Page 1

PARAFUSOS PARA MADEIRA


As quantidades dentro das embalagens podem variar. Não nos responsabilizamos por eventuais erros de impressão, dados técnicos e traduções. Ilustrações parcialmente com acessórios. Imagens para fins ilustrativos. O presente catálogo é de propriedade exclusiva da Rotho Blaas srl e não pode ser copiado, reproduzido ou publicado, nem sequer em trechos, sem o prévio consentimento por escrito. Toda e qualquer violação será perseguida por lei. Os valores fornecidos devem ser verificados pelo projectista responsável. Não nos responsabilizamos por eventuais erros de imprensa ou de dactilografia. Todos os direitos reservados. Copyright © 2014 by rothoblaas

3


MUNIQUE

INNSBRUCK BREGENZ

MILテグ

4


SALISBURGO

BOLZANO

Rotho Blaas SRL

TRENTO

VENEZA

VERONA

MÂNTUA

Rothoblaas é uma empresa multinacional italiana originária da região alpina e líder no desenvolvimento e fornecimento de soluções de alto conteúdo tecnológico no sector das construções civis de madeira.

5


SEDE PRINCIPAL

Na nossa empresa, tudo o que se refere aos produtos é realizado internamente. Cuidamos de todo o processo, desde a ideia até ao desenvolvimento e a saída para o mercado. Projectamos, realizamos ensaios, efectuamos os controlos dos produtos e acompanhamos todo o processo de certificação. Preparamos as fichas técnicas, as particularidades de fabrico, desenvolvemos os softwares para o cálculo e a verificação, oferecemos uma consultoria completa. realizamos

Ocupamo-nos os

catálogos,

do

marketing,

encarregamo-

nos directamente de todos os aspectos da embalagem e da etiquetagem. E dispomos de todas estas competências dentro da empresa.

Robert Blaas

Tencionamos realizar produtos que nos diferenciem, mesmo em relação a um só pormenor.

6

Peter Lang


7


SEDE DE CORTACCIA

ROTHO BLAAS NO MUNDO

A Rotho Blaas foi criada em 1991 como

CONSOCIADAS NA EUROPA

distribuidora de máquinas de instrumentos para a laboração da madeira. No decurso dos anos, especializou-se no sector das construções de madeira, crescendo e estruturando-se

Rotho Blaas France SARL France - Colmar

de maneira cada vez mais completa. Hoje, a

Rotho Blaas GMBH

empresa é uma das principais actuantes do

Rotho Blaas Iberica SL

Austria - Innsbruck

sector ao nível internacional, estando presente

Spain - Manresa

em 25 países, com 7 centros logísticos no

Rotho Blaas RU

mundo e mais de 250 colaboradores, em um aumento constante.

Russia - Saint Petersburg

Rotho Blaas Baltic SIA Latvia - Riga

Na base do actual sucesso internacional da Rotho Blaas, há uma visão bem clara: tornar-se o ponto de referência no sector das construções de madeira ao nível mundial até 2020. Todavia,

CONSOCIADAS NA AMÉRICA DO SUL

esta visão global não contrasta com a forte ligação da empresa com o território local, que nunca cessou de existir durante o percurso de

Rotho Blaas Argentina SRL

crescimento, o qual, ao contrário, o reforçou

Argentina - Buenos Aires

ainda mais. Hoje em dia, a Rotho Blaas está presente em todo o mundo, desde a América do Sul até à Ásia. A Itália ainda é o mercado principal, destinado a se deslocar, porém, nos próximos anos, para fora das suas fronteiras.

8

Rotho Blaas Brasil LTDA Brasil - Curitiba

Rotho Blaas Colombia SAS Colombia - Bogotà

Fastener Soluciones SA Ecuador - Quito

Rotho Blaas Chile SPA Chile - Santiago


Estamos aptos a chegar a todos os lugares

cada ano...

60000 35000 t 28 EXPEDIÇÕES

MERCADORIA MOVIMENTADA

mio

km

PERCORRIDOS PELA MERCADORIA 9


QUALIDADE E INOVAÇÃO

mais de

10000

OUVINTES NOS NOSSOS CURSOS/SEMINÁRIOS

mais de

30000 VISITAS ANUAIS NO SITE WEB

mais de

8000 CONSULTAS POR ANO

10

school • formação orientada para profissionais e projectistas • cursos dedicados para empresas, associações de sector, escolas superiores e universidades • amplas áreas didácticas bem equipadas, com mais de 300 m2 • sala de ensaios práticos • serviço Rothobar para eventos como apresentações, jantares empresariais, mostras, congressos


web support • • • •

escolha o idioma desfolhe e baixe os nossos catálogos softwares de cálculo contacto directo para informações ou consultas

www.rothoblaas.com

• apoio técnico a profissionais e clientes do sector • consulta especializada para os projectos e para o estaleiro • relatórios de cálculo • ampla gama de produtos

11


A NOSSA HISTÓRIA Há mais de 20 anos a serviço dos que projectam e realizam construções de madeira. transferência para a nova e arrojada sede de Cortaccia (BZ) comercialização de sistemas de fixação fundação em Bolzano

transferência dos escritórios e

início da actividade

do armazém para Ora (BZ)

de exportação para Eslovénia e Espanha

1991

1996

no comércio, estão

2001

2003

criação da divisão técnica dentro da empresa

disponíveis somente poucos parafusos, com dimensões máximas de 5 x 100 mm a Rotho Blaas torna-se produtora

os parafusos produzidos atingem

melhoramentos geométricos: fresa e entalhe

um comprimento de até 200 mm, com Ø máximo de 6 mm

HBS

TBS

12

2004

2005


a Rothoblaas desempenha

ampliação da sede de abertura da consociada

Cortaccia (BZ):

um papel de liderança no

Rotho Blaas France SARL

57.000 m3 totais, com

sector das construções civis, nomeadamente na de

armazém de 4.250 m2

madeira...

abertura das consociadas e de armazéns Rotho Blaas Baltic SIA na Letónia, Fastener Soluciones SA no Equador, Rotho Blaas Colombia SAS e Rotho Blaas Chile SPA

abertura da

abertura das consociadas e dos armazéns

consociada Rotho

Rotho Blaas RU na Rússia, Rotho Blaas

Blaas GMBH Áustria

Argentina SRL e Rotho Blaas Brasil LTDA

abertura da

abertura da consociada e

consociada Rotho

do armazém na Austrália

Blaas Ibérica SL

2006

2007

2008

SKR

2009

2010

2011

2012

2013

2014

2020

um dos líderes mundiais no mercado de parafusos

DGZ

gama com mais de 40 tipologias de parafusos e 700 códigos de artigo primeira HTS

produtora CE SCI

segundo EN na Europa

VGS

EWS

SHS

HBS +evo

entrada no mundo das fixações para ambiente exterior

CEEN14592 KKT

VGZ

KKF

um dos primeiros produtores CE segundo ETA na Europa ETA 11/0030

13


PRODUÇÃO A Rothoblaas é uma produtora moderna: projecta, fabrica, certifica e comercializa os seus produtos com o seu próprio nome e marca. Cada fase do processo produtivo é sistematicamente controlada (FPC) e todo o procedimento é severamente supervisionado por outros organismos certificados, os quais aprovam e garantem o seu correto desenvolvimento.

Matéria prima O fio de aço entra no estabelecimento depois do controlo

verificação geométrica conforme tolerâncias e calibragens normativas

4. Entalhe da ponta Entalhe preciso em posição recuada sobre a ponta autoperfurante

Limpeza do aço As bobinas do fio de aço são cuidadosamente lavadas

123456

HBS

3. Laminação Criação da rosca até à ponta e da fresa

RASTREABILIDADE A matéria prima de entrada é registada para garantir a sua rastreabilidade quer após a produção quer

1. Corte longitudinal O fio de aço é introduzido na máquina all-in-one

durante a comercialização do produto

verificação, controlo e registo da matéria prima de entrada

2. Moldagem da cabeça Múltiplas estampagens a frio, com indicação do nome e do comprimento

PRODUÇÃO MODERNA COM M

14


10. Venda e rastreabilidade Com o número de lote e a ordem de venda é possível obter todas as fases produtivas registadas nos relativos controlos: dessa forma, o cliente tem a segurança de receber um produto certificado e de qualidade

QUALIDADE DO AÇO Com o processo de cozedura e temperagem do aço, o parafuso

9. Controlo de qualidade na Rothoblaas O procedimento do controlo de fábrica (FPC) prossegue com uma segunda fase d e controlos geométricos e mecânicos efectuados na Rothoblaas

Rothoblaas atinge o perfeito equilíbrio entre resistência (fyk = 1000 N/mm2) e ductilidade (excelente possibilidade de se dobrar), graças a um know-how de fabrico de alto nível

8. Chegada à Rothoblaas Aceitação das mercadorias de entrada e encaminhamento delas ao Laboratório de Controlo de Qualidade

verificação da embalagem e da etiqueta 5. Tratamento a quente Temperagem do aço em fornos modernos especiais

7. Embalagem e etiquetagem Linha mecanizada de enlatamento e etiquetagem 6. Zincagem e enceração Zincagem galvânica em tanque electrolítico, com sucessiva enceração anti-atrito

1 2 3 4

verificação mecânica: resistência final à torsão, à tracção e ângulo de dobragem

Rotho Blaas ETA-11/0030 1034 DoP: www.rothoblaas.com

CE  ETA  DoP A Rothoblaas, na qualidade de fabricante, é responsável pelos produtos conforme o ETA de que é titular. Tais produtos devem trazer a marcação CE de acompanhamento, normalmente posta na etiqueta, assumindo, assim, validade legal; dela devem constar verificação da espessura da zincagem e ensaio por amostragem em névoa salina

MÁQUINAS ALL-IN-ONE

as seguintes informações: 1. IDENTIFICAÇÃO DO FABRICANTE 2. NÚMERO DE ETA 3. NÚMERO DO ORGANISMO OFICIAL DE INSPECÇÃO E VIGILÂNCIA 4. DECLARAÇÃO DAS PRESTAÇÕES DoP

15


APOIO DA ROTHO BLAAS As problemáticas técnicas e aplicativas relativas à projectação e execução de uma obra podem ser resolvidas com a escolha de produtos e soluções correctas, graças ao apoio de um escritório técnico composto por consultores e profissionais especializados.

No

nosso

escritório,

16

técnicos

altamente

especializados ocumpam-se de idealizar novos produtos, realizar fichas técnicas, elaborar modelos de cálculo, desenvolver instrumentos de apoio à projectação e softwares. Estamos aptos a oferecer

16 TÉCNICOS à disposição

8000

CONSULTAS

11

cursos ESPECIALIZADOS EM VÁRIOS IDIOMAS

em 2013

a projectistas, técnicos e instaladores, um serviço de consultoria orientada a obter dos nossos produtos a máxima eficiência e desempenho. Fornecemos referências normativas, apoio ao cálculo,

documentação

técnica,

certificações

de acompanhamento e assistência em fase de instalação.

550 PARTICIPANTES em 2013

6 CATÁLOGOS 6900

ARTIGOS

96 SEMINÁRIOS em 2013

em todo o mundo

10000

16

PARTICIPANTES


FIXAÇÃO

IMPERMEABILIZAÇÃO

ANTIQUEDA

análises e soluções para

aposição de linhas de vida

problemáticas acústicas consultoria e controlo para

resolução de problemáticas

dispositivos de protecção

projectuais e de realização

individual DPI

projectação específica do cálculo estático

pormenor requerido

assistência para a montagem

consulta directa e

apoio técnico a clientes

formação técnica

e técnicos do sector

No nosso site estão disponíveis instrumentos para a projectação: catálogos, desenhos técnicos, folhetos de instrução, fichas técnicas e itens de cadernos de encargos, softwares de cálculo e vídeos.

Peça a sua consulta em

www.rothoblaas.com

17


SOFTWARES ROTHO BLAAS Graças à facilidade de utilização dos nossos softwares, é possível analisar e verificar facilmente uma vasta quantidade de ligações de projecto, desfrutando da ampla gama de fixações estruturais.

MyProject: uma interface simples, intuitiva, única,

as indicações de instalação e ilustrações explicativas,

para o cálculo e a verificação dos nossos sistemas.

permitem que o projectista se concentre nas escolhas

A criação automática do relatório de cálculo, a

projectuais, comparando-as entre si e optando por

disponibilidade on-line das certificações do produto,

aquela melhor.

MYPROJECT

HBS - TBS - HBS+evo parafusos de corte

VGS reforços

VGZ juntas de corte

DGZ fixação isolante

WS juntas flexíveis

OUTROS SOFTWARES

VB lajes de madeira - cimento

WT - WRT - UD juntas e reforços

Descubra-os todos em www.rothoblaas.com

18

staffa ALU junta de corte


Possibilidade de escolha entre as modalidades de cálculo conforme Eurocódigo 5 (EN 1995:2008) e NTC 2008 (DM 14/01/2008), de acordo com os certificados de produto.

a4c a2 na1

dice 5

a3t a1

Euro co

F

α1=0

NORMAS DE CÁLCULO

na2

α2

INSTRUÇÕES GRÁFICAS Janela dedicada à interpretação gráfica dos dados inseridos, para uma correcta gestão do cálculo.

8

1 2 7

9 3 6

9 5 4 4

CÁLCULO DAS CARGAS ATMOSFÉRICAS Computação das cargas atmosféricas que agem sobre a estrutura, através da inserção da cidade de localização e da descrição da obra.

CERTIFICAÇÕES Documentos de acompanhamento do produto ao alcance de um clique com o rato, prontos para ser impressos e anexados ao relatório.

RELATÓRIO DE CÁLCULO 100

0

Criação do relatório personalizado e pronto para o uso, dotado de cálculo com verificações, especificações de produto, cómputo métrico e indicações sobre a aposição.

INSERÇÃO DE DADOS Indicações passo a passo para a correcta inserção dos dados e o controlo imediato da congruência projectual da ligação.

19


EMPACOTAMENTO Como todos os produtos Rothoblaas, também o empacotamento é feita com os máximos cuidados. A inovação e a eco-sustentabilidade orientam cada aspecto da sua projectação, desde a embalagem até ao empacotamento do pallet.

CAIXA

EMBALAGEM COM TAMPA

Praticidade e robustez

Protecção e design

As embalagens Rothoblaas adaptam-se às exigências

A paletização nas embalagens especiais de papelão

quer do carpinteiro quer do artesão: graças à dupla

reciclado com tampa, protege-as contra a humidade,

abertura, permitem uma utilização prática no

estragos e sujidades, para além de garantir a

estaleiro ou no estabelecimento. Para além disso,

reconhecibilidade do estilo Rothoblaas.

a dupla estrutura reforçada torna-as resistentes a colisões e intempéries. Da embalagem constam o inserto bit e o documento de acompanhamento com marcação CE.

20


GAMA COMPLETA A diferente combinação das características geométricas e tecnológicas de um parafuso, oferece uma gama completa de soluções em que cada aplicação encontra a sua correcta utilização.

CABEÇA A geometria da cabeça determina o grau de acabamento estético da fixação e a resistência à penetração do parafuso na madeira

ROSCA A tecnologia da rosca determina a capacidade de avanço do parafuso na madeira (velocidade e desempenho) e o tipo de material em que o parafuso consegue abrir uma rosca

PONTA A geometria da ponta determina a modalidade de inserção do parafuso no suporte, o qual pode variar desde a madeira macia até àquela dura, ao aço, ao cimento

MATERIAL E REVESTIMENTO A escolha do material do parafuso é fundamental quando a fixação é feita em classe de serviço 3, ou em ambiente exterior e sob condições agressivas, onde o parafuso pode ficar sujeito à corrosão

21


ESCAREADA COM NERVURAS [HBS] [HZB] [SCH] [SCI] [SBS] [SPP] [VGS] LARGA [TBS]

ESCAREADA LISA [HTS] [DRS] [DRT] [WRT] [SKS] [SBN] [SCS]

ESCAREADA A 60° [SHS] [SHS-AS]

ASSIMÉTRICA, EM FORMA DE “GUARDA-CHUVA” [HBS] [HZB] [TBS] [SCH] [HBS+evo]

REDONDA [LBS]

REGULAR VELOZ [VGZ] [VGS] [WT] [WRT] [DGZ] [UD] [EWS] [SCI]

EXAGONAL [KOP] [SKR]

REGULAR LENTA [HTS] [SHS] [LBS] [DWS] [HZD] [VB] [KKF] [miniWT] [MCS]

CÓNICA [KKT]

TRILOBADA [KKT]

TRONCO-CÓNICA [HBS+evo] [KKF] [HZK]

QUADRILOBADA [EWS]

ABAULADA [EWS] [MCS]

DE PASSO FINO PARA AÇO [SBS] [SPP] [SCS] [SBN]

CILÍNDRICA [VGZ] [DGZ] [MBS]

P/ MADEIRA CLÁSSICA [KOP] [WB]

CILÍNDRICO SFS [WT] [UD] [WS] [miniWT]

MÉTRICA + MADEIRA [MWS] [SOL]

BÚSSOLA [VB]

C/ DUPLO DISTANCIADOR [DRS] [DRT]

TROMBETA [DWS] [HZD]

HI-LOW [MBS] [SKR] [SKS]

CABEÇA 22

ROSCA


GAMA COMPLETA

a combinação

ideal

SHARP [HBS] [HZB] [HTS] [LBS] [DRT] [SCH] [DWS] [HZD] [MCS] SHARP 1 CUT [HBS] [HZB] [SHS] [DRS] [SCH] [KKT] [HBS+evo] [KKF] [VGZ] [VGS] [DGZ]

AÇO CARBÓNICO + ZINCAGEM GALVÂNICA [HBS] [TBS] [HTS] [SHS] [LBS] [DRS] [DRT] [SCH] [KOP] [MBS] [VGZ] [DGZ] [VGS] [WB] [WS] [VB] [SKR] [SKS] [SBS] [SPP] [SBN] [MWS]

SHARP 2 CUT [KKT]

AÇO CARBÓNICO + DUROCOAT [WT] [WRT] [UD] [miniWT]

SHARP 4 CUT [EWS]

AÇO CARBÓNICO + ZINCAGEM ORGÂNICA [KKT]

DE RESPIRO [DRS] [WT] [miniWT]

AÇO CARBÓNICO + REVODIP [HBS+evo]

PERFURADORA [WRT] [WT]

AÇO INOXIDÁVEL AISI 410 / MARTENSÍTICO [KKF] [HZK] [EWS] [SHS-AS]

EM FORMA DE GANCHO [UD]

AÇO INOXIDÁVEL AISI 304/A2 [SCI] [miniWT] [MCS] [SOL] [WBAZ]

P/ MADEIRA - AÇO [SBS] [SPP] [SCS] [SBN]

AÇO INOXIDÁVEL AISI 316/A4 [SCI] [KKT]

P/ AÇO [WS]

BI-METÁLICO AÇO INOXIDÁVEL + AÇO CARBÓNICO [SCS]

P/ MADEIRA CLÁSSICA [MBS] [KOP] [MWS] [SOL]

AÇO FOSFATADO [DWS] [HZD]

P/ CIMENTO [SKR] [SKS]

ELEMENTOS DE EPDM/PP [WBAZ] [SOLBAZ] [MCS] [thermowasher] [isulfix]

PONTA

MATERIAL E

REVESTIMENTO 23


CARPINTARIA

26

HBS

32

HZB

44

TBS

46

HTS

54

SHS

58

LBS

60

DRS

64

DRT

66

SCH

68

KOP

74

MBS

82

DWS

84

HZD

85

THERMOWASHER

86

ISULFIX

87

ESTRUTURAS

24

88

VGZ

98

WT

114

DGZ

126

UD

132

VGS

136

WRT

148

WB

160

WS

164

VB

172

SKR - SKS

180


PARAFUSOS PARA MADEIRA

EXTERIOR

186

KKT

208

HBS+evo

216

KKF

222

HZK

229

SCI A2 - SCI A4

230

EWS

236

SHS AS

238

mini WT

240

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

242

SBS - SPP

244

SBN

247

SCS

248

WBAZ + TBS

250

MCS

252

MWS

254

SOL

256

260

25


26


27

1. CARPINTARIA


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

GEOMETRIA A ponta, a rosca e a cabeça caracterizam a geometria do parafuso, composto por um conjunto de partes em que o pormenor faz a diferença quanto ao desempenho.

O PARAFUSO AUTOPERFURANTE ROTHOBLAAS

28

Pormenores técnicos e geométricos garantem

passo que uma roscagem de passo lento é ideal nos

qualidade e prestação.

parafusos pequenos para garantir precisão depois da

1. PONTA AUTOPERFURANTE: é caracterizada por

parafusação.

uma geometria afiada e pontiaguda (chamada “sharp”)

4. FRESA: a geometria da fresa é estudada

com uma rosca em forma de saca-rolhas que chega

especificamente para alargar as fibras da madeira e

até à extremidade e garante um rápido e eficiente

remover as aparas criadas pelo avanço do parafuso.

ajuste inicial.

A fresa abre um espaço para a passagem da haste e

2. ENTALHE: nos parafusos de comprimento superior

limita o super aquecimento do parafuso.

a 50 mm, a ponta autoperfurante é dotada de um

5. HASTE: uma enceração superficial especial cobre a

entalhe recuado que facilita o corte das fibras em fase

haste lisa e reduz 30% do atrito em fase de parafusação.

de parafusação e reduz o risco de rachas na madeira.

6. SUBCABEÇA: os escareadores (chamados “ribs”)

A posição bem recuada do entalhe é fundamental

caracterizam-se por ter uma forma muito incisiva, apta

para garantir uma óptima capacidade de ajuste e

a cortar as aparas que saem do furo após a perfuração

perfuração da ponta.

da madeira.

3. ROSCAGEM: o passo da rosca é calibrado em

7. CABEÇA: o nome e o comprimento gravados sobre

função do diâmetro e do comprimento do parafuso:

a cabeça são garantia de rastreabilidade e consentem

uma roscagem de passo veloz é ideal nos parafusos

o reconhecimento e a verificação do parafuso também

compridos para reduzir o tempo de parafusação, ao

em fase de estaleiro.


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

1

PONTA

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

5

autoperfurante, em forma de saca-rolhas

2

ENTALHE

PASSO DA ROSCA velocidade calibrada

4

ENCERAÇÃO reduz o atrito

6

corta as fibras

3

ACESSÓRIOS

ESCAREADORES óptimo acabamento superficial

7

NOME E COMPRIMENTO reconhecibilidade e rastreabilidade

FRESA abre a passagem

o pormenor que faz

a diferença

29


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

PONTAS - DESEMPENHO A rapidez de ajuste e a facilidade de avanço são rendimentos que dependem fortemente das características geométricas da ponta do parafuso. O justo equilíbrio entre estas duas capacidades é obtido, em fase de produção, por meio de uma correcta projectação.

FACILIDADE DE AVANÇO

profundidade de penetração aplicando-se 1,0 Nm de binário de torção [mm]

ENSAIOS EXPERIMENTAIS DE PARAFUSAÇÃO

medium

120

110

good

Rosca adicional enrolada ao contrário

Protótipo Rothoblaas

Rosca adicional regular 100

Rothoblaas

Nervadura vertical e rosca hi-low

Ponta em forma de saca-rollhas, sem entalhe

90

Dupla rosca paralela na ponta 80

Ponta com rosca veloz em hélice 70

Escavação quadrada na metade da ponta

60

Entalhe na extremidade da ponta 50

bad

40 26

medium

28

30

32

34

36

38

40

profundidade de penetração depois de 1,0 s de parafusação [mm]

RAPIDEZ DE AJUSTE ESTRAGO À MADEIRA muito

pouco

nenhum Dados completos e relatório oficial arquivados no escritório técnico da Rothoblaas

30


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

PESQUISA E DESENVOLVIMENTO

KNOWHOW

Os diversos ensaios feitos na Divisão de Pesquisa

Um cuidadoso projecto tecnólogico consente que

e Desenvolvimento sobre os diferentes tipos de

se encontre o equilíbrio ideal entre a capacidade de

parafusos existentes no comércio, evidenciam que:

ajuste inicial, a facilidade de avanço do parafuso e a

• a rapidez de ajuste é obtida com uma ponta muito

redução do estrago à madeira durante a parafusação.

afiada (sharp), uma rosca veloz inicial e um perfil

Em fase de fabrico, é possível realizar um produto

cónico regular no primeiro troço;

que safisfaça plenamente as exigências do utilizador.

• a facilidade de avanço é a capacidade de o parafuso penetrar na madeira com

esforços

reduzidos graças a uma rosca lenta inicial (dupla ou ao contrário) e uma geometria irregular que facilita a remoção das aparas; • para consentir um rápido encaixe, o entalhe deve estar em posição recuada em relação à extremidade da ponta e isto é fundamental nos parafusos de comprimento superior a 50 mm, para evitar rachas durante a inserção e manter um nível aceitável de estrago à madeira.

31


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

HBS

ETA 11/0030

Parafuso de cabeça escareada Aço carbónico com zincagem galvânica branca

EMBALAGEM Caixa + folheto CE + BIT

AÇO ESPECIAL Aço de elevada ductilidade (acompanha os movimentos da madeira) e de alta resistência (fy,k = 1000 N/mm2)

ROSCA ESPECIAL Rosca assimétrica em forma de „guarda-chuva“ para uma maior capacidade de penetração na madeira

ECO-FRIENDLY Revestimento em cromo trivalente Cr3+ em substituição ao cromo exavalente Cr6

CAMPOS DE EMPREGO Ligações sobre madeira maciça, madeira lamelar, X-Lam, LVL, painéis à base de madeira. Classes de serviço 1 e 2.

32

HBS

ACESSÓRIOS


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

SEGURANÇA ESTÁTICA O rápido ajuste inicial do parafuso consente a realização de ligações estruturais seguras sob cada condição de aplicação

ESTÉTICA Os escareadores subcabeça muito afiados („ribs“) garantem um óptimo acabamento superficial

AÇO - MADEIRA Possibilidade de emprego também sobre chapas e ganchos de aço; possibilidade de utilização da anilha torneada para se obter um melhor desempenho

HBS

33


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

Aplicações Fixação de paredes lado a lado em X-Lam: ligação painel-painel

Fixação da viga horizontal ao painel armado

Fixação da vigota de cobertura à viga horizontal

Os parafusos de diâmetro compreendido entre 3,0 e 5,0 mm com comprimento inferior ou igual a 50 mm, estão dotados de uma ponta autoperfurante sem entalhe que aumenta a capacidade de alcance e ajuste do parafuso; ideais para serem utilizados com inserto unitário facilmente cambiável no porta-insertos, a fim de se obter a máxima precisão de parafusação. Os parafusos de diâmetro superior a 6,0 mm apresentam uma ponta autoperfurante com entalhe que evita o risco de rachas na madeira; ideais para serem utilizados com duplo inserto montado directamente no mandril, a fim de se obter a máxima força e estabilidade de parafusação.

500

1

Gama

600 2 3 4 5 6 7

200

ø3

ø3,5

TX10

TX10

ponta autoperfurante sem entalhe

34

HBS

ø4

TX20

ø4,5 TX20

ø5

TX25

ø6

TX30

ø8

TX40

ponta autoperfurante com entalhe

ø10

TX40

ø12

TX50

42 43 44 45 46 47 48 49 5 0 51 52 53 54 55 56 57 58 59 6 0

100

22 23 24 25 26 27 28 29 3 0 31 32 33 34 35 36 37 38 39 4 0 41

300

8 9 1 0 11 12 13 14 15 16 17 18 19 2 0 21

400


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

Códigos e dimensões d1 [mm]

3

TX10

L b

3,5

d1

TX10

4

TX20 A

4,5

TX20

5

TX25 TX20

D2

6

TX30

código HBS316 HBS320 HBS325 HBS330 HBS3520 HBS3525 HBS3530 HBS3535 HBS3540 HBS3545 HBS3550 HBS430 HBS435 HBS440 HBS445 HBS450 HBS460 HBS470 HBS480 HBS4540 HBS4545 HBS4550 HBS4560 HBS4570 HBS4580 HBS545 HBS550 HBS560 HBS570 HBS580 HBS590 HBS5100 HBS5110 HBS5120 HBS640 HBS660 HBS670 HBS680 HBS690 HBS6100 HBS6110 HBS6120 HBS6130 HBS6140 HBS6150 HBS6160 HBS6180 HBS6200 HBS6220 HBS6240 HBS6260 HBS6280 HBS6300

L [mm]

b [mm]

16 20 25 30 20 25 30 35 40 45 50 30 35 40 45 50 60 70 80 40 45 50 60 70 80 45 50 60 70 80 90 100 110 120 40 60 70 80 90 100 110 120 130 140 150 160 180 200 220 240 260 280 300

10 15 20 25 10 14 18 18 18 24 24 18 18 24 30 30 35 40 40 24 30 30 35 40 40 24 24 30 35 40 45 50 55 60 35 30 40 40 50 50 60 60 60 75 75 75 75 75 75 75 75 75 75

A [mm] pça/embal. 7 10 12 15 6 11 12 17 22 21 26 12 17 16 15 20 25 30 40 16 15 20 25 30 40 21 26 30 35 40 45 50 55 60 8 30 30 40 40 50 50 60 70 65 75 85 105 125 145 165 185 205 225

500

d1 [mm]

8

TX40

500

200 500

200

200

10

TX40

100 200

100

12

TX50

100

código HBS880 HBS8100 HBS8120 HBS8140 HBS8160 HBS8180 HBS8200 HBS8220 HBS8240 HBS8260 HBS8280 HBS8300 HBS8320 HBS8340 HBS8360 HBS8380 HBS8400 HBS8440 HBS8500 HBS1080 HBS10100 HBS10120 HBS10140 HBS10160 HBS10180 HBS10200 HBS10220 HBS10240 HBS10260 HBS10280 HBS10300 HBS10320 HBS10340 HBS10360 HBS10380 HBS10400 HBS12160 HBS12200 HBS12240 HBS12280 HBS12320 HBS12360 HBS12400 HBS12440 HBS12480 HBS12520 HBS12560 HBS12600

L [mm]

b [mm]

80 100 120 140 160 180 200 220 240 260 280 300 320 340 360 380 400 440 500 80 100 120 140 160 180 200 220 240 260 280 300 320 340 360 380 400 160 200 240 280 320 360 400 440 480 520 560 600

52 52 60 60 80 80 80 80 80 80 80 100 100 100 100 100 100 100 100 52 52 60 60 80 80 80 80 80 80 80 100 100 100 100 100 100 80 80 80 80 120 120 120 120 120 120 120 120

A [mm] pça/embal. 28 48 60 80 80 100 120 140 160 180 200 200 220 240 260 280 300 340 400 28 48 60 80 80 100 120 140 160 180 200 200 220 240 260 280 300 80 120 160 200 200 240 280 320 360 400 440 480

100

50

25

ANILHA TORNEADA código

d1 HBS

D2 [mm]

pça/embal.

HUS6 HUS8 HUS10 HUS12

6 8 10 12

20 25 32 37

100 50 50 25

HBS

35


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

A estática do carpinteiro

VALORES ADMISSÍVEIS

DIN 1052:1988

CORTE Vadm MADEIRA-MADEIRA

AÇO-MADEIRA

d1 [mm]

L [mm]

Vadm

d1 [mm]

L [mm]

Vadm

3

≥ 30

15 kg

3

≥ 16

19 kg

3,5

≥ 35

21 kg

3,5

≥ 20

26 kg

4

≥ 45

24 kg

4

≥ 30

34 kg

4,5

≥ 50

34 kg

4,5

≥ 40

43 kg

5

≥ 50

43 kg

5

≥ 45

53 kg

6

≥ 60

61 kg

6

≥ 40

77 kg

8

≥ 100

109 kg

8

≥ 80

136 kg

10

≥ 100

170 kg

10

≥ 80

213 kg

12

≥ 160

245 kg

12

≥ 160

306 kg

EXTRACÇÃO DA ROSCA Nadm Comprimento L [mm] d1 [mm]

16

20

25

30

35

40

45

50

60

70

80

3

15 kg

23 kg

30 kg

38 kg

-

-

-

-

-

-

-

3,5

-

18 kg

25 kg

32 kg

32 kg

32 kg

42 kg

42 kg

-

-

-

4

-

-

-

36 kg

36 kg

48 kg

60 kg

60 kg

70 kg

80 kg

80 kg

4,5

-

-

-

-

-

54 kg

68 kg

68 kg

79 kg

90 kg

90 kg

5

-

-

-

-

-

-

60 kg

60 kg

75 kg

88 kg

100 kg

6

-

-

-

-

-

105 kg

-

135 kg

90 kg

120 kg

120 kg

Comprimento L [mm] d1 [mm]

80

90

100

110

120-140

150

300

320-400

>400

5

100 kg

113 kg

125 kg

138 kg

150 kg

-

160-200 220-280

-

-

-

-

-

6

120 kg

150 kg

150 kg

180 kg

180 kg

225 kg

225 kg

225 kg

225 kg

-

-

8

208 kg

-

208 kg

-

240 kg

-

320 kg

320 kg

400 kg

400 kg

400 kg

10

260 kg

-

260 kg

-

300 kg

-

400 kg

400 kg

500 kg

500 kg

-

12

-

-

-

-

-

-

480 kg

480 kg

-

720 kg

720 kg

PENETRAÇÃO DA CABEÇA Nadm PARAFUSO

100 kg = 1kN

PARAFUSO COM ANILHA

d1 [mm]

Nadm

3

14 kg

3

-

20 kg

3,5

-

4

26 kg

4

-

4,5

41 kg

4,5

-

5

50 kg

5

-

6

72 kg

6

200 kg

8

105 kg

8

313 kg

10

150 kg

10

461 kg

12

172 kg

12

548 kg

d1 [mm] A [mm] Vadm [kg]

EXEMPLO DE MADEIRA-MADEIRA HBS 8 x 200 mm d1 = 8 mm A = 120 mm

36

HBS

Nadm

3,5

FÓRMULAS DE CÁLCULO - CORTE MADEIRA-MADEIRA Vadm = min { 0,4 · A · d1; 1,7 · d1 2 }

d1 [mm]

DIN 1052-2:1988

AÇO-MADEIRA Vadm = 1,25 · 1,7 · d1 2

Vadm Vadm

NOTAS d1 [mm] Vadm [kg]

• Os valores admissíveis são conforme a norma DIN 1052:1988 • Os valores admissíveis para o corte são calculados considerando-se um comprimento de cravação equivalente a 8 d1 • Os valores admissíveis para a extracção são calculados 2 = min { 0,4 · A · d1; 1,7 · d1 } considerando-se a parte roscada inserida completamente no = min { 0,4 · 120 · 8 ; 1,7 · 82 } = min { 384 ; 109 } = 109 kg elemento de madeira


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

Geometria e distâncias mínimas GEOMETRIA E CARACTERÍSTICAS MECÂNICAS dk 90°

ds

dk 90°

ds L

L

PARAFUSO HBS Diâmetro nominal Diâmetro da cabeça Diâmetro do núcleo Diâmetro da haste Espessura da cabeça Diâmetro do pré-furo

t1

s

D1 D2

b t1

d2

d1

ANILHA TORNEADA HUS Anilha Parafuso Diâmetro interno Diâmetro externo Espessura

D2

b d2

3 6,00 2,00 2,16 2,10 2,0

3,5 7,00 2,25 2,45 2,20 2,0

4 8,00 2,55 2,75 2,80 2,5

4,5 9,00 2,80 3,15 2,80 3,0

5 10,00 3,40 3,65 3,10 3,0

6 12,00 3,95 4,30 4,50 4,0

8 14,50 5,40 5,80 4,50 5,0

10 18,25 6,40 7,00 5,80 6,0

12 20,75 6,80 8,00 7,20 7,0

Momento característico de tensão My,k [Nmm] 1435,4 2143,0 3032,6 4119,1 5417,2 9493,7 20057,5 35829,6 47965,9 Parâmetro característico de resistência à extracção fax,k [N/mm2] 11,7 11,7 11,7 11,7 11,7 11,7 11,7 11,7 11,7 Parâmetro característico de penetração da cabeça fhead,k [N/mm2] 10,5 10,5 10,5 10,5 10,5 10,5 10,5 10,5 10,5 Resistência característica à tracção ftens,k [kN] 2,8 3,8 5,0 6,4 7,9 11,3 20,1 31,4 33,9

D1

s

d1 [mm] dK [mm] d2 [mm] dS [mm] t1 [mm] dV [mm]

d1

HUS6 HBS Ø6 7,5 20,0 4,0

D1 [mm] D2 [mm] S [mm]

HUS8 HBS Ø8 8,5 25,0 5,0

HUS10 HBS Ø10 11,0 32,0 6,0

HUS12 HBS Ø12 14,0 37,0 7,5

DISTÂNCIAS MÍNIMAS PARA PARAFUSOS SOB TENSÃO DE CORTE

Ângulo entre força e fibras α = 0°

Ângulo entre força e fibras α = 90° PARAFUSOS INSERIDOS COM PRÉ-FURO

a1 a2 a3,t a3,c a4,t a4,c

[mm] [mm] [mm] [mm] [mm] [mm]

3 15 9 36 21 9 9

3,5 18 11 42 25 11 11

4 20 12 48 28 12 12

4,5 23 14 54 32 14 14

5 25 15 60 35 15 15

6 30 18 72 42 18 18

8 40 24 96 56 24 24

10 50 30 120 70 30 30

[mm] [mm] [mm] [mm] [mm] [mm]

3 30 15 45 30 15 15

3,5 35 18 53 35 18 18

4 40 20 60 40 20 20

4,5 45 23 68 45 23 23

5 60 25 75 50 25 25

6 72 30 90 60 30 30

8 96 40 120 80 40 40

12 60 36 144 84 36 36

3 12 12 21 21 15 9

3,5 14 14 25 25 18 11

4 16 16 28 28 20 12

4,5 18 18 32 32 23 14

5 20 20 35 35 35 15

6 24 24 42 42 42 18

8 32 32 56 56 56 24

10 40 40 70 70 70 30

12 48 48 84 84 84 36

4,5 23 23 45 45 32 23

5 25 25 50 50 50 25

6 30 30 60 60 60 30

8 40 40 80 80 80 40

10 50 50 100 100 100 50

12 60 60 120 120 120 60

PARAFUSOS INSERIDOS SEM PRÉ-FURO a1 a2 a3,t a3,c a4,t a4,c

direcção da fibragem

extremidade sob tensão -90° < α < 90°

meio de união

a1

12 144 60 180 120 60 60

3 15 15 30 30 21 15

a1

a1

3,5 18 18 35 35 25 18

extremidade sem carga 90° < α < 270°

a2 a2

a2 a2 a1

10 120 50 150 100 50 50

4 20 20 40 40 28 20

borda sob tensão 0° < α < 180°

borda sem carga 180° < α < 360°

a4,t a3,t

a4,c

a3,c

NOTAS • As distâncias mínimas são conforme a norma EN 1995:2008, de acordo com ETA-11/0030, considerando-se uma massa volúmica dos elementos de madeira equivalente a ρk ≤ 420 kg/m3. • Em caso de ligação OSB-madeira, os espaçamentos mínimos (a1, a2) podem ser multiplicados por um coeficiente 0,85.

• Em caso de ligação aço-madeira, os espaçamentos mínimos (a1, a2) podem ser multiplicados por um coeficiente 0,7.

HBS

37


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

A estática do projectista

VALORES CARACTERÍSTICOS

EN 1995:2008 CORTE

geometria

TRACÇÃO

madeira-madeira

painel-madeira (1)

aço-madeira em chapa fina (2)

aço-madeira em chapa espessa (3)

extracção da rosca (4)

penetração da cabeça (5)

RV,k [kN] 0,31 0,37 0,45 0,52 0,42 0,53 0,62 0,68 0,73 0,79 0,79 0,69 0,78 0,82 0,93 0,99 0,99 0,99 0,99 0,97 1,06 1,15 1,21 1,21 1,21 1,08 1,18 1,28 1,45 1,45 1,45 1,45 1,45 1,45 1,45

RV,k [kN]

RV,k [kN]

RV,k [kN]

Rax,k [kN] 0,37 0,56 0,75 0,94 0,44 0,61 0,79 0,79 0,79 1,05 1,05 0,80 0,80 1,20 1,20 1,20 1,50 1,75 2,00 1,35 1,35 1,35 1,69 1,97 2,25 1,25 1,50 1,50 1,87 2,19 2,50 2,81 3,12 3,44 3,12

Rhead,k [kN] 0,40 0,40 0,40 0,40 0,55 0,55 0,55 0,55 0,55 0,55 0,55 0,72 0,72 0,72 0,72 0,72 0,72 0,72 0,72 0,91 0,91 0,91 0,91 0,91 0,91 1,12 1,12 1,12 1,12 1,12 1,12 1,12 1,12 1,12 1,12

A

L b

SPLATE ≥ 3 mm SPLATE ≥ 3,5 mm SPLATE ≥ 4 mm SPLATE ≥ 4,5 mm

SPLATE ≤ 1,5 mm SPLATE ≤ 1,8 mm SPLATE ≤ 2 mm SPLATE ≤ 2,3 mm

SPAN = 12 mm

0,39 0,50 0,63 0,74 0,55 0,70 0,85 0,85 0,85 0,91 0,91 0,92 1,01 1,11 1,11 1,11 1,19 1,25 1,31 1,32 1,32 1,32 1,41 1,48 1,55 1,44 1,55 1,55 1,64 1,72 1,80 1,88 1,95 2,03 1,95

SPLATE ≥ 5 mm

5

0,27 0,46 0,53 0,61 0,54 0,60 0,68 0,72 0,72 0,72 0,72 0,76 0,84 0,84 0,84 0,84 0,84 0,84 0,84 1,06 1,06 1,06 1,06 1,06 1,06 1,16 1,20 1,20 1,20 1,20 1,20 1,20 1,20 1,20 1,20

SPLATE ≤ 2,5 mm

4,5

SPAN = 12 mm

4

A [mm] 7 10 12 15 10 11 12 17 22 21 26 14 19 16 21 26 30 35 40 16 21 26 30 35 40 20 21 26 30 35 40 45 50 55 70

SPAN = 15 mm

3,5

b [mm] 10 15 20 25 10 14 18 18 18 24 24 16 16 24 24 24 30 35 40 24 24 24 30 35 40 20 24 24 30 35 40 45 50 55 50

SPAN = 15 mm

3

L [mm] 16 (6) 20 25 30 20 (6) 25 30 35 40 45 50 30 35 40 45 50 60 70 80 40 45 50 60 70 80 40 45 50 60 70 80 90 100 110 120

SPAN = 12 mm

d1

d1 [mm]

0,60 0,73 0,89 0,95 0,80 0,96 1,12 1,12 1,12 1,18 1,18 1,25 1,35 1,45 1,45 1,45 1,52 1,59 1,65 1,73 1,73 1,73 1,82 1,89 1,96 1,92 2,03 2,03 2,13 2,21 2,28 2,36 2,44 2,52 2,44

PRINCÍPIOS GERAIS • Os valores característicos são conforme a norma EN 1995:2008, de acordo com ETA-11/0030. • Os valores de projecto são obtidos a partir dos valores característicos, desta forma:

Os coeficientes γm e kmod devem ser assumidos em função da norma vigente utilizada para o cálculo. • Para os valores de resistência mecânica e para a geometria dos parafusos, fez-se referência ao que consta da ETA-11/0030. • Em fase de cálculo, considerou-se uma massa volúmica dos elementos de madeira equivalente a ρk = 380 kg/m3. As resistências características podem ser consideradas válidas, em favor da segurança, também para massas volúmicas maiores. • Os valores foram calculados considerando-se a parte roscada inserida completamente no elemento de madeira.

38

HBS

• O dimensionamento e a verificação dos elementos de madeira, dos painéis e das chapas de aço, devem ser feitos à parte. • As resistências características ao corte são avaliadas para parafusos inseridos sem pré-furo; em caso de parafusos inseridos com pré-furo, podem-se obter maiores valores de resistência. • Para configurações de cálculo diferentes, está disponível gratuitamente o software myProject. (www.rothoblaas.com) • As resistências características são avaliadas sobre madeira maciça ou lamelar; em caso de ligações com elementos de X-Lam, os valores de resistência podem diferir e devem ser avaliados com base nas características do painel e da configuração da ligação.


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

A estática do projectista

VALORES CARACTERÍSTICOS

EN 1995:2008 CORTE

geometria

TRACÇÃO

madeira-madeira

painel-madeira (1)

aço-madeira em chapa fina (2)

aço-madeira em chapa espessa (3)

extracção da rosca (4)

penetração da cabeça (5)

RV,k [kN] 0,87 1,52 1,76 1,86 2,06 2,06 2,06 2,06 2,06 2,06 2,06 2,06 2,06 2,06 2,06 2,06 2,06 2,06 2,06 2,06

RV,k [kN]

RV,k [kN]

RV,k [kN]

Rax,k [kN] 2,62 3,37 2,25 3,00 3,00 3,75 3,75 4,50 4,50 4,50 5,62 5,62 5,62 5,62 5,62 5,62 5,62 5,62 5,62 5,62

Rhead,k [kN] 1,61 1,61 1,61 1,61 1,61 1,61 1,61 1,61 1,61 1,61 1,61 1,61 1,61 1,61 1,61 1,61 1,61 1,61 1,61 1,61

A

L b

A [mm] 8 15 30 30 40 40 50 50 60 70 65 75 85 105 125 145 165 185 205 225

1,35 1,55 1,55 1,55 1,55 1,55 1,55 1,55 1,55 1,55 1,55 1,55 1,55 1,55 1,55 1,55 1,55 1,55 1,55 1,55

1,62 2,05 2,22 2,41 2,41 2,59 2,59 2,78 2,78 2,78 3,06 3,06 3,06 3,06 3,06 3,06 3,06 3,06 3,06 3,06

SPLATE ≥ 6 mm

b [mm] 35 45 30 40 40 50 50 60 60 60 75 75 75 75 75 75 75 75 75 75

SPLATE ≤ 3 mm

6

L [mm] 40 50 60 70 80 90 100 110 120 130 140 150 160 180 200 220 240 260 280 300

SPAN = 15 mm

d1

d1 [mm]

2,58 3,13 2,90 3,09 3,09 3,28 3,28 3,47 3,47 3,47 3,75 3,75 3,75 3,75 3,75 3,75 3,75 3,75 3,75 3,75

NOTAS (1)

(2)

(3)

(4)

As resistências características ao corte são avaliadas considerando-se um painel OSB ou um painel de aglomerado com espessura SPAN. As resistências características ao corte são avaliadas considerando-se o caso de chapa fina (SPLATE ≤ 0,5 d1). As resistências características ao corte são avaliadas considerando-se o caso de chapa espessa (SPLATE ≥ d1). A resistência axial à extracção da rosca foi avaliada considerando-se um ângulo de 90° entre as fibras e o conector e para um comprimento de cravação igual a b.

(5)

(6)

A resistência axial de penetração da cabeça foi avaliada sobre elemento de madeira. Em caso de ligações aço-madeira, é geralmente vinculante a resistência à tracção do aço em relação à retirada ou à penetração da cabeça. O parafuso não é dotado de marcação CE.

HBS

39


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

A estática do projectista

VALORES CARACTERÍSTICOS

EN 1995:2008 CORTE

madeira-madeira madeira-madeira com anilha

geometria

TRACÇÃO

aço-madeira em chapa fina (1)

aço-madeira em chapa espessa (2)

extracção da rosca (3)

penetração da cabeça (4)

penetração da cabeça com anilha (4)

RV,k [kN]

RV,k [kN]

Rax,k [kN] 2,62 3,37 2,25 3,00 3,00 3,75 3,75 4,50 4,50 4,50 5,62 5,62 5,62 5,62 5,62 5,62 5,62 5,62 5,62 5,62 5,20 5,20 6,00 6,00 8,00 8,00 8,00 8,00 8,00 8,00 8,00 10,00 10,00 10,00 10,00 10,00 10,00 10,00 10,00

Rhead,k [kN] 1,61 1,61 1,61 1,61 1,61 1,61 1,61 1,61 1,61 1,61 1,61 1,61 1,61 1,61 1,61 1,61 1,61 1,61 1,61 1,61 2,36 2,36 2,36 2,36 2,36 2,36 2,36 2,36 2,36 2,36 2,36 2,36 2,36 2,36 2,36 2,36 2,36 2,36 2,36

Rhead,k [kN] 4,49 4,49 4,49 4,49 4,49 4,49 4,49 4,49 4,49 4,49 4,49 4,49 4,49 4,49 4,49 4,49 4,49 4,49 4,49 4,49 7,01 7,01 7,01 7,01 7,01 7,01 7,01 7,01 7,01 7,01 7,01 7,01 7,01 7,01 7,01 7,01 7,01 7,01 7,01

A

L b

RV,k [kN] 0,87 1,52 1,76 1,86 2,06 2,06 2,06 2,06 2,06 2,06 2,06 2,06 2,06 2,06 2,06 2,06 2,06 2,06 2,06 2,06 2,57 3,25 3,25 3,25 3,25 3,25 3,25 3,25 3,25 3,25 3,25 3,25 3,25 3,25 3,25 3,25 3,25 3,25 3,25

RV,k [kN] 0,87 1,64 1,92 2,21 2,41 2,59 2,59 2,78 2,78 2,78 2,78 2,78 2,78 2,78 2,78 2,78 2,78 2,78 2,78 2,78 3,28 3,96 4,16 4,16 4,41 4,41 4,41 4,41 4,41 4,41 4,41 4,41 4,41 4,41 4,41 4,41 4,41 4,41 4,41

1,62 2,05 2,22 2,41 2,41 2,59 2,59 2,78 2,78 2,78 3,06 3,06 3,06 3,06 3,06 3,06 3,06 3,06 3,06 3,06 3,96 3,96 4,16 4,16 4,66 4,66 4,66 4,66 4,66 4,66 4,66 5,16 5,16 5,16 5,16 5,16 5,16 5,16 5,16

SPLATE ≥ 6 mm

A [mm] 8 15 30 30 40 40 50 50 60 70 65 75 85 105 125 145 165 185 205 225 28 48 60 80 80 100 120 140 160 180 200 200 220 240 260 280 300 340 400

SPLATE ≥ 8 mm

8

b [mm] 35 45 30 40 40 50 50 60 60 60 75 75 75 75 75 75 75 75 75 75 52 52 60 60 80 80 80 80 80 80 80 100 100 100 100 100 100 100 100

SPLATE ≤ 4 mm

6

L [mm] 40 50 60 70 80 90 100 110 120 130 140 150 160 180 200 220 240 260 280 300 80 100 120 140 160 180 200 220 240 260 280 300 320 340 360 380 400 440 500

SPLATE ≤ 3 mm

d1

d1 [mm]

2,58 3,13 2,90 3,09 3,09 3,28 3,28 3,47 3,47 3,47 3,75 3,75 3,75 3,75 3,75 3,75 3,75 3,75 3,75 3,75 5,06 5,06 5,26 5,26 5,76 5,76 5,76 5,76 5,76 5,76 5,76 6,26 6,26 6,26 6,26 6,26 6,26 6,26 6,26

PRINCÍPIOS GERAIS • Os valores característicos são conforme a norma EN 1995:2008, de acordo com ETA-11/0030. • Os valores de projecto são obtidos a partir dos valores característicos, desta forma:

Os coeficientes γm e kmod devem ser assumidos em função da norma vigente utilizada para o cálculo. • Para os valores de resistência mecânica e para a geometria dos parafusos, fez-se referência ao que consta da ETA-11/0030. • Em fase de cálculo, considerou-se uma massa volúmica dos elementos de madeira equivalente a ρk = 380 kg/m3. As resistências características podem ser consideradas válidas, em favor da segurança, também para massas volúmicas maiores. • Os valores foram calculados considerando-se a parte roscada inserida completamente no elemento de madeira.

40

HBS

• O dimensionamento e a verificação dos elementos de madeira, dos painéis e das chapas de aço, devem ser feitos à parte. • As resistências características ao corte são avaliadas para parafusos inseridos sem pré-furo; em caso de parafusos inseridos com pré-furo, podem-se obter maiores valores de resistência. • Para configurações diferentes de cálculo está disponível gratuitamente o software myProject. (www.rothoblaas.com) • As resistências características são avaliadas sobre madeira maciça ou lamelar; em caso de ligações com elementos de X-Lam, os valores de resistência podem diferir e devem ser avaliados com base nas características do painel e da configuração da ligação.


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

A estática do projectista

VALORES CARACTERÍSTICOS

EN 1995:2008 CORTE

madeira-madeira madeira-madeira com anilha

geometria

TRACÇÃO

aço-madeira em chapa fina (1)

aço-madeira em chapa espessa (2)

extracção da rosca (3)

penetração da cabeça (4)

penetração da cabeça com anilha (4)

RV,k [kN]

RV,k [kN]

Rax,k [kN] 6,50 6,50 7,50 7,50 10,00 10,00 10,00 10,00 10,00 10,00 10,00 12,50 12,50 12,50 12,50 12,50 12,50 12,00 12,00 12,00 12,00 17,99 17,99 17,99 17,99 17,99 17,99 17,99 17,99

Rhead,k [kN] 3,73 3,73 3,73 3,73 3,73 3,73 3,73 3,73 3,73 3,73 3,73 3,73 3,73 3,73 3,73 3,73 3,73 4,83 4,83 4,83 4,83 4,83 4,83 4,83 4,83 4,83 4,83 4,83 4,83

Rhead,k [kN] 11,48 11,48 11,48 11,48 11,48 11,48 11,48 11,48 11,48 11,48 11,48 11,48 11,48 11,48 11,48 11,48 11,48 15,35 15,35 15,35 15,35 15,35 15,35 15,35 15,35 15,35 15,35 15,35 15,35

A

L b

RV,k [kN] 3,60 4,17 4,78 4,78 4,78 4,78 4,78 4,78 4,78 4,78 4,78 4,78 4,78 4,78 4,78 4,78 4,78 5,95 5,95 5,95 5,95 5,95 5,95 5,95 5,95 5,95 5,95 5,95 5,95

RV,k [kN] 4,29 4,86 5,72 5,72 6,35 6,35 6,35 6,35 6,35 6,35 6,35 6,72 6,72 6,72 6,72 6,72 6,72 7,74 7,74 7,74 7,74 8,58 8,58 8,58 8,58 8,58 8,58 8,58 8,58

4,69 5,47 5,72 5,72 6,35 6,35 6,35 6,35 6,35 6,35 6,35 6,97 6,97 6,97 6,97 6,97 6,97 7,74 7,74 7,74 7,74 9,24 9,24 9,24 9,24 9,24 9,24 9,24 9,24

SPLATE ≥ 10 mm

A [mm] 28 48 60 80 80 100 120 140 160 180 200 200 220 240 260 280 300 80 120 160 200 200 240 280 320 360 400 440 480

SPLATE ≥ 12 mm

12

b [mm] 52 52 60 60 80 80 80 80 80 80 80 100 100 100 100 100 100 80 80 80 80 120 120 120 120 120 120 120 120

SPLATE ≤ 6 mm

10

L [mm] 80 100 120 140 160 180 200 220 240 260 280 300 320 340 360 380 400 160 200 240 280 320 360 400 440 480 520 560 600

SPLATE ≤ 5 mm

d1

d1 [mm]

6,86 7,07 7,31 7,31 7,94 7,94 7,94 7,94 7,94 7,94 7,94 8,56 8,56 8,56 8,56 8,56 8,56 9,71 9,71 9,71 9,71 11,21 11,21 11,21 11,21 11,21 11,21 11,21 11,21

NOTAS (1)

(2)

(3)

As resistências características ao corte são avaliadas considerando-se o caso de chapa fina (SPLATE ≤ 0,5 d1). As resistências características ao corte são avaliadas considerando-se o caso de chapa espessa (SPLATE ≥ d1). A resistência axial à extracção da rosca foi avaliada considerando-se um ângulo de 90° entre as fibras e o conector e para um comprimento de cravação igual a b.

(4)

A resistência axial de penetração da cabeça, com e sem anilha, foi avaliada sobre elemento de madeira. Em caso de ligações aço-madeira, é geralmente vinculante a resistência à tracção do aço em relação à retirada ou à penetração da cabeça.

HBS

41


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

Exemplo de cálculo: ligação viga horizontal-espigão de suporte LIGAÇÃO MADEIRA-MADEIRA / CORTE UNITÁRIO ELEMENTO 1

ELEMENTO 2

1

B1 = 120 mm H1 = 160 mm Pendência 30% (16,7°) Madeira GL24h

1

2

2

B2 = 160 mm H2 = 240 mm Pendência 21% (12,0°) Madeira GL24h

DADOS DE PROJECTO

ESCOLHA DO PARAFUSO

GEOMETRIA DA LIGAÇÃO

Fv,Rd = 7,17 kN Classe de serviço = 1 Duração da carga = breve

HBS = 10 x 180 mm Pré-furo = no Anilha = no

t1 = 60 mm α1 = 73,3° (90° - 16,7°) t2 = 120 mm (comprimento de cravação no elemento 2) α2 = 78,0° (90° - 12,0°)

CÁLCULO DE RESISTÊNCIA AO CORTE (EN 1995:2008 e ETA-11/0030) d1 fh,1,k fh,2,k β

= 10,0 mm = 15,62 N/mm2 = 15,62 N/mm2 = 1,00

My,k

= 35829,7 Nmm

Rax,Rk = min {resistência à extracção da rosca ; resistência à penetração da cabeça} = min {Rax,Rk ; Rhead,Rk} = 3,74 kN Rax,Rk /4 = 0,93 kN (efeito côncavo) = 9,37 kN = 18,74 kN = 7,30 kN = 4,81 kN = 7,80 kN = 4,78 kN

Rv,Rk = 4,78 kN

EN 1995:2008

Italia - NTC 2008

Número mínimo de parafusos Fv,Rd / Rv,Rd = 2,17

Número mínimo de parafusos Fv,Rd / Rv,Rd = 2,50

kmod = 0,9 γm = 1,3 Rv,Rd = 3,31 kN

Supõem-se 3 parafusos nef,TAGLIO nef,TRAZIONE

kmod = 0,9 γm = 1,5 Rv,Rd = 2,87 kN

3 (parafusos perpendiculares às fibras) 3 0,9 = 2,69

Ao se recalcular a resistência ao corte, para o efeito côncavo considera-se uma resistência à tracção de cada parafuso equivalente a: Rax,Rk = 3,74 · 2,69 / 3 = 3,35 kN (penetração da cabeça) Rax,Rk/ 4 = 0,84 kN (efeito côncavo) Resistência ao corte de cada parafuso: Rv,Rk = 4,68 kN

EN 1995:2008

Italia - NTC 2008

Resistência da ligação ao corte: Rv,Rd = 3,24 x 3 = 9,73 kN > 7,17 kN OK

Resistência da ligação ao corte:

Rv,Rd = 3,24 kN

42

HBS

Rv,Rd = 2,81 kN

Rv,Rd = 2,81 x 3 = 8,43 kN > 7,17 kN OK


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

Exemplo de cálculo: ligação barrote-espigão de suporte com myProject LIGAÇÃO MADEIRA-MADEIRA / CORTE UNITÁRIO ELEMENTO 1 B1 = 120 mm H1 = 160 mm Pendência 30% (16,7°) Madeira GL24h

Download gratuito em www.rothoblaas.com

ELEMENTO 2

1

1

2

2

B2 = 160 mm H2 = 240 mm Pendência 21% (12,0°) Madeira GL24h

DADOS DE PROJECTO

ESCOLHA DO PARAFUSO

GEOMETRIA DA LIGAÇÃO

Fv,Rd = 7,17 kN Classe de serviço = 1 Duração da carga = breve

HBS = 10 x 180 mm Pré-furo = não Anilha = não

t1 = 60 mm α1 = 73,3° (90° - 16,7°) t2 = 120 mm α2 = 78,0° (90° - 12,0°)

CÁLCULO DA RESISTÊNCIA AO CORTE COM SOFTWARE myProject (EN 1995:2008 e ETA-11/0030)

RELATÓRIO DE CÁLCULO

HBS

43


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

HZB

ETA 11/0030

Parafusos HBS de ligação Aço carbónico com zincagem galvânica branca

RÁPIDA MONTAGEM Instalação rápida e precisa

MONTAGEM EM SÉRIE Execução rápida e segura graças à ligadura especial

VELOCIDADE E QUALIDADE Os grandes desempenhos mecânicos e geométricos do parafuso HBS são ideais para uma utilização rápida e em série na versão de ligação

HBS CINTADOS Aço dotado de elevada resistência e ductilidade, com rosca assimétrica especial em forma de “guarda-chuva” e escareadores subcabeça muito afiados

44

HZB

ACESSÓRIOS


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

Códigos e dimensões d1 [mm]

L

4

TX20

b d1

4,5

TX20

A

5,0

TX25

código HZB430 HZB435 HZB440 HZB445 HZB450 HZB4550 HZB4555 HZB540 HZB545 HZB550 HZB560 HZB565 HZB570 HZB580

L [mm]

b [mm]

A [mm]

pça/embal.

30 35 40 45 50 50 55 40 45 50 60 65 70 80

16 16 24 24 24 24 30 20 24 24 30 35 35 40

14 21 16 21 26 26 25 20 21 26 30 30 35 40

3000 2000 2000 2000 1500 1500 1500 1500 1500 1250 1250 1250 625 625

dHZB [mm]

comprimentos

pça/embal.

4 4,5 - 5 4 4,5 - 5

25-50 40-80 25-50 40-80

1 1 1 1

Ferramentas código HH3360 HH3380 HH3352 HH3338

descrição parafusadora automática com bateria 18 V parafusadora eléctrica

HZB

45


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

TBS

ETA 11/0030

Parafuso de cabeça larga

Aço carbónico com zincagem galvânica branca

EMBALAGEM Caixa + folheto CE + BIT

AÇO ESPECIAL Aço de elevada ductilidade (acompanha os movimentos da madeira) e de alta resistência (fy,k = 1000 N/mm2)

ROSCA ESPECIAL Rosca assimétrica em forma de „guarda-chuva“ para uma melhor capacidade de penetração na madeira

ECO-FRIENDLY Revestimento em cromo trivalente Cr3+ em substituição ao cromo exavalente Cr6

CAMPOS DE EMPREGO Ligações sobre madeira maciça, madeira lamelar, X-Lam, LVL, painéis à base de madeira. Classes de serviço 1 e 2.

46

TBS

ACESSÓRIOS


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

CAPACIDADE DA JUNTA A cabeça larga garante uma elevada resistência à tracção, o que permite evitar a utilização de outros sistemas laterais de ancoragem

FECHO DA JUNTA A cabeça larga consente uma elevada capacidade de fecho da junta; o diâmetro da cabeça é optimizado em função do comprimento da rosca

ESTABILIDADE DA JUNTA A cabeça larga garante uma elevada resistência à penetração e consente a estabilização de juntas sujeitas a variações dimensionais da madeira

TBS

47


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

Aplicações Fixação de paredes com ângulo de estrutura em X-Lam com fecho optimal da junta Fixação de paredes em ângulo de estrutura armada com fecho optimal da junta

Fixação de painéis em fibro-gesso

Gama

600 1 2 3 4 5 6 7

500

400

200

100

ø6

TX3

ø8

TX40

ø10

TX40

48

TBS

42 43 44 45 46 47 48 49 5 0 51 52 53 54 55 56 57 58 59 6 0

ideal para chapas

22 23 24 25 26 27 28 29 3 0 31 32 33 34 35 36 37 38 39 4 0 41

300

8 9 1 0 11 12 13 14 15 16 17 18 19 2 0 21

A cabeça larga consente uma elevada capacidade de alcance e um maior comprimento da rosca em relação a um parafuso de cabeça clássica. A dimensão do diâmetro da cabeça (dk) é calculada em função do comprimento da rosca para se ter uma perfeita proporção entre a resistência à penetração da cabeça e a capacidade de alcance da rosca; dessa forma, evita-se o risco de “desenfiamento“ do parafuso. Os parafusos com diâmetro de 8 mm e comprimento compreendido entre 40 mm e 80 mm, são ideais para a fixação sobre chapas de aço.


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

Códigos e dimensões d1 [mm]

dk

dk [mm]

6

TX30

L b

15,5

d1

8

TX40 A

19

10

TX40

25

código TBS680 TBS6100 TBS6120 TBS6140 TBS6160 TBS6180 TBS6200 TBS6220 TBS6240 TBS6260 TBS6280 TBS6300 TBS840 TBS860 TBS880 TBS8100 TBS8120 TBS8140 TBS8160 TBS8180 TBS8200 TBS8220 TBS8240 TBS8260 TBS8280 TBS8300 TBS8320 TBS8340 TBS8360 TBS8380 TBS8400 TBS10160 TBS10180 TBS10200 TBS10220 TBS10240 TBS10260 TBS10280 TBS10300 TBS10320 TBS10340 TBS10360 TBS10380 TBS10400

L [mm]

b [mm]

A [mm]

80 100 120 140 160 180 200 220 240 260 280 300 40 60 80 100 120 140 160 180 200 220 240 260 280 300 320 340 360 380 400 160 180 200 220 240 260 280 300 320 340 360 380 400

50 60 75 75 75 75 75 100 100 100 100 100 32 52 52 80 80 80 100 100 100 100 100 100 100 100 100 100 100 100 100 80 80 100 100 100 100 100 100 100 100 100 100 100

30 40 45 65 85 105 125 120 140 160 180 200 8 10 28 20 40 60 60 80 100 120 140 160 180 200 220 240 260 280 300 80 100 100 120 140 160 180 200 220 240 260 280 300

pça/embal.

50

50

50

TBS

49


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

A estática do carpinteiro

VALORES ADMISSÍVEIS

DIN 1052:1988

CORTE Vadm MADEIRA-MADEIRA d1 [mm]

L [mm]

Vadm

6

≥ 80

61 kg

8

≥ 120

109 kg

10

≥ 160

170 kg

EXTRACÇÃO DA ROSCA Nadm Comprimento L [mm] d1 [mm]

40

60

80

100

120 - 140

160

180

200

220 - 300

320-400

6

-

-

150 kg

180 kg

225 kg

225 kg

225 kg

225 kg

300 kg

-

8

128 kg

208 kg

208 kg

320 kg

320 kg

400 kg

400 kg

400 kg

400 kg

400 kg

10

-

-

-

-

-

400 kg

400 kg

500 kg

500 kg

500 kg

PENETRAÇÃO DA CABEÇA Nadm d1 [mm]

Nadm

6

120 kg

8

181 kg

10

281 kg

FÓRMULAS DE CÁLCULO - CORTE MADEIRA-MADEIRA Vadm = min { 0,4 · A · d1; 1,7 · d1 2 }

DIN 1052-2:1988

d1 [mm] A [mm] Vadm [kg]

EXEMPLO DE MADEIRA-MADEIRA TBS 6 x 160 mm d1 = 6 mm A = 85 mm

Vadm = min { 0,4 · A · d1; 1,7 · d1 2 } Vadm = min { 0,4 · 85 · 6 ; 1,7 · 62 } = min { 204 ; 61 } = 61 kg

NOTAS • Os valores admissíveis são conforme a norma DIN 1052:1988. • Os valores admissíveis para o corte são calculados considerando-se um comprimento de cravação equivalente a 8 d1.

50

TBS

• Os valores admissíveis para a extracção são calculados considerando-se a parte roscada inserida completamente no elemento de madeira.


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

Geometria e distâncias mínimas GEOMETRIA E CARACTERÍSTICAS MECÂNICAS PARAFUSO TBS Diâmetro nominal Diâmetro da cabeça Diâmetro do núcleo Diâmetro da haste Diâmetro do pré-furo

dk

L b

d1 [mm] dK [mm] d2 [mm] dS [mm] dV [mm]

Momento característico de tensão My,k [Nmm] Parâmetro característico de resistência à extracção fax,k [N/mm2] Parâmetro característico de penetração da cabeça fhead,k [N/mm2] Resistência característica à tracção ftens,k [kN]

d1

6 15,50 3,95 4,30 4,0

8 19,00 5,40 5,80 5,0

10 25,00 6,40 7,00 6,0

9493,7 11,7 10,5 11,3

20057,5 11,7 10,5 20,1

35829,6 11,7 10,5 31,4

DISTÂNCIAS MÍNIMAS PARA PARAFUSOS SOB TENSÃO AO CORTE

Ângulo entre força e fibras α = 0°

Ângulo entre força e fibras α = 90° PARAFUSOS INSERIDOS COM PRÉ-FURO

a1 a2 a3,t a3,c a4,t a4,c

6 30 18 72 42 18 18

[mm] [mm] [mm] [mm] [mm] [mm]

8 40 24 96 56 24 24

10 50 30 120 70 30 30

6 24 24 42 42 42 18

8 32 32 56 56 56 24

10 40 40 70 70 70 30

8 40 40 80 80 80 40

10 50 50 100 100 100 50

PARAFUSOS INSERIDOS SEM PRÉ-FURO a1 a2 a3,t a3,c a4,t a4,c

6 72 30 90 60 30 30

[mm] [mm] [mm] [mm] [mm] [mm]

direcção da fibragem

8 96 40 120 80 40 40

extremidade sob tensão -90° < α < 90°

meio de união

a1

6 30 30 60 60 60 30 extremidade sem carga 90° < α < 270°

a2 a2

a2 a2 a1

10 120 50 150 100 50 50

a1

a1

borda sob tensão 0° < α < 180°

borda sem carga 180° < α < 360°

a4,t a3,t

a4,c

a3,c

NOTAS • As distâncias mínimas são conforme a norma EN 1995:2008, de acordo com ETA-11/0030, considerando-se uma massa volúmica dos elementos de madeira ρk ≤ 420 kg/m3.

• Em caso de ligação OSB-madeira, os espaçamentos mínimos (a1, a2) podem ser multiplicados por um coeficiente 0,85.

TBS

51


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

CORTE dk geometria

madeira-madeira

ACESSÓRIOS

TRACÇÃO painel-madeira

(1)

extracção da rosca

(2)

penetração da cabeça

A

L b d1

8

10

A [mm] 30 40 45 65 85 105 125 120 140 160 180 200 8 10 28 20 40 60 60 80 100 120 140 160 180 200 220 240 260 280 300 80 100 100 120 140 160 180 200 220 240 260 280 300

RV,k [kN] 2,13 2,33 2,33 2,33 2,33 2,33 2,33 2,33 2,33 2,33 2,33 2,33 1,07 1,34 2,99 2,67 3,38 3,67 3,67 3,67 3,67 3,67 3,67 3,67 3,67 3,67 3,67 3,67 3,67 3,67 3,67 5,60 5,60 5,60 5,60 5,60 5,60 5,60 5,60 5,60 5,60 5,60 5,60 5,60

RV,k [kN]

S PAN = 50 mm

b [mm] 50 60 75 75 75 75 75 100 100 100 100 100 32 52 52 80 80 80 100 100 100 100 100 100 100 100 100 100 100 100 100 80 80 100 100 100 100 100 100 100 100 100 100 100

S PAN = 65 mm

6

L [mm] 80 100 120 140 160 180 200 220 240 260 280 300 40 60 80 100 120 140 160 180 200 220 240 260 280 300 320 340 360 380 400 160 180 200 220 240 260 280 300 320 340 360 380 400

S PAN = 80 mm

d1 [mm]

2,12 2,63 2,63 2,63 2,63 2,63 2,63 2,63 2,63 2,63 2,63 2,63 2,00 3,19 4,09 4,09 4,09 4,09 4,09 4,09 4,09 4,09 4,09 4,09 4,09 4,09 4,09 4,09 4,09 6,19 6,19 6,19 6,19 6,19 6,19 6,19 6,19 6,19 6,19 6,19 6,19 6,19

Rax,k [kN] 3,75 4,50 5,62 5,62 5,62 5,62 5,62 7,50 7,50 7,50 7,50 7,50 3,20 5,20 5,20 8,00 8,00 8,00 10,00 10,00 10,00 10,00 10,00 10,00 10,00 10,00 10,00 10,00 10,00 10,00 10,00 10,00 10,00 12,50 12,50 12,50 12,50 12,50 12,50 12,50 12,50 12,50 12,50 12,50

Rhead,k [kN] 2,69 2,69 2,69 2,69 2,69 2,69 2,69 2,69 2,69 2,69 2,69 2,69 4,05 4,05 4,05 4,05 4,05 4,05 4,05 4,05 4,05 4,05 4,05 4,05 4,05 4,05 4,05 4,05 4,05 4,05 4,05 7,01 7,01 7,01 7,01 7,01 7,01 7,01 7,01 7,01 7,01 7,01 7,01 7,01

PRINCÍPIOS GERAIS • Os valores característicos são conforme a norma EN 1995:2008, de acordo com ETA-11/0030. • Os valores de projecto são obtidos a partir dos valores característicos, desta forma: Os coeficientes γm e kmod devem ser assumidos em função da norma vigente utilizada para o cálculo. • Para os valores de resistência mecânica e para a geometria dos parafusos, fez-se referência ao que consta da ETA-11/0030. • Em fase de cálculo, considerou-se uma massa volúmica dos elementos de madeira equivalente a ρk = 380 kg/m3. As resistências características podem ser consideradas válidas, em favor da segurança, também para massas volúmicas maiores. • Os valores foram calculados considerando-se a parte roscada inserida completamente no elemento de madeira. • O dimensionamento e a verificação dos elementos de madeira e dos painéis devem ser feitos à parte. • As resistências características ao corte são avaliadas para parafusos inseridos sem pré-furo; em caso de parafusos inseridos com pré-furo, podem-se obter maiores valores de resistência. • Para diferentes configurações de cálculo, está disponível gratuitamente o software myProject (www.rothoblaas.com) • As resistências características são avaliadas sobre madeira maciça ou lamelar; em caso de ligações com elementos em X-Lam, os valores de resistência podem diferir e devem ser avaliados com base nas características do painel e da configuração da ligação.

NOTAS (1) (2)

52

As resistências características ao corte são avaliadas considerando-se um painel aglomerado com espessura SPAN. A resistência axial à extracção da rosca foi avaliada considerando-se um ângulo de 90° entre as fibras e o conector e para um comprimento de cravação igual a b.

TBS


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

Exemplo de cálculo: ligação barrote-terça com myProject LIGAÇÃO MADEIRA-MADEIRA / CORTE UNITÁRIO ELEMENTO 1

Download gratuito em www.rothoblaas.com

ELEMENTO 2

1 1

B1 = 120 mm H1 = 160 mm Pendência 30% (16,7°) Madeira GL24h

2

B2 = 200 mm H2 = 240 mm Pendência 0% (0°) Madeira GL24h 2

DADOS DE PROJECTO

ESCOLHA DO PARAFUSO

GEOMETRIA DA LIGAÇÃO

Fv,Rd = 1,89 kN Classe de serviço = 1 Duração da carga = breve

TBS = 8 x 260 mm Pré-furo = não

t1 = 160 mm α1 = 0° t2 = 100 mm (comprimento de cravação no elemento 2) α2 = 90°

CÁLCULO DE RESISTÊNCIA AO CORTE COM SOFTWARE myProject (EN 1995:2008 e ETA-11/0030) d1 = 8,0 mm fh,1,k = 16,70 N/mm2 fh,2,k = 16,70 N/mm2 β = 1,00 My,k = 20057,5 Nmm

Rax,Rk = min {resistência à extracção da rosca; resistência à penetração da cabeça} = min {Rax,Rk ; Rhead,Rk} = 4,05 kN Rax,Rk / 4 = 1,01 kN (efeito côncavo)

Rv,Rk = 3,67 kN

EN 1995:2008

kmod = 0,9 γm = 1,3 Rv,Rd = 2,54 kN > 1,89 kN OK

Italia - NTC 2008

kmod = 0,9 γm = 1,5 Rv,Rd = 2,20 kN > 1,89 kN OK

TBS

53


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

HTS

Parafuso de rosca total com cabeça escareada Aço carbónico com zincagem galvânica branca

EMBALAGEM Caixa + BIT

ROSCA DE PASSO LENTO Rosca de passo lento para a máxima precisão de parafusação também sobre painéis corrugados

ROSCA TOTAL Rosca total (85% do comprimento) com subcabeça lisa para a máxima eficiência de acoplamento

ECO-FRIENDLY Revestimento em cromo trivalente Cr3+ em substituição ao cromo exavalente Cr6

CAMPOS DE EMPREGO Ligações sobre painéis corrugados, madeira maciça, madeira lamelar, X-Lam, LVL, painéis à base de madeira. Classes de serviço 1 e 2

54

HTS

ACESSÓRIOS


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

CHARNEIRAS METÁLICAS A rosca total e a geometria especial da cabeça são ideais para a fixação de charneiras metálicas na realização de móveis

ACOPLAMENTO PRECISO A rosca total de comprimento reduzido (85%) e a roscagem de passo lento são ideais para fixações precisas de painéis de pequenas espessuras

Gama Ideais para a utilização com inserto individual facilmente cambiável no porta-insertos (dois tamanhos de TX para toda a gama), a fim de se obter a máxima precisão e comodidade de parafusação. A ponta autoperfurante sem entalhe aumenta a capacidade de ajuste inicial do parafuso; a rosca total com subcabeça lisa consente o fecho das espessuras. 100

80

60

40

20

ø3

ø3,5 TX10

ø4

ø4,5

ø5

TX20

HTS

55


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

Códigos e dimensões d1 [mm]

3

Lb

TX10

d1

3,5 TX10

4

TX20

4,5

TX20

5

TX20

código HTS312 HTS316 HTS320 HTS325 HTS330 HTS3516 HTS3520 HTS3525 HTS3530 HTS3535 HTS3540 HTS420 HTS425 HTS430 HTS435 HTS440 HTS445 HTS450 HTS4530 HTS4535 HTS4540 HTS4545 HTS4550 HTS530 HTS535 HTS540 HTS545 HTS550 HTS560 HTS570

L [mm]

b [mm]

12 16 20 25 30 16 20 25 30 35 40 20 25 30 35 40 45 50 30 35 40 45 50 30 35 40 45 50 60 70

10 13 16 21 26 13 16 21 25 30 34 16 21 25 30 34 39 43 25 30 34 38 43 25 30 34 38 43 51 60

pça/embal.

500

500

200 500

200

200

200

100

Geometria dk

Lb d2

56

HTS

d1

PARAFUSO HTS Diâmetro nominal Diâmetro da cabeça Diâmetro do núcleo Diâmetro do pré-furo

d1 [mm] dK [mm] d2 [mm] dV [mm]

3 6,00 2,00 2,0

3,5 7,00 2,20 2,0

4 8,00 2,50 2,5

4,5 8,80 2,80 3,0

5 9,70 3,20 3,0


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

A estática do carpinteiro

VALORES ADMISSÍVEIS

DIN 1052:1988

CORTE Vadm MADEIRA-MADEIRA (1) d1 [mm]

L [mm]

Vadm

3

≥ 30

12 kg

3,5

≥ 35

17 kg

4

≥ 40

21 kg

4,5

≥ 45

27 kg

5

≥ 60

40 kg

EXTRACÇÃO DA ROSCA Nadm Comprimento L [mm] d1 [mm]

12

16

20

25

30

35

40

45

50

60

70

3

15 kg

20 kg

24 kg

32 kg

39 kg

-

-

-

-

-

-

3,5

-

23 kg

28 kg

37 kg

44 kg

53 kg

60 kg

-

-

-

-

4

-

-

32 kg

42 kg

50 kg

60 kg

68 kg

78 kg

86 kg

-

-

4,5

-

-

-

-

56 kg

68 kg

77 kg

86 kg

97 kg

-

-

5

-

-

-

-

63 kg

75 kg

85 kg

95 kg

108 kg

128 kg

150 kg

PENETRAÇÃO DA CABEÇA Nadm d1 [mm]

Nadm

3

14 kg

3,5

20 kg

4

26 kg

4,5

39 kg

5

47 kg

FÓRMULAS DE CÁLCULO - CORTE

DIN 1052-2:1988

MADEIRA-MADEIRA Vadm = min { 0,4 · A · d1 ; 1,7 · d1 2 } d1 [mm] A [mm] Vadm [kg]

NOTAS • Os valores admissíveis são conforme a norma DIN 1052:1988. • Os valores admissíveis para a extracção são calculados considerando-se a parte roscada inserida completamente no elemento de madeira.

(1)

Os valores admissíveis de resistência ao corte madeira-madeira foram calculados supondo-se uma espessura fixável equivalente a L/3.

HTS

57


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

SHS

Parafuso de cabeça pequena Aço carbónico com zincagem galvânica branca

CABEÇA INVISÍVEL Cabeça oculta a 60° para uma fácil inserção em pequenas espessuras, sem criar aberturas na madeira

FIXAÇÃO DE TÁBUAS ROSCADAS Utilização ideal nas folgas para a fixação de ripas

GEOMETRIA OPTIMAL A cabeça reduzida e a rosca eficiente garantem uma perfeita inserção do parafuso em pequenas espessuras, evitando-se rachas

Códigos e dimensões d1 [mm]

3,5

TX10

PEQUENAS ESPESSURAS Ideal para a fixação de ripas, suportes para vidro ou elementos de madeira de pequenas dimensões

58

SHS

código SHS3530 SHS3540 SHS3550

L [mm]

b [mm]

A [mm]

pça/embal.

30 40 50

20 26 34

10 14 16

500

Disponível também em aço inoxidável AISI410 (3,5 x 40 mm) - veja-se capítulo EXTERIOR A= espessura fixável


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

A estática do carpinteiro

ACESSÓRIOS VALORES ADMISSÍVEIS

DIN 1052:1988

CORTE Vadm MADEIRA-MADEIRA d1 [mm]

3,5

L [mm]

Vadm

30

14 kg

40

20 kg

50

21 kg

EXTRACÇÃO DA ROSCA Nadm Comprimento L [mm] d1 [mm]

30

40

50

3,5

35 kg

46 kg

60 kg

PENETRAÇÃO DA CABEÇA Nadm PARAFUSO d1 [mm]

Nadm

3,5

17 kg

NOTAS • Os valores admissíveis são conforme a norma DIN 1052:1988. • Os valores admissíveis para a extracção são calculados considerando-se a parte roscada inserida completamente no elemento de madeira.

Geometria dk 60°

L

PARAFUSO SHS Diâmetro nominal Diâmetro da cabeça

d1 [mm] dK [mm]

3,50 5,75

b d1

SHS

59


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

LBS

ETA 11/0030

Parafuso de cabeça redonda e subcabeça cilíndrica Aço carbónico com zincagem galvânica branca

CABEÇA ESPECIAL Cabeça redonda com subcabeça cilíndrica ideal para a fixação de elementos metálicos

ROSCA TOTAL A rosca total consente fixações versáteis e eficazes

ESTÉTICA A cabeça arredondada consente fixações aparentes de agradável visual estético quer sobre chapas metálicas quer directamente sobre madeira

Códigos e dimensões d1 [mm]

5

TX20

CHAPAS METÁLICAS A geometria da cabeça é estudada especificamente para a fixação de chapas e cantoneiras metálicas; a subcabeça cilíndrica cria um efeito de encaixe que melhora o desempenho estático da ligação

60

LBS

código PF603525 PF603540 PF603550 PF603560 PF603570

L [mm]

b [mm]

25 40 50 60 70

21 36 46 56 66

L b d1

pça/embal. 500 200


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

A estática do carpinteiro

VALORES ADMISSÍVEIS

DIN 1052:1988

CORTE Vadm AÇO-MADEIRA d1 [mm]

L [mm]

Vadm

5

≥ 25

53 kg

MADEIRA-MADEIRA (1) d1 [mm]

L [mm]

Vadm

5

≥ 60

40 kg

EXTRACÇÃO DA ROSCA Nadm Comprimento L [mm] d1 [mm]

25

40

50

60

70

5

53 kg

90 kg

115 kg

140 kg

165 kg

FÓRMULAS DE CÁLCULO - CORTE DIN 1052-2:1988 MADEIRA-MADEIRA

AÇO-MADEIRA

Vadm = min { 0,4 · A · d1 ; 1,7 · d1 } 2

d1 [mm] A [mm] Vadm [kg]

Vadm = 1,25 · 1,7 · d1 2

d1 [mm] Vadm [kg]

NOTAS • Os valores admissíveis são conforme a norma DIN 1052:1988. • Os valores admissíveis para a extracção são calculados considerando-se a parte roscada inserida completamente no elemento de madeira.

(1)

Os valores admissíveis de resistência ao corte madeira-madeira foram calculados supondo-se uma espessura fixável de 20 mm.

LBS

61


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

Geometria e distâncias mínimas GEOMETRIA E CARACTERÍSTICAS MECÂNICAS PARAFUSO LBS Diâmetro nominal Diâmetro da cabeça Diâmetro do núcleo Diâmetro da subcabeça Espessura da cabeça Diâmetro do pré-furo

dk t1

duk

L b d2

Momento característico de tensão Parâmetro característico de resistência à extracção Parâmetro característico de penetração da cabeça Resistência característica à tracção

d1

d1 [mm] dK [mm] d2 [mm] dUK [mm] t1 [mm] dV [mm]

5 7,80 3,00 4,90 2,40 3,0

My,k [Nmm] fax,k [N/mm2] f head,k [N/mm2] f tens,k [kN]

5417,2 11,7 10,5 7,9

DISTÂNCIAS MÍNIMAS PARA PARAFUSOS SOB TENSÃO AO CORTE AÇO-MADEIRA

Ângulo entre força e fibras α = 0°

Ângulo entre força e fibras α = 90° PARAFUSOS INSERIDOS COM PRÉ-FURO

a1 a2 a3,t a3,c a4,t a4,c

[mm] [mm] [mm] [mm] [mm] [mm]

5 18 11 60 35 15 15

[mm] [mm] [mm] [mm] [mm] [mm]

5 42 18 75 50 25 25

5 14 14 35 35 35 15 PARAFUSOS INSERIDOS SEM PRÉ-FURO

a1 a2 a3,t a3,c a4,t a4,c

direcção da fibragem

extremidade sob tensão -90° < α < 90°

meio de união

a1

a1

a1

a3,t

• As distâncias mínimas são conforme a norma EN 1995:2008, de acordo com ETA-11/0030, considerando-se uma massa volúmica dos elementos de madeira equivalente a ρk ≤ 420 kg/m3. • Em caso de ligação madeira-madeira, os espaçamentos mínimos (a1, a2) devem ser multiplicados por um coeficiente 1,5.

LBS

borda sob tensão 0° < α < 180°

borda sem carga 180° < α < 360°

a4,t

NOTAS

62

extremidade sem carga 90° < α < 270°

a2 a2

a2 a2 a1

5 18 18 50 50 50 25

a3,c

a4,c


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

A estática do projectista

VALORES CARACTERÍSTICOS

EN 1995:2008 CORTE AÇO-MADEIRA (1)

geometria sPLATE L b d1

d1 [mm]

5

L [mm] 25 40 50 60 70

b [mm] 21 36 46 56 66

SPLATE = 1,5 mm 0,90 1,48 1,86 2,05 2,20

SPLATE = 2 mm 0,88 1,46 1,85 2,05 2,20

RV,k [kN] SPLATE = 3 mm 0,98 1,58 1,92 2,15 2,30

SPLATE = 2,5 mm 0,87 1,44 1,83 2,05 2,20

CORTE MADEIRA - MADEIRA

SPLATE = 4 mm 1,23 1,88 2,12 2,34 2,50

SPLATE = 5 mm 1,47 2,15 2,35 2,52 2,68

SPLATE = 6 mm 1,43 2,11 2,35 2,50 2,66

TRACÇÃO

geometria

extracção da rosca (2) A

L b d1

d1 [mm]

5

L [mm] 25 40 50 60 70

b [mm] 21 36 46 56 66

A [mm] 15 20 25 30

RV,k [kN] 1,00 1,10 1,23 1,34

PRINCÍPIOS GERAIS

NOTAS

• Os valores característicos são conforme a norma EN 1995:2008, de acordo com ETA-11/0030. • Os valores de projecto são obtidos a partir dos valores característicos, desta forma:

(1)

(2)

• • • •

Rax,k [kN] 1,31 2,25 2,87 3,50 4,12

As resistências características ao corte são avaliadas para chapas com espessura = SPLATE , considerando-se o caso de chapa fina (SPLATE ≤ 0,5 d1), intermédia (0,5 d1 < SPLATE < d1) ou espessa (SPLATE ≥ d1) . A resistência axial à extracção da rosca foi avaliada considerando-se um ângulo de 90° entre as fibras e o conector e para um comprimento de cravação igual a b.

Os coeficientes γm e kmod devem ser assumidos em função da norma vigente utilizada para o cálculo. Para os valores de resistência mecânica e para a geometria dos parafusos, fez-se referência ao que consta da ETA-11/0030. Em fase de cálculo, considerou-se uma massa volúmica dos elementos de madeira equivalente a ρk = 380 kg/m3. O dimensionamento e a verificação dos elementos de madeira e das chapas de aço devem ser feitos à parte. As resistências características ao corte são avaliadas para parafusos inseridos sem pré-furo; em caso de parafusos inseridos com pré-furo, podem-se obter maiores valores de resistência.

LBS

63


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

DRS

Parafuso distanciador madeira/madeira Aço carbónico com zincagem galvânica branca

DUPLA ROSCA DIFERENCIADA Rosca subcabeça com geometria estudada especificamente para criar e regular um espaço entre as espessuras fixáveis

PONTA AUTOPERFURANTE Ponta autoperfurante com geometria especial para se evitarem rachas nos elementos a distanciar

FACHADAS VENTILADAS A dupla rosca diferenciada é ideal para se regular a posição das ripas da fachada e criar a verticalidade correcta; ideal para nivelar instalações de painéis, ripas, tectos falsos, pavimentações

Códigos e dimensões d1 [mm]

6

TX30

RAPIDEZ E PRECISÃO Graças à possibilidade de se distanciarem as espessuras de madeira, é possível efectuar fixações versáteis de maneira rápida e precisa, sem necessidade de nenhum elemento interposto

64

DRS

código DRS660S DRS680S DRS6100S DRS6120S DRS6145S

L [mm]

b [mm]

pça/embal.

60 80 100 120 145

30 44 56 66 66

100

Comprimentos maiores ou intermédios disponíveis sob encomenda


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

Geometria dk b1

d3 ds

L b d2

PARAFUSO DRS Diâmetro nominal Diâmetro da cabeça Diâmetro do núcleo diâmetro da haste diâmetro da rosca subcabeça Comprimento da cabeça + anéis

d1 [mm] dK [mm] d2 [mm] ds [mm] d3 [mm] b1 [mm]

6 12,00 3,90 4,35 6,80 21,0

d1

Instalação

Escolher o comprimento do parafuso de modo tal que a rosca seja completamente inserida no suporte de madeira.

Posicionar o parafuso DRS.

Afrouxar o parafuso em função da distância desejada.

Fixar a ripa atarraxando o parafuso de maneira tal que a cabeça resulte estar a prumo em relação ao elemento de madeira.

Regular da mesma maneira os outros parafusos para nivelar a estrutura.

DRS

65


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

DRT

Parafuso distanciador madeira/alvenaria Aço carbónico com zincagem galvânica branca

DUPLA ROSCA DIFERENCIADA Rosca subcabeça com geometria estudada especificamente para criar e regular um espaço entre as espessuras fixáveis

FIXAÇÃO SOBRE ALVENARIA Rosca subcabeça com diâmetro aumentado para consentir a montagem sobre alvenaria através da utilização de bucha de plástico

RAPIDEZ E PRECISÃO Graças à possibilidade de se distanciarem as espessuras de madeira, é possível efectuar fixações versáteis de maneira rápida e precisa, sem necessidade de nenhum elemento intermédio; sobre suportes de cimento ou alvenaria, é preciso utilizar uma bucha de plástico

NIVELAR E REGULAR A dupla rosca diferenciada é ideal para regular a posição de elementos de madeira sobre suportes de alvenaria (através da utilização de bucha de plástico) e criar a verticalidade correcta; ideal para nivelar instalações de painéis sobre paredes, pavimentações e tectos falsos

66

DRT

Códigos e dimensões d1 [mm]

6

TX30

código DRT680 DRT6100 DRT6120 DRT6145

L [mm]

b [mm]

pça/embal.

80 100 120 145

50 60 70 70

100

descrição

L [mm]

pça/embal.

bucha de nylon NDK

40

100

Comprimentos maiores ou intermédios disponíveis sob encomenda d0 [mm]

8

código FE210219

Para a fixação sobre cimento ou alvenaria, aconselha-se a utilização da bucha de nylon NDK


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

Geometria dk b1

d3 ds

L b d2

d1

PARAFUSO DRT Diâmetro nominal Diâmetro da cabeça Diâmetro do núcleo Diâmetro da haste Diâmetro da rosca subcabeça Diâmetro do furo no betão/alvenaria Comprimento da cabeça + anéis

d1 [mm] dK [mm] d2 [mm] ds [mm] d3 [mm] dV [mm] b1 [mm]

6 12,50 3,90 4,35 9,90 8,0 22,0

Instalação

Escolher o comprimento do parafuso de modo tal que a rosca seja completamente inserida no suporte de betão/alvenaria.

Furar os elementos com um diâmetro dV= 8,0 mm.

Encaixar a bucha de nylon NDK no suporte.

Posicionar o parafuso DRT.

Fixar a ripa atarraxando o parafuso de maneira tal que a cabeça resulte estar a prumo com o elemento de madeira.

Afrouxar o parafuso em função da distância desejada.

Regular da mesma maneira os outros parafusos para nivelar a estrutura.

DRT

67


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

SCH

ETA 11/0030

Parafuso de cabeça escareada Aço carbónico com zincagem galvânica amarela

ROSCA AUMENTADA Comprimento da rosca aumentado (60%) para um bom fechamento da junta e versatilidade de utilização

AÇO EFICIENTE Aço de boa ductilidade e alta resistência (fy,k = 1000 N/mm2)

ROSCA ESPECIAL Rosca assimétrica em forma de „guarda-chuva“ para uma maior capacidade de penetração na madeira

ZINCAGEM AMARELA Revestimento de cor amarela para um bom mimetismo com a madeira

CAMPOS DE EMPREGO Ligações sobre madeira maciça, madeira lamelar, X-Lam, LVL, painéis à base de madeira. Classes de serviço 1 e 2

68

SCH

ACESSÓRIOS


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

FIXAÇÃO VERSÁTIL O comprimento aumentado da rosca comporta espessuras fixáveis mais pequenas e amplia-se, portanto, a versalidade de possíveis soluções

FIXAÇÃO OCULTA O revestimento amarelo permite uma fixação pouco visível onde a cabeça mimetiza-se com a cor da madeira nas aplicações aparentes

Gama Os parafusos de diâmetro compreendido entre 4,0 e 5,0 mm, com comprimento inferior ou igual a 50 mm, apresentam uma ponta autoperfurante sem entalhe que aumenta a capacidade de alcance e o ajuste do parafuso. Os parafusos de diâmetro superior a 6,0 mm apresentam uma ponta autoperfurante com entalhe que evita o risco de rachas na madeira

400 1 2 3 4 5 6 7

200

ø4

TX20

ø4,5 TX20

ø5

TX25

ø6

TX30

22 23 24 25 26 27 28 29 3 0 31 32 33 34 35 36 37 38 39 4 0 41

100

8 9 1 0 11 12 13 14 15 16 17 18 19 2 0 21

300

ø8

TX40

SCH

69


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

Códigos e dimensões d1 [mm]

4

TX20 L b

4,5

TX20

d1

5

TX25 A

6

TX30

8

TX40

código

L [mm]

b [mm]

A [mm]

pça/embal.

40 50 60 70 45 50 60 70 50 60 70 80 90 100 120 80 90 100 120 140 150 160 180 200 220 240 260 280 300 140 160 180 200 220 240 260 280 300 320 340 360 380 400

24 30 35 40 30 30 35 40 30 35 40 50 55 60 60 50 55 60 75 80 80 90 100 100 100 100 100 100 100 80 90 90 100 100 100 100 100 100 100 100 100 100 100

16 20 25 30 15 20 25 30 20 25 30 30 10 40 60 30 35 40 45 60 70 70 80 100 120 140 160 180 200 60 70 90 100 120 140 160 180 200 220 240 260 280 300

500

SCH440 SCH450 SCH460 SCH470 SCH4545 SCH4550 SCH4560 SCH4570 SCH550 SCH560 SCH570 SCH580 SCH590 SCH5100 SCH5120 SCH680 SCH690 SCH6100 SCH6120 SCH6140 SCH6150 SCH6160 SCH6180 SCH6200 SCH6220 SCH6240 SCH6260 SCH6280 SCH6300 SCH8140 SCH8160 SCH8180 SCH8200 SCH8220 SCH8240 SCH8260 SCH8280 SCH8300 SCH8320 SCH8340 SCH8360 SCH8380 SCH8400

200

200

200

100

100

100

ANILHA TORNEADA código

D2

70

SCH

SUS6 SUS8

d1 SCH

D2 [mm]

pça/embal.

6 8

20 25

100 50


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

A estática do carpinteiro

VALORES ADMISSÍVEIS

DIN 1052:1988

CORTE Vadm MADEIRA-MADEIRA d1 [mm]

L [mm]

Vadm

4

≥ 40

27 kg

4,5

≥ 50

34 kg

5

≥ 60

43 kg

6

≥ 80

61 kg

8

≥ 140

109 kg

EXTRACÇÃO DA ROSCA Nadm comprimento L [mm] d1 [mm]

40

45-50

60

70

80

90

100

120

140-150

160

180

200-300

320-400

4

48 kg

60 kg

70 kg

80 kg

-

-

-

-

-

-

-

-

-

4,5

-

68 kg

79 kg

90 kg

-

-

-

-

-

-

-

-

-

5

-

75 kg

88 kg

100 kg

125 kg

138 kg

150 kg

150 kg

-

-

-

-

-

6

-

-

-

-

150 kg

165 kg

180 kg

225 kg

240 kg

270 kg

300 kg

300 kg

-

8

-

-

-

-

-

-

-

-

320 kg

360 kg

360 kg

400 kg

400 kg

PENETRAÇÃO DA CABEÇA Nadm d1 [mm]

Nadm

4

26 kg

4,5

41 kg

5

50 kg

6

72 kg

8

105 kg

FÓRMULAS DE CÁLCULO - CORTE

DIN 1052-2:1988

MADEIRA-MADEIRA Vadm = min { 0,4 · A · d1 ; 1,7 · d1 2 } d1 [mm] A [mm] Vadm [kg] EXEMPLO DE MADEIRA-MADEIRA SCH 6 x 120 mm d1 = 6 mm A = 45 mm

Vadm = min { 0,4 · A · d1; 1,7 · d1 2 } Vadm = min { 0,4 · 45 · 6 ; 1,7 · 62 } = min { 108 ; 61 } = 61 kg

NOTAS • Os valores admissíveis são conforme a norma DIN 1052:1988. • Os valores admissíveis para a extracção são calculados considerando-se a parte roscada inserida completamente no elemento de madeira.

SCH

71


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

Geometria e distâncias mínimas GEOMETRIA E CARACTERÍSTICAS MECÂNICAS dk 90°

ds

dk 90°

ds

L

t1

s

D2

b t1

L

s

D1

d2

d1

D1

d2

Momento característico de tensão Parâmetro característico de resistência à extracção Parâmetro característico de penetração da cabeça Resistência característica a tracção

d1 [mm] dK [mm] d2 [mm] dS [mm] t1 [mm] dV [mm]

4 8,00 2,55 2,75 2,80 2,5

4,5 9,00 2,80 3,15 2,80 3,0

5 10,00 3,40 3,65 3,10 3,0

6 12,00 3,95 4,30 4,50 4,0

8 14,50 5,40 5,80 4,50 5,0

My,k [Nmm] fax,k [N/mm2] fhead,k [N/mm2] ftens,k [kN]

3032,6 11,7 10,5 5,0

4119,1 11,7 10,5 6,4

5417,2 11,7 10,5 7,9

9493,7 11,7 10,5 11,3

20057,5 11,7 10,5 20,1

ANILHA TORNEADA SUS Anilha Parafuso Diâmetro interno Diâmetro externo Espessura

D2

b

PARAFUSO SCH Diâmetro nominal Diâmetro da cabeça Diâmetro do núcleo Diâmetro da haste Espessura da cabeça Diâmetro do pré-furo

d1

SUS6 SCH Ø6 7,5 20,0 4,0

D1 [mm] D2 [mm] S [mm]

SUS8 SCH Ø8 8,5 25,0 5,0

DISTÂNCIAS MÍNIMAS PARA PARAFUSOS SOB TENSÃO AO CORTE

Ângulo entre força e fibras α = 0°

Ãngulo entre força e fibras α = 90° PARAFUSOS INSERIDOS COM PRÉ-FURO

a1 a2 a3,t a3,c a4,t a4,c

[mm] [mm] [mm] [mm] [mm] [mm]

4 20 12 48 28 12 12

4,5 23 14 54 32 14 14

5 25 15 60 35 15 15

6 30 18 72 42 18 18

[mm] [mm] [mm] [mm] [mm] [mm]

4 40 20 60 40 20 20

4,5 45 23 68 45 23 23

5 60 25 75 50 25 25

6 72 30 90 60 30 30

8 40 24 96 56 24 24

4 16 16 28 28 20 12

4,5 18 18 32 32 23 14

5 20 20 35 35 35 15

6 24 24 42 42 42 18

8 32 32 56 56 56 24

4,5 23 23 45 45 32 23

5 25 25 50 50 50 25

6 30 30 60 60 60 30

8 40 40 80 80 80 40

PARAFUSOS INSERIDOS SEM PRÉ-FURO a1 a2 a3,t a3,c a4,t a4,c

direcção da fibragem

extremidade sob tensão -90° < α < 90°

meio de união

a2 a2 a1

a1

8 96 40 120 80 40 40

4 20 20 40 40 28 20 extremidade sem carga 90° < α < 270°

a2 a2 a1

a1

borda sob tensão 0° < α < 180°

borda sem carga 180° < α < 360°

a4,t a3,t

a3,c

NOTAS • As distâncias mínimas são conforme a norma EN 1995:2008, de acordo com ETA-11/0030, considerando-se uma massa volúmica dos elementos de madeira equivalente a ρk ≤ 420 kg/m3. • Em caso de ligação OSB-madeira, os espaçamentos mínimos (a1, a2) podem ser multiplicados por um coeficiente 0,85.

72

SCH

• Em caso de ligação aço-madeira, os espaçamentos mínimos (a1, a2) podem ser multiplicados por um coeficiente 0,7.

a4,c


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

A estática do projectista

VALORES CARACTERÍSTICOS

EN 1995:2008 CORTE

geometria

ACESSÓRIOS

TRACÇÃO

madeira-madeira

extracção da rosca (1)

penetração da cabeça (2)

RV,k [kN] 0,82 0,90 0,99 0,99 0,95 1,05 1,17 1,21 1,21 1,34 1,45 1,45 1,45 1,45 1,45 1,86 2,01 2,06 2,06 2,06 2,06 2,06 2,06 2,06 2,06 2,06 2,06 2,06 2,06 3,25 3,25 3,25 3,25 3,25 3,25 3,25 3,25 3,25 3,25 3,25 3,25 3,25 3,25

Rax,k [kN] 1,20 1,50 1,75 2,00 1,69 1,69 1,97 2,25 1,87 2,19 2,50 3,12 3,44 3,75 3,75 3,75 4,12 4,50 5,62 6,00 6,00 6,75 7,50 7,50 7,50 7,50 7,50 7,50 7,50 8,00 9,00 9,00 10,00 10,00 10,00 10,00 10,00 10,00 10,00 10,00 10,00 10,00 10,00

Rhead,k [kN] 0,72 0,72 0,72 0,72 0,91 0,91 0,91 0,91 1,12 1,12 1,12 1,12 1,12 1,12 1,12 1,61 1,61 1,61 1,61 1,61 1,61 1,61 1,61 1,61 1,61 1,61 1,61 1,61 1,61 2,36 2,36 2,36 2,36 2,36 2,36 2,36 2,36 2,36 2,36 2,36 2,36 2,36 2,36

A

L b d1

d1 [mm]

4 4,5 5

6

8

L [mm] 40 50 60 70 45 50 60 70 50 60 70 80 90 100 120 80 90 100 120 140 150 160 180 200 220 240 260 280 300 140 160 180 200 220 240 260 280 300 320 340 360 380 400

b [mm] 24 30 35 40 30 30 35 40 30 35 40 50 55 60 60 50 55 60 75 80 80 90 100 100 100 100 100 100 100 80 90 90 100 100 100 100 100 100 100 100 100 100 100

A [mm] 16 20 25 30 15 20 25 30 20 25 30 30 35 40 60 30 35 40 45 60 70 70 80 100 120 140 160 180 200 60 70 90 100 120 140 160 180 200 220 240 260 280 300

PRINCÍPIOS GERAIS • Os valores característicos são conforme a norma EN 1995:2008, de acordo com ETA-11/0030. • Os valores de projecto são obtidos a partir dos valores característicos, desta forma:

Os coeficientes γm e kmod devem ser assumidos em função da norma vigente utilizada para o cálculo. • Para os valores de resistência mecânica e para a geometria dos parafusos, fez-se referência ao que consta da ETA-11/0030. • Em fase de cálculo, considerou-se uma massa volúmica dos elementos de madeira equivalente a ρk = 380 kg/m3.

• Os valores foram calculados considerando-se a parte roscada inserida completamente no elemento de madeira. • O dimensionamento e a verificação dos elementos de madeira devem ser feitos à parte. • As resistências características ao corte são avaliadas para parafusos inseridos sem pré-furo; em caso de parafusos inseridos com pré-furo, podem-se obter maiores valores de resistência.

NOTAS A resistência axial à extracção da rosca foi avaliada considerando-se um ângulo de 90° entre as fibras e o conector e para um comprimento de cravação igual a b. (2) A resistência axial de penetração da cabeça foi avaliada sobre elemento de madeira. (1)

SCH

73


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

KOP

EN14592

Tira-fundo DIN571 Versão de aço carbónico com zincagem galvânica branca e de aço inoxidável A2

MARCAÇÃO CE Parafuso dotado de marcação CE conforme EN14592

CABEÇA EXAGONAL Apropriado para utilização sobre chapas nas aplicações aço-madeira graças à cabeça exagonal

ECO-FRIENDLY Revestimento em cromo trivalente Cr3+ em substituição ao cromo exavalente Cr6

VERSÃO PARA AMBIENTE EXTERIOR Disponível também em aço inoxidável AISI304/A2 para aplicação em ambiente exterior (classe de serviço 3)

CAMPOS DE EMPREGO Ligações sobre madeira maciça, madeira lamelar, X-Lam, LVL, painéis à base de madeira. Classes de serviço 1 e 2.

74

KOP

ACESSÓRIOS


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

DIÂMETROS DE GRANDE DIMENSÃO O tira-fundo é um parafuso para madeira disponível em diâmetros de até 16 mm para aplicações específicas

FIXAÇÃO VERSÁTIL A roscagem da madeira (que necessita de pré-furação) é apropriada também para o uso em combinação com buchas de plástico para fixações sobre suportes de cimento ou alvenaria

Gama A versão em aço carbónico zincado está disponível do diâmetro 6,0 ao diâmetro 16,0 mm; a versão em aço inoxidável A2 está disponível do diâmetro 8,0 ao diâmetro 12,0 mm

400 1 2 3 4 5 6 7

200

ø6

CH10

ø8

CH13

ø10

CH17

ø12

CH19

22 23 24 25 26 27 28 29 3 0 31 32 33 34 35 36 37 38 39 4 0 41

100

8 9 1 0 11 12 13 14 15 16 17 18 19 2 0 21

300

ø16

CH24

KOP

75


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

Códigos e dimensões VERSÃO EM AÇO CARBÓNICO COM ZINCAGEM GALVÂNICA BRANCA d1 [mm]

6

CH10

L b d1

8

CH13

10

CH17

12

CH19

código KOP650 KOP660 KOP670 KOP680 KOP6100 KOP850 KOP860 KOP870 KOP880 KOP8100 KOP8120 KOP8140 KOP8160 KOP8180 KOP8200 KOP1050 KOP1060 KOP1080 KOP10100 KOP10120 KOP10140 KOP10150 KOP10160 KOP10180 KOP10200 KOP10220 KOP10240 KOP10260 KOP10280 KOP10300 KOP1250 KOP1260 KOP1270 KOP1280 KOP1290 KOP12100 KOP12120 KOP12140 KOP12150 KOP12160 KOP12180 KOP12200 KOP12220 KOP12240 KOP12260 KOP12280 KOP12300 KOP12320 KOP12340 KOP12360 KOP12380 KOP12400

L [mm]

pça/embal.

50 60 70 80 100 50 60 70 80 100 120 140 160 180 200 50 60 80 100 120 140 150 160 180 200 220 240 260 280 300 50 60 70 80 90 100 120 140 150 160 180 200 220 240 260 280 300 320 340 360 380 400

200

Os parafusos com diâmetro 6 não são dotados de marcação CE

76

KOP

d1 [mm]

16

100

100

50

50

50

25

CH24

código KOP1680 KOP16100 KOP16120 KOP16140 KOP16150 KOP16160 KOP16180 KOP16200 KOP16220 KOP16240 KOP16260 KOP16280 KOP16300 KOP16320 KOP16340 KOP16360 KOP16380 KOP16400

L [mm]

pça/embal.

80 100 120 140 150 160 180 200 220 240 260 280 300 320 340 360 380 400

25


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

Códigos e dimensões VERSÃO EM AÇO INOXIDÁVEL AISI304/A2 d1 [mm]

8

CH13

L b d1

10

CH17

12

CH19

código AI571850 AI571860 AI571870 AI571880 AI5718100 AI5718120 AI5711050 AI5711060 AI5711080 AI57110100 AI57110120 AI57110140 AI57110150 AI57110160 AI57110180 AI57110200 AI57110220 AI57110240 AI57110260 AI5711260 AI5711270 AI5711280 AI5711290 AI57112100 AI57112120 AI57112140 AI57112150 AI571121560 AI57112180 AI57112200 AI57112220 AI57112240 AI57112260

L [mm] 50 60 70 80 100 120 50 60 80 100 120 140 150 160 180 200 220 240 260 60 70 80 90 100 120 140 150 160 180 200 220 240 260

pça/embal.

100

50

50

25 50

25

Os parafusos de aço inoxidável não são dotados de marcação CE

KOP

77


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

A estática do carpinteiro

VALORES ADMISSÍVEIS

DIN 1052:1988

CORTE Vadm MADEIRA-MADEIRA

AÇO-MADEIRA

d1 [mm]

L [mm]

Vadm

d1 [mm]

L [mm]

Vadm

8

≥ 100

109 kg

8

≥ 50

136 kg

10

≥ 120

170 kg

10

≥ 50

213 kg

12

≥ 140

245 kg

12

≥ 50

306 kg

16

≥ 180

435 kg

16

≥ 80

544 kg

150

160

EXTRACÇÃO DA ROSCA Nadm Comprimento L [mm] d1 [mm]

50

60

70

80

90

100

120

140

8

72 kg

86 kg

101 kg

115 kg

-

144 kg

173 kg

202 kg

-

230 kg

10

90 kg

108 kg

-

144 kg

-

180 kg

216 kg

252 kg

270 kg

288 kg

12

108 kg

130 kg

151 kg

173 kg

194 kg

216 kg

259 kg

302 kg

324 kg

346 kg

16

-

-

-

230 kg

-

288 kg

346 kg

403 kg

432 kg

461 kg

Comprimento L [mm] d1 [mm]

180

200

220

240

260

280

300

320

340

360 ÷ 400

8

259 kg

288 kg

-

-

-

-

-

-

-

-

10

324 kg

360 kg

396 kg

432 kg

468 kg

504 kg

540 kg

-

-

-

12

389 kg

432 kg

475 kg

518 kg

562 kg

605 kg

648 kg

691 kg

702 kg

702 kg

16

518 kg

576 kg

634 kg

691 kg

749 kg

806 kg

864 kg

922 kg

979 kg

984 kg

PENETRAÇÃO DA CABEÇA Nadm d1 [mm]

Nadm

8

29 kg

10

52 kg

12

60 kg

16

89 kg

FÓRMULAS DE CÁLCULO - CORTE DIN 1052-2:1988 MADEIRA-MADEIRA Vadm = min { 0,4 · A · d1 ; 1,7 · d1 2 } d1 [mm] A [mm] Vadm [kg] EXEMPLO DE MADEIRA-MADEIRA KOP 12 x 180 mm d1 = 12 mm A = 72 mm

AÇO-MADEIRA Vadm = 1,25 · 1,7 · d1 2

Vadm = min { 0,4 · A · d1; 1,7 · d1 2 } Vadm = min { 0,4 · 72 · 12 ; 1,7 · 122 } = min { 346 ; 245 } = 245 kg

NOTAS • Os valores admissíveis são conforme a norma DIN 1052:1988. • Os valores admissíveis para a extracção são calculados considerando-se a parte roscada inserida completamente no elemento de madeira.

78

KOP

d1 [mm] Vadm [kg]


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

Geometria e distâncias mínimas GEOMETRIA E CARACTERÍSTICAS MECÂNICAS TIRA-FUNDO KOP Diâmetro nominal Chave Espessura da cabeça Diâmetro do núcleo Diâmetro da haste Diâmetro do pré-furo - parte lisa Diâmetro do pré-furo - parte roscada Comprimento da rosca

Ch k ds L b d2

Momento característico de tensão Parâmetro característico de resistência à extracção Densidade associada Parâmetro característico de penetração da cabeça Densidade associada Resistência característica à tracção

d1

d1 [mm] Ch [mm] k [mm] d2 [mm] dS [mm] dV1 [mm] dV2 [mm] b [mm]

6* 10 4,00 4,20 6,00 6,0 4,0

8 13 5,50 5,60 8,00 8,0 5,5

10 17 7,00 7,00 10,00 10,0 7,0 ≥ 0,6 L

12 19 8,00 9,00 12,00 12,0 8,5

16 24 10,00 12,00 16,00 16,0 11,0

My,k [Nmm] fax,k [N/mm2] ρa [kg/m3] fhead,k [N/mm2] ρa [kg/m3] ftens,k [kN]

-

16900,0 12,9 400 22,8 440 15,7

32200,0 10,6 400 19,8 420 23,6

65700,0 10,2 440 16,4 430 37,3

138000,0 10,0 360 16,5 430 75,3

* O parafuso não é dotado da marcação CE.

DISTÂNCIAS MÍNIMAS PARA PARAFUSOS SOB TENSÃO AO CORTE

Ângulo entre força e fibras α = 0°

Ângulo entre força e fibras α = 90° PARAFUSOS INSERIDOS COM PRÉ-FURO

a1 a2 a3,t a3,c a4,t a4,c

6 30 18 72 42 18 18

[mm] [mm] [mm] [mm] [mm] [mm]

direcção da fibragem

8 40 32 80 32 24 24

10 50 40 80 40 30 30

a1

16 80 64 112 64 48 48

extremidade sob tensão -90° < α < 90°

meio de união

a2 a2 a1

12 60 48 84 48 36 36

6 24 24 42 42 42 18 extremidade sem carga 90° < α < 270°

a2 a2 a1

a1

8 32 32 80 56 32 24

10 40 40 80 70 40 30

12 48 48 84 84 48 36

borda sob tensão 0° < α < 180°

16 64 64 112 112 64 48

borda sem carga 180° < α < 360°

a4,t a3,t

a4,c

a3,c

NOTAS • As distâncias mínimas são conforme a norma EN 1995:2008. • Para parafusos com diâmetro d > 6 mm requer-se o pré-furo (EN 1995:2008).

KOP

79


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

A estática do projectista

VALORES CARACTERÍSTICOS

EN 1995:2008 CORTE

geometria

ACESSÓRIOS

TRACÇÃO

madeira-madeira α = 0° (1)

madeira-madeira α = 90° (2)

aço-madeira chapa fina (3)

aço-madeira chapa espessa (4)

RV,k [kN] 2,96 3,28 3,55 3,78 3,96 3,96 3,96 3,96 3,96 3,96 3,48 4,18 5,01 5,78 6,05 6,05 6,05 6,05 6,05 6,05 6,05 6,05 6,05 6,05 6,05 4,01 4,81 5,61 6,42 6,92 7,20 7,82 8,50 8,64 8,64 8,64 8,64 8,64 8,64 8,64 8,64 8,64 8,64 8,64 8,64 8,64 8,64

RV,k [kN] 2,23 2,68 2,87 3,01 3,32 3,42 3,42 3,42 3,42 3,42 2,56 3,07 4,01 4,56 4,92 5,19 5,19 5,19 5,19 5,19 5,19 5,19 5,19 5,19 5,19 2,89 3,46 4,04 4,62 5,19 5,63 6,02 6,41 6,62 6,84 7,25 7,25 7,25 7,25 7,25 7,25 7,25 7,25 7,25 7,25 7,25 7,25

RV,k [kN]

RV,k [kN]

extracção da rosca (5) penetração da cabeça (6)

A

L b

80

KOP

SPLATE ≥ 8 mm SPLATE ≥ 10 mm

2,64 3,22 3,51 3,65 3,93 4,20 4,48 4,76 5,04 5,07 3,10 3,79 4,97 5,26 5,54 5,83 5,97 6,12 6,40 6,69 6,97 7,26 7,54 7,66 7,66 3,49 4,28 5,07 5,86 6,66 7,40 7,70 8,01 8,16 8,31 8,62 8,92 9,23 9,54 9,84 10,15 10,45 10,76 10,84 10,84 10,84 10,84

SPLATE ≥ 12 mm

12

A [mm] 20 24 28 32 40 48 56 64 72 80 20 24 32 40 48 56 60 64 72 80 88 96 104 112 120 20 24 28 32 36 40 48 56 60 64 72 80 88 96 104 112 120 128 145 165 185 205

SPLATE ≤ 5 mm

10

b (7) [mm] 30 36 42 48 60 72 84 96 108 120 30 36 48 60 72 84 90 96 108 120 132 144 156 168 180 30 36 42 48 54 60 72 84 90 96 108 120 132 144 156 168 180 192 195 * 195 * 195 * 195 *

SPLATE ≤ 6 mm

8

L [mm] 50 60 70 80 100 120 140 160 180 200 50 60 80 100 120 140 150 160 180 200 220 240 260 280 300 50 60 70 80 90 100 120 140 150 160 180 200 220 240 260 280 300 320 340 360 380 400

SPLATE ≤ 4 mm

d1

d1 [mm]

3,75 4,38 4,56 4,70 4,98 5,25 5,53 5,81 6,09 6,37 4,65 5,30 6,56 6,84 7,13 7,42 7,56 7,70 7,99 8,27 8,56 8,85 9,13 9,42 9,70 6,10 6,67 7,36 8,12 8,94 9,78 10,13 10,44 10,59 10,74 11,05 11,36 11,66 11,97 12,27 12,58 12,88 13,19 13,27 13,27 13,27 13,27

Rax,k [kN] 2,78 3,34 3,90 4,45 5,56 6,68 7,79 8,90 10,02 11,13 2,86 3,43 4,57 5,72 6,86 8,00 8,57 9,14 10,29 11,43 12,57 13,72 14,86 16,00 17,15 3,06 3,67 4,28 4,89 5,50 6,12 7,34 8,56 9,17 9,78 11,01 12,23 13,45 14,68 15,90 17,12 18,35 19,57 19,88 19,88 19,88 19,88

Rhead,k [kN] 3,54 3,54 3,54 3,54 3,54 3,54 3,54 3,54 3,54 3,54 5,45 5,45 5,45 5,45 5,45 5,45 5,45 5,45 5,45 5,45 5,45 5,45 5,45 5,45 5,45 5,54 5,54 5,54 5,54 5,54 5,54 5,54 5,54 5,54 5,54 5,54 5,54 5,54 5,54 5,54 5,54 5,54 5,54 5,54 5,54 5,54 5,54


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

A estática do projectista

VALORES CARACTERÍSTICOS

EN 1995:2008 CORTE

geometria

TRACÇÃO

madeira-madeira α = 0° (1)

madeira-madeira α = 90° (2)

aço-madeira chapa fina (3)

aço-madeira chapa espessa (4)

RV,k [kN] 8,49 10,48 11,43 12,18 12,58 12,99 13,86 14,09 14,09 14,09 14,09 14,09 14,09 14,09 14,09 14,09 14,09 14,09

RV,k [kN] 6,03 7,42 8,46 9,28 9,50 9,72 10,20 10,72 11,26 11,63 11,63 11,63 11,63 11,63 11,63 11,63 11,63 11,63

RV,k [kN]

RV,k [kN]

extracção da rosca (5) penetração da cabeça (6)

A

L b

b (7) [mm] 48 60 72 84 90 96 108 120 132 144 156 168 180 192 204 205 * 205 * 205 *

A [mm] 32 40 48 56 60 64 72 80 88 96 104 112 120 128 136 155 175 195

PRINCÍPIOS GERAIS

NOTAS

• Os valores característicos são conforme a norma EN 1995:2008. • Os valores de projecto são obtidos a partir dos valores característicos, desta forma:

(1)

(2)

• • • •

Os coeficientes γm e kmod devem ser assumidos em função da norma vigente utilizada para o cálculo. Em fase de cálculo, considerou-se uma massa volúmica dos elementos de madeira equivalente a ρk = 350 kg/m3. Os valores foram calculados considerando-se a parte roscada mínima completamente inserida no elemento de madeira. O dimensionamento e a verificação dos elementos de madeira e das chapas de aço devem ser feitos à parte. As resistências características ao corte são avaliadas para parafusos inseridos com pré-furo.

(3)

(4)

(5)

(6)

(7)

6,99 8,93 10,87 12,70 12,93 13,16 13,63 14,10 14,57 15,04 15,51 15,98 16,45 16,92 17,39 17,43 17,43 17,43

SPLATE ≥ 16 mm

16

L [mm] 80 100 120 140 150 160 180 200 220 240 260 280 300 320 340 360 380 400

SPLATE ≤ 8 mm

d1

d1 [mm]

11,17 13,02 15,10 16,59 16,83 17,06 17,53 18,00 18,47 18,94 19,41 19,88 20,35 20,82 21,29 21,33 21,33 21,33

Rax,k [kN] 7,51 9,39 11,26 13,14 14,08 15,02 16,89 18,77 20,65 22,53 24,40 26,28 28,16 30,04 31,91 32,07 32,07 32,07

Rhead,k [kN] 8,89 8,89 8,89 8,89 8,89 8,89 8,89 8,89 8,89 8,89 8,89 8,89 8,89 8,89 8,89 8,89 8,89 8,89

As resistências características ao corte são avaliadas considerando-se um ângulo α entre a força e as fibras equivalente a 0°. As resistências características ao corte são avaliadas considerando-se um ângulo α entre a força e as fibras equivalente a 90°. As resistências características ao corte são avaliadas considerando-se o caso de chapa fina (S PLATE ≤ 0,5 d1). As resistências características ao corte são avaliadas considerando-se o caso de chapa espessa (S PLATE ≥ d1). A resistência axial à extracção da rosca foi avaliada considerando-se um ângulo de 90° entre as fibras e o conector e para um comprimento de cravação igual a b. A resistência axial de penetração da cabeça foi avaliada sobre elemento de madeira. Em caso de ligações aço-madeira, é geralmente vinculante a resistência à tracção do aço em relação à retirada ou à penetração da cabeça. Em fase de cálculo, considerou-se um comprimento de rosca b = 0,6 L, à excepção das medidas (*).

KOP

81


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

MBS

Parafuso auto-roscante de cabeça cilíndrica para alvenaria Aço carbónico com zincagem galvânica branca

ROSCAGEM HI-LOW Apropriada para a fixação directa sobre materiais compactos e semicheios: pedra natural, betão, tijolos maciços e tijolos furados

GUARNIÇÕES DE MADEIRA Graças à cabeça cilíndrica, é ideal para a fixação de perfis de madeira directamente sobre o suporte de alvenaria

FIXAÇÃO DE BATENTES A rosca hi-low consente uma fixação segura também nas proximidades das bordas do suporte graças à pouca tensão induzida no material; ideal para molduras

Códigos e dimensões d1 [mm]

7,5

TX30

RÁPIDA INSTALAÇÃO Depois da perfuração do suporte (com um diâmetro de perfuração reduzido), o parafuso instala-se directamente no perfil, garantindo a manutenção da distância requerida em relação à alvenaria

82

MBS

código FE210086 FE210087 FE210088 FE210089 FE210090 FE210091

L [mm]

pça/embal.

72 92 112 132 152 182

100

Disponível também com cabeça escareada chata: ideal para a fixação de perfis de PVC e alumínio


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

Geometria dk

L

PARAFUSO AUTO-ROSCANTE MBS Diâmetro nominal Diâmetro da cabeça

d1 [mm] dk [mm]

7,5 8

PARÂMETROS DE INSTALAÇÃO Diâmetro do pré-furo alvenaria/ betão Diâmetro do furo no elemento a ser fixado

d0 [mm] df [mm]

6,0 6,2

d1

RESISTÊNCIA À EXTRACÇÃO - VALORES ACONSELHADOS Tipo de suporte betão blocos de betão

h nom,min [mm] 30 40 40 80 60 80

tijolo maciço tijolo furado betão aligeirado

N [kN] 1,07 0,40 2,50 0,30 -

Os valores aconselhados para a extracção são obtidos considerando-se um coeficiente de segurança equivalente a 3.

Instalação df

LEGENDA

hnom

d0 = Diâmetro do pré-furo em betão/alvenaria hnom = Profundidade de ancoragem nominal df = Diâmetro do furo no elemento a ser fixado

do

MBS

83


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

DWS

Parafusos para cartão-gesso Aço carbónico fosfatado

GEOMETRIA OPTIMAL Cabeça em forma de trombeta, de aço fosfatado; ideal para fixação de placas de cartão-gesso

ROSCA TOTAL Parafuso totalmente roscado, ideal para fixações sobre suportes de madeira

ISOLAMENTO TÉRMICO E ACÚSTICO Ideal para se realizarem, de maneira rápida e segura, isolamentos térmicos e acústicos

Códigos e dimensões d1 [mm]

3,5

PH2

SUBESTRUTURA DE MADEIRA A rosca total é ideal para fixações de placas de cartão-gesso a subestruturas de madeira

4,2

PH2

código

L [mm]

FE620001

25

FE620005

35

FE620010

45

FE620015

55

FE620020

65

L d1

84

DWS

descrição

pça/embal.

subestrutura de madeira

1000

subestrutura de madeira

1000


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

HZD

Parafusos DWS cintado para cartão-gesso Aço carbónico fosfatado

GEOMETRIA OPTIMAL Parafuso totalmente roscado, com cabeça em forma de trombeta e de aço fosfatado, ideal para fixação de placas de cartão-gesso e fibrogesso

VERSÃO CINTADA Ligadura de plástico para uma montagem em série rápida e precisa

SUBESTRUTURA DE MADEIRA A rosca de passo largo é ideal para fixações de placas de cartão-gesso ou fibrogesso a subestruturas de madeira

Códigos e dimensões d1 [mm] código

3,9

PH2

SUBESTRUTURA DE CHAPA A rosca de passo fino é ideal para fixações de placas de cartão-gesso ou fibrogesso a subestruturas de chapa (máximo 0,75 mm)

3,9

PH2

3,9

PH2

L [mm]

HH10600404

30

HH10600405

35

HH10600406

45

HH10600401

30

HH10600402

35

HH10600403

45

HH10600397

30

HH10600398

35

descrição

pça/ embal.

subestrutura de madeira

1000

subestrutura de chapa (máx. 0,75 mm)

1000

fibrogesso sobre subestrutura de madeira ou chapa (máx. 0,75 mm)

1000

HZD

85


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

THERMOWASHER Roseta para fixação de isolante sobre madeira Sistema de propileno

ANTIPONTE TÉRMICA Tampa de cobrir furo incorporada, para se evitarem pontes térmicas; amplos espaços côncavos para uma correcta adesão do reboco

ROSETA DE SEGURANÇA Dispõe de um sistema que impede o desenfiamento do parafuso; utilizada com parafusos HBS dotados de marcação CE

FIXAÇÃO CE COM PARAFUSOS TIPO HBS A roseta thermowasher deve ser utilizada com parafusos dotados da marcação CE conforme ETA; ideal com parafusos HBS Ø 6 ou Ø 8 e comprimento em função da espessura do isolante a ser fixado; medidas aconselhadas de HBS 6x140 a HBS 8x500 mm

FIXAÇÃO UNIVERSAL A roseta de propileno Ø 65 é compatível com parafusos Ø 6 e Ø 8; é apropriada para qualquer tipo de isolante e qualquer tipo de espessura fixável, de um mínimo de 30 mm até a um máximo de 420 mm. Para uma correcta aposição, é necessário seguir as indicações do produtor do isolante

86

THERMOWASHER

Códigos e dimensões código

dVITE [mm]

a x b x c [mm]

pça/embal.

D78202

6/8

65 x 4 x 20

700


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

ISULFIX

ETA 05/0267

Bucha para fixação de isolante sobre alvenaria Sistema em PVC com prego de aço carbónico

DUPLA EXPANSÃO Bucha de PVC Ø 8 de dupla expansão, com pregos de aço pré-montados para fixação sobre betão e alvenaria

MARCAÇÃO CE Bucha dotada de marcação CE conforme ETA, com valores certificados de resistência

RÁPIDA FIXAÇÃO A dupla expansão com pregos de aço pré-montados, consente uma rápida e versátil fixação sobre betão e alvenaria

FIXAÇÃO VERSÁTIL Bucha disponível em vários tamanhos para diferentes espessuras de isolante; com roseta adicional D78414 para uso em isolantes macios; modalidades de utilização e possibilidades de aposição certificadas e indicadas no respectivo documento ETA

Códigos e dimensões código

L [mm]

D78404 D78406 D78408

110 150 190

dFORO [mm]

código

dTESTA [mm]

descrição

pça/embal.

D78414

90

roseta adicional para isolantes macios

250

8

dTESTA [mm]

A [mm]

pça/embal.

60

80 120 160

250 150 100

A= espessura máxima fixável

ISULFIX

87


88


89

2. ESTRUTURAS


ESTRUTURAS

CARPINTARIA

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

CONECTORES ESTRUTURAIS Nova abordagem para os parafusos modernos concebidos como conectores aptos a garantir elevadas prestações estáticas desfrutando da capacidade axial.

RESISTÊNCIA PARAFUSOS DE ROSCA PARCIAL Concentração das tensões na área localizada em direcção da carga. Resistências ligadas ao esforço de apoio das paredes do furo feito na madeira e à dobradura do parafuso.

Tensões distribuídas ao longo de toda a superfície roscada. Altas resistências ligadas ao cilindro de madeira visado pelas tensões tangenciais.

parafusos sob tensão ao corte

conectores sob tensão axial

resistência proporcional ao diâmetro

resistência proporcional ao comprimento roscado

EXEMPLO DE APLICAÇÃO

acoplamento madeira - madeira

LIGAÇÃO COM PARAFUSOS DE ROSCA PARCIAL HBS

maior número de parafusos e maiores deformações

90

PARAFUSOS DE ROSCA TOTAL

LIGAÇÃO COM CONECTORES DE ROSCA TOTAL VGZ

menor número de conectores e menores deformações


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

RIGIDEZ PARAFUSOS DE ROSCA PARCIAL

CONECTORES DE ROSCA TOTAL

F

RIGIDEZ DUCTILIDADE

F

F

• parafusos sob tensão ao corte • altas deslocações • baixa rigidez • alta ductilidade

F

RIGIDEZ

F

• conectores sob tensão axial • deslocações limitadas • alta rigidez • ductilidade reduzida

F s

A rigidez da ligação é convencionalmente identificada pela pendência dos troços elásticos da curva monótona carga deslocação. O gráfico refere-se a ensaios de corte para o controlo de deslocamento de parafusos HBS sob tensão lateral (corte) e parafusos VGZ cruzados sob tensão axial.

F - load [kN]

s

COMPORTAMENTO EXPERIMENTAL

DUCTILIDADE

kSER VGZ

kSER HBS

s - slip [mm]

91


ESTRUTURAS

CARPINTARIA

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

PARAFUSOS SOB TENSÃO AXIAL A resistência é proporcional ao comprimento da rosca e por isso é possível atingir elevadas prestações com diâmetros reduzidos.

DETERMINAÇÃO DA RESISTÊNCIA Para a verificação das resistências de parafusos sob tensão axial, o valor determinante será o menor entre: ROSCA extracção

AÇO tracção / separação da cabeça, instabilidade

resistência 30-100% função de L rosca

CABEÇA penetração

resistência 100%

resistência 10%

Para os conectores de rosca total, a resistência à penetração da cabeça (vinculante em caso de parafusos de rosca parcial) é desprezível e considera-se, em vez, a elevada resistência à extracção da rosca, que ocorre por tensões quer de tracção quer de compressão.

EXEMPLO DE APLICAÇÃO

ligação ao corte madeira-madeira

LIGAÇÃO COM CONECTORES DE ROSCA TOTAL VGZ Fc

Ft

Ft

Fc

LIGAÇÃO COM PARAFUSOS DE ROSCA PARCIAL HBS Fc=0

Ft

Ft

LIGAÇÕES COM DIFERENTES TIPOS DE CONECTORES "Quando uma ligação inclui diferentes tipos de meios de união ou meios de união com rigidez diferente, é recomendável verificar a compatibilidade de tais meios [EN 1995:2008]." Na prática, isto significa que não é consentido utilizar sistemas de fixação diferentes para transferir uma única tensão (por ex.: corte F): a resistência global não é a soma de cada resistência.

92


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

EXEMPLO DE APLICAÇÃO Transferência de uma força de corte F mediante conectores sob tensão axial SOLUÇÃO A 2 CONECTORES CRUZADOS

SOLUÇÃO B 2 CONECTORES EM PARALELO

F

F

DESCOMPOSIÇÃO DAS FORÇAS 1 parafuso em tracção

1 parafuso em compressão

RESULTANTE R = F

R

DESCOMPOSIÇÃO DAS FORÇAS 2 parafusos em tracção

contacto directo: madeira em compressão

RESULTANTE R = F

R/2 + R/2 = R*

* a somar à eventual contribuição do atrito

93


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

REFORÇOS ESTRUTURAIS A madeira é um material anisótropo: apresenta, portanto, características mecânicas diferentes conforme a direcção das fibras e da tensão.

A anisotropia do material deriva da organização

No âmbito dos reforços, as principais tensões

celular: a madeira é constituída de feixes de

monoaxiais às quais a madeira pode ser submetida

fibras soldadas entre si pela lenhina e podem

são:

ser assimilados a feixes de palhinhas muito finas

1. tracção perpendicular às fibras

chamadas traqueídes. A estrutura física define as

2. tracção perpendicular às fibras

características mecânicas da madeira:

3. compressão perpendicular às fibras

• maior resistência e rigidez para tensões orientadas

4. corte longitudinal

ao longo da direcção do eixo das fibras; • menor eficiência para tensões ortogonais à direcção das fibras, em particular para tensões de tracção. 1

94

2

3

4


ESTRUTURAS

CARPINTARIA

1

EXTERIOR

REFORÇO DE TRACÇÃO PERPENDICULAR ÀS FIBRAS - ENTALHE RUPTURA

REFORÇO DE TRACÇÃO PERPENDICULAR ÀS FIBRAS - CARGA SUSPENSA RUPTURA

3

REFORÇO

Resistência influenciada sobretudo por fissurações, nós, canais resiníferos. Comportamento tipicamente frágil.

2

MADEIRA/METAL

REFORÇO

Poderá haver ruptura se a carga aplicada interessar uma altura limitada da viga principal ( a/h ≤ 0,7). Comportamento tipicamente frágil.

ACESSÓRIOS

REFORÇO DE COMPRESSÃO PERPENDICULAR ÀS FIBRAS - APOIO RUPTURA

REFORÇO

Esmagamento e quebra das fibras nas zonas de introdução das forças (por ex.: apoios). Comportamento suficientemente dúctil.

4

REFORÇO DE CORTE LONGITUDINAL RUPTURA

REFORÇO

Colapso nas proximidades do eixo neutro, deslizamento recíproco de duas partes da secção. Viga sujeita à flexão: zona tesa ou zona de apoio. Comportamento tipicamente frágil.

95


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

FIXAÇÕES PARA ISOLANTE CONTÍNUO A instalação contínua da camada isolante garante prestações energéticas optimais, eliminando as pontes térmicas. A sua eficácia está vinculada à correcta utilização de sistemas de fixação idóneos, oportunamente calculados.

PONTOS CRÍTICOS 1

ESMAGAMENTO DO ISOLANTE

O esmagamento do isolante (para cargas muito elevadas) comporta uma redução da câmara de ventilação e, em consequência, diminui o arejamento presente na câmara-de-ar e, portanto, a sua eficácia. Para além disso, pode-se verificar uma diminuição do poder isolante do pacote que, em

2

DESLOCAÇÃO DO ISOLANTE E DO REVESTIMENTO

A carga actuante sobre a estrutura apresenta uma componente paralela à vertente/fachada que comporta, se não for impedida (por exemplo, com parafusos do “tipo A”), uma possível translação das camadas mais externas, com provável estrago do manto de cobertura e do poder isolante. Disso advêm evidentes problemáticas térmicas, estéticas e de impermeabilização ao ar e à água.

caso de esmagamento, apresenta uma espessura inferior àquela inicial. Para se evitar tal problema, é necessário certificar-se de que a resistência à

F

F

compressão do isolante σ (10%) seja suficiente para resistir às tensões actuantes. Em alternativa, é sempre possível pôr parafusos inclinados em ambas as direcções, de modo que a carga seja totalmente transferida através dos conectores e não deforme, de nenhuma maneira, a camada de isolante.

3

PONTES TÉRMICAS

É importante que o isolante seja contínuo, sem interrupções ou fissurações, para optimizar o seu desempenho, minimizando as pontes térmicas. Deverão ser também evitadas as pontes térmicas causadas por ancoragens muito frequentes ou dispostas de maneira errada.

96


ESTRUTURAS

CARPINTARIA

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

COBERTURA: ISOLANTE MACIO

COBERTURA: ISOLANTE DURO

Baixa resistência à compressão ( σ(10%) < 50 kPa - EN 826) • O isolante não suporta a componente de carga perpendicular à vertente (N) • Os parafusos resultam estar sob tensão à tracção (A) e à compressão (B) • para carga muito elevada de vento em depressão, inserem-se parafusos adicionais (C) • Uma adequada espessura da ripa consente a optimização do número de fixações

Alta resistência à compressão (σ(10%) ≥ 50 kPa - EN 826) • O isolante suporta a componente de carga perpendicular à vertente (N) • os parafusos resultam estar só sob tensão à tracção (A) • para carga muito elevada de vento em depressão, inserem-se parafusos adicionais (C) • Uma adequada espessura da ripa consente a optimização do número de fixações

N

N

F

F

A

A B

A

A

A B C

C

F

FACHADA • Os parafusos devem suportar quer as acções de pressão e depressão do vento (±N) quer as forças verticais (F) • aposição: um parafuso em tracção (A) e um outro ortogonal à fachada (C), teso ou compresso em função de N, ou parafusos inclinados nas 2 direcções • os parafusos (C) devem suportar as acções quer de pressão quer de depressão do vento (±N) e são submetidos à compressão ou à tracção, alternativamente

A

C

±N

A

C

97


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

VGZ

ETA 11/0030

Conector totalmente roscado de cabeça cilíndrica Aço carbónico com zincagem galvânica branca

EMBALAGEM Caixa + folheto CE + BIT

AÇO ESPECIAL Roscagem profunda e aço de alta resistência (fy,k = 1000 N/mm2) para um grande desempenho à tracção

CABEÇA CILÍNDRICA Cabeça cilíndrica para inserção oculta na madeira

DIÂMETROS Ø7 e Ø9 Optimizam as dimensões mínimas da viga a juntar

CAMPOS DE EMPREGO Ligações, reforços e acoplamentos sobre madeira maciça, madeira lamelar, X-Lam, LVL, painéis à base de madeira. Classes de serviço 1 e 2

98

VGZ

ACESSÓRIOS


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

LIGAÇÃO OCULTA O par de conectores inclinados a 45° garante uma ligação oculta de alta resistência e rigidez, protegida contra o fogo e apropriada para o sisma

ACOPLAMENTO A rosca total do conector disposto inclinado garante uma elevada rigidez da ligação, sendo ideal para o acoplamento de vigas e lajes

REFORÇO A rosca total distribui a tensão de tracção ortogonal às fibras na altura da viga, garantindo-lhe o reforço

VGZ

99


ESTRUTURAS

CARPINTARIA

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

Aplicações Fixação eficaz de lajes de X-Lam colocadas lado a lado

Fixação de laje X-Lam sobre parede de X-Lam para grandes esforços

Fixação do barrote secundário inclinado sobre a viga principal

Gama A cabeça cilíndrica é ideal para a inserção oculta do parafuso na madeira por meio de insertos compridos. Os diâmetros d=7mm e d=9mm consentem óptimas tolerâncias de montagem e um elevado factor de segurança no cálculo e na instalação.

600 1 2 3

400

300 250 200

100 50

ø7

TX30

100

VGZ

ø9

TX40

42 43 44 45 46 47 48 49 5 0 51 52 53 54 55 56 57 58 59 6 0

150

22 23 24 25 26 27 28 29 3 0 31 32 33 34 35 36 37 38 39 4 0 41

350

8 9 1 0 11 12 13 14 15 16 17 18 19 2 0 21

450

5 6 7

500

4

550


ESTRUTURAS

CARPINTARIA

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

Códigos e dimensões d1 [mm]

7

TX30

Lb

d1

9

TX40

código VGZ7100 VGZ7140 VGZ7180 VGZ7220 VGZ7260 VGZ7300 VGZ7340 VGZ9160 VGZ9200 VGZ9240 VGZ9280 VGZ9320 VGZ9360 VGZ9400 VGZ9450 VGZ9500

L [mm]

b [mm]

100 140 180 220 260 300 340 160 200 240 280 320 360 400 450 500

90 130 170 210 250 290 330 150 190 230 270 310 350 390 440 490

pça/embal.

25

25

Suporte de viga VGZ código

descrição

pça/embal.

ATVGZXAMK

KIT COMPLETO

ATVGZXAM01 ATVGZXAM02 ATVGZXAM03 ATVGZXAM04 HBS680 ATINTX30200 ATINTX40200 MUT3156 ATVGZVITE

(1) suporte de viga VGZ KIT BASE (2) suporte de viga VGZ KIT CENTRAL (3) suporte de viga VGZ 7 mm (4) suporte de viga VGZ 9 mm parafusos para fixação de suporte de viga (5) inserto TX 30 200 mm (6) inserto TX 40 200 mm (7) porca com orelhas DIN315 M6 (8) parafuso para montagem de KIT BASE

1 1 1 1 1 100 1 1 2 2

(3) ATVGZXAM03 (1) ATVGZXAM01

(2) ATVGZXAM02 (4) ATVGZXAM04

2x

100x

(5) ATINTX30200

(6) ATINTX40200

(7) MUT3156

(8) ATVGZVITE

ATVGZXAMK

VGZ

101


ESTRUTURAS

CARPINTARIA

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

A estática do carpinteiro

VALORES ADMISSÍVEIS

DIN 1052:1988

EXTRACÇÃO DA ROSCA Nadm EXTRACÇÃO DA ROSCA TOTAL Nadm d1 [mm]

b L A

7

L [mm]

b [mm]

Amin [mm]

Nadm

100

90

110

140

130

180

170

220

d1 [mm]

L [mm]

b [mm]

Amin [mm]

Nadm

315 kg

160

150

170

675 kg

150

455 kg

200

190

210

855 kg

190

595 kg

240

230

250

1035 kg

210

230

735 kg

280

270

290

1215 kg

260

250

270

776 kg

(1)

320

310

330

1277 kg (1)

300

290

310

776 kg

(1)

360

350

370

1277 kg (1)

340

330

350

776 kg (1)

400

390

410

1277 kg (1)

450

440

460

1277 kg (1)

500

490

510

1277 kg (1)

L [mm]

sg [mm]

Amin [mm]

Nadm

9

EXTRACÇÃO DA ROSCA PARCIAL Nadm d1 [mm]

Sg

A 7

Sg

A

L [mm]

sg [mm]

Amin [mm]

Nadm

d1 [mm]

100

35

55

123 kg

160

65

85

293 kg

140

55

75

193 kg

200

85

105

383

180

75

95

263 kg

240

105

125

473 kg

220

95

115

333 kg

280

125

145

563 kg

260

115

135

403 kg

320

145

165

653 kg

300

135

155

473 kg

360

165

185

743 kg

340

155

175

543 kg

400

185

205

833 kg

450

210

230

945 kg

500

235

255

1058 kg

9

1kN = 100 kg

FÓRMULAS DE CÁLCULO MADEIRA-MADEIRA Nadm = 0,5 · sg · d1

102

VGZ

d1 [mm] sg [mm] Nadm [kg]

DIN 1052-2:1988

EXEMPLO DE MADEIRA-MADEIRA VGZ 9 x 240 mm d1 = 9 mm sg = 105 mm

Nadm = 0,5 · sg · d1 Nadm = 0,5 · 105 · 9 = 473 kg

kg


ESTRUTURAS

CARPINTARIA

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

A estática do carpinteiro

VALORES ADMISSÍVEIS

DIN 1052:1988

DESLIZAMENTO Vadm MADEIRA-MADEIRA

A

45°

Sg

Sg

d1 [mm]

B

7

L [mm]

sg [mm]

Amin [mm]

Bmin [mm]

Vadm

100

35

40

55

140

55

55

180

75

65

220

95

260 300 340

d1 [mm]

L [mm]

sg [mm]

Amin [mm]

Bmin [mm]

87 kg

160

65

60

75

207 kg

70

136 kg

200

85

75

90

270 kg

85

186 kg

240

105

90

105

334 kg

80

100

235 kg

280

125

105

120

398 kg

115

95

110

285 kg

320

145

115

135

461 kg

135

110

125

334 kg

360

165

130

145

525 kg

155

125

140

384 kg

400

185

145

160

589 kg

450

210

165

180

668 kg

500

235

180

195

748 kg

9

Vadm

CORTE Vadm MADEIRA-MADEIRA d1 [mm]

A 7

L [mm]

sg [mm]

A [mm]

Vadm

100

35*

50

140

55

70

180

75

220

95

260

115

130

83 kg

300

135

150

340

155

170

d1 [mm]

L [mm]

sg [mm]

A [mm]

Vadm

83 kg

160

83 kg

200

65*

80

138 kg

85

100

138 kg

90

83 kg

110

83 kg

240

105

120

138 kg

280

125

140

138 kg

320

145

160

138 kg

83 kg

360

165

180

138 kg

83 kg

400

185

200

138 kg

450

210

225

138 kg

500

235

250

138 kg

9

NOTAS • Os valores admissíveis são conforme a norma DIN 1052:1988. • Os valores admissíveis para o corte são calculados considerando-se um comprimento de cravação equivalente a 8 d1, à excepção de (*) • Os valores admissíveis para a extracção são calculados considerando-se a parte roscada (b ou sg) inserida completamente no elemento de madeira.

(1)

Alcance da força de tracção à ruptura do aço.

VGZ

103


ESTRUTURAS

CARPINTARIA

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

A estática do carpinteiro

VALORES ADMISSÍVEIS

DIN 1052:1988

LIGAÇÃO EM CORTE COM CONECTORES CRUZADOS LIGAÇÃO EM ÂNGULO RECTO - VIGA PRINCIPAL / VIGA SECUNDÁRIA d1 [mm]

7

9

L [mm]

sg [mm]

BHT min [mm]

HHT min = hNT min [mm]

140

55

65

120

180

75

80

150

220

95

95

175

260

115

110

205

300

135

125

235

340

155

140

260

160

65

75

135

200

85

90

165

240

105

100

190

280

125

115

220

320

145

130

250

360

165

145

275

400

185

160

305

450

210

175

340

500

235

195

375

bNT min [mm] sem pré-furo com pré-furo (3)

67 102 137 67 102 137 67 102 137 67 102 137 67 102 137 67 102 137 86 131 176 86 131 176 86 131 176 86 131 176 86 131 176 86 131 176 86 131 176 86 131 176 86 131 176

53 88 123 53 88 123 53 88 123 53 88 123 53 88 123 53 88 123 68 113 158 68 113 158 68 113 158 68 113 158 68 113 158 68 113 158 68 113 158 68 113 158 68 113 158

N° de pares

Vadm (1) [kg]

1 2 3 1 2 3 1 2 3 1 2 3 1 2 3 1 2 3 1 2 3 1 2 3 1 2 3 1 2 3 1 2 3 1 2 3 1 2 3 1 2 3 1 2 3

272 kg 544 kg 817 kg 371 kg 742 kg 1114 kg 470 kg 940 kg 1411 kg 569 kg 1138 kg 1708 kg 668 kg 1336 kg 2005 kg 767 kg 1534 kg 2302 kg 414 kg 827 kg 1241 kg 541 kg 1082 kg 1623 kg 668 kg 1336 kg 2005 kg 795 kg 1591 kg 2386 kg 923 kg 1846 kg 2768 kg 1050 kg 2100 kg 3150 kg 1177 kg 2355 kg 3532 kg 1336 kg 2673 kg 4009 kg 1496 kg 2991 kg 4487 kg

m (2) [mm]

53

67

81

95

109

124

61

75

89

103

117

131

145

163

181

NOTAS (1)

(2)

104

A resistência axial à extracção da rosca foi avaliada considerando-se um comprimento de rosca eficaz equivalente a sg. Os conectores devem ser inseridos a 45° em relação ao plano de corte. O baricentro dos conectores deve ser posicionado em correspondência com o plano de corte. A quota de montagem (m) é válida em caso de aposição dos conectores em prumo superior aos elementos.

VGZ

(3)

Na prática, é possível reduzir as distâncias mínimas inserindo-se os conectores com pré-furo.

• Os valores admissíveis são conforme a norma DIN 1052:1988.


ESTRUTURAS

CARPINTARIA

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

A estática do carpinteiro

VALORES ADMISSÍVEIS

DIN 1052:1988

LIGAÇÃO EM CORTE COM CONECTORES CRUZADOS LIGAÇÃO EM ÂNGULO RECTO - VIGA PRINCIPAL / VIGA SECUNDÁRIA d1 [mm]

11

L [mm]

sg [mm]

BHT min [mm]

HHT min = hNT min [mm]

200

85

90

165

250

110

105

200

300

135

125

235

350

160

140

270

400

185

160

305

450

210

175

340

500

235

195

380

550

260

210

415

600

285

230

450

bNT min [mm] sem pré-furo com pré-furo (3)

105 160 215 105 160 215 105 160 215 105 160 215 105 160 215 105 160 215 105 160 215 105 160 215 105 160 215

83 138 193 83 138 193 83 138 193 83 138 193 83 138 193 83 138 193 83 138 193 83 138 193 83 138 193

N° de pares

Vadm (1) [kg]

1 2 3 1 2 3 1 2 3 1 2 3 1 2 3 1 2 3 1 2 3 1 2 3 1 2 3

661 kg 1322 kg 1983 kg 856 kg 1711 kg 2567 kg 1050 kg 2100 kg 3150 kg 1245 kg 2489 kg 3734 kg 1439 kg 2878 kg 4317 kg 1633 kg 3267 kg 4900 kg 1828 kg 3656 kg 5484 kg 2022 kg 4045 kg 6067 kg 2217 kg 4434 kg 6650 kg

m (2) [mm]

78

95

113

131

148

166

184

201

219

conectores VGS de cabeça escareada Ø 9 e Ø 11: ver pág. 136

DISTÂNCIAS MÍNIMAS ACONSELHADAS [mm] sem pré-furo

7 9 11

a2,c

across

e

28 36 44

11 14 17

25 32 39

com pré-furo

7 9 11

a2,c

across

e

21 27 33

11 14 17

25 32 39

Pré-furo dv [mm] 4,0 5,0 6,0

7 9 11

obrigação de pré-furo para conectores Ø 11 ≥ 400 mm

Secção:

Planta - 1 par

m

Planta - 2 ou mais pares

m 45°

90°

90°

hNT

a2,c across e bNT across a2,c

a2,c across bNT a2,c

HHT 90°

BHT

BHT

BHT

VGZ

105


ESTRUTURAS

CARPINTARIA

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

Geometria e distâncias mínimas GEOMETRIA E CARACTERÍSTICAS MECÂNICAS Z

X X

V

G

X

CONECTOR VGZ

dk ds

Diâmetro nominal Diâmetro da cabeça Diâmetro do núcleo Diâmetro da haste Diâmetro do pré-furo

Lb

Momento característico de tensão Parâmetro característico de resistência à extracção Resistência característica à tracção Resistência característica à tensão

d2 d1

d1 [mm] dK [mm] d2 [mm] dS [mm] dV [mm]

7 9,50 4,60 5,00 4,0

9 11,50 5,90 6,50 5,0

My,k [Nmm] fax,k [N/mm2] ftens,k [kN] fy,k [N/mm2]

14174,2 11,7 15,4 1000

27244,1 11,7 25,4 1000

ROSCA EFICAZ DE CÁLCULO b = L - 10 mm representa todo o comprimento da parte roscada. sg = (L - 10 mm - 10 mm - Tol.) / 2 representa metade do comprimento da parte roscada, deduzida uma tolerância (Tol.) de aposição de 10 mm.

L 10 mm

Sg

Tol.

Sg

10 mm

Os valores de extracção, corte e deslizamento foram avaliados posicionando-se o baricentro do conector em correspondência com o plano de corte e considerando-se uma rosca eficaz equivalente a sg.

b

DISTÂNCIAS MÍNIMAS PARA PARAFUSOS SOB TENSÃO AO CORTE (1)

Ângulo entre força e fibras α = 0°

Ângulo entre força e fibras α = 90°

Ângulo entre força e fibras α = 0°

PARAFUSOS INSERIDOS SEM PRÉ-FURO a1 a2 a3,t a3,c a4,t a4,c

7 84 35 105 70 35 35

[mm] [mm] [mm] [mm] [mm] [mm]

direcção da fibragem

9 108 45 135 90 45 45

7 35 35 70 70 70 35

a2 a2 a1

106

VGZ

a1

PARAFUSOS INSERIDOS COM PRÉ-FURO 9 45 45 90 90 90 45

extremidade sob tensão -90° < α < 90°

meio de união

7 35 21 84 49 21 21

extremidade sem carga 90° < α < 270°

a2 a2 a1

a1

Ângulo entre força e fibras α = 90°

9 45 27 108 63 27 27

7 28 28 49 49 49 21

borda sob tensão 0° < α < 180°

borda sem carga 180° < α < 360°

a4,t a3,t

a3,c

9 36 36 63 63 63 27

a4,c


ESTRUTURAS

CARPINTARIA

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

Geometria e distâncias mínimas DISTÂNCIAS MÍNIMAS PARA PARAFUSOS SOB TENSÃO AXIAL (2)

a1

a2 a2,LIM (3) a1,C a2,C aCROSS

[mm] [mm] [mm] [mm] [mm] [mm]

PARAFUSOS INSERIDOS SEM PRÉ-FURO

PARAFUSOS INSERIDOS COM PRÉ-FURO

7 35 35 18 70 28 11

7 35 35 18 70 21 11

9 45 45 23 90 36 14

9 45 45 23 90 27 14

PARAFUSOS EM TRACÇÃO INSERIDOS COM UM ÂNGULO α EM RELAÇÃO À FIBRA Planta

Prospecto

Planta

Prospecto

a2,c a2,c a1,c a2,c a2 a2,c

a1

a2,c

a2,c

a2 a1

a2,c a1,c

a1,c

a2,c a1,c

PARAFUSOS INSERIDOS COM UM ÂNGULO DE 90° EM RELAÇÃO À FIBRA Planta

PARAFUSOS CRUZADOS INSERIDOS COM UM ÂNGULO α EM RELAÇÃO À FIBRA

Prospecto

Planta

Prospecto

a2,c

45°

a2

a2,c across a2,c

a2,c a1,c

a1

a1,c

a1

NOTAS (1)

(2)

As distâncias mínimas são conforme a norma EN 1995:2008, de acordo com ETA-11/0030, considerando-se uma massa volúmica dos elementos de madeira ρk ≤ 420 kg/m3. As distâncias mínimas para conectores sob tensão axial são independentes do ângulo de inserção do conector e do ângulo da força em relação às fibras, de acordo com ETA-11/0030.

(3)

A distância axial a2 pode ser reduzida até 2,5 ∙ d1 se, para cada conector, mantém-se uma “superfície de ligação” a1 ∙ a2 = 25 ∙ d12.

VGZ

107


ESTRUTURAS

CARPINTARIA

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

A estática do projectista

ACESSÓRIOS VALORES CARACTERÍSTICOS

EN 1995:2008

TRACÇÃO (1) geometria

extracção da rosca total (2)

L b

extracção da rosca parcial (2) Sg

A

Sg

A

tracção do aço

A

d1

d1 [mm]

7

9

L [mm] 100 140 180 220 260 300 340 160 200 240 280 320 360 400 450 500

b [mm] 90 130 170 210 250 290 330 150 190 230 270 310 350 390 440 490

Amin [mm] 110 150 190 230 270 310 350 170 210 250 290 330 370 410 460 510

madeira Rax,k [kN] 7,87 11,37 14,87 18,37 21,87 25,37 28,86 16,87 21,37 25,87 30,36 34,86 39,36 43,86 49,48 55,11

sg [mm] 35 55 75 95 115 135 155 65 85 105 125 145 165 185 210 235

madeira Rax,k [kN] 3,06 4,81 6,56 8,31 10,06 11,81 13,56 7,31 9,56 11,81 14,06 16,31 18,56 20,81 23,62 26,43

Amin [mm] 55 75 95 115 135 155 175 85 105 125 145 165 185 205 230 255

aço Rtens,k [kN]

15,40

25,40

DESLIZAMENTO madeira - madeira (3)

Sg

geometria

A

Sg

L b

45°

B

d1

d1 [mm]

7

9

108

VGZ

L [mm] 100 140 180 220 260 300 340 160 200 240 280 320 360 400 450 500

Sg [mm] 35 55 75 95 115 135 155 65 85 105 125 145 165 185 210 235

AMIN [mm] 40 55 65 80 95 110 125 60 75 90 105 115 130 145 165 180

BMIN [mm] 55 70 85 100 110 125 140 75 90 105 120 135 145 160 180 195

RV,k [kN] 1,97 3,09 4,22 5,34 6,47 7,59 8,72 4,70 6,14 7,59 9,04 10,48 11,93 13,37 15,18 16,99


ESTRUTURAS

CARPINTARIA

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

A estática do projectista

VALORES CARACTERÍSTICOS

EN 1995:2008

CORTE geometria

madeira-madeira

Sg

A

L b Sg

d1

d1 [mm]

7

9

L [mm] 100 140 180 220 260 300 340 160 200 240 280 320 360 400 450 500

Sg [mm] 35 55 75 95 115 135 155 65 85 105 125 145 165 185 210 235

AMIN [mm] 50 70 90 110 130 150 170 80 100 120 140 160 180 200 225 250

PRINCÍPIOS GERAIS

NOTAS

• Os valores característicos são conforme a norma EN 1995:2008, de acordo com ETA-11/0030. • Os valores de projecto são obtidos a partir dos valores característicos, desta forma:

(1)

RV,k [kN] 2,65 3,34 3,78 4,21 4,27 4,27 4,27 5,06 5,62 6,19 6,47 6,47 6,47 6,47 6,47 6,47

A resistência de projecto do conector é a mínima entre a resistência de projecto do lado da madeira (Rax,d) e a resistência de projecto do lado do aço (Rtens,d).

/ • •

• •

Os coeficientes γm e kmod devem ser assumidos em função da norma vigente utilizada para o cálculo. Para os valores de resistência mecânica e para a geometria dos parafusos, fez-se referência ao que consta de ETA-11/0030. Em fase de cálculo, considerou-se uma massa volúmica dos elementos de madeira equivalente a ρk = 380 kg/m3. As resistências características podem ser consideradas válidas, por segurança, também para massas volúmicas maiores. O dimensionamento e a verificação dos elementos de madeira devem ser feitos à parte. As resistências características ao corte são avaliadas para parafusos inseridos sem pré-furo; no caso de parafusos inseridos com pré-furo, é possível obter maiores valores de resistência. Os valores de extracção, corte e deslizamento foram avaliados considerando-se o baricentro do conector posicionado em correspondência com o plano de corte. As resistências características são avaliadas sobre madeira maciça ou lamelar; em caso de ligações com elementos de X-Lam, os valores de resistência podem divergir e devem ser avaliados com base nas características do painel e da configuração da ligação.

(2)

(3)

/

A resistência axial à extracção da rosca foi avaliada considerando-se um ângulo de 90° entre as fibras e o conector e para um comprimento de rosca eficaz equivalente a b ou sg. Para valores intermédios de sg, é possível interpolar linearmente. A resistência axial à extracção da rosca foi avaliada considerando-se um ângulo de 45° entre as fibras e o conector e para um comprimento de rosca eficaz equivalente a sg.

VGZ

109


ESTRUTURAS

CARPINTARIA

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

A estática do projectista

VALORES CARACTERÍSTICOS

EN 1995:2008

LIGAÇÃO DE CORTE COM CONECTORES CRUZADOS LIGAÇÃO EM ÂNGULO RECTO - VIGAL PRINCIPAL / VIGA SECUNDÁRIA

d1 [mm]

L [mm]

sg [mm]

BHT min [mm]

bNT min [mm]

HHT min = hNT min [mm] sem pré-furo

7

9

140

55

65

120

180

75

80

150

220

95

95

175

260

115

110

205

300

135

125

235

340

155

140

260

160

65

75

135

200

85

90

165

240

105

100

190

280

125

115

220

320

145

130

250

360

165

145

275

400

185

160

305

450

210

175

340

500

235

195

375

Secção:

67 102 137 67 102 137 67 102 137 67 102 137 67 102 137 67 102 137 86 131 176 86 131 176 86 131 176 86 131 176 86 131 176 86 131 176 86 131 176 86 131 176 86 131 176

N° de pares

com pré-furo

Planta - 1 par

m

extracção

(3)

53 88 123 53 88 123 53 88 123 53 88 123 53 88 123 53 88 123 68 113 158 68 113 158 68 113 158 68 113 158 68 113 158 68 113 158 68 113 158 68 113 158 68 113 158

R1 V,k (1) [kN]

1 2 3 1 2 3 1 2 3 1 2 3 1 2 3 1 2 3 1 2 3 1 2 3 1 2 3 1 2 3 1 2 3 1 2 3 1 2 3 1 2 3 1 2 3

R2 V,k (1) [kN] (4)

6,2 11,5 16,6 8,4 15,7 22,7 10,7 19,9 28,7 12,9 24,1 34,8 15,2 28,3 40,8 17,4 32,5 46,9 9,4 17,5 25,3 12,3 22,9 33,0 15,2 28,3 40,8 18,1 33,7 48,6 21,0 39,1 56,4 23,9 44,5 64,1 26,7 49,9 71,9 30,4 56,7 81,6 34,0 63,4 91,3

67 81 95 109 124 61 75 89 103 117 131 145 163 181

90°

90°

a2,c across e bNT across a2,c

a2,c across bNT a2,c

HHT 90°

VGZ

53

m

hNT

110

13,6 25,4 36,5 13,6 25,4 36,5 13,6 25,4 36,5 13,6 25,4 36,5 13,6 25,4 36,5 13,6 25,4 36,5 22,8 42,6 61,3 22,8 42,6 61,3 22,8 42,6 61,3 22,8 42,6 61,3 22,8 42,6 61,3 22,8 42,6 61,3 22,8 42,6 61,3 22,8 42,6 61,3 22,8 42,6 61,3

Planta - 2 ou mais pares

45°

BHT

instabilidade

m (2) [mm]

BHT

BHT


ESTRUTURAS

CARPINTARIA

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

A estática do projectista

VALORES CARACTERÍSTICOS

EN 1995:2008

LIGAÇÃO DE CORTE COM CONECTORES CRUZADOS LIGAÇÃO EM ÂNGULO RECTO - VIGAL PRINCIPAL / VIGA SECUNDÁRIA

d1 [mm]

L [mm]

sg [mm]

BHT min [mm]

bNT min [mm]

HHT min = hNT min [mm] sem pré-furo

11

200

85

90

165

250

110

105

200

300

135

125

235

350

160

140

270

400

185

160

305

450

210

175

340

500

235

195

380

550

260

210

415

600

285

230

450

com pré-furo

105 160 215 105 160 215 105 160 215 105 160 215 105 160 215 105 160 215 105 160 215 105 160 215 105 160 215

R1 V,k (1) [kN]

N° de pares

extracção

(3)

83 138 193 83 138 193 83 138 193 83 138 193 83 138 193 83 138 193 83 138 193 83 138 193 83 138 193

1 2 3 1 2 3 1 2 3 1 2 3 1 2 3 1 2 3 1 2 3 1 2 3 1 2 3

R2 V,k (1) [kN] (4)

m (2) [mm]

instabilidade

15,0 29,1 28,0 54,2 78 40,4 78,1 19,4 29,1 36,3 54,2 95 52,2 78,1 23,9 29,1 44,5 54,2 113 64,1 78,1 28,3 29,1 52,8 54,2 131 76,0 78,1 32,7 29,1 61,0 54,2 148 87,9 78,1 37,1 29,1 69,2 54,2 166 99,7 78,1 41,5 29,1 77,5 54,2 184 111,6 78,1 45,9 29,1 85,7 54,2 201 123,5 78,1 50,4 29,1 219 94,0 54,2 135,4 78,1 conectores VGS de cabeça escareada Ø 9 e Ø 11: ver pág. 136

DISTÂNCIAS MÍNIMAS ACONSELHADAS [mm]

sem pré-furo 7 9 11

a2,c 28 36 44

across 11 14 17

e 25 32 39

com pré-furo 7 9 11

a2,c 21 27 33

across 11 14 17

PRINCÍPIOS GERAIS

NOTAS

• Os valores característicos são conforme a norma EN 1995:2008, de acordo com ETA-11/0030. • Em fase de cálculo, considerou-se uma massa volúmica dos elementos de madeira equivalente a ρk = 380 kg/m3. • O dimensionamento e a verificação dos elementos de madeira devem ser feitos à parte.

(1)

e 25 32 39

pré-furo dv [mm] 7 4,0 9 5,0 11 6,0 obrigação de pré-furo para conectores Ø 11 ≥ 400 mm

A resistência de projecto do conector é a mínima entre a resistência de projecto do lado da extracção (R1 V,d) e a resistência de projecto à instabilidade (R2 V,d).

/

/

A quota de montagem (m) é válida em caso de aposição dos conectores em prumo superior aos elementos. (3) Na prática, é possível reduzir as distâncias mínimas inserindo-se os conectores com pré-furo. (4) A resistência axial à extracção da rosca foi avaliada considerando-se um comprimento de rosca eficaz equivalente a sg. Os conectores devem ser inseridos a 45° em relação ao plano de corte. O baricentro dos conectores deve ser posicionado em correspondência com o plano de corte. • Para diferentes configurações de cálculo, está disponível o software myProject (www.rothoblaas.com). (2)

VGZ

111


ESTRUTURAS

CARPINTARIA

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

Exemplo de cálculo: reforço da viga entalhada à tracção ortogonal às fibras DADOS DE PROJECTO B = 200 mm H = 400 mm Hef = 200 mm H - Hef = 200 mm La = 150 mm ia = 0 inclinação do entalhe

B-B

madeira GL24h (ρk = 380 kg/m3) Fv,Rd = 29,5 kN Classe de serviço = 1 Duração da carga = breve

A-A a2,c a2 a2,c

B

B-B Hef

A-A

x

Sg sup

H Sg inf

H-Hef Fv,Rd La

a1,c

VERIFICAÇÃO DA TENSÃO AO CORTE - VIGA SEM REFORÇO - Secção A-A (EN 1995:2008): τd ≤ kv ·fv,d τd = 1,11 N/mm2 x = 75 mm α = 0,5 kn = 6,50 (GL24h) kv = 0,47 fv,k = 2,70 N/mm2

EN 1995:2008

Italia - NTC 2008

kmod = 0,9 γm = 1,25 fv,d = 1,94 N/mm2 kv · fv,d = 0,90 N/mm2 τd ≤ kv · fv,d

1,11 > 0,90 N/mm2

kmod = 0,9 γm = 1,45 fv,d = 1,68 N/mm2 kv · fv,d = 0,78 N/mm2 Verificação não satisfeita Necessidade de reforço

τd ≤ kv · fv,d

1,11 > 0,78 N/mm2

Verificação não satisfeita Necessidade de reforço

VERIFICAÇÃO DA TENSÃO AO CORTE - Secção B-B (EN 1995:2008): τd ≤ fv,d τd = 1,11 N/mm2

EN 1995:2008 τd ≤ fv,d

1,11 < 1,94 N/mm2

Verificação satisfeita

Italia - NTC 2008 τd ≤ fv,d

1,11 < 1,68 N/mm2

REFORÇO DA Secção A-A - CÁLCULO DA TENSÃO DE TRACÇÃO ORTOGONAL ÀS FIBRAS (DIN 1052:2008) Ft,90,d = 19,18 kN ESCOLHA DO CONECTOR DE REFORÇO VGZ 9 x 360 mm sg sup = 165 mm sg inf = 165 mm

112

VGZ

Para optimizar a sua resistência, o conector deve ser posicionado com o baricentro em correspondência com a possível linha de fissuração.

Verificação satisfeita


ESTRUTURAS

CARPINTARIA

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

CÁLCULO DA RESISTÊNCIA À TRACÇÃO DO CONECTOR (EN 1995:2008 e ETA-11/0030)

As resistências à tracção dos conectores aqui calculadas constam da tabela da pág. 108. As distâncias mínimas para o posicionamento dos conectores constam da tabela da pág. 107. Rax,90°,Rk = 18,56 kN Rtens,k = 25,40 kN

EN 1995:2008

Italia - NTC 2008

kmod = 0,9 γm = 1,3 γm2 = 1,25 Rax,90°,Rd = 12,85 kN R tens,d = 20,32 kN Rax,Rd = 12,85 kN

kmod = 0,9 γm = 1,5 γm2 = 1,25 Rax,90°,Rd = 11,13 kN Rtens,d = 20,32 kN Rax,Rd = 11,13 kN

NÚMERO MÍNIMO DE CONECTORES Ft,90,d / Rax,Rd = 1,49

Ft,90,d / Rax,Rd = 1,72

Supõem-se 2 conectores nef,ax 20,9 = 1,87

RESISTÊNCIA À TRACÇÃO ORTOGONAL ÀS FIBRAS DA LIGAÇÃO: Rax,Rd = 1,87 · 12,85 = 24,02 kN

>

19,18 kN

OK

Rax,Rd = 1,87 · 11,13 = 20,82 kN

>

19,18 kN

OK

Para diferentes configurações de cálculo, está disponível o software myProject (www.rothoblaas.com)

EXEMPLOS DE LIGAÇÕES QUE NECESSITAM DE VERIFICAÇÃO DA TRACÇÃO ORTOGONAL E DE UM EVENTUAL REFORÇO

ia = 0

ia > 0

VGZ

113


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

WT

ETA 12/0063

Conector de dupla rosca Aço carbónico com revestimento durocoat

APOIO TÉCNICO Documentação completa e software gratuito on-line

HOMOLOGAÇÃO PLUS Distâncias mínimas reduzidas e utilização consentida também em direcção paralela à fibra

GEOMETRIA OPTIMAL Diâmetro e passo diferenciado entre as duas roscas e que geram um efeito de tiragem na junção

DUROCOAT Revestimento superficial em „durocoat“, para uma elevada resistência à corrosão

CAMPOS DE EMPREGO Ligações, reforços e acoplamentos sobre madeira maciça, madeira lamelar, X-Lam, LVL, painéis à base de madeira. Classes de serviço 1 e 2

114

WT

ACESSÓRIOS


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

DISTÂNCIAS MÍNIMAS Homologação especial para utilização do conector com distâncias mínimas reduzidas e, portanto, em larguras de vigas de pequenas dimensões

PENDÊNCIAS ELEVADAS Homologação especial para utilização do conector também em direcção paralela à fibra e, portanto, em qualquer pendência do tecto

REABILITAÇÃO ESTRUTURAL A dupla rosca com geometria diferenciada, gera um efeito de tiragem e de fecho da junta ideal na reabilitação estrutural

WT

115


ESTRUTURAS

CARPINTARIA

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

Códigos e dimensões d1 [mm]

Sg

6,5

TX30

L Sg d1

8,2

TX40

código CS100150 CS100145 CS100115 CS100155 CS100170 CS100175 CS100120 CS100125 CS100130 CS100135 CS100105 CS100140 CS100100

L [mm]

sg [mm]

65* 90* 130* 160 190 220 160 190 220 245 275 300 330

28 40 55 65 80 95 65 80 95 107 122 135 135

pça/embal.

100

100

50

* Artigos de aço inoxidável disponíveis sob encomenda (ver também o capítulo EXTERIOR)

Suporte de viga WT código

descrição

ATWTXAMK

suporte de viga PARA WT

ATCS003 ATINTX30200 ATINTX30350 ATINTX40152 ATINTX40200 ATINTX40350 ATINTX40520

suporte de viga universal inclinável com 2 bússolas inserto de comprimento 200, TX30 inserto de comprimento 350, TX30 inserto de comprimento 152, TX40 inserto de comprimento 200, TX40 inserto de comprimento 350, TX40 inserto de comprimento 520, TX40

Reforço da viga principal para carga suspensa (ALU)

Acoplamento lateral

Junta parede / laje em estrutura armada

Reforço de vigas com furos

WT

pça/embal. 1

Exemplos de aplicação

116

para WT Ø

6,5/8,2 6,5 6,5 8,2 8,2 8,2 8,2

1 1 1 1 1 1 1


ESTRUTURAS

CARPINTARIA

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

A estática do carpinteiro

VALORES ADMISSÍVEIS

DIN 1052:1988

EXTRACÇÃO DA ROSCA Nadm d1 [mm]

Sg

A 6,5

A

Sg

L [mm]

sg [mm]

Amin [mm]

Nadm

65

28

35

d1 [mm]

L [mm]

sg [mm]

Amin [mm]

Nadm

109 kg

160

65

85

320 kg

90

40

50

156 kg

190

80

100

394 kg

130

55

70

215 kg

220

95

115

467 kg

160

65

85

254 kg

245

107

125

526 kg

190

80

100

312 kg

275

122

140

600 kg

220

95

115

371 kg

300

135

155

664 kg

330

135

170

664 kg

8,2

A

A

DESLIZAMENTO Vadm MADEIRA-MADEIRA d1 [mm]

45°

A

Sg

6,5

B

L [mm]

sg [mm]

Amin [mm]

Bmin [mm]

Vadm

65

28

25

25

d1 [mm]

L [mm]

sg [mm]

Amin [mm]

Bmin [mm]

Vadm

77 kg

160

65

60

60

226 kg

90

40

35

35

110 kg

190

80

70

70

278 kg

130

55

50

50

152 kg

220

95

80

80

331 kg

160

65

60

60

179 kg

245

107

90

90

372 kg

190

80

70

70

221 kg

275

122

100

100

424 kg

220

95

80

80

262 kg

300

135

110

110

470 kg

330

135

120

120

470 kg

8,2

CORTE Vadm MADEIRA-MADEIRA d1 [mm]

A 6,5

A

L [mm]

sg [mm]

A [mm]

Vadm

65

28

35

90

40

50

130

55

70

72 kg

160

65

85

72 kg

190

80

100

220

95

115

d1 [mm]

L [mm]

sg [mm]

A [mm]

Vadm

45 kg

160

62 kg

190

65

85

114 kg

80

100

114 kg

220

95

115

114 kg

245

107

125

114 kg

72 kg

275

122

140

114 kg

72 kg

300

135

155

114 kg

330

135

170

114 kg

8,2

NOTAS • Os valores admissíveis são conforme a norma DIN 1052:1988. • Os valores são válidos para ligações em que os conectores são inseridos até à metade, em ambos os componentes.

• Os valores admissíveis para a extracção são calculados considerando-se a parte roscada (sg) inserida completamente no elemento de madeira.

WT

117


ESTRUTURAS

CARPINTARIA

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

A estática do carpinteiro

VALORES ADMISSÍVEIS

DIN 1052:1988

LIGAÇÃO EM CORTE COM CONECTORES CRUZADOS LIGAÇÃO EM ÂNGULO RECTO - VIGAL PRINCIPAL / VIGA SECUNDÁRIA d1 [mm]

6,5

8,2

L [mm]

sg [mm]

BHT min [mm]

HHT min [mm]

hNT min [mm]

130

55

60

110

110

160

65

70

130

130

190

80

80

150

150

220

95

90

170

170

160

65

70

130

130

190

80

80

150

150

220

95

90

170

170

245

107

100

190

190

275

122

110

210

210

300

135

120

230

230

330

135

130

250

250

Ligação em ângulo recto

m

Ligação inclinada

mHT

m 45° HHT

HHT

N° de pares

Vadm (1) [kg]

50 80 115 50 80 115 50 80 115 50 80 115 70 110 150 70 110 150 70 110 150 70 110 150 70 110 150 70 110 150 70 110 150

1 2 3 1 2 3 1 2 3 1 2 3 1 2 3 1 2 3 1 2 3 1 2 3 1 2 3 1 2 3 1 2 3

249 kg 497 kg 746 kg 294 kg 588 kg 882 kg 362 kg 724 kg 1085 kg 430 kg 859 kg 1289 kg 371 kg 742 kg 1113 kg 456 kg 913 kg 1369 kg 542 kg 1084 kg 1626 kg 610 kg 1221 kg 1831 kg 696 kg 1392 kg 2088 kg 770 kg 1540 kg 2311 kg 770 kg 1540 kg 2311 kg

Planta - 1 par

118

WT

65

75

85

65

75

85

95

105

115

125

90°

90°

a2,c a90 bNT a2,c

hNT

BHT

55

Planta - 2 ou mais pares

a1

a2

90°

BHT

m (2) [mm]

mNT 45°

hNT

bNT min [mm]

BHT

BHT

a2,c a90 a90 bNT a90 a2,c


ESTRUTURAS

CARPINTARIA

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

A estática do carpinteiro

VALORES ADMISSÍVEIS

DIN 1052:1988

LIGAÇÃO EM CORTE COM CONECTORES CRUZADOS LIGAÇÃO INCLINADA - VIGA PRINCIPAL - VIGA SECUNDÁRIA BHT min [mm]

130

55

60

160

65

70

190

80

80

220

95

90

160

65

70

190

80

80

220

95

90

245

107

100

275

122

110

300

135

120

330

135

130

HHT min hNT min [mm] [mm]

bNT min [mm]

N° de pares

50 80 115 50 80 115 50 80 115 50 80 115 70 110 150 70 110 150 70 110 150 70 110 150 70 110 150 70 110 150 70 110 150

1 2 3 1 2 3 1 2 3 1 2 3 1 2 3 1 2 3 1 2 3 1 2 3 1 2 3 1 2 3 1 2 3

Vadm (1) [kg] Ângulo de inclinação α para vigas secundárias (3) α = 10° α = 20° α = 30° α = 40° α = 45°

249 kg 497 kg 746 kg 294 kg 588 kg 882 kg 362 kg 724 kg 1085 kg 430 kg 859 kg 1289 kg 371 kg 742 kg 1113 kg 456 kg 913 kg 1369 kg 542 kg 1084 kg 1626 kg 610 kg 1221 kg 1831 kg 696 kg 1392 kg 2088 kg 770 kg 1540 kg 2311 kg 770 kg 1540 kg 2311 kg

198 kg 396 kg 593 kg 234 kg 467 kg 701 kg 288 kg 575 kg 863 kg 342 kg 683 kg 1025 kg 295 kg 590 kg 884 kg 363 kg 726 kg 1089 kg 431 kg 862 kg 1293 kg 485 kg 971 kg 1456 kg 553 kg 1107 kg 1660 kg 612 kg 1225 kg 1837 kg 612 kg 1225 kg 1837 kg

149 kg 299 kg 448 kg 177 kg 353 kg 530 kg 217 kg 435 kg 652 kg 258 kg 516 kg 775 kg 223 kg 446 kg 669 kg 274 kg 549 kg 823 kg 326 kg 652 kg 977 kg 367 kg 734 kg 1101 kg 418 kg 837 kg 1255 kg 463 kg 926 kg 1389 kg 463 kg 926 kg 1389 kg

105 kg 210 kg 316 kg 124 kg 249 kg 373 kg 153 kg 306 kg 459 kg 182 kg 363 kg 545 kg 157 kg 314 kg 471 kg 193 kg 386 kg 579 kg 229 kg 459 kg 688 kg 258 kg 516 kg 775 kg 294 kg 589 kg 883 kg 326 kg 652 kg 977 kg 326 kg 652 kg 977 kg

84 kg 169 kg 253 kg 100 kg 199 kg 299 kg 123 kg 245 kg 368 kg 146 kg 291 kg 437 kg 126 kg 251 kg 377 kg 155 kg 309 kg 464 kg 184 kg 367 kg 551 kg 207 kg 414 kg 621 kg 236 kg 472 kg 708 kg 261 kg 522 kg 783 kg 261 kg 522 kg 783 kg

mHT (2) [mm]

mNT (2) [mm]

55 / cos (α)

65 / cos (α)

75 / cos (α)

85 / cos (α)

65 / cos (α) mNT · [1 + tan (α)]

8,2

sg [mm]

(L + 20) · 0,707 · cos (α) + a2,c

6,5

L [mm]

(L + 20) · 0,707 + mNT · tan (α)

d1 [mm]

75 / cos (α)

85 / cos (α)

95 / cos (α)

105 / cos (α)

115 / cos (α)

125 / cos (α)

DISTÂNCIAS MÍNIMAS ACONSELHADAS [mm] 6,5 8,2

a2,c

across = a90

a2

a1

15 24

10 12

33 40

33 40

NOTAS (1)

A resistência axial à extracção da rosca foi avaliada considerando-se um comprimento de rosca eficaz equivalente a s g. Os conectores devem ser inseridos a 45° em relação ao plano de corte. O baricentro dos conectores deve ser posicionado em correspondência com o plano de corte.

A quota de montagem (m) é válida em caso de aposição dos conectores em prumo superior à viga secundária. (3) Em caso de valores intermédios do ângulo de inclinação da viga secundária (α), é possível efectuar uma interpolação linear. • Os valores admissíveis são conforme a norma DIN 1052:1988. (2)

WT

119


ESTRUTURAS

CARPINTARIA

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

Geometria e distâncias mínimas GEOMETRIA E CARACTERÍSTICAS MECÂNICAS dk

CONECTOR WT Diâmetro nominal Diâmetro da rosca de aperto Diâmetro da cabeça Diâmetro do núcleo diâmetro da haste

d3

Sg L

ds

Sg

Momento característico de tensão Parâmetro característico de resistência à extracção Resistência característica à tracção Resistência característica à tensão

d2 d1

d1 [mm] d3 [mm] dK [mm] d2 [mm] dS [mm]

6,5 6,50 8,00 4,00 4,60

8,2 8,90 10,00 5,40 6,30

My,k [Nmm] fax,k [N/mm2] ftens,k [kN] fy,k [N/mm2]

12700 12,9 14,4 990

19500 13,35 28,6 870

DISTÂNCIAS MÍNIMAS PARA PARAFUSOS SOB TENSÃO AXIAL (1) a1 a2 a2,LIM (2) a1,C a2,C aCROSS

6,5 33 33 16 33 15 10

[mm] [mm] [mm] [mm] [mm] [mm]

8,2 40 40 20 40 24 12

a2,c

a2,c a2,c a2 across a2

a2,c

a2,c a1,c

a2,c a2

a1

a2,c

a1,c

a1,c

DISTÂNCIAS MÍNIMAS PARA PARAFUSOS SOB TENSÃO AO CORTE (3)

Ângulo entre força e fibras α = 0° a1 a2 a3,t a3,c a4,t a4,c

6,5 33 26 80 26 20 20

[mm] [mm] [mm] [mm] [mm] [mm]

direcção da fibragem

8,2 40 32 80 32 24 24

a1

6,5 26 26 80 46 26 20

extremidade sob tensão -90° < α < 90°

meio de união

a2 a2 a1

Ângulo entre força e fibras α = 90°

extremidade sem carga 90° < α < 270°

a2 a2 a1

a1

8,2 32 32 80 56 32 24

borda sob tensão 0° < α < 180°

borda sem carga 180° < α < 360°

a4,t a3,t

a3,c

NOTAS (1)

(2)

120

As distâncias mínimas para conectores sob tensão axial, são independentes do ângulo de inserção do conector e do ângulo da força em relação às fibras, de acordo com ETA-12/0063. A distância axial a2 pode ser reduzida até 2,5 ∙ d1 se, para cada conector, mantém-se uma “superfície de ligação” a1 ∙ a2 = 25 ∙ d12.

WT

(3)

As distâncias mínimas são conforme a norma EN 1995:2008, de acordo com ETA-12/0063.

a4,c


ESTRUTURAS

CARPINTARIA

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

A estática do projectista

VALORES CARACTERÍSTICOS

EN 1995:2008

TRACÇÃO (1) geometria

extracção da rosca parcial (2)

tracção do aço A

Sg L A A

Sg d1

d1 [mm]

L [mm] 65 90 130 160 190 220 160 190 220 245 275 300 330

6,5

8,2

sg [mm] 28 40 55 65 80 95 65 80 95 107 122 135 135

madeira Rax,k [kN] 2,51 3,58 4,93 5,82 7,16 8,51 7,60 9,35 11,11 12,51 14,26 15,78 15,78

Amin [mm] 35 50 70 85 100 115 85 100 115 125 140 155 170

DESLIZAMENTO madeira - madeira (3)

Sg

45°

A

Sg

B

L [mm] 65 90 130 160 190 220 160 190 220 245 275 300 330

d1

Sg [mm] 28 40 55 65 80 95 65 80 95 107 122 135 135

AMIN [mm] 25 35 50 60 70 80 60 70 80 90 100 110 120

BMIN [mm] 25 35 50 60 70 80 60 70 80 90 100 110 120

RV,k [kN] 1,77 2,53 3,48 4,12 5,07 6,02 5,37 6,61 7,85 8,85 10,09 11,16 11,16

d1 [mm]

6,5

8,2

NOTAS

• Os valores característicos são conforme a norma EN 1995:2008, de acordo com ETA-12/0063. • Os valores de projecto são obtidos a partir dos valores característicos, desta forma:

(1)

• •

A

Sg

PRINCÍPIOS GERAIS

A

Sg

d1

madeira-madeira

L Sg

8,2

28,60

geometria

L

6,5

14,40

CORTE (4)

geometria

d1 [mm]

aço Rtens,k [kN]

Os coeficientes γm e kmod devem ser assumidos em função da norma vigente utilizada para o cálculo. Para os valores de resistência mecânica e para a geometria dos conectores, fez-se referência ao que consta de ETA-12/0063. Em fase de cálculo, considerou-se uma massa volúmica dos elementos de madeira equivalente a ρk = 380 kg/m3. O dimensionamento e a verificação dos elementos de madeira devem ser feitos à parte. Os valores de extracção, corte e deslizamento foram avaliados considerando-se o baricentro do conector posicionado em correspondência com o plano de corte.

L [mm] 65 90 130 160 190 220 160 190 220 245 275 300 330

sg [mm] 28 40 55 65 80 95 65 80 95 107 122 135 135

AMIN [mm] 35 50 70 85 100 115 85 100 115 125 140 155 170

A resistência de projecto do conector é a mínima entre a resistência de projecto do lado da madeira (Rax,d) e a resistência de projecto do lado do aço (Rtens,d).

/ (2)

(3)

(4)

RV,k [kN] 2,39 2,99 3,33 3,55 3,89 4,19 4,77 5,20 5,64 5,73 5,73 5,73 5,73

/

A resistência axial à extracção da rosca foi avaliada para um comprimento de rosca eficaz equivalente a sg, sendo constante para um ângulo entre as fibras e o conector compreendido entre 45° e 90°. A resistência axial à extracção da rosca foi avaliada considerando-se um ângulo de 45° entre as fibras e o conector e para um comprimento de rosca eficaz equivalente a sg. As resistências características ao corte foram avaliadas considerando-se um ângulo α entre a força e as fibras equivalente a 90°.

WT

121


ESTRUTURAS

CARPINTARIA

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

A estática do projectista

VALORES CARACTERÍSTICOS

EN 1995:2008

LIGAÇÃO EM CORTE COM CONECTORES CRUZADOS LIGAÇÃO EM ÂNGULO RECTO - VIGAL PRINCIPAL / VIGA SECUNDÁRIA

d1 [mm]

6,5

8,2

L [mm]

sg [mm]

BHT min [mm]

HHT min [mm]

hNT min [mm]

130

55

60

110

110

160

65

70

130

130

190

80

80

150

150

220

95

90

170

170

160

65

70

130

130

190

80

80

150

150

220

95

90

170

170

245

107

100

190

190

275

122

110

210

210

300

135

120

230

230

330

135

130

250

250

Ligação em ângulo recto

m

Ligação inclinada

mHT

m 45°

N° coppie

50 80 115 50 80 115 50 80 115 50 80 115 70 110 150 70 110 150 70 110 150 70 110 150 70 110 150 70 110 150 70 110 150

1 2 3 1 2 3 1 2 3 1 2 3 1 2 3 1 2 3 1 2 3 1 2 3 1 2 3 1 2 3 1 2 3

Planta - 1 par

HHT

R1 V,k (1) [kN] extracção (4) 6,3 11,8 17,0 7,6 14,1 20,4 9,5 17,7 25,5 11,4 21,2 30,6 9,9 18,5 26,6 12,4 23,1 33,2 14,8 27,7 39,9 16,8 31,4 45,2 19,3 36,0 51,9 21,5 40,0 57,7 21,5 40,0 57,7

122

WT

55 65 75 85 65 75 85 95 105 115 125

90°

90°

a2,c a90 bNT a2,c

hNT

BHT

m (2) [mm]

Planta - 2 ou mais pares

a1

a2

90°

BHT

R2 V,k (1) [kN] instabilidade 9,9 19,7 29,6 9,9 19,7 29,6 9,9 19,7 29,6 9,9 19,7 29,6 17,1 34,2 51,3 17,1 34,2 51,3 17,1 34,2 51,3 17,1 34,2 51,3 17,1 34,2 51,3 17,1 34,2 51,3 17,1 34,2 51,3

mNT 45°

hNT HHT

bNT min [mm]

BHT

BHT

a2,c a90 a90 bNT a90 a2,c


ESTRUTURAS

CARPINTARIA

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

A estática do projectista

VALORES CARACTERÍSTICOS

EN 1995:2008

LIGAÇÃO EM CORTE COM CONECTORES CRUZADOS LIGAÇÃO INCLINADA - VIGA PRINCIPAL - VIGA SECUNDÁRIA

BHT min HHT min hNT min [mm] [mm] [mm]

130

55

60

160

65

70

190

80

80

220

95

90

160

65

70

190

80

80

220

95

90

245

107

100

275

122

110

300

135

120

330

135

130

bNT min [mm]

N° de pares

50 80 115 50 80 115 50 80 115 50 80 115 70 110 150 70 110 150 70 110 150 70 110 150 70 110 150 70 110 150 70 110 150

1 2 3 1 2 3 1 2 3 1 2 3 1 2 3 1 2 3 1 2 3 1 2 3 1 2 3 1 2 3 1 2 3

α = 10° R1 V,k R2 V,k 5,3 9,7 9,9 19,4 14,2 29,1 6,4 9,7 11,9 19,4 17,2 29,1 8,0 9,7 14,9 19,4 21,5 29,1 9,6 9,7 17,9 19,4 25,8 29,1 8,3 16,8 15,5 33,6 22,3 50,4 10,4 16,8 19,4 33,6 28,0 50,4 12,5 16,8 23,3 33,6 33,6 50,4 14,2 16,8 26,5 33,6 38,2 50,4 16,3 16,8 30,4 33,6 43,8 50,4 18,1 16,8 33,8 33,6 48,7 50,4 18,1 16,8 33,8 33,6 48,7 50,4

R v,k (1) [kN] Ângulo de inclinação α para vigas secundárias (3) α = 20° α = 30° α = 40° R1 V,k R2 V,k R1 V,k R2 V,k R1 V,k R2 V,k 4,3 9,5 3,4 9,2 2,4 9,0 8,0 19,0 6,3 18,4 4,5 18,0 11,6 28,5 9,1 27,6 6,5 27,0 5,2 9,5 4,0 9,2 2,9 9,0 9,7 19,0 7,5 18,4 5,4 18,0 14,0 28,5 10,8 27,6 7,8 27,0 6,5 9,5 5,1 9,2 3,6 9,0 12,1 19,0 9,5 18,4 6,7 18,0 17,5 28,5 13,7 27,6 9,7 27,0 7,8 9,5 6,1 9,2 4,3 9,0 14,6 19,0 11,4 18,4 8,0 18,0 21,0 28,5 16,4 27,6 11,6 27,0 6,8 16,5 5,3 16,1 3,7 15,7 12,7 33,0 9,9 32,2 6,9 31,4 18,3 49,5 14,2 48,3 9,9 47,1 8,5 16,5 6,6 16,1 4,7 15,7 15,9 33,0 12,3 32,2 8,8 31,4 22,8 49,5 17,7 48,3 12,6 47,1 10,2 16,5 7,9 16,1 5,6 15,7 19,0 33,0 14,7 32,2 10,4 31,4 27,4 49,5 21,2 48,3 15,1 47,1 11,6 16,5 9,0 16,1 6,4 15,7 21,6 33,0 16,8 32,2 11,9 31,4 31,2 49,5 24,2 48,3 17,2 47,1 13,3 16,5 10,3 16,1 7,3 15,7 24,8 33,0 19,2 32,2 13,6 31,4 35,7 49,5 27,7 48,3 19,6 47,1 14,8 16,5 11,4 16,1 8,1 15,7 27,6 33,0 21,3 32,2 15,1 31,4 39,8 49,5 30,6 48,3 21,8 47,1 14,8 16,5 11,4 16,1 8,1 15,7 27,6 33,0 21,3 32,2 15,1 31,4 39,8 49,5 30,6 48,3 21,8 47,1

α = 45° R1 V,k R2 V,k 1,9 8,8 3,5 17,6 5,1 26,4 2,3 8,8 4,3 17,6 6,2 26,4 2,8 8,8 5,2 17,6 7,5 26,4 3,4 8,8 6,3 17,6 9,1 26,4 3,0 15,5 5,6 31,0 8,1 46,5 3,7 15,5 6,9 31,0 9,9 46,5 4,5 15,5 8,4 31,0 12,1 46,5 5,0 15,5 9,3 31,0 13,4 46,5 5,8 15,5 10,8 31,0 15,6 46,5 6,4 15,5 11,9 31,0 17,2 46,5 6,4 15,5 11,9 31,0 17,2 46,5

mHT (2) [mm]

mNT (2) [mm] 55 / cos (α) 65 / cos (α) 75 / cos (α) 85 / cos (α) 65 / cos (α)

mNT · [1 + tan (α)]

8,2

sg [mm]

(L + 20) · 0,707 · cos (α) + a2,c

6,5

L [mm]

(L + 20) · 0,707 + mNT · tan (α)

d1 [mm]

75 / cos (α) 85 / cos (α) 95 / cos (α) 105 / cos (α) 115 / cos (α) 125 / cos (α)

DISTÂNCIAS MÍNIMAS ACONSELHADAS [mm]

6,5 8,2

a2,c 15 24

across = a90 10 12

a2 33 40

PRINCÍPIOS GERAIS

NOTAS

• Os valores característicos são conforme a norma EN 1995:2008, de acordo com ETA-12/0063. • Em fase de cálculo, considerou-se uma massa volúmica dos elementos de madeira equivalente a ρk = 380 kg/m3. • O dimensionamento e a verificação dos elementos de madeira devem ser feitos à parte.

(1)

A resistência de projecto do conector é a mínima entre a resistência de projecto do lado da extracção (R1 V,d) e a resistência de projecto à instabilidade (R2 V,d).

/ (2)

(3)

(4)

a1 33 40

/

A quota de montagem (m) é válida em caso de aposição dos conectores em prumo superior à viga secundária. Em caso de valores intermédios do ângulo de inclinação da viga secundária (α), é possível efectuar uma interpolação linear. A resistência axial à extracção da rosca foi avaliada considerando-se um comprimento de rosca eficaz equivalente a sg. Os conectores devem ser inseridos a 45° em relação ao plano de corte. O baricentro dos conectores deve ser posicionado em correspondência com o plano de corte.

• Para diferentes configurações de cálculo, está disponível o software on-line (www.rothoblaas.com).

WT

123


ESTRUTURAS

CARPINTARIA

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

Exemplo de cálculo: ligação terça / viga principal DADOS DE PROJECTO

FD ; FZ

b = 160 mm h = 240 mm α = 20° Madeira GL24h (ρk = 380 kg/m3)

FII

b l/2

l/2

45°

l/2

h

Para o dimensionamento das terças, projecta-se a tensão nas componentes paralela (FII) e perpendicular à cobertura (FD o FZ).

l/2

Fv,Rd = 8,43 kN FII , Rd = Fv,Rd · sen(α) = 2,88 kN FD , Rd = Fv,Rd · cos(α) = 7,92 kN FZ , Rd = 0 kN (es. vento) Classe de serviço = 1 Duração da carga = breve

1) VERIFICAÇÃO DA TENSÃO PARALELA: Rax,45,Rd > Z45,Rd b

FII

FII , Rd = 2,88 kN h

Z45 , Rd = 4,08 kN a45

45° Z45

ESCOLHA DO CONECTOR INSERIDO A 45° a45 = 65 mm

WT 8,2 x 245 mm sg sup = 107 mm sg inf = 107 mm

As distâncias mínimas para o posicionamento dos conectores constam da tabela da pág. 120.

CÁLCULO DA RESISTÊNCIA À TRACÇÃO DO CONECTOR (EN 1995:2008 e ETA-12/0063) Rax,45,Rk = 12,51 kN As resistências à tracção dos conectores aqui calculadas constam da tabela da pág. 121.

EN 1995:2008

Italia - NTC 2008

kmod = 0,9 γm = 1,3 Rax,45,Rd = 8,66 kN Rax,45,Rd > Z45,Rd

124

WT

kmod = 0,9 γm = 1,5 Rax,45,Rd = 7,51 kN 8,66 > 4,08 kN

Verificação satisfeita

Rax,45,Rd > Z45,Rd

7,51 > 4,08 kN

Verificação satisfeita


ESTRUTURAS

CARPINTARIA

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

2) VERIFICAÇÃO DA TENSÃO PERPENDICULAR: Rax,90,Rd > ZRd

FD b

Fz b

FII

h

Fz FII

h

b-a

a

b

FII

a = 40 mm

h

b-a

Z1

a

FII , Rd = 2,88 kN FD , Rd = 7,92 kN FZ , Rd (VENTO) = 0 kN

b-a

Z2

a Z3

Z1 , Rd = 4,69 kN Z2 , Rd = 8,65 kN Z3 , Rd = -25,95 kN ZRd = 8,65 kN ESCOLHA DO CONECTOR INSERIDO A 90° WT 8,2 x 330 mm sg sup = 135 mm sg inf = 135 mm

CÁLCULO DE RESISTÊNCIA À TRACÇÃO DO CONECTOR (EN 1995:2008 e ETA-12/0063) Rax,90,Rk = 15,78 kN As resistências à tracção dos conectores aqui calculadas constam da tabela da pág. 121.

EN 1995:2008

Italia - NTC 2008

kmod = 0,9 γm = 1,3 Rax,90,Rd = 10,92 kN Rax,90,Rd > ZRd

10,92 > 8,65 kN

kmod = 0,9 γm = 1,5 Rax,90,Rd = 9,47 kN Verificação satisfeita

Rax,90,Rd > ZRd

9,47 > 8,65 kN

Verificação satisfeita

WT

125


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

DGZ

ETA 11/0030

Conector de dupla rosca para isolante Aço carbónico com zincagem galvânica branca

EMBALAGEM Caixa + folheto CE + BIT

CONSULTORIA Software gratuito myProject e consulta personalizada para se optimizar a fixação

CABEÇA CILÍNDRICA Cabeça cilíndrica para inserção oculta na ripa

DIÂMETROS Ø7 e Ø9 Optimizam as dimensões das ripas a fixar

CAMPOS DE EMPREGO Fixação do isolamento contínuo sobre cobertura e fachada; emprego para isolantes quer macios quer duros. Classes de serviço 1 e 2

126

DGZ

ACESSÓRIOS


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

ISOLANTE DURO A fixação de isolantes duros é feita com parafusos postos em uma única direcção, com um ângulo de 60° em relação à falda

ISOLANTE MACIO A fixação de isolantes macios é feita com parafusos postos em duas direcções, com um ângulo de 60° em relação à falda

ISOLANTE EM FACHADA O capote externo é ligado à estrutura através das ripas fixadas com parafusos

DGZ

127


ESTRUTURAS

CARPINTARIA

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

Aplicações Fixação de isolante duro em tecto plano Utilização com ripa VENTILO e componente do sistema “Securotho“ Fixação de isolante sobre suporte de cimento através do uso de contra-ripa

Códigos e dimensões d1 [mm]

80

7

TX30 L

9

100 d1

128

DGZ

TX40

código DGZ7220 DGZ7260 DGZ7300 DGZ7340 DGZ9240 DGZ9280 DGZ9320 DGZ9360 DGZ9400 DGZ9450 DGZ9500

L [mm] 220 260 300 340 240 280 320 360 400 450 500

pça/embal.

50

50


ESTRUTURAS

CARPINTARIA

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

Escolha do conector COMPRIMENTO MÍNIMO DO CONECTOR DGZ Ø7 Espessura s = 30 Isolamento + A B Soalho DGZ a 60° DGZ a 90° [mm] Lmin [mm] Lmin [mm] 60 220 220 80 220 220 100 220 220 120 220 220 140 260 220 160 260 260 180 300 260 200 340 300 220 340 300 240 340 260 340 280 300 -

Espessura da ripa [mm]* s = 50 B A B DGZ a 90° DGZ a 60° DGZ a 90° Lmin [mm] Lmin [mm] Lmin[mm] 220 220 220 220 220 220 220 220 220 220 260 220 220 260 260 260 300 260 260 340 300 300 340 300 300 340 340 340 340 -

s = 40

A DGZ a 60° Lmin [mm] 220 220 220 260 260 300 300 340 -

s = 60

A DGZ a 60° Lmin [mm] 220 220 260 260 300 300 340 -

B DGZ a 90° Lmin [mm] 220 220 220 220 260 260 300 300 340 340 -

Espessura da ripa VENTILO [mm] s = 63 B A B DGZ a 90° DGZ a 60° DGZ a 90° Lmin [mm] Lmin [mm] Lmin [mm] 220 220 220 220 220 220 220 260 220 260 260 260 260 300 260 300 300 300 300 340 300 340 340 340 340 -

s = 80

A DGZ a 60° Lmin [mm] 220 260 260 300 300 340 -

* Dimensões mínimas da ripa: DGZ Ø 7 mm: base/altura = 50/30 mm

COMPRIMENTO MÍNIMO DO CONECTOR DGZ Ø9 Espessura s = 30 Isolamento + A B Soalho DGZ a 60° DGZ a 90° [mm] Lmin [mm] Lmin [mm] 60 80 100 120 140 160 180 200 220 240 260 280 300 -

Espessura da ripa [mm]* s = 50 B A B DGZ a 90° DGZ a 60° DGZ a 90° Lmin [mm] Lmin [[mm] Lmin [mm] 240 240 240 240 240 240 240 240 240 240 240 240 240 280 240 240 320 280 280 320 280 280 360 320 320 360 320 320 400 360 360 400 360 360 450 400 400 450 400

s = 40

A DGZ a 60° Lmin [mm] 240 240 240 240 280 280 320 320 360 400 400 450 450

s = 60

A DGZ a 60° Lmin [mm] 240 240 240 280 280 320 320 360 400 400 450 450 500

B DGZ a 90° Lmin [mm] 240 240 240 240 240 280 280 320 320 360 360 400 400

* Dimensões mínimas da ripa: DGZ Ø 9 mm: base/altura = 60/40 mm

Espessura da ripa VENTILO [mm] s = 63 B A B DGZ a 90° DGZ a 60° DGZ a 90° Lmin [mm] Lmin [mm] Lmin [mm] 240 240 240 240 240 240 240 240 240 240 280 240 280 280 280 280 320 280 320 360 320 320 360 320 360 400 360 360 400 360 400 450 400 400 450 400 450 500 450

s = 80

A DGZ a 60° Lmin [mm] 240 240 280 280 320 320 360 400 400 450 450 500 500

Certificar-se de que a ponta do conector não saia para fora do barrote

CONFIGURAÇÕES POSSÍVEIS A

B A

60°

A

90°

60°

90°

A

60°

A A

A 90°

A A B

ISOLANTE RÍGIDO DE COBERTURA σ(10%) ≥ 50 kPa (EN826)

B

ISOLANTE MACIO DE COBERTURA σ(10%) < 50 kPa (EN826)

60°

B

ISOLANTE DE FACHADA

Para os princípios de dimensionamento, ver pág. 96 (introdução) O número e a disposição das fixações dependem da geometria da superfície, da tipologia de isolante e das cargas actuantes.

DGZ

129


ESTRUTURAS

CARPINTARIA

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

Geometria e distâncias mínimas GEOMETRIA E CARACTERÍSTICAS MECÂNICAS dk

CONECTOR DGZ Diâmetro nominal Diâmetro da cabeça Diâmetro do núcleo Diâmetro da haste

80 L 100

Momento característico de tensão Parâmetro característico de resistência à extracção Resistência característica à tracção

d1

d1 [mm] dK [mm] d2 [mm] dS [mm]

7 9,50 4,60 5,00

9 11,50 5,90 6,50

My,k [Nmm] fax,k [N/mm2] ftens,k [kN]

14174,2 11,7 15,4

27244,1 11,7 25,4

DISTÂNCIAS MÍNIMAS PARA PARAFUSOS SOB TENSÃO AXIAL (1) a2,c a1

a2,c a1,c

a1 a2 a1,C a2,C

[mm] [mm] [mm] [mm]

a1,c

Planta

Prospecto

PARAFUSOS INSERIDOS SEM PRÉ-FURO

PARAFUSOS INSERIDOS COM PRÉ-FURO

7 35 35 70 28

7 35 35 70 21

9 45 45 90 36

NOTAS (1)

130

As distâncias mínimas para conectores sob tensão axial são independentes do ângulo de inserção do conector e do ângulo da força em relação às fibras, de acordo com ETA-11/0030.

DGZ

9 45 45 90 27


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

Exemplo de cálculo: fixação do isolante contínuo com DGZ Download gratuito em www.rothoblaas.com

DADOS DE PROJECTO Cargas da cobertura Carga permanente Carga de neve Pressão do vento Depressão do vento Altura da cumeeira

gk s we we z

0,45 kN/m2 1,70 kN/m2 0,30 kN/m2 -0,30 kN/m2 8,00 m

Dimensões do edifício Comprimento do edifício Largura do edifício

L B

11,50 m 8,00 m

Geometria da cobertura Pendência da falda Posição da cumeeira

α L1

30% = 16,7° 5,00 m

bT x hT S1 eb S2 bL x hL

120 x 160 mm 20,00 mm 0,33 m 160,00 mm 60 x 40 mm

Rev. 1.10

DADOS DO PACOTE ISOLANTE Barrotes Soalho Ripas para suporte de telhas Isolante Ripas

GL24h

distância entre os eixos

Fibra de madeira (macia) C24 Comprimento comercial

i

0,70 m

σ(10%) 0,03 N/mm2 LL 4,00 m

ESCOLHA DO CONECTOR - OPÇÃO 1 - DGZ Ø7 Parafuso em tracção Parafuso em compressão Parafuso perpendicular

DGZ DGZ DGZ

7 x 300 mm 7 x 300 mm 7 x 260 mm

Ângulo de 60° Ângulo de 60° Ângulo de 90°

126 peças 126 peças 72 peças

9 x 320 mm 9 x 320 mm 9 x 280 mm

Ângulo de 60° Ângulo de 60° Ângulo de 90°

108 peças 108 peças 36 peças

ESCOLHA DO CONECTOR - OPÇÃO 2 - DGZ Ø9 Parafuso em tracção Parafuso em compressão Parafuso perpendicular

DGZ DGZ DGZ

Esquema de posicionamento dos conectores

Cómputo das ripas de cobertura

DGZ

131


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

UD

ETA 12/0038

Conector de dupla rosca para isolante Aço carbónico com revestimento durocoat

ESCANTILHÃO Escantilhão de papelão em cada embalagem, para um correcto posicionamento das fixações

CONSULTORIA Software gratuito e consulta personalizada para se optimizar a fixação

GEOMETRIA OPTIMAL Diâmetro diferenciado das duas roscas, haste aumentada e ponta especial para grandes prestações estáticas

DUROCOAT Revestimento superficial em “durocoat“ para uma alta resistência à corrosão

CAMPOS DE EMPREGO Fixação do isolamento contínuo em cobertura e fachada; emprego para isolantes quer macios quer duros. Classes de serviço 1 e 2

132

UD

ACESSÓRIOS


ESTRUTURAS

CARPINTARIA

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

FIXAÇÃO VERSÁTIL As duas roscas do parafuso apresentam diâmetros diferentes, garantindo altas prestações de resistência, distâncias mínimas reduzidas e um posicionamento aproximado dos parafusos

NENHUM ESMAGAMENTO A haste central do parafuso apresenta um diâmetro aumentado e garante grandes prestações de resistência à compressão, impedindo o esmagamento do isolante mesmo sob cargas pesadas

Códigos e dimensões d1 [mm]

7,5

45

TX40 L 97 d1

código CS100005 CS1000010 CS1000015 CS1000020 CS1000025 CS1000030 CS1000035 CS1000040 CS1000045 CS1000050

L [mm]

pça/embal.

210 230 250 270 300 330 360 400 440 480

100

50

UD

133


ESTRUTURAS

CARPINTARIA

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

Escolha do conector COMPRIMENTO MÍNIMO DO CONECTOR UD Ø 7,5 Espessura Isolamento + Soalho [mm]

A UD a 60° Lmin [mm] 210 210 210 230 250 300 300 330 360 400 400 440 440 480 480

60 80 100 120 140 160 180 200 220 240 260 280 300 320 340

s = 40

B UD a 90° Lmin [mm] 210 210 210 210 230 250 270 300 300 330 360 360 400 400 440

Espessura da ripa [mm]* s = 50 A B UD a 60° UD a 90° Lmin [mm] Lmin [mm] 210 210 210 210 230 210 250 210 270 230 300 250 330 270 330 300 360 330 400 330 400 360 440 400 480 400 480 440 -

A UD a 60° Lmin [mm] 210 210 230 250 300 300 330 360 400 400 440 440 480 480 -

* Dimensões mínimas da ripa: UD Ø 7,5 mm: base/altura = 60/40 mm

s = 60

B UD a 90° Lmin [mm] 210 210 210 230 250 270 300 300 330 360 360 400 400 440 -

A UD a 60° Lmin [mm] 210 230 250 300 300 330 360 400 400 440 440 480 480 -

s = 80

Certificar-se de que a ponta do conector não saia para fora do barrote

CONFIGURAÇÕES POSSÍVEIS

A A

60°

A

90°

60°

90°

B

A

60°

A A A B

A 90°

B 60°

ISOLANTE RÍGIDO DE COBERTURA σ(10%) ≥ 50 kPa (EN826)

ISOLANTE MACIO DE COBERTURA σ(10%) < 50 kPa (EN826)

Para os princípios de dimensionamento, ver pág. 96 (introdução) O número e a disposição das fixações dependem da geometria da superfície, da tipologia de isolante e das cargas actuantes.

134

UD

B UD a 90° Lmin [mm] 210 210 230 250 270 300 300 330 360 360 400 400 440 -

ISOLANTE DE FACHADA

B


ESTRUTURAS

CARPINTARIA

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

Geometria e distâncias mínimas GEOMETRIA E CARACTERÍSTICAS MECÂNICAS dk 45 37

d4 d3

Diâmetro nominal Diâmetro da cabeça Diâmetro do núcleo da rosca inferior Diâmetro da haste Diâmetro externo da rosca superior Diâmetro do núcleo da rosca superior

ds

L 97

d2

CONECTOR UD

d1

Momento característico de tensão Parâmetro característico de resistência à extracção Resistência característica à tracção

d1 [mm] dK [mm] d2 [mm] dS [mm] d3 [mm] d4 [mm]

7,5 12,00 5,30 7,05 8,80 6,40

My,k [Nmm] fax,k [N/mm2] ftens,k [kN]

13000,0 12,5 12,0

DISTÂNCIAS MÍNIMAS PARA PARAFUSOS SOB TENSÃO AXIAL (1) a2,c a1

a2,c a1,c

a1 a2 a1,C a2,C

[mm] [mm] [mm] [mm]

a1,c

7,5 53 38 75 30

NOTAS (1)

As distâncias mínimas para conectores sob tensão axial são independentes do ângulo de inserção do conector e do ângulo da força em relação às fibras, de acordo com ETA-12/0038.

UD

135


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

VGS

ETA 11/0030

Conector totalmente roscado de cabeça escareada Aço carbónico com zincagem galvânica branca

EMBALAGEM Caixa + folheto CE + BIT

AÇO ESPECIAL Roscagem profunda e aço de alta resistência (fy,k = 1000 N/mm2) para altas prestações à tracção

CABEÇA ESCAREADA Cabeça escareada para emprego sobre chapas de aço

DIÂMETROS Ø9 e Ø11 Optimizam as dimensões mínimas da viga a juntar

CAMPOS DE EMPREGO Ligações, reforços e acoplamentos sobre madeira maciça, madeira lamelar, X-Lam, LVL, painéis à base de madeira. Classes de serviço 1 e 2

136

VGS

ACESSÓRIOS


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

AÇO - MADEIRA A utilização do conector inclinado a 45° em combinação com uma chapa de aço, garante uma alta resistência ao deslizamento e rigidez da ligação

LEVANTAMENTO O conector é ideal para o levantamento e o transporte de elementos de madeira, graças à geometria da cabeça e à rosca eficiente, de elevada resistência à tracção

REFORÇO A rosca total e a geometria da cabeça, em combinação com uma chapa de aço, evitam o esmagamento das fibras da madeira por compressão ortogonal

VGS

137


ESTRUTURAS

CARPINTARIA

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

Aplicações Fixação de viga de madeira aposta a uma viga de aço

Fixação de vigas de madeira LVL Ligação oculta de vigas de grandes dimensões, com conectores de diâmetro 11 mm

Gama A cabeça escareada consente fixações em acoplamento com chapas ou ganchos de aço. Os diâmetros d=9mm e d=11mm consentem óptimas tolerâncias de montagem e um elevado factor de segurança no cálculo e na instalação.

600 1 2 3

400

300 250 200

100 50

ø9

TX40

138

VGS

ø11

TX50

42 43 44 45 46 47 48 49 5 0 51 52 53 54 55 56 57 58 59 6 0

150

22 23 24 25 26 27 28 29 3 0 31 32 33 34 35 36 37 38 39 4 0 41

350

8 9 1 0 11 12 13 14 15 16 17 18 19 2 0 21

450

5 6 7

500

4

550


ESTRUTURAS

CARPINTARIA

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

Códigos e dimensões d1 [mm]

9

TX40 L

b

d1

11

TX50

código VGS9160 VGS9200 VGS9240 VGS9280 VGS9320 VGS9360 VGS11100 VGS11150 VGS11200 VGS11250 VGS11300 VGS11350 VGS11400 VGS11450 VGS11500 VGS11550 VGS11600

L [mm]

b [mm]

160 200 240 280 320 360 100 150 200 250 300 350 400 450 500 550 600

150 190 230 270 310 350 90 140 190 240 290 340 390 440 490 540 590

pça/embal.

25

25

Está disponível em versão nanocoating para classe de corrosividade C5, sob encomenda.

d1 VGS

código

d1 [mm]

dK [mm]

D [mm]

L [mm]

H [mm]

h1 [mm]

pça/embal.

9

HUS945

9,5

18

25

35

20

3

25

VGS

139


ESTRUTURAS

CARPINTARIA

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

A estática do carpinteiro

VALORES ADMISSÍVEIS

DIN 1052:1988

EXTRACÇÃO DA ROSCA Nadm EXTRACÇÃO DA ROSCA TOTAL Nadm d1 [mm]

b L A 9

L [mm]

b [mm]

Amin [mm]

Nadm

160

150

170

675 kg

200

190

210

855 kg

240

230

250

280

270

320

310

360

350

d1 [mm]

b [mm]

Amin [mm]

Nadm

100

90

110

495 kg

150

140

160

770 kg

1035 kg

200

190

210

1045 kg

290

1215 kg

250

240

260

1320 kg

330

1277 kg (1)

300

290

310

1595 kg

370

1277 kg

350

340

360

1598 kg (1)

400

390

410

1598 kg (1)

450

440

460

1598 kg (1)

500

490

510

1598 kg (1)

550

540

560

1598 kg (1)

600

590

610

1598 kg (1)

L [mm]

b [mm]

Amin [mm]

Nadm

55

193 kg

(1)

11

L [mm]

EXTRACÇÃO DA ROSCA PARCIAL Nadm

A

Sg

Sg

A

d1 [mm]

9

L [mm]

sg [mm]

Amin [mm]

Nadm

160

65

85

293 kg

100

35

200

85

105

383 kg

150

60

80

330 kg

240

105

125

473 kg

200

85

105

468 kg

280

125

145

563 kg

250

110

130

605 kg

320

145

165

653 kg

300

135

155

743 kg

360

165

185

743 kg

350

160

180

880 kg

400

185

205

1018 kg

450

210

230

1155 kg

500

235

255

1293 kg

550

260

280

1430 kg

600

285

305

1568 kg

FÓRMULAS DE CÁLCULO - EXTRACÇÃO MADEIRA-MADEIRA Nadm = 0,5 · sg · d1

d1 [mm] sg [mm] Nadm [kg]

d1 [mm]

11

DIN 1052-2:1988

EXEMPLO DE MADEIRA-MADEIRA VGS 11 x 400 mm d1 = 11 mm sg = 185 mm

Nadm = 0,5 · sg · d1 Nadm = 0,5 · 185 ·11 = 1018 kg

NOTAS • Os valores admissíveis são conforme a norma DIN 1052:1988. • Os valores admissíveis para o corte são calculados considerando-se um comprimento de cravação equivalente a 8 d1, à excepção de (*) • Os valores admissíveis para a extracção são calculados considerando-se a parte roscada (b ou sg) inserida completamente no elemento de madeira.

140

VGS

(1) (2)

Alcance da força de tracção à ruptura do aço. Para uma correcta realização da junta, a cabeça do conector deve ser inserida completamente na chapa de aço.


ESTRUTURAS

CARPINTARIA

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

A estática do carpinteiro

VALORES ADMISSÍVEIS

DIN 1052:1988

DESLIZAMENTO Vadm

Sg

MADEIRA-MADEIRA d1 [mm]

Sg

45°

A

B

9

L [mm]

sg [mm]

Amin [mm]

Bmin [mm]

Vadm

160

65

60

75

200

85

75

90

240

105

90

280

125

320

145

360

165

d1 [mm]

L [mm]

sg [mm]

Amin [mm]

Bmin [mm]

Vadm

207 kg

100

35

40

55

136 kg

270 kg

150

60

60

75

233 kg

105

334 kg

200

85

80

90

331 kg

105

120

398 kg

250

110

95

110

428

120

135

461 kg

300

135

115

125

525 kg

135

145

525 kg

350

160

130

145

622 kg

400

185

150

160

719 kg

450

210

165

180

817 kg

500

235

185

195

914 kg

550

260

200

215

1011 kg

600

285

220

230

1108 kg

11

kg

AÇO-MADEIRA (2) d1 [mm] 45°

A

Sg 9

L [mm]

sg [mm]

Amin [mm]

Vadm

160

140

120

200

180

240

220

280

260

320

300

360

340

d1 [mm]

L [mm]

sg [mm]

Amin [mm]

Vadm

445 kg

100

80

75

311 kg

145

573 kg

150

130

110

506 kg

175

700 kg

200

180

145

700 kg

205

827 kg

250

230

185

894 kg

230

903 kg (1)

300

280

220

1089 kg

260

903 kg (1)

350

330

255

1130 kg (1)

400

380

290

1130 kg (1)

450

430

325

1130 kg (1)

500

480

360

1130 kg (1)

550

530

395

1130 kg (1)

600

580

430

1130 kg (1)

L [mm]

sg [mm]

A [mm]

Vadm

50

206 kg

11

CORTE Vadm MADEIRA-MADEIRA

A

d1 [mm]

9

L [mm]

sg [mm]

A [mm]

160

65*

80

138 kg

100

35*

200

85

100

138 kg

150

60*

75

206 kg

240

105

120

138 kg

200

85*

100

206 kg

280

125

140

138 kg

250

110

125

206 kg

320

145

160

138 kg

300

135

150

206 kg

360

165

180

138 kg

350

160

175

206 kg

400

185

200

206 kg

450

210

225

206 kg

500

235

250

206 kg

550

260

275

206 kg

600

285

300

206 kg

Vadm

d1 [mm]

11

VGS

141


ESTRUTURAS

CARPINTARIA

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

Geometria e distâncias mínimas GEOMETRIA E CARACTERÍSTICAS MECÂNICAS 90°

ds

Diâmetro nominal Diâmetro da cabeça Diâmetro do núcleo Diâmetro da haste Espessura da cabeça Diâmetro do pré-furo *

d2 d1

Momento característico de tensão Parâmetro característico de resistência à extracção Resistência característica à tracção Resistência característica à tensão

X

X

V

G

CONECTOR VGS

t1 dk

S

45°

X

L

d1 [mm] dK [mm] d2 [mm] dS [mm] t1 [mm] dV [mm]

9 16,00 5,90 6,50 6,50 5,0

11 19,30 6,60 7,70 8,20 6,0

My,k [Nmm] fax,k [N/mm2] ftens,k [kN] fy,k [N/mm2]

27244,1 11,7 25,4 1000

45905,4 11,7 38,0 1000

(*) Pré-furo obrigado para conectores de Ø 11 ≥ 400 mm

ROSCA EFICAZ DE CÁLCULO b = L - 10 mm representa todo o comprimento da parte roscada. sg = (L - 10 mm - 10 mm - Tol.) / 2 representa metade do comprimento da parte roscada, deduzida uma tolerância (Tol.) de aposição de 10 mm.

L 10 mm

Sg

Tol. b

Sg

10 mm

Os valores de extracção, corte e deslizamento madeira-madeira foram avaliados posicionando-se o baricentro do conector em correspondência com o plano de corte e considerando-se uma rosca eficaz equivalente a sg.

DISTÂNCIAS MÍNIMAS PARA PARAFUSOS SOB TENSÃO AO CORTE (1)

Ângulo entre força e fibras α = 0°

Ângulo entre força e fibras α = 90°

Ângulo entre força e fibras α = 0°

PARAFUSOS INSERIDOS SEM PRÉ-FURO a1 a2 a3,t a3,c a4,t a4,c

9 108 45 135 90 45 45

[mm] [mm] [mm] [mm] [mm] [mm]

direcção da fibragem

11 132 55 165 110 55 55

9 45 45 90 90 90 45

a2 a2 a1

142

VGS

a1

PARAFUSOS INSERIDOS COM PRÉ-FURO 11 55 55 110 110 110 55

extremidade sob tensão -90° < α < 90°

„meio de união“

9 45 27 108 63 27 27

11 55 33 132 77 33 33

extremidade sem carga 90° < α < 270°

borda sob tensão 0° < α < 180°

a2 a2 a1

a1

Ângulo entre força e fibras α = 90°

9 36 36 63 63 63 27

borda sem carga 180° < α < 360°

a4,t a3,t

a3,c

11 44 44 77 77 77 33

a4,c


ESTRUTURAS

CARPINTARIA

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

Geometria e distâncias mínimas DISTÂNCIAS MÍNIMAS PARA PARAFUSOS SOB TENSÃO AXIAL (2)

a1 a2 a2,LIM (3) a1,C a2,C aCROSS

[mm] [mm] [mm] [mm] [mm] [mm]

PARAFUSOS INSERIDOS SEM PRÉ-FURO

PARAFUSOS INSERIDOS COM PRÉ-FURO

9 45 45 23 90 36 14

9 45 45 23 90 27 14

11 55 55 28 110 44 17

11 55 55 28 110 33 17

PARAFUSOS EM TRACÇÃO INSERIDOS COM UM ÂNGULO α EM RELAÇÃO À FIBRA Planta

Prospecto

Prospecto

a2,c

a2,c a1,c a2,c a2 a2,c

a1

Planta

a2,c a2

a2,c

a1

a2,c a1,c

a1,c

a2,c a1,c

PARAFUSOS INSERIDOS COM UM ÂNGULO DE 90° EM RELAÇÃO À FIBRA Planta

PARAFUSOS CRUZADOS INSERIDOS COM UM ÂNGULO α EM RELAÇÃO À FIBRA

Prospecto

Planta

Prospecto

a2,c

45°

a2

a2,c across a2,c

a2,c a1,c

a1

a1,c

a1

NOTAS (1)

(2)

As distâncias mínimas são conforme a norma EN 1995:2008, de acordo com ETA-11/0030, considerando-se uma massa volúmica dos elementos de madeira ρk ≤ 420 kg/m3. As distâncias mínimas para conectores sob tensão axial são independentes do ângulo de inserção do conector e do ângulo da força em relação às fibras, de acordo com ETA-11/0030.

(3)

A distância axial a2 pode ser reduzida até 2,5 ∙ d1 se, para cada conector, mantém-se uma “superfície de ligação” a1 ∙ a2 = 25 ∙ d12.

VGS

143


ESTRUTURAS

CARPINTARIA

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

A estática do projectista

VALORES CARACTERÍSTICOS

EN 1995:2008

TRACÇÃO (1) / COMPRESSÃO (2) geometria

extracção da rosca total (3)

extracção da rosca parcial (3) Sg

A

Sg

A

tracção do aço

instabilidade

aço Rtens,k [kN]

aço Rki,k [kN]

25,40

17,20

38,00

21,88

A

L b

d1

d1 [mm]

L [mm] 160 200 240 280 320 360 100 150 200 250 300 350 400 450 500 550 600

9

11

b [mm] 150 190 230 270 310 350 90 140 190 240 290 340 390 440 490 540 590

madeira Rax,k [kN] 16,87 21,37 25,87 30,36 34,86 39,36 12,37 19,24 26,12 32,99 39,86 46,73 53,61 60,48 67,35 74,22 81,10

Amin [mm] 170 210 250 290 330 370 110 160 210 260 310 360 410 460 510 560 610

sg [mm] 65 85 105 125 145 165 35 60 85 110 135 160 185 210 235 260 285

CORTE

Amin [mm] 85 105 125 145 165 185 55 80 105 130 155 180 205 230 255 280 305

madeira Rax,k [kN] 7,31 9,56 11,81 14,06 16,31 18,56 4,81 8,25 11,68 15,12 18,56 21,99 25,43 28,86 32,30 35,74 39,17

CONECTORES CRUZADOS geometria

madeira-madeira

Sg

Ligação em ângulo recto

45°

A

L b Sg

90°

d1

d1 [mm]

9

11

144

VGS

L [mm] 160 200 240 280 320 360 100 150 200 250 300 350 400 450 500 550 600

sg [mm] 65 85 105 125 145 165 35 60 85 110 135 160 185 210 235 260 285

AMIN [mm] 80 100 120 140 160 180 50 75 100 125 150 175 200 225 250 275 300

RV,k [kN] 5,06 5,62 6,19 6,47 6,47 6,47 4,22 6,33 7,42 8,28 9,00 9,00 9,00 9,00 9,00 9,00 9,00

A ligação ao corte de viga principal/viga secundária com conectores VGS cruzados consta da página 110.


ESTRUTURAS

CARPINTARIA

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

A estática do projectista

VALORES CARACTERÍSTICOS

EN 1995:2008

DESLIZAMENTO (4) madeira - madeira Sg

geometria

A 45°

Sg

L b

45°

aço - madeira (5)

A

Sg

B d1

d1 [mm]

9

11

L [mm] 160 200 240 280 320 360 100 150 200 250 300 350 400 450 500 550 600

sg [mm] 65 85 105 125 145 165 35 60 85 110 135 160 185 210 235 260 285

AMIN [mm] 60 75 90 105 120 135 40 60 80 95 115 130 150 165 185 200 220

BMIN [mm] 75 90 105 120 135 145 55 75 90 110 125 145 160 180 195 215 230

RV,k [kN] 4,70 6,14 7,59 9,04 10,48 11,93 3,09 5,30 7,51 9,72 11,93 14,14 16,35 18,56 20,76 22,97 25,18

PRINCÍPIOS GERAIS

NOTAS

• Os valores característicos são conforme a norma EN 1995:2008, de acordo com ETA-11/0030. • Os valores de projecto são obtidos a partir dos valores característicos, desta forma:

(1)

sg [mm] 140 180 220 260 300 340 80 130 180 230 280 330 380 430 480 530 580

AMIN [mm] 120 145 175 205 230 260 75 110 145 185 220 255 290 325 360 395 430

• •

• •

(2)

(4)

(5)

26,87

/

/

/

A resistência axial à extracção da rosca foi avaliada considerando-se um ângulo de 90° entre as fibras e o conector e para um comprimento de rosca eficaz equivalente a b ou sg. Para valores intermédios de sg, é possível interpolar linearmente. A resistência axial à extracção da rosca foi avaliada considerando-se um ângulo de 45° entre as fibras e o conector e para um comprimento de rosca eficaz equivalente a sg. A resistência de projecto ao deslizamento do conector é a mínima entre a resistência de projecto do lado da madeira (RV,d) e a resistência de projecto lado aço (Rtens,d 45°).

/ (6)

17,96

A resistência de projecto à compressão do conector é a mínima entre a resistência de projecto do lado da madeira (Rax,d) e a resistência de projecto à instabilidade (Rki,d). i

(3)

aço Rtens,k 45° (6) [kN]

A resistência de projecto à tracção do conector é a mínima entre a resistência de projecto do lado da madeira (Rax,d) e a resistência de projecto do lado do aço (Rtens,d).

/ Os coeficientes γm e kmod devem ser assumidos em função da norma vigente utilizada para o cálculo. Para os valores de resistência mecânica e para a geometria dos parafusos, fez-se referência ao que consta de ETA-11/0030. Em fase de cálculo, considerou-se uma massa volúmica dos elementos de madeira equivalente a ρk = 380 kg/m3. As resistências características podem ser consideradas válidas, por segurança, também para massas volúmicas maiores. O dimensionamento e a verificação dos elementos de madeira e das chapas de aço devem ser feitos à parte. As resistências características ao corte são avaliadas para parafusos inseridos sem pré-furo; no caso de parafusos inseridos com pré-furo, é possível obter maiores valores de resistência. Os valores de extracção, corte e deslizamento madeira-madeira foram avaliados considerando-se o baricentro do conector posicionado em correspondência com o plano de corte. As resistências características são avaliadas sobre madeira maciça ou lamelar; em caso de ligações com elementos de X-Lam, os valores de resistência podem divergir e devem ser avaliados com base nas características do painel e da configuração da ligação.

madeira RV,k [kN] 10,12 13,01 15,90 18,80 21,69 24,58 7,07 11,49 15,90 20,32 24,74 29,16 33,58 37,99 42,41 46,83 51,25

/

Para uma correcta realização da junta, a cabeça do conector deve ser inserida completamente na chapa de aço. A resistência à tracção do conector foi avaliada considerando-se um ângulo de 45° entre as fibras e o conector.

VGS

145


ESTRUTURAS

CARPINTARIA

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

Exemplo de cálculo: reforço da viga em compressão ortogonal às fibras DADOS DE PROJECTO B = 200 mm H = 520 mm a = 25 mm La = 200 mm Madeira GL24h (ρk = 380 kg/m3)

a2, c a2 a2, c

B

Fv,Rd = 98,3 kN Fc,90,Rd = 98,3 kN Classe de serviço = 1 Duração da carga = média

a1, c

a1

Fv,Rd

H

Fc,90,Rd a

La

VERIFICAÇÃO EM CORTE AO APOIO (EN 1995:2008): τ d ≤ f v,d τd = 1,42 N/mm2 fv,k = 2,70 N/mm2

EN 1995:2008

Italia - NTC 2008

kmod = 0,8 γm = 1,25 fv,d = 1,73 N/mm2 τd ≤ fv,d

kmod = 0,8 γm = 1,45 fv,d = 1,49 N/mm2

1,42 < 1,73 N/mm2

Verificação satisfeita

τd ≤ fv,d

1,42 < 1,49 N/mm2

Verificação satisfeita

VERIFICAÇÃO DA COMPRESSÃO ORTOGONAL AO APOIO - VIGA SEM REFORÇO (EN 1995:2008): σc,90,d ≤ kc,90 ·fc,90,d lef,1 = 255 mm σc,90,d = 1,93 N/mm2 kc,90 = 1,00 fc,90,k = 2,70 N/mm2

EN 1995:2008

Italia - NTC 2008

kmod = 0,8 γm = 1,25 fc,90,d = 1,73 N/mm2 σc,90,d ≤ kc,90 · fc,90,d

146

VGS

kmod = 0,8 γm = 1,45 fc,90,d = 1,49 N/mm2 1,93 > 1,73 N/mm2

Verificação não satisfeita Necessidade de reforço

σc,90,d ≤ kc,90 ·fc,90,d

1,93 > 1,49 N/mm2

Verificação não satisfeita Necessidade de reforço

ACESSÓRIOS


ESTRUTURAS

CARPINTARIA

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

VERIFICAÇÃO DA COMPRESSÃO ORTOGONAL AO APOIO - VIGA COM REFORÇO (EN 1995:2008 e ETA-11/0030): Fc,90,Rd ≤ Rc,90,Rd

ESCOLHA DO CONECTOR DE REFORÇO n0 = 2 n90 = 2 n = n0 · n90 = 4

VGS 9 x 360 mm L = 360 mm b = 350 mm

lef,2 = 495 mm As distâncias mínimas para o posicionamento dos conectores constam da tabela da pág. 143. Rax,90°,Rk = 39,36 kN Rki,k = 17,20 kN

As resistências à compressão dos conectores aqui calculadas constam da tabela da pág. 144.

EN 1995:2008

Italia - NTC 2008

Rc,90,Rd = 156,93 kN

Rc,90,Rd = 141,50 kN

kmod = 0,8 γm = 1,3 γm 1 = 1,00 Rax,90°,Rd = 24,22 kN Rki,d = 17,20 kN Rax,Rd = 17,20 kN

Fc,90,Rd ≤ Rc,90,Rd

kmod = 0,8 γm = 1,5 γm 1 = 1,05 Rax,90°,Rd = 20,99 kN Rki,d = 16,38 kN Rax,Rd = 16,38 kN

98,3 < 156,93 kN

Verificação satisfeita

Fc,90,Rd ≤ Rc,90,Rd

98,3 < 141,50 kN

Verificação satisfeita

Para configurações de cálculo diferentes, está disponível o software myProject (www.rothoblaas.com)

VGS

147


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

WRT

ETA 12/0062

Conector totalmente roscado de cabeça escareada Aço carbónico com revestimento durocoat

GRANDES MEDIDAS Diâmetros de até 13 mm e comprimentos de até 1000 mm

HOMOLOGAÇÃO PLUS Distâncias mínimas reduzidas e utilização consentida também em direcção paralela à fibra

PONTA ESPECIAL Ponta autoperfurante especial, de todos os tamanhos, homologada para a inserção sem pré-furo

DUROCOAT Revestimento superficial de „durocoat“ para uma elevada resistência à corrosão

CAMPOS DE EMPREGO Ligações, reforços e acoplamentos sobre madeira maciça, madeira lamelar, X-Lam, LVL, painéis à base de madeira. Classes de serviço 1 e 2

148

WRT

ACESSÓRIOS


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

GRANDES ESTRUTURAS Os comprimentos do conector consentem a realização de soluções estruturais importantes, como acoplamentos de vigas muito altas e ligações em grandes estruturas

INSTALAÇÃO RÁPIDA O conector é homologado para a inserção sem pré-furo (aconselha-se um furo-guia direccional de 80 mm de comprimento) e consente realizações rápidas de reforços estruturais complexos

ESFORÇO PERPENDICULAR Nas grandes estruturas, as tensões de compressão e tracção ortogonais às fibras da madeira, são absorvidas pelo conector posto ao longo da altura dos elementos a reforçar

WRT

149


ESTRUTURAS

CARPINTARIA

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

Códigos e dimensões d1 [mm]

9

L

TX40

b

d1

13

TX50

código WRT9250 WRT9300 WRT9350 WRT9400 WRT9450 WRT9500 WRT13400 WRT13500 WRT13600 WRT13700 WRT13800 WRT13900 WRT131000

L [mm]

b [mm]

250 300 350 400 450 500 400 500 600 700 800 900 1000

230 280 330 380 430 480 380 480 580 680 780 880 980

pça/embal.*

50

25

* comercializados também em peças individuais. Sob encomenda, está disponível WRT 13x1200 mm.

Ferramentas código DUD38RLE ATRE2019 ATRE2014 DUD38SH DUVSKU

EMPREGO COMO PARAFUSADOR DE PARAFUSOS WRT Diâmetro Ø11 Ø 12 e Ø 13 Comprimento de até 1,50 m Máquina com acessórios + +

150

WRT

descrição

pça/embal.

perfuradora adaptador de mandril mandril 1,5 - 20 cabo fricção de segurança

1 1 1 1 1


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

Exemplos de aplicação

Vigas estreitadas - reforço de cume.

Entalhes de viga - reforço.

Compressão perpendicular - reforço.

Vigas reticulares - ligação.

WRT

151


ESTRUTURAS

CARPINTARIA

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

A estática do carpinteiro

VALORES ADMISSÍVEIS

DIN 1052:1988

EXTRACÇÃO DA ROSCA Nadm EXTRACÇÃO DA ROSCA TOTAL Nadm d1 [mm]

A

Lb

9

d1

L [mm]

b [mm]

Amin [mm]

Nadm

250

230

260

300

280

310

350

330

400

d1 [mm]

L [mm]

b [mm]

Amin [mm]

1139 kg

400

380

410

2470 kg

1386 kg

500

480

510

2513 kg (1)

360

1634 kg

600

580

610

2513 kg (1)

380

410

1680 kg (1)

450

430

500

480

13

Nadm

700

680

710

2513 kg (1)

460

1680 kg

(1)

800

780

810

2513 kg (1)

510

1680 kg (1)

900

880

910

2513 kg (1)

1000

980

1010

2513 kg (1)

L [mm]

sg [mm]

Amin [mm]

Nadm

EXTRACÇÃO DA ROSCA PARCIAL Nadm d1 [mm]

A

Sg

9

Sg

A

L [mm]

sg [mm]

Amin [mm]

Nadm

d1 [mm]

250

125

130

619 kg

400

200

205

1300 kg

300

150

155

743 kg

500

250

255

1625 kg

350

175

180

866 kg

600

300

305

1950 kg

400

200

205

990 kg

700

350

355

2275 kg

450

225

230

1114 kg

800

400

405

2513 kg (1)

500

250

255

1238 kg

900

450

455

2513 kg (1)

1000

500

505

2513 kg (1)

13

DESLIZAMENTO Vadm MADEIRA-MADEIRA

Sg

d1 [mm]

Sg

45°

A 9

B

152

WRT

L [mm]

sg [mm]

Amin [mm]

Bmin [mm]

Vadm

250

125

95

95

300

150

113

350

175

131

400

200

450

225

500

250

d1 [mm]

L [mm]

sg [mm]

Amin [mm]

Bmin [mm]

Vadm

438 kg

400

200

152

152

919 kg

113

525 kg

500

250

188

188

1149 kg

131

613 kg

600

300

223

223

1379 kg

148

148

700 kg

700

350

258

258

1609 kg

166

166

788 kg

800

400

294

294

1777 kg (1)

184

184

875 kg

900

450

329

329

1777 kg (1)

1000

500

365

365

1777 kg (1)

13


ESTRUTURAS

CARPINTARIA

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

A estática do carpinteiro

VALORES ADMISSÍVEIS

DIN 1052:1988

DESLIZAMENTO Vadm AÇO - MADEIRA (2) d1 [mm]

45°

Sg

A 13

L [mm]

sg [mm]

Amin [mm]

400

380

280

1747 kg

500

480

350

1777 kg (1)

600

580

420

1777 kg (1)

700

680

490

1777 kg (1)

800

780

570

1777 kg (1)

900

880

640

1777 kg (1)

1000

980

710

1777 kg (1)

L [mm]

sg [mm]

A [mm]

Vadm

250

125

125

300

150

150

350

175

400 450 500

Vadm

CORTE Vadm MADEIRA-MADEIRA d1 [mm]

A 9

d1 [mm]

L [mm]

sg [mm]

A [mm]

Vadm

138 kg

400

200

200

287 kg

138 kg

500

250

250

287 kg

175

138 kg

600

300

300

287 kg

200

200

138 kg

700

350

350

287 kg

225

225

138 kg

800

400

400

287 kg

250

250

138 kg

900

450

450

287 kg

1000

500

500

287 kg

13

NOTAS • Os valores admissíveis são conforme a norma DIN 1052:1988. • Os valores admissíveis para a extracção são calculados considerando-se a parte roscada (b ou sg) inserida completamente no elemento de madeira. (1) (2)

Alcance da força de tracção à ruptura do aço. Para uma correcta realização da junta, a cabeça do conector deve ser inserida completamente na chapa de aço.

WRT

153


ESTRUTURAS

CARPINTARIA

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

Geometria e distâncias mínimas GEOMETRIA E CARACTERÍSTICAS MECÂNICAS 45°

90°

CONECTOR WRT

t1 dk

ds L

d2

d1 [mm] dK [mm] d2 [mm] dS [mm] t1 [mm] dv [mm]

Diâmetro nominal Diâmetro da cabeça Diâmetro do núcleo Diâmetro da haste Espessura da cabeça Diâmetro do pré-furo *

My,k [Nmm] Momento característico de tensão parâmetro característico de resistência à extracção fax,k [N/mm2] ftens,k [kN] Resistência característica à tracção fy,k [N/mm2] Resistência característica à tensão

d1

9 14,00 5,70 6,80 6,10 ≤ 5,70

13 22,00 8,50 10,00 7,25 ≤ 8,50

19200,0 12,8 35,9 1010

84600,0 12,9 58,4 930

* Conector Ø9: aconselha-se furo-guia Ø5x80mm / conector Ø13: aconselha-se furo-guia Ø8x80mm

DISTÂNCIAS MÍNIMAS PARA PARAFUSOS SOB TENSÃO AXIAL (1)

a1 a2 a1,C a2,C aCROSS

9 45 45 45 27 23

[mm] [mm] [mm] [mm] [mm]

13 65 65 65 39 33

PARAFUSOS EM TRACÇÃO INSERIDOS COM UM ÂNGULO α EM RELAÇÃO À FIBRA Planta

Prospecto

Prospecto

a2,c

a2,c a1,c a2,c a2 a2,c

a1

Planta

a2,c a2

a2,c

a1

a2,c a1,c

a1,c

a2,c a1,c

PARAFUSOS INSERIDOS COM UM ÂNGULO DE 90° EM RELAÇÃO À FIBRA Planta

Prospecto

PARAFUSOS CRUZADOS INSERIDOS COM UM ÂNGULO α EM RELAÇÃO À FIBRA Planta

Prospecto

a2,c

45°

a2 a2,c a1,c

154

WRT

a1

a1,c

a1

a2,c across a2,c


ESTRUTURAS

CARPINTARIA

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

Geometria e distâncias mínimas DISTÂNCIAS MÍNIMAS PARA PARAFUSOS SOB TENSÃO AO CORTE (2)

Ângulo entre força e fibras α = 0° a1 a2 a3,t a3,c a4,t a4,c

9 45 36 80 36 27 27

[mm] [mm] [mm] [mm] [mm] [mm]

direcção da fibragem

extremidade sob tensão -90° < α < 90°

meio de união

a2 a2 a1

a1

Ângulo entre força e fibras α = 90° 13 65 52 91 52 39 39

9 36 36 80 63 36 27 extremidade sem carga 90° < α < 270°

a2 a2 a1

a1

13 52 52 91 91 52 39

borda sob tensão 0° < α < 180°

borda sem carga 180° < α < 360°

a4,t a3,t

a4,c

a3,c

NOTAS (1)

(2)

As distâncias mínimas para conectores sob tensão axial são independentes do ângulo de inserção do conector e do ângulo da força em relação às fibras, de acordo com ETA-12/0062. As distâncias mínimas são conforme a norma EN 1995:2008, de acordo com ETA-12/0062.

WRT

155


ESTRUTURAS

CARPINTARIA

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

A estática do projectista

VALORES CARACTERÍSTICOS

EN 1995:2008

TRACÇÃO (1) / COMPRESSÃO (2) geometria

extracção da rosca total (3)

extracção da rosca parcial (3)

tracção do aço

instabilidade

aço Rtens,k [kN]

aço Rki,k [kN]

35,9

15,7

58,4

34,1

A L

Sg

A

Sg

A

b A d1

d1 [mm]

L [mm] 250 300 350 400 450 500 400 500 600 700 800 900 1000

9

13

b [mm] 230 280 330 380 430 480 380 480 580 680 780 880 980

Amin [mm] 260 310 360 410 460 510 410 510 610 710 810 910 1010

madeira Rax,k [kN] 28,3 34,5 40,6 46,8 52,9 59,1 68,1 86,0 103,9 121,8 139,7 157,6 175,5

CORTE (4) geometria

madeira-madeira A

Sg L

b Sg d1

d1 [mm]

9

13

156

WRT

L [mm] 250 300 350 400 450 500 400 500 600 700 800 900 1000

sg [mm] 125 150 175 200 225 250 200 250 300 350 400 450 500

AMIN [mm] 125 150 175 200 225 250 200 250 300 350 400 450 500

α = 90° RV,k [kN] 5,1 5,1 5,1 5,1 5,1 5,1 12,6 12,6 12,6 12,6 12,6 12,6 12,6

sg [mm] 125 150 175 200 225 250 200 250 300 350 400 450 500

Amin [mm] 130 155 180 205 230 255 205 255 305 355 405 455 505

A

madeira Rax,k [kN] 15,4 18,5 21,6 24,6 27,7 30,8 35,8 44,9 53,7 62,8 71,6 80,7 89,6


ESTRUTURAS

CARPINTARIA

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

A estática do projectista

VALORES CARACTERÍSTICOS

EN 1995:2008

DESLIZAMENTO (5) madeira - madeira (6) Sg

geometria

L

A

Sg

45°

aço - madeira (6)

b

45°

B

Sg

A

d1

d1 [mm]

9

13

L [mm] 250 300 350 400 450 500 400 500 600 700 800 900 1000

sg [mm] 125 150 175 200 225 250 200 250 300 350 400 450 500

AMIN [mm] 95 113 131 148 166 184 152 188 223 258 294 329 365

BMIN [mm] 95 113 131 148 166 184 152 188 223 258 294 329 365

madeira RV,k [kN] 10,9 13,0 15,2 17,4 19,6 21,7 25,3 31,7 38,0 44,3 50,7 57,0 63,3

PRINCÍPIOS GERAIS

NOTAS

• Os valores característicos são conforme a norma EN 1995:2008, de acordo com ETA-12/0062. • Os valores de projecto são obtidos a partir dos valores característicos, desta forma:

(1)

sg [mm] 380 480 580 680 780 880 980

madeira RV,k [kN] 48,1 60,8 73,5 86,1 98,8 111,4 124,1

AMIN [mm] 280 350 420 490 570 640 710

• • • •

(2)

(4)

(5)

/

/

/

A resistência axial à extracção da rosca foi avaliada para um comprimento de rosca eficaz equivalente a sg e é constante para um ângulo entre as fibras e o conector compreendido entre 45° e 90°. Para valores intermédios de sg, é possível interpolar linearmente. As resistências características ao corte são avaliadas considerando-se um ângulo α entre a força e as fibras equivalente a 90°. A resistência de projecto ao deslizamento do conector é a mínima entre a resistência de projecto do lado da madeira (RV,d) e a resistência de projecto do lado do aço (Rtens,d 45°).

/ (6)

(7)

41,30

A resistência de projecto à compressão do conector é a mínima entre a resistência de projecto do lado da madeira (Rax,d) e a resistência de projecto à instabilidade (Rki,d).

i (3)

-

A resistência de projecto à tracção do conector é a mínima entre a resistência de projecto do lado da madeira (Rax,d) e a resistência de projecto do lado do aço (Rtens,d).

/ Os coeficientes γm e kmod devem ser assumidos em função da norma vigente utilizada para o cálculo. Para os valores de resistência mecânica e para a geometria dos parafusos, fez-se referência ao que consta de ETA-12/0062. Em fase de cálculo, considerou-se uma massa volúmica dos elementos de madeira equivalente a ρk = 380 kg/m3. O dimensionamento e a verificação dos elementos de madeira e das chapas de aço devem ser feitos à parte. Os valores de extracção, corte e deslizamento madeira-madeira foram avaliados considerando-se o baricentro do conector posicionado em correspondência com o plano de corte.

aço Rtens,k 45° (7) [kN]

/

A resistência axial à extracção da rosca foi avaliada considerando-se um ângulo de 45° entre as fibras e o conector e para um comprimento de rosca eficaz equivalente a sg. Em caso de aplicação com chapa de aço, para uma correcta realização da junta, a cabeça do conector deve ser inserida completamente na própria chapa. A resistência à tracção do conector foi avaliada considerando-se um ângulo de 45° entre as fibras e o conector.

WRT

157


ESTRUTURAS

CARPINTARIA

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

Exemplo de cálculo: reforço à tracção ortogonal às fibras viga estreitada DADOS DE PROJECTO B = 220 mm H0 = 650 mm Hap = 1175 mm α=5° Vb = 2,41 m3 Madeira GL24h (ρk = 380 kg/m3)

Hap

H0

Map,Rd = 870,0 kNm Classe de serviço = 1 Duração da carga = breve

Hap

VERIFICAÇÃO DA TRACÇÃO ORTOGONAL ÀS FIBRAS - VIGA SEM REFORÇO - Zona de cume (EN 1995:2008): σt,90,d ≤ kdis · kvol · ft,90,d kp = 0,0175 σt,90,d = 0,30 N/mm2 V = 0,297 m3 ≤ 2/3 Vb V0 = 0,010 m3 kvol = 0,507 kdis = 1,40 (vigas com duplo estreitamento) ft,90,k = 0,40 N/mm2

EN 1995:2008

Italia - NTC 2008

kmod = 0,9 γm = 1,25 ft,90,d = 0,29 N/mm2 σt,90,d ≤ kdis · kvol · ft,90,d

kmod = 0,9 γm = 1,45 ft,90,d = 0,25 N/mm2 0,30 > 0,20 N/mm2

verificação não satisfeita Necessidade de reforço

σt,90,d ≤ kdis · kvol · ft,90,d

0,30 > 0,18 N/mm2

verificação não satisfeita Necessidade de reforço

ESCOLHA DO CONECTOR DE REFORÇO WRT 13 x 1000 mm L = 1000 mm b = 980 mm Para optimizar a sua resistência, o conector deve ser posicionado com o baricentro em correspondência com a possível linha de fissuração, nas proximidades de di Hap / 2, portanto, considera-se sg eff ≈ 400 mm.

158

WRT


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

CÁLCULO DA RESISTÊNCIA À TRACÇÃO DO CONECTOR (EN 1995:2008 e ETA-12/0062) As resistências à tracção dos conectores aqui calculadas constam da tabela da pág. 156. As distâncias mínimas para o posicionamento dos conectores constam da tabela da pág. 154. Rax,90°,Rk = 71,60 kN Rtens,k = 58,40 kN

EN 1995:2008

Italia - NTC 2008

Rax,Rd = 46,72 kN

Rax,Rd = 42,96 kN

kmod = 0,9 γm = 1,3 γm2 = 1,25 Rax,90°,Rd = 49,57 kN Rtens,d = 46,72 kN

kmod = 0,9 γm = 1,5 γm2 = 1,25 Rax,90°,Rd = 42,96 kN Rtens,d = 46,72 kN

REFORÇO DA ZONA DE CUME CENTRAL - VERIFICAÇÃO DA TENSÃO DE TRACÇÃO ORTOGONAL ÀS FIBRAS (DIN 1052:2008) 250 mm ≤ a1 ≤ 0,75 · Hap

a1 = 300 mm n=1 Ft,90,d = 19,85 kN Hap

Hap / 2

EN 1995:2008

Ft,90,d / Rax,Rd = 0,42

Verificação satisfeita

Italia - NTC 2008 Ft,90,d / Rax,Rd = 0,46

Verificação satisfeita

REFORÇO DA ZONA DE CUME LATERAL - VERIFICAÇÃO DA TENSÃO DE TRACÇÃO ORTOGONAL ÀS FIBRAS (DIN 1052:2008) 250 mm ≤ a1 ≤ 0,75 · Hap

a1 = 350 mm n=1 Ft,90,d = 15,44 kN

Hap

Hap / 4

EN 1995:2008

Ft,90,d / Rax,Rd = 0,33

Verificação satisfeita

Italia - NTC 2008 Ft,90,d / Rax,Rd = 0,36

Hap / 2

Hap / 4

Verificação satisfeita

WRT

159


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

WB

Sistema de reforço estrutural Aço carbónico com zincagem galvânica branca

GRANDES MEDIDAS Diâmetros de até 20 mm e comprimentos de até 2200 mm

AÇO E ROSCA ESPECIAIS Aço de grande desempenho à tracção (fy,k = 800 N/mm2) com rosca para madeira

SISTEMA RÁPIDO A SECO Barra de reforço com rosca para madeira e que não requer resinas ou adesivos

APOIO TÉCNICO Instruções de instalação e documentação completa on-line

CAMPOS DE EMPREGO Reforços sobre madeira maciça, madeira lamelar, X-Lam, LVL, painéis à base de madeira. Classes de serviço 1 e 2

160

WB

ACESSÓRIOS


ESTRUTURAS

CARPINTARIA

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

QUALQUER DIMENSÃO O comprimento das barras consente reforços rápidos e seguros sobre qualquer dimensão de viga

RAPIDEZ DE UTILIZAÇÃO A ausência de adesivos ou resinas consente a realização de grandes reforços em tempos rápidos e a custos contidos

Códigos e dimensões d1 [mm] 16 20

L

código CS220016 CS220020

L [mm]

Ø furo [mm]

pça/embal.

2200 2200

12 15

1 1

d1

Ferramentas código

EMPREGO COMO PARAFUSADOR WB

DUD38RLE DUD38SH ATCS2010 ATCS007 ATCS008 DUVSKU ATCS009 ATCS012 ATCS010 ATCS015

descrição

pça/embal.

perfuradora cabo adaptador para manguito Ø16-20 manguito Ø16 manguito Ø20 fricção de segurança kit de perfuração Ø12 ponta Ø12 x 400mm para ATCS009 kit de perfuração Ø15 ponta Ø15 x 400mm para ATCS010

1 1 1 1 1 1 1 1 1 1

Para barras de reforço estrutural de 16 e 20

WB

161


ESTRUTURAS

CARPINTARIA

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

Geometria e distâncias mínimas GEOMETRIA E CARACTERÍSTICAS MECÂNICAS CONECTOR WB Diâmetro nominal Diâmetro do núcleo Diâmetro do pré-furo

L

d2

d1 [mm] d2 [mm] dV [mm]

16 12,0 12,0

Momento característico de tensão My,k [Nmm]* Parâmetro característico de resistência à extracção f1,k [N/mm2]* Resistência característica à tracção ftens,k [kN]*

d1

91204,4 91,5

20 15,0 15,0

70 · 10-6 · ρk 2

162922,8 145,0

* Conforme DIN 1052:2008, de acordo com Z-9.1-777

DISTÂNCIAS MÍNIMAS PARA PARAFUSOS SOB TENSÃO AXIAL (1) a2, CG a2 a2, CG a1, CG a1

a1 a2 a1,C a2,C

16 64 48 40 40

[mm] [mm] [mm] [mm]

20 80 60 50 50

DISTÂNCIAS MÍNIMAS PARA PARAFUSOS SOB TENSÃO AO CORTE (1)

Ângulo entre força e fibras α = 0° a1 a2 a3,t a3,c a4,t a4,c

16 80 48 192 112 48 48

[mm] [mm] [mm] [mm] [mm] [mm]

direcção da fibragem

extremidade sob tensão -90° < α < 90°

meio de união

a2 a2 a1

a1

Ângulo entre força e fibras α = 90° 20 100 60 240 140 60 60

162

a1

a1

20 60 60 140 140 140 60

borda sob tensão 0° < α < 180°

borda sem carga 180° < α < 360°

a4,t a3,t

As distâncias mínimas são conforme a norma DIN 1052:2008, de acordo com Z-9.1-777.

WB

extremidade sem carga 90° < α < 270°

a2 a2

NOTAS (1)

16 48 48 112 112 112 48

a3,c

a4,c


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

A estática do projectista

VALORES CARACTERÍSTICOS

DIN 1052:2008

TRACÇÃO (1) extracção da rosca (2)

tracção do aço

≥Sg

Sg

d1 [mm]

16

20

madeira Rax,k [mm] 16,2 32,3 48,5 64,7 80,9 97,0 20,2 40,4 60,6 80,9 101,1 121,3 141,5 161,7

sg [mm] 100 200 300 400 500 600 100 200 300 400 500 600 700 800

aço Rtens,k [mm]

91,5

145,0

Coeficiente correctivo kF para diferentes massas volúmicas ρk ρk [kg/m3] kF

350 0,848

380 1,000

410 1,164

430 1,280

450 1,402

Para diferentes massas volúmicas ρk , a resistência de projecto do lado da madeira é calculada como: R‘ax,d = Rax,d · kF

PRINCÍPIOS GERAIS

NOTAS

• Os valores característicos são conforme a norma DIN 1052:2008, de acordo com Z-9.1-777. • Em fase de cálculo, considerou-se uma massa volúmica dos elementos de madeira equivalente a ρk = 380 kg/m3. • O dimensionamento e a verificação dos elementos de madeira devem ser feitos à parte.

(1)

A resistência de projecto à tracção do conector é a mínima entre a resistência de projecto do lado da madeira (Rax,d) e a resistência de projecto do lado do aço (Rtens,d).

/ (2)

/

Os coeficientes γm e kmod devem ser assumidos em função da norma vigente utilizada para o cálculo. Para valores intermédios de sg, é possível interpolar linearmente.

WB

163


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

WS

EN 14592

Pino autoperfurante Aço carbónico com zincagem galvânica branca

APOIO TÉCNICO Documentação completa e consulta personalizada

RAPIDEZ E PRECISÃO Fixação rápida sem pré-furo, com possibilidade de perfuração simultânea de 1 a 3 chapas de aço

RIGIDEZ E DUCTILIDADE Sistema de ligação muito rígido, graças à ausência de jogo entre o furo e o pino

GEOMETRIA OPTIMAL Ponta autoperfurante madeira-aço, cabeça cilíndrica oculta, rosca subcabeça para facilitar a inserção e impedir o desenfiamento

CAMPOS DE EMPREGO Sistema autoperfurante para ligações ocultas madeira-aço. Utilizável com aço do tipo S235/St37/Fe360 de espessura máxima 10 mm (1 chapa) ou 5 mm (2 e 3 chapas). Utilizável com parafusadores de no mínimo 1500 rpm. Classes de serviço 1 e 2

164

WS

ACESSÓRIOS


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

LIGAÇÕES RÍGIDAS Os conectores permitem a realização de juntas rígidas aptas a transferir as tensões de momento dobrável (juntas de momento); o diâmetro reduzido também garante uma óptima ductilidade, ideal para a projectação anti-sísmica

LIGAÇÕES NÃO APARENTES PROTEGIDAS Os conectores permitem a realização, de modo rápido e preciso, de juntas sobre presilhas de aço ou liga de alumínio (presilhas ALU); as dimensões reduzidas consentem uma óptima protecção contra o fogo

LIGAÇÕES DE ENCAIXE O diâmetro reduzido do conector (7mm) e a aposição rápida sem pré-furo, tornam o sistema excelente para a realização de juntas de encaixe sobre uma ou mais chapas de aço (por ex.: suportes de pilares do tipo X10)

WS

165


ESTRUTURAS

CARPINTARIA

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

Aplicações Junta rígida dobrada, com dupla chapa interna

Fixação da presilha ALU (sem furos) para ligação em corte

Fixação do suporte de pilar em lâmina interna para ligação de corte

Códigos e dimensões d1 [mm]

d1 L

166

WS

7

TX40

código CS100165 CS100160 CS100240 CS100245 CS100215 CS100220 CS100225 CS100250 CS100255

L [mm]

pça/embal.

73 93 113 133 153 173 193 213 233

100


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

Exemplos de aplicação

Ligação principal/secundária com presilha AluMIDI.

Junta dobrada de encaixe na viga.

Junta rectilínea de encaixe na viga.

Junta de encaixe na base, com suporte de pilar do tipo X10.

WS

167


ESTRUTURAS

CARPINTARIA

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

A estática do carpinteiro

VALORES ADMISSÍVEIS

DIN 1052:1988

CORTE MADEIRA-AÇO-MADEIRA Vadm 1 CHAPA INTERNA (2 planos de corte)

t

ta

ta

WS

[mm]

7x73

7x93

7x113

7x133

7x153

7x173

7x193

7x213

7x233

Largura da viga

b

[mm]

80

100

120

140

160

180

200

220

240

Madeira externa

ta

[mm]

37

47

57

67

77

87

97

107

117

Espessura da chapa

t

[mm]

5

5

5

5

5

5

5

5

5

2,65

3,37

3,85

4,04

4,04

4,04

4,04

4,04

4,04

30°

2,43

3,09

3,53

3,71

3,71

3,71

3,71

3,71

3,71

45°

2,32

2,95

3,37

3,54

3,54

3,54

3,54

3,54

3,54

60°

2,21

2,81

3,21

3,37

3,37

3,37

3,37

3,37

3,37

90°

1,99

2,53

2,89

3,03

3,03

3,03

3,03

3,03

3,03

Fixação

Vadm [kN]

Ângulo Força - Fibras

b

2 CHAPAS INTERNAS (4 planos de corte)

ta

t

ti

t

ta

WS

[mm]

7x73

7x93

7x113

7x133

7x153

7x173

7x193

7x213

7x233

Largura da viga

b

[mm]

80

100

120

140

160

180

200

220

240

Madeira externa

ta

[mm]

-

-

-

43

53

61

61

61

61

Madeira interna

ti

[mm]

-

-

-

42

42

46

66

86

106

Espessura das chapas

t

[mm]

-

-

-

5

5

5

5

5

5

Fixação

Vadm [kN]

Ângulo Força - Fibras

b

-

-

-

6,30

6,78

7,17

7,17

7,17

7,17

30°

-

-

-

5,78

6,22

6,57

6,57

6,57

6,57

45°

-

-

-

5,51

5,93

6,27

6,27

6,27

6,27

60°

-

-

-

5,25

5,65

5,97

5,97

5,97

5,97

90°

-

-

-

4,73

5,09

5,37

5,37

5,37

5,37

3 CHAPAS INTERNAS (6 planos de corte)

ta

t t t ti ti ta

WS

[mm]

7x73

7x93

7x113

7x133

7x153

7x173

7x193

7x213

7x233

Largura da viga

b

[mm]

80

100

120

140

160

180

200

220

240

Madeira externa

ta

[mm]

-

-

-

-

-

39

49

59

61

Madeira interna

ti

[mm]

-

-

-

-

-

42

42

42

50

Espessura das chapas

t

[mm]

-

-

-

-

-

5

5

5

5

-

-

-

-

-

9,09

9,71

10,19

10,29

30°

-

-

-

-

-

8,33

8,90

9,34

9,43

45°

-

-

-

-

-

7,95

8,50

8,92

9,00

60°

-

-

-

-

-

7,58

8,09

8,49

8,58

90°

-

-

-

-

-

6,82

7,28

7,64

7,72

Fixação

Vadm [kN]

b

Ângulo Força - Fibras

NOTAS • Os valores admissíveis são conforme a norma DIN 1052:1988. • Os valores fornecidos são calculados com chapas de espessura 5 mm e uma fresada na madeira, com espessura de 6 mm. • Capacidade máxima de perfuração para aço S235/St37/Fe360: - 3 chapas com espessura de 5 mm - 1 chapa com espessura de 10 mm

168

WS


ESTRUTURAS

CARPINTARIA

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

Geometria e distâncias mínimas GEOMETRIA E CARACTERÍSTICAS MECÂNICAS CONECTOR WS

dk

Diâmetro nominal Diâmetro da cabeça Comprimento da ponta

d1

Momento característico de tensão

d1 [mm] dK [mm] Lp [mm]

7 11,00 12,00

My,k [Nmm]

31930

Lp

DISTÂNCIAS MÍNIMAS PARA CONECTORES SOB TENSÃO AO CORTE (1)

a1 a2 a3,t a3,c a4,t a4,c

Ângulo entre força e fibras α = 0°

Ângulo entre força e fibras α = 90°

7 35 21 80 21 21 21

7 21 21 80 21 28 21

[mm] [mm] [mm] [mm] [mm] [mm]

direcção da fibragem

extremidade sob tensão -90° < α < 90°

meio de união

a2 a2 a1

a1

extremidade sem carga 90° < α < 270°

a2 a2 a1

a1

borda sob tensão 0° < α < 180°

borda sem carga 180° < α < 360°

a4,t a3,t

a4,c

a3,c

NOTAS (1)

As distâncias mínimas são conforme a norma EN 1995:2008.

WS

169


ESTRUTURAS

CARPINTARIA

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

A estática do projectista

VALORES CARACTERÍSTICOS

EN 1995:2008

CORTE MADEIRA-AÇO-MADEIRA Rv,k 1 CHAPA INTERNA (2 planos de corte)

t

ta

ta

Fixação Largura da viga Madeira externa Espessura da chapa RV,k [kN]

WS

[mm]

7x73

7x93

7x113

7x133

7x153

7x173

7x193

7x213

7x233

b ta t

[mm] [mm] [mm] 0° 30° 45° 60° 90°

80 37 5 7,87 7,22 6,65 6,18 5,78

100 47 5 8,71 8,05 7,51 7,06 6,67

120 57 5 9,89 9,06 8,39 7,83 7,36

140 67 5 10,80 10,08 9,44 8,76 8,20

160 77 5 11,49 10,68 10,01 9,44 8,96

180 87 5 11,71 11,09 10,57 9,96 9,43

200 97 5 11,71 11,09 10,57 10,11 9,71

220 107 5 11,71 11,09 10,57 10,11 9,71

240 117 5 11,71 11,09 10,57 10,11 9,71

Ângulo Força - Fibras

b

2 CHAPAS INTERNAS (4 planos de corte)

ta

t

ti

t

ta

Fixação Largura da viga Madeira externa Madeira interna Espessura das chapas RV,k [kN]

WS

[mm]

7x73

7x93

7x113

7x133

7x153

7x173

7x193

7x213

7x233

b ta ti t

[mm] [mm] [mm] [mm] 0° 30° 45° 60° 90°

80 -

100 -

120 -

140 40 48 5 17,80 16,26 14,99 13,94 12,99

160 40 68 5 19,77 18,61 17,62 16,79 15,78

180 55 58 5 21,34 19,41 17,78 16,43 15,29

200 65 58 5 22,37 20,52 18,80 17,34 16,11

220 65 78 5 22,37 21,05 19,78 18,68 17,73

240 75 78 5 23,05 21,65 20,47 19,45 18,57

Ângulo Força - Fibras

b

3 CHAPAS INTERNAS (6 planos de corte)

ta

t t t ti ti ta

Fixação Largura da viga Madeira externa Madeira interna Espessura das chapas RV,k [kN]

b

170

WS

WS

[mm]

7x73

7x93

7x113

7x133

7x153

7x173

7x193

7x213

7x233

b ta ti t

[mm] [mm] [mm] [mm] 0° 30° 45° 60° 90°

80 -

100 -

120 -

140 -

160 -

180 39 42 5 25,00 22,80 20,90 19,30 17,80

200 39 52 5 29,10 26,40 24,20 22,30 20,60

220 43 58 5 31,70 28,80 26,40 24,40 22,60

240 53 58 5 32,80 29,80 27,20 25,00 23,20

Ângulo Força - Fibras


ESTRUTURAS

CARPINTARIA

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

A estática do projectista

VALORES CARACTERÍSTICOS

EN 1995:2008

Coeficiente correctivo kF para diferentes massas volúmicas ρk ρk [kg/m3]

350

380

410

430

450

kF

0,93

1,00

1,04

1,06

1,09

Para diferentes massas volúmicas ρk a resistência de projecto do lado da madeira é calculada como: R V,d = RV,d · kF

Número eficaz nef para a1 = 35 mm

Ângulo Força - Fibras

n

1

2

3

4

5

0° 30° 45° 60° 90°

1,00 1,00 1,00 1,00 1,00

1,47 1,65 1,73 1,82 2,00

2,12 2,41 2,56 2,71 3,00

2,74 3,16 3,37 3,58 4,00

3,35 3,90 4,18 4,45 5,00

n

1

2

3

4

5

0° 30° 45° 60° 90°

1,00 1,00 1,00 1,00 1,00

1,61 1,74 1,80 1,87 2,00

2,31 2,54 2,66 2,77 3,00

3,00 3,33 3,50 3,67 4,00

3,66 4,11 4,33 4,55 5,00

Número eficaz nef para a1 = 50 mm

Ângulo Força - Fibras

Em caso de vários pinos dispostos paralelamente às fibras, deve-se levar em conta o número eficaz: R V,d = RV,d · nef

NOTAS • Os valores característicos são conforme a norma EN 1995:2008. • Os valores de projecto são obtidos a partir dos valores característicos, desta forma:

• Em fase de cálculo, considerou-se uma massa volúmica dos elementos de madeira equivalente a ρk = 380 kg/m3. • O dimensionamento e a verificação dos elementos de madeira e das chapas metálicas devem ser feitos à parte.

Os coeficientes γm e kmod devem ser assumidos em função da norma vigente utilizada para o cálculo. • Os valores fornecidos são calculados com chapas de 5 mm de espessura e uma fresada na madeira com espessura de 6 mm. • Capacidade máxima de perfuração para aço S235/St37/Fe360: - 3 chapas de espessura 5 mm - 1 chapa de espessura 10 mm

WS

171


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

VB

ETA 13/0699

Conector para lajes madeira-betão Aço carbónico polido

CONSULTORIA Software gratuito e consulta personalizada para se optimizar a fixação

DESEMPENHOS ESPECIAIS Óptimos desempenhos estáticos e acústicos quer em novas intervenções quer na reabilitação estrutural

SISTEMA RÁPIDO A SECO Sistema homologado, autoperfurante, reversível, de rápida instalação e pouco saliente

GEOMETRIA OPTIMAL Ponta autoperfurante, cabeça exagonal e anel de detenção para limitar as percolações

CAMPOS DE EMPREGO Sistema de ligação com parafuso para lajes compostas madeira-betão homologado para madeira maciça, madeira lamelar, X-Lam, LVL, painéis à base de madeira. Classes de serviço 1 e 2

172

VB

ACESSÓRIOS


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

LAJE COLABORANTE Os conectores dispostos a 45° com uma configuração em “X” consentem que se obtenha um perfeito acoplamento de grandes desempenhos estáticos entre a laje de betão e as vigas de madeira

APOSIÇÃO Os conectores são instalado por meio de um simples parafusador, sem nenhum pré-furo e sem interrupções do soalho; a aposição resulta ser rapidíssima (entre 200 e 300 conectores por hora, em média)

REABILITAÇÃO ESTRUTURAL O diâmetro reduzido do conector (7,5 mm) e a aposição a seco (reversível) tornam o sistema pouco saliente e, portanto, ideal para a recuperação e a reabilitação estrutural

VB

173


ESTRUTURAS

CARPINTARIA

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

Aplicações Junta rígida dobrada, com dupla chapa interna

Laje colaborante sobre painel de X-Lam Disposição alternativa nas proximidades dos muros, na recuperação estrutural

Códigos e dimensões d1 [mm] 55

7,5

código CS100900 CS100905

Tipo

L [mm]

sg [mm]

s soalho [mm]

pça/embal.

7,5 x 100 7,5 x 165

155 220

95 135

0 - 28 0 - 50

100

L Sg

d1

174

VB

código

descrição

pça/embal.

ATCS005 ATCS006

bússola E8 1/4 Torx Ligação 6,35 (1/4)

1 1


ESTRUTURAS

CARPINTARIA

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

Geometria e distâncias mínimas GEOMETRIA E CARACTERÍSTICAS MECÂNICAS * dk L2

L2

ds

L1 Sg

d2 d1

L1

d3

Diâmetro nominal Diâmetro da cabeça Diâmetro do núcleo Diâmetro da haste Comprimento da rosca Comprimento de penetracção Comprimento superior

d2 d1

Resistência característica à tracção

ds

dk

Sg

CONECTOR VB

Módulo de deslizamento

7,5 x 100

7,5 x 165

d1 [mm] dK [mm] d2 [mm] dS [mm] sg [mm] L1 [mm] L2 [mm]

7,5 12,00 4,30 6,10 95,0 100,0 45,0

7,5 12,00 4,60 6,00 135,0 165,0 45,0

ftens,k [kN] Kser 45°/135° [N/mm] Kser 45°/90° [N/mm]

16,0 240 · ℓ ef 100 · ℓ ef

17,0 240 · ℓ ef 100 · ℓ ef

* Valores de acordo com ETA-13/0699

DISTÂNCIAS MÍNIMAS PARA PARAFUSOS SOB TENSÃO AXIAL (1) a2,c a2 a2,c a1,c

a1 a2 a1,C a2,C

a1

7,5 x 100 80 20 80 30

[mm] [mm] [mm] [mm]

7,5 x 165 80 20 80 30

RESISTÊNCIA EM FUNÇÃO DA ESPESSURA DO SOALHO* Espessura do soalho ts [mm] 0 10 20 28 40 50

Resistência ao corte (deslizamento) Tk para um par de VB [kN] 7,5 x 100 7,5 x 165 16,6 18,1 14,6 18,1 12,6 18,1 11,0 18,1 17,1 15,1

Diferença ΔTk 9% 24% 44% 61% -

* Valores de acordo com Z-9.1-342.

NOTAS (1)

As distâncias mínimas para conectores sob tensão axial são independentes do ângulo de inserção do conector e do ângulo da força em relação às fibras, de acordo com ETA-13/0699.

VB

175


ESTRUTURAS

CARPINTARIA

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

Pré-dimensionamento de conectores VB para lajes compostas madeira-cimento Hipóteses de cálculo: Distância entre os eixos das vigas Espessura da laje de betão C20/25 Limite de decaimento Norma de cálculo

VALORES CONFORME

EN 1995:2008

Cargas: = 660 mm = 60 mm wist = ℓ/400 wnet,fin = ℓ/250 EN 1995:2008

peso próprio (gk1) carga permanente não estrutural (gk2) sobrecarga variável (qk)

= viga de madeira + soalho + laje de cimento = 2 kN/m2 = 2 kN/m2

CONECTOR VB 7,5 x 100 - Madeira lamelar GL 24h (EN 1194) Espessura do soalho ts = 20 mm SECÇÃO DA VIGA BxH [mm] 120 x 160 120 x 200 140 x 200 140 x 240

n° de pares por viga passo[mm] n° de conectores/m2 n° de pares passo[mm] n° de conectores/m2 n° de pares passo[mm] n° de conectores/m2 n° de pares passo[mm] n° de conectores/m2

3,5 12 250/350 10,4 -

4 18 150/250 13,6 12 250/350 9,1 12 260/380 9,1

4,5 26 140/200 17,5 20 180/260 13,5 18 200/280 12,1

-

-

Comprimento da viga L [m] 5

5,5

6

6,5

-

-

-

-

26 140/220 15,8 26 160/220 15,8 20 300/400 12,1

36 120/180 19,8 34 120/200 18,7 26 160/240 14,3

-

-

-

-

34 140/200 17,2

42 120/180 19,6

Comprimento da viga L [m] 5

5,5

6

6,5

-

-

-

-

12 300/400 7,3 12 300/460 7,3 10 400/500* 6,1

20 200/400 11,0 16 240/340 8,8 12 300/500* 6,6

-

-

-

-

18 250/350 9,1

24 200/300 11,2

CONECTOR VB 7,5 x 165 - Madeira lamelar GL 24h (EN 1194) Espessura do soalho ts = 40 mm SECÇÃO DA VIGA BxH [mm]

3,5 7 500/500* 6,1

n° de pares por viga passo[mm] 120 x 160 n° de conectores/m2 n° de pares 120 x 200 passo[mm] n° de conectores/m2 n° de pares 140 x 200 passo[mm] n° de conectores/m2 n° de pares 140 x 240 passo[mm] n° de conectores/m2 * Por segurança, utiliza-se um passo máximo de 500 mm.

176

VB

4 10 300/500* 7,6 8 500/500* 6,1 8 500/500* 6,1

4,5 12 260/360 8,1 10 400/500* 6,7 10 400/500* 6,7

-

-


ESTRUTURAS

CARPINTARIA

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

CONECTOR VB 7,5 x 100 - Madeira maciça C24 (EN 338) Espessura do soalho ts = 20 mm SECÇÃO DA VIGA BxH [mm]

3,5 8 300/400 6,9

n° de pares por viga passo[mm] n° de conectores/m2 n° de pares passo[mm] n° de conectores/m2 n° de pares passo[mm] n° de conectores/m2 n° de pares passo[mm] n° de conectores/m2

130 x 130 140 x 160 160 x 200 180 x 180

-

4 14 180/280 10,6 10 260/380 7,6 9 400/400 6,8 10 350/400 7,6

4,5 22 140/200 14,8 16 180/260 10,8 12 300/400 8,1 12 250/350 8,1

Comprimento da viga L [m] 5

5,5

6

6,5

-

-

-

-

24 140/200 14,5 18 200/300 10,9 20 180/260 12,1

32 120/180 17,6 26 160/220 14,3 28 140/200 15,4

-

-

34 120/200 17,2 36 120/180 18,2

46 100/150 21,4

Comprimento da viga L [m] 5

5,5

6

6,5

-

-

-

-

12 280/400 7,3 10 450/500 6,1 10 400/500 6,1

20 180/260 11,0 12 340/460 6,6 12 280/400 6,6

-

-

-

CONECTOR VB 7,5 x 165 - Madeira maciça C24 (EN 338) Espessura do soalho ts = 40 mm SECÇÃO DA VIGA BxH [mm]

3,5 6 500/500 5,2

n° de pares por viga passo[mm] 130 x 130 n° de conectores/m2 n° de pares 140 x 160 passo[mm] n° de conectores/m2 n° de pares 160 x 200 passo[mm] n° de conectores/m2 n° de pares 180 x 180 passo[mm] n° de conectores/m2 * Limite de decaimento w ist = ℓ/350

-

4 8 400/500 6,1 7 500/500 5,3 7 500/500 5,3 7 500/500 5,3

4,5 10 280/400 6,7 8 400/500 5,4 8 500/500 5,4 8 500/500 5,4

16 250/350 8,1 20 200/320 10,1

26 * 180/260 12,1

660 60 ts H

20 B

L/4 passo min

L/2 passo max

L/4 passo min

NOTAS • Valores obtidos com software de cálculo HBV - versão 5.1.8, de acordo com a homologação Z-9.1-342

VB

177


ESTRUTURAS

CARPINTARIA

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

Pré-dimensionamento de conectores VB para lajes compostas madeira-cimento Hipóteses de cálculo: Distância entre os eixos das vigas Espessura da laje de betão C20/25 Limite de decaimento Norma de cálculo

VALORES CONFORME

NTC 2008

Cargas: = 660 mm = 60 mm wist = ℓ/400 wnet,fin = ℓ/250 NTC 2008

peso próprio (gk1) carga permanente não estrutural (gk2) sobrecarga variável (qk)

= viga de madeira + soalho + laje de cimento = 2 kN/m2 = 2 kN/m2

CONECTOR VB 7,5 x 100 - Madeira lamelar GL 24h (EN 1194) Espessura do soalho ts = 20 mm SECÇÃO DA VIGA BxH [mm] 120 x 160 120 x 200 140 x 200 140 x 240

n° de pares por viga passo[mm] n° de conectores/m2 n° de pares passo[mm] n° de conectores/m2 n° de pares passo[mm] n° de conectores/m2 n° de pares passo[mm] n° de conectores/m2

3,5 14 200/300 12,1 -

4 22 150/200 16,7 16 200/300 12,1 14 220/320 10,6

4,5 28 120/180 18,9 24 160/220 16,2 22 160/240 14,8

-

-

Comprimento da viga L [m] 5

5,5

6

6,5

-

-

-

-

32 120/180 19,4 30 120/200 18,2 22 180/260 13,3

42 100/160 23,1 42 100/160 23,1 30 140/200 16,5

-

-

-

-

38 120/180 19,2

48 100/160 22,4

Comprimento da viga L [m] 5

5,5

6

6,5

-

-

-

-

16 240/340 9,7 12 280/400 7,3 10 400/500* 6,1

24 180/260 13,2 20 200/300 11,0 14 280/400 7,7

-

-

-

-

20 220/320 10,1

28 180/260 13,1

CONECTOR VB 7,5 x 165 - Madeira lamelar GL 24h (EN 1194) Espessura do soalho ts = 40 mm SECÇÃO DA VIGA BxH [mm]

3,5 8 400/500* 6,9

n° de pares por viga passo[mm] 120 X 160 n° de conectores/m2 n° de pares 120 X 200 passo[mm] n° de conectores/m2 n° de pares 140 X 200 passo[mm] n° de conectores/m2 n° de pares 140 X 240 passo[mm] n° de conectores/m2 * Por segurança, utiliza-se um passo máximo de 500 mm.

178

VB

4 10 300/400 7,6 8 450/500* 6,1 8 500/500* 6,1

4,5 16 200/300 10,8 10 300/500* 6,7 10 400/500* 6,7

-

-


ESTRUTURAS

CARPINTARIA

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

CONECTOR VB 7,5 x 100 - Madeira maciça C24 (EN 338) Espessura do soalho ts = 20 mm SECÇÃO DA VIGA BxH [mm]

3,5 10 250/350 10,1

n° de pares por viga passo[mm] n° de conectores/m2 n° de pares passo[mm] n° de conectores/m2 n° de pares passo[mm] n° de conectores/m2 n° de pares passo[mm] n° de conectores/m2

130 x 130 140 x 160 160 x 200 180 x 180

-

4 18 150/200 15,6 14 200/300 12,1 9 400/400 7,8 10 300/400 8,7

4,5 26 120/180 19,7 22 150/200 16,7 12 240/340 9,1 16 200/300 12,1

Comprimento da viga L [m] 5

5,5

6

6,5

-

-

-

-

28 120/180 18,9 22 160/240 14,8 24 140/220 16,2

44 100/120 26,7 28 140/200 17,0 32 120/180 19,4

-

-

42 100/160 23,1 42 100/150 23,1

54 80/140 27,3

Comprimento da viga L [m] 5

5,5

6

6,5

-

-

-

-

14 220/340 9,4 10 400/500 6,7 10 350/500 6,7

26 150/200 15,8 14 250/400 8,5 16 240/340 9,7

-

-

-

CONECTOR VB 7,5 x 100 - Madeira maciça C24 (EN 338) Espessura do soalho ts = 40 mm SECÇÃO DA VIGA BxH [mm]

3,5 6 500/500 6,1

n° de pares por viga passo[mm] n° de conectores/m2 n° de pares passo[mm] n° de conectores/m2 n° de pares passo[mm] n° de conectores/m2 n° de pares passo[mm] n° de conectores/m2

130 x 130 140 x 160 160 x 200 180 x 180

-

4 8 360/500 6,9 7 500/500 6,1 7 500/500 6,1 7 500/500 6,1

4,5 14 200/300 10,6 10 300/400 7,6 8 500/500 6,1 8 400/500 6,1

20 200/300 11,0 24 180/260 13,2

32 140/200 16,2

660 60 ts H

20 B

L/4 passo min

L/2 passo max

L/4 passo min

NOTAS • Valores obtidos com software de cálculo HBV - versão 5.1.8, de acordo com a homologação Z-9.1-342

VB

179


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

SKR  SKS

Ancorante parafusável para betão Aço carbónico com zincagem galvânica branca

RAPIDEZ DE INSTALAÇÃO Parafuso para cimento, montagem simples e rápida

ROSCA ESPECIAL Roscagem específica para fixação a seco sem criação de forças de expansão no betão

CABEÇA AUMENTADA Cabeça de dimensões aumentadas para uma fixação mais forte e mais segura da madeira

ECO-FRIENDLY Revestimento de cromo trivalente Cr3+ em substituição ao cromo exavalente Cr6

CAMPOS DE EMPREGO Fixação de elementos de madeira ou de aço sobre suportes de betão. Classes de serviço 1 e 2

180

SKR - SKS

ACESSÓRIOS


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

FIXAÇÃO A SECO A roscagem especial consente uma rápida instalação de elementos de madeira ou de aço sobre suportes de betão, com um simples parafusador e um pré-furo de pequenas dimensões

FIXAÇÃO RÁPIDA E FORTE Versões com cabeça escareada e cabeça exagonal: as dimensões aumentadas da cabeça garantem uma melhor resistência ao corte na fixação de elementos de madeira

DISTÂNCIAS MÍNIMAS REDUZIDAS A parafusação sobre cimento armado é feita sem criar nenhuma força de expansão no betão e consente o uso de distâncias mínimas reduzidas

SKR - SKS

181


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

Aplicações Fixação angular ao corte TITAN sobre betão Fixação de isolante sobre suporte de cimento através do uso de contra-ripa Fixação do suporte de pilar à terra

600

A versão com cabeça exagonal (SKR) é ideal para a fixação de chapas ou espessuras de madeira de grandes dimensões; a versão com cabeça escareada (SKS) é ideal para a fixação de elementos de madeira e a garantia de um óptimo acabamento estético.

500

1

Gama

2 3 4 5 6 7

200

ø7,5 CH13

ø10

ø12

CH16

CH18

SKR

182

SKR - SKS

ø7,5 TX40

SKS

42 43 44 45 46 47 48 49 5 0 51 52 53 54 55 56 57 58 59 6 0

100

22 23 24 25 26 27 28 29 3 0 31 32 33 34 35 36 37 38 39 4 0 41

300

8 9 1 0 11 12 13 14 15 16 17 18 19 2 0 21

400


ESTRUTURAS

CARPINTARIA

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

Códigos e dimensões SKR d1 [mm]

tfix

7,5

L

CH13 b d1

10

CH16

12

CH18

código SKR7560 SKR7580 SKR75100 SKR1080 SKR10100 SKR10120 SKR10140 SKR10160 SKR12100 SKR12120 SKR12140 SKR12160 SKR12200 SKR12240 SKR12280 SKR12320 SKR12400

L [mm]

b [mm]

t fix [mm]

pça/embal.

60 80 100 80 100 120 140 160 100 120 140 160 200 240 280 320 400

50 50 80 50 80 80 80 80 80 80 80 80 80 80 80 80 80

10 30 20 30 20 40 60 80 20 40 60 80 120 160 200 240 320

100

L [mm]

b [mm]

t fix [mm]

pça/embal.

60 80 100 120 140 160

50 50 80 80 80 80

10 30 20 40 60 80

50 50 25

25

NOTA: Está disponível um produto alternativo com marcação CE, sob encomenda.

Códigos e dimensões SKS d1 [mm]

tfix L

7,5

b

TX40 d1

código SKS7560 SKS7580 SKS75100 SKS75120 SKS75140 SKS75160

100

50

Instalação tfix

SKR - SKS

183


ESTRUTURAS

CARPINTARIA

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

Geometria Ch

dk

k ds

ds L

L b

b

ANCORANTES

Tipo

Diâmetro nominal Chave Espessura da cabeça Diâmetro da cabeça Diâmetro da haste Resistência característica à tracção *

SKR

d1 [mm] Ch [mm] k [mm] dK [mm] dS [mm] fu,k [N/mm2]

7,5 13 5,5 5,7 988

SKS

10 16 7,0 7,7 1068

12 18 8,0 9,4 1069

7,5 13,4 5,7 988

12 10,0 12,0 12,0 - 14,0 50,0

7,5 6,0 -

* Valores de acordo com o certificado n° 2006/5205/1 emitido pelo Politécnico de Milão

d1

d1

Instalação ANCORANTES

Tipo

Diâmetro nominal Diâmetro do pré-furo em betão diâmetro furo no elemento a fixar - madeira Diâmetro do furo no do elemento a fixar - aço Binário de aperto

Tipo

7,5 6,0 8,0 8,0 - 10,0 15,0

df [mm] T inst [mm]

d1 [mm]

L [mm] 60 80 100 80 100 120 140 160 100 120 140 160 200 240 280 320 400 60 80 100 120 140 160

7,5

10

SKR

12

SKS

SKR

d1 [mm] d0 [mm]

7,5

SKS

10 8,0 10,0 10,0 - 12,0 25,0 tfix [mm] 10 30 20 30 20 40 60 80 20 40 60 80 120 160 200 240 320 10 30 20 40 60 80

hnom [mm] 50 50 80 50 80 80 80 80 80 80 80 80 80 80 80 80 80 50 50 80 80 80 80

h1 [mm] 60 60 90 65 95 95 95 95 100 100 100 100 100 100 100 100 100 60 60 90 90 90 90

Tinst

L

h1

hnom d1 do

184

LEGENDA

SKR - SKS

d0 = diâmetro do pré-furo em betão h1 = profundidade do furo hnom = profundidade de ancoragem nominal df = diâmetro do furo no elemento a fixar tfix = espessura máxima fixável Tinst = Binário de aperto

c

s

LEGENDA

s

df

c

tfix

h

h = espessura do suporte de betão c = distância da borda s = distância entre os eixos


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

A estática do carpinteiro

VALORES ESTÁTICOS

ACONSELHADOS

RESISTÊNCIA AO CORTE V - BETÃO NÃO FISSURADO (1) Ancorante Diâmetro nominal

SKS

d1 [mm]

7,5

10

12

7,5

V [kN]

2,50

6,65

8,18

2,50

Distância crítica da borda

ccr,V [mm]

70

110

130

70

Distância mínima da borda

cmin,V [mm]

50

60

70

50

Distância crítica entre os eixos

scr,V [mm]

140

200

240

140

Distância mínima entre os eixos

smin,V [mm]

50

60

70

50

Resistência aconselhada

(1)

SKR

Tipo

Na avaliação da resistência global do ancorante, a resistência ao corte no elemento a fixar (por ex.: madeira, aço etc.) deve ser avaliada à parte, em função do material utilizado.

RESISTÊNCIA À EXTRACÇÃO N - BETÃO NÃO FISSURADO (2) Ancorante Diâmetro nominal

(2)

SKR

Tipo

SKS

d1 [mm]

7,5

10

12

7,5

Resistência aconselhada

N [kN]

2,13

6,64

8,40

2,13

Distância critica da borda

c cr,N [mm]

50

70

80

50

distância mínima da borda

c min,N [mm]

50

60

65

50

Distância crítica entre os eixos

s cr,N [mm]

100

150

180

100

Distância mínima entre os eixos

s min,N [mm]

50

60

65

50

Distância mínima entre os eixos

smin,V [mm]

50

60

70

50

Na avaliação da resistência global do ancorante, a resistência axial no elemento a fixar (por ex.: madeira, aço etc.) deve ser avaliada à parte, em função do material utilizado.

RESISTÊNCIA À PENETRAÇÃO DA CABEÇA N - ELEMENTO DE MADEIRA A SER FIXADO Ancorante Diâmetro nominal

Tipo

SKR COM ANILHA DIN 9021

d1 [mm]

7,5

10

12

Resistência aconselhada

N [kN]

1,19

1,86

2,83

Ancorante

Tipo

Diâmetro nominal

SKR COM ANILHA DIN 440

d1 [mm]

7,5

10

12

Resistência aconselhada

N [kN]

1,66

2,44

4,13

Ancorante

Tipo

SKS

Diâmetro nominal Resistência aconselhada

d1 [mm]

7,5

N [kN]

0,72

NOTAS • Os valores aconselhados para a extracção e o corte são conforme o certificado n° 2006/5205/1 emitido pelo Politécnico de Milão. • Os valores aconselhados para a extracção e o corte derivam de ensaios feitos sobre betão C20/25 não fissurado, sem a influência de efeitos de borda e/ou de distância entre os eixos • Os valores aconselhados para extracção e o corte são obtidos considerando-se um coeficiente de segurança equivalente a 4 na última carga de ruptura.

SKR - SKS

185


186


187

3. EXTERIOR


CARPINTARIA

EXTERIOR

ESTRUTURAS

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

ESPÉCIES LENHOSAS Um revestimento de madeira adapta-se a qualquer ambiente: a grande variedade de espécies lenhosas satifaz perfeitamente as exigências projectuais e estéticas. ríc

io

La

Pin h

Iroko

apele Mogno S cum

le Rob ea etra

us p

rc Que

Freicho

lsior Fraxinus exce

k Tea dis

a ton e c T

n gra

ga i lin ichi i B r r

de

cle

u Na

Dic

ory

O AÇÃ A N G IC RE IMP TÉRM o M r O C hei Pin lvestris s sy

u Pin

S

O AD

TIL

osit e

CO M TÉ IMPR RM EG ICA NA TÉ ÇÃ Wo RM O od ICA Pla stic Com WPC p

E AC

188

B

i ad

A Rob cácia b inia pse astard udo acac a ia

Fagus sylvatica

ylindri

nia asra gu loc ian us en sis

hragma c

p Entandro

Faia

5

petraea

5

Milicia excelsa

6

Roble

2

2

bra

800

4

105 0

ea ru

700 750

3

O Ocot cotea

Kg /m 3 ] 115 0

850

ICA TIV A[

600 650

6

Pin radi us rad ata iata

IND

950

s

DE

750

650

550

IDA

DE

4

NCIA

E INDIC DAD I S N

1

NS

eiro

P

ENIÊ

3

DE

estri

Quercus

rix eria sib no iric a

V RO

4

TRA TAM TÉR ENTO MIC O P Pinu inhei r s syl o v

sib

5

COM

io ríc x La Lari

La

ATIVA 55


CARPINTARIA

EXTERIOR

ESTRUTURAS

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

6 4

PROVE NIÊ NC IA 3 A TIV 00 - 5 A C I D 5 N 0 [K I 4 E 350 g/ AD m ID 40

Ce

3

0 450 500 550

o dr s Ce dru 5 6

]

DE NS

1

2

5

ho

4

el verm o t Abe abies

3 7

a Pice

5

Ocumé Aucoumea klaineana

1

50 - 8 00 [ K

g/m 3 ]

Dou

Pseu glásia dots uga m

enzi

DICATIVA 8

00

PRO VE NI ÊN -

10 0

0

u rba ga Me ia biju ts

6

3

m g/ [K

In

7

]

85 0 90 0 95 10 0 00

A CI

E IN DAD NS I E D

esii

pto Eucali tus

3

p Eucaly

7 3

Garapa

Apuleia leiocarpa 5

Wen gé

Mille 6

ttia la

Ba

6

Bam

uren

mb

bu

tii

u

e

S

ai is kir ev ng a la Ba ore h

sea

3

ra n sa bide s a a

M lkar ni

Ma

[K g/ m3 ]

a ub nd tata

2

3

ia Tabebu

2

Ipê

6

1

2

3

C

um ryx od aru orata

Dipte

50 10 100 1 150 1 200 1 250 1 300 1 350 1

DE 0 NS 00 IDA 1 > PR DE INDICATIVA OV ENI ÊNCIA

NOTAS Esta lista não tenciona ser exaustiva, mas sim fornecer só algumas indicações sobre as espécies de madeira mais difundidas.

189


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

MADEIRA: MATERIAL NATURAL A madeira é um material vivo por natureza e sujeito a alterações no tempo: Movimentos e encolhimentos Alteração da cor Degradação biológica

1

MOVIMENTOS, ENCOLHIMENTOS

A selecção correcta da espécie lenhosa e a qualidade da tábua com base nas exigências projectuais, evita encolhimentos ou intumescências ou deformações diferenciais entre os elementos e empenamento. Tais fenómenos podem comprometer a correcta funcionalidade do sistema de fixação.

190

NA CONSTRUÇÃO

3 ANOS DEPOIS

ACESSÓRIOS


CARPINTARIA

2

EXTERIOR

ESTRUTURAS

ALTERAÇÃO DA COR NO TEMPO

A madeira é um material vivo que se altera no curso do tempo. Na escolha da espécie lenhosa e da fixação, deve-se considerar também a sua alteração cromática. NOVA

12 MESES DEPOIS

MADEIRA/METAL

3

ACESSÓRIOS

DEGRADAÇÃO BIOLÓGICA

A madeira é um material natural e, como tal, pode ser atacado por insectos ou fungos xilófagos. É importante escolher um material que possua uma classe de durabilidade adequada ao ambiente em que será inserido para evitar levantamentos localizados de humidade.

191


CARPINTARIA

EXTERIOR

ESTRUTURAS

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

PORMENORES DE CONSTRUÇÃO A atenção dada aos pormenores garante a durabilidade, a estética e a estabilidade do revestimento e evita problemáticas de marcescência, fissurações e deformações.

1

2

5

3 4

6

192


CARPINTARIA

1

DISTÂNCIA ENTRE AS TÁBUAS ≥7 ≥7 ≥7 mm mm mm ≥7 mm

mm

≥20 mm

≥7 mm

3

DISTÂNCIA LATERAL

MADEIRA/METAL

VENTILAÇÃO SOB AS TÁBUAS

5

ACESSÓRIOS

ESCOLHA DAS FIXAÇÕES

≥20 ≥20 ≥20 mm mm mm

≥7 ≥7 ≥7 mm mm mm ≥20 mm

• consentir os movimentos da madeira • evitar acúmulo de água e marcescência sobre o topo das tábuas • evitar acúmulo de sujidade

2

EXTERIOR

ESTRUTURAS

• evitar acúmulo de água e humidade • consentir os movimentos da madeira • evitar o contacto directo entre os elementos

4

• garantir a estética • fixação aparente ou oculta

6

RESISTÊNCIA ESTÁTICA DO REVESTIMENTO

POSICIONAMENTO DAS FIXAÇÕES a

≥20 mm

a a

• consentir os movimentos da madeira • evitar estagnação de água • evitar aumento localizado de humidade na madeira • evitar acúmulo de sujidade

• evitar fissurações das tábuas • garantir uma vedação estática

• garantir segurança e estabilidade • prever a devida distância entre os elementos da subestrutura (40÷60 cm) • certificar-se de que haja um adequado nivelamento da subestrutura • adoptar o mesmo material para o revestimento e a subestrutura

193


CARPINTARIA

EXTERIOR

ESTRUTURAS

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

ESCOLHA DA FIXAÇÃO - A GAMA A ampla escolha de conectores satisfaz diversas exigências projectuais e estéticas. A diferente combinação das características mecânicas e geométricas oferece uma gama completa de soluções.

Ø 3,5 Ø 4,0 Ø 4,5 Ø 5,0 Ø 5,5 Ø 6,0 Ø 6,5 Ø 8,0

194

KKT A4

KKT A4 color

KKTX

SCI A4

mini WT

SCI A2

KKF

aço inoxidável austenítico A4

aço inoxidável austenítico A4

aço inoxidável austenítico A4

aço inoxidável austenítico A4

aço inoxidável austenítico A2

aço inoxidável austenítico A2

aço inoxidável martensítico AISI 410


CARPINTARIA

EXTERIOR

ESTRUTURAS

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

HZK

EWS

HBS+evo

KKT color

SHS AS

SCS

mini WT

aço inoxidável martensítico AISI 410

aço inoxidável martensítico AISI 410

aço carbónico com revestimento revodip

aço carbónico com revestimento orgânico

aço inoxidável martensítico AISI 410

bimetálica (aço A2 e aço carbónico)

aço carbónico com revestimento durocoat

Ø 3,5 Ø 4,0 Ø 4,5 Ø 5,0 Ø 5,5 Ø 6,0 Ø 6,5 Ø 8,0

195


CARPINTARIA

EXTERIOR

ESTRUTURAS

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

ESCOLHA DA FIXAÇÃO - ESPÉCIE LENHOSA A gama completa de parafusos oferece soluções apropriadas para as várias combinações de materiais e densidades, em função da espécie lenhosa. O pré-furo em fase de parafusação torna-se necessário onde a densidade do material é tal que compromete a funcionalidade do conector.

DENSIDADE Kg/m3]

ESPÉCIE LENHOSA

KKT A4 color

KKTX

KKT A4

SCI A4

aço inoxidável austenítico A4

aço inoxidável austenítico A4

aço inoxidável austenítico A4

aço inoxidável austenítico A4

300 - 550

Madeira continental

2

1

6

4

1

4

6

550 - 800 800 - 1000 > 1000

5

300 - 550

3

7

Madeira tropical 2

3

5

7

550 - 800 800 - 1000 > 1000

Madeira submetida a tratamento térmico

550 - 800

Madeira submetida a impregnação térmica

550 - 800

Madeira acetilada

550 - 800

Material plástico compósito (WPC)

196

300 - 550

800 - 1000 > 1000

aplicação consentida

aplicação consentida com pré-furo

aplicação não aconselhada, mas possível se feita com cuidados especiais

aplicação não aconselhada


CARPINTARIA

EXTERIOR

ESTRUTURAS

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

mini WT

SCI A2

KKF

EWS

SHS AS

HBS+evo

KKT color

mini WT

HBS

aço inoxidável austenítico A2

aço inoxidável austenítico A2

aço inoxidável martensítico AISI 410

aço inoxidável martensítico AISI 410

aço inoxidável martensítico AISI 410

aço inoxidável martensítico

aço carbónico com revestimento orgânico

aço carbónico com revestimento durocoat

aço carbónico com zincagem galvânica

197


CARPINTARIA

EXTERIOR

ESTRUTURAS

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

ESCOLHA DA FIXAÇÃO - AMBIENTE

EWS

aço inoxidável A2

aço inoxidável A2

aço inoxidável AISI 410

aço inoxidável AISI 410

SHS AS

HBS+ evo

KKT color

mini WT

HBS

aço carbónico zincado

KKF

aço carbónico com durocoat

SCI A2

aço carbónico pintado

mini WT

aço carbónico com revodip

SCI A4

aço inoxidável AISI 410

KKTX

aço inoxidável A4

aço inoxidável A4

APLICAÇÃO

aço inoxidável A4

A4 KKT A4 KKT color

aço inoxidável A4

A obra está inserida em um contexto do qual não se pode prescindir e com o qual interage: conhecer a colocação e a aplicação do revestimento de madeira é fundamental para se escolher uma fixação apta a garantir boas prestações no tempo.

REVESTIMENTO HORIZONTAL (ex.: terraço) REVESTIMENTO VERTICAL (ex.: fachada)

CLASSE DE CORROSIVIDADE ATMOSFÉRICA EN 12944 C1 ambientes interiores C2 áreas naturais C3 ambientes urbanos e industriais C4 áreas industriais e zonas costeiras C5 áreas com atmosfera agressiva

aplicação consentida aplicação não aconselhada, mas possível se feita com cuidados especiais

198

aplicação não aconselhada


CARPINTARIA

CLASSE DE SERVIÇO

EXTERIOR

ESTRUTURAS

A4 KKT A4 KKT color

KKTX

SCI A4

mini WT

SCI A2

MADEIRA/METAL

KKF

EWS

SHS AS

ACESSÓRIOS

HBS+ evo

KKT color

*

*

mini WT

HBS

Classe de serviço 1 Classe de serviço 2 Classe de serviço 3

* Revestimento equivalente a Fe/Zn 25c

CLASSE DE UTILIZAÇÃO Classe de utilização 1 Classe de utilização 2 Classe de utilização 3 Classe de utilização 4 Classe de utilização 5

EN 1995-1-1 CLASSES DE SERVIÇO DO AMBIENTE

EN 335 CLASSES DE UTILIZAÇÃO DA MADEIRA

1

clima 20° / 65% humidade u ≈ 12% todos os interiores da casa

1

situações em que a madeira se encontra no interior de uma construção, não exposta aos agentes atmosféricos

2

clima 20° / 55% humidade u ≈ 18% elementos protegidos contra a acção directa das intempéries

2

situações em que a madeira está reparada e não exposta aos agentes atmosféricos, mas pode haver situações de elevada humidade ambiental

3

situações em que o material à base de madeira se encontra não directamente em contacto com o terreno e está exposto aos agentes atmosféricos

4

situações em que a madeira está em contacto directo com o terreno e a água doce

5

situações em que a madeira está permanente ou regularmente imersa em água salgada

3

clima mais húmido da classe 2 humidade u > 20% elementos “molhados”

199


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

MATERIAIS E REVESTIMENTOS A gama completa e diversificada de materiais e revestimentos consente sempre a utilização de uma fixação idónea para a aplicação desejada.

KKT A4 KKT A4 color KKTX

AISI 316 (A4) SCI (A4)

SCI (A2)

AUSTENÍTICO AISI 304 (A2)

MINI WT (A2)

AISI 304 (A2) e aço ao carbono (ponta)

INOXIDÁVEL

SCS bimetálica

KKF HZK

MARTENSÍTICO

AISI 410

AÇO

EWS

SHS AS

ADEQUADO REVESTIMENTO SUPERFICIAL (para classes de serviço 3) KKT color

CARBONO

200

REVESTIMENTO DUROCOAT

MINI WT

ZINCAGEM GALVÂNICA

HBS

RESISTÊNCIA À CORROSÃO

HBSP EVO


CARPINTARIA

EXTERIOR

ESTRUTURAS

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

RESISTÊNCIA DOS CONECTORES

resistência à corrosão

A escolha do material do conector e do seu revestimento é feita em função das exigências estáticas e da agressividade do ambiente. Deve-se pesquisar o melhor compromisso entre resistência mecânica e resistência à corrosão.

10

KKT A4 / KKTX KKT A4 color

SCI A4

9

8

high

7

SCI A2

mini WT A2

6

KKF

EWS

5

KKT color

medium

4

HBSP evo

3

mini WT 2

low

1

0 0

1

HBS

medium high 2

3

4

5

6

7

8

9

10

resistência mecânica

201


CARPINTARIA

EXTERIOR

ESTRUTURAS

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

RESULTADO GARANTIDO AO PREÇO JUSTO A fixação tem pouca influência no custo global do revestimento, mas exerce uma notável incidência sobre a durabilidade e a qualidade da obra no tempo.

INCIDÊNCIA DA FIXAÇÃO

revestimento

alto custo revestimento

custo médio revestimento

baixo custo 0

0,5

madeira

202

aposição

1

fixação

1,5

2

2,5


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

Quanto custa realizar um revestimento de madeira?

maior influência (quase 75% nos revestimentos de

Qual é a incidência dos vários factores sobre o preço

“alto custo”).

final? Quanto é justo gastar para se obter um bom

A aposição é ligada à espécie lenhosa adoptada,

resultado?

à complexidade do revestimento e à tipologia de fixação, incidindo de maneira variável no custo final

O custo do revestimento de madeira está ligado ao

(até a um máximo de 35% nos revestimentos de

material escolhido para tábuas e subestrutura, aos

“baixo custo”).

conectores para a fixação e à aposição.

O conector influi, em vez, de maneira marginal no

Ao revestimento de tipo “baixo custo”, fornecido e

preço final; nos revestimentos de “custo médio”, por

instalado, é atribuído um preço unitário.

exemplo, a incidência dos conectores vai de 4 a 6%

Os revestimentos de tipo “médio custo” requerem uma

(em função da tipologia de parafuso escolhida).

despesa maior (cerca de 1,5 vezes) ao passo que os de

Isto consente que se possa escolher, em total liberdade,

“alto custo” são os mais caros (mais que o dobro).

o conector mais apropriado para a aplicação presente,

Confrontando-se os factores que incidem sobre o

bem ciente do facto que o custo final do revestimento

custo final, vê-se que a escolha do material tem uma

não sofrerá variações substanciais.

TIPO DE REVESTIMENTO ANALISADO: • tábuas de madeira de dimensões 118 x 25 mm, dispostas com folga de 7 mm • subestrutura composta por ripas de madeira de dimensões 60 x 40 mm, postas a uma distâncias de 0,5 m entre si • material das tábuas = material da subestrutura

7 mm 118 mm 40 mm

25 mm 60 mm 0,5 m

203


CARPINTARIA

EXTERIOR

ESTRUTURAS

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

CORROSÃO A corrosão é a interação química entre um material e o ambiente circunstante, que produz uma degradação do material e das suas propriedades, comprometendo a sua funcionalidade.

Uma boa resistência à corrosão é requisito

ENSAIOS EM NÉVOA SALINA

indispensável para a duração, no tempo, dos elementos utilizados em classes de serviço 3

Para monitorar o comportamento dos conectores e

(ambiente exterior); tal característica é optimizada

comparar os vários revestimentos, foram efectuadas

por meio de oportunos cuidados aptos a evitar

numerosas horas de exposição à névoa salina (ISO 9227).

problemáticas

Tais ensaios não reproduzem o real comportamento

estáticas

e/ou

estéticas

consequentes intervenções de manutenção.

e

as

do parafuso, uma vez que aceleram a sua degradação de maneira agressiva, amplificada e não natural, mas consentem que se compare a resistência à corrosão entre diversos materiais e revestimentos metálicos sob determinadas condições experimentais. A degradação do conector acontece em:

204

DIAS/HORAS

ANOS

NÉVOA SALINA

CONDIÇÃO REAL


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

PARAFUSO TESTADO: KKTM Ø5 aço carbónico com revestimento orgânico TEMPO DE EXPOSIÇÃO: 1440 horas COMENTÁRIOS APÓS O ENSAIO: Não há aparecimento de ferrugem vermelha depois de 1440 horas. Tal revestimento garante prestações de alta durabilidade, apropriadas para um ambiente de classe C5, de acordo com a norma UNI EN ISO 12944.

PARAFUSOS TESTADOS:

Fim do ensaio

1

1. HBS+ evo Ø5 aço carbónico com revestimento revodip

PARAFUSO ROTHOBLAAS

2

OUTRO PARAFUSO

TEMPO DE EXPOSIÇÃO: 1440 horas 2. Conector com zincagem Fe/Zn 25 μ TEMPO DE EXPOSIÇÃO: 520 horas COMENTÁRIOS APÓS O ENSAIO: Comparando-se o comportamento dos dois conectores, deduzse que os parafusos HBS+ evo garantem uma resistência à corrosão maior que a do conector com revestimento Fe/Zn 25*

Fim do ensaio

Fim do ensaio

* Revestimento mínimo previsto para conectores em classe de serviço 3 (EN 1995-1-1:2008)

205


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

PROJECTOS DE PESQUISA Para se avaliar o real comportamento dos conectores, estão em andamento projectos de pesquisa baseados em campanhas experimentais que investigam os conectores em várias configurações.

206


CARPINTARIA

EXTERIOR

ESTRUTURAS

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

Projecto de pesquisa junto do Centro de Innovación

em amostras de grandeza natural, posicionadas

e Servizos Tecnolóxicos da Madeira de Galicia

quer horizontal quer verticalmente e expostas aos

(CIS-Madeira) (www.cismadeira.es)

agentes atmosféricos.

iniciado em

Março de 2012 e ainda em andamento.

Os elementos de terraço e fachada são realizados

Estuda-se o comportamento mecânico e observa-se

com diferentes espécies lenhosas (entre as quais,

a mudança de diferentes conectores (principalmente

madeiras acetiladas e madeiras submetidas a

KKF, KKT color, KKT A4) aplicados sobre revestimentos

tratamento térmico).

de madeira. A campanha experimental é efectuada

FACHADA - fixação com parafusos KKT

TERRAÇO - fixação com parafusos KKF

207


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

KKT

ETA 11/0030

Parafuso para ambiente exterior, de cabeça cónica Versão em aço carbónico com revestimento orgânico e em aço inoxidável A4

CONTRA-ROSCA SUBCABEÇA Rosca subcabeça invertida (sinistrorsa) para excelentes capacidades de alcance do parafuso

ROSCA TRIANGULAR Rosca anterior triangular para elevadas capacidades de corte e penetração na madeira

CABEÇA CÓNICA Cabeça cónica de pequenas dimensões para um óptimo efeito oculta na madeira

CORES E MATERIAIS Versões em aço carbónico com revestimento especial e em aço inoxidável A4

CAMPOS DE EMPREGO Utilização em ambiente exterior; apropriada para classes de serviço 1-2-3

208

KKT - KKTX

ACESSÓRIOS


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

CABEÇA INVISÍVEL Fixação esteticamente agradável e duradoura, graças à cabeça cónica de pequenas dimensões que tende a se esconder cada vez mais na madeira com o passar do tempo

FORÇA DE PARAFUSAÇÃO A rosca invertida subcabeça cria uma excelente capacidade de alcance do parafuso, permitindo um fecho perfeito da ligação e uma fixação estável; a ponta de duplo entalhe incrementa esse efeito

AMBIENTES AGRESSIVOS Os parafusos de aço inoxidável A4 garantem excelentes desempenhos de resistência à corrosão mesmo em ambientes muito agressivos; a versão A4 com cabeça colorida é ideal para uma fixação invisível

KKT - KKTX

209


CARPINTARIA

EXTERIOR

ESTRUTURAS

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

Aplicações Fixação de fachada com versão em aço inoxidável

Fixação do terraço com versão em aço carbónico Fixação de fachada com ripagem horizontal em versão de aço inoxidável

Gama A versão em aço carbónico com revestimento orgânico, está disponível em cinco cores diferentes e é dotada de uma ponta autoperfurante com duplo entalhe que incrementa a capacidade de corte das fibras durante a parafusação; a versão em aço inoxidável A4 é dotada de uma ponta autoperfurante com um único entalhe e está disponível também com cabeça colorida castanha ou cinzenta. A versão com rosca total é aconselhada para fixações em acoplamento com conectores para terraços e fachadas. Para todas as versões, em cada embalagem está incluído um inserto. 120 100 80 60 40 20

ø5

TX20

ø6

TX25

ø5

TX20

ø5

TX20

Aço carbónico zincado e com revestimento orgânico colorido

210

KKT - KKTX

ø5

TX20

ø5

TX20

ø5

TX20

ø5

TX20

ø6

TX25

Aço inoxidável A4

ø5

TX20

ø5

TX20


CARPINTARIA

EXTERIOR

ESTRUTURAS

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

Códigos e dimensões KKT AÇO CARBÓNICO ZINCADO E COLORIDO d1 [mm]

5

L

TX20

b d1 6

TX25

5

A

TX20

5

TX20

5

TX20

5

TX20

código KKTM540 KKTM545 KKTM550 KKTM555 KKTM560 KKTM565 KKTM570 KKTM580 KKTM660 KKTM680 KKTM6100 KKTM6120 KKTG540 KKTG545 KKTG550 KKTG555 KKTG560 KKTG565 KKTG570 KKTG580 KKTV540 KKTV550 KKTV560 KKTV570 KKTV580 KKTS540 KKTS550 KKTS560 KKTS570 KKTS580 KKTN540* KKTN550 KKTN560

L [mm]

cor

40 45 50 55 60 65 70 80 60 80 100 120 40 45 50 55 60 65 70 80 40 50 60 70 80 40 50 60 70 80 40 50 60

material

b [mm]

T T T T T T T T T T T T T T T T T T T T T T T T T T T T T T T T T

24 27 30 33 35 37 40 45 42 50 50 60 24 27 30 33 35 37 40 45 24 30 35 40 45 24 30 35 40 45 36 30 35

material

b [mm]

S S S S S S S S S S S S S S S S

16 21 26 36 24 27 30 33 35 37 40 45 42 50 50 60

material

b [mm]

A [mm]

S S S S S S S S

24 30 35 40 30 35 40 45

16 20 25 30 20 25 30 35

A [mm]

pça/embal.

16 18 20 200 22 25 28 30 100 35 18 30 100 50 60 16 18 20 200 22 25 28 30 100 35 16 20 200 25 30 100 35 16 20 200 25 30 100 35 4 200 20 25 * Parafuso com rosca total (tipo KKTX)

KKT AÇO INOXIDÁVEL A4 d1 [mm]

5

TX20

5

TX20

6

TX25

código KKTX520A4* KKTX525A4* KKTX530A4* KKTX540A4* KKT540A4 KKT545A4 KKT550A4 KKT555A4 KKT560A4 KKT565A4 KKT570A4 KKT580A4 KKT660A4 KKT680A4 KKT6100A4 KKT6120A4

L [mm]

cor

20 25 30 40 40 45 50 55 60 65 70 80 60 80 100 120

A [mm]

pça/embal.

4 100 4 250 4 100 4 100 16 18 20 200 22 25 28 30 100 35 18 30 100 50 60 * Parafuso com rosca total (tipo KKTX)

KKT AÇO INOXIDÁVEL A4 COM CABEÇA COLORIDA d1 [mm]

5

T = Aço carbónico zincado e com revestimento orgânico colorido S = Aço inoxidável A4 As medidas 5x45, 5x55 e 5x65 estão disponíveis até ao esgotamento das provisões

TX20

5

TX20

código KKT540A4M KKT550A4M KKT560A4M KKT570A4M KKT550A4G KKT560A4G KKT570A4G KKT580A4G

L [mm] 40 50 60 70 50 60 70 80

cor

pça/embal. 200 100 200 100

KKT - KKTX

211


CARPINTARIA

EXTERIOR

ESTRUTURAS

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

Aplicações Fixação do conector FLAT com parafusos KKTN

Fixação dos conectores TVM com parafusos KKTX Fixação dos conectores TERRALOCK e VERTILOCK com parafusos KKTX, KKT A4 e KKTN

Conectores não aparentes para terraços e fachadas conector

FLAT TVM1 TVM2

TERRALOCK

VERTILOCK

212

KKT - KKTX

código FLT6427N FE010405 FE010400 TER60A2 TER180A2 TER60ALU TER180ALU TER60ALUN TER180ALUN VRT60A2 VRT60ALU VRT60ALUN

L x B x H [mm] descrição 64 x 27 x 4 32 x 22 x 3 34 x 23 x 2,5 60 x 20 x 8 180 x 20 x 8 60 x 20 x 8 180 x 20 x 8 60 x 20 x 8 180 x 20 x 8 60 x 20 x 8 60 x 20 x 8 60 x 20 x 8

pça/embal.

conector metálico de alumínio preto para tábuas de madeira caneladas

100

conector em aço inoxidável A2 para tábuas de madeira com canelura assimétrica

250

conector metálico em aço inox. A2 para terraços de madeira (versão curta) conector metálico em aço inox. A2 para terraços de madeira (versão longa) conector metálico de alumínio para terraços de madeira (versão curta) conector metálico de alumínio para terraços de madeira (versão longa) conector metálico de alumínio preto para terraços de madeira (versão curta) conector metálico de alumínio preto para terraços de madeira (versão longa) conector metálico em aço inoxidável A2 para fachadas de madeira conector metálico de alumínio para fachadas de madeira conector metálico de alumínio preto para fachadas de madeira

100 50 100 50 100 50 100 50 100


CARPINTARIA

EXTERIOR

ESTRUTURAS

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

A estática do carpinteiro

VALORES ADMISSÍVEIS

DIN 1052:1988

CORTE Vadm MADEIRA-MADEIRA

AÇO-MADEIRA

d1 [mm]

L [mm]

Vadm

d1 [mm]

L [mm]

Vadm

KKT 5

≥ 50

43 kg

KKTX 5

≥ 40

53 kg

KKT 6

≥ 80

61 kg

EXTRACÇÃO DA ROSCA Nadm Comprimento L [mm] d1 [mm]

25

30

40

50

60

70

80

100

120

KKT 5

-

-

60 kg

75 kg

88 kg

100 kg

113 kg

-

-

KKT 6

-

-

-

-

126 kg

-

150 kg

150 kg

180 kg

KKTX 5

53 kg

65 kg

90 kg

-

-

-

-

-

-

PENETRAÇÃO DA CABEÇA incl. EXTRACÇÃO DA ROSCA SUPERIOR Nadm d1 [mm]

Nadm

KKT 5

36 kg

KKT 6

47 kg

NOTAS • Os valores admissíveis são conforme a norma DIN 1052:1988. • Os parafusos KKT com dupla rosca são utilizados principalmente para ligações madeira-madeira. • Os parafusos KKTX de rosca total são utilizados principalmente com chapas de aço (por ex.: Sistema para Terraços Terralock).

• Os valores admissíveis para a extracção são calculados considerando-se a parte roscada inserida completamente no elemento de madeira. • Os valores admissíveis para a penetração são calculados considerando-se também a contribuição da rosca subcabeça, de acordo com „Prüfbericht Nr.116108“ do Karlsruher Institut für Technologie (KIT).

KKT - KKTX

213


CARPINTARIA

EXTERIOR

ESTRUTURAS

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

Geometria e distâncias mínimas GEOMETRIA E CARACTERÍSTICAS MECÂNICAS d dkk

LL

PARAFUSO KKT / KKTX Material Diâmetro do parafuso Diâmetro nominal Diâmetro da cabeça Diâmetro do núcleo Diâmetro da haste Diâmetro do pré-furo * Entalhe na ponta

d dss b b d d22 d1 d1

KKT

Ø [mm] d1 [mm] dK [mm] d2 [mm] dS [mm] dV [mm]

Momento característico de tensão My,k [Nmm] Parâmetro característico de resistência à extracção fax,k [N/mm2] Parâmetro característico de penetração da cabeça fhead,k [N/mm2] Resistência característica à tracção ftens,k [kN]

dkk dss Lb

Aço carbónico 5 6 5,25 6,00 6,75 7,75 3,40 3,90 4,05 4,50 3,0 - 4,0 4,0 - 5,0 duplo

Aço inoxidável 5 6 5,25 6,00 6,75 7,75 3,40 3,90 4,05 4,50 3,0 - 4,0 4,0 - 5,0 unitário

5417,2 11,7 16,5 7,9

5417,2 11,7 16,5 7,9

9493,7 11,7 16,5 11,3

9493,7 11,7 16,5 11,3

* Em materiais de densidade elevada, aconselha-se a fazer um pré-furo em função da espécie lenhosa.

d22 d 11

KKTX

DISTÂNCIAS MÍNIMAS PARA PARAFUSOS SOB TENSÃO AO CORTE

Ângulo entre força e fibras α = 0°

Ângulo entre força e fibras α = 90°

PARAFUSOS INSERIDOS COM PRÉ-FURO a1 a2 a3,t a3,c a4,t a4,c

5 25 15 60 35 15 15

[mm] [mm] [mm] [mm] [mm] [mm]

direcção da fibragem

6 30 18 72 42 18 18 extremidade sob tensão -90° < α < 90°

meio de união

a2 a2 a1

5 20 20 35 35 35 15 extremidade sem carga 90° < α < 270°

a2 a2

a1

a1

a1

(1)

6 24 24 42 42 42 18

borda sob tensão 0° < α < 180°

borda sem carga 180° < α < 360°

a4,t a3,t

a3,c

PARAFUSOS INSERIDOS SEM PRÉ-FURO (2) a1 a2 a3,t a3,c a4,t a4,c

[mm] [mm] [mm] [mm] [mm] [mm]

5 40 20 60 25 25 20

6 48 24 72 30 30 24

NOTAS (1)

(2)

214

As distâncias mínimas são conforme a norma EN 1995:2008, de acordo com ETA-11/0030. As distâncias mínimas são de acordo com ETA-11/0030 considerando-se elementos de madeira com uma largura mínima de 12 ·d e uma espessura mínima de 4 · d. Caso estas condições não sejam respeitadas, para as distâncias mínimas veja-se o parafuso KKf (pág. 22)

KKT - KKTX

• Em caso de elementos em Douglasia (Pseudotsuga menziesii), as distâncias mínimas paralelas à fibra (a1, a3,t, a3,c) devem ser multiplicadas por um coeficiente 1,5.

a4,c


CARPINTARIA

EXTERIOR

ESTRUTURAS

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

A estática do projectista

VALORES CARACTERÍSTICOS

EN 1995:2008

KKT

CORTE geometria

TRACÇÃO

madeira-madeira sem pré-furo

madeira-madeira com pré-furo

extracção da rosca (1)

penetração da cabeça incl. extracção da rosca superior (2)

RV,k [kN] 1,13 1,17 1,22 1,28 1,36 1,45 1,45 1,45 1,53 1,87 2,03 2,03

RV,k [kN] 1,46 1,54 1,63 1,72 1,75 1,75 1,75 1,75 2,01 2,50 2,50 2,50

Rax,k [kN] 1,62 1,83 2,03 2,23 2,37 2,50 2,71 3,05 3,41 4,06 4,06 4,87

Rhead,k [kN] 0,87 0,87 0,87 0,87 0,87 0,87 0,87 0,87 1,15 1,15 1,15 1,15

A

L

b

d1

d1 [mm]

5

6

L [mm] 40 45 50 55 60 65 70 80 60 80 100 120

b [mm] 24 27 30 33 35 37 40 45 42 50 50 60

A [mm] 16 18 20 22 25 28 30 35 18 30 50 60

KKTX geometria

CORTE

TRACÇÃO

aço-madeira chapa intermédia (3)

extracção da rosca (1)

RV,k [kN]

Rax,k [kN] 1,08 1,42 1,76 2,44

Lb

d1 [mm]

5

L [mm] 20 (4) 25 (4) 30 (4) 40

b [mm] 16 21 26 36

SPLATE = 3,0 mm

d1

0,87 1,08 1,30 1,73

PRINCÍPIOS GERAIS

NOTAS

• Os valores caraterísticos são conforme a norma EN 1995:2008, de acordo com ETA-11/0030. • Os valores de projecto são obtidos a partir dos valores característicos, desta forma:

(1)

• • • • • •

Os coeficientes γm e kmod devem ser assumidos em função da norma vigente utilizada para o cálculo. Para os valores de resistência mecânica e para a geometria dos parafusos, fez-se referência ao que consta de ETA-11/0030. Em fase de cálculo, considerou-se uma massa volúmica dos elementos de madeira equivalente a ρk = 420 kg/m3. Os valores foram calculados considerando-se a parte roscada inserida completamente no elemento de madeira. O dimensionamento e a verificação dos elementos de madeira e das chapas de aço, devem ser feitos à parte. Os parafusos KKT com dupla rosca são utilizados principalmente para ligações madeira-madeira. Os parafusos KKTX de rosca total são utilizados principalmente com chapas de aço (ex.: Sistema para Terraços Terralock).

(2)

(3)

(4)

A resistência axial à extracção da rosca foi avaliada considerando-se um ângulo de 90° entre as fibras e o conector e para um comprimento de cravação igual a b. A resistência axial de penetração da cabeça foi avaliada sobre elemento de madeira considerando-se também a contribuição da rosca subcabeça, de acordo com „Prüfbericht Nr.116108“ do Karlsruher Institut für Technologie (KIT) e ETA-11/0030. As resistências características ao corte são avaliadas considerando-se o caso de chapa intermédia (0,5 d1 ≤ SPLATE ≤ d1). O parafuso não é dotado de marcação CE.

KKT - KKTX

215


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

HBS + evo

Parafuso para ambiente exterior, com cabeça tronco-cónica Aço carbónico com revestimento revodip

ROSCA ESPECIAL Rosca assimétrica em forma de „guarda-chuva“ com comprimento aumentado (60%)

AÇO ESPECIAL Aço de elevada ductilidade (acompanha os movimentos da madeira) e de alta resistência (fy,k = 1000 N/mm2)

CABEÇA TRONCO-CÓNICA Garante um óptimo acabamento superficial e a possibilidade de utilização sobre chapas de aço com furos circulares

REVESTIMENTO REVODIP Tratamento superficial de alta resistência à corrosão comparável à classe C5

CAMPOS DE EMPREGO Utilização em ambiente exterior; apropriado para classes de serviço 1-2-3“

216

HBS+ evo

ACESSÓRIOS


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

ESTÉTICA A cabeça tronco-cónica com subcabeça chata, comprime as fibras até ao fim da inserção e garante um perfeito acabamento estético

SEGURANÇA ESTÁTICA O aço especial de alta resistência garante a possibilidade de ligações seguras, de elevadas prestações estáticas, sob todas as condições de serviço (classe de serviço 1-2-3)

AÇO - MADEIRA Ideal para utilização sobre chapas de aço com furo circular e, portanto, sobre sistemas de fixação situados em ambiente exterior, em classe de serviço 3 (suportes de pilares)

HBS+ evo

217


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

Aplicações Fixação do suporte de pilar em forma de copo, de aço inoxidável Fixação do suporte de pilar regulável de aço, com revestimento dacromet Fixação do elemento diagonal de uma pérgula em ambiente exterior

Códigos e dimensões d1 [mm]

L b d1

A

218

HBS+ evo

código HBSP4540C HBSP4545C HBSP4550C HBSP4560C HBSP4570C HBSP550C HBSP560C HBSP570C HBSP580C HBSP590C HBSP5100C HBSP680C HBSP690C HBSP6100C HBSP6120C HBSP6140C HBSP6160C HBSP6180C HBSP6200C HBSP840C HBSP860C HBSP880C

L [mm]

b [mm]

40 24 45 30 4,5 50 30 TX20 60 35 70 40 50 30 60 35 70 40 5 80 50 TX25 90 55 100 60 80 50 90 55 100 60 120 75 6 140 80 T30 160 90 180 100 200 100 40 32 8 60 52 TX40 80 52 Disponível na versão preta zincada galvânica, com medidas 8x40mm (NOHBSP840) e 8x60mm (NOHBSP860)

A [mm]

pça/embal.

16 15 20 25 30 20 25 30 30 35 40 30 35 40 45 60 70 80 100 10 20 30

500 250 200 200

100

100

100


CARPINTARIA

EXTERIOR

ESTRUTURAS

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

A estática do carpinteiro

VALORES ADMISSÍVEIS

DIN 1052:1988

CORTE Vadm MADEIRA-MADEIRA

AÇO-MADEIRA

d1 [mm]

L [mm]

Vadm

d1 [mm]

L [mm]

Vadm

4,5

≥ 50

34 kg

4,5

≥ 40

43 kg

5

≥ 60

43 kg

5

≥ 50

53 kg

6

≥ 80

61 kg

6

≥ 80

77 kg

8

≥ 80

90 kg

8

≥ 40

136 kg

EXTRACÇÃO DA ROSCA Nadm Comprimento L [mm] d1 [mm]

40

45

50

60

70

80

4,5

54 kg

68 kg

68 kg

79 kg

90 kg

-

5

-

-

75 kg

88 kg

100 kg

125 kg

6

-

-

-

-

-

150 kg

8

128 kg

-

-

208 kg

-

208 kg

90

100

120

140

160

180-200

-

-

-

-

-

-

138 kg

150 kg

-

-

-

-

165 kg

180 kg

225 kg

240 kg

270 kg

300 kg

-

-

-

-

-

-

PENETRAÇÃO DA CABEÇA Nadm d1 [mm]

Nadm

4,5

38 kg

5

47 kg

6

72 kg

8

105 kg

FÓRMULAS DE CÁLCULO - CORTE MADEIRA-MADEIRA Vadm = min { 0,4 · A · d1; 1,7 · d1 2 }

EXEMPLO DE AÇO-MADEIRA HBS+ evo 8 x 60 mm

d1 [mm] A [mm] Vadm [kg]

d1 = 8 mm

DIN 1052-2:1988

AÇO-MADEIRA Vadm = 1,25 ·1,7 d1 2

Vadm = 1,25 · 1,7 · d12 Vadm = 1,25 · 1,7 · 82 = 136 kg

NOTAS • Os valores admissíveis são conforme a norma DIN 1052:1988. • Os valores admissíveis para extracção são calculados considerando-se a parte roscada inserida completamente no elemento de madeira.

HBS+ evo

219


CARPINTARIA

EXTERIOR

ESTRUTURAS

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

Geometria e distâncias mínimas GEOMETRIA E CARACTERÍSTICAS MECÂNICAS

t1 duk ds

PARAFUSO HBS+ evo Diâmetro nominal Diâmetro da cabeça Diâmetro do núcleo Diâmetro da haste Espessura da cabeça Diâmetro subcabeça Diâmetro do pré-furo

d2

Momento característico de tensão My,k [Nmm] Parâmetro característico de resistência à extracção fax,k [N/mm2] Parâmetro característico de penetração da cabeça fhead,k [N/mm2] Resistência característica à tracção ftens,k [kN]

dk

L b d1

d1 [mm] dK [mm] d2 [mm] dS [mm] t1 [mm] dUK [mm] dV [mm]

4,5 8,70 2,80 3,15 5,05 5,70 3,0

5 9,65 3,40 3,65 5,60 6,00 3,0

6 12,00 3,95 4,30 6,50 8,00 4,0

8 14,50 5,40 5,80 6,80 10,00 5,0

4119,1 11,7 10,5 6,4

5417,2 11,7 10,5 7,9

9493,7 11,7 10,5 11,3

20057,5 11,7 10,5 20,1

DISTÂNCIAS MÍNIMAS PARA PARAFUSOS SOB TENSÃO AO CORTE α = 0°

α = 90°

PARAFUSOS INSERIDOS COM PRÉ-FURO (1) a1 a2 a3,t a3,c a4,t a4,c

4,5 23 14 54 32 14 14

[mm] [mm] [mm] [mm] [mm] [mm]

5 25 15 60 35 15 15

6 30 18 72 42 18 18

8 40 24 96 56 24 24

4,5 18 18 32 32 23 14

5 20 20 35 35 35 15

6 24 24 42 42 42 18

8 32 32 56 56 56 24

Ângulo entre força e fibras α = 0°

DENSIDADE CARACTERÍSTICA: ρk ≤ 420 kg/m3 α = 0°

a1 a2 a3,t a3,c a4,t a4,c

4,5 45 23 68 45 23 23

[mm] [mm] [mm] [mm] [mm] [mm]

direcção da fibragem

5 60 25 75 50 25 25

6 72 30 90 60 30 30

8 96 40 120 80 40 40

4,5 23 23 45 45 32 23

a1

α = 0°

5 25 25 50 50 50 25

6 30 30 60 60 60 30

8 40 40 80 80 80 40 extremidade sob tensão -90° < α < 90°

a1 a2 a3,t a3,c a4,t a4,c

[mm] [mm] [mm] [mm] [mm] [mm]

a1

4,5 68 32 90 68 32 32

extremidade sem carga 90° < α < 270°

a2 a2 a1

α = 90°

PARAFUSOS INSERIDOS SEM PRÉ-FURO (3)

(2)

meio de união

a2 a2 a1

DENSIDADE CARACTERÍSTICA: 420 ≤ ρk ≤ 500 kg/m3

α = 90°

PARAFUSOS INSERIDOS SEM PRÉ-FURO

Ângulo entre força e fibras α = 90°

5 75 35 100 75 35 35

6 90 42 120 90 42 42

8 120 56 160 120 56 56

4,5 32 32 68 68 41 32

borda sob tensão 0° < α < 180°

5 35 35 75 75 60 35

6 42 42 90 90 72 42

borda sob tensão 180° < α < 360°

a4,t a3,t

a3,c

NOTAS (1)

(2)

(3)

220

As distâncias mínimas são conforme a norma EN 1995:2008, de acordo com ETA-11/0030. As distâncias mínimas são conforme a norma EN 1995:2008, de acordo com ETA-11/0030, considerando-se uma massa volúmica dos elementos de madeira ρk ≤ 420 kg/m3. As distâncias mínimas são conforme a norma EN 1995:2008, de acordo com ETA-11/0030, considerando-se uma massa volúmica dos elementos de madeira 420 ≤ ρk ≤ 500 kg/m3.

HBS+ evo

8 56 56 120 120 96 56

• Em caso de ligação OSB-madeira, os espaçamentos mínimos (a1, a2) podem ser multiplicados por um coeficiente 0,85. • Em caso de ligação aço-madeira os espaçamentos mínimos (a1, a2) podem ser multiplicados por um coeficiente 0,7. • Em caso de elementos de Douglasia (Pseudotsuga menziesii), as distâncias mínimas paralelas à fibra (a1, a3,t, a3,c) devem ser multiplicadas por um coeficiente 1,5.

a4,c


CARPINTARIA

EXTERIOR

ESTRUTURAS

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

A estática do projectista

VALORES CARACTERÍSTICOS

EN 1995:2008 CORTE

geometria

CORTE

madeira-madeira

painel-madeira (1)

aço-madeira chapa fina (2)

aço-madeira chapa grossa (3)

extracção da rosca (4)

penetração da cabeça (5)

RV,k [kN] 1,03 1,00 1,12 1,26 1,27 1,29 1,43 1,52 1,52 1,52 1,52 2,02 2,18 2,18 2,18 2,18 2,18 2,18 2,18 1,48 2,54 2,83

RV,k [kN]

RV,k [kN]

RV,k [kN]

Rax,k [kN] 1,46 1,83 1,83 2,13 2,44 2,03 2,37 2,71 3,38 3,72 4,06 4,06 4,47 4,87 6,09 6,50 7,31 8,12 8,12 3,47 5,63 5,63

Rhead,k [kN] 0,92 0,92 0,92 0,92 0,92 1,13 1,13 1,13 1,13 1,13 1,13 1,75 1,75 1,75 1,75 1,75 1,75 1,75 1,75 2,55 2,55 2,55

A

L b

NOTAS

• Os valores característicos são conforme a norma EN 1995:2008, de acordo com ETA-11/0030. • Os valores de projecto são obtidos a partir dos valores característicos, desta forma:

(1)

(2)

(3)

• • • • •

Os coeficientes γm e kmod devem ser assumidos em função da norma vigente utilizada para o cálculo. Para os valores de resistência mecânica e para a geometria dos parafusos, fez-se referência ao que consta de ETA-11/0030. Em fase de cálculo, considerou-se uma massa volúmica dos elementos de madeira equivalente a ρk = 420 kg/m3. Os valores foram calculados considerando-se a parte roscada inserida completamente no elemento de madeira. O dimensionamento e a verificação dos elementos de madeira, dos painéis e das chapas de aço devem ser feitos à parte. As resistências características ao corte são avaliadas para parafusos inseridos sem pré-furo; no caso de parafusos inseridos com pré-furo, é possível obter maiores valores de resistência. Para configurações de cálculo diferentes, está disponível gratuitamente o software myProject (www.rothoblaas.com)

(4)

(5)

SPLATE ≥ 4,5 mm SPLATE ≥ 5,0 mm SPLATE ≥ 6,0 mm

SPLATE ≤ 2,3 mm SPLATE ≤ 2,5 mm SPLATE ≤ 3,0 mm

SPAN = 15 mm

PRINCÍPIOS GERAIS

1,40 1,49 1,49 1,57 1,65 1,74 1,83 1,91 2,08 2,16 2,25 2,76 2,86 2,96 3,26 3,37 3,48 3,48 3,48 2,13 3,31 4,21

SPLATE = 8,0 mm

8

1,07 1,07 1,07 1,07 1,07 1,21 1,21 1,21 1,21 1,21 1,21 1,57 1,57 1,57 1,57 1,57 1,57 1,57 1,57 1,77 2,32 2,32

SPLATE ≤ 4,0 mm

6

A [mm] 16 15 20 25 30 20 25 30 30 35 40 30 35 40 45 60 70 80 100 10 20 30

SPAN = 15 mm

5

b [mm] 24 30 30 35 40 30 35 40 50 55 60 50 55 60 75 80 90 100 100 32 52 52

SPAN = 15 mm

4,5

L [mm] 40 45 50 60 70 50 60 70 80 90 100 80 90 100 120 140 160 180 200 40 60 80

SPAN = 15 mm

d1

d1 [mm]

1,83 1,92 1,92 2,00 2,08 2,25 2,34 2,42 2,59 2,68 2,76 3,48 3,58 3,68 3,99 4,09 4,29 4,49 4,49 3,66 5,12 5,37

As resistências características ao corte são avaliadas considerando-se um painel OSB ou um painel de aglomerado com espessura SPAN. As resistências características ao corte são avaliadas considerando-se o caso de chapa fina (SPLATE ≤ 0,5 d1) . As resistências características ao corte são avaliadas considerando-se o caso de chapa spessa (SPLATE ≥ d1) . A resistência axial à extracção da rosca foi avaliada considerando-se um ângulo de 90° entre as fibras e o conector e para um comprimento de cravação igual a b. A resistência axial de penetração da cabeça foi avaliada sobre um elemento de madeira. Em caso de ligações aço-madeira, é geralmente vinculante a resistência à tracção do aço em relação à retirada ou à penetração da cabeça.

HBS+ evo

221


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

KKF

ETA 11/0030

Parafuso para ambiente exterior, com cabeça tronco-cónica Aço inoxidável AISI410

ROSCA ESPECIAL Rosca assimétrica em forma de “guarda-chuva“ com comprimento aumentado (60%)

ROSCA DE PASSO LENTO Rosca de passo lento para a máxima precisão após a parafusação

CABEÇA TRONCO-CÓNICA „Garante um óptimo acabamento superficial e a possibilidade de utilização sobre chapas de aço com furos circulares

AÇO INOXIDÁVEL AISI410 Aço inoxidável martensítico com óptima relação entre resistência mecânica e resistência à corrosão

CAMPOS DE EMPREGO Utilização em ambiente exterior; apropriado para classes de serviço 1-2-3

222

KKF

ACESSÓRIOS


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

ESTÉTICA E PRECISÃO A cabeça tronco-cónica com subcabeça chata comprime as fibras após a parafusação e garante um perfeito acabamento estético; a rosca de passo lento garante a máxima precisão durante a parafusação

RESISTÊNCIA DE TORSÃO O aço inoxidável martensítico AISI410 é caracterizado por uma boa resistência de torsão (aço magnético como o aço ao carbono) evitando-se, assim, o pré-furo em muitas situações

AMPLA GAMA Comprimentos disponíveis de 20 mm a 200 mm, para uma vasta possibilidade de aplicações diferentes

KKF

223


CARPINTARIA

EXTERIOR

ESTRUTURAS

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

Aplicações Fixação de cercas em ambiente exterior

Fixação do conector TERRALOCK PP (versão longa) com parafusos KKF

Fixação do conector TERRALOCK PP (versão curta) com parafusos KKF

Conectores não aparentes para terraços e fachadas

224

KKF

conector

código

TERRALOCK PP

TER60PPM TER180PPM

L x B x H [mm] 60 x 20 x 8 180 x 20 x 8

descrição conector de plástico RAL8017 para terraços de madeira (versão curta) conector de plástico RAL8017 para terraços de madeira (versão longa)

pça/embal. 100 50


CARPINTARIA

EXTERIOR

ESTRUTURAS

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

Códigos e dimensões d1 [mm]

L

4

TX20

b d1

4,5

TX20 A

5

TX25

6

TX30

código KKF430 KKF435 KKF440 KKF445 KKF450 KKF4520 KKF4525 KKF4530 KKF4540 KKF4545 KKF4550 KKF4560 KKF4570 KKF540 KKF545 KKF550 KKF560 KKF570 KKF580 KKF590 KKF5100 KKF670 KKF680 KKF690 KKF6100 KKF6120 KKF6140 KKF6160 KKF6180 KKF6200

L [mm]

b [mm]

A [mm]

30 35 40 45 50 20 25 30 40 45 50 60 70 40 45 50 60 70 80 90 100 70 80 90 100 120 140 160 180 200

18 20 24 30 30 15 20 25 24 30 30 35 40 24 30 30 35 40 50 55 60 40 50 55 60 75 80 90 100 100

12 15 16 15 20 5 5 5 16 15 20 25 30 16 15 20 25 30 30 35 40 30 30 35 40 45 60 70 80 100

pça/embal. 500 200 100

250 200

200

100

100

KKF

225


CARPINTARIA

EXTERIOR

ESTRUTURAS

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

A estática do carpinteiro

VALORES ADMISSÍVEIS

DIN 1052:1988

CORTE Vadm MADEIRA-MADEIRA d1 [mm]

L [mm]

Vadm

4

≥ 40

26 kg

4,5

≥ 50

34 kg

5

≥ 60

43 kg

6

≥ 70

61 kg

EXTRACÇÃO DA ROSCA Nadm Comprimento L [mm] d1 [mm]

30

35

40

45-50

60

70

80

90

100

120

140

160

180-200

4

36 kg

40 kg

48 kg

60 kg

-

-

-

-

-

-

-

-

-

4,5

56 kg

-

54 kg

68 kg

79 kg

90 kg

-

-

-

-

-

-

-

5

-

-

60 kg

75 kg

88 kg

100 kg 125 kg 138 kg 150 kg

-

-

-

-

6

-

-

-

-

-

120 kg 150 kg

PENETRAÇÃO DA CABEÇA Nadm d1 [mm]

Nadm

4

30 kg

4,5

39 kg

5

48 kg

6

70 kg

FÓRMULAS DE CÁLCULO - CORTE DIN 1052-2:1988 MADEIRA-MADEIRA Vadm = min { 0,4 · A · d1; 1,7 · d1 2 }

d1 [mm] A [mm] Vadm [kg]

EXEMPLO DE MADEIRA-MADEIRA KKF 5 x 80 mm d1 = 5 mm A = 30 mm

Vadm = min { 0,4 · A · d1; 1,7 · d1 2 } Vadm = min { 0,4 · 30 · 5 ; 1,7 · 52 } = min { 60 ; 43 } = 43 kg

NOTAS • Os valores admissíveis são conforme a norma DIN 1052:1988. • Os valores admissíveis para a extracção são calculados considerando-se a parte roscada inserida completamente no elemento de madeira.

226

KKF

-

180 kg 225 kg 240 kg 270 kg 300 kg


CARPINTARIA

EXTERIOR

ESTRUTURAS

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

Geometria e distâncias mínimas GEOMETRIA E CARACTERÍSTICAS MECÂNICAS PARAFUSO KKF Diâmetro nominal Diâmetro da cabeça Diâmetro do núcleo Diâmetro da haste Espessura da cabeça Diâmetro do pré-furo

dk t1 ds L b d2

d1 [mm] dK [mm] d2 [mm] dS [mm] t1 [mm] dV [mm]

Momento característico de tensão My,k [Nmm] Parâmetro característico de resistência à extracção fax,k [N/mm2] Parâmetro característico de penetração da cabeça fhead,k [N/mm2] Resistência característica à tracção ftens,k [kN]

d1

4 7,80 2,60 2,90 5,00 2,5

4,5 8,8 3,05 3,35 5,00 3,0

5 9,8 3,25 3,60 6,00 3,0

6 11,8 4,05 4,30 7,00 4,0

3032,6 11,7 16,5 5,0

4119,1 11,7 16,5 6,4

5417,2 11,7 16,5 7,9

9493,7 11,7 16,5 11,3

DISTÂNCIAS MÍNIMAS PARA PARAFUSOS SOB TENSÃO AO CORTE α = 0°

α = 90°

PARAFUSOS INSERIDOS COM PRÉ-FURO (1) a1 a2 a3,t a3,c a4,t a4,c

4 20 12 48 28 12 12

[mm] [mm] [mm] [mm] [mm] [mm]

4,5 23 14 54 32 14 14

5 25 15 60 35 15 15

6 30 18 72 42 18 18

4 16 16 28 28 20 12

4,5 18 18 32 32 23 14

5 20 20 35 35 35 15

6 24 24 42 42 42 18

Ângulo entre força e fibras α = 0°

DENSIDADE CARACTERÍSTICA: ρk ≤ 420 kg/m3 α = 0°

a1 a2 a3,t a3,c a4,t a4,c

4 40 20 60 40 20 20

[mm] [mm] [mm] [mm] [mm] [mm]

direcção da fibragem

4,5 45 23 68 45 23 23

5 60 25 75 50 25 25

6 72 30 90 60 30 30

4 20 20 40 40 28 20

a1

α = 0°

4,5 23 23 45 45 32 23

5 25 25 50 50 50 25

6 30 30 60 60 60 30 extremidade sob tensão -90° < α < 90°

a1 a2 a3,t a3,c a4,t a4,c

[mm] [mm] [mm] [mm] [mm] [mm]

a1

4 60 28 80 60 28 28

extremidade sem carga 90° < α < 270°

a2 a2 a1

α = 90°

PARAFUSOS INSERIDOS SEM PRÉ-FURO (3)

(2)

meio de união

a2 a2 a1

DENSIDADE CARACTERÍSTICA: 420 ≤ ρk ≤ 500 kg/m3

α = 90°

PARAFUSOS INSERIDOS SEM PRÉ-FURO

Ângulo entre força e fibras α = 90°

4,5 68 32 90 68 32 32

5 75 35 100 75 35 35

6 90 42 120 90 42 42

4 28 28 60 60 36 28

borda sob tensão 0° < α < 180°

4,5 32 32 68 68 41 32

5 35 35 75 75 60 35

borda sem carga 180° < α < 360°

a4,t a3,t

6 42 42 90 90 72 42

a4,c

a3,c

NOTAS (1)

(2)

(3)

As distâncias mínimas são conforme a norma EN 1995:2008, de acordo com ETA-11/0030. As distâncias mínimas são conforme a norma EN 1995:2008, de acordo com ETA-11/0030, considerando-se uma massa volúmica dos elementos de madeira ρk ≤ 420 kg/m3. As distâncias mínimas são conforme a norma EN 1995:2008, de acordo com ETA-11/0030 considerando-se uma massa volúmica dos elementos de madeira 420 ≤ ρk ≤ 500 kg/m3.

• Em caso de ligação OSB-madeira, os espaçamentos mínimos (a1, a2) podem ser multiplicados por um coeficiente 0,85. • Em caso de elementos de Douglasia (Pseudotsuga menziesii), as distâncias mínimas paralelas à fibra (a1 , a3,t, a3,c) devem ser multiplicadas por um coeficiente 1,5.

KKF

227


CARPINTARIA

EXTERIOR

ESTRUTURAS

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

A estática do projectista

VALORES CARACTERÍSTICOS

EN 1995:2008 CORTE

geometria

TRACÇÃO

madeira-madeira

painel-madeira (1)

extracção da rosca (2)

penetração da cabeça (3)

RV,k [kN] 0,83 0,94 0,98 0,96 1,08 0,49 0,49 0,49 1,16 1,14 1,26 1,40 1,41 1,32 1,35 1,46 1,60 1,69 1,69 1,69 1,69 2,25 2,25 2,41 2,41 2,41 2,41 2,41 2,41 2,41

RV,k [kN]

Rax,k [kN] 0,97 1,08 1,30 1,62 1,62 0,91 1,22 1,52 1,46 1,83 1,83 2,13 2,44 1,62 2,03 2,03 2,37 2,71 3,38 3,72 4,06 3,25 4,06 4,47 4,87 6,09 6,50 7,31 8,12 8,12

Rhead,k [kN] 1,16 1,16 1,16 1,16 1,16 1,48 1,48 1,48 1,48 1,48 1,48 1,48 1,48 1,83 1,83 1,83 1,83 1,83 1,83 1,83 1,83 2,66 2,66 2,66 2,66 2,66 2,66 2,66 2,66 2,66

A

L b d1

5

6

0,81 0,90 0,94 0,94 0,94 0,49 0,80 0,89 1,07 1,07 1,07 1,07 1,07 1,21 1,21 1,21 1,21 1,21 1,21 1,21 1,21 1,57 1,57 1,57 1,57 1,57 1,57 1,57 1,57 1,57

SPAN = 15 mm

A [mm] 12 15 16 15 20 5 5 5 16 15 20 25 30 16 15 20 25 30 30 35 40 30 30 35 40 45 60 70 80 100

SPAN = 15 mm

4,5

b [mm] 18 20 24 30 30 15 20 25 24 30 30 35 40 24 30 30 35 40 50 55 60 40 50 55 60 75 80 90 100 100

SPAN = 15 mm

4

L [mm] 30 35 40 45 50 20 (4) 25 (4) 30 (4) 40 45 50 60 70 40 45 50 60 70 80 90 100 70 80 90 100 120 140 160 180 200

SPAN = 15 mm

d1 [mm]

PRINCÍPIOS GERAIS

NOTAS

• Os valores característicos são conforme a norma EN 1995:2008, de acordo com ETA-11/0030. • Os valores de projecto são obtidos a partir dos valores característicos, desta forma:

(1)

(2)

(3)

• • • • •

228

Os coeficientes γm e kmod devem ser assumidos em função da norma vigente utilizada para o cálculo. Para os valores de resistência mecânica e para a geometria dos parafusos, fez-se referência ao que consta de ETA-11/0030. Em fase de cálculo, considerou-se uma massa volúmica dos elementos de madeira equivalente a ρk = 420 kg/m3. Os valores foram calculados considerando-se a parte roscada inserida completamente no elemento de madeira. O dimensionamento e a verificação dos elementos de madeira e dos painéis, devem ser feitos à parte. As resistências características ao corte são avaliadas para parafusos inseridos sem pré-furo; no caso de parafusos inseridos com pré-furo, é possível obter maiores valores de resistência.

KKF

(4)

As resistências características ao corte são avaliadas considerando-se um painel OSB ou um painel de aglomerado com espessura SPAN. A resistência axial a extracção da rosca foi avaliada considerando-se um ângulo de 90° entre as fibras e o conector e para um comprimento de cravação igual a b. A resistência axial de penetração da cabeça foi avaliada sobre elemento de madeira. O parafuso não é dotado da marcação CE.


CARPINTARIA

EXTERIOR

ESTRUTURAS

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

HZK

ETA 11/0030

Parafusos KKF de ligação Aço inoxidável AISI410

RÁPIDA MONTAGEM Instalação rápida e precisa

MONTAGEM EM SÉRIE Execução rápida e segura graças à ligadura especial

Códigos e dimensões d1 [mm]

5

L

TX25 b d1

código

L [mm]

b [mm]

A [mm]

pça/embal.

HZK550 HZK560 HZK570 HZK580

50 60 70 80

30 35 40 50

20 25 30 30

1250 1250 625 625

A: espessura fixável

Ferramentas PARAFUSADOR AUTOMÁTICO HH3380/HH3338

HZK

229


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

SCI

Parafuso para ambiente exterior, com cabeça escareada Versões em aço inoxidável A2 e A4

GEOMETRIA ESPECIAL Ponta autoperfurante com entalhe recuado, rosca assimétrica em forma de “guarda-chuva“, fresa alongada, nervuras subcabeça

GAMA COMPLETA Vasta disponibilidade de diâmetros e comprimentos

ALTA TECNOLOGIA Geometrias e tratamentos especiais consentem resistências mecânicas superiores às do aço inoxidável de classe equivalente

AÇO INOXIDÁVEL A2 E A4 Aço inoxidável AISI304 (A2) e AISI316 (A4) para elevadas resistências à corrosão

CAMPOS DE EMPREGO Utilização em ambiente exterior; apropriado para classes de serviço 1-2-3

230

SCI A2/A4

ACESSÓRIOS


CARPINTARIA

EXTERIOR

ESTRUTURAS

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

AMBIENTES AGRESSIVOS O aço inoxidável de alta resistência à corrosão consente fixações eficientes também em ambientes muito agressivos

GAMA COMPLETA Gama muito ampla de tamanhos em aço inoxidável, com geometria eficiente (ponta autoperfurante, entalhe, fresa, nervuras subcabeça) e resistências mecânicas superiores às do aço inoxidável comum de classe equivalente

Gama A versão em aço inoxidável A2 está disponível do diâmetro de 3,5 mm ao diâmetro de 8 mm, com um comprimento de até 280 mm; a versão em aço inoxidável A4 está disponível no diâmetro de 5 mm. Para ambas as versões, em cada embalagem está incluído um inserto.

300 280 260 240 220 200 180 160 140 120 100 80 60 40 20

ø3,5 TX15

ø4

TX20

ø4,5

ø5

TX20

TX25

A2

ø6

TX30

ø8

TX40

ø5

TX25

A4

SCI A2/A4

231


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

Códigos e dimensões SCI A2 d1 [mm]

3,5

TX10

L b

4

d1

TX20

A

4,5

TX20

5

TX25

6

TX30

8

TX40

código SCI3525* SCI3530* SCI3535* SCI3540* SCI4030* SCI4035* SCI4040 SCI4045 SCI4050 SCI4060 SCI4520* SCI4535* SCI4540* SCI4545 SCI4550 SCI4560 SCI4570 SCI4580 SCI5040* SCI5045* SCI5050* SCI5060 SCI5070 SCI5080 SCI5090 SCI50100 SCI6050* SCI6060* SCI6080 SCI60100 SCI60120 SCI60140 SCI80160 SCI80200 SCI80240 SCI80280

L [mm]

b [mm]

A [mm]

25 30 35 40 30 35 40 45 50 60 20 35 40 45 50 60 70 80 40 45 50 60 70 80 90 100 50 60 80 100 120 140 160 200 240 280

18 18 18 18 18 18 24 30 30 35 15 24 24 30 30 35 40 40 20 24 24 30 35 40 45 50 30 30 40 50 60 75 80 80 80 80

7 12 17 22 12 17 16 15 20 25 5 11 16 15 20 25 30 40 20 21 26 30 35 40 45 50 20 30 40 50 60 65 80 120 160 200

L [mm]

b [mm]

A [mm]

50 60 70 80 90 100

24 30 35 40 45 50

26 30 35 40 45 50

dv** pré-furo [mm] 2

pça/embal. 500 200

2,5

200

3

200

200 3,5 100

4

100

5

100

dv** pré-furo [mm]

pça/embal.

SCI A4 d1 [mm]

5

TX20

código SCI5050A4* SCI5060A4* SCI5070A4* SCI5080A4* SCI5090A4* SCI50100A4*

200 3,5

100

* Parafusos não dotados de marcação CE ** Para materiais de densidades médias ou elevadas, aconselha-se a fazer um pré-furo em função da espécie lenhosa

D2

ANILHA TORNEADA A2 código SCB6 SCB8

232

SCI A2/A4

d1 SCI

D2 [mm]

pça/embal.

6 8

20 25

100


CARPINTARIA

EXTERIOR

ESTRUTURAS

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

A estática do carpinteiro

VALORES ADMISSÍVEIS

DIN 1052:1988

CORTE Vadm MADEIRA-MADEIRA d1 [mm]

L [mm]

Vadm

3,5

≥ 35

21 kg

4

≥ 35

27 kg

4,5

≥ 50

34 kg

5

≥ 50

43 kg

6

≥ 60

61 kg

8

≥ 160

109 kg

EXTRACÇÃO DA ROSCA Nadm Comprimento L [mm] d1 [mm]

25

30-35

40

45-50

60

70

80

90

100

120

140

160-280

3,5

32 kg

32 kg

32 kg

-

-

-

-

-

-

-

-

-

4

-

36 kg

48 kg

60 kg

70 kg

-

-

-

-

-

-

-

4,5

-

-

54 kg

68 kg

79 kg

90 kg

90 kg

-

-

-

-

-

5

-

-

50 kg

60 kg

75 kg

88 kg

100 kg

113 kg

125 kg

-

-

-

6

-

-

-

90 kg

90 kg

-

120 kg

-

150 kg

180 kg

225 kg

-

8

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

320 kg

PENETRAÇÃO DA CABEÇA Nadm PARAFUSO

PARAFUSO COM ANILHA

d1 [mm]

Nadm

d1 [mm]

Nadm

3,5

20 kg

3,5

-

4

26 kg

4

-

4,5

41 kg

4,5

-

5

50 kg

5

-

6

72 kg

6

200 kg

8

105 kg

8

313 kg

FÓRMULAS DE CÁLCULO - CORTE MADEIRA-MADEIRA Vadm = min { 0,4 · A · d1; 1,7 · d1 2 }

DIN 1052-2:1988

d1 [mm] A [mm] Vadm [kg]

EXEMPLO DE MADEIRA-MADEIRA SCI 6 x 100 mm d1 = 6 mm A = 50 mm

Vadm = min { 0,4 · A · d1; 1,7 · d1 2 } Vadm = min { 0,4 · 50 · 6 ; 1,7 · 62 } = min { 120 ; 61 } = 61 kg

NOTAS • Os valores admissíveis são conforme a norma DIN 1052:1988. • Os valores admissíveis para extracção são calculados considerando-se a parte roscada inserida completamente no elemento de madeira.

SCI A2/A4

233


CARPINTARIA

EXTERIOR

ESTRUTURAS

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

Geometria e distâncias mínimas GEOMETRIA E CARACTERÍSTICAS MECÂNICAS PARAFUSO SCI Material Diâmetro nominal Diâmetro da cabeça Diâmetro do núcleo Diâmetro da haste Espessura da cabeça Diâmetro do pré-furo

dk 90°

ds

t1

L b d2

Momento característico de tensão Parâmetro característico de resistência à extracção Densidade associada Parâmetro característico de penetração da cabeça Densidade associada Resistência característica à tracção

d1

Aço inoxidável d1 [mm] dK [mm] d2 [mm] dS [mm] t1 [mm] dV [mm]

A2* 3,5 7,00 2,25 2,55 3,50 2,0

A2* 4 8,00 2,55 2,80 3,80 2,5

A2* 4,5 9,00 2,80 3,25 4,25 3,0

A2* 5 10,00 3,40 3,70 4,65 3,0

A2* 6 12,00 3,95 4,45 5,30 4,0

A2* 8 14,50 5,40 5,85 6,00 5,0

A4** 5 10,00 3,40 3,70 4,65 3,0

My,k [Nmm] fax,k [N/mm2] ρa [kg/m3] fhead,k [N/mm2] ρa [kg/m3] ftens,k [kN]

1260,0 19,1 440 16,0 380 2,21

1960,0 17,1 410 13,4 390 3,23

2770,0 17,2 410 18,0 440 4,40

4370,0 17,9 440 17,6 440 5,01

8220,0 11,6 420 12,0 440 6,81

17600,0 14,8 410 12,5 440 14,10

3939,8 17,9 440 17,6 440 4,30

* Parâmetros mecânicos de acordo com a marcação CE, conforme EN 14592. ** Parâmetros mecânicos para ensaios experimentais

s

ANILHA TORNEADA SCB Material Anilha Parafuso Diâmetro interno Diâmetro externo Espessura

D1 D2

Aço inoxidável

A2 SCB6 SCI Ø6 7,5 20,0 4,0

D1 [mm] D2 [mm] S [mm]

A2 SCB8 SCI Ø8 8,5 25,0 5,0

DISTÂNCIAS MÍNIMAS PARA PARAFUSOS SOB TENSÃO AO CORTE

Ângulo entre força e fibras α = 0°

Ângulo entre força e fibras α = 90° PARAFUSOS INSERIDOS COM PRÉ-FURO

a1 a2 a3,t a3,c a4,t a4,c

3,5 18 11 42 25 11 11

[mm] [mm] [mm] [mm] [mm] [mm]

4 20 12 48 28 12 12

4,5 23 14 54 32 14 14

5 25 15 60 35 15 15

6 30 18 72 42 18 18

8 40 24 96 56 24 24

3,5 14 14 25 25 18 11

4 16 16 28 28 20 12

4,5 18 18 32 32 23 14

5 20 20 35 35 35 15

6 24 24 42 42 42 18

8 32 32 56 56 56 24

4,5 23 23 45 45 32 23

5 25 25 50 50 50 25

6 30 30 60 60 60 30

8 40 40 80 80 80 40

PARAFUSOS INSERIDOS SEM PRÉ-FURO a1 a2 a3,t a3,c a4,t a4,c

3,5 35 18 53 35 18 18

[mm] [mm] [mm] [mm] [mm] [mm]

direcção da fibragem

4 40 20 60 40 20 20

4,5 45 23 68 45 23 23

5 60 25 75 50 25 25

extremidade sob tensão -90° < α < 90°

„meio de união“

a2 a2 a1

6 72 30 90 60 30 30

a1

8 96 40 120 80 40 40

3,5 18 18 35 35 25 18 extremidade sem carga 90° < α < 270°

a2 a2 a1

a1

4 20 20 40 40 28 20 borda sob tensão 0° < α < 180°

borda sem carga 180° < α < 360°

a4,t a3,t

a3,c

NOTAS • As distâncias mínimas são conforme a norma EN 1995:2008 considerando-se uma massa volúmica dos elementos de madeira ρk ≤ 420 kg/m3.

234

SCI A2/A4

a4,c


CARPINTARIA

EXTERIOR

ESTRUTURAS

MADEIRA/METAL

A estática do projectista

VALORES CARACTERÍSTICOS

EN 1995:2008

CORTE geometria

ACESSÓRIOS

TRACÇÃO

madeira-madeira

madeira-madeira com anilha

extracção da rosca (1)

penetração da cabeça (2)

penetração da cabeça com anilha (2)

RV,k [kN] 0,43 0,52 0,55 0,55 0,62 0,69 0,69 0,69 0,69 0,69 0,45 0,71 0,83 0,80 0,85 0,85 0,85 0,85 1,02 1,02 1,02 1,02 1,02 1,02 1,02 1,02 1,34 1,41 1,41 1,41 1,41 1,41 2,20 2,20 2,20 2,20

RV,k [kN] 1,50 1,57 1,75 1,94 2,01 2,01 3,22 3,22 3,22 3,22

Rax,k [kN] 0,79 0,79 0,79 0,79 0,90 0,90 1,20 1,50 1,50 1,75 0,84 1,35 1,35 1,69 1,69 1,97 2,25 2,25 1,25 1,50 1,50 1,87 2,19 2,50 2,81 3,12 2,25 2,25 3,00 3,75 4,50 5,62 8,00 8,00 8,00 8,00

Rhead,k [kN] 0,55 0,55 0,55 0,55 0,72 0,72 0,72 0,72 0,72 0,72 0,91 0,91 0,91 0,91 0,91 0,91 0,91 0,91 1,12 1,12 1,12 1,12 1,12 1,12 1,12 1,12 1,61 1,61 1,61 1,61 1,61 1,61 2,36 2,36 2,36 2,36

Rhead,k [kN] 4,49 4,49 4,49 4,49 4,49 4,49 7,01 7,01 7,01 7,01

A

L b d1

d1 [mm]

3,5

4

4,5

5

6

8

L [mm] 25 30 35 40 30 35 40 45 50 60 20 35 40 45 50 60 70 80 40 45 50 (3) 60 (3) 70 (3) 80 (3) 90 (3) 100 (3) 50 60 80 100 120 140 160 200 240 280

b [mm] 18 18 18 18 18 18 24 30 30 35 15 24 24 30 30 35 40 40 20 24 24 30 35 40 45 50 30 30 40 50 60 75 80 80 80 80

A [mm] 7 12 17 22 12 17 16 15 20 25 5 11 16 15 20 25 30 40 20 21 26 30 35 40 45 50 20 30 40 50 60 65 80 120 160 200

PRINCÍPIOS GERAIS

NOTAS

• Os valores característicos são conforme a norma EN 1995:2008, de acordo com ETA-11/0030. • Os valores de projecto são obtidos a partir dos valores característicos, desta forma:

(1)

• • • •

Os coeficientes ρk = 380 kg/m3 devem ser assumidos em função da norma vigente utilizada para o cálculo. As resistências características ao corte são avaliadas para parafusos inseridos sem pré-furo; no caso de parafusos inseridos com pré-furo, é possível obter maiores valores de resistência. Em fase de cálculo considerou-se uma massa volúmica dos elementos de madeira equivalente a ρk = 380 kg/m3. Os valores foram calculados considerando-se a parte roscada inserida completamente no elemento de madeira. O dimensionamento e a verificação dos elementos de madeira devem ser feitos à parte. As resistências características ao corte são avaliadas para parafusos inseridos sem pré-furo; no caso de parafusos inseridos com pré-furo, é possível obter maiores valores de resistência.

(2)

(3)

A resistência axial à extracção da rosca foi avaliada considerando-se um ângulo de 90° entre as fibras e o conector e para um comprimento de cravação igual a b. A resistência axial de penetração da cabeça, com e sem anilha, foi avaliada sobre um elemento de madeira. Em caso de ligações aço-madeira, é geralmente vinculante a resistência à tracção do aço em relação à retirada ou à penetração da cabeça. Parafuso disponível nas versões A2 e A4.

SCI A2/A4

235


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

EWS

Parafuso para madeiras duras Aço inoxidável AISI410

PONTA ESPECIAL „4 CUT“ Ponta especial com quatro entalhes, ideal para a utilização sobre madeiras duras, e haste com diâmetro aumentado, para uma forte fixação

AÇO INOXIDÁVEL AISI410 Aço inoxidável martensítico com óptima relação entre resistência mecânica e resistência à corrosão

CAPACIDADE DE FURAÇÃO A haste com diâmetro aumentado, a ponta “4 cut” e a cabeça convexa, consentem fixações seguras e resistentes mesmo sobre superfícies duras

Códigos e dimensões d1 [mm]

5

TX25

MADEIRAS DURAS A ponta especial com quatro entalhes permite a utilização do parafuso também sobre madeiras duras, sem necessidade de pré-furo

236

EWS

código

L [mm]

b [mm]

A [mm]

EWS550 EWS560 EWS570 EWS580

50 60 70 80

30 36 42 48

20 24 28 32

A: espessura fixável

pça/embal. 200 100


CARPINTARIA

EXTERIOR

ESTRUTURAS

MADEIRA/METAL

A estática do carpinteiro

ACESSÓRIOS VALORES ADMISSÍVEIS

DIN 1052:1988

CORTE Vadm MADEIRA-MADEIRA d1 [mm]

L [mm]

Vadm

5

≥ 50

43 kg

EXTRACÇÃO DA ROSCA Nadm Comprimento L [mm] d1 [mm]

50

60

70

80

5

75 kg

90 kg

105 kg

120 kg

PENETRAÇÃO DA CABEÇA Nadm d1 [mm]

Nadm

5

32 kg

NOTAS • Os valores admissíveis são conforme a norma DIN 1052:1988. • Os valores admissíveis para extracção são calculados considerando-se a parte roscada inserida completamente no elemento de madeira.

Geometria dk t1 ds L

PARAFUSO EWS Diâmetro nominal Diâmetro da cabeça Diâmetro do núcleo Diâmetro da haste Espessura da cabeça Diâmetro do pré-furo

d1 [mm] dK [mm] d2 [mm] dS [mm] t1 [mm] dV [mm]

5,30 8,00 3,75 4,05 3,65 3,5

b d2

d1

EWS

237


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

SHSAS

Parafuso de cabeça pequena Aço inoxidável AISI410

CABEÇA OCULTA Cabeça oculta a 60° para uma fácil inserção em pequenas espessuras, sem criar aberturas na madeira

AÇO INOXIDÁVEL AISI410 Aço inoxidável martensítico com óptima relação entre resistência mecânica e resistência à corrosão

FIXAÇÃO EM AMBIENTE EXTERIOR A cabeça reduzida e a rosca eficiente garantem uma perfeita inserção do parafuso em pequenas espessuras, evitando rachas; ideal para aplicações em ambiente exterior graças ao aço inoxidável

Códigos e dimensões d1 [mm]

3,5

código SHS3540AS

L [mm]

b [mm]

A [mm]

TX

pça/embal.

40

26

14

10

500

Disponíveis também em aço carbónico (3,5 x 30, 40, 50) - veja-se capítulo CARPINTARIA A: espessura fixável

FIXAÇÃO VERSÁTIL Ideal para fixação de materiais mistos de madeira e plástico em ambiente exterior (perfis para terraços)

238

SHS-AS


CARPINTARIA

EXTERIOR

ESTRUTURAS

MADEIRA/METAL

A estática do carpinteiro

ACESSÓRIOS VALORES ADMISSÍVEIS

DIN 1052:1988

CORTE Vadm MADEIRA-MADEIRA d1 [mm]

L [mm]

Vadm

3,5

40

20 kg

d1 [mm]

L [mm]

Vadm

3,5

40

46 kg

EXTRACÇÃO DA ROSCA Nadm

PENETRAÇÃO DA CABEÇA Nadm d1 [mm]

Nadm

3,5

17 kg

NOTAS • Os valores admissíveis são conforme a norma DIN 1052:1988. • Os valores admissíveis para extracção são calculados considerando-se a parte roscada inserida completamente no elemento de madeira.

Geometria dk 60°

L

PARAFUSO SHS-AS Diâmetro nominal Diâmetro da cabeça

d1 [mm] dK [mm]

3,50 5,75

b d1

SHS-AS

239


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

MINI WT

Parafuso com dupla rosca, de pequenas dimensões Aço carbónico com revestimento durocoat

DIMENSÕES OPTIMIZADAS Cabeça oculta de pequenas dimensões e dupla rosca eficiente para uma fixação estável e segura de pequenas espessuras

DUROCOAT E INOXIDÁVEL A2 Versões em aço carbónico com revestimento superficial em “durocoat“ e em aço inoxidável A2

Códigos e dimensões FIXAÇÃO SEGURA DE ESPESSURAS REDUZIDAS As características especiais da dupla rosca de altas prestações e da cabeça cilíndrica oculta, consentem fixações seguras e estáveis de espessuras de madeira de pequenas dimensões

d1 [mm] código

4,5

TX20

5

TX20

6,5

TX30

APLICAÇÕES EM AMBIENTE EXTERIOR Ideal para aplicações também em ambiente exterior, graças ao revestimento de durocoat ou à versão em aço inoxidável A2

CS100930 CS100935 CS100950 CS100955 CS100970* CS100980* CS100990*

L [mm]

Material

sg [mm]

sS [mm]

40 60 45 60 65 90 130

T T S S S S S

20 23 23 23 28 40 55

15 17 17 17 28 40 55

40 60 45 60

T T S S

20 23 23 23

15 17 17 17

pça/ embal. 200 200 100

pça/embal.

4,5

TX20

5

TX20

CS100940 CS100945 CS100960 CS100965

750 750

* Artigos de aço inoxidável A2 disponíveis sob encomenda; artigos de aço carbónico consultáveis no capítulo ESTRUTURAS T = Aço carbónico com revestimento Durocoat / S = Aço inoxidável A2

240

MINI WT


CARPINTARIA

EXTERIOR

ESTRUTURAS

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

A estática do carpinteiro

VALORES ADMISSÍVEIS

DIN 1052:1988

EXTRACÇÃO DA ROSCA PARCIAL Nadm d1 [mm]

6,5

L [mm]

sS [mm]

Nadm

65

28

109 kg

90

40

156 kg

130

55

215 kg

L [mm]

A [mm]

Vadm

65

35

45 kg

90

50

62 kg

130

70

72 kg

CORTE Vadm MADEIRA-MADEIRA

A

d1 [mm]

6,5

NOTAS • Os valores admissíveis são conforme a norma DIN 1052:1988.

Geometria dk Ss L Sg d1

CONECTOR MINI WT Diâmetro nominal Diâmetro da cabeça Momento característico de tensão Parâmetro característico de resistência à extracção Resistência característica à tracção Resistência característica à tensão

d1 [mm] dK [mm]

4,5 6,50

5,0 7,00

6,5 * 8,00

My,k [Nmm] fax,k [N/mm2] ftens,k [kN] fy,k [N/mm2]

-

-

7000 12,9 9,1 545

* Marcação CE conforme ETA-12/0063

MINI WT

241


242


243

4. MADEIRA/METAL


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

SBS  SPP

Parafuso autoperfurante para madeira/metal Aço carbónico com zincagem galvânica branca

MADEIRA/METAL Geometria estudada especificamente para garantir a perfeita adesão entre a espessura superior da madeira e o metal

PONTA AUTOPERFURANTE Ponta especial autoperfurante madeira/metal com geometria de respiro para óptimas capacidades de perfuração

ALETAS FRESADORAS Aletas especiais protectivas com ponta para garantir a máxima eficiência da roscagem no metal

NERVURAS SUBCABEÇA Escareadores subcabeça muito afiados (nervuras) para um perfeito acabamento superficial do elemento de madeira

CAMPOS DE EMPREGO Fixação de elementos de madeira sobre superfícies de metal. Classes de serviço 1 e 2

244

SBS - SPP

ACESSÓRIOS


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

Aplicações RÁPIDA FIXAÇÃO A ponta autoperfurante especial de aço carbónico, com geometria de respiro e aletas fresadoras, consente a fixação perfeitamente aderente de elementos de madeira a suportes metálicos

PAINÉIS “SANDWICH” O parafuso autoperfurante para madeira/metal SPP é ideal para a fixação de painéis “sandwich” sobre suportes de aço

Códigos e dimensões SBS d1 [mm]

L

4,2

TX20 d1

4,8

TX25

5,5

TX30

6,3

TX30

L [mm]

pça/embal.

SBS4238

38

500

SBS4845

45

200

SBS5550

50

200

SBS6360 SBS6370 SBS6385

60 70 85

200

L [mm]

pça/embal.

125 145 165

100

código

SPP d1 [mm]

6,3

TX30

L

código SPP63125 SPP63145 SPP63165

d1

SBS - SPP

245


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

MADEIRA/METAL

EXTERIOR

ACESSÓRIOS

Geometria e instalação dk

L d1

PARAFUSO SBS Diâmetro nominal Diâmetro da cabeça

d1 [mm] dK [mm]

4,20 8,00

4,80 9,25

5,50 10,50

CAPACIDADE DE PERFURAÇÃO Diâmetro nominal Comprimento Espessura do pacote total Espessura da chapa de aço S235 / St37 Espessura da chapa de alumínio Parafusador

d1 [mm] L [mm] A [mm] s [mm] s [mm] [rpm]

4,20 38 23 1÷3 2÷4 max 2000

4,80 45 28 2÷4 3÷5 max 2000

5,50 50 31 3÷5 4÷6 max 1500

6,30 12,00

60 36

6,30 70 46 4÷6 6÷8 max 1500

A s

dk

L

b d1

PARAFUSO SPP Diâmetro nominal Diâmetro da cabeça Comprimento da rosca

d1 [mm] dK [mm] b [mm]

CAPACIDADE DE PERFURAÇÃO Diâmetro nominal Comprimento Espessura do pacote total Espessura da chapa de aço S235 / St37 Espessura da chapa de alumínio Parafusador

d1 [mm] L [mm] A [mm] s [mm] s [mm] [rpm]

A s

246

SBS - SPP

6,30 12,50 60,00

125 96 4 ÷6 6 ÷8 max 1500

6,30 145 116 4 ÷6 6 ÷8 max 1500

165 136 4 ÷6 6 ÷8 max 1500

85 61


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

MADEIRA/METAL

EXTERIOR

ACESSÓRIOS

SBN

Parafuso autoperfurante para metal Aço carbónico com zincagem galvânica branca

PONTA PARA METAL Ponta autoperfurante para ferro e aço com espessuras de 0,7 mm a 5,25 mm

ROSCA DE PASSO FINO Rosca de passo fino para fixações sobre subestruturas de chapa

CARPINTARIA LIGEIRA O parafuso consente fixações sobre chapa com grande rapidez e permite acoplamentos madeira/metal nas aplicações não estruturais

RAPIDEZ DE MONTAGEM As reduzidas dimensões do parafuso consentem a sua utilização em furos de pequenas dimensões em acoplamento com outros sistemas, como o TERRALOCK, para fixações genéricas sobre chapa ou metal; fixação muito rápida

Códigos e dimensões d1 [mm]

3,9 4,2 4,8 5,5

SBN3932

L [mm] 32

dK [mm] 7,5

s [mm] 0,7 - 2,4

TX15

SBN4238

38

8,1

1,75 - 3,0

TX20

max 2000

200

SBN4845

45

9,5

1,75 - 4,0

TX25

max 2000

200

SBN5550

50

10,8

1,75 - 5,25

TX25

max 1500

200

código

TX

parafusador pça/ embal. [rpm] max 2000 200

Disponível, sob encomenda, em outros comprimentos com o mesmo diâmetro

L d1

dk

s

SBN

247


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

SCS

Parafuso autoperfurante madeira/metal para ambiente exterior Aço inoxidável A2

PARAFUSO BIMETÁLICO Cabeça e corpo de aço inoxidável A2 com ponta especial madeira/metal de aço carbónico

PONTA AUTOPERFURANTE Ponta especial autoperfurante madeira/metal com geometria de respiro, para óptimas capacidades de perfuração

ALETAS FRESADORAS Aletas especiais protectivas com ponta para garantir a máxima eficiência da roscagem no metal

AÇO INOXIDÁVEL A2 Corpo e cabeça de aço inoxidável A2 para elevadas resistências à corrosão; ideal para aplicações em ambiente exterior

CAMPOS DE EMPREGO Fixação de elementos de madeira a superfícies de metal postas em ambiente exterior; apropriado para classes de serviço 1-2-3

248

SCS

ACESSÓRIOS


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

MADEIRA/METAL

EXTERIOR

ACESSÓRIOS

Aplicações RÁPIDA FIXAÇÃO A ponta autoperfurante especial de aço carbónico com geometria de respiro e aletas fresadoras, consente a fixação perfeitamente aderente de elementos de madeira sobre suportes metálicos

IDEAL PARA AMBIENTES EXTERIORES Parafuso bimetálico com ponta autoperfurante de aço carbónico, para exercer a máxima força em fase de perfuração; corpo e cabeça de aço inoxidável A2 para aplicações em ambiente exterior

Códigos e dimensões dk d1 [mm] código

dk

SCS4842

42

PH2

SCS4872

72

5,5

SCS5555

55

SCS5575

75

4,8

L

L [mm]

TX30

pça/embal. 250 250

d1

Geometria e instalação

A s

PARAFUSO SCS Diâmetro nominal Diâmetro da cabeça

d1 [mm] dK [mm]

CAPACIDADE DE PERFURAÇÃO Diâmetro nominal Comprimento Espessura do pacote total Espessura da chapa de aço S235 / St37 Espessura da chapa de alumínio

d1 [mm] L [mm] A [mm] s [mm] s [mm]

4,80 10,00

42 25

4,80 1÷3 2÷3

5,50 10,00

72 55

55 34

5,50 2 ÷5 3 ÷5

75 54

SCS

249


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

WBAZ

Anilha inoxidável com guarnição de vedação Aço inoxidável A2 com guarnição de EPDM

VEDAÇÃO À ÁGUA Fecho perfeitamente estanque e excelente selagem graças à guarnição de vedação em EPDM

RESISTÊNCIA AOS RAIOS UV Excelente resistência aos raios UV

FIXAÇÃO DIRECTA SOBRE CHAPA Fixação directa sobre chapa em acoplamento com parafusos Ø 6,3-6,5 de cabeça exagonal de aço zincado ou aço inoxidável; ideal para utilização com parafusos tipo TBS Ø 6 instaláveis sem pré-furo na chapa de até 0,7 mm de espessura

TBS Ø6 E VERSATILIDADE Compatível com parafusos tipo TBS Ø6 também em sobreposição às cápsulas fulminantes para chapa; ideal em numerosas aplicações graças à adaptabilidade da guarnição de EPDM e à nobreza da anilha de aço inoxidável A2

250

WBAZ

ACESSÓRIOS


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

MADEIRA/METAL

EXTERIOR

ACESSÓRIOS

Códigos e dimensões WBAZ

d H

parafuso [mm]

código

6,3 - 6,5

WBAZ25A2

D [mm]

H [mm]

d [mm]

pça/embal.

25

15

6,5

100

WBAZ disponível em outras cores, sob encomenda Gama de cápsulas fulminantes de folha metálica, disponível sob encomenda

D TBS parafuso de cabeça larga de aço carbónico com zincagem galvânica branca para WBAZ

dk

parafuso [mm]

TBS 6 TX30

L b d1

código TBS680 TBS6100 TBS6120 TBS6140 TBS6160 TBS6180 TBS6200 TBS6220 TBS6240 TBS6260 TBS6280 TBS6300

L [mm]

b [mm]

dk [mm]

pça/embal.

80 100 120 140 160 180 200 220 240 260 280 300

50 60 75 75 75 75 75 100 100 100 100 100

15,5

50

Instalação

Parafusação correcta

Parafusação excessiva

Parafusação insuficiente

Parafusação errada fora de eixo

A espessura da anilha, depois da instalação, é equivalente a cerca de 8 ÷ 9 mm.

WBAZ

251


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

MCS

Parafuso com anilha para chapas Aço inoxidável A2 com anilha A2/EPDM

ANILHA INTEGRADA „Parafuso de aço inoxidável A2 com anilha integrada em A2/EPDM para fixação de chapas“

INSERTO TORX „Cabeça convexa com ranhura torx para fixação segura de obras de latoaria sobre madeira“

LATOARIA Ideal para a fixação, sobre madeira, de calhas, rebordos de chapa e obras de latoaria em geral

AÇO INOXIDÁVEL Versão em aço inoxidável A2 e aço inoxidável A2 cobreado (CU); disponível, sob encomenda, em aço inoxidável pintado (RAL8017, 9002, 3009)

252

MCS

ACESSÓRIOS


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

MADEIRA/METAL

EXTERIOR

ACESSÓRIOS

Códigos e dimensões dk

d1 [mm]

4,5

TX20 L

4,5

TX20 d1

dk [mm] 20

20

L [mm]

código MCS4525A2 MCS4535A2 MCS4545A2 MCS4560A2 MCS4525CU MCS4535CU MCS4545CU

25 35 45 60 25 35 45

cor

material

pça/embal.

A2

200

A2

200

Disponível, sob encomenda, em aço inoxidável, versão pintada: - RAL8017 (castanho escuro) - RAL9002 (branco-cinzento) - RAL3009 (vermelho de Siena)

Gama 60

40

20

ø4,5 TX20

MCS

253


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

MWS

Parafuso de conligação métrico + madeira Aço carbónico com zincagem galvânica branca

ROSCA MÉTRICA-MADEIRA Roscagem mista: rosca para madeira com ponta e rosca métrica na extremidade para fixações versáteis de elementos metálicos sobre madeira

DUPLA INSTALAÇÃO Instalável por meio de inserto Torx (cabeça) ou de chave exagonal (central)

COMODIDADE DE UTILIZAÇÃO Graças ao inserto Torx na cabeça e à secção exagonal no centro, é possível fixar o parafuso quer através do inserto Torx quer através de chave; a instalação resulta ser muito cómoda e versátil

VERSATILIDADE DE FIXAÇÃO Ideal para se fixar qualquer tipo de elemento metálico a uma subestrutura lenhosa, graças à rosca inicial para madeira e à sucessiva rosca métrica para aço

254

MWS

ACESSÓRIOS


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

MADEIRA/METAL

EXTERIOR

ACESSÓRIOS

Códigos e dimensões MWS

LM L b d1

d1 / M [mm]

código

8,9 / M10

L [mm]

LM [mm]

b [mm]

MWS10100

100

30

57

TX25

MWS10140

140

40

57

11 / M12

MWS12120

120

40

57

MWS12160

160

50

62

TX30

PORCA DIN 934 M [mm]

M10 M12

pça/embal. 50 50

PORCA AUTOBLOCANTE DIN 985 H [mm]

Ch [mm]

pça/embal.

M [mm]

MUT93410

8

17

500

MUT93412

10

19

500

M10 M12

código

H [mm]

Ch [mm]

pça/embal.

MUT98510

10

17

1

MUT98512

12

19

1

código

ANILHA DIN 125 M [mm]

M10 M12

D2 [mm]

código

s [mm]

pça/embal.

ULS10202

20

2

500

ULS13242

24

2,5

500

Artigos de aço inoxidável disponíveis sob encomenda.

Geometria PARAFUSO MWS Diâmetro nominal do parafuso Diâmetro nominal métrico Secção exagonal - Chave Secção exagonal - Comprimento Diâmetro do pré-furo sobre madeira

M L

LCh

Ch

b

d1 [mm] M [mm] Ch [mm] LCh [mm] dV [mm]

8,9 M10 8 10 6,0

11 M12 10 20 8,0

d1

Instalação

dv Efectuar um pré-furo no suporte de madeira com um diâmetro equivalente a dV.

Parafusar o sistema com uma chave exagonal ou um inserto Torx..

Proceder à instalação do sistema desejado utilizando adequados elementos de fixação (por ex.: porcas, colares etc.).

MWS

255


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

SOL

Parafuso para fixação fotovoltaica sobre madeira Aço inoxidável A2 com guarnições de EPDM

EXCELENTE VEDAÇÃO ESTANQUE Porca integrada de bloqueio para um excelente fecho hermético, em acoplamento com as relativas guarnições

DUPLA INSTALAÇÃO E PORCA AUTOBLOCANTE Instalável por meio de encaixe exagonal de 5 mm (cabeça) ou de porca integrada de bloqueio (Ch 13); porca autoblocante superior

DUPLA GUARNIÇÃO Guarnição Ø 19 mm integrada acoplável com guarnição e em forma de guarda-chuva, em EPDM, para fixação directa sobre chapa, ideal se ondulada. Possível acoplamento também com cápsulas fulminantes sobre chapa canelada. Sistema pré-montado dotado de 2 porcas exagonais (1 autoblocante) e duas anilhas chatas

SISTEMA CERTIFICADO O sistema de fixação é projectado expressamente para garantir uma perfeita vedação estanque, graças à porca integrada de bloqueio; geometria dotada de homologação específica, com valores certificados de resistência. A porca autoblocante superior garante maior segurança

256

SOL

ACESSÓRIOS


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

MADEIRA/METAL

EXTERIOR

ACESSÓRIOS

Códigos e dimensões

L L1

d1 / M [mm]

código

8,4/M10

SOL10156 SOL10186 SOL10206 SOL10236 SOL10256

L [mm]

L1 [mm]

A [mm]

pça/embal.

156 186 206 236 256

100 130 150 180 200

20 - 60 55 - 90 75 - 110 105 - 140 125 - 160

20

Versão com rosca métrica LM = 70mm disponível sob encomenda A: espessura fixável d1

Guarnição em forma de guarda-chuva EPDM código

H

SOLBAZ24

D

d1 SOL [mm]

D [mm]

H [mm]

pça/embal.

8,4

24

12

20

Cápsulas fulminantes para chapa canelada ou painel sandwich disponíveis sob encomenda

Geometria E

PARAFUSO SOL Diâmetro nominal do parafuso Diâmetro nominal métrico Diâmetro da anilha A2/EPDM 1. Porca soldada A2 - Chave 2. Porca (DIN 934) A2 - Chave 3. Porca autoblocante (DIN 985) A2 - Chave Exágono encaixado Comprimento da rosca do parafuso Comprimento da rosca métrica Diâmetro do pré-furo sobre madeira

3 M 2 1

LM

dR

L

b d1

d1 [mm] M [mm] dR [mm] Ch1 [mm] Ch2 [mm] Ch3 [mm] E [mm] b [mm] LM [mm] dV [mm]

8,4 M10 19,0 13 17 17 5 70 50 6,0

Instalação

A

Lef dv

Escolher o comprimento do parafuso em função da espessura A a fixar, de modo que a rosca seja inserida no suporte de madeira com uma profundidade de pelo menos 34 mm (Lef minimo )

Pré-furar os elementos com um diâmetro dV= 6,0 mm.

Se for necessário, posicionar a guarnição EPDM.

Parafusar o sistema actuando sobre a porca inferior ou sobre o exágono encaixado superior.

Fixar a chapa de suporte do painel (não incluída) apertando as porcas superiores.

SOL

257


258


259

5. ACESSÓRIOS


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

ACESSÓRIOS

MADEIRA/METAL

Insertos TX Unitários TX

L [mm]

pça/embal.

25

10 10 10 10 10 10 7

L [mm]

pça/embal.

50

5 5 5 5 5 10

descrição

L [mm]

pça/embal.

ATINTX1575 ATINTX2075 ATINTX2575

Inserto TX15 Inserto TX20 Inserto TX20

75

5 5 5

código

descrição

L [mm]

pça/embal.

ATINTX25150 ATINTX30200 ATINTX30350 ATINTX40152 ATINTX40200 ATINTX40350 ATINTX40520 ATINTX50150

Inserto comprido TX25 Inserto comprido TX30 Inserto comprido TX30 Inserto comprido TX40 Inserto comprido TX40 Inserto comprido TX40 Inserto comprido TX40 Inserto comprido TX50

150 200 350 152 200 350 520 150

1 1 1 1 1 1 1 1

código

descrição

ATINTXBOX

6xTX15 - 6xTX20 - 6xTX25 - 15xTX30 - 15xTX40

PH

código

descrição

PH2

ATINPH2

Inserto unitário PH2

código

descrição

ATINPZD2 ATINPZD3

Inserto unitário PZD2 Inserto unitário PZD3

TX10 TX15 TX20 TX25 TX30 TX40 TX50

código

descrição

ATINTX10C ATINTX15C ATINTX20C ATINTX25C ATINTX30C ATINTX40C ATINTX50C

Inserto unitário TX10 (branco) Inserto unitário TX15 (amarelo) Inserto unitário TX20 (vermelho) Inserto unitário TX25 (verde) Inserto unitário TX30 (azul) Inserto unitário TX40 (violeta) Inserto unitário TX50 (preto)

código

descrição

ATINTX15DC ATINTX20DC ATINTX25DC ATINTX30DC ATINTX40DC ATINTX4050

Inserto duplo TX15 (amarelo) Inserto duplo TX20 (vermelho) Inserto duplo TX25 (verde) Inserto duplo TX30 (azul) Inserto duplo TX40 (violeta) Inserto duplo TX40 STANDARD

código

TX Duplos TX

TX15 TX20 TX25 TX30 TX40 TX40 TX 75mm TX

TX15 TX20 TX25 TX Compridos TX

TX25 TX30 TX40 TX50 TX BOX TX

Vários

pça/embal. 48

PH Unitários L [mm]

pça/embal.

25

10

L [mm]

pça/embal.

25

10 10

PZ Unitários PZ

PZ2 PZ3

260


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

ACESSÓRIOS

MADEIRA/METAL

Porta-inserto código

descrição

ATPI0010

Porta-inserto magnético 60 mm

pça/embal. 5

Porta-inserto com bloqueio código

descrição

pça/embal.

AT4030

sistema de parafusação com profundidade regulável

5

Regulador de profundidade código

descrição

F3577212

Regulador de profundidade com chumaceira

pça/embal. 1

Bússola porta-inserto código

descrição

ATRE0005

Bússola porta-insertos

código

descrição

ATRE6000 ATRE6005 ATRE6010 ATRE6015 ATRE6020 ATRE6025 ATRE6030 ATRE6040

Bússola Bússola Bússola Bússola Bússola Bússola Bússola Bússola

juntura

pça/embal.

1/2”

1

Ch

juntura

pça/embal.

10 12 13 16 17 18 19 24

1/2” 1/2” 1/2” 1/2” 1/2” 1/2” 1/2” 1/2”

1 1 1 1 1 1 1 1

Bússola 10 12 13 16 17 18 19 24

261


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

Pontas Pontas HSS-G para madeiras duras ø furo

2 2,5 3 4 5 6 7

código

comprimento útil

comprimento

pça/embal.

22 25 33 43 300 52 180 300 57 180 300 300

49 57 60 75 400 85 250 400 92 250 400 400

1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1

comprimento útil

comprimento

pça/embal.

160 255 160 255 255 400 160 255 400 900 400 900

235 320 235 320 320 460 235 320 460 1000 460 1000

1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1

ø escareador

comprimento total

pça/embal.

16

60 70 75 80 85 92 92 108

1 1 1 1 1 1 1 1

F1594020 F1594025 F1594030 F1594040 F1599404 F1594050 F1599205 F1599405 F1594060 F1599206 F1599406 F1599407

Pontas helicoidais para madeira ø furo

5 6 8 10 12 15

código F1410205 F1410305 F1410206 F1410306 F1410308 F1410408 F1410210 F1410310 F1410412 F1410112 F1410415 F1410115

lista completa disponível no catálogo de aparelhagens

Pontas com escareador e regulador ø furo

3 3,5 4 4,5 5 5,5 6 7

262

código F3576030 F3576035 F3576040 F3576045 F3576050 F3576055 F3576060 F3576070


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

EXTERIOR

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

Expositor código

descrição

LOSTART3

Expositores com 9 prateleiras: 245x106x64 cm

pça/embal. 1

263


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

LISTA EXTERIOR DE PRODUTOS

ACESSÓRIOS

MADEIRA/METAL

CÓDIGOS - ORDEM DOS CAPÍTULOS CAP. 1 CARPINTARIA HBS pág. 35 HBS316 HBS320 HBS325 HBS330 HBS3520 HBS3525 HBS3530 HBS3535 HBS3540 HBS3545 HBS3550 HBS430 HBS435 HBS440 HBS445 HBS450 HBS460 HBS470 HBS480 HBS4540 HBS4545 HBS4550 HBS4560 HBS4570 HBS4580 HBS545 HBS550 HBS560 HBS570 HBS580 HBS590 HBS5100 HBS5110 HBS5120 HBS640 HBS660 HBS670 HBS680 HBS690 HBS6100 HBS6110 HBS6120 HBS6130 HBS6140 HBS6150 HBS6160 HBS6180 HBS6200 HBS6220 HBS6240 HBS6260 HBS6280 HBS6300 HBS880 HBS8100 HBS8120 HBS8140 HBS8160 HBS8180 HBS8200 HBS8220 HBS8240 HBS8260 HBS8280 HBS8300 HBS8320 HBS8340 HBS8360

HBS8380 HBS8400 HBS8440 HBS8500 HBS1080 HBS10100 HBS10120 HBS10140 HBS10160 HBS10180 HBS10200 HBS10220 HBS10240 HBS10260 HBS10280 HBS10300 HBS10320 HBS10340 HBS10360 HBS10380 HBS10400 HBS12160 HBS12200 HBS12240 HBS12280 HBS12320 HBS12360 HBS12400 HBS12440 HBS12480 HBS12520 HBS12560 HBS12600

TBS6300 TBS840 TBS860 TBS880 TBS8100 TBS8120 TBS8140 TBS8160 TBS8180 TBS8200 TBS8220 TBS8240 TBS8260 TBS8280 TBS8300 TBS8320 TBS8340 TBS8360 TBS8380 TBS8400 TBS10160 TBS10180 TBS10200 TBS10220 TBS10240 TBS10260 TBS10280 TBS10300 TBS10320 TBS10340 TBS10360 TBS10380 TBS10400

HUS pág. 35

HTS pág. 56

HUS6 HUS8 HUS10 HUS12

HTS312 HTS316 HTS320 HTS325 HTS330 HTS3516 HTS3520 HTS3525 HTS3530 HTS3535 HTS3540 HTS420 HTS425 HTS430 HTS435 HTS440 HTS445 HTS450 HTS4530 HTS4535 HTS4540 HTS4545 HTS4550 HTS530 HTS535 HTS540 HTS545 HTS550 HTS560 HTS570

HZB pág. 45 HZB430 HZB435 HZB440 HZB445 HZB450 HZB4550 HZB4555 HZB540 HZB545 HZB550 HZB560 HZB565 HZB570 HZB580

TBS pág. 49 TBS680 TBS6100 TBS6120 TBS6140 TBS6160 TBS6180 TBS6200 TBS6220 TBS6240 TBS6260 TBS6280

SHS pág. 58 SHS3530 SHS3540 SHS3550

LBS pág. 60 PF603525 PF603540 PF603550 PF603560 PF603570

DRS pág. 64 DRS660S DRS680S DRS6100S DRS6120S DRS6145S

DRT pág. 66 DRT680 DRT6100 DRT6120 DRT6145

nylon ND pág. 66 FE210219

SCH pág. 70 SCH440 SCH450 SCH460 SCH470 SCH4545 SCH4550 SCH4560 SCH4570 SCH550 SCH560 SCH570 SCH580 SCH590 SCH5100 SCH5120 SCH680 SCH690 SCH6100 SCH6120 SCH6140 SCH6150 SCH6160 SCH6180 SCH6200 SCH6220 SCH6240 SCH6260 SCH6280 SCH6300 SCH8140 SCH8160 SCH8180 SCH8200 SCH8220 SCH8240 SCH8260 SCH8280 SCH8300 SCH8320

265


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

LISTA EXTERIOR DE PRODUTOS

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

CÓDIGOS - ORDEM DOS CAPÍTULOS SCH8340 SCH8360 SCH8380 SCH8400

SUS6 SUS8

KOP16220 KOP16240 KOP16260 KOP16280 KOP16300 KOP16320 KOP16340 KOP16360 KOP16380 KOP16400

KOP pág. 76

MBS pág. 82

KOP650 KOP660 KOP670 KOP680 KOP6100 KOP850 KOP860 KOP870 KOP880 KOP8100 KOP8120 KOP8140 KOP8160 KOP8180 KOP8200 KOP1050 KOP1060 KOP1080 KOP10100 KOP10120 KOP10140 KOP10150 KOP10160 KOP10180 KOP10200 KOP10220 KOP10240 KOP10260 KOP10280 KOP10300 KOP1250 KOP1260 KOP1270 KOP1280 KOP1290 KOP12100 KOP12120 KOP12140 KOP12150 KOP12160 KOP12180 KOP12200 KOP12220 KOP12240 KOP12260 KOP12280 KOP12300 KOP12320 KOP12340 KOP12360 KOP12380 KOP12400 KOP1680 KOP16100 KOP16120 KOP16140 KOP16150 KOP16160 KOP16180 KOP16200

FE210086 FE210087 FE210088 FE210089 FE210090 FE210091

SUS pág. 70

266

DWS pág. 84 FE620001 FE620005 FE620010 FE620015 FE620020

HZD pág. 85 HH10600404 HH10600405 HH10600406 HH10600401 HH10600402 HH10600403 HH10600397 HH10600398

THERMOWASHER pág. 86 D78202

ISULFIX pág. 87 D78404 D78406 D78408 D78414

CAP. 2 ESTRUTURAS VGZ pág. 101 VGZ7100 VGZ7140 VGZ7180 VGZ7220 VGZ7260 VGZ7300 VGZ7340 VGZ9160 VGZ9200 VGZ9240 VGZ9280 VGZ9320

VGZ9360 VGZ9400 VGZ9450 VGZ9500

anilha 45° pág. 139

WT pág. 116

WRT pág. 150

CS100150 CS100145 CS100115 CS100155 CS100170 CS100175 CS100120 CS100125 CS100130 CS100135 CS100105 CS100140 CS100100

WRT9250 WRT9300 WRTT9350 WRT9400 WRT9450 WRT9500 WRT13400 WRT13500 WRT13600 WRT13700 WRT13800 WRT13900 WRT131000

DGZ pág. 128

WB pág. 161

DGZ7220 DGZ7260 DGZ7300 DGZ7340 DGZ9240 DGZ9280 DGZ9320 DGZ9360 DGZ9400 DGZ9450 DGZ9500

CS220016 CS220020

UD pág. 133 CS100005 CS1000010 CS1000015 CS1000020 CS1000025 CS1000030 CS1000035 CS1000040 CS1000045 CS1000050

VGS pág. 139 VGS9160 VGS9200 VGS9240 VGS9280 VGS9320 VGS9360 VGS11100 VGS11150 VGS11200 VGS11250 VGS11300 VGS11350 VGS11400 VGS11450 VGS11500 VGS11550 VGS11600

HUS945

WS pág. 166 CS100165 CS100160 CS100240 CS100245 CS100215 CS100220 CS100225 CS100250 CS100255

VB pág. 174 CS100900 CS100905

SKR - SKS pág. 183 SKR7560 SKR7580 SKR75100 SKR1080 SKR10100 SKR10120 SKR10140 SKR10160 SKR12100 SKR12120 SKR12140 SKR12160 SKR12200 SKR12240 SKR12280 SKR12320 SKR12400 SKS7560 SKS7580 SKS75100 SKS75120 SKS75140 SKS75160


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

CAP. 3 EXTERIOR

HBSP860C HBSP880C

KKT pág. 211

KKF pág. 225

KKTM540 KKTM545 KKTM550 KKTM555 KKTM560 KKTM565 KKTM570 KKTM580 KKTM660 KKTM680 KKTM6100 KKTM6120 KKTG540 KKTG545 KKTG550 KKTG555 KKTG560 KKTG565 KKTG570 KKTG580 KKTX520A4 KKTX525A4 KKTX530A4 KKTX540A4 KKT540A4 KKT545A4 KKT550A4 KKT555A4 KKT560A4 KKT565A4 KKT570A4 KKT580A4 KKT660A4 KKT680A4 KKT6100A4 KKT6120A4 KKT540A4M KKT550A4M KKT560A4M KKT570A4M KKT550A4G KKT560A4G KKT570A4G KKT580A4G

KKF430 KKF435 KKF440 KKF445 KKF450 KKF4520 KKF4525 KKF4530 KKF4540 KKF4545 KKF4550 KKF4560 KKF4570 KKF540 KKF545 KKF550 KKF560 KKF570 KKF580 KKF590 KKF5100 KKF670 KKF680 KKF690 KKF6100 KKF6120 KKF6140 KKF6160 KKF6180 KKF6200

HBS+ evo pág. 218 HBSP4540C HBSP4545C HBSP4550C HBSP4560C HBSP4570C HBSP550C HBSP560C HBSP570C HBSP580C HBSP590C HBSP5100C HBSP680C HBSP690C HBSP6100C HBSP6120C HBSP6140C HBSP6160C HBSP6180C HBSP6200C HBSP840C

HZK pág. 229 HZK550 HZK560 HZK570 HZK580

SCI pág. 232 SCI3525 SCI3530 SCI3535 SCI3540 SCI4030 SCI4035 SCI4040 SCI4045 SCI4050 SCI4060 SCI4520 SCI4535 SCI4540 SCI4545 SCI4550 SCI4560 SCI4570 SCI4580 SCI5040 SCI5045 SCI5050 SCI5060 SCI5070 SCI5080 SCI5090 SCI50100

LISTA EXTERIOR DE PRODUTOS

ACESSÓRIOS

MADEIRA/METAL

SCI6050 SCI6060 SCI6080 SCI60100 SCI60120 SCI60140 SCI80160 SCI80200 SCI80240 SCI80280 SCI5050A4 SCI5060A4 SCI5070A4 SCI5080A4 SCI5090A4 SCI50100A4 SCB6 SCB8

EWS pág. 236 EWS550 EWS560 EWS570 EWS580

SCS pág. 248 SCS4842 SCS4872 SCS5555 SCS5575

WBAZ pág. 251 WBAZ25A2

MCS pág. 253 MCS4525A2 MCS4535A2 MCS4545A2 MCS4560A2 MCS4525CU MCS4535CU MCS4545CU

MWS pág. 255

SHS3540AS

MWS10100 MWS10140 MWS12120 MWS12160

miniWT pág. 240

SOL pág. 257

CS100930 CS100935 CS100950 CS100955 CS100970 CS100980 CS100990 CS100940 CS100945 CS100960 CS100965

SOL10156 SOL10186 SOL10206 SOL10236 SOL10256 SOLBAZ24

SHS-AS pág. 238

CAP. 5 ACESSÓRIOS

CAP. 4 MADEIRA/METAL SBS - SPP pág. 245 SBS4238 SBS4845 SBS5550 SBS6360 SBS6370 SBS6385 SPP63125 SPP63145 SPP63165

SBN pág. 247 SBN3932 SBN4238 SBN4845 SBN5550

267


CARPINTARIA

LISTA EXTERIOR DE PRODUTOS

ESTRUTURAS

ACESSÓRIOS

MADEIRA/METAL

CÓDIGOS - ORDEM ALFABÉTICA UD

133

CS1000010 CS1000015 CS1000020 CS1000025 CS1000030 CS1000035 CS1000040 CS1000045 CS100005 CS1000050 CS100100 CS100105 CS100115 CS100120 CS100125 CS100130 CS100135 CS100140 CS100145

WT

DRS

116

166

174

240

82

nylon ND

66

FE210219

84

FE620001 FE620005 FE620010 FE620015 FE620020

HBS 161

D78202

268

236

FE210086 FE210087 FE210088 FE210089 FE210090 FE210091

DWS

THERMOWASHER 86

D78404 D78406 D78408 D78414

EWS

MBS

CS220016 CS220020

ISULFIX

66

EWS550 EWS560 EWS570 EWS580

CS100930 CS100935 CS100940 CS100945 CS100950 CS100955 CS100960 CS100965 CS100970 CS100980 CS100990

WB

DRT DRT6100 DRT6120 DRT6145 DRT680

CS100900 CS100905

miniWT

64

DRS6100S DRS6120S DRS6145S DRS660S DRS680S

CS100165 CS100170 CS100175 CS100215 CS100220 CS100225 CS100240 CS100245 CS100250 CS100255

VB

128

DGZ7220 DGZ7260 DGZ7300 DGZ7340 DGZ9240 DGZ9280 DGZ9320 DGZ9360 DGZ9400 DGZ9450 DGZ9500

CS100150 CS100155 CS100160

WS

DGZ

87

HBS10100 HBS10120 HBS10140 HBS10160 HBS10180 HBS10200 HBS10220 HBS10240 HBS10260 HBS10280 HBS10300 HBS10320 HBS10340 HBS10360 HBS10380 HBS10400

35

HBS1080 HBS12160 HBS12200 HBS12240 HBS12280 HBS12320 HBS12360 HBS12400 HBS12440 HBS12480 HBS12520 HBS12560 HBS12600 HBS316 HBS320 HBS325 HBS330 HBS3520 HBS3525 HBS3530 HBS3535 HBS3540 HBS3545 HBS3550 HBS430 HBS435 HBS440 HBS445 HBS450 HBS4540 HBS4545 HBS4550 HBS4560 HBS4570 HBS4580 HBS460 HBS470 HBS480 HBS5100 HBS5110 HBS5120 HBS545 HBS550 HBS560 HBS570 HBS580 HBS590 HBS6100 HBS6110 HBS6120 HBS6130 HBS6140 HBS6150 HBS6160 HBS6180 HBS6200 HBS6220 HBS6240 HBS6260 HBS6280 HBS6300 HBS640 HBS660 HBS670 HBS680 HBS690 HBS8100 HBS8120 HBS8140 HBS8160 HBS8180 HBS8200 HBS8220 HBS8240 HBS8260

HBS8280 HBS8300 HBS8320 HBS8340 HBS8360 HBS8380 HBS8400 HBS8440 HBS8500 HBS880

HBS+ evo

HTS545 HTS550 HTS560 HTS570

ANILHA 45°

218

HBSP4540C HBSP4545C HBSP4550C HBSP4560C HBSP4570C HBSP5100C HBSP550C HBSP560C HBSP570C HBSP580C HBSP590C HBSP6100C HBSP6120C HBSP6140C HBSP6160C HBSP6180C HBSP6200C HBSP680C HBSP690C HBSP840C HBSP860C HBSP880C

HZD

HTS312 HTS316 HTS320 HTS325 HTS330 HTS3516 HTS3520 HTS3525 HTS3530 HTS3535 HTS3540 HTS420 HTS425 HTS430 HTS435 HTS440 HTS445 HTS450 HTS4530 HTS4535 HTS4540 HTS4545 HTS4550 HTS530 HTS535 HTS540

HUS10 HUS12 HUS6 HUS8 HUS945

HZB

45

HZB430 HZB435 HZB440 HZB445 HZB450 HZB4550 HZB4555 HZB540 HZB545 HZB550 HZB560 HZB565 HZB570 HZB580

HZK

229

HZK550 HZK560 HZK570 HZK580

85

HH10600404 HH10600405 HH10600406 HH10600401 HH10600402 HH10600403 HH10600397 HH10600398

HTS

139

56

KKF

225

KKF430 KKF435 KKF440 KKF445 KKF450 KKF4520 KKF4525 KKF4530 KKF4540 KKF4545 KKF4550 KKF4560 KKF4570 KKF5100 KKF540 KKF545 KKF550 KKF560 KKF570 KKF580 KKF590 KKF6100 KKF6120 KKF6140 KKF6160 KKF6180 KKF6200 KKF670 KKF680 KKF690

KKT KKT540A4 KKT540A4M KKT545A4

KKT550A4 KKT550A4G KKT550A4M KKT555A4 KKT560A4 KKT560A4G KKT560A4M KKT565A4 KKT570A4 KKT570A4G KKT570A4M KKT580A4 KKT580A4G KKT6100A4 KKT6120A4 KKT660A4 KKT680A4 KKTG540 KKTG545 KKTG550 KKTG555 KKTG560 KKTG565 KKTG570 KKTG580 KKTM540 KKTM545 KKTM550 KKTM555 KKTM560 KKTM565 KKTM570 KKTM580 KKTM6100 KKTM6120 KKTM660 KKTM680 KKTX520A4 KKTX525A4 KKTX530A4 KKTX540A4

KOP

211

KOP10100 KOP10120 KOP10140 KOP10150 KOP10160 KOP10180 KOP10200 KOP10220 KOP10240 KOP10260 KOP10280 KOP10300 KOP1050 KOP1060 KOP1080 KOP12100 KOP12120 KOP12140 KOP12150 KOP12160 KOP12180 KOP12200 KOP12220 KOP12240 KOP12260 KOP12280 KOP12300 KOP12320 KOP12340 KOP12360 KOP12380

76


CARPINTARIA

KOP12400 KOP1250 KOP1260 KOP1270 KOP1280 KOP1290 KOP16100 KOP16120 KOP16140 KOP16150 KOP16160 KOP16180 KOP16200 KOP16220 KOP16240 KOP16260 KOP16280 KOP16300 KOP16320 KOP16340 KOP16360 KOP16380 KOP16400 KOP1680 KOP6100 KOP650 KOP660 KOP670 KOP680 KOP8100 KOP8120 KOP8140 KOP8160 KOP8180 KOP8200 KOP850 KOP860 KOP870 KOP880

MCS

SBS

SCB

SCH

253

257

60

PF603525 PF603540 PF603550 PF603560 PF603570

SBN SBN3932 SBN4238 SBN4845 SBN5550

232

SCB6 SCB8

MWS10100 MWS10140 MWS12120 MWS12160

LBS

245

SBS4238 SBS4845 SBS5550 SBS6360 SBS6370 SBS6385

MCS4525A2 MCS4525CU MCS4535A2 MCS4535CU MCS4545A2 MCS4545CU MCS4560A2

MWS

LISTA EXTERIOR DE PRODUTOS

ESTRUTURAS

SCI

247

70

SCH440 SCH450 SCH4545 SCH4550 SCH4560 SCH4570 SCH460 SCH470 SCH5100 SCH5120 SCH550 SCH560 SCH570 SCH580 SCH590 SCH6100 SCH6120 SCH6140 SCH6150 SCH6160 SCH6180 SCH6200 SCH6220 SCH6240 SCH6260 SCH6280 SCH6300 SCH680 SCH690 SCH8140 SCH8160 SCH8180 SCH8200 SCH8220 SCH8240 SCH8260 SCH8280 SCH8300 SCH8320 SCH8340 SCH8360 SCH8380 SCH8400

SCI3525 SCI3530 SCI3535 SCI3540 SCI4030 SCI4035 SCI4040 SCI4045 SCI4050 SCI4060 SCI4520 SCI4535 SCI4540

SCI4545 SCI4550 SCI4560 SCI4570 SCI4580 SCI50100 SCI50100A4 SCI5040 SCI5045 SCI5050 SCI5050A4 SCI5060 SCI5060A4 SCI5070 SCI5070A4 SCI5080 SCI5080A4 SCI5090 SCI5090A4 SCI60100 SCI60120 SCI60140 SCI6050 SCI6060 SCI6080 SCI80160 SCI80200 SCI80240 SCI80280

SCS

SOL10236 SOL10256 SOLBAZ24

SPP

TBS

248

238

SHS3530 SHS3540 SHS3540AS SHS3550

SKR-SKS

232

183

SKR10100 SKR10120 SKR10140 SKR10160 SKR1080 SKR12100 SKR12120 SKR12140 SKR12160 SKR12200 SKR12240 SKR12280 SKR12320 SKR12400 SKR75100 SKR7560 SKR7580 SKS75100 SKS75120 SKS75140 SKS75160 SKS7560 SKS7580

SOL SOL10156 SOL10186 SOL10206

70

257

49

TBS10160 TBS10180 TBS10200 TBS10220 TBS10240 TBS10260 TBS10280 TBS10300 TBS10320 TBS10340 TBS10360 TBS10380 TBS10400 TBS6100 TBS6120 TBS6140 TBS6160 TBS6180 TBS6200 TBS6220 TBS6240 TBS6260 TBS6280 TBS6300 TBS680 TBS8100 TBS8120 TBS8140 TBS8160 TBS8180 TBS8200 TBS8220 TBS8240 TBS8260 TBS8280 TBS8300 TBS8320 TBS8340 TBS8360 TBS8380 TBS840 TBS8400 TBS860 TBS880

VGS

VGS9160 VGS9200 VGS9240 VGS9280 VGS9320 VGS9360

VGZ

SUS6 SUS8

SCS4842 SCS4872 SCS5555 SCS5575

SHS-AS

245

SPP63125 SPP63145 SPP63165

SUS

ACESSÓRIOS

MADEIRA/METAL

101

VGZ7100 VGZ7140 VGZ7180 VGZ7220 VGZ7260 VGZ7300 VGZ7340 VGZ9160 VGZ9200 VGZ9240 VGZ9280 VGZ9320 VGZ9360 VGZ9400 VGZ9450 VGZ9500

WBAZ

251

WBAZ25A2

WRT

150

WRT131000 WRT13400 WRT13500 WRT13600 WRT13700 WRT13800 WRT13900 WRT9250 WRT9300 WRT9400 WRT9450 WRT9500 WRTT9350

139

VGS11100 VGS11150 VGS11200 VGS11250 VGS11300 VGS11350 VGS11400 VGS11450 VGS11500 VGS11550 VGS11600

269


CARPINTARIA

ESTRUTURAS

LISTA EXTERIOR DE PRODUTOS

MADEIRA/METAL

ACESSÓRIOS

PARAFUSOS - ORDEM ALFABÉTICA

270

nome do parafuso descrição

material e revestimento

pág.

DGZ DRS DRT DWS EWS HBS HBS+evo HTS HZB HZD HZK ISULFIX KKF KKT KOP LBS MBS MCS mini WT MWS SBN SBS SCH SCI A2 SCI A4 SCS SHS SHS AS SKR SKS SOL SPP TBS THERMOWASHER UD VGS VGZ VB WB WBAZ WRT WS WT

aço carbónico com zincagem galvânica branca aço carbónico com zincagem galvânica branca aço carbónico com zincagem galvânica branca aço carbónico fosfatado aço inoxidável AISI410 aço carbónico com zincagem galvânica branca aço carbónico com revestimento revodip aço carbónico com zincagem galvânica branca aço carbónico com zincagem galvânica branca aço carbónico fosfatado aço inoxidável AISI410 sistema de pvc com prego de aço carbónico aço inoxidável AISI410 versão em aço carbónico com revestimento orgânico e em aço inoxidável A4 versão em aço carbónico com zincagem galvânica branca e em aço inoxidável A2 aço carbónico com zincagem galvânica branca aço carbónico com zincagem galvânica branca aço inoxidável A2 com anilha A2/EPDM aço carbónico com revestimento durocoat aço carbónico com zincagem galvânica branca aço carbónico com zincagem galvânica branca aço carbónico com zincagem galvânica branca aço carbónico com zincatura galvanica amarela aço inoxidável A2 aço inoxidável A4 aço inoxidável A2 aço carbónico com zincagem galvânica branca aço inoxidável AISI410 aço carbónico com zincagem galvânica branca aço carbónico com zincagem galvânica branca aço inoxidável A2 com guarnições de EPDM aço carbónico com zincagem galvânica branca aço carbónico com zincagem galvânica branca sistema de propileno aço carbónico com revestimento durocoat aço carbónico com zincagem galvânica branca aço carbónico com zincagem galvânica branca aço carbónico com zincagem galvânica preta aço carbónico com zincagem galvânica branca aço inoxidável A2 com guarnição de EPDM aço carbónico com revestimento durocoat aço carbónico com zincagem galvânica branca aço carbónico com revestimento durocoat

126 64 66 84 236 32 216 54 44 85 229 87 222 208 74 60 82 252 240 254 247 244 68 230 230 248 58 238 180 180 256 244 46 86 132 136 98 172 160 250 148 164 114

conector com dupla rosca para isolante parafuso distanciador madeira/madeira parafuso distanciador madeira/alvenaria parafusos para cartão-gesso parafuso para madeiras duras parafuso de cabeça escareada parafuso para ambiente exterior, cabeça tronco-cónica parafuso de rosca total, com cabeça escareada parafusos HBS de ligação parafusos para cartão-gesso DWS cintado parafusos KKF de ligação bucha para fixação de isolante sobre alvenaria parafuso para ambiente exterior, cabeça tronco-cónica parafuso para ambiente exterior, cabeça cónica tira-fundo DIN571 parafuso de cabeça redonda e subcabeça cilíndrica parafuso auto-roscante de cabeça cilíndrica para alvenaria parafuso com anilha para chapas parafuso de dupla rosca, pequenas dimensões parafuso de conligação métrico + madeira parafuso autoperfurante para metal parafuso autoperfurante madeira/metal parafuso de cabeça escareada parafuso para ambiente exterior, cabeça escareada parafuso para ambiente exterior, cabeça escareada parafuso autoperfurante madeira/metal para ambiente exterior parafuso de cabeça pequena parafuso de cabeça pequena ancorante parafusável para betão ancorante parafusável para betão parafuso para fixação fotovoltaica sobre madeira parafuso autoperfurante madeira/metal parafuso de cabeça larga roseta para fixação de isolante sobre madeira conector de dupla rosca para isolante conector totalmente roscado, cabeça escareada conector totalmente roscado, cabeça cilíndrica conector para lajes madeira-betão sistema de reforço estrutural anilha inoxidável com guarnição de vedação conector totalmente roscado, cabeça escareada pino autoperfurante conector de dupla rosca


NOTAS

271


NOTAS

272


NOTAS

273


274


1400229-06 | 07-14

8 054247 476625

01VITI1PT

Tel. +39 0471 81 84 00 - Fax +39 0471 81 84 84 info@rothoblaas.com - www.rothoblaas.com

COD

Rotho Blaas srl - I-39040 Cortaccia (BZ) - Via Dell窶連dige 2/1

PARAFUSOS PARA MADEIRA - PT  

Com 42 parafusos, a gama mais abrangente da indústria

PARAFUSOS PARA MADEIRA - PT  

Com 42 parafusos, a gama mais abrangente da indústria