Page 1

CHAPAS E CONECTORES PARA MADEIRA EDIFÍCIOS, ESTRUTURAS E EXTERIOR


ÍNDICE

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS

13

ALUMINI ��������������������������������������������������������������������������� 18 ALUMIDI ���������������������������������������������������������������������������26 ALUMAXI���������������������������������������������������������������������������38 SBD ����������������������������������������������������������������������������������� 48 STA �������������������������������������������������������������������������������������54 LOCK T TIMBER����������������������������������������������������������������� 60 LOCK T EVO TIMBER �������������������������������������������������������� 74 LOCK C CONCRETE ���������������������������������������������������������� 84 UV-T TIMBER ����������������������������������������������������������������������94 UV-C CONCRETE ��������������������������������������������������������������104 DISC FLAT ��������������������������������������������������������������������� 108 DISC FLAT A2 ���������������������������������������������������������������� 116 VGU ���������������������������������������������������������������������������������124 VGU PLATE T TIMBER �����������������������������������������������������132 NEO ���������������������������������������������������������������������������������138

ADESIVOS EPOXÍDICOS E CHAPAS ENGANCHADAS

143

XEPOX �����������������������������������������������������������������������������146 SHARP METAL ���������������������������������������������������������������160

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS

169

WHT �������������������������������������������������������������������������������� 174 TITAN N ��������������������������������������������������������������������������186 TITAN S �������������������������������������������������������������������������� 204 TITAN F ���������������������������������������������������������������������������218 TITAN V �������������������������������������������������������������������������� 228 TITAN SILENT ��������������������������������������������������������������� 234 WHT PLATE C CONCRETE ��������������������������������������������� 242 WHT PLATE T TIMBER ��������������������������������������������������� 250 TITAN PLATE C CONCRETE ������������������������������������������� 254 TITAN PLATE T TIMBER ������������������������������������������������� 262 ALU START �������������������������������������������������������������������� 266 SLOT ��������������������������������������������������������������������������������276 SPIDER ��������������������������������������������������������������������������� 292 PILLAR ���������������������������������������������������������������������������� 308 X-RAD ���������������������������������������������������������������������������� 324


ANGULARES, ESTRIBOS E CHAPAS FURADAS

339

ANCORANTES PARA BETÃO

483

WBR �������������������������������������������������������������������������������� 340

SKR �����������������������������������������������������������488

WBR A2 | AISI304 �������������������������������������������������������� 346

SKS ������������������������������������������������������������488

WKR �������������������������������������������������������������������������������� 348

SKR-E ������������������������������������������������������� 491

WZU ��������������������������������������������������������������������������������352

SKS-E�������������������������������������������������������� 491

WKF �������������������������������������������������������������������������������� 358 WBO - WVS - WHO ���������������������������������������������������� 360

AB1������������������������������������������������������������494

LOG �������������������������������������������������������������������������������� 364

AB1 A4������������������������������������������������������496 AB7 �����������������������������������������������������������498

SPU ��������������������������������������������������������������������������������� 365

ABS �����������������������������������������������������������500

BSA ��������������������������������������������������������������������������������� 368

ABU����������������������������������������������������������� 502

BSI ������������������������������������������������������������������������������������376

AHZ����������������������������������������������������������� 503 AHS ����������������������������������������������������������� 503

LBV ��������������������������������������������������������������������������������� 380 LBB ��������������������������������������������������������������������������������� 386

NDC����������������������������������������������������������504 NDS - NDB����������������������������������������������506 NDK - NDL ���������������������������������������������� 507

PORTA-PILARES E LIGAÇÃO PARA TERRAÇOS

395

R10 - R20 - R30����������������������������������������������������������� 398 R40 ���������������������������������������������������������������������������������404 R70 - R90 ���������������������������������������������������������������������� 407

MBS ����������������������������������������������������������508 VIN-FIX ����������������������������������������������������509 VIN-FIX PRO �������������������������������������������� 511 VIN-FIX PRO NORDIC ���������������������������514 EPO-FIX PLUS �����������������������������������������517 INA ������������������������������������������������������������ 520

X10 ����������������������������������������������������������������������������������408

IHP - IHM �������������������������������������������������521

F70 �����������������������������������������������������������������������������������414 S50���������������������������������������������������������������������������������� 420 P10 - P20 ���������������������������������������������������������������������� 424 TYP F ������������������������������������������������������������������������������ 428

PARAFUSOS ROSCA MÉTRICA E BARRAS

525

TYP FD ��������������������������������������������������������������������������� 436

KOS����������������������������������������������������������� 526

TYP M �����������������������������������������������������������������������������440

KOT������������������������������������������������������������531 EKS������������������������������������������������������������ 532

ROUND ��������������������������������������������������������������������������446

MET ���������������������������������������������������������� 534

BRACE ����������������������������������������������������������������������������448 GATE ������������������������������������������������������������������������������ 450

DBB ����������������������������������������������������������540 ZVB ����������������������������������������������������������� 542

ALU TERRACE �������������������������������������������������������������� 452 SUPPORT ���������������������������������������������������������������������� 458 JFA ���������������������������������������������������������������������������������� 464 FLAT | FLIP ��������������������������������������������������������������������� 466 TVM �������������������������������������������������������������������������������� 468 GAP��������������������������������������������������������������������������������� 470 TERRALOCK�������������������������������������������������������������������472 GROUND COVER ���������������������������������������������������������474 NAG ���������������������������������������������������������������������������������475 GRANULO ����������������������������������������������������������������������476

PARAFUSOS E PREGOS PARA CHAPAS

547

LBA ����������������������������������������������������������� 548 LBS ������������������������������������������������������������ 552 HBS PLATE ���������������������������������������������� 556 HBS PLATE EVO �������������������������������������560 KKF AISI410 ��������������������������������������������� 562 VGS ����������������������������������������������������������� 564

TERRA BAND UV���������������������������������������������������������� 478

FIXAÇÕES COM FITA PARA MADEIRA �������������������������������������� 567

PROFID �������������������������������������������������������������������������� 479

HBS COIL ������������������������������������������������ 568


DA IDEIA AO MERCADO O NASCIMENTO DE UM PRODUTO “Na nossa empresa, tudo o que se refere aos produtos é realizado internamente� Cuidamos de todo o processo, desde a ideia até ao desenvolvimento e a saída para o mercado� Projectamos, realizamos ensaios, efectuamos os controlos dos produtos e acompanhamos todo o processo de certiicação� Preparamos as ichas técnicas, as particularidades de fabrico, desenvolvemos os softwares para o cálculo e a veriicação, oferecemos uma consultoria completa�

UNIVERSIDADE,CENTROS DE INVESTIGAÇÃO

PROJECTISTAS

Ocupamo-nos do marketing, realizamos os catálogos, encarregamo-nos directamente de todos os aspectos da embalagem e da etiquetagem� E dispomos de todas estas competências dentro da empresa�” Robert Blaas, fundador e CEO

REDE DE VENDAS

NETWORK ROTHOBLAAS

IDEIAS - EXIGÊNCIAS - SUGESTÕES

ROTHOBLAAS Através de um luxo de gestão de ideias, os inputs recebidos são submetidos a avaliação

INVESTIGAÇÃO E DESENVOLVIMENTO Início dos procedimentos para o desenvolvimento de novos produtos

4 | DA IDEIA AO MERCADO

CLIENTES


ANÁLISE

COLABORAÇÕES

DESENVOLVIMENTO DE PRODUTO

Estudo aprofundado do estado atual da técnica, análise de custos e prazos

Procura de colaborações com parceiros académicos ou terceiros

Desenvolvimento de protótipos e melhoria contínua até alcançar o resultado ideal

CERTIFICAÇÃO/CONTROLO DE QUALIDADE Processo de certiicação de produto por organismos internacionais independentes

PRODUÇÃO

LOGÍSTICA

LANÇAMENTO NO MERCADO

Início da produção

Rotulagem, planeamento de transportes e armazenamento nos nossos centros logísticos

Atividades de marketing destinadas a promover o novo produto introduzido nos mercados internacionais

NETWORK ROTHOBLAAS UNIVERSIDADE,CENTROS DE INVESTIGAÇÃO

PROJECTISTAS

REDE DE VENDAS

CLIENTES DA IDEIA AO MERCADO | 5


QUALITY CONTROL VERIFICAÇÕES NAS FASES DE PRODUÇÃO A Rothoblaas desenvolve, testa, produz, certiica e comercializa os seus produtos com o seu nome e a sua marca� O processo de produção é sistematicamente controlado em cada etapa (FPC) e todo o procedimento é rigorosamente vigiado e controlado, a im de garantir conformidade e qualidade de cada fase� EXEMPLO DE FASES DE PRODUÇÃO PARA ANGULARES

MATÉRIA-PRIMA

CORTE

PRODUTO ACABADO

A bobina de ita de aço zincado (coil) dá entrada no estabelecimento

Corte da ita conforme as dimensões deinidas por meio da prensa hidráulica

Chapa tridimensional conforme as especiicações técnicas e os requisitos mecânicos

VERIFICAÇÃO

01

A

VERIFICAÇÃO

02

03

04

05

B

PRODUTOR

PUNÇUAMENTO

DOBRAGEM

Procura de fornecedores com qualiicações que satisfaçam os elevados padrões de qualidade da Rothoblaas

Furação e estampagem conforme o desenho técnico de produção

Transformação da folha de metal plana em chapa tridimensional

ALL-IN-ONE A linha automática de estampagem é projectada especiicamente para efectuar em série as várias fases de elaboração: o punçuamento, o corte e a dobragem são realizados em um único ciclo progressivo, sem necessidade de outros processos (ex�: soldadura)�

RASTREABILIDADE Durante todo o processo produtivo cada chapa é associada a um código de identiicação (número de lote) que garante a rastreabilidade da matéria-prima à comercialização�

6 | QUALITY CONTROL


CE - ETA - DoP A Rothoblaas, na qualidade de fabricante, é responsável pelos produtos conforme o ETA de que é titular� Tais produtos devem ter a marcação CE de acompanhamento, normalmente aposta sobre a etiqueta, que assume, portanto, validade legal e contém todas as informações necessárias para identiicar o produto, nomeadamente:

VERIFICAÇÃO

06

C

1. Identiicação do fabricante 2. Número de ETA 3. Declaração das prestações 1 --------------------Rotho Blaas 2 --------------------ETA 11/0496 3 --------------------DoP: TITAN_DoP_110496 (www�rothoblaas�pt)

PACKAGING E LABELLING

CONTROLO DE QUALIDADE

Embalagem e etiquetagem

O procedimento de controlo de fábrica (FPC) continua com uma segunda fase de veriicações realizadas no armazém central

VERIFICAÇÃO

07

D

TRATAMENTOS DE PROTEÇÃO Processo de revestimento (ex�, eletrogalvanização)

VERIFICAÇÃO

08

09

10

E

ARMAZENAMENTO Aceitação das mercadorias de entrada e encaminhamento delas ao Laboratório de Controlo de Qualidade

VENDA E RASTREABILIDADE Com o número de lote e a nota de encomenda, é possível remontar a todas as fases de produção registadas nos relativos controlos: o cliente tem, portanto, a segurança de receber um produto certiicado e de qualidade

VERIFICAÇÕES A. Veriicação, controlo e registo da matéria prima de entrada B. Veriicação geométrica conforme tolerâncias e calibragens normativas C. Veriicação da espessura da zincagem D. Veriicação da embalagem e da etiqueta E. CONTROLO DE QUALIDADE Veriicação geométrica conforme tolerâncias e calibragens normativas

QUALITY CONTROL | 7


REACH REGULATION Registration, Evaluation, Autorisation of Chemicals (CE n. 1907/2006) É o regulamento europeu para a gestão das substâncias químicas propriamente ditas ou que fazem parte de preparações (misturas) e artigos (ref. art.º 3º pontos 2,3)� Este regulamento atribui responsabilidades bem deinidas a cada elo da cadeia de abastecimento no que respeita à comunicação e à utilização segura das substâncias perigosas�

PARA QUE SERVE? O REACH visa garantir um alto nível de proteção da saúde humana e do meio-ambiente� O surgimento do REACH exige a recolha e divulgação de informações completas sobre os perigos de determinadas substâncias e a sua utilização segura na cadeia de abastecimento (regulamento CLP 1272/2008)� O regulamento prevê a atualização contínua das informações e o controlo por parte da Agência Europeia dos Produtos Químicos ECHA (European Chemical Agency)�

Incluímos a conformidade REACH entre os parâmetros de seleção dos nossos produtos e processos produtivos. Desta forma podemos garantir altos padrões de qualidade em termos de tutela da saúde e do meio-ambiente�

Nomeadamente para o utilizador, estes conceitos signiicam: • SVHC - Substances Of Very High Concern Lista de quaisquer substâncias perigosas contidas em artigos • SDS - Safety Data Sheet Documento que inclui as informações para a correta gestão de cada mistura perigosa

REACH COMPLIANCE

PROJECT

PRODUCTION

REACH COMPLIANCE

MARKET

Conceção do produto e escolha dos materiais mais adequados ao fabrico�

Início da fase de produção com avaliação das substâncias utilizadas durante todo o processo�

Análise/seleção de amostras para veriicar a conformidade com o REACH�

Produto que cumpre os requisitos do Regulamento REACH e os padrões de qualidade da Rothoblaas�

8 | REACH REGULATION


REACH PROCESS

INFORMATION

ECHA

MANUFACTURER OR IMPORTER

European Chemicals Agency RESTRICTED SUBSTANCES

PRODUCTS

AUTHORISED SUBSTANCES

MIXTURE

≥ 0,1 %

< 0,1 %

NOT HAZARDOUS

SVHC

SVHC communication NOT REQUIRED

SDS NOT REQUIRED

COMMUNICATION REQUIRED

SDS

SAFETY DATA SHEET

REQUIRED

TECHNICAL CONSULTANT & TECHNICAL SALESMAN

INFORMATION REQUESTS

INFORMATION REQUESTS

MARKET

SUBSTANCES OF VERY HIGH CONCERN

HAZARDOUS

REACH REGULATION

ARTICLES

REACH PROCESS | 9


LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS


LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS


LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS

ALUMINI LIGADOR OCULTO SEM FUROS � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � 18

ALUMIDI LIGADOR OCULTO COM E SEM FUROS � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � 26

ALUMAXI LIGADOR OCULTO COM E SEM FUROS � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � 38

SBD CAVILHA AUTO-PERFURANTE � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � 48

STA CAVILHA LISA � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � 54

LOCK T LIGADOR OCULTO DE ENGATE MADEIRA-MADEIRA � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � 60

LOCK T EVO LIGADOR OCULTO DE ENGATE MADEIRA-MADEIRA PARA EXTERIOR� � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � 74

LOCK C LIGADOR OCULTO DE ENGATE MADEIRA-BETÃO � � � � � � � � � � � � 84

UV-T LIGADOR OCULTO DE ENGATE MADEIRA-MADEIRA � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � 94

UV-C LIGADOR OCULTO DE ENGATE MADEIRA-BETÃO � � � � � � � � � � � 104

DISC FLAT LIGADOR OCULTO REMOVÍVEL � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � 108

DISC FLAT A2 LIGADOR OCULTO REMOVÍVEL � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � 116

VGU ANILHA 45° PARA VGS� � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � 124

VGU PLATE T CHAPA PARA FORÇAS DE TRAÇÃO � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � 132

NEO CHAPAS DE APOIO EM NEOPRENE � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � 138

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | 13


LIGAÇÃO PRINCIPAL - SECUNDÁRIA A ampla escolha de sistemas de ligação permite a satisfação de exigências projectuais diversiicadas: as ligações entre elementos de madeira devem assegurar resistência estática e coniabilidade em caso de incêndio garantindo, ao mesmo tempo, um bom resultado estético.

SEGURANÇA ESTÁTICA DEFINIÇÃO

A ligação viga principal-viga secundária nas estruturas de madeira é esquematizável por meio de uma junção em forma de dobradiça que vincula os elementos à translação, mas não à rotação, diferenciando-se, portanto, do vínculo de encaixe (recorrente vice-versa nas estruturas de betão)� A união está apta, de facto, a transferir o esforço de corte e a tensão axial da viga secundária para a viga principal, mas não um momento de lexão ou torção�

LIGAÇÃO DE DOBRADIÇA

LIGAÇÃO DE ENCAIXE

ANÁLISE FV

O sistema de ligação não é uma junção pontual, mas é constituído de mais elementos que interagem entre si� A conformação geométrica da ligação gera, contextualmente à transferência do corte, um momento parasita com consequentes tensões adicionais sobre os elementos (tração sobre as ixações/compressão sobre a viga principal)�

RT

RC

SOLUÇÕES Os valores de resistência são certiicados (marcação CE), calculáveis (conforme ETA) e elaborados pela Rothoblaas em função das exigências do projectista (documentação técnica)�

ETA

Fv

Fax

Flat Fup

Conforme a tipologia da ligação, haverá diferentes resistências nas várias direcções: • Fv = corte para baixo • Fup = corte para o alto • Flat = corte lateral • Fax = tração axial

14 | LIGAÇÃO PRINCIPAL - SECUNDÁRIA | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS


EXIGÊNCIA ESTÉTICA “Todos veem aquilo que tu pareces, poucos sentem o que tu és.” [N� Maquiavel]

LIGAÇÃO OCULTA

LIGAÇÃO APARENTE

As ligações são inteiramente incorporadas aos elementos de madeira para se obter um óptimo resultado estético�

A ligação metálica é posicionada fora do elemento de madeira, sendo assim visível e dotada de um grande impacto estético�

PROTEÇÃO CONTRA O FOGO As estruturas de madeira, corretamente projectadas, garantem elevadas prestações também em caso de incêndio�

MADEIRA

METAL

A madeira é um material combustível que queima lentamente: em caso de incêndio, veriica-se uma redução da secção resistente, mas a parte não atingida pela carbonização continua a ser eiciente�

Os materiais metálicos sofrem uma drástica redução das capacidades mecânicas em presença de temperaturas elevadas�

LIGAÇÕES MADEIRA–METAL

LIGAÇÕES PROTEGIDAS

ex� R45

A ligação metálica, adequadamente protegida e isolada pela madeira, não sofre redução de resistência e mantém intactas as propriedades mecânicas pelo tempo requerido� (ex�: R45 = 45 minutos)

LIGAÇÕES NÃO PROTEGIDAS

ex� R15

A ligação metálica directamente exposta tem uma resistência muito limitada� (geralmente, R15 = 15 minutos) Além disso, a redução da secção de madeira por causa da carbonização, provoca uma diminuição da profundidade de cravação das ixações�

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | LIGAÇÃO PRINCIPAL - SECUNDÁRIA | 15


GEOMETRIA Escolha do sistema de ligação em função das dimensões da viga secundária

H

B

BASE DA VIGA SECUNDÁRIA B [mm] 300

250

200

150

ALTURA DA VIGA SECUNDÁRIA H [mm] 100

50

0 mm

mm 0

200

400

600

800

1000

1200

ALUMINI 80 mm

45 mm

ALUMIDI 80 mm

100 mm

ALUMAXI 160 mm

432 mm

LOCK T 80 mm

35 mm

LOCK T FLOOR 1260 mm

135 mm

330 mm

LOCK T EVO 80 mm

53 mm

LOCK C 120 mm

70 mm

LOCK C FLOOR 1260 mm

135 mm

330 mm

UV-T 100 mm

45 mm

UV-C 180 mm

80 mm

DISC FLAT 100 mm

100 mm

DISC FLAT A2 100 mm

16 | GEOMETRIA | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS

100 mm

1680 mm


RESISTÊNCIA

Fv

Escolha do sistema de ligação em função da tensão de corte vertical

Flat

Fax Fup

CAMPOS DE APLICAÇÃO

OUTDOOR

FORÇAS Fv

Fax

Flat

RESISTÊNCIA DO LADO DA MADEIRA Rvk [kN] Fup

0

50

100

150

200

250

300

ALUMINI 40 kN

ALUMIDI 155 kN

ALUMAXI 370 kN

LOCK T 65 kN

LOCK T FLOOR 80 kN

LOCK T EVO 35 kN

LOCK C 65 kN

LOCK C FLOOR 80 kN

UV-T 65 kN

UV-C 40 kN

DISC FLAT 65 kN

DISC FLAT A2 45 kN

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | RESISTÊNCIA | 17


ALUMINI

ETA 09/0361

LIGADOR OCULTO SEM FUROS AÇO - ALUMÍNIO Conector em liga de alumínio EN AW-6060 produzida para extrusão e, portanto, isenta de soldadura�

ESTRUTURAS FINAS A contida geometria do contra-apoio permite ligações de vigas secundárias com largura reduzida (a partir de 45 mm)�

LIGAÇÕES INCLINADAS Resistências certiicadas e calculadas em todas as direções: verticais, horizontais e axiais� Utilizável em ligações inclinadas�

CARATERÍSTICAS FOCUS

ligações ocultas

SECÇÕES DE MADEIRA

de 45 x 70 mm a 140 x 280 mm

VÍDEO

RESISTÊNCIA

Rv,k até 36 kN

Digitalize o QR Code e assista ao vídeo no nosso canal YouTube

FIXAÇÕES

HBS PLATE EVO, SBD, STA, SKS

MATERIAL Chapa furada tridimensional em liga de alumínio�

CAMPOS DE APLICAÇÃO Ligações de corte madeira-madeira e madeira-betão quer ortogonais, quer inclinadas • madeira maciça e lamelar • CLT, LVL • painéis à base de madeira

18 | ALUMINI | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS


MONTAGEM RÁPIDA A ixação, simples e veloz, realiza-se com parafusos HBS PLATE EVO sobre a viga principal e com cavilhas autoperfurantes ou lisos sobre a viga secundária�

INVISÍVEL A ligação oculta garante uma estética agradável e satisfaz os requisitos de resistência ao fogo� Utilizável também em ambiente exterior, se coberta adequadamente pela madeira�

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | ALUMINI | 19


CÓDIGOS E DIMENSÕES ALUMINI CÓDIGO

tipo

H

ALUMINI65

sem furos

pçs

[mm] 65

25

ALUMINI95

sem furos

95

25

ALUMINI125

sem furos

125

25

ALUMINI155

sem furos

155

15

ALUMINI185

sem furos

185

15

ALUMINI215

sem furos

215

15

ALUMINI2165

sem furos

2165

1

H

HBS PLATE EVO CÓDIGO

d1

L

b

[mm]

[mm]

[mm]

TX

pçs

HBSPEVO550

5

50

30

TX25

200

HBSPEVO560

5

60

35

TX25

200

TX

pçs

d1 L

SBD CÓDIGO

d1

L

[mm]

[mm]

SBD7555

7,5

55

TX40

50

SBD7575

7,5

75

TX40

50

SBD7595

7,5

95

TX40

50

TX

pçs

d1 L

SKS ALUMINI CÓDIGO SKSALUMINI660

d1

L

d1 L

[mm]

[mm]

6

60

TX30

100

L

cor

TX

pçs

viola

TX30

100

PONTEIRA LONGA CÓDIGO

[mm] TX30200

200

MATERIAL E DURABILIDADE

FORÇAS

ALUMINI: liga de alumínio EN AW-6060� Utilização em classes de serviço 1 e 2 (EN 1995-1-1)�

CAMPOS DE APLICAÇÃO

Fv

Flat

• Ligações madeira-madeira, madeira-betão e madeira-aço • Nós ortogonais ou inclinados

Fax Fup

PRODUTOS ADICIONAIS - FIXAÇÕES tipo

descrição

d

suporte

pág.

[mm] HBS PLATE EVO

parafuso para madeira

5

560

SBD

cavilha auto-perfurante

7,5

48

STA

cavilha lisa

8

54

20 | ALUMINI | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS


GEOMETRIA

LA LB

10 25 10

ALUMINI

10

17,5 15

s

[mm]

6

largura da asa

LA

[mm]

45

comprimento da alma

LB

[mm]

109,9

furos pequenos da asa

Ø1

[mm]

7,0

espessura

Ø1

H

LA

s

s

INSTALAÇÃO DISTÂNCIAS MÍNIMAS e a4,c as

a4,t

a2 as

viga secundária madeira

a4,c

cavilha auto-perfurante

cavilha lisa

SBD Ø7,5

STA Ø8

cavilha-cavilha

a2

[mm]

≥3d

≥ 23

≥ 24

cavilha-extradorso da viga

a4,t [mm]

≥4d

≥ 30

≥ 32

cavilha-intradorso da viga

a4,c [mm]

≥3d

≥ 23

≥ 24

≥ 10

≥ 12

86

86

cavilha-borda do conector

as

[mm] ≥ 1,2 d0(1)

cavilha-viga principal

e

[mm]

(1)

Diâmetro do furo�

viga principal-madeira

parafuso HBS PLATE EVO Ø5 a4,c [mm]

primeiro ligador-extradorso da viga

≥5d

≥ 25

MONTAGEM 01

05

02

03

06

04

07

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | ALUMINI | 21


VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO MADEIRA-MADEIRA | Fv Fv

bJ

hJ

H

ALUMINI com cavilhas autoperfurantes SBD VIGA SECUNDÁRIA

VIGA PRINCIPAL

ALUMINI

cavilhas SBD

parafusos HBS PLATE EVO

Ø7,5(2)

Ø5 x 60

[mm]

[pçs - Ø x L]

[pçs�]

[kN]

90

2 - SBD Ø7,5 x 55

7

2,9

H(1)

bJ

hJ

[mm]

[mm]

65

60

Rv,k

95

60

120

3 - SBD Ø7,5 x 55

11

7,1

125

60

150

4 - SBD Ø7,5 x 55

15

12,9 19,9

155

60

180

5 - SBD Ø7,5 x 55

19

185

60

210

6 - SBD Ø7,5 x 55

23

27,9

215

60

240

7 - SBD Ø7,5 x 55

27

36,5

ALUMINI com cavilhas STA VIGA SECUNDÁRIA

VIGA PRINCIPAL

ALUMINI

cavilhas STA

parafusos HBS PLATE EVO

H(1)

bJ

hJ

Ø8(3)

Ø5 x 60

[mm]

[mm]

[mm]

[pçs - Ø x L]

[pçs�]

[kN] 2,9

Rv,k

65

60

90

2 - STA Ø8 x 60

7

95

60

120

3 - STA Ø8 x 60

11

7,1

125

60

150

4 - STA Ø8 x 60

15

12,9

155

60

180

5 - STA Ø8 x 60

19

19,9

185

60

210

6 - STA Ø8 x 60

23

27,9

215

60

240

7 - STA Ø8 x 60

27

35,0

NOTAS: (1)

O ligador de altura H está disponível pré-cortado (códigos na pág� 20) ou pode ser obtido na barra ALUMINI2165�

(2)

Cavilhas autoperfurantes SBD Ø7,5: My,k = 42000 Nmm�

(3)

Cavilhas lisas STA Ø8: My,k = 24100 Nmm�

22 | ALUMINI | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS

Princípios gerais de cálculo ver pág. 25.


VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO MADEIRA-MADEIRA | Flat bJ

Flat

H

hJ

ALUMINI com cavilhas autoperfurantes SBD e cavilhas SBD VIGA SECUNDÁRIA (1) ALUMINI

VIGA PRINCIPAL parafusos HBS PLATE EVO

Rlat,k,alu

Rlat,k,beam(2)

[pçs�]

[kN]

[kN]

7

1,6

3,1

11

2,3

4,1

150

15

3,0

5,1

180

19

3,8

6,2

210

23

4,5

7,2

240

27

5,2

8,2

H

bJ

hJ

Ø5 x 60

[mm]

[mm]

[mm]

65

60

90

95

60

120

125

60

155

60

185

60

215

60

VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO MADEIRA-MADEIRA | Fax bJ

Fax

H

hJ

ALUMINI com cavilhas autoperfurantes SBD VIGA SECUNDÁRIA ALUMINI

VIGA PRINCIPAL

cavilhas SBD

parafusos HBS PLATE EVO

Ø7,5

Ø5 x 60

[mm]

[pçs - Ø x L]

[pçs�]

[kN]

90

2 - SBD Ø7,5 x 55

7

15,5

120

3 - SBD Ø7,5 x 55

11

24,3

60

150

4 - SBD Ø7,5 x 55

15

33,2

60

180

5 - SBD Ø7,5 x 55

19

42,0

60

210

6 - SBD Ø7,5 x 55

23

50,8

60

240

7 - SBD Ø7,5 x 55

27

59,7

H

bJ

hJ

[mm]

[mm]

65

60

95

60

125 155 185 215

Rax,k

NOTAS: (1)

Os valores de resistência são válidos tanto para as cavilhas autoperfurantes SBD Ø7,5, como para as cavilhas STA Ø8�

(2)

Madeira lamelar GL24h�

Princípios gerais de cálculo ver pág. 25.

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | ALUMINI | 23


VALORES ESTÁTICOS RECOMENDADOS | LIGAÇÃO MADEIRA-BETÃO| Fv ANCORANTE PARAFUSÁVEL bJ

Fv

H hJ

ALUMINI com cavilhas autoperfurantes SBD VIGA SECUNDÁRIA MADEIRA ALUMINI

VIGA PRINCIPAL BETÃO NÃO FISSURADO ancorante SKSALUMINI660(3)

cavilhas SBD

H(1)

bJ

hJ

[mm]

[mm]

[mm]

125

60

150

155

60

180

185

60

215

60

Ø7,5

Rv,k timber

Ø6 x 60

Rv,d concrete

[pçs - Ø x L]

[kN]

[pçs�]

[kN]

3 - SBD Ø7,5 x 55

15,6

4

6,0

3 - SBD Ø7,5 x 55

15,6

5

7,3

210

4 - SBD Ø7,5 x 55

20,8

5

9,1

240

5 - SBD Ø7,5 x 55

26,1

6

11,5

ALUMINI com cavilhas STA VIGA SECUNDÁRIA MADEIRA ALUMINI

VIGA PRINCIPAL BETÃO NÃO FISSURADO ancorante SKSALUMINI660(3)

cavilhas STA

H(1)

bJ

hJ

[mm]

[mm]

[mm]

125

60

150

155

60

180

Ø8

Rv,k timber

Ø6 x 60

Rv,d concrete

[pçs - Ø x L]

[kN]

[pçs�]

[kN]

3 - STA Ø8 x 60

15,0

4

6,0

3 - STA Ø8 x 60

15,0

5

7,3

185

60

210

4 - STA Ø8 x 60

20,0

5

9,1

215

60

240

5 - STA Ø8 x 60

25,0

6

11,5

INSTALAÇÃO DOS ANCORANTES

L

ALUMINI125

ancorante SKSALUMINI660

ALUMINI155

ALUMINI185

ALUMINI215

d1

L

d0

t

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

6,0

60

5

≈ 10

24 | ALUMINI | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS

TX

Tinst [Nm]

TX30

15

Tinst d0

d1 t


PRINCÍPIOS GERAIS:

VALORES ESTÁTICOS | Flat | Fax

• Os valores de resistência do sistema de ixação são válidos para as hipóteses de cálculo deinidas em tabela�

MADEIRA-MADEIRA

• Em fase de cálculo, considerou-se uma massa volúmica dos elementos de madeira equivalente a ρ k = 385 kg/m3 e betão C20/25 com armação rara na ausência de distâncias da borda� • Os coeicientes kmod e yM devem ser considerados em função da norma vigente utilizada para o cálculo� • A dimensão e a veriicação dos elementos de madeira e de betão devem ser feitas à parte�

• Os valores característicos são conforme a norma EN 1995-1-1, de acordo com ETA-09/0361� Os valores de projeto são obtidos a partir dos valores característicos, desta forma:

Rlat,d = min

Rax,d = VALORES ESTÁTICOS | F v

Rlat,k,alu γM,alu Rlat,k,beam kmod γM,T

Rax,k kmod γM

com yM,T coeiciente parcial do material madeira�

MADEIRA-MADEIRA • Os valores característicos são conforme a norma EN 1995-1-1, de acordo com ETA-09/0361� Os valores de projeto são obtidos a partir dos valores característicos, desta forma:

Rd =

Rk kmod γM

• Em alguns casos, a resistência ao corte RV,k da ligação resulta ser particularmente elevada e pode superar a resistência ao corte da viga secundária� Portanto, aconselha-se a prestar uma particular atenção à veriicação do corte da secção reduzida do elemento de madeira em correspondência com a conector�

VALORES ESTÁTICOS | F v MADEIRA-BETÃO • Os valores característicos do lado da madeira estão em conformidade com a norma EN 1995-1-1, de acordo com a ETA-09/0361� Os valores de resistência dos ancorantes para betão são valores de projeto recomendados e derivados de dados de laboratório� A ixação no betão não tem a marcação CE, por isso, é recomendável utilizar o sistema de ligação para aplicações não-estruturais� Os valores de resistência de projeto são obtidos a partir dos valores indicados na tabela, desta forma:

Rd = min

Rk, timber kmod γM Rd, concrete

• Devido à disposição das ixações no betão, é aconselhável prestar uma particular atenção durante a instalação�

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | ALUMINI | 25


ALUMIDI

ETA 09/0361

LIGADOR OCULTO COM E SEM FUROS LIGAÇÕES INCLINADAS Resistências certiicadas e calculadas em todas as direções: verticais, horizontais e axiais� Utilizável em zonas sísmicas e em lexão desviada�

AÇO - ALUMÍNIO Conector em liga de alumínio EN AW-6005A de alta resistência, produzida para extrusão e, portanto, isenta de soldadura�

MADEIRA E BETÃO Distâncias entre os furos otimizadas para ligações quer sobre madeira (pregos ou parafusos) quer sobre betão armado (ancorantes parafusáveis ou químicos)�

CARATERÍSTICAS FOCUS

ligações ocultas

SECÇÕES DE MADEIRA

de 80 x 100 mm a 200 x 520 mm

VÍDEO

RESISTÊNCIA

Rv,k até 150 kN

Digitalize o QR Code e assista ao vídeo no nosso canal YouTube

FIXAÇÕES

LBA, LBS, SBD, STA, SKR

MATERIAL Chapa furada tridimensional em liga de alumínio�

CAMPOS DE APLICAÇÃO Ligações de corte madeira-madeira e madeira-betão tanto ortogonais, como inclinadas • madeira maciça e lamelar • CLT, LVL • painéis à base de madeira

26 | ALUMIDI | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS


INVISÍVEL A ligação oculta garante uma estética agradável e satisfaz os requisitos de resistência ao fogo� Uma expansão na altura do primeiro furo, facilita a inserção, a partir do alto, da viga secundária�

MADEIRA E BETÃO Para as aplicações sobre betão armado e outras superfícies irregulares, as cavilhas autoperfurantes permitem uma maior tolerância na ixação do elemento de madeira� Os valores são certiicados, testados e consolidados�

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | ALUMIDI | 27


CÓDIGOS E DIMENSÕES ALUMIDI SEM FUROS CÓDIGO

tipo

H

pçs

ALUMIDI80

sem furos

80

25

ALUMIDI120

sem furos

120

25

ALUMIDI160

sem furos

160

25

ALUMIDI200

sem furos

200

15

ALUMIDI240

sem furos

240

15

ALUMIDI2200

sem furos

2200

1

H

pçs

[mm] H

ALUMIDI SEM FUROS COM EXPANSÃO SUPERIOR CÓDIGO

tipo

[mm] ALUMIDI280N

sem furos

280

15

ALUMIDI320N

sem furos

320

8

ALUMIDI360N

sem furos

360

8

ALUMIDI400N

sem furos

400

8

ALUMIDI440N

sem furos

440

8

H

pçs

H

ALUMIDI COM FUROS CÓDIGO

tipo

[mm] ALUMIDI120L

com furos

120

25

ALUMIDI160L

com furos

160

25

ALUMIDI200L

com furos

200

15

ALUMIDI240L

com furos

240

15

ALUMIDI280L

com furos

280

15

ALUMIDI320L

com furos

320

8

ALUMIDI360L

com furos

360

8

MATERIAL E DURABILIDADE

H

FORÇAS

ALUMIDI: liga de alumínio EN AW-6005A� Utilização em classes de serviço 1 e 2 (EN 1995-1-1)�

Fv

CAMPOS DE APLICAÇÃO • Ligações madeira-madeira, madeira-betão e madeira-aço • Viga secundária na viga principal ou no pilar • Nós ortogonais ou inclinados

Flat Fax Fup

PRODUTOS ADICIONAIS - FIXAÇÕES tipo

descrição

d

suporte

pág.

[mm] LBA

prego Anker

LBS

parafuso para chapas

SBD

cavilha auto-perfurante

4

548

5

552

7,5

48

STA

cavilha lisa

12

54

SKR

ancorante parafusável

10

488

VIN-FIX PRO

ancorante químico

M8

511

EPO-FIX PLUS

ancorante químico

M8

517

28 | ALUMIDI | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS


GEOMETRIA ALUMIDI sem furos

ALUMIDI sem furos com expansão superior

ALUMIDI com furos

LB LA

86

LB 8 32 16

H

LB 86

23,4

23,4 20

20

Ø3

Ø2

40

Ø1 20 19 42 19 LA

14 52 14

LA

s

s

LA

s

s

s

s

ALUMIDI s

espessura

[mm]

6

largura da asa

LA

[mm]

80

comprimento da alma

LB

[mm]

109,4

furos pequenos da asa

Ø1

[mm]

5,0

furos grandes da asa

Ø2

[mm]

9,0

furos da alma (cavilha)

Ø3

[mm]

13,0

INSTALAÇÃO DISTÂNCIAS MÍNIMAS

hmin

e a4,c

as

e

a4,t

as

a4,t

a2

a2 Tinst as

as

a4,c

a4,c

hef

viga secundária madeira

cavilha auto-perfurante

cavilha lisa

SBD Ø7,5

STA Ø12

cavilha-cavilha

a2 [mm]

≥3d

≥ 23

≥ 36

cavilha-extradorso da viga

a4,t [mm]

≥4d

≥ 30

≥ 48

cavilha-intradorso da viga

a4,c [mm]

≥3d

≥ 23

≥ 36

≥ 10

≥ 16

86

86

prego Anker

parafuso

LBA Ø4

LBS Ø5

≥ 20

≥ 25

ancorante químico

ancorante parafusável

VIN FIX-PRO Ø8

SKR-E Ø10

cavilha-borda do conector

as [mm] ≥ 1,2 d0(1)

cavilha-viga principal

e [mm]

(1)

Diâmetro do furo�

viga principal-madeira primeiro ligador-extradorso da viga

a4,c [mm]

≥5d

viga principal-betão espessura mínima do suporte diâmetro do furo no betão torque de aperto

hmin

[mm]

hef + 30 ≥ 100

110

d0

[mm]

10

8

Tinst

[Nm]

10

50

hef = profundidade efetiva de ancoragem no betão�

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | ALUMIDI | 29


EXEMPLOS DE APLICAÇÃO Flat

F

Fv

Fv

Fv

Fax

β

α

MONTAGEM 01

02

03

ALUMIDI SEM FUROS 04

05

06

07

06

07

ALUMIDI SEM FUROS COM EXPANSÃO SUPERIOR 04

05

ALUMIDI COM FUROS 04

05

30 | ALUMIDI | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS

06

07


VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO MADEIRA-MADEIRA | Fv PREGAGEM TOTAL bJ

Fv

H hJ

ALUMIDI com cavilhas autoperfurantes SBD VIGA SECUNDÁRIA

VIGA PRINCIPAL FIXAÇÃO COM PARAFUSOS

FIXAÇÃO COM PREGOS

ALUMIDI H(1) [mm]

bJ [mm]

hJ [mm]

cavilhas SBD Ø7,5(2) [pçs - Ø x L]

pregos LBA Ø4 x 60 [pçs�]

[kN]

parafusos LBS Ø5 x 60 [pçs�]

Rv,k

Rv,k [kN]

80

120

120

3 - Ø7,5 x 115

14

10,9

14

13,4

120

120

160

4 - Ø7,5 x 115

22

19,7

22

24,6

160

120

200

5 - Ø7,5 x 115

30

29,6

30

35,3

200

120

240

7 - Ø7,5 x 115

38

42,5

38

51,6

240

120

280

9 - Ø7,5 x 115

46

54,6

46

66,5

280

140

320

10 - Ø7,5 x 135

54

71,8

54

85,0

320

140

360

11 - Ø7,5 x 135

62

84,9

62

99,9

360

160

400

12 - Ø7,5 x 155

70

103,6

70

119,9

400

160

440

13 - Ø7,5 x 155

78

116,3

78

130,7

440

160

480

14 - Ø7,5 x 155

86

134,5

86

145,6

ALUMIDI com cavilhas STA VIGA SECUNDÁRIA

VIGA PRINCIPAL FIXAÇÃO COM PREGOS

ALUMIDI

FIXAÇÃO COM PARAFUSOS

cavilhas STA

pregos LBA

H(1)

bJ

hJ

Ø12(3)

Ø4 x 60

[mm]

[mm]

[mm]

[pçs - Ø x L]

[pçs�]

120

120

160

3 - Ø12 x 120

22

23,0

22

25,8

160

120

200

4 - Ø12 x 120

30

34,5

30

40,6

Rv,k [kN]

parafusos LBS Ø5 x 60 [pçs�]

Rv,k [kN]

200

120

240

5 - Ø12 x 120

38

46,5

38

54,8

240

120

280

6 - Ø12 x 120

46

60,9

46

68,4

280

140

320

7 - Ø12 x 140

54

77,2

54

87,0

320

140

360

8 - Ø12 x 140

62

93,2

62

102,4

360

160

400

9 - Ø12 x 160

70

114,3

70

124,7

400

160

440

10 - Ø12 x 160

78

127,3

78

141,0

440

160

480

11 - Ø12 x 160

86

144,6

86

154,9

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | ALUMIDI | 31


VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO MADEIRA-MADEIRA | Fv PREGAGEM PARCIAL(4) bJ Fv

H

hJ

ALUMIDI com cavilhas autoperfurantes SBD VIGA SECUNDÁRIA

VIGA PRINCIPAL FIXAÇÃO COM PARAFUSOS

FIXAÇÃO COM PREGOS

ALUMIDI cavilhas SBD

pregos LBA

hJ

Ø7,5(2)

Ø4 x 60

[mm]

[pçs - Ø x L]

[pçs�]

120

3 - Ø7,5 x 115

160

4 - Ø7,5 x 115

H(1)

bJ

[mm]

[mm]

80

120

120

120

160

120

200

5 - Ø7,5 x 115

18

200

120

240

6 - Ø7,5 x 115

22

parafusos LBS

Rv,k

Ø5 x 60

Rv,k

[kN]

[pçs�]

[kN]

10

9,0

10

11,2

14

15,0

14

18,6

24,7

18

25,2

31,0

22

35,2

240

120

280

7 - Ø7,5 x 115

26

38,0

26

45,5

280

140

320

8 - Ø7,5 x 135

30

47,6

30

54,8

320

140

360

9 - Ø7,5 x 135

34

55,0

34

64,8

360

160

400

10 - Ø7,5 x 155

38

66,2

38

75,2

400

160

440

11 - Ø7,5 x 155

42

74,9

42

84,4

440

160

480

12 - Ø7,5 x 155

46

83,2

46

95,3

ALUMIDI com cavilhas STA VIGA SECUNDÁRIA

VIGA PRINCIPAL FIXAÇÃO COM PREGOS

ALUMIDI

FIXAÇÃO COM PARAFUSOS

cavilhas STA

pregos LBA

H(1)

bJ

hJ

Ø12(3)

Ø4 x 60

[mm]

[mm]

[mm]

[pçs - Ø x L]

[pçs�]

[kN]

[pçs�]

[kN]

120

120

160

3 - Ø12 x 120

14

18,2

14

21,4

160

120

200

4 - Ø12 x 120

18

26,4

18

30,9

200

120

240

5 - Ø12 x 120

22

34,8

22

39,7

Rv,k

parafusos LBS Ø5 x 60

Rv,k

240

120

280

6 - Ø12 x 120

26

44,0

26

48,5

280

140

320

7 - Ø12 x 140

30

54,0

30

63,5

320

140

360

8 - Ø12 x 140

34

64,2

34

73,2

360

160

400

9 - Ø12 x 160

38

80,2

38

83,0

400

160

440

10 - Ø12 x 160

42

89,4

42

92,7

440

160

480

11 - Ø12 x 160

46

98,7

46

102,5

NOTAS: MADEIRA-MADEIRA | Fv (1)

O ligador de altura H está disponível pré-cortado nas versões ALUMIDI sem furos, ALUMIDI com furos e ALUMIDI com expansão (códigos na pág� 28) ou pode ser obtido na barra ALUMIDI2200�

(2)

Cavilhas autoperfurantes SBD Ø7,5: My,k = 42000 Nmm�

(3)

Cavilhas lisas STA Ø12: My,k = 69100 Nmm�

32 | ALUMIDI | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS

(4)

A pregagem parcial é necessária para ligações viga-pilar para respeitar as distâncias mínimas das ixações; também pode ser aplicada para ligações viga-viga� A pregagem parcial deve ser feita pregando cada coluna alternadamente, como mostrado na imagem�

Princípios gerais de cálculo ver pág. 36.


VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO MADEIRA-MADEIRA | Flat

bJ

Flat

H hJ

ALUMIDI com cavilhas autoperfurantes SBD e cavilhas STA VIGA SECUNDÁRIA (1)

VIGA PRINCIPAL (2)

ALUMIDI

pregos LBA / parafusos LBS

Rlat,k,alu

Rlat,k,beam(3)

[pçs�]

[kN]

[kN]

≥ 10

3,6

9,0 12,0

H

bJ

hJ

Ø4 x 60 / Ø5 x 60

[mm]

[mm]

[mm]

80

120

120

120

120

160

≥ 14

5,4

160

120

200

≥ 18

7,2

15,0

200

120

240

≥ 22

9,1

18,0

240

120

280

≥ 26

10,9

21,0

280

140

320

≥ 30

12,7

28,1

320

140

360

≥ 34

14,5

31,6

360

160

400

≥ 38

16,3

40,1

400

160

440

≥ 42

18,1

44,1

440

160

480

≥ 46

19,9

48,1

VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO MADEIRA-MADEIRA | Fax bJ

Fax

H hJ

ALUMIDI com cavilhas autoperfurantes SBD VIGA SECUNDÁRIA

VIGA PRINCIPAL FIXAÇÃO COM PREGOS

ALUMIDI cavilhas SBD

pregos LBA

H [mm]

bJ [mm]

hJ [mm]

Ø7,5 [pçs - Ø x L]

Ø4 x 60 [pçs�]

80

120

120

3 - Ø7,5 x 115

14

Rax,k

FIXAÇÃO COM PARAFUSOS parafusos LBS

[kN]

Ø5 x 60 [pçs�]

11,3

14

Rax,k [kN] 23,9

120

120

160

4 - Ø7,5 x 115

22

17,8

22

37,5

160

120

200

5 - Ø7,5 x 115

30

24,3

30

51,2

200

120

240

7 - Ø7,5 x 115

38

30,8

38

64,8

240

120

280

9 - Ø7,5 x 115

46

37,3

46

78,4

280

140

320

10 - Ø7,5 x 135

54

43,7

54

92,1

320

140

360

11 - Ø7,5 x 135

62

50,2

62

105,7

360

160

400

12 - Ø7,5 x 155

70

56,7

70

119,4

400

160

440

13 - Ø7,5 x 155

78

63,2

78

133,0

440

160

480

14 - Ø7,5 x 155

86

69,7

86

146,6

NOTAS: MADEIRA-MADEIRA | Flat | Fax (1)

Os valores de resistência são válidos tanto para as cavilhas autoperfurantes SBD Ø7,5, como para as cavilhas STA Ø12�

(2)

Os valores de resistência são válidos tanto para os pregos LBA Ø4, como para os parafusos LBS Ø5�

(3)

Madeira lamelar GL24h�

Princípios gerais de cálculo ver pág. 36.

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | ALUMIDI | 33


VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO MADEIRA-BETÃO | Fv ANCORANTE PARAFUSÁVEL bJ

Fv

H hJ

ALUMIDI com cavilhas autoperfurantes SBD VIGA SECUNDÁRIA MADEIRA ALUMIDI

VIGA PRINCIPAL BETÃO NÃO FISSURADO

cavilhas SBD

H(1)

bJ

[mm]

[mm]

ancorante SKR-E

hJ

Ø7,5(2)

Rv,k timber

[mm]

[pçs - Ø x L]

[kN]

Ø10 x

80(4)

Rv,d concrete

[pçs�]

[kN]

80

120

120

2 - Ø7,5 x 115

16,6

2

6,1

120

120

160

3 - Ø7,5 x 115

24,9

4

10,2

160

120

200

4 - Ø7,5 x 115

33,2

4

12,9

200

120

240

5 - Ø7,5 x 115

41,6

6

17,4

240

120

280

6 - Ø7,5 x 115

49,9

6

19,8

280

140

320

6 - Ø7,5 x 135

55,1

8

24,3

320

140

360

7 - Ø7,5 x 135

64,3

8

26,5

360

160

400

7 - Ø7,5 x 155

71,1

10

31,1

400

160

440

8 - Ø7,5 x 155

81,2

10

33,1

440

160

480

9 - Ø7,5 x 155

91,4

12

38,8

ALUMIDI com cavilhas STA VIGA SECUNDÁRIA MADEIRA ALUMIDI

VIGA PRINCIPAL BETÃO NÃO FISSURADO

cavilhas STA

H(1)

bJ

[mm]

[mm]

ancorante SKR-E

hJ

Ø12(3)

Rv,k timber

[mm]

[pçs - Ø x L]

[kN]

Ø10 x

80(4)

[pçs�]

Rv,d concrete [kN]

120

120

160

3 - Ø12 x 120

35,5

4

10,2

160

120

200

4 - Ø12 x 120

47,3

4

12,9

200

120

240

5 - Ø12 x 120

59,1

6

17,4

240

120

280

6 - Ø12 x 120

70,9

6

19,8

280

140

320

7 - Ø12 x 140

91,0

8

24,3

320

140

360

8 - Ø12 x 140

104,0

8

26,5

360

160

400

9 - Ø12 x 160

128,4

10

31,1

400

160

440

10 - Ø12 x 160

142,7

10

33,1

440

160

480

11 - Ø12 x 160

157,0

12

38,8

34 | ALUMIDI | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS


VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO MADEIRA-BETÃO | Fv ANCORANTE QUÍMICO bJ

Fv

H hJ

ALUMIDI com cavilhas autoperfurantes SBD VIGA SECUNDÁRIA MADEIRA ALUMIDI

VIGA PRINCIPAL BETÃO NÃO FISSURADO

cavilhas SBD

ancorante VIN-FIX PRO

H(1)

bJ

hJ

Ø7,5(2)

Rv,k timber

Ø8 x 110(5)

Rv,d concrete

[mm]

[mm]

[mm]

[pçs - Ø x L]

[kN]

[pçs�]

[kN]

80

120

120

3 - Ø7,5 x 115

24,9

2

8,8

120

120

160

4 - Ø7,5 x 115

33,2

4

15,4

160

120

200

5 - Ø7,5 x 115

41,6

4

22,1

200

120

240

7 - Ø7,5 x 115

58,2

6

30,7

240

120

280

8 - Ø7,5 x 115

66,5

6

37,0

280

140

320

10 - Ø7,5 x 135

91,9

8

48,7

320

140

360

11 - Ø7,5 x 135

101,1

8

55,6

360

160

400

12 - Ø7,5 x 155

121,9

10

64,4

400

160

440

13 - Ø7,5 x 155

132,0

10

66,4

440

160

480

14 - Ø7,5 x 155

142,2

12

80,0

ALUMIDI com cavilhas STA VIGA SECUNDÁRIA MADEIRA ALUMIDI

VIGA PRINCIPAL BETÃO NÃO FISSURADO

cavilhas STA

H(1)

bJ

[mm]

[mm]

ancorante VIN-FIX PRO

hJ

Ø12(3)

Rv,k timber

Ø8 x 110(5)

Rv,d concrete

[mm]

[pçs - Ø x L]

[kN]

[pçs�]

[kN]

120

120

160

3 - Ø12 x 120

35,5

4

15,4

160

120

200

4 - Ø12 x 120

47,3

4

22,1

200

120

240

5 - Ø12 x 120

59,1

6

30,7

240

120

280

6 - Ø12 x 120

70,9

6

37,0

280

140

320

7 - Ø12 x 140

91,0

8

48,7

320

140

360

8 - Ø12 x 140

104,0

8

55,6

360

160

400

9 - Ø12 x 160

128,4

10

64,4

400

160

440

10 - Ø12 x 160

142,7

10

66,4

440

160

480

11 - Ø12 x 160

157,0

12

80,0

NOTAS: MADEIRA-BETÃO (1)

O ligador de altura H está disponível pré-cortado nas versões ALUMIDI sem furos, ALUMIDI com furos e ALUMIDI com expansão (códigos na pág� 28) ou pode ser obtido na barra ALUMIDI2200�

(2)

Cavilhas autoperfurantes SBD Ø7,5: My,k = 42000 Nmm�

(3)

Cavilhas lisas STA Ø12: My,k = 69100 Nmm�

(4)

Ancorante parafusável SKR-E de acordo com a ETA-19/0100� Instalar as ancoragens duas a duas partindo de cima, com buchas em ilas alternadas�

(5)

Ancorante químico VIN-FIX PRO com barras roscadas (tipo INA) de classe de aço mínima 5�8� com h ef = 93 mm� Instalar as ancoragens duas a duas partindo de cima, com buchas em ilas alternadas�

Princípios gerais de cálculo ver pág. 36.

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | ALUMIDI | 35


PRINCÍPIOS GERAIS:

VALORES ESTÁTICOS | Flat | Fax

• Os valores de resistência do sistema de ixação são válidos para as hipóteses de cálculo deinidas em tabela�

MADEIRA-MADEIRA

• Em fase de cálculo, considerou-se uma massa volúmica dos elementos de madeira equivalente a ρ k = 385 kg/m3 e betão C25/30 com armação rara na ausência de distâncias da borda�

• Os valores característicos são conforme a norma EN 1995-1-1, de acordo com ETA-09/0361� • Os valores de projeto são obtidos a partir dos valores característicos, desta forma:

• Os coeicientes kmod e yM devem ser considerados em função da norma vigente utilizada para o cálculo� • A dimensão e a veriicação dos elementos de madeira e de betão devem ser feitas à parte�

Rlat,d = min

• Em caso de tensão combinada, deve-se satisfazer a seguinte veriicação:

Fv,d Rv,d

2

+

Flat,d Rlat,d

2

+

Fax,d Rax,d

2

≥ 1

Rax,d =

Rlat,k,alu γM,alu Rlat,k,beam kmod γM,T

Rax,k kmod γM

com yM,T coeiciente parcial do material madeira�

VALORES ESTÁTICOS | F v

VALORES ESTÁTICOS | F v

MADEIRA-MADEIRA

MADEIRA-BETÃO

• Os valores característicos são conforme a norma EN 1995-1-1, de acordo com ETA-09/0361 e avaliados conforme método experimental Rothoblaas�

• Os valores característicos são conforme a norma EN 1995-1-1, de acordo com ETA-09/0361� Os valores de projeto das ancoragens para betão são calculados de acordo com as respetivas Avaliações Técnicas Europeias�

• Os valores de projeto são obtidos a partir dos valores característicos, desta forma:

Rd =

Rk kmod γM

• Em alguns casos, a resistência ao corte Rv,k da ligação resulta ser particularmente elevada e pode superar a resistência ao corte da viga secundária� Portanto, aconselha-se a prestar uma particular atenção à veriicação do corte da secção reduzida do elemento de madeira em correspondência com a conector�

Os valores de resistência de projeto são obtidos a partir dos valores indicados na tabela, desta forma:

Rd = min

Rk, timber kmod γM Rd, concrete

Para conigurações de cálculo diferentes, está disponível gratuitamente o software MyProject (www�rothoblaas�pt)�

• Permite a análise de múltiplas conigurações variando-se o número e a tipologia de ixações, a inclinação, as dimensões e o material dos elementos estruturais, a im de se optimizar a resistência mecânica� • Possibilidade de se seleccionarem dois diferentes métodos de cálculo (conforme ETA-09/0361 e de acordo com modelo experimental)� • Ampla e diversiicada gama de conectores ALUMINI, ALUMIDI e ALUMAXI aptas a satisfazer as diferentes necessidades estáticas�

36 | ALUMIDI | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS


ENSAIOS EM LABORATÓRIO INVESTIGAÇÕES EXPERIMENTAIS Uma colaboração cientíica e de pesquisa com a Universidade dos Estudos de Trento, deu origem a uma ampla campanha experimental com o objetivo de veriicar o efetivo comportamento das conectores ALU e elaborar, assim, um modelo numérico que pudesse correlacionar hipóteses teóricas e resultados dos ensaios de laboratório (método experimental da Rothoblaas)�

PESQUISA E DESENVOLVIMENTO Investigação experimental - Laboratório de Ensaios de Materiais (Faculdade de Engenharia de Trento)�

Ensaios de amostras de dimensões reduzidas (madeira-madeira e madeira-betão)�

Ensaios de amostras de dimensões reais (ligação viga principal - viga secundária)�

MODELAÇÃO NUMÉRICA Investigação do estado evolutivo das deformações plásticas nas buchas e na conector ALU, por meio de análise dos elementos acabados�

Modelo sólido da conector ALU sobre betão

Estado evolutivo das tensões de Mises nas buchas e na conector ALU

Comparação do estado inicial (não deformado) com a coniguração inal do ensaio

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | ALUMIDI | 37


ALUMAXI

ETA 09/0361

LIGADOR OCULTO COM E SEM FUROS RESISTÊNCIAS SUPERIORES Ligação padrão idealizada para garantir resistências de projecto fora do ordinário� Valores certiicados e calculados�

AÇO - ALUMÍNIO Conector em liga de alumínio EN AW-6005A de alta resistência, produzida para extrusão e, portanto, isenta de soldadura�

RÁPIDA FIXAÇÃO Resistências certiicadas e calculadas em todas as direções: verticais, horizontais e axiais� Fixação certiicada também com parafusos LBS e cavilhas autoperfurantes SBD�

CARATERÍSTICAS FOCUS

ligações ocultas

SECÇÕES DE MADEIRA

de 160 x 432 mm a 280 x 1200 mm

VÍDEO

RESISTÊNCIA

Rv,k até 345 kN

Digitalize o QR Code e assista ao vídeo no nosso canal YouTube

FIXAÇÕES

LBA, LBS, SBD, STA, VIN-FIX PRO

MATERIAL Chapa furada tridimensional em liga de alumínio�

CAMPOS DE APLICAÇÃO Ligações de corte madeira-madeira e madeira-betão tanto ortogonais, como inclinadas • madeira maciça e lamelar • CLT, LVL • painéis à base de madeira

38 | ALUMAXI | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS


RESISTÊNCIA AO FOGO A leveza da liga de aço-alumínio facilita o transporte e a movimentação no estaleiro, garantindo também excelentes resistências� Não aparente, satisfaz os requisitos de resistência ao fogo�

GRANDES ESTRUTURAS Ideal para ligações de vigas de grandes dimensões e que requerem altas resistências� A versão sem furos concede ampla possibilidade de posicionamento dos cavilhas�

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | ALUMAXI | 39


CÓDIGOS E DIMENSÕES ALUMAXI COM FUROS CÓDIGO

tipo

ALUMAXI384L

com furos

ALUMAXI512L ALUMAXI640L ALUMAXI768L ALUMAXI2176L

H

pçs

[mm] 384

1

com furos

512

1

com furos

640

1

com furos

768

1

com furos

2176

1

H

pçs

H

ALUMAXI SEM FUROS CÓDIGO

tipo

ALUMAXI2176

sem furos

[mm] 2176

1

H

LBS CÓDIGO

d1

L

b

TX

pçs

[mm]

[mm]

[mm]

LBS760

7

60

55

TX30

100

LBS780

7

80

75

TX30

100

LBS7100

7

100

95

TX30

100

MATERIAL E DURABILIDADE

d1 L

FORÇAS

ALUMAXI: liga de alumínio EN AW-6005A� Utilização em classes de serviço 1 e 2 (EN 1995-1-1)�

CAMPOS DE APLICAÇÃO • Ligações madeira-madeira, madeira-betão e madeira-aço • Viga secundária na viga principal ou no pilar • Nós ortogonais ou inclinados

Fv

Flat Fax Fup

PRODUTOS ADICIONAIS - FIXAÇÕES tipo

descrição

d

suporte

pág.

LBA

prego Anker

6

548

LBS

parafuso para chapas

7

552

SBD

cavilha auto-perfurante

7,5

48

STA

cavilha lisa

16

54

KOS

parafuso

M16

526

VIN-FIX PRO

ancorante químico

M16

511

EPO-FIX PLUS

ancorante químico

M16

517

[mm]

40 | ALUMAXI | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS


GEOMETRIA ALUMAXI com furos

ALUMAXI sem furos

LB LA

139

LB

33 32

64

64

H

Ø3

Ø2 Ø1

32 s1

s1

25,5 79 25,5 LA

s2

LA

s2

ALUMAXI s1

[mm]

espessura da alma

s2

[mm]

10

largura da asa

LA

[mm]

130 172

espessura da asa

12

comprimento da alma

LB

[mm]

furos pequenos da asa

Ø1

[mm]

7,5

furos grandes da asa

Ø2

[mm]

17,0

furos da alma (cavilha)

Ø3

[mm]

17,0

INSTALAÇÃO DISTÂNCIAS MÍNIMAS hmin

e

e

a4,c a4,t

as

as

a2

a4,t

a2 Tinst

as

as

a4,c

a4,c

hef

viga secundária madeira

cavilha auto-perfurante

cavilha lisa

SBD Ø7,5

STA Ø16

cavilha-cavilha

a2 [mm]

≥3d

≥ 23

≥ 48

cavilha-extradorso da viga

a4,t [mm]

≥4d

≥ 30

≥ 64

cavilha-intradorso da viga

a4,c [mm]

≥3d

≥ 23

≥ 48

≥ 10

≥ 21

cavilha-borda do conector cavilha-cavilha cavilha-viga principal

as [mm] ≥ 1,2 d0(1) a1

(2)

[mm]

≥3d

e [mm]

≥ 23

-

92 ÷ 139

139

(1)

Diâmetro do furo�

(2)

Espaçamento entre as cavilhas paralelo à ibragem para ângulo força - ibrasα = 90° para aplicação com SBD�

viga principal-madeira primeiro ligador-extradorso da viga

a4,c

[mm]

≥5d

prego Anker

parafuso

LBA Ø6

LBS Ø7

≥ 30

≥ 35 ancorante químico

viga principal-betão

VIN-FIX PRO Ø16 espessura mínima do suporte diâmetro do furo no betão torque de aperto

hmin

[mm]

d0

[mm]

18

Tinst

[Nm]

80

hef + 30 ≥ 100

hef = profundidade efectiva de ancoragem no betão

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | ALUMAXI | 41


VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO MADEIRA-MADEIRA | Fv PREGAGEM TOTAL Fv

bJ

Fv

H hJ

STA Ø16

SBD Ø7,5

ALUMAXI com cavilhas STA VIGA SECUNDÁRIA

VIGA PRINCIPAL FIXAÇÃO COM PARAFUSOS

FIXAÇÃO COM PREGOS

ALUMAXI cavilhas STA

pregos LBA

Ø16(2)

Ø6 x 80

[mm]

[pçs - Ø x L]

[pçs�]

[kN]

[pçs�]

[kN]

432

6 - Ø16 x 160

48

122,8

48

130,3

7 - Ø16 x 160

56

152,0

56

152,0

8 - Ø16 x 160

64

173,8

64

173,8

H(1)

bJ

hJ

[mm]

[mm]

384

160

448

160

496

512

160

560

parafusos LBS

Rv,k

Ø7 x 80

Rv,k

576

160

624

9 - Ø16 x 160

72

195,5

72

195,5

640

200

688

10 - Ø16 x 200

80

246,0

80

246,0

704

200

752

11 - Ø16 x 200

88

270,6

88

270,6

768

200

816

12 - Ø16 x 200

96

295,2

96

295,2

832

200

880

13 - Ø16 x 200

104

319,8

104

319,8

896

200

944

14 - Ø16 x 200

112

344,4

112

344,4

960

200

1008

15 - Ø16 x 200

120

369,0

120

369,0

ALUMAXI com cavilhas autoperfurantes SBD VIGA SECUNDÁRIA

VIGA PRINCIPAL FIXAÇÃO COM PREGOS

ALUMAXI

FIXAÇÃO COM PARAFUSOS

cavilhas SBD

pregos LBA

Ø7,5(3)

Ø6 x 80

[mm]

[pçs - Ø x L]

[pçs�]

[kN]

[pçs�]

[kN]

432

12 - Ø7,5 x 155

48

121,0

48

121,0

Rv,k

parafusos LBS

Rv,k

H(1)

bJ

hJ

[mm]

[mm]

384

160

448

160

496

14 - Ø7,5 x 155

56

141,2

56

141,2

512

160

560

16 - Ø7,5 x 155

64

161,3

64

161,3

Ø7 x 80

576

160

624

18 - Ø7,5 x 155

72

181,5

72

181,5

640

200

688

20 - Ø7,5 x 195

80

230,7

80

230,7

704

200

752

22 - Ø7,5 x 195

88

253,8

88

253,8

768

200

816

24 - Ø7,5 x 195

96

276,9

96

276,9

832

200

880

26 - Ø7,5 x 195

104

299,9

104

299,9

896

200

944

28 - Ø7,5 x 195

112

323,0

112

323,0

960

200

1008

30 - Ø7,5 x 195

120

346,1

120

346,1

42 | ALUMAXI | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS


VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO MADEIRA-MADEIRA | Fv PREGAGEM PARCIAL(4) Fv

bJ

Fv

H hJ

STA Ø16

SBD Ø7,5

ALUMAXI com cavilhas STA VIGA SECUNDÁRIA

VIGA PRINCIPAL FIXAÇÃO COM PARAFUSOS

FIXAÇÃO COM PREGOS

ALUMAXI cavilhas STA

pregos LBA

Ø16(2)

Ø6 x 80

[mm]

[pçs - Ø x L]

[pçs�]

[kN]

[pçs�]

[kN]

432

6 - Ø16 x 160

24

61,4

24

83,6

496

7 - Ø16 x 160

28

80,0

28

103,5

560

8 - Ø16 x 160

32

99,7

32

123,3

H(1)

bJ

hJ

[mm]

[mm]

384

160

448

160

512

160

Rv,k

parafusos LBS Ø7 x 80

Rv,k

576

160

624

9 - Ø16 x 160

36

120,2

36

143,1

640

200

688

10 - Ø16 x 200

40

141,3

40

162,7

704

200

752

11 - Ø16 x 200

44

162,7

44

182,2

768

200

816

12 - Ø16 x 200

48

184,3

48

201,5

832

200

880

13 - Ø16 x 200

52

206,1

52

220,8

896

200

944

14 - Ø16 x 200

56

227,8

56

239,9

960

200

1008

15 - Ø16 x 200

60

249,6

60

258,9

ALUMAXI com cavilhas autoperfurantes SBD VIGA SECUNDÁRIA

VIGA PRINCIPAL FIXAÇÃO COM PREGOS

ALUMAXI

FIXAÇÃO COM PARAFUSOS

cavilhas SBD

pregos LBA

Ø7,5(3)

Ø6 x 80

[mm]

[pçs - Ø x L]

[pçs�]

[kN]

[pçs�]

[kN]

432

8 - Ø7,5 x 155

24

61,4

24

80,7

160

496

10 - Ø7,5 x 155

28

80,0

28

100,8

160

560

12 - Ø7,5 x 155

32

99,7

32

121,0

160

624

14 - Ø7,5 x 155

36

120,2

36

141,2

640

200

688

16 - Ø7,5 x 195

40

141,3

40

162,7

704

200

752

18 - Ø7,5 x 195

44

162,7

44

182,2

768

200

816

20 - Ø7,5 x 195

48

184,3

48

201,5

832

200

880

22 - Ø7,5 x 195

52

206,1

52

220,8

H(1)

bJ

hJ

[mm]

[mm]

384

160

448 512 576

Rv,k

parafusos LBS Ø7 x 80

Rv,k

896

200

944

24 - Ø7,5 x 195

56

227,8

56

239,9

960

200

1008

26 - Ø7,5 x 195

60

249,6

60

258,9

NOTAS: MADEIRA-MADEIRA | Fv (1)

O ligador de altura H está disponível pré-cortado nas versões ALUMAXI com furos (códigos na pág� 40) ou pode ser obtido nas barras ALUMAXI2176 ou ALUMAXI2176L�

(2)

Cavilhas lisas STA Ø16: My,k = 191000 Nmm

(3)

Cavilhas autoperfurantes SBD Ø7,5: My,k = 42000 Nmm�

(4)

A pregagem parcial é necessária para ligações viga-pilar para respeitar as distâncias mínimas das ixações; também pode ser aplicada para ligações viga-viga� A pregagem parcial deve ser feita pregando cada coluna alternadamente, como mostrado na imagem� Princípios gerais de cálculo ver pág. 46.

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | ALUMAXI | 43


VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO MADEIRA-MADEIRA | Flat

bJ

Flat H hJ

ALUMAXI com cavilhas autoperfurantes SBD e cavilhas STA VIGA SECUNDÁRIA (1)

VIGA PRINCIPAL (2)

ALUMAXI

pregos LBA / parafusos LBS

Rlat,k,alu

Rlat,k,beam(3)

H

bJ

hJ

Ø6 x 80 / Ø7 x 80

[mm]

[mm]

[mm]

[pçs�]

[kN]

[kN]

384

160

432

≥ 24

31,2

34,3

448

160

496

≥ 28

36,4

39,4

512

160

560

≥ 32

41,6

44,4

576

160

624

≥ 36

46,8

49,5

640

200

688

≥ 40

52,0

69,1

704

200

752

≥ 44

57,2

75,6

768

200

816

≥ 48

62,4

82,0 88,4

832

200

880

≥ 52

67,6

896

200

944

≥ 56

72,8

94,9

960

200

1008

≥ 60

78,0

101,3

VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO MADEIRA-MADEIRA | Fax bJ

Fax

H hJ

ALUMAXI com cavilhas STA VIGA SECUNDÁRIA

VIGA PRINCIPAL FIXAÇÃO COM PREGOS

ALUMAXI

FIXAÇÃO COM PARAFUSOS

cavilhas STA

pregos LBA

Ø16

Ø6 x 80

[mm]

[pçs - Ø x L]

[pçs�]

[kN]

[pçs�]

[kN]

432

6 - Ø16 x 160

48

79,2

48

144,3

92,4

56

168,3

105,6

64

192,3

118,8

72

216,4

80

132,0

80

240,4

88

145,2

88

264,5

12 - Ø16 x 200

96

158,4

96

288,5

H(1)

bJ

hJ

[mm]

[mm]

384

160

448

160

496

7 - Ø16 x 160

56

512

160

560

8 - Ø16 x 160

64

576

160

624

9 - Ø16 x 160

72

640

200

688

10 - Ø16 x 200

704

200

752

11 - Ø16 x 200

768

200

816

Rax,k

parafusos LBS Ø7 x 80

Rax,k

832

200

880

13 - Ø16 x 200

104

171,6

104

312,5

896

200

944

14 - Ø16 x 200

112

184,8

112

336,6

960

200

1008

15 - Ø16 x 200

120

198,0

120

360,6

NOTAS: MADEIRA-MADEIRA | Flat | Fax (1)

Os valores de resistência são válidos tanto para as cavilhas STA Ø16, como para as cavilhas autoperfurantes SBD Ø7,5�

(2)

Os valores de resistência são válidos tanto para os pregos LBA Ø6, como para os parafusos LBS Ø7�

44 | ALUMAXI | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS

(3)

Madeira lamelar GL24h� Princípios gerais de cálculo ver pág. 46.


VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO MADEIRA-BETÃO | Fv ANCORANTE QUÍMICO bJ

Fv

H hJ

ALUMAXI com cavilhas STA VIGA SECUNDÁRIA MADEIRA ALUMAXI

VIGA PRINCIPAL BETÃO NÃO FISSURADO

cavilhas STA

ancorante VIN-FIX PRO

H(1) [mm]

bJ [mm]

hJ [mm]

Ø16(2) [pçs - Ø x L]

Rv,k timber [kN]

Ø16 x 160(4) [pçs�]

Rv,d concrete [kN]

384

160

432

6 - Ø16 x 160

130,3

6

89,3

448

160

496

7 - Ø16 x 160

152,0

8

112,4

512

160

560

8 - Ø16 x 160

173,8

8

126,4

576

160

624

9 - Ø16 x 160

195,5

10

149,5

640

200

688

10 - Ø16 x 200

246,0

10

163,8

704

200

752

11 - Ø16 x 200

270,6

12

191,4

768

200

816

12 - Ø16 x 200

295,2

12

197,2

832

200

880

13 - Ø16 x 200

319,8

14

226,2

896

200

944

14 - Ø16 x 200

344,4

14

239,7

960

200

1008

15 - Ø16 x 200

369,0

16

258,9

bJ

Fv

H hJ

ALUMAXI com cavilhas autoperfurantes SBD VIGA SECUNDÁRIA MADEIRA ALUMAXI

VIGA PRINCIPAL BETÃO NÃO FISSURADO

cavilhas SBD

ancorante VIN-FIX PRO

H(1) [mm]

bJ [mm]

hJ [mm]

Ø7,5(3) [pçs - Ø x L]

Rv,k timber [kN]

Ø16 x 160(4) [pçs�]

Rv,d concrete [kN]

384

160

432

12 - Ø7,5 x 155

121,0

6

89,3

448

160

496

14 - Ø7,5 x 155

141,2

8

112,4

512

160

560

16 - Ø7,5 x 155

161,3

8

126,4

576

160

624

18 - Ø7,5 x 155

181,5

10

149,5

640

200

688

20 - Ø7,5 x 195

230,7

10

163,8

704

200

752

22 - Ø7,5 x 195

253,8

12

191,4

768

200

816

24 - Ø7,5 x 195

276,9

12

197,2

832

200

880

26 - Ø7,5 x 195

299,9

14

226,2

896

200

944

28 - Ø7,5 x 195

323,0

14

239,7

960

200

1008

30 - Ø7,5 x 195

346,1

16

258,9

NOTAS: MADEIRA-BETÃO (1)

O ligador de altura H está disponível pré-cortado nas versões ALUMAXI com furos (códigos na pág� 40) ou pode ser obtido nas barras ALUMAXI2176 ou ALUMAXI2176L�

(2)

Cavilhas lisas STA Ø16: My,k = 191000 Nmm�

(3)

Cavilhas autoperfurantes SBD Ø7,5: My,k = 42000 Nmm�

(4)

Ancorante químico VIN-FIX PRO com barras roscadas (tipo INA) de classe de aço mínima 5�8� com h ef = 128 mm� Instalar as ancoragens duas a duas partindo de cima, com buchas em ilas alternadas� Princípios gerais de cálculo ver pág. 46.

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | ALUMAXI | 45


PRINCÍPIOS GERAIS:

VALORES ESTÁTICOS | Flat | Fax

• Os valores de resistência do sistema de ixação são válidos para as hipóteses de cálculo deinidas em tabela� Para conigurações de cálculo diferentes, está disponível gratuitamente o software MyProject (www�rothoblaas�pt)� • Em fase de cálculo, considerou-se uma massa volúmica dos elementos de madeira equivalente a ρ k = 385 kg/m3 e betão C25/30 com armação rara na ausência de distâncias da borda�

MADEIRA-MADEIRA • Os valores característicos são conforme a norma EN 1995-1-1, de acordo com ETA-09/0361� • Os valores de projeto são obtidos a partir dos valores característicos, desta forma:

• Os coeicientes kmod e yM devem ser considerados em função da norma vigente utilizada para o cálculo� • A dimensão e a veriicação dos elementos de madeira e de betão devem ser feitas à parte�

Rlat,d = min

• Em caso de tensão combinada, deve-se satisfazer a seguinte veriicação:

Fv,d Rv,d

2

+

Flat,d Rlat,d

2

+

Fax,d Rax,d

2

≥ 1

Rax,d =

Rlat,k,alu γM,alu Rlat,k,beam kmod γM,T

Rax,k kmod γM

com yM,T coeiciente parcial do material madeira�

VALORES ESTÁTICOS | F v

VALORES ESTÁTICOS | F v

MADEIRA-MADEIRA

MADEIRA-BETÃO

• Os valores característicos são conforme a norma EN 1995-1-1, de acordo com ETA-09/0361�

• Os valores característicos são conforme a norma EN 1995-1-1, de acordo com ETA-09/0361� Os valores de projeto das ancoragens para betão são calculados de acordo com as respetivas Avaliações Técnicas Europeias�

• Os valores de projeto são obtidos a partir dos valores característicos, desta forma:

Rd =

Rk kmod γM

• Em alguns casos, a resistência ao corte Rv,k da ligação resulta ser particularmente elevada e pode superar a resistência ao corte da viga secundária� Portanto, aconselha-se a prestar uma particular atenção à veriicação do corte da secção reduzida do elemento de madeira em correspondência com a conector�

46 | ALUMAXI | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS

Os valores de resistência de projeto são obtidos a partir dos valores indicados na tabela, desta forma:

Rd = min

Rk, timber kmod γM Rd, concrete


BIBLIOTECAS BIM BUILDING INFORMATION MODELING

Elementos estruturais de ligação em formato digital Acompanhados das características geométricas tridimensionais e informações paramétricas adicionais, disponíveis nos formatos IFC, REVIT, ALLPLAN, ARCHICAD, SKETCHUP e TEKLA e prontos para serem integrados no seu próximo projeto de sucesso. Transfira-os já!

www.rothoblaas.pt/bimcad


SBD

BIT INCLUÍDOS

EN 14592

CAVILHA AUTO-PERFURANTE AÇO E ALUMÍNIO Broca auto-perfurante madeira-metal com especial geometria que reduz a possibilidade de eventuais ruturas� A cabeça cilíndrica de embutir garante um rendimento estético ideal e permite satisfazer os requisitos de resistência ao fogo�

DIÂMETRO SUPERIOR O diâmetro de 7,5 mm garante resistências ao corte 15% superiores e permite otimizar o número de ixações�

DUPLA ROSCA A rosca próxima da ponta (b1) facilita o aparafusamento� A rosca mais longa na sub-cabeça (b2) permite um fecho rápido e preciso do nó�

CARATERÍSTICAS FOCUS

auto-perfurante madeira-metal-madeira

CABEÇA

cilíndrica de embutir

VÍDEO

DIÂMETRO

7,5 mm

Digitalize o QR Code e assista ao vídeo no nosso canal YouTube

COMPRIMENTO

de 55 a 235 mm

MATERIAL Aço carbónico electrogalvanizado�

CAMPOS DE APLICAÇÃO Sistema auto-perfurante para ligações ocultas madeira-aço e madeira-alumínio� Utilizável com aparafusador de 600-1500 rpm com: • aço S235 ≤ 10,0 mm • aço S275 ≤ 8,0 mm • aço S355 ≤ 6,0 mm • ligadores ALUMINI, ALUMIDI e ALUMAXI Classes de serviço 1 e 2�

48 | SBD | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS


LIGAÇÃO ROTULADA Ideal para a ligação de vigas de cabeça e realizar vigas contínuas com o restabelecimento das forças de corte e momento� O diâmetro reduzido da cavilha garante ligações com uma elevada rigidez�

LIGAÇÃO DE ENCASTRAMENTO Certiicado, testado e calculado também para a ixação de chapas standard Rothoblaas como o porta-pilar TYP X�

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | SBD | 49


CÓDIGOS E DIMENSÕES d1

CÓDIGO

[mm]

7,5 TX40

L

b2

b1

[mm]

[mm]

[mm]

pçs

SBD7555

55

10

-

50

SBD7575

75

10

15

50

SBD7595

95

20

15

50

SBD75115

115

20

15

50

SBD75135

135

20

15

50

SBD75155

155

20

15

50

SBD75175

175

40

15

50

SBD75195

195

40

15

50

SBD75215

215

40

15

50

SBD75235

235

40

15

50

d1

L

FORÇAS

MATERIAL E DURABILIDADE SBD: aço carbónico com electrogalvanização Utilização em classes de serviço 1 e 2 (EN 1995-1-1)�

Fv

CAMPOS DE EMPREGO • Ligações madeira-aço-madeira

GEOMETRIA E CARACTERÍSTICAS MECÂNICAS

d1

dk

b1

b2

Lp

L

7,5

Diâmetro nominal

d1

[mm]

Diâmetro da cabeça

dk

[mm]

11,0

Comprimento da ponta

Lp

[mm]

19,0

Comprimento eicaz

Lef

[mm]

L - 8,0

Momento de cedência característico

My,k

[Nmm]

42000

50 | SBD | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS

b1

b2


INSTALAÇÃO chapa

s chapa simples

s chapa dupla

[mm]

[mm]

aço S235

10,0

8,0

aço S275

8,0

6,0

aço S355

6,0

5,0

ALUMINI

6,0

-

ALUMIDI

6,0

-

s

ALUMAXI

10,0

-

chapa simples

s

s

chapa dupla

Ligação em corte madeira-chapa metálica-madeira Pressão aconselhada:

≈ 40 kg

Aparafusamento aconselhado:

≈ 1000 - 1500 rpm (chapa de aço) ≈ 600 - 1000 rpm (chapa em alumínio)

DISTÂNCIAS MÍNIMAS PARA CONECTORES SOB TENSÃO AO CORTE(1)

Ângulo entre força e ibras α = 0°

Ângulo entre força e ibras α = 90°

d1

[mm]

7,5

7,5

a1

[mm]

38

23

a2

[mm]

23

23

a3,t

[mm]

80

80

a3,c

[mm]

40

40

a4,t

[mm]

23

30

a4,c

[mm]

23

23

extremidade sob tensão -90° < α < 90°

a2 a2

extremidade sem tensão 90° < α < 270°

F α

α F

a1 a1

a3,t

borda sob tensão 0° < α < 180°

borda sem tensão 180° < α < 360°

α F α

a4,t

F a4,c

a3,c

NOTAS: (1)

As distâncias mínimas são conforme a norma EN 1995-1-1�

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | SBD | 51


VALORES ESTÁTICOS MADEIRA-AÇO E ALUMÍNIO CORTE Rv,k - 1 CHAPA INTERNA PROFUNDIDADE INSERÇÃO CABEÇA CAVILHA 0 mm FIXAÇÃO

SBD

[mm] 7,5x55

ta

7,5x95 7,5x115 7,5x135 7,5x155 7,5x175 7,5x195 7,5x215 7,5x235

Largura da viga

B

[mm]

60

80

100

120

140

160

180

200

220

240

Profundidade inserção cabeça

p

[mm]

0

0

0

0

0

0

0

0

0

0

Madeira externa

ta

[mm]

27

37

47

57

67

77

87

97

107

117

7,48

9,20

10,18

11,46

12,91

13,69

13,95

13,95

13,95

13,95

30°

6,89

8,59

9,40

10,51

11,77

12,71

13,21

13,21

13,21

13,21

s ta

7,5x75

Rv,k [kN]

ângulo força - ibras

B

45°

6,41

8,09

8,77

9,72

10,84

11,90

12,53

12,57

12,57

12,57

60°

6,00

7,67

8,24

9,08

10,07

11,15

11,78

12,02

12,02

12,02

90°

5,66

7,31

7,79

8,53

9,42

10,40

11,14

11,54

11,54

11,54

PROFUNDIDADE INSERÇÃO CABEÇA CAVILHA 15 mm FIXAÇÃO

p

SBD

[mm] 7,5x55

ta

7,5x95 7,5x115 7,5x135 7,5x155 7,5x175 7,5x195 7,5x215 7,5x235

Largura da viga

B

[mm]

80

100

120

140

160

180

200

220

240

-

Profundidade inserção cabeça

p

[mm]

15

15

15

15

15

15

15

15

15

-

Madeira externa

ta

[mm]

37

47

57

67

77

87

97

107

117

-

8,47

9,10

10,13

11,43

12,89

13,95

13,95

13,95

13,95

-

30°

7,79

8,49

9,35

10,48

11,75

13,06

13,21

13,21

13,21

-

s ta

7,5x75

Rv,k [kN]

ângulo força - ibras

B

45°

7,25

8,00

8,72

9,70

10,82

12,04

12,57

12,57

12,57

-

60°

6,67

7,58

8,19

9,05

10,05

11,14

12,02

12,02

12,02

-

90°

6,14

7,23

7,74

8,50

9,40

10,39

11,40

11,54

11,54

-

COEFICIENTE CORRETIVO kF PARA DIFERENTES MASSAS VOLÚMICAS ρk Classe de resistência ρk

C24

[kg/m3]

kF

GL22h

C30

GL24h

C40 / GL32c

GL28h

D24

D30

350

370

380

385

400

425

485

530

0,91

0,96

0,99

1,00

1,02

1,05

1,12

1,17

Para diferentes massas volúmicas ρk, a resistência de projeto do lado da madeira é calculada como: R ' V,d = R V,d · kF�

NÚMERO EFICAZ DE CAVILHAS nef PARA α = 0º a1 [mm]

nef

n° SBD

40

50

60

70

80

90

100

120

140

2

1,49

1,58

1,65

1,72

3

2,15

2,27

2,38

2,47

1,78

1,83

2,56

2,63

1,88

1,97

2,00

2,70

2,83

2,94

4

2,79

2,95

3,08

3,21

3,31

3,41

3,50

3,67

3,81

5

3,41

3,60

3,77

3,92

4,05

4,17

4,28

4,48

4,66

6

4,01

4,24

4,44

4,62

4,77

4,92

5,05

5,28

5,49

7

4,61

4,88

5,10

5,30

5,48

5,65

5,80

6,07

6,31

Em caso de várias cavilhas dispostos paralelamente às ibras, deve-se levar em conta o número eicaz: R ' V,d = R V,d · nef�

52 | SBD | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS


VALORES ESTÁTICOS MADEIRA-AÇO E ALUMÍNIO CORTE Rv,k - 2 CHAPAS INTERNAS PROFUNDIDADE INSERÇÃO CABEÇA CAVILHA 0 mm FIXAÇÃO

s ta

SBD

[mm] 7,5x55

ta

B

[mm]

-

-

-

-

140

160

180

200

220

240

Profundidade inserção cabeça

p

[mm]

-

-

-

-

0

0

0

0

0

0

Madeira externa

ta

[mm]

-

-

-

-

37

42

48

56

66

74

Madeira interna

ti

[mm]

-

-

-

-

54

64

72

76

76

80

-

-

-

-

21,03

26,71

27,41 25,72

Rv,k [kN]

B

7,5x95 7,5x115 7,5x135 7,5x155 7,5x175 7,5x195 7,5x215 7,5x235

Largura da viga

s ti

7,5x75

ângulo força - ibras

23,07 24,25 25,28

30°

-

-

-

-

19,19

21,17

22,71

23,60 24,85

45°

-

-

-

-

17,69

19,62

21,08

22,19 23,30 24,25

60°

-

-

-

-

16,45

18,32

19,62

20,75

90°

-

-

-

-

15,40

17,09

18,40 19,40 20,28 21,48

21,73

22,84

PROFUNDIDADE INSERÇÃO CABEÇA CAVILHA 10 mm FIXAÇÃO

p

[mm] 7,5x55

ti

ta

B

7,5x75

7,5x95 7,5x115 7,5x135 7,5x155 7,5x175 7,5x195 7,5x215 7,5x235

Largura da viga

B

[mm]

-

-

-

140

160

180

200

220

240

-

Profundidade inserção cabeça

p

[mm]

-

-

-

10

10

10

10

10

10

-

Madeira externa

ta

[mm]

-

-

-

37

42

48

56

66

74

-

Madeira interna

ti

[mm]

-

-

-

54

64

72

76

76

80

-

-

-

-

19,31

22,20 23,23 24,02 25,28 26,42

-

30°

-

-

-

17,49

20,25 21,86 22,52 23,60 24,59

-

45°

-

-

-

16,01

18,65 20,36 21,26

22,19

23,07

-

60°

-

-

-

14,78

17,32

19,02

19,94

20,75

21,78

-

90°

-

-

-

13,75

16,07

17,88

18,68 19,40 20,52

-

s

s ta

SBD

Rv,k [kN]

ângulo força - ibras

PRINCÍPIOS GERAIS: • Os valores característicos são conforme a norma EN 1995-1-1� • Os valores de projeto são obtidos a partir dos valores característicos, desta forma:

Rd =

Rk kmod γM

• Os valores fornecidos são calculados com chapas de 5 mm de espessura e uma fresada na madeira com espessura de 6 mm e relativos a uma única cavilha SBD� • Em fase de cálculo, considerou-se uma massa volúmica dos elementos de madeira equivalente a ρ k = 385 kg/m3 � • O dimensionamento e a veriicação dos elementos de madeira e das chapas metálicas devem ser feitos à parte�

Os coeicientes γ M e kmod devem ser considerados em função da norma vigente utilizada para o cálculo�

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | SBD | 53


STA

EN 14592

CAVILHA LISA AÇO Aço S355 a im de garantir uma maior resistência ao corte para as medidas utilizadas em âmbito estrutural (Ø16 e Ø20)�

GEOMETRIA Extremidade estreitada para uma mais fácil inserção dentro do furo predisposto na madeira� Disponível na versão de 1,0 m�

VERSÃO ESPECIAL Disponível, a pedido, em versão com aderência melhorada, com geometria anti-deslizante para utilização em zona sísmica�

CARATERÍSTICAS FOCUS

ligações ocultas

DIÂMETRO

de 8,0 a 20,0 mm

COMPRIMENTO

de 60 a 500 mm

AÇO

S235 (Ø8-Ø12) - S355 (Ø16-Ø20)

MATERIAL Aço carbónico electrogalvanizado�

CAMPOS DE APLICAÇÃO Acoplagem de estruturas de madeira para uniões de corte madeira-madeira e madeira-aço • madeira maciça e lamelar • CLT, LVL • painéis à base de madeira

54 | STA | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS


GRANDES ESTRUTURAS Cálculo preciso: marcação CE para garantir a adequação ao uso� Versão com aderência melhorada, ideal para zonas sísmicas�

MADEIRA-METAL Ideal para a utilização com conectores ALU na realização de ligações não aparentes� Se utilizado com tampões de madeira, satisfaz os requisitos de resistência ao fogo e garante uma estética agradável�

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | STA | 55


CÓDIGOS E DIMENSÕES d1

CÓDIGO

[mm]

8

12

12

16

L

aço

pçs

[mm]

d1

CÓDIGO

[mm]

L

aço

pçs

[mm]

STA860B

60

S235

200

STA16200B

200

S355

50

STA880B

80

S235

200

STA16220B

220

S355

50

STA8100B

100

S235

200

STA16240B

240

S355

50

STA8120B

120

S235

200

STA16260B

260

S355

50

STA8140B

140

S235

200

STA16280B

280

S355

50

STA1260B

60

S235

100

STA16300B

300

S355

50

STA1270B

70

S235

100

STA16320B

320

S355

50

STA1280B

80

S235

100

STA16340B

340

S355

50

STA1290B

90

S235

100

STA16360B

360

S355

50

STA12100B

100

S235

100

STA16380B

380

S355

50

STA12110B

110

S235

100

STA16400B

400

S355

50

STA12120B

120

S235

100

STA16420B

420

S355

50

STA12130B

130

S235

100

STA16500B

500

S355

50

STA12140B

140

S235

100

STA161000B

1000

S355

1

STA12150B

150

S235

100

STA20120B

120

S355

25

STA12160B

160

S235

100

STA20140B

140

S355

25

STA12170B

170

S235

100

STA20160B

160

S355

25

STA12180B

180

S235

100

STA20180B

180

S355

25

STA12200B

200

S235

100

STA20190B

190

S355

25

STA12220B

220

S235

100

STA20200B

200

S355

25

STA12240B

240

S235

100

STA20220B

220

S355

25

STA12260B

260

S235

100

STA20240B

240

S355

25

STA12280B

280

S235

100

STA20260B

260

S355

25

STA12320B

320

S235

100

STA20300B

300

S355

25

STA12340B

340

S235

100

STA20320B

320

S355

25

STA121000B

1000

S235

1

STA20360B

360

S355

25

STA1680B

80

S355

50

STA16100B

100

S355

50

STA16110B

110

S355

50

STA16120B

120

S355

50

STA16130B

130

S355

50

STA16140B

140

S355

50

STA16150B

150

S355

50

STA16160B

160

S355

50

STA16170B

170

S355

50

STA16180B

180

S355

50

STA16190B

190

S355

50

Disponível, a pedido, em versão com aderência melhorada, com geometria anti-deslizante ou para utilização em zona sísmica (ex�: STAS16200)� Quantidade mínima 1000 peças�

16

16

20

20

STA20400B

400

S355

25

STA201000B

1000

S355

25

d1 L

MATERIAL E DURABILIDADE STA Ø8-Ø12: aço carbónico S235 com eletrogalvanização� STA Ø16-Ø20: aço carbónico S355 com eletrogalvanização� Utilização em classes de serviço 1 e 2 (EN 1995-1-1)�

CAMPOS DE EMPREGO • Ligações madeira-madeira • Ligações madeira-aço-madeira

56 | STA | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS

FORÇAS Fv

Fv


GEOMETRIA E CARACTERÍSTICAS MECÂNICAS

d1 L

Diâmetro nominal

d1

[mm]

8

12

16

20

Comprimento

L

[mm]

60 ÷ 140

60 ÷ 340

80 ÷ 500

120 ÷ 400

S235

S235

S355

S355

Material

fu,k,min

[N/mm2]

360

360

460

460

fy,k,min

[N/mm2]

235

235

355

355

[Nmm]

24100

69100

191000

340000

aço

Momento de cedência característico

My,k

Parâmetros mecânicos de acordo com a marcação CE conforme EN 14592�

DISTÂNCIAS MÍNIMAS PARA CONECTORES SOB TENSÃO AO CORTE(1)

Ângulo entre força e ibras α = 0° d1

Ângulo entre força e ibras α = 90°

[mm]

8

12

16

20

8

12

16

20

a1

[mm]

40

60

80

100

24

36

48

60

a2

[mm]

24

36

48

60

24

36

48

60

a3,t

[mm]

80

84

112

140

80

84

112

140

a3,c

[mm]

40

42

56

70

80

84

112

140

a4,t

[mm]

24

36

48

60

32

48

64

80

a4,c

[mm]

24

36

48

60

24

36

48

60

extremidade sob tensão -90° < α < 90°

a2 a2

extremidade sem tensão 90° < α < 270°

F α

α F

a1 a1

a3,t

borda sob tensão 0° < α < 180°

borda sem tensão 180° < α < 360°

α F α

a4,t

F a4,c

a3,c

NOTAS: (1)

As distâncias mínimas são conforme a norma EN 1995-1-1�

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | STA | 57


VALORES ESTÁTICOS MADEIRA-AÇO E ALUMÍNIO 1 CHAPA INTERNA - CORTE Rv,k

ta t

ta

B d1

L

B

ta

Rvk,0°

Rvk,30°

Rvk,45°

Rvk,60°

Rvk,90°

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[kN]

[kN]

[kN]

[kN]

[kN]

12

16

20

60

60

27

13,9

12,9

12,2

11,5

11,0

80

80

37

15,2

13,9

12,9

12,1

11,5

100

100

47

17,0

15,4

14,2

13,2

12,4

120

120

57

19,1

17,2

15,7

14,6

13,6

140

140

67

21,4

19,2

17,5

16,1

14,9

160

160

77

22,1

20,7

19,3

17,7

16,4

> 180

-

-

22,1

20,7

19,6

18,7

17,8

80

80

37

25,5

23,6

22,2

21,0

19,7

100

100

47

26,8

24,6

22,8

21,4

20,2

120

120

57

28,7

26,1

24,0

22,4

21,0

140

140

67

31,1

28,0

25,6

23,7

22,2

160

160

77

33,7

30,2

27,4

25,3

23,5

180

180

87

36,5

32,5

29,5

27,0

25,0

200

200

97

39,4

35,0

31,6

28,9

26,7

220

220

107

40,9

37,6

33,9

30,9

28,4

240

240

117

40,9

38,2

36,0

32,9

30,3

120

120

57

39,0

35,5

32,8

30,6

28,9

140

140

67

41,2

37,1

34,1

31,6

29,7

160

160

77

43,8

39,2

35,8

33,0

30,8

180

180

87

46,8

41,6

37,7

34,7

32,2

190

180

87

46,8

41,6

37,7

34,7

32,2

200

200

97

50,0

44,3

39,9

36,5

33,8

220

220

107

53,3

47,0

42,3

38,6

35,6

240

240

117

56,8

50,0

44,8

40,7

37,4

PRINCÍPIOS GERAIS: • Os valores característicos são conforme a norma EN 1995-1-1� • Os valores de projeto são obtidos a partir dos valores característicos, desta forma:

Rd =

Rk kmod γM

• Os coeicientes γ M e kmod devem ser considerados em função da norma vigente utilizada para o cálculo�

58 | STA | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS

• Os valores fornecidos são calculados com chapa de 5 mm de espessura e uma fresada na madeira com espessura de 6 mm e relativos a uma única cavilha STA� • Em fase de cálculo, considerou-se uma massa volúmica dos elementos de madeira equivalente a ρ k = 385 kg/m3 � • O dimensionamento e a veriicação dos elementos de madeira e da chapa metálica devem ser feitos à parte�


COEFICIENTE CORRETIVO kF PARA DIFERENTES MASSAS VOLÚMICAS ρk Classe de resistência ρk

C24

[kg/m3]

kF

GL22h

C30

GL24h

C40 / GL32c

GL28h

D24

D30

350

370

380

385

400

425

485

530

0,91

0,96

0,99

1,00

1,02

1,05

1,12

1,17

Para diferentes massas volúmicas ρk, a resistência de projeto do lado da madeira é calculada como: R ' V,d = R V,d · kF�

NÚMERO EFICAZ DE CAVILHAS nef PARA α = 0º a1 [mm]

nef

n.º STA

5∙d

7∙d

10∙d

12∙d

16∙d

18∙d

20∙d

2

1,47

1,60

1,75

1,83

1,97

2,00

2,00

3

2,12

2,30

2,52

2,63

2,83

2,92

2,99

4

2,74

2,98

3,26

3,41

3,67

3,78

3,88

5

3,35

3,65

3,99

4,17

4,48

4,62

4,74

6

3,95

4,30

4,70

4,92

5,28

5,44

5,59

7

4,54

4,94

5,40

5,65

6,07

6,25

6,42

Em caso de várias cavilhas dispostos paralelamente às ibras, deve-se levar em conta o número eicaz R’v,d = Rv,d · nef� d = diâmetro nominal cavilha

STAS - CAVILHA COM ADERÊNCIA MELHORADA PARA CARGAS SÍSMICAS

d1 L

A cavilha serrilhada, disponível mediante pedido, antecipa a exigência regulamentar da nova EN 14592 (“FINAL DRAFT FprEN 14592:2019”, 04/03/2019), garantindo uma resistência mínima à extração de 1 kN, necessária em zonas sísmicas� O serrilhamento também responde à disposição do EC8 para evitar que os elementos de haste cilíndrica saiam dos nós em zonas sísmicas�

STAS - VALORES DE EXTRAÇÃO

Resistência à extração [kN]

6 5 4 3 2 1 0 1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

Número do ensaio 14592 minimum

M12

M16

M20

As “cavilhas serrilhadas” são objeto de um modelo de utilidade�

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | STA | 59


LOCK T

TIMBER

ETA 19/0831

LIGADOR OCULTO DE ENGATE MADEIRA-MADEIRA PRÁTICO Fácil e rápido de instalar, pode ser ixado com um único tipo de parafuso� Ligação facilmente removível, ideal para a realização de estruturas temporárias�

ESTRUTURAS FINAS Também pode ser utilizada oculta com elementos de madeira de secção reduzida� Ideal para estruturas, gazebos e mobiliário�

VERSÁTIL Garante uma excelente tolerância de montagem� Pode ser integrada com chapas de bloqueio lateral e parafuso anti-deslizante vertical�

LOCK T FLOOR

CARATERÍSTICAS FOCUS

ligações removíveis

SECÇÕES DE MADEIRA

de 35 x 80 mm a 200 x 440 mm

VÍDEO

RESISTÊNCIA

Rv,k até 65 kN

Digitalize o QR Code e assista ao vídeo no nosso canal YouTube

FIXAÇÕES

LBS

MATERIAL Chapa furada tridimensional em liga de alumínio�

CAMPOS DE APLICAÇÃO Ligações de corte madeira-madeira • madeira maciça e lamelar • CLT, LVL

60 | LOCK T | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS


ESTÉTICA Ligação completamente oculta, satisfaz os requisitos de resistência ao fogo� Graças à montagem com apenas um tipo de parafuso, a instalação é rápida e fácil�

LAJES EM CLT A versão com haste foi concebida especiicamente para a ixação de lajes em painéis CLT� Ligação inovadora com valores de resistência excecionais�

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | LOCK T | 61


CÓDIGOS E DIMENSÕES LOCK T Ø5

H

B

s

s

B

LOCKT1880

LOCKT3580

CÓDIGO

s

B

H

s

[mm]

[mm]

[mm]

s

B

LOCKT35100

B

H

H

H

H

B

LOCKT35120

s

LOCKT53120

nscrews - Ø

nLOCKSTOP - tipo

pçs *

LOCKT1880

17,5

80

20

4-Ø5

1 LOCKSTOP5U

50

LOCKT3580

35

80

20

8-Ø5

2 LOCKSTOP5

50

LOCKT35100

35

100

20

12-Ø5

2 LOCKSTOP5

50

LOCKT35120

35

120

20

16-Ø5

4 LOCKSTOP5

25

LOCKT53120

52,5

120

20

24-Ø5

4 LOCKSTOP5

25

Parafusos e LOCK STOP não incluídos na embalagem� * número de pares de conectores

LOCK STOP Ø5 CÓDIGO

LOCKSTOP5U

B

H

s

[mm]

[mm]

[mm]

21,5

27,5

13

50

19

27,5

13

100

LOCKSTOP5

B

pçs

LOCKSTOP5

LBS CÓDIGO

d1

L

b

[mm]

[mm]

[mm]

LBS550

5

50

46

TX20

200

LBS570

5

70

66

TX20

200

MATERIAL E DURABILIDADE LOCK T: liga de alumínio EN AW-6005A� Utilização em classes de serviço 1 e 2 (EN 1995-1-1)�

CAMPOS DE EMPREGO • Ligações madeira-madeira entre elementos estruturais de madeira maciça, lamelar, LVL e CLT

62 | LOCK T | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS

TX

S

H

H

LOCKSTOP5U

LOCKSTOP5U para utilização com LOCKT1880� LOCKSTOP5 para utilização com outros modelos� A utilização LOCK STOP é facultativa e não afeta o desempenho estrutural�

B

S

pçs d1 L

FORÇAS Fv


CÓDIGOS E DIMENSÕES LOCK T Ø7

H

H

H

H

H

B

s

LOCKT50135

B

s

B

LOCKT50175

CÓDIGO

B

s

LOCKT75175

LOCKT75215

s

LOCKT100215 nLOCKSTOP - tipo

pçs*

12-Ø7

2 LOCKSTOP7

25

16-Ø7

4 LOCKSTOP7

18

24-Ø7

4 LOCKSTOP7

12

36-Ø7

4 LOCKSTOP7

12

4 LOCKSTOP7

8

B

H

s

[mm]

[mm]

[mm]

LOCKT50135

50

135

22

LOCKT50175

50

175

22

LOCKT75175

75

175

22

LOCKT75215

75

215

22

100

215

22

48-Ø7

LOCKT100215

B

s

nscrews - Ø

Parafusos e LOCK STOP não incluídos na embalagem� * número de pares de conectores

LOCK T FLOOR Ø7

H

B s CÓDIGO

LOCKTFLOOR135

B

H

s

[mm]

[mm]

[mm]

1200

135

22

nscrews - Ø

pçs*

64-Ø7

1

Parafusos não incluídos na embalagem� * número de pares de conectores

LOCK STOP Ø7

B

CÓDIGO

LOCKSTOP7

B

H

s

[mm]

[mm]

[mm]

26,5

38

15

S

pçs

50

H

A utilização LOCK STOP é facultativa e não afeta o desempenho estrutural�

LBS CÓDIGO

LBS780

d1

L

b

[mm]

[mm]

[mm]

7

80

75

TX

pçs d1

TX30

100

L

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | LOCK T | 63


GEOMETRIA | LOCK T Ø5

elemento principal

viga secundária

H

B

B

s

CONECTOR SIMPLES CONECTOR LOCK T

tipo

ELEMENTO PRINCIPAL

PARAFUSOS

VIGA SECUNDÁRIA

LBS

coluna

viga

BxHxs

nH+nj - ØxL

BS,min x HS,min

BH,min x HH,min

bJ,min x hj,min

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

com pré-furo

sem pré-furo

2+2 - Ø5x50

35 x 50

50 x 95

2+2 - Ø5x70

35 x 70

70 x 95

4+4 - Ø5x50

53 x 50

50 x 95

4+4 - Ø5x70

53 x 70

70 x 95

6+6 - Ø5x50

53 x 50

50 x 115

6+6 - Ø5x70

53 x 70

70 x 115

8+8 - Ø5x50

53 x 50

50 x 135

8+8 - Ø5x70

53 x 70

70 x 135

12+12 - Ø5x50

70 x 50

50 x 135

12+12 - Ø5x70

70 x 70

70 x 135

LOCKT1880

17,5 x 80 x 20

LOCKT3580

35 x 80 x 20

LOCKT35100

35 x 100 x 20

LOCKT35120

35 x 120 x 20

LOCKT53120

52,5 x 120 x 20

com pré-furo

sem pré-furo

35 x 80

43 x 80

53 x 80

61 x 80

53 x 100

61 x 100

53 x 120

61 x 120

70 x 120

78 x 120

CONETORES ACOPLADOS CONECTOR LOCK T

tipo

ELEMENTO PRINCIPAL

PARAFUSOS

VIGA SECUNDÁRIA

LBS

coluna

viga

BxHxs

nH+nj - ØxL

BS,min x HS,min

BH,min x HH,min

bJ,min x hj,min

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

com pré-furo

sem pré-furo

12+12 - Ø5x50

88 x 50

50 x 115

12+12 - Ø5x70

88 x 70

70 x 115

16+16 - Ø5x50

88 x 50

50 x 135

16+16 - Ø5x70

88 x 70

70 x 135

20+20 - Ø5x50

105 x 50

50 x 135

20+20 - Ø5x70

105 x 70

70 x 135

LOCKT 35100 + 35100

70 x 100 x 20

LOCKT 35120 +35120

70 x 120 x 20

LOCKT 35120 + 53120

87,5 x 120 x 20

64 | LOCK T | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS

com pré-furo

sem pré-furo

88 x 100

96 x 100

88 x 120

96 x 120

105 x 120

113 x 120


INSTALAÇÃO NA VIGA | LOCK T Ø5 VIGA PRINCIPAL

VIGA SECUNDÁRIA

B

BF ≥B nj HH

HF ≥H

HH

hj

hj nH

bj

BH

SF = 20 mm

A dimensão HF refere-se à altura mínima da fresagem com largura constante� A parte arredondada deve ser tida em conta na fase da fresagem�

INSTALAÇÃO NA COLUNA | LOCK T Ø5 COLUNA

VIGA

B c nj hj

hj nH bj BS

HS

SF = 20 mm

POSICIONAMENTO DO CONECTOR | LOCK T Ø5 conector

cmin [mm]

LOCKT1880

7,5

LOCKT3580

7,5

LOCKT35100

5,0

LOCKT35120

2,5

LOCKT53120

2,5

Para a instalação no pilar, o respeito pela distância mínima do parafuso da extremidade sem tensão do pilar, requer baixar o conector uma quantidade c, em relação à extremidade do pilar� Isto pode ser conseguido levantando o pilar em relação ao extradorso da viga (como mostrado na imagem) ou baixando o conector em relação ao extradorso da viga uma quantidade c�

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | LOCK T | 65


GEOMETRIA | LOCK T Ø7 elemento principal

viga secundária

H

B

s

B

CONECTOR SIMPLES CONECTOR LOCK T

tipo

ELEMENTO PRINCIPAL

PARAFUSOS

VIGA SECUNDÁRIA

LBS

coluna

viga

BxHxs

nH+nj - ØxL

BS,min x HS,min

BH,min x HH,min

bJ,min x hj,min

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

com pré-furo

sem pré-furo

com pré-furo

sem pré-furo

LOCKT50135

50 x 135 x 22

6+6 - Ø7x80

74 x 80

80 x 155

74 x 135

80 x 140 (1)

LOCKT50175

50 x 175 x 22

8+8 - Ø7x80

74 x 80

80 x 190

74 x 175

80 x 175

LOCKT75175

75 x 175 x 22

12+12 - Ø7x80

99 x 80

80 x 190

99 x 175

105 x 175

LOCKT75215

75 x 215 x 22

18+18 - Ø7x80

99 x 80

80 x 230

99 x 175

105 x 215

100 x 215 x 22

24+24 - Ø7x80

124 x 80

80 x 230

124 x 215

130 x 215

LOCKT100215

CONETORES ACOPLADOS CONECTOR LOCK T

tipo

ELEMENTO PRINCIPAL

PARAFUSOS

VIGA SECUNDÁRIA

LBS

coluna

viga

BxHxs

nH+nj - ØxL

BS,min x HS,min

BH,min x HH,min

bJ,min x hj,min

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

com pré-furo

sem pré-furo

com pré-furo

sem pré-furo

124 x 80

80 x 155

124 x 135

130 x 140 (1)

LOCKT 50135 + 50135

100 x 135 x 22

12+12 - Ø7x80

LOCKT 50175 + 50175

100 x 175 x 22

16+16 - Ø7x80

124 x 80

80 x 190

124 x 175

130 x 175

LOCKT 50175 + 75175

125 x 175 x 22

20+20 - Ø7x80

149 x 80

80 x 190

149 x 175

155 x 175

LOCKT 75215 + 75215

150 x 215 x 22

36+36 - Ø7x80

174 x 80

80 x 230

174 x 215

180 x 215

LOCKT 75215 + 100215

175 x 215 x 22

42+42 - Ø7x80

199 x 80

80 x 230

199 x 215

205 x 215

NOTAS: (1)

Em caso de instalação sem pré-furo, o conector LOCKT50135 deve ser colocado 5 mm abaixo do io superior da viga secundária, de modo a respeitar as distâncias mínimas dos parafusos�

66 | LOCK T | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS


INSTALAÇÃO NA VIGA | LOCK T Ø7 VIGA PRINCIPAL

VIGA SECUNDÁRIA

B

BF ≥B nj

HH

HF ≥H

hj

HH

hj

nH

bj BH

SF = 22 mm

A dimensão HF refere-se à altura mínima da fresagem com largura constante� A parte arredondada deve ser tida em conta na fase da fresagem�

INSTALAÇÃO NA COLUNA | LOCK T Ø7 COLUNA

VIGA

B c nj hj

hj

nH

bj BS

HS

SF = 22 mm

POSICIONAMENTO DO CONECTOR | LOCK T Ø7 conector

cmin [mm]

LOCKT50135

15

LOCKT50175

5

LOCKT75175

5

LOCKT75215

15

LOCKT100215

15

Para a instalação no pilar, o respeito pela distância mínima do parafuso da extremidade sem tensão do pilar, requer baixar o conector uma quantidade c, em relação à extremidade do pilar� Isto pode ser conseguido levantando o pilar em relação ao extradorso da viga (como mostrado na imagem) ou baixando o conector em relação ao extradorso da viga uma quantidade c�

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | LOCK T | 67


GEOMETRIA | LOCK T FLOOR PAREDE

LAJE

H

B

s

CONECTOR LOCK T FLOOR

B

PARAFUSOS

PAREDE

LAJE

nH+nj - ØxL

BW,min

hp,min

[mm]

[mm]

80

135(3)

LBS n.° módulos(2)

BxHxs [mm]

[mm]

LOCKTFLOOR135

1

300x135x22

8+8 - Ø7x80

tipo

LOCKTFLOOR135

2

600x135x22

16+16 - Ø7x80

LOCKTFLOOR135

3

900x135x22

24+24 - Ø7x80

LOCKTFLOOR135

4

1200x135x22

32+32 - Ø7x80

INSTALAÇÃO OCULTA | LOCK T FLOOR PAREDE

LAJE

≥ 15 mm

≥ 15 mm

HF ≥ 145 mm

≥ 10 mm (3)

nH

BW

≥ 10 mm

nj

hP

SF = 22 mm

INSTALAÇÃO VISÍVEL | LOCK T FLOOR PAREDE

LAJE

≥ 15 mm

≥ 15 mm

nH

nj

BW

hP

SF = 22 mm

NOTAS: (2)

O conector de 1200 mm de comprimento pode ser cortado em módulos de 300 mm de largura�

68 | LOCK T | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS

(3)

Em caso de instalação com a laje alinhada com o io superior da parede, o conector deve ser colocado a 10 mm do bordo superior da laje CLT� Isto permite respeitar a distância mínima entre os parafusos na parede e a extremidade superior do painel� Neste caso, a espessura mínima da laje h P é de 145 mm�


INSTALAÇÃO INSTALAÇÃO VISÍVEL COM LOCK STOP 1

2

3

4

Colocar o conector no elemento principal e ixar os primeiros parafusos� Se for utilizado o LOCK STOP (opcional), colocar o LOCK STOP e ixar os restantes parafusos�

6

5

Colocar o conector na viga secundária e ixar os primeiros parafusos� Se for utilizado o LOCK STOP (opcional), colocar o LOCK STOP e ixar os restantes parafusos�

7

Enganchar a viga secundária, inserindo-a de cima para baixo�

É possível inserir parafusos anti-deslizantes sem função estrutural, fazendo um furo de Ø5 inclinado a 45° na parte superior do conector� Deve ser inserido um parafuso de Ø5 no furo�

INSTALAÇÃO NÃO APARENTE 1

2

Efetuar a fresagem no elemento principal� Colocar o conector no elemento principal e ixar todos os parafusos�

5

3

4

Colocar o conector na viga secundária e ixar todos os parafusos�

6

Enganchar a viga secundária, inserindo-a de cima para baixo�

É possível inserir parafusos anti-deslizantes sem função estrutural, fazendo um ou mais furos de Ø5 inclinados a 45° na parte superior do conector� Deve ser inserido um parafuso de Ø5 nos furos�

INSTALAÇÃO SEMIOCULTA 2

1

Colocar o conector no elemento principal e ixar todos os parafusos�

3

Efetuar a fresagem total na viga secundária� Colocar o conector e ixar todos os parafusos�

5

4

6

Enganchar a viga secundária, inserindo-a de cima para baixo�

É possível inserir parafusos anti-deslizantes sem função estrutural, fazendo um ou mais furos de Ø5 inclinados a 45° na parte superior do conector� Deve ser inserido um parafuso de Ø5 nos furos�

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | LOCK T | 69


PARAFUSOS INCLINADOS OPCIONAIS Os furos inclinados a 45° devem ser feitos no estaleiro com um berbequim e uma broca para ferro com um diâmetro de 5 mm� A imagem mostra as posições para os furos inclinados opcionais�

35

52,5

17,5

20 15

20 17,5 15

LOCKT1880

LOCKT3580 LOCKT35100 LOCKT35120

50

75

30

20

30

LOCKT50135 LOCKT50175

25

LOCKT53120

100 20

30

LOCKT75175 LOCKT75215

25

25

LOCKT100215 parafuso opcional Ø5 mm

tipo

parafusos opcionais Ø5 L máx. [mm]

45°

L

m

ax

LOCKT1880 LOCKT3580 LOCKT35100 LOCKT35120 LOCKT53120 LOCKT50135 LOCKT50175 LOCKT75175 LOCKT75215 LOCKT100215

50

80

INSTALAÇÃO LOCK T FLOOR EM CLT

1

Colocar o conector na parede e ixar todos os parafusos�

2

Colocar o conector na laje e ixar todos os parafusos�

70 | LOCK T | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS

3

Enganchar a laje, inserindo-a de cima para baixo�

20


VALORES ESTÁTICOS LOCK T Ø5 CONECTOR LOCK T

MADEIRA

ALUMÍNIO

parafusos LBS tipo

BxHxs

nH+nj - ØxL

Rv,timber,k

Rv,alu,k

[mm]

[mm]

[kN]

[kN]

C24(4) LOCKT1880

17,5 x 80 x 20

LOCKT3580

35 x 80 x 20

LOCKT35100

35 x 100 x 20

LOCKT35120

35 x 120 x 20

LOCKT53120

52,5 x 120 x 20

LOCKT 35100 + 35100

70 x 100 x 20

LOCKT 35120 +35120

70 x 120 x 20

LOCKT 35120 + 53120

87,5 x 120 x 20

GL24h(5)

LVL(6)

2+2 - Ø5x50

2,33

2,54

2,58

2+2 - Ø5x70

2,86

3,00

2,99

4+4 - Ø5x50

4,65

5,07

5,17

4+4 - Ø5x70

5,72

6,00

5,97

6+6 - Ø5x50

6,98

7,61

7,75

6+6 - Ø5x70

8,57

8,99

8,96

8+8 - Ø5x50

9,31

10,15

10,33

8+8 - Ø5x70

11,43

11,99

11,94

12+12 - Ø5x50

13,96

15,22

15,50

12+12 - Ø5x70

17,15

17,99

17,92

12+12 - Ø5x50

13,96

15,22

15,50

12+12 - Ø5x70

17,15

17,99

17,92

16+16 - Ø5x50

18,61

20,30

20,66

16+16 - Ø5x70

22,87

23,98

23,89

20+20 - Ø5x50

23,27

25,37

25,83

20+20 - Ø5x70

28,58

29,98

29,86

10,0 20,0 20,0 20,0 30,0

40,0 40,0 50,0

LOCK T Ø7 CONECTOR LOCK T

MADEIRA

ALUMÍNIO

parafusos LBS tipo

BxHxs

nH+nj - ØxL

Rv,timber,k

Rv,alu,k

[mm]

[mm]

[kN]

[kN]

C24(4)

GL24h(5)

LVL(6)

LOCKT50135

50 x 135 x 22

6+6 - Ø7x80

15,38

16,36

15,90

30,0

LOCKT50175

50 x 175 x 22

8+8 - Ø7x80

20,50

21,81

21,20

40,0

LOCKT75175

75 x 175 x 22

12+12 - Ø7x80

30,75

32,72

31,80

60,0

LOCKT75215

75 x 215 x 22

18+18 - Ø7x80

46,13

49,08

47,70

60,0

LOCKT100215

100 x 215 x 22

24+24 - Ø7x80

61,51

65,43

63,60

80,0

LOCKT 50135 + 50135

100 x 135 x 22

12+12 - Ø7x80

30,75

32,72

31,80

60,0

LOCKT 50175 + 50175

100 x 175 x 22

16+16 - Ø7x80

41,01

43,62

42,40

80,0

LOCKT 50175 + 75175

125 x 175 x 22

20+20 - Ø7x80

51,26

54,53

53,00

100,0

LOCKT 75215 + 75215

150 x 215 x 22

36+36 - Ø7x80

92,26

98,15

95,40

120,0

LOCKT 75215 + 100215

175 x 215 x 22

42+42 - Ø7x80

107,64

114,51

111,30

140,0

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | LOCK T | 71


VALORES ESTÁTICOS LOCK T FLOOR PARA CLT CONECTOR LOCK T FLOOR

MADEIRA

ALUMÍNIO

parafusos LBS tipo

BxHxs

nH+nj - ØxL

Rv,timber,k

Rv,alu,k

[mm]

[mm]

[kN]

[kN]

CLT(7) LOCKTFLOOR135

300 x 135 x 22

8+8 - Ø7x80

20,40

240,0

LOCKTFLOOR135

600 x 135 x 22

16+16 - Ø7x80

40,79

480,0

LOCKTFLOOR135

900 x 135 x 22

24+24 - Ø7x80

61,19

720,0

LOCKTFLOOR135

1200 x 135 x 22

32+32 - Ø7x80

81,59

960,0

RIGIDEZ DA LIGAÇÃO O módulo de deslizamento pode ser calculado de acordo com a ETA-19/0831, com a seguinte expressão:

Kv,ser =

n ρm1,5 d 0,8 kN mm 30

onde: • d é o diâmetro da rosca dos parafusos na viga secundária, em mm; • pm é a densidade média da viga secundária, in kg/m3; • n é número de parafusos na viga secundária�

NOTAS:

PRINCÍPIOS GERAIS:

(4)

• Os valores de projeto são obtidos a partir dos valores característicos, desta forma:

(5)

Valores calculados de acordo com a ETA-19/0831, ETA-11/0030 e EN 19951-1 para parafusos sem pré-furo� O valor da resistência pode ser considerado válido, em termos de segurança, mesmo na presença de pré-furos� No cálculo foi considerado ρ k=350 kg/m3 � Valores calculados de acordo com a ETA-19/0831, ETA-11/0030 e EN 19951-1 para parafusos sem pré-furo� O valor da resistência pode ser considerado válido, em termos de segurança, mesmo na presença de pré-furos� No cálculo foi considerado ρ k=385 kg/m3 �

(6)

Valores calculados de acordo com a ETA-19/0831, ETA-11/0030 e EN 19951-1 para parafusos com pré-furo� No cálculo foi considerado ρ k=480 kg/m3 �

(7)

Valores calculados de acordo com a ETA-19/0831, ETA-11/0030 e EN 19951-1 para parafusos sem pré-furo� O valor da resistência pode ser considerado válido, em termos de segurança, mesmo na presença de pré-furos� No cálculo foi considerado ρ k=350 kg/m3 �

• O coeiciente γ M2 é o coeiciente parcial para secções de alumínio sujeitas a tração, a considerar em função das normas em vigor utilizadas para o cálculo� Na ausência de outras disposições, recomenda-se a utilização do valor previsto na EN 1999-1-1, de γ M2=1,25� • O coeiciente γ M é o coeiciente de segurança pertinente no lado das ligações de madeira, a considerar em função das normas em vigor utilizadas para o cálculo� • A resistência de projeto é obtida a partir dos valores característicos, desta forma:

Rv,d = min

Rv,timber,d = Rv,timber,k kmod γM Rv,alu,k Rv,alu,d = γM2

• A dimensão e a veriicação dos elementos de madeira devem ser feitas à parte� Em particular, para cargas perpendiculares ao eixo da viga, é recomendável realizar uma veriicação do splitting em ambos os elementos de madeira� • Se forem utilizados conectores acoplados, deve ser prestada especial atenção ao alinhamento durante a colocação, para evitar tensões diferentes nos dois conectores� • Devem ser utilizados parafusos com o mesmo comprimento em todos os furos, separadamente para cada lado do conector� É possível utilizar parafusos de diferentes comprimentos nos dois conectores, no lado do elemento principal e no ado da viga secundária� • O conector deve ser sempre totalmente ixado, utilizando todos os furos� • Para os parafusos na viga principal ou secundária, com densidade característica ρ k≤420 kg/m3 não é necessário pré-furo� Para a viga principal ou secundária com densidade característica ρ k>420 kg/m3 o pré-furo é obrigatório� • Para os parafusos na coluna, o pré-furo é sempre obrigatório� • Para o conector LOCKTFLOOR135 instalado nos painéis CLT, não é necessário pré-furo�

72 | LOCK T | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS


LOCK T EVO

TIMBER

ETA 19/0831

LIGADOR OCULTO DE ENGATE MADEIRA-MADEIRA PARA EXTERIOR ALUMÍNIO EVO Graças à pintura especial, pode ser utilizado no exterior na classe de serviço 3� Fácil e rápido de instalar, pode ser ixado com um único tipo de parafuso�

EXTERIOR Ligação facilmente removível, ideal para a realização de estruturas temporárias expostas às intempéries�

MADEIRAS AGRESSIVAS Ideal em aplicações com essências lenhosas contendo tanino ou tratadas com impregnantes e outros processos químicos�

CARATERÍSTICAS FOCUS

ligações removíveis para exterior

SECÇÕES DE MADEIRA

de 53 x 80 mm a 160 x 280 mm

VÍDEO

RESISTÊNCIA

Rv,k até 35 kN

Digitalize o QR Code e assista ao vídeo no nosso canal YouTube

FIXAÇÕES

HBS PLATE EVO, KKF AISI410

MATERIAL Liga de alumínio com pintura especial na cor preta graite�

CAMPOS DE APLICAÇÃO Ligações de corte madeira-madeira para exterior • madeira maciça e lamelar • CLT, LVL • madeiras agressivas (contendo tanino) • madeiras tratadas quimicamente

74 | LOCK T EVO | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS


CLASSE DE SERVIÇO 3 A liga de alumínio com pintura especial juntamente com os parafusos com revestimento C4 EVO ou com os parafusos de aço inoxidável martensítico permitem utilizar a ligação na classe de serviço 3�

OAK FRAME Ideal para a ixação de madeiras agressivas que contenham taninos, como o castanho e o carvalho� Montagem com parafusos para o exterior KKF AISI410�

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | LOCK T EVO | 75


CÓDIGOS E DIMENSÕES LOCK T EVO Ø5 CÓDIGO

B

H

s

nscrews - Ø

[mm]

[mm]

[mm]

nLOCKSTOP - tipo

pçs *

LOCKTEVO3580

35

80

20

8 - Ø5

2 LOCKSTOP5

50

LOCKTEVO35120

35

120

20

16 - Ø5

4 LOCKSTOP5

25

Parafusos e LOCK STOP não incluídos na embalagem� * número de pares de conectores

H

H

s

B

B

LOCKTEVO3580

LOCKTEVO35120

LOCK STOP Ø5 CÓDIGO

B

H

s

[mm]

[mm]

[mm]

19

27,5

13

LOCKSTOP5

B

pçs

100

S

H

A utilização LOCK STOP é facultativa e não afeta o desempenho estrutural�

HBS PLATE EVO CÓDIGO

d1

L

b

TX

[mm]

[mm]

[mm]

HBSPEVO550

5

50

30

TX25

200

HBSPEVO570

5

70

40

TX25

100

pçs

d1

L

b

TX

pçs

[mm]

[mm]

[mm]

KKF550

5

50

30

TX25

200

KKF570

5

70

40

TX25

100

d1 L

KKF AISI410 CÓDIGO

MATERIAL E DURABILIDADE

d1 L

FORÇAS

LOCK T EVO : liga de alumínio EN AW-6005A pintado� Utilização em classes de serviço 1, 2 e 3 (EN 1995-1-1)� Fv

CAMPOS DE EMPREGO • Ligações madeira-madeira entre elementos estruturais de madeira maciça, lamelar, LVL e CLT

76 | LOCK T EVO | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS

s


CÓDIGOS E DIMENSÕES LOCK T EVO Ø6 CÓDIGO

nscrews - Ø

nLOCKSTOP - tipo

pçs*

22

16 - Ø6

4 LOCKSTOP 7

18

22

36 - Ø6

4 LOCKSTOP 7

12

B

H

s

[mm]

[mm]

[mm]

LOCKTEVO50175

50

175

LOCKTEVO75215

75

215

H

H

Parafusos e LOCK STOP não incluídos na embalagem� * número de pares de conectores B

s

B

LOCKTEVO50175

LOCK STOP Ø6

B

CÓDIGO

LOCKSTOP7

B

H

s

pçs

[mm]

[mm]

[mm]

26,5

38

15

50

s

LOCKTEVO75215

S

H

A utilização LOCK STOP é facultativa e não afeta o desempenho estrutural�

HBS PLATE EVO CÓDIGO

HBSPEVO680

d1

L

b

TX

pçs

[mm]

[mm]

[mm]

6

80

50

TX30

100

d1

L

b

TX

pçs

[mm]

[mm]

[mm]

6

80

50

d1 L

KKF AISI410 CÓDIGO

KKF680

d1 TX30

100

L

PÉRGULAS E GAZEBOS Ideal para a realização de estruturas de madeira instaladas no exterior e na classe de serviço 3� Possibilidade de desinstalar a ligação para satisfazer eventuais necessidades sazonais�

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | LOCK T EVO | 77


GEOMETRIA | LOCK T EVO Ø5

elemento principal

viga secundária

H

B

s

B

CONECTOR SIMPLES CONECTOR LOCK T EVO

tipo

ELEMENTO PRINCIPAL

PARAFUSOS

VIGA SECUNDÁRIA

HBS PLATE EVO KKF AISI410

coluna

viga

BxHxs

nH+nj - ØxL

BS,min x HS,min

BH,min x HH,min

bJ,min x hj,min

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

com pré-furo

sem pré-furo

4+4 - Ø5x50

53 x 50

50 x 95

4+4 - Ø5x70

53 x 70

70 x 95

8+8 - Ø5x50

53 x 50

50 x 135

8+8 - Ø5x70

53 x 70

70 x 135

LOCKTEVO3580

35 x 80 x 20

LOCKTEVO35120

35 x 120 x 20

com pré-furo

sem pré-furo

53 x 80

61 x 80

53 x 120

61 x 120

CONETORES ACOPLADOS CONECTOR LOCK T EVO

tipo

LOCKTEVO 35120 + 35120

ELEMENTO PRINCIPAL

PARAFUSOS

VIGA SECUNDÁRIA

HBS PLATE EVO KKF AISI410

coluna

viga

BxHxs

nH+nj - ØxL

BS,min x HS,min

BH,min x HH,min

bJ,min x hj,min

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

com pré-furo

sem pré-furo

16+16 - Ø5x50

88 x 50

50 x 135

16+16 - Ø5x70

88 x 70

70 x 135

70 x 120 x 20

78 | LOCK T EVO | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS

com pré-furo

sem pré-furo

88 x 120

96 x 120


INSTALAÇÃO NA VIGA | LOCK T EVO Ø5 VIGA PRINCIPAL

VIGA SECUNDÁRIA

BF ≥B

B nj

HF ≥H

hj

hj

HH

HH

nH

bj BH

SF = 20 mm

A dimensão HF refere-se à altura mínima da fresagem com largura constante� A parte arredondada deve ser tida em conta na fase da fresagem�

INSTALAÇÃO NA COLUNA | LOCK T EVO Ø5 COLUNA

VIGA

B c nj hj

hj nH bj BS

HS

SF = 20 mm

POSICIONAMENTO DO CONECTOR | LOCK T EVO Ø5 conector

cmin [mm]

LOCKTEVO3580

7,5

LOCKTEVO35120

2,5

Para a instalação no pilar, o respeito pela distância mínima do parafuso da extremidade sem tensão do pilar, requer baixar o conector uma quantidade c, em relação à extremidade do pilar� Isto pode ser conseguido levantando o pilar em relação ao extradorso da viga (como mostrado na imagem) ou baixando o conector em relação ao extradorso da viga uma quantidade c�

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | LOCK T EVO | 79


GEOMETRIA | LOCK T EVO Ø6

elemento principal

viga secundária

H

B

s

B

CONECTOR SIMPLES CONECTOR LOCK T EVO

tipo

ELEMENTO PRINCIPAL

PARAFUSOS

VIGA SECUNDÁRIA

HBS PLATE EVO KKF AISI410

coluna

viga

BxHxs

nH+nj - ØxL

BS,min x HS,min

BH,min x HH,min

bJ,min x hj,min

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

com pré-furo

sem pré-furo

com pré-furo

sem pré-furo

LOCKTEVO50175

50 x 175 x 22

8+8 - Ø6x80

68 x 80

80 x 180

68 x 175

80 x 175

LOCKTEVO75215

75 x 215 x 22

18+18 - Ø6x80

93 x 80

80 x 220

93 x 215

105 x 215

CONETORES ACOPLADOS CONECTOR LOCK T EVO

tipo

ELEMENTO PRINCIPAL

PARAFUSOS

VIGA SECUNDÁRIA

HBS PLATE EVO KKF AISI410

coluna

viga

BxHxs

nH+nj - ØxL

BS,min x HS,min

BH,min x HH,min

bJ,min x hj,min

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

com pré-furo

sem pré-furo

com pré-furo

sem pré-furo

LOCKTEVO 50175 + 50175

100 x 175 x 22

16+16 - Ø6x80

118 x 80

80 x 180

118 x 175

130 x 175

LOCKTEVO 75215 + 75215

150 x 215 x 22 36+36 - Ø6x80

168 x 80

80 x 220

168 x 215

180 x 215

80 | LOCK T EVO | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS


INSTALAÇÃO NA VIGA | LOCK T EVO Ø6 VIGA PRINCIPAL

VIGA SECUNDÁRIA

BF ≥B

B

nj HF ≥H

hj

hj

HH

HH

nH

BH

bj

SF = 22 mm

A dimensão HF refere-se à altura mínima da fresagem com largura constante� A parte arredondada deve ser tida em conta na fase da fresagem�

INSTALAÇÃO NA COLUNA | LOCK T EVO Ø6 COLUNA

VIGA

B c nj hj

j

hj

nH bj BS

HS

SF = 22 mm

POSICIONAMENTO DO CONECTOR | LOCK T EVO Ø6 conector

cmin [mm]

LOCKTEVO50175

5

LOCKTEVO75215

15

Para a instalação no pilar, o respeito pela distância mínima do parafuso da extremidade sem tensão do pilar, requer baixar o conector uma quantidade c, em relação à extremidade do pilar� Isto pode ser conseguido levantando o pilar em relação ao extradorso da viga (como mostrado na imagem) ou baixando o conector em relação ao extradorso da viga uma quantidade c�

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | LOCK T EVO | 81


INSTALAÇÃO INSTALAÇÃO VISÍVEL COM LOCK STOP 1

2

3

4

Colocar o conector no elemento principal e ixar os primeiros parafusos� Se for utilizado o LOCK STOP (opcional), colocar o LOCK STOP e ixar os restantes parafusos�

5

Colocar o conector na viga secundária e ixar os primeiros parafusos� Se for utilizado o LOCK STOP (opcional), colocar o LOCK STOP e ixar os restantes parafusos�

Enganchar a viga secundária, inserindo-a de cima para baixo�

6

É possível inserir parafusos anti-deslizantes sem função estrutural, fazendo um furo de Ø5 inclinado a 45° na parte superior do conector� Deve ser inserido um parafuso de Ø5 no furo�

INSTALAÇÃO NÃO APARENTE 1

2

Efetuar a fresagem no elemento principal� Colocar o conector no elemento principal e ixar todos os parafusos�

3

4

Colocar o conector na viga secundária e ixar todos os parafusos�

Enganchar a viga secundária, inserindo-a de cima para baixo�

5

É possível inserir parafusos anti-deslizantes sem função estrutural, fazendo um ou mais furos de Ø5 inclinados a 45° na parte superior do conector� Deve ser inserido um parafuso de Ø5 nos furos�

INSTALAÇÃO SEMIOCULTA 2

1

Colocar o conector no elemento principal e ixar todos os parafusos�

3

Efetuar a fresagem total na viga secundária� Colocar o conector e ixar todos os parafusos�

4

Enganchar a viga secundária, inserindo-a de cima para baixo�

5

É possível inserir parafusos anti-deslizantes sem função estrutural, fazendo um ou mais furos de Ø5 inclinados a 45° na parte superior do conector� Deve ser inserido um parafuso de Ø5 nos furos�

NOTA: para a geometria dos furos no caso de parafusos inclinados opcionais, ver “PARAFUSOS INCLINADOS OPCIONAIS” na pág� 70

82 | LOCK T EVO | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS


VALORES ESTÁTICOS LOCK T EVO Ø5 CONECTOR LOCK T EVO

MADEIRA

ALUMÍNIO

parafusos HBS PLATE EVO KKF AISI410 tipo

BxHxs

nH+nj - ØxL

[mm]

[mm]

LOCKTEVO3580

35 x 80 x 20

LOCKTEVO35120

35 x 120 x 20

LOCKTEVO 35120 + 35120

70 x 120 x 20

Rv,timber,k

Rv,alu,k

[kN]

[kN]

C24(1)

C50 (2)

4+4 - Ø5x50

3,97

5,66

4+4 - Ø5x70

4,81

6,23

8+8 - Ø5x50

7,94

11,31

8+8 - Ø5x70

9,62

12,46

16+16 - Ø5x50

15,88

22,62

16+16 - Ø5x70

19,23

24,92

20,0 20,0

40,0

LOCK T EVO Ø6 CONECTOR LOCK T EVO

MADEIRA

ALUMÍNIO

parafusos HBS PLATE EVO KKF AISI410 tipo

BxHxs

nH+nj - ØxL

[mm]

[mm]

Rv,timber,k

Rv,alu,k

[kN] C24(1)

[kN] C50 (2)

LOCKTEVO50175

50 x 175 x 22

8+8 - Ø6x80

13,92

18,24

40,0

LOCKTEVO75215

75 x 215 x 22

18+18 - Ø6x80

31,31

41,04

60,0

LOCKTEVO 50175 + 50175

100 x 175 x 22

16+16 - Ø6x80

27,83

36,48

80,0

LOCKTEVO 75215 + 75215

150 x 215 x 22

36+36 - Ø6x80

62,62

82,07

120,0

RIGIDEZ DA LIGAÇÃO:

PRINCÍPIOS GERAIS:

• O módulo de deslizamento pode ser calculado de acordo com a ETA19/0831, com a seguinte expressão:

• Os valores de projeto são obtidos a partir dos valores característicos, desta forma:

n ρm1,5 d 0,8 kN Kv,ser = mm 30 onde: d é o diâmetro da rosca dos parafusos na viga secundária, em mm; p m é a densidade média da viga secundária, in kg/m3; n é número de parafusos na viga secundária�

NOTAS: (1)

Valores calculados de acordo com a ETA-19/0831, ETA-11/0030 e EN 19951-1 para parafusos sem pré-furo� O valor da resistência pode ser considerado válido, em termos de segurança, mesmo na presença de pré-furos� No cálculo foi considerado ρ k=350 kg/m3 �

(2)

Valores calculados de acordo com a ETA-19/0831, ETA-11/0030 e EN 19951-1 para parafusos com pré-furo� No cálculo foi considerado ρ k=430 kg/m3 �

• O coeiciente γ M2 é o coeiciente parcial para secções de alumínio sujeitas a tração, a considerar em função das normas em vigor utilizadas para o cálculo� Na ausência de outras disposições, recomenda-se a utilização do valor previsto na EN 1999-1-1, de γ M2=1,25� • O coeiciente γ M é o coeiciente de segurança pertinente no lado das ligações de madeira, a considerar em função das normas em vigor utilizadas para o cálculo� • A resistência de projeto é obtida a partir dos valores característicos, desta forma:

Rv,d = min

Rv,timber,d = Rv,timber,k kmod γM Rv,alu,k Rv,alu,d = γM2

• A dimensão e a veriicação dos elementos de madeira devem ser feitas à parte� Em particular, para cargas perpendiculares ao eixo da viga, é recomendável realizar uma veriicação do splitting em ambos os elementos de madeira� • Se forem utilizados conectores acoplados, deve ser prestada especial atenção ao alinhamento durante a colocação, para evitar tensões diferentes nos dois conectores� • Devem ser utilizados parafusos com o mesmo comprimento em todos os furos, separadamente para cada lado do conector� É possível utilizar parafusos de diferentes comprimentos nos dois conectores, no lado do elemento principal e no ado da viga secundária� • O conector deve ser sempre totalmente ixado, utilizando todos os furos� • Para os parafusos na viga principal ou secundária, com densidade característica ρk≤420 kg/m3 não é necessário pré-furo� Para a viga principal ou secundária com densidade característica ρk>420 kg/m3 o pré-furo é obrigatório� • Para os parafusos na coluna, o pré-furo é sempre obrigatório�

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | LOCK T EVO | 83


LOCK C

CONCRETE

ETA 19/0831

LIGADOR OCULTO DE ENGATE MADEIRA-BETÃO SIMPLES Instalação rápida em betão� Sistema de enganchamento fácil com ancorantes parafusáveis no lado do betão e parafusos auto-perfurantes no lado da madeira�

REMOVÍVEL Graças ao sistema de enganchamento, as vigas de madeira podem ser facilmente removidas para satisfazer eventuais necessidades sazonais�

OCULTO A ixação no betão ica oculta� Quando instalado sem fresagem, gera uma sombra de fuga esteticamente agradável�

LOCK C FLOOR

CARATERÍSTICAS FOCUS

ligações removíveis para betão

SECÇÕES DE MADEIRA

de 70 x 120 mm a 200 x 440 mm

VÍDEO

RESISTÊNCIA

Rv,k até 65 kN

Digitalize o QR Code e assista ao vídeo no nosso canal YouTube

FIXAÇÕES

LBS, SKS-E

MATERIAL Chapa furada tridimensional em liga de alumínio�

CAMPOS DE APLICAÇÃO Ligação de corte madeira-betão • madeira maciça e lamelar • CLT, LVL

84 | LOCK C | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS


RECUPERAÇÃO DE EDIFÍCIOS A versão com haste é especialmente concebida para a ixação de lajes CLT em vigas e lancis de betão ou elementos de alvenaria� Ideal para o restauro ou renovação de edifícios existentes�

MADEIRA-BETÃO Ideal para a realização de coberturas ou pérgulas perto de suportes de betão� Fixação oculta e fácil de instalar�

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | LOCK C | 85


CÓDIGOS E DIMENSÕES LOCK C Ø5 CÓDIGO

LOCKC53120

B

H

s

[mm]

[mm]

[mm]

52,5

120

20

nscrews - Ø

nanchors - Ø

nLOCKSTOP - tipo

pçs*

12 - Ø5

2 - Ø8

2 LOCKSTOP5

25

H

Parafusos, ancorantes e LOCK STOP não incluídos na embalagem� * número de pares de conectores (conector do lado da madeira + conector do lado do betão) B

s

LOCKC53120

LOCK STOP Ø5 B CÓDIGO

B

H

s

[mm]

[mm]

[mm]

19

27,5

13

LOCKSTOP5

pçs

100

S

H

A utilização LOCK STOP é facultativa e não afeta o desempenho estrutural�

LBS CÓDIGO

d1

L

b

TX

pçs

[mm]

[mm]

[mm]

LBS550

5

50

46

TX20

200

LBS570

5

70

66

TX20

200

TX

pçs

d1

L

SKS-E CÓDIGO

SKS75100CE

d1

L

d0

Tinst

[mm]

[mm]

[mm]

[Nm]

8

100

6

20

MATERIAL E DURABILIDADE

d1

TX30

50

L

FORÇAS

LOCK C: liga de alumínio EN AW-6005A� Utilização em classes de serviço 1 e 2 (EN 1995-1-1)� Fv

CAMPOS DE EMPREGO • Ligações madeira-betão e madeira-aço

86 | LOCK C | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS


CÓDIGOS E DIMENSÕES LOCK C Ø7 CÓDIGO

LOCKC75175 LOCKC100215

B

H

s

nscrews - Ø

[mm]

[mm]

[mm]

nanchors - Ø nLOCKSTOP - tipo

pçs*

75

175

22

12 - Ø7

2 - Ø10

2 LOCKSTOP7

12

100

215

22

24 - Ø7

4 - Ø10

2 LOCKSTOP7

8

H

H

Parafusos, ancorantes e LOCK STOP não incluídos na embalagem� * número de pares de conectores (conector do lado da madeira + conector do lado do betão) B

s

B

LOCKC75175

s

LOCKC100215

LOCK C FLOOR Ø7

H

B s CÓDIGO

LOCKCFLOOR135

B

H

s

[mm]

[mm]

[mm]

1200

135

22

nscrews - Ø

nanchors - Ø

pçs*

32 - Ø7

8 - Ø10

1

Parafusos e ancorantes não incluídos na embalagem� * número de pares de conectores (conector do lado da madeira + conector do lado do betão)

LOCK STOP Ø7

B

CÓDIGO

LOCKSTOP7

B

H

s

[mm]

[mm]

[mm]

26,5

38

15

S

pçs

50

H

A utilização LOCK STOP é facultativa e não afeta o desempenho estrutural�

LBS CÓDIGO

LBS780

d1

L

b

TX

[mm]

[mm]

[mm]

7

80

75

pçs d1

TX30

100

TX

pçs

L

SKS-E CÓDIGO

SKS10100CE

d1

L

d0

Tinst

[mm]

[mm]

[mm]

[Nm]

10

100

8

50

d1

TX40

50

L

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | LOCK C | 87


GEOMETRIA | LOCK C Ø5 lado betão

lado madeira

45

45

H

B

CONECTOR LOCK C

s

B

BETÃO

MADEIRA parafusos LBS

ancorantes SKS-E tipo

LOCKC53120

BxHxs

nC - ØxL

BC,min

nj - ØxL

bJ,min x hj,min

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

52,5 x 120 x 20

2 - Ø8x100

12 - Ø5x50

120

12 - Ø5x70

com pré-furo

sem pré-furo

70 x 120

78 x 120

INSTALAÇÃO| LOCK C Ø5 BETÃO

MADEIRA

B nj hj

nC

hj

bj BC

88 | LOCK C | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS

SF = 20 mm


GEOMETRIA | LOCK C Ø7 LOCKC75175

LOCKC100215

lado betão

lado madeira

lado betão

lado madeira

50

50

70

H

90

130 H

s

B

B

B

CONECTOR LOCK C

BETÃO

B

MADEIRA parafusos LBS

ancorantes SKS-E tipo

s

BxHxs

nC - ØxL

BC,min

nj - ØxL

bJ,min x hj,min

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm] com pré-furo

LOCKC75175 LOCKC100215

sem pré-furo

75 x 175 x 22

2 - Ø10x100

120

12 - Ø7x80

99 x 175

105 x 175

100 x 215 x 22

4 - Ø10x100

120

24 - Ø7x80

124 x 215

130 x 215

INSTALAÇÃO| LOCK C Ø7 BETÃO

MADEIRA

B

nj

hj

nC

BC

SF = 22 mm

hj

bj

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | LOCK C | 89


GEOMETRIA | LOCK C FLOOR EM CLT PAREDE

LAJE

H

s

B

CONECTOR LOCK T FLOOR

B

PAREDE

LAJE CLT

ancorantes SKS-E n.º módulos(1)

tipo

parafusos LBS

BxHxs

nC - ØxL

BC,min

nj - ØxL

hp,min

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

LOCKFLOOR135

1

300 x 135 x 22

2 - Ø10x100

120

8 - Ø7x80

135

LOCKFLOOR135

2

600 x 135 x 22

4 - Ø10x100

120

16 - Ø7x80

135

LOCKFLOOR135

3

900 x 135 x 22

6 - Ø10x100

120

24 - Ø7x80

135

LOCKFLOOR135

4

1200 x 135 x 22

8 - Ø10x100

120

32 - Ø7x80

135

INSTALAÇÃO | LOCK C 120 EM CLT PAREDE

LAJE

≥ 15 mm 70

nC nj

75

150

75

BC

SF = 20mm

NOTAS: (1)

O conector de 1200 mm de comprimento pode ser cortado em módulos de 300 mm de largura�

90 | LOCK C | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS

hP


INSTALAÇÃO INSTALAÇÃO VISÍVEL COM LOCK STOP 1

2

3

4

Colocar o conector no betão e ixar os ancorantes de acordo com as respetivas instruções de colocação�

5

Colocar o conector na viga de madeira e ixar os primeiros parafusos� Se for utilizado o LOCK STOP (opcional), colocar o LOCK STOP e ixar os restantes parafusos�

6

Enganchar a viga, inserindo-a de cima para baixo�

INSTALAÇÃO SEMIOCULTA 1

2

Colocar o conector no betão e ixar os ancorantes de acordo com as respetivas instruções de colocação�

3

4

Efetuar a fresagem total na viga secundária� Colocar o conector e ixar todos os parafusos�

5

6

Enganchar a viga, inserindo-a de cima para baixo�

INSTALAÇÃO LOCK T FLOOR

1

Colocar o conector no betão e ixar os ancorantes de acordo com as respetivas instruções de colocação�

2

Colocar o conector na laje e ixar todos os parafusos�

3

Enganchar a viga, inserindo-a de cima para baixo�

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | LOCK C | 91


VALORES ESTÁTICOS LOCK C Ø5 CONECTOR LOCK C

MADEIRA

ALUMÍNIO

parafusos LBS tipo

BETÃO NÃO FISSURADO ancorantes SKS-E

BxHxs

nj - ØxL

Rv,timber,k

Rv,alu,k

nC - ØxL

Rv,concrete,d

[mm]

[mm]

[kN]

[kN]

[mm]

[kN]

30,0

2 - Ø8x100

12,10

C24(2) GL24h(3) LVL(4) LOCKC53120

52,5 x 120 x 20

12 - Ø5x50

13,96

15,22

15,50

12 - Ø5x70

17,15

17,99

17,92

LOCK C Ø7 CONECTOR LOCK C

MADEIRA

ALUMÍNIO

parafusos LBS tipo

BETÃO NÃO FISSURADO ancorantes SKS-E

BxHxs

nj - ØxL

Rv,timber,k

Rv,alu,k

nC - ØxL

Rv,concrete,d

[mm]

[mm]

[kN]

[kN]

[mm]

[kN]

C24(2) GL24h(3) LVL(4) LOCKC75175 LOCKC100215

75 x 175 x 22

12 - Ø7x80

30,75

32,72

31,80

60,0

2 - Ø10x100

20,80

100 x 215 x 22

24 - Ø7x80

61,51

65,43

63,60

80,0

4 - Ø10x100

35,50

LOCK C FLOOR PARA CLT CONECTOR LOCK C FLOOR

MADEIRA

ALUMÍNIO

parafusos LBS tipo

BETÃO NÃO FISSURADO ancorantes SKS-E

BxHxs

nj - ØxL

Rv,timber,k

Rv,alu,k

nC - ØxL

Rv,concrete,d

[mm]

[mm]

[kN]

[kN]

[mm]

[kN]

CLT(5) LOCKCFLOOR135

300 x 135 x 22

8 - Ø7x80

20,40

240,0

2 - Ø10x100

24,60

LOCKCFLOOR135

600 x 135 x 22

16 - Ø7x80

40,79

480,0

4 - Ø10x100

47,90

LOCKCFLOOR135

900 x 135 x 22

24 - Ø7x80

61,19

720,0

6 - Ø10x100

71,10

LOCKCFLOOR135

1200 x 135 x 22

32 - Ø7x80

81,59

960,0

8 - Ø10x100

94,30

92 | LOCK C | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS


VALORES ESTÁTICOS DIMENSÃO DOS ANCORANTES ALTERNATIVOS Para a ixação com ancorantes diferentes dos indicados na tabela, o cálculo da ixação no betão pode ser efetuado consultando a ETA do ancorante, de acordo com o esquema mostrado ao lado�

e=s Fv

Da mesma forma, para a ixação em aço com parafusos de cabeça de embeber, o cálculo da ixação em aço pode ser realizado consultando as normas em vigor para o cálculo dos parafusos de rosca métrica em estruturas de aço, de acordo com o esquema ao lado� O grupo de ancorantes deve ser veriicado em termos de força de corte e momento de lexão respetivamente iguais a: Vd = Fv,d Md = e Fv,d

RIGIDEZ DA LIGAÇÃO O módulo de deslizamento pode ser calculado de acordo com a ETA-19/0831, com a seguinte expressão:

Kv,ser =

n ρm1,5 d 0,8 kN mm 30

onde: • d é o diâmetro da rosca dos parafusos na viga secundária, em mm; • ρm é a densidade média da viga secundária, in kg/m3; • n é número de parafusos na viga secundária�

NOTAS:

PRINCÍPIOS GERAIS:

(2)

• Os valores de projeto são obtidos a partir dos valores característicos, desta forma:

(3)

Valores calculados de acordo com a ETA-19/0831, ETA-11/0030 e EN 19951-1 para parafusos sem pré-furo� O valor da resistência pode ser considerado válido, em termos de segurança, mesmo na presença de pré-furos� No cálculo foi considerado ρ k=350 kg/m3 � Valores calculados de acordo com a ETA-19/0831, ETA-11/0030 e EN 19951-1 para parafusos sem pré-furo� O valor da resistência pode ser considerado válido, em termos de segurança, mesmo na presença de pré-furos� No cálculo foi considerado ρ k=385 kg/m3 �

(4)

Valores calculados de acordo com a ETA-19/0831, ETA-11/0030 e EN 19951-1 para parafusos com pré-furo� No cálculo foi considerado ρ k=480 kg/m3 �

(5)

Valores calculados de acordo com a ETA-19/0831, ETA-11/0030 e EN 19951-1 para parafusos sem pré-furo� O valor da resistência pode ser considerado válido, em termos de segurança, mesmo na presença de pré-furos� No cálculo foi considerado ρ k=350 kg/m3 �

• O coeiciente γ M2 é o coeiciente parcial para secções de alumínio sujeitas a tração, a considerar em função das normas em vigor utilizadas para o cálculo� Na ausência de outras disposições, recomenda-se a utilização do valor previsto na EN 1999-1-1, de γ M2=1,25� • O coeiciente γ M é o coeiciente de segurança pertinente no lado das ligações de madeira, a considerar em função das normas em vigor utilizadas para o cálculo� • A resistência de projeto é obtida a partir dos valores característicos, desta forma:

Rv,d = min

Rv,timber,d = Rv,timber,k kmod γM Rv,alu,k Rv,alu,d = γM2 Rv,concrete,d

• A dimensão e a veriicação das vigas de madeira devem ser feitas à parte� Em particular, para cargas perpendiculares ao eixo da viga, é recomendável realizar uma veriicação do splitting� • Devem ser utilizados parafusos com o mesmo comprimento em todos os furos, com ixação total do conector, utilizando todos os furos� • Para os parafusos na viga com densidade característica ρk≤420 kg/m3 não é necessário pré-furo� Para vigas com densidade característica ρ k>420 kg/m3 o pré-furo é obrigatório� • Para o conector LOCKTFLOOR135 instalado nos painéis CLT, não é necessário pré-furo� • Na fase de cálculo, foi considerada uma classe de resistência do betão C25/30 com armação rara, na ausência de entre-eixos e distâncias da borda e espessura mínima indicada nas tabelas que mostram os parâmetros de instalação dos ancorantes utilizados� Os valores de resistência são válidos para as hipóteses de cálculo deinidas na tabela; para condições de limite diferentes das da tabela (por ex�, distâncias mínimas das bordas ou diferentes espessuras de betão), a resistência do lado do betão deve ser calculada separadamente (consultar a secção DIMENSÃO DOS ANCORANTES ALTERNATIVOS)�

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | LOCK C | 93


UV-T

TIMBER

ETA

LIGADOR OCULTO DE ENGATE MADEIRA-MADEIRA GAMA COMPLETA Disponível em cinco versões, para se adaptar à viga secundária e à carga aplicada� Resistências superiores a 60 kN�

REMOVÍVEL O sistema de enganchamento é rápido de instalar e pode ser facilmente removido; ideal para a realização de estruturas temporárias�

VENTO E SISMOS Resistências certiicadas em todas as direções de carga, para uma ixação segura mesmo na presença de forças laterais, axiais e de elevação�

CARATERÍSTICAS FOCUS

ligações removíveis

SECÇÕES DE MADEIRA

de 45 x 100 mm a 240 x 520 mm

VÍDEO

RESISTÊNCIA

Rv,k até 63 kN

Digitalize o QR Code e assista ao vídeo no nosso canal YouTube

FIXAÇÕES

LBS, HBS, VGS

MATERIAL Chapa furada tridimensional em liga de alumínio�

CAMPOS DE APLICAÇÃO Ligações de corte madeira-madeira e aplicações que exigem resistência em todas as direcções • madeira maciça e lamelar • CLT, LVL

94 | UV-T | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS


TODAS AS DIREÇÕES Os parafusos inclinados ixados na viga secundária garantem resistência em todas as direções: verticais, horizontais e axiais� A ligação é segura mesmo na presença de forças causadas pelo vento e sismos�

MONTAGEM RÁPIDA A instalação é intuitiva, simples e rápida� O parafuso de bloqueio impede o deslizamento, garantindo resistência também na direcção oposta àquela de inserção�

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | UV-T | 95


CÓDIGOS E DIMENSÕES UV-T CÓDIGO

B

H

s

[mm]

[mm]

[mm]

UVT3070

30

70

16

Ø 90°

Ø45°

pçs

[mm] [mm] 5

4

25

UVT4085

40

85

16

5

6

25

UVT60115

60

115

16

5

6

25

UVT60160

60

160

16

5

6

10

UVT60215

60

215

16

5

6

10

H B

Parafusos não incluídos na embalagem�

LBS: parafusos 90° CÓDIGO

d1

L

b

[mm]

[mm]

[mm]

5

50

46

LBS560

5

60

56

TX20

200

LBS570

5

70

66

TX20

200

TX

pçs

LBS550

TX

pçs d1

TX20

200

L

HBS: parafuso 45° para UVT3070 CÓDIGO

d1

L

b

[mm]

[mm]

[mm]

HBS450

4

50

30

TX20

400

HBS470

4

70

40

TX20

200

d1 L

VGS: parafuso 45° para UVT4085/UVT60115/UVT60160/UVT60215 CÓDIGO

d1

L

b

[mm]

[mm]

[mm]

TX

pçs

VGS6100

6

100

88

TX30

100

VGS6160

6

160

148

TX30

100

d1 L

FIXAÇÕES NÚMERO MÁXIMO DE FIXAÇÕES POR CADA CONECTOR (pregagem total) CÓDIGO

n90°

n45°

[pçs - Ø]

[pçs - Ø]

UVT3070

8 - LBS Ø5

6 (+1) - HBS Ø4

UVT4085

11 - LBS Ø5

4 (+1) - VGS Ø6

UVT60115

17 - LBS Ø5

6 (+1) - VGS Ø6

UVT60160

25 - LBS Ø5

6 (+1) - VGS Ø6

UVT60215

34 - LBS Ø5

8 (+1) - VGS Ø6

MATERIAL E DURABILIDADE

LBS 90° HBS/VGS 45°

FORÇAS

UV: liga de alumínio� Utilização em classes de serviço 1 e 2 (EN 1995-1-1)�

CAMPOS DE APLICAÇÃO • Ligações madeira-madeira • Viga secundária na viga principal ou no pilar

96 | UV-T | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS

Fv

Flat Fax Fup


UVT3070 DIMENSÕES MÍNIMAS ELEMENTOS DE MADEIRA H

B

s

VIGA PRINCIPAL

TIPO PARAFUSOS 45°

CONECTOR UV

VIGA PRINCIPAL

VIGA SECUNDÁRIA

VIGA SECUNDÁRIA (1)

fresagem tipo

UVT3070

BxHxs

ØxL

BH,min

BF

SF

bJ,min

hJ,min

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

30

16

45

100

45

115

30 x 70 x 16

HBS Ø4 x 50

45

HBS Ø4 x 70

60

FIXAÇÕES VIGA PRINCIPAL tipo

pregagem total

UVT3070

VIGA SECUNDÁRIA nH,45°(3)

nH,90° +

parcial(2)

nJ,90°

nJ,45°

[pçs - Ø]

[pçs - Ø]

[pçs - Ø]

[pçs - Ø]

6 - LBS Ø5

1 - HBS Ø4

2 - LBS Ø5

6 - HBS Ø4

4 - LBS Ø5

1 - HBS Ø4

2 - LBS Ø5

4 - HBS Ø4

Fv

Fv

SF

B=BF Flat

nH,45°

Flat

nJ,90°

e H

Fax

hJ

nH,90°

nJ,45°

≥10 mm

bJ

BH

Fup

Fup

VALORES ESTÁTICOS CARACTERÍSTICOS | LIGAÇÃO MADEIRA-MADEIRA PREGAGEM TOTAL +

PREGAGEM PARCIAL

tipo parafusos 45°

tipo parafusos 90°

LBS Ø5 x 50

LBS Ø5 x 60

LBS Ø5 x 70

tipo parafusos 45°

HBS Ø4 x 50

HBS Ø4 x 70

HBS Ø4 x 50

[kN]

[kN]

[kN]

HBS Ø4 x 70 [kN]

Rax,k

1,45

1,45

1,45

1,45

Rv,k

6,77

9,03

4,51

6,02

Rup,k

1,13

1,50

1,13

1,50

Rlat,k

1,72

1,81

1,49

1,57

Rax,k

1,76

1,76

1,76

1,76

Rv,k

6,77

9,03

4,51

6,02

Rup,k

1,13

1,50

1,13

1,50

Rlat,k

1,72

1,81

1,49

1,57

Rax,k

2,08

2,08

2,08

2,08

Rv,k

6,77

9,03

4,51

6,02

Rup,k

1,13

1,50

1,13

1,50

Rlat,k

1,72

1,81

1,49

1,57

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | UV-T | 97


UVT4085 DIMENSÕES MÍNIMAS ELEMENTOS DE MADEIRA

H

B

s

VIGA PRINCIPAL

TIPO PARAFUSOS 45°

CONECTOR UV

VIGA PRINCIPAL

VIGA SECUNDÁRIA

VIGA SECUNDÁRIA (1)

fresagem tipo

UVT4085

BxHxs

ØxL

BH,min

BF

SF

bJ,min

hJ,min

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

40

16

40 x 85 x 16

VGS Ø6 x 100

80

VGS Ø6 x 160

120

70

120

70

160

FIXAÇÕES VIGA PRINCIPAL tipo

pregagem total

UVT4085

VIGA SECUNDÁRIA nH,45°(3)

nH,90° +

parcial(2)

nJ,90°

[pçs - Ø]

[pçs - Ø]

[pçs - Ø]

[pçs - Ø]

9 - LBS Ø5

1 - VGS Ø6

2 - LBS Ø5

4 - VGS Ø6

5 - LBS Ø5

1 - VGS Ø6

2 - LBS Ø5

4 - VGS Ø6

Fv

Fv

B=BF

SF

Flat

Flat

e H

nJ,45°

nH,45°

nJ,90°

Fax

hJ

nJ,45° nH,90° ≥10 mm bJ

BH

Fup

Fup

VALORES ESTÁTICOS CARACTERÍSTICOS | LIGAÇÃO MADEIRA-MADEIRA PREGAGEM TOTAL +

PREGAGEM PARCIAL

tipo parafusos 45°

tipo parafusos 90°

LBS Ø5 x 50

LBS Ø5 x 60

LBS Ø5 x 70

tipo parafusos 45°

VGS Ø6 x 100

VGS Ø6 x 160

VGS Ø6 x 100

[kN]

[kN]

[kN]

VGS Ø6 x 160 [kN]

Rax,k

1,45

1,45

1,45

1,45

Rv,k

18,67

19,22

10,68

10,68

Rup,k

4,67

7,85

4,67

7,85

Rlat,k

1,50

1,50

1,50

1,50

Rax,k

1,76

1,76

1,76

1,76

Rv,k

18,67

20,40

11,33

11,33

Rup,k

4,67

7,85

4,67

7,85

Rlat,k

1,57

1,57

1,57

1,57

Rax,k

2,08

2,08

2,08

2,08

Rv,k

18,67

21,58

11,99

11,99

Rup,k

4,67

7,85

4,67

7,85

Rlat,k

1,64

1,64

1,64

1,57

98 | UV-T | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS


UVT60115 DIMENSÕES MÍNIMAS ELEMENTOS DE MADEIRA

H

B

s

VIGA PRINCIPAL

TIPO PARAFUSOS 45°

CONECTOR UV

VIGA PRINCIPAL

VIGA SECUNDÁRIA

VIGA SECUNDÁRIA (1)

fresagem tipo

BxHxs [mm]

UVT60115

60 x 115 x 16

ØxL

BH,min

BF

SF

bJ,min

hJ,min

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

80

180

80

220

[mm]

[mm]

VGS Ø6 x 100

80

VGS Ø6 x 160

120

60

16

FIXAÇÕES VIGA PRINCIPAL tipo

pregagem

UVT60115

total

VIGA SECUNDÁRIA nH,45°(3)

nH,90° +

parcial(2)

nJ,90°

nJ,45°

[pçs - Ø]

[pçs - Ø]

[pçs - Ø]

[pçs - Ø]

15 - LBS Ø5

1 - VGS Ø6

2 - LBS Ø5

6 - VGS Ø6

8 - LBS Ø5

1 - VGS Ø6

2 - LBS Ø5

4 - VGS Ø6

Fv

Fv

B=BF

SF

Flat

Flat

nH,45°

e H

nJ,90°

Fax

hJ

nH,90°

nJ,45°

≥10 mm

bJ

BH

Fup

Fup

VALORES ESTÁTICOS CARACTERÍSTICOS | LIGAÇÃO MADEIRA-MADEIRA PREGAGEM TOTAL +

PREGAGEM PARCIAL

tipo parafusos 45°

tipo parafusos 90°

LBS Ø5 x 50

LBS Ø5 x 60

LBS Ø5 x 70

tipo parafusos 45°

VGS Ø6 x 100

VGS Ø6 x 160

VGS Ø6 x 100

[kN]

[kN]

[kN]

VGS Ø6 x 160 [kN]

Rax,k

1,45

1,45

1,45

1,45

Rv,k

28,00

32,03

17,08

17,08

Rup,k

4,67

7,85

4,67

7,85

Rlat,k

2,59

2,59

2,18

2,18

Rax,k

1,76

1,76

1,76

1,76

Rv,k

28,00

34,00

18,13

18,13

Rup,k

4,67

7,85

4,67

7,85

Rlat,k

2,70

2,70

2,28

2,28

Rax,k

2,08

2,08

2,08

2,08

Rv,k

28,00

35,97

18,67

19,18

Rup,k

4,67

7,85

4,67

7,85

Rlat,k

2,82

2,82

2,38

2,38

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | UV-T | 99


UVT60160 DIMENSÕES MÍNIMAS ELEMENTOS DE MADEIRA H

B

s

VIGA PRINCIPAL

CONECTOR UV

TIPO PARAFUSOS 45°

VIGA SECUNDÁRIA

VIGA SECUNDÁRIA (1)

VIGA PRINCIPAL fresagem

tipo

BxHxs [mm]

ØxL [mm]

UVT60160 60 x 160 x 16

BH,min [mm]

VGS Ø6 x 100

80

VGS Ø6 x 160

120

BF [mm]

SF [mm]

60

16

bJ,min [mm]

hJ,min [mm]

100

180

100

220

FIXAÇÕES VIGA PRINCIPAL tipo

pregagem

UVT60160

total

nH,90° [pça - Ø] +

parcial(2)

VIGA SECUNDÁRIA (3)

nH,45° [pça - Ø]

nJ,90° [pça - Ø]

nJ,45° [pça - Ø]

21 - LBS Ø5

1 - VGS Ø6

4 - LBS Ø5

6 - VGS Ø6

11 - LBS Ø5

1 - VGS Ø6

4 - LBS Ø5

4 - VGS Ø6

Fv

Fv

B=BF

SF

Flat

Flat nH,45°

nJ,90°

e Fax

H hJ

nJ,45°

nH,90° ≥10 mm bJ

BH

Fup

Fup

VALORES ESTÁTICOS CARACTERÍSTICOS | LIGAÇÃO MADEIRA-MADEIRA PREGAGEM TOTAL +

PREGAGEM PARCIAL

tipo parafusos 45° VGS Ø6 x 100

tipo parafusos 90°

LBS Ø5 x 50

LBS Ø5 x 60

LBS Ø5 x 70

tipo parafusos 45°

VGS Ø6 x 160

VGS Ø6 x 100

VGS Ø6 x 160

[kN]

[kN]

[kN]

[kN]

Rax,k

2,90

2,90

2,90

2,90

Rv,k

28,00

44,85

18,67

23,49

Rup,k

4,67

7,85

4,67

7,85

Rlat,k

3,01

3,01

2,71

2,71

Rax,k

3,53

3,53

3,53

3,53

Rv,k

28,00

47,09

18,67

24,93

Rup,k

4,67

7,85

4,67

7,85 2,83

Rlat,k

3,15

3,15

2,83

Rax,k

4,16

4,16

4,16

4,16

Rv,k

28,00

47,09

18,67

26,38

Rup,k

4,67

7,85

4,67

7,85

Rlat,k

3,28

3,28

2,95

2,95

100 | UV-T | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS


UVT60215 DIMENSÕES MÍNIMAS ELEMENTOS DE MADEIRA H

s

B VIGA PRINCIPAL

CONECTOR UV

TIPO PARAFUSOS 45°

VIGA SECUNDÁRIA

VIGA SECUNDÁRIA (1)

VIGA PRINCIPAL fresagem

tipo

BxHxs [mm]

UVT60215

ØxL [mm]

60 x 215 x 16

BH,min [mm]

VGS Ø6 x 100

80

VGS Ø6 x 160

120

BF [mm]

SF [mm]

60

16

bJ,min [mm]

hJ,min [mm]

100

220

100

260

FIXAÇÕES VIGA PRINCIPAL tipo

pregagem

UVT60215

total

+

parcial(2)

VIGA SECUNDÁRIA (3)

nH,90° [pça - Ø]

nH,45° [pça - Ø]

nJ,90° [pça - Ø]

nJ,45° [pça - Ø]

30 - LBS Ø5

1 - VGS Ø6

4 - LBS Ø5

8 - VGS Ø6

16 - LBS Ø5

1 - VGS Ø6

4 - LBS Ø5

4 - VGS Ø6

Fv

Fv

B=BF

SF Flat

Flat

nJ,90° nH,45°

e Fax

H hJ

nH,90°

nJ,45°

≥10 mm bJ

BH Fup

Fup

VALORES ESTÁTICOS CARACTERÍSTICOS | LIGAÇÃO MADEIRA-MADEIRA PREGAGEM TOTAL +

PREGAGEM PARCIAL

tipo parafusos 45°

tipo parafusos 90°

LBS Ø5 x 50

LBS Ø5 x 60

LBS Ø5 x 70

tipo parafusos 45°

VGS Ø6 x 100

VGS Ø6 x 160

VGS Ø6 x 100

[kN]

[kN]

[kN]

VGS Ø6 x 160 [kN]

Rax,k

2,90

2,90

2,90

2,90 31,40

Rv,k

37,34

62,79

18,67

Rup,k

4,67

7,85

4,67

7,85

Rlat,k

3,37

3,37

2,78

2,78

Rax,k

3,53

3,53

3,53

3,53

Rv,k

37,34

62,79

18,67

31,40

Rup,k

4,67

7,85

4,67

7,85

Rlat,k

3,53

3,53

2,90

2,90

Rax,k

4,16

4,16

4,16

4,16

Rv,k

37,34

62,79

18,67

31,40

Rup,k

4,67

7,85

4,67

7,85

Rlat,k

3,68

3,68

3,03

3,03

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | UV-T | 101


NOTAS:

PRINCÍPIOS GERAIS:

(1)

• Os valores característicos estão em conformidade com a norma EN 19951-1, de acordo com a ETA do produto�

As dimensões mínimas dos elementos de madeira variam em função da direção da tensão e devem ser veriicadas de vez em quando� A tabela mostra as dimensões mínimas a im de orientar o projetista na escolha do conector� A dimensão e a veriicação dos elementos de madeira devem ser feitas à parte�

(2)

A pregagem parcial deve ser efetuada com base nos esquemas de colocação mostrados na igura e de acordo com a ETA�

(3)

No caso de tensões Fv ou Fup é necessário utilizar um parafuso inclinadoadicional na viga principal, a inserir após a montagem do conector�

Os valores de projeto são obtidos a partir dos valores característicos, desta forma:

Rd =

Rk kmod γM

Os coeicientes γ M e kmod devem ser tomados em função das normas vigentes� • Em fase de cálculo, considerou-se uma massa volúmica dos elementos de madeira equivalente a ρ k = 350 kg/m3 � • A dimensão e a veriicação dos elementos de madeira devem ser feitas à parte� • Em caso de tensão combinada, deve-se satisfazer a seguinte veriicação:

Fax,d Rax,d

+

Fv/up,d Rv/up,d

2

+

Flat,d Rlat,d

2

≥ 1

• É possível a ixação por pregagem total no caso de aplicações em vigas ou por pregagem parcial no caso de aplicações em pilares� No lado da viga secundária, devem ser sempre inseridos parafusos inclinados nos dois furos superiores e nos dois furos inferiores� • Considera-se que a tensão lateral Flat atua a uma distância e = H/2 do centro do conector� Para diferentes valores de “e” é possível calcular os valores de resistência de acordo com a ETA� • Considera-se que a viga principal esteja impedida de rodar� Se o conector UV for instalado apenas num dos lados da viga, deve ser considerado um momento devido à excentricidade� Mv = Fd � (B H /2 � 14 mm)� O mesmo se aplica no caso de ligação em ambos os lados da viga principal quando a diferença entre as tensões de atuação é > 20%�

102 | UV-T | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS


UV-C

CONCRETE

ETA

LIGADOR OCULTO DE ENGATE MADEIRA-BETÃO MADEIRA E BETÃO Ligação calculada e certiicada para ixação de vigas secundárias em suportes de betão (vigas ou pilares); também certiicada para suportes de aço�

REMOVÍVEL O sistema de enganchamento é rápido de instalar e pode ser facilmente removido; ideal para a realização de estruturas temporárias�

BLOQUEIO Os parafusos de bloqueio adicionais incluídos na embalagem garantem resistência para forças de baixo para cima�

CARATERÍSTICAS FOCUS

ligações removíveis

SECÇÕES DE MADEIRA

de 80 x 180 mm a 240 x 440 mm

RESISTÊNCIA

Rv,k até 63 kN

FIXAÇÕES

LBS, VGS, SKS-E

VÍDEO Digitalize o QR Code e assista ao vídeo no nosso canal YouTube

MATERIAL Chapa furada tridimensional em liga de alumínio�

CAMPOS DE APLICAÇÃO Ligações de corte madeira-betão e aplicações que exigem resistência em todas as direções • madeira maciça e lamelar • CLT, LVL

104 | UV-C | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS


CÓDIGOS E DIMENSÕES UV-C CÓDIGO

B

H

s

Øconcrete

Ø 90°

Ø45°

pçs

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

UVC60115

60

115

24

12

5

6

10

UVC60160

60

160

24

12

5

6

10

UVC60215

60

215

24

12

5

6

10

H

Parafusos não incluídos na embalagem�

B

SKS-E: ancorante parafusável de cabeça de embeber CÓDIGO SKS10100CE

d1

L

d0

Tinst

[mm]

[mm]

[mm]

[Nm]

10

100

8

50

TX

pçs d1

TX40

50

TX

pçs

L

LBS: parafusos 90° CÓDIGO

d1

L

b

[mm]

[mm]

[mm]

LBS550

5

50

46

TX20

200

LBS560

5

60

56

TX20

200

LBS570

5

70

66

TX20

200

d1

L

b

TX

pçs

[mm]

[mm]

[mm]

VGS6100

6

100

88

TX30

100

VGS6160

6

160

148

TX30

100

d1 L

VGS: parafusos 45° CÓDIGO

MATERIAL E DURABILIDADE

FIXAÇÕES

UV: liga de alumínio� Utilização em classes de serviço 1 e 2 (EN 1995-1-1)�

d1 L

FORÇAS Fv

LBS 90°

SKS-E

CAMPOS DE EMPREGO

VGS 45°

Fax

• Ligações madeira-betão

Fup

RÁPIDA FIXAÇÃO A instalação no betão é facilitada pela utilização de ancorantes parafusáveis SKS-E a instalar a seco de forma rápida e fácil� Os valores para aplicação no betão são calculados e estão disponíveis�

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | UV-C | 105


VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO MADEIRA-BETÃO UVC60115 VIGA/ PILAR BETÃO

UVC60160

VIGA SECUNDÁRIA

VIGA/ PILAR BETÃO

UVC60215

VIGA SECUNDÁRIA

VIGA/ PILAR BETÃO

VIGA SECUNDÁRIA

H H H s

B

s

B

B

s

FIXAÇÕES CONECTOR UV-C

VIGA/ PILAR BETÃO pregagem/ buchas

BxHxs

nH,90°

nJ,90°

nJ,45°

[pça - Ø]

[pça - Ø]

[pça - Ø]

2 - SKS-E Ø10

2 - LBS Ø5

6 - VGS Ø6

2 - SKS-E Ø10

4 - LBS Ø5

6 - VGS Ø6

3 - SKS-E Ø10

4 - LBS Ø5

8 - VGS Ø6

[mm] UVC60115

60 x 115 x 24

UVC60160

60 x 160 x 24

UVC60215

60 x 215 x 24

total

VIGA SECUNDÁRIA MADEIRA

Se for necessário impedir o deslizamento do conector para cima (por ex�, tensão Fup ), são fornecidos dois parafusos M6 x 20 adicionais� Os parafusos e as respetivas anilhas estão incluídos na embalagem�

LIGAÇÃO MADEIRA-BETÃO Fv

Fv

H hJ ≥10 mm

B

Bconcrete

bJ

VIGA SECUNDÁRIA MADEIRA (2) tipo

UVC60115

R V,d BETÃO NÃO FISSURADO

R V,k MADEIRA ixação de furos Ø5(1)

ixação de furos Ø6(1)

Rv,k timber

ixação de furos Ø12

bJ,min

hJ,min

Rv,d concrete

[mm]

[mm]

Ø x L [mm]

Ø x L [mm]

[kN]

Ø x L [mm]

[kN]

80

180

LBS Ø5 x 50

VGS Ø6 x 100

28,00

SKS-E Ø10 x 100

12,70

UVC60160

100

180

LBS Ø5 x 50

VGS Ø6 x 100

28,00

SKS-E Ø10 x 100

17,20

UVC60215

100

220

LBS Ø5 x 50

VGS Ø6 x 100

37,34

SKS-E Ø10 x 100

21,30

106 | UV-C | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS


DIMENSÃO DOS ANCORANTES ALTERNATIVOS A ixação no betão com ancorantes diferentes dos indicados na tabela deve ser veriicada com base nas forças Fbolt de tensão sobre os mesmos ancorantes, determináveis através dos coeicientes kt�

TENSÃO DE TRAÇÃO Fax

TENSÃO DE CORTE VERTICAL Fv Fv

Fax bolt Fax bolt

Fax bolt,d =

Flat bolt

Fax bolt

Flat bolt

Fax bolt

Fax

Fax,d nbolt

Flat bolt,d = kt

Fv,d

Fax bolt,d = kt Fv,d nbolt

kt

kt

UVC60115

2

0,50

0,299

UVC60160

2

0,50

0,192

UVC60215

3

0,33

0,106

A veriicação do ancorante é satisfeita se a resistência de projeto, calculada tendo em conta os efeitos de grupo e a geometria do conector UV-C, for superior à tensão de projeto: R bolt,d ≥ F bolt,d

NOTAS:

PRINCÍPIOS GERAIS:

(1)

É permitida a utilização de parafusos LBS e VGS de comprimento superior ao indicado na tabela, sem afetar a resistência total da ligação (rutura do lado do betão)� Neste caso, os parâmetros de instalação (viga secundária de madeira) devem ser reavaliados�

• Os valores característicos estão em conformidade com a norma EN 1995-11, de acordo com a ETA do produto� Os valores de projeto das ancoragens para betão são calculados de acordo com as respetivas Avaliações Técnicas Europeias�

(2)

As dimensões mínimas dos elementos de madeira variam em função da direção da tensão e devem ser veriicadas de vez em quando� A tabela mostra as dimensões mínimas a im de orientar o projetista na escolha do conector� A dimensão e a veriicação dos elementos de madeira devem ser feitas à parte�

• Os valores de projeto são obtidos a partir dos valores característicos, desta forma:

Rd = min

Rv,k timber kmod γM Rv,d concrete

Os coeicientes γ M e kmod devem ser considerados em função da norma vigente utilizada para o cálculo� • Em fase de cálculo, considerou-se uma massa volúmica dos elementos de madeira equivalente a ρ k = 350 kg/m3 e uma classe de resistência do betão C25/30 com armação rara, espessura mínima B concrete de 120 mm na ausência de distâncias da borda� • A dimensão e a veriicação dos elementos de madeira e de betão devem ser feitas à parte� • Os valores de resistência são válidos para as hipóteses de cálculo deinidas na tabela; condições de limite diferentes (ex�: distâncias mínimas das bordas) devem ser veriicadas pelo projetista responsável�

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | UV-C | 107


DISC FLAT

ETA 19/0706

LIGADOR OCULTO REMOVÍVEL TENSÕES COMBINADAS Resistente a forças quer de corte quer de tração, graças ao aperto dos elementos por meio de uma barra condutora� Marcação CE conforme ETA�

PRÁTICO Instalação simples graças à possibilidade de aperto sucessivamente à montagem� Fixação rápida e precisa graças aos parafusos LBS�

REMOVÍVEL Utilizável também para estruturas temporárias, pode ser removido com simplicidade, graças ao sistema de barra condutora�

CARATERÍSTICAS FOCUS

ligações universais

SECÇÕES DE MADEIRA

de 100 x 100 mm a 280 x 280 mm

VÍDEO

RESISTÊNCIA

Rv acima de 60 kN, Rax acima de 100 kN

Digitalize o QR Code e assista ao vídeo no nosso canal YouTube

FIXAÇÕES

LBS, KOS

MATERIAL Chapa tridimensional furada de aço carbónico electrogalvanizado�

CAMPOS DE APLICAÇÃO Ligações de corte madeira-madeira em todas as direcções da viga secundária • madeira maciça e lamelar • CLT, LVL • painéis à base de madeira

108 | DISC FLAT | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS


ESTÉTICA Ligação completamente oculta, assegura um ajuste estético agradável�

VERSATILIDADE Utilizável em variadas aplicações, permite a realização de ligações de corte e ligações à tração entre os elementos de madeira�

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | DISC FLAT | 109


CÓDIGOS E DIMENSÕES CÓDIGO DISCF55

D

s

M

n0° + n45°

pçs

[mm]

[mm]

[mm]

55

10

12

10

16

DISCF80

80

15

16

10

8

DISCF120

120

15

20

18

4

s

Parafusos não incluídos na embalagem� D

LBS para DISCF55 CÓDIGO

d1

L

b

[mm]

[mm]

[mm]

TX

pçs

LBS550

5

50

46

TX20

200

LBS560

5

60

56

TX20

200

LBS570

5

70

66

TX20

200

TX

pçs

d1 L

LBS para DISCF80 e DISCF120 CÓDIGO

d1

L

b

[mm]

[mm]

[mm]

LBS760

7

60

55

TX30

100

LBS780

7

80

75

TX30

100

LBS7100

7

100

95

TX30

100

d1 L

MATERIAL E DURABILIDADE

FORÇAS

DISC FLAT: Aço carbónico electrogalvanizado� Utilização em classes de serviço 1 e 2 (EN 1995-1-1)�

Fv Flat

Flat

CAMPOS DE APLICAÇÃO • Ligações madeira-madeira entre elementos estruturais de madeira maciça, lamelar, LVL e CLT • Ligações madeira-aço • Ligações madeira-betão

Fax Fv

GEOMETRIA n45°

n0°

M

D

D

s

110 | DISC FLAT | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS


DIMENSÕES MÍNIMAS CONECTOR DISC FLAT

PARAFUSOS

DISCF55

DISCF80

DISCF120

VIGA SECUNDÁRIA

ELEMENTO PRINCIPAL

ØxL

bJ,min

hJ,min

HH,min*

DH

SF

DF

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

13

11

56

17

16

81

21

16

121

LBS Ø5 x 50

100

100

110

LBS Ø5 x 60

110

110

115

LBS Ø5 x 70

130

130

130

LBS Ø7 x 60

120

120

150

LBS Ø7 x 80

150

150

165

LBS Ø7 x 100

180

180

180

LBS Ø7 x 80

160

160

200

LBS Ø7 x 100

190

190

215

* HH, mín� só é válido no caso de instalação com fresagem� Para a instalação sem fresagem, aplicam-se as distâncias mínimas para o parafuso de rosca métrica, de acordo com a EN 1995-1-1�

INSTALAÇÃO SEM FRESAGEM ELEMENTO PRINCIPAL

VIGA SECUNDÁRIA

DH

ta

HH

hJ

hJ

bJ

COM FRESAGEM ABERTA ELEMENTO PRINCIPAL

VIGA SECUNDÁRIA

ta

DH

HH

SF

HH

hJ

hJ

bJ

DF

COM FRESAGEM CIRCULAR ELEMENTO PRINCIPAL

VIGA SECUNDÁRIA

DH

HH

ta

HH

DF

SF

hJ

hJ

bJ

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | DISC FLAT | 111


ENTRE-EIXOS E ESPAÇAMENTOS conector

DISCF55

DISCF80 DISCF120

parafusos Ø x L

a1

a3,t

a4,t

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

LBS Ø5 x 50 LBS Ø5 x 60 LBS Ø5 x 70 LBS Ø7 x 60 LBS Ø7 x 80 LBS Ø7 x 100 LBS Ø7 x 80 LBS Ø7 x 100

90 105 120 110 140 170 150 180

50 55 65 60 75 90 80 95

ELEMENTO PRINCIPAL INSTALAÇÃO COM FRESAGEM ta

VIGA SECUNDÁRIA INSTALAÇÃO SIMPLES

60

90 120 VIGA SECUNDÁRIA INSTALAÇÃO MÚLTIPLA

SF a3,t

a3,t Fv a3,t

a4,t

a1 a3,t

a3,t

a1

a3,t

a3,t

OPÇÕES DE COLOCAÇÃO

a3,t

A orientação do conector é indiferente� Pode ser colocado de acordo com a OPÇÃO 1 ou OPÇÃO 2� DISCF120

DISCF80

DISCF55

OPÇÃO 1

OPÇÃO 2

FIXAÇÕES CONECTOR DISC FLAT

PARAFUSOS n45°

DISCF55 DISCF80 DISCF120

n0°

parafusos de rosca métrica para ixação em madeira

anilhas para madeira

[pçs - Ø]

[pçs - Ø]

[pçs - Ø]

[pçs - Ø]

8 - LBS Ø5 8 - LBS Ø7 16 - LBS Ø7

2 - LBS Ø5 2 - LBS Ø7 2 - LBS Ø7

1 - KOS M12 1 - KOS M16 1 - KOS M20

1 - ULS1052 M12 1 - ULS1052 M16 1 - ULS1052 M20

112 | DISC FLAT | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS


VALORES ESTÁTICOS RESISTÊNCIAS LADO DA VIGA SECUNDÁRIA conector

parafusos Ø x L

bJ,min x hJ,min

Rv,screws,k = Rlat,screws,k

[mm]

[mm]

[kN]

LBS Ø5 x 50 LBS Ø5 x 60 LBS Ø5 x 70 LBS Ø7 x 60 LBS Ø7 x 80 LBS Ø7 x 100 LBS Ø7 x 80 LBS Ø7 x 100

DISCF55

DISCF80 DISCF120

Rax,screws,k [kN]

GL24h(1)

LVL(2)

GL24h(1)

LVL(2)

9,60 11,83 14,06 14,69 20,94 27,19 41,88 54,38

8,03 9,89 11,76 12,28 17,51 22,73 48,15 62,52

17,01 20,96 24,91 26,10 37,16 48,22 70,66 91,72

11,64 14,34 17,04 17,91 25,47 33,03 81,24 105,46

100 x 100 110 x 110 130 x 130 120 x 120 150 x 150 180 x 180 160 x 160 190 x 190

RESISTÊNCIA AO CORTE LADO DO ELEMENTO PRINCIPAL Rv,main,k(8) [kN]

conector SEM FRESAGEM viga DISCF55 DISCF80 DISCF120

COM FRESAGEM

coluna

parede

viga

coluna

GL24h(1)

LVL(2)

GL24h(1)

LVL(2)

CLT(3)

GL24h(1)

LVL(2)

GL24h(1)

LVL(2)

13,9 21,2 34,1

14,3 21,7 35,0

19,9 31,0 48,1

23,0 37,5 54,4

19,0 25,7 32,8

25,1 40,8 71,1

28,3 46,2 80,0

35,6 58,6 98,7

42,5 71,9 117,5

Rlat,main,k(8) [kN]

conector

COM FRESAGEM(7)

SEM FRESAGEM viga

DISCF55 DISCF80 DISCF120

coluna

parede

viga

coluna

GL24h(1)

LVL(2)

GL24h(1)

LVL(2)

CLT(3)

GL24h(1)

LVL(2)

GL24h(1)

LVL(2)

19,9 31,0 48,1

23,0 37,5 54,4

13,9 21,2 34,1

14,3 21,7 35,0

17,5 23,8 30,7

35,6 58,6 98,7

42,5 71,9 117,5

25,1 40,8 71,1

28,3 46,2 80,0

RESISTÊNCIA À TRAÇÃO LADO DO ELEMENTO PRINCIPAL conector

Rax,main,k [kN]

DISCF55 DISCF80 DISCF120

GL24h(4)

LVL(5)

CLT(6)

18,7 25,3 34,8

22,4 30,4 41,8

17,9 24,3 33,5

RIGIDEZ DA LIGAÇÃO O módulo de deslizamento pode ser calculado de acordo com a ETA-19/0706, com as seguintes expressões: Kax,ser = 150 kN/mm Kv,ser = Klat,ser =

ρm1,5 d kN/mm 23

Kv,ser = Klat,ser = 70

d2 kN/mm

Para conectores sob tensão ao corte em ligações madeira-madeira Para conectores sob tensão ao corte em ligações aço-madeira

onde: • d é o diâmetro do parafuso de rosca métrica em mm; • pm é a densidade média do elemento principal, em kg/m3�

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | DISC FLAT | 113


NOTAS:

PRINCÍPIOS GERAIS:

(1)

Valores calculados de acordo com a ETA-19/0706� No cálculo foi considerado ρ k=385 kg/m3 �

• Os valores característicos de resistência da ligação são obtidos da seguinte forma:

(2)

Valores calculados de acordo com a ETA-19/0706� No cálculo foi considerado ρ k=480kg/m3 �

(3)

Valores calculados de acordo com a ETA-19/0706� No cálculo foi considerado ρ k=350kg/m3 �

(4)

Valores calculados de acordo com a ETA-19/0706 com anilhas do tipo DIN1052, devem ser recalculados se forem utilizadas outras anilhas� No cálculo foi considerado fc,90,k=2,5 MPa�

(5)

Valores calculados de acordo com a ETA-19/0706 com anilhas do tipo DIN1052, devem ser recalculados se forem utilizadas outras anilhas� No cálculo foi considerado fc,90,k=3,0 MPa�

(6)

Valores calculados de acordo com a ETA-19/0706 com anilhas do tipo DIN1052, devem ser recalculados se forem utilizadas outras anilhas� No cálculo foi considerado fc,90,k=2,4 MPa�

(7)

Em caso de utilização do conector com fresagem na viga principal, se for aplicada uma tensão Flat , é necessário efetuar uma fresagem circular fechada�

(8)

Os valores de resistência foram calculados para um comprimento útil do parafuso de rosca métrica de: - t a = 100 mm para DISCF55 na viga ou coluna; - t a = 120 mm para DISCF80 na viga ou coluna; - t a = 180 mm para DISCF120 na viga ou coluna; - t a = 100 mm para DISCF55, DISCF80 e DISCF120 na parede� No caso de comprimentos maiores ou menores, as resistências podem ser calculadas de acordo com a ETA-19/0706�

Rv,k = min

Rax,k = min

Rlat,k = min

Rv,screws,k Rv,main,k Rax,screws,k Rax,main,k Rlat,screws,k Rlat,main,k

• Os valores de projeto são obtidos a partir dos valores característicos, desta forma: Os coeicientes γ M e kmod devem ser considerados em função da norma vigente utilizada para o cálculo�

Rd =

Rk kmod γM

• Em caso de tensões combinadas Fv, Fax e Flat deve ser satisfeita a seguinte expressão:

Fax,d Rax,d

2

+

Fv,d Rv,d

+

Flat,d Rlat,d

≥ 1

• A dimensão e a veriicação dos elementos de madeira devem ser feitas à parte� • No caso de elemento principal em aço ou em betão, o cálculo de Rv,main,k , Rax,main,k e Rlat,main,k deve ser efetuado pelo projetista� O cálculo dos valores de projeto relativos deve ser efetuado utilizando os coeicientes γ M a considerar em função das normas em vigor utilizadas para o cálculo� • São possíveis duas opções de colocação na viga secundária (opção 1/opção 2)� As resistências não variam em ambos os casos� No caso de instalação múltipla, recomenda-se colocar os conectores alternando com a opção 1 e a opção 2� • Se for utilizado mais de um conector, as resistências do lado dos parafusos (Fv,screws , Fax,screws , Flat,screws) podem ser multiplicadas pelo número de conectores� • Se forem utilizados vários conectores, o cálculo da ligação no lado do elemento principal deve ser efetuado pelo projetista, de acordo com os capítulos 8�5 e 8�9 EN 1995-1-1� • Devem ser utilizados parafusos com o mesmo comprimento em todos os furos�

114 | DISC FLAT | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS


DISC FLAT A2

ETA 19/0706

LIGADOR OCULTO REMOVÍVEL TENSÕES COMBINADAS Resistente a forças quer de corte quer de tração, graças ao aperto dos elementos por meio de uma barra condutora� Marcação CE conforme ETA�

PRÁTICO Instalação simples graças à possibilidade de aperto sucessivamente à montagem� Fixação rápida e precisa graças aos parafusos KKF AISI410�

REMOVÍVEL Utilizável também para estruturas temporárias, pode ser removido com simplicidade, graças ao sistema de barra condutora�

CARATERÍSTICAS FOCUS

ligações universais

SECÇÕES DE MADEIRA

de 100 x 100 mm a 280 x 280 mm

VÍDEO

RESISTÊNCIA

Rv acima de 40 kN, Rax acima de 70 kN

Digitalize o QR Code e assista ao vídeo no nosso canal YouTube

FIXAÇÕES

KKF AISI410, KOS A2

MATERIAL Aço inoxidável A2 | AISI 304�

CAMPOS DE APLICAÇÃO Ligações de corte madeira-madeira em todas as direcções da viga secundária • madeira maciça e lamelar • CLT, LVL • painéis à base de madeira

116 | DISC FLAT A2 | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS


CLASSE DE SERVIÇO 3 O aço inoxidável A2 | AISI304 juntamente com os parafusos KKF de aço inoxidável martensítico permitem utilizar a ligação na classe de serviço 3�

OAK FRAME Ideal para a ixação de madeiras agressivas que contenham taninos, como o castanho e o carvalho� Montagem com parafusos para o exterior KKF AISI410�

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | DISC FLAT A2 | 117


CÓDIGOS E DIMENSÕES s CÓDIGO DISCFA255

D

s

M

n0° + n45°

pçs

[mm]

[mm]

[mm]

55

10

12

10

16

DISCFA280

80

15

16

10

8

DISCFA2120

120

15

20

18

4

Parafusos não incluídos na embalagem�

D

KKF AISI410 para DISCFA255 CÓDIGO

d1

L

b

[mm]

[mm]

[mm]

TX

pçs

KKF550

5

50

30

TX25

200

KKF560

5

60

35

TX25

200

KKF570

5

70

40

TX25

100

TX

pçs

d1 L

KKF AISI410 paraDISCFA280 e DISCFA2120 CÓDIGO

d1

L

b

[mm]

[mm]

[mm]

KKF680

6

80

50

TX30

100

KKF6100

6

100

60

TX30

100

KKF6120

6

120

75

TX30

100

d1 L

MATERIAL E DURABILIDADE

FORÇAS

DISC FLAT A2: aço inoxidável AISI304� Utilização em classes de serviço 1, 2 e 3 (EN 1995-1-1)�

Fv Flat

CAMPOS DE EMPREGO • Ligações madeira-madeira entre elementos estruturais de madeira maciça, lamelar, LVL e CLT • Ligações madeira-aço • Ligações madeira-betão

Flat Fax Fv

GEOMETRIA n45° n0°

M

D

D

s

118 | DISC FLAT A2 | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS


DIMENSÕES MÍNIMAS CONECTOR DISC FLAT

PARAFUSOS

DISCFA255

DISCFA280

DISCFA2120

VIGA SECUNDÁRIA

ELEMENTO PRINCIPAL

ØxL

bJ,min

hJ,min

HH,min*

DH

SF

DF

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

KKF AISI410 Ø5 x 50

100

100

110 13

11

56

17

16

81

21

16

121

KKF AISI410 Ø5 x 60

110

110

115

KKF AISI410 Ø5 x 70

130

130

130

KKF AISI410 Ø6 x 80

150

150

165

KKF AISI410 Ø6 x 100

180

180

180

KKF AISI410 Ø6 x 120

210

210

210

KKF AISI410 Ø6 x 80

160

160

200

KKF AISI410 Ø6 x 100

190

190

215

KKF AISI410 Ø6 x 120

220

220

230

* HH, mín� só é válido no caso de instalação com fresagem� Para a instalação sem fresagem, aplicam-se as distâncias mínimas para o parafuso de rosca métrica, de acordo com a EN 1995-1-1�

INSTALAÇÃO SEM FRESAGEM ELEMENTO PRINCIPAL

VIGA SECUNDÁRIA

ta

DH

HH

hJ

hJ

bJ

COM FRESAGEM ABERTA ELEMENTO PRINCIPAL

VIGA SECUNDÁRIA

ta

DH

SF

HH

HH

hJ

hJ

bJ

DF

COM FRESAGEM CIRCULAR ELEMENTO PRINCIPAL

VIGA SECUNDÁRIA

ta

DH

HH

HH

DF

SF

hJ

hJ

bJ

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | DISC FLAT A2 | 119


ENTRE-EIXOS E ESPAÇAMENTOS conector

DISCFA255

DISCFA280

DISCFA2120

parafusos Ø x L

a1

a3,t

a4,t

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

KKF AISI410 Ø5 x 50 KKF AISI410 Ø5 x 60 KKF AISI410 Ø5 x 70 KKF AISI410 Ø6 x 80 KKF AISI410 Ø6 x 100 KKF AISI410 Ø6 x120 KKF AISI410 Ø6 x 80 KKF AISI410 Ø6 x 100 KKF AISI410 Ø6 x 120

90 105 120 140 170 200 150 180 210

50 55 65 75 90 105 80 95 110

ELEMENTO PRINCIPAL INSTALAÇÃO COM FRESAGEM ta

VIGA SECUNDÁRIA INSTALAÇÃO SIMPLES

60

90

120

VIGA SECUNDÁRIA INSTALAÇÃO MÚLTIPLA

SF a3,t

a3,t

Fv a3,t

a4,t a3,t

a1

a3,t

a1

a3,t

a3,t

OPÇÕES DE COLOCAÇÃO

a3,t

A orientação do conector é indiferente� Pode ser colocado de acordo com a OPÇÃO 1 ou OPÇÃO 2� DISCFA255

DISCFA280

DISCFA2120

OPÇÃO 1

OPÇÃO 2

FIXAÇÕES CONECTOR DISC FLAT

DISCFA255 DISCFA280 DISCFA2120

PARAFUSOS n45°

n0°

[pçs - Ø]

[pçs - Ø]

8 - KKF AISI410 Ø5 2 - KKF AISI410 Ø5 8 - KKF AISI410 Ø7 2 - KKF AISI410 Ø7 16 - KKF AISI410 Ø7 2 - KKF AISI410 Ø7

120 | DISC FLAT A2 | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS

parafusos de rosca métrica para ixação em madeira

anilhas para madeira

[pçs - Ø]

[pçs - Ø]

1 - AI601 M12 1 - AI601 M16 1 - AI601 M20

1 - AI9021 M12 1 - AI9021 M16 1 - AI9021 M20


VALORES ESTÁTICOS RESISTÊNCIAS LADO DA VIGA SECUNDÁRIA conector

parafusos Ø x L

bJ,min x hJ,min

Rv,screws,k = Rlat,screws,k

[mm]

[mm]

[kN]

KKF AISI410 Ø5 x 50 KKF AISI410 Ø5 x 60 KKF AISI410 Ø5 x 70 KKF AISI410 Ø6 x 80 KKF AISI410 Ø6 x 100 KKF AISI410 Ø6 x120 KKF AISI410 Ø6 x 80 KKF AISI410 Ø6 x 100 KKF AISI410 Ø6 x 120

DISCFA255

DISCFA280

DISCFA2120

100 x 100 110 x 110 130 x 130 150 x 150 180 x 180 210 x 210 160 x 160 190 x 190 220 x 220

Rax,screws,k [kN]

C24(1)

C50(2)

C24(1)

C50(2)

6,20 7,24 8,27 12,41 14,89 18,61 24,82 29,78 37,23

7,32 8,53 9,75 14,63 17,56 21,95 29,26 35,12 43,89

10,98 12,81 14,64 21,96 26,35 32,94 41,82 50,18 62,73

12,95 15,10 17,26 25,89 31,07 38,84 49,30 59,16 73,95

RESISTÊNCIA AO CORTE LADO DO ELEMENTO PRINCIPAL Rv,main,k(6) [kN]

conector SEM FRESAGEM viga DISCFA255 DISCFA280 DISCFA2120

COM FRESAGEM coluna

viga

coluna

C24(1)

C50(2)

C24(1)

C50(2)

C24(1)

C50(2)

C24(1)

C50(2)

11,1 15,0 25,7

11,5 15,2 26,6

13,5 20,2 32,5

14,7 22,2 35,6

21,3 32,9 58,5

24,0 37,2 67,0

27,7 45,2 78,5

32,3 53,0 92,1

Rlat,main,k(6) [kN]

conector

COM FRESAGEM(5)

SEM FRESAGEM viga DISCFA255 DISCFA280 DISCFA2120

coluna

viga

coluna

C24(1)

C50(2)

C24(1)

C50(2)

C24(1)

C50(2)

C24(1)

C50(2)

13,5 20,2 32,5

14,7 22,2 35,6

11,1 15,0 25,7

11,5 15,2 26,6

27,7 45,2 78,5

32,3 53,0 92,1

21,3 32,9 58,5

24,0 37,2 67,0

RESISTÊNCIA À TRAÇÃO LADO DO ELEMENTO PRINCIPAL conector

Rax,main,k [kN]

DISCFA255 DISCFA280 DISCFA2120

C24(3)

C50(4)

6,8 12,5 17,6

8,5 15,6 22,0

RIGIDEZ DA LIGAÇÃO O módulo de deslizamento pode ser calculado de acordo com a ETA-19/0706, com as seguintes expressões: Kax,ser = 150 kN/mm Kv,ser = Klat,ser =

ρm1,5 d kN/mm 23

Kv,ser = Klat,ser = 70

d2 kN/mm

Para conectores sob tensão ao corte em ligações madeira-madeira Para conectores sob tensão ao corte em ligações aço-madeira

onde: • d é o diâmetro do parafuso de rosca métrica em mm; • ρm é a densidade média do elemento principal, em kg/m3�

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | DISC FLAT A2 | 121


NOTAS:

PRINCÍPIOS GERAIS:

(1)

Valores calculados de acordo com a ETA-19/0706� No cálculo foi considerada madeira de coníferas com ρ k=350 kg/m3

• Os valores característicos de resistência da ligação são obtidos da seguinte forma:

(2)

Valores calculados de acordo com a ETA-19/0706� No cálculo foi considerada madeira de conífera com ρ k=430 kg/m3

(3)

Valores calculados de acordo com a ETA-19/0706 com anilhas do tipo DIN9021, devem ser recalculados se forem utilizadas outras anilhas� No cálculo foi considerado fc,90,k=2,4 MPa�

(4)

Valores calculados de acordo com a ETA-19/0706 com anilhas do tipo DIN9021, devem ser recalculados se forem utilizadas outras anilhas� No cálculo foi considerado fc,90,k=3,0 MPa�

(5)

(6)

Em caso de utilização do conector com fresagem na viga principal, se for aplicada uma tensão Flat , é necessário efetuar uma fresagem circular fechada� Os valores de resistência foram calculados para um comprimento útil do parafuso de rosca métrica de: - t a = 100 mm para DISCFA255; - t a = 120 mm para DISCFA280; - t a = 160 mm para DISCFA2120� No caso de comprimentos maiores ou menores, as resistências podem ser calculadas de acordo com a ETA-19/0706�

Rv,k = min

Rax,k = min

Rlat,k = min

Rv,screws,k Rv,main,k Rax,screws,k Rax,main,k Rlat,screws,k Rlat,main,k

• Os valores de projeto são obtidos a partir dos valores característicos, desta forma: Os coeicientes γ M e kmod devem ser considerados em função da norma vigente utilizada para o cálculo�

Rd =

Rk kmod γM

• Em caso de tensões combinadas Fv, Fax e Flat deve ser satisfeita a seguinte expressão:

Fax,d Rax,d

2

+

Fv,d Rv,d

+

Flat,d Rlat,d

≥ 1

• A dimensão e a veriicação dos elementos de madeira devem ser feitas à parte� • No caso de elemento principal em aço ou em betão, o cálculo de Rv,main,k , Rax,main,k e Rlat,main,k deve ser efetuado pelo projetista� O cálculo dos valores de projeto relativos deve ser efetuado utilizando os coeicientes γ M a considerar em função das normas em vigor utilizadas para o cálculo� • São possíveis duas opções de colocação na viga secundária (opção 1/opção 2)� As resistências não variam em ambos os casos� No caso de instalação múltipla, recomenda-se colocar os conectores alternando com a opção 1 e a opção 2� • Se for utilizado mais de um conector, as resistências do lado dos parafusos (Fv,screws , Fax,screws , Flat,screws) podem ser multiplicadas pelo número de conectores� • Se forem utilizados vários conectores, o cálculo da ligação no lado do elemento principal deve ser efetuado pelo projetista, de acordo com os capítulos 8�5 e 8�9 EN 1995-1-1� • Devem ser utilizados parafusos com o mesmo comprimento em todos os furos�

122 | DISC FLAT A2 | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS


ALGUMAS COLABORAÇÕES NASCEM PARA DURAR

CTC, o conector para lajes colaborantes madeira-betão Certificado CE, permite ligar uma laje de betão de 5 ou 6 cm às vigas de madeira da laje abaixo, obtendo uma nova estrutura de madeira-betão com uma extraordinária resistência e excelente desempenho estático e acústico. Um sistema homologado, auto-perfurante, reversível, rápido e não invasivo. Descubra-o agora!

www.rothoblaas.pt


VGU

ETA 11/0030

ANILHA 45° PARA VGS SEGURANÇA A anilha VGU permite que instale os parafusos VGS com inclinação 45° em chapas em aço� Anilha com marcação CE de acordo com ETA-11/0030�

RESISTÊNCIA A utilização das VGU com parafusos VGS inclinados a 45° em chapas em aço restaura os valores de resistência ao deslizamento do parafuso�

PRATICIDADE A moldagem ergonómica assegura uma aderência boa e precisa durante a instalação� Três versões de anilhas compatíveis com VGS Ø9, Ø11 e Ø13 mm para chapas de espessura variável�

CARATERÍSTICAS FOCUS

ligações 45° aço-madeira

ESPESSURA DA CHAPA

de 3,0 a 20,0 mm

FURO CHAPA

ranhurado

FURO DA ANILHA

9,0 | 11,0 | 13,0 mm

VÍDEO Digitalize o QR Code e assista ao vídeo no nosso canal YouTube

MATERIAL Aço carbónico electrogalvanizado�

CAMPOS DE APLICAÇÃO • madeira maciça e lamelar • CLT, LVL • painéis à base de madeira • madeiras de alta densidade Classes de serviço 1 e 2�

124 | VGU | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS


RESISTÊNCIA À TRAÇÃO Ideal nas ligações onde é pedida uma elevada resistência à tração ou deslizamento� Possibilidade de utilização em chapas VGU PLATE T�

VGU PLATE T Ideal em combinação com chapas VGU PLATE T para ligações rígidas com restabelecimento parcial das forças de momento�

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | VGU | 125


CÓDIGOS E DIMENSÕES ANILHA VGU CÓDIGO

parafuso

dv

pçs

[mm]

[mm]

VGU945

VGS Ø9

5

25

VGU1145

VGS Ø11

6

25

VGU1345

VGS Ø13

8

25

GABARITO JIG VGU CÓDIGO

anilha

dh

dv

[mm]

[mm]

[mm]

pçs

JIGVGU945

VGU945

5,5

5

1

JIGVGU1145

VGU1145

6,5

6

1

JIGVGU1345

VGU1345

8,5

8

1

pçs

dh

BROCAS PARA MADEIRA HSS CÓDIGO

dv

LT

LE

[mm]

[mm]

[mm]

5

150

100

1

F1599106

6

150

100

1

F1599108

8

150

100

1

pçs

F1599105

LE LT

ANEL DE BLOQUEIO PONTAS HSS CÓDIGO

dv

dint

dext

[mm]

[mm]

[mm]

dint

F2108005

5

5

10

10

F2108006

6

6

12

10

F2108008

8

8

16

10

dext

dv = diâmetro do pré-furo

MATERIAL E DURABILIDADE

FORÇAS

VGU: aço carbónico S235 com eletrogalvanização� Utilização em classes de serviço 1 e 2 (EN 1995-1-1)�

Fv

CAMPOS DE EMPREGO • Ligações aço-madeira

PRODUTOS ADICIONAIS - FIXAÇÕES tipo

descrição

d

suporte

pág.

[mm] VGS

conector todo-rosca

126 | VGU | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS

9-11-13

564


GEOMETRIA

D2 D1

H

h L Anilha

VGU945

VGU1145

VGU1345

Diâmetro do parafuso VGS

d1

[mm]

9,0

11,0

13,0

Diâmetro do pré-furo

dv

[mm]

5,0

6,0

8,0

Diâmetro interno

D1

[mm]

9,7

11,8

14,0

Diâmetro externo

D2

[mm]

19,0

23,0

27,4

Comprimento do dente

L

[mm]

31,8

38,8

45,8

Altura do dente

h

[mm]

3,0

3,6

4,3

Altura global

H

[mm]

23,0

28,0

33,0

Aconselha-se a fazer um furo-guia de Ø5 mm para parafusos VGS de comprimento L > 300 mm� A montagem deve ser de tal maneira para garantir que as tensões sejam uniformemente distribuídas sobre todas as anilhas VGU instaladas�

INSTALAÇÃO LF

BF

SPLATE

Anilha

VGU1145

VGU1345

min� 33,0 min� 41,0 Comprimento do furo sulcado LF [mm] máx� 34,0 máx� 42,0 min� 14,0 min� 17,0 Largura do furo sulcado BF [mm] máx� 15,0 máx� 18,0 min� 3,0 min� 4,0 Espessura da chapa de aço SPLATE [mm] máx� 12,0* máx� 15,0* (*) Para espessuras maiores, é necessário efetuar uma expansão na parte inferior da chapa em aço�

VGU945

min� 49,0 máx� 50,0 min� 20,0 máx� 21,0 min� 5,0 máx� 15,0*

APLICAÇÃO MADEIRA-AÇO MOMENTO DE APARAFUSAMENTO RECOMENDADO: Mins NO IMPACT

G V

mm

G

Mins = 50 Nm

V

VGS Ø13

X

Mins = 40 Nm

S

VGS Ø11 L ≥ 400 mm

Mins X

Mins = 30 Nm S

VGS Ø11 L < 400 mm

X

X

510

X

Mins = 20 Nm

X

VGS Ø9

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | VGU | 127


INSTALAÇÃO COM AUXÍLIO DE GABARITO PARA PRÉ-FURO

O gabarito de ajuda pré-furo permite de efetuar um furo guia a 45° que facilita a fase de aparafusamento�

1

2

V

Mediante o gabarito de auxílio, efetuar um pré-furo usando a respetiva ponta (pelo menos 20 mm)�

NO IMPACT

S

G

Colocar a anilha VGU na respetiva ranhura e utilizar o gabarito JIG-VGU do diâmetro correto�

X

X

X

V

S

G

45° X

X

X

3

4

Posicionar o parafuso e respeitar o ângulo de inserção a 45°�

Com aparafusador NÃO POR IMPULSOS apertar parando a cerca de 1 cm da anilha�

Mins X

X

S X

S X

G

V

S

X

X X

S

X

G

S

X

V

G

V

X

V

S

G

X

X

S

G

X

V

X

X

X

V

S

G

X

X

X

Completar o aparafusamento através chave dinamométrica aplicando o correto momento de inserção máximo�

128 | VGU | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS

X

X

5

6

Executar a operação para todas as anilhas�

G

V G

X

510

G

X X

mm

X

S

X

V

X

V


INSTALAÇÃO SEM AUXÍLIO DE PRÉ-FURO

LF

V

NO IMPACT

S

G

Apoiar a chapa em aço à madeira e posicionar as anilhas VGU nas respetivas ranhuras�

X

X

X

V

S

G

45° X

X

X

1

2

Posicionar o parafuso e respeitar o ângulo de inserção a 45°�

Com aparafusador NÃO POR IMPULSOS apertar parando a cerca de 1 cm da anilha�

Mins X

X

S X

S

G V

S

X

G

V

X

G

X

X X

S

X

V

S

X

G

V

G

510

G

X X

mm

X

S

X

V

X

V

X

V

S

G

X

X

S

G

X

V

X

X

X

V

S

G

X

X

X

Completar o aparafusamento através chave dinamométrica aplicando o correto momento de inserção máximo�

X

X

3

4

Executar a operação para todas as anilhas�

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | VGU | 129


VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO AÇO-MADEIRA RESISTÊNCIA AO DESLIZAMENTO RV Fv SPLATE

45°

L

S

g

Fv

Amin d1

VGU

VGS d1

madeira L

[mm] [mm]

madeira

aço

Sg

A min

RV,k(1)

Sg

A min

RV,k(1)

Sg

A min

RV,k(1)

Rtens,k 45°(2)

[mm]

[mm]

[kN]

[mm]

[mm]

[kN]

[mm]

[mm]

[kN]

[kN]

SPLATE

VGU945

9

3 mm

11

7 mm

12 mm

100

80

75

6,43

75

75

6,03

65

65

5,22

120

100

90

8,04

95

85

7,63

85

80

6,83

140

120

105

9,64

115

100

9,24

105

95

8,44

160

140

120

11,25

135

115

10,85

125

110

10,04

180

160

135

12,86

155

130

12,46

145

125

11,65

200

180

145

14,46

175

145

14,06

165

135

13,26

220

200

160

16,07

195

160

15,67

185

150

14,87

240

220

175

17,68

215

170

17,28

205

165

16,47

260

240

190

19,29

235

185

18,88

225

180

18,08

280

260

205

20,89

255

200

20,49

245

195

19,69

300

280

220

22,50

275

215

22,10

265

205

21,29

320

300

230

24,11

295

230

23,71

285

220

22,90

340

320

245

25,71

315

245

25,31

305

235

24,51

360

340

260

27,32

335

255

26,92

325

250

26,12

380

360

275

28,93

355

270

28,53

345

265

27,72

400

380

290

30,54

375

285

30,13

365

280

29,33

440

420

315

33,75

415

315

33,35

405

305

32,54

480

460

345

36,96

455

340

36,56

445

335

35,76

520

500

375

40,18

495

370

39,78

485

365

38,97

SPLATE

VGU1145

madeira

4 mm 100

75

75

10 mm 7,37

70

70

15 mm 6,88

60

60

5,89

125

100

90

9,82

95

85

9,33

85

80

8,35

150

125

110

12,28

120

105

11,79

110

100

10,80

175

150

125

14,73

145

125

14,24

135

115

13,26

200

175

145

17,19

170

140

16,70

160

135

15,71

225

200

160

19,64

195

160

19,15

185

150

18,17

250

225

180

22,10

220

175

21,61

210

170

20,63

275

250

195

24,55

245

195

24,06

235

185

23,08

300

275

215

27,01

270

210

26,52

260

205

25,54

325

300

230

29,46

295

230

28,97

285

220

27,99

350

325

250

31,92

320

245

31,43

310

240

30,45

375

350

265

34,38

345

265

33,88

335

255

32,90

400

375

285

36,83

370

280

36,34

360

275

35,36

450

425

320

41,74

420

315

41,25

410

310

40,27

500

475

355

46,65

470

350

46,16

460

345

45,18

550

525

390

51,56

520

390

51,07

510

380

50,09

600

575

425

56,47

570

425

55,98

560

415

55,00

700

675

495

66,30

670

495

65,80

660

485

64,82

800

775

570

76,12

770

565

75,63

760

555

74,64

130 | VGU | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS

17,96

26,87


VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO AÇO-MADEIRA RESISTÊNCIA AO DESLIZAMENTO RV Fv SPLATE

45°

L

S

g

Fv

Amin d1

VGU

VGS d1

madeira L

[mm] [mm]

madeira

aço

Sg

A min

RV,k (1)

Sg

A min

RV,k (1)

Sg

A min

RV,k (1)

Rtens,k 45° (2)

[mm]

[mm]

[kN]

[mm]

[mm]

[kN]

[mm]

[mm]

[kN]

[kN]

SPLATE

VGU1345

13

madeira

5 mm

10 mm

15 mm

100

65

65

7,54

60

60

6,96

50

55

5,80

150

115

100

13,35

110

100

12,77

100

90

11,61

200

165

135

19,15

160

135

18,57

150

125

17,41

300

265

205

30,76

260

205

30,18

250

195

29,02

400

365

280

42,37

360

275

41,79

350

265

40,63

500

465

350

53,97

460

345

53,39

450

340

52,23

600

565

420

65,58

560

415

65,00

550

410

63,84

37,48

NOTAS: (1)

A resistência à extração do conector foi avaliada considerando-se um ângulo de instalação de 45° entre as ibras e o conector e para um comprimento de rosca eicaz equivalente a S g�

• Para uma correcta realização da junta, a cabeça do ligador deve ser completamente inserida na anilha VGU�

(2)

A resistência à tração do conector foi avaliada considerando um ângulo de colocação de 45° entre as ibras e o conector�

• Em fase de cálculo, considerou-se uma massa volúmica dos elementos de madeira equivalente a ρ k = 385 kg/m3 �

PRINCÍPIOS GERAIS: • Os valores característicos são conforme a norma EN 1995-1-1, de acordo com ETA-11/0030� • A resistência de projeto ao deslizamento do conector é a mínima entre a resistência de projeto do lado da madeira (Rv,d) e a resistência de projeto do lado do aço (Rtens,d 45°):

RV,d = min

• Para valores Intermediários de S PLATE é possível interpolar linearmente�

• O dimensionamento e a veriicação dos elementos de madeira e das chapas em aço devem ser realizados separadamente� • Para uma ila de n conectores paralelos à tensão Fv, recomenda-se que a capacidade efetiva de carga seja avaliada como: Rv,d,tot = n ef · Rv,d con n ef = max { 0,9 n ; n 0,9 }

RV,k kmod γM Rtens,k 45° γM2

Os coeicientes kmod e yM devem ser considerados em função da norma vigente utilizada para o cálculo�

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | VGU | 131


VGU PLATE T

TIMBER

CHAPA PARA FORÇAS DE TRAÇÃO LIGAÇÃO DE ENCASTRAMENTO Em combinação com a anilha VGU e os parafusos VGS, permite a transferência de tensões de momento para os nós viga-pilar�

NÓ POR TRAÇÃO Graças à utilização de parafusos VGS dispostos a 45°, permite transferir forças de tração elevadas�

FÁCIL DE INSTALAR A chapa possui ranhuras para alojar as anilhas VGU que permitem a inserção dos parafusos VGS a 45°�

CARATERÍSTICAS FOCUS

ligações de momento viga-pilar

SECÇÕES DE MADEIRA

de 120 x 120 mm a 280 x 400 mm

RESISTENTE AO MOMENTO Mk até 20 kNm FIXAÇÕES

VGU, VGS

MATERIAL Chapa bidimensional furada de aço carbónico electrogalvanizado�

CAMPOS DE APLICAÇÃO • madeira maciça e lamelar • CLT, LVL Classes de serviço 1 e 2�

132 | VGU PLATE T | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS


CARPOTS E PÉRGULAS Graças ao nó de encaixe viga-pilar realizável com VGU PLATE T, VGU e VGS, é possível realizar facilmente pequenos portais�

TRAÇÃO E COMPRESSÃO O nó de momento divide-se numa ação de tração absorvida pela chapa VGU PLATE T e numa ação de compressão absorvida pela madeira ou, como neste caso, pelo conector oculto DISC FLAT�

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | VGU PLATE T | 133


CÓDIGOS E DIMENSÕES CÓDIGO

B

L

s

B

pçs

[mm]

[mm]

[mm]

VGUPLATET185

88

185

3

1

VGUPLATET350

108

350

4

1

B

s L

L

s

MATERIAL E DURABILIDADE

FORÇAS

VGU PLATE T: aço carbónico electrogalvanizado� Utilização em classes de serviço 1 e 2 (EN 1995-1-1)� F1

F1

CAMPOS DE EMPREGO • Ligações madeira-madeira M

PRODUTOS ADICIONAIS tipo

descrição

d

suporte

pág.

[mm] VGS

parafuso todo-rosca

9-11

564

VGU

anilha 45°

9-11

124

GEOMETRIA VGUPLATET185

VGUPLATET350

3

Ø5

Ø5

185 Ø14

350 Ø17 33 16

41

46 88

37 41 17 55 108

134 | VGU PLATE T | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS

4


INSTALAÇÃO E DISTÂNCIAS MÍNIMAS DISTÂNCIA DA BORDA a4,C d parafuso

a4,c

[mm]

B1,min

[mm]

[mm]

VGUPLATET185

9

≥ 4d

36

120

VGUPLATET350

11

≥ 4d

44

150

B1,min a2,CG

DISTÂNCIA ENTRE O CENTRO DE GRAVIDADE DO PARAFUSO E A EXTREMIDADE CARREGADA A1,CG d parafuso

a1,CG

L parafuso,mín(1)

[mm]

[mm]

[mm]

H1,min(1) B2,min(1) [mm]

VGUPLATET185

9

≥ 10d

90

120

90

150

VGUPLATET350

11

≥ 10d

110

175

125

260

(1)

H1,min

[mm]

a1,CG

Valor limite válido considerando a linha central da chapa centrada na interface dos elementos de madeira, utilizando todos os conectores�

B2,min

POSICIONAMENTO As chapas VGU PLATE T podem ser utilizadas em ligações de tração ou de momento; o posicionamento deve ser efetuado de acordo com as distâncias mínimas para parafusos inclinados� Os furos Ø5 foram concebidos para colocar a chapa com LBA Ø4/LBS Ø5 antes de ixar os parafusos inclinados com anilha; para os detalhes de montagem das VGU ver a pág� 128-129� São apresentados os entre-eixos ixos entre os conectores para ambas as chapas�

32,5

120

35

78

124

Em função das necessidades de projeto, é possível criar uma ligação oculta através da fresagem dos elementos de madeira de acordo com as indicações da tabela

a

a

c

c

b

b

Dimensões da fresagem a

b

c

[mm]

[mm]

[mm]

VGUPLATET185

90

25

215

VGUPLATET350

110

30

380

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | VGU PLATE T | 135


VALORES ESTÁTICOS LIGAÇÃO POR TRAÇÃO

F1

F1

F1

F1

B1

H1

CÓDIGO

R1,k

dimensões do elemento ixações B1

H1

[mm]

[mm]

120 VGUPLATET185

180

pçs

R1,k tens

R1,k plate

[kN]

[kN]

[kN]

35,9

39,3

100,3

95,9

9 x 220

2+2

32,1

2+2

38,6

9 x 260

2+2

38,6

9 x 320

2+2

48,2

9 x 320

2+2

48,2

VGU945

280

9 x 380

2+2

57,9

200

11 x 275

4+4

91,6

240

11 x 325

4+4

110,0

240

11 x 325

4+4

110,0

11 x 375

4+4

128,3

280

11 x 375

4+4

128,3

320

11 x 450

4+4

155,8

280

200

[mm]

VGU1145

steel plate

R1,k ax

9 x 260

240

160

nv

160

240

160

VGS - d1 x L

200 200

140

VGUPLATET350

VGU

R1,k

screw

PRINCÍPIOS GERAIS: • Os valores característicos são conforme a norma EN 1995-1-1 e ETA11/0030�

Os coeicientes kmod , γ M , γ M2 devem ser considerados em função da norma em vigor utilizada para o cálculo�

• Os valores de projeto são obtidos a partir dos valores característicos, desta forma:

• Em fase de cálculo, considerou-se uma massa volúmica dos elementos de madeira equivalente a ρ k = 385 kg/m3 �

Rd = min

R1,k ax kmod γtimber R1,k tens γMsteel R1,k steel γMsteel

Md = min

Mk timber kmod γMtimber Mk steel γMsteel

γ Msteel deve ser considerado γ M2

136 | VGU PLATE T | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS

• A dimensão e a veriicação dos elementos de madeira devem ser feitas à parte� Em caso de utilização em ligações de momento, deve ser utilizado um sistema de ligação adequado para absorver as cargas de corte� • Os valores de resistência são válidos para as hipóteses de cálculo deinidas em tabela; condições de limite diferentes devem ser veriicadas�


VALORES ESTÁTICOS LIGAÇÕES DE MOMENTO VIGA-PILAR

B1

H1

M

B2

CÓDIGO

dimensões dos elementos B2

(1)

[mm] 220 240 VGUPLATET185

240 290 290 330 330 370

VGUPLATET350

370 400 400 460

ixações

B1

H1

[mm]

[mm]

120 140 160 160 180 200

VGU

Mk timber(2)

Mk steel(2)

pçs

[kNm]

[kNm]

VGS - d1 x L

nv

[mm]

160

9 x 220

2+2

2,9

4,0

200

9 x 260

2+2

4,5

5,0

9 x 260

2+2

5,1

5,0

9 x 320

2+2

7,3

6,0

200

VGU945

240 240

9 x 320

2+2

8,1

6,1

280

9 x 380

2+2

11,2

7,1

200

11 x 275

4+4

6,7

11,6

240

11 x 325

4+4

9,6

13,9

240

11 x 325

4+4

10,6

14,0

VGU1145

11 x 375

4+4

14,4

16,4

280

11 x 375

4+4

15,8

16,5

320

11 x 450

4+4

20,8

18,8

280

NOTAS: (1)

Dimensões mínimas do pilar utilizando os comprimentos dos parafusos da tabela, considerando a chapa centrada na interface dos elementos de madeira�

(2)

Momentos resistentes calculados com ligações elásticas lineares, considerando a deformabilidade dos parafusos na distribuição das forças�

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | VGU PLATE T | 137


NEO CHAPAS DE APOIO EM NEOPRENE DIMENSÕES A largura das tiras é optimizada para as secções de vigas mais comuns� Disponível também em placas a serem cortadas conforme as exigências do estaleiro�

APOIO Ideal para a realização de apoios estruturais e vínculos estáticos com dois graus de folga� Versão com a marcação CE em garantia da idoneidade ao uso�

MARCAÇÃO CE Versão conforme a norma EN 1337-3, ideal para empregos estruturais�

MATERIAL Placas de borracha natural e de borracha de estirene�

CAMPOS DE APLICAÇÃO Suportes estruturais em betão • madeira maciça e lamelar • CLT, LVL • painéis à base de madeira

138 | NEO | LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS


CÓDIGOS E DIMENSÕES NEO 10 E NEO 20 CÓDIGO

descrição

s

B

L

[mm] [mm] [mm] NEO101280 NEO101680 NEO202080 NEO202480 NEO10PAL NEO20PAL

tira tira tira tira placa placa

peso

pçs

[kg]

L

10 10 20 20 10 20

120 160 200 240 1200 1200

800 800 800 800 800 800

1,46 1,95 4,86 5,84 14,6 29,2

1 1 1 1 1 1

s

B

L

peso

pçs

B B

L

NEO 10 CE CÓDIGO

descrição

[mm] [mm] [mm] NEO101680CE NEO102080CE

L

[kg]

tira tira

10 10

160 200

800 800

1,60 2,00

1 1

descrição

s

B

L

peso

pçs

B

NEO 20 CE CÓDIGO

[mm] [mm] [mm] NEO202080CE NEO202480CE

tira tira

20 20

200 240

800 800

L

[kg] 4,00 4,80

1 1

B

DADOS TÉCNICOS NEO Caraterísticas

valores g/cm3

Peso especíico

1,25

NEO CE Caraterísticas

normas

valores g/cm3

Peso especíico Módulo G

-

EN 1337-3 p. 4.3.1.1

Resistência à tração

-

ISO 37 tipo 2

Esticamento mínimo à rutura

-

ISO 37 tipo 2

MPa pequeno ensaio impresso pequeno ensaio a partir de um apoio pequeno ensaio impresso pequeno ensaio a partir de um apoio

MPa %

1,25 0,9 ≥ 16 ≥ 14 425 375 

Resistência mínima à laceração

24 h; 70 °C

ISO 34-1 método A

kN/m

≥ 8

Deformação residual depois da compressão

distanciador 9,38 - 25 %

ISO 815 / 24 h 70 °C

%

≤ 30

Resistência ao ozónio

esticamento: 30 % - 96 h; 40 °C ± 2 °C; 25 pphm

ISO 1431-1

vista

nenhuma fenda 

Desgaste acelerado    

(variação máxima do valor não desgastado)

ISO 188

-

- 5 + 10 

Dureza

7 d, 70 °C

ISO 48

IRHD

60 ± 5

Resistência à tração

7 d, 70 °C

ISO 37 tipo 2

%

± 15

Esticamento à rutura

7 d, 70 °C

ISO 37 tipo 2

%

± 25

RESISTÊNCIA À COMPRESSÃO: • A resistência característica à compressão Rk para suportes de rolamentos simples é calculada de acordo com a norma EN 1337-3�

Rk = min 1,4 G

A2 lp 1,8t

• Os valores de projeto são obtidos a partir dos valores característicos, desta forma: Rd=Rk / γ M O coeiciente γ M deve ser considerado em função da norma em vigor utilizada para o cálculo�

;7 A G

com A=área, lp= perímetro e t=espessura da chapa�

LIGAÇÕES OCULTAS PARA VIGAS | NEO | 139


ADESIVOS EPOXÍDICOS E CHAPAS ENGANCHADAS


ADESIVOS EPOXÍDICOS E CHAPAS ENGANCHADAS


ADESIVOS EPOXÍDICOS E CHAPAS ENGANCHADAS

XEPOX ADESIVO EPOXÍDICO BICOMPONENTE � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � 146

SHARP METAL CHAPAS ENGANCHADAS DE AÇO � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � 160

ADESIVOS EPOXÍDICOS E CHAPAS ENGANCHADAS | 143


LIGAÇÕES DIFUSAS E CONCENTRADAS

MODO DE TRANSFERÊNCIA DAS FORÇAS As ligações com conectores de haste cilíndrica transmitem a carga através de forças de corte elevadas e muito localizadas: estas são transmitidas nos elementos estruturais de forma não homogénea, tensionando por esforço de apoio um volume limitado de madeira (a azul na imagem ao lado)�

Ligação com conectores de haste cilíndrica�

O adesivo epoxídico XEPOX e a tecnologia SHARP METAL permitem distribuir a carga numa área muito ampla em comparação com a envolvida por um conector de haste cilíndrica� Isto resulta numa tensão mais homogénea e menos severa no componente de madeira�

Ligação colada com XEPOX�

Ligação com SHARP METAL�

FATORES DE ESCALA As ligações de haste cilíndrica têm normalmente diâmetros entre 4 e 20 mm e são carregadas com forças proporcionais a esta dimensão� Como a força é concentrada, a utilização destes conectores requer o respeito pelas distâncias e entre-eixos mínimos, para evitar ruturas frágeis ao longo da ibra de madeira sob tensão� Além disso, no caso de utilização de conectores de grande diâmetro, há um enfraquecimento considerável da secção útil dos elementos de madeira nos furos� O engrenamento mecânico da superfície enganchada SHARP METAL e a penetração do adesivo XEPOX na estrutura de madeira permitem uma distribuição da carga por toda a área de madeira ligada, evitando fenómenos de splitting e o enfraquecimento das secções� 144 | LIGAÇÕES DIFUSAS E CONCENTRADAS | ADESIVOS EPOXÍDICOS E CHAPAS ENGANCHADAS


VERSATILIDADE DAS LIGAÇÕES PARA FORÇAS DIFUSAS As tecnologias de funcionamento para forças difusas são capazes de se adaptar a diferentes soluções de projeto, explorando os diferentes mecanismos de suporte de carga� O adesivo epoxídico XEPOX e as tecnologias SHARP METAL são capazes de fornecer ligações entre dois elementos de madeira, transferindo as cargas com forças de corte para as superfícies envolvidas�

SHARP METAL

XEPOX

Além disso, o mecanismo para forças difusas também é aplicável a ligações geralmente realizadas com conectores de haste cilíndrica, proporcionando um aumento de rigidez e resistência�

LOCK SHARP

LIGAÇÕES DE MOMENTO chapa saibrada

Vs G Ms

Ns

d

e

chapa furada

A tecnologia SHARP METAL é aplicada diretamente no conector, aumentando a resistência dos parafusos�

A chapa oculta numa fresagem transfere as cargas graças à resina, que adere perfeitamente à chapa saibrada ou engrena nas suas cavidades se for perfurada�

ADESIVOS EPOXÍDICOS E CHAPAS ENGANCHADAS | LIGAÇÕES DIFUSAS E CONCENTRADAS | 145


XEPOX

EN 1504-4

ADESIVO EPOXÍDICO BICOMPONENTE CONFIÁVEL A sua durabilidade é comprovada pelos 30 anos de utilização na construção em madeira�

EFICIENTE Adesivo epoxídico bicomponente de alto desempenho� A resistência dos nós depende exclusivamente do material da madeira, graças à sobre-resistência do adesivo�

VERSÁTIL Em cartucho para uma utilização prática e rápida, em formatos de 3 litros e 5 litros para ligações de maior volume�

CARATERÍSTICAS FOCUS TIPOLOGIAS GAMA APLICAÇÃO

colagens estruturais ligações com barras, ligações com chapas furadas ou saibradas 5 produtos para se adaptar a todas as necessidades de aplicação aplicável por pulverização, pincel, percolação ou espátula, dependendo da viscosidade

VÍDEO Digitalize o QR Code e assista ao vídeo no nosso canal YouTube

MATERIAL Adesivo epoxídico bicomponente�

CAMPOS DE APLICAÇÃO Ligações de corte, ação axial e momento realizáveis em • madeira maciça e lamelar • CLT • betão

146 | XEPOX | ADESIVOS EPOXÍDICOS E CHAPAS ENGANCHADAS


ESTRUTURAL Ideal para a realização de nós rígidos multidirecionais�

CONSOLIDAÇÃO ESTÁTICA Utilizável para a reconstrução do material de madeira em combinação com barras metálicas e outros materiais�

ADESIVOS EPOXÍDICOS E CHAPAS ENGANCHADAS | XEPOX | 147


CÓDIGOS E DIMENSÕES CAIXAS

CARTUCHOS

CÓDIGO

descrição

conteúdo

pçs

CÓDIGO

descrição

[ml] XEPOXP3000

P - primer

XEPOXL3000

L - líquido

XEPOXL5000 XEPOXF3000

F - luido

XEPOXF5000 XEPOXG3000

G - gel

conteúdo

pçs

[ml]

A + B = 3000

1

XEPOXF400

F - luido

400

1

A + B = 3000

1

XEPOXD400

D - denso

400

1

A + B = 5000

1

A + B = 3000

1

A + B = 5000

1

A + B = 3000

1

PRODUTOS ADICIONAIS - ACESSÓRIOS CÓDIGO

descrição

MAMDB

pistola para cartuchos duplos

pçs 1

STINGXP

bico misturador

1

APLICAÇÕES XEPOX P - primer Adesivo epoxídico bicomponente de baixíssima viscosidade e elevada molhabilidade sobre o suporte, para reforços estruturais com itas/tecidos de carbono ou de vidro� Útil também para a proteção de chapas saibradas SA2,5/SA3 (ISO 8501) e para a construção de insertos FRP (Fiber Reinforced Polymers)� Aplicável por rolo, pulverização e pincel� Prazo de validade 36 meses na embalagem original fechada, a temperaturas entre +5 °C e +30 °C�

A

B

A

B

Classiicação componente A: Eye Irrit� 2; Skin Irrit� 2; Skin Sens� 1; Aquatic Chronic 2� Classiicação componente B: Acute Tox� 4; Skin Corr� 1B; Eye Dam� 1;Skin Sens� 1; Aquatic Chronic 3�

XEPOX L - líquido Adesivo epoxídico bicomponente para empregos estruturais, muito luido, aplicável para escoamento em furos verticais muito profundos e para grandes juntas com insertos ocultos, em fresagens muito extensas ou com espaços internos muito exíguos (1 mm ou superiores), sempre com uma prévia e cuidadosíssima selagem das fugas� Fluido e injetável� Prazo de validade 36 meses na embalagem original fechada, a temperaturas entre +5 °C e +30 °C� Classiicação componente A: Eye Irrit� 2; Skin Irrit� 2; Skin Sens� 1; Aquatic Chronic 2� Classiicação componente B: Acute Tox� 4; STOT RE 2; Skin Corr� 1B; Eye Dam� 1; Skin Sens� 1; Aquatic Chronic 3�

XEPOX F - fluido Adesivo epoxídico bicomponente luido para empregos estruturais, aplicável por injeção em furos e em fresagens, com prévia selagem das fugas� Preferível para a solidarização à madeira dos conectores dobrados (sistema Turrini-Piazza) nas lajes colaborantes de madeira-betão, quer com vigas novas quer com vigas existentes; interstício entre o metal e a madeira de cerca de 2 mm ou superior� Percolação nos furos verticais nas fresagens depois da inserção de ponteiras metálicas em chapa ou em barra� Fluido e injetável com cartucho� Prazo de validade 36 meses na embalagem original fechada, a temperaturas entre +5 °C e 30 °C�

A

B

Classiicação componente A: Eye Irrit� 2; Skin Irrit� 2; Skin Sens� 1; Aquatic Chronic 2� Classiicação componente B: STOT RE 2; Skin Corr� 1A; Eye Dam� 1; Skin Sens� 1; Aquatic Chronic 3�

XEPOX D - denso Adesivo epoxídico bicomponente tixotrópico (viscoso) para usos estruturais, aplicável por injeção, sobretudo em furos horizontais ou verticais, nas vigas de madeira lamelada, madeira maciça, nas construções de tijolos e no betão armado� Injetável com cartucho� Prazo de validade 36 meses na embalagem original fechada, a temperaturas entre +5 °C e +30 °C� Classiicação componente A: Eye Irrit� 2; Skin Irrit� 2; Skin Sens� 1; Aquatic Chronic 2� Classiicação componente B: Repr� 1A; Acute Tox� 4; Skin Corr� 1B; Eye Dam� 1; Skin Sens� 1; Aquatic Chronic 3 �

XEPOX G - gel Adesivo epoxídico bicomponente em gel para empregos estruturais, aplicável com espátula também sobre superfícies verticais e na formação de espessuras consistentes ou irregulares� Apropriado para sobreposições de madeira muito extensas e a colagem de reforços estruturais, com a utilização de tecidos de ibras de vidro ou carbono e para placagens (aumento de espessura) de madeira ou metal� Aplicável com espátula� Prazo de validade 36 meses na embalagem original fechada, a temperaturas entre +5 °C e +30 °C� Classiicação componente A: Eye Irrit� 2; Skin Irrit� 2; Skin Sens� 1; Aquatic Chronic 2� Classiicação componente B: Acute Tox� 4; Skin Corr� 1A; Eye Dam� 1; STOT SE 3; Skin Sens� 1; Aquatic Chronic 3�

148 | XEPOX | ADESIVOS EPOXÍDICOS E CHAPAS ENGANCHADAS

A

B


CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS Propriedades

Normativa

XEPOX P

XEPOX L

XEPOX F

XEPOX D

XEPOX G

Peso especíico

ASTM D 792-66

≈ 1,10

≈ 1,40

≈ 1,45

≈ 2,00

≈ 1,90

Relação estequiométrica em volume (A/B)(1)

-

100 : 50 (2)

100 : 50

100 : 50

100 : 50

100 : 50

Pot life 23 ± 2° 150 cc

ERL 13-70

[min]

-

50 ÷ 60

50 ÷ 60

50 ÷ 60

60 ÷ 70

Tempo de transformação da mistura

ERL 13-70

[min]

25 ÷ 30

25 ÷ 30

25 ÷ 30

25 ÷ 30

-

Temperatura de aplicação (humidade relativa máx. 90%)

-

[°C]

10 ÷ 35

10 ÷ 35

10 ÷ 35

5 ÷ 40

5 ÷ 40

Espessura recomendada

-

[mm]

0,1 ÷ 2

1÷2

2÷4

2÷6

1 ÷ 10

Tensão normal de aderência σ

EN 12188

[N/mm2]

21

27

25

19

23

Resistência ao corte inclinado σ 0 50°

EN 12188

[N/mm2]

94

70

93

55

102

Resistência ao corte inclinado σ 0 60°

EN 12188

[N/mm2]

106

88

101

80

109

Resistência ao corte inclinado σ 0 70°

EN 12188

[N/mm2]

121

103

115

95

116

Resistência ao corte-aderência τ

EN 12188

[N/mm2]

39

27

36

27

37

Carga unitária de rutura por compressão(3)

EN 13412

[N/mm2]

83

88

85

84

94

Módulo elástico médio em compressão

EN 13412

[N/mm2]

3438

3098

3937

3824

5764

Coeiciente de dilatação térmica (no intervalo -20 °C/+40 °C)

EN 177

[m/m∙°C]

7,0 x 10-5

7,0 x 10-5

6,0 x 10-5

6,0 x 10-5

7,0 x 10-5

Carga unitária de rutura por tração(4)

ASTM D638

[N/mm2]

40

36

30

28

30

Módulo elástico médio em tração(4)

ASTM D638

[N/mm2]

3300

4600

4600

6600

7900

Carga unitária de rutura por lexão(4)

ASTM D790

[N/mm2]

86

64

38

46

46

Módulo elástico médio em lexão(4)

ASTM D790

[N/mm2]

2400

3700

2600

5400

5400

Carga unitária de rutura por corte (punch tool)(4)

ASTM D732

[N/mm2]

28

28

28

19

25

Viscosidade

-

[mPa∙s]

A = 1100 B = 250

A = 2300 B = 800

A = 14000 B = 11500

A = 300000 A = 450000 B = 300000 B = 13000

NOTAS: (1)

Os componentes são embalados em quantidades pré-doseadas, prontos a utilizar. A relação é em volume (não em peso).

(2)

É recomendável não utilizar mais de um litro de produto misturado de cada vez. A relação entre os componentes A:B em peso é de aproximadamente 100:44,4.

(3)

Valor médio no inal dos ciclos de carga/descarga.

(4)

Valores de teste da campanha de investigação “Ligações inovadoras para elementos estruturais de madeira” - Politecnico di Milano.

ADESIVOS EPOXÍDICOS E CHAPAS ENGANCHADAS | XEPOX | 149


TEMPERATURAS DE APLICAÇÃO E CONSERVAÇÃO CONSERVAÇÃO DOS ADESIVOS

+16°C/+20°C

Os adesivos epoxídicos devem ser conservados a uma temperatura moderada (por volta de +16 °C / +20 °C) quer no inverno quer no verão, até ao imediato momento da utilização deles� Não conservar as embalagens ao frio, pois isto aumenta a viscosidade dos adesivos e torna diicultosa a percolação para fora das caixas e a extrusão dos cartuchos� Não deixar as embalagens expostas ao sol, pois o produto aquecido adquire tempos de polimerização muito reduzidos�

APLICAÇÃO DOS ADESIVOS

+16°C/+20°C

A temperatura ambiente recomendada para a aplicação é > +10 °C� Se a temperatura ambiente for muito baixa, as embalagens devem ser aquecidas, pelo menos, uma hora antes da utilização ou os locais de aplicação e as ponteiras metálicas devem ser aquecidas antes de percolação do produto� Pelo contrário, se as temperaturas forem muito elevadas, é necessário realizar as percolações do adesivo num local fresco, evitando as horas mais quentes do dia�

TRATAMENTO FUROS E FRESAGENS Antes da percolação ou da injecção do adesivo, os furos e encavos feitos na madeira devem ser protegidos contra a água meteórica ou a elevada humidade atmosférica e limpos com ar comprimido� Se as partes a serem resinadas estiverem molhadas ou altamente húmidas, devem ser absolutamente enxutas� A utilização de adesivos XEPOX é recomendada para madeira devidamente seca, com um teor de humidade da madeira inferior a 18%, aproximadamente� μ ≤ 18%

LIGAÇÕES COM BARRAS COLADAS RESINAÇÃO As ligações com barras são adequadas para extrusão com cartuchos biaxiais, devido às quantidade reduzidas de resina� Para variar a quantidade de adesivo a injetar, cortar a extremidade do bico� Para a colagem de barras longas, é recomendado fazer furos de enchimento em direção ortogonal à barra�

150 | XEPOX | ADESIVOS EPOXÍDICOS E CHAPAS ENGANCHADAS


LIGAÇÕES DE MOMENTO COM CHAPAS PREPARAÇÃO DO SUPORTE METÁLICO Os insertos metálicos de armação das juntas devem ser limpos e desengordurados� As chapas lisas devem ser tratadas com um processo de areagem de grau SA2,5 / SA3 e depois protegidas coma um mão de XEPOX P, a im de se evitar a oxidação delas� Sobretudo nos meses quentes, é necessário proteger as superfícies metálicas contra os raios directos do sol�

PREPARAÇÃO DO SUPORTE DE MADEIRA Perto da bordas verticais, aplicar tiras contínuas de ita adesiva, colocando-as a cerca de 2÷3 mm da borda� Em seguida, aplicar um cordão contínuo de silicone acético e pressionar para que este também adira às superfícies protegidas pela ita� As fresagens extradossais dos elementos inclinados devem ser seladas com ripas ou tábuas de madeira, deixando apenas a extremidade das fresagens descoberta no ponto mais alto a partir do qual o adesivo deve ser percolado�

PREPARAÇÃO DO PRODUTO

B

Para utilizar o produto em latas, despejar o endurecedor (componente B) na lataque contém a resina epoxídica (componente A)� Misturar energicamente os dois componentes de cores diferentes� Recomendamos um misturador adequado com dupla hélice montado numa ferramenta elétrica (em alternativa, pode ser utilizado um batedor de varetas metálicas), até se obter uma mistura de cor homogénea� Em seguida, despeje a mistura obtida� Para distribuição em fendas de comprimento considerável deitar diretamente da lata de mistura em caso de coadura ou retirar o produto e espalhá-lo com uma espátula�

A

1

2

RESINAÇÃO É recomendável assegurar uma almofada “útil” de adesivo a efetuar com uma fresagem adequada na zona da cabeça dos elementos estruturais de madeira como garantia adicional da funcionalidade do sistema de contacto� Sugere-se uma espessura dos interstícios entre as ponteiras metálicas e a madeira de 2÷3 mm por lado� Para garantir o posicionamento correto das ponteiras dentro dos entalhes, é recomendável colocar anilhas espaçadoras nas ponteiras aplicadas na fase de polimerização da proteção com XEPOX P�

ADESIVOS EPOXÍDICOS E CHAPAS ENGANCHADAS | XEPOX | 151


ADESIVO EPOXÍDICO XEPOX UMA FAMÍLIA HISTÓRICA DE PRODUTOS PARA LIGAÇÕES ENTRE ELEMENTOS DE MADEIRA, CAPAZ DE GARANTIR UMA EXCELENTE RESTABELECIMENTO DA RESISTÊNCIA E RIGIDEZ

Os adesivos epoxídicos XEPOX são resinas bicomponentes especiicamente formulados para penetrar na microestrutura da madeira e aderir à mesma de forma muito eicaz e para reduzir a cristalização típica das resinas� A mistura dos componentes A e B provoca uma reação exotérmica (desenvolvimento de calor) e, uma vez endurecida, forma uma estrutura tridimensional com propriedades excecionais, tais como: durabilidade ao longo do tempo, interação com a ausência de humidade, excelente estabilidade térmica, grande rigidez e resistência� Cada elemento químico ou mineral da formulação desempenha um papel especíico e todos juntos contribuem para a obtenção das características de desempenho do adesivo�

CAMPOS DE EMPREGO As diferentes viscosidades dos produtos XEPOX garantem utilizações versáteis para diferentes tipos de ligações, tanto para novas construções, como para recuperações estruturais� A utilização em combinação com aço, em particular, chapas, saibradas ou perfuradas, e barras, proporciona elevada resistência em espessuras limitadas�

1� LIGAÇÃO DE CONTINUIDADE DE MOMENTO

2� LIGAÇÕES DE DUAS OU TRÊS VIGAS

3� LIGAÇÃO DE MEIA MADEIRA

4� REABILITAÇÃO DE PEÇAS DEGRADADAS

MELHORAMENTOS ESTÉTICOS O formato de cartucho também permite que seja utilizado para arranjos estéticos e colagens em pequenas quantidades�

152 | XEPOX | ADESIVOS EPOXÍDICOS E CHAPAS ENGANCHADAS


LIGAÇÕES COM BARRAS COLADAS Seguem-se as indicações contidas nas DIN 1052:2008 e nas normas italianas CNR DT 207:2018�

DISTÂNCIAS MÍNIMAS PARA BARRAS TRAÇÃO Barras coladas // à ibra a2

5d

a2,c

2,5d

TRAÇÃO Barras coladas a2,c a2

a1

4d

a2

a2

4d

a2 a2,c a2,c

à ibra a2,c

a1,t

2,5d

a2,c

2,5d

a2 a2,c a1 a 1,t

a2 a

2,c

CORTE Barras coladas // à ibra

CORTE Barras coladas

à ibra

a2,c a2

a1

7d

2,5d

a2

a2

5d

a2

4d

a2 a2,t

a1,CG

10d

a2,CG

a2,CG

4d

a2

5d

a2,c a2,t

a2,c

a2,CG

a1 a 1,CG

a2 a

2,c

O comprimento mínimo de inserção é de: lmin = max

0,5 d2 10 d

MÉTODO DE CÁLCULO RESISTÊNCIA À TRAÇÃO A resistência à tração de uma barra de diâmetro d é de:

Rax,d = min

fyd Ares

rutura do aço

A área efetiva considera um quadrado de madeira com um lado máximo de 6d; a área é reduzida para distâncias menores entre os elementos ou a partir da borda�

π d l fv,d

rutura da madeira por corte

fyd

ft,0,d Aeff

rutura da madeira por tração

= resistência do aço de projeto

ft,0,d = resistência à tração de projeto da madeira

A resistência ao corte da colagem fv,k depende do comprimento de inserção l [mm]

fv,k [MPa]

≤ 250

4

250 < l ≤ 500

5,25 - 0,005 x l

500 < l ≤ 1000

3,5 - 0,0015 x l

para o ângulo α de inclinação em relação à ibra veriica-se:

fv,α,k = fv,k (1,5 sin2α + cos2α)

154 | XEPOX | ADESIVOS EPOXÍDICOS E CHAPAS ENGANCHADAS

Aeff d

l


RESISTÊNCIA AO CORTE

fh,k = fh,k + 25%

A resistência ao corte de uma barra pode ser calculada com as conhecidas fórmulas de Johansen para parafusos de rosca métrica, com as seguintes precauções: Para barras coladas perpendicularmente à ibra, a resistência ao esforço de apoio pode ser aumentada até 25%�

fh,k,// = 10% fh,k, A resistência ao esforço de apoio das barras coladas paralelamente à ibra é de 10% do valor perpendicular à ibra�

O efeito oco é avaliado como a resistência dada pela colagem de extração (rutura b)� Para obter a resistência de uma barra colada a um ângulo α de colagem, é permitido interpolar linearmente entre os valores de resistência para α a 0° e 90°�

EXPERIMENTAÇÃO Segue-se o cálculo de extração de uma barra colada com XEPOX, comparando o resultado com os testes realizados na Universidade de Biel, medindo o fator de sobre-resistência entre o teste e o cálculo� Isto demonstra a margem de segurança existente: no entanto, relembramos que o valor resultante do teste não é um valor característico e não se destina a ser utilizado no projeto�

DADOS GEOMÉTRICOS Lado da amostra

80

mm

A ef

6400

mm

d

16

mm

l

160

mm

fyk

900

MPa

ft,0,k

27

MPa

γM0

1

kmod

1,1

γM

1,3

Rutura do aço

162,9

kN

Rutura da madeira por corte

29,0

kN

Rutura da madeira por tração

146,2

kN

Rax,d = ação axial resistente de projeto

29,0

kN

Rax,m = ação axial resistente média experimental

96,3

kN

f = fator de sobre-resistência

3,3

NOTAS: A resistência à tração foi inferida da densidade média das amostras utilizadas para os testes�

Os cálculos foram efetuados tendo em conta os valores de kmod e γ M de acordo com a EN 1995 1-1 e γ M0 de acordo com a EN 1993 1-1�

ADESIVOS EPOXÍDICOS E CHAPAS ENGANCHADAS | XEPOX | 155


LIGAÇÕES DE MOMENTO COM CHAPAS MÉTODO DE CÁLCULO | SECÇÃO DA CABEÇA

εt = εs’

As forças resultantes do momento e da ação axial são determinadas pela homogeneização dos materiais da secção, na hipótese de conservação das secções planas� A tensão de corte é absorvida apenas pelas chapas� Também é necessário veriicar as tensões que atuam na secção de madeira útil das fresagens�

σt = σs’ = σtot

M

εs

σs

MÉTODO DE CÁLCULO | DISTRIBUIÇÃO DO MOMENTO NA INTERFACE AÇO-ADESIVO-MADEIRA fv,rs

O momento é distribuído pelo número de superfícies de interface e, em seguida, decomposto em forças, considerando tanto a inércia polar em torno do centro de gravidade, como as diferentes rigidezes da madeira� Desta forma, as tensões tangenciais máximas são obtidas na direção ortogonal e paralela à ibra, a serem veriicadas também na sua interação�

M Grs fv

G ≈ 10 x Grs

Momento de inércia polar de meia ponteira em relação ao centro de gravidade, pesado nos módulos de corte de madeira: li h3 12

JP* =

G

li 3 h 12

Grs

Cálculo das forças tangenciais e veriicação combinada: τmax,hor

τmax,hor fv,d

Md + MT,Ed 2 ni JP* 2

τmax,vert

h 2

G

Nd 2 ni Ai

τmax,vert

Md + MT,Ed e 2 ni JP*

Grs

Vd 2 ni Ai

2

fv,rs,d

≥ 1

EXPERIMENTAÇÃO Segue-se o cálculo de dois nós de momento realizados com XEPOX, comparando o resultado com os testes de lexão de 4 pontos efetuados no Politecnico di Milano� É determinado o fator de sobre-resistência entre o teste e o cálculo, o que demonstra a boa margem de segurança existente no cálculo dos nós� O valor resultante do teste não é um valor característico e não se destina a ser utilizado no projeto�

P/2

P/2

l=6m

LEGENDA: B

base da viga

σt

tensão máxima de compressão na madeira

H

altura da viga

σ s'

tensão máxima de compressão no aço tensão máxima de tração no aço

α1

ângulo de inclinação das vigas

σs

ni

número de ponteiras

σ tm

força de lexão máxima na madeira

Si

espessura das ponteiras metálicas

τmax,hor

força tangencial máxima horizontal

hi

altura das ponteiras metálicas

τmax,vert

força tangencial máxima vertical

li

comprimento de inserção das ponteiras metálicas

fv,d

resistência ao corte paralelo à ibra

Ai

superfície de meia ponteira

fv,rs,d

resistência ao corte perpendicular à ibra

e

excentricidade entre o centro de gravidade da chapa e a ligação da cabeça

kc,90

parâmetro da EC 1995 1-1

Bn

largura da viga sem as fresagens

156 | XEPOX | ADESIVOS EPOXÍDICOS E CHAPAS ENGANCHADAS


EXEMPLO 1 | LIGAÇÃO DE CONTINUIDADE

B H Bn

200 mm 360 mm 182 mm

VVs s G G

H hi

x

MATERIAIS E DADOS DE PROJETO Classe de aço γM0

Ns

e e

Ms Ms

Ns

d

GEOMETRIA DA JUNÇÃO: VIGA E CHAPAS ni 2 mm Si 5 mm hi 320 mm li 400 mm e 200 mm

0,3 B

y

0,4 B

li

S275 1

B

Classe da madeira GL24h 1,1 kmod 1,3 γM timber Ponteiras metálicas saibradas de grau SA2,5/SA3 (ISO8501)�

B

i si

UTILIZAÇÃO DE XEPOX

Proteção das ponteiras contra a oxidação com XEPOX P� Utilização de adesivo XEPOX F ou XEPOX L�

VERIFICAÇÕES momento de projeto aplicado

Md

54,3 kNm

VERIFICAÇÃO DA LIGAÇÃO DA CABEÇA(1), (2) % de veriicação σt

10,6 MPa

53 %

σs'

185,8 MPa

68 %

σs

274,9 MPa

100 %

VERIFICAÇÃO DA SECÇÃO DE MADEIRA SEM AS FRESAGENS % de veriicação 70 %

14,1 MPa

σ tm VERIFICAÇÃO DA TENSÃO TANGENCIAL MÁXIMA NAS SUPERFÍCIES DE INTERFACE(3), (4)

% de veriicação 8,56*1011 Nmm2

JP * τmax,hor (3)

1,7 MPa

57 %

(3)

0,2 MPa

20 %

τmax,vert

veriicação combinada

60 %

Md = MRd

momento aplicado = momento resistente de projeto

54,3 kNm

MTEST

momento resistente ao teste

94,1 kNm

f

fator de sobre-resistência

1,7

GRÁFICO FORÇA - DESLOCAMENTO 90

Deslocamento horizontal das ibras esticadas e comprimidas no centro�

80

Load [kN]

70

O gráico mostra o maior deslocamento das ibras esticadas, validando a hipótese de cálculo de que a madeira reage à compressão juntamente com as ponteiras metálicas, deslocando o eixo neutro para cima�

60 50 40 30 20 10

ABA SUPERIOR ABA INFERIOR

-5,0

-4,0

-3,0

-2,0

-1,0

0,0

1,0

1,5

Horizontal displacement in the middle section [mm]

ADESIVOS EPOXÍDICOS E CHAPAS ENGANCHADAS | XEPOX | 157


EXEMPLO 2: LIGAÇÃO ROTULADA 0,3 B GEOMETRIA DA JUNÇÃO: VIGA E CHAPAS ni 2 mm Si 6 mm hi 300 mm li 568 mm e 332 mm

y B H Bn α1

200 360 176 21,8

mm mm mm °

Vs G H

Ns

α1 li

MATERIAIS E DADOS DE PROJETO Classe de aço γM0

Ms

e

x

hi

0,4 B B

S275 1

Classe da madeira GL32c 1,1 kmod 1,3 γM timber Ponteiras metálicas saibradas de grau SA2,5/SA3 (ISO8501)�

B

i si

UTILIZAÇÃO DE XEPOX

Proteção das ponteiras contra a oxidação com XEPOX P. Utilização de adesivo XEPOX F ou XEPOX L�

VERIFICAÇÕES momento de projeto aplicado

Md

63,5 kNm

VERIFICAÇÃO DA LIGAÇÃO DA CABEÇA(1), (2) % de veriicação kc,90

(A)

1,75

σc

12,7 MPa

100 %

σs'

180,7 MPa

66 %

σs

262,0 MPa

95 %

VERIFICAÇÃO DA SECÇÃO DE MADEIRA SEM AS FRESAGENS % de veriicação 62 %

16,7 MPa

σt VERIFICAÇÃO DA TENSÃO TANGENCIAL MÁXIMA NAS SUPERFÍCIES DE INTERFACE(3), (4)

% de veriicação 1,52*1012

JP *

Nmm2

τmax,hor (3)

1,1 MPa

38 %

(3)

0,2 MPa

21 %

τmax,vert

veriicação combinada Md = MRd

43 %

momento aplicado = momento resistente de projeto

MTEST

momento resistente ao teste

f

fator de sobre-resistência

63,5 kNm 131,8 kNm 2,1

GRÁFICO FORÇA - DESLOCAMENTO Deslocamento horizontal das ibras esticadas e comprimidas no centro� 150 Load [kN]

O gráico mostra o maior deslocamento das ibras esticadas, validando a hipótese de cálculo de que a madeira reage à compressão juntamente com as ponteiras metálicas, deslocando o eixo neutro para cima�

100

50

ABA SUPERIOR ABA INFERIOR 158 | XEPOX | ADESIVOS EPOXÍDICOS E CHAPAS ENGANCHADAS

-5,0

-4,0

-3,0

-2,0

-1,0

0,0

1,0

Horizontal displacement in the middle section [mm]

1,5


RIGIDEZ DAS LIGAÇÕES As ligações de momento realizadas com os adesivos XEPOX garantem uma excelente rigidez aos elementos ligados� Para o comprovar, comparamos os valores de seta obtidos nos cálculos analíticos para uma viga não unida de igual folga, secção e carga com os dados experimentais do exemplo de cálculo 1�

P/2

P/2

l=6m

Para obter um valor de referência de seta a partir dos dados experimentais disponíveis, é necessário determinar uma carga operacional� Para isso, é possível considerar o momento resistente de 54,5 kNm calculado para a viga do exemplo de cálculo 1, que, idealmente, corresponde à tensão máxima aceitável no Último Estado Limite� A partir destes dados e atribuindo uma distribuição realista de cargas na viga, é possível determinar um momento de tensão máximo em funcionamento utilizando os coeicientes de ampliicação de cargas de acordo com as normas aplicáveis� No caso do dimensionamento de uma cobertura plana de madeira não transitável, são deinidas as seguintes cargas� p = 1,5 kN/m2 ; q = 1,5 kN/m2 Nesta hipótese, a carga total, na combinação operacional mais rigorosa, é de cerca de 70% da carga no Último Estado Limite� Consequentemente, o momento máximo de atuação em funcionamento é de 54,3 x 0,7 = 38 kNm, o que provoca uma seta instantânea, para a viga não unida, de cerca de 13 mm, enquanto a seta medida experimentalmente é de 19 mm� O aumento do deslocamento vertical durante o funcionamento é portanto: l/1050�

GRÁFICO MOMENTO - DESLOCAMENTO

100 90 80 70 60 50 40 30 20 10

Moment [kNm]

VIGA COM NÓ XEPOX VIGA CONTÍNUA MOMENTO MÁXIMO EM FUNCIONAMENTO

0

10

20

30

40

50

60

70

80

Vertical displacement in the middle section [mm]

NOTAS: (A)

kc,90 é um fator que modula a resistência à compressão da madeira em relação ao ângulo força-ibra na fórmula de Hankinson (EC 1995-1-1, ponto 6�1�5)� No entanto, a fórmula não considera a estabilização das ibras de madeira fornecida pela resina, que preenche os vazios da madeira; ica ao critério do projetista aumentar este fator�

(1)

O cálculo da secção foi efetuado considerando ligações elásticas lineares para todos os materiais� Note-se ue, em caso de cargas axiais e de corte, é necessário veriicar a combinação destas forças�

(2)

Neste cálculo considera-se que a almofada de resina permite um contacto total da secção de interface e que, portanto, a madeira possa reagir à compressão� Se a almofada não for executada, é recomendável veriicar apenas a ponteira metálica como reagente, aplicando a fórmula seguinte com os parâmetros geométricos:

fyd ≥

Md B h2 6

(3)

Note-se que os adesivos XEPOX se caracterizam por resistências à tração e ao corte típicos signiicativamente superiores às resistências oferecidas pelo material da madeira e que permanecem inalteradas ao longo do tempo� Por tal motivo, a veriicação da resistência à torsão das interfaces é feita avaliando-se somente o lado da madeira, considerando-se saisfeita a mesma veriicação para o adesivo�

(4)

A tensão de corte “τ” da interface madeira-adesivo-aço, transferida para a madeira, é calculada no seu valor máximo em caso de inclinação paralela ou perpendicular às ibras da madeira� Estas tensões são comparadas em termos de resistência ao corte da madeira e de resistência ao “rolling shear”, respetivamente� O cálculo aqui efetuado também deve considerar a dimensão do momento de transporte MT,Ed resultante da tensão de corte, se presente� Note-se que os cálculos foram efetuados tendo em conta os valores de kmod e γ M de acordo com a EN 1995 1-1 e γ M0 de acordo com a EN 1993 1-1�

ADESIVOS EPOXÍDICOS E CHAPAS ENGANCHADAS | XEPOX | 159


SHARP METAL CHAPAS ENGANCHADAS DE AÇO NOVAS TECNOLOGIAS As chapas apresentam uma série de pequenos ganchos, espalhados por toda a superfície do aço� A ligação é efetuada pelo engrenamento mecânico dos ganchos metálicos na madeira�

CHAPAS ENGANCHADAS O grande número de ganchos distribuídos por toda a superfície gera uma aderência incisiva das chapas na madeira com valores excecionais de resistência e rigidez� A ligação assume um desempenho comparável à aderência de uma colagem� Sistema não-invasivo e removível�

CARGA DIFUSA As forças são absorvidas pelos ganchos e distribuídas por toda a superfície� As forças concentradas são eliminadas e o problema das distâncias mínimas é reduzido� A espessura do aço (0,75 mm) aparafusável sem pré-furo com parafusos HBS e TBS para apertar a ligação é otimizada�

CARATERÍSTICAS FOCUS

ligações de corte madeira-madeira

COMPRIMENTO

1,2 e 5 m

ESPESSURA

0,75 mm

FIXAÇÕES

HBS, TBS, TBS MAX

MATERIAL Aço carbónico com revestimento eletrolítico�

CAMPOS DE APLICAÇÃO Ligações de corte entre as superfícies de madeira • madeira maciça e lamelar • CLT, LVL • painéis à base de madeira

160 | SHARP METAL | ADESIVOS EPOXÍDICOS E CHAPAS ENGANCHADAS


LAJES NERVURADAS SEM COLA Graças à tecnologia de gancho, é ideal para a produção de lajes nervuradas (Rippendecke, ribbed loor) sem a utilização de colas, adesivos e prensas� Eliminação dos tempos de espera para a aderência e endurecimento da cola�

LIGAÇÕES AO CORTE As chapas enganchadas permitem a transferência de forças de corte entre as duas superfícies de madeira� Desempenho comparável à colagem�

ADESIVOS EPOXÍDICOS E CHAPAS ENGANCHADAS | SHARP METAL | 161


CÓDIGOS E DIMENSÕES SHARP METAL - chapas

s

s

H

H

SHARP501200

CÓDIGO

SHARP501200H

B

B

H

s

[mm]

[mm]

[mm]

SHARP501200

50

1200

SHARP501200H

50

1200

B

versão

pçs

0,75

Low Density

10

0,75

High Density

10

SHARP METAL - fitas

s

s

B

B

SHARP50

CÓDIGO

SHARP50H

B

L

s

versão

pçs

[mm]

[m]

[mm]

SHARP50

50

5

0,75

Low Density

1

SHARP50H

50

5

0,75

High Density

1

MATERIAL E DURABILIDADE

FORÇAS

SHARP METAL: aço carbónico com revestimento eletrolítico� Utilização em classes de serviço 1 e 2 (EN 1995-1-1)�

Fv Fv

CAMPOS DE EMPREGO • Ligações madeira-madeira

162 | SHARP METAL | ADESIVOS EPOXÍDICOS E CHAPAS ENGANCHADAS


PRODUTOS ADICIONAIS - FIXAÇÕES tipo

descrição

d

suporte

[mm] TBS

parafuso de cabeça larga para madeira

8

TBS MAX

parafuso de cabeça larga para madeira

8

Para mais detalhes, consultar o catálogo “Parafusos e conectores para madeira”�

VERSÕES DO PRODUTO As chapas e itas SHARP METAL são realizadas com um acabamento especial em ambas as superfícies; isto permite que o aço se ixe aos elementos de madeira e desenvolva uma resistência ao deslizamento�

LOW DENSITY (LD)

HIGH DENSITY (HD)

SHARP501200 SHARP50

SHARP501200H SHARP50H

50

100

50

100

necessidade de pressões reduzidas para garantir o engrenamento

elevada resistência e rigidez concentradas em pequenas dimensões

ADESIVOS EPOXÍDICOS E CHAPAS ENGANCHADAS | SHARP METAL | 163


INSTALAÇÃO A ligação com SHARP METAL HD requer uma pressão de aplicação mínima de 1,5-2,5 MPa, dependendo do tipo de madeira, para garantir o engrenamento; a versão LD requer cerca de metade da força�

Com parafusos TBS Para uma utilização prática das chapas é possível utilizar parafusos TBS Ø8 passantes sem pré-furo, de passo 12d� A cabeça aumentada do TBS aplica uma compressão suiciente para ancorar o sistema SHARP METAL; é necessário que a rosca do parafuso caia inteiramente no segundo silhar ligado�

Fv

Fv

Com parafusos TBS MAX Podem ser utilizados parafusos TBS MAX, aumentando o passo para 20d, por exemplo, para aplicação em lajes nervuradas de madeira ou ligações em ângulo entre paredes de CLT�

Utilização funcional dos parafusos A utilização do SHARP METAL em combinação com parafusos permite uma instalação prática e segura� A chapa enganchada proporciona um coninamento considerável à madeira, aumentando a sua resistência contra ruturas por splitting em cargas paralelas à ibra que atuam sobre os parafusos� A utilização de parafusos também é recomendada para suportar cargas de tração entre as superfícies ligadas, por exemplo, numa ligação de corte laje-parede� Embora as cargas verticais do tabuleiro assegurem uma pressão adequada entre as superfícies, é possível que sejam transmitidas trações� Os parafusos, neste caso, absorvem a tensão sem afetar o engrenamento da ligação de corte�

164 | SHARP METAL | ADESIVOS EPOXÍDICOS E CHAPAS ENGANCHADAS


EXPERIMENTAÇÃO Foi realizada uma extensa campanha experimental sobre os produtos SHARP METAL em colaboração com a Universidade de Innsbruck; são propostos os resultados dos testes de corte em madeira maciça em diferentes direções em relação à ibra de madeira� A im de veriicar eventuais efeitos de escala, foram testados diferentes comprimentos de chapas, enquanto a pressão foi assegurada com parafusos�

Valores característicos de resistência SEM PARAFUSOS fv,0,k(1)

fv,90,k(1)

fv,EG,k(1)

[MPa]

[MPa]

[MPa]

LD

0,93

0,20

1,03

HD

1,15

0,51

1,03

tipo

fv,0,k fv,90,k fv,EG,k

Os valores da tabela são obtidos de dados experimentais dos quais foram deduzidas as resistências dos parafusos de teste.

Valores característicos de resistência da ligação SHARP METAL COM PARAFUSOS tipo

fv,0,k

kser,0,k

fv,90,k

kser,90,k

fv,EG,k

kser,EG,k

[MPa]

[N/mm]*[1/mm2]

[MPa]

[N/mm]*[1/mm2]

[MPa]

[N/mm]*[1/mm2]

LD

2,02

3,13

2,11

0,65

1,92

4,19

HD

2,24

6,47

2,42

0,90

1,92

5,00

Os valores da tabela correspondem a dados experimentais com parafusos TBS 8x160 de passo 10d (80 mm) com uma espessura da madeira sub-cabeça de 60 mm. A rigidez total da ligação Kser [N/mm] é determinada multiplicando o coeficiente kser pela superfície da chapa.

NOTAS:

PRINCÍPIOS GERAIS:

(1)

• As resistências e rigidezes são obtidas experimentalmente em amostras de madeira com uma densidade de 450 kg/m3 �

Para densidades características ρ k inferiores a 450 kg/m3 , a resistência ao corte pode ser calculada em função de ρ k , multiplicando as resistências tabeladas pelo fator kdens

ρk kdens = 450

1,1

• O SHARP METAL deve ser utilizado em materiais à base de madeira de densidade média ρ m ≤ 525 kg/m3 .

ADESIVOS EPOXÍDICOS E CHAPAS ENGANCHADAS | SHARP METAL | 165


LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS


LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS


LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS

WHT ANGULAR PARA FORÇAS DE TRAÇÃO� � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � 174

TITAN N ANGULAR PARA FORÇAS DE CORTE E TRAÇÃO � � � � � � � � � � � � � 186

TITAN S ANGULAR PARA FORÇAS DE CORTE E TRAÇÃO � � � � � � � � � � � � �204

TITAN F ANGULAR PARA FORÇAS DE CORTE � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � 218

TITAN V ANGULAR PARA FORÇAS DE CORTE E TRAÇÃO � � � � � � � � � � � � � 228

TITAN SILENT ANGULAR PARA FORÇAS DE CORTE COM PERFIL FONOISOLANTE � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � �234

WHT PLATE C CHAPAS PARA FORÇAS DE TRAÇÃO � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � 242

WHT PLATE T CHAPAS PARA FORÇAS DE TRAÇÃO � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � �250

TITAN PLATE C CHAPAS PARA FORÇAS DE CORTE � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � �254

TITAN PLATE T CHAPAS PARA FORÇAS DE CORTE � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � 262

ALU START SISTEMA EM ALUMÍNIO PARA A LIGAÇÃO DOS EDIFÍCIOS À TERRA � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � �266

SLOT CONECTOR PARA PAINÉIS ESTRUTURAIS � � � � � � � � � � � � � � � � � � 276

SPIDER SISTEMA DE LIGAÇÃO E REFORÇO PARA PILARES E LAJES � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � 292

PILLAR SISTEMA DE LIGAÇÃO PILAR-LAJE � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � �308

X-RAD SISTEMA DE LIGAÇÃO X-RAD � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � 324

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | 169


EDIFÍCIOS DE MADEIRA FORÇAS HORIZONTAIS Na fase de projeto de um edifício, é necessário levar em conta o seu comportamento quer para acções do tipo vertical quer para acções do tipo horizontal, como o vento e o sismo� Estas últimas podem ser esquematizadas, de maneira simpliicada, como actuantes ao nível dos planos horizontais dos edifícios� Portanto, para se garantir um óptimo desempenho de um edifício de madeira diante de um sismo, levando-se em conta todas as modalidades de ruptura, é fundamental um correto projeto de todos os sistemas de ligação�

DISTRIBUIÇÃO DAS TENSÕES ABORDAGEM STANDARD

ABORDAGENS INOVADORAS

As ações horizontais nas lajes geram, dentro do edifício, forças de corte e de tração entre os vários elementos estruturais; tais forças deverão ser absorvidas por ligações adequadas� Uma gama completa de ligações para paredes e edifícios também permite adotar abordagens de projeto inovadoras�

A SOLUÇÃO CERTA PARA CADA LIGAÇÃO O mesmo problema estrutural pode ser resolvido utilizando diferentes sistemas de ligação alternativos�

ANGULARES TRIDIMENSIONAIS

LIGAÇÕES OCULTAS

LIGAÇÕES DISTRIBUÍDAS

WHT/TITAN PLATE T TIMBER

TITAN

X-RAD

VGZ/HBS

WHT/TITAN PLATE C CONCRETE

WHT/TITAN

X-RAD

ALU START

LIGAÇÃO DE BASE

LIGAÇÃO DE ENTREPISO

CHAPAS BIDIMENSIONAIS

170 | EDIFÍCIOS DE MADEIRA | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS


LIGAÇÕES 12

9

5

11

15

8 4

13

3

2 7 1

6 16

14

10

ANGULARES

1

WHT

São utilizados tanto para ligações madeira-madeira como madeira-betão� Dependendo do modelo especíico, podem ser utilizados para transferir forças de tração e corte ou uma combinação das duas� A utilização em combinação com anilhas especíicas melhora o seu desempenho e versatilidade�

2

TITAN N

3

TITAN S + WASHER

4

TITAN V

5

TITAN F

CHAPAS BIDIMENSIONAIS

6

WHT PLATE C

Permitem a transferência tanto de forças de tração como de corte; dependendo do tipo utilizado, são adequados tanto para ligações madeira-madeira, como madeira-betão� A possibilidade de utilização de ixações de diferentes diâmetros permite cobrir uma ampla gama de resistências�

7

TITAN PLATE C

8

WHT PLATE T

9

TITAN PLATE T

CONECTORES ESPECIAIS

10 ALU START

Uma nova gama de soluções simples para resolver problemas complexos, tanto em pequenos edifícios residenciais, como em edifícios multi-pisos� Novas oportunidades para projetistas e construtores saírem da caixa e encontrarem soluções inovadoras�

11

SLOT

12 SLOT 13 SPIDER/PILLAR 14 X-RAD

PARAFUSOS AUTOPERFURANTES Para cada tipologia de acção sob tensão existe, dentro da gama de ligadores autoperfurantes, a solução ideal para se satisfazerem as exigências projectuais�

15 parafusos HBS/TBS 16 parafusos VGZ

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | EDIFÍCIOS DE MADEIRA | 171


SEISMIC-REV Reduction of Earthquake Vulnerability O projecto Seismic-REV “Reduction of Earthquake Vulnerability” teve como objectivo explícito a redução da vulnerabilidade sísmica das construções de madeira em geral, estudando e caracterizando o comportamento das ligações metálicas tradicionais com que são acopladas e propondo, em particular, uma tipologia de ligação inovadora denominada X-RAD e destinada à montagem das construções para uso habitacional em CLT (Cross Laminated Timber, ou seja, painéis de tábuas de madeira com camadas cruzadas)� Tal projecto de pesquisa envolveu a empresa Rothoblaas, o Instituto CNR-IVALSA de San Michele all’Adige e a Universidade dos Estudos de Trento, onde foi desenvolvida a actividade experimental e de pesquisa� O relatório cientíico sobre a investigação experimental está disponível junto da Rothoblaas�

LIGADORES (parafusos, pregos etc.) Ligadores de hastes cilíndricas como pregos e parafusos quer de corte quer de tracção para ligações painel-madeira, aço-madeira e madeira-madeira�

1

2

3

Amostra de aço-madeira testada com parafusos LBS de corte

Amostra de painel-montante testada com pregos “ring” de corte

25

15

20

10 5 0

Amostra de madeira-madeira testada com parafusos HBS de corte

2

30

20

force [kN]

force [kN]

Amostra de madeira-madeira testada com parafusos VGZ inclinados de tração-compressão

1

25

4

-5

15 10 5 0

-10

M_OSB2,8x80

-15

C_OSB2,8x80_1

-5 -10

-20 -15

-10

-5

0

5

10

15

20

35

25

0

2

4

6

8

10

12

14

16

18

displacement [mm]

displacement [mm]

3

40

4

30

35

20

30 force [kN]

force [kN]

10 25 20 15

0 -10

10 M_HBS10x160

-20

5

C_HBS10x160_2 -30

0 0

1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

displacement [mm]

172 | SEISMIC-REV | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS

-40

-30

-20

-10

0

10

displacement [mm]

20

30

40


LIGAÇÕES (angulares e chapas metálicas + fixações) Ligações metálicas completas para corte e tracção de madeira-betão e de madeira-madeira�

1

2

TITAN madeira-madeira

3

TITAN madeira-madeira com perfis acústicos

4

WHT madeira-betão

1

80

TITAN WASHER madeira-betão (à tracção)

2

45 40

70

35

60 50

force [kN]

force [kN]

30 40 30 20

25 20 15 10

10

5

0

0 0

5

10

15

20

25

0

30

5

10

displacement [mm]

3

120

20

25

30

4

120

100

100

80

80 60 force [kN]

60 force [kN]

15

displacement [mm]

40 20 0

40 20 0

-20

M_WHT620

-20

-40

C_WHT620_1

-40

-60

M_TITAN+ C_TITAN+_1

-60 0

5

10

15

20

0

25

2

4

displacement [mm]

6

8

10

12

14

16

18

20

displacement [mm]

SISTEMA PAREDE Paredes com tecnologia de armação e de CLT (Cross Laminated Timber) acopladas com as várias ligações testadas�

1

100 80 60

load [kN]

40 20 -100

-80

-60

-40

-20

-20

20

40

60

80

100

-40 -60

1

-80 -100

Parede de armação durante o teste

Parede de CLT (Cross Laminated Timber) durante o ensaio

imposed horizontal displacement [mm]

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | SEISMIC-REV | 173


WHT

ETA 11/0086

ANGULAR PARA FORÇAS DE TRAÇÃO GAMA COMPLETA Disponível em 5 tamanhos para combinar com 5 anilhas para satisfazer todos os requisitos de desempenho estático�

AÇO ESPECIAL O aço S355 garante elevadas resistências às forças de tração�

DIÂMETRO DO FURO O furo para barras de grandes dimensões é proporcional às medidas do sistema�

CARATERÍSTICAS FOCUS

ligação por tração

ALTURA

de 340 a 740 mm

ESPESSURA

3,0 mm

FIXAÇÕES

LBA, LBS, VIN-FIX PRO, EPO-FIX PLUS

MATERIAL Chapa tridimensional furada de aço carbónico com eletrogalvanização�

CAMPOS DE APLICAÇÃO Ligações à tracção madeira-betão e madeira-madeira para painéis e vigas de madeira • CLT, LVL • madeira maciça e lamelar • estrutura de armação (platform frame) • painéis à base de madeira

174 | WHT | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS


CLT, TIMBER FRAME Elevadas resistências graças ao aço S355, às langes de reforço laterais e ao furo na base com um diâmetro superior�

SÍSMICA E RIGIDEZ No âmbito do projeto de investigação SEISMIC-REV, o produto e as respetivas ixações foram submetidos a numerosos testes estáticos e cíclicos que forneceram os parâmetros de rigidez (Kser) e os níveis de ductilidade�

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | WHT | 175


CÓDIGOS E DIMENSÕES ANGULAR WHT CÓDIGO

H

furo

nv Ø5

s

pçs

[mm]

[mm]

[pçs�]

[mm]

WHT340

340

Ø18

20

3

10

WHT440

440

Ø18

30

3

10

WHT540

540

Ø22

45

3

10

WHT620

620

Ø26

55

3

10

WHT740

740

Ø29

75

3

1

H

ANILHA WHTW CÓDIGO

furo

s

[mm]

[mm]

WHTW50

Ø18

10

WHTW50L

Ø22

10

WHT340

WHT440

-

-

WHT540

WHT620

WHT740

pçs

-

-

1

-

-

1 1

WHTW70

Ø22

20

-

-

-

-

WHTW70L

Ø26

20

-

-

-

-

WHTW130

Ø29

40

-

-

-

1 1

-

PERFIS RESILIENTES XYLOFON WASHER CÓDIGO

XYLW806060 XYLW808080 XYLW8080140

WHT340 WHT440 WHT540 WHT620 WHT740

furo

P

B

s

pçs

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

Ø23

60

60

6,0

10

Ø27 Ø30

80 80

80 140

6,0 6,0

10 1

FORÇAS

MATERIAL E DURABILIDADE WHT: aço carbónico S355 com zincagem galvânica� ANILHA WHTW: aço carbónico S235 com eletrogalvanização� Utilização em classes de serviço 1 e 2 (EN 1995-1-1)�

F1

F1

XYLOFON WASHER: mistura monolítica de poliuretano�

CAMPOS DE EMPREGO • • • • •

Ligações madeira-betão Ligações de OSB-betão Ligações madeira-madeira Ligações de madeira-OSB Ligações madeira-aço

PRODUTOS ADICIONAIS - FIXAÇÕES tipo

descrição

d

suporte

pág.

[mm] LBA

prego Anker

4

548

LBS

parafuso para chapas

5

552

VIN-FIX PRO

ancorante químico

M16 - M20 - M24 - M27

511

EPO-FIX PLUS ancorante químico

M16 - M20 - M24 - M27

517

M16 - M20

526

KOS

parafuso

176 | WHT | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS


GEOMETRIA WHT

WHT340

WHT440

WHT540

WHT620

WHT740

Altura

H

[mm]

340

440

540

620

740

Base

B

[mm]

60

60

60

80

140

Profundidade

P

[mm]

63

63

63

83

83

Espessura

s

[mm]

3

3

3

3

3

Posição dos furos na madeira

h

[mm]

40

60

40

40

-

Posição do furo no betão

m

[mm]

35

35

35

38

38

Furos na lange

Ø1

[mm]

5,0

5,0

5,0

5,0

5,0

Furo na base

Ø2

[mm]

18,0

18,0

22,0

26,0

29,0

20

Ø1 H h 150

m 9

B

WHTW50

WHTW50L

WHTW70

P

m

P

ANILHA WHTW

s

20 20

Ø2

WHTW70L WHTW130

Base

BR

[mm]

50

50

70

70

130

Profundidade

PR

[mm]

56

56

77

77

77

Espessura

sR

[mm]

10

10

20

20

40

Furo da anilha

Ø3

[mm]

18,0

22,0

22,0

26,0

29,0

BR

SR

PR Ø3

INSTALAÇÃO MADEIRA distâncias mínimas

pregos

parafusos

LBA Ø4

LBS Ø5

C/GL

a4,c

[mm]

≥ 20

≥ 25

CLT

a4,c

[mm]

≥ 12

≥ 12,5

PREGAGEM PARCIAL

a4,c

PREGAGEM TOTAL

a4,c

a4,c

• C/GL: distâncias mínimas para madeira maciça ou lamelada em conformidade com a norma EN 1995-1-1, de acordo com a ETA, considerando uma massa volúmica dos elementos de madeira de ρ k ≤ 420 kg/m3 • CLT: distâncias mínimas para Cross Laminated Timber de acordo com a ÖNORM EN 1995-1-1 (Anexo K) para pregos e com a ETA-11/0030 para parafusos

MONTAGEM

Perfuração do betão e polimentos do furo

Injecção do ancorante químico no furo

Posicionamento da barra roscada

Aposição do angular WHT (com relativa anilha, se prevista)

Pregagem do angular

Posicionamento da porca mediante um adequado torque de aperto

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | WHT | 177


VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO DE TRAÇÃO MADEIRA-BETÃO WHT340 - com e sem anilha WHTW50 R 1,K MADEIRA R1,k timber

ixação de furos Ø5 coniguração

• ixação total • anilha WHTW50 • ancorante M16

• ixação parcial • anilha WHTW50 • ancorante M16

• ixação total • sem anilha • ancorante M16

tipo

pregos LBA

parafusos LBS

pregos LBA

parafusos LBS

pregos LBA

parafusos LBS

R 1,K AÇO

ØxL

nv

[mm]

[pçs�]

[kN]

Ø4,0 x 40

20

31,4

Ø4,0 x 60

20

38,6

Ø5,0 x 40

20

31,4

Ø5,0 x 50

20

38,6

Ø4,0 x 40

14

22,0

Ø4,0x 60

14

27,0

Ø5,0 x 40

14

22,0

Ø5,0 x 50

14

27,0

Ø4,0 x 40

20

31,4

Ø4,0 x 60

20

38,6

Ø5,0 x 40

20

31,4

Ø5,0 x 50

20

38,6

14

22,0

Ø4,0 x 40 WHT440 - com e sem anilha WHTW50 pregos LBA • ixação parcial Ø4,0x 60 • sem anilha Ø5,0 x 40 • ancorante M16 parafusos LBS Ø5,0 x 50

14

27,0

14

22,0

14

27,0

R1,k steel

R 1,d BETÃO R1,d uncracked

R1,d cracked

R1,d seismic

VIN-FIX PRO

EPO-FIX PLUS

EPO-FIX PLUS

ØxL

ØxL

ØxL

[kN]

γsteel

[mm]

[kN]

[mm]

[kN]

[mm]

[kN]

63,4

γ M2

M16 x 190

39,0

M16 x 190

33,8

M16 x 230 M16 x 190

21,0 16,6

63,4

γ M2

M16 x 190

39,0

M16 x 190

33,8

M16 x 230 M16 x 190

21,0 16,6

42,0

γ M0

M16 x 160

33,8

M16 x 160

29,3

M16 x 190 M16 x 160

17,7 14,4

42,0

γ M0

M16 x 160

33,8

M16 x 160

29,3

M16 x 190 M16 x 160

17,7 14,4

F1

WHT440 - com e sem anilha WHTW50 R 1,K MADEIRA

R 1,K AÇO R1,k timber

ixação de furos Ø5

R1,k steel

R1,d uncracked

coniguração tipo

• ixação total • anilha WHTW50 • ancorante M16

• ixação parcial • anilha WHTW50 • ancorante M16

• ixação parcial • sem anilha • ancorante M16

pregos LBA

parafusos LBS

pregos LBA

parafusos LBS

pregos LBA

parafusos LBS

ØxL

nv

[mm]

[pçs�]

[kN]

Ø4,0 x 40

30

47,1

Ø4,0 x 60

30

57,9

Ø5,0 x 40

30

47,1

Ø5,0 x 50

30

57,9

Ø4,0 x 40

20

31,4

Ø4,0 x 60

20

38,6

Ø5,0 x 40

20

31,4

Ø5,0 x 50

20

38,6

Ø4,0 x 40

20

31,4

Ø4,0x 60

20

38,6

Ø5,0 x 40

20

31,4

Ø5,0 x 50

20

38,6

R 1,d BETÃO R1,d cracked

R1,d seismic

VIN-FIX PRO

EPO-FIX PLUS

EPO-FIX PLUS

ØxL

ØxL

ØxL

[kN]

γsteel

[mm]

[kN]

[mm]

[kN]

[mm]

[kN]

63,4

γ M2

M16 x 230

49,2

M16 x 230

42,7

M16 x 230

21,0

63,4

γ M2

M16 x 230 M16 x 190

49,2 39,0

M16 x 230 M16 x 190

42,7 33,8

M16 x 230 M16 x 190

21,0 16,6

42,0

γ M0

M16 x 160

33,8

M16 x 160

29,3

M16 x 160

14,4

F1

NOTAS PARA PROJETO SISMICO Considerar atentamente a real hierarquia das resistências em referência quer ao edifício global quer dentro do sistema de ligação� Experimentalmente, a resistência inal do prego LBA (e do parafuso LBS) resulta ser muito maior do que a resistência característica avaliada conforme EN 1995� Ex� prego LBA Ø4 x 60 mm: Rv,k = =2,8 - 3,6 kN de testes experimentais (variável de acordo com o tipo de madeira e espessura da chapa)�

178 | WHT | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS

Os dados experimentais derivam de testes realizados no projecto de pesquisa Seismic-Rev e constam do relatório cientíico “Sistemas de ligação para edifícios de madeira: investigação experimental para a avaliação de rigidez, resistência e ductilidade” (DICAM - Departamento de Engenharia Civil, Ambiental e Mecânica - UniTN)�


VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO DE TRAÇÃO MADEIRA-BETÃO WHT540 - com anilha WHTW50 (M16) R 1,K MADEIRA

R 1,K AÇO R1,k timber

ixação de furos Ø5

R1,k steel

R 1,d BETÃO R1,d uncracked

R1,d cracked

F1 R1,d seismic

coniguração tipo

• ixação total • anilha WHTW50 • ancorante M16

• ixação parcial • anilha WHTW50 • ancorante M16

pregos LBA parafusos LBS pregos LBA parafusos LBS

ØxL

nv

[mm]

[pçs�]

[kN]

Ø4,0 x 40

45

70,7

Ø4,0 x 60

45

86,9

Ø5,0 x 40

45

70,7 86,9

Ø5,0 x 50

45

Ø4,0 x 40

29

45,5

Ø4,0 x 60

29

56,0

Ø5,0 x 40

29

45,5

Ø5,0 x 50

29

56,0

VIN-FIX PRO

EPO-FIX PLUS

ØxL

ØxL

EPO-FIX PLUS

ØxL

[kN]

γsteel

[mm]

[kN]

[mm]

[kN]

[mm]

[kN]

63,4

γ M2

M16 x 190

39,0

M16 x 190

33,8

M16 x 190

16,6

63,4

γ M2

M16 x 190

39,0

M16 x 190

33,8

M16 x 190

16,6

WHT540 - com anilha WHTW50L (M20) R 1,K MADEIRA

R 1,K AÇO R1,k timber

ixação de furos Ø5

R1,k steel

R1,d uncracked

coniguração tipo

• ixação total • anilha WHTW50L • ancorante M20

• ixação parcial • anilha WHTW50L • ancorante M20

pregos LBA parafusos LBS pregos LBA parafusos LBS

ØxL

nv

[mm]

[pçs�]

[kN]

Ø4,0 x 40

45

70,7

Ø4,0 x 60

45

86,9

Ø5,0 x 40

45

70,7 86,9

Ø5,0 x 50

45

Ø4,0 x 40

29

45,5

Ø4,0 x 60

29

56,0

Ø5,0 x 40

29

45,5

Ø5,0 x 50

29

56,0

F1

R 1,d BETÃO R1,d cracked

R1,d seismic

VIN-FIX PRO

EPO-FIX PLUS

EPO-FIX PLUS

ØxL

ØxL

ØxL

[mm]

[kN]

[mm]

[kN]

[mm]

[kN]

[kN]

γsteel

63,4

γ M2

M20 x 240 59,3

M20 x 240 50,2 M20 x 240 M20 x 284 62,3 M20 x 284

25,1 31,1

63,4

γ M2

M20 x 240 59,3

M20 x 240 50,2 M20 x 240 M20 x 284 62,3 M20 x 284

25,1 31,1

F1

WHT620 - com anilha WHTW70 (M20) R 1,K MADEIRA

R 1,K AÇO R1,k timber

ixação de furos Ø5

R1,k steel

R1,d uncracked

coniguração tipo

• ixação total • anilha WHTW70 • ancorante M20

• ixação parcial • anilha WHTW70 • ancorante M20

pregos LBA parafusos LBS pregos LBA parafusos LBS

ØxL

nv

[mm]

[pçs�]

[kN]

Ø4,0 x 40

55

86,4

Ø4,0 x 60

55

106,2

Ø5,0 x 40

55

86,4

Ø5,0 x 50

55

106,2

Ø4,0 x 40

35

55,0

Ø4,0 x 60

35

67,6

Ø5,0 x 40

35

55,0

Ø5,0 x 50

35

67,6

R 1,d BETÃO R1,d cracked

R1,d seismic

VIN-FIX PRO

EPO-FIX PLUS

EPO-FIX PLUS

ØxL

ØxL

ØxL

[mm]

[kN]

[mm]

[kN]

[mm]

[kN]

[kN]

γsteel

85,2

γ M2

M20 x 240 57,15 M20 x 240 48,5 M20 x 240 24,2

85,2

γ M2

M20 x 240 57,15 M20 x 240 48,5 M20 x 240 24,2

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | WHT | 179


VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO DE TRAÇÃO MADEIRA-BETÃO F1

WHT620 - com anilha WHTW70L (M24) R 1,K MADEIRA

R 1,K AÇO R1,k timber

ixação de furos Ø5

R1,k steel

coniguração tipo

• ixação total • anilha WHTW70L • ancorante M24

• ixação parcial • anilha WHTW70L • ancorante M24

pregos LBA parafusos LBS pregos LBA parafusos LBS

ØxL

nv

[mm]

[pçs�]

[kN]

Ø4,0 x 40

55

86,4

Ø4,0 x 60

55

106,2

Ø5,0 x 40

55

86,4

Ø5,0 x 50

55

106,2

Ø4,0 x 40

35

55,0

Ø4,0 x 60

35

67,6

Ø5,0 x 40

35

55,0

Ø5,0 x 50

35

67,6

R 1,d BETÃO R1,d uncracked

R1,d cracked

VIN-FIX PRO

EPO-FIX PLUS

ØxL

ØxL

[kN]

γsteel

[mm]

[kN]

[mm]

[kN]

85,2

γ M2

M24 x 270

73,50

M24 x 270 M24 x 323

60,6 75,6

85,2

γ M2

M24 x 270

73,50

M24 x 270 M24 x 323

60,6 75,6

F1

WHT740 - com anilha WHTW130 R 1,K MADEIRA

R 1,K AÇO R1,k timber

ixação de furos Ø5

R1,k steel

coniguração tipo

• ixação total • ancorante M27 • anilha WHTW130

• ixação parcial • ancorante M27 • anilha WHTW130

pregos LBA parafusos LBS pregos LBA parafusos LBS

ØxL

nv

[mm]

[pçs�]

[kN]

Ø4,0 x 40

75

117,8

Ø4,0 x 60

75

144,8

Ø5,0 x 40

75

117,8 144,8

Ø5,0 x 50

75

Ø4,0 x 40

45

70,7

Ø4,0 x 60

45

86,9

Ø5,0 x 40

45

70,7

Ø5,0 x 50

45

86,9

R 1,d BETÃO R1,d uncracked

R1,d cracked

EPO-FIX PLUS

EPO-FIX PLUS

ØxL

ØxL

[kN]

γsteel

[mm]

[kN]

[mm]

[kN]

158,6

γ M2

M27 x 400

153,3

M27 x 400

109,0

158,6

γ M2

M27 x 300

122,6

M27 x 300

70,5

PRINCÍPIOS GERAIS: • Os valores característicos são conforme a norma EN 1995-1-1, de acordo com ETA-11/0086� Os valores de projeto das ancoragens para betão são calculados de acordo com as respetivas Avaliações Técnicas Europeias� O valor de resistência de projeto da ligação é obtida a partir dos valores indicados na tabela, desta forma:

Rd = min

Rk, timber kmod γM Rk, steel γsteel Rd, concrete

Os coeicientes kmod, γ M e γsteel devem ser considerados em função da norma vigente utilizada para o cálculo� • Em fase de cálculo, considerou-se uma massa volúmica dos elementos de madeira de ρ k=350 kg/m3 e uma classe de resistência do betão C25/30 com armação rara, na ausência de distâncias da borda e espessura mínima indicada nas tabelas que mostram os parâmetros de instalação�

180 | WHT | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS

• Os valores de resistência de projeto do lado do betão são fornecidos pelo betão não issurado (R 1,d uncracked), issurado (R 1,d cracked) e, em caso de veriicação sísmica (R 1,d seismic), para utilização do ancorante químico com barra roscada da classe de aço 5�8� • Projetação sísmica na categoria de desempenho C2, sem requisitos de ductilidade nos ancorantes (opção a2) projetação elástica de acordo com a EOTA TR045� • A dimensão e a veriicação dos elementos de madeira e de betão devem ser feitas à parte� • Para aplicações em CLT (Cross Laminated Timber), recomenda-se a utilização de pregos/parafusos de comprimento adequado para garantir que a profundidade de cravação afete uma espessura de madeira suiciente para evitar ruturas de tipo frágil para efeitos de grupo� • Os valores de resistência são válidos para as hipóteses de cálculo deinidas na tabela; para condições de contorno diferentes das indicadas na tabela (por ex�, distâncias mínimas das bordas), os ancorantes do lado do betão podem ser veriicados utilizando o software de cálculo MyProject de acordo com os requisitos do projeto�


PARÂMETROS DE INSTALAÇÃO DE ANCORANTES QUÍMICOS(1) tipo de barra

tipo WHT

tipo de anilha

tix

Ø x L [mm] 160 M16

hmin

[mm]

[mm]

-

9

132

140

200

-

9

162

170

200

WHT340 / WHT440 / WHT540

WHTW50

19

152

160

WHT340 / WHT440

WHTW50

19

192

200

240

WHT540

-

9

206

215

240

WHT540

WHTW50L

19

196

205

WHT620

WHTW70

29

189

195

min 284

WHT540

WHTW50L

19

243

250

270

WHT620

WHTW70L

29

215

220

min 323

WHT620

WHTW70L

29

268

275

min 300

WHT740

WHTW130

49

223

230

400

WHT740

WHTW130

49

310

315

240

M27

d0

[mm]

WHT340

230

M24

h1

[mm] WHT340 / WHT440

190

M20

hnom = hef

18

22

200

240 240 300

26 30

300 320 300 380

Barra roscada pré-cortada INA dotada de porca e anilha: consultar a pág� 520 Barra roscada MGS classe 8�8 para cortar à medida: consultar a pág� 534

tfix L hmin

hnom

h1

t fix hnom hef h1 d0 hmin

espessura da chapa ixada profundidade de inserção profundidade efectiva de ancoragem profundidade mínima do furo diâmetro do furo de betão espessura mínima do betão

d0

DIMENSÃO DOS ANCORANTES ALTERNATIVOS A ixação ao betão com ancorantes diferentes dos indicados na tabela, deve ser veriicada com base na força de tensão sobre os mesmos ancorantes, determináveis através dos coeicientes kt//� A força axial de tracção actuante sobre cada ancorante é obtida desta maneira:

Fbolt//,d = kt// F1,d kt// F1

coeiciente de excentricidade tensão de tracção actuante sobre o angular WHT

F1

kt// WHT340 WHT440 WHT540 WHT620 WHT740

1,00 1,00 1,00 1,00 1,00

Fbolt//

A veriicação do ancorante é satisfeita se a resistência à tracção de projecto, calculada considerando-se os efeitos de borda, é maior que a tensão de projecto: Rbolt //,d ≥ Fbolt //,d�

NOTAS: (1)

Válidos para os valores de resistência indicados na tabela�

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | WHT | 181


RIGIDEZ DA LIGAÇÃO AVALIAÇÃO DO MÓDULO DE DESLIZAMENTO K ser • K 1,ser experimental médio para a ligação WHT em madeira GL24h e CLT tipo WHT

WHT340

coniguração

tipo de ixação

nv

K 1,ser [N/mm]

Ø x L [mm]

[pçs�]

GL24h

CLT

• ixação total • sem anilha

pregos LBA Ø4,0 x 60

20

-

3440

• ixação total • com anilha

pregos LBA Ø4,0 x 60

20

5705

7160

• ixação parcial • com anilha

pregos LBA Ø4,0 x 60

12

-

5260

• ixação total • com anilha

pregos LBA Ø4,0 x 60

30

6609

10190

• ixação parcial • com anilha

pregos LBA Ø4,0 x 60

20

-

8060

• ixação total • com anilha

pregos LBA Ø4,0 x 60

45

-

11470

• ixação parcial • com anilha

pregos LBA Ø4,0 x 60

29

-

9700

• ixação total • com anilha

pregos LBA Ø4,0 x 60

52/55

13247

13540

• ixação parcial • com anilha

pregos LBA Ø4,0 x 60

30/35

9967

10310

WHT440

WHT540 Campanha experimental Seismic-REV em madeira GL24h (DICAM-Universidade de Trento e CNR-IVALSA San Michele All'Adige, 2015)�

WHT620

• Kser de acordo com a EN 1995-1-1 para pregos em ligações madeira-madeira* GL24h/C24 1,5 d0,8 (EN 1995 § 7�1) Pregos (sem pré-furo) ρm

30 tipo WHT

WHT340

tipo de ixação

nv

Kser

Ø x L [mm]

[pçs�]

[N/mm]

pregos LBA Ø4,0 x 60

14

12177

20

17395

20

17395

30

26093

WHT440

pregos LBA Ø4,0 x 60

WHT540

pregos LBA Ø4,0 x 60

29

25223

45

39139

WHT620

pregos LBA Ø4,0 x 60

35

30442

55

47837

* Em ligações aço-madeira, a norma aplicável indica a possibilidade de duplicar o valor de Kser indicado na tabela (7�1 (3))�

182 | WHT | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS

Campanha experimental em painéis CLT (C24) (CNR-IBE San Michele All'Adige,2020)�


FACILITA A MOVIMENTAÇÃO DE GRANDES ELEMENTOS

Forte como uma vespa, leve como uma borboleta Apresentamos o WASP, o gancho leve e robusto para o transporte de elementos pré-fabricados e painéis lamelares. Ideal para uma multiplicidade de utilizações em estaleiros, é certificado e pode ser utilizado tanto para cargas axiais, como transversais.

www.rothoblaas.pt


ANGULARES TITAN: TODAS AS SOLUÇÕES NUMA SÓ GAMA GUIA PARA A ESCOLHA LIGAÇÃO MADEIRA-BETÃO TITAN N R1,d

R2/3,d

R4,d

R5,d

R4/5,d

TCN200

FULL PATTERN (30) PARTIAL 4 (25) PARTIAL 3 (20) PARTIAL 2 (15) PARTIAL 1 (10)

[kN] -

[kN] 22,4 17,3 13,5 9,5 6,3

[kN] 17,7 17,5 -

[kN] 2,7 1,6 -

[kN] 14,9 19,0 -

TCN240

FULL PATTERN (36) PARTIAL 4 (30) PARTIAL 3 (24) PARTIAL 2 (18) PARTIAL 1 (12)

-

30,7 23,9 18,7 13,2 8,8

20,4 20,2 -

3,3 1,9 -

23,5 21,3 -

TCN200 + TCW200 FULL PATTERN (30)

37,6

41,3

-

-

-

TCN240 + TCW240 FULL PATTERN (36)

41,4

61,6

-

-

-

TITAN S R1,d

R2/3,d

R4,d

R5,d

R4/5,d

[kN] 59,5

[kN] 17,9

[kN] 4,3

[kN] 18,8

-

-

-

TCS240

FULL PATTERN (14)

[kN] -

TCS240 + TCW240

FULL PATTERN (14) PARTIAL (9)

41,4 28,7

64,7 -

R1,d

R2/3,d

R4,d

R5,d

R4/5,d

[kN] -

[kN] 36,0 31,5 21,2 15,3

[kN] 9,5 -

[kN] 4,8 -

[kN] 12,3 -

TITAN F

TCF200

FULL PATTERN (30) PARTIAL 3 (25) PARTIAL 2 (15) PARTIAL 1 (10)

FORÇAS Resistências certiicadas à tração (R1), corte (R2/3) e inclinação (R4,5)� Diferentes conigurações de ixação total (full pattern) e parcial (partial pattern)� Valores certiicados também com peris acústicos interpostos (XYLOFON e ALADIN)�

F4

F1 F3

F2

184 | ANGULARES TITAN: TODAS AS SOLUÇÕES NUMA SÓ GAMA | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS

F5


Os valores de resistência mostrados na tabela devem ser considerados como valores indicativos fornecidos para orientar o projetista na escolha do angular TITAN� A veriicação inal deve ser efetuada de acordo com as especiicações técnicas apresentadas nas páginas individuais do produto, dependendo dos requisitos do projeto e das condições reais de contorno�

A título de exemplo, são apresentados os valores de resistência de projeto (Rd), calculados de acordo com a EN 1995-1-1 e a EN 1993-1-1, considerando uma classe de duração de carga instantânea (kmod = 1,1), na hipótese de betão não issurado, ixação em madeira com parafusos LBS Ø5 x 50 mm (HBS PLATE para TITAN S) e tipo de ancorante em betão variável de acordo com o tipo de angular�

LIGAÇÃO MADEIRA-MADEIRA TITAN N

TTN240

FULL PATTERN (36) FULL PATTERN (36) + Xylofon FULL PATTERN (36) + Aladin S� FULL PATTERN (36) + Aladin Es�

R1,d

R2/3,d

R4,d

R5,d

R4/5,d

[kN] 13,7 -

[kN] 39,5 21,0 24,5 23,3

[kN] 20,1 -

[kN] 3,4 -

[kN] 22,6 -

TITAN S

TTS240

FULL PATTERN (14) FULL PATTERN (14) + Xylofon FULL PATTERN (14) + Aladin S� FULL PATTERN (14) + Aladin Es�

R1,d

R2/3,d

R4,d

R5,d

R4/5,d

[kN] -

[kN] 50,8 10,6 12,4 11,8

[kN] 17,5 -

[kN] 4,2 -

[kN] 21,3 -

TITAN F

TTF200

FULL PATTERN (30) PARTIAL 3 (25) PARTIAL 2 (15) PARTIAL 1 (10) FULL PATTERN (30) + Xylofon FULL PATTERN (30) + Aladin S� FULL PATTERN (30) + Aladin Es�

R1,d

R2/3,d

R4,d

R5,d

R4/5,d

[kN] -

[kN] 36,0 31,5 21,2 15,3 14,6 16,9 16,1

[kN] 10,4 -

[kN] 4,7 -

[kN] 14,2 -

TITAN V

TTV240

FULL PATTERN (36) PARTIAL (24) FULL PATTERN (36) + Xylofon(*)

R1,d

R2/3,d

R4,d

R5,d

R4/5,d

[kN] 85,5 54,6 -

[kN] 50,5 43,6 43,0

[kN] -

[kN] -

[kN] -

(*) Valor experimental não incluído na ETA�

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | ANGULARES TITAN: TODAS AS SOLUÇÕES NUMA SÓ GAMA | 185


TITAN N

ETA 11/0496

ANGULAR PARA FORÇAS DE CORTE E TRAÇÃO FUROS ALTOS Ideal para CLT, é fácil de instalar graças aos furos elevados� Valores certiicados também com ixação parcial na presença de argamassa de assentamento ou viga de raiz�

80 kN DE CORTE Excecional resistência ao corte� Até 82,6 kN em betão (com anilha TCW)� Até 46,7 kN em madeira�

70 kN DE TRAÇÃO Em betão, os angulares TCN com anilhas TCW garantem uma excelente resistência à tração� R1,k até 69,8 kN característicos�

CARATERÍSTICAS FOCUS

ligações de corte e tração

ALTURA

120 mm

ESPESSURA

3,0 mm

FIXAÇÕES

LBA, LBS, VIN-FIX PRO, EPO-FIX PLUS, SKR, AB1

MATERIAL Chapa tridimensional furada de aço carbónico com eletrogalvanização�

CAMPOS DE APLICAÇÃO Ligações de corte e de tração para aplicações madeira-betão e madeira-madeira • CLT, LVL • madeira maciça e lamelar • estrutura de armação (platform frame) • painéis à base de madeira

186 | TITAN N | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS


RETENTOR OCULTO Ideal para madeira-betão, quer como hold down nas extremidades das paredes, quer como angular de corte ao longo das paredes� Pode ser integrada no conjunto da laje�

TODAS AS DIREÇÕES Resistências certiicadas ao corte (F2,3), à tração (F1) e à inclinação (F4,5)� Valores certiicados também para ixações parciais e com peris acústicos interpostos�

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | TITAN N | 187


CÓDIGOS E DIMENSÕES TITAN N - TCN | LIGAÇÕES BETÃO-MADEIRA CÓDIGO

B

P

H

furos

nv Ø5

s

pçs

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[pçs�]

[mm]

TCN200

200

103

120

Ø13

30

3

10

TCN240

240

123

120

Ø17

36

3

10

H

P

B

TITAN WASHER - TCW | LIGAÇÕES BETÃO-MADEIRA CÓDIGO

TCN200

TCN240

TCW200

-

TCW240

-

B

P

s

furos

pçs

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

190

72

12

Ø14

1

230

73

12

Ø18

1

s P

B

TITAN N - TTN | LIGAÇÕES MADEIRA-MADEIRA CÓDIGO

H

B

P

H

nH Ø5

nv Ø5

s

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

240

93

120

36

36

3

TTN240

pçs

10

P

B

PERFIS ACÚSTICOS | LIGAÇÕES MADEIRA-MADEIRA CÓDIGO

tipo

XYL35120240

B

P

s

[mm]

[mm]

pçs

xylofon plate

240 mm

120

6

10

ALADIN95

soft

50 m(*)

95

5

10

ALADIN115

extra soft

50 m(*)

115

7

10

s P

B

(*) A cortar no estaleiro

MATERIAL E DURABILIDADE

FORÇAS

TITAN N: aço carbónico DX51D+Z275� TITAN WASHER: aço carbónico S235 com eletrogalvanização� Utilização em classes de serviço 1 e 2 (EN 1995-1-1)� XYLOFON PLATE: mistura poliuretânica de 35 shore� ALADIN STRIPE: EPDM compacto�

F1

F2

F1

F3

F5

F4

CAMPOS DE EMPREGO • Ligações madeira-betão • Ligações madeira-madeira • Ligações madeira-aço

PRODUTOS ADICIONAIS - FIXAÇÕES tipo

descrição

d

suporte

pág.

[mm] LBA

prego Anker

4

548

LBS

parafuso para chapas

5

552

AB1

ancorante mecânico

12 - 16

494

SKR

ancorante parafusável

12 - 16

488

VIN-FIX PRO

ancorante químico

M12 - M16

511

EPO-FIX PLUS ancorante químico

M12 - M16

517

188 | TITAN N | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS


GEOMETRIA TCN200

TCN240 20 10

Ø5

3

Ø5

10 20 20 10

120

TTN240 3

20 10 10 20 20 10

120

60

10 20 20 10

120

60

60 3

3

200

3

240

240

40 103

31,5 Ø13

3

20 10

Ø5

33

41

20 20 20

93

123

41 Ø17

31,5

41 25

150

Ø5

25 39

TCW200

162

TCW240 37

72

20 10

39

37 73

Ø14

Ø18

35

36

190

230

12

12 20

150

20

34

162

34

INSTALAÇÃO SOBRE BETÃO O angular TITAN TCN deve ser ixado no betão através de 2 ancorantes , de acordo com uma das seguintes modalidades de instalação, dependendo da tensão de atuação�

INSTALAÇÃO IDEAL

INSTALAÇÃO ALTERNATIVA

INSTALAÇÃO COM WASHER

2 ancorantes posicionados nos FUROS INTERNOS (IN) (indicados pelo molde no produto)

2 ancorantes posicionados nos FUROS EXTERNOS (OUT) (por ex�, interação entre o ancorante e a armação do suporte de betão)

Tensão reduzida no ancorante (excentricidade ey e kt mínimos)

Tensão máxima no ancorante (excentricidade ey e kt máximos)

Resistência da ligação optimizada

Resistência reduzida da ligação

A ixação com WASHER TCW deve ser efetuada com 2 ancorantes posicionados nos FUROS INTERNOS (IN)

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | TITAN N | 189


VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO DE CORTE F2/3 | MADEIRA-BETÃO TCN200

F2/3

RESISTÊNCIA DO LADO DA MADEIRA MADEIRA coniguração sobre madeira(1)

• full pattern

• pattern 4

• pattern 3

• pattern 2

• pattern 1

BETÃO

ixação de furos Ø5 tipo

R2/3,k timber

ØxL

nv

[mm]

[pçs�]

pregos LBA

Ø4,0 x 60

parafusos LBS

Ø5,0 x 50

pregos LBA

Ø4,0 x 60

parafusos LBS

Ø5,0 x 50

pregos LBA

Ø4,0 x 60

parafusos LBS

Ø5,0 x 50

pregos LBA

Ø4,0 x 60

parafusos LBS

Ø5,0 x 50

pregos LBA

Ø4,0 x 60

parafusos LBS

Ø5,0 x 50

30

IN(2)

ixação de furos Ø13

OUT(3)

Ø

nH

ey,IN

ey,OUT

[kN]

[mm]

[pçs�]

[mm]

[mm]

22,1

M12

2

38,5

70,0

26,5 17,4

25

20,4 13,7

20

16,0 9,6

15

11,2 6,4

10

7,5

RESISTÊNCIA DO LADO DO BETÃO Valores de resistência de algumas das soluções de ixação possíveis para ancorantes instalados nos furos internos (IN) ou externos (OUT)�

coniguração sobre betão

• não issurado

• issurado

• seismic

ixação de furos Ø13

OUT(3)

ØxL [mm]

[kN]

[kN]

VIN-FIX PRO 5.8

M12 x 130

29,7

24,4

VIN-FIX PRO 8.8

M12 x 130

48,1

39,1

SKR-E

12 x 90

38,3

31,3

AB1

M12 x 100

35,4

28,9

VIN-FIX PRO 5.8

M12 x 130

29,7

24,4

VIN-FIX PRO 8.8

M12 x 130

35,1

28,9

SKR-E

12 x 90

34,6

28,4

AB1

M12 x 100

35,4

28,9

EPO-FIX PLUS 5.8/8.8

M12 x 130

19,2

15,7

SKR-E

12 x 90

8,8

7,2

AB1

M12 x 100

10,6

8,7

instalação

TCN200

R2/3,d concrete IN(2)

tipo

tipo de ancorante

tix

hef

hnom

h1

d0

hmin [mm]

tipo

Ø x L [mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

VIN-FIX PRO EPO-FIX PLUS 5.8/8.8

M12 X 130

3

112

112

120

14

SKR-E

12 x 90

3

64

87

110

10

AB1

M12 x 100

3

70

80

85

12

200

t fix hnom hef h1

espessura da chapa ixada profundidade de inserção profundidade efectiva de ancoragem profundidade mínima do furo

d0 hmin

diâmetro do furo de betão espessura mínima do betão

Barra roscada pré-cortada INA dotada de porca e anilha: consultar a pág� 520 Barra roscada MGS classe 8�8 para cortar à medida: consultar a pág� 534

NOTAS: (1)

Esquemas de ixação parcial (pattern) na pág� 192�

(2)

Instalação dos ancorantes nos furos internos (IN)�

190 | TITAN N | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS

(3)

Instalação dos ancorantes nos furos externos (OUT)�


VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO DE CORTE F2/3 | MADEIRA-BETÃO TCN240 F2/3

RESISTÊNCIA DO LADO DA MADEIRA MADEIRA ixação de furos Ø5

coniguração sobre madeira(1)

• full pattern

• pattern 4

• pattern 3

• pattern 2

• pattern 1

BETÃO

tipo

R2/3,k timber

ØxL

nv

[mm]

[pçs�]

pregos LBA

Ø4,0 x 60

parafusos LBS

Ø5,0 x 50

pregos LBA

Ø4,0 x 60

parafusos LBS

Ø5,0 x 50

pregos LBA

Ø4,0 x 60

parafusos LBS

Ø5,0 x 50

pregos LBA

Ø4,0 x 60

parafusos LBS

Ø5,0 x 50

pregos LBA

Ø4,0 x 60

parafusos LBS

Ø5,0 x 50

36

ixação de furos Ø17

IN(2)

OUT(3)

Ø

nH

ey,IN

ey,OUT

[kN]

[mm]

[pçs�]

[mm]

[mm]

30,3

M16

2

39,5

80,5

36,3 24,0

30

28,2 18,8

24

22,1 13,3

18

15,6 8,9

12

10,4

RESISTÊNCIA DO LADO DO BETÃO Valores de resistência de algumas das soluções de ixação possíveis para ancorantes instalados nos furos internos (IN) ou externos (OUT)�

ixação de furos Ø17

coniguração sobre betão

• não issurado

• issurado

• seismic

OUT(3)

ØxL [mm]

[kN]

[kN]

VIN-FIX PRO 5.8

M16 x 160

55,8

43,9

VIN-FIX PRO 8.8

M16 x 160

90,1

70,9

SKR-E

16 x 130

67,4

53,1

AB1

M16 x 145

67,4

53,1

VIN-FIX PRO 5.8/8.8

M16 x 160

55,0

43,2

SKR-E

16 x 130

55,0

43,2

AB1

M16 x 145

55,0

43,2

EPO-FIX PLUS 5.8

M16 x 160

26,6

21,1

EPO-FIX PLUS 8.8

M16 x 160

28,1

21,9

SKR-E

16 x 130

19,9

15,8

AB1

M16 x 145

19,9

15,8

instalação

TCN240

R2/3,d concrete IN(2)

tipo

tipo de ancorante

tix

hef

hnom

h1

d0

hmin [mm]

tipo

Ø x L [mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

VIN-FIX PRO EPO-FIX PLUS 5.8/8.8

M16 x 160

3

137

137

145

18

SKR-E

16 x 130

3

85

127

150

14

AB1

M16 x 145

3

85

97

105

16

200

t fix hnom hef h1

espessura da chapa ixada profundidade de inserção profundidade efectiva de ancoragem profundidade mínima do furo

d0 hmin

diâmetro do furo de betão espessura mínima do betão

Barra roscada pré-cortada INA dotada de porca e anilha: consultar a pág� 520 Barra roscada MGS classe 8�8 para cortar à medida: consultar a pág� 534

PRINCÍPIOS GERAIS: Para os princípios gerais de cálculo, consultar a pág. 202.

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | TITAN N | 191


TCN200 - TCN240 | ESQUEMAS DE FIXAÇÃO PARCIAL PARA TENSÃO F2/3 Na presença de requisitos de projeto, tais como graus variáveis de tensão F2/3 ou na presença de uma camada intermédia HB (argamassa de nivelamento, soleira ou viga horizontal) entre a parede e a superfície de apoio, é possível adotar esquemas de ixação parcial (pattern):

FULL PATTERN

PATTERN 4

PATTERN 3

PATTERN 2

PATTERN 1

O Pattern 2 também se aplica no caso de tensões F4, F5 e F4/5.

ALTURA MÁXIMA DA CAMADA INTERMÉDIA HB

HB

HB

coniguração sobre madeira

nv furos Ø5 [pça] TCN200

TCN240

CLT

C/GL

HB max [mm]

HB max [mm]

pregos

parafusos

pregos

parafusos

LBA Ø4

LBS Ø5

LBA Ø4

LBS Ø5

• full pattern

30

36

20

30

32

10

• pattern 4

25

30

30

40

42

20

• pattern 3

20

24

40

50

52

30

• pattern 2

15

18

50

60

62

40

• pattern 1

10

12

60

70

72

50

A altura da camada intermédia H B (argamassa de nivelamento, soleira ou viga horizontal de madeira) é determinada tendo em conta as seguintes exigências regulamentares para as ixações em madeira: • CLT: distâncias mínimas de acordo com a ÖNORM EN 1995-1-1 (Anexo K) para pregos e com a ETA-11/0030 para parafusos� • C/GL: distâncias mínimas para madeira maciça ou lamelada com ibras horizontais em conformidade com a norma EN 1995-1-1, de acordo com a ETA, considerando uma massa volúmica dos elementos de madeira ρ k ≤ 420 kg/m3 .

TCN200 - TCN240 | VERIFICAÇÃO DOS ANCORANTES PARA BETÃO E TENSÃO F2/3 A ixação ao betão por meio de ancorantes deve ser veriicada com base nas forças de tensão sobre os próprios ancorantes, determináveis através dos parâmetros geométricos indicados na tabela (e)� As excentricidades de cálculo e y variam em função do tipo de instalação selecionada: 2 ancorantes internos (IN) ou 2 ancorantes externos (OUT)�

O grupo de ancorantes deve ser verificado quanto a: VSd,x = F2/3,d MSd,z = F2/3,d x ey,IN/OUT

z x

F2/3 ey

192 | TITAN N | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS

y


VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO DE CORTE F4/5 - F5 - F4/5 | MADEIRA-BETÃO TCN200 - TCN240 MADEIRA

AÇO

ixação de furos Ø5

F4

tipo

• full nailing TCN200

• pattern 2

• full nailing TCN240

• pattern 2

R4,k timber

BETÃO

R4,k steel

ØxL

nv

[mm]

[pçs.]

[kN]

[kN]

γsteel

30

20,9

22,4

γM0

15

20,7

24,3

γM0

36

24,1

26,9

γM0

pregos LBA Ø4,0 x 60 parafusos LBS Ø5,0 x 50 pregos LBA Ø4,0 x 60 parafusos LBS Ø5,0 x 50

IN(1)

ixação de furos Ø

nH

[mm]

[pçs.]

M12

2

kt⊥

kt//

0,5

-

F4

pregos LBA Ø4,0 x 60 parafusos LBS Ø5,0 x 50

M16

pregos LBA Ø4,0 x 60

18

parafusos LBS Ø5,0 x 50

23,9

29,1

2

0,5

Fbolt,⊥

-

γM0

O grupo de 2 ancorantes deve ser veriicado quanto a: VSd,y = 2 x kt⊥ x F4,d MADEIRA

AÇO

ixação de furos Ø5

F5

tipo

• full pattern TCN200

• pattern 2

• full pattern TCN240

• pattern 2

R5,k timber

BETÃO

R5,k steel

ØxL

nv

[mm]

[pçs.]

[kN]

[kN]

γsteel

30

6,6

2,7

γ M0

15

3,6

1,6

36

8,0

3,3

pregos LBA Ø4,0 x 60 parafusos LBS Ø5,0 x 50

Ø

nH

kt⊥

kt//

[mm]

[pçs.] 0,5

0,47

γ M0

0,5

0,83

γ M0

0,5

0,48

0,5

0,83

M12

pregos LBA Ø4,0 x 60 parafusos LBS Ø5,0 x 50

IN(1)

ixação de furos

2 Fbolt,// F5

pregos LBA Ø4,0 x 60 parafusos LBS Ø5,0 x 50

M16

pregos LBA Ø4,0 x 60

18

parafusos LBS Ø5,0 x 50

4,3

1,9

Fbolt,⊥

2

γ M0

O grupo de 2 ancorantes deve ser veriicado quanto a: VSd,y = 2 x kt⊥ x F5,d; NSd,z = 2 x kt// x F5,d MADEIRA

AÇO

ixação de furos Ø5

F4/5

DOIS ANGULARES

• full pattern TCN200

• pattern 2

• full pattern TCN240

• pattern 2

tipo

R4/5,k timber

BETÃO

R4/5,k steel

ØxL

nv

[mm]

[pçs.]

[kN]

[kN]

γsteel

30 + 30

25,6

14,9

γ M0

pregos LBA Ø4,0 x 60 parafusos LBS Ø5,0 x 50 pregos LBA Ø4,0 x 60 parafusos LBS Ø5,0 x 50 pregos LBA Ø4,0 x 60 parafusos LBS Ø5,0 x 50 pregos LBA Ø4,0 x 60 parafusos LBS Ø5,0 x 50

IN(1)

ixação de furos Ø

nH

[mm]

[pçs.]

M12

kt⊥

kt//

0,41

0,08

2+2

15 + 15

22,4

20,9

γ M0

0,46

0,06

36 + 36

27,8

24,7

γ M0

0,43

0,06

0,48

0,04

F4/5 M16 18 + 18

25,2

30,6

2+2

γ M0

O grupo de 2 ancorantes deve ser veriicado quanto a: VSd,y = 2 x kt⊥ x F4/5,d; NSd,z = 2 x kt// x F4/5,d

Os valores de F4, F5, F4/5 indicados na tabela são válidos para a excentricidade de cálculo da tensão de atuação e=0 (elementos de madeira ligados à rotação)� Para ligações com 2 angulares, caso a tensão F4/5,d seja aplicada com excentricidade e≠0, é necessária a veriicação para cargas combinadas considerando o contributo do componente adicional de tração:

ΔF1,d = F4/5,d

F4/5

F1

b

F1

e F4/5

e b

NOTAS:

PRINCÍPIOS GERAIS:

(1)

Para os princípios gerais de cálculo, consultar a pág. 202.

Instalação dos ancorantes nos furos internos (IN).

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | TITAN N | 193


VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO DE CORTE F2/3 |MADEIRA-BETÃO TCN200 + TCW200

F2/3

RESISTÊNCIA DO LADO DA MADEIRA MADEIRA coniguração sobre madeira

TCN200 + TCW200

BETÃO

ixação de furos Ø5 tipo

R2/3,k timber

ØxL

nv

[mm]

[pçs�]

pregos LBA

Ø4,0 x 60

parafusos LBS

Ø5,0 x 50

30

IN(1)

ixação de furos Ø13 Ø

nH

ey,IN

ez,IN

[kN]

[mm]

[pçs�]

[mm]

[mm]

56,7

M12

2

38,5

83,5

66,4

RESISTÊNCIA DO LADO DO BETÃO Valores de resistência de algumas das soluções de ixação possíveis em betão para ancorantes instalados nos furos internos (IN) com WASHER�

coniguração sobre betão

• não issurado

• issurado

• seismic

instalação

TCN200 + TCW200

ixação de furos Ø13

R2/3,d concrete

ØxL

IN(1)

[mm]

[kN]

VIN-FIX PRO 5.8

M12 x 130

25,8

VIN-FIX PRO 8.8

M12 x 180

41,3

SKR-E

12 x 110

17,4

tipo

AB1

M12 x 120

26,1

VIN-FIX PRO 5.8

M12 x 130

14,7

VIN-FIX PRO 5.8/8.8

M12 x 180

20,8

EPO-FIX PLUS 5.8

M12 x 130

25,8

AB1

M12 x 120

17,3

EPO-FIX PLUS 5.8

M12 x 180

10,8

EPO-FIX PLUS 8.8

M12 x 180

12,4

tipo de ancorante

tix

hef

hnom

h1

d0

hmin [mm]

tipo

Ø x L [mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

VIN-FIX PRO EPO-FIX PLUS 5.8/8.8

M12 x 130

15

99

99

105

14

M12 x 180

15

149

149

149

14

SKR-E

12 x 110

15

64

95

115

10

AB1

M12 x 120

15

70

80

85

12

Barra roscada pré-cortada INA dotada de porca e anilha: consultar a pág� 520 Barra roscada MGS classe 8�8 para cortar à medida: consultar a pág� 534

NOTAS: (1)

Instalação dos ancorantes nos furos internos (IN)�

194 | TITAN N | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS

200

t fix hnom hef h1

espessura da chapa ixada profundidade de inserção profundidade efectiva de ancoragem profundidade mínima do furo

d0 hmin

diâmetro do furo de betão espessura mínima do betão


VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO DE CORTE F2/3 |MADEIRA-BETÃO TCN240 + TCW240

F2/3

RESISTÊNCIA DO LADO DA MADEIRA MADEIRA

BETÃO

ixação de furos Ø5

coniguração sobre madeira

tipo

TCN240 + TCW240

R2/3,k timber

ØxL

nv

[mm]

[pçs�]

pregos LBA

Ø4,0 x 60

parafusos LBS

Ø5,0 x 50

36

IN(1)

ixação de furos Ø17 Ø

nH

ey,IN

ez,IN

[kN]

[mm]

[pçs�]

[mm]

[mm]

70,5

M16

2

39,5

83,5

82,6

RESISTÊNCIA DO LADO DO BETÃO Valores de resistência de algumas das soluções de ixação possíveis em betão para ancorantes instalados nos furos internos (IN) com WASHER� ixação de furos Ø17

coniguração sobre betão

• não issurado

• issurado

IN(1)

[mm]

[kN]

VIN-FIX PRO 5.8

M16 X 190

49,5

VIN-FIX PRO 8.8

M16 X 190

61,6

SKR-E

16 X 130

32,1

AB1

M16 X 145

39,5

VIN-FIX PRO 5.8/8.8

M16 X 190

30,9

EPO-FIX PLUS 5.8/8.8 AB1 EPO-FIX PLUS 5.8

• seismic EPO-FIX PLUS 8.8

instalação

TCN240 + TCW240

R2/3,d concrete

ØxL

tipo

M16 X 160

40,1

M16 X 190

49,1

M16 X 145

28,4

M16 X 190

15,2

M16 X 230

16,6

M16 X 190

16,6

M16 X 230

21,0

tipo de ancorante

tix

hef

hnom

h1

d0

hmin

tipo

Ø x L [mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

M16 x 160

15

126

126

135

18

200

VIN-FIX PRO EPO-FIX PLUS 5.8/8.8

M16 x 190

15

155

155

155

18

200

M16 x 230

15

195

195

195

18

240

SKR-E

16 x 130

15

85

115

145

14

200

AB1

M16 x 145

15

85

97

105

16

200

t fix hnom hef h1

espessura da chapa ixada profundidade de inserção profundidade efectiva de ancoragem profundidade mínima do furo

d0 hmin

diâmetro do furo de betão espessura mínima do betão

Barra roscada pré-cortada INA dotada de porca e anilha: consultar a pág� 520 Barra roscada MGS classe 8�8 para cortar à medida: consultar a pág� 534

PRINCÍPIOS GERAIS: Para os princípios gerais de cálculo, consultar a pág. 202.

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | TITAN N | 195


TCW200 - TCW240 | VERIFICAÇÃO DOS ANCORANTES PARA BETÃO E TENSÃO F2/3 A ixação ao betão por meio de ancorantes deve ser veriicada com base nas forças de tensão sobre os próprios ancorantes, determináveis através dos parâmetros geométricos indicados na tabela (e)� As excentricidades de cálculo ey e ez referem-se à instalação com WASHER TCW de 2 ancorantes internos (IN)� O grupo de ancorantes deve ser verificado quanto a: VSd,x = F2/3,d MSd,z = F2/3,d x ey,IN MSd,y = F2/3,d x ez,IN

F2/3 z

ez

x

y

ey

TCW200 - TCW240 | RIGIDEZ DA LIGAÇÃO PARA TENSÃO F2/3 AVALIAÇÃO DO MÓDULO DE DESLIZAMENTO K2/3,ser •

K 2/3,ser experimental médio para a ligação TITAN em CLT (Cross Laminated Timber) de acordo com a ETA-11/0496

tipo de ixação

nv

K 2/3,ser

Ø x L [mm]

[pçs�]

[mm]

TCN200 + TCW200

parafusos LBS Ø5,0 x 50

30

9600

TCN240 + TCW240

parafusos LBS Ø5,0 x 50

36

10000

tipo

Kser de acordo com a EN 1995-1-1 para parafusos em ligações madeira-madeira* GL24h/C24

1,5 0,8 Parafusos (pregos sem pré-furo) ρm d

(EN 1995 §7�1)

30 tipo de ixação

nv

Kser

Ø x L [mm]

[pçs�]

[mm]

TCN200 + TCW200

parafusos LBS Ø5,0 x 50

30

31192

TCN240 + TCW240

parafusos LBS Ø5,0 x 50

36

37431

tipo

* Em ligações aço-madeira, a norma aplicável indica a possibilidade de duplicar o valor de Kser indicado na tabela (7�1 (3))�

196 | TITAN N | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS


VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO DE TRAÇÃO F1 | MADEIRA-BETÃO TCN200 + TCW200 F1

RESISTÊNCIA DO LADO DA MADEIRA MADEIRA coniguração sobre madeira

TCN200 + TCW200

AÇO R1,k timber

ixação de furos Ø5 tipo

ØxL

nv

[mm]

[pçs�]

pregos LBA

Ø4,0 x 60

parafusos LBS

Ø5,0 x 50

[kN] 57,9

30

68,1

BETÃO

R1,k steel

ixação de furos Ø13

[kN]

γsteel

45,7

γ M0

IN(1)

Ø

nH

kt//

[mm]

[pçs�]

[mm]

M12

2

1,09

RESISTÊNCIA DO LADO DO BETÃO Valores de resistência de algumas das soluções de ixação possíveis em betão para ancorantes instalados nos furos internos (IN) com WASHER� ixação de furos Ø13

coniguração sobre betão

tipo

VIN-FIX PRO 5.8/8.8 • não issurado

• issurado

• seismic

instalação

TCN200 + TCW200

R1,d concrete ØxL

IN(1)

[mm]

[kN]

M12 x 180

22,1

EPO-FIX PLUS 5.8/8.8

M12 x 130

23,1

EPO-FIX PLUS 5.8

M12 x 180

25,4

EPO-FIX PLUS 8.8

M12 x 180

37,6

VIN-FIX PRO 5.8/8.8

M12 x 180

10,6

EPO-FIX PLUS 5.8/8.8

EPO-FIX PLUS 5.8/8.8

tipo de ancorante

M12 x 130

12,9

M12 x 180

19,7

M12 x 180

8,1

M12 x 230

10,9

tix

hef

hnom

h1

d0

hmin

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

tipo

Ø x L [mm] M12 x 130

15

95

95

100

14

200

VIN-FIX PRO EPO-FIX PLUS 5.8/8.8

M12 x 180

15

145

145

150

14

200

M12 x 230

15

195

195

195

14

240

t fix hnom hef h1

espessura da chapa ixada profundidade de inserção profundidade efectiva de ancoragem profundidade mínima do furo

d0 hmin

diâmetro do furo de betão espessura mínima do betão

Barra roscada pré-cortada INA dotada de porca e anilha: consultar a pág� 520 Barra roscada MGS classe 8�8 para cortar à medida: consultar a pág� 534

NOTAS:

PRINCÍPIOS GERAIS:

(1)

Para os princípios gerais de cálculo, consultar a pág. 202.

Instalação dos ancorantes nos furos internos (IN)�

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | TITAN N | 197


VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO DE TRAÇÃO F1 | MADEIRA-BETÃO TCN240 + TCW240 F1

RESISTÊNCIA DO LADO DA MADEIRA MADEIRA

AÇO R1,k timber

ixação de furos Ø5

coniguração sobre madeira

tipo

TCN240 + TCW240

ØxL

nv

[mm]

[pçs�]

pregos LBA

Ø4,0 x 60

parafusos LBS

Ø5,0 x 50

[kN] 69,5

36

81,7

BETÃO

R1,k steel

ixação de furos Ø17

[kN]

γsteel

68,9

γ M0

IN(1)

Ø

nH

kt//

[mm]

[pçs�]

[mm]

M16

2

1,08

RESISTÊNCIA DO LADO DO BETÃO Valores de resistência de algumas das soluções de ixação possíveis em betão para ancorantes instalados nos furos internos (IN) com WASHER� coniguração sobre betão

ixação de furos Ø17 tipo

VIN-FIX PRO 5.8/8.8 • não issurado EPO-FIX PLUS 5.8/8.8

VIN-FIX PRO 5.8/8.8 • issurado EPO-FIX PLUS 5.8/8.8

• seismic

instalação

TCN240 + TCW200

EPO-FIX PLUS 5.8/8.8

tipo de ancorante

R1,d concrete ØxL

IN(1)

[mm]

[kN]

M16 x 190

28,2

M16 x 230

35,8

M16 x 160

34,1

M16 x 190

41,4

M16 x 190

14,5

M16 x 230

18,3

M16 x 190

23,7

M16 x 230

30,0

M16 x 190

10,4

M16 x 230

13,2

tix

hef

hnom

h1

d0

hmin

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

tipo

Ø x L [mm]

VIN-FIX PRO EPO-FIX PLUS 5.8/8.8

M16 x 160

15

126

126

126

18

200

M16 x 190

15

155

155

155

18

200

M16 x 230

15

195

195

195

18

240

t fix hnom hef h1

espessura da chapa ixada profundidade de inserção profundidade efectiva de ancoragem profundidade mínima do furo

d0 hmin

diâmetro do furo de betão espessura mínima do betão

Barra roscada pré-cortada INA dotada de porca e anilha: consultar a pág� 520 Barra roscada MGS classe 8�8 para cortar à medida: consultar a pág� 534

NOTAS:

PRINCÍPIOS GERAIS:

(1)

Para os princípios gerais de cálculo, consultar a pág. 202.

Instalação dos ancorantes nos furos internos (IN)�

198 | TITAN N | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS


TCW200 - TCW240 | VERIFICAÇÃO DOS ANCORANTES PARA BETÃO E TENSÃO F1 A ixação ao betão por meio de ancorantes deve ser veriicada com base nas forças de tensão sobre os próprios ancorantes, determináveis através dos parâmetros geométricos indicados na tabela (kt)� No caso de instalação sobre betão com WASHER TCW, devem ser assegurados 2 ancorantes internos (IN)�

O grupo de ancorantes deve ser verificado quanto a: NSd,z = 2 x kt// x F1,d

2kt x F1

z x

y

TCW200 - TCW240 | RIGIDEZ DA LIGAÇÃO PARA TENSÃO F1 AVALIAÇÃO DO MÓDULO DE DESLIZAMENTO K1,ser • K 1,ser experimental médio para a ligação TITAN em CLT (Cross Laminated Timber) C24 tipo

tipo de ixação

nv

K 1,ser

Ø x L [mm]

[pçs�]

[N/mm]

TCN200 + TCW200

-

-

-

TCN240 + TCW240

pregos LBA Ø4,0 x 60

36

28455

• Kser de acordo com a EN 1995-1-1 para pregos em ligações madeira-madeira* GL24h/C24 1,5 d0,8 (EN 1995 § 7�1) Pregos (sem pré-furo) ρm

30 tipo

tipo de ixação

nv

Kser

Ø x L [mm]

[pçs�]

[N/mm]

TCN200 (+ TCW200)

pregos LBA Ø4,0 x 60

30

26093

TCN240 (+ TCW240)

pregos LBA Ø4,0 x 60

36

31311

* Em ligações aço-madeira, a norma aplicável indica a possibilidade de duplicar o valor de Kser indicado na tabela (7�1 (3))

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | TITAN N | 199


VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO DE CORTE F2/3 | MADEIRA-MADEIRA TTN240

F2/3

F2/3

MADEIRA coniguração sobre madeira(1)

TTN240 TTN240 + XYLOFON TTN240 + ALADIN STRIPE SOFT TTN240 + ALADIN STRIPE EXTRA SOFT

peril(2)

ixação de furos Ø5 tipo

ØxL

nv

nH

s

[mm]

[pçs�]

[pçs�]

[mm]

pregos LBA

Ø4,0 x 60

parafusos LBS

Ø5,0 x 50

pregos LBA

Ø4,0 x 60

parafusos LBS

Ø5,0 x 50

pregos LBA

Ø4,0 x 60

parafusos LBS

Ø5,0 x 50

pregos LBA

Ø4,0 x 60

parafusos LBS

Ø5,0 x 50

36

36

-

36

36

6

36

36

5

36

36

7

R2/3,k timber [kN] 37,9 46,7 24,8 22,8 28,9 27,5 27,5 25,8

VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO DE TRAÇÃO F1 | MADEIRA-MADEIRA TTN240 F1

MADEIRA ixação de furos Ø5 tipo

TTN240

R1,k timber

ØxL

nv

nH

[mm]

[pçs�]

[pçs�]

36

36

pregos LBA

Ø4,0 x 60

parafusos LBS

Ø5,0 x 50

[kN] 7,4 16,2

NOTAS: (1)

O angular TTN240 pode ser instalado em combinação com diferentes peris acústicos resilientes inseridos abaixo da lange horizontal na coniguração de full pattern� Os valores de resistência indicados na tabela são apresentados na ETA-11/0496 e são calculados de acordo com “Blaß, H.J. und Laskewitz, B. (2000); Load-Carrying Capacity of Joints with Dowel-Type fasteners and Interlayers.", desconsiderando cautelosamente a rigidez do peril�

200 | TITAN N | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS

(2)

Espessura do peril: no caso do peril tipo ALADIN, no cálculo foi considerada a espessura reduzida, devido à secção ondulada e ao consequente esmagamento induzido pela cabeça do prego durante a inserção�


VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO DE CORTE F4 - F5 - F4/5 | MADEIRA-MADEIRA TTN240 MADEIRA

AÇO R4,k timber

ixação de furos Ø5

F4

TTN240

ØxL

nv

[mm]

[pçs.]

[kN]

[kN]

γsteel

36 + 36

23,8

31,1

γM0

tipo

• full pattern

R4,k steel

pregos LBA

Ø4,0 x 60

parafusos LBS

Ø5,0 x 50

MADEIRA

AÇO R5,k timber

ixação de furos Ø5

F5

TTN240

• full pattern

R5,k steel

ØxL

nv

[mm]

[pçs.]

[kN]

[kN]

γsteel

36 + 36

7,3

3,4

γM0

tipo

pregos LBA

Ø4,0 x 60

parafusos LBS

Ø5,0 x 50

MADEIRA

F4/5 DOIS ANGULARES TTN240

• full pattern

R4/5,k timber

ØxL

nv [pçs.]

[kN]

[kN]

γsteel

72 + 72

26,7

31,6

γM0

Ø4,0 x 60

parafusos LBS

Ø5,0 x 50

Os valores de F4, F5, F4/5 indicados na tabela são válidos para a excentricidade de cálculo da tensão de atuação e=0 (elementos de madeira ligados à rotação)� Para ligações com 2 angulares, caso a tensão F4/5,d seja aplicada com excentricidade e≠0, é necessária a veriicação para cargas combinadas considerando o contributo do componente adicional de tração:

ΔF1,d = F4/5,d

R4/5,k steel

[mm] pregos LBA

F5

AÇO

ixação de furos Ø5 tipo

F4

F4/5

F4/5

F1

b e

F1

F4/5

e b

PRINCÍPIOS GERAIS: Para os princípios gerais de cálculo, consultar a pág. 202.

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | TITAN N | 201


PRINCÍPIOS GERAIS: • Os valores característicos são conforme a norma EN 1995-1-1, de acordo com ETA-11/0496� Os valores de projeto dos ancorantes para betão são calculados de acordo com as respetivas Avaliações Técnicas Europeias (ver capítulo 6 ANCORANTES PARA BETÃO)� Os valores de resistência de projeto da ligação são obtidos a partir dos valores indicados na tabela, desta forma:

Rd = min

Rk, timber kmod γM Rk, steel γsteel Rd, concrete

Os coeicientes kmod, γ M e γ steel devem ser considerados em função da norma vigente utilizada para o cálculo� • A dimensão e a veriicação dos elementos de madeira e de betão devem ser feitas à parte� É recomendável veriicar a ausência de ruturas frágeis antes da resistência da ligação ser atingida� • Os elementos estruturais de madeira, aos quais os dispositivos de ligação estão ixados, devem ser ligados à rotação� • Em fase de cálculo, considerou-se uma massa volúmica dos elementos de madeira equivalente a ρ k = 350 kg/m3 � Para valores de ρ k superiores, as resistências do lado da madeira podem ser convertidas através do valor kdens:

kdens = kdens =

ρk

0,5

for 350 kg/m3 ≥ ρk ≥ 420 kg/m3

350 ρk

0,5

for LVL with ρk ≥ 500 kg/m3

350

202 | TITAN N | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS

• Na fase de cálculo, foi considerada uma classe de resistência do betão C25/30 com armação rara, na ausência de entre-eixos e distâncias da borda e espessura mínima indicada nas tabelas que mostram os parâmetros de instalação dos ancorantes utilizados� Os valores de resistência são válidos para as hipóteses de cálculo deinidas na tabela; para condições de contorno diferentes das indicadas na tabela (por ex�, distâncias mínimas das bordas ou espessura de betão diferente), os ancorantes do lado do betão podem ser veriicados utilizando o software de cálculo MyProject de acordo com as necessidades do projeto� • Projetação sísmica na categoria de desempenho C2, sem requisitos de ductilidade nos ancorantes (opção a2) projetação elástica de acordo com a EOTA TR045� Para ancorantes químicos sujeitos a tensão de corte, parte-se do princípio de que o espaço anular entre o ancorante e o furo da chapa esteja preenchido (α gap=1)�


TITAN S

ETA 11/0496

ANGULAR PARA FORÇAS DE CORTE E TRAÇÃO FUROS PARA HBS PLATE A ixação com parafusos HBS PLATE Ø8 mm usando um aparafusador facilita e agiliza a instalação e permite trabalhar em condições de segurança e conforto�

85 kN DE CORTE Excecional resistência ao corte� Até 85,9 kN em betão (com anilha TCW)� Até 60,0 kN em madeira�

75 kN DE TRAÇÃO Em betão, o angular TCN com anilha TCW garante uma excelente resistência à tração� R1,k até 75,9 kN característicos�

CARATERÍSTICAS FOCUS

ligações de corte e tração

ALTURA

130 mm

ESPESSURA

3,0 mm

FIXAÇÕES

HBS PLATE, VIN-FIX PRO, EPO-FIX PLUS, SKR, AB1

MATERIAL Chapa tridimensional furada de aço carbónico com eletrogalvanização�

CAMPOS DE APLICAÇÃO Ligações de corte e tração madeira-betão e madeira-madeira para painéis e vigas de madeira • CLT, LVL • madeira maciça e lamelar • estrutura de armação (platform frame) • painéis à base de madeira

204 | TITAN S | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS


CONFORTO A ixação dos angulares com poucos parafusos HBS PLATE Ø8 agiliza a colocação e aumenta o conforto do operador�

TODAS AS DIREÇÕES Resistências certiicadas ao corte (F2,3), à tração (F1) e à inclinação (F4,5)� Valores certiicados também com peris acústicos interpostos�

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | TITAN S | 205


CÓDIGOS E DIMENSÕES TITAN S - TCS | LIGAÇÕES BETÃO-MADEIRA CÓDIGO

TCS240

B

P

H

furos

nv Ø11

s

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[pçs�]

[mm]

240

123

130

4 x Ø17

14

3

H

pçs

10 P

B

TITAN WASHER - TCW240 | LIGAÇÕES BETÃO-MADEIRA CÓDIGO

TCW240

B

P

s

furos

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

230

73

12

Ø18

pçs

1

s P

B

TITAN S - TTS | LIGAÇÕES MADEIRA-MADEIRA CÓDIGO

B

P

H

nH Ø11

nv Ø11

s

[mm]

[mm]

[mm]

[pçs�]

[pçs�]

[mm]

240

130

130

14

14

3

TTS240

pçs H 10 P

B

PERFIS ACÚSTICOS | LIGAÇÕES MADEIRA-MADEIRA CÓDIGO

XYL35120240 ALADIN95 ALADIN115

tipo

B

xylofon plate

240 mm

soft extra soft

P

s

[mm]

[mm]

120

6

10

50 m(*)

95

5

10

m(*)

115

7

10

50

pçs

s P

B

(*) A cortar no estaleiro

HBS PLATE CÓDIGO

HBSP880

d1

L

b

[mm]

[mm]

[mm]

8

80

55

TX

d1

pçs

L TX40

100

MATERIAL E DURABILIDADE

FORÇAS

TITAN S: aço carbónico DX51D+Z275� TITAN WASHER: aço carbónico S235 com eletrogalvanização� Utilização em classes de serviço 1 e 2 (EN 1995-1-1)� XYLOFON PLATE: mistura poliuretânica de 35 shore� ALADIN STRIPE: EPDM compacto�

CAMPOS DE EMPREGO • Ligações madeira-betão • Ligações madeira-madeira • Ligações madeira-aço

206 | TITAN S | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS

F1

F2

F1

F3

F5

F4


PRODUTOS ADICIONAIS - FIXAÇÕES tipo

descrição

d

suporte

pág.

[mm] HBS PLATE

parafuso de cabeça troncocónica

8

556

AB1

ancorante mecânico

16

494

SKR

ancorante parafusável

16

488

VIN-FIX PRO

ancorante químico

M16

511

EPO-FIX PLUS

ancorante químico

M16

517

GEOMETRIA TCS240

TCW240 50 20

Ø11

3

Ø18 36

130

30

230

50 3

50

12

3 34

162

34

240

41 123

50

41

130

30

Ø17

30 20

41

39

162

3 20 30

37 73

30

240

50 20

Ø11

20 30 130

TTS240

Ø11

39

50 20

INSTALAÇÃO SOBRE BETÃO O TITAN TCS deve ser ixado no betão através de 2 ancorantes , de acordo com uma das seguintes modalidades de instalação, dependendo da tensão de atuação�

INSTALAÇÃO IDEAL

2 ancorantes posicionados nos FUROS INTERNOS (IN) (indicados pelo molde no produto)

INSTALAÇÃO ALTERNATIVA

INSTALAÇÃO COM WASHER

2 ancorantes posicionados nos FUROS EXTERNOS (OUT) (por ex�, interação entre o ancorante e a armação do suporte de betão)

Tensão reduzida no ancorante (excentricidade ey e kt mínimos)

Tensão máxima no ancorante (excentricidade ey e kt máximos)

Resistência da ligação optimizada

Resistência reduzida da ligação

A ixação com WASHER TCW deve ser efetuada com 2 ancorantes posicionados nos FUROS INTERNOS (IN)

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | TITAN S | 207


VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO DE CORTE F2/3 |MADEIRA-BETÃO TCS240

F2/3

RESISTÊNCIA DO LADO DA MADEIRA MADEIRA coniguração sobre madeira

TCS240

BETÃO

ixação de furos Ø11

R2/3,k timber

tipo

ØxL

nv

[mm]

[pçs�]

HBS PLATE

Ø8,0 x 80

14

ixação de furos Ø17

IN(1)

OUT(2)

Ø

nH

ey,IN

ey,OUT

[kN]

[mm]

[pçs�]

[mm]

[mm]

70,3

M16

2

39,5

80,5

RESISTÊNCIA DO LADO DO BETÃO Valores de resistência de algumas das soluções de ixação possíveis para ancorantes instalados nos furos internos (IN) ou externos (OUT)�

coniguração sobre betão

• não issurado

• issurado

• seismic

ixação de furos Ø17 tipo

ØxL

OUT(2)

[mm]

[kN]

[kN]

VIN-FIX PRO 5.8

M16 x 160

55,8

43,9

VIN-FIX PRO 8.8

M16 x 160

90,1

70,9

SKR-E

16 x 130

67,4

53,1

AB1

M16 x 145

67,4

53,1

VIN-FIX PRO 5.8/8.8

M16 x 160

55,0

43,2

SKR-E

16 x 130

55,0

43,2

AB1

M16 x 145

55,0

43,2

EPO-FIX PLUS 5.8

M16 x 160

26,6

21,1

M16 x 160

28,1

21,9

EPO-FIX PLUS 8.8

M16 x 190

33,8

26,7

M16 x 230

42,1

33,2

instalação

TCS240

R2/3,d concrete IN(1)

tipo de ancorante

tix

hef

hnom

h1

d0

hmin

tipo

Ø x L [mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

VIN-FIX PRO EPO-FIX PLUS 5.8/8.8

M16 x 160

3

137

137

145

18

200

M16 x 190

3

164

164

170

18

200

EPO-FIX PLUS 8.8

M16 x 230

3

204

204

210

18

240

SKR-E

16 x 130

3

85

127

150

14

200

AB1

M16 x 145

3

85

97

105

16

200

Barra roscada pré-cortada INA dotada de porca e anilha: consultar a pág� 520 Barra roscada MGS classe 8�8 para cortar à medida: consultar a pág� 534

NOTAS: (1)

Instalação dos ancorantes nos furos internos (IN)�

(2)

Instalação dos ancorantes nos furos externos (OUT)�

208 | TITAN S | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS

t fix hnom hef h1

espessura da chapa ixada profundidade de inserção profundidade efectiva de ancoragem profundidade mínima do furo

d0 hmin

diâmetro do furo de betão espessura mínima do betão


TCS240 | VERIFICAÇÃO DOS ANCORANTES PARA BETÃO E TENSÃO | F2/3 A ixação ao betão por meio de ancorantes deve ser veriicada com base nas forças de tensão sobre os próprios ancorantes, determináveis através dos parâmetros geométricos indicados na tabela (e)� As excentricidades de cálculo ey variam em função do tipo de instalação selecionada: 2 ancorantes internos (IN) ou 2 ancorantes externos (OUT)� O grupo de ancorantes deve ser verificado quanto a: VSd,x = F2/3,d MSd,z = F2/3,d x ey,IN/OUT

z x

y

F2/3 ey

VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO DE CORTE F4/5 - F5 - F4/5 | MADEIRA-BETÃO TCS240 MADEIRA R4,k timber

ixação de furos Ø11

F4

tipo

BETÃO

R4,k steel

F4

IN(1)

ixação de furos

ØxL

nv

Ø

nH

[mm]

[pçs�]

[kN]

[kN]

γsteel

[mm]

[pçs�]

14

21,1

18,1

γM0

M16

2

HBS PLATE Ø8,0 x 80

TCS240

AÇO

kt⊥

kt//

0,5

-

Fbolt,⊥

O grupo de 2 ancorantes deve ser veriicado quanto a: VSd,y = 2 x kt⊥ x F4,d

MADEIRA R5,k timber

ixação de furos Ø11

F5

tipo

Fbolt,//

BETÃO

R5,k steel

F5

IN(1)

ixação de furos

ØxL

nv

Ø

nH

[mm]

[pçs�]

[kN]

[kN]

γsteel

[mm]

[pçs�]

14

17,1

4,3

γM0

M16

2

HBS PLATE Ø8,0 x 80

TCS240

AÇO

kt⊥

kt//

0,5

0,36

Fbolt,⊥

O grupo de 2 ancorantes deve ser veriicado quanto a: VSd,y = 2 x kt⊥ x F5,d; NSd,z = 2 x kt// x F5,d

MADEIRA

F4/5

tipo

DOIS ANGULARES

ØxL

nv

[mm]

[pçs�]

HBS PLATE Ø8,0 x 80 14 + 14

TCS240

AÇO R4/5,k timber

ixação de furos Ø11

BETÃO

R4/5,k steel

F4/5

IN(1)

ixação de furos Ø

nH

[kN]

[kN]

γsteel

[mm]

[pçs�]

27,4

18,8

γM0

M16

2+2

kt⊥

kt//

0,39

0,08

O grupo de 2 ancorantes deve ser veriicado quanto a: VSd,y = 2 x kt⊥ x F4/5,d; NSd,z = 2 x kt// x F4/5,d

Os valores de F4, F5, F4/5 indicados na tabela são válidos para a excentricidade de cálculo da tensão de atuação e=0 (elementos de madeira ligados à rotação)� Para ligações com 2 angulares, caso a tensão F4/5,d seja aplicada com excentricidade e≠0, é necessária a veriicação para cargas combinadas considerando o contributo do componente adicional de tração:

ΔF1,d = F4/5,d

F4/5

F1

b

F1

e F4/5

e b

PRINCIPI GENERALI: Per i principi generali di calcolo si rimanda a pag. 216.

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | TITAN S | 209


VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO DE CORTE F2/3 |MADEIRA-BETÃO TCS240 + TCW240

F2/3

RESISTÊNCIA DO LADO DA MADEIRA MADEIRA coniguração sobre madeira

TCS240 + TCW240

BETÃO

ixação de furos Ø11 ØxL

nv

[mm]

[pçs�]

Ø8,0 x 80

14

tipo

HBS PLATE

R2/3,k timber

IN(1)

ixação de furos Ø17 Ø

nH

ey,IN

ez,IN

[kN]

[mm]

[pçs�]

[mm]

[mm]

85,9

M16

2

39,5

78,5

RESISTÊNCIA DO LADO DO BETÃO Valores de resistência de algumas das soluções de ixação possíveis em betão para ancorantes instalados nos furos internos (IN) com WASHER�

coniguração sobre betão

• não issurado

• issurado

ixação de furos Ø17

IN(1)

[mm]

[kN]

VIN-FIX PRO 5.8

M16 x 190

50,4

VIN-FIX PRO 8.8

M16 x 190

64,7

SKR-E

16 x 130

33,9

AB1

M16 x 145

41,6

VIN-FIX PRO 5.8/8.8

M16 x 190

32,3

M16 x 160

41,7

M16 x 190

50,4

M16 x 145

29,6

M16 x 190

15,7

M16 x 230

17,1

EPO-FIX PLUS 5.8/8.8 AB1 EPO-FIX PLUS 5.8

• seismic EPO-FIX PLUS 8.8

instalação

M16 x 190

17,3

M16 x 230

21,7

tipo de ancorante tipo

TCS240 + TCW240

R2/3,d concrete

ØxL

tipo

VIN-FIX PRO EPO-FIX PLUS 5.8/8.8

tix

hef

hnom

h1

d0

hmin

Ø x L [mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

M16 x 160

15

126

126

135

18

200

M16 x 190

15

155

155

155

18

200

M16 x 230

15

195

195

195

18

240

SKR-E

16 x 130

15

85

115

145

14

200

AB1

M16 x 145

15

85

97

105

16

200

Barra roscada pré-cortada INA dotada de porca e anilha: consultar a pág� 520 Barra roscada MGS classe 8�8 para cortar à medida: consultar a pág� 534

NOTAS: (1)

Instalação dos ancorantes nos furos internos (IN)�

(2)

Instalação dos ancorantes nos furos externos (OUT)�

210 | TITAN S | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS

t fix hnom hef h1

espessura da chapa ixada profundidade de inserção profundidade efectiva de ancoragem profundidade mínima do furo

d0 hmin

diâmetro do furo de betão espessura mínima do betão


TCW240 | VERIFICAÇÃO DOS ANCORANTES PARA BETÃO E TENSÃO F2/3 A ixação ao betão por meio de ancorantes deve ser veriicada com base nas forças de tensão sobre os próprios ancorantes, determináveis através dos parâmetros geométricos indicados na tabela (e)� As excentricidades de cálculo ey e ez referem-se à instalação com WASHER TCW de 2 ancorantes internos (IN)� O grupo de ancorantes deve ser verificado quanto a: VSd,x = F2/3,d MSd,z = F2/3,d x ey,IN MSd,y = F2/3,d x ez,IN F2/3 z

ez

x

y

ey

TCS240 - TCW240 | RIGIDEZ DA LIGAÇÃO PARA TENSÃO | F2/3 AVALIAÇÃO DO MÓDULO DE DESLIZAMENTO K2/3,ser • K 2/3,ser experimental médio para a ligação TITAN em CLT (Cross Laminated Timber) de acordo com a ETA-11/0496 tipo

tipo de ixação

nv

K 2/3,ser

Ø x L [mm]

[pçs�]

[N/mm]

TCS240

HBS PLATE Ø8,0 x 80

14

8200

TCS240 + TCW240

HBS PLATE Ø8,0 x 80

14

8600

• Kser de acordo com a EN 1995-1-1 para parafusos em ligações madeira-madeira* C24/GL24h Parafusos (pregos sem pré-furo) tipo

TCS240 (+ TCW240)

ρm1,5 d0,8 30

(EN 1995 § 7�1)

tipo de ixação

nv

Kser

Ø x L [mm]

[pçs�]

[N/mm]

HBS PLATE Ø8,0 x 80

14

21201

* Em ligações aço-madeira, a norma aplicável indica a possibilidade de duplicar o valor de Kser indicado na tabela (7�1 (3))�

PRINCÍPIOS GERAIS: Para os princípios gerais de cálculo, consultar a pág. 216.

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | TITAN S | 211


VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO DE TRAÇÃO F1 | MADEIRA-BETÃO TCS240 + TCW240 F1

F1

HB

PARTIAL PATTERN(1)

FULL PATTERN

RESISTÊNCIA DO LADO DA MADEIRA MADEIRA

AÇO R1,k timber

ixação de furos Ø11

coniguração sobre madeira

TCS240 + TCW240

R1,k steel

ØxL

nv

[mm]

[pçs�]

[kN]

[kN]

HBS PLATE Ø8,0 x 80

14

-

75,9

partial pattern HBS PLATE Ø8,0 x 80

9

33,9

75,9

tipo

full pattern

BETÃO ixação de furos Ø17

IN(2)

Ø

nH

kt//

γsteel

[mm]

[pçs�]

[mm]

γ M0

M16

2

1,08

RESISTÊNCIA DO LADO DO BETÃO Valores de resistência de algumas das soluções de ixação possíveis em betão para ancorantes instalados nos furos internos (IN) com WASHER�

coniguração sobre betão

ixação de furos Ø17

VIN-FIX PRO 5.8/8.8 • não issurado EPO-FIX PLUS 5.8/8.8

VIN-FIX PRO 5.8/8.8 • issurado EPO-FIX PLUS 5.8/8.8

• seismic

EPO-FIX PLUS 5.8/8.8

instalação

TCS240 + TCW240

R1,d concrete ØxL

IN(2)

[mm]

[kN]

M16 x 190

28,2

M16 x 230

35,8

M16 x 160

34,1

M16 x 190

41,4

tipo

M16 x 190

14,5

M16 x 230

18,3

M16 x 190

23,7

M16 x 230

30,0

M16 x 190

10,4

M16 x 230

13,2

tipo de ancorante

tix

hef

hnom

h1

d0

hmin

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

tipo

Ø x L [mm] M16 x 160

15

126

126

126

18

200

VIN-FIX PRO EPO-FIX PLUS 5.8/8.8

M16 x 190

15

155

155

155

18

200

M16 x 230

15

195

195

195

18

240

t fix hnom hef h1

espessura da chapa ixada profundidade de inserção profundidade efectiva de ancoragem profundidade mínima do furo

d0 hmin

diâmetro do furo de betão espessura mínima do betão

Barra roscada pré-cortada INA dotada de porca e anilha: consultar a pág� 520 Barra roscada MGS classe 8�8 para cortar à medida: consultar a pág� 534

NOTAS: (1)

Na presença de requisitos de projeto, tais como graus variáveis de tensão F1 ou na presença de uma camada intermédia H B entre a parede e a superfície da apoio, é possível adotar a ixação parcial com H B ≤ 32 mm para aplicações em painéis CLT.

212 | TITAN S | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS

(2)

Instalação dos ancorantes nos furos internos (IN).


TCW200 - TCW240 | VERIFICAÇÃO DOS ANCORANTES PARA BETÃO E TENSÃO | F1 A ixação ao betão por meio de ancorantes deve ser veriicada com base nas forças de tensão sobre os próprios ancorantes, determináveis através dos parâmetros geométricos indicados na tabela (kt)� No caso de instalação sobre betão com WASHER TCW, devem ser assegurados 2 ancorantes internos (IN)�

O grupo de ancorantes deve ser verificado quanto a: NSd,z = 2 x kt// x F1,d

2kt x F1

z x

y

TCW240 | RIGIDEZ DA LIGAÇÃO PARA TENSÃO F1 AVALIAÇÃO DO MÓDULO DE DESLIZAMENTO K1,ser • K 1,ser experimental médio para a ligação TITAN em CLT (Cross Laminated Timber) de acordo com a ETA-11/0496 tipo

TCS240 + TCW240

tipo de ixação

nv

K 1,ser

Ø x L [mm]

[pçs�]

[N/mm]

HBS PLATE Ø8,0 x 80

14

11500

• Kser de acordo com a EN 1995-1-1 para parafusos em ligações madeira-madeira* C24/GL24h Parafusos (pregos sem pré-furo)

ρm1,5 d0,8

(EN 1995 § 7�1)

30 tipo

TCS240 + TCW240

tipo de ixação

nv

Kser

Ø x L [mm]

[pçs�]

[N/mm]

HBS PLATE Ø8,0 x 80

14

21201

* Em ligações aço-madeira, a norma aplicável indica a possibilidade de duplicar o valor de Kser indicado na tabela (7�1 (3))�

PRINCÍPIOS GERAIS: Para os princípios gerais de cálculo, consultar a pág. 216.

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | TITAN S | 213


VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO DE CORTE F2/3 | MADEIRA-MADEIRA TTS240

F2/3

F2/3

MADEIRA peril(2)

ixação de furos Ø11

coniguração sobre madeira(1)

TTS240

HBS PLATE

nv

nH

s

[mm]

[pçs�]

[pçs�]

[mm]

[kN]

Ø8,0 x 80

14

14

-

60,0

6

12,5

5

14,7

7

13,9

TTS240 + XYLOFON TTS240 + ALADIN STRIPE SOFT

Ø8,0 x 80

HBS PLATE

14

TTS240 + ALADIN STRIPE EXTRA SOFT

TTS240 | RIGIDEZ DA LIGAÇÃO PARA TENSÃO | F2/3 AVALIAÇÃO DO MÓDULO DE DESLIZAMENTO K2/3,ser •

K 2/3,ser experimental médio para a ligação TITAN em CLT (Cross Laminated Timber) de acordo com a ETA-11/0496

tipo

TTS240

tipo de ixação

nv

nH

K 2/3,ser

Ø x L [mm]

[pçs�]

[pçs�]

[N/mm]

HBS PLATE Ø8,0 x 80

14

14

5600

Kser de acordo com a EN 1995-1-1 para parafusos em ligações madeira-madeira* C24/GL24h

Parafusos (pregos sem pré-furo)

ρm1,5 d0,8

(EN 1995 § 7�1)

30 tipo

TTS240

R2/3,k timber

ØxL

tipo

tipo de ixação

nv

Kser

Ø x L [mm]

[pçs�]

[N/mm]

parafusos HBS PLATE Ø8,0 x 80

14

21201

* Em ligações aço-madeira, a norma aplicável indica a possibilidade de duplicar o valor de Kser indicado na tabela (7�1 (3))�

214 | TITAN S | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS

14


VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO DE CORTE F4 - F5 - F4/5 | MADEIRA-MADEIRA TTS240 MADEIRA

AÇO R4,k timber

ixação de furos Ø11

F4

tipo

TTS240

HBS PLATE

R4,k steel

ØxL

n

[mm]

[pçs�]

[kN]

[kN]

γsteel

Ø8,0 x 80

14 + 14

20,7

20,9

γM0

F4

MADEIRA

AÇO R5,k timber

ixação de furos Ø11

F5

tipo

TTS240

HBS PLATE

R5,k steel

ØxL

n

[mm]

[pçs�]

[kN]

[kN]

γsteel

Ø8,0 x 80

14 + 14

16,8

4,2

γM0

F5

MADEIRA

F4/5 DOIS ANGULARES TTS240

AÇO R4/5,k timber

ixação de furos Ø11 tipo

HBS PLATE

R4/5,k steel

ØxL

nv

[mm]

[pçs�]

[kN]

[kN]

γsteel

Ø8,0 x 80

28 + 28

25,2

23,4

γM0

F4/5

Os valores de F4, F5, F4/5 indicados na tabela são válidos para a excentricidade de cálculo da tensão de atuação e=0 (elementos de madeira ligados à rotação)�

NOTAS:

PRINCÍPIOS GERAIS:

(1)

O angular TTS240 pode ser instalado em combinação com diferentes peris acústicos resilientes inseridos abaixo da lange horizontal� Os valores de resistência indicados na tabela são apresentados na ETA-11/0496 e são calculados de acordo com “Blaß, H.J. und Laskewitz, B. (2000); Load-Carrying Capacity of Joints with Dowel-Type fasteners and Interlayers.", desconsiderando cautelosamente a rigidez do peril�

Para os princípios gerais de cálculo, consultar a pág. 216.

(2)

Espessura do peril: no caso do peril tipo ALADIN, no cálculo foi considerada a espessura reduzida do próprio peril, devido à secção ondulada e ao consequente esmagamento induzido pela cabeça do prego durante a inserção�

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | TITAN S | 215


PRINCÍPIOS GERAIS: • Os valores característicos são conforme a norma EN 1995-1-1, de acordo com ETA-11/0496� Os valores de projeto dos ancorantes para betão são calculados de acordo com as respetivas Avaliações Técnicas Europeias (ver capítulo 6 ANCORANTES PARA BETÃO)� Os valores de resistência de projeto da ligação são obtidos a partir dos valores indicados na tabela, desta forma:

Rd = min

Rk, timber kmod γM Rk, steel γsteel Rd, concrete

Os coeicientes kmod , γ M e γ steel devem ser considerados em função da norma vigente utilizada para o cálculo� • A dimensão e a veriicação dos elementos de madeira e de betão devem ser feitas à parte� É recomendável veriicar a ausência de ruturas frágeis antes da resistência da ligação ser atingida� • Os elementos estruturais de madeira, aos quais os dispositivos de ligação estão ixados, devem ser ligados à rotação� • Em fase de cálculo, considerou-se uma massa volúmica dos elementos de madeira equivalente a ρ k = 350 kg/m3 � Para valores de ρ k superiores, as resistências do lado da madeira podem ser convertidas através do valor kdens:

kdens = kdens =

ρk

0,5

for 350 kg/m3 ≥ ρk ≥ 420 kg/m3

350 ρk

0,5

for LVL with ρk ≥ 500 kg/m3

350

216 | TITAN S | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS

• Na fase de cálculo, foi considerada uma classe de resistência do betão C25/30 com armação rara, na ausência de entre-eixos e distâncias da borda e espessura mínima indicada nas tabelas que mostram os parâmetros de instalação dos ancorantes utilizados� Os valores de resistência são válidos para as hipóteses de cálculo deinidas na tabela; para condições de contorno diferentes das indicadas na tabela (por ex�, distâncias mínimas das bordas ou espessura de betão diferente), os ancorantes do lado do betão podem ser veriicados utilizando o software de cálculo MyProject de acordo com as necessidades do projeto� • Projetação sísmica na categoria de desempenho C2, sem requisitos de ductilidade nos ancorantes (opção a2) projetação elástica de acordo com a EOTA TR045� Para ancorantes químicos sujeitos a tensão de corte, parte-se do princípio de que o espaço anular entre o ancorante e o furo da chapa esteja preenchido (α gap=1)�


TITAN F

ETA 11/0496

ANGULAR PARA FORÇAS DE CORTE FUROS BAIXOS Ideal para TIMBER FRAME, foi concebido para ixação de vigas horizontais ou em vigas de estruturas de armação� Valores certiicados também com pregagem parcial�

ARMAÇÃO Graças à posição rebaixada dos furos na lange vertical, oferece excelentes valores de resistência ao corte, mesmo em vigas horizontais de baixa altura� R2,k até 42,5 kN quer em madeira, quer em betão�

FUROS EM BETÃO Os angulares TITAN forma concebidos para oferecer duas possibilidades de ixação no betão, para evitar as barras de armação no chão�

CARATERÍSTICAS FOCUS

ligações ao corte

ALTURA

71 mm

ESPESSURA

3,0 mm

FIXAÇÕES

LBA, LBS, VIN-FIX PRO, EPO-FIX PLUS, SKR, AB1

MATERIAL Chapa tridimensional furada de aço carbónico electrogalvanizado�

CAMPOS DE APLICAÇÃO Ligações de corte madeira-betão e madeira-madeira para painéis e vigas de madeira� • CLT, LVL • madeira maciça e lamelar • estrutura de armação (platform frame) • painéis à base de madeira

218 | TITAN F | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS


MADEIRA-MADEIRA Ideal para realizar ligações de corte quer entre a lage e a parede, quer entre a parede e a parede� A elevada resistência ao corte permite otimizar o número de ixações�

TITAN SILENT Ideal em combinação com a XYLOFON PLATE, para limitar as pontes acústicas e reduzir as vibrações de passos das lajes de madeira�

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | TITAN F | 219


CÓDIGOS E DIMENSÕES TITAN F - TCF | LIGAÇÕES BETÃO-MADEIRA CÓDIGO

TCF200

B

P

H

furos

nv Ø5

s

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[pçs�]

[mm]

200

103

71

Ø13

30

3

pçs

H

10 P

B

TITAN F - TTF | LIGAÇÕES MADEIRA-MADEIRA CÓDIGO

TTF200

B

P

H

nH Ø5

nv Ø5

s

[mm]

[mm]

[mm]

[pçs�]

[pçs�]

[mm]

200

71

71

30

30

3

pçs

H

10

P

B

PERFIS ACÚSTICOS | LIGAÇÕES MADEIRA-MADEIRA CÓDIGO

tipo

XYL3570200

B

P

s

[mm]

[mm]

pçs

xylofon plate

200 mm

70

6

10

ALADIN95

soft

50 m(*)

95

5

10

ALADIN115

extra soft

50 m(*)

115

7

10

s P

B

(*) A cortar no estaleiro

MATERIAL E DURABILIDADE

FORÇAS

TITAN F: aço carbónico DX51D+Z275� Utilização em classes de serviço 1 e 2 (EN 1995-1-1)� XYLOFON PLATE: mistura poliuretânica de 35 shore� ALADIN STRIPE: EPDM compacto� F2

F3

CAMPOS DE EMPREGO

F5

F4

• Ligações madeira-betão • Ligações madeira-madeira • Ligações madeira-aço

PRODUTOS ADICIONAIS - FIXAÇÕES tipo

descrição

d

suporte

pág.

[mm] LBA

prego Anker

4

548

LBS

parafuso para chapas

5

552

AB1

ancorante mecânico

12

494

SKR

ancorante parafusável

12

488

VIN-FIX PRO

ancorante químico

M12

511

EPO-FIX PLUS ancorante químico

M12

517

220 | TITAN F | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS


GEOMETRIA TCF200

TTF200 20 10

Ø5

3

20 10

Ø5

35

71

150

35

71

26 25

26

3

25

25

150

3

25 26

39,5 71 103

3 10

10

35

31,5

10

Ø13 31,5

20 10

Ø5

200

200

INSTALAÇÃO SOBRE BETÃO A ixação do angular TITAN TCF200 sobre betão deve ser feita por meio de 2 ancorantes, conforme uma das seguintes modalidades de instalação:

INSTALAÇÃO IDEAL

INSTALAÇÃO ALTERNATIVA

2 ancorantes posicionados nos FUROS INTERNOS (IN) (indicados pelo molde no produto)

2 ancorantes posicionados nos FUROS EXTERNOS (OUT) (por ex�, interação entre o ancorante e a armação do suporte de betão)

Tensão reduzida no ancorante (excentricidade ey e kt mínimos)

Tensão máxima no ancorante (excentricidade ey e kt máximos)

Resistência da ligação optimizada

Resistência reduzida da ligação

TCF200 - TTF200 | ESQUEMAS DE FIXAÇÃO PARCIAL PARA TENSÃO F2/3 Na presença de requisitos de projeto, tais como graus variáveis de tensão F2/3 ou presença de soleira ou viga horizontal, é possível adotar esquemas de ixação parcial (pattern), em função da altura HB do elemento de madeira:

coniguração sobre madeira

HB

nv pça

HB ≥ 90 mm

30

coniguração sobre madeira

esquemas de ixação

HB

nv [pçs.]

pattern 2

HB ≥ 70 mm

15

pattern 1

HB ≥ 60 mm

10

29

full pattern

30 90

26

26

pattern 3

HB ≥ 80 mm

25

80 26

esquemas de ixação

70 26

27

60

26

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | TITAN F | 221


VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO DE CORTE F2/3 | MADEIRA-BETÃO TCF200

F2/3

HB

RESISTÊNCIA DO LADO DA MADEIRA MADEIRA coniguração sobre madeira

• full pattern HB ≥ 90 mm

• pattern 3 HB ≥ 80 mm

• pattern 2 HB ≥ 70 mm

• pattern 1 HB ≥ 60 mm

BETÃO

ixação de furos Ø5 tipo

R2/3,k timber

ØxL

nv

[mm]

[pçs�]

pregos LBA

Ø4,0 x 60

parafusos LBS

Ø5,0 x 50

pregos LBA

Ø4,0 x 60

parafusos LBS

Ø5,0 x 50

pregos LBA

Ø4,0 x 60

parafusos LBS

Ø5,0 x 50

pregos LBA

Ø4,0 x 60

parafusos LBS

Ø5,0 x 50

30

ixação de furos Ø13

IN(1)

OUT(2)

Ø

nH

ey,IN

ey,OUT

[kN]

[mm]

[pçs�]

[mm]

[mm]

35,5

M12

2

38,5

70,0

42,5 31,0

25

37,2 20,9

15

25,1 15,1

10

18,1

RESISTÊNCIA DO LADO DO BETÃO Valores de resistência de algumas das soluções de ixação possíveis para ancorantes instalados nos furos internos (IN) ou externos (OUT)�

coniguração sobre betão

• não issurado

• issurado

• seismic

ixação de furos Ø13 tipo

ØxL

OUT(2)

[mm]

[kN]

[kN]

VIN-FIX PRO 5.8

M12 x 130

29,7

24,4

VIN-FIX PRO 8.8

M12 x 130

48,1

39,1

SKR-E

12 x 90

38,3

31,3

AB1

M12 x 100

35,4

28,9

VIN-FIX PRO 5.8

M12 x 130

29,7

24,4

VIN-FIX PRO 8.8

M12 x 130

35,1

28,9

SKR-E

12 x 90

34,6

28,4

AB1

M12 x 100

35,4

28,9

EPO-FIX PLUS 5.8/8.8

M12 x 130

19,2

15,7

SKR-E

12 x 90

8,8

7,2

AB1

M12 x 100

10,6

8,7

instalação

TCF200

R2/3,d concrete IN(1)

tipo de ancorante

tix

hef

hnom

h1

d0

hmin [mm]

tipo

Ø x L [mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

VIN-FIX PRO EPO-FIX PLUS 5.8/8.8

M12 x 130

3

112

112

120

14

SKR-E

12 x 90

3

64

87

110

10

AB1

M12 x 100

3

70

80

85

12

Barra roscada pré-cortada INA dotada de porca e anilha: consultar a pág� 520 Barra roscada MGS classe 8�8 para cortar à medida: consultar a pág� 534

NOTAS: (1)

Instalação dos ancorantes nos furos internos (IN)�

(2)

Instalação dos ancorantes nos furos externos (OUT)�

222 | TITAN F | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS

200

t fix hnom hef h1

espessura da chapa ixada profundidade de inserção profundidade efectiva de ancoragem profundidade mínima do furo

d0 hmin

diâmetro do furo de betão espessura mínima do betão


TCF200 | VERIFICAÇÃO DOS ANCORANTES PARA BETÃO E TENSÃO F2/3 A ixação ao betão por meio de ancorantes deve ser veriicada com base nas forças de tensão sobre os próprios ancorantes, determináveis através dos parâmetros geométricos indicados na tabela (e)� As excentricidades de cálculo ey variam em função do tipo de instalação selecionada: 2 ancorantes internos (IN) ou 2 ancorantes externos (OUT)� O grupo de ancorantes deve ser verificado quanto a: VSd,x = F2/3,d MSd,z = F2/3,d x ey,IN/OUT

z x

y

F2/3 ey

VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO DE CORTE F4/5 - F5 - F4/5 | MADEIRA-BETÃO TCF200 MADEIRA

AÇO R4,k timber

ixação de furos Ø5

F4

• full pattern

tipo

pregos LBA

BETÃO

R4,k steel

ØxL

nv

Ø

nH

[mm]

[pçs�]

[kN]

[kN]

γsteel

[mm]

[pçs�]

30

14,6

9,5

γ M0

M12

2

Ø4,0 x 60

parafusos LBS Ø5,0 x 50

IN(1)

ixação de furos kt⊥

kt//

0,5

-

F4

Fbolt,⊥

O grupo de 2 ancorantes deve ser veriicado quanto a: VSd,y = 2 x kt⊥ x F4,d MADEIRA

AÇO R5,k timber

ixação de furos Ø5

F5

• full pattern

tipo

pregos LBA

BETÃO

R5,k steel

ØxL

nv

Ø

nH

[mm]

[pçs�]

[kN]

[kN]

γsteel

[mm]

[pçs�]

30

10,7

4,8

γ M0

M12

2

Ø4,0 x 60

parafusos LBS Ø5,0 x 50

Fbolt,//

IN(1)

ixação de furos kt⊥

kt//

0,5

0,27

F5

Fbolt,⊥

O grupo de 2 ancorantes deve ser veriicado quanto a: VSd,y = 2 x kt⊥ x F5,d NSd,z = 2 x kt// x F5,d MADEIRA

F4/5 DOIS ANGULARES • full pattern

AÇO R4/5,k timber

ixação de furos Ø5 tipo

R4/5,k steel

ØxL

nv

[mm]

[pçs�]

[kN]

[kN]

30 + 30

23,8

12,3

pregos LBA

Ø4,0x60

parafusos LBS

Ø5,0x50

BETÃO IN(1)

ixação de furos Ø

nH

γsteel

[mm]

[pçs�]

γ M0

M12

2+2

kt⊥

kt//

0,31

0,10

F4/5

O grupo de 2 ancorantes deve ser veriicado quanto a: VSd,y = 2 x kt⊥ x F4/5,d NSd,z = 2 x kt// x F4/5,d Os valores de F4, F5, F4/5 indicados na tabela são válidos para a excentricidade de cálculo da tensão de atuação e=0 (elementos de madeira ligados à rotação)�

PRINCÍPIOS GERAIS: Para os princípios gerais de cálculo, consultar a pág. 226.

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | TITAN F | 223


VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO DE CORTE F2/3 | MADEIRA-MADEIRA TTF200 RESISTÊNCIA AO CORTE R2/3

F2/3

HB

MADEIRA ixação de furos Ø5

coniguração sobre madeira

• full pattern HB ≥ 90 mm

• pattern 3 HB ≥ 80 mm

• pattern 2 HB ≥ 70 mm

• pattern 1 HB ≥ 60 mm

tipo

R2/3,k timber

ØxL

nv

nH

[mm]

[pçs�]

[pçs�]

30

30

25

25

15

15

10

10

pregos LBA

Ø4,0 x 60

parafusos LBS

Ø5,0 x 50

pregos LBA

Ø4,0 x 60

parafusos LBS

Ø5,0 x 50

pregos LBA

Ø4,0 x 60

parafusos LBS

Ø5,0 x 50

pregos LBA

Ø4,0 x 60

parafusos LBS

Ø5,0 x 50

[kN] 35,5 42,5 31,0 37,2 20,9 25,1 15,1 18,1

RESISTÊNCIA AO CORTE R2/3 COM PERFIL ACÚSTICO

F2/3

MADEIRA coniguração sobre madeira(1)

TTF200 + XYLOFON TTF200 + ALADIN STRIPE SOFT TTF200 + ALADIN STRIPE EXTRA SOFT

peril(2)

ixação de furos Ø5 ØxL

nv

nH

s

[mm]

[pçs�]

[pçs�]

[mm]

30

30

6

tipo

pregos LBA

Ø4,0 x 60

parafusos LBS

Ø5,0 x 50

pregos LBA

Ø4,0 x 60

parafusos LBS

Ø5,0 x 50

pregos LBA

Ø4,0 x 60

parafusos LBS

Ø5,0 x 50

30

30

5

30

30

7

R2/3,k timber [kN] 17,2 15,8 20,0 19,0 19,0 17,9

NOTAS: (1)

O angular TTF200 pode ser instalado em combinação com diferentes peris acústicos resilientes inseridos abaixo da lange horizontal na coniguração de full pattern� Os valores de resistência indicados na tabela são apresentados na ETA-11/0496 e são calculados de acordo com “Blaß, H.J. und Laskewitz, B. (2000); Load-Carrying Capacity of Joints with Dowel-Type fasteners and Interlayers.", desconsiderando cautelosamente a rigidez do peril�

224 | TITAN F | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS

(2)

Espessura do peril: no caso do peril tipo ALADIN, no cálculo foi considerada a espessura reduzida do próprio peril, devido à secção ondulada e ao consequente esmagamento induzido pela cabeça do prego durante a inserção�


VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO DE CORTE F4 - F5 - F4/5 | MADEIRA-MADEIRA TTF200 MADEIRA

AÇO R4,k timber

ixação de furos Ø5

F4

• full pattern

tipo

R4,k steel

ØxL

nv

[mm]

[pçs�]

[kN]

[kN]

γsteel

30 + 30

14,1

10,4

γM0

pregos LBA

Ø4,0 x 60

parafusos LBS

Ø5,0 x 50

MADEIRA

AÇO R5,k timber

ixação de furos Ø5

F5

• full pattern

tipo

R5,k steel

ØxL

nv

[mm]

[pçs�]

[kN]

[kN]

γsteel

30 + 30

10,8

4,7

γM0

pregos LBA

Ø4,0 x 60

parafusos LBS

Ø5,0 x 50

MADEIRA

F4/5 DOIS ANGULARES • full pattern

R4/5,k timber

R4/5,k steel

ØxL

nv

[mm]

[pçs�]

[kN]

[kN]

γsteel

60+60

21,0

14,2

γM0

pregos LBA

Ø4,0 x 60

parafusos LBS

Ø5,0 x 50

F5

AÇO

ixação de furos Ø5 tipo

F4

F4/5

Os valores de F4, F5, F4/5 indicados na tabela são válidos para a excentricidade de cálculo da tensão de atuação e=0 (elementos de madeira ligados à rotação)�

PRINCÍPIOS GERAIS: Para os princípios gerais de cálculo, consultar a pág. 226.

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | TITAN F | 225


TCF200 - TTF200 | RIGIDEZ DA LIGAÇÃO PARA TENSÃO F2/3 AVALIAÇÃO DO MÓDULO DE DESLIZAMENTO K2/3,ser • K 2/3,ser experimental médio para a ligação TITAN em CLT (Cross Laminated Timber) C24 tipo

tipo de ixação

nv

nH

K 2/3,ser

Ø x L [mm]

[pçs�]

[pçs�]

[N/mm]

TCF200

pregos LBA Ø4,0 x 60

30

-

8479

TTF200

pregos LBA Ø4,0 x 60

30

30

8212

• Kser de acordo com a EN 1995-1-1 para pregos em ligações madeira-madeira* GL24h/C24 1,5 d0,8 (EN 1995 § 7�1) Pregos (sem pré-furo) ρm

30 tipo

tipo de ixação

nv

Kser

Ø x L [mm]

[pçs�]

[N/mm]

TCF200

pregos LBA Ø4,0 x 60

30

26093

TTF200

pregos LBA Ø4,0 x 60

30

26093

* Em ligações aço-madeira, a norma aplicável indica a possibilidade de duplicar o valor de Kser indicado na tabela (7�1 (3))�

PRINCÍPIOS GERAIS: • Os valores característicos são conforme a norma EN 1995-1-1, de acordo com ETA-11/0496� Os valores de projeto dos ancorantes para betão são calculados de acordo com as respetivas Avaliações Técnicas Europeias (ver capítulo 6 ANCORANTES PARA BETÃO)� Os valores de resistência de projeto da ligação são obtidos a partir dos valores indicados na tabela, desta forma:

Rd = min

Rk, timber kmod γM Rk, steel γsteel Rd, concrete

Os coeicientes kmod , γ M e γ steel devem ser considerados em função da norma vigente utilizada para o cálculo� • A dimensão e a veriicação dos elementos de madeira e de betão devem ser feitas à parte� É recomendável veriicar a ausência de ruturas frágeis antes da resistência da ligação ser atingida� • Os elementos estruturais de madeira, aos quais os dispositivos de ligação estão ixados, devem ser ligados à rotação� • Em fase de cálculo, considerou-se uma massa volúmica dos elementos de madeira equivalente a ρ k = 350 kg/m3 � Para valores de ρ k superiores, as resistências do lado da madeira podem ser convertidas através do valor kdens:

kdens = kdens =

ρk

0,5

for 350 kg/m3 ≥ ρk ≥ 420 kg/m3

350 ρk

0,5

for LVL with ρk ≥ 500 kg/m3

350

226 | TITAN F | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS

• Na fase de cálculo, foi considerada uma classe de resistência do betão C25/30 com armação rara, na ausência de entre-eixos e distâncias da borda e espessura mínima indicada nas tabelas que mostram os parâmetros de instalação dos ancorantes utilizados� Os valores de resistência são válidos para as hipóteses de cálculo deinidas na tabela; para condições de contorno diferentes das indicadas na tabela (por ex�, distâncias mínimas das bordas ou espessura de betão diferente), os ancorantes do lado do betão podem ser veriicados utilizando o software de cálculo MyProject de acordo com as necessidades do projeto� • Projetação sísmica na categoria de desempenho C2, sem requisitos de ductilidade nos ancorantes (opção a2) projetação elástica de acordo com a EOTA TR045� Para ancorantes químicos sujeitos a tensão de corte, parte-se do princípio de que o espaço anular entre o ancorante e o furo da chapa esteja preenchido (α gap=1)�


CONSTRUIR BEM E VIVER MELHOR

Mais eficiência energética com as fitas certificadas Passive House Descubra as nossas soluções de cintagem certificadas pelo instituto Passive House graças ao desempenho superior em termos de eficiência energética. FLEXI BAND, a fita universal que nunca desilude; SEAL BAND, fita acrílica para selagens internas que adere a todos os tipos de madeira; e SPEEDY BAND, a fita universal sem liner que garante aplicações muito rápidas.

www.rothoblaas.pt


TITAN V

ETA 11/0496

ANGULAR PARA FORÇAS DE CORTE E TRAÇÃO FUROS PARA VGS Ideal para CLT� Os parafusos totalmente roscados VGS Ø11 oferecem uma resistência excecional e permitem ixar as paredes entrepisos, mesmo de diferentes espessuras�

OCULTO A baixa altura da lange vertical permite integrar e ocultar o angular dentro do conjunto da laje� Espessura do aço: 4 mm�

100 kN DE TRAÇÃO Na madeira, o angular TTV garante uma excecional resistência à tração (R1,k até 101,0 kN) e ao corte (R2,k até 59,7 kN)� Possibilidade de ixação parcial�

CARATERÍSTICAS FOCUS

ligações de corte e tração

ALTURA

120 mm

ESPESSURA

4,0 mm

FIXAÇÕES

LBA, LBS, VGS

VÍDEO Digitalize o QR Code e assista ao vídeo no nosso canal YouTube

MATERIAL Chapa tridimensional furada de aço carbónico electrogalvanizado�

CAMPOS DE APLICAÇÃO Ligações de corte ou de tração madeira-madeira • CLT, LVL • madeira maciça e lamelar

228 | TITAN V | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS


RETENTOR OCULTO Ideal para madeira-sobre madeira, quer como hold down nas extremidades das paredes, quer como angular de corte ao longo das paredes� Pode ser integrada no conjunto da laje�

UM ANGULAR ÚNICO Utilização de um único tipo de angular para a ixação de paredes, seja de corte ou de tração� Otimização e homogeneidade das ixações� Possibilidade de ixação parcial e com peris acústicos interpostos�

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | TITAN V | 229


CÓDIGOS E DIMENSÕES TITAN V - TTV | LIGAÇÕES MADEIRA-MADEIRA CÓDIGO

B

P

H

nV Ø5

nH Ø5

nH Ø12

s

[mm]

[mm]

[mm]

[pçs�]

[pçs�]

[pçs�]

[mm]

240

83

120

36

30

5

4

TTV240

H

pçs 10 B

P

VGS CÓDIGO

d1

L

b

[mm]

[mm]

[mm]

TX

pçs

d1

VGS11150

11

150

140

TX50

25

VGS11200

11

200

190

TX50

25

L

LBA CÓDIGO

d1

L

[mm]

[mm]

4

60

LBA460

pçs

d1 L

250

LBS CÓDIGO

d1

L

[mm]

[mm]

5

50

LBS550

TX

pçs

TX20

200

MATERIAL E DURABILIDADE

d1 L

FORÇAS

TITAN V: aço carbónico S275 com eletrogalvanização� Utilização em classes de serviço 1 e 2 (EN 1995-1-1)�

F1 F1 F2F2

F3F3

CAMPOS DE EMPREGO • Ligações madeira-madeira

GEOMETRIA

INSTALAÇÃO

TTV240 20 10

Ø5

15°

4

15°

10 20 20 10

120

60 4 240

20 50

50

50

50 20 33

83

20 20 10 Ø12

Ø5

15°

230 | TITAN V | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS


VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO DE TRAÇÃO F1 | MADEIRA-MADEIRA TTV240 F1

ixação de furos Ø5

nV coniguração

tipo

[mm] nH

• full pattern F1

nH

tipo

[pçs�] [pçs�]

pregos LBA

Ø4,0 x 60

36

30

parafusos LBS

Ø5,0 x 50

36

30

nv

nH

coniguração

tipo

ØxL [mm]

• partial pattern F1

nH

K1,ser

[pçs�]

[kN]

[kN/mm]

5

101,0

12,5

R1,k timber

K1,ser

ØxL

nH

[mm] parafusos VGS Ø11 x 200

ixação de furos Ø5 nV

R1,k timber

ixação de furos Ø12 nv

ØxL

ixação de furos Ø12 tipo

[pçs�] [pçs�]

pregos LBA

Ø4,0 x 60

24

24

parafusos LBS

Ø5,0 x 50

24

24

ØxL

nH

[mm]

[pçs�]

[kN]

[kN/mm]

5

64,5

10,5

R2/3,k timber

K2/3,ser

parafusos VGS Ø11 x 150

VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO DE CORTE F2/3 | MADEIRA-MADEIRA TTV240

F2/3

nV

ixação de furos Ø5 coniguração

tipo

[mm] nH

• full pattern F2/3 • full pattern F2/3 + xylofon(1)

ixação de furos Ø12 nv

ØxL

nH

tipo

ØxL

nH

[mm]

[pçs�]

[kN]

[kN/mm]

parafusos VGS Ø11 x 200

2

59,7

6,6

parafusos VGS Ø11 x 200

2

49,4

6,2

R2/3,k timber

K2/3,ser

[pçs�] [pçs�]

pregos LBA

Ø4,0 x 60

36

30

parafusos LBS

Ø5,0 x 50

36

30

pregos LBA

Ø4,0 x 60

36

30

parafusos LBS

Ø5,0 x 50

36

30

ixação de furos Ø5 nV

coniguração

tipo

nv

ØxL [mm]

nH

• partial pattern F2/3

ixação de furos Ø12 nH

tipo

[pçs�] [pçs�]

pregos LBA

Ø4,0 x 60

24

24

parafusos LBS

Ø5,0 x 50

24

24

ØxL

nH

[mm]

[pçs�]

[kN]

[kN/mm]

2

51,5

4,8

parafusos VGS Ø11 x 150

NOTAS:

PRINCÍPIOS GERAIS:

(1)

Para os princípios gerais de cálculo, consultar a pág. 233.

Os valores característicos de resistência R 2/3,k e do módulo de deslizamento K 2/3,ser foram obtidos a partir dos resultados dos testes de laboratório realizados em amostras de CLT (5 camadas) com peril acústico XYLOFON 35 de espessura 6 mm (testes realizados c/o CNR-IBE - San Michele all'Adige)� Coniguração não incluída na ETA-11/0496�

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | TITAN V | 231


INVESTIGAÇÕES EXPERIMENTAIS | TTV240 COMPORTAMENTO BIAXIAL PARA FORÇAS DE CORTE E TRAÇÃO O angular TTV240 é um sistema de ligação inovador capaz de resistir, com elevado desempenho, a cargas de tração e corte� Graças ao aumento da espessura e à utilização de parafusos totalmente roscados para a ixação do painel da laje, apresenta um excelente comportamento em caso de tensões biaxiais com direções diferentes�

Após uma primeira fase de modelações numéricas e controlos analíticos, foi realizada uma vasta campanha experimental com o auxílio de testes monotónicos e cíclicos em painéis CLT de 5 camadas, na coniguração de ixação total e parcial(1), com inclinações diferentes da carga de atuação: α = 0°; 30°; 45°; 60°; 90°.

TENSION

Deformed shape for tension action and displacement contour of the ABAQUS model

90° 60° 45° V,α 30°

F

α

© University of Kassel

0° Deformed shape for shear action and displacement contour of the ABAQUS model

SHEAR

Figura 1. 30° setup para tensões de 60°.

As campanhas experimentais foram realizadas no âmbito de uma colaboração internacional com a Universidade de Kassel (Alemanha), a Universidade “Kore” de Enna (Itália) e o CNR-IBE Istituto per la Bioeconomia (Itália).

DOMÍNIO DA RESISTÊNCIA EXPERIMENTAL Em todos os teste de corte (α=0°), tração (α=90°) e com inclinação da carga (30° ≤ α ≤ 60°) foram obtidos modos de colapso semelhantes que, graças à sobre-resistência da lange inferior, são atribuíveis à rutura dos pregos na lange vertical. Os parâmetros mecânicos relativos ao comportamento a cargas cíclicas também mostraram uma boa correspondência, garantindo ruturas dúcteis nos pregos superiores. Utilizando dispositivos de ixação de pequeno diâmetro, foi possível obter resistências comparáveis independentemente da direção da carga de tensão. A comparação dos resultados experimentais conirmou as considerações analíticas, segundo as quais é possível prever um domínio de resistência circular.

(b)

(a)

(c)

Figura 2. Amostras no inal dos testes cíclicos: tração (a), corte (b) e 45° (c) (ixação parcial).

Figura 3. Curvas força-deslocamento monotónicas e cíclicas para tração (a), corte (b) e 45° (c) (ixação parcial).

NOTAS: (1)

Fixação total - Full nailing: - 5 VGS Ø11x150 mm e 36+30 LBA Ø4x60 mm para 90°/60°/45°/30° - 2 VGS e 36+30 LBA Ø4x60 mm para 0°

232 | TITAN V | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS

Fixação parcial - Partial nailing: - 5 VGS Ø11x150 mm e 24+24 LBA Ø4x60 mm para 90°/60°/45°/30° - 2 VGS e 24+24 LBA Ø4x60 mm para 0°


DOMÍNIO DA RESISTÊNCIA EXPERIMENTAL FIXAÇÃO PARCIAL

FIXAÇÃO TOTAL

FULL SCALE TEST No inal da investigação sobre a ligação única, foram realizados testes à escala real nas paredes em CLT, considerando diferentes relações h/b do painel da parede� Está a decorrer a análise de dados�

h/b ≈ 2:1

h/b ≈ 1:1

h/b ≈ 2:3

ANÁLISES APROFUNDADAS E PUBLICAÇÕES: •

European Technical Assessment ETA-11/0496: Rotho Blaas TITAN Angle Brackets, 2018.

D'Arenzo G�, Rinaldin G�, Fossetti M�, Fragiacomo M�, Nebiolo F�, Chiodega M� Tensile and shear behaviour of an innovative angle bracket for CLT structures. World Conference on Timber Engineering, WCTE; South Korea, 2018. D’Arenzo G�, Rinaldin G�, Fossetti M�, Fragiacomo M� An innovative shear-tension angle bracket for Cross-Laminated Timber structures: Experimental tests and numerical modelling. Engineering Structures 197, 2019.

• • •

D’Arenzo G�, Cottonaro D�R�, Macaluso G�, Fossetti M�, Fragiacomo M�, Seim W�, Chiodega M�, Sestigiani L� Mechanical characterization of an innovative wall-to-loor connection for Cross-Laminated Timber structures. XVIII Conferência ANIDIS; Ascoli Piceno, 2019. D’Arenzo G�, Blaas H� Structural Fasteners Design and Challenges in Mass Timber Buildings. CTBUH; Chicago, 2019. Tensile and shear behaviour of an innovative angle bracket for X-LAM structures. PTEC; Brisbane, Australia, 2019. D'Arenzo G� Innovative biaxial behaviour connector for Cross-laminated Timber structures. PhD thesis, University of Enna “Kore”, 2020.

PRINCÍPIOS GERAIS: •

Os valores característicos são conforme a norma EN 1995-1-1, de acordo com ETA-11/0496�

Os valores de resistência de projeto da ligação são obtidos a partir dos valores indicados na tabela, desta forma:

Ri,d = Ri,k timber

• A dimensão e a veriicação dos elementos de madeira devem ser feitas à parte� É recomendável veriicar a ausência de ruturas frágeis antes da resistência da ligação ser atingida� • Os elementos estruturais de madeira, aos quais os dispositivos de ligação estão ixados, devem ser ligados à rotação�

kmod γM

Os coeicientes k mod e yM devem ser considerados em função da norma vigente utilizada para o cálculo� • Em fase de cálculo, considerou-se uma massa volúmica dos elementos de madeira equivalente a ρ k = 350 kg/m3 � Para valores de ρ k superiores, as resistências do lado da madeira podem ser convertidas através do valor kdens:

kdens = kdens =

ρk

0,5

for 350 kg/m3 ≥ ρk ≥ 420 kg/m3

350 ρk

0,5

for LVL with ρk ≥ 500 kg/m3

350

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | TITAN V | 233


FLANKSOUND

TITAN SILENT

EN ISO 10848

ETA 11/0496

ANGULAR PARA FORÇAS DE CORTE COM PERFIL FONOISOLANTE ISOLAMENTO ACÚSTICO Signiicativa redução das vibrações de passos e atenuação do ruído transmitido, para um excelente conforto acústico�

VALORES CERTIFICADOS Valores de redução das vibrações, testados tanto em ambientes académicos, como industriais� Valores de resistência mecânica ao corte testados e certiicados de acordo com a ETA�

SEM PONTES ACÚSTICAS A excelente resistência ao corte do angular e o poder fonoisolante do peril permitem eliminar as pontes acústicas causadas pelas ligações�

CARATERÍSTICAS FOCUS

ligações ao corte

ALTURA

de 71 a 130 mm

ESPESSURA

3,0 e 4,0 mm

FIXAÇÕES

LBA, LBS, HBS PLATE, VGS

MATERIAL Chapa tridimensional furada de aço com peril resiliente com mistura de poliuretano�

CAMPOS DE APLICAÇÃO Ligações de corte madeira-madeira com redução das pontes acústicas • CLT, LVL • madeira maciça e lamelar • estrutura de armação (platform frame) • painéis à base de madeira

234 | TITAN SILENT | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS


CONFORTO HABITACIONAL A resistência dos angulares TITAN, em combinação com o desempenho acústico da XYLOFON PLATE, garantem a redução do ruído causado pelas vibrações dos passos�

ACÚSTICA E ESTÁTICA Valores de resistência ao corte certiicados pela ETA� Valores testados mais aprofundadamente tanto em ambientes académicos, como industriais e disponíveis para consulta�

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | TITAN SILENT | 235


CÓDIGOS E DIMENSÕES TITAN N - TTN CÓDIGO

B

P

H

nH Ø5

nv Ø5

s

[mm]

[mm]

[mm]

[pçs�]

[pçs�]

[mm]

240

93

120

36

36

3

TTN240

H

pçs

10

P

B

TITAN F - TTF CÓDIGO

B

P

H

nH Ø5

nv Ø5

s

[mm]

[mm]

[mm]

[pçs�]

[pçs�]

[mm]

200

71

71

30

30

3

TTF200

pçs

H

10

P

B

TITAN S - TTS CÓDIGO

B

P

H

nH Ø11

nv Ø11

s

[mm]

[mm]

[mm]

[pçs�]

[pçs�]

[mm]

240

130

130

14

14

3

TTS240

pçs

H

10 P

B

TITAN V - TTV CÓDIGO

B

P

H

[mm]

[mm]

[mm]

[pçs�]

[pçs�]

[pçs�]

[mm]

240

83

120

36

30

5

4

TTV240

nV Ø5 nH Ø5 nH Ø12

s

pçs

H

10 B

P

XYLOFON PLATE CÓDIGO

B

P

s

pçs

[mm]

[mm]

[mm]

XYL3570200

200

70

6,0

10

XYL35100200

200

100

6,0

10

XYL35120240

240

120

6,0

10

tipo

L

P

s

[mm]

[m]

[mm]

[mm]

ALADIN95

soft

50 (*)

95

5

1

ALADIN115

extra soft

50 (*)

115

7

1

s P

B

ALADIN STRIPE CÓDIGO

(*)

pçs

s P

A cortar no estaleiro�

236 | TITAN SILENT | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS


MATERIAL E DURABILIDADE

FORÇAS

TITAN: consultar as páginas de produto� XYLOFON PLATE: mistura monolítica de poliuretano de 35 shore, sem VOC ou substâncias nocivas� ALADIN STRIPE: EPDM compacto extrudado (versão soft) e EPDM compacto expandido (versão extra soft)� Elevada estabilidade química, não contém VOC�

F2

F3

F2,3

CAMPOS DE EMPREGO • Ligações de corte madeira-madeira com redução das pontes acústicas

PRODUTOS ADICIONAIS - FIXAÇÕES tipo

descrição

d

suporte

pág.

[mm] LBA

prego Anker

LBS

parafuso para chapas

4

548

5

552

HBS PLATE parafuso para TTS240

8

556

VGS

11

564

parafuso totalmente roscado para TTV240

GEOMETRIA XYL35100200

6

100

ALADIN115

240 6

6 70

ALADIN95

XYL35120240

200

200

XYL3570200

7

5 120

95

115

VALORES ESTÁTICOS E INSTALAÇÃO LIGAÇÃO DE CORTE | MADEIRA-MADEIRA

F2/3

TITAN:

Os valores de resistência mecânica e as modalidades de instalação constam das respetivas páginas de produto�

XYLOFON PLATE/ALADIN STRIPE:

Os dados técnicos e as instruções de aplicação constam do catálogo “SOLUÇÕES DE ACÚSTICA” ou nas ichas técnicas de produto (www�rothoblaas�pt)

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | TITAN SILENT | 237


COMPORTAMENTO ACÚSTICO - MECÂNICO TITAN SILENT O sistema TITAN SILENT foi submetido a uma série de ensaios que permitiram compreender o seu comportamento acústico e mecânico� As campanhas experimentais levadas a cabo no âmbito do projeto Sismic-Rev, em colaboração com vários institutos de investigação, mostraram como as características do peril resiliente inluenciam o desempenho mecânico da ligação� Do ponto de vista acústico, com o projeto Flanksound, foi demonstrado que a capacidade de amortecimento das vibrações através do nó é fortemente inluenciada pelo tipo e número de ligações�

dB dB

Hz

Hz F

F

INVESTIGAÇÕES EXPERIMENTAIS: COMPORTAMENTO MECÂNICO No âmbito do projeto Seismic-Rev, em colaboração com a Universidade de Trento e o Instituto de BioEconomia (IBE - San Michele all'Adige), foi lançado um projeto de investigação para avaliar o comportamento mecânico dos angulares TITAN utilizados em combinação com diferentes peris fonoisolantes�

PRIMEIRA FASE DE LABORATÓRIO Na primeira fase experimental, foram realizados testes de corte monotónicos utilizando procedimentos de carga linear em controlo do deslocamento, com o objetivo de avaliar a variação da resistência máxima e rigidez oferecidas pela ligação TTF200 com pregos LBA Ø4 x 60 mm�

Amostras de ensaio: painéis CLT angular TITAN TTF200

MODELAÇÃO NUMÉRICA Os resultados da campanha de investigação preliminar destacaram a importância de realizar análises mais precisas da inluência dos peris acústicos no comportamento mecânico dos angulares metálicos TTF200 e TTN240 em termos de resistência e rigidez globais� Por isso, decidiu-se realizar mais avaliações através de modelações numéricas de elementos initos, a partir do comportamento do prego individual� No presente caso, foi analisada a inluência de três peris resilientes diferentes: XYLOFON 35 (6 mm), ALADIN STRIPE SOFT (5 mm) e ALADIN STRIPE EXTRA SOFT (7 mm)�

Deformação Tx [mm] para deslocamento induzido 8 mm

SEGUNDA FASE DE LABORATÓRIO Nesta fase, foram realizados testes de laboratório de acordo com determinados requisitos da EN 26891� As amostras de TITAN SILENT, montadas com diferentes dispositivos TITAN em combinação com o peril resiliente XYLOFON 35 (6 mm), foram levados a um ponto de rutura para investigar a carga máxima, a carga a 15 mm e os respetivos deslocamentos, sem inluência da carga e, portanto, efeitos de esmagamento sobre o peril acústico (gap máximo entre a chapa e o painel de madeira)� Amostras de ensaio: painéis CLT 5 camadas angulares TITAN com ixação total TTF200 - TTN240 - TTS240 - TTV240 peril resiliente XYLOFON 35

238 | TITAN SILENT | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS


VARIAÇÃO DA RESISTÊNCIA MECÂNICA AO CORTE EM FUNÇÃO DO PERFIL FONOISOLANTE A comparação dos resultados entre as diferentes conigurações analisadas é apresentada em termos de variação de força a 15 mm de deslocamento (F15 mm) e de rigidez elástica a 5 mm (Ks,5 mm)

TITAN TTF200 sp

conigurações

F15 mm ΔF15 mm K5 mm

[mm]

[kN]

-

68,4

TTF200

90

ΔK5 mm

80

[kN/mm] -

9,55

70

-

TTF200 + ALADIN STRIPE SOFT red.*

3

59,0

-14 %

8,58

-10 %

TTF200 + ALADIN STRIPE EXTRA SOFT red.*

4

56,4

-18 %

8,25

-14 %

TTF200 + ALADIN STRIPE SOFT

5

55,0

-20 %

7,98

-16 %

TTF200 + XYLOFON PLATE

6

54,3

-21 %

7,79

-18 %

TTF200 + ALADIN STRIPE EXTRA SOFT

7

47,0

-31 %

7,30

-24 %

TTF200 + XYLOFON PLATE - test 003

6

54,2

-21 %

5,49

-43 %

60 F [kN]

50

40 30

20 10

* Espessura reduzida: altura do peril reduzida devido à secção ondulada e ao consequente esmagamento induzido pela cabeça do prego durante a operação�

5

10

15 δ [mm]

20

25

5

10

15 δ [mm]

20

25

TITAN TTN240 conigurações

sp

F15 mm ΔF15 mm K5 mm

90

ΔK5 mm

80

[mm]

[kN]

[kN/mm]

TTN240

-

71,9

-

9,16

-

TTN2400 + ALADIN STRIPE SOFT red.*

3

64,0

-11 %

8,40

-8 %

TTN240 + ALADIN STRIPE EXTRA SOFT red.*

4

61,0

-15 %

8,17

-11 %

TTN240 + ALADIN STRIPE SOFT

5

59,0

-18 %

8,00

-13 %

TTN240 + XYLOFON PLATE

6

58,0

-19 %

7,81

-15 %

TTN240 + ALADIN STRIPE EXTRA SOFT

7

53,5

-26 %

7,47

-18 %

TTN240 + XYLOFON PLATE - test 001

6

61,5

-15%

6,19

-32%

70

60 F [kN]

50

40 30

* Espessura reduzida: altura do peril reduzida devido à secção ondulada e ao consequente esmagamento induzido pela cabeça do prego durante a operação�

20 10

RESULTADOS EXPERIMENTAIS Os resultados obtidos mostram uma redução da resistência e rigidez dos dispositivos após a interposição dos peris fonoisolantes� Esta variação é altamente dependente da espessura do peril� A im de limitar a redução da resistência na ordem de 20% é necessário, portanto, adotar peris com espessuras reais aproximadamente inferiores ou iguais a 6 mm�

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | TITAN SILENT | 239


INVESTIGAÇÕES EXPERIMENTAIS: PROJETO FLANKSOUND A Rothoblaas inanciou uma pesquisa com o objetivo de medir o índice de redução das vibrações Kij para uma variedade de nós dos painéis CLT� Para cada nó, o índice de redução das vibrações relativo às vias de transmissão envolvidas é apresentado em bandas de um terço de oitava no intervalo de 100-3150 Hz� Também é apresentado um valor médio (200-1250 Hz) que pode ser utilizado para o cálculo simpliicado, conscientes da limitação deste método� A título de exemplo, segue-se uma comparação da capacidade de amortecimento do sistema TITAN SILENT�

NÓ EM “T” 3

SISTEMA DE FIXAÇÃO Parafusos HBS Ø8 x 240 mm Angulares TTN240 Chapa furada LBV 100 x 500 mm

800 300 160 2

PERFIL RESILIENTE

NÃO 1 100

f (Hz)

100

125

160

200

250

315

400

500

630

800 1000 1250 1600 2000 2500 3150 AVG 200-1250

K12 (dB)

13,6

14,9

4,4

9,4

11,4

7,0

8,9

9,0

14,5

18,2

17,4

20,2

21,9

28,9

28,3

36,7

12,9

K13 (dB)

22,5

25,3

15,7

16,5

15,0

12,6

13,4

15,8

21,1

18,6

19,3

18,8

23,5

29,0

27,5

32,3

16,8

K23 (dB)

4,8

- 1,3

- 4,1

4,7

5,7

1,2

- 3,7

2,2

6,5

8,5

9,0

17,5

16,0

16,6

17,3

22,7

5,7

NÓ EM “T” 3

SISTEMA DE FIXAÇÃO Parafusos HBS Ø8 x 240 mm Angulares TTN240 Chapa furada LBV 100 x 500 mm

800 300 160 2

PERFIL RESILIENTE

XYLOFON + TITAN SILENT 1 100

f (Hz)

100

125

160

200

250

315

400

500

630

800

1000 1250 1600 2000 2500 3150

K12 (dB)

17,4

13,1

7,0

11,1

10,8

11,5

10,5

15,6

20,4

22,4

21,9

K13 (dB)

23,9

24,5

18,3

20,6

16,3

18,2

19,4

19,6

25,7

27,2

K23 (dB)

7,1

- 3,1

- 2,5

6,2

6,0

6,4

0,7

9,7

9,5

12,5

24,7

24,5

25,6

21,9

12,7

19,3

AVG 200-1250

38,4

38,6

41,0

16,6

24,5

41,7

44,9

49,0

21,6

16,8

21,8

25,2

27,2

9,2

RESULTADOS EXPERIMENTAIS Os resultados obtidos mostram uma redução da resistência e rigidez dos dispositivos após a interposição dos peris fonoisolantes� Esta variação é altamente dependente da espessura do peril� A im de limitar a redução da resistência na ordem de 20 % é necessário, portanto, adotar peris com espessuras reais aproximadamente inferiores ou iguais a 6 mm�

240 | TITAN SILENT | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS


MENOS RUÍDO, MAIS QUALIDADE DE VIDA

Não subestime o conforto acústico nos seus projetos O bem-estar habitacional também depende da qualidade do conforto acústico. Atualmente, é possível adotar algumas medidas na fase de projeto para dominar este aspeto. Uma solução eficaz é o XYLOFON, perfil resiliente com mistura de poliuretano que interrompe a transmissão do ruído pelo ar e meios estruturais, melhorando a qualidade de vida dos inquilinos.

www.rothoblaas.pt


WHT PLATE C

CONCRETE

EN 14545

CHAPAS PARA FORÇAS DE TRAÇÃO DUAS VERSÕES WHT PLATE 440 ideal para estruturas de armação (platform frame); WHT PLATE 540 ideal para estruturas de painel CLT (Cross Laminated Timber)�

LIGAÇÕES PLANAS Ideal para realizar ligações contínuas a tracção de painéis CLT (Cross Laminated Timber) e estruturas de armação (platform frame) à subestrutura de betão armado�

QUALIDADE A elevada resistência à tracção permite a optimização da quantidade de chapas instaladas, garantindo uma notável economia de tempo� Valores calculados e certiicados de acordo com a marcação CE�

CARATERÍSTICAS FOCUS

ligações de tração em betão

ALTURA

440 | 540 mm

ESPESSURA

3,0 mm

FIXAÇÕES

LBA, LBS, SKR, VIN-FIX PRO, EPO-FIX PLUS

MATERIAL Chapa bidimensional furada de aço carbónico electrogalvanizado�

CAMPOS DE APLICAÇÃO Ligações de corte madeira-betão para painéis e montantes de madeira • CLT, LVL • madeira maciça e lamelar • estrutura de armação (platform frame) • painéis à base de madeira

242 | WHT PLATE C | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS


MADEIRA - BETÃO Além da sua função natural, é ideal para resolver pontualmente situações particulares que requerem a transferência das forças de tracção da madeira para o betão�

POLIVALENTE Na presença de graus variáveis de tensão ou de uma camada de nivelamento, é possível adotar pregagens parciais pré-calculadas�

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | WHT PLATE C | 243


CÓDIGOS E DIMENSÕES WHT PLATE C CÓDIGO

B

H

furos

nv Ø5

s

pçs

[mm]

[mm]

[mm]

pçs

[mm]

WHTPLATE440

60

440

Ø17

18

3

10

WHTPLATE540

140

540

Ø17

50

3

10

H H

B

B

FORÇAS

MATERIAL E DURABILIDADE WHT PLATE C: aço carbónico DX51D+Z275� Utilização em classes de serviço 1 e 2 (EN 1995-1-1)�

F1

F1

CAMPOS DE EMPREGO • Ligações madeira-betão • Ligações de OSB-betão • Ligações madeira-aço

PRODUTOS ADICIONAIS - FIXAÇÕES tipo

descrição

d

suporte

pág.

[mm] LBA

prego Anker

4

548

LBS

parafuso para chapas

5

552

AB1

ancorante mecânico

16

494

VIN-FIX PRO

ancorante químico

M16

511

EPO-FIX PLUS ancorante químico

M16

517

KOS

M16

526

parafuso

GEOMETRIA WHTPLATE440 10 20

WHTPLATE540

3

25 20

3

10 20

10 20

Ø5 Ø5

440

70 540 130 260 Ø17 50 60

Ø17 50 30

80 140

244 | WHT PLATE C | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS

30


INSTALAÇÃO

MADEIRA distâncias mínimas C/GL CLT

pregos

parafusos

LBA Ø4

LBS Ø5

a4,c

[mm]

≥ 20

≥ 25

a3,t

[mm]

≥ 60

≥ 75

a4,c

[mm]

≥ 12

≥ 12,5

a3,t

[mm]

≥ 40

≥ 30

a4,c

a4,c

a3,t

a3,t

• C/GL: distâncias mínimas para madeira maciça ou lamelada em conformidade com a norma EN 1995-1-1, de acordo com a ETA, considerando uma massa volúmica dos elementos de madeira de ρk ≤ 420 kg/m3 • CLT: distâncias mínimas para Cross Laminated Timber de acordo com a ÖNORM EN 1995-1-1 (Anexo K) para pregos e a ETA-11/0030 para parafusos

INSTALAÇÃO WHTPLATE440

INSTALAÇÃO WHTPLATE540

O WHT PLATE 440 pode ser utilizado para diferentes sistemas de construção (CLT/armação) e de ligação ao chão (com/sem viga horizontal, com/sem camada de nivelamento). Em função da presença e do tamanho HB da camada intermédia, no respeito das distâncias mínimas das ixações do lado da madeira e do lado do betão, o WHT PLATE 440 deve ser posicionado de modo a que o ancorante ique a uma distância da borda do betão: 130 mm ≤ cx ≤ 200 mm.

Na presença de requisitos de projeto, tais como graus variáveis de tensão ou na presença de uma camada de nivelamento entre a parede e a superfície de apoio, é possível adotar pregagens parciais pré-calculadas e otimizadas para inluenciar o número efetivo nef de ixações na madeira. São possíveis pregagens alternativas de acordo com as distâncias mínimas para os conectores.

PARCIAL 30 FIXAÇÕES

PARCIAL 15 FIXAÇÕES

CAMADA DE NIVELAMENTO

HB cx min cx max

CX

HB

[mm]

[mm]

cx min = 130

70

cx max = 200

0

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | WHT PLATE C | 245


VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO DE TRAÇÃO | MADEIRA-BETÃO WHTPLATE440 F1

F1

cx min cx max

hmin

ESPESSURA MÍNIMA DO BETÃO hmin ≥ 200 mm R 1,K MADEIRA coniguração

• c2 min = 130 mm • ixação total • 1 ancorante M16

• c2 max = 200 mm • ixação total • 1 ancorante M16

R1,k timber

ixação de furos Ø5 tipo

pregos LBA

R 1,K AÇO

ØxL

nv

[mm]

[pçs�]

[kN]

Ø4,0 x 60

18

35,0

parafusos LBS Ø5,0 x 60

18

31,8

Ø4,0 x 60

18

35,0

pregos LBA

parafusos LBS Ø5,0 x 60

15(1)

R1,k steel

R 1,d BETÃO R1,d uncracked

R1,d cracked

R1,d seismic

VIN-FIX PRO

VIN-FIX PRO

EPO-FIX PLUS

ØxL

ØxL

ØxL

[kN]

γsteel

[mm]

[kN]

[mm]

[kN]

[mm]

[kN]

34,8

γM2

M16 x 190

24,8

M16 x 190

17,6

M16 x 190

17,6

34,8

γM2

M16 x 190

31,2

M16 x 190

25,1

M16 x 190

17,6

27,5

ESPESSURA MÍNIMA DO BETÃO hmin ≥ 150 mm R 1,K MADEIRA coniguração

• c2 min = 130 mm • ixação total • 1 ancorante M16

• c2 max = 200 mm • ixação total • 1 ancorante M16

R1,k timber

ixação de furos Ø5 tipo

pregos LBA

R 1,K AÇO

ØxL

nv

[mm]

[pçs�]

[kN]

Ø4,0 x 60

18

35,0

parafusos LBS Ø5,0 x 60

18

31,8

Ø4,0 x 60

18

35,0

pregos LBA

parafusos LBS Ø5,0 x 60

15(1)

R1,k steel

R1,d uncracked

R1,d cracked

R1,d seismic

EPO-FIX PLUS

EPO-FIX PLUS

EPO-FIX PLUS

ØxL

ØxL

ØxL

[kN]

γsteel

[mm]

[kN]

[mm]

[kN]

[mm]

[kN]

34,8

γM2

M16 x 136

20,2

M16 x 136

14,3

M16 x 136

14,3

34,8

γM2

M16 x 136

28,8

M16 x 136

20,4

M16 x 136

17,6

27,5

NOTAS: (1)

R 1,d BETÃO

Para a coniguração indicada na tabela, é recomendado não instalar os parafusos da ila inferior a uma distância de3,t (extremidade sob tensão) = 15d = 75 mm�

246 | WHT PLATE C | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS


VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO DE TRAÇÃO | MADEIRA-BETÃO WHTPLATE540 TOTAL 50 FIXAÇÕES

PARCIAL 30 FIXAÇÕES

F1

PARCIAL 15 FIXAÇÕES

F1

F1

hmin

ESPESSURA MÍNIMA DO BETÃO hmin ≥ 200 mm R 1,K MADEIRA coniguração

ØxL

nv

[mm]

[pçs�]

[kN]

Ø4,0 x 60

50

83,5

parafusos LBS Ø5,0 x 60

50

81,6

Ø4,0 x 60

30

70,8

parafusos LBS Ø5,0 x 60

30

69,9

Ø4,0 x 60

15

35,4

parafusos LBS Ø5,0 x 60

15

35,0

tipo

• ixação total • 2 ancorantes M16 • ixação parcial(2) 30 ixações • 2 ancorantes M16 • ixação parcial(2) 15 ixações • 2 ancorantes M16

R1,k timber

ixação de furos Ø5

pregos LBA

pregos LBA

pregos LBA

R 1,d BETÃO(3)

R 1,K AÇO R1,k steel

R1,d uncracked

R1,d cracked

R1,d seismic

VIN-FIX PRO

VIN-FIX PRO

EPO-FIX PLUS

ØxL

ØxL

ØxL

[kN]

γsteel

[mm]

[kN]

[mm]

[kN]

[mm]

[kN]

70,6

γM2

M16 x 190

48,2

M16 x 190

34,2

M16 x 190

29,0

ESPESSURA MÍNIMA DO BETÃO hmin ≥ 150 mm R 1,K MADEIRA coniguração

ØxL

nv

[mm]

[pçs�]

[kN]

pregos LBA Ø4,0 x 60

50

83,5

parafusos LBS Ø5,0 x 60

50

81,6

pregos LBA Ø4,0 x 60

30

70,8

parafusos LBS Ø5,0 x 60

30

69,9

pregos LBA Ø4,0 x 60

15

35,4

parafusos LBS Ø5,0 x 60

15

35,0

tipo

• ixação total • 2 ancorantes M16 • ixação parcial(2) 30 ixações • 2 ancorantes M16 • ixação parcial(2) 15 ixações • 2 ancorantes M16

R1,k timber

ixação de furos Ø5

R 1,d BETÃO(3)

R 1,K AÇO R1,k steel

[kN]

70,6

R1,d uncracked

R1,d cracked

EPO-FIX PLUS

EPO-FIX PLUS

ØxL

ØxL

R1,d seismic EPO-FIX PLUS

ØxL

γsteel

[mm]

[kN]

[mm]

[kN]

[mm]

[kN]

γM2

M16 x 136

39,6

M16 x 136

28,0

M16 x 136

23,8

NOTAS: (2)

No caso de conigurações com pregagem parcial, os valores de resistência indicados na tabela são válidos para a instalação das ixações na madeira, de acordo com a1 > 10d (n ef= n)

(3)

Os valores de resistência do lado do betão são válidos se os entalhes de montagem da chapa WHTPLATE540 forem posicionados na madeira-betão (cx = 260 mm)�

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | WHT PLATE C | 247


PARÂMETROS DE INSTALAÇÃO DE ANCORANTES QUÍMICOS(1) tipo de ancorante

tix

hnom = hef

h1

d0

hmin

[mm]

[mm]

tipo

Ø x L [mm]

[mm]

[mm]

[mm]

EPO-FIX PLUS 5.8

M16 x min 136

3

114

120

VIN-FIX PRO EPO-FIX PLUS 5.8

M16 x 190

3

164

170

150 18

200

Barra roscada pré-cortada INA dotada de porca e anilha: consultar a pág� 520 Barra roscada MGS classe 8�8 para cortar à medida: consultar a pág� 534

tfix L hmin

hnom

h1

t fix hnom hef h1

espessura da chapa ixada profundidade de inserção profundidade efectiva de ancoragem profundidade mínima do furo

d0 hmin

diâmetro do furo de betão espessura mínima do betão

d0

DIMENSÃO DOS ANCORANTES ALTERNATIVOS A ixação ao betão com ancorantes diferentes dos indicados na tabela, deve ser veriicada com base na força de tensão sobre os mesmos ancorantes, determináveis através dos coeicientes kt⊥� A força lateral de corte actuante sobre cada ancorante é obtida desta maneira:

Fbolt

,d

= kt

kt⊥ F1

F1,d

F1

coeiciente de excentricidade tensão de tracção actuante sobre a chapa WHT PLATE

kt⊥ WHTPLATE440

1,00

WHTPLATE540

0,50

Fbolt⊥

Fbolt⊥

A veriicação do ancorante é satisfeita se a resistência ao corte de projecto, calculada considerando-se os efeitos de grupo, for maior do que a tensão de projecto: Rbolt ⊥,d ≥ Fbolt ⊥,d�

NOTAS PARA PROJETO SISMICO Considerar atentamente a real hierarquia das resistências em referência quer ao edifício global quer dentro do sistema de ligação� Experimentalmente, a resistência inal do prego LBA (e do parafuso LBS) resulta ser muito maior do que a resistência característica avaliada conforme EN 1995� Ex� prego LBA Ø4 x 60 mm: Rv,k = =2,8 - 3,6 kN de testes experimentais (variável de acordo com o tipo de madeira e espessura da chapa)�

NOTAS: (1)

Válidos para os valores de resistência indicados na tabela�

248 | WHT PLATE C | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS

Os dados experimentais derivam de testes realizados no projecto de pesquisa Seismic-Rev e constam do relatório cientíico “Sistemas de ligação para edifícios de madeira: investigação experimental para a avaliação de rigidez, resistência e ductilidade” (DICAM - Departamento de Engenharia Civil, Ambiental e Mecânica - UniTN)�


PRINCÍPIOS GERAIS: • Os valores característicos são conforme a norma EN 1995-1-1� Os valores de projeto das ancoragens para betão são calculados de acordo com as respetivas Avaliações Técnicas Europeias�

• Em fase de cálculo, considerou-se uma massa volúmica dos elementos de ρ k = 350 kg/m3 e betão C25/30 com armação rara e espessura mínima indicada nas respetivas tabelas�

O valor de resistência de projeto da ligação é obtida a partir dos valores indicados na tabela, desta forma:

• Os valores de resistência de projeto do lado do betão são fornecidos pelo betão não issurado (R 1,d uncracked), issurado (R 1,d cracked) e, em caso de veriicação sísmica (R 1,d seismic), para utilização do ancorante químico com barra roscada da classe de aço 5�8�

Rd = min

Rk, timber kmod γM Rk, steel γsteel Rd, concrete

Os coeicientes kmod , γ M e γsteel devem ser considerados em função da norma vigente utilizada para o cálculo� • Os valores de resistência do lado da madeira R 1,k timber são calculados considerando o número efetivo de acordo com o Prospeto 8�1 (EN 1995-1-1)

• Projetação sísmica na categoria de desempenho C2, sem requisitos de ductilidade nos ancorantes (opção a2 projetação elástica de acordo com a EOTA TR045)� Para ancorantes químicos, parte-se do princípio de que o espaço anular entre o ancorante e o furo da chapa esteja preenchido (α gap=1)� • Os valores de resistência são válidos para as hipóteses de cálculo deinidas na tabela; para condições de contorno diferentes das indicadas na tabela (por ex�, distâncias mínimas das bordas), o grupo de ancorantes do lado do betão pode ser veriicado utilizando o software de cálculo MyProject de acordo com os requisitos do projeto� • A dimensão e a veriicação dos elementos de madeira e de betão devem ser feitas à parte�

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | WHT PLATE C | 249


WHT PLATE T

TIMBER

EN 14545

CHAPAS PARA FORÇAS DE TRAÇÃO GAMA COMPLETA Disponível em 3 versões de diferentes espessuras, materiais e alturas� A tríade pitagórica fornece diferentes níveis de resistência à tração�

TRAÇÃO Chapas prontas a utilizar: calculadas, certiicadas para forças de tração em ligações madeira-madeira� Três níveis diferentes de resistência�

SISMA E VÁRIOS ANDARES Ideal para a conceção de edifícios multi-pisos para diferentes espessuras de laje� Resistência característica à tração superior a 150 kN�

CARATERÍSTICAS FOCUS

ligações de tração em madeira

ALTURA

de 600 a 820 mm

ESPESSURA

de 3,0 a 5,0 mm

FIXAÇÕES

HBS PLATE, HBS PLATE EVO

MATERIAL Chapa bidimensional furada de aço carbónico electrogalvanizado�

CAMPOS DE APLICAÇÃO Ligações de corte madeira-betão para painéis e vigas de madeira • CLT, LVL • madeira maciça e lamelar • estrutura de armação (platform frame) • painéis à base de madeira

250 | WHT PLATE T | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS


MULTI-STOREY Ideal para ligações de tração dos edifícios multi-pisos em CLT que requerem uma elevada resistência à tração� Geometria otimizada para uma ixação segura�

HBS PLATE Ideal em combinações com parafusos HBS PLATE ou HBS PLATE EVO� A cabeça dos parafusos tem uma forma troncocónica e uma espessura acrescida para ixar em total segurança e coniabilidade as chapas à madeira�

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | WHT PLATE T | 251


CÓDIGOS E DIMENSÕES WHT PLATE T CÓDIGO

H

B

nv Ø11

s

[mm]

[mm]

[pçs�]

[mm]

pçs

WHTPT600

594

91

30

3

10

WHTPT720

722

118

56

4

5

WHTPT820

826

145

80

5

1

H

B

HBS PLATE CÓDIGO

d1

L

b

TX

[mm]

[mm]

[mm]

HBSP880

8

80

55

TX40

100

HBSP8100

8

100

75

TX40

100

d1

pçs L

FORÇAS

MATERIAL E DURABILIDADE WHT PLATE T: aço carbónico S355 com eletrogalvanização� Utilização em classes de serviço 1 e 2 (EN 1995-1-1)�

F1

CAMPOS DE EMPREGO • Ligações madeira-madeira

GEOMETRIA WHTPT600

WHTPT720

WHTPT820 145

5

Ø11

118

4

Ø11

91

3 32 48

Ø11 32 48

32 48

826 252 722

212

594 212

252 | WHT PLATE T | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS


INSTALAÇÃO

a4,c

parafusos

MADEIRA distâncias mínimas

HBS PLATE Ø8 a4,c

CLT

a3,t

[mm]

≥ 20

[mm]

≥ 48

a3,t

As chapas WHT PLATE T foram concebidas para diferentes espessuras de laje, incluindo peil acústico resiliente� Os entalhes de posicionamento, como auxílio de montagem, indicam a distância máxima permitida (D) entre os painéis da parede em CLT de acordo com as distâncias mínimas para os parafusos HBS PLATE Ø8 mm� Esta distância inclui o espaço necessário para o alojamento do peril acústico (sacoustic)� CÓDIGO

D

Hmax laje

sacoustic

[mm]

[mm]

[mm]

212

200

6+6

WHTPT720

212

200

6+6

WHTPT820

252

240

6+6

s H

D

s WHTPT600

VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO DE TRAÇÃO | MADEIRA-MADEIRA WHT PLATE T R 1,K MADEIRA ixação de furos Ø11 CÓDIGO

WHTPT600 WHTPT720 WHTPT820

F1

R 1,K AÇO R1,k timber

HBS PLATE ØxL [mm]

[pçs�]

[kN]

Ø8,0 x 80

15 + 15

56,8

Ø8,0 x 100

15 + 15

62,1

Ø8,0 x 80

28 + 28

104,7

Ø8,0 x 100

28 + 28

115,8

Ø8,0 x 80

40 + 40

158,5

Ø8,0 x 100

40 + 40

176,1

R1,k steel

nv [kN]

γsteel

80,3

γM2

135,9

γM2

206,6

γM2

PRINCÍPIOS GERAIS: • Os valores característicos são conforme a norma EN 1995-1-1 e ETA-11/0030�

Os coeicientes kmod , γ M e γsteel devem ser considerados em função da norma vigente utilizada para o cálculo�

Os valores de projeto são obtidos a partir dos valores característicos, desta forma:

• Em fase de cálculo, considerou-se uma massa volúmica dos elementos de madeira equivalente a ρ k = 350 kg/m3 �

Rd = min

Rk timber kmod γM Rk steel γsteel

• A dimensão e a veriicação dos elementos de madeira devem ser feitas à parte�

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | WHT PLATE T | 253


TITAN PLATE C

CONCRETE

EN 14545

CHAPAS PARA FORÇAS DE CORTE VERSÁTIL Utilizável para a ligação contínua à subestrutura quer de painéis CLT (Cross Laminated Timber) quer de painéis armados�

INOVADORA Concebida para ser ixada com pregos ou parafusos, com ixação parcial ou total� Possibilidade de instalação mesmo na presença de argamassa de assentamento�

CALCULADA E CERTIFICADA Marcação CE conforme EN 14545� Disponível em duas versões� TCP300 com espessura aumentada e otimizada para CLT�

CARATERÍSTICAS FOCUS

ligações de corte em betão

ALTURA

200 | 300 mm

ESPESSURA

3,0 | 4,0 mm

FIXAÇÕES

LBA, LBS, VIN-FIX PRO, EPO-FIX PLUS, AB1, SKR

MATERIAL Chapa bidimensional furada de aço carbónico electrogalvanizado�

CAMPOS DE APLICAÇÃO Ligações de corte madeira-betão para painéis e vigas de madeira • CLT, LVL • madeira maciça e lamelar • estrutura de armação (platform frame) • painéis à base de madeira

254 | TITAN PLATE C | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS


SOBRE-ELEVAÇÕES Ideal para realizar ligações planas entre elementos de betão ou alvenaria e painéis em CLT� Realização de ligações contínuas de corte�

LANCIL DE BETÃO Conigurações versáteis de ixação� Soluções concebidas, calculadas, testadas e certiicadas com ixação parcial e total, com direção horizontal ou vertical da ibra�

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | TITAN PLATE C | 255


CÓDIGOS E DIMENSÕES TITAN PLATE TCP CÓDIGO

B

H

furos

[mm]

[mm]

nv Ø5

s

[pçs�]

[mm]

pçs H

TCP200

200

214

Ø13

30

3

10

TCP300

300

240

Ø17

21

4

5 B

FORÇAS

MATERIAL E DURABILIDADE TCP200: aço carbónico DX51D+Z275� TCP300: aço carbónico S355 com eletrogalvanização� Utilização em classes de serviço 1 e 2 (EN 1995-1-1)�

F2

F3

F2/3

CAMPOS DE EMPREGO • Ligações madeira-betão

PRODUTOS ADICIONAIS - FIXAÇÕES tipo

descrição

d

suporte

pág.

[mm] LBA

prego Anker

4

548

LBS

parafuso para chapas

5

552

SKR

ancorante parafusável

12 - 16

488

VIN-FIX PRO

ancorante químico

M12 - M16

511

EPO-FIX PLUS ancorante químico

M12 - M16

517

GEOMETRIA

TCP 300 TCP200

TCP300

Ø5 Ø5

20 10

5 42 19

3

4 10 20 20 30

10 20 20 10 32 240

214

Ø13

cx=90

cx=130

Ø17

32 25

75

75

25

200

256 | TITAN PLATE C | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS

30 30

240 300

30


INSTALAÇÃO MADEIRA distâncias mínimas

• •

pregos

parafusos

LBA Ø4

LBS Ø5

C/GL

a4,t

[mm]

≥ 20

≥ 25

CLT

a3,t

[mm]

≥ 28

≥ 30

a4,t

a3,t

C/GL: distâncias mínimas para madeira maciça ou lamelada em conformidade com a norma EN 1995-1-1, de acordo com a ETA, considerando uma massa volúmica dos elementos de madeira de ρk ≤ 420 kg/m3 CLT distâncias mínimas para Cross Laminated Timber de acordo com a ÖNORM EN 1995-1-1 (Anexo K) para pregos e a ETA-11/0030 para parafusos

FIXAÇÃO PARCIAL Na presença de requisitos de projeto, tais como graus variáveis de tensão ou na presença de uma camada de nivelamento entre a parede e a superfície de apoio, é possível adotar pregagens parciais pré-calculadas ou posicionar as chapas de acordo com as necessidades (por ex., chapas rebaixadas), tendo o cuidado de respeitar as distâncias mínimas indicadas na tabela e veriicar a resistência do grupo de ancorantes do lado do betão tendo em conta o aumento da distância da borda (cx). Seguem-se alguns exemplos de possíveis conigurações de limites:

TCP200

� 60 mm nails � 70 mm screws

�30

�40

90

PARCIAL 15 FIXAÇÕES - CLT

130

90

PARCIAL 15 FIXAÇÕES - C/GL

CHAPA REBAIXADA - C/GL

TCP300

80 20

40

130

PARCIAL 14 FIXAÇÕES - CLT

150

130

PARCIAL 7 FIXAÇÕES - CLT

CHAPA REBAIXADA - C/GL

MONTAGEM

Posicionar TITAN TCP com a linha tracejada na junção madeir- betão e marcar os furos

Remoção da chapa TITAN TCP e furação do betão

Limpeza cuidadosa dos furos

Injecção do ancorante e posicionamento das barras roscadas

Instalação da chapa TITAN TCP e pregagem

Posicionamento de porcas e anilhas mediante um adequado torque de aperto

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | TITAN PLATE C | 257


VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO DE CORTE | MADEIRA-BETÃO TCP200 F2/3

F2/3

ey

ey

TOTAL

PARCIAL

RESISTÊNCIA DO LADO DA MADEIRA MADEIRA coniguração sobre madeira

AÇO R2/3,k timber

ixação de furos Ø5

(1)

R2/3,k CLT

ØxL

nv

[mm]

[pçs�]

[kN]

[kN]

Ø4,0 x 60

30

55,6

70,8

parafusos LBS Ø5,0 x 60

30

54,1

69,9

Ø4,0 x 60

15

27,8

35,4

parafusos LBS Ø5,0 x 60

15

27,0

35,0

tipo

pregos LBA

(2)

• ixação total

BETÃO

R2/3,k steel

ixação de furos Ø13

[kN]

γsteel

21,8

γM2

Ø

nv

ey (3)

[mm]

[pçs�]

[mm] 147

M12 pregos LBA

20,5

• ixação parcial

2 162

γM2

RESISTÊNCIA DO LADO DO BETÃO Valores de resistência no betão de algumas das possíveis soluções de ancoragem, de acordo com as conigurações adotadas para a ixação em madeira (ey)� Partindo do princípio de que a chapa está posicionada com os entalhes de montagem na interface madeira-betão (distância ancorante-borda betão cx = 90 mm)�

ixação total (ey = 147 mm)

coniguração sobre betão

• não issurado

• issurado

R2/3,d concrete

ixação de furos Ø13 tipo

ixação parcial (ey = 162 mm)

ØxL [mm]

[kN]

[kN]

VIN-FIX PRO 5.8

M12 x 130

14,3

13,0

SKR-E

12 x 90

12,6

11,4

AB1

M12 x 100

13,1

11,9

VIN-FIX PRO 5.8

M12 x 130

10,1

9,2

SKR-E

12 x 90

8,9

8,1

AB1

M12 x 100

9,2

8,4

EPO-FIX PLUS 5.8

M12 x 130

6,5

6,1

EPO-FIX PLUS 5.8

M12 x 180

9,3

8,4

• seismic

NOTAS: (1)

Valores de resistência para utilização em vigas horizontais de madeira maciça ou lamelada, calculados considerando o numero efetivo de acordo com o Prospeto 8�1 (EN 1995 -1-1)�

(2)

Valores de resistência para utilização em CLT�

258 | TITAN PLATE C | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS

(3)

Excentricidade de cálculo para a veriicação do grupo de ancorantes sobre betão�


VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO DE CORTE | MADEIRA-BETÃO TCP300

F2/3

F2/3

F2/3

ey

ey

ey

PARCIAL 14 FIXAÇÕES

TOTAL

PARCIAL 7 FIXAÇÕES

RESISTÊNCIA DO LADO DA MADEIRA MADEIRA R2/3,k timber

ixação de furos Ø5

coniguração sobre madeira

AÇO (1)

R2/3,k CLT

ØxL

nv

[mm]

[pçs�]

[kN]

[kN]

Ø4,0 x 60

21

38,4

49,6

parafusos LBS Ø5,0 x 60

21

36,9

48,9

Ø4,0 x 60

14

25,6

33,0

parafusos LBS Ø5,0 x 60

14

24,6

32,6

Ø4,0 x 60

7

12,8

16,5

parafusos LBS Ø5,0 x 60

7

12,3

16,3

tipo

pregos LBA • ixação total

• ixação parcial 14 ixações

• ixação parcial 7 ixações

pregos LBA

pregos LBA

(2)

BETÃO

R2/3,k steel

[kN]

γsteel

64,0

γM2

60,5

γM2

57,6

γM2

ixação de furos Ø17 Ø

nv

ey(3)

[mm]

[pçs�]

[mm] 180

M16

2

190

200

RESISTÊNCIA DO LADO DO BETÃO Valores de resistência no betão de algumas das possíveis soluções de ancoragem, de acordo com as conigurações adotadas para a ixação em madeira (ey)� Partindo do princípio de que a chapa seja posicionada com os entalhes de montagem na interface madeira-betão (distância ancorante-borda betão cx = 130 mm)�

ixação total (ey = 180 mm)

tipo

ixação parcial (ey = 200 mm)

R2/3,d concrete

ixação de furos Ø17

coniguração sobre betão

ixação parcial (ey = 190 mm)

ØxL [mm]

[kN]

[kN]

[kN]

VIN-FIX PRO 5.8

M16 x 190

34,4

32,7

31,1

SKR-E

16 x 130

29,7

28,2

26,8

AB1

M16 x 145

30,2

28,7

27,3

VIN-FIX PRO 5.8

M16 x 190

24,4

23,2

22,0

SKR-E

16 x 130

21,0

19,9

19,0

AB1

M16 x 145

21,4

20,3

19,3

EPO-FIX PLUS 5.8

M16 x 190

16,6

16,0

15,4

EPO-FIX PLUS 8.8

M16 x 230

21,1

20,3

19,4

• não issurado

• issurado

• seismic

PRINCÍPIOS GERAIS: Princípios gerais de cálculo, consultar a pág. 260

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | TITAN PLATE C | 259


PARÂMETROS DE INSTALAÇÃO ANCORANTES | TCP200 - TCP300 instalação

tipo de ancorante

tix

hef

hnom

h1

d0

hmin [mm]

tipo

Ø x L [mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

VIN-FIX PRO EPO-FIX PLUS 5.8

M12 x 130

3

112

112

120

14

SKR-E

12 x 90

3

64

87

110

10

AB1

M12 x 100

3

70

80

85

12

EPO-FIX PLUS 5.8

M12 x 180

3

161

161

170

14

VIN-FIX PRO EPO-FIX PLUS 5.8

M16 x 190

4

164

164

170

18

SKR-E

16 x 130

4

85

126

150

14

AB1

M16 x 145

4

85

97

105

16

EPO-FIX PLUS 8.8

M16 x 230

4

200

200

205

14

TCP200

TCP300

150

200

200

240

Barra roscada pré-cortada INA dotada de porca e anilha: consultar a pág� 520 Barra roscada MGS classe 8�8 para cortar à medida: consultar a pág� 534

tfix L hmin

hnom

h1

t fix hnom hef h1

espessura da chapa ixada profundidade de inserção profundidade efectiva de ancoragem profundidade mínima do furo

d0 hmin

diâmetro do furo de betão espessura mínima do betão

d0

VERIFICAÇÃO DOS ANCORANTES PARA BETÃO | TCP200 - TCP300 A ixação ao betão por meio de ancorantes deve ser veriicada com base nas forças de tensão sobre os próprios ancorantes, que dependem da coniguração de ixação do lado da madeira� A posição e o número de pregos/parafusos determinam o valor de excentricidade ey, entendido como a distância entre o centro de gravidade da pregagem e o dos ancorantes�

O grupo de ancorantes deve ser verificado quanto a:

F2/3

VSd,x = F2/3,d MSd,z = F2/3,d x ey

ey

F2/3 ey

PRINCÍPIOS GERAIS: • Os valores característicos são conforme a norma EN 1995-1-1� Os valores de projeto das ancoragens para betão são calculados de acordo com as respetivas Avaliações Técnicas Europeias�

• Em fase de cálculo, considerou-se uma massa volúmica dos elementos de ρ k = 350 kg/m3 e betão C25/30 com armação rara e espessura mínima indicada na tabela�

O valor de resistência de projeto da ligação é obtida a partir dos valores indicados na tabela, desta forma:

• A dimensão e a veriicação dos elementos de madeira e de betão devem ser feitas à parte�

Rd = min

(Rk, timber or Rk, CLT ) kmod γM Rk, steel γsteel Rd, concrete

Os coeicientes kmod, γ M e γsteel devem ser considerados em função da norma vigente utilizada para o cálculo�

260 | TITAN PLATE C | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS

• Os valores de resistência são válidos para as hipóteses de cálculo deinidas na tabela; para condições de contorno diferentes das indicadas na tabela (por ex�, distâncias mínimas das bordas), os ancorantes do lado do betão podem ser veriicados utilizando o software de cálculo MyProject de acordo com os requisitos do projeto� • Projetação sísmica na categoria de desempenho C2, sem requisitos de ductilidade nos ancorantes (opção a2) projetação elástica de acordo com a EOTA TR045� Para ancorantes químicos, parte-se do princípio de que o espaço anular entre o ancorante e o furo da chapa esteja preenchido (α gap=1)�


INVESTIGAÇÕES EXPERIMENTAIS | TCP300 A im de calibrar os modelos numéricos utilizados para a conceção e veriicação da chapa TCP300, foi realizada uma campanha experimental em colaboração com o Instituto de BioEconomia (IBE) - San Michele all'Adige� O sistema de ligação, pregado ou aparafusado aos painéis em CLT, foi submetido a tensão de corte através de testes monotónicos em controlo do deslocamento, registando a respetiva carga, deslocamento nas duas direções principais e modo de colapso� Os resultados obtidos foram utilizados para validar o modelo de cálculo analítico para a chapa TCP300, com base na hipótese de que o centro de corte é colocado no centro de gravidade das ixações na madeira e, portanto, que os ancorantes, geralmente o ponto fraco do sistema, são submetidas a tensão não só pelas ações de corte, mas também pelo momento local� O estudo em diferentes conigurações de ixação (pregos Ø4/parafusos Ø5, pregagem total, pregagem parcial com 14 conectores, pregagem parcial com 7 conectores) mostra que o comportamento mecânico da chapa é fortemente inluenciado pela respetiva rigidez dos conectores na madeira em relação à dos ancorantes, em testes simulados por aparafusamento em aço� Em todos os casos observou-se um modo de rutura de corte das ixações na madeira que não provoca rotações evidentes da chapa� Apenas em alguns casos (pregagem total) a rotação não negligenciável da chapa provoca um aumento da tensão nas ixações da madeira resultante de uma redistribuição do momento local com o consequente alívio da tensão nos ancorantes, que representam o ponto limitador da resistência global do sistema�

60

60

50

50

46,8

40 Load [kN]

Load [kN]

40 30 20 10

up

30 20 10 down

0 0

5

10

15

Displacement vy [mm]

20

25

-1,5 -0,5 0,5

1,5

Displacement vx [mm] vx up vx down

Diagramas força-deslocamento para amostra TCP300 com pregagem parcial (n. 14 pregos LBA Ø4 x 60 mm).

São necessárias mais investigações para deinir um modelo analítico que possa ser generalizado às diferentes conigurações de utilização da chapa, capaz de fornecer a rigidez real do sistema e a redistribuição das tensões à medida que as condições de contorno (conectores e materiais de base) variam�

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | TITAN PLATE C | 261


TITAN PLATE T

TIMBER

EN 14545

CHAPAS PARA FORÇAS DE CORTE MADEIRA-MADEIRA Chapas ideais para a ligação plana das vigas horizontais de madeira aos painéis estruturais de madeira�

CHAPAS DE CORTE Resistências ao corte calculadas com ixação parcial e total em madeira maciça, madeira lamelada e CLT�

CALCULADA E CERTIFICADA Marcação CE de acordo com a norma europeia EN 14545� Disponível em duas versões� Versão TTP300 ideal para CLT�

CARATERÍSTICAS FOCUS

ligações de corte madeira-madeira

ALTURA

200 | 300 mm

ESPESSURA

3,0 mm

FIXAÇÕES

LBA, LBS

MATERIAL Chapa bidimensional furada de aço carbónico electrogalvanizado�

CAMPOS DE APLICAÇÃO Ligações de corte madeira-madeira para painéis e vigas de madeira • CLT, LVL • madeira maciça e lamelar • estrutura de armação (platform frame)

262 | TITAN PLATE T | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS


CÓDIGOS E DIMENSÕES TITAN PLATE TTP CÓDIGO

B

H

nv1 Ø5

nv2 Ø5

s

pçs

[mm]

[mm]

[pçs�]

[pçs�]

[mm]

TTP200

200

105

7

7

3

10

TTP300

300

200

42

14

3

5

H

B

FORÇAS

MATERIAL E DURABILIDADE TTP200: aço carbónico com eletrogalvanização� TTP300: aço carbónico electrogalvanização� Utilização em classes de serviço 1 e 2 (EN 1995-1-1)� F2

F3

F2,3

CAMPOS DE EMPREGO • Ligações madeira-madeira

PRODUTOS ADICIONAIS - FIXAÇÕES tipo

descrição

d

suporte

pág.

LBA

prego Anker

4

548

LBS

parafuso para chapas

5

552

[mm]

GEOMETRIA TTP200

TTP300 21 21 11

Ø5

Ø5

8 25

5

25 5

105 40

50

8 16 28 28

3

200

50

200

25 5 5 42

42 22

3

300

CLT A versão da 300 mm é especialmente concebida para maximizar a resistência ao corte em estruturas CLT� Ideal para ligar as vigas horizontais da laje às paredes estruturais�

TIMBER FRAME A versão de 200 mm também permite a ixação das vigas horizontais na fundação (altura superior a 8 cm) ao painel estrutural superior, tanto em estruturas CLT, como em estruturas TIMBER FRAME�

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | TITAN PLATE T | 263


INSTALAÇÃO As chapas TTP podem ser utilizadas tanto em CLT, como em elementos de madeira maciça/lamelada e devem ser posicionadas com os entalhes de montagem na interface madeira-madeira. No caso de ixação em viga/viga horizontal, a dimensão mínima HB dos elementos é indicada na tabela relativa aos esquemas de instalação.

HB MIN [mm]

TTP200 TTP300

pregos

parafusos

LBA Ø4

LBS Ø5

ixação total

75

-

ixação total

100

105

ixação parcial

110

130

A altura HB é determinada considerando as distâncias mínimas para madeira maciça ou lamelada em conformidade com a norma EN 1995-1-1, de acordo com a ETA, considerando uma massa volúmica dos elementos de madeira de ρk ≤ 420 kg/m3

TTP200 | FIXAÇÃO TOTAL

HB HB

HB

TTP300 | FIXAÇÃO TOTAL

HB

HB

TTP300 | FIXAÇÃO PARCIAL

HB

HB

264 | TITAN PLATE T | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS

HB


VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO DE TRAÇÃO | MADEIRA-MADEIRA TTP200

F2/3

TOTAL

MADEIRA R2/3,k timber(1)

ixação de furos Ø5

coniguração

tipo

• ixação total

pregos LBA

ØxL

nv1

nv2

[mm]

[pçs�]

[pçs�]

[kN]

Ø4,0 x 60

7

7

7,8

TTP300 F2/3

F2/3

TOTAL

PARCIAL

MADEIRA coniguração

• ixação total

• ixação parcial

R2/3,k timber(1)

ixação de furos Ø5 ØxL

nv1

nv2

[mm]

[pçs�]

[pçs�]

[kN]

Ø4,0 x 60

42

14

28,0

parafusos LBS

Ø5,0 x 60

42

14

27,7

pregos LBA

Ø4,0 x 60

14

14

15,3

parafusos LBS

Ø5,0 x 60

14

14

15,1

tipo pregos LBA

NOTAS:

PRINCÍPIOS GERAIS:

(1)

• Os valores característicos são conforme a norma EN 1995-1-1�

O valores de resistência são válidos para todas as configurações totais/ parciais indicadas na secção INSTALAÇÃO�

Os valores de resistência de projeto da ligação são obtidos a partir dos valores indicados na tabela desta forma:

Rd =

Rk timber kmod γM

Os coeicientes kmod e yM devem ser considerados em função da norma vigente utilizada para o cálculo� • Em fase de cálculo, considerou-se uma massa volúmica dos elementos de madeira equivalente a ρ k = 350 kg/m3 � • A dimensão e a veriicação dos elementos de madeira devem ser feitas à parte�

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | TITAN PLATE T | 265


ALU START

ETA

SISTEMA EM ALUMÍNIO PARA A LIGAÇÃO DOS EDIFÍCIOS À TERRA MARCAÇÃO CE CONFORME ETA O peril é capaz de transferir forças de corte, tração e compressão para a fundação� As resistências são testadas, calculadas e certiicadas de acordo com a ETA especíica�

ELEVAÇÃO DA FUNDAÇÃO O peril permite eliminar o contacto entre os painéis de madeira (CLT ou TIMBER FRAME) e a subestrutura de betão� Excelente durabilidade da ligação do edifício ao chão�

NIVELAMENTO DA SUPERFÍCIE DE APOIO Graças aos gabaritos especiais de montagem, o nível da superfície de colocação é facilmente regulável� O nivelamento de todo o edifício é simples, preciso e rápido�

CARATERÍSTICAS FOCUS

elevação e nivelamento de painéis em CLT e TIMBER FRAME

LARGURA

de 100 a 160 mm

RESISTÊNCIA

em todas as direções de tensão

FIXAÇÕES

LBA, LBS, SKR-E, AB1, VIN-FIX PRO, EPO-FIX PLUS

VÍDEO Digitalize o QR Code e assista ao vídeo no nosso canal YouTube

MATERIAL Chapa furada tridimensional em liga de alumínio�

CAMPOS DE APLICAÇÃO Ligação de edifícios de madeira ao chão com elevação a partir da fundação e nivelamento da superfície de apoio • paredes em CLT • paredes TIMBER FRAME

266 | ALU START | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS


DURABILIDADE Graças à elevação da fundação e ao material de alumínio, a base de apoio do edifício está protegida contra a subida capilar� A ligação ao chão confere durabilidade e salubridade à estrutura�

RESISTÊNCIA AO CORTE DE ACORDO COM A ETA Graças à lange lateral, o peril pode ser ixado à parede de madeira com pregos ou parafusos que garantem uma excelente resistência ao corte certiicada pela marcação CE de acordo com a ETA�

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | ALU START | 267


CÓDIGOS E DIMENSÕES ALU START

L

L

L

B ALUSTART100

CÓDIGO

B

B

ALUSTART120

ALUSTART35

B

L

pçs

[mm]

[mm]

ALUSTART100

100

2400

1

ALUSTART120

120

2400

1

ALUSTART35 *

35

2400

1

* extensão lateral para ALUSTART100 e ALUSTART120�

ACESSÓRIOS DE MONTAGEM - DIME JIG START CÓDIGO

descrição

B

P

[mm]

[mm]

pçs

JIGSTARTI

gabarito de nivelamento para ligação linear

160

-

25

JIGSTARTL

gabarito de nivelamento para ligação angular

160

160

10

Os gabaritos são fornecidos com parafuso M12 para a regulação altimétrica, parafusos ALUSBOLT e porcas ALUSMUT�

B

JIGSTARTI

P

B

JIGSTARTL

PRODUTOS COMPLEMENTARES CÓDIGO

descrição

pçs

ALUSBOLT

parafuso de cabeça martelo para ixação do gabarito

100

ALUSMUT

porca para o parafuso de cabeça martelo

100

ALUSPIN

cavilha elástica ISO 8752 para a montagem do ALUSTART35

50

ALUSBOLT

O ALUSBOLT e o ALUSPIN podem ser encomendados separadamente dos gabaritos como peças de reposição�

268 | ALU START | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS

ALUSMUT

ALUSPIN


MATERIAL E DURABILIDADE

FORÇAS

ALU START: liga de alumínio EN AW-6060� Utilização em classes de serviço 1 e 2 (EN 1995-1-1)�

F1 F4

F1 F5

F2

F3

CAMPOS DE EMPREGO • Ligações para parede em CLT/TIMBER FRAME - fundação

PRODUTOS ADICIONAIS - FIXAÇÕES tipo

descrição

d

suporte

pág.

[mm] LBA

prego Anker

4

548

LBS

parafuso

5

552

SKR-E

ancorante mecânico aparafusável

12

491

AB1

ancorante mecânico de expansão

M12

494

VIN-FIX PRO

ancorante químico

M12

511

EPO-FIX PLUS

ancorante químico

M12

517

GEOMETRIA ALUSTART100

ALUSTART120

100

120

28

28

ALUSTART35 35 90

90

38

38

38

10 14 14 12 5 40

Ø31

Ø14

38

100

CÓDIGO

200

B

H

L

nv Ø5

nH Ø14

[mm]

[mm]

[mm]

[pçs�]

[pçs�]

ALUSTART100

100

90

2400

171

12

ALUSTART120

120

90

2400

171

12

ALUSTART35

35

38

2400

-

-

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | ALU START | 269


INSTALAÇÃO | MADEIRA O ALU START é um peril de alumínio extrudido pensado para alojar as paredes e resolver a ligação fundação-parede de madeira� O peril é certiicado para resistir a todas as tensões típicas de uma parede de madeira, ou seja, F1, F2/3, F4 e F5� Os peris ALU START, em ambos os tamanhos, foram concebidos para se adaptarem a paredes em CLT com 100 e 120 mm de espessura ( A )� A utilização da extensão lateral ALUSTART35 permite o uso com paredes de maior espessura, em CLT (

B

) e TIMBER FRAME (

a

a. folha de contraventamento

b

b. montante

c

A

B

C

)�

c. travessa

C

A extensão lateral ALUSTART35 é facilmente inserida nos peris ALUSTART100 e ALUSTART120� O peril composto é bloqueado no lugar por duas cavilhas ALUSPIN a inserir nas extremidades�

ESCOLHA DO PERFIL peril

base do peril

espessura mínima da parede

[mm]

CLT

TIMBER FRAME

ALUSTART100

100

100 mm

-

ALUSTART120

120

120 mm

montante 100 mm + folha ≥ 20 mm

ALUSTART100 + ALUSTART35

135

140 mm

montante 120 mm + folha ≥ 15 mm

ALUSTART120 + ALUSTART35

155

160 mm

montante ≥ 140 mm + folha ≥ 15 mm

270 | ALU START | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS


INSTALAÇÃO | MADEIRA PREGAGEM Os peris ALU START podem ser utilizados para diferentes sistemas de construção (CLT/TIMBER FRAME)� Dependendo da tecnologia de construção, podem ser adotadas pregagens diferentes de acordo com as distâncias mínimas�

DISTÂNCIAS MÍNIMAS MADEIRA distâncias mínimas

C/GL CLT

pregos

parafusos

LBA Ø4

LBS Ø5

a4,t

[mm]

≥ 28

-

a3,t

[mm]

≥ 60

-

a4,t

[mm]

≥ 28

≥ 30

• C/GL: distâncias mínimas para madeira maciça ou lamelada em conformidade com a norma EN 1995-1-1, de acordo com a ETA, considerando uma massa volúmica dos elementos de madeira de ρ k ≤ 420 kg/m3 . • CLT: distâncias mínimas para Cross Laminated Timber de acordo com a ÖNORM EN 1995-1-1 (Anexo K) para pregos e a ETA-11/0030 para parafusos.

PREGAGEM PARCIAL PARA PREGOS EM MADEIRA MACIÇA (C) OU MADEIRA LAMELADA (GL) a3,t

a4,t

PREGAGEM TOTAL EM CLT a4,t

a4,t

PREGAGEM PARCIAL EM CLT a4,t

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | ALU START | 271


INSTALAÇÃO | BETÃO A ixação dos peris ALU START no betão deve ser efetuada com um número de ancorantes adequado às cargas de projeto� É possível colocar as buchas em todos os furos ou escolher entre-eixos de instalação maiores�

200

400

Detalhes da fase de montagem na secção “POSICIONAMENTO”�

SISTEMAS DE LIGAÇÃO ADICIONAIS A geometria do ALU START permite utilizar sistemas de ligação adicionais, como o TITAN TCN e o WHT, mesmo com uma camada de nivelamento entre o peril e a fundação� Para a instalação do TITAN TCN estão disponíveis pregagens parciais certiicadas que permitem a colocação de uma espessura de argamassa de assentamento até 30 mm� Para os valores estáticos e pregagens dos angulares TITAN TCN e dos retentores WHT, consultar as respetivas páginas deste catálogo�

F2/3 ALU START

≤ 30

272 | ALU START | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS

≤ 30


POSICIONAMENTO A montagem prevê a utilização de gabaritos especiais JIG START para o nivelamento altimétrico dos peris, para a ligação linear e para a realização de ângulos de 90°�

1

2

3

4

Os gabaritos JIGSTARTI podem ligar dois peris consecutivos e devem ser posicionados em ambos os lados do ALUSTART, sem restrições de posicionamento ao longo do desenvolvimento� Os gabaritos JIGSTARTL podem ser utilizados para a ligação angular de 90°� Cada gabarito possui um parafuso de cabeça sextavada, que permite a regulação altimétrica dos peris de alumínio�

JIGSTARTI

JIGSTARTL

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | ALU START | 273


MONTAGEM

1

Posicionamento preliminar dos peris na superfície de colocação, utilizando os gabaritos e eventual corte à medida dos elementos�

49

2,4

,9 717

≤ 40 mm

≤ 20 mm

877,1

2

Rastreamento planimétrico deinitivo com veriicação de comprimentos e diagonais�

3

Nivelamento longitudinal das hastes ALU START�

5

Realização da eventual cofragem com ripas de madeira�

274 | ALU START | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS

Regulação precisa com gabaritos JIG START do comprimento total da parede, compensando as tolerâncias do eventual corte à medida dos peris�

4

Nivelamento lateral das hastes�

6

Realização da eventual camada de assentamento entre o peril e o suporte de betão�


7

8

Inserção dos ancorantes para betão seguindo as instruções de colocação do ancorante�

9

Remoção dos gabaritos JIG START, que podem ser reutilizados�

10

Posicionamento das paredes de madeira�

Fixação dos peris utilizando pregos ou parafusos�

QUER SABER MAIS? Para mais informações técnicas sobre o produto ALU START, consultar a icha técnica em www�rothoblaas�pt�

F1 F4

F1 F5

F2

F3

-15,0°C

0°C

19,5°C

DESEMPENHO ESTÁTICO

DESEMPENHO TERMOHIGROMÉTRICO

Valores estáticos do lado da madeira e do lado do betão certiicados de acordo com a ETA�

Modelação e cálculo de pontes térmicas lineares com o software FEM�

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | ALU START | 275


SLOT

ETA 19/0167

CONECTOR PARA PAINÉIS ESTRUTURAIS PAINEL MONOLÍTICO Permite ligações de elevadíssima rigidez e é capaz de transferir forças de corte excecionais entre os painéis� Ideal para paredes e lajes�

FÁCIL DE MANUSEAR A forma em cunha facilita a inserção na fresagem� A geometria alveolar maximiza a resistência� Em alumínio, é leve e fácil de manusear�

VELOCIDADE DE COLOCAÇÃO Possibilidade de montagem com parafusos auxiliares inclinados que facilitam o aperto recíproco entre os painéis� Excelente performance: um conector pode substituir até 60 parafusos Ø6�

CARATERÍSTICAS FOCUS

ligações de paredes e lajes

PAINÉIS

espessura de 90 a 160 mm

RESISTÊNCIA

Rv,k de 35 a 120 kN

FIXAÇÕES

HBS

VÍDEO Digitalize o QR Code e assista ao vídeo no nosso canal YouTube

MATERIAL Chapa furada tridimensional em liga de alumínio�

CAMPOS DE APLICAÇÃO Ligação de painéis para paredes e lajes • CLT, LVL • madeira lamelar

276 | SLOT | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS


MULTI-STOREY Ideal para ligações de paredes e lajes dos edifícios multi-pisos� Permite restaurar no estaleiro os painéis fabricados na fábrica com pequenas dimensões para necessidades de transporte�

GLULAM, CLT, LVL Marcação CE conforme ETA� Valores testados, certiicados e calculados também em madeira lamelada, CLT, LVL Softwood e LVL Hardwood�

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | SLOT | 277


CÓDIGOS E DIMENSÕES CÓDIGO

L

pçs

[mm] SLOT90

120

10 L

MATERIAL E DURABILIDADE

FORÇAS

SLOT: liga de alumínio EN AW-6005A� Utilização em classes de serviço 1 e 2 (EN 1955-1-1)�

Tensões de corte na superfície do painel� FORZE

CAMPOS DE EMPREGO Fv

• Painéis CLT • Painéis em madeira lamelada • Painéis em LVL softwood com folheados cruzados ou paralelos • Painéis em LVL hardwood com folheados cruzados ou paralelos

Fv

PRODUTOS ADICIONAIS - FIXAÇÕES tipo

descrição

d

L

[mm]

[mm]

HBS

parafuso HBS

6

120

HBS

parafuso HBS

8

140

suporte

Para mais detalhes, consultar o catálogo “Parafusos e conectores para madeira”�

GEOMETRIA CONECTOR

B

L

Hwedge

H

H

B

L

B

H

Hwedge

L

nscrews

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[pçs�]

89

40

34

120

2

Os parafusos são facultativos e não estão incluídos na embalagem�

278 | SLOT | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS


GEOMETRIA FRESAGEM NO PAINEL PAINEL COM BORDA ROSCADA

PAINEL COM BORDA PLANA

bslot

bslot

tpanel

tpanel

bslot

bslot

hslot

hslot

tpanel

lslot

lslot

tpanel

lslot

hslot (1)

bslot,min

lslot,min

tpanel,min

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

90

60

90

40 ± 0,5

INSTALAÇÃO PAINEL COM BORDA ROSCADA

PAINEL COM BORDA PLANA

tgap

tgap bin

te

bin

te

te bin

tgap

te tgap,max(2)

te bin

tgap

te

te

te

bin,max

te,min

[mm]

[mm]

[mm]

5

tpanel-90 (3)

57,5

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | SLOT | 279


UTILIZAÇÃO DO CONECTOR COMO EQUIPAMENTO DE MONTAGEM O conector também pode ser utilizado como equipamento de montagem, graças à sua forma em cunha e à presença de parafusos�

01

02

03

04

05

06

DISTÂNCIAS MÍNIMAS PAREDE

LAJE

a3,t a3,t

a1 a1

a1 a1 a3,t

a1

a3,t

CLT

a1

[mm]

320 (4)

a3,t

[mm]

320 (4)

madeira lamelada

LVL folheados cruzados

folheados paralelos

320 (4)

480

480

320 (4)

480

480

280 | SLOT | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS


VALORES ESTÁTICOS

∑d0(6) =

CLT(5)

kser

[kN]

[kN/mm]

40

[mm]

34,37

45

[mm]

37,81

49

[mm]

40,57

50

[mm]

41,26

55

[mm]

44,70

59

[mm]

47,46

60

[mm]

48,15

65

[mm]

51,59

69

[mm]

54,35

folheados cruzados(7)

d0,a

Rv,k

d0,b

17,50

d0,a

d0,b

d0,c

52,72

LVL softwood

24,00 folheados paralelos(8)

70,97

folheados cruzados(9)

125,71

LVL hardwood

48,67 folheados paralelos(10)

madeira lamelada(11)

116,59

68,13

25,67

∑d0 = d0,a + d0,b + d0,c

NOTAS:

PRINCÍPIOS GERAIS:

(1)

• Os valores característicos são conforme a norma EN 1995-1-1, de acordo com ETA-19/0167�

A tolerância recomendada de ±0,5 mm deve ser considerada como indicativa� Uma fresagem com hslot insuiciente pode diicultar a inserção do conector; uma fresagem com h slot excessiva pode diminuir a rigidez inicial da ligação� Antes de cortar o primeiro lote de painéis, é recomendável fazer fresagens de teste para veriicar a qualidade das fresagens efetuadas pela maquinaria especíica utilizada para o corte dos painéis�

(2)

O espaço entre os painéis deve ser considerado no cálculo da resistência do conector; para o cálculo, consultar a ETA-19/0167� O espaço entre os painéis pode eventualmente conter um material de enchimento�

(3)

O conector pode ser instalado em qualquer posição dentro da espessura do painel�

(4)

Para CLT e LVL com folheados cruzados, no caso de instalação com a1 < 480 mm ou a3,t < 480 mm, a resistência é reduzida com um coeiciente ka1 , como previsto na ETA-19/0167�

ka1 = 1 - 0,001 (5)

(6)

480 - min a1 ; a3,t

Valores calculados de acordo com a ETA-19/0167 e válidos na Classe de Serviço 1 de acordo com a EN 1995-1-1� No cálculo foram considerados os seguintes parâmetros: fc,0k = 24 MPa, ρ k =350 kg/m3 , tgap= 0 mm, a1 ≥ 480 mm, a3,t ≥ 480 mm�

O parâmetro ∑d 0 corresponde à espessura cumulativa das camadas paralelas a Fv, dentro da espessura B do conector (ver imagem)�

(7)

Valores calculados de acordo com a ETA-19/0167� No cálculo foram considerados os seguintes parâmetros: fc,0k = 26 MPa, ρ k = 480 kg/m3 , tgap = 0 mm, a1 ≥ 480 mm, a3,t ≥ 480 mm�

(8)

Valores calculados de acordo com a ETA-19/0167� No cálculo foram considerados os seguintes parâmetros: fc,0k =35 MPa, ρk = 480kg/m3, tgap = 0 mm�

(9)

Valores calculados de acordo com a ETA-19/0167� No cálculo foram considerados os seguintes parâmetros: fc,0k = 62 MPa, ρ k = 730 kg/m3 , tgap = 0 mm, a1 ≥ 480 mm, a3,t ≥ 480 mm�

(10)

Valores calculados de acordo com a ETA-19/0167� No cálculo foram considerados os seguintes parâmetros: fc,0k = 57,5 MPa, ρ k = 730 kg/m3 , tgap = 0 mm�

(11)

Valores calculados de acordo com a ETA-19/0167 e válidos na Classe de Serviço 1 de acordo com a EN 1995-1-1� No cálculo foram considerados os seguintes parâmetros: fc,0k = 24 MPa, ρ k = 385 kg/m3 , tgap = 0 mm�

• Os valores de projeto são obtidos a partir dos valores característicos, desta forma: Os coeicientes γ M e kmod devem ser considerados em função da norma vigente utilizada para o cálculo�

Rd =

Rk kmod γM

A dimensão e a veriicação dos elementos de madeira devem ser feitas à parte� • Os valores de resistência do sistema de ixação são válidos para as hipóteses de cálculo deinidas em tabela� Para conigurações de cálculo diferentes, está disponível gratuitamente o software MyProject (www�rothoblaas�pt)� • O conector pode ser utilizado para ligações entre elementos de madeira lamelada, CLT e LVL ou elementos semelhantes colados� • A superfície de contacto entre os painéis pode ser plana ou em forma de “macho-fêmea”, ver a imagem na secção INSTALAÇÃO� • Deve ser utilizados, no mínimo, dois conectores numa ligação� • Os conectores devem ser inseridos com a mesma profundidade de penetração (te) em ambos os membros a ixar� • Os dois parafusos inclinados são facultativos e não têm qualquer inluência no cálculo da resistência e rigidez�

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | SLOT | 281


LIGAÇÕES DE CORTE ENTRE PAINÉIS CLT | RIGIDEZ PAREDES CLT MULTIPAINEL COM RETENTOR NAS EXTREMIDADES COMPORTAMENTO COM PAREDE SIMPLES

F

Existem dois comportamentos rotacionais possíveis da parede CLT, multipainel, determinados por múltiplos parâmetros� Em condições idênticas, pode dizer-se que a relação de rigidez kv/khdetermina o comportamento rotacional da parede, em que:

COMPORTAMENTO COM PAINÉIS ACOPLADOS

F

q F

• kv= rigidez total de corte da ligação entre os painéis;

kv

kv

• kh= rigidez de tração do retentor� Em condições idênticas, pode dizer-se que, para valores elevados de kv/kh (ou seja, para valores elevados de kv) o comportamento cinemático da parede tende a aproximar-se do comportamento da parede simples� Uma parede deste tipo é muito mais fácil de projetar do que uma parede com um comportamento de painéis acoplados, devido à simplicidade da modelação�

kh

LAJES CLT MULTIPAINEL A distribuição das forças horizontais (sismo ou vento) da laje para as paredes inferiores depende da rigidez da laje no seu próprio plano� Uma laje rígida permite a transmissão de forças horizontais externas às paredes subjacentes com comportamento de diafragma� O comportamento do diafragma rígido é muito mais fácil de projetar do que uma laje deformável no seu próprio plano, devido à simplicidade na esquematização estrutural da laje� Além disso, muitas normas sísmicas internacionais exigem a presença de um diafragma rígido como requisito para obter a regularidade na planta do construção e, portanto, uma melhor resposta sísmica do edifício�

A VANTAGEM DE UMA RIGIDEZ ELEVADA E CERTIFICADA POR TESTES A utilização do conector SLOT, caracterizado por elevados valores de rigidez e resistência, apresenta vantagens indiscutíveis, tanto no caso da parede CLT multipainel, como no caso da laje de diafragma� Estes valores de resistência e rigidez são validados experimentalmente e certiicados de acordo com a ETA-19/0167; isto signiica que o projetista dispõe de dados certiicados, precisos e coniáveis�

282 | SLOT | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS


COMPARAÇÃO EXPERIMENTAL ENTRE SISTEMAS DE LIGAÇÃO

Em 2019, foi realizada uma campanha experimental em paredes à escala real nos laboratórios da CNR-IBE em S�Michele All'Adige� O objetivo da campanha é determinar o comportamento rotacional das paredes multipainel, montadas utilizando diferentes sistemas de ligação� Os testes são do tipo monotónico em controlo do deslocamento�

TEST 1A: SINGLE PANEL WHT340

TEST 2A: 2 SLOT CONNECTORS

3,75 m

1,25 m

1,25 m

1,25 m

F

F

2,40 m WHT340

WHT340

2,40 m

TEST 3: SPLINE JOINT

1,25 m

1,25 m

TEST 4: HALF-LAP JOINT

1,25 m

1,25 m

F

1,25 m

1,25 m

F

WHT340

2,40 m

WHT340

2,40 m

2 x HBS Ø6 x 70 spacing 50 mm

HBS Ø8 x 100 spacing 100 mm

TEST 1B: SINGLE PANEL WHT620

TEST 2B: 4 SLOT CONNECTORS

3,75 m

1,25 m

1,25 m

1,25 m

WHT620

2,40 m

WHT620

F

F

2,40 m

Foram realizadas duas séries de testes, a primeira ixando a parede ao chão através de 1 WHT340 com anilha e 20 pregos Anker Ø4 x 60: • TEST 1A: painel completo� • TEST 2A: três painéis ligados entre si com 2 conectores SLOT� • TEST 3: três painéis ligados entre si com cobre-junta em LVL e pares de parafusos HBS Ø6 x 70 com entre-eixo de 50 mm (88 parafusos de ligação)� • TEST 4: três painéis ligados entre si com meia-madeira e parafusos HBS Ø8 x 100 com entre-eixo 100 mm (22 parafusos de ligação)� Na segunda série de testes, as paredes são ixadas ao chão através de 1 WHT620 com anilha e 55 pregos Anker Ø4 x 60: • TEST 1B: painel completo� • TEST 2B: três painéis ligados entre si com 4 conectores SLOT para cada ligação� Na página seguinte são apresentadas comparações experimentais�

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | SLOT | 283


COMPARAÇÃO EXPERIMENTAL ENTRE SISTEMAS DE LIGAÇÃO COMPARAÇÃO SLOT - PAINEL SIMPLES 180

150 120 F [kN]

90 δ

60

SINGLE PANEL WHT340

F

2 SLOT CONNECTORS

30

SINGLE PANEL WHT620 4 SLOT CONNECTORS

0 0

5

10

15

20

25

δ [mm]

O gráico mostra a comparação entre o painel simples e os painéis ligados com o conector SLOT� Ambos os testes com os conectores SLOT apresentam um comportamento marcado de parede simples, com um único ponto de rotação situado na borda comprimida da parede� Os conectores SLOT permaneceram no campo elástico em ambos os testes, enquanto que o retentor partiu� As paredes ligadas com o conector SLOT mostram uma perda de rigidez de 20-30% em comparação com o painel simples� Ao aumentar o número de conectores, é possível aproximar ainda mais a rigidez da parede multipainel da rigidez correspondente do painel simples. Por exemplo, numa parede de 2,40 m de altura é possível colocar até, no máximo, 6 SLOT por ligação, triplicando a rigidez dos nós verticais para a coniguração 2A�

COMPARAÇÃO SLOT - SPLINE JOINT - HALF LAP JOINT 180

150 120 F [kN]

90 δ

60

F 2 SLOT CONNECTORS

30

SPLINE JOINT HALF LAP JOINT

0 0

5

10

15

20

25

δ [mm]

O gráico mostra uma comparação entre o teste 2A (2 conectores SLOT) e os outros sistemas de ligação (testes 3 e 4)� Os testes foram concebidos para representar dois casos-limite: • no TEST 2A, utilizando o número mínimo de conectores SLOT (2 conectores); • nos TEST 3 e 4, utilizando um número muito elevado de parafusos (22 parafusos para a half-lap joint e 88 parafusos para a spline joint)� A parede ligada com 2 conectores SLOT, consegue exibir um comportamento comparável ao de paredes ligadas com um número muito elevado de parafusos� Isto signiica que se o projetista quiser aproximar ainda mais o comportamento da parede multipainel do comportamento do painel simples, o sistema SLOT tem amplas margens em termos de aumento de rigidez, enquanto os outros sistemas de ligação testados já atingiram o seu limite máximo de rigidez devido à diiculdade em reforçar ainda mais os parafusos�

284 | SLOT | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS


COMPARAÇÃO ANALÍTICA ENTRE SISTEMAS DE LIGAÇÃO ENTRE-EIXOS AUMENTADOS sistema de ligação

número de conectores

entre-eixo

Rv,k

[mm]

[kN]

SLOT

2

967

81,1

HALF-LAP

14

200

42,6

SPLINE JOINT

56

100

60,9

número de conectores

entre-eixo

Rv,k

[mm]

[kN]

ENTRE-EIXOS REDUZIDOS sistema de ligação

SLOT

4

580

162,3

HALF-LAP

28

100

73,1

SPLINE JOINT

114

50

70,1

Os valores de resistência são calculados de acordo com a ETA-19/0167, ETA-11/0030 e EN 1995-1-1�

As tabelas mostram uma comparação em termos de resistência entre os três tipos de ligação� Para o cálculo foi utilizado um painel de parede com 2,9 m de altura� Na tabela ENTRE-EIXOS AUMENTADOS, foram utilizados entre-eixos de 200 mm e 100 mm para a half-lap joint e a spline joint, respetivamente� Para o conector SLOT foi utilizado um entre-eixo de aproximadamente 1 m; neste caso, as ligações com parafusos oferecem resistências muito inferiores às do conector SLOT� Como pode ser visto na tabela ENTRE-EIXOS REDUZIDOS, reduzindo para metade o entre-eixo dos parafusos (e, portanto, duplicando o número de parafusos) não é possível alcançar a resistência oferecida apenas pelos dois conectores SLOT do caso anterior, devido à redução da resistência dada pelo número efetivo� Utilizando 4 conectores SLOT, também é possível alcançar valores de resistência muito difíceis de alcançar com parafusos� Isto signiica que não é possível alcançar elevados valores de resistência da ligação com ligações tradicionais�

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | SLOT | 285


CONECTORES SPIDER E PILLAR O conector SPIDER é o resultado de uma ideia nascida no seio da Arbeitsbereich für Holzbau da Universidade de Innsbruck e materializada através de uma estreita colaboração com a Rothoblaas� O ambicioso projeto de investigação, coinanciado pela Österreichische Forschungsförderungsgesellschaft (FFG), levou ao desenvolvimento, pela primeira vez no mundo, de um conector metálico para a construção de lajes planas em CLT com suporte pontual� A campanha experimental permitiu o desenvolvimento de 10 modelos, adaptados a diferentes aplicações� O conector PILLAR é uma versão simpliicada do conector SPIDER, adequado para pilares com entre-eixos mais pequenos; pode adaptar-se com versatilidade a diferentes tipos de aplicações�

SPIDER COMPONENTES

FIXAÇÕES

parafuso de cabeça escareada M16/M20 parafusos pilar superior VGS Ø11

chapa superior disco cone

parafusos SPBOLT Ø12

braços (6 peças)

parafusos inclinados VGS Ø9

cilindro

parafusos de reforço (opcionais) VGS Ø9

chapa inferior

parafusos pilar inferior VGS Ø11

PILLAR COMPONENTES

FIXAÇÕES

parafuso de cabeça escareada M16/M20 parafusos pilar superior VGS Ø11

chapa superior disco

parafusos SPBOLT Ø12 chapa de fixação

cilindro CHAPA DE DISTRIBUIÇÃO (opcional)

parafusos de fixação HBS PLATE Ø8 parafusos de reforço (opcionais) VGS Ø9

XYLOFON WASHER (opcional) chapa inferior

286 | CONECTORES SPIDER E PILLAR | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS

parafusos pilar inferior VGS Ø11


TABELAS DE PRÉ-DIMENSIONAMENTO espessura da laje CLT [mm] 200

220

240

280

160 + 160

Fco,up,d + Fslab,d Fco,up,d + Fslab,d Fco,up,d + Fslab,d Fco,up,d + Fslab,d Fco,up,d + Fslab,d Fco,up,d + Fslab,d Fco,up,d + Fslab,d

[kN]

[kN]

[kN]

[kN]

[kN]

[kN]

[kN]

SPI60S

345

+ 296

290

+ 349

240

+

401

185

+ 454

135

+ 506

135

+ 506

245

+ 394

SPI80S

630

+ 296

575

+ 349

525

+

401

470

+ 454

420

+ 506

420

+ 506

530

+ 394

SPI80M

920

+ 296

865

+ 349

815

+

401

760

+ 454

710

+ 506

710

+ 506

820

+ 394

SPI80L

1215

+ 296

1185 + 349

1135 +

401

1080 + 454

1030 + 506

1030 + 506

1140 + 394

SPI100S

1515

+ 296

1515 + 349

1515 +

401

1515 + 454

1475 + 506

1475 + 506

1515 + 394

SPI100M

1965 + 296

1930 + 349

1895 +

401

1855 + 454

1820 + 506

1820 + 506

2030 + 394

SPI120S

2490 + 296 2440 + 349

2385 +

401

2335 + 454

2280 + 506

2280 + 506

2395 + 394

SPI120M

2855 + 296

2855 + 349

2855 +

401

2855 + 454

2855 + 506

2855 + 506

2855 + 394

SPI100L

3805 + 296 3805 + 349

3805 +

401

3805 + 454

3805 + 506

3805 + 506

3805 + 394

SPI120L

4840 + 296 4840 + 349

4840 +

401

4840 + 454

4840 + 506

4840 + 506

4840 + 394

GL32h

180

LVL FAGGIO

160

AÇO

MODELO

PILARES

RESISTÊNCIAS DE PROJETO CONECTOR SPIDER

RESISTÊNCIAS DE PROJETO CONECTOR PILLAR

200

220

240

Fco,up,d + Fslab,d Fco,up,d + Fslab,d Fco,up,d + Fslab,d Fco,up,d + Fslab,d Fco,up,d + Fslab,d

[kN]

[kN]

[kN]

[kN]

Fslab,d

[kN]

PIL60S

470

+ 132

470

+

145

470

+

157

470

+

157

470

+

184

PIL80S

815

+ 167

815

+

181

815

+

195

815

+

195

815

+

225

PIL80M

1005 + 208

990

+

223

975

+

239

975

+

239

940

+

272

PIL80L

1325

+ 208

1310 +

223

1295 +

239

1295 +

239

1265 +

272

PIL100S

1515

+ 162

1515 +

175

1515 +

190

1515 +

190

1515 +

220

PIL100M

2205 + 202

2205 +

218

2205 + 234

2205 + 234

2205 +

266

PIL120S

2675

+ 196

2660 +

211

2645 +

227

2645 +

227

2610 + 260

PIL120M

3200 + 196

3185 +

211

3170 +

227

3170 +

227

3140 + 260

PIL100L

4435 + 202

4435 +

218

4435 + 234

4435 + 234

4435 +

PIL120L

5480 + 196

5480 +

211

5480 +

5480 +

5480 + 260

227

Fco,up,d

227

266

GL32h

180

PILLAR LVL FAGGIO

160

PILARES

SPIDER

espessura da laje CLT [mm]

Fco,up,d

Fslab,d AÇO

MODELO

NOTAS: As resistências apresentadas na tabela referem-se aos valores de projeto, calculados de acordo com EN 1993-1-1, EN 1993-1-12 e EN 1995-1-1 considerando uma carga de classe de duração média (kmod=0,8)� Por razões de segurança, foi considerada uma altura da laje CLT de 320 mm�

Os valores apresentados na tabela devem ser considerados como valores de pré-dimensionamento do conector� A veriicação estrutural deve ser realizada de acordo com as tabelas das páginas seguintes� A dimensão e a veriicação dos elementos de madeira devem ser feitas à parte�

Todas as resistências se referem à situação “com reforço”� Para o conector PILLAR, a coniguração apresentada é a que tem suporte central (ver o capítulo especíico)�

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | CONECTORES SPIDER E PILLAR | 287


ÁBACO DE PRÉ-DIMENSIONAMENTO O ábaco pode ser utilizado para uma primeira seleção do conector a utilizar em cada posição e para cada piso� No ábaco, cada coluna refere-se a uma área de inluência Ai diferentes do pilar em questão, enquanto cada linha se refere a um nível diferente, a numeração dos níveis é feita a partir da laje de cobertura e descendo� Cruzando a área de inluência e o nível, é possível determinar o conector mais adequado a cada nível� O cálculo é realizado tendo com referência uma carga de projeto na laje no Último Estado Limite de 8,0 kN/m2 com classe de duração da carga média (kmod=0,8)� A escolha deinitiva e a veriicação estrutural devem ser efetuadas de acordo com as tabelas das páginas seguintes� A dimensão e a veriicação dos elementos de madeira devem ser feitas à parte� As cores das diferentes células permitem determinar o material mais adequado para a construção do pilar sobre o qual assenta o conector SPIDER ou PILLAR� Em qualquer caso, um cálculo mais reinado, bem como a escolha de um tipo de pilar diferente, podem ser realizados de acordo com as tabelas das páginas seguintes�

Pilar de madeira lamelada Pilar de LVL hardwood Pilar de aço

EXEMPLO No que respeita ao edifício de 5 pisos mostrado no desenho e à série de pilares destacada, presume-se uma área de inluência de aproximadamente 40 m2� Numa primeira análise, os conectores e pilares a utilizar são os seguintes:

Laje Laje Laje Laje

1

2

3

4

conector SPI60S em pilar de madeira lamelada conector SPI80S em pilar de madeira lamelada conector SPI80M em pilar de madeira lamelada

1

Ai

2

Ai

3

Ai

4

Ai

5

conector SPI80L em pilar de madeira lamelada Ai

Laje

5

conector SPI100S em pilar de LVL hardwood

Ai

L1 2 L1

L2 2

L2

Esquema das áreas de inluência da laje�

288 | CONECTORES SPIDER E PILLAR | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS


loor number

ÁBACO DE PRÉ-DIMENSIONAMENTO Ai [m2] 10

15

20

25

30

35

40

45

50

1

PIL60S

PIL60S

PIL80S

PIL80M

SPI60S

SPI60S

SPI60S

SPI60S

SPI60S

2

PIL60S

PIL60S

PIL80S

PIL80M

SPI80S

SPI80S

SPI80S

SPI80S

SPI80S

3

PIL60S

PIL60S

PIL80S

PIL80M

SPI80S

SPI80M

SPI80M

SPI80L

SPI80L

4

PIL60S

PIL60S

PIL80S

PIL80M

SPI80M

SPI80L

SPI80L

SPI100S

SPI100S

5

PIL60S

PIL80S

PIL80S

PIL80M

SPI80L

SPI80L

SPI100S

SPI100S

SPI100M

6

PIL60S

PIL80S

PIL80S

PIL80L

SPI100S

SPI100S

SPI100M

SPI100M

SPI120S

7

PIL80S

PIL80S

PIL80M

PIL80L

SPI100S

SPI100M

SPI120S

SPI120S

SPI120M

8

PIL80S

PIL80M

PIL80L

PIL100M

SPI100M

SPI120S

SPI120S

SPI120M

SPI120M

9

PIL80S

PIL80M

PIL80L

PIL100M

SPI120S

SPI120S

SPI120M

SPI100L

SPI100L

10

PIL80S

PIL80L

PIL100S

PIL100M

SPI120S

SPI120M

SPI100L

SPI100L

SPI100L

11

PIL80S

PIL80L

PIL100M

PIL100M

SPI120M

SPI120M

SPI100L

SPI100L

SPI120L

12

PIL80M

PIL100S

PIL100M

PIL100M

SPI120M

SPI100L

SPI100L

SPI120L

SPI120L

13

PIL80M

PIL100S

PIL100M

PIL120S

SPI100L

SPI100L

SPI120L

SPI120L

SPI120L

14

PIL80L

PIL100M

PIL100M

PIL120S

SPI100L

SPI100L

SPI120L

SPI120L

-

15

PIL80L

PIL100M

PIL120S

PIL120M

SPI100L

SPI120L

SPI120L

-

-

16

PIL80L

PIL100M

PIL120S

PIL120M

SPI100L

SPI120L

SPI120L

-

-

17

PIL80L

PIL100M

PIL120S

PIL100L

SPI120L

SPI120L

-

-

-

18

PIL100S

PIL100M

PIL120M

PIL100L

SPI120L

SPI120L

-

-

-

19

PIL100S

PIL100M

PIL120M

PIL100L

SPI120L

-

-

-

-

20

PIL100M

PIL120S

PIL120M

PIL100L

SPI120L

-

-

-

-

21

PIL100M

PIL120S

PIL100L

PIL100L

SPI120L

-

-

-

-

22

PIL100M

PIL120S

PIL100L

PIL100L

-

-

-

-

-

23

PIL100M

PIL120S

PIL100L

PIL100L

-

-

-

-

-

24

PIL100M

PIL120M

PIL100L

PIL120L

-

-

-

-

-

25

PIL100M

PIL120M

PIL100L

PIL120L

-

-

-

-

-

26

PIL100M

PIL120M

PIL100L

PIL120L

-

-

-

-

-

27

PIL100M

PIL120M

PIL100L

PIL120L

-

-

-

-

-

28

PIL100M

PIL100L

PIL100L

PIL120L

-

-

-

-

-

29

PIL120S

PIL100L

PIL120L

-

-

-

-

-

-

30

PIL120S

PIL100L

PIL120L

-

-

-

-

-

-

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | CONECTORES SPIDER E PILLAR | 289


MODALIDADES DE CONSTRUÇÃO DA LAJE É possível identiicar duas modalidades diferentes de colocação do SPIDER e duas para o conector PILLAR� É possível adotar soluções mistas em que, na mesma laje, são utilizados ambos os conectores, de forma a otimizar o desempenho e os custos� SPIDER LAJE DE CHAPA

PAINÉIS CRUZADOS

m ,0 ~6

0m ~7, 0m ~7,

m ,0 ~6

~7,0 m

~6,0

m

entre-eixo máximo entre os pilares

saguão sistemas no intradorso

beneicia do comportamento bidimensional do painel

sem ligações de momento

PILLAR APOIOS CENTRAIS

APOIOS DE BORDA/ÂNGULO

0m ~7,

0m ~7, 0m ~7,

0m ~7,

~3,5 m

~3,5 m ~3,5 m

~3,5 m

~3,5 m

menos pilares do que os apoios de borda/ângulo

sem escoramentos

paredes externas sem pilares

sem ligações de momento

SPIDER + PILLAR

0m ~7, 0m ~7,

O conector PILLAR pode ser utilizado em conjunto com o conector SPIDER nos apoios submetidos a menos tensão ou nas zonas das bordas e ângulos, para otimizar o desempenho e os custos� Esta solução permite uma maior liberdade arquitetónica no posicionamento dos pilares na planta�

~7,0 m ~7,0 m

máxima liberdade arquitetónica no posicionamento dos pilares SPIDER PILLAR

otimização do desempenho e dos custos

290 | CONECTORES SPIDER E PILLAR | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS


TENSÕES NAS LIGAÇÕES ENTRE PAINÉIS CLT O comportamento da chapa da laje CLT pode ser alcançado através de ligações especiais resistentes ao momento� As ligações, normalmente posicionadas a 1/4 do vão para o sistema SPIDER COM LAJE DE CHAPA nunca estão sujeitas ao momento máximo de tensão� No caso do sistema PILLAR COM APOIOS CENTRAIS, as ligações são posicionadas aproximadamente na linha central, onde o momento é reduzido devido ao entre-eixos reduzido entre os pilares� Nos esquemas seguintes são apresentadas as seções verticais numa série de pilares�

SPIDER COM LAJE DE CHAPA

PILLAR COM APOIOS CENTRAIS

Mmax-

Mmax-

Mmax+

Mmax+

Vmax-

Vmax-

Vmax+

Vmax+

LIGAÇÃO ESPECIAL ENTRE PAINÉIS CLT

Ligação de momento realizada com chapas de aço coladas em fresagens verticais no painel� A geometria da ligação garante uma resistência ao momento positivo e negativo, adaptando-se às tensões envolventes típicas� A utilização de um material de alto desempenho como o aço em combinação com resina epoxídica garante um excelente desempenho em termos de resistência e rigidez à lexão�

M-

MV-

V-

M+

M+ V+

V+

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | CONECTORES SPIDER E PILLAR | 291


SPIDER

ETA 19/0700

SISTEMA DE LIGAÇÃO E REFORÇO PARA PILARES E LAJES EDIFÍCIOS MULTI-PISOS Permite realizar edifícios multi-pisos com estrutura pilar-laje� Certiicado, calculado e otimizado para pilares de madeira lamelada, LVL, aço e betão armado� Novos horizontes arquitetónicos e estruturais�

PILAR-PILAR O núcleo central de aço do sistema impede que os painéis CLT sejam esmagados e permite que mais de 5000 kN de força vertical sejam transferidos entre pilares�

SISTEMA DE REFORÇO PARA CLT Os braços do sistema asseguram o reforço do puncionamento dos painéis em CLT, permitindo valores excecionais de resistência ao corte� Distância das colunas superior a 7,0 x 7,0 m de malha estrutural�

CARATERÍSTICAS FOCUS

edifícios multi-pisos

PILARES

de 200 x 200 mm a 280 x 280 mm

MALHA ESTRUTURAL

superior a 7,0 x 7,0 m

RESISTÊNCIA

Rk compressão superior a 5000 kN

VÍDEO Digitalize o QR Code e assista ao vídeo no nosso canal YouTube

MATERIAL Aço S355-S690 com eletrogalvanização�

CAMPOS DE APLICAÇÃO Edifícios multi-pisos com sistema pilar-laje� Pilares de madeira maciça, madeira lamelada, madeiras de alta densidade, CLT, LVL, aço e betão�

292 | SPIDER | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS


WOODEN SKYCRAPERS Sistema standard de ligação e reforço para realizar arranha-céus de madeira com sistema pilar-laje� Novas possibilidades arquitetónicas na construção�

PAINÉIS CLT CRUZADOS Excecional resistência e rigidez da estrutura com a disposição das lajes em CLT cruzadas� É possível criar folgas superiores a 6,0 x 6,0 m, mesmo sem o auxílio de nós de momento�

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | SPIDER | 293


CÓDIGOS E DIMENSÕES CONECTOR SPIDER Dtp ttp Dcyl tbp Dbp

O código é composto pela respetiva espessura do painel CLT em mm (XXX = tCLT)� SPI80MXXX para painéis CLT com XXX = tCLT = 200 mm: código SPI80M200� CÓDIGO

cilindro

chapa inferior

chapa superior

Dcyl

Dbp x tbp

Dtp x ttp

[mm]

[mm]

peso

[mm]

pçs

[kg]

SPI60SXXX

60

200 x 30

200 x 20

57,7

1

SPI80SXXX

80

240 x 30

200 x 20

66,0

1

SPI80MXXX

80

280 x 30

240 x 30

76,4

1

SPI80LXXX

80

280 x 40

280 x 30

90,3

1

SPI100SXXX

100

240 x 30

240 x 20

78,3

1

SPI100MXXX

100

280 x 30

280 x 30

90,3

1

SPI120SXXX

120

280 x 30

280 x 30

95,3

1

SPI120MXXX

120

280 x 40

280 x 40

115,3

1

SPI100LXXX

100

240 x 20

não prevista

67,9

1

SPI120LXXX

120

240 x 20

não prevista

74,7

1

O SPI60S é fornecido sem chapa superior� Esta pode ser encomendada separadamente com o código STP20020C�

XXX = tCLT [mm] 160

180

200

220

240

280

320

160 180

160

200

240

220

280

Disponível também para espessuras tCLT não presentes na tabela�

Cada código inclui os seguintes componentes:

cilindro

parafuso de cabeça escareada M16/M20 chapa superior disco (não incluída no SPI60SXXX) cone

chapa inferior

6 braços

294 | SPIDER | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS

160


CÓDIGOS E DIMENSÕES NÚMERO DE PARAFUSOS POR CONECTOR nco,up nbolts nincl nreinf

nco,down SPI60S - SPI80S - SPI100S-SPI100L - SPI120L

SPI80M - SPI80L - SPI100M - SPI120S - SPI120M

48

48

VGS Ø9

nco,up

4

4

VGS Ø11

nco,down

4

4

VGS Ø11

nincl

nbolts

4

4

SPBOLT1235

nreinf

14

16

VGS Ø9

Parafusos e parafusos de rosca métrica não incluídos na embalagem� Os parafusos de reforço nreinf são opcionais�

FORÇAS

MATERIAL E DURABILIDADE SPIDER: Aço S355-S690 com eletrogalvanização� Utilização em classes de serviço 1 e 2 (EN 1995-1-1)�

Ft

Fco,up

Fslab

CAMPOS DE EMPREGO • Lajes CLT apoiadas pontualmente em pilares • Pilares de madeira maciça, lamelada, LVL softwood ou LVL hardwood • Pilares de aço ou betão armado

Ft

PRODUTOS ADICIONAIS - FIXAÇÕES tipo

descrição

d

suporte

pág.

[mm] HBS PLATE

parafuso para madeira

VGS

conector todo-rosca

8

556

9-11

564

PARAFUSO - cabeça sextavada de aço 8.8 EN 15048 CÓDIGO

SPBOLT1235

d

L

SW

pçs

[mm]

[mm]

[mm]

M12

35

19

barra

dINT

dEXT

s

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

M12

13

24

2,5

d

SW 100

L

ULS 125 - anilha CÓDIGO

ULS13242

pçs dINT dEXT 500

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | SPIDER | 295


GEOMETRIA E MATERIAIS 830 415

415 Dtc

Dtp ttp 72

64

DCLT tCLT Dcyl

tbp A fresagem no pilar inferior é opcional

Dbp

Dbc

CONECTOR MODELO

chapa inferior Dbp x tbp

forma

cilindro material

[mm]

Dcyl

material

disco material

[mm]

chapa superior Dtp x ttp

forma

material

[mm]

SPI60S

200 x

30

S355

60

S355

S355

200 x

20

S355

SPI80S

240 x

30

S355

80

S355

S355

200 x

20

S355

SPI80M

280 x

30

S690

80

S355

S355

240 x

30

S355

SPI80L

280 x

40

S690

80

S355

S355

280 x

30

S690

SPI100S

240 x

30

S690

100

S355

S355

240 x

20

S690

SPI100M

280 x

30

S690

100

S355

S355

280 x

30

S690

SPI120S

280 x

30

S690

120

S355

S355

280 x

30

S690

SPI120M

280 x

40

S690

120

S355

S355

280 x

40

SPI100L

240 x

20

S690

100

1�7225

S690

-

SPI120L

240 x

20

S690

120

1�7225

S690

-

S690

O SPI100L e o SPI120L preveem a ixação em pilares de aço sem utilizar a chapa superior�

PILARES E PAINÉIS CLT MODELO

pilar superior

pilar inferior

painel CLT

reforço (opcional)

Dtc,min

Dbc,min

DCLT

Dreinf

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

SPI60S

200

200

80

170

14

SPI80S

200

240

100

210

14

SPI80M

240

280

100

240

16

SPI80L

280

280

100

240

16

nreinf

SPI100S

240

240

120

210

14

SPI100M

280

280

120

240

16

SPI120S

280

280

140

240

16

SPI120M

280

280

140

240

16

SPI100L

240

240

120

210

14

SPI120L

240

240

140

220

14

296 | SPIDER | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS


GEOMETRIA E MATERIAIS CARACTERÍSTICAS DOS PAINÉIS CLT Parâmetro

160 mm ≤ tCLT < 200 mm

tCLT ≥ 200 mm

EIx /EIy

0,68 - 1,46

0,84 - 1,19

GA z,x /GA z,y

0,71 - 1,40

0,76 - 1,31

Min (EIx, EIy)

1525

kNm2/m

3344 kNm2/m

Max (EIx, EIy)

2229 kNm2/m

3989 kNm2/m

Min (GA z,x, GA z,y)

11945 kNm/m

17708 kNm/m

Max (GA z,x, GA z,y)

16769 kNm/m

23261 kNm/m

≤ 40 mm

≤ 40 mm

≥ 3,5

≥ 3,5

C24/T14

C24/T14

± 2 mm

± 2 mm

Espessura das lamelas Relação largura - espessura lamelas b/t Classe de resistência mínima de acordo com a EN 338 Tolerância dimensional na espessura do painel CLT EIx, EIy

Rigidez à lexão para as direções x e y para o painel CLT com 1 m de largura

GA z,x, GA z,y

Rigidez ao corte para as direções x e y para o painel CLT com 1 m de largura

x

Direção paralela à ibra das lamelas superiores

y

Direção perpendicular à ibra das lamelas superiores

PARAFUSOS PARA O PAINEL CLT tCLT

parafusos inclinados nincl

parafusos de reforço opcionais nreinf

[mm]

[pçs - ØxL]

[pçs - ØxL]

160

48 VGS Ø9x200

VGS Ø9x100

180

48 VGS Ø9x240

VGS Ø9x100

200

48 VGS Ø9x280

VGS Ø9x100

220

48 VGS Ø9x280

VGS Ø9x120

240

48 VGS Ø9x320

VGS Ø9x120

280

48 VGS Ø9x360

VGS Ø9x140

320 (160 + 160)

48 VGS Ø9x400

VGS Ø9x160

nincl nreinf

tCLT

Regras para espessuras de painel não incluídas na tabela: - para os parafusos inclinados, utilizar o comprimento previsto para o painel de espessura inferior; - para os parafusos de reforço, utilizar o comprimento previsto para o painel de espessura superior� Exemplo: para painéis CLT com 250 mm de espessura, utilizar-se-ão parafusos inclinados VGS Ø9x320 e parafusos de reforço VGS Ø9x140�

PARAFUSOS DE REFORÇO (OPCIONAIS) chapa da base retangular

Dreinf

Dreinf

G S

G S

chapa da base circular

G S

S

S

S

V G

V

V G

V

G S

V

V G

S

V G

S

V

S

V G

V G

G S

V

V

G S V G

V

nreinf G S

nreinf

DCLT

V

V

DCLT

G S

G S

V G

V G

S

S

V

V

G S

G S

V G

V G V G

S

S

S

V G

G S

V G

V

V

G S

V

V G

S

S

G S

G S

Dbp

S

V

V

S

S

V G

Dbp

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | SPIDER | 297

G S


MONTAGEM Fixar a chapa da base à face superior do pilar com os parafusos VGS Ø11, de acordo com as instruções de instalação correspondentes� É possível ocultar a chapa da base numa fresagem predisposta no pilar� Para a instalação em pilares de aço é possível utilizar parafusos de cabeça de embeber M12� Em caso de instalação sobre pilares de betão armado, utilizar conectores parafusos de cabeça de embeber adequados�

1

2

3

Inserir o painel CLT, pré-furado com um furo circular de diâmetro DCLT, no cilindro� É possível instalar um reforço de compressão no intradorso do painel, para aumentar a resistência�

4

Aperta o cone ao cilindro até ao contacto com a superfície do painel CLT�

5

Apoiar os 6 braços na superfície superior do painel CLT e do cone�

Inserir o disco hexagonal de modo a encaixar os 6 braços e ixar o parafuso de cabeça de embeber com uma chave sextavada macho de 10 ou 12 mm�

NO IMPACT

m

1c

6A

20 Nm

7

Utilizando um aparafusador NÃO POR IMPULSOS, inserir os 48 parafusos VGS Ø9 dentro das anilhas inclinadas, respeitando o ângulo de inserção de 45° (se necessário, utilizar o gabarito de pré-furo JIGVGU945)� Apertar, parando cerca de 1 cm da anilha e conclua o aparafusamento utilizando uma chave dinamométrica, aplicando um binário de inserção de 20 Nm�

298 | SPIDER | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS


MONTAGEM Fixar a chapa superior à face inferior do pilar com os parafusos VGS Ø11, de acordo com as instruções de instalação correspondentes� A chapa superior possui furos roscados adequados para a ixação ao disco hexagonal�

8

± 5°

X

X

X

S

VG X

X

X

S

VG

X

X

X

S

VG

X

X

X

S

X

X

VG

X

S

VG X

X

X

S

VG

X

X

X

S

VG

X

X

X

S

VG

X

X

X

S

VG X

X

X

S

VG

X

X

X

S

VG

X

X

X

S

X

X

VG

X

S

VG X

X

X

S

VG

X

X

X

S

VG

X

X

X

S

VG

9

Posicionar o pilar superior no disco hexagonal e ixá-lo utilizando 4 parafusos SPBOLT1235 com anilha ULS125� No caso de um pilar superior de aço, a chapa superior não deve ser utilizada e o pilar deve estar equipado com uma chapa de aço adequada com furos para a ixação dos 4 parafusos SPBOLT1235�

10

Os furos ranhurados no disco hexagonal permitem rodar o pilar ±5°� Rodar o pilar para a posição correta e apertar os 4 parafusos SPBOLT1235 utilizando uma chave lateral�

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | SPIDER | 299


INSTRUÇÕES ESPECIAIS PARA SPI100S - SPI100M - SPI100L - SPI120S - SPI120M - SPI120L

Para os conectores SPIDER com cilindro de diâmetro Dcyl = 100 ou 120 mm, o disco hexagonal tem uma dimensão aumentada� Neste caso, a fase 6A deve ser substituída pelas fases 6B - 6F �

x12 HBS PLATE

6B

6C

Depois de inserir o disco hexagonal e o parafuso de cabeça de embeber, inserir 12 parafusos HBSP8120 nos 12 furos verticais predispostos nos 6 braços� Estes parafusos irão manter os braços no lugar nas seguintes fases�

Desapertar o parafuso de cabeça de embeber e remover o disco hexagonal�

NO IMPACT

X

X

X

S

VG X

X

X

S

VG X

X

X

S

VG

X

X

X

S

VG X

X

X

S

VG X

X

X

S

VG

X

X

X

S

VG

6D

6E

Utilizando um aparafusador NÃO POR IMPULSOS, inserir os 12 parafusos VGS Ø9 dentro das anilhas inclinadas mais próximas do cilindro, respeitando o ângulo de inserção de 45° (se necessário, utilizar o gabarito de pré-furo JIGVGU945)� Apertar, parando a cerca de 1 cm da anilha�

NO IMPACT

6F

300 | SPIDER | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS

Inserir o disco hexagonal e ixar o parafuso de cabeça de embeber com uma chave sextavada macho de 10 ou 12 mm�

Utilizando um aparafusador NÃO POR IMPULSOS, inserir os restantes 36 parafusos VGS Ø9 dentro das anilhas inclinadas, respeitando o ângulo de inserção de 45° (se necessário, utilizar o gabarito de pré-furo JIGVGU945)� Apertar, parando a cerca de 1 cm da anilha�


TOLERÂNCIAS DE FABRICO E INSTALAÇÃO DO PAINEL CLT O conector foi concebido para se adaptar às tolerâncias de fabrico e instalação do painel CLT� A espessura real dos painéis CLT pode ser ligeiramente diferente da espessura nominal, devido à tolerância de fabrico� 1�

TOLERÂNCIA DE FABRICO NA ESPESSURA DO PAINEL CLT de ±2 mm O cone deve ser apertado até tocar na superfície do painel CLT (superfície modo a assegurar o contacto com o cilindro (superfície A )� A tolerância de ±2 mm é absorvida na zona -

tolerância espessura CLT +2 mm

-

tolerância espessura CLT 0 mm

-

tolerância espessura CLT -2 mm

B

C

), enquanto o disco deve ser colocado de

:

contacto entre o disco e braço na zona fuga de 2 mm na zona fuga de 4 mm na zona

B

;

;

B

B

A altura total do SPIDER permanece constante independentemente da tolerância de fabrico do painel CLT� Desta forma, o comprimento dos pilares não é afetado pela tolerância de fabrico dos painéis CLT� 2�

TOLERÂNCIA DE ±10 mm NO POSICIONAMENTO DA LAJE (zona

D

)

O furo no painel CLT é aumentado em 20 mm para permitir um ligeiro desvio entre o SPIDER e o furo�

A

B

C

A

B

C

A

B

2 mm

tCLT + 2 mm

C

4 mm

tCLT

tCLT - 2 mm

disco

cilindro

cone

braço

D

10 mm

10 mm

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | SPIDER | 301


VALORES ESTÁTICOS | PUNCIONAMENTO E TRAÇÃO TENSÕES NO CONECTOR Ft

Fslab

Ft

RESISTÊNCIA AO PUNCIONAMENTO - VALORES VÁLIDOS PARA TODOS OS MODELOS DE SPIDER tCLT

com reforço Rslab,k

sem reforço ksus(2)

ksus(2)

Rslab,k

[mm]

[kN]

160

463

0,60

[kN] 419

0,70

180

545

0,60

494

0,70

200

627

0,60

568

0,70

220

709

0,60

642

0,70

240

791

0,60

717

0,70

280

791

0,60

717

0,70

160 + 160(1)

616

0,36

558

0,46

RESISTÊNCIA À TRAÇÃO - VALORES VÁLIDOS PARA TODOS OS MODELOS DE SPIDER Parafusos pilar superior/inferior

Ft,k [kN]

[pçs - ØxL]

C24(3)

GL24h(4)

GL28h(5)

GL32h(6)

4 VGS Ø11x250 4 VGS Ø11x400

34,60

37,32

40,38

41,54

56,20

60,65

65,64

67,49

NOTAS:

PRINCÍPIOS GERAIS:

(1)

A coniguração 160 + 160 refere-se à instalação com painéis CLT cruzados�

(2)

O coeiciente k sus expressa a relação entre a força fornecida pelos parafusos inclinados para tração e a força descarregada na chapa da base para compressão�

• Para espessuras do painel tCLT intermédias às fornecidas na tabela, recomenda-se utilizar os valores de resistência previstos para a espessura inferior�

(3)

Valores calculados de acordo com a ETA-11/0030� No cálculo foi considerada uma coluna de madeira maciça C24 com ρ k = 350 kg/m3 �

(4)

Valores calculados de acordo com a ETA-11/0030� No cálculo foi considerada uma coluna de madeira lamelada GL24h com ρ k = 385 kg/m3 �

(5)

Valores calculados de acordo com a ETA-11/0030� No cálculo foi considerada uma coluna de madeira lamelada GL28h com ρ k = 425kg/m3 �

(6)

Valores calculados de acordo com a ETA-11/0030� No cálculo foi considerada uma coluna de madeira lamelada GL32h com ρ k =440kg/m3 �

• Os valores de projeto são obtidos a partir dos valores característicos, desta forma: Os coeicientes γ M e kmod devem ser considerados em função da norma vigente utilizada para o cálculo� O coeiciente γ M é o coeiciente de segurança aplicável do lado das ligações�

Rslab,d = Rt,d =

Rslab,k kmod γM

Rt,k kmod γM

• Para as veriicações devem ser cumpridas as seguintes expressões:

Fslab,d ≤ 1,0 Rslab,d Ft,d ≤ 1,0 Rt,d • A resistência ao puncionamento da laje (Fslab,d) inclui a veriicação de todos os componentes de reforço do SPIDER (braços e parafusos de reforço), bem como a resistência ao corte e ao “rolling shear” do painel CLT na zona afetada pela presença do apoio� As outras veriicações no Último Estado Limite e no Estado Limite de Serviço nos painéis da laje são da responsabilidade do projetista�

302 | SPIDER | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS


VALORES ESTÁTICOS | TRANSMISSÃO DA CARGA TENSÕES NO CONECTOR

MECANISMOS DE RUTURA E VERIFICAÇÕES

Fco,up compressão do lado da madeira (R timber,up) ksus Fslab

flexão da chapa superior (R tp) transmissão da carga (R lt) compressão do cilindro (R b)

Fco,up + ksus Fslab

flexão da chapa inferior (R bp)

(1-ksus) Fslab

compressão do lado da madeira (R timber,down)

Fco,up + Fslab

SPIDER SPI60S RESISTÊNCIAS DO LADO DO AÇO Veriicações

RESISTÊNCIAS DO LADO DA MADEIRA resistência

Classe de resistência

tensão

Rsteel,k [kN] Chapa superior

Rtp,k(5)

γsteel

450

γM0(1) (1)

Fco,up,d

Transmissão da carga

Rlt,k

663

γM0

Compressão do cilindro

Rb,k(8)

907

γM0(1)

Fco,up,d + ksus Fslab,d

Chapa inferior

Rbp,k(5)

706

γM0(1)

Fco,up,d + ksus Fslab,d

Fco,up,d

Rtimber,up,k Rtimber,down,k [kN]

[kN]

C24

595

660

GL24h

680

754

GL28h

794

880

GL32h(3)

907

1005

SPIDER SPI80S RESISTÊNCIAS DO LADO DO AÇO Veriicações

RESISTÊNCIAS DO LADO DA MADEIRA resistência

Classe de resistência

tensão

Rsteel,k [kN] Chapa superior

Rtp,k(6)

655

γsteel γM0(1)

Fco,up,d

(1)

Fco,up,d

Transmissão da carga

Rlt,k

1286

γM0

Compressão do cilindro

Rb,k(8)

1626

γM0(1)

Fco,up,d + ksus Fslab,d

Chapa inferior

Rbp,k(6)

939

γM0(1)

Fco,up,d + ksus Fslab,d

Rtimber,up,k Rtimber,down,k [kN]

[kN]

GL24h

754

1086

GL28h

880

1267

GL32h(3)

1005

1448

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | SPIDER | 303


SPIDER SPI80M RESISTÊNCIAS DO LADO DO AÇO Veriicações

RESISTÊNCIAS DO LADO DA MADEIRA resistência

tensão

Classe de resistência

Rsteel,k [kN] Chapa superior

Rtp,k(6)

939

Rtimber,up,k Rtimber,down,k [kN]

γsteel γM0(1)

Fco,up,d

(1)

Fco,up,d

Transmissão da carga

Rlt,k

1286

γM0

Compressão do cilindro

Rb,k(8)

1626

γM0(1)

Fco,up,d + ksus Fslab,d

Chapa inferior

Rbp,k(6)

1761

γM0*(2)

Fco,up,d + ksus Fslab,d

[kN]

GL24h

1086

1426

GL28h

1267

1663

GL32h(3)

1448

1901

SPIDER SPI80L RESISTÊNCIAS DO LADO DO AÇO Veriicações

RESISTÊNCIAS DO LADO DA MADEIRA resistência

tensão

Classe de resistência

Rsteel,k [kN] Chapa superior

Rtp,k(6)

1761

γsteel γM0*(2) (1)

Fco,up,d

Transmissão da carga

Rlt,k

1286

γM0

Compressão do cilindro

Rb,k(8)

1626

γM0(1)

Fco,up,d + ksus Fslab,d

Chapa inferior

Rbp,k(6)

2350

γM0*(2)

Fco,up,d + ksus Fslab,d

Rtimber,up,k Rtimber,down,k [kN]

[kN]

GL24h

1426

1802

GL28h

1663

2102

GL32h(3)

1901

2402

Fco,up,d

SPIDER SPI100S RESISTÊNCIAS DO LADO DO AÇO Veriicações

RESISTÊNCIAS DO LADO DA MADEIRA resistência

tensão

Classe de resistência

Rsteel,k [kN] Chapa superior

Rtp,k(7)

1689

Rtimber,up,k Rtimber,down,k [kN]

γsteel γM0*(2) (1)

Fco,up,d

Transmissão da carga

Rlt,k

2031

γM0

Compressão do cilindro

Rb,k(8)

2474

γM0(1)

Fco,up,d + ksus Fslab,d

Chapa inferior

Rbp,k(7)

2519

γM0*(2)

Fco,up,d + ksus Fslab,d

[kN]

GL28h

1163

1267

GL32h

1330

1448

LVL GL75(4)

2280

2977

Fco,up,d

SPIDER SPI100M RESISTÊNCIAS DO LADO DO AÇO Veriicações

RESISTÊNCIAS DO LADO DA MADEIRA resistência

tensão

Classe de resistência

Rsteel,k [kN] Chapa superior

Rtp,k(7)

2394

Rtimber,up,k Rtimber,down,k [kN]

γsteel γM0*(2) (1)

Fco,up,d

Transmissão da carga

Rlt,k

2031

γM0

Compressão do cilindro

Rb,k(8)

2474

γM0(1)

Fco,up,d + ksus Fslab,d

Chapa inferior

Rbp,k(7)

2394

γM0*(2)

Fco,up,d + ksus Fslab,d

Fco,up,d

304 | SPIDER | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS

[kN]

GL28h

1724

1724

GL32h

1970

1970

LVL GL75(4)

3748

3748


SPIDER SPI120S RESISTÊNCIAS DO LADO DO AÇO Veriicações

RESISTÊNCIAS DO LADO DA MADEIRA resistência

Classe de resistência

tensão

Rtimber,up,k Rtimber,down,k

Rsteel,k [kN] Chapa superior

Rtp,k(7)

3034

[kN]

γsteel γM0*(2) (1)

Fco,up,d

Transmissão da carga

Rlt,k

2856

γM0

Compressão do cilindro

Rb,k(8)

3336

γM0(1)

Fco,up,d + ksus Fslab,d

Chapa inferior

Rbp,k(7)

3034

γM0*(2)

Fco,up,d + ksus Fslab,d

[kN]

GL28h

1724

1724

GL32h

1970

1970

LVL GL75(4)

4184

4184

Fco,up,d

SPIDER SPI120M RESISTÊNCIAS DO LADO DO AÇO Veriicações

RESISTÊNCIAS DO LADO DA MADEIRA resistência

Classe de resistência

tensão

Rtimber,up,k Rtimber,down,k

Rsteel,k [kN] Chapa superior

Rtp,k(7)

3976

γsteel γM0*(2) (1)

Fco,up,d

[kN]

[kN]

GL28h

2188

2188

GL32h

2501

2501

5101

5101

LVL

Transmissão da carga

Rlt,k

2856

γM0

Compressão do cilindro

Rb,k(8)

3336

γM0(1)

Fco,up,d + ksus Fslab,d

Chapa inferior

Rbp,k(7)

3976

γM0*(2)

Fco,up,d + ksus Fslab,d

GL75(4)

Fco,up,d

O SPI100L e o SPI120L são ideais para a utilização com pilares de aço� Neste caso, a chapa superior não está presente�

SPIDER SPI100L RESISTÊNCIAS DO LADO DO AÇO Veriicações

resistência

tensão

Rsteel,k

Chapa

superior(9)

Rtp,k

[kN]

γsteel

-

-

Fco,up,d *(2)

Transmissão da carga

Rlt,k

4190

γM0

Compressão do cilindro

Rb,k(8)

5010

γM0*(2)

Fco,up,d + ksus Fslab,d

Chapa inferior(10)

Rbp,k

-

-

Fco,up,d + ksus Fslab,d

Fco,up,d

SPIDER SPI120L RESISTÊNCIAS DO LADO DO AÇO Veriicações

resistência

tensão

Rsteel,k [kN] superior(9)

γsteel

Rtp,k

-

-

Fco,up,d

Transmissão da carga

Rlt,k

5325

γM0*(2)

Fco,up,d

Compressão do cilindro

Rb,k(8)

6220

γM0*(2)

Fco,up,d + ksus Fslab,d

Chapa inferior(10)

Rbp,k

-

-

Fco,up,d + ksus Fslab,d

Chapa

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | SPIDER | 305


NOTAS:

PRINCÍPIOS GERAIS:

(1)

O coeiciente γ M0 corresponde ao coeiciente parcial de resistência das secções para o aço S355 e deve ser considerado em função da norma vigente utilizada para o cálculo� Por exemplo, de acordo com a EN 1995-1-1, deve ser considerado como 1,00�

• Os valores de projeto do lado da madeira são obtidos a partir dos valores característicos, desta forma: Os coeicientes γ MT e kmod devem ser considerados em função da norma vigente utilizada para o cálculo� O coeiciente γ MT é o coeiciente de segurança aplicável do lado do material de madeira�

(2)

O coeiciente γ M0* corresponde ao coeiciente parcial de resistência das secções para os aços não previstos na EN 1993-1-1� Este deve ser considerado em função da norma vigente utilizada para o cálculo� Na ausência de indicações normativas, recomenda-se a utilização de um valor γ M0* = 1,10�

Rtimber,up,d =

O modelo de conector SPIDER em questão é ideal para a utilização com pilares de madeira lamelada GL32h� É permitido utilizar materiais com características inferiores; neste caso, os componentes metálicos do conector serão sobredimensionados�

Rtimber,down,d =

(3)

Rtimber,up,k kmod γMT Rtimber,down,k kmod γMT

(4)

O modelo de conector SPIDER em questão é ideal para a utilização com pilares de madeira LVL GL75 de acordo com a ETA-14/0354� É permitido utilizar materiais com características inferiores; neste caso, os componentes metálicos do conector serão sobredimensionados�

(5)

Por razões de segurança, a resistência é calculada utilizando um coeiciente k steel válido para pilares de madeira C24� Pode ser utilizado o mesmo valor para pilares de GL24h, GL28h e GL32h�

Rtp,d =

Rtp,k γsteel

Rlt,d =

Rlt,k γsteel

A resistência é calculada utilizando um coeiciente ksteel válido para pilares de madeira GL32h� Se forem utilizados outros materiais nos pilares, a resistência deve ser calculada de acordo com a ETA-19/0700�

Rb,d =

Rb,k γsteel

Rbp,d =

Rbp,k γsteel

(6)

(7)

(8)

(9)

(10)

A resistência é calculada utilizando um coeiciente ksteel válido para pilares de madeira GL75� Se forem utilizados outros materiais nos pilares, a resistência deve ser calculada de acordo com a ETA-19/0700� A resistência à compressão do cilindro foi calculada para uma altura do painel de 320 mm� Em todos os outros casos, por razões de segurança, pode ser utilizado o mesmo valor� O conector é fornecido sem chapa superior� O pilar de aço pode ser ligado diretamente ao conector SPIDER utilizando 4 parafusos M12� O pilar superior deve estar equipado com uma chapa, dimensionada pelo projetista, adequada para transferir a carga para o conector SPIDER� A chapa inferior do conector SPIDER não está dimensionada para distribuir a carga no pilar inferior de aço� Este último deve estar equipado com uma chapa, dimensionada pelo projetista, adequada para receber a carga do conector SPIDER�

• Os valores de projeto do lado do aço são obtidos a partir dos valores característicos, desta forma: Os coeicientes γsteel devem ser considerados em função da norma vigente utilizada para o cálculo (ver notas 1 e 2)�

• Para as veriicações devem ser cumpridas as seguintes expressões:

Fco,up,d

{

min Rtimber,up,d ;Rtp,d ;Rlt,d

Fco,up,d + ksus Fslab,d

{

min Rb,d ;Rbp,d

Fco,up,d + Fslab,d

}

}

≤ 1,0

≤ 1,0

≤ 1,0

Rtimber,down,d • As veriicações no lado dos pilares referem-se à resistência à compressão paralela à ibra, no conector SPIDER� A veriicação da instabilidade do pilar deve ser feita à parte�

306 | SPIDER | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS


PILLAR

ETA 19/0700

SISTEMA DE LIGAÇÃO PILAR-LAJE EDIFÍCIOS SOBRE COLUNAS O sistema permite a construção de edifícios com o sistema pilar-laje� Distância entre as colunas até 3,5 x 7,0 m� O sistema SPIDER é ideal para a utilização sobre colunas nos ângulos ou no perímetro da malha estrutural�

PILAR-PILAR O núcleo central de aço do sistema impede que os painéis CLT sejam esmagados e permite que mais de 5000 kN de força vertical sejam transferidos entre pilares�

SEGURANÇA NA OBRA A integração dos painéis em CLT com os parapeitos evita a utilização de andaimes nos ângulos e perímetros� Oculto dentro dos pilares, permite espessuras reduzidas dos acabamentos da laje�

CARATERÍSTICAS FOCUS

edifícios multi-pisos

PILARES

de 200 x 200 mm a 280 x 280 mm

MALHA ESTRUTURAL

até 3,5 x 7,0 m

RESISTÊNCIA

Rk compressão superior a 5000 kN

VÍDEO Digitalize o QR Code e assista ao vídeo no nosso canal YouTube

MATERIAL Aço S355-S690 com eletrogalvanização�

CAMPOS DE APLICAÇÃO Edifícios multi-pisos com sistema pilar-laje� Pilares de madeira maciça, madeira lamelada, madeiras de alta densidade, CLT, LVL, aço e betão armado�

308 | PILLAR | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS


MULTI-STOREY Sistema de ligação para grandes cargas pontuais de compressão em pilares de madeira, betão ou aço� Ideal para edifícios multi-pisos em CLT� Resistência à compressão superior a 500 toneladas�

AÇO E BETÃO Ligação versátil calculada e certiicada também para ligações entre painéis em CLT e pilares de betão ou aço�

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | PILLAR | 309


CÓDIGOS E DIMENSÕES CONECTOR PILLAR Dtp ttp Dcyl tbp Dbp

O código é composto pela respetiva espessura do painel CLT em mm (XXX = tCLT)� Exemplo: o PIL80MXXX para painéis CLT com XXX = tCLT = 200 mm tem o código PIL80M200� CÓDIGO

cilindro

chapa inferior

chapa superior

Dcyl

Dbp x tbp

Dtp x ttp

[mm]

[mm]

[mm]

[kg]

200 x 20 200 x 30 240 x 30 280 x 40 240 x 20 280 x 30 280 x 30 280 x 40 não prevista não prevista

26,4 38,2 47,2 64,3 42,0 59,0 66,1 78,3 34,7 41,8

SPI60SXXX PIL80SXXX PIL80MXXX PIL80LXXX PIL100SXXX PIL100MXXX PIL120SXXX PIL120MXXX PIL100LXXX PIL120LXXX

200 240 280 280 240 280 280 280 280 280

60 80 80 80 100 100 120 120 100 120

x x x x x x x x x x

30 30 30 40 30 30 30 40 20 20

peso

pçs

1 1 1 1 1 1 1 1 1 1

XXX = tCLT [mm] 160

160

180

200

220

200

180

240

280

240

220

280

Disponível também para espessuras tCLT não presentes na tabela�

Cada código inclui os seguintes componentes: parafuso de cabeça escareada M16/M20

cilindro

disco

chapa inferior

chapa de fixação

XYLOFON WASHER (opcional) CÓDIGO XYLWXX60200 XYLWXX80240 XYLWXX80280 XYLWXX100240 XYLWXX100280 XYLWXX120280

chapa superior

CHAPA DE DISTRIBUIÇÃO (opcional)

adequado para

pçs

PIL60S PIL80S PIL80M - PIL80L PIL100S PIL100M - PIL100L PIL120S - PIL120M - PIL120L

1 1 1 1 1 1

O código é composto pelo respetivo shore do XYLOFON (35, 50, 70, 80 ou 90)� XYLOFON WASHER 35 shore para PIL80M: código XYLW3580280

310 | PILLAR | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS

CÓDIGO SP60200 SP80240 SP80280 SP100240 SP100280 SP120280

adequado para

pçs

PIL60S PIL80S PIL80M - PIL80L PIL100S PIL100M - PIL100L PIL120S - PIL120M - PIL120L

1 1 1 1 1 1

A chapa de distribuição deve ser utilizada apenas na presença de XYLOFON WASHER + parafusos de reforço�


CÓDIGOS E DIMENSÕES NÚMERO DE PARAFUSOS POR CONECTOR

nco,up nbolts nfix nreinf

nco,down nco,up

4

VGS Ø11

nco,down

4

VGS Ø11

nbolts

4

SPBOLT1235

nix

12

HBS PLATE Ø8

consultar a secção GEOMETRIA E MATERIAIS na pág� 312

VGS Ø9

nreinf

Parafusos e parafusos de rosca métrica não incluídos na embalagem� Os parafusos de reforço nreinf são opcionais�

FORÇAS

MATERIAL E DURABILIDADE PILLAR: aço carbónico S355-S690 com eletrogalvanização� Utilização em classes de serviço 1 e 2 (EN 1995-1-1)�

Fco,up

CAMPOS DE EMPREGO

Ft

Fslab

• Lajes CLT apoiadas pontualmente em pilares • Pilares de madeira maciça, lamelada, LVL softwood ou LVL hardwood • Pilares de aço ou betão armado

Ft

PRODUTOS ADICIONAIS - FIXAÇÕES tipo

descrição

d

suporte

pág.

[mm] HBS PLATE

parafuso para madeira

VGS

conector todo-rosca

8

556

9-11

564

PARAFUSO - cabeça sextavada de aço 8.8 EN 15048 CÓDIGO

SPBOLT1235

d

L

SW

pçs

[mm]

[mm]

[mm]

M12

35

19

barra

dINT

dEXT

s

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

M12

13

24

2,5

d

SW 100

L

ULS 125 - anilha CÓDIGO

ULS13242

pçs dINT dEXT 500

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | PILLAR | 311


GEOMETRIA E MATERIAIS Dtc

Dtp ttp H = 73 mm(*)

DCLT tCLT Dcyl

tbp

SF A fresagem no pilar inferior é opcional

Dbp

Dbc (*) À

dimensão devem ser adicionados 6 mm se for utilizado XYLOFON WASHER (H = 79 mm) e 12 mm se for utilizado XYLOFON WASHER + chapa de distribuição (H = 85 mm)�

CONECTOR MODELO

chapa inferior Dbp x tbp

forma

cilindro material

Dcyl

[mm] PIL60S

200 x

disco

material

material

S355

S355

200 x

20

[mm] 30

S355

60

chapa superior Dtp x ttp

forma

material

[mm] S355

PIL80S

240 x

30

S355

80

S355

S355

200 x

30

S355

PIL80M

280 x

30

S690

80

S355

S355

240 x

30

S690

PIL80L

280 x

40

S690

80

S355

S355

280 x

40

S690

PIL100S

240 x

30

S690

100

S355

S355

240 x

20

S690

PIL100M

280 x

30

S690

100

S355

S355

280 x

30

S690

PIL120S

280 x

30

S690

120

S355

S355

280 x

30

S690

PIL120M

280 x

40

S690

120

S355

S355

280 x

40

PIL100L

280 x

20

S690

100

1�7225

S690

-

-

-

PIL120L

280 x

20

S690

120

1�7225

S690

-

-

-

S690

O PIL100L e o PIL120L preveem a ixação em pilares de aço sem utilizar a chapa superior�

PILARES E PAINÉIS CLT MODELO

pilar superior

pilar inferior

painel CLT

reforço (opcional)

Dtc,min

Dbc,min

SF*

DCLT

Rscrews

nreinf

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

central

borda

ângulo

PIL60S

200

200

30

80

85

14

6

2

PIL80S

200

240

30

100

105

14

6

2

PIL80M

240

280

30

100

120

16

7

3

PIL80L

280

280

40

100

120

16

7

3

PIL100S

240

240

30

120

105

14

6

2

PIL100M

280

280

30

120

120

16

7

3

PIL120S

280

280

30

140

120

16

7

3

PIL120M

280

280

40

140

120

16

7

3

PIL100L

200

280

-

120

120

16

7

3

PIL120L

200

280

-

140

120

16

7

3

* A espessura da fresagem SF no pilar inferior deve ser aumentada 6 mm se for utilizado XYLOFON WASHER e 12 mm se for utilizado XYLOFON WASHER + chapa de distribuição�

312 | PILLAR | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS


GEOMETRIA E MATERIAIS CARACTERÍSTICAS DOS PAINÉIS CLT Parâmetro

160 mm ≤ tCLT

Espessura das lamelas

≤ 40 mm

Classe de resistência mínima de acordo com a EN 338

C24/T14

PARAFUSOS DE REFORÇO PARA O PAINEL CLT tCLT

parafusos de reforço (opcionais)

[mm]

[pçs - ØxL]

160

VGS Ø9x100

180

VGS Ø9x100

200

VGS Ø9x100

220

VGS Ø9x120

240

VGS Ø9x120

280

VGS Ø9x140

Para espessuras dos painéis intermédias, utilizar o comprimento previsto para o painel de espessura superior. Exemplo: para painéis CLT com 210 mm de espessura, utilizar parafusos de reforço VGS Ø9x120.

PARAFUSOS DE REFORÇO (OPCIONAIS) APOIO DE BORDA

23 °

23

2

°

2

°

23

23 °

s ew

23 °

s ew

s ew

nreinf = 16

R scr

°

R scr

R scr

23

23 ° 3°

°

23 °

APOIO DE ÂNGULO

23

Rscrews

23 °

APOIO CENTRAL Rscrews

nreinf = 3

nreinf = 7

DCLT

DCLT

DCLT

Dbp = 280 mm

Dbp = 280 mm

Dbp = 280 mm

APOIO DE BORDA

APOIO DE ÂNGULO

APOIO CENTRAL Rscrews

26

26°

°

26

30 °

° 30

26

°

°

26

°

Rscrews

30 °

26 °

s rew

nreinf = 6

R sc

26 °

s ew cr

Rs

nreinf = 14

nreinf = 2

DCLT

DCLT

DCLT

Dbp = 200-240 mm

Dbp = 200-240 mm

Dbp = 200-240 mm

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | PILLAR | 313


MONTAGEM Fixar a chapa da base à face superior do pilar com os parafusos VGS Ø11, de acordo com as instruções de instalação correspondentes� É possível ocultar a chapa da base numa fresagem predisposta no pilar� Para a instalação em pilares de aço é possível utilizar parafusos de cabeça de embeber M12� Em caso de instalação sobre pilares de betão armado, utilizar conectores parafusos de cabeça de embeber adequados�

1

Inserir o XYLOFON WASHER (opcional) e/ou a CHAPA DE DISTRIBUIÇÃO (opcional) no cilindro�

2

3

4

Inserir os painéis CLT, pré-furados com um furo circular de diâmetro DCLT� É possível instalar um reforço de compressão no intradorso do painel, para aumentar a resistência�

Inserir a CHAPA DE FIXAÇÃO no cilindro�

x12 HBS PLATE

5

Ligar a CHAPA DE FIXAÇÃO aos painéis CLT com 12 parafusos HBS PLATE 8x120�

314 | PILLAR | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS

6

Posicionar o DISCO no CILINDRO e ixar o parafuso de cabeça de embeber com uma chave sextavada macho de 10 ou 12 mm�


MONTAGEM Fixar a chapa superior à face inferior do pilar com os parafusos VGS Ø11, de acordo com as instruções de instalação correspondentes� A chapa superior possui furos roscados adequados para a ixação ao disco�

7

± 5°

8

9

Posicionar o pilar superior no disco e ixá-lo utilizando 4 parafusos SPBOLT1235 com anilha ULS125� No caso de um pilar superior de aço, a chapa superior não deve ser utilizada e o pilar deve estar equipado com uma chapa de aço adequada com furos roscados para a ixação dos 4 parafusos SPBOLT1235�

Os furos ranhurados no disco hexagonal permitem rodar o pilar ±5°� Rodar o pilar para a posição correta e apertar os 4 parafusos SPBOLT1235 utilizando uma chave lateral�

TOLERÂNCIAS DE FABRICO E INSTALAÇÃO DO PAINEL CLT O conector foi concebido para se adaptar às tolerâncias de fabrico e instalação do painel CLT� 1�

TOLERÂNCIA DE FABRICO NA ESPESSURA DO PAINEL CLT Uma eventual tolerância a espessura da laje CLT é absorvida pela chapa de ixação (zona lindro de aço�

A

), que pode deslizar no ci-

A altura total do conector PILLAR permanece constante independentemente da tolerância de fabrico do painel CLT. 2�

TOLERÂNCIA DE ±10 mm NO POSICIONAMENTO DA LAJE (zona

B

)

cilindro

B

chapa de fixação

10 mm

10 mm

A

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | PILLAR | 315


VALORES ESTÁTICOS O conector PILLAR permite posicionar os pilares num ponto no interior do painel CLT (CENTRAL), na borda do painel CLT (EDGE) ou no ângulo do painel (CORNER)� É possível combinar diferentes tipos de apoio no mesmo pilar� Neste caso, a veriicação com compressão ortogonal à ibra deve ser efetuada separadamente para cada painel� As tabelas seguintes mostram todos os valores de resistência para casos com e sem reforço, dependendo da espessura do painel CLT�

POSSÍVEIS CONFIGURAÇÕES DE APOIO CORNER

CENTRAL EDGE

EDGE

CONFIGURAÇÕES DE APOIO COMBINADAS

CORNER

CORNER

CORNER

CORNER

CORNER

CORNER

EDGE

TENSÕES NO CONECTOR

EDGE

EDGE

MECANISMOS DE RUTURA E VERIFICAÇÕES

compressão do lado da madeira (R timber,up)

Fco,up

flexão da chapa superior (R tp) transmissão da carga (R lt) compressão do cilindro (R b) flexão da chapa inferior (R bp) Fslab compressão do lado da madeira (R timber,down)

316 | PILLAR | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS


PILLAR PIL60S RESISTÊNCIA À COMPRESSÃO ORTOGONAL À FIBRA PARA A LAJE CLT painel CLT tCLT

Rslab,k [kN]

camadas

[mm]

com reforço

sem reforço

central

borda

ângulo

central

borda

ângulo

207

103

46

154

68

29

160

5

180

5

226

113

48

154

68

29

200

7

246

123

55

197

83

33

220 (11)

7

246

123

55

197

83

33

240

7

288

144

59

197

83

33

280 (12)

7

288

144

59

197

83

33

RESISTÊNCIAS DO LADO DO AÇO

RESISTÊNCIAS DO LADO DA MADEIRA

Veriicações

Classe de resistência

resistência Rsteel,k [kN] Rtp,k(5)

Chapa superior

γsteel

450

γM0(1) (1)

Transmissão da carga

Rlt,k

871

γM0

Compressão do cilindro

Rb,k(8)

923

γM0(1)

Chapa inferior

Rbp,k(5)

690

γM0(1)

Rtimber,up,k Rtimber,down,k [kN]

[kN]

C24

595

823

GL24h

680

941

GL28h

794

1097

GL32h(3)

907

1254

PILLAR PIL80S RESISTÊNCIA À COMPRESSÃO ORTOGONAL À FIBRA PARA A LAJE CLT painel CLT tCLT

Rslab,k [kN]

camadas

[mm] 160

5

com reforço

sem reforço

central

borda

ângulo

central

borda

ângulo

261

131

58

219

96

41

180

5

283

141

60

219

96

41

200

7

305

153

69

281

118

48

220 (11)

7

305

153

69

281

118

48

240

7

352

176

73

281

118

48

280 (12)

7

352

176

73

281

118

48

RESISTÊNCIAS DO LADO DO AÇO

RESISTÊNCIAS DO LADO DA MADEIRA

Veriicações

Classe de resistência

resistência Rsteel,k [kN]

Chapa superior

Rtp,k(6)

994

Rtimber,up,k Rtimber,down,k [kN]

γsteel γM0(1)

[kN]

GL24h

959

1273

GL28h

1118

1485

GL32h(3)

1278

1697

(1)

Transmissão da carga

Rlt,k

1560

γM0

Compressão do cilindro

Rb,k(8)

1634

γM0(1)

Chapa inferior

Rbp,k(6)

928

γM0(1)

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | PILLAR | 317


PILLAR PIL80M RESISTÊNCIA À COMPRESSÃO ORTOGONAL À FIBRA PARA A LAJE CLT painel CLT tCLT

Rslab,k [kN]

camadas

[mm]

com reforço

sem reforço

central

borda

ângulo

central

borda

ângulo

162

81

305

134

57

160

5

325

180

5

349

174

85

305

134

57

200

7

373

187

93

373

164

66

220 (11)

7

373

187

93

373

164

66

240

7

425

212

104

391

164

66

280 (12)

7

425

212

104

391

164

66

RESISTÊNCIAS DO LADO DO AÇO

RESISTÊNCIAS DO LADO DA MADEIRA

Veriicações

Classe de resistência

resistência Rsteel,k [kN] Rtp,k(6)

Chapa superior

1804

Rtimber,up,k Rtimber,down,k [kN]

γsteel γM0*(2)

[kN]

GL24h

1273

1426

GL28h

1485

1663

GL32h(3)

1697

1901

(1)

Transmissão da carga

Rlt,k

1560

γM0

Compressão do cilindro

Rb,k(8)

1634

γM0(1)

Chapa inferior

Rbp,k(6)

1777

γM0*(2)

PILLAR PIL80L RESISTÊNCIA À COMPRESSÃO ORTOGONAL À FIBRA PARA A LAJE CLT painel CLT tCLT

Rslab,k [kN]

camadas

[mm]

com reforço

sem reforço

central

borda

ângulo

central

borda

ângulo

162

81

305

134

57

160

5

325

180

5

349

174

85

305

134

57

200

7

373

187

93

373

164

66

220 (11)

7

373

187

93

373

164

66

240

7

425

212

104

391

164

66

280 (12)

7

425

212

104

391

164

66

RESISTÊNCIAS DO LADO DO AÇO

RESISTÊNCIAS DO LADO DA MADEIRA

Veriicações

Classe de resistência

resistência Rsteel,k [kN]

Chapa superior

Rtp,k(6)

2350

γsteel γM0*(2) (1)

Transmissão da carga

Rlt,k

1560

γM0

Compressão do cilindro

Rb,k(8)

1634

γM0(1)

Chapa inferior

Rbp,k(6)

2350

γM0*(2)

318 | PILLAR | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS

Rtimber,up,k Rtimber,down,k [kN]

[kN]

GL24h

1802

1802

GL28h

2102

2102

GL32h(3)

2402

2402


PILLAR PIL100S RESISTÊNCIA À COMPRESSÃO ORTOGONAL À FIBRA PARA A LAJE CLT painel CLT tCLT

Rslab,k [kN]

camadas

[mm]

com reforço

sem reforço

central

borda

ângulo

central

borda

ângulo

253

126

55

203

89

38

160

5

180

5

274

137

57

203

89

38

200

7

297

148

65

260

109

44

220 (11)

7

297

148

65

260

109

44

240

7

343

172

69

260

109

44

280 (12)

7

343

172

69

260

109

44

RESISTÊNCIAS DO LADO DO AÇO

RESISTÊNCIAS DO LADO DA MADEIRA

Veriicações

Classe de resistência

resistência Rsteel,k [kN] Rtp,k(7)

Chapa superior

1709

Rtimber,up,k Rtimber,down,k [kN]

γsteel γM0*(2)

[kN]

GL28h

1330

1776

GL32h

2280

3381

LVL GL75(4)

2280

3381

(1)

Transmissão da carga

Rlt,k

2365

γM0

Compressão do cilindro

Rb,k(8)

2474

γM0(1)

Chapa inferior

Rbp,k(7)

2498

γM0*(2)

PILLAR PIL100M RESISTÊNCIA À COMPRESSÃO ORTOGONAL À FIBRA PARA A LAJE CLT painel CLT tCLT

Rslab,k [kN]

camadas

[mm]

com reforço

sem reforço

central

borda

ângulo

central

borda

ângulo

158

79

289

127

54

160

5

316

180

5

340

170

82

289

127

54

200

7

365

182

91

365

155

63

220 (11)

7

365

182

91

365

155

63

240

7

416

208

101

370

155

63

280 (12)

7

416

208

101

370

155

63

RESISTÊNCIAS DO LADO DO AÇO

RESISTÊNCIAS DO LADO DA MADEIRA

Veriicações

Classe de resistência

resistência Rsteel,k [kN]

Chapa superior

Rtp,k(7)

2429

Rtimber,up,k Rtimber,down,k [kN]

γsteel γM0*(2)

[kN]

GL28h

1861

1861

GL32h

2127

2127

LVL GL75(4)

3748

3748

(1)

Transmissão da carga

Rlt,k

2365

γM0

Compressão do cilindro

Rb,k(8)

2474

γM0(1)

Chapa inferior

Rbp,k(7)

2429

γM0*(2)

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | PILLAR | 319


PILLAR PIL120S RESISTÊNCIA À COMPRESSÃO ORTOGONAL À FIBRA PARA A LAJE CLT painel CLT tCLT

Rslab,k [kN]

camadas

[mm]

com reforço

sem reforço

central

borda

ângulo

central

borda

ângulo

76

270

118

50

160

5

306

158

180

5

330

165

79

270

118

50

200

7

354

177

89

346

145

59

220 (11)

7

354

177

89

346

145

59

240

7

406

203

96

346

145

59

280 (12)

7

406

203

96

346

145

59

RESISTÊNCIAS DO LADO DO AÇO

RESISTÊNCIAS DO LADO DA MADEIRA

Veriicações

Classe de resistência

resistência Rsteel,k [kN] Rtp,k(7)

Chapa superior

3067

Rtimber,up,k Rtimber,down,k [kN]

γsteel γM0*(2)

[kN]

GL28h

1991

1991

GL32h

2276

2276

LVL GL75(4)

4311

4311

(1)

Transmissão da carga

Rlt,k

3234

γM0

Compressão do cilindro

Rb,k(8)

3336

γM0(1)

Chapa inferior

Rbp,k(7)

3067

γM0*(2)

PILLAR PIL120M RESISTÊNCIA À COMPRESSÃO ORTOGONAL À FIBRA PARA A LAJE CLT painel CLT tCLT

Rslab,k [kN]

camadas

[mm]

com reforço

sem reforço

central

borda

ângulo

central

borda

ângulo

76

270

118

50

160

5

306

153

180

5

330

165

79

270

118

50

200

7

354

177

89

346

145

59

220 (11)

7

354

177

89

346

145

59

240

7

406

203

96

346

145

59

280 (12)

7

406

203

96

346

145

59

RESISTÊNCIAS DO LADO DO AÇO

RESISTÊNCIAS DO LADO DA MADEIRA

Veriicações

Classe de resistência

resistência Rsteel,k [kN]

Chapa superior

Rtp,k(7)

3976

γsteel γM0*(2) (1)

Transmissão da carga

Rlt,k

3234

γM0

Compressão do cilindro

Rb,k(8)

3336

γM0(1)

Chapa inferior

Rbp,k(7)

3976

γM0*(2)

320 | PILLAR | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS

Rtimber,up,k Rtimber,down,k [kN]

[kN]

GL28h

2188

2188

GL32h

2501

2501

5101

5101

LVL

GL75(4)


PILLAR PIL100L RESISTÊNCIA À COMPRESSÃO ORTOGONAL À FIBRA PARA A LAJE CLT painel CLT tCLT

Rslab,k [kN]

camadas

[mm]

com reforço

sem reforço

central

borda

ângulo

central

borda

ângulo

158

79

289

127

54

160

5

316

180

5

340

170

82

289

127

54

200

7

365

182

91

365

155

63

220 (11)

7

365

182

91

365

155

63

240

7

416

208

101

370

155

63

280 (12)

7

416

208

101

370

155

63

RESISTÊNCIAS DO LADO DO AÇO Veriicações

resistência Rsteel,k [kN]

γsteel

-

-

Chapa superior

Rtp,k(9)

Transmissão da carga

Rlt,k

4880

γM0*(2)

Compressão do cilindro

Rb,k(8)

5084

γM0*(2)

Chapa inferior

Rbp,k(10)

-

-

PILLAR PIL120L RESISTÊNCIA À COMPRESSÃO ORTOGONAL À FIBRA PARA A LAJE CLT painel CLT tCLT

Rslab,k [kN]

camadas

[mm]

com reforço

sem reforço

central

borda

ângulo

central

borda

ângulo

76

270

118

50

160

5

306

153

180

5

330

165

79

270

118

50

200

7

354

177

89

346

145

59

220 (11)

7

354

177

89

346

145

59

240

7

406

203

96

346

145

59

280 (12)

7

406

203

96

346

145

59

RESISTÊNCIAS DO LADO DO AÇO Veriicações

resistência Rsteel,k [kN]

γsteel

-

-

Chapa superior

Rtp,k(9)

Transmissão da carga

Rlt,k

6030

γM0*(2)

Compressão do cilindro

Rb,k(8)

6220

γM0*(2)

Chapa inferior

Rbp,k(10)

-

-

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | PILLAR | 321


RESISTÊNCIA À TRAÇÃO VALORES VÁLIDOS PARA TODOS OS MODELOS DE PILLAR Parafusos pilar superior/inferior

Ft

Ft,k C24(13)

GL24h(14)

GL28h(15)

GL32h(16)

[pçs - ØxL]

[kN]

[kN]

[kN]

[kN]

4 VGS Ø11x250

34,60

37,32

40,38

41,54

4 VGS Ø11x400

56,20

60,65

65,64

67,49

Ft

NOTAS:

PRINCÍPIOS GERAIS:

(1)

O coeiciente γ M0 corresponde ao coeiciente parcial de resistência das secções para o aço S355 e deve ser considerado em função da norma vigente utilizada para o cálculo� Por exemplo, de acordo com a EN 1995-1-1, deve ser considerado como 1,00�

• Para espessuras do painel tCLT intermédias às fornecidas na tabela, recomenda-se utilizar os valores de resistência Fslab,k previstos para a espessura inferior�

(2)

O coeiciente γ M0* corresponde ao coeiciente parcial de resistência das secções para os aços não previstos na EN 1993-1-1� Este deve ser considerado em função da norma vigente utilizada para o cálculo� Na ausência de indicações normativas, recomenda-se a utilização de um valor γ M0*=1,10�

(3)

O modelo de conector PILLAR em questão é ideal para a utilização com pilares de madeira lamelada GL32h� A utilização de materiais com características inferiores leva ao sobredimensionamento dos componentes metálicos do conector�

(4)

O modelo de conector PILLAR em questão é ideal para a utilização com pilares de madeira LVL GL75 de acordo com a ETA-14/0354� A utilização de materiais com características inferiores leva ao sobredimensionamento dos componentes metálicos do conector�

(5)

(6)

Por razões de segurança, a resistência é calculada utilizando um coeiciente k steel válido para pilares de madeira C24� Pode ser utilizado o mesmo valor para pilares de GL24h, GL28h e GL32h� A resistência é calculada utilizando um coeiciente k steel válido para pilares de madeira GL32h� Se forem utilizados outros materiais nos pilares, a resistência deve ser calculada de acordo com a ETA-19/0700�

• Os valores de projeto do lado da madeira são obtidos a partir dos valores característicos, desta forma: Os coeicientes γ M , γ MT y kmod devem ser considerados em função da norma vigente utilizada para o cálculo� O coeiciente γ M é o coeiciente de segurança aplicável do lado das ligações enquanto o coeiciente γ MT é o coeiciente de segurança pertinente no lado das ligações de madeira�

Rslab,d =

Rslab,k kmod γM

Rtimber,up,d =

Rt,d =

Rt,k kmod γM

Rtimber,up,k kmod γMT

Rtimber,down,d =

Rtimber,down,k kmod γMT

• Os valores de projeto do lado do aço são obtidos a partir dos valores característicos, desta forma: Os coeicientes γsteel devem ser considerados em função da norma vigente utilizada para o cálculo (ver notas 1 e 2)�

(7)

A resistência é calculada utilizando um coeiciente ksteel válido para pilares de madeira GL75� Se forem utilizados outros materiais nos pilares, a resistência deve ser calculada de acordo com a ETA-19/0700�

(8)

A resistência à compressão do cilindro foi calculada para uma altura do painel de 280 mm� Em todos os outros casos, por razões de segurança, pode ser utilizado o mesmo valor�

(9)

O conector é fornecido sem chapa superior� O pilar de aço pode ser ligado diretamente ao conector PILLAR utilizando 4 parafusos M12� O pilar superior deve estar equipado com uma chapa, dimensionada pelo projetista, adequada para transferir a carga para o conector PILLAR�

(10)

A chapa inferior do conector PILLAR não está dimensionada para distribuir a carga no pilar inferior de aço� Este último deve estar equipado com uma chapa, dimensionada pelo projetista, adequada para receber a carga do conector PILLAR�

Rslab,d

Os valores de resistência para lajes CLT com 220 mm de espessura não são indicados na ETA-19/0700� Por razões de segurança, a tabela mostra os valores previstos para lajes com 200 mm de espessura�

min Rtimber,up,d ; Rtp,d ; Rlt,d ; Rb,d ; Rbp,d

(11)

(12)

Os valores de resistência para lajes CLT com 280 mm de espessura não são indicados na ETA-19/0700� Por razões de segurança, a tabela mostra os valores previstos para lajes com 240 mm de espessura�

(13)

Valores calculados de acordo com a ETA-11/0030� No cálculo foi considerada uma coluna de madeira maciça C24 com ρ k = 350 kg/m3 �

(14)

Valores calculados de acordo com a ETA-11/0030� No cálculo foi considerada uma coluna de madeira lamelada GL24h com ρ k = 385 kg/m3 �

(15)

Valores calculados de acordo com a ETA-11/0030� No cálculo foi considerada uma coluna de madeira lamelada GL28h com ρ k = 425 kg/m3 �

(16)

Valores calculados de acordo com a ETA-11/0030� No cálculo foi considerada uma coluna de madeira lamelada GL32h com ρ k = 440 kg/m3 �

Rtp,d =

Rtp,k γsteel

Rlt,d =

Rlt,k γsteel

Rb,d =

Rb,k γsteel

Rbp,d =

Rbp,k γsteel

• Para as veriicações devem ser cumpridas as seguintes expressões:

Fslab,d

≤ 1,0 Fco,up,d

{

Fco,up,d + Fslab,d

}

≤ 1,0

≤ 1,0

Rtimber,down,d Ft,d

≤ 1,0

Rt,d • A resistência à compressão ortogonal à ibra na laje (Fslab,d) não inclui a resistência ao corte e ao “rolling shear” do painel CLT na zona afetada pela presença do apoio� As veriicações da laje no Último Estado Limite e no Estado Limite de Serviço devem ser feitas à parte� • As veriicações no lado dos pilares referem-se à resistência à compressão paralela à ibra, no conector PILLAR� A veriicação da instabilidade do pilar deve ser feita à parte�

322 | PILLAR | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS


X-RAD

ETA 15/0632

SISTEMA DE LIGAÇÃO X-RAD REVOLUCIONÁRIO Inovação radical na construção em madeira� Redeinição dos padrão de corte, transporte, acoplagem e resistência dos painéis� Excelentes desempenhos estáticos e sísmicos�

PATENTEADO Movimentação e montagem de paredes e lajes em CLT ultrarrápidas� Redução drástica dos tempos de montagem, erros de obra e risco de acidentes�

SEGURANÇA ESTRUTURAL Sistema de ligação ideal para a projetação sísmica com valores de ductilidade testados e certiicados (CE - ETA 15/0632�)

CARATERÍSTICAS FOCUS

ixação edifícios CLT

PAREDES CLT

de 100 a 200 mm

RESISTÊNCIA

RK até 280 kN

FIXAÇÕES

XVGS, XBOLT, MGS

VÍDEO Digitalize o QR Code e assista ao vídeo no nosso canal YouTube

MATERIAL Chapas furadas de aço e madeira, com múltiplas camadas de faia�

CAMPOS DE APLICAÇÃO Transporte, acoplagem e realização de edifícios de madeira com estrutura CLT (Cross Laminated Timber)�

324 | X-RAD | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS


INOVAÇÃO O elemento metálico em caixa incorpora um peril de madeira de faia com múltiplas camadas ligado aos ângulos das paredes em CLT com parafusos de totalmente roscados�

PROTEÇÃO Na ligação ao chão, a utilização de X-SEAL e membranas autoadesivas de proteção das paredes em CLT garante a durabilidade da estrutura�

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | X-RAD | 325


PRAZOS DE CONSTRUÇÃO A normalização e a redução do número total de ligações tornam o sistema X-RAD um trunfo quando os prazos de construção são um fator determinante para a realização da obra� Estas vantagens foram demonstradas concretamente durante as primeiras construções de edifícios com o sistema X-RAD, onde a duração de todas as operações necessárias para a montagem da estrutura foi cuidadosamente registada e documentada, comparando-a assim no inal com o que é exigido por uma solução com ancoragens tradicionais�

COMPARAÇÃO TEMPOS DE FIXAÇÃO ENTRE A SOLUÇÃO X-RAD E ANGULARES TRADICIONAIS

SISTEMA X-RAD

Tempo médio necessário para a instalação de 1 X-ONE: cerca de 5 minutos. Tempo total necessário para o posicionamento e montagem completa de uma parede ( 4 X-ONE na fábrica + 4 X-PLATE na obra): cerca de 30 minutos.

ELEVAÇÃO VERTICAL As paredes em CLT são montadas na obra, utilizando ligações aparafusadas e chapas especíicas, especialmente desenvolvidas para permitir qualquer coniguração geométrica dos painéis� O sistema X-RAD permite a elevação, movimentação e montagem de painéis CLT diretamente dos meios de transporte até a estrutura em construção, evitando as fases de depósito e armazenamento� O sistema X-RAD é certiicado de acordo com a Diretiva Máquinas 2006/42/CE para a utilização adicional como ponto de elevação vertical para o transporte de painéis em CLT�

T

T β

326 | X-RAD | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS

SISTEMA TRADICIONAL

Tempo total necessário para o posicionamento e montagem completa de uma parede na obra (ixação de 4 WHT440 + 4 TCN240 + 4 TTN200): cerca de 60 - 70 minutos.


COMPORTAMENTO AO FOGO O sistema X-RAD prevê o posicionamento da ligação estrutural, constituída por X-ONE e X-PLATE, axial à parede� Isto permite que os componentes perfeitamente moldados do sistema X-SEAL adiram aos componentes metálicos da ligação, garantindo a estanqueidade e o isolamento termo-acústico� Para compreender o comportamento em caso de incêndio deste sistema, foi iniciado um programa de investigação na Universidade Técnica de Munique (TUM)� Nesta fase, foi estudada uma junção MI de entrepiso com X-ONE, X-PLATE e X-SEAL e a respetiva selagem com ita acrílica, montado dentro de um painel CLT com 100 mm de espessura� Foram testados dois tipos diferentes de amostras: • (A) parede estrutural com sistema X-RAD sem qualquer revestimento do lado do fogo; • (B) parede estrutural com sistema X-RAD revestida com placas de gesso cartonado de acordo com a norma DIN EN520 montadas em aderência� Para monitorizar a evolução da temperatura durante o teste, foram instalados termopares em 6 posições diferentes dentro da ligação� Como descrito no Eurocódigo EN 1993:1-2, os componentes de aço mostram uma redução signiicativa da rutura de tensão, módulo elástico e limite de proporcionalidade acima de 400 °C� A 500 °C, a rutura de tensão reduziu 20% e o módulo elástico 40%� A temperatura de 500 °C será considerada como um valor de referência durante o teste�

EVOLUÇÃO DA TEMPERATURA MÉDIA REGISTADA

AMOSTRA (A) NÃO REVESTIDO (LADO EXPOSTO AO FOGO)

A análise dos resultados mostra que a maioria dos componentes do sistema X-RAD (exceto as partes mais externas do X-ONE) mantêm uma temperatura inferior a 500 °C durante, pelo menos, 30 minutos, ao mesmo tempo que apresentam um bom comportamento ao fogo, graças à proteção oferecida pelo sistema X-SEAL�

900

800

Temperatura [°C]

700

600

500

X-PLATE F (1/3/5) X-ONE BASESCREW FA (8/10)

400

X-PLATE FA (2/4/6)

300

X-ONE - X-PLATE (11/12/13/14) 200

X-ONE BASESCREW F (7/9)

100

X-ONE - CRACK (17/18)

0 0

10

20

30

40

50

60

70

80

Time [min]

AMOSTRA (B) REVESTIDO (LADO EXPOSTO AO FOGO)

A análise dos resultados mostra que todos os componentes do sistema X-RAD mantêm uma temperatura inferior a 500 °C durante mais de 60 minutos, mostrando assim um excelente comportamento ao fogo, graças à proteção oferecida pelo sistema X-SEAL e pelas placas de gesso revestidas�

900

800

700

Temperatura [°C]

600

500

X-PLATE F (3/5)

400

X-ONE BASESCREW FA (8/10)

300

X-PLATE FA (2/4/6) 200

X-ONE - X-PLATE (11/12/13/14) X-ONE BASESCREW F (7/9)

100

X-ONE - CRACK (17/18)

0 0

10

20

30

40

50

60

70

80

Time [min]

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | X-RAD | 327


X-ONE CÓDIGOS E DIMENSÕES PARAFUSO X-VGS

X-ONE CÓDIGO

L

B

H

[mm]

[mm]

[mm]

273

90

113

XONE

CÓDIGO

pçs

XVGS11350

1

GABARITO MANUAL

L

b

d1

[mm]

[mm]

[mm]

350

340

11

TX

pçs

TX50

25

GABARITO AUTOMÁTICO

CÓDIGO

descrição

pçs

CÓDIGO

descrição

pçs

ATXONE

gabarito manual para montagem do X-ONE

1

JIGONE

gabarito automático para montagem do X-ONE

1

GEOMETRIA 36

113

89

113

45°

90

273

102 90

Ø6

Ø6

273

POSICIONAMENTO Independentemente da espessura do painel e da sua colocação na obra, o corte para a ixação do X-ONE é realizado no topo das paredes a 45° e tem um comprimento de 360,6 mm� CORTE STANDARD ESPECÍFICO JUNÇÕES ENTREPISO E SUPERIORES

CORTE STANDARD ESPECÍFICO JUNÇÕES DA BASE

18

0, 3

s 300

255

36

0, 6

18

0, 3

255

s/2

255

45°

255 45°

328 | X-RAD | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS

100


RESISTÊNCIAS DE PROJETO A veriicação da ligação X-ONE é considerada satisfatória quando o ponto representativo da tensão Fd se enquadra no domínio da resistência de projeto:

N[kN] 110

Rd

90

70

Fd

Fd ≤ Rd

50

30

10

-210

-190

-170

-150

-130

-110

-90

-70

-50

-30

-10

V[kN]α = 0° 10

30

50

70

90

110

130

O domínio de projeto do X-ONE refere-se aos valores de resistência e aos coeicientes γM apresentados na tabela e para cargas com classe de duração instantânea (sismo e vento).

-30

-50

-70

-90

-110

-130

-150

-170

LEGENDA:

-190

Rk

-210

Rd EN 1995-1-1 Domínio da resistência de projeto de acordo com a EN 1995-1-1 e a EN 1993-1-8

É apresentada uma tabela recapitulativa das resistências características nas várias conigurações de tensão e uma referência ao respetivo coeiciente de segurança de acordo com o modo de rutura (aço ou madeira)�

RESISTÊNCIA GLOBAL α

COMPONENTES DE RESISTÊNCIA

MODALIDADE DE RUTURA

Rk Vk Nk

COEFICIENTES PARCIAIS DE SEGURANÇA(1) γM

[kN]

[kN]

[kN]

111,6

111,6

111,6

tração VGS

γ M2 = 1,25

45°

141,0

99,7

99,7

block tearing nos furos M16

γ M2 = 1,25

90°

111,6

0,0

111,6

tração VGS

γ M2 = 1,25

135°

97,0

-68,6

68,6

tração VGS

γ M2 = 1,25

180°

165,9

-165,9

0,0

extrato rosca VGS

γ M,timber = 1,3

225°

279,6

-197,7

-197,7

compressão da madeira

γ M,timber = 1,3

270°

165,9

0,0

-165,9

extração da rosca VGS

γ M,timber = 1,3

315°

97,0

68,6

-68,6

tração VGS

γ M2 = 1,25

360°

111,6

111,6

0,0

tração VGS

γ M2 = 1,25

NOTAS: (1)

Os coeicientes parciais de segurança devem ser considerados em função da norma vigente utilizada para o cálculo. A tabela mostra os valores no lado do aço de acordo com a EN 1993-1-8 e no lado da madeira de acordo com a EN 1995-1-1.

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | X-RAD | 329


X-PLATE CÓDIGOS E DIMENSÕES FORMA X

FORMA T

FORMA G

FORMA J

FORMA I

FORMA 0

X-PLATE TOP

TX100 TX120 TX140

TT100 TT120 TT140

TG100 TG120 TG140

TJ100 TJ120 TJ140

TI100 TI120 TI140

4 XONE 24 XVGS11350 8 XBOLT1660 2 XBOLT1260

3 XONE 18 XVGS11350 6 XBOLT1660 2 XBOLT1260

2 XONE 12 XVGS11350 4 XBOLT1660

2 XONE 12 XVGS11350 4 XBOLT1660

2 XONE 12 XVGS11350 4XBOLT1660

X-PLATE MID

MX100 MX120 MX140

MT100 MT120 MT140

MG100 MG120 MG140

MJ100 MJ120 MJ140

MI100 MI120 MI140

MO100 MO120 MO140

8 XONE 48 XVGS11350 8 XBOLT1665 8 XBOLT1660 4 XBOLT1260

6 XONE 36 XVGS11350 8 XBOLT1665 4 XBOLT1660 4 XBOLT1260

4 XONE 24 XVGS11350 8 XBOLT1660

4 XONE 24 XVGS11350 8 XBOLT1660

4 XONE 24 XVGS11350 8 XBOLT1665

2 XONE 12 XVGS11350 4 XBOLT1660

X-PLATE BASE 4x

3x

2x

2x

2x

1x

BMINI

BMAXI

BMINIL

BMINIR

BMAXIL

BMAXIR

1 XONE 6 XVGS11350 2 XBOLT1660

1 XONE 6 XVGS11350 2 XBOLT1660

1 XONE 6 XVGS11350 2 XBOLT1660

1 XONE 6 XVGS11350 2 XBOLT1660

1 XONE 6 XVGS11350 2 XBOLT1660

1 XONE 6 XVGS11350 2 XBOLT1660

330 | X-RAD | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS


SISTEMA DE CHAPAS X-PLATE O X-ONE torna o painel em CLT um módulo com ligações especíicas de ixação� O X-PLATE permite que os módulos se transformem em edifícios� Podem ser ligados painéis com espessura entre 100 e 200 mm� As chapas X-PLATE são a solução ideal para cada situação da obra, desenvolvidas para todas as conigurações geométricas� As chapas X-PLATE são identiicadas de acordo com sua colocação no nível do edifício (X-BASE, X-MID, X-TOP) e de acordo com a coniguração geométrica da junção e da espessura dos painéis ligados�

COMPOSIÇÃO CÓDIGO X-PLATE MID-TOP

T

NÍVEL + JUNÇÃO + ESPESSURA G

• NÍVEL: indica que se trata de chapas de entrepiso MID (M) e TOP (T)

O

• JUNÇÃO: indica o tipo de junção (X, T, G, J, I, O) • ESPESSURA: indica a espessura do painel que pode ser utilizado com aquela chapa� Existem três famílias de espessuras standard, 100 mm - 120 mm - 140 mm� É possível utilizar todas as espessuras de painel entre 100 e 200 mm, utilizando chapas universais para junções G, J, T e X, em combinação com chapas de enchimento SPACER especialmente desenvolvidas para o efeito� As chapas universais estão disponíveis nas versões MID-S e TOP-S para painéis com espessura entre 100 e 140 mm e nas versões MID-SS e TOP-SS para painéis com espessura entre 140 e 200 mm�

X

J

I

COMPOSIÇÃO CÓDIGO X-PLATE BASE NÍVEL + ESPESSURA + ORIENTAÇÃO TOP

• NÍVEL: B indica que se trata de chapas de base� • ESPESSURA: indica o intervalo de espessura do painel que pode ser utilizado com aquela chapa� Existem duas famílias de chapa, a primeira concebida para espessuras de 100 a 130 mm (código BMINI), a segunda para espessuras de 130 a 200 mm (código BMAXI)� • ORIENTAÇÃO: indica a orientação da chapa em relação à parede, direita/esquerda (R/L), apenas disponível para chapas assimétricas�

MID

MID

BASE

ACESSÓRIOS: CHAPAS X-PLATE BASE EASY PARA FIXAÇÕES NÃO ESTRUTURAIS

Se for necessária uma ixação na fundação para paredes não estruturais ou uma ixação temporária para um alinhamento correto das paredes (por exemplo, paredes com um comprimento considerável), é possível instalar no ângulo inferior do painel em CLT (com corte simpliicado de 45° sem serragem horizontal) a chapa BEASYT (em alternativa ao X-ONE) e na laje da fundação a chapa BEASYC (em alternativa às chapas X-PLATE BASE)�

CÓDIGOS E DIMENSÕES CÓDIGO

s

ØSUP

n. ØSUP

Ø INT

n. Ø INT

pçs

[mm]

[mm]

BEASYT

5

9

3

[mm] 17

2

1

BEASYC

5

17

2

13

2

1

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | X-RAD | 331


X-SEAL CÓDIGOS E DIMENSÕES FORMA X

FORMA T

FORMA G

FORMA J

FORMA I

XSEALTJ100 XSEALTJ120 XSEALTX140 4 COMPONENTES

XSEALTI100 XSEALTI120 XSEALTI140 2 COMPONENTES

FORMA O

X-SEAL TOP

XSEALTX100 XSEALTX120 XSEALTX140 8 COMPONENTES

XSEALTT100 XSEALTT120 XSEALTT140 5 COMPONENTES

XSEALTG100 XSEALTG120 XSEALTG140 4 COMPONENTES

X-SEAL MID

XSEALMX100 XSEALMX120 XSEALMX140 16 COMPONENTES

XSEALMT100 XSEALMT120 XSEALMT140 9 COMPONENTES

XSEALMG100 XSEALMG120 XSEALMG140 6 COMPONENTES

XSEALMJ100 XSEALMJ120 XSEALMJ140 6 COMPONENTES

XSEALMI100 XSEALMI120 XSEALMI140 3 COMPONENTES

XSEALMO100 XSEALMO120 XSEALMO140 3 COMPONENTES

XSEALBI100 XSEALBI120 XSEALBI140 2 COMPONENTES

XSEALBO100 XSEALBO120 XSEALBO140 2 COMPONENTES

X-SEAL BASE

XSEALBX100 XSEALBX120 XSEALBX140 8 COMPONENTES

XSEALBT100 XSEALBT120 XSEALBT140 5 COMPONENTES

XSEALBG100 XSEALBG120 XSEALBG140 4 COMPONENTES

XSEALBJ100 XSEALBJ120 XSEALBJ140 4 COMPONENTES

X-SEAL BASE

X-SEAL SPACER

XSEALSPARE50 XSEALSPARE60 XSEALSPARE70

XSEALSPACER5 XSEALSPACER10

332 | X-RAD | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS


O sistema X-SEAL retoma a mesma lógica das chapas X-PLATE� Cada coniguração é caracterizada e descrita por: •

NÍVEL: indica se se trata de nível de base B (BASE), entrepiso M (MID) ou cobertura T (TOP)�

JUNÇÃO: indica o tipo de junção (X, T, G, J, I, O)�

ESPESSURA: indica a espessura de painel que pode ser utilizado� Existem três famílias de espessuras standard: 100 mm - 120 mm - 140 mm� É possível utilizar todas as espessuras de painel entre 100 mm e 200 mm, combinando os componentes de base para as espessuras standard com elementos SPACER com espessuras de 5 e 10 mm�

COMPORTAMENTO TERMOHIGROMÉTRICO A análise térmica do sistema X-RAD é realizada com o objetivo de quantiicar e veriicar a ponte térmica pontual� As condições mais desfavoráveis em que se concentra o estudo e a veriicação são a ligação ao chão do elemento BASE G e a junção da ligação parede e laje da cobertura, TOP G� O estudo é realizado utilizando um modelo FEM - 3D� A estratigraia de referência considerada, representa uma possível situação standard que pode ser encontrada na prática atual de construção� Na imagem, é possível ver o conjunto da construção e os materiais considerados� A escolha de materiais especíicos permite contextualizar as veriicações e não exclui a utilização de diferentes produtos�

B

A

Segue-se uma visão geral do estudo com alguns dos resultados� Para obter o relatório completo do estudo ou para mais informações, contactar o departamento técnico da Rothoblaas�

JUNÇÃO A | Ligação ao chão coeiciente

descrição

1

valor

X Chi (16 cm)

luxo térmico

- 0,330 W/junção

fRsi (Te = - 5 °C)

fator de temperatura

0,801

7

2 U1 3

9

6

6

4 5 6

8 U2

JUNÇÃO A | Fluxo térmico (Chi) isolante

transmissão relativa

valor

12 + 5 cm

0,190

W/m2K

- 0,380 W/junção

16 + 5 cm

0,160 W/m2K

- 0,330 W/junção

24 + 5 cm

W/m2K

- 0,260 W/junção

0,121

JUNÇÃO A | Perigo mofo (Tsi) temperatura (te)

Tsi isolante 12 cm

Tsi isolante 16 cm

Tsi isolante 24 cm

fRsi-average

0,801

0,811

0,824

- 5,0 °C

15,2 °C

15,5 °C

15,8 °C

0,0 °C

16,0 °C

16,2 °C

16,5 °C

5,0 °C

16,8 °C

16,9 °C

17,1 °C

1� CLT 10 cm 2� Isolante ibra de madeira 5 cm 3� Gesso cartonado 4� Pavimento de madeira 5� Revestimento de betão 6� Poliestireno XPS extrudado 12 cm 7� Isolante ibra de madeira 12 cm 8� Betão 9� Terreno

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | X-RAD | 333


COMPORTAMENTO ACÚSTICO Com o X-RAD, as junções estruturais estão concentrados em pontos individuais e distintos� No que diz respeito à acústica, foi realizado um estudo no âmbito do Projeto Flanksound com o objetivo de conseguir a caracterização acústica das junções estruturais realizadas com o X-RAD� Por conseguinte, a Rothoblaas promoveu uma investigação destinada a medir o índice de redução das vibrações Kij para uma variedade de nós entre os painéis CLT, com o duplo objetivo de fornecer dados experimentais especíicos para a projetação acústica dos edifícios em CLT e contribuir para o desenvolvimento de métodos de cálculo� Para mais informações e detalhes sobre o projeto e sobre os métodos de medição, consultar o catálogo SOLUÇÕES DE ACÚSTICA�

CUIDADOS COM OS PORMENORES Graças ao posicionamento pontual das junções estruturais no topo das paredes em CLT, o X-RAD permite a não-interposição das lajes entre as paredes� Isto traz benefícios importantes do ponto de vista acústico, que aumentam com a adoção de peris especiais, prevendo os interstícios mostrados na igura�

interstícios de 5 mm

interstícios de 1 mm

XYLOFON

XYLOFON/ALADIN STRIPE

APLICAÇÕES ESPECIAIS O sistema X-RAD abre novas fronteiras no campo das ligações para estruturas em CLT� A elevada resistência e a rigidez extrema permitem aumentar o grau de utilização dos painéis em CLT, otimizando o desempenho da madeira e das ligações� Nascem assim soluções inovadoras, como as estruturas híbridas (madeira-betão, madeira-aço), estruturas de núcleo rígido e estruturas modulares�

334 | X-RAD | LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS


QUER SABER MAIS? O X-RAD é um sistema de construção completo e estudado ao mais pequeno pormenor� Neste catálogo é apresentada apenas uma visão geral do sistema� Para mais informações e detalhes sobre o sistema de construção, consultar a icha técnica em www�rothoblaas�pt, que contém, entre outras, secções dedicadas aos seguintes tópicos�

MYPROJECT: MÓDULO X-ONE Cálculo do conector X-ONE através do software MyProject�

ORIENTAÇÕES PARA A MODELAÇÃO DE SISTEMAS X-RAD Proposta de um método de modelação FEM para edifícios construídos com X-RAD�

INSTALAÇÃO

DA MODELAÇÃO À OBRA

Detalhes sobre a instalação manual e automática de conectores�

Procedimento para uma projetação e execução otimizadas�

PROJETAÇÃO CONSTRUTIVA CAD/CAM

POSSIBILIDADE DE PRÉ-FABRICO AVANÇADO

Detalhes das junções e geometrias a desenhar no modelo CAD/CAM�

Possibilidade de pré-fabrico avançado de edifícios construídos com X-RAD�

LIGAÇÕES PARA PAREDES E EDIFÍCIOS | X-RAD | 335


AO SERVIÇO DOS PROJETISTAS

Com uma ampla gama de formação multilíngue enriquecida pela presença de relatores internacionais, um serviço técnico dedicado e um sítio eletrónico que oferece documentação especializada, software de cálculo e detalhes de construção, estamos ao seu lado todos os dias.

60 1.600 7.000 11 250

CURSOS E SEMINÁRIOS DE FORMAÇÃO Rothoschool DOCUMENTOS DISPONÍVEIS ONLINE Catálogos e ichas técnicas CONSULTORIA/ANO Engenheiros especializados TIPOS DE CONEXÃO CALCULÁVEIS Software MyProject FICHEIRO DXF EM BIBLIOTECAS QUE PODEM SER DESCARREGADAS Detalhes de construção


FORMAÇÃO DE VANGUARDA Graças à experiência e conhecimentos comprovados dos oradores envolvidos, os cursos da Rothoschool são capazes de satisfazer as mais amplas necessidades de formação de carpinteiros, projetistas e empresas� Desde os aspetos estruturais, ao desempenho energético e à segurança no ambiente de trabalho�

METODOLOGIA DE ENSINO PRESENCIAL Programas de formação que abordam os tópicos mais atuais no campo da conceção e implementação de edifícios de madeira, mas não só� Oradores qualiicados e programas de ensino estimulantes: a combinação perfeita para se manter a par das principais questões relacionadas com o mundo da construção em madeira�

TESTES PRÁTICOS E NO ESTALEIRO A Rothoschool não é apenas ensino, mas também exercícios e a possibilidade de experienciar o que é explicado a um nível conceitual na sala de aula� Os testes práticos e as visitas ao estaleiro dão aos cursos da Rothoschool algo extra que torna a oferta de formação completa e especial�

HOSPITALIDADE Formação e network� A Rothoschool vai além de aulas e testes práticos: é também convivialidade e intercâmbio entre proissionais do setor� Desde os cofee breaks, às atividades paralelas organizadas para os nossos convidados, garantimos-lhe que o tempo aqui passado é de qualidade e é lembrado com um sorriso.

ROTHOSCHOOL ON TOUR Não só em Itália: mediante pedido, os cursos da Rothoschool também são realizados no local que preferir. Contacte-nos para saber mais sobre como organizar um curso da Rothoschool adaptado às suas necessidades!

Descubra todos os cursos da ROTHOSCHOOL! Mantenha-se atualizado e descubra a formação certa para um futuro proissional de sucesso!

www.rothoblaas.pt/formacao


DESCUBRA COMO PROJETAR DE FORMA SIMPLES, VELOZ E INTUITIVA! MyProject é o software prático e coniável para os proissionais da projetação de estruturas de madeira: desde a veriicação das conexões metálicas às análises termo-higrométricas dos componentes opacos, até à projetação da solução acústica mais adequada� Entre as principais vantagens, incluem-se as indicações de instalação e ilustrações explicativas que permitem ao projetista de concentrar-se nas escolhas projetuais, comparando entre estas e escolhendo a melhor�

CÁLCULO E VERIFICAÇÃO DAS CONEXÕES METÁLICAS PARA ELEMENTOS ESTRUTURAIS

NORMATIVAS SEMPRE ATUALIZADAS

RELATÓRIO DE CÁLCULO PERSONALIZÁVEL COM O LOGÓTIPO DO SEU ESTÚDIO

DECLARAÇÕES DE DESEMPENHO ACESSÍVEIS A PARTIR DA INTERFACE DO SOFTWARE

VERIFICAÇÕES TERMOHIGROMÉTRICAS DE COMPONENTES OPACOS EM REGIME ESTÁTICO E DINÂMICO

POSSIBILIDADE DE EXPORTAÇÃO DO PROJETO EM FORMATO CAD

MyProject Transira-o, conheça-o e saiba como é simples identiicar as soluções melhores para o seu projeto e obter um relatório de cálculo completo e personalizado�

www.rothoblaas.pt/software


OS NOSSOS SERVIÇOS

BIBLIOTECAS BIM/CAD

BIBLIOTECAS DE PORMENORES DE CONSTRUÇÃO

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

Descarregue a biblioteca completa de produtos e soluções Rothoblaas em formato BIM/CAD e crie os seus projetos com simplicidade� Se estiver interessado num produto especíico, procure o respetivo icheiro na secção “Produtos” do menu principal�

Bibliotecas de detalhes de construção para edifícios de madeira, concebidas para projetar assegurando o máximo de rendimento estrutural, térmico, acústico, de vedação do ar e de durabilidade� Mais de 200 detalhes de construção em formato �dxf, disponíveis em 7 línguas�

Para simpliicar a fase de projeto estão disponíveis gratuitamente mais de 130 especiicações técnicas atualizadas para os produtos Rothoblaas� Nesta secção poderá descarregá-las em práticos registos para tê-los sempre à disposição�

PROJETOS DE PESQUISA

CONSULTORIA

SÍTIO WEB

Consulte as publicações cientíicas apoiadas por Rothoblaas relativas aos mais recentes e inovadores projetos de pesquisa no campo das construções em madeira�

Um grupo de consultores técnicos altamente qualiicados está sempre à disposição dos projetistas, técnicos e instaladores�

Um sítio web repleto de informações e recursos para cada produto que pode transferir� Além disso, graças ao calendário de eventos internacionais, saberá sempre em que feiras e seminários estamos presentes�

Subscreva o nosso canal YouTube para se manter a par das nossas novidades! Encontrará muitos tutoriais, cursos e intervenções dos nossos consultores�

VÍDEO PRODUTO Assista aos vídeo ilustrativos dos nossos produtos para compreender da melhor forma cada detalhe útil para uma correta e precisa colocação em obra�

CURSOS DE VÍDEO Descubra as nossas aulas sobre temas relacionados com a construção em madeira� Novidades, conselhos e detalhes para tirar o melhor partido da utilização dos nossos produtos�

WEBINAR

M WM M

p r p ` o f _ b

Cursos interativos em que pode participar diretamente a partir de casa ou do escritório! Poderá seguir os nossos oradores e fazer perguntas sobre o seu trabalho diário, encontrando soluções simples até para questões complexas�


ANGULARES, ESTRIBOS E CHAPAS FURADAS


ANGULARES, ESTRIBOS E CHAPAS FURADAS


ANGULARES, ESTRIBOS E CHAPAS FURADAS

WBR ANGULARES PARA EDIFÍCIOS � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � �340

WBR A2 | AISI304 ANGULARES EM AÇO INOXIDÁVEL� � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � �346

WKR ANGULARES REFORÇADOS PARA CASAS � � � � � � � � � � � � � � � � � � �348

WZU ANGULAR PARA FORÇAS DE TRAÇÃO� � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � 352

WKF ANGULARES PARA FACHADAS � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � 358

WBO - WVS - WHO ANGULARES DIVERSOS � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � �360

LOG ANGULARES PARA LOG HOUSE � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � �364

SPU CHAPA DE ANCORAGEM UNI PARA BARROTES � � � � � � � � � � � � � 365

BSA ESTRIBOS METÁLICOS COM ASAS EXTERNAS � � � � � � � � � � � � � � �368

BSI ESTRIBOS METÁLICOS COM ASAS INTERNAS � � � � � � � � � � � � � � � 376

LBV CHAPAS FURADAS � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � �380

LBB FITA FURADA

� � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � �386

ANGULARES, ESTRIBOS E CHAPAS FURADAS | 339


WBR

ETA

ANGULARES PARA EDIFÍCIOS GAMA COMPLETA Sistema simples e eicaz, disponível em várias medidas, para satisfazer toda e qualquer exigência aplicativa�

RESISTÊNCIAS CERTIFICADAS Ideal para ligaçãoes estruturais que requerem resistências ao corte, tração ou viragem�

MADEIRA E BETÃO Graças aos numerosos furos e às suas disposições, é apropriado para a utilização quer sobre madeira quer sobre betão�

CARATERÍSTICAS FOCUS

ixação de corte e tração

ALTURA

de 70 a 170 mm

ESPESSURA

de 1,5 a 3,0 mm

FIXAÇÕES

LBA, LBS, SKR, VIN-FIX PRO

MATERIAL Chapas tridimensionais furadas de aço carbónico electrogalvanizado�

CAMPOS DE EMPREGO Ligações madeira-betão e madeira-madeira • madeira maciça e lamelar • CLT, LVL • estruturas de armação (platform frame) • painéis à base de madeira

340 | WBR | ANGULARES, ESTRIBOS E CHAPAS FURADAS


SOLUÇÃO PONTUAL A variedade das dimensões faz com que seja a solução perfeita para aplicações pontuais, mesmo as mais peculiares�

SEGURO A idoneidade ao uso e à segurança são garantidas pela marcação CE segundo ETA� Valores certiicados com base em ensaios de produto�

ANGULARES, ESTRIBOS E CHAPAS FURADAS | WBR | 341


CÓDIGOS E DIMENSÕES WBR 70-90-100

S250 GALV

H H H

1

P

2

B

CÓDIGO

P

B

3

P

B

B

P

H

s

n Ø5

n Ø11

n Ø13

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

pçs

pçs

pçs

pçs

1

WBR070

55

70

70

2,0

14

2

-

100

2

WBR090

65

90

90

2,5

20

2

-

100

3

WBR100

90

100

100

3,0

28

4

2

50

WBR 90110-170

DX51D GALV

H

H

1

B

P

CÓDIGO

2

P

B

B

P

H

s

n Ø5

n Ø13

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

pçs

pçs

pçs

1

WBR90110

110

50

90

3,0

21

6

50

2

WBR170

95

114

174

3,0

53

9

25

WBR THIN 70-90-100

S250 GALV

H

H H

1

P

CÓDIGO

2

B

P

B

3

P

B

B

P

H

s

n Ø5

n Ø11

pçs

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

pçs

pçs

55

70

70

1,5

16

2

100

1

WBR07015

2

WBR09015

65

90

90

1,5

20

2

100

3

WBR10020

90

100

100

2,0

24

4

50

342 | WBR | ANGULARES, ESTRIBOS E CHAPAS FURADAS


MATERIAL E DURABILIDADE

FORÇAS

WBR - WBR THIN 70-90-110: aço carbónico S250GD+Z275� Utilização em classes de serviço 1 e 2 (EN 1995-1-1)�

F1

F1

F4

F5

WBR 90110-170: aço carbónico DX51D+Z275� Utilização em classes de serviço 1 e 2 (EN 1995-1-1)�

F2

F3

F1

F1

F4

F5

CAMPOS DE EMPREGO

F2

F3

• Ligações madeira-madeira • Ligações madeira-betão • Ligações madeira-aço

PRODUTOS ADICIONAIS - FIXAÇÕES tipo

descrição

d

suporte

pág.

[mm] LBA

prego Anker

4

548

LBS

parafuso para chapas

5

552

SKR

ancorante parafusável

10

488

M10 - M12

517

EPO-FIX PLUS ancorante químico

VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO MADEIRA-MADEIRA WBR 70-90-100

1

2

3

NÚMERO DE FIXAÇÕES

VALORES CARACTERÍSTICOS

ixação de furos Ø5

R2/3,k

R1,k

R4/5,k*

CÓDIGO

tipo

ØxL

nv

[mm]

pçs

[kN]

[kN]

[kN]

WBR070

pregos LBA

Ø4,0 x 60

12

3,9

1,7

2,0

2 WBR090

pregos LBA

Ø4,0 x 60

18

5,6

3,1

3,7

3 WBR100

pregos LBA

Ø4,0 x 60

26

8,9

3,8

4,6

1

* 2 angulares para ligação

ANGULARES, ESTRIBOS E CHAPAS FURADAS | WBR | 343


VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO MADEIRA-MADEIRA WBR 90110-170

1

2

NÚMERO DE FIXAÇÕES

VALORES CARACTERÍSTICOS

ixação de furos Ø5 CÓDIGO

1

WBR90110

2 WBR170

tipo

R2/3,k

R4/5,k*

R1,k

ØxL

nv

R2/3,k timber

R1,k timber

R1,k steel

R4/5,k timber

R4/5,k steel

[mm]

pçs

[kN]

[kN]

[kN]

[kN]

[kN]

pregos LBA

Ø4,0x60

17

7,1

2,5

3,4

10,4

10,9

pregos LBA

Ø4,0x60

49

11,0

1,7

3,7

12,4

9,2

* 2 angulares para ligação

WBR THIN 70-90-100

1

2

3

NÚMERO DE FIXAÇÕES

VALORES CARACTERÍSTICOS

ixação de furos Ø5 CÓDIGO

R2/3,k

R1,k

R4/5,k*

tipo

ØxL

nv

[mm]

pçs

[kN]

[kN]

[kN]

WBR07015

Pregos LBA

Ø4,0x60

16

5,1

4,8

11,1

2 WBR09015

Pregos LBA

Ø4,0x60

20

6,7

5,3

11,7

3 WBR10020

Pregos LBA

Ø4,0x60

24

10,2

7,5

12,4

1

* 2 angulares para ligação

344 | WBR | ANGULARES, ESTRIBOS E CHAPAS FURADAS


VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO MADEIRA-BETÃO

1

2

3

4

NÚMERO DE FIXAÇÕES ixação de furos Ø5

CÓDIGO

1

tipo

VALORES CARACTERÍSTICOS

ixação de furos Ø11

ixação de furos Ø13

R2/3,k

ØxL

nv

nH

nH

R2/3,k

Bolt 2/3(1)

[mm]

pçs

pçs

pçs

[kN]

kt⊥

WBR100

pregos LBA

Ø4,0x60

26

2

-

8,9

1,11

2 WBR10020

pregos LBA

Ø4,0x60

26

2

-

10,2

0,63

3 WBR90110

pregos LBA

Ø4,0x60

17

-

2

7,1

0,71

4 WBR170

pregos LBA

Ø4,0x60

49

-

4

11,0

0,65

Valores característicos calculados distribuindo pelos pregos parte do momento fornecido pela excentricidade� Podem ser calculadas outras hipóteses pelo projetista�

NOTAS:

PRINCÍPIOS GERAIS:

(1)

• Os valores característicos são conforme a norma EN 1995-1-1, de acordo com ETA.

A ixação ao betão deve ser veriicada com base na força de tensão do próprio ancorante, que pode ser determinada através dos coeicientes kt// ou kt⊥ tabelados� A força actuante sobre o ancorante é obtida desta maneira:

Fbolt,d = kt Fd kt coeiciente de excentricidade Fd tensão de projeto atuante no angular A veriicação do grupo dos ancorantes é satisfeita se a resistência de projeto, calculada considerando os efeitos de borda, for maior do que a tensão de projeto: Rd ≥ Fd. • Os valores de resistência são válidos para as hipóteses de cálculo deinidas em tabela; condições de limite diferentes devem ser veriicadas.

• Os valores de projeto são obtidos a partir dos valores característicos, desta forma:

Rd = min

Rk,timber kmod γM Rk,steel γsteel

γsteel deve ser considerado como γ M0 • Os coeicientes yM0, γ M e kmod devem ser considerados em função da norma vigente utilizada para o cálculo. • A dimensão e a veriicação dos elementos de madeira e de betão devem ser feitas à parte.

ANGULARES, ESTRIBOS E CHAPAS FURADAS | WBR | 345


WBR A2 | AISI304

A2

AISI 304

ANGULARES EM AÇO INOXIDÁVEL EXTERIOR Aço inoxidável A2 | AISI304 para uso exterior nas classes de serviço 1, 2 e 3 e para uma excelente durabilidade�

FIXAÇÃO VERSÁTIL Fixação com pregos e ancorantes em aço inoxidável� Dimensão e disposição dos furos estudadas para uma aplicação eicaz em todas as situações�

CARATERÍSTICAS FOCUS

utilização no exterior

ALTURA

de 70 a 100 mm

ESPESSURA

2,0 | 2,5 mm

FIXAÇÕES

LBAI, SCA A2, SKR-E, AB1 A4

MATERIAL Aço inoxidável A2 | AISI304�

CAMPOS DE EMPREGO Utilização para ligações em ambientes exteriores; idóneo para classes de serviço 1, 2 e 3 • madeira maciça e lamelar • CLT, LVL

346 | WBR A2 | AISI304 | ANGULARES, ESTRIBOS E CHAPAS FURADAS


CÓDIGOS E DIMENSÕES WBR A2 70-90-100

A2

AISI 304

H

H

H

P

1

CÓDIGO

1 AI7055

B

P

2

B

P

3

B

B

P

H

s

n Ø5

n Ø11

pçs

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

pçs

pçs

55

70

70

2,0

14

2

100

2 AI9065

65

90

90

2,5

16

2

100

3 AI10090

90

105

105

2,5

26

4

50

A4

LBAI A4 | AISI316 CÓDIGO

AISI 316

d1

L

b

[mm]

[mm]

[mm]

4

50

40

LBAI450

d1

pçs L 250

A2

SCA A2 | AISI304 CÓDIGO SCA4550

AISI 304

d1

L

b

[mm]

[mm]

[mm]

4,5

50

30

TX

d1

pçs L

TX20

200

SKR-E CÓDIGO SKREVO1080

d1

L

SW

[mm]

[mm]

[mm]

10

80

16

d1

pçs L 50

A4

AB1 A4 | AISI316 CÓDIGO AB11092A4

COATING

AISI 316

d

L

SW

[mm]

[mm]

[mm]

M10

92

17

pçs

d L

50

DURABILIDADE EXCELENTE Graças ao aço inoxidável A2 | AISI304 e às respetivas ixações em aço inoxidável, os angulares são ideais para utilização no exterior�

ANGULARES, ESTRIBOS E CHAPAS FURADAS | WBR A2 | AISI304 | 347


WKR

ETA

ANGULARES REFORÇADOS PARA CASAS RESISTÊNCIA Base reforçada e espessura consistente para garantir boas resistências à tração e viragem�

FIXAÇÃO VERSÁTIL A ixação pode ser efetuada com parafusos, pregos e ancorantes� Dimensão e disposição dos furos estudadas para uma aplicação eicaz em todas as situações�

FURO SULCADO Fixação ao chão por meio de parafusos ou ancorantes� O sulco na base consente uma ampla possibilidade de escolha da ixação�

CARATERÍSTICAS FOCUS

ixação de tração

ALTURA

de 95 a 285 mm

ESPESSURA

3,0 | 3,5 mm

FIXAÇÕES

LBA, LBS, SKR, VIN-FIX PRO

MATERIAL Chapas tridimensionais furadas de aço carbónico�

CAMPOS DE EMPREGO Ligações madeira-betão e madeira-madeira • madeira maciça e lamelar • CLT, LVL • estruturas de armação (platform frame) • painéis à base de madeira

348 | WKR | ANGULARES, ESTRIBOS E CHAPAS FURADAS


REFORÇO A particular geometria do pé de apoio assegura melhores resistências à tração e viragem� O angular também tem a função de suporte para a parede, contribuindo para mantê-la em posição erecta�

TRAÇÃO Ideal para as ligações mais comuns e em todas as aplicações que requerem valores ordinários de resistência à tração�

ANGULARES, ESTRIBOS E CHAPAS FURADAS | WKR | 349


CÓDIGOS E DIMENSÕES WKR versão 3,5 mm

DX51D GALV

H

H

H

1

P

2

B

CÓDIGO

P

3

B

P

B

B

P

H

s

n Ø5

n Ø11

nv Ø14

nH Ø12,5

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

pçs

pçs

pçs

pçs

pçs

1

WKR095

65

85

95

3,5

13

1

-

1

25

2

WKR135

65

85

135

3,5

18

1

1

1

25

3

WKR285

65

85

285

3,5

30

1

3

1

25

WKR versão 3 mm

S250 GALV

H

H H

1

P

CÓDIGO

2

B

P

3

B

P

B

B

P

H

s

n Ø5

n Ø11

n Ø13,5

nv Ø13,5 nH Ø13,5

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

pçs

pçs

pçs

pçs

pçs

pçs

1

WKR09530

65

88

95

3

11

1

1

-

1

25

2

WKR13530

65

88

135

3

16

1

2

1

1

25

3

WKR28530

65

88

285

3

30

1

4

3

1

25

FORÇAS

MATERIAL E DURABILIDADE WKR: aço DX51D+Z275� WKR 3 mm: aço S250GD+Z275� Utilização em classes de serviço 1 e 2 (EN 1995-1-1)�

F1

F1 F5

CAMPOS DE EMPREGO • Ligações madeira-madeira • Ligações madeira-betão • Ligações madeira-aço

350 | WKR | ANGULARES, ESTRIBOS E CHAPAS FURADAS

F4


PRODUTOS ADICIONAIS - FIXAÇÕES tipo

descrição

d

suporte

pág.

[mm] LBA

prego Anker

4

548

LBS

parafuso para chapas

5

552

VGS

parafuso todo-rosca

11

564

SKR

ancorante parafusável

10

488

M10 - M12

517

EPO-FIX PLUS ancorante químico

VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO MADEIRA-BETÃO

1

3

2

4

fixação sobre coluna

fixação sobre viga

NÚMERO DE FIXAÇÕES CÓDIGO

VALORES CARACTERÍSTICOS FIXAÇÃO SOBRE COLUNA

ixação de furos Ø5 tipo

6

5

R1,k

ØxL

nv

R1,k timber

R1,k steel

Bolt1(1)

[mm]

pçs

[kN]

[kN]

kt //

3

5,6

10,1

1,44

1 WKR095

pregos LBA

Ø4,0 x 60

2 WKR135

pregos LBA

Ø4,0 x 60

8

15,0

10,1

1,44

3 WKR285

pregos LBA

Ø4,0 x 60

17

31,8

10,1

1,44

NÚMERO DE FIXAÇÕES CÓDIGO

VALORES CARACTERÍSTICOS FIXAÇÃO SOBRE VIGA

ixação de furos Ø5

tipo

R4/5,k*

R1,k

ØxL

nv

R1,k timber

R1,k steel

Bolt1(1)

R4/5,k timber

R4/5,k steel

[mm]

pçs

[kN]

[kN]

kt //

[kN]

[kN]

Bolt4/5(1) kt ⊥

kt //

4 WKR095

pregos LBA

Ø4,0 x 60

8

15,0

10,1

1,44

9,05

9,95

0,70

0,38

5 WKR135

pregos LBA

Ø4,0 x 60

13

24,4

10,1

1,44

9,49

9,97

0,69

0,34

6 WKR285

pregos LBA

Ø4,0 x 60

17

31,8

10,1

1,44

-

-

-

-

* 2 angulares para ligação

Para as NOTAS e os PRINCÍPIOS GERAIS, ver a página 345

ANGULARES, ESTRIBOS E CHAPAS FURADAS | WKR | 351


WZU

ETA

ANGULAR PARA FORÇAS DE TRAÇÃO GAMA COMPLETA Disponível em diferentes espessuras� Para utilizar com ou sem anilha de acordo com as cargas�

RESISTÊNCIA CERTIFICADA Valores de resistência à tração certiicados pela marcação CE segundo a ETA�

MONTANTES Ideal para ixar os montantes de madeira das estruturas de armação ao betão�

CARATERÍSTICAS FOCUS

ixação dos montantes timber frame

ALTURA

de 90 a 480 mm

ESPESSURA

de 2,0 a 4,0 mm

FIXAÇÕES

LBA, LBS, VIN-FIX PRO

MATERIAL Chapa tridimensional furada de aço carbónico electrogalvanizado�

CAMPOS DE EMPREGO Ligações à tração madeira-betão e madeira-madeira para painéis e vigas de madeira • madeira maciça e lamelar • CLT, LVL • estruturas de armação (platform frame) • painéis à base de madeira

352 | WZU | ANGULARES, ESTRIBOS E CHAPAS FURADAS


TIMBER FRAME A largura reduzida da lange vertical (40 mm) facilita a instalação nos montantes dos painéis de armação.

TRAÇÃO Graças à anilha incluída na embalagem, a WZU STRONG garante excelentes valores de resistência à tração� Valores certiicados segundo ETA�

ANGULARES, ESTRIBOS E CHAPAS FURADAS | WZU | 353


CÓDIGOS E DIMENSÕES WZU 90 / 155

S250 GALV

H

H

B

P 1

2 CÓDIGO

P

B

B

P

H

s

n Ø5

n Ø11

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

pçs

pçs

pçs

1

WZU090

40

35

90

3,0

11

1

100

2

WZU155

40

50

155

3,0

14

3

100

WZU 200 / 300 / 400

S250 GALV

H

H

H

H

H

H

H P

B

1

B

P

P

2 CÓDIGO

B

3

P

B

B

P

4

5

P 6

B

P

B

7

B

P

H

s

n Ø5

n Ø14

pçs

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

pçs

pçs

200

2,0

19

1

100

1

WZU2002

40

40

2

WZU3002

40

40

300

2,0

25

1

50

3

WZU4002

40

40

400

2,0

34

1

50

4

WZU2004

40

40

200

4,0

19

1

50

5

WZU3004

40

40

300

4,0

25

1

50

6

WZU4004

40

40

400

4,0

34

1

25

7

WZUW

40

43

10

-

-

1

50

354 | WZU | ANGULARES, ESTRIBOS E CHAPAS FURADAS


CÓDIGOS E DIMENSÕES WZU STRONG

S250 GALV

H H H

P

P 1 CÓDIGO

B

2

B

P

3

B

P

H

s

n Ø5

n Ø13

n Ø18

n Ø22

B anilha*

pçs

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

pçs

pçs

pçs

pçs

1

WZU342

40

182

340

2,0

39

1

-

-

160 x 50 x 15 Ø12,5

10

2

WZU422

60

222

420

2,0

79

-

1

-

200 x 60 x 20 Ø16,5

10

3

WZU482

60

123

480

2,5

72

-

-

1

115 x 70 x 20 Ø20,5

10

* Anilha incluída na embalagem

MONTAGEM Fixação ao betão com barras roscadas e ancorante químico�

01

02

03

04

05

ANGULARES, ESTRIBOS E CHAPAS FURADAS | WZU | 355


VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO DE TRAÇÃO MADEIRA-BETÃO WZU 200/300/400 COM ANILHA*

1

2

3

4

NÚMERO DE FIXAÇÕES

CÓDIGO

1

2

3

4

5

6

WZU2002 com anilha WZUW

WZU3002 com anilha WZUW

WZU4002 com anilha WZUW

WZU2004 com anilha WZUW

WZU3004 com anilha WZUW

WZU4004 com anilha WZUW

pregos LBA parafusos LBS pregos LBA parafusos LBS pregos LBA parafusos LBS pregos LBA parafusos LBS pregos LBA parafusos LBS pregos LBA parafusos LBS

ØxL

nv

[mm]

pçs

Ø5,0 x 40

R 1,K MADEIRA

R 1,K AÇO

R1,k timber

R1,k steel

[kN]

10

19,3 15,7

Ø5,0 x 50

19,3

Ø4,0 x 40

18,8

Ø4,0 x 60 Ø5,0 x 40

12

23,2 18,8 18,8

Ø4,0 x 60

23,2

12

18,8

Ø5,0 x 50

23,2

Ø4,0 x 40

22,0

Ø4,0 x 60 Ø5,0 x 40

14

27,0 22,0

Ø5,0 x 50

27,0

Ø4,0 x 40

31,4

Ø4,0 x 60 Ø5,0 x 40

20

38,6 31,4

[kN]

γsteel

[mm]

[kN]

11,6

γM,0

M12 x 180

8,8

11,6

γM,0

M12 x 180

8,8

11,6

γM,0

M12 x 180

8,8

23,1

γM,0

M12 x 180

7,0

23,1

γM,0

M12 x 180

7,0

23,1

γM,0

M12 x 180

7,0

38,6

Ø5,0 x 50 Ø4,0 x 40

31,4

Ø4,0 x 60

38,6

Ø5,0 x 40

R1,d uncracked (1) VIN-FIX PRO ØxL

23,2

Ø5,0 x 50 Ø4,0 x 40 Ø5,0 x 40

R 1,d BETÃO

15,7

Ø4,0 x 40 Ø4,0 x 60

6

VALORES CARACTERÍSTICOS

ixação de furos Ø5 tipo

5

20

Ø5,0 x 50

* A anilha deve ser encomendada separadamente

356 | WZU | ANGULARES, ESTRIBOS E CHAPAS FURADAS

31,4 38,6


VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO DE TRAÇÃO MADEIRA-BETÃO WZU STRONG COM ANILHA*

1

2

3

NÚMERO DE FIXAÇÕES

CÓDIGO

ixação de furos Ø5 tipo

pregos LBA 1

WZU342 parafusos LBS pregos LBA

2

WZU422 parafusos LBS pregos LBA

3

VALORES CARACTERÍSTICOS

WZU482 parafusos LBS

ØxL

nv

[mm]

pçs

Ø 5,0 x 40

R 1,K AÇO

R1,k timber

R1,k steel

[kN]

12

23,2 18,8 23,6

Ø 4,0 x 60

29,0

15

23,6 31,4

Ø 4,0 x 60

38,6

Ø 5,0 x 50

[kN]

γsteel

[mm]

[kN]

11,60

γM,0

M12 x 180

23,2

17,30

γM,0

M16 x 190

29,1

21,70

γM,0

M20 x 240

37,9

29,0

Ø 5,0 x 50 Ø 4,0 x 40 Ø 5,0 x 40

R1,d uncracked (1) VIN-FIX PRO Ø x L, cl.5.8

23,2

Ø 5,0 x 50 Ø 4,0 x 40 Ø 5,0 x 40

R 1,d BETÃO

18,8

Ø 4,0 x 40 Ø 4,0 x 60

R 1,K MADEIRA

20

31,4 38,6

* Anilha incluída na embalagem

NOTAS:

PRINCÍPIOS GERAIS:

(1)

• Os valores característicos são conforme a norma EN 1995-1-1, de acordo com ETA�

Barras roscadas pré-cortadas INA dotadas de porca e anilha�

• Os valores de projeto são obtidos a partir dos valores característicos, desta forma:

Rd = min

Rk, timber kmod γM Rk, steel γsteel Rd, concrete

Os coeicientes γsteel,yM e kmod devem ser considerados em função da norma vigente utilizada para o cálculo� • Em fase de cálculo, considerou-se uma massa volúmica dos elementos de madeira equivalente a ρ k = 350 kg/m3 e betão C25/30 com armação rara, espessura mínima equivalente a 240 mm na ausência de distâncias da borda� • A dimensão e a veriicação dos elementos de madeira e de betão devem ser feitas à parte� • Os valores de resistência são válidos para as hipóteses de cálculo deinidas em tabela; condições de limite diferentes (ex�: distâncias mínimas das bordas) devem ser veriicadas�

ANGULARES, ESTRIBOS E CHAPAS FURADAS | WZU | 357


WKF

ETA

ANGULARES PARA FACHADAS MARCAÇÃO CE Ideal para realizar isolamentos de fachadas de estruturas novas ou a renovar� Valores certiicados CE segundo ETA�

AÇO ESPECIAL O aço S350 de alta resistência garante elevadas resistências à lexão.

RESISTENTE Reforços projectados para garantir uma elevada rigidez. A instalação é simples e veloz.

CARATERÍSTICAS FOCUS

ixação de ripas na fachada

ALTURA

de 120 a 200 mm

ESPESSURA

2,5 mm

FIXAÇÕES

LBA, LBS, SKR

MATERIAL Chapa tridimensional furada de aço carbónico electrogalvanizado�

CAMPOS DE EMPREGO Ligação de elementos de madeira secundários com função de suporte para o revestimento • madeira maciça e lamelar • CLT, LVL • estrutura de armação (platform frame) • painéis à base de madeira

358 | WKF | ANGULARES, ESTRIBOS E CHAPAS FURADAS


CÓDIGOS E DIMENSÕES

S350 GALV

P

1

CÓDIGO

B

B

P

2

3

B

P

H

H

H

H

H

4

P

B

5

B

P

H

s

n Ø5

n Ø8,5

n ØV

n ØH

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

pçs

pçs

pçs

pçs

B

P

pçs

1

WKF120

60

54

120

2,5

8

1

1 - Ø8,5 x 41,5

2 - Ø8,5 x 16,5

100

2

WKF140

60

54

140

2,5

8

1

1 - Ø8,5 x 41,5

2 - Ø8,5 x 16,5

100

3

WKF160

60

54

160

2,5

8

1

1 - Ø8,5 x 41,5

2 - Ø8,5 x 16,5

100

4

WKF180

60

54

180

2,5

8

1

1 - Ø8,5 x 41,5

2 - Ø8,5 x 16,5

100

5

WKF200

60

54

200

2,5

8

1

1 - Ø8,5 x 41,5

2 - Ø8,5 x 16,5

100

PRODUTOS ADICIONAIS - FIXAÇÕES tipo

descrição

d

suporte

pág.

[mm] LBA

prego Anker

LBS

parafuso para chapas

5

552

SKR

ancorante parafusável

10

488

VIN-FIX PRO

ancorante químico

M8

511

4

548

ISOLAMENTO POR CAPPOTTO Fixa a estrutura de madeira à parede, permitindo a criação de um espaço para acolher o isolante térmico e a eventual membrana impermeabilizante de elementos de madeira em suportes metálicos�

ANGULARES, ESTRIBOS E CHAPAS FURADAS | WKF | 359


WBO - WVS - WHO

ETA

ANGULARES DIVERSOS DIMENSÕES Geometrias ideais para variadas aplicações�

CERTIFICAÇÃO Idoneidade ao uso garantida pela marcação CE segundo ETA�

CARATERÍSTICAS FOCUS

ixação versátil

ALTURA

de 40 a 200 mm

ESPESSURA

de 2,0 a 4,0 mm

FIXAÇÕES

LBA, LBS, SKR

MATERIAL Chapas tridimensionais furadas de aço carbónico electrogalvanizado�

CAMPOS DE EMPREGO Ligações madeira-madeira e madeira-betão madeira maciça e lamelar • CLT, LVL • estrutura de armação (platform frame) • painéis à base de madeira

360 | WBO - WVS - WHO | ANGULARES, ESTRIBOS E CHAPAS FURADAS


CÓDIGOS E DIMENSÕES WBO 70 - 90 - 100

S250 GALV

H H H

1

P

B

2

CÓDIGO

P

B

P

3

B

B

P

H

s

n Ø5

n Ø11

n Ø13

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

pçs

pçs

pçs

pçs

1

WBO070

55

70

70

2,0

16

2

-

100

2

WBO090

65

90

90

2,5

20

5

-

100

3

WBO100

90

100

100

3,0

28

6

2

50

WBO 50 - 60 - 90

S250 GALV

H H

H

1

P

B

2

CÓDIGO

P

P

B

B

3

B

P

H

s

n Ø5

n Ø11

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

pçs

pçs

pçs

1

WBO5040

40

50

50

2,5

8

2

150

2

WBO6045

45

60

60

2,5

12

2

50

3

WBO9040

40

90

90

3,0

16

4

100

WBO 135°

S250 GALV

H H

135° 135°

1

P

CÓDIGO

P

B

B

2

B

P

H

s

n Ø5

n Ø11

n Ø13

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

pçs

pçs

pçs

pçs

1

WBO13509

65

90

90

2,5

20

5

-

100

2

WBO13510

90

100

100

3,0

28

6

2

40

ANGULARES, ESTRIBOS E CHAPAS FURADAS | WBO - WVS - WHO | 361


CÓDIGOS E DIMENSÕES WVS 80 - 120

S250 GALV

H H

1

P

2

B

CÓDIGO

P

B

B

P

H

s

n Ø5

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

pçs

pçs

1

WVS8060

55

60

80

2,0

15

-

100

2

WVS12060

55

60

120

2,0

15

-

100

WVS 90

S250 GALV

H

H

1

P

2

B

CÓDIGO

H

B

P

3

B

P

B

P

H

s

n Ø5

n Ø13

n Øv

n ØH

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

pçs

pçs

pçs

pçs

50

50

90

3,0

10

3

-

-

1

WVS9050

2

WVS9060

60

60

90

2,5

9

-

1 - Ø5 x 30

1 - Ø10 x 30

3

WVS9080

80

50

90

3,0

16

5

-

-

pçs

100 -

100 100

WHO 40 - 60

S250 GALV

1

P CÓDIGO

H

H

H

2

B

B

P

P

3

B

B

P

H

s

n Ø5

nV Ø5

nH Ø5

pçs

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

pçs

pçs

pçs

40

40

40

2,0

8

4

4

-

200

1

WHO4040

2

WHO4060

60

40

40

2,0

12

6

6

-

150

3

WHO6040

40

60

60

2,0

12

6

6

-

150

362 | WBO - WVS - WHO | ANGULARES, ESTRIBOS E CHAPAS FURADAS


WHO 120 - 160 - 200

S250 GALV

H

H H

P

1

B

CÓDIGO

2

P

P

3

B

B

B

P

H

s

n Ø5

nV Ø5

nH Ø5

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

pçs

pçs

pçs

pçs

1

WHO12040

40

95

120

3,0

16

10

6

-

100

2

WHO16060

60

80

160

4,0

15

8

7

-

50

3

WHO200100

100

100

200

2,5

75

50

25

-

25

WHO A2 | AISI304 - LBV A2 | AISI304

A2

AISI 304

H

1

P

CÓDIGO

2

B

B

P

B

P

H

s

n Ø4,5

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

pçs

pçs

1

WHOI1540

15

40

40

1,75

4

50

2

LBVI15100

15

100

-

1,75

4

50

ANGULARES, ESTRIBOS E CHAPAS FURADAS | WBO - WVS - WHO | 363


LOG ANGULARES PARA LOG HOUSE EFICAZ Graças à geometria especíica, suporta as deformações higrométricas da madeira�

MONTANTES Versão ideal para ixar os montantes de madeira aos blocos de madeira horizontais (LOG210)�

VIGAS Versão ideal para ixar os barrotes de madeira aos blocos de madeira horizontais (LOG250)�

C H

CÓDIGOS E DIMENSÕES

C H

CÓDIGO

B

P

H

C

s

n Ø5

n Ø8,5

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

pçs

pçs

pçs

1

LOG210

40

65

78

210

2

9

-

25

2

LOG250

40

52

125

250

2

8

1

25

1

P

B

2

P

B

MATERIAL Chapas tridimensionais furadas de aço carbónico electrogalvanizado�

CAMPOS DE EMPREGO Ligações madeira-madeira • madeira maciça e lamelar • CLT, LVL • estrutura de armação (platform frame) • painéis à base de madeira • sistemas Log House e Blockbau

364 | LOG | ANGULARES, ESTRIBOS E CHAPAS FURADAS


SPU

ETA

CHAPA DE ANCORAGEM UNI PARA BARROTES MADEIRA-MADEIRA Ideal para ixar os barrotes às vigas de apoio� Recomendamos duas ancoragens para cada ligação�

CERTIFICAÇÃO Idoneidade ao uso garantida pela marcação CE segundo ETA�

CÓDIGOS E DIMENSÕES CÓDIGO

B

L

B

s

n Ø5

pçs

[mm]

[mm]

[mm]

pçs

SPU170

170

36

2

9

100

SPU210

210

36

2

13

100

SPU250

250

36

2

17

100

L

MATERIAL Chapas tridimensionais furadas de aço carbónico electrogalvanizado�

CAMPOS DE EMPREGO Ligações madeira-madeira • madeira maciça e madeira lamelar Construção de telhados e pérgolas

ANGULARES, ESTRIBOS E CHAPAS FURADAS | SPU | 365


ESTRIBOS METÁLICOS GAMA

BSAS

BSAG

BSAD

BSIS

BSA - estribos com asas externas

BSIG

BSI - estribos com asas internas

APLICAÇÕES Os valores de resistência dependem da aposição e do tipo de suporte� As principais conigurações são:

MADEIRA-MADEIRA viga-viga

A sapata pode ser juntada sobre vigas dispostas de maneira plana ou inclinada� A sapata pode ser sujeita a tensão combinada�

MADEIRA-BETÃO

viga-pilar

viga-parede

MADEIRA-OSB

viga-viga

viga-parede Fv Flat

Fup

INSTALAÇÃO - DISTÂNCIAS MÍNIMAS MADEIRA-MADEIRA

Primeiro conector - extradorso viga

a4,c [mm]

≥ 5d

prego LBA Ø4

parafuso LBS Ø5

≥ 20

≥ 25

a4,c

a4,c

MADEIRA-BETÃO Ø8

ancorante VIN-FIX PRO Ø10 Ø12

Espessura mínima do suporte

hmin

[mm]

Diâmetro do furo no betão

d0

[mm]

10

12

14

Torque de aperto

Tinst

[Nm]

10

20

40

hef + 30 mm ≥ 100

366 | ESTRIBOS METÁLICOS | ANGULARES, ESTRIBOS E CHAPAS FURADAS

hmin hef

a4,c


INSTALAÇÃO - FIXAÇÕES MADEIRA-MADEIRA

BSAS

BSIS

viga principal (nH)

viga secundária (nJ)

PREGAGEM PARCIAL

pregos nH posicionados na coluna mais próxipregos nJ dispostos de maneira alternada ma à lange lateral da sapata

PREGAGEM TOTAL +

pregos nH em todos os furos

pregos nJ em todos os furos

MADEIRA-MADEIRA | medida grande

BSIG

BSAG

viga principal (nH)

viga secundária (nJ)

PREGAGEM PARCIAL

pregos nJ dispostos de maneira alternapregos nH posicionados na coluna mais próxi( ) da, evitando-se os furos marcados em ma à lange lateral da sapata vermelho

PREGAGEM TOTAL +

pregos nH em todos os furos

( )

pregos nJ em todos os furos, evitando os furos marcados em vermelho

MADEIRA - BETÃO

BSAS

BSAG

viga principal (nH)

viga secundária (nJ)

os ancorantes nbolt devem ser dispostos de maneira simétrica em relação ao eixo vertical. pregos nJ posicionados conforme os esquePelo menos dois ancorantes devem ser sem- mas de pregagem supra ilustrados pre posicionados nos dois furos superiores

FIXAÇÃO ANCORANTES nBOLT

INSTALAÇÃO - DIMENSÕES ACONSELHADAS VIGA SECUNDÁRIA

bJ prego LBA Ø4

Altura da viga secundária

hJMIN

[mm]

hJMAX [mm]

parafuso LBS Ø5

H + 12 mm

H + 17 mm

hJ

H

1,5H

B

ANGULARES, ESTRIBOS E CHAPAS FURADAS | ESTRIBOS METÁLICOS | 367


BSA

ETA

ESTRIBOS METÁLICOS COM ASAS EXTERNAS RAPIDEZ Sistema padronizado, certiicado, veloz e económico�

FLEXÃO DESVIADA Possibilidade de ixação da viga em lexão desviada, ou girada em relação ao seu próprio eixo.

MADEIRA E BETÃO Apropriada para a utilização quer sobre madeira quer sobre betão.

CARATERÍSTICAS FOCUS

ligação aparente

DIMENSÕES

de 40 x 110 mm a 200 x 240 mm

ESPESSURA

2,0 | 2,5 mm

FIXAÇÕES

LBA, LBS, SKR, VIN-FIX PRO

MATERIAL Chapa tridimensional furada de aço carbónico electrogalvanizado.

CAMPOS DE EMPREGO Ligações ao corte madeira-madeira e madeira-betão, quer em ângulo recto quer em lexão desviada • madeira maciça e lamelar • CLT, LVL • painéis à base de madeira

368 | BSA | ANGULARES, ESTRIBOS E CHAPAS FURADAS


WOOD TRUSSES Ideal também para a ixação de TRUSS e RAFTER de secção reduzida� Valores certiicados também para a ixação direta de TIMBER STUD em painéis OSB�

I-JOIST Versões homologadas para ixação directa sobre painéis OSB, para a ligação de vigas em “I” e para ligações madeira-betão�

ANGULARES, ESTRIBOS E CHAPAS FURADAS | BSA | 369


CÓDIGOS E DIMENSÕES BSAS - lisa CÓDIGO

S250

B

H

s

[mm]

[mm]

[mm]

BSAS40110

40

110

2,0

BSAS46117

46

117

2,0

BSAS46137

46

137

2,0

BSAS46207

46

207

2,0

-

25

BSAS5070

50

70

2,0

-

50

BSAS51105

51

105

2,0

50

BSAS51135

51

135

2,0

50

BSAS60100

60

100

2,0

50

BSAS64128

64

128

2,0

50

BSAS64158

64

158

2,0

50

BSAS70125

70

125

2,0

50

BSAS70155

70

155

2,0

BSAS7690

76

90

2,0

GALV

pçs

39

43 50 -

50 H

50

80

B

50 -

50

BSAS76152

76

152

2,0

50

BSAS80120

80

120

2,0

50

BSAS80140

80

140

2,0

50

BSAS80150

80

150

2,0

50

BSAS80180

80

180

2,0

25

BSAS80210

80

210

2,0

50

BSAS90145

90

145

2,0

BSAS92184

92

184

2,0

-

25

BSAS10090

100

90

2,0

-

50

BSAS100120

100

120

2,0

-

50

BSAS100140

100

140

2,0

50

50

BSAS100160

100

160

2,0

BSAS100170

100

170

2,0

25

BSAS100200

100

200

2,0

25

BSAS120120

120

120

2,0

25

BSAS120160

120

160

2,0

50

BSAS120190

120

190

2,0

25

BSAS140140

140

140

2,0

BSAS140160

140

160

2,0

BSAS140180

140

180

2,0

-

50

25 -

25 25

BSAD - 2 peças CÓDIGO

S250

B

H

s

pçs

[mm]

[mm]

[mm]

BSAD25100

25

100

2,0

-

25

BSAD25140

25

140

2,0

-

25

BSAD25180

25

180

2,0

-

25

42

GALV

H

80

370 | BSA | ANGULARES, ESTRIBOS E CHAPAS FURADAS

42

B


CÓDIGOS E DIMENSÕES BSAG - medida grande CÓDIGO

S250

B

H

s

[mm]

[mm]

[mm]

GALV

pçs

41 61

BSAG100240

100

240

2,5

20

BSAG100280

100

280

2,5

20

BSAG120240

120

240

2,5

20

BSAG120280

120

280

2,5

20

BSAG140240

140

240

2,5

20

BSAG140280

140

280

2,5

20

BSAG160160

160

160

2,5

15

BSAG160200

160

200

2,5

15

BSAG160240

160

240

2,5

15

BSAG160280

160

280

2,5

15

BSAG160320

160

320

2,5

15

BSAG180220

180

220

2,5

10

BSAG180280

180

280

2,5

10

BSAG200200

200

200

2,5

10

BSAG200240

200

240

2,5

10

H

B

MATERIAL E DURABILIDADE BSA: aço carbónico S250GD+Z275� Utilização em classes de serviço 1 e 2 (EN 1995-1-1)�

FORÇAS Fv Flat

CAMPOS DE EMPREGO • • • •

Ligações madeira-madeira Ligações madeira-OSB (BSAS) Ligações madeira-betão Ligações madeira-aço

Fup

PRODUTOS ADICIONAIS - FIXAÇÕES tipo

descrição

d

suporte

pág.

[mm] LBA

prego Anker

4

548

LBS

parafusos para chapas

5

552

AB1

ancorante mecânico

M8 - M10 -M12

494

VIN-FIX PRO

ancorante químico

M8 - M10 -M12

511

EPO-FIX PLUS ancorante químico

M8 - M10 -M12

517

ANGULARES, ESTRIBOS E CHAPAS FURADAS | BSA | 371


VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO MADEIRA-MADEIRA PREGAGEM PARCIAL/TOTAL(1) Fv

Fv

Flat H

B

BSAS - LISA

PREGAGEM PARCIAL número de ixações

PREGAGEM TOTAL

valores característicos

número de ixações

valores característicos

B

H

pregos LBA

nH(2)

nJ(3)

Rv,k

Rlat,k

nH(2)

nJ(3)

Rv,k

Rlat,k

[mm]

[mm]

d x L [mm]

pçs

pçs

[kN]

[kN]

pçs

pçs

[kN]

[kN]

40 *

110

Ø4 x 40

8

4

8,7

1,9

-

-

-

-

46 *

117

Ø4 x 40

8

4

9,0

2,1

-

-

-

-

46 *

137

Ø4 x 40

10

6

11,8

2,4

-

-

-

-

46 *

207

Ø4 x 40

14

8

16,9

2,9

-

-

-

-

50 *

70

Ø4 x 40

4

2

3,6

1,3

-

-

-

-

51 *

105

Ø4 x 40

8

4

8,1

2,3

-

-

-

-

51 *

135

Ø4 x 40

10

6

11,5

2,6

-

-

-

-

60

100

Ø4 x 40

8

4

7,6

2,6

14

8

13,0

4,9

64

128

Ø4 x 40

10

6

10,9

3,6

18

10

19,2

5,9

64

158

Ø4 x 40

12

6

15,0

3,6

22

12

26,3

6,7

70

125

Ø4 x 40

10

6

10,5

3,7

18

10

18,6

6,2

70

155

Ø4 x 40

12

6

15,0

3,8

22

12

26,3

7,1

76

90

Ø4 x 40

6

4

5,9

2,9

12

6

10,4

4,4

76

152

Ø4 x 40

12

6

15,0

3,9

22

12

26,3

7,4

80

120

Ø4 x 40

10

6

9,9

4,0

18

10

17,5

6,6

80

140

Ø4 x 40

10

6

12,3

4,0

20

10

22,5

6,7

80

150

Ø4 x 40

12

6

14,8

4,0

22

12

26,3

7,6

80

180

Ø4 x 40

14

8

18,8

4,8

26

14

30,0

8,4

80

210

Ø4 x 40

16

8

18,8

4,8

30

16

33,8

9,1

90

145

Ø4 x 40

12

6

14,2

4,2

22

12

25,7

8,0

92

184

Ø4 x 40

14

8

18,8

5,2

26

14

30,0

9,0

100

90

Ø4 x 60

6

4

8,7

4,8

12

6

15,2

7,2

100

120

Ø4 x 60

10

6

15,3

7,0

18

10

27,1

11,7

100

140

Ø4 x 60

12

6

18,9

6,5

22

12

33,1

12,3

100

160

Ø4 x 60

12

6

18,9

6,5

22

12

33,1

12,3

100

170

Ø4 x 60

14

8

23,6

7,7

26

14

37,8

13,5

100

200

Ø4 x 60

16

8

23,6

7,7

30

16

42,5

14,6

120

120

Ø4 x 60

10

6

15,3

7,0

18

10

27,1

11,7

120

160

Ø4 x 60

14

8

23,6

8,5

26

14

37,8

14,9

120

190

Ø4 x 60

16

8

23,6

8,5

30

16

42,5

16,2

140

140

Ø4 x 60

12

6

18,9

7,4

22

12

33,1

14,3

140

160

Ø4 x 60

14

8

23,6

9,1

26

14

37,8

16,0

140

180

Ø4 x 60

16

8

23,6

9,1

30

16

42,5

17,5

* Não é possível pregar totalmente

372 | BSA | ANGULARES, ESTRIBOS E CHAPAS FURADAS


VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO MADEIRA-MADEIRA PREGAGEM PARCIAL/TOTAL(1) BSAG - MEDIDA GRANDE

PREGAGEM PARCIAL número de ixações

PREGAGEM TOTAL

valores característicos

número de ixações

valores característicos

B

H

pregos LBA

nH(2)

nJ(3)

Rv,k

Rlat,k

nH(2)

nJ(3)

Rv,k

Rlat,k

[mm]

[mm]

d x L [mm]

pçs

pçs

[kN]

[kN]

pçs

pçs

[kN]

[kN]

100

240

Ø4 x 60

24

16

40,7

10,7

46

30

75,6

19,9

100

280

Ø4 x 60

28

18

47,3

10,8

54

34

85,1

20,3

120

240

Ø4 x 60

24

16

40,7

12,3

46

30

75,6

22,9

120

280

Ø4 x 60

28

18

47,3

12,6

54

34

85,1

23,5

140

240

Ø4 x 60

24

16

40,7

13,7

46

30

75,6

25,6

140

280

Ø4 x 60

28

18

47,3

14,1

54

34

85,1

26,4

160

160

Ø4 x 60

16

10

21,2

11,1

30

18

41,6

19,9

160

200

Ø4 x 60

20

12

30,7

12,3

38

22

56,7

22,4

160

240

Ø4 x 60

24

16

40,7

15,0

46

30

75,6

27,9

160

280

Ø4 x 60

28

18

47,3

15,5

54

34

85,1

29,0

160

320

Ø4 x 60

32

20

52,0

15,9

62

38

94,6

30,0

180

220

Ø4 x 60

22

14

35,7

15,2

42

26

66,2

27,0

180

280

Ø4 x 60

28

18

47,3

16,7

54

34

85,1

31,3

200

200

Ø4 x 60

20

12

30,7

13,7

38

22

56,7

25,0

200

240

Ø4 x 60

24

16

40,7

16,9

46

30

75,6

31,3

NOTAS:

PRINCÍPIOS GERAIS:

(1)

Para os esquemas de pregagem parcial ou total, ver as indicações constantes da pág� 367�

• Os valores característicos são conforme a norma EN 1995-1-1, de acordo com ETA�

(2)

n H = número de ixações sobre a viga principal�

(3)

nJ = número de ixações sobre a viga secundária�

• Os valores de projeto são obtidos a partir dos valores característicos, desta forma:

Rd =

Rk kmod γM

Os coeicientes γ M e kmod devem ser considerados em função da norma vigente utilizada para o cálculo� • Em fase de cálculo, considerou-se uma massa volúmica dos elementos de madeira equivalente a ρ k = 350 kg/m3 � • A dimensão e a veriicação dos elementos de madeira devem ser feitas à parte� • Em caso de tensão Fv,k paralela à ibra, torna-se necessária a pregagem parcial� • Em caso de tensão combinada, deve-se satisfazer a seguinte veriicação:

Fv,d Rv,d

2

+

Flat,d Rlat,d

2

≥ 1

ANGULARES, ESTRIBOS E CHAPAS FURADAS | BSA | 373


VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO MADEIRA-BETÃO ANCORANTE QUÍMICO(1) Fv

Fv

H

B

BSAS - LISA

FIXAÇÕES

VALORES CARACTERÍSTICOS

B

H

ancorante VIN-FIX PRO(2)

pregos LBA

Rv,k timber

Rv ,k steel

[mm]

[mm]

[nbolt - Ø x L](3)

[nJ - Ø x L](4)

[kN]

[kN]

40 *

110

2 - M8 x 110

4 - Ø4 x 40

11,3

10,6

46 *

137

2 - M10 x 110

6 - Ø4 x 40

15,0

13,2

51 *

105

2 - M8 x 110

4 - Ø4 x 40

11,3

10,6

51 *

135

2 - M10 x 110

6 - Ø4 x 40

15,0

13,2

60

100

2 - M8 x 110

8 - Ø4 x 40

18,8

10,6

64

128

4 - M10 x 110

10 - Ø4 x 40

22,5

26,4

64

158

4 - M10 x 110

12 - Ø4 x 40

26,3

26,4

70

125

4 - M10 x 110

10 - Ø4 x 40

22,5

26,4

70

155

4 - M10 x 110

12 - Ø4 x 40

26,3

26,4

76

152

4 - M10 x 110

12 - Ø4 x 40

26,3

26,4

80

120

4 - M10 x 110

10 - Ø4 x 40

22,5

26,4

80

140

4 - M10 x 110

10 - Ø4 x 40

22,5

26,4

80

150

4 - M10 x 110

12 - Ø4 x 40

26,3

26,4

80

180

4 - M10 x 110

14 - Ø4 x 40

30,0

26,4

80

210

4 - M10 x 110

16 - Ø4 x 40

33,8

26,4

90

145

4 - M10 x 110

12 - Ø4 x 40

26,3

26,4

100

140

4 - M10 x 110

12 - Ø4 x 60

33,1

26,4

100

170

4 - M10 x 110

14 - Ø4 x 60

37,8

26,4

100

200

4 - M10 x 110

16 - Ø4 x 60

42,6

26,4

120

120

4 - M10 x 110

10 - Ø4 x 60

28,4

26,4

120

160

4 - M10 x 110

14 - Ø4 x 60

37,8

26,4

120

190

4 - M10 x 110

16 - Ø4 x 60

42,6

26,4

140

140

2 - M10 x 110

12 - Ø4 x 60

33,1

13,2

140

180

4 - M10 x 110

16 - Ø4 x 60

42,6

26,4

* Pregagem parcial

374 | BSA | ANGULARES, ESTRIBOS E CHAPAS FURADAS


VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO MADEIRA-BETÃO ANCORANTE QUÍMICO(1) BSAG - MEDIDA GRANDE

FIXAÇÕES

VALORES CARACTERÍSTICOS

B

H

ancorante VIN-FIX PRO(2)

pregos LBA

[mm]

[mm]

[nbolt - Ø x L](3)

[nJ - Ø x L](4)

[kN]

[kN]

100

240

6 - M12 x 130

30 - Ø4 x 60

75,6

59,4

100

280

6 - M12 x 130

34 - Ø4 x 60

85,1

59,4

Rv,k timber

Rv,k steel

120

240

6 - M12 x 130

30 - Ø4 x 60

75,6

59,4

120

280

6 - M12 x 130

34 - Ø4 x 60

85,1

59,4

140

240

6 - M12 x 130

30 - Ø4 x 60

75,6

59,4

140

280

6 - M12 x 130

34 - Ø4 x 60

85,1

59,4

160

160

4 - M12 x 130

18 - Ø4 x 60

47,3

39,6

160

200

6 - M12 x 130

22 - Ø4 x 60

56,7

59,4

160

240

6 - M12 x 130

30 - Ø4 x 60

75,6

59,4

160

280

6 - M12 x 130

34 - Ø4 x 60

85,1

59,4

160

320

6 - M12 x 130

38 - Ø4 x 60

94,6

59,4

180

220

6 - M12 x 130

26 - Ø4 x 60

66,2

59,4

180

280

6 - M12 x 130

34 - Ø4 x 60

85,1

59,4

200

200

6 - M12 x 130

22 - Ø4 x 60

56,7

59,4

200

240

6 - M12 x 130

30 - Ø4 x 60

75,6

59,4

NOTAS:

PRINCÍPIOS GERAIS:

(1)

Para a ancoragem em betão, os dois furos superiores devem ser sempre ixados e os ancorantes devem ser posicionadas simetricamente ao eixo vertical da sapata�

• Os valores característicos são conforme a norma EN 1995-1-1, de acordo com ETA.

(2)

Ancorante químico VIN-FIX PRO com barras enroscadas (tipo INA) de classe de aço mínima 5�8� com h ef ≥ 8d.

(3)

nbolt = número de ancorantes sobre o suporte de betão.

(4)

nJ = número de ixações sobre a viga secundária.

• A resistência de projecto da ligação é a mínima entre a resistência de projecto do lado da madeira (Rv,d timber) e a resistência de projecto do lado do aço (Rv,d steel):

Rv,d = min

Rv,k timber kmod γM Rv,k steel γsteel

γsteel deve ser considerado como γ M2 Os coeicientes γ M , yM2 e kmod devem ser considerados em função da norma vigente utilizada para o cálculo. • Em fase de cálculo, considerou-se uma massa volúmica dos elementos de madeira equivalente a ρ k = 350 kg/m3 . • A dimensão e a veriicação dos elementos de madeira e de betão devem ser feitas à parte. • Os valores de resistência são válidos para as hipóteses de cálculo deinidas em tabela.

ANGULARES, ESTRIBOS E CHAPAS FURADAS | BSA | 375


BSI

ETA

ESTRIBOS METÁLICOS COM ASAS INTERNAS RAPIDEZ Sistema padronizado, certiicado, veloz e económico�

FLEXÃO DESVIADA Possibilidade de ixação da viga em lexão desviada, ou girada em relação ao seu próprio eixo.

ESTÉTICA Graças às asas internas, a junção realiza-se quase de maneira “não aparente”.

CARATERÍSTICAS FOCUS

ligação aparente

DIMENSÕES

de 40 x 110 mm a 200 x 240 mm

ESPESSURA

2,0 | 2,5 mm

FIXAÇÕES

LBA, LBS, SKR, VIN-FIX PRO

MATERIAL Chapa tridimensional furada de aço carbónico electrogalvanizado.

CAMPOS DE EMPREGO Ligações ao corte madeira-madeira quer em ângulo recto quer em lexão desviada • madeira maciça e lamelar • CLT, LVL • painéis à base de madeira

376 | BSI | ANGULARES, ESTRIBOS E CHAPAS FURADAS


OCULTA Graças às asas internas, a ligação realiza-se quase de maneira “não aparente”� Distribuída sobre a viga secundária, a pregagem faz com que o sistema seja leve, eicaz e económico�

GRANDES ESTRUTURAS Sistema rápido e económico, que consente a ixação de vigas de grandes dimensões com estribos de espessura contida�

ANGULARES, ESTRIBOS E CHAPAS FURADAS | BSI | 377


CÓDIGOS E DIMENSÕES BSIS - lisa CÓDIGO

S250

B

H

s

GALV

pçs

[mm]

[mm]

[mm]

BSIS40110

40

110

2,0

-

50

BSIS60100

60

100

2,0

-

50

BSIS60160

60

160

2,0

-

50

BSIS70125

70

125

2,0

-

50

BSIS80120

80

120

2,0

-

50

BSIS80150

80

150

2,0

-

50

BSIS80180

80

180

2,0

-

25

BSIS90145

90

145

2,0

-

50

BSIS10090

100

90

2,0

-

50

BSIS100120

100

120

2,0

-

50

BSIS100140

100

140

2,0

-

50

BSIS100170

100

170

2,0

-

50

BSIS100200

100

200

2,0

-

25

BSIS120120

120

120

2,0

-

25

BSIS120160

120

160

2,0

-

25

BSIS120190

120

190

2,0

-

25

BSIS140140

140

140

2,0

-

25

BSIS140180

140

180

2,0

-

25

B

H

s

42

42

H

80

B

BSIG - medida grande CÓDIGO

[mm]

[mm]

[mm]

BSIG120240

120

240

2,5

-

20

BSIG140240

140

240

2,5

-

20

BSIG160160

160

160

2,5

-

15

BSIG160200

160

200

2,5

-

15

BSIG180220

180

220

2,5

-

10

BSIG200200

200

200

2,5

-

10

BSIG200240

200

240

2,5

-

10

61

41

pçs

S250 GALV

H

B

MATERIAL E DURABILIDADE

FORÇAS

BSI: aço carbónico S250GD+Z275� Utilização em classes de serviço 1 e 2 (EN 1995-1-1)�

Fv Flat

CAMPOS DE EMPREGO • Ligações madeira-madeira • Ligações madeira-OSB (BSIS)

Fup

PRODUTOS ADICIONAIS - FIXAÇÕES tipo

descrição

d

suporte

pág.

[mm] LBA

prego Anker

4

548

LBS

parafuso para chapas

5

552

378 | BSI | ANGULARES, ESTRIBOS E CHAPAS FURADAS


VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO MADEIRA-MADEIRA PREGAGEM PARCIAL/TOTAL(1) Fv

Fv

Flat H

B BSIS - LISA

PREGAGEM PARCIAL número de ixações

PREGAGEM TOTAL

valores característicos

número de ixações

valores característicos

B

H

pregos LBA

nH(2)

nJ(3)

Rv,k

Rlat,k

nH(2)

nJ(3)

Rv,k

Rlat,k

[mm]

[mm]

d x L [mm]

pçs

pçs

[kN]

[kN]

pçs

pçs

[kN]

[kN]

40 * 60 * 60 * 70 * 80 80 80 90 100 100 100 100 100 120 120 120 140 140

110 100 160 125 120 150 180 145 90 120 140 170 200 120 160 190 140 180

Ø4 x 40 Ø4 x 40 Ø4 x 40 Ø4 x 40 Ø4 x 40 Ø4 x 40 Ø4 x 40 Ø4 x 40 Ø4 x 60 Ø4 x 60 Ø4 x 60 Ø4 x 60 Ø4 x 60 Ø4 x 60 Ø4 x 60 Ø4 x 60 Ø4 x 60 Ø4 x 60

8 8 12 10 10 12 14 12 6 10 12 14 16 10 14 16 12 16

4 4 6 6 6 6 8 6 4 6 6 8 8 6 8 8 6 8

8,7 7,6 15,0 10,5 10,4 14,8 12,8 14,2 8,7 16,5 18,9 23,6 23,6 15,6 23,6 23,6 18,9 23,6

1,9 2,6 3,4 3,7 4,0 4,0 4,8 4,2 4,8 7,7 6,5 7,7 7,7 7,0 8,5 8,5 7,4 9,1

18 22 26 22 12 16 22 26 30 18 26 30 22 30

10 12 14 12 6 10 12 14 16 10 14 16 12 16

18,3 26,3 30,0 25,7 16,8 28,4 33,1 37,8 42,5 27,5 37,8 42,5 33,1 42,5

6,7 7,6 8,4 8,0 7,2 12,5 12,3 13,5 14,6 11,7 14,9 16,2 14,3 17,5

* Não é possível pregar totalmente BSIG - MEDIDA GRANDE

PREGAGEM PARCIAL número de ixações nH(2)

nJ(3)

[mm]

pregos LBA d x L [mm]

pçs

pçs

240 240 160 200 220 200 240

Ø4 x 60 Ø4 x 60 Ø4 x 60 Ø4 x 60 Ø4 x 60 Ø4 x 60 Ø4 x 60

24 24 16 20 22 20 24

16 16 10 12 14 12 16

B

H

[mm] 120 140 160 160 180 200 200

PREGAGEM TOTAL

valores característicos

número de ixações

valores característicos

Rlat,k

nH(2)

nJ(3)

[kN]

[kN]

pçs

pçs

[kN]

[kN]

40,7 40,7 21,2 30,7 35,7 30,7 40,7

12,3 13,3 11,1 12,3 15,2 13,7 16,9

46 46 30 38 42 38 46

30 30 18 22 26 22 30

75,6 75,6 41,6 56,7 66,2 56,7 75,6

22,9 25,6 19,9 22,4 27,0 25,0 31,6

Rv,k

Rv,k

Rlat,k

NOTAS: (1)

Para os esquemas de pregagem parcial ou total, ver as indicações constantes da pág� 367�

(2)

n H = número de ixações sobre a viga principal�

(3)

nJ = número de ixações sobre a viga secundária�

PRINCÍPIOS GERAIS: • Os valores característicos são conforme a norma EN 1995-1-1, de acordo com ETA� • Os valores de projeto são obtidos a partir dos valores característicos, desta forma:

R k Rd = k mod γM

Os coeicientes γ M e kmod devem ser considerados em função da norma vigente utilizada para o cálculo� • Em fase de cálculo, considerou-se uma massa volúmica dos elementos de madeira equivalente a ρ k = 350 kg/m3 � • A dimensão e a veriicação dos elementos de madeira devem ser feitas à parte� • Em caso de tensão Fv,k paralela à ibra, torna-se necessária a pregagem parcial� • Em caso de tensão combinada, deve-se satisfazer a seguinte veriicação:

Fv,d Rv,d

2

+

Flat,d Rlat,d

2

≥ 1

ANGULARES, ESTRIBOS E CHAPAS FURADAS | BSI | 379


LBV

EN 14545

CHAPAS FURADAS AMPLA GAMA Disponíveis em numerosos formatos, são projectadas para satisfazer todas as exigências projectuais e de construção, das simples ligações de vigas e barrotes às mais importantes ligações entre planos e patamares�

PRONTAS AO USO Os formatos satisfazem todas as exigências mais comuns e minimizam os tempos de instalação� Óptima relação custo/prestação�

CERTIFICADAS Ideais para ligações estruturais que requerem resistências à tração� Geometria e material garantidos pela marcação CE�

CARATERÍSTICAS FOCUS

ixação de tração

ALTURA

de 120 a 1200 mm

ESPESSURA

de 1,5 a 2,5 mm

FIXAÇÕES

LBA, LBS

MATERIAL Chapas furadas de aço carbónico electrogalvanizado�

CAMPOS DE EMPREGO Ligações madeira-madeira • madeira maciça e madeira lamelar • CLT, LVL • painéis à base de madeira

380 | LBV | ANGULARES, ESTRIBOS E CHAPAS FURADAS


TRAÇÃO Formatos dimensionados para as ligações mais comuns entre elementos de madeira e para todas as aplicações que requerem valores de resistência à tração� Versões de 1200 mm, ideais para ligações estruturais�

MADEIRA-MADEIRA Ideal para resolver pontualmente situações peculiares que requerem a transferência de forças de tração entre elementos de madeira como vigas, painéis estruturais e revestimentos�

ANGULARES, ESTRIBOS E CHAPAS FURADAS | LBV | 381


CÓDIGOS E DIMENSÕES LBV 1,5 mm

S250

CÓDIGO

B

H

n Ø5

s

GALV

pçs

[mm]

[mm]

pçs

[mm]

LBV60600

60

600

75

1,5

10

LBV60800

60

800

100

1,5

10

LBV80600

80

600

105

1,5

10

LBV80800

80

800

140

1,5

10

LBV100800

100

800

180

1,5

10

H

B

LBV 2,0 mm

S250

CÓDIGO

B

H

n Ø5

s

[mm]

[mm]

pçs

[mm]

LBV40120

40

120

9

2,0

200

LBV40160

40

160

12

2,0

50

LBV60140

60

140

18

2,0

50

LBV60200

60

200

25

2,0

100

GALV

pçs

LBV60240

60

240

30

2,0

100

LBV80200

80

200

35

2,0

50

LBV80240

80

240

42

2,0

50

LBV80300

80

300

53

2,0

50

LBV100140

100

140

32

2,0

50

LBV100200

100

200

45

2,0

50

LBV100240

100

240

54

2,0

50

LBV100300

100

300

68

2,0

50

LBV100400

100

400

90

2,0

20

LBV100500

100

500

112

2,0

20

LBV120200

120

200

55

2,0

50

LBV120240

120

240

66

2,0

50

LBV120300

120

300

83

2,0

50

LBV140400

140

400

130

2,0

15

LBV160400

160

400

150

2,0

15

LBV200300

200

300

142

2,0

15

B

H

n Ø5

s

pçs

[mm]

[mm]

pçs

[mm]

H B

LBV 2,0 x 1200 mm CÓDIGO

S250

LBV401200

40

1200

90

2,0

20

LBV601200

60

1200

150

2,0

20

LBV801200

80

1200

210

2,0

20

LBV1001200

100

1200

270

2,0

10

LBV1201200

120

1200

330

2,0

10

LBV1401200

140

1200

390

2,0

10

LBV1601200

160

1200

450

2,0

10

LBV1801200

180

1200

510

2,0

10

LBV2001200

200

1200

570

2,0

5

LBV2201200

220

1200

630

2,0

5

LBV2401200

240

1200

690

2,0

5

LBV2601200

260

1200

750

2,0

5

LBV2801200

280

1200

810

2,0

5

LBV3001200

300

1200

870

2,0

5

LBV4001200

400

1200

1170

2,0

5

382 | LBV | ANGULARES, ESTRIBOS E CHAPAS FURADAS

GALV

H

B


MATERIAL E DURABILIDADE

CAMPOS DE EMPREGO

LBV: aço carbónico S250GD+Z275� Utilização em classes de serviço 1 e 2 (EN 1995-1-1)�

Ligações madeira-madeira

FORÇAS F1

F1

F2

F3

F2

F3

F2,3

PRODUTOS ADICIONAIS - FIXAÇÕES tipo

descrição

d

suporte

pág.

[mm] LBA

prego Anker

4

548

LBS

parafuso para chapas

5

552

ANGULARES, ESTRIBOS E CHAPAS FURADAS | LBV | 383


GEOMETRIA 10 10

10 10 10

10 20

20

20

20 H

área líquida

B

B

furos na área líquida

B

furos na área líquida

B

furos na área líquida

[mm]

pçs

[mm]

pçs

[mm]

pçs

40 60 80 100 120

2 3 4 5 6

140 160 180 200 220

7 8 9 10 11

240 260 280 300 400

12 13 14 15 20

INSTALAÇÃO MADEIRA - DISTÂNCIAS MÍNIMAS

F a4,c

a4,t

a4,c

F

a3,t

a3,c

Ângulo entre força e ibras α = 0°

prego Anker

parafuso

LBA Ø4

LBS Ø5

Ligador lateral - borda sem tensão

a4,c [mm]

≥ 20

≥ 25

Ligador - extremidade com carga

a3,t [mm]

≥ 60

≥ 75

prego Anker

parafuso

Ângulo entre força e ibras α = 90°

LBA Ø4

LBS Ø5

Ligador lateral - borda com carga

a4,t [mm]

≥ 28

≥ 50

Ligador lateral - borda sem tensão

a4,c [mm]

≥ 20

≥ 25

Ligador - extremidade sem carga

a3,c [mm]

≥ 40

≥ 50

384 | LBV | ANGULARES, ESTRIBOS E CHAPAS FURADAS


VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO DE TRAÇÃO MADEIRA-MADEIRA RESISTÊNCIA DO SISTEMA A resistência à tração do sistema R1,d é a mínima entre a resistência à tração do lado da chapa Rax,d e a resistência ao corte dos conectores utilizados para a ixação ntot · Rv,d� Se os conectores estiverem dispostos em várias ilas consecutivas e a direção da carga for paralela à ibra, deve ser aplicado o seguinte critério de dimensionamento�

Rax,d

R1,d = min

∑ ni

mi

k

Rv,d

k=

0,85

LBA Ø = 4

0,75

LBA Ø = 5

F1

Em que mi corresponde ao número de ilas de conectores paralelos à ibra e ni ao número de conectores dispostos na mesma ila�

CHAPA - RESISTÊNCIA À TRAÇÃO VALORES CARACTERÍSTICOS tipo

LBV 1,5 mm

LBV 2,0 mm

B

s

furos na área líquida

Rax,k

[mm]

[mm]

pçs

[kN] 20,0

60

1,5

3

80

1,5

4

26,7

100

1,5

5

33,4

40

2,0

2

17,8

60

2,0

3

26,7

80

2,0

4

35,6

100

2,0

5

44,6

120

2,0

6

53,5

140

2,0

7

62,4

160

2,0

8

71,3 80,2

180

2,0

9

200

2,0

10

89,1

220

2,0

11

98,0

240

2,0

12

106,9

260

2,0

13

115,8 124,7

280

2,0

14

300

2,0

15

133,7

400

2,0

20

178,2

EXEMPLO DE CÁLCULO | LIGAÇÃO MADEIRA-MADEIRA Na igura da página 391, é mostrado um exemplo de cálculo do tipo de ligação, utilizando também uma ita furada LBB para comparação�

PRINCÍPIOS GERAIS: • Os valores de projecto (lado da chapa) são obtidos a partir dos valores característicos, desta maneira:

Rax,d

Rax,k = γsteel

• A dimensão e a veriicação dos elementos de madeira devem ser feitas à parte� • Aconselha-se a dispor os conectores de maneira simétrica em relação à recta de acção da força�

γsteel deve ser considerado como γ M2 Os coeicientes γ M2 devem ser considerados em função da norma vigente utilizada para o cálculo�

ANGULARES, ESTRIBOS E CHAPAS FURADAS | LBV | 385


LBB

EN 14545

FITA FURADA DUAS ESPESSURAS Sistema simples e eicaz para realizar contraventos de andar; disponível nas espessuras 1,5 e 3,0 mm�

CLIPSET Set para o enganchamento terminal da ita, a im de se realizarem, comodamente, contraventamentos de andar ou de falda em todas as situações�

AÇO ESPECIAL Aço S350 GD de alta resistência na versão 1,5 mm para elevadas resistências e com uma espessura reduzida�

CARATERÍSTICAS FOCUS

ixação de tração

LARGURA

de 40 a 80 mm

ESPESSURA

1,5 | 3,0 mm

FIXAÇÕES

LBA, LBS

MATERIAL Fita furada de aço carbónico electrogalvanizado�

CAMPOS DE EMPREGO Ligações madeira-madeira • madeira maciça e lamelar • CLT, LVL • painéis à base de madeira

386 | LBB | ANGULARES, ESTRIBOS E CHAPAS FURADAS


CONTRAVENTAMENTO Sistema ideal para se realizarem contraventamentos de andar de modo rápido, seguro e eicaz� Aço de alta qualidade; a espessura reduzida não compromete a elevada resistência à tração�

ESTABILIDADE A extremidade da ita furada na versão 60 mm é integrável com os terminais CLIPSET especíicos para se obter uma ixação estável e segura sobre quaisquer estruturas�

ANGULARES, ESTRIBOS E CHAPAS FURADAS | LBB | 387


CÓDIGOS E DIMENSÕES LBB 1,5 mm

S350

CÓDIGO

B

H

n Ø5

s

[mm]

[m]

pçs

[mm]

40

50

75 / m

1,5

1

LBB60

60

50

125 / m

1,5

1

LBB80

80

25

175 / m

1,5

1

LBB40

GALV

pçs

B

LBB 3,0 mm

S250

CÓDIGO LBB4030

B

H

n Ø5

s

[mm]

[m]

pçs

[mm]

40

50

75 / m

3

GALV

pçs 1

B

CLIPSET CÓDIGO CLIPSET60

tipo LBB

largura LBB

pçs

ita furada LBB60

B=60 mm

1

O SET É COMPOSTO POR:

B

H

L

n Ø5

n Ø13

s

[mm]

[mm]

[mm]

pçs

pçs

[mm]

254

181

43

9 + 14

2

3

4

2 TENSOR Clip-Fix

76

20

334-404

-

-

2

2

3 Terminal Clip-Fix

76

20

150

-

-

2

2

1

Chapa terminal

1 2

pçs 3

MATERIAL E DURABILIDADE

FORÇAS

LBB 1,5 mm: aço carbónico S350GD+Z275� LBB 3,0 mm: aço carbónico S250GD+Z275� CLIPSET: aço carbónico DX51D+Z275� Utilização em classes de serviço 1 e 2 (EN 1995-1-1)�

F1

F1

CAMPOS DE EMPREGO • Ligações madeira-madeira

PRODUTOS ADICIONAIS - FIXAÇÕES tipo

descrição

d

suporte

pág.

[mm] LBA

prego Anker

4

548

LBS

parafuso para chapas

5

552

388 | LBB | ANGULARES, ESTRIBOS E CHAPAS FURADAS


GEOMETRIA LBB40 / LBB4030

LBB60

40

60

LBB80 80

20

20

20

20

20

20

20

20

20

10 10 10 10 10 10

10 10 10 10

10 10 10 10 10 10 10 10

INSTALAÇÃO MONTAGEM LBB F1 a4,c

a3,t

MADEIRA - DISTÂNCIAS MÍNIMAS Ângulo entre força e ibras α = 0°

prego Anker

parafuso

LBA Ø4

LBA Ø4

Ligador lateral - borda sem tensão

a4,c [mm]

≥5d

≥ 20

≥ 25

Ligador - extremidade com carga

a3,t

≥ 15 d

≥ 60

≥ 75

[mm]

MONTAGEM DO CLIPSET TENSOR CLIP-FIX 01

02

03

04

Abrir o Clip-Fix

Inserir a ita furada

Fechar o Clip-Fix

Enganchar à chapa

01

02

03

04

Abrir o Clip-Fix

Inserir a ita furada

Fechar o Clip-Fix

Enganchar à chapa

TERMINAL CLIP-FIX

REGULAÇÃO DO SISTEMA 05

Usar o tensor para regular o comprimento do sistema de contravento

ANGULARES, ESTRIBOS E CHAPAS FURADAS | LBB | 389


VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO DE TRAÇÃO MADEIRA-MADEIRA RESISTÊNCIA DO SISTEMA A resistência à tração do sistema R1,d é a mínima entre a resistência à tração do lado da chapa Rax,d e a resistência ao corte dos conectores utilizados para a ixação ntot · Rv,d� Se os conectores estiverem dispostos em várias ilas consecutivas e a direção da carga for paralela à ibra, deve ser aplicado o seguinte critério de dimensionamento�

Rax,d

R1,d = min

∑ ni

mi

k

k=

Rv,d

0,85

LBA Ø = 4

0,75

LBA Ø = 5

F1

Em que mi corresponde ao número de ilas de conectores paralelos à ibra e ni ao número de conectores dispostos na mesma ila�

FITA - RESISTÊNCIA À TRAÇÃO VALORES CARACTERÍSTICOS tipo

LBB 1,5 mm LBB 3,0 mm

B

s

furos na área líquida

Rax,k

[mm]

[mm]

pçs

[kN]

40

1,5

2

17,0

60

1,5

3

25,5

80

1,5

4

34,0

40

3,0

2

26,7

RESISTÊNCIA AO CORTE DOS CONECTORES Para as resistências Rv,k dos pregos Anker LBA e dos parafusos LBS, ver o capítulo PARAFUSOS E PREGOS PARA CHAPAS�

NOTAS PARA PROJETO SISMICO Considerar atentamente a real hierarquia das resistências em referência quer ao edifício global quer dentro do sistema de ligação� Experimentalmente, a resistência inal do prego LBA (e do parafuso LBS) resulta ser muito maior do que a resistência característica avaliada conforme EN 1995� Ex� prego LBA Ø4 x 60 mm: Rv,k = =2,8 - 3,6 kN de testes experimentais (variável de acordo com o tipo de madeira e espessura da chapa)�

Os dados experimentais derivam de testes realizados no projecto de pesquisa Seismic-Rev e constam do relatório cientíico “Sistemas de ligação para edifícios de madeira: investigação experimental para a avaliação de rigidez, resistência e ductilidade” (DICAM - Departamento de Engenharia Civil, Ambiental e Mecânica - UniTN)�

PRINCÍPIOS GERAIS: • Os valores característicos são conforme a norma EN 1993 e a norma EN 1995-1-1�

Os coeicientes γ M2, yM e kmod devem ser considerados em função da norma vigente utilizada para o cálculo�

• Os valores de projecto (lado da chapa) são obtidos a partir dos valores característicos, desta maneira:

• Em fase de cálculo, considerou-se uma massa volúmica dos elementos de madeira equivalente a ρ k = 350 kg/m3 �

Rax,d =

Rax,k γsteel

• Os valores de projecto (lado do conector) são obtidos a partir dos valores característicos, desta maneira:

Rv,d =

Rv,k kmod γM

390 | LBB | ANGULARES, ESTRIBOS E CHAPAS FURADAS

• A dimensão e a veriicação dos elementos de madeira devem ser feitas à parte� • Aconselha-se a dispor os conectores de maneira simétrica em relação à recta de acção da força�


EXEMPLO DE CÁLCULO | LIGAÇÃO DE TRAÇÃO MADEIRA-MADEIRA COM LBV E LBB F1,d

DADOS DE PROJECTO

B1

Força Classes de serviço Duração da carga Madeira maciça CL24 Elemento 1 Elemento 2 Elemento 3

H2

12,0 kN 2 breve

B1 H2 B3

80 mm 140 mm 80 mm

PRODUTOS UTILIZÁVEIS chapa furada LBV401200(2) B = 40 mm s = 2 mm H = 600 mm prego Anker LBA440(1) d1 = 4,0 mm L = 40 mm

ita furada LBB40 B = 40 mm s = 1,5 mm prego Anker LBA440(1) d1 = 4,0 mm L = 40 mm

B3

F1,d

CÁLCULO DA RESISTÊNCIA DO SISTEMA

FITA/CHAPA - RESISTÊNCIA À TRAÇÃO chapa furada LBV401200(2)

ita furada LBB40 Rax,k

=

17,0

Rax,k

=

17,8

γM2

=

1,25

γM2

=

1,25

Rax,d

=

13,60 kN

Rax,d

=

14,24 kN

kN

kN

CONECTOR - RESISTÊNCIA AO CORTE chapa furada LBV401200(2)

ita furada LBB40 FITA FURADA LBB4015

CHAPA FURADA LBV401200

Rv,k

=

1,89

kN

Rv,k

=

1,89

kN

ntot

=

13

pçs

ntot

=

13

pçs

n1

=

5

pçs

n1

=

4

pçs

m1

=

2

ilas

m1

=

2

ilas

n2

=

3

pçs

n2

=

5

pçs

m2

=

1

ilas

m2

=

1

ilas

kLBA

=

0,85

kLBA

=

0,85

kmod

=

0,90

kmod

=

0,90

γM

=

1,30

γM

=

1,30

Rv,d

=

1,31

Rv,d

=

1,31

=

13,64 kN

∑mi • ni • Rv,d k

=

13,61

kN kN

∑mi • ni • Rv,d k

kN

RESISTÊNCIA DO SISTEMA chapa furada LBV401200(2)

ita furada LBB40

Rax,d R1,d = min

VERIFICAÇÃO

∑ ni mik Rv,d

R1,d ≥ F1,d

R1,d

=

13,61

kN

R1,d

=

13,64

kN

13,6 kN

12,0

kN

13,64

12,0

kN

veriicação satisfeita

veriicação satisfeita

NOTAS:

PRINCÍPIOS GERAIS:

(1)

No exemplo de cálculo, utilizam-se pregos Anker LBA� A ixação também pode ser efetuada com parafusos LBS (pág� 552)�

• Para otimizar o sistema de ligação, aconselha-se utilizar sempre um número de conectores que não exceda a resistência à tração da ita/chapa�

(2)

A chapa LBV401200 é considerada cortada com um comprimento de 600 mm�

• Aconselha-se a dispor os conectores de maneira simétrica em relação à recta de acção da força�

ANGULARES, ESTRIBOS E CHAPAS FURADAS | LBB | 391


PORTA-PILARES E LIGAÇÃO PARA TERRAÇOS


PORTA-PILARES E LIGAÇÃO PARA TERRAÇOS


PORTA-PILARES E LIGAÇÃO PARA TERRAÇOS

R10 - R20 - R30

ALU TERRACE

PORTA-PILAR REGULÁVEL � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � �398

PERFIL EM ALUMÍNIO PARA TERRAÇOS � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � 452

R40

SUPPORT

PORTA-PILAR REGULÁVEL � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � �404

SUPORTE REGULÁVEL PARA TERRAÇOS � � � � � � � � � � � � � � � � � � � �458

R70

JFA

PORTA-PILAR REGULÁVEL � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � 407

SUPORTE REGULÁVEL PARA TERRAÇOS � � � � � � � � � � � � � � � � � � � �464

R90

FLAT | FLIP

PORTA-PILAR REGULÁVEL � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � 407

CONECTOR PARA TERRAÇOS � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � �466

X10

TVM

PORTA-PILAR EM CRUZ � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � �408

CONECTOR PARA TERRAÇOS � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � �468

F70

GAP

PORTA-PILAR EM “T” � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � 414

CONECTOR PARA TERRAÇOS � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � 470

S50

TERRALOCK

PORTA-PILAR DE ALTA RESISTÊNCIA � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � �420

CONECTOR PARA TERRAÇOS � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � 472

P10 - P20

GROUND COVER

PORTA-PILAR EM TUBO PARA IMERGIR � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � 424

TELA ANTIVEGETAL PARA ALICERCES � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � 474

TYP F

NAG

PORTA-PILARES FIXOS � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � �428

PAD NIVELADOR � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � 475

TYP FD

GRANULO

PORTA-PILARES FIXOS DUPLOS � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � �436

BASE DE BORRACHA GRANULAR � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � 476

TYP M

TERRA BAND UV

PORTA-PILARES MISTOS � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � 440

FITA ADESIVA BUTÍLICA � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � 478

ROUND

PROFID

LIGAÇÕES PARA POSTES REDONDOS � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � �446

PERFIL ESPAÇADOR � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � 479

BRACE CHAPA COM DOBRADIÇA � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � �448

GATE FIXAÇÕES PARA PORTÕES � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � �450

PORTA-PILARES E LIGAÇÃO PARA TERRAÇOS | 395


PORTA-PILARES A ampla escolha de porta-pilares permite a satisfação de diversificadas exigências projectuais e estéticas. As diferentes combinações das características geométricas e dos revestimentos oferecem uma gama completa de soluções.

PORMENOR DE CONSTRUÇÃO A atenção dispensada às particularidades garante a durabilidade, a estética e a estabilidade da estrutura de madeira�

DISTÂNCIA DO TERRENO

ESTÉTICA

Uma adequada distância entre o terreno e o elemento de madeira evita o risco de deterioração da madeira causada por borrifos ou estagnação de água�

O revestimento homogéneo e os cuidados com as particularidades (ex� manguito de fecho no TYP R) asseguram uma junção elegante e esteticamente agradável�

RESISTÊNCIA Valores de resistência certiicados e calculados para todas as tipologias de produtos (ETA-10/0422)�

ETA

VÍNCULO DE DOBRADIÇA

VÍNCULO DE ENCAIXE

Transferência de tensões axiais de compressão e tração (N) e de corte na base (H), em função da tipologia de porta-pilar�

Transferência de momento de lexão (M), de tensões axiais de compressão e tração (N) e de corte na base (H) com o porta-pilar TYP X�

N

N

N M

H

CONTRAVENTAMENTO NECESSÁRIO

396 | PORTA-PILARES | PORTA-PILARES E LIGAÇÃO PARA TERRAÇOS

H

CONTRAVENTAMENTO NÃO NECESSÁRIO


GAMA - GEOMETRIA TYP R reguláveis R40L

R30

R20

R10

TYP X

F70

em cruz

em “T” XR10

XS10

TYP S

TYP P

vários

em tubo

R40S

R70

F70

F70L

P10

P20

S50

S40

F10

F50

F12

F11

F51

F69

FD10

FD70

FD20

FD30

FD50

FD60

M70 R

M50

M53

M52

M51

M10

M20

M30

R90

TYP F ixos F20

TYP FD ixos duplos

TYP M

M70 S

ixos

M60

GAMA - REVESTIMENTOS DAC COAT Revestimento especial de elevada qualidade, para um ótimo acabamento estético e uma resistência superior às colisões�

AÇO INOXIDÁVEL Os aços inoxidáveis oferecem uma elevada resistência à corrosão mesmo em ambientes particularmente agressivos�

ZINCAGEM A QUENTE DAC COAT

A2

AISI 304

Uma adequada espessura de zincagem garante a durabilidade no tempo e evita intervenções de manutenção�

ZINCAGEM A QUENTE COM THERMO DUST Tratamento supericial de alta durabilidade� Combina as qualidades da zincagem a quente com as de uma pintura especial em pó termo-endurecedor�

HOT DIP

HOT DIP

THERMO DUST

CORROSÃO A correta conceção e o revestimento de qualidade são requisitos indispensáveis para a durabilidade dos elementos� Para monitorizar o comportamento dos produtos e comparar os vários revestimentos, foram realizados numerosos testes de qualiicação do revestimento e de envelhecimento acelerado (por ex�: nevoeiro salino ISO9227)�

Revestimento: ELECTROGALVANIZAÇÃO Revestimento: DAC COAT

PORTA-PILARES E LIGAÇÃO PARA TERRAÇOS | PORTA-PILARES | 397


S235

R10 - R20 - R30

DAC COAT

ETA 10/0422

PORTA-PILAR REGULÁVEL REGULÁVEL Altura regulável também após a montagem� O sistema de regulação é escondido pelo manguito, para uma estética eicaz�

SOBRELEVADO Distanciado do terreno para evitar salpicos ou estagnações de água e garantir uma elevada durabilidade� Ligação oculta sobre o elemento de madeira�

CUIDADOS COM OS PORMENORES A base é caracterizada por um furo auxiliar para consentir a inserção dos parafusos HBS PLATE EVO (incluídos na embalagem)�

CARATERÍSTICAS FOCUS

regulável em altura após a montagem

PILARES

de 80 x 80 mm a 240 x 240 mm

ALTURA

regulável de 140 a 250 mm

FIXAÇÕES

HBS PLATE EVO, SKR, VIN-FIX PRO

VÍDEO Digitalize o QR Code e assista ao vídeo no nosso canal YouTube

MATERIAL Aço carbónico electrogalvanizado Dac Coat�

CAMPOS DE APLICAÇÃO Utilização para ligações em ambientes exteriores; idóneo para classes de serviço 1, 2 e 3 • madeira maciça e lamelar • CLT, LVL

398 | R10 - R20 - R30 | PORTA-PILARES E LIGAÇÃO PARA TERRAÇOS


ESTÁTICA Altas resistências à compressão nos modelos de grandes dimensões� Elevadas resistências quer à compressão quer à tração nas versões com barra condutora�

FUNCIONALIDADE A altura regulável após a montagem permite a regularização, mesmo a posteriori, de eventuais desníveis ocorridos em fase de instalação�

PORTA-PILARES E LIGAÇÃO PARA TERRAÇOS | R10 - R20 - R30 | 399


CÓDIGOS E DIMENSÕES R10 CÓDIGO

H

chapa superior

furos superiores

chapa inferior

furos inferiores

[mm]

[mm]

[n� x mm]

[mm]

[n� x mm]

140-165

80 x 80 x 6

4 x Ø9

120 x 120 x 6

4 x Ø11,5

R10100

170-205

100 x 100 x 6

4 x Ø11

160 x 160 x 6

4 x Ø11,5

Ø8 x 100

4

R10140

200-250 140 x 140 x 8

4 x Ø11

200 x 200 x 8

4 x Ø11,5

Ø8 x 100

4

parafusos HBS PLATE EVO

pçs

R1080

parafusos HBS PLATE EVO

pçs

Ø6 x 90

4

Parafusos incluídos na embalagem�

R20 CÓDIGO

H

chapa superior

furos superiores

chapa inferior

furos inferiores

barra ØxL

[mm]

[mm]

[n� x mm]

[mm]

[n� x mm]

[mm]

80 x 80 x 6

R2080

140-165

4 x Ø9

120 x 120 x 6

4 x Ø11,5

16 x 80

Ø6 x 90

4

R20100

170-205 100 x 100 x 6

4 x Ø11

160 x 160 x 6

4 x Ø11,5

20 x 120

Ø8 x 100

4

R20140

200-250 140 x 140 x 8

4 x Ø11

200 x 200 x 8 4 x Ø11,5

24 x 150

Ø8 x 100

4

Parafusos incluídos na embalagem�

R30 - DISC FLAT CÓDIGO

H

chapa superior

chapa inferior

furos inferiores

barra Ø

[mm]

[mm]

[mm]

[n� x mm]

[mm]

parafusos LBS

pçs

R3080

150-170

Ø80 x 15

120 x 120 x 6

4 x Ø11,5

16

Ø7 x 60

4

R30120

180-210

Ø120 x 15

160 x 160 x 6

4 x Ø11,5

20

Ø7 x 80

4

Parafusos incluídos na embalagem�

MATERIAL E DURABILIDADE TYP R: aço carbónico S235 com revestimento especial Dac Coat� Utilização em classes de serviço 1 2 e 3 (EN 1995-1-1)� Chapa superior R30: aço carbónico electrogalvanizado�

FORÇAS

F1,c

F1,t

d

suporte

CAMPOS DE EMPREGO • Pilares de madeira • Vigas de madeira

PRODUTOS ADICIONAIS - FIXAÇÕES tipo

descrição

pág.

[mm] XEPOX D

adesivo epoxídico

-

146

AB1 - AB1 A4

ancorante metálico

10

494 - 496

SKR

ancorante parafusável

10

488

VIN-FIX PRO

ancorante químico

M10

511

EPO-FIX PLUS

ancorante químico

M10

517

400 | R10 - R20 - R30 | PORTA-PILARES E LIGAÇÃO PARA TERRAÇOS


GEOMETRIA R10

R20

R30

Bs,min

Bs,min

Bs,min

parafusos HBS PLATE EVO

parafusos HBS PLATE EVO

s1

s1

s1 manguito

manguito

manguito

S2

S2

S2 Ø11,5

a

R20

R30

Ø11,5

A

Ø9 / Ø11

a

Ø11,5

A

Ø9 / Ø11

b

b

B

B

CÓDIGO

R10

H

H

H

A

parafusos LBS

B

Bs,min

A x B x S2

H

a x b x s1

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

R1080

80

120 x 120 x 6

140-165

80 x 80 x 6

R10100

100

160 x 160 x 6

170-205

100 x 100 x 6

R10140

140

200 x 200 x 8

200-250

140 x 140 x 8

R2080

80

120 x 120 x 6

140-165

80 x 80 x 6

R20100

100

160 x 160 x 6

170-205

100 x 100 x 6

R20140

140

200 x 200 x 8

200-250

140 x 140 x 8

R3080

120

120 x 120 x 6

150-170

Ø80 x 15

R30120

160

160 x 160 x 6

180-210

Ø120 x 15

MONTAGEM

1

2

3

4

5

6

PORTA-PILARES E LIGAÇÃO PARA TERRAÇOS | R10 - R20 - R30 | 401


VALORES ESTÁTICOS RESISTÊNCIA À COMPRESSÃO tensão

TYP R

pilar

ixação

Bs,min

R10 F1,c

R20 Bs,min

R1,c k timber γtimber(1)

R1,c k steel [kN]

[mm]

[kN]

R1080

80

71,2

48,3

R10100

100

111,8

75,4

R10140

140

222,8

γsteel

108,6 γMT

R2080

80

55,8

48,3

R20100

100

90,4

75,4

R20140

140

189,0

108,6

R3080

120

-

-

48,3

R30120

160

-

-

75,4

γM1

R30

RESISTÊNCIA À TRAÇÃO tensão

TYP R

pilar

ixação

Bs,min

R10 F1,t

R20 Bs,min

R1,t k timber γtimber(1)

R1,t k steel [kN]

γsteel

-

-

-

-

5,3

-

-

100

16,1

-

-

R20100

120

30,2

-

-

R20140

160

45,2

-

-

R3080

120

18,7

[mm]

[kN]

R1080

100

4,2

R10100

120

5,3

R10140

160

R2080

R30

γMC

γMT

24,3 γMC

R30120

160

62,4

γM0 36,4

NOTAS: (1)

γMT coeiciente parcial do material madeira; γMC coeiciente parcial para ligações�

PRINCÍPIOS GERAIS: • Os valores característicos estão de acordo com a ETA-10/0422, exceto para os valores de tração do R10 e R20 calculados da seguinte forma:

Os coeicientes kmod e y devem ser considerados em função da norma vigente utilizada para o cálculo� • Em fase de cálculo, considerou-se uma massa volúmica dos elementos de madeira equivalente a ρ k = 350 kg/m3 � • A dimensão e a veriicação dos elementos de madeira e de betão devem ser feitas à parte�

- no R10 são calculados considerando a resistência de extração dos parafusos HBS PLATE EVO paralelamente à ibra de acordo com a ETA11/0030; - no R20 são calculados considerando apenas a resistência de extração oferecida pela barra roscada ixada com adesivo epoxídico (XEPOXD400) e de acordo com a DIN 1052:2008� • Os valores de projeto são obtidos a partir dos valores característicos, desta forma:

Rd = min

Ri,k timber kmod γtimber Ri,k steel γsteel

402 | R10 - R20 - R30 | PORTA-PILARES E LIGAÇÃO PARA TERRAÇOS


MEMBRANAS MONOLÍTICAS PARA OS SEUS PROJETOS MAIS AMBICIOSOS

A membrana que dura uma vida inteira As membranas funcionais monolíticas garantem a respirabilidade graças a uma reação química e não à presença de micro-furos. O resultado é uma camada contínua e homogénea, impenetrável à passagem de água. As membranas monolíticas Rothoblaas asseguram maior resistência aos raios UV e às altas temperaturas, maior resistência mecânica e maior resistência à chuva forte, para uma durabilidade inigualável.

www.rothoblaas.pt


R40

A2

AISI 304

S235 DAC COAT

ETA 10/0422

PORTA-PILAR REGULÁVEL ALTURA VARIÁVEL Altura regulável de acordo com as exigências funcionais ou estéticas�

SOBRELEVADO Distanciado do terreno para evitar salpicos ou estagnações de água e garantir uma elevada durabilidade� Ligação oculta sobre o elemento de madeira�

FIXAÇÃO FÁCIL Instalação prática das buchas na versão de base retangular�

CARATERÍSTICAS FOCUS

altura regulável

PILARES

de 70 x 70 mm a 200 x 200 mm

ALTURA

regulável de 50 a 200 mm

FIXAÇÕES

HBS PLATE EVO, SKR, VIN-FIX PRO

MATERIAL Aço carbónico electrogalvanizado Dac Coat e aço inoxidável A2 | AISI304�

CAMPOS DE APLICAÇÃO Utilização para ligações em ambientes exteriores; idóneo para classes de serviço 1, 2 e 3 • madeira maciça e lamelar • CLT, LVL

404 | R40 | PORTA-PILARES E LIGAÇÃO PARA TERRAÇOS


CÓDIGOS E DIMENSÕES S235

R40 L - Long - base rectangular CÓDIGO

DAC COAT

chapa superior

furos superiores

chapa inferior

furos inferiores

barra ØxL

pçs

[mm]

[n� x mm]

[mm]

[n� x mm]

[mm]

R40L150

100 x 100 x 6

4 x Ø11

160 x 100 x 6

4 x Ø11,5

20 x 150

1

R40L250

100 x 100 x 6

4 x Ø11

160 x 100 x 6

4 x Ø11,5

24 x 250

1

S235

R40 S - Square - base quadrada

DAC COAT

CÓDIGO

chapa superior

furos superiores

chapa inferior

furos inferiores

[mm] R40S70

70 x 70 x 6

R40S80

80 x 80 x 6

barra ØxL

pçs

[n� x mm]

[mm]

[n� x mm]

[mm]

2 x Ø6

100 x 100 x 6

4 x Ø11,5

16 x 99

1

4 x Ø11

100 x 100 x 6

4 x Ø11,5

20 x 99

1

A2

RI40 L A2 | AISI304 - Long - base rectangular CÓDIGO

AISI 304

chapa superior

furos superiores

chapa inferior

furos inferiores

barra ØxL

pçs

[mm]

[n� x mm]

[mm]

[n� x mm]

[mm]

RI40L150

100 x 100 x 6

4 x Ø11

160 x 100 x 6

4 x Ø11,5

20 x 150

1

RI40L250

100 x 100 x 6

4 x Ø11

160 x 100 x 6

4 x Ø11,5

24 x 250

1

RI40 A2 | AISI304 Disponível na versão de base retangular também em aço inoxidável A2 | AISI304 para uma excelente durabilidade�

PORTA-PILARES E LIGAÇÃO PARA TERRAÇOS | R40 | 405


VALORES ESTÁTICOS RESISTÊNCIA À COMPRESSÃO F1,c

Bs,min

R40 L - Long CÓDIGO

Bs,min

R1,c k timber

[mm]

[kN]

R40L150

100

100,0

R40L250

100

100,0

R1,c k steel

γtimber γMT(1)

[kN] 41,9 50,7

[kN]

γsteel

57,1

γM0

65,3

γsteel γM1

R40 S - Square CÓDIGO

Bs,min [mm]

R1,c k timber [kN]

R40S70

80

50,7

R40S80

100

64,0

R1,c k steel

γ timber γMT(1)

[kN] 23,3 38,1

γsteel γM0

[kN] 39,6 61,8

γsteel γM1

NOTAS: (1)

Coeiciente parcial do material madeira�

Os coeicientes kmod e y devem ser considerados em função da norma vigente utilizada para o cálculo�

PRINCÍPIOS GERAIS:

• Em fase de cálculo, considerou-se uma massa volúmica dos elementos de madeira equivalente a ρ k = 350 kg/m3 �

• Os valores característicos são calculados de acordo com ETA-10/0422�

• A dimensão e a veriicação dos elementos de madeira e de betão devem ser feitas à parte�

• Os valores de projeto são obtidos a partir dos valores característicos, desta forma:

Rd = min

Ri,k timber kmod γtimber Ri,k steel γsteel

406 | R40 | PORTA-PILARES E LIGAÇÃO PARA TERRAÇOS


R70

S235 DAC COAT

ETA 10/0422

PORTA-PILAR REGULÁVEL

CÓDIGOS E DIMENSÕES CÓDIGO

chapa

furos

barra ØxL

pçs

[mm]

[n� x mm]

[mm]

R70100

100 x 100 x 8

4 x Ø11

20 x 350

1

R70140

140 x 140 x 8

4 x Ø11

24 x 450

1

R90

GALV

ETA 10/0422

PORTA-PILAR REGULÁVEL

CÓDIGOS E DIMENSÕES CÓDIGO

R90100

chapa inferior

furos inferiores

chapa superior

altura

parafuso ØxL

[mm]

[n� x mm]

[mm]

[mm]

[mm]

100 x 100 x 5

4 x Ø11,5

Ø80 x 6

130-170

16 x 90

pçs

1

PORTA-PILARES E LIGAÇÃO PARA TERRAÇOS | R70 | R90 | 407


S235

X10

HOT DIP

ETA 10/0422

PORTA-PILAR EM CRUZ DUAS VERSÕES Sem furos, a utilizar com cavilhas auto-perfurantes, cavilhas lisas ou parafusos; com furos, utilizável com adesivo epoxídico�

LIGAÇÃO OCULTA Instalação não aparente total� Diferentes graus de resistência em função da coniguração de ixação utilizada�

ENCAIXE Resistente ao momento de lexão para a realização de vínculos de encastramentos na base� Valores do momento característico certiicados em ambas as direções�

CARATERÍSTICAS FOCUS

ligações ocultas

PILARES

de 120 x 120 mm a 240 x 240 mm

ALTURA

regulável de 50 a 200 mm

FIXAÇÕES

SBD, STA, XEPOX, VIN-FIX PRO

VÍDEO Digitalize o QR Code e assista ao vídeo no nosso canal YouTube

MATERIAL Aço carbónico com zincagem a quente�

CAMPOS DE APLICAÇÃO Utilização para ligações resistentes ao momento� Apropriado para o uso em ambientes exteriores (classes de serviço 1, 2 e 3) • madeira maciça e lamelar • CLT, LVL

408 | X10 | PORTA-PILARES E LIGAÇÃO PARA TERRAÇOS


ESTRUTURAS LIVRES O vínculo estático na base absorve as forças horizontais consentindo a realização de pérgolas ou gazebos que não necessitam de contraventos, permanecendo abertas em todos os lados�

XEPOX A coniguração em cruz e a disposição das ixações são estudadas para garantir uma resistência da ligação ao momento, criando um vínculo estático semi-rígido na base�

PORTA-PILARES E LIGAÇÃO PARA TERRAÇOS | X10 | 409


CÓDIGOS E DIMENSÕES XS10 - fixação com cavilhas ou parafusos CÓDIGO

chapa inferior

furos inferiores

H

espessura da lâmina

lâminas em cruz

pçs

[mm]

[n� x mm]

[mm]

[mm]

XS10120

220 x 220 x 10

4 x Ø13

310

6

lisas

1

XS10160

260 x 260 x 12

4 x Ø17

312

8

lisas

1

lâminas em cruz

pçs

furos Ø8

1

XR10 - fixação com resina para madeira CÓDIGO

XR10120

chapa inferior

furos inferiores

H

espessura da lâmina

[mm]

[n� x mm]

[mm]

[mm]

220 x 220 x 10

4 x Ø13

310

6

Não de posse de marcação CE�

MATERIAL E DURABILIDADE

FORÇAS

TYP X: aço carbónico S235 com zincagem a quente� Utilização em classes de serviço 1, 2 e 3 (EN 1995-1-1)�

F1,t F1,c

Bs,min

F2/3

CAMPOS DE EMPREGO

M2/3

• Pilares de madeira maciça ou madeira lamelar F4/5

M4/5

PRODUTOS ADICIONAIS - FIXAÇÕES tipo

descrição

d

suporte

pág.

[mm] SBD

cavilha auto-perfurante

7,5

48

STA

cavilha lisa

12

54

KOS

parafuso

M12

526

XEPOX F

adesivo epoxídico

-

146

AB1

ancorante metálico

12-16

494

SKR

ancorante parafusável

12-16

488

VIN-FIX PRO

ancorante químico

M12-M16

511

EPO-FIX PLUS ancorante químico

M12-M16

517

410 | X10 | PORTA-PILARES E LIGAÇÃO PARA TERRAÇOS


GEOMETRIA XS10120

XS10160

XR10120

120 57 6 57

160 76 8 76

120 57 6 57

Ø8

300

300

46

10

300

50

12

220 57

6

220

260 76

57

8 76

57 6 57

22

15

220 190

15

260 216

20 20

220 190

22

Ø17

15

Ø13

15 15

46

10

190

15

22

216

Ø13 15

22

260

220

190

15

220

INSTALAÇÃO ESTIMA DA QUANTIDADE DE RESINA XEPOX - XR10 Exemplos de dimensões da fresagem

espessura fresagemf

[mm]

10

12

fresagem horizontal A

[mm]

140

140

A

fresagem vertical B

[mm]

280

280

A

V fresagem

[mm3]

756000

900480

sf

V furos na chapa

[mm3]

V chapa

[mm3]

ΔV

[mm3]

14476 353780 402220

coeiciente de perda de material quantidade de resina necessária

B

546700

A

sf

1,4 [mm3]

563109

765381

[litros]

0,60

0,80

O cálculo da quantidade de resina tenciona ser uma indicação preliminar para o instalador� Veriicar a variabilidade dos dados fornecidos em tabela em função das efectivas espessuras de fresagem que são realizadas�

MONTAGEM XS10

1

2

3

4

2

3

4

XR10

1

PORTA-PILARES E LIGAÇÃO PARA TERRAÇOS | X10 | 411


CONFIGURAÇÕES DE FIXAÇÃO PARA XS10 XS10120

XS10160

S1 - SBD

S1 - STA

S2 - SBD

S2 - STA

cavilhas autoperfurantes SBD

cavilhas lisas STA

cavilhas autoperfurantes SBD

cavilhas lisas STA

20 37 6 37 20

35 40

30

16 41 6 41 16 15

15 20 20

16

52

35

40

40

30

46 8 46

28 15

15 20 20

48 8 48

28

20

40

48

65 65

128 128

109 109

88

80

100

105 40

40

120

65

112

84

62

23

42

65 104

40

40

84 60

40

105

VALORES ESTÁTICOS F1,t F1,c

Bs,min

F2/3

M2/3

F4/5

M4/5

XS10

CÓDIGO

conig.

ixações para madeira

COMPRESSÃO

TRAÇÃO

CORTE (1) (2)

R1,c k timber

R1,t k steel

R2/3 k steel = R4/5 k steel

pilar Bs,min

tipo

XS10120

XS10160

S1 - SBD

[mm]

SBD Ø7,5

S1 - STA

STA Ø12

S2 - SBD

SBD Ø7,5

S2 - STA

pçs - Ø x L [mm]

STA Ø12

[kN]

[kN]

16 - Ø7,5 x 115

140 x 140

133,0

32,6

16 - Ø7,5 x 135

160 x 160

149,0

32,6

8 - Ø12 x 120

160 x 160

125,0

32,6

16 - Ø7,5 x 135

160 x 160

197,0

59,0

16 - Ø7,5 x 155

200 x 200

213,0

59,0

12 - Ø12 x 160

200 x 200

182,0

59,0

γsteel

[kN]

M2/3 k timber = M4/5 k timber

M2/3 k steel = M4/5 k steel

γsteel

[kNm]

[kNm] γsteel

3,03

0,90

γM0

3,34

0,90

2,09

0,90

3,97 γM0

3,97 4,01 7,99

γM0

7,99

MOMENTO (1)

γM0

8,29

3,33

1,83

3,68

1,83

6,74

1,83

γM0

γM0

XR10

CÓDIGO

ixação

COMPRESSÃO

TRAÇÃO

CORTE (1) (2)

R1,c k timber

R1,t k steel

R2/3 k steel = R4/5 k steel

pilar Bs,min

tipo XR10120

adesivo XEPOX

(3)

MOMENTO (1) M2/3 k timber = M4/5 k timber

M2/3 k steel = M4/5 k steel [kNm] γsteel

[mm]

[kN]

[kN]

γsteel

[kN]

γsteel

[kNm]

160 x 160

105,0

32,6

γM0

3,97

γM0

4,35

412 | X10 | PORTA-PILARES E LIGAÇÃO PARA TERRAÇOS

0,90

γM0


MODELAÇÃO NUMÉRICA XR10 Investigação sobre a capacidade portante e o estado evolutivo das deformações plásticas no porta-pilar XR10 por meio de análise dos elementos initos�

CAPACIDADE PORTANTE DA LIGAÇÃO DO LADO DO AÇO N

[kN]

50

25

0

FH,max

[kN]

40,77

49,49

50,64

6,12

7,42

7,60

força vertical aplicada força Andamento das tensões de Mises nas chapas e nas buchas�

horizontal(*)

Mmax [kNm]

momento resistente (*)

Ponto de aplicação da força de corte FH a uma altura e = 150 mm�

50 FH

FH [kN] M [kNm]

40 30 20 10

M

0 0 Andamento das tensões de ponto de ruptura de tensão nas chapas e nas buchas�

10

20

30

40

50

displacement [mm]

As análises mostram que a aplicação de uma carga de compressão (N) não afeta signiicativamente a resistência global da ligação quando o valor limite de lexão da chapa da base (M=Máx) é atingido�

NOTAS: (1)

Assegurar reforço ortogonal à ibra em cada direção da carga, instalando 2 parafusos VGZ Ø7 x B s,min acima das langes verticais�

(2)

Valor limite da chapa da base para uma aplicação da tensão de corte a uma altura de e = 220 ÷ 230 mm�

(3)

Recomenda-se a utilização de XEPOX F�

PRINCÍPIOS GERAIS: • Os valores de resistência tabelados são válidos para a aplicação das ixações de acordo com as conigurações indicadas� • Os valores característicos são conforme a norma EN 1995-1-1, de acordo com ETA-10/0422 (XS10)�

Os coeicientes kmod e y devem ser considerados em função da norma vigente utilizada para o cálculo� A veriicação da ixação do lado do betão deve ser feita à parte� • Os valores de resistência ao momento e ao corte são calculados individualmente, sem ter em conta eventuais contribuições estabilizadoras da tensão de compressão que inluenciam a resistência global da ligação� Em caso de interação de várias tensões ao mesmo tempo, a veriicação deve ser feita à parte� • Em fase de cálculo, considerou-se uma massa volúmica dos elementos de madeira equivalente a ρ k = 350 kg/m3 � • A dimensão e a veriicação dos elementos de madeira e de betão devem ser feitas à parte�

• Os valores de projeto são obtidos desta forma:

Rd = min

Ri,k timber kmod γtimber Ri,k steel γsteel

PORTA-PILARES E LIGAÇÃO PARA TERRAÇOS | X10 | 413


S235

F70

HOT DIP

ETA 10/0422

PORTA-PILAR EM “T” INVISÍVEL A lâmina interna permite efetuar uma ligação totalmente oculta� Estudado para acolher pilares de todas as dimensões�

DUAS VERSÕES Sem furos, para utilizar com cavilhas auto-perfurantes; com furos, para utilizar com cavilhas lisas ou parafusos�

ENCAIXE Resistente ao momento de lexão para a realização de vínculos de encastramentos na base� Diferentes graus de resistência em função da coniguração de ixação utilizada�

CARATERÍSTICAS FOCUS

ligações ocultas

PILARES

de 70 x 70 mm a 240 x 240 mm

ALTURA

de 150 a 300 mm

FIXAÇÕES

SBD, STA, SKR, VIN-FIX PRO

VÍDEO Digitalize o QR Code e assista ao vídeo no nosso canal YouTube

MATERIAL Aço carbónico com zincagem a quente�

CAMPOS DE APLICAÇÃO Utilização para ligações em ambientes exteriores; idóneo para classes de serviço 1, 2 e 3 • madeira maciça e lamelar • CLT, LVL

414 | F70 | PORTA-PILARES E LIGAÇÃO PARA TERRAÇOS


ESTÁTICA Diferentes conigurações de ixação, cada uma calculada e certiicada de acordo com a ETA� Resistente à compressão, tração, corte e momento�

ESTÉTICA E DURABILIDADE Para uma ótima durabilidade, pode ser integrado com a chapa F70 LIFT para gerar uma elevação do solo e proteger os ancorantes da humidade�

PORTA-PILARES E LIGAÇÃO PARA TERRAÇOS | F70 | 415


CÓDIGOS E DIMENSÕES F70 CÓDIGO

chapa da base

furos na base

H

espessura da lâmina

pçs

[mm]

[n� x mm]

[mm]

[mm]

F7080

80 x 80 x 6

4 x Ø9

156

4

1

F70100

100 x 100 x 6

4 x Ø9

206

6

1

F70140

140 x 140 x 8

4 x Ø11,5

308

8

1

chapa da base

furos na base

H

espessura da lâmina

furos lâmina

[mm]

[n� x mm]

[mm]

[mm]

[n� x mm]

F70 L - com furos CÓDIGO

pçs

F70100L

100 x 100 x 6

4 x Ø9

206

6

4 x Ø13

1

F70140L

140 x 140 x 8

4 x Ø11,5

308

8

6 x Ø13

1

F70 LIFT CÓDIGO

chapa

H

espessura

pçs

[mm]

[mm]

[mm]

F70100LIFT

120 x 120

20

2

1

F70140LIFT

160 x 160

22

2

1

MATERIAL E DURABILIDADE

FORÇAS

F70: aço carbónico S235 com zincagem a quente� Utilização em classes de serviço 1 2 e 3 (EN 1995-1-1)�

F1,t F1,c

Bs,min

CAMPOS DE EMPREGO • Junção oculta para pilares de madeira F2/3

M2/3

PRODUTOS ADICIONAIS - FIXAÇÕES tipo

descrição

d

suporte

pág.

[mm] SBD

cavilha auto-perfurante

7,5

48

STA

cavilha lisa

12

54

KOS/KOT

parafuso

M12

526 - 531

SKR

ancorante parafusável

7,5 - 8 - 10

488

VIN-FIX PRO

ancorante químico

M8 - M10

511

EPO-FIX PLUS ancorante químico

M8 - M10

517

416 | F70 | PORTA-PILARES E LIGAÇÃO PARA TERRAÇOS


GEOMETRIA F7080

F70100

F70140 8

6 4 300 200 150

6

6 80 15 50 15

15 Ø9

15

8 100 70 15 Ø9

15

80 50

20

140 100

20

20

Ø11,5

100 70 140 100

15 15

20

F70100LIFT

F70100L

F70140L

120

34

72

34

20

Ø13

40

20 28 44 28

6 90

Ø13

20 120

8

104 300

80

40

200

F70140LIFT

118

106

160 6

8

22 15 15 160

100

144

100 70 15

20 Ø9

140 100

20

20

Ø11,5

70 140 100

15

20

MONTAGEM F70 COM CAVILHAS AUTOPERFURANTES SBD

1

2

3

4

2

3

4

F70 L COM CAVILHAS STA

1

PORTA-PILARES E LIGAÇÃO PARA TERRAÇOS | F70 | 417


CONFIGURAÇÕES DE FIXAÇÃO PARA F70 COM CAVILHAS AUTOPERFURANTES SBD

CÓDIGO

F7080

F70100

F70140 160 20

100

20

120

20

40

20 43

20 30 30 20

100

54

43 40

20 20

90 Ø7,5

20

300

80

40

Ø7,5 Ø7,5

200

60

150

21

6

95

85

55

8

23

CORTE

MOMENTO

21

6

VALORES ESTÁTICOS F70 F1,t F1,c

Bs,min

F2/3

COMPRESSÃO CÓDIGO

ixações para madeira

pilar Bs,min

M2/3

TRAÇÃO

R1,c k timber

R1,c k steel

R1,t k timber

R1,t k steel

R2/3,t k steel M2/3 k timber M2/3 k steel

tipo

pçs - Ø x L [mm]

[mm]

[kN]

[kN] γsteel

[kN]

[kN] γsteel [kN] γsteel

F7080

SBD Ø7,5

4 - Ø7,5 x 75

100 x 100

29,6

32,7

17,9

18,3

F70100

SBD Ø7,5

6 - Ø7,5 x 95

120 x 120

52,6

67,8

F70140

SBD Ø7,5

8 - Ø7,5 x 115

160 x 160

87,7

103,0

418 | F70 | PORTA-PILARES E LIGAÇÃO PARA TERRAÇOS

γM1

52,6

15,7

87,7

25,7

3,4 γM0

3,8 6,5

γM0

[kNm]

[kNm] γsteel

0,36

0,46

1,98

0,55 γM0

4,22

1,28


CONFIGURAÇÕES DE FIXAÇÃO PARA F70L COM CAVILHAS LISAS STA OU PARAFUSOS

CÓDIGO

F70100L

F70140L 160 34

72

34

140 28 44

20 28

40

20

90 300

80

40

200 95

85 21

6

23

8

VALORES ESTÁTICOS F70L F1,t F1,c

Bs,min

F2/3

COMPRESSÃO ixações para madeira

CÓDIGO

pilar Bs,min

tipo F70100L F70140L

STA

Ø12(1)

STA

Ø12(1)

TRAÇÃO

R1,c k timber R1,c k steel R1,t k timber

pçs - Ø x L [mm]

[mm]

4 - Ø12 x 120

140 x 140

55,7

67,8

160 x 160

104,0

103,0

6 - Ø12 x 140

M2/3

[kN]

[kN] γsteel γM1

[kN]

CORTE

R1,t k steel

R2/3,t k steel M2/3 k timber M2/3 k steel

[kN] γsteel [kN] γsteel

55,7

15,7

104,0

25,7

γM0

MOMENTO

3,8 6,2

γM0

[kNm]

[kNm] γsteel

2,46

0,55

4,88

1,28

γM0

NOTAS: (1)

Os valores de resistência também são válidos no caso de ixação alternativa com parafusos M12 de acordo com a ETA-10/0422�

• Os valores de resistência tabelados são válidos para o posicionamento das ixações e do pilar de madeira de acordo com as conigurações indicadas�

• Os valores característicos são conforme a norma EN 1995-1-1, de acordo com ETA-10/0422�

• Os valores de resistência ao momento e ao corte são calculados individualmente, sem ter em conta eventuais contribuições estabilizadoras da tensão de compressão que inluenciam a resistência global da ligação� Em caso de interação de várias tensões ao mesmo tempo, a veriicação deve ser feita à parte�

• Os valores de projeto são obtidos a partir dos valores característicos, desta forma:

• Em fase de cálculo, considerou-se uma massa volúmica dos elementos de madeira equivalente a ρ k = 350 kg/m3 �

PRINCÍPIOS GERAIS:

Rd = min

Ri,k timber kmod γtimber Ri,k steel γsteel

• A dimensão e a veriicação dos elementos de madeira e de betão devem ser feitas à parte�

Os coeicientes kmod e y devem ser considerados em função da norma vigente utilizada para o cálculo� A veriicação da ixação do lado do betão deve ser feita à parte�

PORTA-PILARES E LIGAÇÃO PARA TERRAÇOS | F70 | 419


S50

S235 HOT DIP

ETA 10/0422

PORTA-PILAR DE ALTA RESISTÊNCIA FORTE Resistência característica à compressão superior a 300 kN� Ideal para pilares de grandes dimensões�

SOBRELEVADO Distanciado do terreno para evitar salpicos ou estagnações de água e garantir uma elevada durabilidade� Ligação oculta sobre o elemento de madeira�

SEGURANÇA CERTIFICADA Excecionais valores de resistência à compressão calculados e certiicados de acordo com a ETA�

CARATERÍSTICAS FOCUS

resistência à compressão excecional

PILARES

de 120 x 120 mm extensivamente

ALTURA

120 | 180 | 240 mm

FIXAÇÕES

HBS PLATE EVO, SKR, VIN-FIX PRO

MATERIAL Aço carbónico com zincagem a quente�

CAMPOS DE APLICAÇÃO Utilização para ligações em ambientes exteriores; idóneo para classes de serviço 1, 2 e 3 • madeira maciça e lamelar • CLT, LVL

420 | S50 | PORTA-PILARES E LIGAÇÃO PARA TERRAÇOS


CARGA PONTUAL Ideal para transferir forças de compressão elevadas derivadas de pilares de grandes dimensões� Excelente durabilidade do pilar graças ao tubular que gera a elevação�

GRANDES ESTRUTURAS Ideal para sistemas de construção de viga-pilar (post and beam) de dimensões e vãos grandes�

PORTA-PILARES E LIGAÇÃO PARA TERRAÇOS | S50 | 421


CÓDIGOS E DIMENSÕES CÓDIGO

H

P

chapa superior

furos superiores

chapa inferior

furos inferiores

barra ØxL

pçs

[mm]

[mm]

[mm]

[n� x mm]

[mm]

[n� x mm]

[mm]

S50120120

144

120

120 x 120 x 12

4 x Ø11

160 x 160 x 12

4 x Ø13

M20 x 120

1

S50120180

204

180

120 x 120 x 12

4 x Ø11

160 x 160 x 12

4 x Ø13

M20 x 120

1

S50160180

212

180

160 x 160 x 16

4 x Ø11

200 x 200 x 16

4 x Ø13

M24 x 150

1

S50160240

272

240

160 x 160 x 16

4 x Ø11

200 x 200 x 16

4 x Ø13

M24 x 150

1

P H

HBS PLATE EVO COATING

CÓDIGO

d1

L

b

[mm]

[mm]

[mm]

8

80

55

HBSPEVO880

TX

pçs d1

TX 40

MATERIAL E DURABILIDADE

L

100

FORÇAS

S50: aço carbónico S235 com zincagem a quente� Utilização em classes de serviço 1, 2 e 3 (EN 1995-1-1)�

F1,c Bs,min

CAMPOS DE EMPREGO • Pilares de madeira

PRODUTOS ADICIONAIS - FIXAÇÕES tipo

descrição

d

suporte

pág.

[mm] HBS PLATE EVO parafuso para madeira

8

560

SKR

ancorante parafusável

12

488

AB1 - AB1 A4

ancorante metálico

12

494 - 496

VIN-FIX PRO

ancorante químico

M12

511

EPO-FIX PLUS

ancorante químico

M12

517

MONTAGEM

1

2

422 | S50 | PORTA-PILARES E LIGAÇÃO PARA TERRAÇOS

3

4


GEOMETRIA S50120120 S50120180

S50160180 S50160240

20 17

M20 120

120 86

17

M24

Ø11

160 120

16

86

20

160

17

12

20

20

Ø11

17

120

150

160 120

P

120

Ø100

P Ø80 16

12 17

160 126

20

17

160 126

20 Ø13

20

Ø13

17

200 160

Ø80

200 160

Ø100

17 20

VALORES ESTÁTICOS RESISTÊNCIA À COMPRESSÃO F1,c

Bs,min

CÓDIGO

Bs,min [mm]

S50120120 S50120180 S50160180 S50160240

120 x 120 160 x 160

R1,c k timber [kN]

R1,c k steel

γ timber

193,0 193,0 324,0

[kN]

γsteel

127,0 γMT(1)

324,0

127,0 247,0 247,0

[kN]

γsteel

277,0 γM0

277,0 351,0

γM1

351,0

NOTAS: (1)

y MT coeiciente parcial do material madeira�

PRINCÍPIOS GERAIS: • Os valores característicos são calculados de acordo com ETA-10/0422� • Os valores de projeto são obtidos a partir dos valores característicos, desta forma:

Rd = min

Os coeicientes kmod e y devem ser considerados em função da norma vigente utilizada para o cálculo� A veriicação da ixação do lado do betão deve ser feita à parte� • Em fase de cálculo, considerou-se uma massa volúmica dos elementos de madeira equivalente a ρ k = 350 kg/m3 � • A dimensão e a veriicação dos elementos de madeira e de betão devem ser feitas à parte�

Ri,k timber kmod γtimber Ri,k steel γsteel

PORTA-PILARES E LIGAÇÃO PARA TERRAÇOS | S50 | 423


P10 - P20

S235

S235

DAC COAT

HOT DIP

ETA 10/0422

PORTA-PILAR EM TUBO PARA IMERGIR SOBRELEVADO Para imergir no betão, permite distanciar o pilar do solo e obter uma elevada durabilidade da madeira�

H ≥ 300 mm É possível distanciar o pilar do solo mais de 300 mm, em conformidade com a norma DIN 68800�

REGULÁVEL Na versão P20, a altura pode ser regulada de acordo com as necessidades�

CARATERÍSTICAS FOCUS

estruturas sobrelevadas

PILARES

de 70 x 70 mm a 160 x 160 mm

ALTURA

300 | 500 mm

FIXAÇÕES

HBS PLATE EVO, XEPOX

MATERIAL Aço carbónico com zincagem a quente (P10) e zincagem Dac Coat (P20)�

CAMPOS DE APLICAÇÃO Utilização para ligações em ambientes exteriores; idóneo para classes de serviço 1, 2 e 3 • madeira maciça e lamelar • CLT, LVL

424 | P10 - P20 | PORTA-PILARES E LIGAÇÃO PARA TERRAÇOS


VARANDAS E TERRAÇOS Ideal para realizar ligações ocultas de elevada durabilidade de pilares de madeira no exterior�

DISTÂNCIA 300 mm Nas versões com 500 mm de altura garante uma distância entre o solo e a cabeça do pilar superior a 300 mm�

PORTA-PILARES E LIGAÇÃO PARA TERRAÇOS | P10 - P20 | 425


CÓDIGOS E DIMENSÕES P10

S235 HOT DIP

CÓDIGO

H

P

chapa superior

furos superiores

chapa inferior

pçs

[mm]

[mm]

[mm]

[n� x mm]

[mm]

P10300

312

300

Ø100 x 6

4 x Ø11,0

80 x 80 x 6

1

P10500

512

500

Ø100 x 6

4 x Ø11,0

80 x 80 x 6

1

P H

S235

P20

DAC COAT

CÓDIGO

H

P

chapa superior

furos superiores

chapa inferior

barra ØxL

[mm]

[mm]

[mm]

[n� x mm]

[mm]

[mm]

P20300

312

300

100 x 100 x 8

4 x Ø11,0

80 x 80 x 6

M24 x 170

1

P20500

512

500

100 x 100 x 8

4 x Ø11,0

80 x 80 x 6

M24 x 170

1

L

pçs

P H

HBS PLATE EVO COATING

CÓDIGO

d1

L

b

[mm]

[mm]

[mm]

8

80

55

HBSPEVO880

MATERIAL E DURABILIDADE

TX

pçs d1

TX 40

L

100

FORÇAS

P10: aço carbónico S235 com zincagem a quente. P20: aço carbónico S235 com revestimento especial Dac Coat. Utilização em classes de serviço 1, 2 e 3 (EN 1995-1-1).

F1,c Bs,min

CAMPOS DE EMPREGO • Pilares de madeira imersos no betão

INSTALAÇÃO SOBRE BETÃO CÓDIGO

P10 P20

H

Hmin

amax*

Dmax

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

P10300

312

156

-

156

P10500

512

256

-

256

P20300

312

156

70

226

P20500

512

256

70

326

* amin ≈ 25÷30 mm (chapa superior + porca)

426 | P10 - P20 | PORTA-PILARES E LIGAÇÃO PARA TERRAÇOS

amax D D H Hmin P10

P20


GEOMETRIA P10

P20 M24

15

100 70 15 Ø11

15 170

100

8 Ø100

Ø100

70 15

6

6 Ø48,3

Ø48,3

Ø11 49,5 P

P

6

6 80 12 56 12 Ø6

12 80

80 12 56 12 Ø6

12

56

80

56

12

12

VALORES ESTÁTICOS RESISTÊNCIA À COMPRESSÃO F1,c Bs,min

amax

H Hmin

P10 CÓDIGO

Bs,min

H

Hmin

[mm]

[mm]

[mm]

P10300

100 x 100

312

156

P10500

Ø100

512

256

R1,c k timber

R1,c k steel

[kN]

γtimber

[kN]

γsteel

98,6

γMT(1)

78,7

γM0

[kN] 107,0 99,3

γsteel γM1

P20 CÓDIGO

P20300 P20500

Bs,min

H

Hmin

amax

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

312

156

70

512

256

70

100 x 100

R1,c k timber

R1,c k steel

[kN]

γtimber

[kN]

γsteel

93,7

γMT(1)

59,5

γM0

[kN] 106,0 106,0

γsteel γM1

NOTAS: (1)

yMT coeiciente parcial do material madeira�

PRINCÍPIOS GERAIS: • Os valores característicos estão de acordo com a ETA-10/0422 e são válidos para uma profundidade mínima de inserção no betão de Hmin � • Os valores de projeto são obtidos a partir dos valores característicos, desta forma:

Rd = min

Os coeicientes kmod e y devem ser considerados em função da norma vigente utilizada para o cálculo� A veriicação da ixação do lado do betão deve ser feita à parte� • Em fase de cálculo, considerou-se uma massa volúmica dos elementos de madeira equivalente a ρ k = 350 kg/m3 � • A dimensão e a veriicação dos elementos de madeira e de betão devem ser feitas à parte�

Ri,k timber kmod γtimber Ri,k steel γsteel

PORTA-PILARES E LIGAÇÃO PARA TERRAÇOS | P10 - P20 | 427


TYP F PORTA-PILARES FIXOS EXTERIOR Zincagem a quente para utilização nas classes de serviço 1, 2 e 3� Versões em aço inoxidável A2 | AISI304 para uma excelente durabilidade�

ESCOAMENTO DA ÁGUA Furos internos concebidos para permitir a drenagem da água acumulada� Versões com elevação integrada�

CARATERÍSTICAS FOCUS

instalação rápida

PILARES

de 70 x 70 mm a 200 x 200 mm

PILARES REDONDOS

de Ø80 a Ø140 mm

FIXAÇÕES

HBS PLATE EVO, SKR, VIN-FIX PRO

MATERIAL Chapas tridimensionais furadas de aço carbónico com zincagem a quente ou aço inoxidável�

CAMPOS DE APLICAÇÃO Utilização para ligações em ambientes exteriores; idóneos para classes de serviço 1, 2 e 3� Construção de pérgolas, cercas e vedações�

428 | TYP F | PORTA-PILARES E LIGAÇÃO PARA TERRAÇOS


F10

S235 HOT DIP

ETA 10/0422

PORTA-PILAR DE COPO

CÓDIGOS E DIMENSÕES CÓDIGO

copo

altura

espessura

chapa da base

furos na base

furos no copo

[mm]

[mm]

F1070

71 x 71

150

F1080

81 x 81

F1090

91 x 91

pçs

[mm]

[mm]

[n� x mm]

[n� x mm]

2,0

150 x 150

4 x Ø11,5

4 x Ø11

1

150

2,0

150 x 150

4 x Ø11,5

4 x Ø11

1

150

2,0

150 x 150

4 x Ø11,5

4 x Ø11

1

F1080 não presente no documento ETA�

FI10 A2 | AISI304

A2

AISI 304

ETA 10/0422

PORTA-PILAR DE COPO

CÓDIGOS E DIMENSÕES CÓDIGO

copo

altura

espessura

chapa da base

furos na base

furos no copo

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[n� x mm]

[n� x mm]

pçs

FI1070

71 x 71

150

2,0

150 x 150

4 x Ø11,5

4 x Ø11

1

FI1090

91 x 91

150

2,0

150 x 150

4 x Ø11,5

4 x Ø11

1

PORTA-PILARES E LIGAÇÃO PARA TERRAÇOS | TYP F | 429


F50

S235 HOT DIP

ETA 10/0422

PORTA-PILAR DE COPO

CÓDIGOS E DIMENSÕES CÓDIGO

copo

altura

espessura

chapa da base

furos na base

furos no copo

pçs

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[n� x mm]

[n� x mm]

F50100

101 x 101

150

2,5

150 x 150

4 x Ø11,5

4 x Ø11

1

F50120

121 x 121

150

2,5

200 x 200

4 x Ø11,5

4 x Ø11

1

F50140

141 x 141

150

2,5

200 x 200

4 x Ø11,5

4 x Ø11

1

F50160

161 x 161

200

2,5

240 x 240

4 x Ø11,5

4 x Ø11

1

F50180

181 x 181

200

2,5

280 x 280

4 x Ø11,5

4 x Ø11

1

F50200

201 x 201

200

2,5

300 x 300

4 x Ø11,5

4 x Ø11

1

FI50 A2 | AISI304

A2

AISI 304

ETA 10/0422

PORTA-PILAR DE COPO

CÓDIGOS E DIMENSÕES CÓDIGO

copo

altura

espessura

chapa da base

furos na base

furos no copo

pçs

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[n� x mm]

[n� x mm]

FI50100

101 x 101

150

2,5

150 x 150

4 x Ø11,5

4 x Ø11

FI50120

121 x 121

150

2,5

200 x 200

4 x Ø11,5

4 x Ø11

1

FI50140

141 x 141

150

2,5

200 x 200

4 x Ø11,5

4 x Ø11

1

1

FI50160

161 x 161

200

2,5

240 x 240

4 x Ø11,5

4 x Ø11

1

FI50200

201 x 201

200

2,5

300 x 300

4 x Ø11,5

4 x Ø11

1

430 | TYP F | PORTA-PILARES E LIGAÇÃO PARA TERRAÇOS


FM50 COLOR

THERMO DUST

S235 HOT DIP

ETA 10/0422

PORTA-PILAR DE COPO

CÓDIGOS E DIMENSÕES CÓDIGO

copo

altura

espessura

chapa da base

furos na base

furos no copo

pçs

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[n� x mm]

[n� x mm]

FM50100

101 x 101

150

2,5

150 x 150

4 x Ø11,5

4 x Ø11

1

FM50120

121 x 121

150

2,5

200 x 200

4 x Ø11,5

4 x Ø11

1

FM50160

161 x 161

200

2,5

240 x 240

4 x Ø11,5

4 x Ø11

1

FM50200

201 x 201

200

2,5

300 x 300

4 x Ø11,5

4 x Ø11

1

Fixações para madeira e para betão incluídas�

FR50 COLOR

THERMO DUST

S235 HOT DIP

ETA 10/0422

PORTA-PILAR DE COPO

CÓDIGOS E DIMENSÕES CÓDIGO

copo

altura

espessura

chapa da base

furos na base

furos no copo

pçs

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[n� x mm]

[n� x mm]

FR50100

101 x 101

150

2,5

150 x 150

4 x Ø11,5

4 x Ø11

1

FR50120

121 x 121

150

2,5

200 x 200

4 x Ø11,5

4 x Ø11

1

Fixações para madeira e para betão incluídas�

PORTA-PILARES E LIGAÇÃO PARA TERRAÇOS | TYP F | 431


F12

S235 HOT DIP

PORTA-PILAR BASE OCULTA

CÓDIGOS E DIMENSÕES CÓDIGO

base

altura

espessura

furos na base

furos asas

pçs

[mm]

[mm]

[mm]

[n� x mm]

[n� x mm]

F1270

72 x 60

100

2,5

4 x Ø8

4 x Ø11

F1280

82 x 60

100

2,5

4 x Ø8

4 x Ø11

1

F1290

92 x 70

120

2,5

4 x Ø8

4 x Ø11

1 1

1

F12100

102 x 80

120

2,5

4 x Ø8

4 x Ø11

F12120

122 x 100

140

2,5

4 x Ø8

4 x Ø11

1

F12140

142 x 120

160

3,0

4 x Ø13

4 x Ø11

1

F12160

162 x 140

180

3,0

4 x Ø13

4 x Ø11

1

LIFT20

60 x 60

20

3,0

-

-

1

LIFT não incluídos na embalagem�

F11

S235 HOT DIP

PORTA-PILAR BASE OCULTA

CÓDIGOS E DIMENSÕES CÓDIGO

copo

altura

espessura

furos na base

furos no copo

pçs

[mm]

[mm]

[mm]

[n� x mm]

[n� x mm]

F1190

91 x 91

150

2,5

4 x Ø8

4 x Ø11

F11100

101 x 101

150

2,5

4 x Ø8

4 x Ø11

1

F11120

121 x 121

150

2,5

4 x Ø8

4 x Ø11

1

F11140

141 x 141

200

3,0

4 x Ø13

4 x Ø11

1

F11160

161 x 161

200

3,0

4 x Ø13

4 x Ø11

1

LIFT20

60 x 60

20

3,0

-

-

1

LIFT não incluídos na embalagem�

432 | TYP F | PORTA-PILARES E LIGAÇÃO PARA TERRAÇOS

1


F51

S235 HOT DIP

PORTA-PILAR COM FLANGES

CÓDIGOS E DIMENSÕES CÓDIGO

copo

altura

espessura

chapa da base

furos na base

furos na lange

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[n� x mm]

[n� x mm]

pçs

F51120

121 x 121

150

3,0

187 x 187

4 x Ø11,5

8 x Ø11

1

F51140

141 x 141

200

3,0

207 x 207

4 x Ø11,5

8 x Ø11

1

F51160

161 x 161

200

4,0

227 x 227

4 x Ø13,0

8 x Ø11

1

F51180

181 x 181

225

4,0

247 x 247

4 x Ø13,0

8 x Ø11

1

F51200

201 x 201

225

4,0

267 x 267

4 x Ø13,0

8 x Ø11

1

F69

S235 HOT DIP

PORTA-PILAR COM FLANGES

CÓDIGOS E DIMENSÕES CÓDIGO

copo

altura

espessura

chapa da base

furos na base

furos na lange

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[n� x mm]

[n� x mm]

F69100

101 x 101

150

2,5

150 x 150

4 x Ø11,5

8 x Ø11

pçs

1

F69120

121 x 121

150

2,5

200 x 200

4 x Ø11,5

8 x Ø11

1

F69160

161 x 161

200

3,0

240 x 240

4 x Ø11,5

8 x Ø11

1

F69200

201 x 201

220

3,0

300 x 300

4 x Ø11,5

8 x Ø11

1

LIFT20

60 x 60

20

3,0

-

-

-

1

LIFT não incluídos na embalagem�

PORTA-PILARES E LIGAÇÃO PARA TERRAÇOS | TYP F | 433


F20

S235 HOT DIP

ETA 10/0422

PORTA-PILAR DE COPO

CÓDIGOS E DIMENSÕES CÓDIGO

copo

altura

espessura

chapa da base

furos na base

furos no copo

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[n� x mm]

[n� x mm]

pçs

F2080

Ø81

150

2,0

160 x 160

4 x Ø11,5

4 x Ø11

1

F20100

Ø101

150

2,0

160 x 160

4 x Ø11,5

4 x Ø11

1

F20120

Ø121

150

2,0

180 x 180

4 x Ø11,5

4 x Ø11

1

F20140

Ø141

150

2,0

200 x 200

4 x Ø11,5

4 x Ø11

1

FR20 COLOR

THERMO DUST

S235 HOT DIP

ETA 10/0422

PORTA-PILAR DE COPO

CÓDIGOS E DIMENSÕES CÓDIGO

copo

altura

espessura

chapa da base

furos na base

furos no copo

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[n� x mm]

[n� x mm]

pçs

FR20100

Ø101

150

2,0

160 x 160

4 x Ø11,5

4 x Ø11

1

FR20120

Ø121

150

2,0

180 x 180

4 x Ø11,5

4 x Ø11

1

Fixações para madeira e para betão incluídas�

434 | TYP F | PORTA-PILARES E LIGAÇÃO PARA TERRAÇOS


LIFT

S235 HOT DIP

ELEVAÇÃO PARA PORTA-PILARES

CÓDIGOS E DIMENSÕES CÓDIGO

tipo

LIFT20

SOBRELEVAÇÃO

largura

altura

espessura

profundidade

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

60

20

3,0

60

pçs

1

HUT

S235 HOT DIP

CHAPÉUS PARA PORTA-PILARES

1

2

CÓDIGOS E DIMENSÕES CÓDIGO

medidas

altura

pçs

[mm]

[mm]

70 x 70

20

10

1

HUTS70

1

HUTS90

90 x 90

20

10

1

HUTS100

100 x 100

20

10

1

HUTS120

120 x 120

20

10

2

HUTR80

Ø80

20

10

2

HUTR100

Ø100

20

10

2

HUTR120

Ø120

20

10

PORTA-PILARES E LIGAÇÃO PARA TERRAÇOS | TYP F | 435


TYP FD PORTA-PILARES FIXOS DUPLOS EXTERIOR Zincagem a quente para utilização nas classes de serviço 1, 2 e 3� Versões em aço inoxidável A2 | AISI304 para uma excelente durabilidade�

SECÇÕES RETANGULARES Ideais para utilização com pilares de secção retangular ou dimensões não normalizadas�

CARATERÍSTICAS FOCUS

versatilidade de utilização

PILARES

secções retangulares ou quadradas de 70 a 200 mm

ALTURA

de 120 a 220 mm

FIXAÇÕES

HBS PLATE EVO, SKR, VIN-FIX PRO

MATERIAL Chapas tridimensionais furadas de aço carbónico com zincagem a quente e aço inoxidável A2 | AISI304�

CAMPOS DE APLICAÇÃO Utilização para ligações em ambientes exteriores; idóneos para classes de serviço 1, 2 e 3� Construção de pérgolas, cercas e vedações�

436 | TYP FD | PORTA-PILARES E LIGAÇÃO PARA TERRAÇOS


FD10

S235 HOT DIP

ETA 10/0422

PORTA-PILAR DUPLO

CÓDIGOS E DIMENSÕES CÓDIGO

copo

altura

espessura

chapa da base

furos na base

furos no copo

pçs

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[n� x mm]

[n� x mm]

FD10120

121 x 56

200

2,5

200 x 95

2 x Ø11,5

2 x Ø11

FD10140

141 x 66

200

2,5

220 x 105

2 x Ø11,5

2 x Ø11

1

FD10160

161 x 76

200

2,5

240 x 115

2 x Ø11,5

2 x Ø11

1

1

FD10180

181 x 86

200

2,5

260 x 125

2 x Ø11,5

2 x Ø11

1

FD10200

201 x 96

200

2,5

280 x 135

2 x Ø11,5

2 x Ø11

1

FD70

S235 HOT DIP

PORTA-PILAR DUPLO

CÓDIGOS E DIMENSÕES CÓDIGO

copo

altura

espessura

chapa da base

furos na base

furos no copo

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[n� x mm]

[n� x mm]

pçs

FD7080

81 x 81

180

3,0

120 x 65

2 x Ø11,5

4 x Ø11

1

FD70100

101 x 101

220

3,0

150 x 80

2 x Ø11,5

4 x Ø11

1

PORTA-PILARES E LIGAÇÃO PARA TERRAÇOS | TYP FD | 437


FD20

S235 HOT DIP

ETA 10/0422

PORTA-PILAR DUPLO

CÓDIGOS E DIMENSÕES CÓDIGO

copo

altura

espessura

chapa da base

furos na base

furos no copo

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[n� x mm]

[n� x mm]

pçs

FD20120

121 x 38

200

4,0

200 x 78

2 x Ø11,5

2 x Ø11

1

FD20140

141 x 46

200

4,0

200 x 85

2 x Ø11,5

2 x Ø11

1

FD20160

161 x 54

200

4,0

240 x 92

2 x Ø11,5

2 x Ø11

1

FD20200

201 x 66

200

4,0

280 x 105

2 x Ø11,5

2 x Ø11

1

FDI20 A2 | AISI304

A2

AISI 304

PORTA-PILAR DUPLO

CÓDIGOS E DIMENSÕES CÓDIGO

copo

altura

espessura

chapa da base

furos na base

furos no copo

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[n� x mm]

[n� x mm]

100 x 30

230

3,0

180 x 85

2 x Ø12,5

2 x Ø12,5

1

FDI20120

120 x 40

250

3,0

190 x 85

2 x Ø12,5

2 x Ø12,5

1

FDI20140

140 x 40

250

3,0

210 x 85

2 x Ø12,5

2 x Ø12,5

1

FDI20100

pçs

FDI20160

160 x 40

280

3,0

230 x 85

2 x Ø12,5

2 x Ø12,5

1

FDI20200

200 x 50

300

3,0

270 x 95

2 x Ø12,5

2 x Ø12,5

1

438 | TYP FD | PORTA-PILARES E LIGAÇÃO PARA TERRAÇOS


FD30

S235 HOT DIP

ETA 10/0422

PORTA-PILAR DUPLO

CÓDIGOS E DIMENSÕES CÓDIGO

altura

espessura

chapa da base

furos na base

furos no pilar

[mm]

[mm]

[mm]

[n� x mm]

[n� x mm]

FD3060

180

4,0

60 x 50

1 x Ø11,5

2 x Ø11

1

FD3080

240

4,0

80 x 50

1 x Ø11,5

2 x Ø11

1

FD50

pçs

S235 HOT DIP

ETA 10/0422

PORTA-PILAR DUPLO

CÓDIGOS E DIMENSÕES CÓDIGO

altura

espessura

chapa da base

furos na base

furos no pilar

[mm]

[mm]

[mm]

[n� x mm]

[n� x mm]

pçs

FD5050

185

4,0

46 x 46

1 x Ø11,5

2 x Ø11

1

FD5080

220

4,0

76 x 76

1 x Ø11,5

2 x Ø11

1

FD60

S235 HOT DIP

ETA 10/0422

PORTA-PILAR DUPLO

CÓDIGOS E DIMENSÕES CÓDIGO

altura

espessura

interior base

furos na base

furos no pilar

asa

[mm]

[mm]

[mm]

[n� x mm]

[n� x mm]

[mm]

pçs

FD6050

185

4,0

46 x 46

2 x Ø11,5

2 x Ø11

40 x 43

1

FD6080

220

4,0

76 x 76

2 x Ø11,5

2 x Ø11

50 x 73

1

PORTA-PILARES E LIGAÇÃO PARA TERRAÇOS | TYP FD | 439


TYP M PORTA-PILARES MISTOS EXTERIOR Zincagem a quente para utilização nas classes de serviço 1, 2 e 3�

APLICAÇÃO Soluções especíicas para a ixação no solo, parede ou betão� Versões inclináveis�

CARATERÍSTICAS FOCUS

aplicações especíicas

PILARES

de 70 x 70 mm a 160 x 160 mm

PILARES REDONDOS

de Ø80 a Ø120 mm

FIXAÇÕES

HBS PLATE EVO, SKR, VIN-FIX PRO

MATERIAL Chapas tridimensionais furadas de aço carbónico com zincagem a quente�

CAMPOS DE APLICAÇÃO Utilização para ligações em ambientes exteriores; idóneos para classes de serviço 1, 2 e 3� Construção de pérgolas, cercas e vedações�

440 | TYP M | PORTA-PILARES E LIGAÇÃO PARA TERRAÇOS


M70 S

S235 HOT DIP

ETA 10/0422

PORTA-PILAR DE ESTACA

CÓDIGOS E DIMENSÕES CÓDIGO

copo

altura copo

espessura

furos no copo

comprimento ponta

[mm]

[mm]

[mm]

[n� x mm]

[mm]

pçs

M70S70

71 x 71

150

2,0

4 x Ø11

600

1

M70S90

91 x 91

150

2,0

4 x Ø11

600

1

M70S100

101 x 101

150

2,0

4 x Ø11

750

1

M70S120

121 x 121

150

2,0

4 x Ø11

750

1

M70S100 e M70S120 não presente no documento ETA�

M70 R

S235 HOT DIP

ETA 10/0422

PORTA-PILAR DE ESTACA

CÓDIGOS E DIMENSÕES CÓDIGO

copo

altura copo

espessura

furos no copo

comprimento ponta

pçs

[mm]

[mm]

[mm]

[n� x mm]

[mm]

M70R80

Ø81

150

2,0

4 x Ø11

450

M70R100

Ø101

150

2,0

4 x Ø11

450

1

M70R120

Ø121

150

2,0

4 x Ø11

600

1

1

M70R120 não presente no documento ETA�

PORTA-PILARES E LIGAÇÃO PARA TERRAÇOS | TYP M | 441


M50

S235 HOT DIP

ETA 10/0422

PORTA-PILAR COM BARRA

CÓDIGOS E DIMENSÕES CÓDIGO

base

altura

espessura

furos no pilar

barra ØxL

[mm]

[mm]

[mm]

[n� x mm]

[mm]

pçs

M5070

71 x 60

150

5,0

6 x Ø11

20 x 200

1

M5090

91 x 60

150

5,0

6 x Ø11

20 x 200

1

M50100

101 x 60

150

5,0

6 x Ø11

20 x 200

1

M50120

121 x 60

150

5,0

6 x Ø11

20 x 200

1

M53

S235 GALV

PORTA-PILAR COM BARRA

CÓDIGOS E DIMENSÕES CÓDIGO

copo

altura

espessura

furos na base

barra ØxL

[mm]

[mm]

[mm]

[n� x mm]

[mm]

M5380

Ø81

150

3

4 x Ø12,5

20 x 200

M53100

Ø101

150

3

4 x Ø12,5

20 x 200

1

M53120

Ø121

150

3

4 x Ø12,5

20 x 200

1

442 | TYP M | PORTA-PILARES E LIGAÇÃO PARA TERRAÇOS

pçs

1


M52

S235 HOT DIP

PORTA-PILAR COM BARRA

CÓDIGOS E DIMENSÕES CÓDIGO

M5290

base

altura

espessura

furos na base

furos asas

barra ØxL

[mm]

[mm]

[mm]

[n� x mm]

[n� x mm]

[mm]

91 x 70

120

2,5

4 x Ø8

4 x Ø11

20 x 200

pçs

1

M52100

101 x 80

120

2,5

4 x Ø8

4 x Ø11

20 x 200

1

M52120

121 x 100

140

2,5

4 x Ø8

4 x Ø11

20 x 200

1

M51

S235 HOT DIP

PORTA-PILAR COM BARRA

CÓDIGOS E DIMENSÕES CÓDIGO

copo

altura

espessura

furos na base

furos asas

barra ØxL

[mm]

[mm]

[mm]

[n� x mm]

[n� x mm]

[mm]

pçs

M51100

Ø101

150

3,0

2 x Ø8

4 x Ø11

20 x 200

1

M51120

Ø121

150

3,0

2 x Ø8

4 x Ø11

20 x 200

1

PORTA-PILARES E LIGAÇÃO PARA TERRAÇOS | TYP M | 443


M60

S235 HOT DIP

ETA 10/0422

PORTA-PILAR COM BARRA

CÓDIGOS E DIMENSÕES CÓDIGO

M6080

base

altura

espessura

furos no pilar

barra ØxL

[mm]

[mm]

[mm]

[n� x mm]

[mm]

80 x 80

130

8,0

4 x Ø11

20 x 250

S40

pçs

1

HOT DIP

PORTA-PILAR INCLINÁVEL

CÓDIGOS E DIMENSÕES CÓDIGO

medida interior

altura

espessura

chapa da base

furos na base

furos no pilar

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[n� x mm]

[n� x mm]

pçs

S4070

71 x 60

100

5,0

100 x 100

4 x Ø12

6 x Ø11

1

S4090

91 x 60

100

5,0

100 x 100

4 x Ø12

6 x Ø11

1

444 | TYP M | PORTA-PILARES E LIGAÇÃO PARA TERRAÇOS


M10

S235 HOT DIP

ETA 10/0422

PORTA-PILAR EM MURO

CÓDIGOS E DIMENSÕES CÓDIGO

copo

altura

espessura

largura

furos parede

furos no copo

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[n� x mm]

[n� x mm]

M1070

71 x 71

150

2,0

151

6 x Ø11

4 x Ø11

1

M1090

91 x 91

150

2,0

175

6 x Ø11

4 x Ø11

1

M20

pçs

S235 HOT DIP

ETA 10/0422

PORTA-PILAR EM “U”

CÓDIGOS E DIMENSÕES CÓDIGO

base

altura

espessura

furos na base

furos no pilar

[mm]

[mm]

[mm]

[n� x mm]

[n� x mm]

M2070

71 x 60

150

5,0

1 x Ø13 + 2 x Ø11,5

6 x Ø11

1

M2090

91 x 60

150

5,0

1 x Ø13 + 2 x Ø11,5

6 x Ø11

1

M20100

101 x 60

150

5,0

1 x Ø13 + 2 x Ø11,5

6 x Ø11

1

M20120

121 x 60

150

5,0

1 x Ø13 + 2 x Ø11,5

6 x Ø11

1

M30

pçs

S235 HOT DIP

ETA 10/0422

PORTA-PILAR DE PRESILHA

CÓDIGOS E DIMENSÕES CÓDIGO

medida interior

altura

espessura

chapa da base

furos na base

furos no pilar

pçs

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[n� x mm]

[n� x mm]

M3070

71 x 50

200

5,0

160 x 60

2 x Ø11,5

4 x Ø11

1

M3080

81 x 50

200

5,0

170 x 60

2 x Ø11,5

4 x Ø11

1

M3090

91 x 50

200

5,0

180 x 60

2 x Ø11,5

4 x Ø11

1

M30100

101 x 50

200

5,0

190 x 60

2 x Ø11,5

4 x Ø11

1

M30120

121 x 50

200

5,0

210 x 60

2 x Ø11,5

4 x Ø11

1

M30120 não de posse de marcação CE�

PORTA-PILARES E LIGAÇÃO PARA TERRAÇOS | TYP M | 445


ROUND

S235 HOT DIP

LIGAÇÕES PARA POSTES REDONDOS EXTERIOR Zincagem a quente para utilização no exterior nas classes de serviço 1, 2 e 3�

POSTES REDONDOS Ideais para a construção de cercas e vedações com elementos de madeira de secção circular�

CARATERÍSTICAS FOCUS

ixação de postes redondos

PILARES

de Ø60 a Ø140 mm

ESPESSURA

de 1,5 a 3,0 mm

FIXAÇÕES

HBS PLATE EVO, LBA

MATERIAL Aço carbónico com zincagem a quente�

CAMPOS DE APLICAÇÃO Utilização para ligações em ambientes exteriores; idóneos para classes de serviço 1, 2 e 3� Construção de cercas e vedações�

446 | ROUND | PORTA-PILARES E LIGAÇÃO PARA TERRAÇOS


CÓDIGOS E DIMENSÕES ROUND a CÓDIGO

1

ROUND100

axb

d

s

Ø poste

Ø1

Ø2

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

205 x 65

-

2,5

Ø100

Ø11

Ø5

pçs b

1

Ø1

10

2

ROUNDE100

117 x 70

-

2,5

Ø100

Ø11

Ø5

10

3

ROUNDH100

70 x 65

70

2,5

Ø100

Ø11

Ø11

10

Ø2

a

d Ø2

b Ø2 2

Ø1

b 3

Ø1 a

b

ROUND L b CÓDIGO

a

d

b

s

Ø poste

Ø

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

pçs

a

a

Ø Ø

1

ROUNDL80

80

80

57

1,5

Ø60-Ø80

Ø5

100

2

ROUNDL120

123

123

74

1,5

Ø100-Ø120

Ø5

100

d

1

d 2

ROUND U CÓDIGO

a

b

d

s

Ø

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

pçs b

ROUNDU80

80

345

40

3,0

Ø6

1

ROUNDU100

100

345

40

3,0

Ø6

1

ROUNDU120

120

345

40

3,0

Ø6

1

Ø

d

a

CERCAS E VEDAÇÕES Ideal para a junção de madeiras de secção redonda: • ROUND100 para ligações passantes; • ROUNDE100 para ligações de extremidade; • ROUNDH100 para a junção do corrimão�

PORTA-PILARES E LIGAÇÃO PARA TERRAÇOS | ROUND | 447


BRACE

A2

AISI 304

S235 HOT DIP

CHAPA COM DOBRADIÇA PALAFITAS Ideal para a ixação recíproca com inclinação variável de pilares de secção retangular ou redonda�

A2 | AISI304 Disponível em aço inoxidável A2 | AISI304 para utilização em ambientes agressivos�

CARATERÍSTICAS FOCUS

ligações ocultas

PILARES

de 80 x 80 mm a 200 x 200 mm

PILARES REDONDOS

de Ø80 a Ø160 mm

FIXAÇÕES

HBS PLATE EVO, KOS, KOT A2

MATERIAL Aço carbónico com zincagem a quente e aço inoxidável A2 | AISI304�

CAMPOS DE APLICAÇÃO Utilização para ligações em ambientes exteriores; idóneos para classes de serviço 1, 2 e 3� Construção de pérgolas, cercas e palaitas�

448 | BRACE | PORTA-PILARES E LIGAÇÃO PARA TERRAÇOS


CÓDIGOS E DIMENSÕES BRACE

S235

s1

CÓDIGO

B

H

L

s

s1

Ø

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

40

140

235

5

4

13

BRF140

HOT DIP

pçs s 1 H L

B

HBS PLATE EVO COATING

CÓDIGO

HBSPEVO10100

d1

L

b

[mm]

[mm]

[mm]

10

100

75

TX

pçs d1

TX 40

100

L

KOS CÓDIGO

d

L

[mm]

[mm]

M12

120

KOS12120B

GALV

pçs d 25

L

s1

BRACE A2 | AISI304 CÓDIGO

B

H

L

s

s1

Ø

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

40

140

235

5

4

13

BRFI140

A2

AISI 304

s

pçs

1 H L

B

A2

KOT A2 | AISI304

AISI 304

CÓDIGO

d

L

[mm]

[mm]

M12

120

pçs d

AI60112120

25

L

A2

SCI A2 | AISI305 CÓDIGO

SCI80120

AISI 305

d1

L

b

[mm]

[mm]

[mm]

8

120

60

TX

pçs d1

TX 40

100

L

A4

SCB A4 | AISI316 CÓDIGO

SCB8

AISI 316

D1

D2

h

dSCI

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

8,5

25,0

5,0

8

pçs h

D2 D1 dSCI 100

PORTA-PILARES E LIGAÇÃO PARA TERRAÇOS | BRACE | 449


GATE

S235 HOT DIP

FIXAÇÕES PARA PORTÕES EXTERIOR Zincagem a quente para utilização no exterior nas classes de serviço 1, 2 e 3�

VERSÁTEIS Disponível em vários tamanhos para a realização de portões mesmo de grandes dimensões�

GATE LATCH

GATE HOOK

GATE BAND

GATE FLOOR

CARATERÍSTICAS GATE LATCH

trinco

GATE FLOOR

fecho de pavimento

GATE HOOK

perno para dobradiça

GATE BAND

dobradiça com ranhura

GATE HINGE

dobradiça para caixas

MATERIAL Aço carbónico com zincagem a quente�

CAMPOS DE APLICAÇÃO Utilização para ligações em ambientes exteriores; idóneos para classes de serviço 1, 2 e 3� Construção de portões de madeira para jardim�

450 | GATE | PORTA-PILARES E LIGAÇÃO PARA TERRAÇOS


CÓDIGOS E DIMENSÕES GATE LATCH axb

c

d

e

Ø

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

GATEL100

100 x 44

16

13

45

Ø5/3,5

10

GATEL120

120 x 44

16

13

45

Ø5/3,5

10

GATEL140

140 x 52

20

16

55

Ø5/4,5

10

pçs

CÓDIGO

pçs

d

Ø b

c e

a

GATE FLOOR CÓDIGO

H

c

Ø

[mm]

[mm]

[mm]

GATEF400

400

Ø16

Ø6,5

5

GATEF500

500

Ø16

Ø6,5

5

H

Ø c

GATE HOOK a CÓDIGO

axb

c

s

e

Ø

pçs

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

GATEH13

35 x 100

Ø13

4,0

40

Ø6,5

10

GATEH16

40 x 115

Ø16

4,5

45

Ø7,2

10

GATEH20

60 x 167

Ø20

6,0

45

Ø7,2

4

c e

b Ø s

GATE BAND CÓDIGO

axb

c

s

Ø

pçs

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

GATEB13300

300 x 40

Ø13

5,0

Ø7

10

GATEB13500

500 x 40

Ø13

5,0

Ø7

10

GATEB16400

400 x 45

Ø16

5,0

Ø9

10

GATEB16700

700 x 45

Ø16

5,0

Ø9

10

1200 x 60

Ø20

8,0

Ø9

1

pçs

GATEB201200

s

c

Ø

b a

GATE HINGE CÓDIGO

axb

s

Ø

[mm]

[mm]

[mm]

HINGE140

135 x 35

2

Ø5,5

20

HINGE160

156 x 35

2

Ø5,5

20

HINGE200

195 x 35

2

Ø5,5

20

Ø b s a

PORTA-PILARES E LIGAÇÃO PARA TERRAÇOS | GATE | 451


ALU TERRACE PERFIL EM ALUMÍNIO PARA TERRAÇOS DUAS VERSÕES Versão ALUTERRA30 para cargas standard� Versão ALUTERRA50 em cor preta para cargas muito elevados e com possibilidade de utilização em ambos os lados�

APOIOS CADA 1,10 m ALUTERRA50 é projetado com uma inércia muito elevada que permite o posicionamento dos suportes SUPPORT cada 1,10 m (na linha mediana do peril) também com cargas elevadas (4,0 kN/m2)�

DURABILIDADE A subestrutura realizada com peris em alumínio garante uma excelente durabilidade do terraço� O canal de escoamento permite o escoamento da água e gera uma eicaz microventilação�

CARATERÍSTICAS FOCUS

durabilidade e resistência excelentes

SECÇÕES

53 x 30 mm | 60 x 50 mm

ESPESSURA

1,8 mm | 2,2 mm

MATERIAL Versão em alumínio e em alumínio anodizado classe 15 com coloração preto graite�

CAMPOS DE APLICAÇÃO Subestruturas para terraços� Utilização no exterior� Adequado para classes de serviço 1, 2 e 3�

452 | ALU TERRACE | PORTA-PILARES E LIGAÇÃO PARA TERRAÇOS


DISTÂNCIA 1,10 m Com um entre-eixo de 80 cm entre os peris (carga de 4,0 kN/m2) é possível distanciar os elementos SUPPORT 1,10 m, posicionando-os na linha mediana do peril ALUTERRACE50�

SISTEMA COMPLETO Ideal em combinação com SUPPORT, ixado lateralmente com parafusos KKA� Sistema de durabilidade excelente�

PORTA-PILARES E LIGAÇÃO PARA TERRAÇOS | ALU TERRACE | 453


Estabilização dos peris ALUTERRA50 com pequenas chapas de aço inoxidável e parafusos KKA�

Subestrutura em alumínio realizada com ALUTERRA30 e apoiada em GRÂNULO PAD

CÓDIGOS E DIMENSÕES ACESSÓRIOS s s P

H M

M

LBVI15100 CÓDIGO LBVI15100

P

WHOI1540 material

s

M

P

H

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

FLIP pçs

A2 | AISI304

1,75

15

100

--

200

WHOI1540 A2 | AISI304

1,75

15

40

40

200

KKA AISI410

FLAT

CÓDIGO

material

pçs

FLAT

alumínio preto

200

FLIP

aço galvanizado

200

KKA COLOR d1

CÓDIGO

[mm] 4 TX 20 5 TX 25

L

pçs

[mm] KKA420

20

d1

CÓDIGO

[mm] 200

KKA540

40

100

KKA550

50

100

454 | ALU TERRACE | PORTA-PILARES E LIGAÇÃO PARA TERRAÇOS

4 TX 20 5 TX 25

L

pçs

[mm] KKAN420

20

200

KKAN430

30

200

KKAN440

40

200

KKAN540

40

200


CÓDIGOS E DIMENSÕES CÓDIGO ALUTERRA30

s

B

P

H

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

pçs

1,8

53

2200

30

1

CÓDIGO ALUTERRA50

s

B

P

H

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

2,5

60

2200

50

pçs 1

NOTAS: Sob encomenda, está disponível em versão P = 3000 mm�

GEOMETRIA

12 5

43

36

12

s

5

19

s

15,5 50

18,5 30

H

P

15,5

11,5 53

MH

P

60

B

ALU TERRACE 30

B

ALU TERRACE 50

EXEMPLO DE FIXAÇÃO COM PARAFUSOS E ALUTERRA30

1

Colocar o peril ALU TERRACE sobre o suporte SUP-S equipado com cabeça SUPSLHEAD1�

2

3

Fixe o peril ALU TERRACE com parafusos KKAN diâmetro 4,0 mm�

Fixar as tábuas em madeira ou em WPC diretamente sobre o peril ALU TERRACE com parafusos KKA diâmetro 5,0 mm�

4

Repita a operação para as outras tábuas�

EXEMPLO DE FIXAÇÃO COM GRAMPO E ALUTERRA50

1

Colocar o peril ALU TERRACE sobre o suporte SUP-S equipado com cabeça SUPSLHEAD1�

2

3

Fixe o peril ALU TERRACE com parafusos KKAN diâmetro 4,0 mm�

Fixar as tábuas através de grampos não aparentes FLAT e parafusos KKAN diâmetro 4,0 mm�

4

Repita a operação para as outras tábuas�

PORTA-PILARES E LIGAÇÃO PARA TERRAÇOS | ALU TERRACE | 455


EXEMPLO APOIO EM GRÂNULO PAD 01

02

É possível ligar em comprimento mais peris ALUTERRA30 mediante pequenas chapas de aço inoxidável� A ligação é opcional�

03

Alinhar dois peris topo a topo�

04

Colocar a chapa LBVI15100 em aço inoxidável em correspondência dos peris em alumínio e ixar com parafusos KKA diâmetro 4,0 x 20 mm�

Efetuar a operação em ambos os lados para maximizar a estabilidade�

EXEMPLO APOIO EM SUPPORT 01

02

KF

K

X

KF

K

X

É possível ligar em comprimento mais peris ALUTERRA50 mediante pequenas chapas de aço inoxidável� A ligação é facultativa se a junção coincidir com o apoio ao elemento SUPPORT�

03

Colocar a chapa LBVI15100 em aço inoxidável em correspondência dos guias laterais dos peris em alumínio e ixar com parafusos KKA diâmetro 4,0 x 20 mm ou KKAN diâmetro 4,0 mm�

Ligar os peris em alumínio com parafusos KKAN diâmetro 4,0 mm e alinhar dois peris em alumínio topo a topo�

04

Efetuar a operação em ambos os lados para maximizar a estabilidade�

456 | ALU TERRACE | PORTA-PILARES E LIGAÇÃO PARA TERRAÇOS


DISTÂNCIA MÁXIMA ENTRE OS SUPORTES (a) ALU TERRACE 30 ALU TERRACE 30

SUPPORT

i a

a

i = entre-eixos das ripas a = distância suportes

i

CARGA DE EXERCÍCIO

i [m]

[kN/m2]

0,4

0,45

0,5

0,55

0,6

0,7

0,8

0,9

1,0

2,0

0,77

0,74

0,71

0,69

0,67

0,64

0,61

0,59

0,57

3,0

0,67

0,65

0,62

0,60

0,59

0,56

0,53

0,51

0,49

4,0

0,61

0,59

0,57

0,55

0,53

0,51

0,48

0,47

0,45

5,0

0,57

0,54

0,53

0,51

0,49

0,47

0,45

0,43

0,42

ALU TERRACE 50 ALU TERRACE 50 SUPPORT

i a

a

i = entre-eixos das ripas a = distância suportes

i

CARGA DE EXERCÍCIO

i [m]

[kN/m2]

0,4

0,45

0,5

0,55

0,6

0,7

0,8

0,9

1,0

2,0

1,70

1,64

1,58

1,53

1,49

1,41

1,35

1,30

1,25

3,0

1,49

1,43

1,38

1,34

1,30

1,23

1,18

1,14

1,10

4,0

1,35

1,30

1,25

1,22

1,18

1,12

1,07

1,03

1,00

5,0

1,25

1,21

1,16

1,13

1,10

1,04

1,00

0,96

0,92

NOTAS: • Exemplo com deformação L/300; • Carga útil de acordo com EN 1991-1-1;

O cálculo foi executado com um esquema estático num vão em simples apoio, considerando uma carga uniformemente distribuída�

- Áreas de categoria A = 2,0 ÷ 4,0 kN/m²; - Áreas susceptíveis de inundação categoria C2 = 3,0 ÷ 4,0 kN/m²; - Áreas susceptíveis de inundação categoria C3 = 3,0 ÷ 5,0 kN/m²;

PORTA-PILARES E LIGAÇÃO PARA TERRAÇOS | ALU TERRACE | 457


SUPPORT SUPORTE REGULÁVEL PARA TERRAÇOS TRÊS VERSÕES A versão Small (SUP-S) permite aumentos até 37 mm, a versão Medium (SUP-M) até 220 mm e a versão Large (SUP-L) até 1020 mm� Todas as versões são reguláveis em altura�

RESISTENTE Sistema robusto apropriado para cargas elevadas� As versões Small (SUP-S) e Medium (SUP-M) resistem até 400 kg� A versão Large (SUP-L) resiste até 800 kg�

COMPONÍVEIS Todas as versões podem ser associadas a uma respetiva cabeça para facilitar a ixação lateral à ripa, que pode ser em madeira ou alumínio� Disponível a pedido também o adaptador para azulejos�

CARATERÍSTICAS FOCUS

extrema versatilidade do nivelamento

ALTURA

de 22 a 1020 mm

BASE INFERIOR

SUP-S Ø150 mm SUP-M e SUP-L Ø200 mm

RESISTÊNCIA

de 400 a 800 kg

MATERIAL Polipropileno (PP)�

CAMPOS DE APLICAÇÃO Elevação e nivelamento sub-estrutura� Utilização no exterior� Adequado para classes de serviço 1, 2 e 3�

458 | SUPPORT | PORTA-PILARES E LIGAÇÃO PARA TERRAÇOS


DURABILIDADE Material resistente aos raios UV e utilizável também em ambientes agressivos� Ideal em combinação com ALU TERRACE�

ALU TERRACE Ideal em combinação com SUPPORT, ixado lateralmente com parafusos KKA� Sistema de durabilidade excelente�

PORTA-PILARES E LIGAÇÃO PARA TERRAÇOS | SUPPORT | 459


Fixação das ripas em madeira em suporte SUP-M com cabeça�

Terraço realizada com ladrilhos de cerâmica em SUP-M com respetivo adaptador (cód� SUPMHEAD4 disponível a pedido)�

CÓDIGOS E DIMENSÕES ACESSÓRIOS CABEÇA PARA SUP-S CÓDIGO

EXTENSÃO PARA SUP-M Ø

Ø1

[mm]

[mm]

70

3 x 14

SUPSLHEAD1

pçs

CÓDIGO

Ø

Ø1

H

pçs H

[mm] SUPMEXT30

20

CABEÇA PARA SUP-M

30

25

H

pçs

EXTENSÃO PARA SUP-L Ø

CÓDIGO

Ø

pçs

CÓDIGO

25

SUPLEXT100

[mm] SUPMHEAD1

[mm]

120

CABEÇA PARA SUP-M CÓDIGO

Ø1

BxP [mm]

SUPMHEAD2 120 x 90

H

Ø1

h

B

P

3 x 14 25

SUPSLHEAD1

CORRETOR DE INCLINAÇÃO PARA SUP-M E SUP-L CÓDIGO

CABEÇA PARA SUP-L CÓDIGO

Ø

Ø1

[mm]

[mm]

70

3 x 14

H 20

pçs

[mm] [mm] 30

100

pçs

Ø

pçs

[mm] Ø1

Ø

20

460 | SUPPORT | PORTA-PILARES E LIGAÇÃO PARA TERRAÇOS

SUPCORRECT1 SUPCORRECT2

200 200

1% 2%

20 20

SUPCORRECT3

200

3%

20

Ø


CÓDIGOS E DIMENSÕES SUP-S Ø

H

CÓDIGO

Ø

H

pçs

[mm]

[mm]

SUPS2230

150

22 - 30

20

SUPS2840

150

28 - 40

20

Ø

H

pçs

[mm]

[mm]

CÓDIGOS E DIMENSÕES SUP-M Ø

H

CÓDIGO SUPM3550

200

35 -50

25

SUPM5070

200

50 - 70

25

SUPM65100

200

65 - 100

25

SUPM95130

200

95 - 130

25

SUPM125160

200

125 - 160

25

SUPM155190

200

155 - 190

25

SUPM185220

200

185 - 220

25

CÓDIGOS E DIMENSÕES SUP-L

+H

Ø

H

CÓDIGO

pçs

CÓDIGO

Ø

H

[mm]

[mm]

pçs

Ø

H

[mm]

[mm]

SUPL3550

200

35 - 50

20

SUPL415520

200

415 - 520

20

SUPL5075

200

50 - 75

20

SUPL515620

200

515 - 620

20

SUPL75120

200

75 - 120

20

SUPL615720

200

615 - 720

20

SUPL115220

200

115 - 220

20

SUPL715820

200

715 - 820

20

SUPL215320

200

215 - 320

20

SUPL815920

200

815 - 920

20

SUPL315420

200

315 - 420

20

SUPL9151020

200

915 - 1020

20

PORTA-PILARES E LIGAÇÃO PARA TERRAÇOS | SUPPORT | 461


INSTALAÇÃO SUP-S 01

02

03

É possível apoiar simplesmente a ripa ao suporte SUP-S ou ixá-la com parafusos KKF diâmetro 4,5 mm�

INSTALAÇÃO SUP-S COM CABEÇA SUPSLHEAD1 01

02

03

04

KF

K

X

KF

K

X

KK

F

X

KK

F

X

Colocar a cabeça SUPSLHEAD1 sobre o suporte SUP-S e ixar a ripa com parafusos KKF diâmetro 4,5 mm�

INSTALAÇÃO SUP-M COM CABEÇA SUPMHEAD2 01

02

03

04

KF

K

X

KK

F

X

KK

F

X

Colocar a cabeça SUPMHEAD2 sobre o suporte SUP-M e ixar a ripa lateralmente com parafusos KKF diâmetro 4,5 mm�

INSTALAÇÃO SUP-M COM CABEÇA SUPMHEAD1 03

04

K

Colocar a cabeça SUPMHEAD1 sobre o suporte SUP-M e ixar a ripa com parafusos KKF diâmetro 4,5 mm�

462 | SUPPORT | PORTA-PILARES E LIGAÇÃO PARA TERRAÇOS

X

KF

K

X

02

KF

01


INSTALAÇÃO SUP-L COM CABEÇA SUPSLHEAD1 01

02

03

04

360°

H

KK

F

X

KK

F

X

Colocar a cabeça SUPSLHEAD1 sobre o suporte SUP-L, regular a altura em base às exigências e ixar a ripa lateralmente com parafusos KKF diâmetro 4,5 mm�

INSTALAÇÃO SUP-L COM CABEÇA SUPSLHEAD1 01

02

03

04

360°

KK

F

X

KK

F

X

H

Adicionar a extensão SUPLEXT100 ao suporte SUP-L e posteriormente posicionar a cabeça SUPSLHEAD1� Ajustar a altura em base às exigências e ixar a ripa lateralmente com parafusos KKF diâmetro 4,5 mm�

CÓDIGOS E DIMENSÕES FIXAÇÃO KKF AISI410 d1 [mm] KF

K

X KK

F

X

4,5 TX 20

CÓDIGO

L [mm]

pçs

KKF4520

20

200

KKF4540

40

200

KKF4545

45

200

KKF4550

50

200

KKF4560

60

200

KKF4570

70

200

PORTA-PILARES E LIGAÇÃO PARA TERRAÇOS | SUPPORT | 463


JFA SUPORTE REGULÁVEL PARA TERRAÇOS NIVELAMENTO O suporte, regulável em altura, é ideal para corrigir rapidamente as variações de quota do solo de fundação� O aumento também gera uma ventilação sob as ripas�

DUPLA REGULAÇÃO Possibilidade de regulação seja de baixo através de chave inglesa SW 10, que de cima através chave de fendas de ponta chata� Sistema rápido, prático e versátil�

APOIO A base de apoio em material plástico TPE reduz os ruídos de passagem� A base desarticulada é apta a se adaptar a superfícies inclinadas�

CARATERÍSTICAS FOCUS

possibilidade de regulação de cima e de baixo

ALTURA

4,0 | 6,0 | 8,0 mm

DIMENSÕES

Ø8 mm

UTILIZAÇÃO

elevação e nivelamento estrutura

MATERIAL Aço carbónico electrogalvanizado e aço inoxidável austenítico A2 | AISI304�

CAMPOS DE APLICAÇÃO Elevação e nivelamento sub-estrutura� Utilização no exterior� Adequado para classes de serviço 1, 2 e 3�

464 | JFA | PORTA-PILARES E LIGAÇÃO PARA TERRAÇOS


CÓDIGOS E DIMENSÕES JFA

JFA A2 | AISI304

CÓDIGO

material

parafuso Ø x L

pçs

CÓDIGO

material

parafuso Ø x L

[mm]

pçs

[mm]

JFA840

aço carbónico

8 x 40

100

JFA860

aço carbónico

8 x 60

100

JFA880

aço carbónico

8 x 80

100

JFA860A2

aço inoxidável

8 x 60

100

GEOMETRIA

16 L

H SW 10

40

14 25 50

20 Ø8

25 JFA840

57

77

57

25

25

25

JFA860

JFA880

JFA860A2

DADOS TÉCNICOS CÓDIGO

JFA840

JFA860

JFA880

JFA860A2

Material

aço carbónico

aço carbónico

aço carbónico

A2 | AISI304

Parafuso Ø x L Altura de montagem

R

[mm]

8 x 40

8 x 60

8 x 80

8 x 40

[mm]

25 ≤ R ≤ 40

25 ≤ R ≤ 57

25 ≤ R ≤ 77

25 ≤ R ≤ 57

+/- 5°

+/- 5°

+/- 5°

+/- 5°

Ø10

Ø10

Ø10

Ø10

Angulatura Pré-furo para bucim

[mm]

Porca de regulação

SW 10

SW 10

SW 10

SW 10

Altura total

H

[mm]

51

71

91

71

Capacidade admissível

Fadm

kN

0,8

0,8

0,8

0,8

AÇO INOXIDÁVEL Disponível também em aço inoxidável A2 | AISI304 para utilização em ambientes particularmente agressivos�

PORTA-PILARES E LIGAÇÃO PARA TERRAÇOS | JFA | 465


FLAT | FLIP CONECTOR PARA TERRAÇOS INVISÍVEL Completamente oculta� A versão em alumínio com revestimento preto garante um excelente resultado estético; a versão em aço zincado oferece uma boa prestação a um custo contido�

APOSIÇÃO RÁPIDA Instalação simples e veloz graças à ixação com um só parafuso e à lingueta distanciadora integrada que garante fugas precisas� Aplicação ideal com o peril espaçador PROFID�

FRESAGEM SIMÉTRICA Permite a aplicação das tábuas independentemente da posição da fresagem (simétrica)� Equipado com nervuras de superfície para uma elevada resistência mecânica�

CARATERÍSTICAS FOCUS

extrema precisão das fugas

REVESTIMENTO

anticorrosivo cor preto | electrogalvanização

TÁBUAS

fresagem simétrica

FUGAS

7,0 mm

FIXAÇÕES

KKTN540 , KKAN440

MATERIAL Alumínio com revestimento orgânico colorido e aço carbónico electrogalvanizado�

CAMPOS DE APLICAÇÃO Utilização no exterior� Fixação de tábuas em madeira ou em WPC em estrutura em madeira, WPC ou alumínio� Adequado para classes de serviço 1, 2 e 3�

466 | FLAT | FLIP | PORTA-PILARES E LIGAÇÃO PARA TERRAÇOS


CÓDIGOS E DIMENSÕES FLAT COLOR

FLIP

CÓDIGO

material

PxBxs

pçs

CÓDIGO

material

PxBxs

[mm] FLAT

alumínio preto

64 x 27 x 4

200

FLIP

aço galvanizado

KKT COLOR

KKA COLOR

ixação em madeira e WPC para FLAT e FLIP

ixação em alumínio para FLAT e FLIP

d1 [mm] 5 TX 20

pçs

[mm]

CÓDIGO

L [mm]

pçs

KKTN540

40

200

d1

66 x 27 x 4

CÓDIGO

L

[mm]

200

pçs

[mm] KKAN420

4 TX 20 5 TX 25

20

200

KKAN430

30

200

KKAN440

40

200

KKAN540

40

200

GEOMETRIA

2

2

4

8,5

27

8

45°

8,5

5

54

27

27

42°

8

5

6,3

6

27

6

27

B

s P

54

6,3

27

B

4

s P

WOOD PLASTIC COMPOSITE (WPC) Ideal para a ixação de tábuas WPC� Possibilidade de ixação também sobre alumínio através do parafuso KKA COLOR (KKAN440)�

PORTA-PILARES E LIGAÇÃO PARA TERRAÇOS | FLAT | FLIP | 467


TVM CONECTOR PARA TERRAÇOS QUATRO VERSÕES Medidas diferentes para aplicações com tábuas de várias espessuras e fugas de largura variável� Versão preta para ser completamente oculta�

DURABILIDADE O aço inoxidável assegura uma elevada resistência à corrosão� A micro ventilação entre as tábuas contribui para a durabilidade dos elementos de madeira�

FRESAGEM ASSIMÉTRICA Ideal para tábuas com ranhura assimétrica com manufactura fêmea-fêmea� As nervuras supericiais do conector garantem uma excelente estabilidade�

CARATERÍSTICAS FOCUS

grande versatilidade das fresagens

TÁBUAS

fresagem assimétrica

FUGAS

de 7,0 a 9,0 mm

FIXAÇÕES

KKTX520A4, KKA420, KKAN420

MATERIAL Aço inoxidável austenítico A2 | AISI304 e alumínio com revestimento orgânico colorido�

CAMPOS DE APLICAÇÃO Utilização no exterior em ambientes agressivos� Fixação de tábuas em madeira ou em WPC em estrutura em madeira, WPC ou alumínio� Adequado para classes de serviço 1, 2 e 3�

468 | TVM | PORTA-PILARES E LIGAÇÃO PARA TERRAÇOS


CÓDIGOS E DIMENSÕES TVM A2 | AISI304

TVM COLOR

CÓDIGO

material

PxBxs

pçs

CÓDIGO

material

PxBxs

[mm] TVM1

A2 | AISI304

22,5 x 31 x 3

250

TVM2

A2 | AISI304

22,5 x 33 x 2,5

250

TVM3

A2 | AISI304

30 x 29,4 x 2,5

200

TVMN4

alumínio preto

23 x 36 x 2,5

KKT X

KKT COLOR

ixação em madeira e WPC para TVM A2 | AISI304

ixação em madeira e WPC para TVM COLOR

d1

CÓDIGO

L

[mm]

5 TX 20

pçs

d1

[mm]

CÓDIGO

KKTX520A4

20

200

25

200

KKTX530A4

30

200

KKTX540A4

40

200

5 TX 20

KKTN540

KKA AISI410

KKA COLOR ixação em alumínio para TVM COLOR

CÓDIGO

L

4 TX 20

pçs

d1

[mm] KKA420

CÓDIGO

[mm]

20

pçs

40

200

L

pçs

[mm]

4 TX 20

200

200

[mm]

ixação em alumínio para TVM A2 | AISI304

d1

L

[mm]

KKTX525A4

[mm]

pçs

[mm]

KKAN420

20

200

GEOMETRIA TVM1

TVM2 10

12 2,4 8,6 11

1

12

1

31

B

33

P

2,4 12

14

11

B

14,4

17

30

22,5

9,8

15 1

2,4 8,6 11

14

22,5

P

TVMN4

12 3 6,8 9,8

1

TVM3

29,4

23 9,6

P

B

36

P

13

B

KKA Possibilidade de ixação também em peris em alumínio através parafuso KKA AISI410 ou KKA COLOR�

PORTA-PILARES E LIGAÇÃO PARA TERRAÇOS | TVM | 469


GAP CONECTOR PARA TERRAÇOS DUAS VERSÕES Disponível em aço inoxidável A2 | AISI304 para uma excelente resistência à corrosão (GAP3) ou em aço carbónico electrogalvanizado (GAP4) para uma boa prestação a um custo contido�

FUGAS ESTREITAS Ideal para realizar pavimentos com fugas entre as tábuas de pequena espessura (de 3,0 mm)� A ixação ocorre antes do posicionamento da tábua�

WPC E MADEIRAS DURAS Ideal para tábuas com ranhura simétrica como as tábuas em WPC ou as tábuas em madeira de alta densidade�

CARATERÍSTICAS FOCUS

fugas de espessura reduzida

TÁBUAS

fresagem simétrica

FUGAS

de 3,0 a 5,0 mm

FIXAÇÕES

SCA3525, SBA3932

MATERIAL Aço inoxidável austenítico A2 | AISI304 e aço carbónico electrogalvanizado�

CAMPOS DE APLICAÇÃO Utilização no exterior� Fixação de tábuas em madeira ou em WPC em estrutura em madeira, WPC ou alumínio� Adequado para classes de serviço 1, 2 e 3�

470 | GAP | PORTA-PILARES E LIGAÇÃO PARA TERRAÇOS


CÓDIGOS E DIMENSÕES GAP 3 A2 | AISI304

GAP 4

CÓDIGO

material

PxBxs

A2 | AISI304

40 x 32 x 11

pçs

CÓDIGO

200

GAP4

material

PxBxs

aço galvanizado

42 x 42 x 11

[mm] GAP3

[mm]

SCA A2 | AISI304

HTS

ixação em madeira e WPC para GAP 3

ixação em madeira e WPC para GAP 4

d1

CÓDIGO

L

[mm] 3,5 TX 15

pçs

d1

[mm]

CÓDIGO

25

500

SCA3535

35

500

3,5 TX 15

25

1000

HTS3535

35

500

L

pçs

SBN ixação sobre alumínio para GAP 4

L

3,5 TX 15

pçs

d1

SBNA23525

25

CÓDIGO

[mm]

[mm]

[mm]

3,5 TX 15

1000

pçs

[mm]

ixação sobre alumínio para GAP 3

CÓDIGO

100

HTS3525

SBN A2 | AISI304

d1

L

[mm]

SCA3525

[mm]

pçs

SBN3525

25

500

GEOMETRIA GAP 3 A2 | AISI304

GAP 4 11

9 1 9 1

11 23

16,5

19

7,5

4

16,5

12

16

1,5 8,3 11,3 1,5

18 12

42

40

18

16 16,5

12

4

7,5

11

32

11,3

42

s s P

P

B

B

WOOD PLASTIC COMPOSITE (WPC) Ideal para a ixação de tábuas WPC� Possibilidade de ixação também sobre alumínio através do parafuso SBN A2 | AISI304�

PORTA-PILARES E LIGAÇÃO PARA TERRAÇOS | GAP | 471


TERRALOCK CONECTOR PARA TERRAÇOS INVISÍVEL Totalmente não aparente, garante um excelente resultado estético� Ideal para terraços que para fachadas� Disponível em metal ou plástico�

VENTILAÇÃO A micro-ventilação sob as tábuas previne a estagnação da água e garante uma excelente durabilidade� Nenhum esmagamento da subestrutura graças ao aumento da superfície de apoio estendida�

FUNCIONAL Batida de montagem para um posicionamento preciso do conector� Furos ranhurados para acomodar os movimentos da madeira� Possibilidade de substituição de tábuas individuais�

CARATERÍSTICAS FOCUS

extrema versatilidade das fugas e das partes fresadas

REVESTIMENTO

aluminizado cinzento, aluminizado preto

TÁBUAS

sem fresagem

FUGAS

de 2,0 a 10,0 mm

FIXAÇÕES

KKTX520A4, KKAN430, KKF4520

VÍDEO Digitalize o QR Code e assista ao vídeo no nosso canal YouTube

MATERIAL Aço carbónico com revestimento anticorrosivo colorido e polipropileno castanho�

CAMPOS DE APLICAÇÃO Utilização no exterior� Fixação de tábuas em madeira ou em WPC em estrutura em madeira, WPC ou alumínio� Adequado para classes de serviço 1, 2 e 3�

472 | TERRALOCK | PORTA-PILARES E LIGAÇÃO PARA TERRAÇOS


CÓDIGOS E DIMENSÕES TERRALOCK

TERRALOCK PP

CÓDIGO TER60ALU TER180ALU TER60ALUN TER180ALUN

material

PxBxs

pçs

CÓDIGO

aço galvanizado aço galvanizado aço zincado preto aço zincado preto

[mm] 60 x 20 x 8 180 x 20 x 8 60 x 20 x 8 180 x 20 x 8

100 50 100 50

TER60PPM TER180PPM

material

PxBxs

pçs

nylon castanho nylon castanho

[mm] 60 x 20 x 8 180 x 20 x 8

100 50

Disponível a pedido também em aço inoxidável A2 | AISI304 para quantidade superiores a 20�000 peças� (cód� TER60A2 e TER180A2)�

KKT A4 | AISI316 / KKT COLOR

KKF AISI410

ixação em madeira e WPC para TERRALOCK

ixação em madeira e WPC para TERRALOCK PP

d1 [mm]

CÓDIGO

L [mm] 20 25 30 40 40

KKTX520A4 KKTX525A4 KKTX530A4 KKTX540A4 KKTN540

5 TX 20

pçs

d1 [mm]

CÓDIGO

L [mm]

pçs

200 200 200 200 200

4,5 TX 20

KKF4520

20

200

KKF4540

40

200

CÓDIGO

L [mm]

pçs

SBN3525

25

1000

KKA COLOR

SBN A2 | AISI304

ixação sobre alumínio para TERRALOCK

ixação sobre alumínio para TERRALOCK PP

d1 [mm] 4 TX 20

CÓDIGO

L [mm]

pçs

KKAN430

30

200

d1 [mm] 3,5 TX 15

GEOMETRIA TERRALOCK

TERRALOCK PP 5 8

5 8 60 45 15

180 165

20 5 20 20 15

3 5

15

5 10 5

5 20 15

85

5 8

5 8 60 45 15

85

5 10 5

180 165 20

5 20 20 15

10

5 10 5

5

B

5 10 5

85

20 15 L min tábua = 100 mm

20

L min tábua = 145 mm

P

5

85

L min tábua = 100 mm

s

15

s

s

P B

L min tábua = 145 mm

s P

P

B

B

TERRALOCK PP Versão em plástico ideal para realizar terraços em proximidade de ambientes aquáticos� Durabilidade no tempo garantida pela microventilação sob as tabelas� Ligação oculta total�

PORTA-PILARES E LIGAÇÃO PARA TERRAÇOS | TERRALOCK | 473


GROUND COVER TELA ANTIVEGETAL PARA ALICERCES PERMEÁVEL À ÁGUA A tela antivegetal previne o crescimento de ervas e raízes garantindo a proteção da estrutura do terraço do solo� Permeável à água, permite o escoamento�

RESISTENTE O falso têxtil em polipropileno de gramagem 50 g/m2 permite uma eicaz separação da estrutura da terraço do solo� Dimensões otimizadas para os terraços (1,6 m x 10 m)�

CÓDIGOS E DIMENSÕES CÓDIGO COVER50

material TNT

g/m2 50

HxL

A

[m]

[m2]

1,6 x 10

10

Resistência à tração

MD/CD

95 / 55 N

Alongamento

MD/CD

35 / 80 %

pçs 1

MATERIAL Tecido não tecido (TNT) em polipropileno (PP)�

CAMPOS DE APLICAÇÃO Separação da estrutura do solo�

474 | GROUND COVER | PORTA-PILARES E LIGAÇÃO PARA TERRAÇOS


NAG PAD NIVELADOR SOBREPONÍVEIS Disponíveis em 3 espessuras (2,0, 3,0 e 5,0 mm) são ideais também para a sobreposição entre si para obter espessuras diferentes e nivelar eicazmente a estrutura do terraço�

DURABILIDADE O material EPDM garante uma excelente durabilidade, não sofre cedimentos no tempo e não sofre a exposição aos raios solares�

GEOMETRIA

CÓDIGOS E DIMENSÕES CÓDIGO

BxLxs

densidade

shore

pçs

[mm]

kg/m3

NAG60602

60 x 60 x 2

1220

65

50

NAG60603

60 x 60 x 3

1220

65

30

NAG60605

60 x 60 x 5

1220

65

20

s L

B

Temperatura de utilização -35 °C | +90 °C

MATERIAL EPDM preto�

CAMPOS DE APLICAÇÃO Nivelamento sub-estrutura�

PORTA-PILARES E LIGAÇÃO PARA TERRAÇOS | NAG | 475


GRANULO BASE DE BORRACHA GRANULAR TRÊS FORMATOS Disponível em placa (GRANULOMAT 1,25 x 10 m) em rolo (GRANULOROLL e GRANULO100) ou em pad (GRANULOPAD 8 x 8 cm)� Uso extremamente versátil graças à variedade dos formatos�

BORRACHA GRANULAR Realizado em grânulos de borracha reciclada e termo-ligada com poliuretano� Resistente às interações químicas, mantém inalteradas as características no tempo e é reciclável a 100%�

ANTIVIBRAÇÃO Os grânulos de borracha termo-ligada permitem o amortecimento das vibrações e o isolamento dos ruídos de passagem� Ideal também como corte hídrico e como tira resiliente para os desacoplamentos acústicos�

CARATERÍSTICAS FOCUS

permeável à água e antivibratório

ESPESSURAS

de 4,0 a 10,0 mm

DIMENSÕES

tapete, rolo, PAD

UTILIZAÇÃO

fundação subestruturas em madeira, alumínio, WPC e PVC

MATERIAL Grânulos de borracha termo-ligada com PU�

CAMPOS DE APLICAÇÃO Fundação subestruturas em madeira, alumínio, WPC e PVC� Utilização no exterior� Adequado para classes de serviço 1, 2 e 3�

476 | GRANULO | PORTA-PILARES E LIGAÇÃO PARA TERRAÇOS


CÓDIGOS E DIMENSÕES CÓDIGO

s

B

L

[mm]

[mm]

[m]

pçs

GRANULOPAD

10

80

0,08

20

GRANULOROLL

8

80

6

1

GRANULO100

4

100

15

1

GRANULOMAT

6

1250

10

1

GEOMETRIA

s L

s

B

GRÂNULO PAD

s

B

B GRANULO ROLL - GRANULO 100

GRANULO MAT

DADOS TÉCNICOS PROPRIEDADES

normativa

Dureza

-

50 shore A

Densidade

-

750 kg/m3

ISO 29052-1

66 MN/m3

ISO 12354-2

22,6 dB

ISO 12354-2

116,3 Hz

-

21 kPa

Rigidez dinâmica aparente s’t

Estimativa teórica do nível de redução do passagem ∆Lw Frequência de ressonância do sistema f0(1)

(1)

valor

Esforço deformação em compressão 10% deformação 25% deformação

-

145 kPa

Esticamento à rutura

-

27 %

Condutividade térmica λ

UNI EN 12667

0,033 W/mK

(1)

Considera-se uma condição de carga com m'=125 kg/m2�

ISOLAMENTO ACÚSTICO Ideal como fundação para subestruturas dos terraços� Permeável à base de água, é perfeito para utilização no exterior�

PORTA-PILARES E LIGAÇÃO PARA TERRAÇOS | GRANULO | 477


TERRA BAND UV FITA ADESIVA BUTÍLICA TERRAÇOS E FACHADAS Ideal para a proteção das ripas da água e dos raios UV� Utilizável tanto para os terraços que para as fachadas, assegura a proteção e a durabilidade das ripas em madeira�

ESTABILIDADE UV PERMANENTE O compound butílico aluminizado preto garante resistência ilimitada aos raios UV que podem penetrar entre as fugas das tábuas de terraços e paredes�

CÓDIGOS E DIMENSÕES CÓDIGO

s

B

L

pçs

[mm]

[mm]

[m]

TERRAUV75

0,8

75

10

TERRAUV100

0,8

100

10

6

TERRAUV200

0,8

200

10

4

8

s: espessura | B: base | L: comprimento

MATERIAL Compound butílico revestido por uma película em alumínio cor preta com película de separação�

CAMPOS DE APLICAÇÃO Proteção ripas de água e raios UV�

478 | TERRA BAND UV | PORTA-PILARES E LIGAÇÃO PARA TERRAÇOS


PROFID PERFIL ESPAÇADOR VENTILAÇÃO Peril em EPDM com secção quadrada para aplicação acima das ripas� Gera uma micro-ventilação sob as tábuas que previne a estagnação da água e garante uma excelente durabilidade ao terraço�

RESISTÊNCIA O material EPDM garante uma excelente durabilidade� Realizado com uma densidades de mais de 1200 kg/m3 garante uma elevada resistência a esmagamento e é ideal também para cargas elevadas�

GEOMETRIA CÓDIGOS E DIMENSÕES CÓDIGO PROFID

s

B

L

densidade

[mm]

[mm]

[m]

kg/m3

8

8

40

1220

shore

pçs

65

8

L

s B

s: espessura | B: base | L: comprimento

MATERIAL EPDM�

CAMPOS DE APLICAÇÃO Microventilação subtelha�

PORTA-PILARES E LIGAÇÃO PARA TERRAÇOS | PROFID | 479


ANCORANTES PARA BETÃO


ANCORANTES PARA BETÃO


ANCORANTES PARA BETÃO

SKR | SKS

VIN-FIX

ANCORANTE PARAFUSÁVEL PARA BETÃO . . . . . . . . . . . . . . . . . . 488

ANCORANTE QUÍMICO À BASE DE VINILÉSTER SEM ESTIRENO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 509

SKR-E | SKS-E ANCORANTE PARAFUSÁVEL PARA BETÃO CE1 . . . . . . . . . . . . . . 491

VIN-FIX PRO

AB1

ANCORANTE QUÍMICO À BASE DE VINILÉSTER SEM ESTIRENO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 511

ANCORANTE PESADO DE EXPANSÃO CE1 . . . . . . . . . . . . . . . . . . 494

AB1 A4 ANCORANTE PESADO DE EXPANSÃO CE1 DE AÇO INOXIDÁVEL . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 496

AB7

VIN-FIX PRO NORDIC ANCORANTE QUÍMICO DE VINILÉSTER PARA BAIXAS TEMPERATURAS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 514

EPO-FIX PLUS

ANCORANTE PESADO DE EXPANSÃO CE7 . . . . . . . . . . . . . . . . . . 498

ANCORANTE QUÍMICO EPOXÍDICO DE ALTAS PRESTAÇÕES . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 517

ABS

INA

ANCORANTE PESADO DE EXPANSÃO COM BANDA CE1 . . . . . 500

BARRA ROSCADA DE CLASSE DE AÇO 5.8 PARA ANCORANTES QUÍMICOS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 520

ABU ANCORANTE PESADO DE EXPANSÃO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 502

AHZ

IHP - IHM BUCHAS PARA MATERIAIS CAVERNOSOS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 521

ANCORANTE DE PESO MÉDIO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 503

AHS ANCORANTE PESADO PARA FIXAÇÃO NÃO PASSANTE . . . . . . 503

NDC BUCHA PROLONGADA DE NYLON CE COM PARAFUSO . . . . . . 504

NDS BUCHA PROLONGADA COM PARAFUSO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 506

NDB BUCHA DE PANCADA COM PARAFUSO EM FORMA DE PREGO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 506

NDK BUCHA UNIVERSAL DE NYLON . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 507

NDL BUCHA UNIVERSAL DE NYLON PROLONGADA . . . . . . . . . . . . . . 507

MBS PARAFUSO AUTO-ROSCANTE DE CABEÇA CILÍNDRICA PARA CONSTRUÇÃO EM ALVENARIA DE TIJOLO . . . . . . . . . . . . 508

ANCORANTES PARA BETÃO | 483


ESCOLHA DO ANCORANTE A diferente combinação das características mecânicas e dos parâmetros de instalação dos ancorantes permite a satisfação de múltiplas exigências projectuais. A utilização combinada com os nossos sistemas de junção oferece uma gama completa de soluções.

ANCORANTES PARAFUSÁVEIS

PÁG.

SKR

Ancorante parafusável de cabeça exagonal

488

SKS

Ancorante parafusável de cabeça escareada

488

SKR EVO

Ancorante parafusável de cabeça exagonal

488

SKS EVO

Ancorante parafusável de cabeça escareada

488

SKR-E

Ancorante parafusável de cabeça exagonal CE1

491

SKS-E

Ancorante parafusável de cabeça escareada CE1

491

AB1

Ancorante pesado de expansão CE1

494

AB1 A4

Ancorante pesado de expansão CE1 de aço inoxidável

496

AB7

Ancorante pesado de expansão CE7

498

ABS

Ancorante pesado de expansão com banda CE1

500

ABU

Ancorante pesado de expansão

502

AHZ

Ancorante de peso médio

503

AHS

Ancorante pesado para ixação não passante

503

NDC

Bucha prolongada de nylon CE com parafuso

504

NDS

Bucha prolongada com parafuso

506

NDB

Bucha de pancada com parafuso em forma de prego

506

NDK

Bucha universal de nylon

507

NDL

Bucha universal de nylon prolongada

507

MBS

Parafuso auto-roscante de cabeça cilíndrica para construção de tijolos

508

VIN-FIX

Ancorante químico à base de viniléster sem estireno

509

VIN-FIX PRO

Ancorante químico à base de viniléster sem estireno

511

VIN-FIX PRO NORDIC

Ancorante químico de viniléster para baixas temperaturas

514

EPO-FIX PLUS

Ancorante químico epoxídico de altas prestações

517

INA

Barra roscada de classe de aço 5�8 para ancorantes químicos

520

IHP - IHM

Buchas para materiais cavernosos

521

ANCORANTES METÁLICOS PESADOS

ANCORANTES LEVES

ANCORANTES QUÍMICOS

484 | ESCOLHA DO ANCORANTE | ANCORANTES PARA BETÃO


INSTALAÇÃO

FUNCIONAMENTO

LEED ®

fogo

LEED (IEQ 4�1)

classe de emissão VOC

não passante

por atrito (expansão)

-

-

7,5 ÷ 12

320

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

7,5

80

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

7,5 ÷ 12

30

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

7,5

40

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

8 ÷ 16

210

Opç� 1

C2

R120

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

8 ÷ 10

40

Opç� 1

C2

R120

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

M8 ÷ M16

84

Opç� 1

C2

R120

-

-

-

-

-

-

-

-

M8 ÷ M16

50

Opç� 1

C1

R120

-

-

-

-

-

-

-

M10 ÷ M20

245

Opç� 7

-

-

-

-

-

-

-

-

-

10 ÷ 16

60

Opç� 1

C2

R120

-

-

-

-

-

-

-

-

por adesão

sísmica

-

por forma (rebaixado)

CE (ETA)

-

passante

espessura máx� ixável

-

betão não issurado

-

aço galvanizado

diâmetros

According to LEED® IEQ 4.1

alvenaria semiplena/furada

[mm]

alvenaria plena

[mm]

CERTIFICAÇÃO

betão issurado

tix

nylon

d

aço inoxidável

MATERIAL DE SUPORTE

aço galvanizado C4 EVO

MATERIAL ANCORANTE

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

M8 ÷ M16

80

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

M8 ÷ M12

70

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

M12 ÷ M16

20

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

8 ÷ 10

170

CE

-

R90

-

-

-

-

-

-

-

-

-

10

125

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

6÷8

100

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

6 ÷ 14

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

12 ÷ 16

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

7,5

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

A+

-

-

-

-

-

-

M8 ÷ M24

1500 Opç� 1

C2

-

-

M8 ÷ M30

1500 Opç� 1

C1

F120

A+

-

-

-

-

M8 ÷ M30

1500 Opç� 1

C1

-

-

-

-

-

-

M8 ÷ M30

1500 Opç� 1

C2

F120

-

A+

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

M8 ÷ M27

-

-

-

-

-

-

-

-

M12 ÷ M22

-

-

-

-

-

-

-

-

ANCORANTES PARA BETÃO | ESCOLHA DO ANCORANTE | 485


PRINCÍPIOS DE FUNCIONAMENTO FUNCIONAMENTO As tensões actuantes sobre o ancorante são transmitidas ao suporte por meio de três diferentes modalidades de interação, em função da geometria do ancorante�

POR ATRITO (EXPANSÃO) - (ex. AB1)

POR FORMA - (ex. SKR)

POR ADESÃO - (ex. Ancorantes químicos)

A vedação dentro do suporte é garantida pelo atrito gerado mediante a expansão do ancorante�

A conformação geométrica do ancorante consente o seu bloqueio no suporte garantindo a vedação�

As cargas de tração são transmitidas ao suporte por meio das tensões de adesão ao longo de toda a superfície cilíndrica do furo�

MATERIAL DO SUPORTE BETÃO

ALVENARIA

1 NÃO FISSURADO

1

zona comprimida (opção 7)

TIJOLO CHEIO

As características mecânicas de uma construção de tijolos são fortemente inluenciadas pelo tipo de material básico empregado�

TIJOLO FURADO

As resistências previstas para as várias aplicações são, portanto, sujeitas a notáveis variações�

2

2 FISSURADO

zona esticada (opção 1)

3

3 CARGA SÍSMICA

Carga cíclica: alternância zona comprimida/tensa (C1-C2)

APOSIÇÃO ENTRE-EIXO ENTRE ANCORANTES s

DISTÂNCIA DA BORDA c

1 2 3

1 zona de máxima resistência: s ≥ scr

smin scr

1 zona de máxima resistência: c ≥ ccr

2 zona de resistência reduzida: smin ≤ s < scr

1

2 zona de resistência reduzida: cmin ≤ c < ccr

3 zona não admitida: s < smin

2

3 zona não admitida: c < cmin

3

cmin ccr

Para distâncias da borda e entre-eixos superiores àqueles críticos, não há interação entre os mecanismos de ruptura de cada ancorante; os cones de ruptura podem-se desenvolver inteiramente, garantindo a máxima resistência possível� Para distâncias da borda e entre-eixos inferiores àqueles críticos, é necessário considerar uma redução das prestações do ancorante por meio de oportunos coeicientes constantes do certiicado de produto� Não é consentito instalar ancorantes com distâncias da borda e entre-eixos inferiores àqueles mínimos� ESPESSURA MÍNIMA DO SUPORTE hmin Não é consentito instalar ancorantes em suportes de espessura h < hmin para se evitarem drásticas diminuições de resistência pelo facto de haver rupturas por issuração prematura (splitting)� PROFUNDIDADE DE ANCORAGEM hef Os ancorantes devem ser instalados assegurando-se uma profundidade de ancoragem hef não inferior àquela prescrita� Ancorantes mecânicos: geralmente, considera-se para cada diâmetro uma única profundidade de cravação� Ancorantes químicos: profundidades de cravação variáveis, com optimização das prestações em função das condições de limite� 486 | PRINCÍPIOS DE FUNCIONAMENTO | ANCORANTES PARA BETÃO


MECANISMOS DE RUPTURA TRAÇÃO AÇO

BETÃO

Rutura do material em aço (steel failure)

Ruptura por deseniamento (pull-out)

Ruptura do cone de betão (concrete cone failure)

Ruptura por issuração (splitting)

No caso de ancorantes químicos, pode ocorrer ruptura combinada por deseniamento e ruptura do cone de betão (pull-out and concrete cone failure)� CORTE AÇO

BETÃO

Ruptura do material de aço com ou sem braço de alavanca (steel failure)

Ruptura por solapamento (pry-out)

Ruptura da borda de betão (concrete edge failure)

INSTALAÇÃO PASSANTE O ancorante é inserido no furo por meio do elemento a ser ixado e, sucessivamente, expandido com o par de aperto previsto� O furo no elemento a ser ixado é equivalente ou superior ao furo feito no material de suporte (ex�: AB1)� NÃO PASSANTE O ancorante é inserido no furo antes do posicionamento do elemento a ser ixado� O furo no elemento a ser ixado pode ser inferior àquele feito no material de suporte em função do parafuso de aperto sucessivamente inserido (ex�: AHS)� DISTÂNCIAS O elemento a ser ixado é ancorado a uma determinada distância do suporte� Para a avaliação dos ancorantes idóneos, ver os certiicados de produto�

ANCORANTES PARA BETÃO | PRINCÍPIOS DE FUNCIONAMENTO | 487


SKR | SKS ANCORANTE PARAFUSÁVEL PARA BETÃO

• • • • • • •

Apropriado para betão não issurado Cabeça sextavada aumentada Rosca especíica para ixação em seco Versão dupla: electrogalvanização e revestimento C4 EVO Aço carbónico electrozincado Fixação do passante Instalação desprovida de expansão

SKR

SKR EVO

SKS

SKS EVO

CÓDIGOS E DIMENSÕES SKR - SKS SKR cabeça sextavada CÓDIGO

d1

L

tix

h1,min

hnom

d0

df timber

df steel

SW

Tinst

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[Nm]

60

10

60

50

6

8

8-10

13

15

50

7,5

80

30

60

50

6

8

8-10

13

15

50

SKR7560 SKR7580

pçs

SKR75100

100

20

90

80

6

8

8-10

13

15

50

SKR1080

80

30

65

50

8

10

10-12

16

25

50

SKR10100 SKR10120

10

100

20

95

80

8

10

10-12

16

25

25

120

40

95

80

8

10

10-12

16

25

25

SKR10140

140

60

95

80

8

10

10-12

16

25

25

SKR10160

160

80

95

80

8

10

10-12

16

25

25

SKR12100

100

20

100

80

10

12

12-14

18

50

25

SKR12120

120

40

100

80

10

12

12-14

18

50

25

SKR12140

140

60

100

80

10

12

12-14

18

50

25

160

80

100

80

10

12

12-14

18

50

25

200

120

100

80

10

12

12-14

18

50

25

SKR12160 SKR12200

12

SKR12240

240

160

100

80

10

12

12-14

18

50

25

SKR12280

280

200

100

80

10

12

12-14

18

50

25

SKR12320

320

240

100

80

10

12

12-14

18

50

25

SKR12400

400

320

100

80

10

12

12-14

18

50

25

d1

L

tix

h1,min

hnom

d0

df timber

dk

TX

Tinst

pçs

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

SKS cabeça de embeber CÓDIGO

[Nm]

SKS7560

60

10

60

50

6

8

13

TX40

-

50

SKS7580

80

30

60

50

6

8

13

TX40

-

50

SKS75100 SKS75120

7,5

100

20

90

80

6

8

13

TX40

-

50

120

40

90

80

6

8

13

TX40

-

50

SKS75140

140

60

90

80

6

8

13

TX40

-

50

SKS75160

160

80

90

80

6

8

13

TX40

-

50

488 | SKR | SKS | ANCORANTES PARA BETÃO


CÓDIGOS E DIMENSÕES SKR - SKS VERSÃO EVO COATING

SKR EVO cabeça sextavada CÓDIGO

d1

L

tix

h1,min

hnom

d0

df timber

df steel

SW

Tinst

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[Nm]

pçs

SKREVO7560

7,5

60

10

60

50

6

8

8-10

13

15

50

SKREVO1080

10

80

30

65

50

8

10

10-12

16

25

50

SKREVO12100

12

100

20

100

80

10

12

12-14

18

50

25

TX

Tinst

pçs

SKS EVO cabeça de embeber CÓDIGO

d1

L

tix

h1,min

hnom

d0

df timber

dk

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

80

30

60

50

6

8

13

TX40

-

50

7,5

100

20

90

80

6

8

13

TX40

-

50

120

40

90

80

6

8

13

TX40

-

50

SKSEVO7580 SKSEVO75100 SKSEVO75120

SKR

Tinst

SKS SW

tfix

dk

df

L d1

[Nm]

hnom

h1

d0

d1 L t fix h1 hnom d0 df SW dk Tinst

diâmetro externo do ancorante comprimento do ancorante espessura máxima ixável profundidade mínima do furo profundidade de inserção diâmetro do furo no suporte de betão diâmetro máximo do furo no elemento a ser ixado medida da chave SKR diâmetro da cabeça SKS torque de aperto

PRODUTOS ADICIONAIS - ACESSÓRIOS CÓDIGO

descrição

pçs

SOCKET13

bucha SW 13 engate 1/2”

1

SOCKET16

bucha SW 16 engate 1/2”

1

SOCKET18

bucha SW 18 engate 1/2”

1

MONTAGEM

1

2

Praticar um furo com modo de rotopercussão

3

Executar a limpeza do orifício

SKR

3

Colocar o objeto a ixar e instalar o parafuso com o aparafusador por impulsos

Tinst

4

SKR

4

SKS

SKS

Certiicar-se que a cabeça do ancorante esteja completamente em contacto com o objeto a ixar

5

SKR

Tinst

5

SKS

Veriicar o torque de aperto Tinst

ANCORANTES PARA BETÃO | SKR | SKS | 489


INSTALAÇÃO c

s

s c hmin

SKR Entre-eixos e distâncias para cargas de tração

SKS

Ø7,5

Ø10

Ø12

Ø7,5

Entre-eixo mínimo

smin,N

[mm]

50

60

65

50

Distância mínima da borda

cmin,N

[mm]

50

60

65

50

Espessura mínima do suporte de betão

hmin

[mm]

100

110

130

100

Entre-eixo crítico

scr,N

[mm]

100

150

180

100

Distância crítica da borda

ccr,N

[mm]

50

70

80

50

Ø7,5

Ø10

Ø12

Ø7,5

Entre-eixos e distâncias para cargas de corte Entre-eixo mínimo

smin,V

[mm]

50

60

70

50

Distância mínima da borda

cmin,V

[mm]

50

60

70

50

Espessura mínima do suporte de betão

hmin

[mm]

100

110

130

100

Entre-eixo crítico

scr,V

[mm]

140

200

240

140

Distância crítica da borda

ccr,V

[mm]

70

110

130

70

Para entre-eixos e distâncias inferiores àqueles críticos, haverá reduções nos valores de resistência em razão dos parâmetros de instalação�

VALORES ESTÁTICOS Válidos para uma única ancoragem em ausência de entre-eixos e distâncias da borda, para betão de classe C20/25 de espessura elevada e com armadura esparsa� VALORES RECOMENDADOS BETÃO NÃO FISSURADO

SKR

SKS

tração

corte(1)

penetração da cabeça

N1,rec

Vrec

N2,rec

[kN]

[kN]

[kN]

7,5

2,13

2,50

1,19 (2)

10

6,64

6,65

1,86 (2)

12

8,40

8,18

2,83 (2)

7,5

2,13

2,50

0,72

NOTAS:

PRINCÍPIOS GERAIS:

(1)

Na avaliação da resistência global do ancorante, a resistência ao corte no elemento a ixar (por ex�: madeira, aço etc�) deve ser avaliada à parte, em função do material utilizado�

(2)

Os valores referem-se ao uso de SKR instalado com anilha DIN 9021 (ISO 9073)�

• Os valores admissíveis recomendados à tração e ao corte estão de acordo com o Certiicado n�° 2006/5205/1 emitido pelo Politécnico de Milão e obtidos considerando-se um coeiciente de segurança equivalente a 4 na carga inal à ruptura�

490 | SKR | SKS | ANCORANTES PARA BETÃO


SKR-E | SKS-E

R120

SEISMIC C2

ETA 19/0100

ANCORANTE PARAFUSÁVEL PARA BETÃO CE1

• • • • • • •

CE opção 1 para betão issurado e não issurado Classe de desempenho para ações sísmicas C1 (M10-M16) e C2 (M12-M16) Aço carbónico electrozincado Cabeça langeada com serrilhado autoblocante (SKR-E) Resistência ao fogo R120 Fixação do passante Instalação desprovida de expansão

CÓDIGOS E DIMENSÕES

SKR-E

SKS-E

pçs

SKR-E cabeça sextavada com falsa anilha CÓDIGO SKR8100CE

d1

L

tix

h1,min

hnom

hef

d0

df

SW

Tinst

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[Nm]

8

100

40

75

60

48

6

9

10

20

50

80

10

85

70

56

8

12

13

50

50

SKR1080CE

100

30

85

70

56

8

12

13

50

25

SKR10120CE

SKR10100CE

10

120

50

85

70

56

8

12

13

50

25

SKR1290CE

90

10

100

80

64

10

14

15

80

xx

SKR12110CE

110

30

100

80

64

10

14

15

80

25

150

70

100

80

64

10

14

15

80

25 20

SKR12150CE

12

SKR12210CE

210

130

100

80

64

10

14

15

80

SKR12250CE

250

170

100

80

64

10

14

15

80

15

SKR12290CE

290

210

100

80

64

10

14

15

80

15

130

20

140

110

85

14

18

21

160

10

SKR16130CE

16

SKS-E cabeça de embeber CÓDIGO

d1

L

tix

h1,min

hnom

hef

d0

df

dk

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

TX

Tinst

pçs

[Nm]

SKS75100CE

8

100

40

75

60

48

6

9

16

TX30

20

50

SKS10100CE

10

100

30

85

70

56

8

12

20

TX40

50

50

SKR-E

Tinst

SKS-E SW

tfix

dk

df

L d1

hef

hnom

h1

d0

d1 L t fix h1 hnom hef d0 df SW dk Tinst

diâmetro externo do ancorante comprimento do ancorante espessura máxima ixável profundidade mínima do furo profundidade de inserção profundidade efectiva de ancoragem diâmetro do furo no suporte de betão diâmetro máximo do furo no elemento a ser ixado medida da chave SKR-E diâmetro da cabeça SKS-E torque de aperto

PRODUTOS ADICIONAIS - ACESSÓRIOS CÓDIGO

descrição

pçs

SOCKET10

bucha SW 10 engate 1/2”

1

SOCKET13

bucha SW 13 engate 1/2”

1

SOCKET15

bucha SW 15 engate 1/2”

1

SOCKET21

bucha SW 21 engate 1/2”

1

ANCORANTES PARA BETÃO | SKR-E | SKS-E | 491


MONTAGEM

1

2

Praticar um furo com modo de rotopercussão

3

Executar a limpeza do orifício

3

SKR-E

SKS-E

Colocar o objeto a ixar e instalar o parafuso com o aparafusador por impulsos

Tinst

Tinst

4

SKR-E

4

SKS-E

Certiicar-se que a cabeça do parafuso esteja completamente em contacto com o objeto a ixar

5

SKR-E

5

SKS-E

Veriicar o torque de aperto Tinst

INSTALAÇÃO c

s

s c hmin

SKR-E / SKS-E Entre-eixos e distâncias mínimas

Ø8

Ø10

Ø12

Ø16

Entre-eixo mínimo

smin

[mm]

45

50

60

80

Distância mínima da borda

cmin

[mm]

45

50

60

80

Espessura mínima do suporte de betão

hmin

[mm]

100

110

130

170

Ø8

Ø10

Ø12

Ø16

Entre-eixos e distâncias críticas Entre-eixo crítico

Distância crítica da borda

scr,N(1)

[mm]

144

168

192

255

(2)

[mm]

160

175

195

255

(1)

[mm]

72

84

96

128

ccr,sp(2)

[mm]

80

85

95

130

scr,sp ccr,N

Para entre-eixos e distâncias inferiores àqueles críticos, haverá reduções nos valores de resistência em razão dos parâmetros de instalação�

492 | SKR-E | SKS-E | ANCORANTES PARA BETÃO


VALORES ESTÁTICOS Válidos para uma única ancoragem em ausência de entre-eixos e distâncias da borda, para betão de classe C20/25 de espessura elevada e com armadura esparsa�

VALORES CARACTERÍSTICOS BETÃO NÃO FISSURADO tração(3) NRk,p

corte(4) VRk,s

γMp

[kN] 8 SKR-E

SKS-E

BETÃO FISSURADO

16

tração(3) γMs

[kN] 2,1

9,4

NRk,p

corte γMp

[kN] 1,5

4

VRk,s/Rk,cp

γMs,Mc

[kN] 2,1

9,4 (4)

1,5

(5)

1,5

10

20

1,8

20,1

1,5

7,5

1,8

15,1

12

25

2,1

32,4

1,5

9

2,1

32,4 (4)

1,5

16

40

2,1

56,9

1,5

16

2,1

56,4 (5)

1,5

8

16

2,1

9,4

1,5

4

2,1

9,4 (4)

1,5

10

20

1,8

20,1

1,5

7,5

1,8

20,1

(4)

1,5

factor de incremento para NRk,p(6) C30/37 Ψc

1,22

C40/50

1,41

C50/60

1,58

NOTAS:

PRINCÍPIOS GERAIS:

(1)

Modo de rotura por formação do cone de betão�

• Os valores característicos são calculados de acordo com ETA-19/0100�

(2)

Modo de rotura por issuração (splitting)�

• Os valores de projecto são obtidos a partir dos valores característicos, desta forma: Rd = Rk /γ M�

(3)

Modalidade de ruptura por deseniamento (pull-out)�

(4)

Modalidade de ruptura do material de aço (VRk,s)�

(5)

Modo de rotura por destacamento (pry-out, VRk,cp)�

(6)

Fator de incremento para a resistência à tração (excluída a rotura do aço)�

Os coeicientes γ M são apresentados na tabela em função da modalidade de rutura e de acordo com os certiicados de produto� • Para o cálculo de ancorantes com entre-eixos reduzidos, próximos à borda ou para a ixação sobre betão de classe de resistência superior ou de espessura reduzida ou com armadura densa, ver o documento ETA� • Para planear ancoragens submetidas a carga sísmica, consulte o documento ETA de referência e as indicações do EOTA Technical Report 045� • Para o cálculo de ancoragens sob a ação do fogo, consulte a ETA e o Technical Report 020�

ANCORANTES PARA BETÃO | SKR-E | SKS-E | 493


AB1

R120

SEISMIC C2

ANCORANTE PESADO DE EXPANSÃO CE1

• • • • • • • •

CE opção 1 para betão issurado e não issurado Classe de desempenho para ações sísmicas C1 (M10-M16) e C2 (M12-M16) Aço carbónico electrozincado Resistência ao fogo R120 Dotado de porca e anilha acopladas Idóneo para materiais compactos Fixação do passante Expansão com controlo de par de aperto

CÓDIGOS E DIMENSÕES CÓDIGO

d = d0

Lt

tix

h1,min

hnom

hef

df

SW

Tinst

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[Nm]

pçs

AB1875

M8

75

9

60

55

48

9

13

15

100

AB1895

M8

95

29

60

55

48

9

13

15

50

AB18115

M8

115

49

60

55

48

9

13

15

50

AB110115

M10

115

35

75

68

60

12

17

40

25 25

AB110135

M10

135

55

75

68

60

12

17

40

AB112100

M12

100

4

85

80

70

14

19

60

25

AB112120

M12

120

24

85

80

70

14

19

60

25

AB112150

M12

150

54

85

80

70

14

19

60

25

AB112180

M12

180

84

85

80

70

14

19

60

25

AB116145

M16

145

28

105

97

85

18

24

100

10

d Tinst SW df

tfix

Lt

h1

hef

hnom

d d0 Lt t fix h1 hnom hef df SW Tinst

diâmetro do ancorante diâmetro do furo no suporte de betão comprimento do ancorante espessura máxima ixável profundidade mínima do furo profundidade de inserção profundidade efectiva de ancoragem diâmetro máximo do furo no elemento a ser ixado medida da chave torque de aperto

d0

MONTAGEM

Tinst

90° 1

2

494 | AB1 | ANCORANTES PARA BETÃO

3

4

5


INSTALAÇÃO c

s

s c hmin

AB1 Entre-eixos e distâncias mínimas

M8

M10

M12

M16

50

60

70

85

smin

[mm]

Distância mínima da borda

cmin

[mm]

50

60

70

85

Espessura mínima do suporte de betão

hmin

[mm]

100

120

140

170

M8

M10

M12

M16

Entre-eixo mínimo

Entre-eixos e distâncias críticas Entre-eixo crítico

scr,N(1)

[mm]

144

180

210

255

(2)

[mm]

288

300

350

425

ccr,N(1)

[mm]

72

90

105

128

(2)

[mm]

144

150

175

213

scr,sp

Distância crítica da borda

ccr,sp

Para entre-eixos e distâncias inferiores àqueles críticos, haverá reduções nos valores de resistência em razão dos parâmetros de instalação�

VALORES ESTÁTICOS Válidos para uma única ancoragem em ausência de entre-eixos e distâncias da borda, para betão de classe C20/25 de espessura elevada e com armadura esparsa� VALORES CARACTERÍSTICOS BETÃO NÃO FISSURADO tração(3) NRk,p

BETÃO FISSURADO corte(4)

γMp

[kN]

VRk,s

tração(3) γMs

[kN]

NRk,p

corte γMp

[kN]

VRk

γM

[kN]

M8

9

1,8

11,0

1,25

6

1,8

12,0

γMc = 1,5(5)

M10

16

1,5

17,4

1,25

9

1,5

17,4

γMs = 1,25(4)

M12

25

1,5

25,3

1,25

16

1,5

25,3

γMs = 1,25(4)

M16

35

1,5

47,1

1,25

25

1,5

47,1

γMs = 1,25(4)

factor de incremento para NRk,p(6) Ψc

C30/37

1,16

C40/50

1,31

C50/60

1,41

NOTAS:

PRINCÍPIOS GERAIS:

(1)

Modo de rotura por formação do cone de betão por cargas de tração�

• Os valores característicos são calculados de acordo com ETA-17/0481�

(2)

Modo de rotura por issuração (splitting) por cargas de tração�

(3)

Modalidade de ruptura por deseniamento (pull-out)�

• Os valores de projecto são obtidos a partir dos valores característicos, desta forma: Rd=Rk /γ M

(4)

Modalidade de ruptura do material de aço�

(5)

Modo de rotura por destacamento (pry-out)�

(6)

Fator de incremento para a resistência à tração (excluída a rotura do aço)�

Os coeicientes γ M são apresentados na tabela em função da modalidade de rutura e de acordo com os certiicados de produto� • Para o cálculo de ancorantes com entre-eixos reduzidos, próximos à borda ou para a ixação sobre betão de classe de resistência superior ou de espessura reduzida ou com armadura densa, ver o documento ETA� • Para planear ancoragens submetidas a carga sísmica, consulte o documento ETA de referência e as indicações do EOTA Technical Report 045� • Para o cálculo de ancoragens sob a ação do fogo, consulte a ETA e o Technical Report 020�

ANCORANTES PARA BETÃO | AB1 | 495


AB1 A4

A4

AISI 316

R120

SEISMIC C1

ANCORANTE PESADO DE EXPANSÃO CE1 DE AÇO INOXIDÁVEL • • • • • • • •

CE opção 1 para betão issurado e não issurado Classe de desempenho para ações sísmicas C1 Aço inoxidável A4 Resistência ao fogo R120 Dotado de porca e anilha acopladas Idóneo para materiais compactos Fixação do passante Expansão com controlo de par de aperto

CÓDIGOS E DIMENSÕES CÓDIGO AB1892A4

d = d0

Lt

tix

h1,min

hnom

hef

df

SW

Tinst

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[Nm]

92

30

60

50

45

9

13

20

50

112

50

60

50

45

9

13

20

50

92

10

75

68

60

12

17

35

50

M8

AB18112A4 AB11092A4

M10

AB110132A4

pçs

132

50

75

68

60

12

17

35

25

AB112118A4

M12

118

20

90

81

70

14

19

70

20

AB116138A4

M16

138

20

110

96

85

18

24

120

10

d Tinst SW df

tfix

Lt

h1

hef

hnom

d d0 Lt t fix h1 hnom hef df SW Tinst

diâmetro do ancorante diâmetro do furo no suporte de betão comprimento do ancorante espessura máxima ixável profundidade mínima do furo profundidade de inserção profundidade efectiva de ancoragem diâmetro máximo do furo no elemento a ser ixado medida da chave torque de aperto

d0

MONTAGEM

Tinst

90° 1

2

496 | AB1 A4 | ANCORANTES PARA BETÃO

3

4

5


INSTALAÇÃO c

s

s c hmin

AB1 A4 Entre-eixos e distâncias mínimas Entre-eixo mínimo Distância mínima da borda Espessura mínima do suporte de betão

M8

M10

M12

M16

smin

[mm]

50

55

60

70

para c ≥

[mm]

50

80

90

120

cmin

[mm]

50

50

55

85

para s ≥

[mm]

50

100

145

150

hmin

[mm]

100

120

140

170

M8

M10

M12

M16

scr,N(1)

[mm]

135

180

210

255

(2)

[mm]

180

240

280

340

ccr,N(1)

[mm]

68

90

105

128

(2)

[mm]

90

120

140

170

Entre-eixos e distâncias críticas Entre-eixo crítico

scr,sp

Distância crítica da borda

ccr,sp

Para entre-eixos e distâncias inferiores àqueles críticos, haverá reduções nos valores de resistência em razão dos parâmetros de instalação�

VALORES ESTÁTICOS Válidos para uma única ancoragem em ausência de entre-eixos e distâncias da borda, para betão de classe C20/25 de espessura elevada e com armadura esparsa� VALORES CARACTERÍSTICOS BETÃO NÃO FISSURADO tração(3) NRk,p

barra

corte(4) γMp

[kN]

M8 M10 M12 M16

9 16 20 35

BETÃO FISSURADO

VRk,s

tração(3) γMs

[kN] 1,8 1,8 1,8 1,5

11 17 25 47

NRk,p

corte γMp

[kN] 1,25 1,25 1,25 1,25

VRk,s

γM

[kN]

5 9 12 20

1,8 1,8 1,8 1,5

11 17 25 47

γMc = 1,5(5) γMs = 1,25(4) γMs = 1,25(4) γMs = 1,25(4)

factor de incremento para NRk,p(6)

Ψc

C25/30 C30/37 C40/50 C50/60

1,04 1,10 1,20 1,28

NOTAS:

PRINCÍPIOS GERAIS:

(1)

Modo de rotura por formação do cone de betão por cargas de tração�

• Os valores característicos são calculados de acordo com ETA-10/0076�

(2)

Modo de rotura por issuração (splitting) por cargas de tração�

• Os valores de projecto são obtidos a partir dos valores característicos, desta forma: Rd=Rk /γ M

(3)

Modalidade de ruptura por deseniamento (pull-out)�

(4)

Modalidade de ruptura do material de aço�

(5)

Modo de rotura por destacamento (pry-out)�

(6)

Fator de incremento para a resistência à tração (excluída a rotura do aço)�

Os coeicientes γ M são apresentados na tabela em função da modalidade de rutura e de acordo com os certiicados de produto� • Para o cálculo de ancorantes com entre-eixos reduzidos, próximos à borda ou para a ixação sobre betão de classe de resistência superior ou de espessura reduzida ou com armadura densa, ver o documento ETA� • Para planear ancoragens submetidas a carga sísmica, consulte o documento ETA de referência e as indicações do EOTA Technical Report 045� • Para o cálculo de ancoragens sob a ação do fogo, consulte a ETA e o Technical Report 020�

ANCORANTES PARA BETÃO | AB1 A4 | 497


AB7 ANCORANTE PESADO DE EXPANSÃO CE7

• • • • • • • •

CE opção 7 para betão não issurado Aço carbónico electrozincado Dotado de porca e anilha acopladas Roscagem longa Braçadeira extracomprida multiexpansão Idóneo para materiais compactos Fixação do passante Expansão com controlo de par de aperto

AB7 STANDARD

AB7 EXTRA LONGO

CÓDIGOS E DIMENSÕES AB7 STANDARD anilha ISO 7089 CÓDIGO AB71075 AB712100

d = d0

Lt

tix

h1,min

hnom

hef

df

SW

Tinst

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[Nm]

10

75

10

65

55

50

12

17

35

50

100

18

80

70

60

14

19

55

50

120

38

80

70

60

14

19

55

20

12

AB712120 AB716145

16

AB716220 AB720170

20

pçs

145

30

110

100

85

18

24

100

15

220

105

110

100

85

18

24

100

10

170

35

125

115

100

22

30

150

5

pçs

AB7 EXTRA LONGO anilha aumentada ISO 7093 CÓDIGO AB716300

d = d0

Lt

tix

h1,min

hnom

hef

df

SW

Tinst

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[Nm]

16

AB716400

300

185

110

100

85

18

24

100

5

400

245

110

100

85

18

24

100

5

d Tinst SW df

tfix

Lt

h1

hef

hnom

d d0 Lt t fix h1 hnom hef df SW Tinst

diâmetro do ancorante diâmetro do furo no suporte de betão comprimento do ancorante espessura máxima ixável profundidade mínima do furo profundidade de inserção profundidade efectiva de ancoragem diâmetro máximo do furo no elemento a ser ixado medida da chave torque de aperto

d0

MONTAGEM

Tinst

90° 1

2

498 | AB7 | ANCORANTES PARA BETÃO

3

4

5


INSTALAÇÃO c

s

s c hmin

AB7 Entre-eixos e distâncias mínimas

M10

M12

M16

M20

68

81

115

135

smin

[mm]

Distância mínima da borda

cmin

[mm]

68

81

115

135

Espessura mínima do suporte de betão

hmin

[mm]

100

120

170

200

M10

M12

M16

M20

scr,N(1)

[mm]

150

180

255

300

(2)

[mm]

250

300

425

500

ccr,N(1)

[mm]

75

90

128

150

(2)

[mm]

125

150

213

250

Entre-eixo mínimo

Entre-eixos e distâncias críticas Entre-eixo crítico

scr,sp

Distância crítica da borda

ccr,sp

Para entre-eixos e distâncias inferiores àqueles críticos, haverá reduções nos valores de resistência em razão dos parâmetros de instalação�

VALORES ESTÁTICOS Válidos para uma única ancoragem em ausência de entre-eixos e distâncias da borda, para betão de classe C20/25 de espessura elevada e com armadura esparsa� VALORES CARACTERÍSTICOS BETÃO NÃO FISSURADO tração(3)

barra NRk,p

corte(4) γMp

[kN] M10 M12 M16 M20

VRk,s

γMs

[kN]

12,0 16,0 16,0 30,0

1,8 1,8 1,8 1,5

14,5 21,1 39,3 58,8

1,25 1,25 1,25 1,25

factor de incremento para NRk,p(5) Ψc

C30/37 C40/50 C50/60

NOTAS:

1,22 1,41 1,55

PRINCÍPIOS GERAIS:

(1)

Modo de rotura por formação do cone de betão por cargas de tração�

• Os valores característicos são calculados de acordo com ETA-17/0237�

(2)

Modo de rotura por issuração (splitting) por cargas de tração�

• Os valores de projecto são obtidos a partir dos valores característicos, desta forma: Rd=Rk /γ M �

(3)

Modalidade de ruptura por deseniamento (pull-out)�

(4)

Modalidade de ruptura do material de aço�

(5)

Fator de incremento para a resistência à tração (excluída a rotura do aço)�

Os coeicientes γ M são apresentados na tabela em função da modalidade de rutura e de acordo com os certiicados de produto� • Para o cálculo de ancorantes com entre-eixos reduzidos, próximos à borda ou para a ixação sobre betão de classe de resistência superior ou de espessura reduzida ou com armadura densa, ver o documento ETA�

ANCORANTES PARA BETÃO | AB7 | 499


ABS

R120

SEISMIC C2

ANCORANTE PESADO DE EXPANSÃO COM BANDA CE1

• • • • • • • •

CE opção 1 para betão issurado e não issurado Classe de desempenho C1 e C2 para ações sísmicas Aço carbónico electrozincado Resistência ao fogo R120 Parafuso 8�8 de cabeça sextavada e anilha acopladas Idóneo para materiais compactos Fixação do passante Expansão com controlo de par de aperto

CÓDIGOS E DIMENSÕES CÓDIGO ABS1070

d0

Lt

dparafuso

tix

h1,min

hnom

hef

df

SW

Tinst

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[Nm]

70

M6

5

80

65

55

12

10

15

50

10

ABS10100 ABS12100

12

ABS12120 ABS16120

16

ABS16140

100

M6

35

80

65

55

12

10

15

50

100

M8

30

90

70

60

14

13

30

50

120

M8

50

90

70

60

14

13

30

25

120

M10

40

100

80

70

18

17

50

25

140

M10

60

100

80

70

18

17

50

20

Tinst SW df

tfix

hef

h1

pçs

Lt hnom

d0 d Lt t fix h1 hnom hef df SW Tinst

diâmetro do ancorante = diâmetro do furo no suporte de betão diâmetro do parafuso comprimento do ancorante espessura máxima ixável profundidade mínima do furo profundidade de inserção profundidade efectiva de ancoragem diâmetro máximo do furo no elemento a ser ixado medida da chave torque de aperto

d d0

MONTAGEM

Tinst

90° 1

2

500 | ABS | ANCORANTES PARA BETÃO

3

4

5


INSTALAÇÃO c

s

s c hmin

ABS Entre-eixos e distâncias mínimas

10/M6 smin

Entre-eixo mínimo

[mm]

55

110

80

110

145

120

[mm]

70

100

90

para s ≥ [mm]

110

160

175

[mm]

110

120

140

10/M6

12/M8

16/M10

Espessura mínima do suporte de betão

hmin

Entre-eixos e distâncias críticas (1)

[mm]

165

180

210

scr,sp(2)

[mm]

220

320

240

ccr,N(1)

[mm]

85

90

105

ccr,sp(2)

[mm]

110

160

120

scr,N

Entre-eixo crítico Distância crítica da borda

16/M10

para c ≥ [mm] cmin

Distância mínima da borda

12/M8

Para entre-eixos e distâncias inferiores àqueles críticos, haverá reduções nos valores de resistência em razão dos parâmetros de instalação�

VALORES ESTÁTICOS Válidos para uma única ancoragem em ausência de entre-eixos e distâncias da borda, para betão de classe C20/25 de espessura elevada e com armadura esparsa� VALORES CARACTERÍSTICOS BETÃO NÃO FISSURADO tração(3) NRk,p

corte(4) γMp

VRk,s

1,5 1,5 1,5

16,0 25,0 43,0

[kN] 10/M6 12/M8 16/M10

BETÃO FISSURADO tração(3) γMs

[kN]

16,0 16,0 20,0

NRk,p

corte γMp

VRk,s/Rk,cp

1,5 1,5 1,5

15,6 (5) 25,0 (4) 42,2 (5)

[kN] 1,45 1,45 1,45

5 6 16

γMs,Mc

[kN] 1,5 1,45 1,5

factor de incremento para NRk,p(6) Ψc

C30/37 C40/50 C50/60

1,22 1,41 1,55

NOTAS:

PRINCÍPIOS GERAIS:

(1)

Modo de rotura por formação do cone de betão por cargas de tração�

• Os valores característicos são calculados de acordo com ETA-11/0181�

(2)

Modo de rotura por issuração (splitting) por cargas de tração�

• Os valores de projecto são obtidos a partir dos valores característicos, desta forma: Rd = Rk /γ M�

(3)

Modalidade de ruptura por deseniamento (pull-out)�

(4)

Modalidade de ruptura do material de aço (VRk,s)�

(5)

Modo de rotura por destacamento (pry-out, VRk,cp)�

(6)

Fator de incremento para a resistência à tração (excluída a rotura do aço)�

Os coeicientes γ M são apresentados na tabela em função da modalidade de rutura e de acordo com os certiicados de produto� • Para o cálculo de ancorantes com entre-eixos reduzidos, próximos à borda ou para a ixação sobre betão de classe de resistência superior ou de espessura reduzida ou com armadura densa, ver o documento ETA� • Para planear ancoragens submetidas a carga sísmica, consulte o documento ETA de referência e as indicações do EOTA Technical Report 045� • Para o cálculo de ancoragens sob a ação do fogo, consulte a ETA e o Technical Report 020�

ANCORANTES PARA BETÃO | ABS | 501


ABU ANCORANTE PESADO DE EXPANSÃO

• • • • • •

Dotado de porca e anilha acopladas Roscagem longa Aço carbónico electrozincado Fixação do passante Expansão com controlo de par de aperto Idóneo para materiais compactos

CÓDIGOS E DIMENSÕES CÓDIGO ABU895

d = d0

Lt

tix

f

h1,min

df

SW

Tinst

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[Nm]

95

40

55

40

9

13

20

50

115

60

70

40

9

13

20

50

90

30

50

50

12

17

30

50

8

ABU8115 ABU1090 ABU10100

10

pçs

100

40

60

50

12

17

30

50

ABU10120

120

60

70

50

12

17

30

25

ABU1295

95

5

55

65

14

19

80

25

ABU12110

12

ABU12160 ABU14130

14

ABU16125

16

ABU16145

110

30

70

65

14

19

80

25

160

80

110

65

14

19

80

25

130

30

80

90

16

22

100

15

125

20

75

85

18

24

140

15

145

40

95

85

18

24

140

15

d Tinst SW tfix

df

f Lt

h1

d0

502 | ABU | ANCORANTES PARA BETÃO

d d0 Lt t fix f h1 SW T inst

diâmetro do ancorante diâmetro do furo no suporte de betão comprimento do ancorante espessura máxima ixável comprimento da rosca profundidade mínima do furo medida da chave torque de aperto


AHZ ANCORANTE DE PESO MÉDIO • • • • • •

Parafuso 8�8 de cabeça sextavada Anilha aumentada DIN 9021 Aço carbónico electrozincado Fixação do passante Expansão com controlo de par de aperto Idóneo para materiais compactos

CÓDIGOS E DIMENSÕES CÓDIGO

d0

Lt

dparafuso

tix

h1,min

df

SW

Tinst

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[Nm]

8

70

M6

30

40

10

10

15

100

80

M8

30

50

12

13

20

50

10

100

M8

50

50

12

13

20

50

120

M8

70

50

12

13

20

50

12

100

M10

40

60

14

17

35

25

AHZ870 AHZ1080 AHZ10100 AHZ10120 AHZ12100 Tinst

d0 d Lt t fix h1 df SW Tinst

SW df

tfix

Lt

h1

pçs

diâmetro do ancorante = diâmetro do furo no suporte de betão diâmetro do parafuso comprimento do ancorante espessura máxima ixável profundidade mínima do furo diâmetro máximo do furo no elemento a ser ixado medida da chave torque de aperto

d d0

AHS ANCORANTE PESADO PARA FIXAÇÃO NÃO PASSANTE • • • • • •

Parafuso 8�8 de cabeça sextavada Anilha aumentada DIN 9021 Aço carbónico electrozincado Fixação não passante Expansão com controlo de par de aperto Idóneo para materiais compactos

CÓDIGOS E DIMENSÕES CÓDIGO

d0

Lt

dparafuso

tix

h1,min

df

SW

Tinst [Nm]

pçs

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

AHS1242

12

42

M6

5

55

7

10

13

50

AHS1450

14

50

M8

8

65

9

13

25

50

AHS1660

16

60

M10

20

85

12

17

50

25

Tinst

SW df

tfix

h1

Lt

d

d0 d Lt t fix h1 df SW T inst

diâmetro do ancorante = diâmetro do furo no suporte de betão diâmetro do parafuso comprimento do ancorante espessura máxima ixável profundidade mínima do furo diâmetro máximo do furo no elemento a ser ixado medida da chave torque de aperto

d0

ANCORANTES PARA BETÃO | AHZ | AHS | 503


NDC

R90

BUCHA PROLONGADA DE NYLON CE COM PARAFUSO

• Uso certiicado para betão issurado e não issurado, alvenaria plena e perfurada (categoria de uso a, b, c) • Resistência ao fogo R90 para Ø10 mm • Ancorante de plástico para uso múltiplo em betão e alvenaria, para aplicações não estruturais • Dotado de parafuso de cabeça de embeber e aço zincado • Fixação do passante

CÓDIGOS E DIMENSÕES CÓDIGO

d0

Lt

d v x Lv

tix

h1,min

hef

df

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

ponteira

pçs

NDC880

80

5,5 x 85

10

80

70

8,5

TX30

50

NDC8100

100

5,5 x 105

30

80

70

8,5

TX30

50

120

5,5 x 125

50

80

70

8,5

TX30

50

NDC8140

140

5,5 x 145

70

80

70

8,5

TX30

50

NDC10100

100

7 x 105

30

80

70

10,5

TX40

50

NDC10120

120

7 x 125

50

80

70

10,5

TX40

50

8

NDC8120

NDC10140

140

7 x 145

70

80

70

10,5

TX40

25

160

7 x 165

90

80

70

10,5

TX40

25

NDC10200

200

7 x 205

130

80

70

10,5

TX40

25

NDC10240

240

7 x 245

170

80

70

10,5

TX40

20

10

NDC10160

tfix

df Lt hef

h1

d0 Lt d v x Lv t fix h1 hef df

diâmetro do ancorante = diâmetro do furo no suporte de betão comprimento do ancorante diâmetro do parafuso x comprimento do parafuso espessura máxima ixável profundidade mínima do furo profundidade efectiva de ancoragem diâmetro máximo do furo no elemento a ser ixado

d0

MONTAGEM

1

2

504 | NDC | ANCORANTES PARA BETÃO

3

4

5


INSTALAÇÃO

s1 s2 s

s

c s1

s

hmin

NDC Entre-eixos e distâncias mínimas sobre betão

Ø8 betão C12/15

Entre-eixo mínimo

betão ≥ C16/20 betão C12/15

Distância mínima da borda

betão ≥ C16/20 betão C12/15 betão ≥ C16/20

Distância crítica da borda Espessura mínima do suporte de betão

smin

[mm]

cmin

[mm]

ccr,N

[mm]

hmin

[mm]

Ø10

70

85

50

60

70

70

50

50

100 70 100

140 100 100

Para entre-eixos e distâncias inferiores àqueles críticos, haverá reduções nos valores de resistência em razão dos parâmetros de instalação� NDC Entre-eixos e distâncias sobre alvenaria

Ø8

Ø10

Distância mínima da borda

cmin

[mm]

100

Entre-eixo unitário mínimo para ancorante

smin

[mm]

250

s1 ,min s2 ,min

[mm] [mm]

200 400

Entre-eixo mínimo do grupo de ancorantes perpendicular à borda livre Entre-eixo mínimo para grupo de ancorantes paralelo à borda livre tijolo cheio EN 771-1

115

tijolo cheio em arenito calcário EN 771-2

115 hmin

laterício com furos verticais EN 771-1 (ex�: Doppio Uni)

Espessura mínima do suporte

[mm]

115

tijolo furado EN 771-1 (560 x 200 x 274 mm)

200

tijolo furado em arenito calcário DIN106 / EN 771-2

240

VALORES ESTÁTICOS SOBRE BETÃO(1) Válidos para um único ancorante em ausência de entre-eixos e distâncias da borda, para betão de espessura elevada� VALORES CARACTERÍSTICOS tração(2) NRk,p

corte(3) γMc

[kN]

VRk,s

γMs

[kN]

C12/15

≥ C16/20

Ø8

1,2

2,0

1,8

4,8

1,25

Ø10

2,0

3,0

1,8

6,4

1,5

NOTAS:

PRINCÍPIOS GERAIS:

(1)

Para o cálculo de ancorantes sobre alvenaria, ver documento ETA�

• Os valores característicos são calculados de acordo com ETA-12/0261�

(2)

Modalidade de ruptura por deseniamento (pull-out)�

(3)

Modalidade de ruptura do material de aço (parafuso)�

• Os valores de projecto são obtidos a partir dos valores característicos, desta forma: Rd=Rk /γ M � Os coeicientes γ M constam de tabela e estão de acordo com os certiicados de produto� • Para o cálculo de ancorantes com entre-eixos reduzidos ou próximos à borda, ou para a ixação de grupos de ancorantes, ver documento ETA�

ANCORANTES PARA BETÃO | NDC | 505


NDS BUCHA PROLONGADA COM PARAFUSO • • • •

Ancorante de plástico para aplicações sobre tijolo semi-cheio e furado Fixação do passante Dotado de parafuso 5�8 de cabeça de embeber e aço zincado Aletas anti-rotação

CÓDIGOS E DIMENSÕES CÓDIGO

d0

Lt

[mm]

d v x Lv

tix

h1,min [mm]

ponteira

pçs

[mm]

[mm]

[mm]

NDS10100

100

7 x 105

25

85

TX40

25

NDS10120

120

7 x 125

45

85

TX40

25

10

NDS10140

140

7 x 145

65

85

TX40

25

NDS10160

160

7 x 165

85

85

TX40

25

NDS10200

200

7 x 205

125

85

TX40

25

NDB BUCHA DE PANCADA COM PARAFUSO EM FORMA DE PREGO • Bucha de plástico com colarinho escareado • Fixação do passante • Dotado de parafuso em forma de prego de cabeça de embeber e aço zincado

CÓDIGOS E DIMENSÕES CÓDIGO

d0

Lt

d v x Lv

tix

h1,min

hef

dk

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

NDB640

ponteira

pçs 200

40

3,8 x 45

10

30

27

10,0

PZ 2

55

3,8 x 60

25

30

27

10,0

PZ 2

100

NDB667

67

3,8 x 72

37

30

27

10,0

PZ 2

100

NDB860

60

4,8 x 65

25

40

35

12,2

PZ 3

100

NDB875

75

4,8 x 80

40

40

35

12,2

PZ 3

100

6

NDB655

8

NDB8100

100

4,8 x 105

65

40

35

12,2

PZ 3

50

NDB8120

120

4,8 x 125

85

40

35

12,2

PZ 3

50

NDB8135

135

4,8 x 140

100

40

35

12,2

PZ 3

50

dk tfix

hef

h1

Lt

Lv

dv

d0 Lt d v x Lv t fix h1 hef dk

diâmetro do ancorante = diâmetro do furo no suporte de betão comprimento do ancorante diâmetro do parafuso x comprimento do parafuso espessura máxima ixável profundidade mínima do furo profundidade efectiva de ancoragem diâmetro da cabeça

d0

MONTAGEM

1

2

506 | NDS | NDB | ANCORANTES PARA BETÃO

3

4

5


NDK BUCHA UNIVERSAL DE NYLON CÓDIGOS E DIMENSÕES UNIVERSALE - com argola CÓDIGO

d0

Lt

dparafuso

pçs

[mm]

[mm]

[mm]

NDKU635

6

35

4-5

100

NDKU850

8

50

4,5 - 6

100

NDKU1060

10

60

6-8

50

pçs

GL - 4 sectores CÓDIGO

d0

Lt

dparafuso

[mm]

[mm]

[mm]

8

40

4,5 - 6

100

NDKG1260

12

60

8 - 10

50

NDKG1470

14

70

10 - 12

25

pçs

NDKG840

NDL BUCHA UNIVERSAL DE NYLON PROLONGADA CÓDIGOS E DIMENSÕES CÓDIGO

d0

Lt

dtira-fundo

[mm]

[mm]

[mm]

160

10

25

12

200

10

25

240

10

25

100

12

50

130

12

50

NDL14160

160

12

25

NDL16140

140

12

25

NDL16160

160

12

20

200

12

20

240

12

20

NDL12160 NDL12200 NDL12240 NDL14100 NDL14130

NDL16200 NDL16240

14

16

Ø12 - Ø14

Ø16

ANCORANTES PARA BETÃO | NDK | NDL | 507


MBS PARAFUSO AUTO-ROSCANTE DE CABEÇA CILÍNDRICA PARA CONSTRUÇÃO EM ALVENARIA DE TIJOLO • • • • • •

Aço carbónico electrozincado Idóneo para materiais compactos e semi-cheios Fixação de fechos e batentes (diâmetro da cabeça = 8 mm) Rápida instalação Forças de expansão reduzidas no suporte Fixação do passante

CÓDIGOS E DIMENSÕES CÓDIGO

d

L

dk

d0

df

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

MBS7572

72

8

6

MBS7592

92

8

6

MBS75112

112

8

132

MBS75152 MBS75182

MBS75132

7,5

ponteira

pçs

6,2

TX30

100

6,2

TX30

100

6

6,2

TX30

100

8

6

6,2

TX30

100

152

8

6

6,2

TX30

100

182

8

6

6,2

TX30

100

Disponível também com cabeça de embeber plana: ideal para a fixação de perfis de PVC e alumínio� dk df

hnom

d dk d0 df hnom

diâmetro do parafuso diâmetro da cabeça diâmetro do pré-furo em betão/alvenaria diâmetro do furo no elemento a ixar profundidade de ancoragem nominal

d d0

VALORES ESTÁTICOS RESISTÊNCIA À EXTRAÇÃO Tipo de suporte

hnom,min

Nrec

[mm]

[kN]

Betão Tijolo cheio Tijolo furado Betão aligeirado

30

0,76

40

0,29

80

1,79

40

0,05

60

0,21

80

0,12

MONTAGEM SOBRE ALVENARIA

1

2

508 | MBS | ANCORANTES PARA BETÃO

3

4


VIN-FIX

SEISMIC C2

ANCORANTE QUÍMICO À BASE DE VINILÉSTER SEM ESTIRENO

• • • • • • •

CE opção 1 para betão issurado e não issurado Categoria de prestação sísmica C2 (M12-M16) Conforme os requisitos LEED ®, IEQ Credit 4�1 Classe A+ de emissão de compostos orgânicos voláteis (VOC) em ambientes habitados Betão seco ou húmido Betão com furos submersos Sem estireno

CÓDIGOS E DIMENSÕES CÓDIGO

formato

pçs

[ml] FIX300

300

12

FIX420

420

12

Vencimento a partir da data de produção: 12 meses para 300 ml, 18 meses para 420 ml� Temperatura de armazenagem compreendida entre +5 e +25 °C�

PRODUTOS ADICIONAIS - ACESSÓRIOS tipo

descrição

formato

pçs

MAM400

pistola para cartuchos

420

1

FLY

pistola para cartuchos

300

1

STING

bico

-

12

PONY

bomba de assopro

-

1

[ml]

MONTAGEM +20°C 45min

Tinst

hef

1

2

3

4

5

6

ANCORANTES PARA BETÃO | VIN-FIX | 509


INSTALAÇÃO CARATERÍSTICAS GEOMÉTRICAS DE MONTAGEM EM BETÃO | BARRAS ROSCADAS c

s

s c hmin

d

[mm]

M8

M10

M12

M16

M20

M24

d0

[mm]

10

12

14

18

24

28

hef,min

[mm]

60

60

70

80

90

96

hef,max

[mm]

160

200

240

320

400

480

df

[mm]

9

12

14

18

22

26

Tinst

[Nm]

10

20

40

80

120

160

M8

M10

M12

M16

M20

M24

Entre-eixo mínimo

smin

[mm]

40

50

60

80

100

120

Distância mínima da borda

cmin

[mm]

40

50

60

80

100

120

Espessura mínima do suporte de betão

hmin

[mm]

hef + 30 ≥ 100 mm

hef + 2 d0

Para entre-eixos e distâncias inferiores àqueles críticos, haverá reduções nos valores de resistência em razão dos parâmetros de instalação� Tinst tfix

df

d d0 hef df Tinst L t fix h1

L hef

h1

diâmetro do ancorante diâmetro do furo no suporte de betão profundidade efectiva de ancoragem diâmetro do furo no elemento a ixar máxima torque de aperto comprimento do ancorante espessura máxima ixável profundidade mínima do furo

d d0

TEMPOS E TEMPERATURAS DE MONTAGEM temperatura do suporte

tempo de manufacturabilidade

espera de aplicação da carga

-5 ÷ -1 °C

90 min

6h

0 ÷ +4 °C

45 min

3h

+5 ÷ +9 °C

25 min

2h

20 min

100 min

15 min

80 min

+20 ÷ +29 °C

6 min

45 min

+30 ÷ +34 °C

4 min

25 min

+35 ÷ +39 °C

2 min

20 min

+10 ÷ +14 °C +15 ÷ +19 °C

temperatura do cartucho

+5 ÷ +40 °C

Classiicação componente A: Eye Irrit� 2; Skin Sens� 1�

510 | VIN-FIX | ANCORANTES PARA BETÃO

Classiicação componente B: Eye Irrit� 2; Skin Sens� 1�


LEED ®

VIN-FIX PRO

According to LEED® IEQ 4.1

F120

SEISMIC C1

ANCORANTE QUÍMICO À BASE DE VINILÉSTER SEM ESTIRENO

• • • • • • • • • •

CE opção 1 para betão issurado e não issurado Uso certiicado para alvenaria (categoria de uso c, w/d) Categoria de prestação sísmica C1 (M12-M24) Certiicação de resistência ao fogo F120 Conforme os requisitos LEED ®, IEQ Credit 4�1 Classe A+ de emissão de compostos orgânicos voláteis (VOC) em ambientes habitados Betão seco ou húmido Betão com furos submersos (M8-M16) Não gera tensões no suporte Sem estireno - inodor

CÓDIGOS E DIMENSÕES CÓDIGO

formato

pçs

[ml] VIN300

300

12

VIN410

410

12

Vencimento a partir da data de produção: 12 meses para 300 ml, 18 meses para 410 ml� Temperatura de armazenagem compreendida entre +5 e +25 °C�

PRODUTOS ADICIONAIS - ACESSÓRIOS tipo

descrição

formato

pçs

MAM400

pistola para cartuchos

410

1

FLY

pistola para cartuchos

300

1

STING

bico

-

12

PONY

bomba de assopro

-

1

[ml]

MONTAGEM +20°C 50 min

Tinst

hef

1

2

3

4

5

6

ANCORANTES PARA BETÃO | VIN-FIX PRO | 511


INSTALAÇÃO CARATERÍSTICAS GEOMÉTRICAS DE MONTAGEM EM BETÃO | BARRAS ROSCADAS (TIPO INA ou MGS)

s

c

s c hmin

d

[mm]

M8

M10

M12

M16

M20

M24

M27

M30

d0

[mm]

10

12

14

18

22

26

30

35

hef,min

[mm]

64

80

96

128

160

192

216

240

hef,max

[mm]

160

200

240

320

400

480

540

600

df

[mm]

9

12

14

18

22

26

30

33

Tinst

[Nm]

10

20

40

80

150

200

240

275

M8

M10

M12

M16

M20

M24

M27

M30

Entre-eixo mínimo

smin

[mm]

hef / 2

Distância mínima da borda

cmin

[mm]

hef / 2

Espessura mínima do suporte de betão

hmin

[mm]

hef + 30 ≥ 100 mm

hef + 2 d0

Para entre-eixos e distâncias inferiores àqueles críticos, haverá reduções nos valores de resistência em razão dos parâmetros de instalação�

Tinst tfix

df L hef

h1

d d0 hef df Tinst L t fix h1

diâmetro do ancorante diâmetro do furo no suporte de betão profundidade efectiva de ancoragem diâmetro máximo do furo no elemento a ser ixado torque de aperto comprimento do ancorante espessura máxima ixável profundidade mínima do furo

d d0

TEMPOS E TEMPERATURAS DE MONTAGEM temperatura do suporte

temperatura do cartucho

tempo de manufacturabilidade

espera de aplicação da carga suporte enxuto

suporte húmido

-10 ÷ +4 °C *

20 min *

24 h *

48 h *

+5 ÷ +9 °C

10 min

145 min

290 min

6 min

85 min

170 min

+20 ÷ +29 °C

4 min

50 min

100 min

+30 °C

4 min

40 min

80 min

+10 ÷ +19 °C

+5 ÷ +20 °C

* utilização não incluída na certificação�

512 | VIN-FIX PRO | ANCORANTES PARA BETÃO


VALORES ESTÁTICOS CARACTERÍSTICOS Válidos para uma única barra roscada (tipo INA ou MGS) em ausência de entre-eixos e distâncias da borda, para betão C20/25 de espessura elevada e com armadura esparsa� BETÃO NÃO FISSURADO(1) TRAÇÃO barra

hef,padrão

M8 M10 M12 M16 M20 M24 M27 M30

[mm] 80 90 110 128 170 210 240 270

NRk,p(2) [kN] aço 5.8 17,1 28,3 39,4 57,9 90,8 126,7 132,3 140,0

aço 8.8 17,1 28,3 39,4 57,9 90,8 126,7 132,3 140,0

γMp

1,8

2,1

NRk,s/Rk,p(3) [kN]

hef,max γMp

1,8

2,1

[mm] 160 200 240 320 400 480 540 600

aço 5.8 18,0 29,0 42,0 78,0 122,0 176,0 297,7 311,0

γM

γ Ms = 1,5

γ Mp = 2,1

aço 8.8 29,0 46,0 67,0 144,8 213,6 289,5 297,7 311,0

γM γ Ms = 1,5

γ Mp = 1,8 γ Mp = 2,1

CORTE barra M8 M10 M12 M16 M20 M24 M27 M30

VRk,s(4) [kN]

hef [mm]

aço 5.8

≥ 64 ≥ 80 ≥ 96 ≥ 128 ≥ 160 ≥ 192 ≥ 216 ≥ 240

9,0 15,0 21,0 39,0 61,0 88,0 115,0 140,0

γMs

aço 8.8

γMs

1,25

15,0 23,0 34,0 63,0 98,0 141,0 184,0 224,0

1,25

factor de incremento para NRk,p(5) C25/30 C30/37 C40/50 C50/60

Ψc

1,02 1,04 1,08 1,10

BETÃO FISSURADO(1) TRAÇÃO barra M12 M16 M20 M24

NRk,p(2) [kN]

hef,padrão [mm]

aço 5.8

110 128 170 210

18,7 29,0 48,1 71,3

NRk,p(2) [kN]

hef,max

γMp

aço 8.8

1,8

18,7 29,0 48,1 71,3

γMp

[mm]

aço 5.8

1,8

240 320 400 480

40,7 72,4 113,1 162,9

γMp

aço 8.8

γMp

1,8

40,7 72,4 113,1 162,9

1,8

γMs

aço 8.8

γMs

1,25

34,0 63,0 98,0 141,0

1,25

CORTE barra M12 M16 M20 M24

VRk [kN]

hef,padrão [mm]

aço 5.8

110 128 170 210

21,0 39,0 61,0 88,0

γMs

1,25

(4)

aço 8.8

γMc

[mm]

aço 5.8

37,3 57,9 96,1 142,5

1,5 (6)

240 320 400 480

21,0 39,0 61,0 88,0

NOTAS: (1)

VRk,s(4) [kN]

hef,max

Para o cálculo de ancorantes sobre alvenaria ou para a utilização de barras de aderência melhorada, ver documento ETA de referência�

(2)

Modalidade de ruptura por deseniamento e ruptura do cone de betão (pull-out and concrete cone failure)�

(3)

Modalidade de ruptura do material de aço para barra de classe 5�8 e variável para barra de classe 8�8 (material de aço / pull-out)�

(4)

Modalidade de ruptura do material de aço�

(5)

Fator de incremento para a resistência à tração (excluindo rutura do material em aço), válido tanto em presença de betão não issurado como issurado�

(6)

Modo de rotura por destacamento (pry-out)�

Classiicação componente A: Eye Irrit� 2; Skin Sens� 1; Aquatic Chronic 3� Classiicação componente B: Eye Irrit� 2; Skin Sens� 1; Aquatic Acute 1; Aquatic Chronic 1�

PRINCÍPIOS GERAIS: • Os valores característicos são calculados de acordo com ETA-16/0600� • Os valores de projecto são obtidos a partir dos valores característicos, desta forma: Rd = Rk /γ M � Os coeicientes γ M são apresentados na tabela em função da modalidade de rutura e de acordo com os certiicados de produto� • Para o cálculo de ancorantes com entre-eixos reduzidos, próximos à borda ou para a ixação sobre betão de classe de resistência superior ou de espessura reduzida ou com armadura densa, ver o documento ETA� • Para a projectação de ancorantes submetidos a uma carga sísmica, ver documento ETA de referência e o que consta de ETAG 001 Anexo E e TR045� • Para mais detalhes sobre os diâmetros cobertos por vários tipos de certiicação (betão issurado, não issurado, aplicação sísmica, alvenaria), ver os documentos ETA de referência�

ANCORANTES PARA BETÃO | VIN-FIX PRO | 513


LEED ®

VIN-FIX PRO NORDIC

According to LEED® IEQ 4.1

SEISMIC C1

ANCORANTE QUÍMICO DE VINILÉSTER PARA BAIXAS TEMPERATURAS • • • • • • • • •

CE opção 1 para betão issurado e não issurado Uso certiicado para alvenaria (categoria de uso c, w/d) Categoria de prestação sísmica C1 (M12-M24) Aplicação e manufactura até - 10 °C Conforme os requisitos LEED ®, IEQ Credit 4�1 Betão seco ou húmido Betão com furos submersos Não gera tensões no suporte Sem estireno - inodor

CÓDIGOS E DIMENSÕES CÓDIGO

formato

pçs

[ml] VIN410N

410

12

Vencimento a partir da data de produção: 18 meses� Temperatura de armazenagem compreendida entre 0 e +25 °C�

PRODUTOS ADICIONAIS - ACESSÓRIOS tipo

descrição

MAM400

pistola para cartuchos

STING PONY

formato

pçs

[ml] 410

1

bico

-

12

bomba de assopro

-

1

MONTAGEM +10°C 1h

Tinst

hef

1

2

3

514 | VIN-FIX PRO NORDIC | ANCORANTES PARA BETÃO

4

5

6


INSTALAÇÃO CARATERÍSTICAS GEOMÉTRICAS DE MONTAGEM EM BETÃO | BARRAS ROSCADAS (TIPO INA ou MGS)

c

s

s c hmin

d

[mm]

M8

M10

M12

M16

M20

M24

M27

M30

d0

[mm]

10

12

14

18

22

26

30

35

hef,min

[mm]

64

80

96

128

160

192

216

240

hef,max

[mm]

160

200

240

320

400

480

540

600

df

[mm]

9

12

14

18

22

26

30

33

Tinst

[Nm]

10

20

40

80

150

200

240

275

M8

M10

M12

M16

M20

M24

M27

M30

Entre-eixo mínimo

smin

[mm]

hef / 2

Distância mínima da borda

cmin

[mm]

hef / 2

Espessura mínima do suporte de betão

hmin

[mm]

hef + 30 ≥ 100 mm

hef + 2 d0

Para entre-eixos e distâncias inferiores àqueles críticos, haverá reduções nos valores de resistência em razão dos parâmetros de instalação�

Tinst tfix

df L hef

h1

d d0 hef df Tinst L t fix h1

diâmetro do ancorante diâmetro do furo no suporte de betão profundidade efectiva de ancoragem diâmetro máximo do furo no elemento a ser ixado torque de aperto comprimento do ancorante espessura máxima ixável profundidade mínima do furo

d d0

TEMPOS E TEMPERATURAS DE MONTAGEM temperatura do suporte

temperatura do cartucho

tempo de manufacturabilidade

espera de aplicação da carga suporte enxuto

suporte húmido

-20 ÷ -11 °C*

45 min *

35 h *

70 h *

-10 ÷ -6 °C

35 min

12 h

24 h

15 min

5h

10 h

10 min

2,5 h

5h

+5 ÷ +9 °C

6 min

80 min

160 min

+10 °C

6 min

60 min

120 min

-5 ÷ -1 °C 0 ÷ +4 °C

0 ÷ +20 °C

* utilização não incluída na certificação�

ANCORANTES PARA BETÃO | VIN-FIX PRO NORDIC | 515


VALORES ESTÁTICOS CARACTERÍSTICOS Válidos para uma única barra roscada (tipo INA ou MGS) em ausência de entre-eixos e distâncias da borda, para betão C20/25 de espessura elevada e com armadura esparsa� BETÃO NÃO FISSURADO (1) TRAÇÃO barra M8 M10 M12 M16 M20 M24 M27 M30

NRk,p(2) [kN]

hef,padrão [mm]

aço 5.8

80 90 110 128 170 210 240 270

17,1 28,3 39,4 57,9 90,8 126,7 132,3 140,0

aço 8.8

γMp

17,1 28,3 39,4 57,9 90,8 126,7 132,3 140,0

1,8

2,1

γMp

1,8

2,1

CORTE barra M8 M10 M12 M16 M20 M24 M27 M30

VRk,s(3) [kN]

hef [mm]

aço 5.8

≥ 64 ≥ 80 ≥ 96 ≥ 128 ≥ 160 ≥ 192 ≥ 216 ≥ 240

9,0 15,0 21,0 39,0 61,0 88,0 115,0 140,0

γMs

aço 8.8

γMs

1,25

15,0 23,0 34,0 63,0 98,0 141,0 184,0 224,0

1,25

γMp

aço 8.8

γMp

1,8

18,7 29,0 48,1 71,3

1,8

BETÃO FISSURADO(1) TRAÇÃO barra M12 M16 M20 M24

NRk,p(2) [kN]

hef,padrão [mm]

aço 5.8

110 128 170 210

18,7 29,0 48,1 71,3

CORTE barra M12 M16 M20 M24

VRk [kN]

hef,padrão [mm]

aço 5.8

110 128 170 210

21,0 39,0 61,0 88,0

γMs

1,25

(3)

aço 8.8

γMc

37,3 57,9 96,1 142,5

1,5 (5)

NOTAS: (1)

(2)

Para o cálculo de ancorantes sobre alvenaria ou para a utilização de barras de aderência melhorada, ver documento ETA de referência� Modalidade de ruptura por deseniamento e ruptura do cone de betão (pull-out and concrete cone failure)�

(3)

Modalidade de ruptura do material de aço�

(4)

Fator de incremento para a resistência à tração (excluindo rutura do material em aço), válido tanto em presença de betão não issurado como issurado�

(5)

Modo de rotura por destacamento (pry-out)�

Classiicação componente A: Flam� Liq� 3; Eye Irrit� 2; Skin Sens� 1; Aquatic Chronic 3� Classiicação componente B: Eye Irrit� 2; Skin Sens� 1; Aquatic Acute 1; Aquatic Chronic 1�

516 | VIN-FIX PRO NORDIC | ANCORANTES PARA BETÃO

factor de incremento para NRk,p(4)

Ψc

C25/30 C30/37 C40/50 C50/60

1,02 1,04 1,08 1,10

PRINCÍPIOS GERAIS: • Os valores característicos são calculados de acordo com ETA-16/0600� • Os valores de projecto são obtidos a partir dos valores característicos, desta forma: Rd = Rk /γ M � Os coeicientes γ M são apresentados na tabela em função da modalidade de rutura e de acordo com os certiicados de produto� • Para o cálculo de ancorantes com entre-eixos reduzidos, próximos à borda ou para a ixação sobre betão de classe de resistência superior ou de espessura reduzida ou com armadura densa, ver o documento ETA� • Para a projectação de ancorantes submetidos a uma carga sísmica, ver documento ETA de referência e o que consta de ETAG 001 Anexo E e TR045� • Para mais detalhes sobre os diâmetros cobertos por vários tipos de certiicação (betão issurado, não issurado, aplicação sísmica, alvenaria), ver os documentos ETA de referência�


EPO-FIX PLUS

F120

SEISMIC C2

ANCORANTE QUÍMICO EPOXÍDICO DE ALTAS PRESTAÇÕES

• • • • •

CE opção 1 para betão issurado e não issurado Categoria de prestação sísmica C2 (M12-M16-M20) Classe A+ de emissão de compostos orgânicos voláteis (VOC) em ambientes habitados Betão seco ou húmido Betão com furos submersos

CÓDIGOS E DIMENSÕES CÓDIGO

formato

pçs

[ml] EPO385

385

12

Vencimento a partir da data de produção: 24 meses� Temperatura de armazenagem compreendida entre +5 e +25 °C�

PRODUTOS ADICIONAIS - ACESSÓRIOS tipo

descrição

formato

pçs

[ml] MAMDB

pistola para cartuchos duplos

385

1

STING

bico

-

12

PONY

bomba de assopro

-

1

MONTAGEM +20°C 10 h

Tinst

hef

1

2

3

4

5

6

ANCORANTES PARA BETÃO | EPO-FIX PLUS | 517


INSTALAÇÃO CARATERÍSTICAS GEOMÉTRICAS DE MONTAGEM EM BETÃO | BARRAS ROSCADAS (TIPO INA ou MGS)

c

s

s c

hmin

d

[mm]

M8

M10

M12

M16

M20

M24

M27

M30

d0

[mm]

10

12

14

18

22

26

30

35

hef,min

[mm]

60

60

70

80

90

96

108

120

hef,max

[mm]

160

200

240

320

400

480

540

600

df

[mm]

9

12

14

18

22

26

30

33

Tinst

[Nm]

10

20

40

80

120

160

180

200

M8

M10

M12

M16

M20

M24

M27

M30

Entre-eixo mínimo

smin

[mm]

max (hef / 2; 5d)

Distância mínima da borda

cmin

[mm]

max (hef / 2; 5d)

Espessura mínima do suporte de betão

hmin

[mm]

hef + 30 ≥ 100 mm

hef + 2 d0

Para entre-eixos e distâncias inferiores àqueles críticos, haverá reduções nos valores de resistência em razão dos parâmetros de instalação�

Tinst tfix

df

d d0 hef df Tinst L t fix h1

L hef

h1

diâmetro do ancorante diâmetro do furo no suporte de betão profundidade efectiva de ancoragem diâmetro máximo do furo no elemento a ser ixado torque de aperto comprimento do ancorante espessura máxima ixável profundidade mínima do furo

d d0

TEMPOS E TEMPERATURAS DE MONTAGEM espera de aplicação da carga temperatura do suporte

tempo de manufacturabilidade

+5 ÷ +9 °C

suporte enxuto

suporte húmido

120 min

50 h

100 h

+10 ÷ +14 °C

45 min

30 h

60 h

+15 ÷ +19 °C

25 min

18 h

36 h

+20 ÷ +29 °C

12 min

10 h

20 h

+30 ÷ +39 °C

6 min

6h

12 h

+40 °C

5 min

4h

8h

Temperatura de estocagem do cartucho +5 ÷ +25 °C�

518 | EPO-FIX PLUS | ANCORANTES PARA BETÃO


VALORES ESTÁTICOS CARACTERÍSTICOS Válidos para uma única barra roscada (tipo INA ou MGS) em ausência de entre-eixos e distâncias da borda, para betão C20/25 de espessura elevada e com armadura esparsa� BETÃO NÃO FISSURADO(1) TRAÇÃO barra M8 M10 M12 M16 M20 M24 M27 M30

NRk(2) [kN]

hef,padrão [mm]

aço 5.8

80 90 110 128 170 210 240 270

18,0 29,0 42,0 73,1 111,9 153,7 187,8 224,0

NRk,s(2) [kN]

hef,max

aço 8.8

γM

[mm]

aço 5.8

29,0 42,4 58,3 73,1 111,9 153,7 187,8 224,0

γMs = 1,5 γMp = 1,5

160 200 240 320 400 480 540 600

18,0 29,0 42,0 78,0 122,0 176,0 230,0 280,0

γMs

aço 8.8

γMs

1,25

15,0 23,0 34,0 63,0 98,0 141,0 184,0 224,0

1,25

γM γMs = 1,5

γMc = 1,5

γMc = 1,5

γMs

aço 8.8

γMs

1,5

29,0 46,0 67,0 125,0 196,0 282,0 368,0 449,0

1,5

CORTE barra M8 M10 M12 M16 M20 M24 M27 M30

hef,padrão

VRk,s [kN]

[mm]

aço 5.8

80 90 110 128 170 210 240 270

9,0 15,0 21,0 39,0 61,0 88,0 115,0 140,0

BETÃO FISSURADO(1) TRAÇÃO barra M12 M16 M20 M24 M27 M30

NRk(2) [kN]

hef,padrão [mm]

aço 5.8

110 128 170 210 240 270

31,1 41,8 64,1 87,1 112,0 140,0

NRk(2) [kN]

hef,max

γMp

aço 8.8

γMp

[mm]

aço 5.8

1,5

31,1 41,8 64,1 87,1 112,0 140,0

1,5

240 320 400 480 540 600

42,0 78,0 122,0 176,0 230,0 280,0

γMs

aço 8.8

γMs

1,25 (4)

34,0 63,0 98,0 141,0 184,0 224,0

γMs

aço 8.8

γM γ Ms = 1,5

1,5

67,0 104,5 150,8 199,0 251,9 311,0

γ Mp = 1,5

CORTE barra M12 M16 M20 M24 M27 M30

VRk,s(3) [kN]

hef,min [mm]

aço 5.8

110 128 170 210 240 270

21,0 39,0 61,0 88,0 115,0 140,0

NOTAS: (1)

(2)

Para o cálculo de ixações por meio de barras com aderência aumentada, referir-se ao documento ETA de referência� Na tabela são indicados os valores caraterísticos N Rk e o respetivo coeiciente parcial de segurança em função do modo de rotura determinante�

(3)

Modalidade de ruptura do material de aço�

(4)

Fator de incremento para a resistência à tração (excluindo rutura do material em aço), válido tanto em presença de betão não issurado como issurado�

factor de incremento para betão(4) 1,25 Ψc

C25/30 C30/37 C40/50 C50/60

1,02 1,04 1,07 1,09

PRINCÍPIOS GERAIS: • Os valores característicos são calculados de acordo com ETA-17/0347� • Os valores de projecto são obtidos a partir dos valores característicos, desta forma: Rd = Rk /γ M � Os coeicientes γ M constam de tabela e estão de acordo com os certiicados de produto� • Para o cálculo de ancorantes com entre-eixos reduzidos, próximos à borda ou para a ixação sobre betão de classe de resistência superior ou de espessura reduzida ou com armadura densa, ver o documento ETA� • Para a projetação de ancorantes submetidos a uma carga sísmica, consultar o documento de referência ETA e as indiações do TR045�

Classiicação componente A: Skin Irrit� 2; Eye Irrit� 2; Skin Sens� 1; Aquatic Chronic 2� Classiicação componente B: Acute Tox� 4; Skin Corr� 1A; Eye Dam� 1; Skin Sens� 1; Aquatic Chronic 3�

• Para mais detalhes sobre os diâmetros cobertos por vários tipos de certiicação (betão issurado, não issurado, aplicação sísmica), ver os documentos ETA de referência�

ANCORANTES PARA BETÃO | EPO-FIX PLUS | 519


INA BARRA ROSCADA DE CLASSE DE AÇO 5.8 PARA ANCORANTES QUÍMICOS • Dotada de porca (ISO4032) e anilha (ISO7089) • Aço electrogalvanização 5.8

CÓDIGOS E DIMENSÕES CÓDIGO INA8110 INA10110 INA10130 INA12130 INA12180

d

Lt

d0

df

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

M8 M10

M12

INA16160 INA16190

M16

INA16230

pçs

110

10

≤9

10

110

12

≤ 12

10

130

12

≤ 13

10

130

14

≤ 14

10

180

14

≤ 15

10

160

18

≤ 18

10

190

18

≤ 18

10

230

18

≤ 18

10

INA20240

M20

240

24

≤ 22

10

INA24270

M24

270

28

≤ 26

10

INA27400

M27

400

32

≤ 30

10

d0 = diâmetro do furo no suporte / df = diâmetro do furo no elemento a ser fixado

MONTAGEM Tinst

hef 1

2

520 | INA | ANCORANTES PARA BETÃO

3

4

5

6


IHP - IHM BUCHAS PARA MATERIAIS CAVERNOSOS

CÓDIGOS E DIMENSÕES IHP - REDE DE PLÁSTICO CÓDIGO

d0

L

barra

pçs

[mm]

[mm]

[mm]

IHP1685

16

85

M10 (M8)

10

IHP16130

16

130

M10 (M8)

10

IHP2085

20

85

M12/M16

10

pçs

IHM - REDE METÁLICA CÓDIGO

d0

L

barra

[mm]

[mm]

[mm]

12

1000

M8

50

IHM161000

16

1000

M8/M10

50

IHM221000

22

1000

M12/M16

25

IHM121000

MONTAGEM

1

2

3

4

5

6

ANCORANTES PARA BETÃO | IHP - IHM | 521


PARAFUSOS ROSCA MÃ&#x2030;TRICA E BARRAS


PARAFUSOS ROSCA MÃ&#x2030;TRICA E BARRAS


PARAFUSOS ROSCA MÉTRICA E BARRAS KOS PARAFUSO ROSCA MÉTRICA DE CABEÇA SEXTAVADA . . . . . . . 526

KOT PARAFUSO ROSCA MÉTRICA DE CABEÇA REDONDA . . . . . . . . 531

EKS PARAFUSO ROSCA MÉTRICA DE CABEÇA SEXTAVADA . . . . . . . 532

MET BARRAS ROSCADAS, PORCAS E ANILHAS . . . . . . . . . . . . . . . . . . 534

DBB CONECTORES DE SUPERFÍCIE DIN 1052 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 540

ZVB ENGATE PARA CONTRAVENTAMENTOS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 542

PARAFUSOS ROSCA MÉTRICA E BARRAS | 525


KOS

EN 14592

PARAFUSO ROSCA MÉTRICA DE CABEÇA SEXTAVADA • Ligador metálico de haste cilíndrica dotado de marcação CE conforme EN 14592 • Aço carbónico em classe de resistência 8�8 para todos os parafusos rosca métrica de cabeça sextavada (KOS) • Parafuso rosca métrica de cabeça sextavada fornecido com porca integrada (na versão de aço carbónico) • Disponível também em aço inox A2 | AISI304 para aplicações em contacto directo com ambientes exteriores (classe de serviço 3)

CÓDIGOS E DIMENSÕES

KOS

KOS A2

KOS - parafuso rosca métrica de cabeça sextavada com porca com marcação CE Classe de aço 8�8 - electrogalvanizado DIN 601 (ISO 4016*) d

CÓDIGO

[mm] KOS12100B

M12

M16

L

A max

[mm]

[mm]

100

75

pçs

d

CÓDIGO

[mm]

L

A max

pçs

[mm]

[mm]

25

KOS20120B

120

75

10

KOS12120B

120

95

25

KOS20140B

140

95

10

KOS12140B

140

115

25

KOS20160B

160

115

10

KOS12160B

160

135

25

KOS20180B

180

135

10

KOS12180B

180

155

25

KOS20200B

200

155

10

KOS12200B

200

175

25

KOS20220B

220

175

10

KOS12220B

220

195

25

KOS20240B

240

195

10

KOS12240B

240

215

25

KOS20260B

260

215

10

KOS20280B

280

235

10

KOS20300B

300

255

10

KOS12260B

260

235

25

KOS12280B

280

255

25

M20

KOS12300B

300

275

25

KOS20320B

320

275

10

KOS12320B

320

295

25

KOS20340B

340

295

10

KOS12340B

340

315

25

KOS20360B

360

315

10

KOS12360B

360

335

25

KOS20380B

380

335

10

400

355

10

KOS12380B

380

355

25

KOS20400B

KOS12400B

400

375

25

KOS20420B

420

375

10

KOS16140B

140

105

15

KOS20440B

440

395

10

KOS20460B

460

415

10

KOS16160B

160

125

15

KOS16180B

180

145

15

KOS16200B

200

165

15

KOS16220B

220

185

15

KOS16240B

240

205

15

KOS16260B

260

225

15

KOS16280B

280

245

15

KOS16300B

300

265

15

KOS16320B

320

285

15

KOS16340B

340

305

15

KOS16360B

360

325

15

KOS16380B

380

345

15

KOS16400B

400

365

15

KOS16420B

420

385

15

KOS16440B

440

405

15

KOS16460B

460

425

15

KOS16500B

500

465

15

526 | KOS | PARAFUSOS ROSCA MÉTRICA E BARRAS

d

A L

A espessura máxima ixável A é calculada considerando-se a utilização de porca MUT934 e 2 anilhas ULS 440� * A norma ISO 4016 difere da norma DIN 601 para o parâmetro SW no diâmetro M12�


KOS A2 | AISI304 - parafuso rosca métrica de cabeça sextavada

A2

Aço inoxidável A2 | AISI304 DIN 931 (ISO 4014*) d

CÓDIGO

[mm]

M12

M16

AISI 304

L

pçs

[mm]

d

CÓDIGO

L

[mm]

pçs

[mm]

AI60112100

100

25

AI60120160

160

10

AI60112120

120

25

AI60120180

180

10

AI60112140

140

25

AI60120200

200

10

AI60112160

160

10

AI60120220

220

10

AI60112180

180

10

AI60120240

240

10

AI60112200

200

10

AI60120260

260

10

AI60112220

220

10

AI60120280

280

10

M20

AI60112240

240

10

AI60120300

300

5

AI60112260

260

10

AI60120320

320

5

AI60116120

120

25

AI60120340

340

5

AI60116140

140

25

AI60120360

360

5

AI60116150

150

25

AI60120380

380

5

AI60116160

160

10

AI60120400

400

5

AI60116180

180

10

AI60116200

200

10

AI60116220

220

10

AI60116240

240

10

AI60116260

260

10

AI60116280

280

10

AI60116300

300

10

MATERIAL E DURABILIDADE KOS: aço carbónico electrogalvanizado de classe 8�8� Utilização em classes de serviço 1 e 2 (EN 1995-1-1)�

d L

* A norma ISO 4014 difere da norma DIN 931 para o parâmetro SW no diâmetro M12�

FORÇAS Fv

KOS A2 | AISI304: aço inoxidável A2 | AISI304� Utilização em classes de serviço 3 (EN 1995-1-1)� Fax

CAMPOS DE EMPREGO • Ligações madeira-madeira • Ligações madeira-aço

PARAFUSOS ROSCA MÉTRICA E BARRAS | KOS | 527


GEOMETRIA E CARACTERÍSTICAS MECÂNICAS | KOS Diâmetro nominal

d

[mm]

M12

M16

M20

SW

[mm]

19

24

30

Espessura da cabeça

k

[mm]

7,5

10,0

12,5

[mm]

L ≤ 125 mm

30

38

46

Comprimento da rosca

b

[mm]

125 < L ≤ 200 mm

36

44

52

[mm]

L > 200 mm

49

57

65

8.8

8.8

8.8

Chave

SW k

L

Geometria em conformidade com as normas DIN 601 (ISO 4016) e DIN 931 (ISO 4014). aço Material

fu,k

[N/mm ]

800

800

800

fy,k

[N/mm2]

640

640

640

My,k

[Nmm]

153000

2

b

d Momento de cedência característico

324000 579000

Parâmetros mecânicos de acordo com a marcação CE conforme EN 14592.

DISTÂNCIAS MÍNIMAS PARA CONECTORES SOB TENSÃO AO CORTE(1)

Ângulo entre força e ibras α = 0°

Ângulo entre força e ibras α = 90°

12

16

20

12

16

20

60

80

100

48

64

80

a1

[mm]

a2

[mm]

48

64

80

48

64

80

a3,t

[mm]

84

112

140

84

112

140

a3,c

[mm]

48

64

80

84

112

140

a4,t

[mm]

36

48

60

48

64

80

a4,c

[mm]

36

48

60

36

48

60

extremidade sob tensão -90° < α < 90°

a2 a2

extremidade sem tensão 90° < α < 270°

F α

α F

a1 a1

a3,t

NOTAS: (1)

As distâncias mínimas são conforme a norma EN 1995-1-1.

528 | KOS | PARAFUSOS ROSCA MÉTRICA E BARRAS

a3,c

borda sob tensão 0° < α < 180°

borda sem tensão 180° < α < 360°

α F α

a4,t

F a4,c


VALORES ESTÁTICOS | KOS NÓ COM 3 ELEMENTOS DE MADEIRA

α

ta

t1

ta

B d

L

ta

t1

Rvk,0°

Rvk,30°

Rvk,45°

Rvk,60°

Rvk,90°

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[kN]

[kN]

[kN]

[kN]

[kN]

12

16

20

220

60

60

20,0

20,0

20,0

19,3

18,5

240

60

80

22,5

21,2

20,2

19,3

18,5 18,5

260

60

100

22,5

21,2

20,2

19,3

280

60

120

22,5

21,2

20,2

19,3

18,5

300

80

100

26,0

24,3

22,9

21,7

20,7

320

80

120

26,0

24,3

22,9

21,7

20,7

340

80

140

26,0

24,3

22,9

21,7

20,7

360

80

160

26,0

24,3

22,9

21,7

20,7

≥ 380

-

-

26,8

26,1

25,4

24,4

23,2

280

80

80

33,9

33,9

33,8

32,2

30,5

300

80

100

38,1

35,7

33,8

32,2

30,5

320

80

120

38,1

35,7

33,8

32,2

30,5

340

80

140

38,1

35,7

33,8

32,2

30,5

360

80

160

38,1

35,7

33,8

32,2

30,5

380

100

140

42,7

39,6

37,2

35,2

33,5

400

100

160

42,7

39,6

37,2

35,2

33,5

420

100

180

42,7

39,6

37,2

35,2

33,5

440

100

200

42,7

39,6

37,2

35,2

33,5

460

120

180

44,7

43,3

40,9

38,5

36,4

500

120

220

44,7

43,3

40,9

38,5

36,4

380

100

120

55,8

51,9

48,9

46,4

44,0

400

100

140

55,8

51,9

48,9

46,4

44,0

420

100

160

55,8

51,9

48,9

46,4

44,0

440

100

180

55,8

51,9

48,9

46,4

44,0

460

120

160

61,2

56,4

52,7

49,7

47,2

PRINCÍPIOS GERAIS: • Os valores característicos são conforme a norma EN 1995-1-1

• A dimensão e a veriicação dos elementos de madeira devem ser feitas à parte�

• Os valores de projeto são obtidos a partir dos valores característicos, desta forma:

• O cálculo foi efetuado tendo em conta o efeito oco do parafuso rosca métrica com anilhas DIN 9021�

Rd =

Rk kmod γM

• O ângulo de inclinação indicado para Rvk refere-se aos dois elementos externos�

Os coeicientes γ M e kmod devem ser considerados em função da norma vigente utilizada para o cálculo� • Em fase de cálculo, considerou-se uma massa volúmica dos elementos de madeira equivalente a ρ k = 385 kg/m3 �

PARAFUSOS ROSCA MÉTRICA E BARRAS | KOS | 529


VALORES ESTÁTICOS | KOS NÓ COM 2 PONTEIRAS METÁLICAS NUM ELEMENTO DE MADEIRA

α

t ta

t t1

ta

B d

L

B

ta

t1

Rvk,0°

Rvk,30°

Rvk,45°

Rvk,60°

Rvk,90°

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[kN]

[kN]

[kN]

[kN]

[kN]

140

100

29

45

34,3

30,3

27,1

24,6

22,4

160

120

39

45

39,1

36,0

32,4

29,3

26,8

12

16

20

180

140

39

65

45,8

41,9

37,7

34,1

31,2

200

160

39

85

50,9

47,8

43,0

38,9

35,5

220

180

49

85

52,0

48,6

44,6

41,4

38,7

240

200

49

105

52,0

48,9

46,4

44,3

42,6

260

220

59

105

53,6

50,2

47,5

45,2

43,3

280

240

59

125

53,6

50,2

47,5

45,2

43,3

140

100

29

35

39,5

34,4

30,5

27,4

24,8

160

120

29

55

47,9

41,8

37,0

33,2

30,2

180

140

39

55

56,4

49,2

43,6

39,1

35,5

200

160

39

75

64,9

56,6

50,1

45,0

40,8 46,2

220

180

39

95

73,4

64,0

56,7

50,9

240

200

49

95

80,5

71,4

63,2

56,8

51,5

260

220

59

95

81,7

73,7

67,5

62,5

56,8

280

240

59

115

86,1

80,7

74,0

68,4

62,2 31,5

160

100

28

47

52,0

44,8

39,3

35,0

180

120

29

65

62,1

53,4

46,9

41,8

37,7

200

140

29

85

72,2

62,1

54,5

48,6

43,8

220

160

39

85

82,3

70,8

62,1

55,4

49,9

240

180

49

85

92,4

79,5

69,8

62,1

56,0

260

200

49

105

102,5

88,2

77,4

68,9

62,1

280

220

59

105

111,2

96,9

85,0

75,7

68,3

300

240

59

125

121,3

105,6

92,6

82,5

74,4

COEFICIENTE CORRETIVO kF PARA DIFERENTES MASSAS VOLÚMICAS ρk Classe de resistência

C24

GL22h

C30

GL24h

C40 / GL32c

GL28h

D24

D30

ρk [kg/m3]

350

370

380

385

400

425

485

530

kF

0,91

0,96

0,99

1,00

1,02

1,04

1,17

1,23

Para diferentes massas volúmicas ρk, a resistência de projecto do lado da madeira é calculada como: R'v,d = Rv,d · kF � PRINCÍPIOS GERAIS: • Os valores característicos são conforme a norma EN 1995-1-1 • Os valores de projeto são obtidos a partir dos valores característicos, desta forma:

Rd =

Rk kmod γM

Os coeicientes γ M e kmod devem ser considerados em função da norma vigente utilizada para o cálculo� • Os valores fornecidos são calculados com chapas de 5 mm de espessura e uma fresagem na madeira com espessura de 6 mm e relativos a um único parafuso rosca métrica KOS�

530 | KOS | PARAFUSOS ROSCA MÉTRICA E BARRAS

• Em fase de cálculo, considerou-se uma massa volúmica dos elementos de madeira equivalente a ρ k = 385 kg/m3 � • A dimensão e a veriicação dos elementos de madeira devem ser feitas à parte� • O cálculo foi efetuado tendo em conta o efeito oco do parafuso rosca métrica com anilhas DIN 9021� • O ângulo de inclinação indicado para Rvk refere-se aos dois elementos externos�


KOT PARAFUSO ROSCA MÉTRICA DE CABEÇA REDONDA • Parafuso rosca métrica de cabeça redonda fornecido com porca integrada (na versão de aço carbónico) • Aço carbónico em classe de resistência 4�8 para todos os parafusos rosca métrica de cabeça sextavada (KOT) • Disponível também em aço inox A2 | AISI304 para aplicações em contacto directo com ambientes exteriores (classe de serviço 3)

CÓDIGOS E DIMENSÕES

KOT

KOT A2

KOT - Parafuso rosca métrica de cabeça redonda com porca Classe de aço 4�8 - electrogalvanizado DIN 603 (ISO 8677) d

CÓDIGO

[mm]

M8

M10

L

pçs

[mm] KOT850 KOT860 KOT870 KOT880 KOT890 KOT8100 KOT8120 KOT8140 KOT10100 KOT10120 KOT10130 KOT10140 KOT10150 KOT10160 KOT10180 KOT10200 KOT10220

50 60 70 80 90 100 120 140 100 120 130 140 150 160 180 200 220

d

CÓDIGO

L

[mm] 200 200 200 200 200 100 100 50 100 50 50 50 50 50 50 50 50

M12

pçs

[mm] KOT12200 KOT12220 KOT12240 KOT12260 KOT12280 KOT12300

200 220 240 260 280 300

25 25 25 25 25 25

d L

KOT A2 | AISI304 - Parafuso rosca métrica de cabeça redonda

A2

Aço inoxidável A2 | AISI304 DIN 603 (ISO 8677) d

CÓDIGO

[mm]

M8

M10

AISI 304

L

pçs

[mm] AI603850 AI603860 AI603870 AI603880 AI603890 AI6038100 AI6038120 AI6038140 AI60310120 AI60310130 AI60310140 AI60310150 AI60310160 AI60310180 AI60310200 AI60310220

50 60 70 80 90 100 120 140 120 130 140 150 160 180 200 220

d

CÓDIGO

L

[mm] 100 100 50 50 50 50 50 50 50 50 50 50 50 50 50 50

M12

pçs

[mm] AI60312140 AI60312160 AI60312180 AI60312200 AI60312220 AI60312240 AI60312280 AI60312300

140 160 180 200 220 240 280 300

50 50 50 50 50 50 50 50

d L

PARAFUSOS ROSCA MÉTRICA E BARRAS | KOT | 531


EKS PARAFUSO ROSCA MÉTRICA DE CABEÇA SEXTAVADA Classe de aço 8�8 - electrogalvanizado DIN 933 (ISO 4017) - rosca total (•) DIN 931 (ISO 4014) - rosca parcial (• •)

CÓDIGOS E DIMENSÕES d

CÓDIGO

rosca

[mm] EKS2040 EKS2050 M20

EKS2060 EKS2070 EKS2080 EKS20100 EKS2440 EKS2450 EKS2460

M24

L

pçs

[mm]

EKS2465 EKS2470 EKS2480 EKS2485

• • • •• •• •• • • • • • •• ••

40

25

50

25

60

25

70

25

80

25

100

25

40

25

50

25

60

25

65

25

70

25

80

25

85

25

532 | EKS | PARAFUSOS ROSCA MÉTRICA E BARRAS

d

L


TRABALHAR EM ALTURA NUNCA FOI TÃO SEGURO

Proteção individual, ambientes e estruturas A Rothoblaas Solutions for Safety oferece uma vasta gama de sistemas antiqueda para ambientes industriais e coberturas, combinada com um serviço de assistência técnica especializado e uma extensa rede de consultores no território sempre à sua disposição. Descubra a gama completa de soluções no catálogo "Antiqueda e segurança".

www.rothoblaas.pt/safe


MET BARRAS ROSCADAS, PORCAS E ANILHAS • Produtos de roscasgem métrica para realizar ligações e junções • Disponíveis em aço carbónico e aço inoxidável para utilização nas classes de serviço 1, 2 e 3 (EN 1995 1-1)

MGS 1000 BARRA ROSCADA CÓDIGO

barra

L

pçs

[mm] MGS10008

M8

1000

10

MGS100010

M10

1000

10

MGS100012

M12

1000

10

MGS100014

M14

1000

10

MGS100016

M16

1000

10

MGS100018

M18

1000

10

MGS100020

M20

1000

10

MGS100022

M22

1000

10

MGS100024

M24

1000

10

MGS100027

M27

1000

10

MGS100030

M30

1000

10

barra

L

pçs

Classe de aço 4�8 - electrogalvanizado DIN 975

d L

MGS 1000 BARRA ROSCADA CÓDIGO

[mm] MGS10888

M8

1000

1

MGS11088

M10

1000

1

MGS11288

M12

1000

1

MGS11488

M14

1000

1

MGS11688

M16

1000

1

MGS11888

M18

1000

1

MGS12088

M20

1000

1

MGS12488

M24

1000

1

MGS12788

M27

1000

1

CÓDIGO

barra

L

pçs

MGS220012

M12

2200

1

MGS220016

M16

2200

1

MGS220020

M20

2200

1

Classe de aço 8�8 - electrogalvanizado DIN 975

d L

MGS 2200 BARRA ROSCADA

[mm]

534 | MET | PARAFUSOS ROSCA MÉTRICA E BARRAS

Classe de aço 4�8 - electrogalvanizado DIN 975 d L


VALORES ESTÁTICOS BARRAS MGS RESISTÊNCIA À TRAÇÃO VALORES CARACTERÍSTICOS classe de aço barra

4.8

8.8

d1

d2

p

A resist

Nax,k

Nax,k

[mm]

[mm]

[mm]

[mm2]

[kN]

[kN]

M8

8,0

6,47

1,25

36,6

13,2

26,4

M10

10,0

8,16

1,50

58,0

20,9

41,8

M12

12,0

9,85

1,75

84,3

30,3

60,7

M14

14,0

11,55

2,00

115,0

41,4

82,8

M16

16,0

13,55

2,00

157,0

56,5

113,0 138,2

M18

18,0

14,93

2,50

192,0

69,1

M20

20,0

16,93

2,50

245,0

88,2

176,4

M22

22,0

18,93

2,50

303,0

109,1

218,2

M24

24,0

20,32

3,00

353,0

127,1

254,2

M27

27,0

23,32

3,00

459,0

165,2

330,5

M30

30,0

25,71

3,50

561,0

202,0

403,9

Nax d1 d2 p

Nax

Os valores característicos são conforme a norma EN 1993� Os valores de projeto são obtidos a partir dos valores característicos, desta forma: Nax,d = Nax,k / γM2�

DADO SIMPLEX Gusa CÓDIGO

barra

L

d

furo

[mm]

[mm]

[mm]

pçs

SIMPLEX12

M12

54

22

24

100

SIMPLEX16

M16

72

28,5

32

100

L

d

VALORES ESTÁTICOS DE EXTRAÇÃO DA PORCA SIMPLEX RESISTÊNCIA AO RECALCAMENTO DA MADEIRA CÓDIGO

barra

SIMPLEX12

M12

SIMPLEX16

M16

d

Lef

Rv,k

a

[mm]

[mm]

[kN]

[mm]

22

32,0

6,4

155

28,5

43,5

10,4

200

a = distância mínima a partir da extremidade do elemento As resistências foram determinadas em conformidade com a EN 1995 1-1, com ρk = 350 kg/m3

INSTALAÇÃO

a

1

a

2

a

3

4

PARAFUSOS ROSCA MÉTRICA E BARRAS | MET | 535


ULS 9021 ANILHA CÓDIGO

barra

dINT

dEXT

s

ULS8242

M8

ULS10302

pçs

[mm]

[mm]

[mm]

8,4

24

2

200

M10

10,5

30

2,5

200

ULS13373

M12

13

37

3

100

ULS15443

M14

15

44

3

100

ULS17503

M16

17

50

3

100

ULS20564

M18

20

56

4

50

ULS22604

M20

22

60

4

50

Aço S235 - electrogalvanizado DIN 9021 (ISO 7093*) dINT

dEXT

* A norma ISO 7093 difere da norma DIN 9021 para a dureza supericial�

ULS 440 ANILHA CÓDIGO

barra

dINT

dEXT

s

ULS11343

M10

ULS13444

pçs

[mm]

[mm]

[mm]

11

34

3

200

M12

13,5

44

4

200

ULS17565

M16

17,5

56

5

50

ULS22726

M20

22

72

6

50

ULS24806

M22

24

80

6

25

Aço S235 - electrogalvanizado DIN 440 R (ISO 7094*) dINT

* A norma ISO 7094 difere da norma DIN 440 R para a dureza supericial� dEXT

ULS 1052 ANILHA CÓDIGO

barra

dINT

dEXT

s

ULS14586

M12

ULS18686

pçs

[mm]

[mm]

[mm]

14

58

6

50

M16

18

68

6

50

ULS22808

M20

22

80

8

25

ULS25928

M22

25

92

8

20

ULS271058

M24

27

105

8

20

ULS 125

dINT

dEXT

ANILHA CÓDIGO

Aço S235 - electrogalvanizado DIN 1052

barra

dINT

dEXT

s

[mm]

[mm]

[mm]

pçs

ULS81616

M8

8,4

16

1,6

ULS10202

M10

10,5

20

2

500

ULS13242

M12

13

24

2,5

500

1000

ULS17303

M16

17

30

3

250

ULS21373

M20

21

37

3

250

ULS25444

M24

25

44

4

200

ULS28504

M27

28

50

4

100

ULS31564

M30

31

56

4

20

* A norma ISO 7089 difere da norma DIN 125 A para a dureza supericial�

536 | MET | PARAFUSOS ROSCA MÉTRICA E BARRAS

Aço S235 - electrogalvanizado DIN 125 A (ISO 7089*)

dINT

dEXT


VALORES ESTÁTICOS DAS ANILHAS ULS RESISTÊNCIA À PENETRAÇÃO NA MADEIRA VALORES CARACTERÍSTICOS barra

norma

M10

M12

M16

M20

M24

dINT

dEXT

s

Nax,k

[mm]

[mm]

[mm]

[kN]

DIN 125 A

10,5

20,0

2,0

1,71

DIN 9021

10,5

30,0

2,5

4,65

DIN 440 R

11,0

34,0

3,0

6,10

DIN 1052

-

-

-

-

DIN 125 A

13,0

24,0

2,5

2,40

DIN 9021

13,0

37,0

3,0

7,07

DIN 440 R

13,5

44,0

4,0

10,33

DIN 1052

14,0

58,0

6,0

18,66

DIN 125 A

17,0

30,0

3,0

3,60

DIN 9021

17,0

50,0

3,0

13,02

DIN 440 R

17,5

56,0

5,0

16,67

DIN 1052

18,0

68,0

6,0

25,33

DIN 125 A

21,0

37,0

3,0

5,47

DIN 9021

22,0

60,0

4,0

18,35

DIN 440 R

22,0

72,0

6,0

27,69

DIN 1052

22,0

80,0

8,0

34,85

DIN 125 A

25,0

44,0

4,0

7,72

DIN 9021

-

-

-

-

DIN 440 R

24,0

80,0

6,0

34,31

DIN 1052

27,0

105,0

8,0

60,65

dINT dEXT

s

Nax

CRITICIDADE: PENETRAÇÃO DA ANILHA NA MADEIRA

N > Nax,Max

Nax

Nax

PRINCÍPIOS GERAIS: • Os valores característicos são conforme a norma EN 1995-1-1� • Os valores de projeto são obtidos a partir dos valores característicos, desta forma:

N k Nax,d = ax,k mod γM

• Em fase de cálculo, considerou-se uma massa volúmica dos elementos de madeira equivalente a ρ k = 385 kg/m3 � • A resistência à penetração de uma anilha é proporcional à sua superfície de contacto com o elemento de madeira�

Os coeicientes γ M e kmod devem ser considerados em função da norma vigente utilizada para o cálculo�

PARAFUSOS ROSCA MÉTRICA E BARRAS | MET | 537


MUT 934 PORCA SEXTAVADA CÓDIGO

barra

MUT9348

M8

h

SW

[mm]

[mm]

6,5

13

pçs

Classe de aço 8 - electrogalvanizado DIN 934 (ISO 4032*)

400

MUT93410

M10

8

17

500

MUT93412

M12

10

19

500

MUT93414

M14

11

22

200

MUT93416

M16

13

24

200

MUT93418

M18

15

27

100

MUT93420

M20

16

30

100

MUT93422

M22

18

32

50

MUT93424

M24

19

36

50

MUT93427

M27

22

41

25

MUT93430

M30

24

46

25

SW

h

* A norma ISO 4032 difere da norma DIN 934 para os parâmetros h e SW nos diâmetros M10, M12, M14 e M22�

MUT 6334 PORCA DA LIGAÇÃO CÓDIGO MUT633410

barra

h

SW

[mm]

[mm]

30

17

M10

pçs

Classe de aço 8 - electrogalvanizado DIN 6334 h

10

MUT633412

M12

36

19

10

MUT633416

M16

48

24

25

MUT633420

M20

60

30

10

h

SW

pçs

[mm]

[mm]

SW

MUT 1587 PORCA CEGA CÓDIGO

barra

MUT15878S

M8

15

13

MUT158710S

M10

18

17

50

MUT158712S

M12

22

19

50

MUT158714S

M14

25

22

50

MUT158716S

M16

28

24

50 50

Classe de aço 8 - electrogalvanizado DIN 1587

200

MUT158718S

M18

32

27

MUT158720S

M20

34

30

25

MUT158722S

M22

39

32

25

MUT158724S

M24

42

36

25

h

SW

Porca torneada em uma única peça�

A2

MGS AI 975

AISI 304

BARRA ROSCADA CÓDIGO

barra

L

pçs

[mm] AI9758

M8

1000

1

AI97510

M10

1000

1

AI97512

M12

1000

1

AI97516

M16

1000

1

AI97520

M20

1000

1

538 | MET | PARAFUSOS ROSCA MÉTRICA E BARRAS

Aço inoxidável A2 | AISI304 DIN 975

d L


A2

ULS AI 9021

AISI 304

ANILHA CÓDIGO

barra

dINT

dEXT

s

AI90218

M8

[mm]

[mm]

[mm]

8,4

24

AI902110

2

500

M10

10,5

30

2,5

500

Aço inoxidável A2 | AISI304 DIN 9021 (ISO 7093*)

pçs

AI902112

M12

13

37

3

200

AI902116

M16

17

50

3

100

AI902120

M20

22

60

4

50

dINT

* A norma ISO 7093 difere da norma DIN 9021 para a dureza supericial�

dEXT

A2

MUT AI 934

AISI 304

PORCA SEXTAVADA CÓDIGO

barra

h

SW

Aço inoxidável A2 | AISI304 DIN 934 (ISO 4032*)

pçs

[mm]

[mm]

AI9348

M8

6,5

13

500

AI93410

M10

8

16

200

AI93412

M12

10

18

200

AI93416

M16

13

24

100

AI93420

M20

16

30

50

SW

h

* A norma ISO 4032 difere da norma DIN 934 para os parâmetros h e SW nos diâmetros M10 e M12�

A2

MUT AI 985

AISI 304

PORCA AUTOBLOCANTE CÓDIGO

barra

h

SW

[mm]

[mm]

Aço inoxidável A2 | AISI304 DIN 985 (ISO 10511*)

pçs

AI9858

M8

8

13

500

AI98510

M10

10

17

200

AI98512

M12

12

19

200

AI98516

M16

16

24

100

SW

h

* A norma ISO 10511 difere da norma DIN 985 para os parâmetros h e SW nos diâmetros M10 e M12�

A2

MUT AI 1587

AISI 304

PORCA CEGA CÓDIGO

barra

h

SW

[mm]

[mm]

pçs

AI158710

M10

18

17

100

AI158712

M12

22

19

100

AI158716

M16

28

24

50

AI158720

M20

34

30

25

Aço inoxidável A2 | AISI304 DIN 1587

h

Porca torneada em uma única peça�

SW

PARAFUSOS ROSCA MÉTRICA E BARRAS | MET | 539


DBB CONECTORES DE SUPERFÍCIE DIN 1052 • Conectores de superfície para ligações de corte, disponíveis em diferentes tamanhos • Elementos metálicos circulares ideais para uniões com dois planos de corte

APPEL CAVILHA TIPO A1 - BILATERAL EN 912 CÓDIGO

dEXT

pçs

[mm] APPD80

80

1

APPD95

95

1

APPD126

126

1

APPD190

190

1

dEXT

PRESS CAVILHA TIPO C1 - BILATERAL EN 912 CÓDIGO

dEXT

dINT

s

[mm]

[mm]

[mm]

pçs

dINT

PRESSD48

50

17

1,00

200

PRESSD62

62

21

1,20

200

PRESSD75

75

26

1,25

100

PRESSD95

95

33

1,35

40

PRESSD117

117

48

1,50

25

dEXT

barra

s

pçs

dINT

CAVILHA TIPO C2 - MONOLATERAL EN 912 CÓDIGO

dEXT [mm]

[mm]

PRESSE48

50

M12

1,00

300

PRESSE62

62

M12

1,20

200

PRESSE75

75

M16

1,25

100

PRESSE95

95

M16

1,35

50

PRESSE117

117

M20

1,50

40

540 | DBB | PARAFUSOS ROSCA MÉTRICA E BARRAS

dEXT


GEKA CAVILHA TIPO C10 - BILATERAL EN 912 CÓDIGO

dINT dEXT

dINT

s

pçs

[mm]

[mm]

[mm]

GEKAD50

50

30,5

3,00

50

GEKAD65

65

35,5

3,00

50

GEKAD80

80

49,5

3,00

25

GEKAD95

95

65,5

3,00

25

dEXT

CAVILHA TIPO C11 - MONOLATERAL EN 912 CÓDIGO

dINT dEXT

dINT

[mm]

[mm]

barra

s

pçs

[mm]

GEKAE50

50

12,5

M12

3,00

50

GEKAE65

65

16,5

M16

3,00

50

GEKAE80

80

20,5

M20

3,00

25

GEKAE95

95

24,5

M24

3,00

25

dEXT

PRODUTOS ADICIONAIS Mediante pedido, pode ser fornecida uma fresa para realizar entalhes para APPEL e GEKA�

Para mais informações, consultar o catálogo “Ferramentas para construções de madeira”�

PARAFUSOS ROSCA MÉTRICA E BARRAS | DBB | 541


ZVB ENGATE PARA CONTRAVENTAMENTOS • Ganchos, discos e tensores para a realização de sistemas de contraventamento • As barras de contraventamento não são fornecidas

GANCHO PARA CONTRAVENTOS Gusa esferoidal GJS-400-18-LT CÓDIGO

barra

rosca*

ZVBDX10

M10

R

S chapa

pçs

[mm] 8

1

ZVBSX10

M10

L

8

1

ZVBDX12

M12

R

10

1

ZVBSX12

M12

L

10

1

ZVBDX16

M16

R

15

1

ZVBSX16

M16

L

15

1

ZVBDX20

M20

R

18

1

ZVBSX20

M20

L

18

1

ZVBDX24

M24

R

20

1

ZVBSX24

M24

L

20

1

ZVBDX30

M30

R

25

1

ZVBSX30

M30

L

25

1

Gancho para barra M27 disponível a pedido� Elemento para cobrir rosca disponível a pedido� * R = rosca direita | L = rosca esquerda G F A S

H

E Ø B

L6 -D/2 +D/2 D

Jmin

M

GANCHO

M10 M12 M16 M20 M24 M30

PERNO

BARRA

CHAPA

A

E

F

H

Ø

G

M

D

L6

S

B

Jmin

furo

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

9,2 11,2 16,4 19,6 21,8 27,0

17,5 21,0 27,5 35,0 42,0 52,5

23,0 27,2 38,5 46,5 54,5 67,6

29,0 35,4 45,6 56,0 69,0 86,0

10 12 16 20 24 30

32,3 38,4 48,4 59,9 67,8 82,1

M10 M12 M16 M20 M24 M30

16 18 22 28 36 44

28 32 42 51 63 78

8 10 15 18 20 25

20 23 31 37 45 56

35 41 52 62 75 93

11 13 17 21 25 31

542 | ZVB | PARAFUSOS ROSCA MÉTRICA E BARRAS


DISCO PARA CONTRAVENTOS Aço carbónico S355 CÓDIGO

gancho

furos para gancho*

pçs

[pçs�] ZVBDISC10

M10

ZVBDISC12

M12

2

1

ZVBDISC16

M16

2

1

2

1

ZVBDISC20

M20

2

1

ZVBDISC24

M24

2

1

ZVBDISC30

M30

2

1

* Em função do número de ganchos que convergem para o disco, devem-se prever furos adicionais de diâmetro f para o alojamento do perno de ligação� Disco para gancho M27 disponível a pedido�

M10

a

b

c

S

f

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

36

78

118

8

11 13

M12

42

94

140

10

M16

54

122

184

15

17

M20

66

150

224

18

21

M24

78

178

264

20

25

M30

98

222

334

25

31

min 50°

c b a

f = diâmetro do furo para a ligação do disco ao gancho

S

VALORES ESTÁTICOS - RESISTÊNCIA À TRAÇÃO NR,d PARA VÁRIAS COMBINAÇÕES BARRA - GANCHO - DISCO - CHAPA DE LIGAÇÃO

L6 Barra Gancho

LS B L

Chapa LS = comprimento do sistema

L6

gancho para contraventos Rothoblaas

GJS-400-18-LT

disco para contraventos Rothoblaas

S355

LB = comprimento da barra = LS – 2 · L6

NR,d

NR,d

aço barra fy,k [N/mm2]

aço chapa de ligação * M10

M12

M16

M20

M24

M30

≥ 540

S355

30,1

43,7

81,4

127,0

183,0

290,8

≥ 540

S235

25,6

38,5

76,9

110,5

147,3

230,1

≥ 355

S235

19,6

28,5

53,1

82,9

119,5

189,8

≥ 235

S235

15,0

21,9

40,7

63,5

91,5

144,6

[kN]

NOTAS: * A chapa de ligação à estrutura portante deve ser dimensionada caso a caso, portanto, não pode ser fornecida pela Rothoblaas�

• A dimensão e a veriicação do engate do sistema de contravento à estrutura portante devem ser feitas à parte�

• Os valores de projeto estão em conformidade com a norma EN 1993� • A barra é um produto a ser medido caso por caso�

PARAFUSOS ROSCA MÉTRICA E BARRAS | ZVB | 543


TENSOR COM FURO DE INSPECÇÃO Aço ao carbono electrogalvanizado S355 DIN 1478 L CÓDIGO

barra

comprimento

R

pçs

[mm] ZVBTEN12

M12

125

1

ZVBTEN16

M16

170

1

ZVBTEN20

M20

200

1

ZVBTEN24

M24

255

1

ZVBTEN27

M27

255

1

ZVBTEN30

M30

255

1

R = rosca direita | L = rosca esquerda

GEOMETRIA DO TENSOR CONFORME DIN 1478

C E K

F

B

A

C

[mm]

M12

M16

M20

M24

M27*

M30

25,0

30,0

33,7

42,4

42,4

51,0

F

[mm]

10

10

12

12

12

16

E

[mm]

4,0

4,5

5,0

5,6

5,6

6,3

A

[mm]

125

170

200

255

255

255

B

[mm]

15

20

24

29

40

36

K

[mm]

35

45

55

70

85

85

* medida não constante da norma DIN 1478� K = profundidade de inserção da barra roscada

VALORES ESTÁTICOS - RESISTÊNCIA À TRAÇÃO

Fax

Nax,k

[kN]

Fax

M12

M16

M20

M24

M27

M30

66,20

97,38

119,09

184,69

184,69

245,92

Nax,k são valores característicos em conformidade com a norma EN 1993� Os valores de projeto são obtidos a partir dos valores característicos, desta forma: Nax,d = Nax,k / γM0

544 | ZVB | PARAFUSOS ROSCA MÉTRICA E BARRAS


PARAFUSOS E PREGOS PARA CHAPAS


PARAFUSOS E PREGOS PARA CHAPAS


PARAFUSOS E PREGOS PARA CHAPAS LBA PREGO DE ADERÊNCIA MELHORADA . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 548

LBS PARAFUSO COM CABEÇA REDONDA PARA CHAPAS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 552

HBS PLATE PARAFUSO COM CABEÇA TRONCOCÓNICA PARA CHAPAS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 556

HBS PLATE EVO PARAFUSO DE CABEÇA TRONCOCÓNICA. . . . . . . . . . . . . . . . . . 560

KKF AISI410 PARAFUSO DE CABEÇA TRONCOCÓNICA. . . . . . . . . . . . . . . . . . 562

VGS CONECTOR TOTALMENTE ROSCADO DE CABEÇA DE EMBEBER OU SEXTAVADA . . . . . . . . . . . . . . . . . . 564

FIXAÇÕES (CONSUMÍVEIS ENCINTADOS) PARA MADEIRA . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 567 HBS COIL PARAFUSOS HBS ENCINTADOS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 568

PARAFUSOS E PREGOS PARA CHAPAS | 547


LBA

ETA

PREGO DE ADERÊNCIA MELHORADA PREGO ANKER Prego com haste anilhada para uma melhor resistência à extracção�

MARCAÇÃO CE Prego na posse de marcação CE de acordo com ETA para ixação de chapas metálicas em estruturas de madeira�

AÇO INOXIDÁVEL Disponível também em aço inoxidável A4 | AISI316�

CARATERÍSTICAS FOCUS

prego anilhado

CABEÇA

plana

DIÂMETRO

4,0 | 6,0 mm

COMPRIMENTO

de 40 a 100 mm

MATERIAL Aço carbónico com zincagem galvânica branca ou em aço inoxidável A4�

CAMPOS DE APLICAÇÃO • madeira maciça e lamelar • CLT, LVL • painéis à base de madeira • painéis aglomerados e MDF Classes de serviço 1 e 2�

548 | LBA | PARAFUSOS E PREGOS PARA CHAPAS


CÓDIGOS E DIMENSÕES LBA d1

CÓDIGO

[mm]

4

6

A4

LBAI A4 | AISI316 L

b

[mm]

[mm]

pçs

d1

AISI 316

CÓDIGO

[mm]

LBA440

40

30

250

LBA450

50

40

250

LBA460

60

50

250

LBA475

75

60

250

LBA4100

100

80

250

LBA660

60

50

250

LBA680

80

70

250

LBA6100

100

80

250

4

L

b

[mm]

[mm]

50

40

LBAI450

pçs 250

FORÇAS

MATERIAL E DURABILIDADE LBA: aço carbónico electrogalvanizado� Utilização em classes de serviço 1 e 2 (EN 1995-1-1)�

Fax Fv

LBAI: aço inoxidável A4 (V4A)� Utilização em classes de serviço 1, 2 e 3 (EN 1995-1-1)�

Fv

CAMPOS DE EMPREGO • Ligações aço-madeira • Ligações madeira-madeira

GEOMETRIA E CARACTERÍSTICAS MECÂNICAS | LBA d1 de

dk t1

b L

Diâmetro nominal

d1

[mm]

4

6

Diâmetro da cabeça

dk

[mm]

8,00

12,00

Diâmetro externo

de

[mm]

4,40

6,65

Espessura da cabeça

t1

[mm]

1,40

2,00

Diâmetro do pré-furo

dv

[mm]

3,0

4,5

My,k

[Nmm]

6500

19000

fax,k

[N/mm2]

7,5

7,5

ftens,k

[kN]

6,9

11,4

Momento de cedência característico Parâmetro característico de resistência à extracção Resistência característica à tração

PARAFUSOS E PREGOS PARA CHAPAS | LBA | 549


DISTÂNCIAS MÍNIMAS PARA PREGOS SOB TENSÃO AO CORTE | LIGAÇÕES AÇO-MADEIRA(1) PREGOS INSERIDOS SEM PRÉ-FURO

Ângulo entre força e ibras α = 0° d1 a1 a2 a3,t a3,c a4,t a4,c

[mm] [mm] [mm] [mm] [mm] [mm] [mm]

4 28 14 60 40 20 20

Ângulo entre força e ibras α = 90°

6 50 21 90 60 30 30

a2 a2

4 14 14 40 40 28 20

α

F α

α

F α

F a1 a1

a3,t

6 21 21 60 60 60 30 F a4,c

a4,t

a3,c

DISTÂNCIAS MÍNIMAS PARA PREGOS SOB TENSÃO AO CORTE | CLT(2) PREGOS INSERIDOS SEM PRÉ-FURO | LATERAL FACE(3)

Ângulo entre força e ibras(4) α = 0° d1 a1 a2 a3,t a3,c a4,t a4,c

[mm] [mm] [mm] [mm] [mm] [mm] [mm]

4 24 12 40 24 12 12

Ângulo entre força e ibras(4) α = 90°

6 36 18 60 36 18 18

a1 a3,t

4 12 12 28 24 28 12

6 18 18 42 36 42 18

F α

α

α F

a3,c

F

F α a2

a4,t

tCLT

a4,c

NOTAS: (1)

As distâncias mínimas são de acordo com a regulamentação EN 1995-1-1 de acordo com ETA considerando uma massa volúmica dos elementos de madeira ρ k ≤ 420 kg/m3 e um diâmetro de cálculo igual a d = diâmetro nominal prego.

(2)

As distâncias mínimas estão de acordo com as especiicações nacionais ÖNORM EN 1995-1-1 - Anexo K e devem ser consideradas válidas salvo especiicado em contrário nos documentos técnicos dos painéis CLT.

(3)

• Em caso de ligação madeira-madeira, os espaçamentos mínimos (a1 , a2) devem ser multiplicados por um coeiciente 1,5.

Espessura mínima do painel CLT tCLT, mín = 10·d - espessura mínima de uma única camada ti = 9 mm.

(4)

Ângulo entre a força e a direção da ibra da camada exterior do painel CLT.

550 | LBA | PARAFUSOS E PREGOS PARA CHAPAS


VALORES ESTÁTICOS | LIGAÇÃO EM CORTE AÇO-MADEIRA(1) aço - madeira(2)

geometria do prego

Fv

SPLATE L b

Fv d1

d1

L

b

Rv,k

[mm]

[mm]

[mm]

[kN]

4

6

SPLATE 40 50 60 75 100 SPLATE 60 80 100

30 40 50 60 80 50 70 80

1,5 mm 1,89 2,21 2,36 2,51 2,81 3,0 mm 3,96 4,75 4,98

2,0 mm 1,88 2,21 2,36 2,51 2,81 4,0 mm 3,92 4,75 4,98

2,5 mm 1,86 2,21 2,36 2,51 2,81 5,0 mm 3,89 4,75 4,98

3,0 mm 1,85 2,21 2,36 2,51 2,81 6,0 mm 3,86 4,75 4,98

4,0 mm 1,83 2,21 2,36 2,51 2,81 8,0 mm 3,79 4,75 4,98

5,0 mm 1,80 2,21 2,36 2,51 2,81 10,0 mm 3,73 4,75 4,98

6,0 mm 1,78 2,18 2,36 2,51 2,81 12,0 mm 3,62 4,71 4,98

4,0 mm 2,23 2,30 2,36 2,43 2,55 8,0 mm 4,18 4,55 4,66

5,0 mm 2,19 2,30 2,36 2,43 2,55 10,0 mm 4,08 4,55 4,66

6,0 mm 2,15 2,30 2,36 2,43 2,55 12,0 mm 3,96 4,53 4,66

aço - CLT(3)

geometria do prego

SPLATE

L b

Fv

Fv d1

d1 [mm]

4

6

L [mm] SPLATE 40 50 60 75 100 SPLATE 60 80 100

b

Rv,k

[mm]

[kN]

30 40 50 60 80 50 70 80

1,5 mm 2,23 2,30 2,36 2,43 2,55 3,0 mm 4,35 4,55 4,66

2,0 mm 2,23 2,30 2,36 2,43 2,55 4,0 mm 4,35 4,55 4,66

2,5 mm 2,23 2,30 2,36 2,43 2,55 5,0 mm 4,34 4,55 4,66

3,0 mm 2,23 2,30 2,36 2,43 2,55 6,0 mm 4,29 4,55 4,66

NOTAS:

PRINCÍPIOS GERAIS:

(1)

• Os valores de projeto são obtidos a partir dos valores característicos, desta forma:

As resistências características de corte para pregos LBA Ø4 são avaliadas para chapas com espessura = S PLATE, considerando sempre o caso de chapa grossa de acordo a ETA (S PLATE ≥ 1,5 mm)� As resistências características de corte para pregos LBA Ø6 são avaliadas para chapas com espessura = S PLATE, considerando sempre o caso de chapa grossa de acordo a ETA (S PLATE ≥ 3,0 mm)�

(2)

(3)

Os valores característicos para a ligação aço-madeira estão em conformidade com a norma EN 1995-1-1 de acordo com a ETA e são válidos para a madeira maciça ou lamelar (softwood)�

Rd =

Rk kmod γM

Os coeicientes γ M e kmod devem ser considerados em função da norma vigente utilizada para o cálculo� • Para os valores de resistência mecânica e para a geometria dos pregos, fezse referência ao que consta da ETA�

Os valores característicos para a ligação aço-CLT estão em conformidade com a norma EN 1995-1-1 de acordo com as especiicações nacionais ÖNORM EN 1995 - Anexo K e devem ser considerados válidos salvo especiicado em contrário nos documentos técnicos dos painéis CLT�

• Os valores tabelados são independentes do ângulo força-ibra�

Os valores tabelados são válidos para os painéis CLT com espessura mínima tCLT,mín = 10·d e com espessura mínima da camada única de ti = 9 mm�

• O dimensionamento e a veriicação dos elementos de madeira e das chapas em aço devem ser realizados separadamente�

• Em fase de cálculo, considerou-se uma massa volúmica dos elementos de madeira equivalente a ρ k = 350 kg/m3 �

• As resistências características ao corte são avaliadas para pregos inseridos sem pré-furo; no caso de pregos inseridos com pré-furo, é possível obter maiores valores de resistência� • Para mais detalhes, consultar o catálogo “Parafusos e conectores para madeira” disponível em www�rothoblaas�pt�

PARAFUSOS E PREGOS PARA CHAPAS | LBA | 551


LBS

BIT INCLUÍDOS

PARAFUSO COM CABEÇA REDONDA PARA CHAPAS PARAFUSO PARA CHAPAS FURADAS Sub-cabeça cilíndrica estudada para a ixação de elementos metálicos� O efeito de encaixe com o orifício da chapa garante excelentes perfomances estáticas�

ESTÁTICA Calculável em acordo com o Eurocódigo 5 na condição de ligações madeira-aço com chapa espessa também com elementos metálicos súbtis� Excelentes valores de resistência ao corte�

DUCTILIDADE Ângulo de dobra mais amplo de 20° em relação à norma, certiicado de acordo com ETA 11/0030� Ensaios cíclicos SEISMIC-REV de acordo com EN 12512�

CARATERÍSTICAS FOCUS

parafuso para chapas furadas

CABEÇA

redondo com sub-cabeça cilíndrica

DIÂMETRO

5,0 | 7,0 mm

COMPRIMENTO

de 25 a 100 mm

MATERIAL Aço carbónico electrogalvanizado�

CAMPOS DE APLICAÇÃO • madeira maciça e lamelar • CLT, LVL • painéis à base de madeira • madeiras de alta densidade Classes de serviço 1 e 2�

552 | LBS | PARAFUSOS E PREGOS PARA CHAPAS

ETA 11/0030


CÓDIGOS E DIMENSÕES d1

CÓDIGO

[mm]

5 TX 20

L

b

[mm]

[mm]

pçs

d1

CÓDIGO

L

b

[mm]

[mm]

LBS760

60

55

100

LBS780

80

75

100

LBS7100

100

95

100

[mm]

LBS525

25

21

500

LBS540

40

36

500

LBS550

50

46

200

LBS560

60

56

200

LBS570

70

66

200

7 TX 30

MATERIAL E DURABILIDADE

pçs

FORÇAS

LBS: aço carbónico electrogalvanizado� Utilização em classes de serviço 1 e 2 (EN 1995-1-1)�

Fax Fv

Fv

CAMPOS DE EMPREGO • Ligações aço-madeira • Ligações madeira-madeira

GEOMETRIA E CARACTERÍSTICAS MECÂNICAS duk d2 d1

dk t1

Diâmetro nominal

d1

[mm]

Diâmetro da cabeça

dk

Diâmetro do núcleo

d2

Diâmetro sub-cabeça Espessura da cabeça Diâmetro do pré-furo

b L

5

7

[mm]

7,80

11,00

[mm]

3,00

4,40

duk

[mm]

4,90

7,00

t1

[mm]

2,40

3,50

dv

[mm]

3,0

4,0

My,k

[Nm]

5,4

14,2

fax,k

[N/mm2]

11,7

11,7

Densidade associada

ρa

[kg/m3]

350

350

Parâmetro característico de penetração da cabeça*

fhead,k

[N/mm2]

10,5

10,5

Densidade associada

ρa

[kg/m3]

350

350

Resistência característica à tração

ftens,k

[kN]

7,9

15,4

Momento de cedência característico Parâmetro característico de resistência à extração*

* Válido para softwood - densidade máxima 440 kg/m3� Para aplicações com materiais diferentes (ex�, LVL) ou com densidade elevada, consultar ETA-11/0030�

PARAFUSOS E PREGOS PARA CHAPAS | LBS | 553


DISTÂNCIAS MÍNIMAS PARA PARAFUSOS SOB TENSÃO AO CORTE | LIGAÇÕES AÇO-MADEIRA(1) PARAFUSOS INSERIDOS SEM PRÉ-FURO

Ângulo entre força e ibras α = 0° d1 a1 a2 a3,t a3,c a4,t a4,c

[mm] [mm] [mm] [mm] [mm] [mm] [mm]

5 42 18 75 50 25 25

Ângulo entre força e ibras α = 90°

7 59 25 105 70 35 35

a2 a2

5 18 18 50 50 50 25

α

F α

α

F α

F a1 a1

a3,t

7 25 25 70 70 70 35 F a4,c

a4,t

a3,c

DISTÂNCIAS MÍNIMAS PARA PARAFUSOS SOB TENSÃO AO CORTE E CARREGADAS AXIALMENTE | CLT(2) PARAFUSOS INSERIDOS SEM PRÉ-FURO | LATERAL FACE(3)

d1 a1 a2 a3,t a3,c a4,t a4,c

[mm] [mm] [mm] [mm] [mm] [mm] [mm]

5 20 13 30 30 30 13

7 28 18 42 42 42 18

a1 a3,t

F α

α

α F

a3,c

F

F α a2

a4,t

tCLT

a4,c

NOTAS: (1)

As distâncias mínimas são de acordo com a regulamentação EN 1995-1-1 de acordo com ETA-11/0030 considerando uma massa volúmica dos elementos de madeira ρ k ≤ 420 kg/m3 e um diâmetro de cálculo igual a d = diâmetro nominal parafuso.

• Em caso de ligação madeira-madeira, os espaçamentos mínimos (a1 , a2) devem ser multiplicados por um coeiciente 1,5.

554 | LBS | PARAFUSOS E PREGOS PARA CHAPAS

(2)

As distâncias mínimas são de acordo com ETA-11/0030 e ser consideradas válidas se não diferentemente especiicado nos documentos técnicos dos painéis CLT.

• Os valores tabelados são independentes do ângulo força-ibra. (3)

Espessura mínima CLT tCLT,min = 10 d1 .


VALORES ESTÁTICOS geometria do parafuso

corte aço-madeira(1) Fv

SPLATE

Fv

SPLATE Fv

L b

Fv d1

d1 [mm]

L

b

[mm]

[mm]

SPLATE 25 40 50 60 70 SPLATE 60 80 100

5

7

21 36 46 56 66 55 75 95

Rv,k [kN] 1,5 mm 1,48 2,12 2,26 2,41 2,56 3,0 mm 2,55 3,45 4,00

2,0 mm 1,47 2,12 2,26 2,41 2,56 4,0 mm 2,73 3,55 4,12

geometria do parafuso

2,5 mm 1,45 2,10 2,26 2,41 2,56 5,0 mm 3,13 3,82 4,36

3,0 mm 2,09 2,26 2,41 2,56 6,0 mm 3,53 4,10 4,58

4,0 mm 2,05 2,26 2,41 2,56 8,0 mm 3,86 4,38 4,79

5,0 mm 2,25 2,39 2,54 10,0 mm 3,74 4,33 4,74

6,0 mm 2,23 2,38 2,53 12,0 mm 3,62 4,29 4,70

tração(2)

corte madeira-madeira

A

Fv

Fax

L b

Fv d1

d1

L

b

A

Rv,k

Rax,k

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[kN]

[kN]

25 40 50 60 70 60 80 100

21 36 46 56 66 55 75 95

15 20 25 30 25 35 45

0,93 1,04 1,15 1,27 1,74 2,09 2,37

1,23 2,11 2,69 3,28 3,86 4,50 6,14 7,78

5

7

NOTAS: (1)

As resistências características de corte para parafusos LBS Ø5 são avaliadas para chapas com espessura = S PLATE, considerando sempre o caso de chapa grossa de acordo a ETA-11/0030 (S PLATE ≥ 1,5 mm)� As resistências características de corte para parafusos LBS Ø7 são avaliadas para chapas com espessura = S PLATE considerando o caso de chapa ina (S PLATE ≤ 0,5 d1), intermédia (0,5 d1 < S PLATE < d1) ou espessa (S PLATE ≥ d1).

(2)

A resistência axial à extração da rosca foi avaliada considerando-se um ângulo de 90° entre as ibras e o conector e para um comprimento de cravação igual a b.

Os coeicientes γ M e kmod devem ser considerados em função da norma vigente utilizada para o cálculo. • Para os valores de resistência mecânica e para a geometria dos parafusos, fez-se referência ao que consta da ETA-11/0030. • Em fase de cálculo, considerou-se uma massa volúmica dos elementos de madeira equivalente a ρ k = 350 kg/m3 . • Os valores tabelados também são válidos para a aplicação em CLT (espessura mínima do painel tCLT,mín = 10·d1). • Os valores tabelados são independentes do ângulo força-ibra.

PRINCÍPIOS GERAIS:

• O dimensionamento e a veriicação dos elementos de madeira e das chapas em aço devem ser realizados separadamente.

• Os valores característicos são conforme a norma EN 1995-1-1, de acordo com ETA-11/0030.

• As resistências características ao corte são avaliadas para parafusos inseridos sem pré-furo; em caso de parafusos inseridos com pré-furo, é possível obter maiores valores de resistência.

• Os valores de projeto são obtidos a partir dos valores característicos, desta forma:

• Para mais detalhes, consultar o catálogo “Parafusos e conectores para madeira” disponível em www.rothoblaas.pt.

Rd =

Rk kmod γM

PARAFUSOS E PREGOS PARA CHAPAS | LBS | 555


HBS PLATE

BIT INCLUÍDOS

PARAFUSO COM CABEÇA TRONCOCÓNICA PARA CHAPAS HBSP Concebida para as ligações aço-madeira: a cabeça tem uma forma troncocónica e uma espessura acrescida para ixar em total segurança e coniabilidade as chapas à madeira�

FIXAÇÃO CHAPAS A sub-cabeça troncocónica gera um efeito de encaixe com o orifício circular da chapa e garante excelentes performance estáticas�

ROSCA AUMENTADA Comprimento da rosca aumentada para obter uma excelente resistência ao corte e à tração nas ligações aço-madeira� Valores superiores ao normal�

CARATERÍSTICAS FOCUS

ligações aço-madeira

CABEÇA

troncocónicas para chapas

DIÂMETRO

de 8,0 a 12,0 mm

COMPRIMENTO

de 80 a 200 mm

MATERIAL Aço carbónico electrogalvanizado�

CAMPOS DE APLICAÇÃO • madeira maciça e lamelar • CLT, LVL • painéis à base de madeira • madeiras de alta densidade Classes de serviço 1 e 2�

556 | HBS PLATE | PARAFUSOS E PREGOS PARA CHAPAS

ETA 11/0030


CÓDIGOS E DIMENSÕES d1

CÓDIGO

[mm]

8 TX 40

10 TX 40

L

b

Ap

pçs

d1

CÓDIGO

[mm]

L

b

Ap

pçs

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

HBSP880

80

55

1,0 ÷ 15,0

100

HBSP12120

120

90

1,0 ÷ 20,0

25

HBSP8100

100

75

1,0 ÷ 15,0

100

HBSP12140

140

110

1,0 ÷ 20,0

25

HBSP8120

120

95

1,0 ÷ 15,0

100

HBSP8140

140

110

1,0 ÷ 20,0

100

HBSP8160

160

130

1,0 ÷ 20,0

100

HBSP10100

100

75

1,0 ÷ 15,0

50

HBSP10120

120

95

1,0 ÷ 15,0

50

HBSP10140

140

110

1,0 ÷ 20,0

50

HBSP10160

160

130

1,0 ÷ 20,0

50

HBSP10180

180

150

1,0 ÷ 20,0

50

12 TX 50

HBSP12160

160

120

1,0 ÷ 30,0

25

HBSP12180

180

140

1,0 ÷ 30,0

25

HBSP12200

200

160

1,0 ÷ 30,0

25

FORÇAS

MATERIAL E DURABILIDADE HBS PLATE: aço carbónico com eletrogalvanização� Utilização em classes de serviço 1 e 2 (EN 1995-1-1)�

Fax Fv

Fv

CAMPOS DE EMPREGO • Ligações aço-madeira • Ligações madeira-madeira

GEOMETRIA E CARACTERÍSTICAS MECÂNICAS

BS

P

d2 d1

duk

H

dk

X X

Ap

t1

ds b L

Diâmetro nominal

d1

[mm]

8

10

12

Diâmetro da cabeça

dk

[mm]

14,50

18,25

20,75

Diâmetro do núcleo

d2

[mm]

5,40

6,40

6,80

Diâmetro da haste

ds

[mm]

5,80

7,00

8,00

Espessura da cabeça

t1

[mm]

3,40

4,35

5,00

Diâmetro sub-cabeça

duk

[mm]

10,00

12,00

14,00

Diâmetro do pré-furo

dv

[mm]

5,0

6,0

7,0

My,k

[Nm]

20,1

35,8

48,0

fax,k

[N/mm2]

11,7

11,7

11,7

Densidade associada

ρa

[kg/m3]

350

350

350

Parâmetro característico de penetração da cabeça*

fhead,k

[N/mm2]

10,5

10,5

10,5

Densidade associada

ρa

[kg/m3]

350

350

350

Resistência característica à tração

ftens,k

[kN]

20,1

31,4

33,9

Momento de cedência característico Parâmetro característico de resistência à extração*

* Válido para softwood - densidade máxima 440 kg/m3� Para aplicações com materiais diferentes (ex�, LVL) ou com densidade elevada, consultar ETA-11/0030�

PARAFUSOS E PREGOS PARA CHAPAS | HBS PLATE | 557


DISTÂNCIAS MÍNIMAS PARA PARAFUSOS SOB TENSÃO AO CORTE | LIGAÇÕES AÇO-MADEIRA(1) PARAFUSOS INSERIDOS SEM PRÉ-FURO

Ângulo entre força e ibras α = 0° d1 a1 a2 a3,t a3,c a4,t a4,c

[mm] [mm] [mm] [mm] [mm] [mm] [mm]

8 67 28 120 80 40 40

10 84 35 150 100 50 50

a2 a2

Ângulo entre força e ibras α = 90°

12 101 42 180 120 60 60

8 28 28 80 80 80 40

10 35 35 100 100 100 50

α

F α

α

F α

F a1 a1

a3,t

12 42 42 120 120 120 60 F a4,c

a4,t

a3,c

DISTÂNCIAS MÍNIMAS PARA PARAFUSOS SOB TENSÃO AO CORTE E CARREGADAS AXIALMENTE | CLT(2) PARAFUSOS INSERIDOS SEM PRÉ-FURO | LATERAL FACE(3)

d1 a1 a2 a3,t a3,c a4,t a4,c

[mm] [mm] [mm] [mm] [mm] [mm] [mm]

8 32 20 48 48 48 20

10 40 25 60 60 60 25

a1 a3,t

12 48 30 72 72 72 30

F α

α

α F

a3,c

F

F α a2

a4,t

tCLT

a4,c

NOTAS: (1)

As distâncias mínimas são de acordo com a regulamentação EN 1995-1-1 de acordo com ETA considerando uma massa volúmica dos elementos de madeira ρ k ≤ 420 kg/m3 e um diâmetro de cálculo igual a d = diâmetro nominal parafuso.

• Em caso de ligação madeira-madeira, os espaçamentos mínimos (a1 , a2) devem ser multiplicados por um coeiciente 1,5.

558 | HBS PLATE | PARAFUSOS E PREGOS PARA CHAPAS

(2)

As distâncias mínimas são de acordo com ETA-11/0030 e ser consideradas válidas se não diferentemente especiicado nos documentos técnicos dos painéis CLT.

• Os valores tabelados são independentes do ângulo força-ibra. (3)

Espessura mínima CLT tCLT,min = 10 d1 .


VALORES ESTÁTICOS geometria do parafuso

corte aço-madeira(1) SPLATE

Fv

SPLATE

extração Fv Fax

L

Fv

b

Fv

d1

d1

L

b

Rv,k

Rax,k(2)

[mm]

[mm]

[mm]

[kN]

[kN]

SPLATE 80 8

55

5,0 mm

6,0 mm

8,0 mm

10,0 mm

3,74

3,99

4,27

4,90

4,90

5,15

75

4,31

4,31

4,58

4,84

5,37

5,37

7,02

120

95

4,78

4,78

5,05

5,31

5,84

5,84

8,89

140

110

5,12

5,12

5,38

5,65

6,19

6,19

10,30

160

130

5,12

5,12

5,50

5,89

6,66

6,66

12,17

4,0 mm

5,0 mm

6,0 mm

8,0 mm

10,0 mm

12,0 mm

100

75

5,52

5,47

5,81

6,57

7,41

7,41

8,78

120

95

6,47

6,47

6,78

7,38

8,00

8,00

11,12

140

110

6,91

6,91

7,21

7,83

8,44

8,44

12,87

160

130

7,38

7,38

7,71

8,37

9,02

9,02

15,21

180

150

17,55

SPLATE

12

4,0 mm

3,79

100

SPLATE

10

3,0 mm

7,38

7,38

7,83

8,72

9,61

9,61

5,0 mm

6,0 mm

8,0 mm

10,0 mm

12,0 mm

15,0 mm

120

90

7,52

7,45

8,08

8,80

9,60

9,60

12,64

140

110

8,42

8,42

9,04

9,67

10,30

10,30

15,44

160

120

8,77

8,77

9,40

10,02

10,65

10,65

16,85

180

140

9,11

9,11

9,86

10,61

11,36

11,36

19,66

200

160

9,11

9,11

10,09

11,08

12,06

12,06

22,46

PRINCÍPIOS GERAIS:

NOTAS:

• Os valores característicos são conforme a norma EN 1995-1-1, de acordo com ETA-11/0030�

(1)

As resistências características de corte para parafusos HBS PLATE são avaliadas para chapas com espessura = S PLATE considerando o caso de chapa ina (S PLATE ≤ 0,5 d1), intermédia (0,5 d1 < S PLATE < d1) ou espessa (S PLATE ≥ d1).

(2)

A resistência axial à extração da rosca foi avaliada considerando-se um ângulo de 90° entre as ibras e o conector e para um comprimento de cravação igual a b.

• Os valores de projeto são obtidos a partir dos valores característicos, desta forma:

R k Rd = k mod γM Os coeicientes γ M e kmod devem ser considerados em função da norma vigente utilizada para o cálculo�

Em caso de ligações aço-madeira, é geralmente vinculante a resistência à tração do aço em relação à retirada ou à penetração da cabeça.

• Para os valores de resistência mecânica e para a geometria dos parafusos, fez-se referência ao que consta da ETA-11/0030� • Em fase de cálculo, considerou-se uma massa volúmica dos elementos de madeira equivalente a ρ k = 350 kg/m3 � • Os valores tabelados também são válidos para a aplicação em CLT (espessura mínima do painel tCLT,mín = 10·d1)� • Os valores tabelados são independentes do ângulo força-ibra� • O dimensionamento e a veriicação dos elementos de madeira e das chapas em aço devem ser realizados separadamente� • As resistências características ao corte são avaliadas para parafusos inseridos sem pré-furo; em caso de parafusos inseridos com pré-furo, é possível obter maiores valores de resistência� • Para conigurações de cálculo diferentes, está disponível o software MyProject (www�rothoblaas�pt)� • Para mais detalhes, consultar o catálogo “Parafusos e conectores para madeira” disponível em www�rothoblaas�pt�

PARAFUSOS E PREGOS PARA CHAPAS | HBS PLATE | 559


HBS PLATE EVO

BIT INCLUÍDOS

COATING

ETA 11/0030

PARAFUSO DE CABEÇA TRONCOCÓNICA HBS PLATE EVO Concebida para as ligações aço-madeira no exterior: a cabeça tem uma forma troncocónica e uma espessura acrescida para ixar em total segurança e coniabilidade as chapas à madeira� As medidas pequenas (5,0 e 6,0 mm) são ideais também para ligações madeira-madeira�

REVESTIMENTO C4 EVO Múltiplas camadas 20 μm com tratamento supericial à base de resina epoxídica e partículas de alumínio� Ausência de ferrugem após testes de 1440 horas de exposição em névoa salina de acordo com ISO 9227� Utilizável no exterior em classe de serviço 3 e em classe de corrosão atmosférica C4�

MADEIRAS AGRESSIVAS Ideal em aplicações com essências contendo tanino ou tratadas com impregnantes ou outros processos químicos�

CARATERÍSTICAS FOCUS

classe de corrosividade C4

CABEÇA

troncocónicas para chapas

DIÂMETRO

de 5,0 a 10,0 mm

COMPRIMENTO

de 40 a 180 mm

MATERIAL Aço carbónico com revestimento 20 μm de alta resistência à corrosão�

CAMPOS DE APLICAÇÃO • madeira maciça e lamelar • CLT, LVL • painéis à base de madeira • madeiras de alta densidade • madeiras agressivas (contendo tanino) • madeiras tratadas quimicamente Classes de serviço 1, 2 e 3�

560 | HBS PLATE EVO | PARAFUSOS E PREGOS PARA CHAPAS


CÓDIGOS E DIMENSÕES d1

CÓDIGO

L

[mm]

b

At

[mm] [mm] [mm]

5 TX 25

6 TX 30

8 TX 40

Ap

pçs

d1

[mm]

CÓDIGO

[mm]

HBSPEVO550

50

30

20

1,0 ÷ 10,0

200

HBSPEVO560

60

35

25

1,0 ÷ 10,0

200

8 TX 40

L

b

Ap

[mm]

[mm]

[mm]

pçs

HBSPEVO8120

120

95

1,0 ÷ 15,0

100

HBSPEVO8140

140

110

1,0 ÷ 20,0

100

HBSPEVO570

70

40

30

1,0 ÷ 10,0

100

HBSPEVO8160

160

130

1,0 ÷ 20,0

100

HBSPEVO580

80

50

30

1,0 ÷ 10,0

100

HBSPEVO1060

60

52

1,0 ÷ 15,0

50

HBSPEVO680

80

50

30

1,0 ÷ 10,0

100

HBSPEVO1080

80

60

1,0 ÷ 15,0

50

HBSPEVO690

90

55

35

1,0 ÷ 10,0

100

HBSPEVO10100

100

75

1,0 ÷ 15,0

50

HBSPEVO840

40

32

-

1,0 ÷ 15,0

100

HBSPEVO860

60

52

-

1,0 ÷ 15,0

100

HBSPEVO880

80

55

-

1,0 ÷ 15,0

100

HBSPEVO8100

100

75

-

1,0 ÷ 15,0

100

10 TX 40

HBSPEVO10120

120

95

1,0 ÷ 15,0

50

HBSPEVO10140

140

110

1,0 ÷ 20,0

50

HBSPEVO10160

160

130

1,0 ÷ 20,0

50

HBSPEVO10180

180

150

1,0 ÷ 20,0

50

Para mais detalhes, consultar o catálogo “Parafusos e conectores para madeira”�

GEOMETRIA E CARACTERÍSTICAS MECÂNICAS At

Ap tk d2 d1

H

t1

duk

dk

BS

BS

P X X

P

d2 d1

H

dk

X X

tk

ds

t1

b

duk

ds b

L

L

HBS P EVO - 5,0 | 6,0 mm

HBS P EVO - 8,0 | 10,0 mm

Diâmetro nominal

d1

[mm]

5

6

8

10

Diâmetro da cabeça

dk

[mm]

9,65

12,00

14,50

18,25

Diâmetro do núcleo

d2

[mm]

3,40

3,95

5,40

6,40

Diâmetro da haste

ds

[mm]

3,65

4,30

5,80

7,00

Espessura da cabeça

t1

[mm]

5,50

6,50

8,00

10,00

Espessura anilha

tk

[mm]

1,00

1,50

3,40

4,35

Diâmetro sub-cabeça

duk

[mm]

6,0

8,0

10,00

12,00

Diâmetro do pré-furo

dv

[mm]

3,0

4,0

5,0

6,0

My,k

[Nm]

5,4

9,5

20,1

35,8

fax,k

[N/mm2]

11,7

11,7

11,7

11,7

Densidade associada

ρa

[kg/m3]

350

350

350

350

Parâmetro característico de penetração da cabeça*

fhead,k

[N/mm2]

10,5

10,5

10,5

10,5

Densidade associada

ρa

[kg/m3]

350

350

350

350

Resistência característica à tração

ftens,k

[kN]

7,9

11,3

20,1

31,4

Momento de cedência característico Parâmetro característico de resistência à extração*

* Válido para softwood - densidade máxima 440 kg/m3� Para aplicações com materiais diferentes (ex�, LVL) ou com densidade elevada, consultar ETA-11/0030�

PARAFUSOS E PREGOS PARA CHAPAS | HBS PLATE EVO | 561


KKF AISI410

BIT INCLUÍDOS

ETA 11/0030

PARAFUSO DE CABEÇA TRONCOCÓNICA CABEÇA TRONCOCÓNICA A sub-cabeça plana acompanha a absorção das aparas e evita as ruturas da madeira garantindo um excelente acabamento supericial�

ROSCA AUMENTADA Especial rosca assimétrica em guarda-chuva com comprimento acrescido (60%) para uma excelente capacidade de tensão� Rosca de passo lento para a máxima precisão após a parafusação�

AISI410 Aço inoxidável martensítico com óptima relação entre resistência mecânica e resistência à corrosão� Possibilidade de aplicação sem necessidade de pré-furo�

CARATERÍSTICAS FOCUS

excelente versatilidade de utilização

CABEÇA

troncocónica

DIÂMETRO

de 4,0 a 6,0 mm

COMPRIMENTO

de 20 a 120 mm

MATERIAL Aço inoxidável martensítico AISI410�

CAMPOS DE APLICAÇÃO Ideal para utilização no exterior ou em combinação com os produtos DISC FLAT A2, LOCK T EVO e TERRALOCK PP�

562 | KKF AISI410 | PARAFUSOS E PREGOS PARA CHAPAS


CÓDIGOS E DIMENSÕES d1

CÓDIGO

[mm]

4 TX 20

4,5 TX 20

L

b

A

pçs

d1

CÓDIGO

[mm]

L

b

A

pçs

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

[mm]

KKF430

30

18

12

500

KKF540

40

24

16

200

KKF435

35

20

15

500

KKF550

50

30

20

200

KKF440

40

24

16

500

KKF445

45

30

15

200

5 TX 25

KKF560

60

35

25

200

KKF570

70

40

30

100

KKF450

50

30

20

200

KKF580

80

50

30

100

KKF4520

20

15

5

200

KKF590

90

55

35

100

KKF4540

40

24

16

200

KKF5100

100

60

40

100

KKF4545

45

30

15

200

KKF680

80

50

30

100

KKF4550

50

30

20

200

KKF6100

100

60

40

100

KKF4560

60

35

25

200

KKF6120

120

75

45

100

KKF4570

70

40

30

200

6 TX 30

Para mais detalhes, consultar o catálogo “Parafusos e conectores para madeira”�

GEOMETRIA E CARACTERÍSTICAS MECÂNICAS

KK F

dk

X X

A

d2 d1 ds

t1

b L

Diâmetro nominal

d1

[mm]

4

Diâmetro da cabeça

dk

[mm]

7,70

Diâmetro do núcleo

d2

[mm]

2,60

4,5

5

6

8,70

9,65

11,65

3,05

3,25

4,05

Diâmetro da haste

ds

[mm]

2,90

3,35

3,60

4,30

Espessura da cabeça

t1

[mm]

5,00

5,00

5,70

7,00

Diâmetro do pré-furo

dv

[mm]

2,5

2,5

3,0

4,0

My,k

[Nm]

3,0

4,1

5,4

9,5

fax,k

[N/mm2]

11,7

11,7

11,7

11,7

350

350

350

350 16,5

Momento de cedência característico Parâmetro característico de resistência à extracção* Densidade associada

ρa

[kg/m3]

Parâmetro característico de penetração da cabeça*

fhead,k

[N/mm2]

16,5

16,5

16,5

Densidade associada

ρa

[kg/m3]

350

350

350

350

Resistência característica à tração

ftens,k

[kN]

5,0

6,4

7,9

11,3

* Válido para softwood - densidade máxima 440 kg/m3� Para aplicações com materiais diferentes (ex�, LVL) ou com densidade elevada, consultar ETA-11/0030�

PARAFUSOS E PREGOS PARA CHAPAS | KKF AISI410 | 563


VGS

BIT INCLUÍDOS

CONECTOR TOTALMENTE ROSCADO DE CABEÇA DE EMBEBER OU SEXTAVADA TRAÇÃO Roscagem profunda e aço de alta resistência (fy,k = 1000 N/mm2) para um grande desempenho à tração� Homologada para aplicações estruturais solicitadas em qualquer direção em relação à ibra (α = 0° - 90°)�

CABEÇA DE EMBEBER OU SEXTAVADA Cabeça de embeber até L = 600 mm ideal para utilização em chapas ou para reforços ocultos� Cabeça sextavada de L > 600 mm para facilitar a aderência com o aparafusador�

CHROMIUM VI FREE Ausência total de crómio hexovalente� Conformidade com as mais rigorosas normas de regulamentação das substâncias químicas (SVHC)� Informações REACH disponíveis�

9,0 | 11,0 | 13,0 mm L ≤ 600 mm

13,0 mm L > 600 mm

CARATERÍSTICAS FOCUS

conexões 45°, levantamentos e reforços

CABEÇA

de embeber com nervuras para L ≤ 600 mm sextavada para L > 600 mm

DIÂMETRO

9,0 | 11,0 | 13,0 mm

COMPRIMENTO

de 100 a 1200 mm

MATERIAL Aço carbónico electrogalvanizado�

CAMPOS DE APLICAÇÃO • madeira maciça e lamelar • CLT, LVL • painéis à base de madeira • madeiras de alta densidade Classes de serviço 1 e 2.

564 | VGS | PARAFUSOS E PREGOS PARA CHAPAS

ETA 11/0030


CÓDIGOS E DIMENSÕES d1

CÓDIGO

[mm]

L

b

[mm]

[mm]

pçs

d1

CÓDIGO

[mm]

L

b

[mm]

[mm]

pçs

VGS9100

100

90

25

VGS11275

275

265

VGS9120

120

110

25

VGS11300

300

290

25

VGS9140

140

130

25

VGS11325

325

315

25

VGS9160

160

150

25

VGS11350

350

340

25

VGS9180

180

170

25

VGS11375

375

365

25

VGS9200

200

190

25

390

25

220

210

25

VGS11400 11 TX 50 VGS11450

400

VGS9220

450

440

25

VGS9240

240

230

25

VGS11500

500

490

25

VGS9260

260

250

25

VGS11550

550

540

25

280

270

25

VGS11600

600

590

25

300

290

25

VGS11700

700

690

25

9 VGS9280 TX 40 VGS9300

25

VGS9320

320

310

25

VGS11800

800

790

25

VGS9340

340

330

25

VGS13100 (NO RIBS)

100

90

25

VGS9360

360

350

25

VGS13150 (NO RIBS)

150

140

25

VGS9380

380

370

25

VGS13200 (NO RIBS)

200

190

25

VGS9400

400

390

25

300

280

25

VGS9440

440

430

VGS9480

480

470

VGS9520

520

VGS11100

25

13 VGS13300 TX 50 VGS13400

400

380

25

25

VGS13500

500

480

25

510

25

VGS13600

600

580

25

100

90

25

VGS13700

700

680

25

VGS11125

125

115

25

VGS11150

150

140

25

11 VGS11175 TX 50 VGS11200

175

165

25

200

190

25

VGS13800 13 VGS13900 SW 19 VGS131000 TX 50 VGS131100

VGS11225

225

215

25

VGS131200

VGS11250

250

240

25

800

780

25

900

880

25

1000

980

25

1100

1080

25

1200

1180

25

Para mais detalhes, consultar o catálogo “Parafusos e conectores para madeira”�

ANILHA VGU CÓDIGO VGU945 VGU1145 VGU1345

parafuso

dv

[mm]

[mm]

pçs

VGS Ø9 VGS Ø11 VGS Ø13

5 6 8

25 25 25

GANCHO WASP CÓDIGO WASP

capacidade máx.

pçs

[kg] 1300

2

RESISTÊNCIA À TRAÇÃO Ideal nas ligações onde é pedida uma elevada resistência à tração ou deslizamento� Possibilidade de utilização em chapas em aço em combinação com a anilha VGU�

TITAN V Valores testados, certiicados e calculados também para a ixação de chapas standard Rothoblaas�

PARAFUSOS E PREGOS PARA CHAPAS | VGS | 565


GEOMETRIA E CARACTERÍSTICAS MECÂNICAS VGS Ø9 - Ø11 t1 S

d2 d1

V

X

G

X

X

dk

90°

ds b 45°

L

Diâmetro nominal

d1

[mm]

9

11

Diâmetro da cabeça

dk

[mm]

16,00

19,30

Diâmetro do núcleo

d2

[mm]

5,90

6,60

Espessura da cabeça

t1

[mm]

6,50

8,20

Diâmetro do pré-furo

dv

[mm]

5,0

6,0

Momento de cedência característico

My,k

[Nm]

27,2

45,9

Parâmetro característico de resistência à extracção*

fax,k

[N/mm2]

11,7

11,7

Densidade associada

ρa

[kg/m3]

350

350

Resistência característica à tração

ftens,k

[kN]

25,4

38,0

fy,k

[N/mm2]

1000

1000

Resistência característica à tensão

* Válido para softwood - densidade máxima 440 kg/m3. Para aplicações com materiais diferentes (ex., LVL) ou com densidade elevada, consultar ETA-11/0030.

VGS Ø13

t1

t1

ds

X

G

ds SW

L

L ≤ 600 mm

X

duk

b 45°

V

S

X

d2 d1

X

V

S

G

X

X

dk

90°

L > 600 mm

Diâmetro nominal

d1

[mm]

13 [L ≤ 600 mm]

13 [L > 600 mm]

Diâmetro da cabeça

dk

[mm]

22,00

-

Medida da chave

SW

-

SW 19

Diâmetro do núcleo

d2

[mm]

8,00

8,00

Espessura da cabeça

t1

[mm]

9,40

7,50

Diâmetro sub-cabeça

duk

[mm]

-

15,0

Diâmetro do pré-furo (*)

dv

[mm]

8,0

Momento plástico característico

My,k

[Nm]

70,9

fax,k

[N/mm2]

11,7 350

Parâmetro característico de resistência à extracção* Densidade associada

ρa

[kg/m3]

Resistência característica à tração

ftens,k

[kN]

53,0

Resistência característica à tensão

fy,k

[N/mm2]

1000

* Válido para softwood - densidade máxima 440

kg/m3.

Para aplicações com materiais diferentes (ex., LVL) ou com densidade elevada, consultar ETA-11/0030.

566 | VGS | PARAFUSOS E PREGOS PARA CHAPAS


FIXAÇÕES (CONSUMÍVEIS ENCINTADOS) PARA MADEIRA 3522 CRAVADORA DE PREGOS ANKER 25° CÓDIGO

Ø prego

cintagem

disparo

plástico

unitário

4,1

cintagem

HH3522

pçs

• • •

1000

[mm] HH3522

peso [kg]

4

JOGO DE PREGOS ANKER - K25° CÓDIGO

dxL [mm]

HH10401443

4,0 x 40

galvanizados

plástico

HH10401445

4,0 x 50

galvanizados

plástico

HH10401446

4,0 x 60

galvanizados

plástico

L

1000 1000 d

25°

d

34°

d

34°

0116 CRAVADORA DE PREGOS ANKER 34° CÓDIGO

Ø prego

cintagem

disparo

peso

plástico

unitário

2,36

cintagem

ATEU0116

pçs

• • •

2000

[mm] ATEU0116

[kg]

4

JOGO DE PREGOS ANKER - K34° CÓDIGO

dxL [mm]

HH20006080

4,0 x 40

galvanizados

plástico

HH20006085

4,0 x 50

galvanizados

plástico

HH20006090

4,0 x 60

galvanizados

plástico

L

2000 2000

3822 CRAVADORA DE PREGOS ANKER CÓDIGO

Ø prego

cintagem

disparo

[mm] HH3822

4

peso [kg]

papel/plástico

unitário

3,6

cintagem

HH3822

pçs

• • •

1250

JOGO DE PREGOS ANKER - P34° CÓDIGO

dxL [mm]

HH10401741

4,0 x 40

galvanizados

papel

HH10401742

4,0 x 50

galvanizados

papel

HH10401743

4,0 x 60

galvanizados

papel

1250

L

1250

3731 CRAVADORA DE PREGOS PALMAR CÓDIGO

Ømáx cabeça do prego

pregos compatíveis

disparo

pregos avulsos LBA

unitário

[mm] HH3731

9

peso [kg] 2,5

PARAFUSOS E PREGOS PARA CHAPAS | FIXAÇÕES (CONSUMÍVEIS ENCINTADOS) PARA MADEIRA | 567


HBS COIL

ETA 11/0030

PARAFUSOS HBS ENCINTADOS UTILIZAÇÃO RÁPIDA E EM SÉRIE Instalação rápida e precisa� Execução rápida e segura graças ao encintado especial�

HBS 6,0 mm Disponível também no diâmetro 6,0 mm ideal para a ixação rápida de ligações parede-parede nas estruturas CLT�

CARATERÍSTICAS FOCUS

parafuso HBS de ligação

CABEÇA

de embeber com nervuras sub-cabeça

DIÂMETRO

de 4,0 a 6,0 mm

COMPRIMENTO

de 30 a 80 mm

VÍDEO Digitalize o QR Code e assista ao vídeo no nosso canal YouTube

MATERIAL Aço carbónico electrogalvanizado�

CAMPOS DE APLICAÇÃO • madeira maciça e lamelar • CLT, LVL • painéis à base de madeira • madeiras de alta densidade Classes de serviço 1 e 2�

568 | HBS COIL | PARAFUSOS E PREGOS PARA CHAPAS


CÓDIGOS E DIMENSÕES d1

CÓDIGO

[mm] 4 TX 20 4,5 TX 20

L

b

A

pçs

[mm]

[mm]

[mm]

d1 [mm]

HZB430

30

16

14

3000

HZB440

40

24

16

2000

HZB450

50

24

26

1500

HZB4550

50

24

CÓDIGO

26

5 TX 25 6 TX 30

1500

L

b

A

pçs

[mm]

[mm]

[mm]

HZB560

60

30

30

1250

HZB570

70

35

35

625

HZB580

80

40

40

625

HZB670

70

40

30

625

HZB680

80

40

40

625

PRODUTOS ADICIONAIS CÓDIGO

HH3373

HH3372

descrição

d1

carregador automático para aparafusador com bateria a 18 M BL carregador automático para aparafusador com bateria a 18 M BL

comprimentos pçs

[mm]

[mm]

4,0

25-50

1

4,5 - 6,0

40-80

1

HH3352

parafusadora eléctrica

4,0

25-50

1

HH3338

parafusadora eléctrica

4,5 - 6,0

40-80

1

HH14411591

extensão

-

-

1

HZB6PLATE

chapa adaptadora para HZB Ø6

-

-

1

HH14000621

bit TX30 M6 para HZB Ø6

-

-

1

HH3372

HH3338

APLICAÇÃO HBS COIL Ø6 mm As chapas adaptadoras para a utilização dos parafusos HBS COIL com 4,0, 4,5 e 5,0 de diâmetro já são fornecidas com os respetivos carregadores dos aparafusadores� Para utilizar os parafusos HBS COIL com 6,0 de diâmetro, é necessário substituir as chapas fornecidas pela chapa adaptadora HZB6PLATE especíica� Para os parafusos HBS COIL com 6,0 de diâmetro também é necessário utilizar o bit TX30 especíico (cód� HH14000621)� Recomenda-se a utilização da extensão HH14411591 para facilitar a instalação dos parafusos em planos horizontais�

HH14411591

HZB6PLATE

HH14000621

GEOMETRIA

B

S

H

dk

X X

A

d2 d1

90°

t1

ds b L

Diâmetro nominal

d1

[mm]

4

4,5

5

6

Diâmetro da cabeça

dk

[mm]

8,00

9,00

10,00

12,00

Diâmetro do núcleo

d2

[mm]

2,55

2,80

3,40

3,95

Diâmetro da haste

ds

[mm]

2,75

3,15

3,65

4,30

Espessura da cabeça

t1

[mm]

2,80

2,80

3,10

4,50

Diâmetro do pré-furo

dv

[mm]

2,5

2,5

3,0

4,0

PARAFUSOS E PREGOS PARA CHAPAS | HBS COIL | 569


LISTA DOS PRODUTOS


LISTA DOS PRODUTOS CHAPAS E CONECTORES PARA MADEIRA produto

descrição

pág.

ALU START

sistema em alumínio para a ligação dos edifícios à terra

266

ALU TERRACE

peril em alumínio para terraços

452

ALUMAXI

ligador oculto com e sem furos

38

ALUMIDI

ligador oculto com e sem furos

26

ALUMINI

ligador oculto sem furos

BRACE

chapa com dobradiça

448

BSA

estribos metálicos com asas externas

368

BSI

estribos metálicos com asas internas

376

DISC FLAT

ligador oculto removível

108

DISC FLAT A2

ligador oculto removível

116

F70

porta-pilar em “T”

414 466

18

FLAT | FLIP

conector para terraços

GAP

conector para terraços

470

GATE

ixações para portões

450

GRANULO

base de borracha granular

476

GROUND COVER

tela antivegetal para alicerces

474

JFA

suporte regulável para terraços

464

LBB

ita furada

386

LBV

chapas furadas

380

LOCK C CONCRETE

ligador oculto de engate madeira-betão

84

LOCK T TIMBER

ligador oculto de engate madeira-madeira

60

LOCK T EVO TIMBER

ligador oculto de engate madeira-madeira para exterior

LOG

angulares para log house

NAG

pad nivelador

475

NEO

chapas de apoio em neoprene

138

P10 - P20

porta-pilar em tubo para imergir

424

PILLAR

sistema de ligação pilar - laje

308

PROFID

peril espaçador

479

R10 - R20 - R30

porta-pilar regulável

398

R40

porta-pilar regulável

340

R70

porta-pilar regulável

407

R90

porta-pilar regulável

407

ROUND

ligações para postes redondos

446

S50

porta-pilar de alta resistência

420

SBD

cavilha auto-perfurante

48

SHARP METAL

chapas enganchadas de aço

160

SLOT

conector para painéis estruturais

276

SPIDER

sistema de ligação e reforço para pilares e lajes

292

SPU

chapa de ancoragem uni para barrotes

365

STA

cavilha lisa

54

SUPPORT

suporte regulável para terraços

458

74 364

TERRA BAND UV

ita adesiva butílica

478

TERRALOCK

conector para terraços

472

TITAN F

angular para forças de corte

218

TITAN N

angular para forças de corte e tração

186

TITAN PLATE C CONCRETE

chapas para forças de corte

254

TITAN PLATE T TIMBER

chapas para forças de corte

262

TITAN S

angular para forças de corte e tração

204

TITAN SILENT

angular para forças de corte com peril fonoisolante

234

TITAN V

angular para forças de corte e tração

228

TVM

conector para terraços

468

TYP F

porta-pilares ixos

428

TYP FD

porta-pilares ixos duplos

436

TYP M

porta-pilares mistos

440 104

UV-C CONCRETE

ligador oculto de engate madeira-betão

UV-T TIMBER

ligador oculto de engate madeira-madeira

94

VGU

anilha 45° para VGS

124

VGU PLATE T TIMBER

chapa para forças de tração

132

WBO - WVS - WHO

angulares diversos

360

572 | LISTA DOS PRODUTOS


CHAPAS E CONECTORES PARA MADEIRA produto

descrição

pág.

WBR

angulares para edifícios

340

WBR A2 | AISI304

angulares em aço inoxidável

346

WHT

angular para forças de tração

174

WHT PLATE C CONCRETE

chapas para forças de tração

242

WHT PLATE T TIMBER

chapas para forças de tração

250

WKF

angulares para fachadas

358

WKR

angulares reforçados para casas

348

WZU

angular para forças de tração

352

X-RAD

sistema de ligação X-RAD

324

X10

porta-pilar em cruz

408

XEPOX

adesivo epoxídico bicomponente

146

ANCORANTES PARA BETÃO produto

descrição

pág.

AB1

ancorante pesado de expansão CE1

494

AB1 A4

ancorante pesado de expansão CE1 de aço inoxidável

496

AB7

ancorante pesado de expansão CE7

498

ABS

ancorante pesado de expansão com banda CE1

500

ABU

ancorante pesado de expansão

502

AHS

ancorante pesado para ixação não passante

503

AHZ

ancorante de peso médio

503

EPO-FIX PLUS

ancorante químico epoxídico de altas prestações

517

IHP - IHM

buchas para materiais furados

521

INA

barra roscada de classe de aço 5�8 para ancorantes químicos

520

MBS

parafuso auto-roscante de cabeça cilíndrica para construção de tijolos

508

NDB

bucha prolongada para batidas com parafuso em forma de prego

506

NDC

bucha prolongada de nylon CE com parafuso

504 507

NDK

bucha universal de nylon

NDL

bucha universal de nylon prolongada

507

NDS

bucha prolongada com parafuso

506 488

SKR | SKS

ancorante parafusável para betão

SKR-E | SKS-E

ancorante parafusável para betão CE1

491

VIN-FIX

ancorante químico à base de viniléster sem estireno

509

VIN-FIX PRO

ancorante químico à base de viniléster sem estireno

511

VIN-FIX PRO NORDIC

ancorante químico de viniléster para baixas temperaturas

514

PARAFUSOS ROSCA MÉTRICA E BARRAS produto

descrição

pág.

DBB

conectores de superfície DIN 1052

540

EKS

parafuso rosca métrica de cabeça sextavada

532

KOS

parafuso rosca métrica de cabeça sextavada

526

KOT

parafuso rosca métrica de cabeça redonda

531

MET

barras roscadas, porcas e anilhas

534

ZVB

engate para contraventamentos

542

PARAFUSOS E PREGOS PARA CHAPAS produto

descrição

pág.

HBS COIL

parafusos HBS encintados

568

HBS PLATE

parafuso com cabeça troncocónica para chapas

556

HBS PLATE EVO

parafuso de cabeça troncocónica

560

KKF AISI410

parafuso de cabeça troncocónica

562

LBA

prego de aderência melhorada

548

LBS

parafuso com cabeça redonda para chapas

552

VGS

conector totalmente roscado de cabeça de embeber ou sextavada

564

LISTA DOS PRODUTOS | 573


A Rotho Blaas Srl não garante a conformidade legal e/ou com a conceção dos dados e cálculos, disponibilizando ferramentas indicativas como o serviço técnico-comercial no âmbito da atividade comercial. A Rotho Blaas Srl segue uma política de desenvolvimento contínuo dos seus produtos, reservando-se assim o direito de modificar as suas características, especificações técnicas e outra documentação sem aviso prévio. É dever do utilizador ou do projetista responsável verificar em cada utilização a conformidade dos dados com as normas em vigor e com o projeto. A responsabilidade final pela escolha do produto adequado para uma aplicação específica cabe ao utilizador/projetista. Os valores resultantes de “investigações experimentais” baseiam-se nos resultados reais dos testes e são válidos apenas para as condições de teste indicadas. A Rotho Blaas Srl não garante e, em nenhum caso, pode ser responsabilizada por danos, perdas e custos ou outras consequências, a qualquer título (garantia contra defeitos, por mau funcionamento, responsabilidade do produto ou legal, etc.) decorrentes da utilização ou impossibilidade de utilização dos produtos para qualquer finalidade e utilização indevida do produto; A Rotho Blaas Srl isenta-se de qualquer responsabilidade por eventuais erros de impressão e/ ou digitação. Em caso de divergências de conteúdos entre as versões do catálogo nas diferentes línguas, o texto italiano é vinculativo e prevalece sobre as traduções. As ilustrações são parcialmente completadas com acessórios não incluídos. As imagens são meramente ilustrativas. As quantidades dentro das embalagens podem variar. O presente catálogo é propriedade privada da Rotho Blaas Srl e não pode ser copiado, reproduzido ou publicado, nem sequer em parte, sem o prévio consentimento por escrito. Toda e qualquer violação será perseguida por lei. As condições gerais de compra da Rotho Blaas Srl podem ser consultadas sítio web www.rothoblaas.pt Todos os direitos reservados. Copyright © 2019 by Rotho Blaas Srl Todos os render © Rotho Blaas Srl


FIXAÇÃO VEDAÇÃO DO AR E IMPERMEABILIZAÇÃO ACÚSTICA ANTIQUEDA MÁQUINAS E FERRAMENTAS

02|20

A Rothoblaas é a multinacional italiana que transformou a inovação tecnológica na sua própria missão, tornandose em poucos anos líder em tecnologias para construções de madeira e para a segurança� Graças à gama completa e a uma rede de vendas capilar e tecnicamente preparada, comprometeu-se a transferir este know how a todos os seus clientes, propondo-se como parceiro principal para o desenvolvimento e a inovação de produtos e técnicas de construção� Tudo isto contribui para uma nova cultura da construção sustentável, direcionada para aumentar o conforto habitacional e reduzir as emissões de CO2�

COD

Via dell‘Adige N�2/1 | 39040, Cortaccia (BZ) | Italia Tel: +39 0471 81 84 00 | Fax: +39 0471 81 84 84 info@rothoblaas�com | www�rothoblaas�pt

01PLATES1PT

Rotho Blaas Srl