Issuu on Google+

SINDICATO DOS TRABALHADORES EM COMUNICAÇÃO NOS ESTADOS DE GOIÁS E TOCANTINS / FILIADO À CUT - FITERT - UNI

Ano 1 Número 2

VALORIZAÇÃO PROFISSIONAL

Trabalhador

valorizado é trabalhador bem remunerado Sindicom defende a aprovação de um piso salarial nacional dos radialistas e conclama a categoria a participar desta luta, pois para ser valorizado, o profissional deve ser bem remunerado.

NESTA EDIÇÃO

Novas Convenções Coletivas garantem avanços

Fevereiro/2013


EDITORIAL

Exigimos a valorização e melhor remuneração dos trabalhadores Nos últimos tempos, muito temos falado sobre a necessidade, importância e urgência da valorização dos trabalhadores da área de comunicação em Goiás e no Tocantins. Essa é uma luta histórica das entidades sindicais de todo o país, que, nós do Sindicom, elegemos como prioridade em nossa área de atuação. Uma luta antiga, marcada por algumas conquistas, mas que ainda tem muitas batalhas pela frente. Um delas é fazer cumprir a obrigatoriedade de contratação pelas empresas apenas de trabalhadores com registro profissional. Essa exigência está na lei, mas nem sempre é respeitada. Entendemos que seu cumprimento é fundamental para evitar a ocupação de funções privativas dos profissionais da área de comunicação por trabalhadores não habilitados, valorizar nossa categoria e acabar com as contratações oportunistas, que atendem apenas aos interesses das empresas e precarizam nosso mercado de trabalho. Outra prioridade da campanha pela valorização dos profissionais de comunicação intensificada pelo Sindi-

Rua Pedro Vigiano, nº 175, Centro, Goiânia (GO) CEP 74.055-220 - Fone (62) 3224 3131 www.sindicomgoias.com.br Diretoria – 2010/2014 • Presidência Miguel Novaes Filho • Vice-Presidente Luís Carlos Pimenta • Secretaria Geral Mátya Rodrigues da Cunha

2

SINDICOM em Pauta

com é a melhoria da remuneração dos trabalhadores. Trabalhador valorizado é trabalhador bem remunerado. Por isso, trabalhamos para assegurar pisos salariais dignos para os profissionais de comunicação e para reduzir as disparidades entre salários pagos, principalmente, por empresas das capitais e do interior.

“Somente com a participação de todos os trabalhadores, teremos um Sindicato forte e representativo” No caso dos radialistas, defendemos a aprovação do piso salarial nacional proposto em projeto de lei pelo deputado federal André Moura (PSC/ SE). Os R$ 2.488,00 mensais propos-

tos pelo parlamentar são bem superiores aos salários pagos atualmente em muitos municípios. O Sindicom tem também fiscalizado com rigor o respeito aos direitos dos trabalhadores e atuado junto às empresas e aos órgãos do trabalho buscando soluções para os problemas detectados. Mas, para o bom resultado de nossas ações, contamos e precisamos da participação de todos os trabalhadores. É importante que fiquem atentos e denunciem as irregularidades praticadas pelas empresas e que abracem nossa campanha pela valorização profissional. Somente com a participação de todos os trabalhadores, teremos um Sindicato forte e representativo. Contamos com vocês! Um grande abraço, Miguel Novaes Filho Presidente

NESTA EDIÇÃO Contratação somente com registro.................................................................3 Ações em defesa do trabalhador......................................................................4 PL prevê piso nacional dos radialistas............................................................5 As conquistas das Convenções Coletivas.......................................................6 Morre Eurípedes Corrêa Conceição...............................................................7 II Torneio Imprensa de Futebol.......................................................................8

• Secretaria de Finanças Marcelo Alves do Rego Eurípedes Corrêa Conceição (in memoriam) • Secretaria de Comunicação Josiel Santos Meneses • Secretaria Jurídica Edwilson Silva • Secretaria de Formação José Calazans de Santana Filho • Secretaria de Cultura e Esporte Paulo César Moreira da Costa • Secretaria de Fiscalização e Registro Profissional Edízio Moura • Secretaria de Organização Nelson Félix da Silva

Sindicom em Pauta Ano I Nº 2 Fevereiro/2013 Informativo do Sindicato dos Trabalhadores em Comunicação nos Estados de Goiás e Tocantins (Sindicom) Tiragem: 2 mil exemplares Edição: Santa Inteligência Comunicação Jornalista responsável: Rosane Rodrigues da Cunha - MTb 764/JP - Fone: (62) 9903 0935 E-mail: santainteligencia@terra.com.br As matérias assinadas são de responsabilidade de seus autores e não refletem, necessariamente, a opinião de Sindicom em Pauta


VALORIZAÇÃO PROFISSIONAL

Empresas só podem contratar profissionais com registro Essa exigência visa o respeito à Lei dos Radialistas e a valorização dos trabalhadores Desde 1978, quando entrou em vigor a Lei dos Radialistas (número 6.615), o exercício da profissão requer prévio registro no Ministério do Trabalho Arquivaldo Bites e Emprego. Mas, Leão: apoio 35 anos depois, reivindicado empresas de comunicação ainda insistem em driblar a legislação e contratar profissionais não habilitados. Essa contratação irregular não fere apenas a lei. Geralmente, ela vem acompanhada do desrespeito aos direitos dos trabalhadores e da desvalorização de toda a categoria, com a ocupação de cargos privativos dos radialistas por profissionais sem a formação exigida. Para acabar com essas falhas em Goiás e no Tocantins, o Sindicom está am-

pliando a fiscalização nas empresas de comunicação e exigido a regularização dos trabalhadores sem registro. No dia 22 de fevereiro, o presidente do Sindicom, Miguel Novaes, e o secretário Jurídico, Edwilson Silva, reuniram-se com o novo superintendente Regional do Trabalho e Emprego em Goiás, Arquivaldo Bites Leão, e reivindicaram o apoio do órgão para o combate às contratações irregulares. Os diretores pediram que a superintendência amplie a fiscalização nas empresas de comunicação e exija o cumprimento da lei. Segundo eles, o respeito e a valorização da profissão dependem da regularização do acesso ao mercado de trabalho. “A contratação irregular ainda é uma falha recorrente e precisa ser sanada”, disse Edwilson Silva. O superintendente Regional do Trabalho e Emprego comprometeu-se a buscar uma solução para a moralização das contratações.

Fique de olho Contratações irregulares em empresas de comunicação podem ser denunciadas ao Sindicom. Profissionais que atuam sem registro também devem procurar o Sindicato, que vai avaliar a possibilidade de regularização da situação de cada um.

Pelo fim da cobrança obrigatória do imposto sindical Em março, todos os trabalhadores brasileiros com carteira assinada terão o valor equivalente a um dia de trabalho descontado de seus salários. O desconto, que é obrigatório e imposto pelo Governo Federal, corresponde à contribuição sindical. O Sindicom é contrário à cobrança da contribuição, que é devida por todos os empregados filiados ou não a sindicatos, e apoia a campanha lançada em 2012 pelo Central Única dos Trabalhadores

(CUT) contra esse desconto. As entidades defendem a realização de um plebiscito nacional para que os empregados possam opinar sobre a cobrança obrigatória da contribuição, que é rateada entre o Ministério do Trabalho e Emprego/Fundo de Amparo ao Trabalhador, Centrais Sindicais, Confederações e Federações de trabalhadores. Para o Sindicom, os trabalhadores devem ter o direito de decidir se querem ou não pagar a contribuição sindical. Mas, enquanto a lei não é alterada, todos devem se preparar para o desconto no contracheque de março.

Sindicom no facebook A página do Sindicom no facebook vem se tornando um importante canal de divulgação de informações e de comunicação entre o Sindicato e os filiados. Acesse (facebook.com/sindicom. goias), confira as informações atualizadas diariamente e deixe sua mensagem. Esse é mais um canal de diálogo entre o Sindicom e os trabalhadores.

Filie-se ao Sindicato Se você trabalha na área de comunicação e ainda não é filiado ao Sindicom visite a sede do Sindicato, conheça o trabalho da entidade, os benefícios e serviços oferecidos aos filiados e filie-se. O Sindicom está aguardando sua visita!

Planos de saúde Muitas empresas oferecem planos de saúde aos trabalhadores, que devem ficar atentos ao contrato firmado com as operadoras. Confira as condições de uso do plano, cobertura e regras de inclusão e exclusão de dependentes. Alguns planos, por exemplo, excluem os filhos dependentes quando completam 18 anos de idade, outros aos 24 e outros permitem a permanência do dependente enquanto cursar a faculdade. Informe-se sobre seu plano e exija seus direitos.

SINDICOM em Pauta

3


VALORIZAÇÃO PROFISSIONAL

Acordo corrige falhas que prejudicavam trabalhadores Dando sequência às ações em defesa dos direitos dos trabalhadores, o Sindicom participou de novas mesas-redondas com representantes de empresas de comunicação Um acordo firmado entre o Sindicom e a Rádio Interativa FM, em uma mesa-redonda realizada no dia 15 de janeiro na Superintendência Regional do Trabalho e Emprego (SRTE) e intermediada pelo chefe da Seção de Relações do Trabalho, Paulo Gama Lyra Filho, garantiu a correção de problemas que vinham prejudicando trabalhadores da emissora. O Sindicom, representado na reunião pelo secretário Jurídico, Edwilson Silva, cobrou da rádio o pagamento retroativo de horas extras devidas à operadora de transmissor da emissora, a contratação de mais um profissional para o cargo e a correção dos contratos de dois trabalhadores que estavam em desvio de função. A emissora, represen-

tada por Nádila Rodrigues de Oliveira, afirmou que as reivindicações seriam atendidas com a correção das falhas apontadas pelo Sindicato. Ainda no dia 15, o secretário Jurídico reuniu-se com representantes da Conceito Produções e Eventos Jornalísticos para tratar do descumprimento de direitos dos trabalhadores da empresa, principalmente, relacionados ao pagamento de horas extras. O representante da empresa pediu mais tempo para apresentar uma resposta, pois seu diretor estava em viagem. Edwilson Siva ressaltou que o Sindicom está fiscalizando com rigor o cumprimento dos direitos dos trabalhadores e das Convenções Coletivas de Trabalho. “Os trabalhadores também

podem nos ajudar nesta fiscalização, denunciando os problemas ao Sindicato”, afirmou, destacando que a identidade dos denunciantes é preservada.

Como denunciar irregularidades Denúncias sobre más condições de trabalho e desrespeito aos direitos dos trabalhadores podem ser apresentadas diretamente à Secretaria Jurídica do Sindicom – Rua Pedro Vigiano, nº 175, Centro, Goiânia (GO) – ou encaminhadas pelo e-mail juridicosindicom@ gmail.com

Encontro debate a valorização dos radialistas pelas empresas públicas Realizado em João Pessoa (PB), entre os dias 22 e 24 de novembro de 2012, o 1º Encontro Nacional das Trabalhadoras e Trabalhadores em Rádios e TVs Públicas defendeu maior valorização dos radialistas que atuam nas empresas públicas de comunicação. Entre as propostas apresentadas para a valorização dos trabalhadores estão a contratação apenas por concurso público e

o fim das terceirizações e dos contratos com pessoas jurídicas nas rádios e TVs públicas. Na “Carta de João Pessoa”, aprovada ao final do evento, representantes dos radialistas de 18 Estados, também defenderam a aprovação de um Plano de Cargos e Salários Unificado em todo território nacional para a categoria. As propostas elencadas na carta vão sub-

sidiar a luta dos sindicatos pelo avanço das conquistas trabalhistas dos radialistas, pela valorização dos profissionais e por uma comunicação pública de qualidade. O Sindicom foi representado no encontro pelo então secretário de Finanças, Eurípedes Corrêa Conceição, e pelo secretário de Cultura e Esporte, Paulo César Moreira da Costa.

Congresso internacional aborda a defesa da categoria A importância e necessidade de defesa dos direitos dos radialistas foram debatidas no 1º Congresso Internacional da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Comunicação e Publicidade (Contcop), que aconteceu em Salvador (BA) de 3 a 5 de janeiro de 2013. Durante um dos de-

4

SINDICOM em Pauta

bates, que contou com a participação do presidente do Sindicom, Miguel Novaes, o radialista Nascimento Silva conclamou a categoria a reforçar a defesa dos trabalhadores no Conselho de Comunicação Social. Conselheiro deste fórum, Nascimento Silva, explicou que a cor-

relação de força no conselho é desfavorável aos trabalhadores, que precisam estar atentos e unidos em prol de seus direitos. Os participantes do congresso também enfatizaram que os radialistas precisam se articular e buscar sustentação no Congresso Nacional.


VALORIZAÇÃO PROFISSIONAL

Sindicom defende piso salarial nacional dos radialistas Uma das metas da campanha pela valorização dos trabalhadores, intensificada pelo Sindicato, é a aprovação do piso nacional dos radialistas

A atuação do Sindicom em prol da valorização dos profissionais e do respeito aos direitos dos trabalhadores em comunicação, que foi intensificada em 2012, continua firme e ainda mais forte neste ano. E um dos objetivos deste trabalho é a aprovação do piso salarial nacional dos radialistas. O Sindicato entende que a valorização do profissional passa pela oferta de condições adequadas de trabalho, o respeito à carga horária contratada e a garantia dos direitos dos trabalhadores

Frase

e passa também por uma remuneração digna, compatível com a responsabilidade, a qualificação exigida, os riscos enfrentados, enfim, o trabalho realizado pelos radialistas. A criação de um piso nacional dos radialistas, defendida pelo Sindicom, acabaria com a disparidade salarial ainda existente entre emissoras de uma mesma cidade e, principalmente, entre veículos de comunicação das capitais e do interior dos Estados. Um detalhe: esse piso já existiu, mas deixou de ser aplicado em 1948. Desde então, parte do movimento sindical vem defendendo a fixação de um novo piso salarial. A boa notícia é que, desde maio de 2012, tramita na Câmara dos Deputados um projeto de lei que fixa o piso salarial dos radialistas. De autoria do deputado André Moura (PSC/SE), o projeto fixa em R$ 2.488,00 o piso para uma jornada semanal de 30 horas, valor que seria atualizado anualmente com base no Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC). Para o deputado, a falta de uma legislação que fixe o piso nacional dos radialistas deixa a categoria em situação desprivilegiada

com as disparidades da remuneração proposta pelo patronato em negociação com os sindicatos de cada estado. O PL, que tramita em regime conclusivo e aguarda parecer da Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público (CTASP), já enfrenta resistência na Câmara. O deputado Darcísio Perondi (PMDB/RS) apresentou uma emenda contrária à aprovação do piso nacional. Por isso, é necessário que os radialistas se mobilizem em prol da aprovação do projeto na Câmara. O presidente do Sindicom, Miguel Novaes, conclama os trabalhadores de Goiás e do Tocantins a participarem ativamente desta mobilização, entrando em contato com os deputados federais e senadores dos dois Estados – após aprovação na Câmara, o PL seguirá para o Senado. Esses contatos podem ser feitos por e-mail e pelas redes sociais e devem mostrar a importância da aprovação do projeto. “Para ser valorizado, o profissional tem de ser bem remunerado”, afirmou o presidente, que ressalta que o Sindicom vem trabalhando também pela valorização salarial dos demais trabalhadores em comunicação.

“Para ser valorizado, o profissional tem de ser bem remunerado” Miguel Novaes, presidente do Sindicom

Piso nacional X Disparidades salariais R$ 2.488,00 é o valor do piso salarial proposto pelo PL 3982/2012, quase o dobro do salário médio inicial pago nos últimos seis meses em vários estados, por exemplo, a um repórter de rádio e/ou televisão com curso superior completo. Confira:

Amapá: R$ 1.260,00 Ceará: R$ 2.017,00 Goiás: R$ 1.456,00 Mato Grosso do Sul: R$ 1.255,00 Paraná: R$ 1.943,00 Pernambuco: R$ 1.460,00 São Paulo: R$ 2.081,00

Rio Grande do Sul: R$ 1.587,00 Rio de Janeiro: R$ 1.742,00 Tocantins: R$ 1.600,00 Fonte: Portal Salariômetro, que calcula a média dos salários iniciais dos últimos seis meses com base nas informações lançadas mensalmente pelas empresas no Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged).

SINDICOM em Pauta

5


CONQUISTAS TRABALHISTAS

Convenções Coletivas de Trabalho garantem avanços Três Convenções Coletivas de Trabalho foram assinadas pelo Sindicom, entre outubro de 2012 e janeiro de 2013, garantindo avanços nas negociações salariais e nos benefícios sociais oferecidos aos trabalhadores em comunicação. As convenções, referentes a 2012 e 2013, foram firmadas após várias rodadas de negociações com representantes do setor patronal e sempre respaldadas pelas decisões das assembleias gerais dos trabalhadores. “Avançamos mais em algumas áreas e menos em outras, mas o Sindicom está atuante e, a cada negociação, buscamos novas conquistas salariais e sociais”, explicou o presidente Miguel Novaes, que já está em negociação com o Sindicato Nacional das Empresas Editoras de Listas Telefônicas e Guias Informativos (Sindilista).

Radialistas conquistam piso salarial para o interior Uma das conquistas da Convenção Coletiva de Trabalho firmada entre o Sindicom e o Sindicato das Empresas de Rádio e Televisão do Estado de Goiás (Sert), foi a criação do piso salarial para os radialistas do interior. “Ainda é um avanço relativamente pequeno, mas estamos trabalhando para melhorar esse valor”, explicou o presidente do Sindicom, Miguel Novaes.

O piso aprovado para os radialistas que exercem funções técnicas no interior – exceto em Anápolis e Aparecida de Goiás que têm o mesmo piso da capital – é de 750 reais. Isso significa que nenhuma emissora de rádio e televisão pode contratar radialistas para atividades técnicas por um salário inferior. A categoria também teve avanços na área social.

Sindidoor e Sindicom aprovam reajuste salarial de 10% A convenção assinada entre o Sindicom e o Sindicato das Empresas de Painéis, Outdoors, Mídia Exterior e Comunicação Visual no Estado de Goiás (Sindidoor) garantiu um reajuste de 10% no piso salarial dos trabalhadores e um aumento de 8,5% nos salários pagos a todos os empregados. Os reajustes começaram a ser

6

SINDICOM em Pauta

aplicados em outubro de 2012. Eles também tiveram conquistas sociais, como o direito de solicitarem a substituição das empresas de plano de saúde conveniadas em caso de insatisfação com o atendimento prestado. O pedido deve ser assinado pela maioria dos trabalhadores usuários do plano de saúde.

Sindicom: decisões aprovadas em assembleia

Publicitários contam com auxílio-educação Entre os benefícios sociais assegurados pela convenção aos trabalhadores das agências de publicidade está o auxílio-educação, um adiantamento no valor de um salário mínimo a ser repassado no mês de fevereiro para a compra de material escolar. A convenção também garantiu outros benefícios, como vale-transporte gratuito a quem recebe até três salários mínimos e meio, o pagamento de auxílio-natalidade no valor de um piso salarial da função e de auxílio-funeral equivalente a dois pisos salariais da função. Assinada entre o Sindicom e o Sindicato das Agências de Propaganda do Estado de Goiás, a Convenção Coletiva de Trabalho assegurou também um reajuste de 10%, retroativo a outubro de 2012, no piso dos trabalhadores enquadrados no nível 1 e de 6% no piso dos níveis 2 a 5.


PESAR

Morre Eurípedes Corrêa Conceição Ex-presidente e secretário de Finanças na atual gestão do Sindicom, o radialista morreu no dia 13 de fevereiro O movimento sindical perdeu, no dia 13 de fevereiro, o radialista e sindicalista Eurípedes Corrêa Conceição. Vítima de falência dos rins, Euripão, como era mais conhecido e carinhosamente chamado pelos colegas e amigos, morreu em Goiânia (GO), aos 63 anos de idade, após uma semana de internação. Ele trabalhava na Rádio Brasil Central há 24 anos e integrava a diretoria do Sindicom desde 1999, quando foi eleito secretário de Formação. Em fevereiro de 2001, com a renúncia do então presidente, assumiu a presidência do Sindicato. Atuando em defesa da categoria, em março de 2002, Euripão foi eleito presidente do Sindicom e reeleito em 2006.

Quatro anos depois, participou da eleição para a escolha da atual diretoria, sendo eleito secretário de Finanças, função que ocupou até sua morte. Secretário de Comunicação da Central Única dos Trabalhadores em Goiás, a atuação sindical de Euripão foi além das fronteiras do estado. Ele também era secretário de Relações Internacionais da Federação Interestadual dos Trabalhadores em Radiodifusão e Televisão (Fitert) e, em agosto de 2012, foi empossado suplente no Conselho de Comunicação Social. O Sindicom lamentou a perda do colega e líder sindical e manifestou total solidariedade à família e aos amigos de Euripão.

Eurípedes Corrêa Conceição: dedicação ao movimento sindical

Colegas manifestaram pesar por morte Durante a internação hospitalar de Eurípedes Corrêa Conceição, o Sindicom divulgou diariamente informações sobre o quadro clínico de seu diretor e recebeu muitas mensagens de solidariedade dos colegas radialistas. Após a confirmação da morte de Euripão, dezenas de notas de pesar foram postadas na página

do Sindicom no facebook. Leia algumas: @ Roseli Goffman: Que perda! Carinhos à família e aos companheiros de luta. @ Allexandry Rios: Eterno em nossos corações. @ Max Pereira: Fica aqui o meu pesar. Sou radialista e o conheci há

pouco tempo, mas foi o bastante para ver que era um grande homem. @ Gabriel Silva: Ele se mostrava cheio de alegria, era muito brincalhão e também um grande defensor dos direitos dos radialistas. Descanse em paz, Euripão. @ Henrique Curado: Perdemos um profissional...perdemos um amigo.

CASO VALÉRIO LUIZ

Acusados do assassinato são presos e indiciados Sete meses após o assassinato do radialista Valério Luiz de Oliveira, morto em 5 de julho quando saía da Rádio 820 AM, onde trabalhava, cinco acusados do crime foram indiciados: o empresário e ex-dirigente do Atlético Clube Goianiense, Maurício Sampaio; o empregado dele, Urbano Carvalho de Malta; o açougueiro Marcus Vinícius Pereira Xavier e os policiais militares Djalma Gomes da Silva e Ademá Figueiredo, todos presos.

Apontado como mandante do crime, Maurício Sampaio, solto no dia 28 de fevereiro após 26 dias preso, nega a participação. Marcus Vinícius, que chegou a confessar o assassinato, voltou atrás e acusou Ademá Figueiredo de ter atirado em Valério Luiz. Os outros acusados também alegam inocência. A advogada Lorena Nascimento Oliveira, viúva do radialista, disse que a família sempre acreditou na participação de Maurício Sampaio no assassinato. Na

última edição de Sindicom em Pauta, ela contou que o marido se sentia ameaçado pelo empresário. Motivo: críticas feitas por Valério Luiz a dirigentes do Atlético. O pai do radialista, o cronista esportivo Mané de Oliveira, afirmou que a família espera que os envolvidos paguem pelo crime. Em nota conjunta, o Sindicom e o Sindicato dos Jornalistas de Goiás cumprimentaram a polícia goiana pelas investigações e prisões e manifestaram confiança na justiça. SINDICOM em Pauta

7


ESPORTE E LAZER

Radialistas participam do II Torneio Imprensa de Futebol Em campo, os trabalhadores mostraram que também são bons de bola e os campeões foram premiados

Com a participação de seis equipes de futebol formadas por profissionais de diferentes empresas (Rádio Brasil Central, Rádio Aliança 1090, Rádio 820 AM, Rádio Difusora, Jornal Diário da Manhã, TV Serra Dourada e TV Anhanguera), o II Torneio Imprensa - Sindicom foi realizado no dia 1º de dezembro, na chácara do Sindicato, em Aparecida de Goiânia. O torneio homenageou o radialista Valério Luiz, assassinado em julho de 2012, e muitos profissionais puderam mostrar que são craques no trabalho e na bola. As equipes campeã, vice-campeã, o artilheiro, o goleiro menos vazado e árbitros dos jogos foram premiados com troféus e medalhas. Com a realização deste torneio, o Sindicom buscou promover uma confraternização e uma saudável disputa esportiva entre os colegas radialistas.

Torneio: jogos disputados e torcida atenta

O evento, que contou com o patrocínio da Federação Goiana de Futebol e a presença do presidente da entidade, André Pitta, foi aberto a todos os profissionais da imprensa, filiados ou não ao Sindicom. “Nossa intenção era levar os radialistas a conhecerem a sede social do Sindicato, mostrar um

pouco do nosso trabalho e proporcionar um momento de lazer e confraternização a todos”, disse o presidente do Sindicom, Miguel Novaes, que já planeja a próxima edição do torneio com uma grande festa e a presença em massa de equipes da capital e do interior.

Microfone aberto! “Parabéns, presidente. Chácara arrumadinha, tudo limpo, parabéns. Quem ainda não conhece, vale a pena conhecer!” Joaquim Quirino “Parabéns!!!! Pelo incentivo a nossa classe.....” Radamés Pereira “No próximo torneiro, se tudo der certo, estarei ai também...” Marcelo Abrantes Bona

Troféus e medalhas: campeões premiados

8

SINDICOM em Pauta

“Não fiquei sabendo da homenagem que teria ao Valério..., mas agradeço o empenho da Sindicom em apoiar essa causa” Lorena Oliveira


Sindicom em pauta 2