Page 1

Janeiro / 2012 Boletim nº 07 Ano 42

O Lobão Rotary Divinópolis Leste – Distrito 4560 – Divinópolis - MG

Presidente 2011/2012: Deusdete de Oliveira Campos

Você Sabia? Dólar Rotário : R$1, 81 Não devemos interromper jamais alguém que esteja falando na Tribuna dizendo “poderia repetir ... “ pois demonstra sua total ignorância e falta de atenção. Prestar atenção na Tribuna é meramente obrigação de todos. Se não entendeu ou perdeu alguma coisa que foi anunciada, procurar a própria pessoa logo após ter terminada a reunião. Mesmo que a pessoa diga uma coisa flagrantemente errada, não deve ser interpelada. Procurar a pessoa logo que estiver fora da Tribuna e alertá-la sobre o erro. O Presidente providenciará para que o reparo ou errata seja feita conforme praxes protocolares. Nesta Edição: Os pontos críticos do .....

2

Kalyan Banerjee

3

Agenda do Presidente

6

Notícias do Leste

8

Centros Rotary Pela Paz

9

Mensagem do Presidente Em 1917, o Presidente do RI Arch C. Klumph propôs um fundo de dotações “com o intuito de fazer o bem no mundo”. Em 1928, após o fundo ter angariado mais de US$5.000, passou a chamarse Fundação Rotária e tornou-se uma entidade do Rotary International. Cinco curadores, entre eles Klumph, foram indicados para administrá-la como um truste único com a intenção de levar adiante os propósitos do RI. Dois anos mais tarde, a Fundação outorgou seu primeiro subsídio, no valor de US$500, para a International Society for Crippled Children, uma associação internacional para crianças deficientes criada pelo rotariano Edgar F. “Daddy” Allen, que mais tarde se transformou na Easter Seals. A Grande Depressão e a II Guerra Mundial dificultaram o crescimento da Fundação, no entanto, a necessidade de promover a paz mundial gerou, no pós-guerra, enorme interesse pelo desenvolvimento da enti-

dade. Quando o fundador do Rotary, Paul P. Harris, faleceu em 1947, contribuições começaram a ser encaminhadas ao Rotary International e foi criado o Fundo em Homenagem Póstuma a Paul Harris para fortalecer a Fundação. Naquele ano, o primeiro programa da Fundação — as Bolsas Educacionais — foi estabelecido. Em 196566, três novas iniciativas foram lançadas: Intercâmbio de Grupos de Estudos, Bolsas para Aperfeiçoamento Técnico e um tipo especial de subsídio que mais tarde viria a ser denominado Subsídios Equivalentes. Os Subsídios “Saúde, Fome e Humanidade” (3-H) foram estabelecidos em 1978, enquanto o programa Voluntários do Rotary teve início em 1980 como parte dos Subsídios 3-H. O programa Pólio Plus, por sua vez, foi lançado em 1984-85 e os Subsídios Rotary para Professores Universitários no ano

Deusdete de Oliveira Campos

seguinte. Os primeiros fóruns pela paz realizados em 1987-88 levaram ao estabelecimento dos Programas da Fundação para Estudos sobre Paz e Resolução de Conflitos. Ao longo dos anos, o apoio à Fundação cresceu vigorosamente. Desde a primeira doação de US$26,50 em 1917, a entidade recebeu contribuições que totalizaram mais de um bilhão de dólares. Somente em 200304, mais de US$70 milhões foram angariados e, até o momento, mais de um milhão de indivíduos receberam o título de Companheiro Paul Harris em reconhecimento a suas doações de US$1.000 ao Fundo Anual para Programas ou por terem tal quantia doada por outrem em seu nome. Esse extraordinário apoio e o envolvimento de rotarianos em todo o mundo favorecem o futuro da Fundação Rotária em sua contínua missão de promover a paz e a compreensão mundial.

Novo Lema Rotário 2012-13 “Paz Através do Servir” é o lema da gestão 2012/2012, anunciada pelo presidente eleito do RI, Sakuji Tanaka. Tanaka revelou o lema durante a abertura da sessão plenária da Assembléia Internacional de 2012, um evento de treinamento para governadores de distrito do Rotary. “Paz, independente de sua

definição, é uma meta verdadeira e realista para o Rotary. A paz não é algo que pode ser alcançada apenas por tratados, governos ou atos heróicos. É algo que podemos encontrar e alcançar a cada dia e de maneiras muito simples.” “No Rotary, nosso negócio não é obter lucro. Nosso negócio é alcançar a paz”.


Página 2 de 10

O Lobão

Os Pontos Críticos do Rotary Sinto que o Rotary de hoje possui quatro grandes pontos críticos. São eles os pontos que mais têm atraído as atenções, mais têm sido abordados e enfatizados pelos dirigentes rotários de todos os níveis. É onde o Rotary mais tem concentrando as suas ações. É com esses pontos críticos que o Rotary vem se preocupando nos últimos tempos. Eles são constantemen-te temas de conferências distritais, seminários, fóruns. Por que são pontos críticos? Porque mesmo com todo o esforço despendido, com todos os progra-mas e recursos empregados, não se consegue eliminá-los, resolvê-los, nem mesmo abrandá-los. Eles são críticos, porque apesar de tudo o que se fez e se faz, eles continuam desafiadores, intangíveis. Na minha opinião, o Rotary de hoje depende da resolução desses quatro pontos críticos. Somente a você, rotariano e a ninguém mais, cabe a missão de levantar e identificar esses pontos críticos do Rotary, para estudá-los, compreendê-los e, finalmente, agir, no sentido de eliminá-los, para que o Rotary volte a crescer, livre, pungente, dinâmico, realizador, eficiente e eficaz. São eles: Primeiro Ponto Crítico: Imagem Pública (Transparência, visibilidade) A Imagem Pública do Rotary precisa de brilho. Precisamos fazer com que as luzes da ribalta focalizem mais o Rotary, Um ponto crítico é, sem dúvida, a sua imagem pública. Apesar de toda uma mudança de concepção, na prática o esforço despendido não tem surtido o efeito esperado. O Rotary precisa aparecer mais. O que percebemos é que o Rotary tem uma visibilidade muito limitada aí fora. Tudo o que fazemos hoje em nossos clubes, todo o trabalho dos rotarianos, seja nas creches, nos centros de apoio a deficientes, nas comunidades, tem tido uma repercussão muito restrita, muito limitada, entre o público que nos observa. De maneira geral, os rotarianos se omitem na divulgação dos feitos de seus clubes. Eles não repassam à mídia qualquer tipo de matéria. Bastaria uma pequena lauda com fotos, em lingua-

gem bem atrativa, com a descrição dos trabalhos e do envolvimento do Clube. Precisamos criar mecanismos em nossos clubes, envolvendo os associados neste trabalho importantíssimo para a transparência do Rotary, principalmente, porque esta é a melhor forma de atrair futuros companheiros para engrossar nossas fileiras. Nossos clubes falham neste quesito, apesar da prioridade que o Rotary vem dando à Imagem Pública, transformando-a em uma das mais importantes ênfases presidenciais de RI nos últimos anos. Segundo Ponto Crítico: Inovação (Mudança, flexibilidade) James Hunt, autor do livro “O Monge e o Executivo” disse: O cúmulo da insanidade é tentar obter resultados diferentes e continuar fazendo a mesma coisa, do mesmo jeito, sempre. O segundo ponto crítico do Rotary, a meu ver, é a inovação, que hoje também é uma das ênfases presidenciais em 20112012, trazida pelo Presidente Kalyan Banerjee. Inovação se consegue levando para nossos clubes a mudança de paradigmas e a quebra da rotina massacrante. O Rotary nunca mudou tanto quanto nesses últimos quinze anos. Ele fez uma verdadeira revolução, em se tratando de inovação. Começou antes do ano 2000, criando o PLD (Plano de Liderança Distrital), o PLC (Plano de Liderança de Clube), e o Planejamento Estratégico. Somente estes três itens representaram uma enorme transformação em Rotary. Foram mecanismos muito úteis para barrar o marasmo e a acomodação que tomava conta dos clubes, que impedia o seu desenvolvimento. Seus resultados ainda não foram sentidos inteiramente, mas o principal benefício foi a continuidade das ações, das metas e objetivos, que passaram a ser de curto, médio e longo prazo. Na Fundação Rotária, o Plano Visão de Futuro ainda em fase experimental, também representa uma tremenda transformação em seus programas, métodos e ações. O PLD, por si só, representou uma profunda mudança na estrutura dos distritos rotários, com a criação e estrutu-

Alberto Bittencourt ração das funções do Instrutor Distrital, dos Governadores Assistentes, dando uma ênfase especial aos Treinamentos, como PETS, GATS, Equipe Distrital, além do Seminário de Capacitação e dos Seminários da Fundação Rotária, Imagem Pública e Desenvolvimento do Rotary. Ainda há muito a melhorar como, por exemplo, a pouca profundidade na abordagem dos assuntos, devido à exigüidade do tempo disponível, pois os seminários são feitos concomitantemente no espaço de uma manhã. Apesar da repetição em várias cidades do Distrito, falta avaliar e divulgar os resultados desses treinamentos. Qual foi efetivamente o alcance das informações recebidas, que mudanças acarretaram e qual foi o resultado das ações daí advindas? Treinamento e capacitação são hoje fatores determinantes de sucesso. O próprio PLC já sofreu mudanças em 2010, com a criação da Quinta Avenida de Serviços, dedicada Às Novas Gerações, de suma importância para o futuro do Rotary. No Distrito 4.500, o meu clube, o RC do Recife-Boa Viagem faz parte do Programa Piloto de Rotary chamado Inovação e Flexibilidade. São apenas duzentos clubes no mundo inteiro e somente dois no Brasil. O que um clube de Rotary pode fazer dentro deste programa Inovação e Flexibilidade? Ele pode virar pelo avesso coisas que sempre foram sagradas em Rotary, como o Estatuto do Clube, antes só alterado mediante proposta aprovada no Conselho de Legislação e submetida à votação pelos delegados votantes dos clubes do mundo, de 3 em 3 anos. Como clube piloto deste programa, o RC Recife-Boa Viagem pode tentar novas experiências, buscar novos paradigmas, novas formas de se reunir e de agir, desde que, claro, fazendo os devidos relatórios. Então, companheiros, uma das preocupações de RI é justamente a mudança para acompanhar as transformações da vida moderna. Quando falamos em mudanças, nos referimos a transformações, não apenas a melhorias. A melhoria é como tornar um gato magro num gato gordo e bonito, mas ele

continuará sendo sempre um gato. A transforma-ção significa tornar o gato ma-gro em um tigre, o que é radi-calmente diferente. Essas trans-formações ainda precisam atin-gir a todos os clubes, com todos os associados trabalhando em conjunto, cada qual em sua comissão, fazendo com que as metas e objetivos sejam realmente alcançados e avaliados. Terceiro Ponto Crítico: Liderança (Integração, participação) O terceiro ponto crítico que eu vejo em Rotary é a formação de novos líderes. Nunca o Rotary foi tão carente de lideranças. Se olharmos para nossos líderes, eles são, desde muito, aqueles de sempre, os mesmos. Nossos clubes precisam de líderes para mobilizar o quadro associativo. São esses líderes que integram os rotarianos dentro do clube, que fazem uns interagirem com os outros, que fazem com que todos participem e se envolvam nos programas, do clube e do Rotary. Assim, o Rotary depende dos líderes, precisa de lideres, são os líderes os responsáveis pelo dinamismo, pela pujança do clube e do Quadro Associativo. Onde estão os novos líderes dos clubes? Eles deveriam estar presentes e alertas, incentivando e levando os companheiros para o caminho proposto pelo PLC, para que o clube cresça e alcance suas metas. Onde estão os novos líderes? Eles estão fazendo muita, muita falta mesmo, nos clubes, nos Distritos e até em Rotary International. Ouvi alguém dizer: mas são os próprios líderes que impedem o surgimento de novos, para não perder espaço. Não acredito, respondi. A verdadeira liderança é aquela que forma novos líderes para abraçar e seguir seus ideais. É assim no Rotary. A formação de novos líderes começa em nossos clubes, com a convocação de companheiros para trabalhos e apresentações, para palestras e exposições. O que muito ajuda na preparação e divulgação destas novas lideranças são as reuniões conjuntas de dois ou mais clubes, os interclubes temáticos e o intercombio de rotarianos em reuniões plenárias e palestras em outros clubes Continua pág 4


Página 3 de 10

O Lobão

Mensagem do Presidente de RI Queridos irmãos e irmãs em Rotary, No Cemitério Nacional em Washington, D.C., há um memorial aos Seabees, que eram conhecidos como a Força de Construção Naval dos Estados Unidos. Naquele local, lê-se: “Com boa vontade nos corações e habilidade nas mãos, o que é difícil fazemos na hora, o impossível leva um pouco mais de tempo” No Rotary, já temos nossos lemas, mas se não tivéssemos, eu sugeriria esses dizeres: A força do empenho conjunto, como escreveu Paul Harris, não conhece limites. Quando trabalhamos juntos, o impossível se torna possível. Pensei nisso quando, há poucos meses, li um artigo no New England Journal of Medicine , o maior jornal de medicina nos Estados Unidos, entitulado “O Fim do Jogo para a Pólio”. O artigo trazia uma estratégia para uma era pós-pólio, inclusive a gestão de riscos após a

erradicação da doença. Há trinta anos, tal artigo não poderia ter sido publicado, mas hoje ele é um testamento do poder de dedicação, persistência e empenho conjunto. O impossível, sem dúvida, se tornou possível. Um mundo livre da pólio, que um dia era sonho, em breve será realidade . Amigos, estamos prestes a ver o fim dessa doença, e temos que estar preparados para isso, com um Rotary forte, repleto de entusiasmo e confiança, com visão audaz e ambições claras. É hora de nos prepararmos e analisarmos honestamente nossos clubes. Nossos projetos são importantes, sustentáveis e relevantes? Nossas reuniões são produtivas e agradáveis? Nossos clubes estão abertos a novos associados, e os nossos horários e eventos são convidativos aos mais jovens? E depois que alguém se torna rotariano, nos lhe

damos as devidas boasvindas e o engajamos o suficiente? Nós fazemos com que os novos rotarianos rapidamente se sintam parte da Família Rotária? Os números nos mostram que embora muitos se juntem ao Rotary todos os anos em todos os lugares, muitos deixam nossa organização. O que os fizeram sair? Que expectativas não atendemos? Podemos fazer mais e melhor? Agora é hora de focar nossas energias nos clubes, e na forma em que as pessoas os veem. É hora de mostrar a nossas comunidades que o Rotary de hoje não é o Rotary de antigamente. O Rotary é uma forma das pessoas se conectarem, fazerem e serem mais; é uma forma de transformarmos nosso idealismo e nossa visão em realidade .

Kalyan Banerjee Presidente do Rotary International em 2011-12

Mensagem do Diretor de RI – José Antônio Antiório Ana Lúcia e eu, acreditamos que todos os rotarianos do Distrito 4560, tiveram um Natal e um Ano Novo muito feliz ao lado de seus familiares e amigos. Agora chegamos na metade do Ano Rotário 2011-12, e é hora de avaliarmos os pontos fortes e fracos em nossos Clubes e nossos Distritos. Para diagnosticarmos esta avaliação se faz necessário compararmos os nossos projetos e atividades em relação ao mesmo período dos anos anteriores ou com os outros Clubes e Distritos com quem tivemos a oportunidade de nos relacionar. Vamos também olhar dentro de nós e dos nossos Clubes e verificar se estamos seguindo as orientações que o Rotary International nos recomenda e se nossas ações correspondem

às necessidades de nossas comunidades. Este mês o Rotary International, dedica suas atenções a reflexão sobre a conscientização Rotária. Consciência em Rotary é conhecer a nossa organização, a que ela se propõe e se nós caminhamos na direção correta ou na contra mão. Consciência em Rotary é saber que nós existimos, por sermos profissionais detentores de uma classificação, que representa a diversidade em Rotary. Consciência em Rotary é conhecer o que nos recomenda o nosso Manual de Procedimentos. Consciência em Rotary é obedecer aos princípios e objetivos inseridos nas 5 avenidas de serviços

(internos, profissionais, comunidade, internacionais e novas gerações). Consciência em Rotary é estar sempre atento no desenvolvimento do quadro associativo, na manutenção dos sócios e na expansão Distrital. Consciência em Rotary é buscar recursos para nossa Fundação que através dela realizaremos projetos que representem as necessidades das nossas comunidades. Consciência em Rotary é ser um cidadão completo, que represente a verdadeira imagem da ética, da compreensão, do companheirismo, da responsabilidade, do amor e da solidariedade junto à humanidade. José Antonio Figueiredo Antiório Diretor de Rotary International

Diretor de RI – 2011/13 José Antônio F. Antiório


Página 4 de 10

O Lobão Fevereiro – Mês da Compreensão Mundial Colaborar para o avanço da compreensão mundial é um dos mais importantes aspectos dos serviços do Rotary International. Como membros de uma organização mundial, rotarianos encontram-se em posição privilegiada de poder disseminar boa-vontade em seu país e fora dele. Como já dizia Paul Harris, fundador do Rotary International: “Para promover a compreensão mundial, precisamos conscientizar grande número de pessoas – rotaria-

nos e não-rotarianos – e esta tarefa não pode ser realizada individualmente”. E, para comemorar o mês da compreensão mundial nada melhor do que criar consciência sobre a história do Rotary, divulgando seus trabalhos. Compartilhando os sucessos do seu clube, estará contribuindo para que a imagem do Rotary seja respeitada e reconhecida pela comunidade. Além disso, para assegurar a existência de futuras gerações de rotarianos, o trabalho de promoção do

Rotary deve ser realizado também entre os jovens. Uma dica importante e que deve ser levada em consideração é que, ao informar o público sobre um determinado projeto, os responsáveis pela imagem pública nos clubes devem sempre incluir informações básicas sobre o Rotary, como um resumo das suas atividades, filosofia e quadro social, além de dar destaque à roda rotária, símbolo mais reconhecido da organização.

Celebre o “Dia do Rotary” em 23 de Fevereiro Com o dia 23 de Fevereiro chegando, todos os Clubes são incentivados a planejar eventos para marcar o aniversário de 107 anos do Rotary. No último ano, clubes e distritos fizeram um grande esforço para reconhecer e homenagear os trabalhos do Rotary e divulgar amplamente a

mensagem "Elimine a Pólio Agora". Embora 23 de Fevereiro seja o aniversário oficial do Rotary, qualquer dia pode ser eleito como o dia do Rotary em sua comunidade. Lembre-se que seu plano de comunicação para o dia da celebração deve ter foco nos serviços prestados, mostran-

do o que o Rotay é e o que faz ao redor do mundo. Rotary International Brazil Office Compartilhe seus planos e idéias para esse ano com o departamento de Relações Públicas do RI: pr@rotary.org

Continuação pág 2 – Os Pontos Críticos do Rotary

EGD Alberto Bittncourt Distrito 4500

Quarto Ponto Crítico: Seriedade (Comprometimento, ética) E o último ponto crítico, na minha ótica, chama-se Seriedade. Quando eu digo seriedade, eu falo em Comprometimento e Ética, e quando falo em Ética, falo em Prova Quádrupla. Não é a totalidade, graças a Deus, mas podemos ter a certeza que para a maioria dos rotarianos, falta seriedade no compromisso rotário. O que é seriedade? Seriedade é não ficar acomodado, não empurrar com a barriga as obrigações para com o grupo, nem os compromissos que, como rotariano assumiu. Hoje em dia é o que você vê a maioria dos associados fazer. ] Quem não tem seriedade, quem não vê o Rotary com seriedade, não comparece às reuniões, não assume funções e quando as

tem, não se empenha no trabalho, não faz jus ao distintivo, nem ao título de rotariano. Esses Quatro Pontos Críticos aparecem nitidamente quando se faz uma análise a partir dos problemas que nossos clubes enfrentam. Eles precisam vencer e superar estes Quatro Pontos Críticos, para que nossa associação volte a crescer numericamente e possa produzir ações cada vez mais importantes para a humanidade. Acredito que os CENTROS DE ESTUDOS ROTÁRIOS dos Distritos possam dar uma efetiva colaboração nesse sentido. Precisamos fazer alguma coisa, começando dentro de nossa casa, para depois, fortalecidos e unidos como um FEIXE DE VARAS, podermos defender um

BRASIL cada alegre e feliz.

vez

melhor,

O texto é do companheiro: Alberto Bittencourt Rotary Club do Recife-Boa Viagem; D-4500 Governador do Centenário 2004/05 Classificação.: engenharia civil Referente a palestra e debate proferido no CENTRO DE ESTUDOS ROTÁRIOS, apresentado na REPRESE dos clubes do Grande Recife, em 25 de outubro de 2011


Página 5 de 10

O Lobão

Banerjee dá Conselhos de Como Fortalecer os Clubes A melhor maneira de governadores eleitos fortalecerem os clubes é servindo de exemplo e liderando pessoas de igual para igual, disse o presidente do RI Kalyan Banerjee, na Assembleia Internacional do Rotary. Banerjee compartilhou este e outros conselhos durante a segunda sessão plenária em 16 de janeiro, para ajudar governadores eleitos a darem melhor apoio aos rotarianos do distrito. “Estamos aqui porque amamos o Rotary e porque amamos tudo o que somos capazes de fazer por meio dele. E estamos aqui por que queremos fazer ainda mais,” disse ele. Banerjee explicou que ser líder no Rotary

significa dar suporte, e não ordens. A regra de ouro de um grande líder, é ser o tipo de líder sobre o qual todo rotariano diz: "Se um dia eu me tornar governador do distrito, quero ser como ele". Ser confiável é também uma grande qualidade, acrescentou Banerjee. “Um grande líder é aquele digno de confiança. Se ele não tiver todas as respostas, podemos confiar que ele saberá onde as encontrar. Ele está sempre pronto a ouvir o que temos a dizer, não descartando as preocupações de quem o procura e levando a sério a pessoa e o problema”. Manter o equilíbrio certo entre trabalho e diver-

são também é essencial para incentivar os clubes. Ele concluiu dizendo que: "Ninguém questiona que vocês precisam se divertir na sua vida rotária e ter um ambiente descontraído, no entanto, isso é secundário, pois o trabalho tem que vir em primeiro lugar. Todos nós nos divertimos no Rotary, mas o principal motivo de estarmos aqui deve ser o trabalho, o desejo de ser útil ao próximo, e a diferença que podemos fazer por meio desta organização". “Para ter sucesso, vocês deverão deixar o ego de lado e não cair na armadilha do meu ano". Em vez disso, pensem a longo prazo, pensem na saúde da comunidade em que vivem e na saúde da nossa organização”.

Megan Ferringer

Ser Líder no Rotary significa dar suporte, e não ordens disse Banerjee

“Ao usar o distintivo rotário estamos a anunciar ao mundo que somos honestos, francos e prudentes. O emblema rotário é uma mensagem pública e uma auto-apresentação. É um sinal da nossa dedicação a ideais compartilhados e um firme comprometimento com altos padrões de ética que nos são exigidos como condição essencial para que nos tornemos rotários. Se conservarmos altos esses requisitos, seremos capazes de desempenhar o nosso serviço humanitário com maior eficácia, porque teremos conquistado a confiança das pessoas, das comunidades e dos governos. ” Wilfrid J. Wilkinson, 2007-08 RI President

Incremento no Quadro Associativo dos Distritos Brasileiros Como já DE é de DI FUSOR ÁG conhecimento UA SEG UNDAoCAConselho MADA DE ÁG UA comum, Diretor BIO-CA MADA do RI determinou que cada AREIA distrito possua no mínimo 1.200 associados, ou poderão passar por um possível redistritamento. A partir daí todos os clubes e Governadores começaram a trabalhar em conjunto com os Presidentes de Comissão Distrital, Coordenadores de Rotary e o Diretor de RI, entre outros líderes, para atingir estes números. Neste último mês, crescemos quase 450 associados. Hoje contamos com 2.375 clubes e cerca de 56.300 rotarianos, o que demonstra a forte presença do Rotary

no Brasil. Parabenizamos a todos que estão envidando esforços para o incremento do quadro associativo no Brasil. Vamos continuar trabalhando para que todos os distritos atinjam e continuem com 1.200 associados. No nosso Distrito 4560, iniciamos o ano rotário 20112012 com 1236 associados e hoje nosso distrito conta com mais um clube e mais 65 associados, passando atualmente para 1301. Saímos da Zona de rebaixamento se estivessemos falando de futebol, mas graça aos esforços dos bravos companheiros que procuraram durante

este ano rotário apadrinhar novos sócios, criar novos clubes trazendo melhorias para o nosso distrito. Não poderia deixar de falar do nosso Leste que este ano até o presente momento cresceu em 12% no seu quadro associativo. Éramos 43 companheiros em 01/07/2011 e agora somos 48 companheiros na eminência de conseguir mais dois novos companheiros ainda em Fevereiro. Não nos esquecendo que também este ano foi criado o Rotary Kids e o Interact além da existência do Rotaract que tanto fazem por Divinópolis sendo a preparação para futuros Rotarianos.

Banerjee disse: É responsabilidade de todo rotariano trabalhar para o aumento do quadro associativo e garantir o futuro do Rotary. Nenhum associado leva isto mais a sério do que o presidente do RI Kalyan Banerjee."Quanto mais associados tivermos, mais poderemos fazer", "Os rotarianos devem indicar mais associados potenciais. Nosso crescimento anual é de 5%, porém, se a cada dois anos um rotariano trouxer para o Rotary um novo associado, nosso crescimento será de 50%."


Página 6 de 10 Rotary Divinópolis Leste Expediente Presidente RI- Kalyan Banerjee Governador –Fabiano Antônio de Souza Gov Assistente- Paulo Roberto Ramos

Conselho Diretor: Presidente: Deusdete de O. Campos Vice-Presidente: José Geraldo Secundino Presidente Indicado 2012/13: José Geraldo Secundino 1º Secretário: José Gomes Pimenta 1º Tesoureiro: Joaquim Alves Neto 1º Protocolo: José Maria Ribeiro 1º Orador: Élson Penha Silva Presidente das Comissões: Administração do Clube: Fábio Rodrigues da costa Desenvolvimento Quadro Social: José Vítor Batista de Freitas Fundação Rotária: Junio Lopes de Oliveira Prestação de Serviços Comunidade: Veli Rodrigues Prestação Serviços Internacionais: José Lemes Bueno Relações Públicas: Antônio Carlos da Silva Novas Gerações: José Francisco Martins CAESC – Antônio Claret Costa Cadeira de Rodas – Ílio Milani Social da Amizade – Maria Lúcia Prazeres Campos Ex-Presidentes: Josselito Alves Perdigão Paulo Roberto Ramos José Vítor Batista de Freitas Casa do Rotariano: Fernando Gomes de Souza Jean Marc Mora Maia Conselho Fiscal: Paulo Roberto Ramos Jair Mendonça Rennó Geraldo Magela Pedra

Visite-nos em: www.rotarydivinopolisleste.org/novo

Responsável pelo Boletim: Digitação e diagramação – Ana Maria Henriques Horta Ribeiro

"O Mundo é um lugar perigoso de se viver, não por causa daqueles que fazem o mal, mas sim por causa daqueles que observam e deixam o mal acontecer" (Albert Einstein)

O Lobão Julho e Janeiro, datas para pagamento Per capita Ao contrário do que muitos clubes acreditam e tomam como prática, os meses de Janeiro e Julho (1º e 2º semestres do ano rotário) são os períodos corretos e determinados pelo Conselho Diretor de RI para que os clubes paguem a per capita semestral. Juntamente ao pagamento, deve ser enviado ao RI o

Relatório Semestral de sócios corrigido e atualizado. Esse documento é enviado aos secretários de clubes sempre nos meses de Janeiro e Julho . Alternativamente, os clubes poderão baixá-lo diretamente no Portal de RI. Os pagamentos devem ser feitos preferencialmente através de boleto bancário, o

qual deve ser gerado no site www.rotary.org.br link “emissão de boleto”. Dúvidas poderão ser dirimidas através do e-mail carlos.afonso@rotary.org ou fabio.peverari@rotary.org

Agenda do Presidente no mês de Fevereiro - Planejar e realizar reunião do conselho diretor do clube. - Promover participação na conferência distrital. - Enviar relatório mensal de freqüência e sobre o quadro social ao governador ou secretário distrital até 15 dias após a última reunião do mês. - Planejar atividades que promovam a paz e compreensão mundial.

- 23 de fevereiro (aniversário do Rotary) – Dia da Paz e Compreensão Mundial. Conduzir atividades que enfatizem o compromisso do Rotary com a amizade, compreensão e paz mundial. - Monitorar metas e projetos para o desenvolvimento do quadro social. - Promover participação na convenção internacional do RI.

Só rindo… Um casal fez um acordo que se existisse reencarnação, o primeiro a morrer informaria o outro como é que era. O marido foi primeiro, contactou a mulher e contou-lhe: "Meu Bem... levanto-me cedo e faço sexo. Tomo o café da manhã e vou para o campo de golfe. Faço mais sexo, apanho sol e faço sexo mais algumas vezes.. Depois almoço, com muitos legumes e verduras, mais sexo... Depois do jantar, volto ao campo de golfe e faço mais sexo até anoitecer. Depois durmo muito bem para recuperar e no dia seguinte recomeça tudo igual outra vez." A mulher pergunta: "Estás no Paraíso?" " Não, reencarnei e agora sou um coelho numa fazendinha em Atibaia"

HUMOR CLÍNICO- Doutor, quando eu era solteira tive que abortar seis vezes. Agora que casei, não consigo engravidar. - Seu caso é muito comum: você não reproduz em cativeiro. _____________________ - Doutor, tenho tendências suicidas. O que faço? - Em primeiro lugar, pague a consulta. _____________________ - Doutor, sou a esposa do Zé, que sofreu um acidente; como ele está? - Bem, da cintura para baixo ele não teve nenhum arranhão. - Puxa, que alegria. E da cintura para cima? - Não sei, ainda não trouxeram essa parte. _____________________ Após a cirurgia: - Doutor, entendo que vocês médicos se vistam de branco. Mas por que essa luz tão

forte? - Meu filho, eu sou São Pedro. _____________________ No psiquiatra: - Doutor, tenho complexo de feia. - Que complexo que nada. _____________________ - Doutor, o que eu tenho? - Ainda não sei, mas vamos descobrir na autopsia. _____________________ - Meu médico é um incompetente. Tratou do fígado de minha esposa por vinte anos e ela morreu do coração. - O meu é muito melhor. Se trata você do fígado, você morre do fígado. _______________________ - Doutor, vim aqui para que o senhor me tire os dentes. - Mas minha senhora, não sou dentista, sou gastroenterologista... e vejo que a senhora não tem nenhum dente na boca. - É claro, engoli todos.


Página 7 de 10

Levar a vacina oral antipólio a crianças até as áreas ainda mais afetadas pela doença é um trabalho árduo e intensivo, devido a uma série de desafios...

O Lobão Desafio do Rotary chega aos US$200 milhões Alb t supeBitt O Rotary International rou o desafio lançado pela Fundação Bill e Melinda Gates, que era arrecadar US$200 milhões em prol da erradicação da pólio, e até 17 de janeiro arrecadou US$202,6 milhões. “Comemoramos a quantia arrecadada, mas isso não significa que vamos parar de levantar fundos ou conscientizar o mundo sobre a importância de se erradicar a pólio”, afirmou o curador da Fundação Rotária, John Germ, durante a conferência anual de líderes rotários. “Não podemos cessar até que o mundo inteiro esteja certificado como livre da pólio.” O desafio foi alcançado em resposta a uma doação de US$355 milhões da Fundação Bill e Melinda Gates, e todos os fundos arrecadados têm sido direcionados a atividades de imunização antipólio em países onde essa terrível doença continua a deixar muitas crianças com paralisia. “Em reconhecimento ao grande trabalho do Rotary, e a fim de inspirar os rotarianos no futuro, a fundação se compromete a doar mais US$50 milhões, estendendo nossa parceria”, anunciou Jeff Raikes, CEO da Fundação Gates, em seu discurso durante a Assembléia Internacional do RI. “O Rotary começou a primeira batalha contra a pólio, e continua a liderar

t iniciativas de arrecadação de fundos do setor privado, engajar os envolvidos no trabalho de erradicação, e a manter a pólio como prioridade na agenda dos principais tomadores de decisões.” A nova doação de US$50 milhões da Fundação Gates não é um novo desafio de equiparação. Desde 1988, a incidência de pólio caiu em mais de 99%, de cerca de 350.000 casos anuais para menos de 650 casos registrados em 2011. O vírus selvagem da poliomielite permanece endêmico em apenas quatro países: Afeganistão, Índia, Nigéria e Paquistão. No entanto, dia 13 de janeiro completou um ano desde o último caso registrado na Índia, um passo importante para que o país seja removido da lista de endêmicos. Outros países ainda continuam em risco de casos de pólio importados de regiões endêmicas. Em 2011, na África, o Chade e a Repú-blica Democrática do Congo sofreram surtos alarmantes, e houve também casos isolados de pólio na China, que estava livre da doença há uma década, o que foi atribuído a importação do vírus do Paquistão. Os rotarianos não foram os únicos que doaram em prol do desafio, eles engajaram suas comunidades em uma série de

projetos de arrecadação de fundos, como um desfile de modas na Califórnia, mostra de um filme na Nova Zelândia e Austrália, e uma escalada ao Kilimanjaro, Tanzânia, que arrecadaram US$52.000, US$54.000 e US$38.000, respectivamente. Muitos eventos foram realizados por volta de 24 de outubro, Dia Nacional de Combate à Pólio. Até então, os associados de Rotary Clubs no mundo todo já contribuíram mais de US$1 bilhão em prol da erradicação da poliomielite, uma causa levantada pelo Rotary em 1985. Em 1988, a Organização Mundial da Saúde, o Unicef, e o Centro Norte-Americano de Controle e Prevenção de Doenças se aliaram ao Rotary na Iniciativa Global de Erradicação da Pólio. Recentemente, a Fundação Gates se tornou um forte parceiro, doando US$100 milhões ao Rotary em novembro de 2007, e aumentando a quantia para US$355 milhões em 2009. O Rotary concordou em arrecadar US$200 milhões em equiparação até 30 de junho de 2012. Levar a vacina oral antipólio a crianças até as áreas ainda mais afetadas pela doença é um trabalho árduo e intensivo, devido a uma série de desafios, como pobre infraestrutura local, isolamentos geográficos, conflitos armados e mal-entendidos sobre a campanha de erradicação.

Reflexão do mês de Janeiro– O Jumentinho Um jumentinho voltando para sua casa todo contente, fala para sua mãe:- Fui a uma cidade e quando lá cheguei fui aplaudido, a multidão gritava alegre, estendia seus mantos pelo chão... Todos estavam contentes com minha presença. Sua mãe questionou se ele estava só e o burrinho disse: -Não, estava levando um homem com o nome de Jesus. Então sua mãe falou: -Filho,

volte a essa cidade, mas agora sozinho. Então o burrinho respondeu:- Quando eu tiver uma oportunidade, voltarei lá... Quando retornou a essa cidade sozinho, todos que passavam por ele fizeram o inverso, maltratavam, xingavam e até mesmo batiam nele. Voltando para sua casa, disse para sua mãe: - Estou triste, pois nada aconteceu comigo. Nem palmas, nem

mantos, nem honra... Só apanhei, fui xingado e maltratado. Eles não me reconheceram, mamãe... Indignado o burrinho disse a sua mãe: - Porque isso aconteceu comigo? Sua mãe respondeu: - Meu filho querido, você sem JESUS é só um jumento! LEMBRE-SE SEMPRE DISSO. JESUS É O SENHOR.......


Página 8 de 10

O Lobão

Índia e Rotary comemoram o 1º ano do país como livre da Pólio Os rotarianos do mundo todo comemoram com cautela um grande marco nos esforços globais de erradicação da poliomielite: a Índia, até pouco tempo considerada um epicentro do vírus selvagem da pólio, completa um ano sem registro de um novo caso. O último caso na Índia foi registrado em uma garota de dois anos em West Bengal dia 13 de Janeiro de 2011. O país apresentou 741 casos em 2009, e 42 em 2010. Um dos fatores mais importantes desse sucesso tem sido o uso da vacina oral antipólio bivalente, que é eficaz contra ambos os tipos remanescentes do vírus. Outro fator tem sido o rigoroso monitoramento, que ajudou a reduzir para 1% o número de crianças que deixaram de ser vacinadas durante os Dias Nacionais de Imunização, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS). O Rotary é um dos parceiros líderes na Iniciativa Global de Erradicação da Pólio Iniciativa Global de Erradicação da Pólio desde 1988, juntamente com a OMS, o Unicef e o Centro Norte-Americano de Controle

e Prevenção de Doenças. A Fundação Bill e Melinda Gates também é chave nessa iniciativa. Vestindo seus coletes e bonés amarelos, os cerca de 119 mil rotarianos na Índia têm ajudado a vacinar crianças, organizar acampamentos pró-saúde e demonstrações de conscientização sobre a pólio, com a distribuição de banners, bonés, gibis e outros itens. “Com o apoio de nossos irmãos e irmãs em Rotary no mundo todo, os rotarianos indianos trabalharam mês a mês, ano a ano, para ajudar a conduzir Dias Nacionais de Imunização, levando a vacina oral antipólio a milhões de crianças”, afirmou o presidente do Rortary International, Kalyan Banerjee, do Rotary Club de Vapi, Índia. “A conquista de um ano inteiro sem um caso da pólio na Índia é um passo significativo rumo a um mundo livre dessa doença; um exemplo do que pode ser feito não importa qual seja o problema a ser enfrentado”, diz Robert S. Scott, chair da Comissão Internacional Pólio Plus do Rotary. “Os rotarianos da Índia estão e devem estar

Notícias do Leste •

Férias, como é bom a gente poder curtir alguns momentos com a família e amigos. A primeira semana de janeiro não tivemos reunião , muitos companheiros aproveitaram para viajar e descansar o corpo e a alma, pois ninguém é de ferro. Nossas reuniões de janeiro estão muito boas, pois para nossa alegria, estamos recebendo visita de vários jovens que participam conosco das reuniões como o Paulo Júnior, Sálua, e Jomar. Espero que gostem do que viram e voltem mais

vezes ao nosso clube se tornando quem sabe, futuros rotarianos. A nossa intercambista Naime fez para nos uma apresentação sobre seu país de origem , México. Falou sobre sua cidade e também sobre sua família. No final nos serviu uma tortilha. Gostamos muito viu? Vários projetos estão sendo apresentados por companheiros novos, com todo o gás para o trabalho voluntário. Pedro Paulo e Luiz Cláudio, mostram a

orgulhosos de seu empenho em todos os sentidos, pois sem eles, o mundo não estaria alcançando esse marco.” Deepak Kapur, de Nova Delhi, que preside o programa de erradicação da pólio do Rotary na Índia, também reconhece o empenho do Ministério da Saúde da Índia nessa batalha. Até então, o governo indiano gastou mais de US$1,2 milhão em atividades em prol da erradicação da doença. “O apoio governamental é crucial se quisermos derrotar a pólio, e temos a sorte de termos um governo que é nosso maior promotor nessa empreitada”, afirma Deepak. “Olhando para o futuro, o objetivo é manter os bons resultados”, acrescenta, descrevendo como “decisivas” as rodadas de vacinação em janeiro, fevereiro e março.” Se todos os testes para casos de pólio até 13 de janeiro continuarem sendo negativos, a Índia será declarada pela OMS como tendo interrompido a transmissão do vírus selvagem da pólio, traçando o caminho para que o país seja removido da lista de países ainda endêmicos em relação à doença, que comparti-

que vieram. Parabéns, e com certeza, estaremos trabalhando nestes projetos breve. Presidente Deusdete e Maria Lúcia sempre recepcionando companheiros em sua residência. Lá a gente aprecia coisas gostosas e diferentes feitas pelas mãos habilidosas da Lúcia. Precisamos de algumas receitas viu? Estamos precisando sacudir a poeira que está acumulada em nossos corpos cansados.

ha com o Afeganistão, Paquistão e Nigéria. No entanto, outros países permanecem em risco para casos importados dos países endêmicos, e é por isso que as vacinações na Índia e em outros países devem continuar. O país vizinho, Paquistão, que tinha registrado 181 casos em 2011, é a maior ameaça contra o status de “livre da pólio” da Índia. Em 2011, um surto de pólio na China, país que estava livre da doença há 10 anos, foi traçado como tendo sua origem no Paquistão. . Banerjee conclui: “Como indiano, estou muito orgulhoso do que o Rotary conquistou, porém, sabemos que esse não é o fim de nosso trabalho. O Rotary e seus parceiros devem continuar a imunizar crianças na Índia e em outros países até que a meta final de um mundo livre da pólio seja alcançada”.

• •

Que tal a gente tomar um banho de arruda, tirar a urucubaca que está impregnada em nós, o marasmo que não quer deixar a gente de lado para podermos arregaçarmos as mangas e partirmos para por a mão na massa? Vamos sacudir a poeira gente!!!! Que 2012 venha e que possamos levar a nossa solidariedade a todos que precisam. O Novo Lema rotário 2012/2013 é Paz no Servir. Só falta agora o presidente. Quem???


Página 9 de 10

O Lobão

Centros Rotary pela Paz A Fundação Rotária é uma instituição filantrópica cujo objetivo é incentivar a paz, compreensão e relações amistosas entre os povos de diferentes nações, através da promoção de projetos tangíveis e eficientes de caráter filantrópico, humanitário e educacional, tornando o mundo um lugar melhor para se viver. A Fundação Rotária realiza seu objetivo através de Programas Humanitários e de Programas Educacionais. Dentre os Programas Educacionais, se destacam os “CENTROS ROTARY PELA PAZ”, os quais têm por objetivo: 1) Promover pesquisa, ensino, divulgação e aumento do conhecimento sobre assuntos relativos a paz, causas de conflitos e compreensão mundial. 2) Oferecer oportunidades para estudo avançado a um grupo de Bolsistas Rotary pela Paz provenientes de vários países e diferentes culturas, com o intuito de fortalecer o conhecimento e a compreensão mundial entre possíveis futuros líderes de governos, empresas, instituições educativas, mídia e comunidades. 3) Criar programa pelo qual a Fundação Rotária do Rotary International e os Rotary Clubs possam tornarse cada vez mais eficazes na promoção de maior tolerância e colaboração entre as pessoas, contribuindo ao advento da paz e compreensão mundial. Salientamos que esse programa é a maior prioridade educacional e pró-paz da Fundação Rotária, que estabeleceu os Centros Rotary pela Paz nas seguintes instituições: ƒ Chulalongkorn University, Bangcoc, Tailândia ƒ Duke University e

University of North Carolina, Chapel Hill, Carolina do Norte, E.U.A ƒ University of Queensland, Brisbane, Queensland, Austrália ƒ Uppsala University, Uppsala, Suécia ƒ International Christian University, Tóquio, Japão ƒ Universidad del Salvador, Buenos Aires, Argentina ƒ University of Bradford, West Yorkshire,Inglaterra Diante dessas informações, muitos rotarianos perguntam: qual o critério para a concessão das bolsas? A Fundação Rotária patrocina até 100 (cem) Bolsas Rotary pela Paz para programas de mestrado ou aperfeiçoamento profissional em relações internacionais, desenvolvimento sustentável, estudos da paz e resolução de conflitos. As inscrições são feitas nos Rotary Clubs locais, que as endossam e enviam aos Distritos. Após analisar e endossar as inscrições, os Distritos as encaminham para a Fundação Rotária, que, por sua vez, seleciona os candidatos em um processo competitivo mundial, através de uma comissão específica. As Bolsas Rotary pela Paz são oferecidas mundialmente com base em mérito. Os bolsistas são escolhidos com base em sua capacidade de criar impacto significativo, propagar a paz e resolver conflitos em sua carreira profissional. Ainda esclarecemos que esse programa é mantido por fundos, formados por contribuições distritais provenientes dos respectivos

Júnio Lopes de Oliveira - 25/01/2012 Fundos Distritais de Utilização Controlada (FDUC), através de doações vinculadas; e do Fundo Mundial. Então, surge uma curiosidade: afinal, o que fazem os ex-bolsistas? Após concluir o mestrado, os ex-bolsistas trabalham em várias áreas em órgãos federais, ONGs, empresas de consultoria, forças armadas e em organizações internacionais, aumentando as possibilidades de paz, resolução de conflitos, cooperação nacional e internacional, e prestação de serviços humanitários. Os CENTROS ROTARY PELA PAZ” são mantidos através das contribuições financeiras feitas para a Fundação Rotária. O referido programa já está produzindo bons frutos e causando impacto positivo, seja na vida dos ex-bolsistas, seja na comunidade mundial. Portanto, cons-cientes que “Mais Se Beneficia Quem Melhor Serve”, colaboremos doando para o cofrinho, doando latinhas, promovendo eventos beneficentes e, na medida do possível, fazendo doações individuais. E lembremos sempre que, através da nossa contribuição, por menor que seja, a Fundação Rotária continuará “Fazendo o Bem no Mundo”. ¾ Bibliografia: Manual de Procedimento de 2010 Bolsas Rotary Pela Paz – 084-PT Centros Rotary pela Paz – Guia para Rotarianos – 085PT Site na Internet: www.rotary.org

Topo: Shai Tamari, Bolsista Rotary pela Paz em 200608, em um acampamento de refugiados palestinos na Jordânia. Foto cedida por Shai Tamari. Abaixo: Bolsistas Rotary pela Paz da University of California, Berkeley. Foto cedida por Alejandra Rueda Z t


Página 10 de 10

O Lobão

Fotos que falam do Rotary Divinópolis Leste Intercambista Naime em reunião ordinária do Rotary de Divinópolis Leste no mês de janeiro, falou de seu país: “México”

Estes são nossos novos oito companheiros: Pedro Paulo, Henrique, Gilberto Carlos, Sueli e Waldir, Francisco Godoi, Laerte e Luiz Cláudio. Novos companheiros, novas idéias, novos projetos, novos planos, novas ações comunitárias, Nosso Rotary precisa de gente que realmente faz. Mãos a Obra companheiros! Abaixo: Esta turminha ainda está de férias mas está contando os dias para voltarem às suas atividades junto ao Rotary Kids. Que Bom!

O Lobão nº 07  

boletim rotary divinópolis lestenº 07

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you