes às do rosto triangular, porém invertidas. Neste caso, a testa é que é mais larga proporcionalmente ao queixo. A impressão é a de um rosto “magro”, pois os queixos mais angulosos e proeminentes estão neste tipo de rosto.

Mariana Rousseaux

11


Apostila|Auto-maquiagem

CORREÇÕES

O queixo anguloso, e as testas largas do rosto triangular invertido são os pontos a serem sombreados. Como existe uma falta de maxilar neste formato, é preciso iluminar as laterais do mesmo, para que fiquem mais proeminentes.

Rosto Losango: O principal ponto deste rosto são as maçãs largas. Neste formato, elas são proeminentes, a testa é estreita, e o queixo é fino.

Mariana Rousseaux

12


Apostila|Auto-maquiagem

CORREÇÕES

Neste rosto a correção diferenciada se dá na base da aplicação do blush, próximo ao limite do rosto. Como a testa e o queixo são estreitos, a base destes é escurecida, e a iluminação acontece nas laterais da testa e do queixo.

Rosto Misto: Devido à grande variedade de formatos existentes no mundo, nem sempre é possível determinar um único tipo de rosto em uma pessoa. Quando isso acontece, denominase um rosto Misto, por possuir um formato na metade superior do rosto, e outro na inferior Rosto Assimétrico: Como no rosto misto, neste tipo também é possível encontrar dois tipos de formato em um único rosto. Porém, no rosto assimétrico os tipos diferentes são divididos um para a esquerda e outro para a direita. As correções então precisam ser feitas para se igualar um lado do rosto ao outro, escolhendo o lado mais próximo da estética do Rosto Oval como base. Rosto Indefinido: Os rostos indefinidos são afetados por fatores capilares que atrapalham a harmonia do rosto, e debilitam a estética. Cabelos que crescem além da conta, invadindo o rosto, fazem com que a análise do formato seja impossível, sendo aconselhável a depilação destes cabelos, proporcionando um formato agradável.

4.5 Morfologia Facial A morfologia trata do rosto de forma mais pontual, levando em consideração os tipos de queixos, olhos, narizes, bocas e sobrancelhas. É válido citar que um único nariz, por exemplo, é possível (e normal) que se encontre mais de um tipo, e as correções devem ser feitas através do bom senso, mesclando as orientações para cada tipo.

Mariana Rousseaux

13


Apostila|Auto-maquiagem

Tipos de queixo: PROEMINENTE A linha do queixo extrapola a linha dos lábios. Correções: Escurecer a parte proeminente, e no caso de haver uma depressão entre os lábios e o queixo, iluminá-la.

COMPRIDO Se o queixo proeminente tem seu sentido na horizontal, o comprido o tem na vertical. Correções: Escurecer a parte inferior do queixo.

DUPLO O queixo duplo não segue a linha do maxilar até as orelhas: Há uma leve descida em direção ao pescoço. Correções: Definir uma linha imaginária traçada pelo maxilar, e escurecer a parte que excede esta linha, sem invadir o pescoço.

Mariana Rousseaux

14


Apostila|Auto-maquiagem

ESCAMOTEADO Este tipo é como uma versão mais exagerada do queixo duplo. Normalmente se encontra em pessoas de mais idade, e o queixo se confunde com o pescoço. Correções: Como não há uma diferenciação de queixo, é preciso criá-la ilusoriamente. Para tanto, se escurece abaixo da linha do maxilar, e ilumina-se o queixo.

Tipos de nariz: DESVIADO O osso do nariz não segue a linha de comprimento do rosto. Correções: Nas partes profundas desviadas, iluminar, e nas salientes, escurecer, buscando obter um equilíbrio visual.

GROSSO (CHATO) Mais comumente encontrado em negros, este tipo de nariz é curto quanto ao comprimento, e largo por inteiro. Correções: Iluminar a linha do osso alto do nariz formando uma ilusão de altura, e escurecer as laterais, para parecer mais afilado.

Mariana Rousseaux

15


Apostila|Auto-maquiagem

FINO DE CARTILAGEM ALTA A estrutura do nariz sobressai por inteiro no equilíbrio do rosto. A cartilagem entre os olhos é também preenchida mais do que o normal. Correções: Escurecer a parte alta, e iluminar as laterais, dando a impressão de um osso menos saliente.

LONGO (COMPRIDO) Neste tipo, a desproporção acontece tanto verticalmente quanto horizontalmente. Correções: Clarear as abas e as laterais até o cruzamento entre as linhas de comprimento e de largura do rosto. Escurecer a linha do osso alto.

COM OSSO ALTO Neste tipo de nariz, há apenas uma saliência, que desequilibra o perfil. Correções: O escurecimento deve ser pontual, atingindo somente a área saliente.

Mariana Rousseaux

16


Apostila|Auto-maquiagem

SEM OSSO(ORIENTAL) O nariz sem osso não chega a ser o chato, mas se assemelha a ele, porém numa proporção bem menor. O nariz oriental não possui um osso alto aparente. Correções: Para criar a ilusão de um nariz um pouco mais afilado, clareia-se a área central próxima à ponta do nariz, a “achatada”, e escurece-se a parte lateral próxima ao olhos.

PONTA GORDA A ponta possui uma dimensão maior, se em comparação com o restante do nariz. Correções: è necessário clarear o centro da ponta, e escurecer abaixo e levemente as laterais (da ponta), para afilar.

ABA LARGA A desproporção neste caso se encontra nas narinas, que são muito largas em comparação ao restante do nariz. Correções: Somente é necessário escurecer as laterais da aba.

Mariana Rousseaux

17


Apostila|Auto-maquiagem

ARREBITADO Normalmente, este é o tipo de nariz mais desejado, mas existem alguns casos em que a base é arrebitada em demasia, prejudicando a estética, e dando a impressão de “nariz de porco”. Correções: Escurecer a base do nariz, juntamente com a ponta arrebitada, e clarear as abas.

Tipos de lábios: FINOS

Em lábios finos, deve ser feito um delineado a lápis, que é externo ao contorno natural da boca, para que pareçam maiores. O tom deve ser levemente mais escurecido do que a cor do batom a ser utilizado. GROSSOS Lábios carnudos são o desejo de 9 entre 10 mulheres, porém algumas pessoas não estão satisfeitas com lábios extremamente grandes. Neste caso, o contorno do lápis deve ser feito internamente ao contorno natural da boca, para que ela pareça menor.

Mariana Rousseaux

18


Apostila|Auto-maquiagem

SUPERIOR FINO

Neste tipo de boca, o objetivo é chegar a um equilíbrio entre os tamanhos dos lábios. Se a diferença não for muito grande, o ideal é que o contorno a lápis do lábio superior seja externo ao contorno natural dos lábios. Porém, se o caso é de uma diferença desequilibrada, é aconselhável diminuir o inferior enquanto se aumenta o superior. INFERIOR FINO

Este é o caso inverso ao superior fino. As correções são as mesmas, porém invertidas. CURTO QUANTO AOS CANTOS

Para lábios assim, é necessário um contorno que rasgue um pouco mais os lábios, ou seja, o traçado segue a boca nas áreas centrais, e nos cantos, excede o contorno horizontalmente.

Mariana Rousseaux

19


Apostila|Auto-maquiagem

RASGADOS

Este é o inverso do curto quanto aos cantos, e as correções são as mesmas, porém inversamente. SEM CONTORNO

Neste caso, o contorno natural dos lábios é indefinido, sendo necessário desenhá-los, criando um formato que valorize a pessoa. CAÍDOS

Lábios caídos precisam da ilusão de ter as laterais mais levantadas. Para tanto, os cantos inferiores que são diminuídos, recebem um contorno externamente, seguindo até as extremidades.

Mariana Rousseaux

20


Apostila|Auto-maquiagem

Tipos de olhos: AMENDOADOS Os olhos amendoados possuem as laterais externas mais levantadas do que as internas. Correções: Este formato é totalmente proporcional e não há correções. O básico da maquiagem se aplica aqui: aplique uma sombra (de tom claro a médio) na pálpebra inteira e contorne a linha dos cílios (superiores e inferiores) com sombra mais escura. Defina o côncavo. Una a marca do côncavo ao contorno dos cílios superiores numa marca “V” reforçada com sombra mais escura, esfumando bem. Se desejar, destaque os olhos com delineador como preferir. JUNTOS A distância entre os olhos é menor do que a do comprimento deles. Correções: quanto mais o foco estiver no canto externo dos olhos, melhor. Defina o côncavo da metade dos olhos para fora e aplique sombra escura extrapolando os limites da pálpebra. O iluminador no canto interno dos olhos é muito importante para aumentar a ilusão de distância. O delineado do tipo “gatinha” ajuda também a alongar a distância entre os olhos, e deve ser feito somente a partir da sua metade em direção à área externa. Aplique rímel preferencialmente nos cantos externos dos cílios. SEPARADOS

Mariana Rousseaux

21


Apostila|Auto-maquiagem

De acordo com a medição feita para os olhos juntos, nos separados temos a distância entre os olhos maior do que o comprimento do olho. Correções: Quando há uma distância grande entre os olhos, é necessário criar a ilusão de proximidade. Para isso, deve-se reforçar o canto interno dos olhos com sombra levemente mais escura, num tom médio. É possível que se esfumace para o côncavo, até no máximo o centro. O escurecimento no canto externo é sempre necessário, para criar a ilusão de olhos mais profundos, mas neste caso deve ser usado com muito cuidado: ele não pode ultrapassar os limites da pálpebra. CAÍDOS São o contrário dos olhos amendoados. Correções: Para este tipo de formato, deve-se voltar toda a atenção para a parte superior. Não maquiar a parte inferior dos olhos com lápis preto é muito importante, para não intensificar a sua característica. Aplicar a sombra mais escura voltada para o canto externo superior dos olhos, ultrapassando área da pálpebra e do côncavo, criando um efeito de “olhos de gatinho”. O delineador também deve ser aplicado na direção do final da sobrancelha, sempre puxando para cima nos cantos externos. O traçado deve ser mais fino, quase imperceptível na parte interna dos olhos, e encorpar gradativamente até a parte externa, ou simplesmente começar a partir da metade dos olhos. Reforce a sobrancelha e aplique um pouco de iluminador logo abaixo dela. O rímel nos cílios superiores é muito importante, principalmente na parte externa.

Mariana Rousseaux

22


Apostila|Auto-maquiagem

SALIENTES Olhos salientes têm sua órbita proeminente se comparado a outros olhos. Quando esteticamente desagradáveis, dão o aspecto de “olhos esbugalhados”. Correções: Os olhos mais saltados devem ser suavizados escurecendo todo o seu contorno, começando pela linha d’água dos cílios superiores e inferiores. O côncavo e a linha dos cílios devem ser reforçados com sombra mais escura. Os efeitos de sombras fazem parecer que os olhos estão mais profundos. O delineado deve ir do canto interno até ultrapassar o canto externo, tanto na pálpebra superior quanto na inferior, engrossando o traçado na direção externa. FUNDOS Em olhos fundos, a órbita é internalizada, e os supercílios sobressaem significativamente. Correções: O objetivo da maquiagem em olhos deste tipo, é fazê-los saltar.Para tanto, use uma sombra iluminadora em toda pálpebra. O escurecido do côncavo deve ser sutil, para não deixar os olhos ainda mais profundos. Os supercílios não devem ser muito iluminados, pois já possuem sua saliência além do necessário.

Mariana Rousseaux

23


Apostila|Auto-maquiagem

COBERTOS Em olhos cobertos, a pele dos supercílios encobre a parte móvel da pálpebra. Correções: Este é o tipo mais delicado de se maquiar, pois o côncavo fica escondido. É preciso então criar a ilusão de que existe mais pálpebra à mostra. Na aplicação da cor escolhida para a pálpebra superior, procure ultrapassar a linha de transferência. O côncavo deve ser definido um pouco mais alto se comparado ao local que ele realmente está. Na pálpebra inferior, logo abaixo dos cílios, aplique a cor do canto externo até somente o centro dos olhos. O traçado do delineador deve ser mais fino, e apenas do centro dos olhos até o canto externo. O iluminador dos supercílios deve ser bem rente às sobrancelhas, para não atrapalhar a ilusão de pálpebras aumentadas. PEQUENOS Olhos pequenos são medidos pela proporção no rosto. Podem parecer pequenos em comparação ao nariz, à boca, e ao tamanho do rosto. Correções: Este tipo necessita de uma sombra luminosa por toda a pálpebra, e no canto externo, levemente mais escura. O lápis branco na linha d´água é muito importante (nunca utilizar lápis preto neste local.) Aplique curvex de maneira intensa e rímel(principalmente no canto externo), para abrir o olhar. Para este formato, rímel nos cílios inferiores também é necessário.

Mariana Rousseaux

24


Apostila|Auto-maquiagem

4.4 Tipos de pele De acordo com diferentes características da pele, é possível perceber aparências distintas, e cuidados específicos são necessários. Os tipos de pele existentes são:

Normal: A pele normal é a mais simples e fácil de se maquiar. Sem imperfeições, ela é macia e não possui nada a se esconder. É mais facilmente encontrada em crianças de até 12 anos. Características: _Aspecto liso e aveludado _Não possui descamações _Cor saudável _Brilho natural sem excesso _Tendência a desidratação _Apenas precisa de cuidados para manter o equilíbrio. Seca: É a pele mais difícil de ser maquiada, pois possui tendência a descamações e craquelações, que são muito difíceis de serem disfarçadas (o tratamento deve ser prolongado, e com um especialista). É muito importante para começar uma maquiagem neste tipo de pele, uma esfoliação, seguida de hidratação intensa, para amenizar as imperfeições que podem prejudicar a maquiagem. Características: _As glândulas sebáceas e sudoríparas não funcionam em sua total capacidade _Rugas precoces ao redor da boca e dos olhos _Rugas finas e em muita quantidade _Pele muito sensível a produtos alcalinos, vento, ar condicionado, sol, etc. _É fácil encontrar flacidez _Costuma apresentar descamações Oleosa: A dificuldade da pele oleosa está em manter a maquiagem nela. As glândulas funcionam muito mais do que deveriam, liberando óleo o dia inteiro, o que “expulsa” a cobertura aos poucos. Para fazer este tipo de pele, é necessária uma limpeza muito caprichada, utilizando produtos não-oleosos, e principalmente aplicar um primer de qualidade, que irá segurar a oleosidade durante um bom tempo. A base também é muito importante: Bases para peles oleosas possuem componentes que também ajudam a segurar a maquiagem na pele, sem deixar o óleo escapar. Características: _Aspecto gorduroso _Espessa e elástica _Poucas rugas, porém profundas _Poros geralmente dilatados _Tendência a cravos e espinhas _Cor amarelada

Mariana Rousseaux

25


Apostila|Auto-maquiagem

Mista: É a mais comumente encontrada, mescla características das peles oleosa e seca. Características: _Oleosa na zona T (testa, queixo, nariz) _Seca ao redor dos olhos e nas laterais do rosto

Acnéica: Esta pele é complexa pelo fato de possuir muitos comedões e pústulas (cravos e espinhas), que precisam de atenção especial, portanto a maquiagem é mais demorada. Não é recomendável que a pessoa que a possua use maquiagem todos os dias, pois a cobertura dificulta a respiração dos poros, facilitando o aparecimento de mais cravos e espinhas. Características: _Textura grossa, com brilho excessivo _Apresenta manchas e cicatrizes (de espinhas anteriores) _Aspecto avermelhado

Mariana Rousseaux

26


Apostila|Auto-maquiagem

Mariana Rousseaux

27


Apostila|Auto-maquiagem

Para obter um resultado de qualidade na maquiagem, é preciso antes preparar a pele para receber a cobertura, e as etapas desta preparação são: Limpeza, tonificação, e hidratação.

6.1 Limpeza Durante o dia, a pele acumula impurezas, oleosidade e partículas que atrapalham a aplicação da maquiagem, por isso é muito importante que se faça a limpeza adequada da pele, principalmente no caso de peles oleosas. Os produtos: Gel, emulsão, creme ou leite de limpeza + Algodão, lenço ou toalha + borrifador com água. O processo: Primeiramente, tenha em mãos uma tiara de velcro ou similar, para prender os cabelos da cliente para trás. Em seguida, coloque uma pequena quantidade do produto de limpeza nas mãos, e vá espalhando aos poucos no rosto da pessoa massageando, e evitando a área dos olhos. Terminado, não espere muito (pois o sabão pode secar, e ficar mais difícil de retirar) e umedeça um algodão, lenço ou toalha e retire o excesso do material de limpeza, com delicadeza. Use quantos forem necessários, até que não se perceba mais o deslize do sabão na pele. Seque a umidade restante com uma toalha ou lenço, ou mesmo espere para que seque naturalmente.

6.2 Tonificação Após a limpeza com o sabonete, a acidez da pele aumenta, e é preciso que se utilize um tônico para remover os resíduos da limpeza, toxinas, e manter a pele hidratada. O tônico desobstrui os poros da pele, deixando-a suave e hidratada. A loção adstringente também é importante, principalmente para o caso de pessoas com pele oleosa, pois ela contrai os poros, deixando-a mais uniforme. Os produtos: Loção Tônica ou Loção tônica adstringente + algodão. O processo: Se a pele é seca, utilizar somente a loção tônica, e se é oleosa, somente a loção tônica adstringente. No caso do produto ser cremoso ou em gel, coloque uma quantidade considerável nas mãos espalhando aos poucos no rosto da cliente, e antes que seque, vá retirando o produto com o algodão. Também é possível que se coloque o produto diretamente no algodão, quando é líquido.

6.3 Hidratação Toda pele necessita de hidratação, mesmo as mais oleosas. O sabonete retira a gordura natural da pele, e a deixa desprotegida, e mesmo fatores climáticos colaboram para a necessidade de hidratação. A diferença de cuidado está no tipo do hidratante. Para peles secas, os hidratantes oleosos são os ideais, e para a pele oleosa, os produtos fluidos e livres de óleo. É sempre bom ter os produtos para estes tipos de pele, além de um para peles normais.

Mariana Rousseaux

28


Apostila|Auto-maquiagem

Os produtos: Loção hidratante para peles secas, loção hidratante para peles normais, ou fluido hidratante para peles oleosas. O processo: Colocar uma pequena quantidade de hidratante nas mãos, e espalhar delicadamente sobre o rosto da cliente, sem excessos, para que não atrapalhe a maquiagem.

6.4 Primer Este produto é muito importante para preparar a pele para receber o corretivo e a base, pois ele cria uma camada uniformizadora, que cobre poros e linhas finas, além de segurar a oleosidade da pele, fazendo assim com que a maquiagem dure mais. A sua utilização evita craquelações da base e do corretivo devido a expressões faciais, além de evitar que os produtos acumulem em dobras abaixo dos olhos e nas pálpebras. Os produtos: A maioria dos primers possui função generalizada, mas existem produtos específicos para poros, outros para linhas finas, entre outros. O processo: A aplicação do primer pode ser localizada, ou mesmo no rosto inteiro, dependendo da necessidade. Após ter esperado que o hidratante seja absorvido por inteiro, comece a aplicação com uma quantidade muito pequena no dedo, espalhando sobre a área desejada com poucos movimentos, dando pequenas batidinhas a seguir para fixar, espalhar, uniformizar e secar o produto. Somente aplique a cobertura por cima do primer quando ele estiver seco por completo. Do contrário, irão aparecer indesejáveis “pedacinhos” do produto, que prejudicarão o resultado da maquiagem.

Mariana Rousseaux

29


Apostila|Auto-maquiagem

Mariana Rousseaux

30


Apostila|Auto-maquiagem

7.1 Pele Correção: A primeira etapa de cobertura da pele é a correção, que disfarça as manchas e imperfeições mais fortes da pele. MATERIAL Corretivo líquido ou cremoso do tom da pele da cliente + corretivos magenta, lilás, verde e amarelo + pincéis para corretivo. PROCESSO O primeiro passo é utilizar os corretivos coloridos. Para cada tipo de imperfeição, existe uma cor de corretivo. A base para a tabela a seguir, é o círculo cromático, no qual cores opostas se neutralizam:

Este é um círculo cromático simplificado, com as cores primárias. Estão representadas as cores quentes na metade esquerda (vermelho, laranja e amarelo) e as frias na metade direita (violeta, azul e verde).

corretivo Verde Lilás amarelo Azul

indicação Manchas avermelhadas(acne, cicatrizes, etc.) Manchas amareladas (marcas senis, manchas de sol,etc.) Manchas arroxeadas (olheiras profundas, hematomas, etc.) Manchas marrom-alaranjadas (marcas senis, manchas de sol, etc.)

+

efeito =

+

=

+

=

+

=

Escolhida a cor do corretivo, tenha em mãos o pincel, pegue uma pequena quantidade do produto com o intrumento, e espalhe nas áreas corretas. Espere alguns instantes para que seque, e aplique o corretivo da cor da pele da pessoa. Alguns efeitos também são possíveis de serem criados com corretivo, como iluminação e escurecimento. Áreas como o supercílio, que merece iluminação, pode receber um corretivo com tom mais claro do que o tom da pessoa.

Mariana Rousseaux

31


Apostila|Auto-maquiagem

Uniformização: Após o corretivo ter corrigido as imperfeições mais chamativas da pele, a base será a responsável por cobrir todas as outras pequenas manchas e uniformizar a cor. MATERIAL Pincel para base ou esponja de aplicação + base líquida, base cremosa ou base em pó, sempre do tom exato da pele da cliente, ou pelo menos próximo (poderá ser suavizado depois com o pó). O tipo da base depende de como cada pessoa se adapta, não há uma mais indicada. PROCESSO Espalhar a base requer paciência e atenção, pois se mal espalhada, deixa manchas, ou um resultado diferente do que se quer atingir. Existem formas diferentes de aplicação, mas profissionalmente, apenas duas são as mais indicadas, por questão de higiene: com pincel, e com esponja. São vários os tipos de pincéis, e escolher um tipo, ou a esponja, depende do tipo da base, é preciso testar para saber qual melhor se adéqua ao produto. Coloque uma pequena quantidade do produto no dorso da mão, retire uma parte com o instrumento, e comece a espalhar o produto com leves batidinhas, no caso de pincel ou esponja (jamais esfregar, isso irá deixar as marcas do instrumento), ou em movimentos circulares, se o pincel for do tipo “duo fiber”. Sempre utilize somente a quantidade suficiente de produto para ser espalhado, e se o objetivo for uma maquiagem com cobertura mais pesada (como para fotografias, festas de gala), aplicar uma segunda camada de produto. Finalização: A base normalmente possui uma textura levemente molhada, e para fixá-la, uniformizá-la, tirar o excesso de brilho e até mesmo igualar o tom da base com a pele da pessoa, o pó é utilizado. MATERIAL Pós compactos ou soltos do tom da pele da pessoa+ Blush + Bronzer ou pó mais escuro que o tom da pele da pessoa + esponja de aplicação ou pincéis para pó. Para um efeito mais denso, o pó compacto é mais indicado, e para uma aplicação mais leve, o pó solto. PROCESSO Tendo em mãos um pincel grande, a aplicação inicialmente é generalizada, sem excesso de material, para manter um acetinado natural idêntico ao da pele. Em seguida, com pincéis menores, faz-se as correções de luz e sombra específicas, como por exemplo afilar o nariz. Ilumina-se com o pó iluminador, e escurece-se com um pó mais escuro que o tom da pele da pessoa. Obs.: Existem também iluminadores em creme, que podem ser utilizados após o pó. Depois das correções específicas, partimos para as correções de maior escala, para mudar o formato do rosto. Estas devem ser feitas com um pincel também grande, e o efeito desejado é obtido por meio de esfumaçamento, tendo sempre à frente o bom senso, para que as modificações não saltem à vista com facilidade. O blush finaliza a coloração final, devolvendo a cor saudável que a base retirou da pele. Deve ser aplicado nas bochechas, de acordo com o ângulo primário já mencionado, com cuidado para não utilizar cor em demasia.

Mariana Rousseaux

32


Apostila|Auto-maquiagem

7.2 Olhos Sombra: A aplicação da sombra deve ser feita com pincéis adequados, de acordo com o efeito que se quer atingir. Primeiramente, espalha-se um tom médio sobre toda a pálpebra, que será o de predominância. O tom iluminador precisa sempre ser visivelmente mais claro que o tom médio, e aplicado nos cantos internos dos olhos (exceto pelo caso de olhos separados, que devem receber somente o tom médio nessa área, como já mencionado). O tom de sombreamento também deve ser visivelmente mais escuro do que o tom médio, e é aplicado nos cantos externos dos olhos. É muito importante pensar muito bem na combinação das cores da maquiagem, para não desarmonizar todo o trabalho já feito. O mais indicado é utilizar tons-sobre-tons, como um verde claro, verde médio e verde escuro. Porém, a criatividade precisa falar mais alto, e o senso de estética deve estar sempre presente, na hora de misturar as cores. Tudo é possível, desde que bem pensado, e harmonizado. Lápis: A direção da aplicação do lápis é muito importante para não obter um efeito irregular do traço. Deve-se começar de fora para dentro, em traços firmes, curtos e sobrepostos, para firmar a cor, tomando sempre o cuidado de manter o lápis bem apontado, para que o traço não saia demasiado grosso. Delineador: É o material que necessita de mais concentração. A mão deve ser muito delicada, firme e precisa, e o traço, contínuo. Ao contrário do lápis, traços curtos com o delineador darão um resultado falhado e irregular. O traço deve começar do canto externo do olho (quando se acaba de tirar o pincel do potinho, a quantidade do produto é maior), e com o pincel levemente mais deitado (isso fará com que o traço seja levemente mais grosso). Continuando, o pincel deve ser levantado gradativamente, para que no final, o traço esteja tão fino quanto se deseja. Obs.: No caso de traçado tipo “gatinha”, é feito primeiro a marcação do “puxadinho”, em pincel quase sem produto, como um rascunho. Em seguida então é feito o preenchimento, que dá início ao traço já explicado. A qualquer momento, é possível fazer a correção de algum erro, tendo por perto um cotonete com uma pequena quantidade de demaquilante, fazendo em seguida a reposição da camuflagem perdida com corretivo e uma pequena quantidade de pó. Rímel: Para evitar acidentes (que são muito comuns), peça que a cliente olhe para baixo sem fechar os olhos, e permita que ela pisque. Puxe a sobrancelha para cima, e vá então fazendo movimentos de zigue-zague da raiz dos cílios até as pontas, sem deixar nenhum pêlo sem preenchimento. Para um efeito mais cheio e dramático, pode-se utilizar primeiramente uma máscara de alongamento, para “pentear” os cílios, e logo em seguida uma máscara de volume. Caso a aplicação borre na pele ou nos olhos, pegue imediatamente um cotonete seco e retire o excesso. Em seguida utilize um cotonete com demaquilante, e corrija a camuflagem retirada com um pouco de corretivo e pó, e no caso dos olhos, reaplique a sombra no local afetado. Obs.: O curvex é um instrumento muito indicado, para curvar e uniformizar os cílios antes de

Mariana Rousseaux

33


Apostila|Auto-maquiagem

aplicar a máscara. Para utilizá-lo, encaixe os fios nele, pressione por alguns segundos, e aplique o rímel em seguida. Cílios postiços: É um item muito importante em uma maquiagem sofisticada para festa. Existem milhares de modelos de cílios, de acordo com o gosto de cada cliente. O importante é obter produtos de qualidade, de preferência de fios naturais. Tenha em mãos a cola para cílios, uma pinça de ponta larga e uma pinça de ponta de precisão. Depois de pegar um dos postiços com a pinça de ponta larga, passe uma pequena quantidade na base dos cílios postiços, não se esquecendo das extremidades, que são as partes mais importantes. Espere em média 30 segundos para que a cola ganhe consistência, e aplique nos olhos com firmeza e precisão, bem rente aos cílios naturais, basicamente em 3 movimentos: No centro, no canto externo e no canto interno. Após a aplicação, ajeite e pressione levemente os cílios contra a pele com a pinça. A ponta de precisão é importante para quando algum lugar faltar cola: Aplica-se uma pequena quantidade na ponta da pinça, transferindo diretamente para o ponto deficiente. Enfim aplicados, espere alguns minutos para que fixem, e aplique o rímel normalmente, mesclando os cílios naturais com os postiços. Sobrancelhas: Nem sempre nos preocupamos em pinçá-las para ir a uma festa. Acontece que pelos fora do lugar atrapalham significativamente o resultado, sendo aconselhável que se pince o excesso antes de começar a aplicar a cobertura. As sobrancelhas precisam ter seu desenho definido para levantar e valorizar o olhar da mulher. Como a base e o pó acabam por retirar um pouco a definição natural dos pêlos, é possível redesenhá-los. Tenha em mãos o lápis de sobrancelhas ou sombra (com pincel pequeno chanfrado) do tom da raiz do cabelo da cliente, ou mesmo do tom que ela preferir, no caso de pêlos tingidos. Aplique com cuidado em movimentos leves e curtos, preenchendo falhas e colorindo a sobrancelha sempre levemente, para que não fique um desenho pesado. Terminado isso, com uma pequena escova para sobrancelhas, espalhe os traços, para que se fundam com os pelos.

7.3 Lábios Os lábios precisam de atenção especial, pois precisam ser redesenhados, após o uso de cobertura. Tenha em mãos um lápis labial, o batom e o pincel para lábios. A cor do lápis é sempre um pouco mais escura do que a do batom (sem exagero, precisa ser sutil). Comece aplicando o lápis nas bordas da boca, redesenhando dos cantos para o centro. Ele também ajuda a manter o batom sem borrar. Depois de desenhado o contorno, aplicar o batom para preencher os lábios. Ao fim, um pouco de gloss somente no centro dos lábios ajuda a iluminar.

Mariana Rousseaux

34


Apostila|Auto-maquiagem

Mariana Rousseaux

35


Apostila|Auto-maquiagem

8.1 Pré-maquiagem Pinça

Para retirar os excessos de pêlo das sobrancelhas, deve ser de ponta média, e esterilizável.

Tesoura pequena Para cortar os excessos de pêlos da sobrancelha. Não deve ser de ponta curvada.

Algodão prensado Para aplicar e retirar os produtos da pele. Deve ser prensado para não deixar pedaços residuais.

Lenço de papel Para retirar os produtos da pele, deve ser suave e absorvente.

Mariana Rousseaux

36


Apostila|Auto-maquiagem

8.2 Rosto Pincel chato e fino firme

Este é o pincel para a aplicação dos corretivos.

Esponja de silicone “queijo”

Esta esponja serve para espalhar a base, mas também pode ser utilizada para corretivo. É ótima para a precisão, pelo seu formato.

Pincel chato e grosso firme

É como uma versão grande do pincel para corretivo, porém é para a aplicação da base líquida ou cremosa.

Mariana Rousseaux

37


Apostila|Auto-maquiagem

Pincel duo fiber

Este pincel possui uma combinação de 2 tipos de fibra, e é para a aplicação de base líquida ou cremosa. Proporciona suavidade e ótimo preenchimento na aplicação.

Pincel largo e macio

Este pincel é para a aplicação de pó, tanto compacto quanto solto. É macio para facilitar o espalhamento e a uniformização.

Esponja chata

Esponja para aplicar o pó, compacto ou solto. Muitas vezes já vem com o produto.

Mariana Rousseaux

38


Apostila|Auto-maquiagem

Pincel largo e macio chanfrado

Este pincel é ideal para a aplicação do blush. Também é indicado para sombreamentos de correção do formato do rosto.

8.3 Olhos Curvex

Instrumento para curvar os cílios.

Pincel chato e pequeno macio

Este pincel é para a primeira aplicação da sombra, e tem a função de espalhá-la.

Mariana Rousseaux

39


Apostila|Auto-maquiagem

Pincel chato e pequeno macio chanfrado

Ideal para esfumar a marcação do côncavo, devido ao se chanfro, que permite maior precisão.

Pincel chato e pequeno curto firme

Este pincel é para intensificação da sombra, e de muita precisão. Ele serve para colocar maiores quantidades de produto nos olhos, sem espalhar demais.

Pincel redondo pequeno macio

Pincel para esfumaçar delicadamente, de um modo geral.

Mariana Rousseaux

40


Apostila|Auto-maquiagem

Pincel pequeno e curto chanfrado firme

Este pincel é para aplicações extremamente precisas de sombra, como na marcação do côncavo, ou rente aos cílios.

Pincel redondo e macio médio

Pincel para esfumaçamentos precisos, como o do lápis de olho.

Pincel redondo e firme pequeno

Para delineados extremamente precisos, como o delineador em creme.

Mariana Rousseaux

41


Apostila|Auto-maquiagem

8.4 Lábios Pincel pequeno firme chato e curto

Pincel para espalhar o batom com precisão.

8.5 Sobrancelhas Pente/escova

Na realidade este instrumento não é só para as sobrancelhas. A escovinha é utilizada para uniformizar o lápis aplicado, além de pentear as sobrancelhas. Já o pente, é para desembaraçar os cílios, e retirar excessos de rímel após a aplicação.

Mariana Rousseaux

42


Apostila|Auto-maquiagem

Direitos de imagem: Blog ”Cookiie and cupcake”, www.cookiieandcupcake.blogspot.com “Maquiagem e sua história milenar”, Giulia Bavia Lops, FAAP- Fundação Armando Alvares Penteado “História da maquiagem”, a arte da transformação, Carlos José Portal São Francisco, www.portalsaofrancisco.com.br Site sigma Makeup, www.sigmabeauty.com Google Images, www.google.com.br

Mariana Rousseaux

43


Apostila Auto-Maquiagem