Page 1

Referencial Teórico 1.0 América Latina Este desenvolvimento textual, relata a base da iniciação da pesquisa temática para o desenvolvimento do projeto de coleção. Trazendo o tema geral até a inspiração do aluno. Para Milani (2008) O presente trabalho discute as relações entre esporte e identidade nacional. Reflito sobre o papel do futebol – e da seleção brasileira de futebol – no processo de constituição do “ser brasileiro”, recorrendo a alguns momentos fundamentais da história de nossa participação nas Copas do Mundo. Meu argumento é o de que o processo de configuração identitária é fluido, sendo os momentos mítico-ritualísticos, como as Copas e Olimpíadas, importantes para atualizarmos os esquemas de pensamento que a modernidade impõe e para que nos pensemos como povo e como nação. Natureza e cultura formam o pano de fundo no qual “raça” e “civilidade” contam a história de nossa brasilidade, ora como mestiçagem negativa, ora positivada como marca de nosso sucesso. (MILANI, 2008). Muitos países latinos tem suas culturas comparadas a do Brasil, por causa de seus colonizadores e influência. Através da miscigenação essa culturas se entrelaçaram, transformando a américa latina em uma cultura única.

2.0 País de inspiração México •

Cultura e Tradições A cultura é muito rica no México, na medida em que mistura elementos de diversos períodos,

desde aspetos pré-hispânicos e do período colonial até aos mais modernos. A riqueza cultural é também cultivada graças aos cerca de 52 povos indígenas sucessores das sociedades pré-hispânicas, que falam diversas línguas, das quais o náhuatl é a que conta com o maior número de falantes e cuja população se concentra nas localidades do Distrito Federal, Guerrero, Hidalgo, Morelos, San Luís Potosí, Estado do México, Puebla e Vera cruz. Do total da população indígena do país, 17,1% vivem nas principais cidades: Monterrey, Cancun e Guadalajara. (BETHEL,1999) A riqueza natural do país, bem como a sua pluralidade e valores, proporcionam características muito próprias ao "mexicano". Na maioria das aldeias, os usos e costumes dos seus antepassados são respeitados; no entanto, mais de 85% da população mexicana vive nas grandes cidades, como a do México, Guadalajara e Monterrey, e adaptou-se às mudanças que a modernidade trouxe consigo. (BETHEL,1999) Entre os aspetos culturais mais relevantes e antigos encontra-se a pintura, que já estava presente no México pré-hispânico em construções e códices, bem como durante a colonização em conventos. No século XX, esta alcançou renome mundial graças a artistas que exprimiam a crítica social nos seus trabalhos, como os moralistas: David Alfaro Siqueiros, José Clemente Orozco e Diego Rivera. Ao lado de Rivera, mas com


independência artística, está Frida Kahlo, cuja obra se apresenta repleta de sentimento e dor, sendo ela própria o tema central da sua pintura. Outros artistas de destaque são José Luis Cuevas, Rufino Tamayo e Francisco Toledo. (BETHEL,1999) Outra característica fundamental da cultura mexicana é a sua gastronomia, que foi reconhecida como Património Imaterial da Humanidade pela UNESCO a 16 de Novembro de 2010. A gastronomia mexicana reúne ingredientes que datam da época pré-hispânica, como o milho, a malagueta, o cacau, o abacate e o nopal, em conjunto com outros de influência colonial, como as carnes, o arroz e o trigo. As bebidas, como o pulque, a tequila ou o mezcal, também são muito características. (BETHEL,1999) No que se refere à música, e como símbolos de identidade cultural, distinguem-se o "son", a "canción ranchera" e o "mariachi" (que foram divulgados pelo cinema nacional), a música "norteña", de "banda" e o "corrido". O cinema mexicano, promotor fundamental da identidade do mexicano, teve a sua Idade do Ouro entre 1935 e 1958, quando a produção cinematográfica do país era a mais poderosa dos países de língua espanhola. Desta época destacam-se figuras como Dolores del Río, Pedro Armendáriz, María Félix, Pedro Infante, Luis Aguilar, Jorge Negrete, Mario Moreno ("Cantinflas"), Germán Valdés ("Tin Tan") e Joaquín Pardavé. (BETHEL,1999)

3.0

Inspiração

No processo de pesquisa da fonte de inspiração para desenvolver a coleção, percebe-se várias opções, a pluralidade de culturas e tradições mexicanas é extensa. Dança, arte, música, culinária, fazem do México um país único e cobiçado, mas a arte e um ícone despertou-me atenção. Frida Kahlo, mulher, artista e feminista, lutara em prol de várias causas liberais e ao mesmo tempo por sua própria vida. Apesar de passar por situações críticas, como um acidente, doenças e abortos, Frida buscou na arte o “consolo”. De acordo com Vianna (2003) Frida, reconhecida em sua terra e no exterior pela força de sua pintura, sentindo-se cada vez mais fragilizada pela sequência de sofrimentos físicos que marcaram sua existência, começa a escrever um diário íntimo (O Diário Íntimo de Frida Kahlo),7 tarefa que preenche seus dias, exilada do convívio público, presa aos limites de seu quarto e de uma cama hospitalar. Por dez anos, até a data de sua morte em 1954, deixa nas páginas desse diário o produto do diálogo solitário que entretinha consigo mesma, seus gritos de dor, suas confissões amorosas a Diego Rivera, o amor permanente em meio a tantas outras experiências amorosas que não se impediu de ter. Representa nessas páginas as mutilações físicas que sofreu, junto aos sonhos políticos de uma revolução comunista nas Américas. (VIANNA, 2003) Como dizia a própria Frida kahlo “"Eu nunca pinto sonhos ou pesadelos. Pinto a minha própria realidade."


Figura 1- Frida Kahlo ( GOOGLE IMAGENS, 2014, online)

Para Orsini (p. 5-12, 2003) Frida Kahlo retrata a trajetória de um dos maiores ícones das artes plásticas do México e do mundo, revivendo sua época, seus amores e desafios. Nasceu em 1907, porém, graças a sua identificação com a revolução mexicana, afirmava ter nascido em 1910. Filha de um fotógrafo judeu-alemão Guilhermo Kahlo e de Matilde Calderón y Gonzalez. Em 1910 contraiu poliomielite anterior aguda, sendo esta a primeira de uma série de enfermidades, acidentes, lesões e operações sofridas ao longo de sua vida 3. Durante os noves meses que esteve em convalescença, teve os cuidados e o apoio do seu pai que se esmerou para que ela recebesse o melhor tratamento possível. A poliomielite deixara uma lesão em seu membro inferior direito, por isso, ganhou o apelido Frida pata de palo (ou seja, Frida perna de pau), razão pela qual começou a usar calças, depois, longas e exóticas saias, que vieram a ser uma de suas marcas registradas. A artista, que não começou a pintura em idade precoce, dedicou-se a formulação de imagens relacionadas à vida amorosa e aos episódios de sofrimento. Em 1928, Frida ingressa no Partido comunista mexicano e conhece o muralista Diego Rivera, com quem se casou no ano seguinte. Sob a influência da obra do marido, passou a empregar zonas de cores amplas e simples num estilo propositalmente reconhecido como ingênuo. Procurou afirmar a identidade artística mexicana, por isto adotava temas do folclore e da arte popular do México.

Figura 1- Meu nascimento de Frida Kahlo (GOOGLE IMAGENS, 2014, online)


Figura 2- Minha ama por Frida Kahlo (GOOGLE IMAGENS, 2014, online)


REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS MILANI, Carlos RS. O princípio da participação social na gestão de políticas públicas locais: uma análise de experiências latino-americanas e europeias. Revista Brasileira de Administração Pública, v. 42, 2008. VIANNA, Lúcia Helena. Tinta e sangue: o diário de F Tinta e sangue: o diário de Frida Kahlo e os ‘quadros’ de Clarice kahlo e os ‘quadros’ de Clarice Lispector. Estudos Feministas, v. 11, n. 1, p. 71-87, 2003. ORSINI, Marco et al. Frida Kahlo: a arte como desafio à deficiência e à dor, com enfoque na poliomielite anterior aguda. Revista Brasileira de Neurologia, v. 44, n. 3, p. 5-12, 2008. BETHELL, Leslie; DE BARROS, MARY AMAZONAS LEITE. História da América Latina: América Latina Colonial Vol. 2. EdUSP, 1999 ORSINI, Marco et al. Frida Kahlo: a arte como desafio à deficiência e à dor, com enfoque na poliomielite anterior aguda. Revista Brasileira de Neurologia, v. 44, n. 3, p. 5-12, 2008.

SITES

UNIVERSIDADE IBERO AMERICANA.

Disponível em: http://universidades-

ibero-americanas.universia.net/mexico/viver/cultura.html. Acesso em: 03/04/2014 GOOGLE-IMAGENS

Disponível

em:

https://www.google.com/search?

q=obras+de+frida+kahlo&source=lnms&tbm=isch&sa=X&ei=ce09U6yFFses2QWE24GYAg&sqi=2&ved=0CA YQ_AUoAQ&biw=1366&bih=667. Acesso em: 03/04/2014

UNIVERSIDADE SALGADO DE OLIVEIRA - UNIVERSO Campus Goiânia CURSO DE DESIGN DE MODA


Repertório Formal- Texto Temático

Letícia Gabriela Rodrigues De Lima1

Goiânia 2014


Artigo texto temático Leticia  
Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you