Issuu on Google+

Grécia, Central Voando nas asas de Éolo, o deus do vento, atravessei o estreito que separa a Itália dos balcãs até a Grécia, berço de toda a civilização ocidental. Um mar azul-turquesa, paisagens de tirar o fôlego e uma cozinha absolutamente divina fazem do país um dos destinos de férias mais procurados do mundo. Certamente, durante a temporada mais concorrida do verão europeu – entre junho e setembro – a Grécia fica superlotada de turistas, mas durante a época de baixa temporada é possível desfrutar melhor dos seus tesouros. E são verdadeiros os tesouros que se descobre numas férias por aqui, como Meteora, verdadeiro domínio dos deuses com seus mosteiros ortodoxos construídos no topo de altos rochedos, a mais de 400 metros da planície e que parecem suspensos no ar! O ambiente de espiritualidade e a calma do lugar foram boas razões para que eu fizesse uma pausa no meu voo, uma parada para apreciar melhor a paisagem absolutamente deslumbrante. Para quem não sabe, foi aqui que James Bond, espião a serviço de Sua Majestade – sim, meninas, esse gato! –, viveu uma de suas grandes aventuras.

Viagem de sabores pág. 68

Dali continuei voando baixinho para o Sul até chegar a Delfos, na base do Monte Parnasso, entre olivais quase tão bonitos como os meus de Portugal. Os gregos antigos acreditavam que era aqui o centro do mundo, talvez pela grande beleza da região. Era aqui, nas ruínas da zona arqueológica, hoje classificada como patrimônio mundial pela UNESCO, que encontrava-se o oráculo mais importante do mundo antigo, a sacerdotisa Sibila, cujas revelações influenciaram grandes figuras da História. Eu não vi o oráculo, mas um passarinho me contou que, se continuasse voando rumo ao Sul, eu descobriria outros lugares de que ia gostar de visitar. E assim fiz, voando sem pressa ao longo das margens do Golfo do Corinto, pois nas férias é sempre bom levar as coisas com um pouco mais de calma.


Junto ao lago Vouliagménis, já no caminho de Atenas, grupos de amigos conversando muito animados enchem as mesas dos bares tradicionais, tomando chope e petiscando pratinhos de várias comidas com nomes bastante exóticos. Achei tão agradável que quase fiquei por ali batendo papo! Como todas as grandes cidades europeias, Atenas, a capital do país, fervilha de vida entre as avenidas, grandes edifícios e, é claro, um trânsito bastante congestionado. Tudo muito diferente do tempo em que Platão e Aristóteles andavam filosofando por aqui. No alto da Acrópole, no topo de um morro que se ergue sobre o centro da cidade, o grande templo do Partenon, verdadeiro cartão-postal da Grécia, parece observar o corre-corre da vida moderna lá embaixo. E é nas ruas exclusivas para pedestres, no bairro Plaka, aos pés desse local sagrado e bem no coração de Atenas, que concentram os bares e os restaurantes mais animados. Meninas, acho que depois dos espanhóis os gregos são o povo mais conversador do sul da Europa! Com temperaturas amenas, as mesas se enchem de gente para almoçar ou jantar ao ar livre e a rua fica parecendo um carnaval, especialmente na hora das refeições. E nada melhor do que uma volta pelas lojas para sentir a alma da cidade. Ali pertinho tem a rua Ermou, onde o trânsito foi cortado e podemos caminhar à vontade entre as várias lojas de roupa de marcas bem conhecidas. Mas se quiser ir a um shopping mais chique vá até ao bairro de Kolonaki, a zona residencial mais elegante da cidade, onde vai encontrar as butiques das melhores marcas.

Viagem de sabores pág. 71


Influências do Oriente Massa com haloumi e azeitonas gregas TEMPO DE PREPARAÇÃO 30 MIN. RECEITA PARA 4 PESSOAS 400 g de qualquer massa curta 200 g de queijo haloumi ralado 4 colheres de sopa de azeitonas kalamata sem caroço 2 cebolas vermelhas em fatias 2 dentes de alho picados 1 colher de sopa de hortelã 1 colher de sopa de salsa 4 colheres de sopa de azeite Andorinha Extra Virgem Sal e pimenta a gosto 1. Cozinhe a massa conforme as instruções da embalagem. Escorra e reserve com um pouco da água do cozimento. Enquanto isso, refogue a cebola e os dentes de alho em azeite, com o fogo baixo, até ficarem caramelizados, cerca de 15 minutos.

Pão à grega TEMPO DE PREPARAÇÃO 15 MIN. RECEITA PARA 2 PESSOAS 4 fatias de pão torrado 4 colheres de sopa de Azeite Andorinha Orgânico 3 dentes de alho 4 colheres de sopa de queijo feta 2 colheres de sopa de hortelã picada 1 pepino em fatias finas 1 pimenta-malagueta vermelha 1. Torre o pão numa torradeira ou no forno e ainda quente esfregue um dente de alho e regue com azeite a gosto. Coma de imediato. 2. Espalhe o feta no pão, cubra com os pepinos cortados bem finos, em seguida polvilhe com a malagueta cortada em fatias, sem sementes. Polvilhe com folhas de hortelã e regue com mais um pouco de azeite. Coma de imediato.

2. Numa taça, misture a massa com a cebola, as azeitonas e as ervas. Polvilhe com o queijo ralado e sirva de imediato.

Viagem de sabores pág. 72

Viagem de sabores pág. 73


Influências do Oriente Costeletas de cordeiro marinadas com salada de abobrinha TEMPO DE PREPARAÇÃO 30 MIN. RECEITA PARA 4 PESSOAS 8 costeletas de cordeiro com pé 4 colheres de sopa de orégano 4 dentes de alho picados 2 abobrinhas 3 colheres de sopa de endro 3 colheres de sopa de Azeite de Oliva Andorinha Sal e pimenta a gosto 200 g de queijo feta 1. Tempere a carne com orégano, sal, pimenta, alho e azeite. Deixe marinar por, no mínimo, quinze minutos. 2. Enquanto isso, corte as abobrinhas com um descascador de legumes e grelhe-as com um fio de azeite. Retire e tempere com sal e pimenta, endro e misture com o feta. 3. Grelhe as costeletas num fio de azeite. Sirva com as abobrinhas.

Boureki com salada grega TEMPO DE PREPARAÇÃO 30 MIN. RECEITA PARA 4 PESSOAS 200 g de ricota 75 g de queijo feta 75 g de queijo haloumi 1 ovo 6 folhas de massa filo Pimenta a gosto Azeite Andorinha Extra Virgem a gosto Hortelã a gosto SALADA GREGA 3 tomates maduros 2 colheres de sopa de azeitonas kalamata 1 cebola vermelha 1 pepino Suco de 1 limão 4 colheres de sopa de Azeite Andorinha Vintage Sal e pimenta a gosto Hortelã a gosto 1. Numa taça, misture os três queijos, acrescente hortelã picada a gosto e tempere com sal e pimenta. Reserve. 2. Pincele uma folha de massa filo com azeite. Coloque outra por cima, pincele e termine com a terceira folha. Disponha a mistura de queijo na borda da folha deixando uma margem nas laterais. Vá enrolando até obter um caracol. Repita o processo com as outras 3 folhas de massa e o resto do queijo para fazer o segundo rolo. Leve ao forno por 20 minutos. 3. Quando o boureki estiver cozido (a massa estiver dourada), retire, corte em fatias e sirva com uma salada grega.

Viagem de sabores pág. 74

Viagem de sabores pág. 75


Grécia, Ilhas Cíclades A minha viagem está chegando ao fim. Conheci lugares surpreendentes e tenho a certeza de que existem muitos outros que mereciam também uma visita. Será um ótimo pretexto para voltar voando! Mas não podia deixar a Grécia sem conhecer algumas de suas ilhas mais paradisíacas.

Meninas, essa viagem pela Europa está sendo maravilhosa. Mas agora o que eu queria mesmo era deitar numa praia deserta e ficar ouvindo o burburinho das ondas, esse suave som que embala a gente e faz desaparecer todos os problemas. Assim, deixei a confusão da cidade e voei ainda mais para o Sul, sobre um mar incrivelmente azul existente só aqui no Mediterrâneo. Do alto a gente percebe bem como a Grécia é feita de mil pedaços, ou melhor, umas seis mil ilhas, ilhotas e rochedos no meio do mar, embora a maioria seja muito pequena para ser habitada. De todas elas, as do arquipélago das Cíclades são as mais visitadas, recebendo milhões de turistas todos os anos. Mas como prefiro lugares mais tranquilos acabei aterrissando em Andros, a ilha mais ao Norte. A primeira coisa que fiz foi parar na famosa Fonte de Sariza, uma nascente de água mineral puríssima na minúscula aldeia de Apoikia, no interior da ilha. Depois, saí voando por aí até achar uma prainha sem ninguém, das muitas que existem na ilha, recortadas em pequenas baías de águas tranquilas. E nessa época do ano, mesmo com tempo bom, não se vê ninguém por aqui. Que luxo ter uma praia só para mim!

Viagem de sabores pág. 76


Pela proximidade de Atenas, Andros é um dos destinos de férias das elites da capital. Os povoados de Andros ou Batsi são muito charmosos, com casinhas brancas polvilhando uma paisagem de pinheirais e de oliveiras. Algumas casas mais antigas, principalmente em Andros, são verdadeiras joias da arquitetura pela influência italiana, do tempo em que as ilhas pertenciam aos venezianos. Sobrevoando o arquipélago das Cíclades pude ver como todas as ilhas formam um círculo em torno da ilha de Delos, cujos antigos consideravam um local sagrado. Rapidamente cheguei à ilha de Naxos, a maior e mais verde de todas. Diz a lenda que Zeus, o rei dos deuses, passou sua infância em Naxos e deixou uma montanha com seu nome a mais de mil metros de altitude. Seu filho Dionísio, deus do vinho e das festas, nasceu aqui e, como prêmio, transformou essa ilha na mais fértil do arquipélago, com muitas árvores frutíferas e olivais. Quem chega de barco é recebido pela visão do principal povoado da ilha, um amontoado de casinhas brancas em torno de uma pequena baía. Lá no alto da encosta uma grande porta de pedra foi a única coisa que sobrou de um antigo templo dedicado ao deus Apolo. E essa terra é mesmo digna dos deuses! Apesar de estar entre as ilhas de Mykonos e Santorini, duas das mais visitadas do mundo, Naxos só começou a receber turistas em tempos mais recentes e vive ainda da ligação com a terra e agricultura. O ambiente por aqui é tranquilo e perfeito para umas férias em família ou a dois para dias bem românticos. Praia o dia inteiro, cervejinha gelada no fim da tarde, passeios pela natureza e descanso até não aguentar mais... que maravilha! Acho que não precisava de mais nada para ser feliz nessa vida! Bom, na verdade não é bem assim. É que eu já estou morrendo de saudade das minhas amiguinhas e do Brasil que também é meu! Vou ficar mais alguns dias por aqui saboreando as boas comidinhas locais e, assim que pegar uma brisa favorável, volto voando para perto de vocês.

Viagem de sabores pág. 79


Para dias de verão Tzatziki com espetos de legumes

Salada grega TEMPO DE PREPARAÇÃO 15 MIN. RECEITA PARA 4 PESSOAS

TEMPO DE PREPARAÇÃO 15 MIN. RECEITA PARA 4 PESSOAS

4 tomates maduros 2 colheres de sopa de azeitonas kalamata 2 cebolas vermelhas 2 pepinos pequenos Suco de 1 limão 4 colheres de sopa de Azeite Andorinha Vintage Vinagre balsâmico q.b. Sal e pimenta q.b. Hortelã e endro q.b. Queijo feta q.b.

TZATZIKI 2 xícaras de iogurte grego 3/4 de xícara de pepino ralado (sem água) 3 colheres de sopa de hortelã 2 colheres de sopa de endro 100 ml de Azeite Andorinha Seleção 1 colher de suco de limão Sal e pimenta a gosto 1. Rale o pepino e deixe-o escorrer bem. Pode prensá-lo com as mãos de forma a retirar toda a água. Numa taça, junte o iogurte com as ervas, o azeite, o suco de limão e o pepino. Misture bem e tempere a gosto com sal e pimenta. Leva à geladeira até servir.

1. Corte os tomates em fatias assim como a cebola. Retire parte da casca ao pepino e corte-o em fatias finas. 2.Num prato, coloque os legumes anteriores em camadas, adicione as azeitonas, o queijo feta e tempere com sal, pimenta, azeite, suco de limão, vinagre balsâmico, folhas de hortelã e de endro. 3. Sirva com carne, com folhados ou sem nada, reforçando no queijo. DICA DA DORINHA Pode servir o molho tzatziki com carne de cordeiro, pão pita fresco ou torrado e espetos.

ESPETOS VEGETARIANOS 1 beringela 1 lata de alcachofras 250 g de tomate cereja Sal e pimenta a gosto Azeite Andorinha Extra Virgem a gosto 1. Corte a beringela em cubos. Polvilhe com sal e coloque num escorredor para que saia um pouco da água. Num espeto alterne a beringela com o tomate cereja inteiro e as alcachofras cortadas ao meio. Repita até os ingredientes acabarem. Numa chapa bem quente, leve os espetos para grelhar por cerca de 2 minutos de cada lado. 2. Regue com um fio de azeite, tempere com sal e pimenta e sirva com o tzatziki.

Viagem de sabores pág. 80

Viagem de sabores pág. 81


Salsa grega Salsa grega

Mexilhões à grega

TEMPO DE PREPARAÇÃO 30 MIN. RECEITA PARA 4 PESSOAS

TEMPO DE PREPARAÇÃO 20 MIN. RECEITA PARA 4 PESSOAS

1 beringela assada 2 pimentões assados 1 cebola vermelha 3 colheres de sopa de alcaparras 2 colheres de sopa de salsa 2 dentes de alho picados 2 colheres de sopa de suco de limão 2 colheres de sopa de Azeite Andorinha Orgânico Sal e pimenta

1 kg de mexilhões 1 cebola picada 2 dentes de alho picados 4 tomates aos cubos 1 copo de vinho branco 2 colheres de sopa de endro 2 colheres de sopa de orégano 3 colheres de sopa de vinho tinto 2 colheres de sopa de colorau 200 g de queijo feta esfarelado 3 colheres de sopa de Azeite de Oliva Andorinha Sal e pimenta a gosto

1. Corte a beringela em pedaços, os pimentões em tiras e retire as sementes. Regue com o azeite e tempere com sal. Leve ao forno por cerca de 20 minutos ou até estarem assados. 2. Pique a beringela, os pimentões, a cebola, as alcaparras, a salsa, o alho e junte tudo numa tigela. Tempere com sal, pimenta, azeite e suco de limão. Sirva com pão pita.

DICA DA DORINHA Pode-se fazer essa receita com pimentões e beringelas já assados à venda em muitos supermercados ou empórios.

1. Numa panela, refogue a cebola em um pouco de azeite. Quando estiver transparente, junte o alho e deixe cozinhar durante mais alguns minutos. Junte as ervas, o colorau e o vinagre e deixe cozinhar por mais alguns minutos. 2. Junte os mexilhões previamente passados em água, junte o vinho e tampe. Deixe cozinhar por cerca de 4 minutos. Destampe e certifique-se de que os mexilhões abriram. Caso não tenham aberto, tampe novamente e deixe cozinhar por mais alguns minutos. 3. Antes de servir, junte o queijo feta esfarelado.

Viagem de sabores pág. 82

Viagem de sabores pág. 83


Grecia