Page 1

ANO III

EDIÇÃO Nº 82

PORTO VELHO, DE 25 À 31 DE JANEIRO DE 2014

R$ 2,50

www.rondoniagora.com CALEIDOSCÓPIO

MAQUINÁRIO Articulista fala sobre prefeitura Carlos Caldeira escreve sobre os constantes comentários do prefeito Mauro Nazif sobre a compra de maquinário próprio para o município como solução para cidade. PÁGINA 5

Jornalista Ivonete Gomes escreve artigo sobre o sentimento antagônico do porto velhense. PÁGINA 2

Cidade está com grandes problemas, mas prefeito é otimista

Porto Velho chega aos 99 anos, mas sem ter o que comemorar Arquivo/Rondoniagora

OURO PRETO

Testoni vai revitalizar área de lazer O prefeito Alex Testoni garantiu a revitalização da praça da Liberdade, área de lazer do município, construída há vários anos. PÁGINA 14

R$ 500 MIL Ex-procurador é acusado de deixar déficit

Porto Velho chega aos 99 anos de instalação. Não há o que comemorar. A cidade tem “mil problemas”, como bem definiu o prefeito Mauro Nazif (PSB), desde viadutos abandonados, uma vergonha para população, ao lixo acumulado, alagações intermitentes e péssimos serviços de transporte. O Rondoniagora preparou edição especial sobre o aniversário de instalação do município com imagens antigas e textos históricos. PÁGINAS 3, 4, 5, 6, 10 E 11

Ronaldo Furtado é chamado ao Tribunal de Contas para explicar déficit de R$ 500 mil na PGE, infringindo a Lei Federal 101/2000. O “rombo” foi de R$ 50 mil por mês. PÁGINA 7

Rondoniagora

faleconosco

Anúncios e Assinaturas

(69) 3225-9705

DRAMA DA MORADIA

PREFEITO OTIMISTA

Famílias precisam de apoio urgente

Nazif prevê 2014 de grandes ações

Conheça o drama de 50 mil famílias que estão sem casa própria em Porto Velho. Nenhuma unidade foi entregue . PÁGINAS 8 E 9

Prefeito Mauro Nazif reconhece falhas mas entende que 2014 será bem melhor, pois 2013 foi o ano de tirar os “cupins”. PÁGINA 7

jornal@rondoniagora.com comercial@rondoniagora.com

/jornalrondoniagora

@rondoniagoranet

Rondoniagora


2

Opinião

/jornalrondoniagora @rondoniagoranet

PORTO VELHO, DE 25 À 31 DE JANEIRO DE 2014

Caleidoscópio o

Ivonete Gomes Jornalista

À minha amada maltrapilha Quanta pretensão! Pensei em escrever um poema em homenagem à minha amada terra natal. Busquei estímulo na Estrada de Ferro Madeira Mamoré, vaguei nas lembranças das viagens de trem até a cachoeira de Santo Antônio, mas me deparei com a realidade de que nada mais existe. A despeito das promessas eleitoreiras de todo pleito, há somente a praça mal cuidada, vagões da Mad Maria abrigando viciados e galpões a caminho da completa deterioração. Deu-me certo entusiasmo rememorar os encontros com os amigos ao pé das Três Marias, a tapioca e o pão com carne moída do Mercado Central, o Prédio do Relógio e tantos outros pontos marcantes de Porto Velho, mas, novamente o ímpeto de escrever frases bonitas foi contido. Todos eles estão cercados do desencanto oriundo de completo abandono ou falta de zelo. Veio-me a imagem do pôr do sol no Madeira, mas vê-lo de onde? Nossos mirantes, outrora pontos turísticos, estão condenados. “Quem sabe nossa cultura, nossas tradições e nossos eventos tragam-me os adjetivos necessários para homenagear a terrinha?”- perguntei a mim mesma. Novamente veio a desilusão. Hoje, temos somente o encontro de poucos ativistas no Mercado Cultural, um Flor do Maracujá desmilinguido que de junho passou para setembro e o Tico do Sesc tentando animar as famílias que buscam um pouco de felicidade e boa comida na Feira do Porto. Não encontrei inspiração para um poema. Pior. Essa busca revelou um sentimento devastador que mistura desapontamento e vergonha. Lembrei-me da curiosidade de um falante taxis-

É UMA PUBLICAÇÃO SEMANAL DE CENTRAL DE JORNALISMO, PRODUÇÃO, MARKETING E ASSESSORIA LTDA REGISTRADO NO ISSN: 2238-4243 | CNPJ: 08.892.185 AV. GUAPORÉ, 4248 – CEP: 76.824-370 – BAIRRO IGARAPÉ – PORTO VELHO – RO FUNDADO EM 1 DE OUTUBRO DE 1999 POR ELIÂNIO NASCIMENTO, GERSON COSTA E IVONETE GOMES.

ta paulistano sobre como é a cidade de Porto Velho e minha dúvida entre mentir, citando qualidades inexistentes, ou falar a verdade. Optei pela sinceridade: - “fico triste em dizer, mas minha cidade é feia e suja”. Coloquei um ponto final na resposta, mas, convenhamos, a objetividade da resposta está longe da dura realidade da capital de Rondônia. Porto Velho - no meio da selva Amazônica - é uma das cidades menos arborizadas do Brasil; tem o pior terminal rodoviário, ruas esburacadas, obras inacabadas, sujeira e lixo por todo lado. É lama no inverno e poeira no verão. Nem vamos nos aprofundar em deficiências nas áreas de saúde, educação, transporte, esporte e lazer. Nós, portovelhenses, pagamos um preço muito alto pelas más escolhas, entre elas concordarmos com a vinda de empreendimentos com falsa promessa de desenvolvimento. Colhemos também frutos do comodismo, da inércia e da cegueira. Vivemos o antagonismo de crescimento e retrocesso, de fé e desesperança, de ódio e amor profundo por essa maltrapilha cidade. Chegando ao primeiro centenário, Porto Velho é um município carente de tudo, principalmente do básico. Sem qualquer aprofundamento dos porquês dessa situação tão vexatória a todos que nasceram ou aqui estão para viver, vamos somente renovar a esperança de dias melhores e torcer para que os motivos da falta de inspiração para um poema sejam suficientes à conscientização de nossos representantes. Que esses senhores em quem confiamos nosso voto saibam que, definitivamente, o cálice transbordou. Não podemos mais esperar.

Jornalista responsável: Gerson Costa – SRT 518/RO Editores: Eliânio Nacimento – SRT 526/RO I Ivonete Gomes – SRT 345/RO Colaboradores: Alexandre Araújo – SRT 699/RO Carlos Terceiro DRT 325 - Correspondente e representante em Brasília. Projeto Gráfico: Edson de Melo Diagramação: Cesar Prisisnhuki Faria Tiragem: Cinco mil exemplares

(69) 3225-9705 jornal@rondoniagora.com comercial@rondoniagora.com /jornalrondoniagora @rondoniagoranet


Especial

/jornalrondoniagora @rondoniagoranet

PORTO VELHO, DE 25 À 31 DE JANEIRO DE 2014

3

PORTO VELHO

99 anos de história Arquivo/Rondoniagora

2014 É O ANO DO CENTENÁRIO DA CAPITAL RONDONIENSE “Diversos escritores, historiadores e jornalistas descreveram a epopeia do desbravamento”

Município Porto Velho chega aos 99 anos de instalação com grandes problemas

Criado em 2 de outubro de 1914, mas instalado em 24 de janeiro de 1915, o município de Porto Velho chega aos 99 anos com muita história. Diversos escritores, historiadores e jornalistas descreveram a epopeia do desbravamento desde a construção da Estrada de Ferro Madeira Mamoré. Grande parte desta edição do Rondoniagora é dedicada a essa data. Fotos antigas publicadas no livro do pesquisador Luiz Brito ao lado de imagens recentes são um presente ao leitor. A edição também traz um artigo com o historiador Francisco Matias, entrevista com o prefeito Mauro Nazif (PSB) e uma matéria especial sobre o déficit habitacional.


4

Especial

/jornalrondoniagora @rondoniagoranet

PORTO VELHO, DE 25 À 31 DE JANEIRO DE 2014

Primeiro gestor de Porto Velho indicado em 1914 MAJOR GUAPINDAIA ASSUME NOVO MUNICÍPIO E TEVE AJUDA DE 4 INTENDENTES, HOJE OS VEREADORES Era uma manhã de domingo, 24 de janeiro de 1915, quando o governador do Amazonas, Jonathas de Freitas Pedroza, instalou o município de Porto Velho e empossou como prefeito-tampão o major de Engenharia do Exército Fernando Guapindaia de Souza Brejense (1873-1929), nascido no Maranhão. Para ajudar Guapindaia a administrar a cidade que não passava de 2 mil habitantes, foram nomeados 5 intendentes, paralelos dos atuais vereadores. Na época, o maior bairro era povoado pelos barbadianos – Barbadoes Town – construído em área de concessão da Estrada de Ferro Madeira Mamoré. Muitos operários da ferrovia, migrantes e imigrantes moravam em casas construídas de madeira e palha. Por outro lado, os funcionários mais qualificados da EFMM residiam na área urbana estruturada com armazéns

de produtos diversos. Em sua criação, Porto Velho era separada pela área de concessão da ferrovia e uma área pública. Segundo historiadores, a chamada Avenida Divisória (Presidente Dutra) separava os habitantes com língua predominantemente inglesa e espanhola. Só correspondências eram encaminhadas na língua portuguesa.

PORTO DOS MILITARES Fundada para construção da EFMM, aproveitando uma localização dos militares brasileiros durante a guerra contra o Paraguai (1864-1870), Porto Velho está situada a margem direita do Rio Madeira com uma extensão de 34.096 quilômetros quadrados e população de 426.558 conforme censo de 2010. A cidade apresenta mais de 60 bairros, como também vários Distritos, por exemplo Abunã, Calama, Demarcação, Extrema, Fortaleza do Abunã, Jaci-Paraná, Nova Mutum Paraná, Nazaré, Nova Califórnia, São Carlos e Vista Alegre do Abunã. O município foi criado em 2 de outubro de 1914 pelo governador Jonathas Pedroza após aprovação da Lei 757 da Assembleia Legislativa do Amazonas. Arquivo/Rondoniagora

G GERSON COSTA IINFORME POLÍTICO Jornalista

/jornalrondoniagora

@rondoniagoranet

gerson@rondoniagora.com

Nem tão fechado assim

O ex-governador José Bianco (DEM) não está fechado cem por cento com o PSDB do ex-senador Expedito Junior. Em conversa nesta semana com interlocutores do senador Ivo Cassol (PP), Bianco não descartou aliança com o grupo liderado pelo PP

e demonstrou simpatia ao nome do deputado estadual Maurão de Carvalho, sem rejeição e com grande trânsito entre os evangélicos. Outro virtual aliado de Junior, o PSD pode alçar projeto próprio, caso o cenário seja favorável ao deputado federal Moreira Mendes.

ANTES DA FOLIA

O grupo de Cassol pretende dar largada as conversações oficiais sobre as eleições de 2014 antes mesmo do carnaval. No dia 19 de fevereiro está marcado um grande encontro com representantes do PP, PR, PPS, Pros, PSDC, PV, PTB, PTN e os novos aliados DEM, PRP e PRB. A grande estrela, sem dúvida, será o senador Cassol, que continua negando o lançamento de sua esposa, Ivone Cassol, e estimula os nomes de Neodi Carlos (PSDC) e Maurão de Carvalho (PP).

IMPROPÉRIOS Deputado federal Carlos Magno não poupou críticas ao prefeito de Ouro Preto do Oeste, Alex Testoni (PSD). Mas a população sabe diferenciar o joio do trigo e conhece bem o trabalho dos dois. Carlos Magno já foi prefeito do município e de longe a gestão de Alex é muito melhor no âmbito administrativo. Como deputado federal, Carlos Magno parece um político invisível, sem grandes ações para mostrar ao eleitorado. Tanto é verdade que ele não disputa a reeleição porque diz estar decepcionado com o cargo.

NA CÂMARA Em abril deve acontecer a eleição da Mesa Diretora da Câmara de Vereadores. Único na disputa, por enquanto, é o vereador Edmilson Lemos (PSDB). O atual presidente, Alan Queiroz (PSDB), não sabe ainda se disputa a reeleição porque tem planos para concorrer ao Senado neste ano de 2014. Edmilson está com o apoio da base aliada do prefeito Mauro Nazif (PSB) na Casa e logo depois da eleição antecipada, ele deve assumir um cargo de secretário municipal, possivelmente no lugar de Cristian Camurça (Semur).

PROMESSA FEITA, MAS ... O prefeito Mauro Nazif (PSB) admitiu que prometeu entregar 100% da cidade iluminada no dia 31 de dezembro passado. Não entregou e admitiu a quebra do compromisso. “Bati até na mesa durante o programa de televisão dizendo que iria cumprir o prazo”. “Não consegui e admito minha falha”, disse ele nesta semana. Ele justificou a demora nas intermináveis fases burocráticas das licitações. A primeira lâmpada trocada foi no dia 18 de setembro porque os equipamentos chegaram fora do cronograma.

BOM ANO Para Nazif, 2014 será um bom ano, já que o ano de 2013 foi de arrumar a casa e acabar com os “cupins”. Ele elogia sua gestão ao realizar licitação para comprar de maquinário próprio e com recursos do caixa do município. E mais, segundo Nazif, algo inédito foi feito nesse certame: 11 empresas de Rondônia ganharam a disputa, deixando grandes grupos fora da concorrência. Para ele, é mais renda e emprego para Porto Velho.

FILHOS DA PAUTA Cidade foi criada a partir das obras da Estrada de Ferro Madeira Mamoré

O bloco dos jornalistas, Filhos da Pauta, fundado no dia 18 de janeiro, abre o desfile da Banda do Vai Quem Quer neste ano. A diretoria votou pela confecção de abadás e homenagem a grandes profissionais que já nos deixaram.


Especial

/jornalrondoniagora @rondoniagoranet @ro @ rro ond ndo n donia n goranet

PORTO VELHO, DE 25 À 31 DE JANEIRO DE 2014

CARLOS CALDEIRA C Jornalista

/jornalrondoniagora

@rondoniagoranet

comercial@rondoniagora.com

115 máquinas resolve tudo

O prefeito de Porto Velho, Dr. Mauro Nazif, tem falado em todas as suas entrevistas que 2013 foi o ano de arrumar a casa, e que

2014 vai acontecer o tão propalado choque de gestão, a cidade vai virar um verdadeiro canteiro de obras.

Desde o final do ano passado que o prefeito vem minando a imprensa com o mesmo discurso; “Passamos o ano de 2013 arrumando a casa, e agora com a casa arrumada, vamos poder, enfim, dar andamento em nossos projetos para Porto Velho, encontramos a prefeitura com apenas sete máquinas e não poderíamos deixar acontecer o mesmo que aconteceu na gestão passada, que todos sabem como terminou (um monte de gente presa)”.

todo e imediatamente colocá-las à disposição da sociedade, para as melhorias de nossas ruas? E mais: já existe um planejamento para iniciar as obras de melhorias e de combate às alagações?

Dr. Mauro fala que comprou 115 máquinas para a prefeitura, gastou 30 milhões com as compras, e que, agora sim, tudo vai mudar... Opa, tem alguma coisa de errado nessa história! Quer dizer então que todos os problemas enfrentados pela prefeitura no ano de 2013 eram porque não tinham máquinas para trabalhar? Fico imaginando o que o prefeito vai fazer com uma maquina dentro de uma UPA, por exemplo, já que todos sabem que o caos na saúde do município é gritante. Por que o prefeito precisa de 115 máquinas para construir as 40 creches que ele prometeu que construiria já em seu primeiro ano de mandato? Pelos cálculos do prefeito, essas máquinas devem chegar a Porto Velho até o final de março. Uma fonte segura me informou que já estão fazendo os preparativos para a festa de entrega dessas máquinas, com direito a carreata pela cidade toda, ou seja, queimar combustível para amenizar sua situação nada confortável perante a sociedade. O que o Dr. Mauro precisa entender é que essa população não quer ver máquina desfilando na cidade; nós queremos elas trabalhando para acabar com sofrimento causado principalmente pelas alagações. Vale indagar também: quando essas máquinas desembarcarem em nossa capital, a prefeitura vai ter pessoal qualificado para operar esse equipamento

No mês de março vamos estar com o maior volume de chuvas do ano, será que isso também foi pensado? Será que a maravilhosa equipe da prefeitura lembrou que no ano de 2013 choveu praticamente o ano todo? São tantas dúvidas que já ficamos com um pé atrás a respeito do ano de 2014, já que a equipe do Dr. Mauro está ao que parece completamente perdida. É leviano falar que estou com saudades de Roberto Sobrinho - até porque nenhum ser habitante desta capital, por mais alienado que seja, seria capaz de sentir saudades daquela trupe que terminou 2012 em celas do Pandinha -, mas que a administração atual, proporcionalmente falando, está infinitamente pior que a anterior, isso é vistos a olhos nus. Será que as 115 máquinas novas vão ser capazes de fazer com que a população esqueça de todas as medidas antipopulares tomadas pelo prefeito ao longo de 2013? Será que a inversão da Sete de Setembro, a instalação da Zona Azul, a proibição de estacionar do lado direito da Via Calama, o veto à Lei do Nepotismo, o pedido de liminar contra a lei que proíbe contratação de fichas sujas pela administração municipal, vão fazer com que essa administração deslanche e faça com que nossa capital cresça a ponto de se tornar uma referência nacional, como chegou a ser falado pelo Presidente Nacional do partido do prefeito, quando esteve aqui, “ajudando” na campanha do então candidato Dr. Mauro Nazif? Vamos aguardar a chegada das máquinas, o desfile pelas ruas da cidade, e a boa vontade de São Pedro.

5

Conheça quem exerceu cargo dado pelo voto Arquivo/Rondoniagora

LISTA FOI FEITA PELO PROFESSOR RUZEL COSTA E VAI DE JERÔNIMO A NAZIF JERÔNIMO GARCIA DE SANTANA - 1986 a 1987, conhecido politicamente como o homem da bengala. Bacharel em Direito nasceu na cidade de Jataí no estado de Goiás em 1934. TOMÁS GUILHERME CORREIA 1987 a 1988 (vice-prefeito, substituiu Jerônimo Santana) Cearense, advogado, foi deputado estadual e primeiro suplente de senador. FRANCISCO JOSÉ CHIQUILITO COIMBRA ERSE - 1º de janeiro de 1989 1º de janeiro de 1993. Amazonense, faleceu em 2001. Funcionário público e técnico em administração foi deputado federal. Entre as várias homenagens prestadas esta a “antiga” Rua Rio Madeira, que hoje leva seu nome. JOSÉ ALVES VIEIRA GUEDES - 1º de janeiro de 1993 1º de janeiro de 1997 Guedes nasceu na cidade de Itacajá, no atual estado de Tocantins (antes Goiás) foi vereador na capital, deputado federal constituinte e prefeito por dois mandatos. Guedes formou-se em Direito FRANCISCO JOSÉ CHIQUILITO COIMBRA ERSE - 1º de janeiro de 1997 – 1988. CARLOS ALBERTO AZEVEDO CAMURÇA – 1988 (vice-prefeito, substituiu Chiquilito Erse) reeleito - 1º de janeiro de 2001 1º de janeiro de 2005 ROBERTO EDUARDO SOBRINHO - 1º de janeiro de 2005 1º de janeiro de

Chiquilito foi prefeito duas vezes 2009. Formado em Psicologia chegou a Porto Velho em 1983 e militou no movimento sindical participando da fundação do Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Rondônia e da CUT no estado. Roberto Sobrinho nasceu na cidade de São Paulo em 1959. ROBERTO EDUARDO SOBRINHO - 1º de janeiro de 2009, deixou o cargo de forma melancólica, afastado do poder acusado de corrupção. EMERSON SILVA CASTRO - viceprefeito assumiu a Prefeitura em dezembro de 2012 com o afastamento de Roberto Sobrinho. MAURO NAZIF RASUL - natural da cidade Barra do Pirai – RJ, médico formado pela Fundação Osvaldo Aranha em Volta Redonda – RJ. Nazif foi vereador em Porto Velho, deputado estadual e deputado federal. Em 2012 foi eleito Prefeito da capital com 63% dos votos válido pelo PSB. Arquivo/Rondoniagora

Roberto Sobrinho teve saída melancólica


6

Especial

/jornalrondoniagora @rondoniagoranet

PORTO VELHO, DE 25 À 31 DE JANEIRO DE 2014

Porto Velho, 99 anos Parte I

Por Francisco Matias

1. Sexta-feira, dia 2 de outubro de 1914, governo do estado

do Amazonas publica a Lei nº 757, sancionada pelo governador Jônathas de Freitas Pedrosa, criando o município de Porto Velho, no rio Madeira. Quarta-feira, 2 de outubro de 2013, o estado de Rondônia tem uma data para comemorar: 99 anos da criação desse município. É feriado municipal. Mas, apesar de ter quase um século, o município de Porto Velho ainda é um enigma dentro de um grande mistério. Percebe-se esse enigma na imprensa quando se trata dessa data. Ainda permanece a confusão entre Porto Velho, o município, e Porto Velho, a cidade. O que está sendo comemorado é o aniversário do município e não da cidade. Observe-se o corpo da lei que criou o município para se compreender melhor.

2.”Lei nº 757, de 2 de Outubro de 1914 – Crea o município

de Porto Velho, com sede na povoação do mesmo nome, à margem direita do rio Madeira, e dá outras providencias – O DR. JONATHAS DE FREITAS PEDROSA, Governador do Estado do Amazonas, etc. Faço saber a todos os habitantes que a Assembléia Legislativa do Estado Decretou e eu sancionei a seguinte LEI: Art. 1º.- Fica creado o município de Porto Velho, com sede na povoação do mesmo nome, à margem direita do rio Madeira, tendo os limites estabelecidos pelo Decreto nº 1063 de 17 de Março do corrente

anno para aquelle Termo Judiciário. Art. 2º. – O Poder Executivo fica autorisado a entrar em acordo com o Governo Federal, a Madeira-Mamoré Raylway Company e os proprietarios de terras para a fundação immediata da povoação, aproveitando-se, na medida do possível, as obras de saneamento feitas ali por aquella companhia e abrir os créditos necessários à execução da presente lei.

3. Art. 3º - O primeiro governo do município será constituído por nomeação do governador do Estado e o seu mandato se extenderá até 31 de Dezembro de 1916. Art. 4º - Revogam-se as disposições em contrário. Manda, portanto, a todas as autoridades a quem conhecimento e execução desta Lei pertencer que a cumpram e façam cumprir fielmente. O Sr. Secretário do Estado a mande imprimir, publicar e correr. Palácio do Governo, em Manaós, 2 de outubro de 1914. Dr. JONATHAS PEDROSA. Osman Pedrosa. Publicada a presente Lei nesta Secretaria do Estado aos 2 dias do mez de Outubro de 1914. Osman Pedrosa”.

4. Estava criado o município com uma série de problemas a resolver. O maior de-

les constava do artigo 2º, que deliberava sobre “os entendimentos com o governo federal, a Madeira-Mamoré, e os proprietários de terras”. O município nascia

sem jurisdição, sem terras e sem autoridade pública para enfrentar, principalmente, a poderosa Madeira-Mamoré. As tratativas com o governo federal seriam no campo institucional e, com os proprietários de terras, principalmente a firma boliviana Suarez Y Hermanos, dona dos seringais Candelária I e II, seriam os momentos mais difíceis. A companhia anglo-canadense Madeira-Mamoré não deixaria barato essa intromissão brasileira em seu território, uma espécie de nacionalização já iniciada pelas ações da Comissão Rondon cinco anos antes, e pelo povoamento espontâneo surgido no entorno da povoação denominada Porto Velho of the Madeira-River, cuja pedra fundamental havia sido lançada em 4 de julho de 1907, para demarcar o território.

5. Convém frisar que a companhia Madeira-Mamoré havia tomado a decisão de se-

parar fisicamente as duas povoações através de um alambrado construído nos limites da rodovia Mato-Grosso/Amazonas, atual avenida Rogério Weber, descendo até onde hoje passa a avenida Presidente Dutra, que, por muito tempo foi denominada avenida Divisória, ou rua do Alambrado.O alambrado, uma cerca de arame liso, cortava ao meio as duas povoações, separando a estrangeira da brasileira, chamada popularmente Porto Velho de Santo Antonio. Seria este

o maior problema que as novas autoridades municipais teriam de enfrentar, afinal, a infraestrutura urbana, tais como o fornecimento de luz e água potável era monopólio da Madeira-Mamoré, os jornais, em inglês, o telégrafo, o sistema de transporte e os principais meios de produção, eram da companhia.

6. Mas havia outro problema, este causado por omissão da Lei que criou o mu-

nicípio, inserida na própria ementa da Lei. Senão, vejamos: “Lei nº 757, de 2 de Outubro de 1914 – Crea o município de Porto Velho, com sede na povoação do mesmo nome, à margem direita do rio Madeira, e dá outras providencias”. Observe-se: ‘na povoação do mesmo nome’ . Povoação. É claro texto da ementa. Não há referência à cidade. Criava-se o município com sede numa povoação. Não há, no caput da lei, nenhuma menção elevando a povoação de Porto Velho à categoria de cidade. Porto Velho era município sem ter uma cidade. Logo, o aniversário de 99 anos e os próximos festejados nesta data não podem mais ser confundidos com a cidade de Porto Velho, que, de modo algum, foi criada no dia 2 de outubro de 1914. O município, sim. A cidade, não.

PS – A coluna utilizou a grafia da época no texto da lei 757/1914, para melhor entendimento na atualidade.


Especial

/jornalrondoniagora @rondoniagoranet

PORTO VELHO, DE 25 À 31 DE JANEIRO DE 2014

07

Prefeito admite falhas e diz que 2014 será “bem melhor” Rondoniagora

PARA NAZIF, 2013 FOI O ANO PARA TIRAR “CUPINS”E PARABENIZA PORTO VELHO PELOS 99 ANOS Depois de cumprimentar a população de Porto Velho e lembrar da luta de seus descendentes para proteger as fronteiras contra invasões, principalmente na guerra do Paraguai, o prefeito Mauro Nazif (PSB) reconheceu as falhas de sua gestão, mas garantiu que 2014 será “bem melhor”. 2013, segundo ele, foi o ao ano de eliminar os “cupins” e agora pra frente o trabalho da municipalidade será reconhecido, embora entenda que há “muito o que ser feito, e não é pouco”. No final do ano passado, Nazif garantiu a aquisição de máquinas com recursos próprios na ordem de R$ 30 milhões. “Acabou essa história de hora/máquina, que todo mundo sabe no que deu”, explicou ele, prometendo que quando as empresas vencedoras entregarem os primeiros equipamentos no dia seguinte estarão recebendo. “O dinheiro está na conta”, comemorou. Os lotes, segundo ele, foram vencidos por empresas de Porto Velho, algo nunca visto no Estado, nem mesmo pelos fabricantes. Além de pagar o salário e o décimo no dia 20 de dezembro, Nazif diz que aumentou as receitas

Prefeito reconhece que prometeu iluminar a cidade até 31 de dezembro, mas não cumpriu do município sem precisar aumentar os impostos. “Isso é uma conquista”, vibrou o chefe do Executivo, embora entenda que a cidade tem “problemas mil” para resolver em toda parte. Triste com as críticas, ele reconhece que prometeu entregar a cidade ilumi-

nada no dia 31 de dezembro, mas não conseguiu. “Eu reconheço”, afirma. Mas o prefeito também justifica que trocou a primeira lâmpada no dia 18 de setembro, longa da programação de junho a julho. “Todo inicio de mandato nosso são feitas muitas críticas. Foi assim como verea-

dor, deputado estadual e deputado federal. Mas acabo colhendo bons frutos das sementes plantadas lá atrás”, enfatizou. Ele recorda da transposição, projeto dos soldados da borracha e o enfrentamento pela reintegração dos demitidos no Governo Bianco.


8

Especial

/jornalrondoniagora @rondoniagoranet

PORTO VELHO, DE 25 À 31 DE JANEIRO DE 2014

Drama de 50 mil famílias sem casa Rondoniagora

CAMINHA PARA 7 ANOS O PERÍODO EM QUE NENHUM MORADOR RECEBE RESIDÊNCIA DO PODER PÚBLICO Se não entregar nenhuma unidade habitacional até o dia 31 de dezembro, a prefeitura de Porto Velho atinge a marca de passar sete anos sem acomodar uma família sob um teto construído com verbas públicas. A última vez que o município contemplou pessoas com moradia foi em 2007, quando entregou parte de um condomínio na Avenida Jose Vieira Caúla, no bairro Pantanal. De lá pra cá, sob a responsabilidade do município, foram iniciadas obras de unidades habitacionais com recursos vindos de dois programas: Habitar Brasil e Minha Casa Vida Minha, por meio do Programa de Aceleração do Crescimento.

“Unidades habitacionais com recursos vindos de dois programas: Habitar Brasil e Minha Casa Vida Minha”

Um dos projetos abandonados que a prefeitura promete retomar


Especial

/jornalrondoniagora @rondoniagoranet

PORTO VELHO, DE 25 À 31 DE JANEIRO DE 2014

9

Recursos “sumiram” e obra parou Fotos: Rondoniagora

POR CAUSA DA INVASÃO, MUNICÍPIO ENTROU COM AÇÃO JUDICIAL

Famílias ocupam irregularmente a área, mas não tem para onde ir

O conjunto foi iniciado em 2007, mas o dinheiro sumiu

Prefeitura sabe do problema, mas não retomou obra

Um desses empreendimentos virou alvo de ação judicial da prefeitura contra a população. Ele está situado na Rua Raimundo Cantuária, bairro Mato Grosso, e leva o mesmo nome do bairro. São 144 unidades de uma obra que começou em 2007 com previsão para ser entregue dezoito meses depois. Os recursos sumiram a obra parou e cento e vinte e duas famílias decidiram invadir os imóveis, que foram erguidos até 65% do projeto. Em novembro do ano passado, a prefeitura conseguiu na justiça a desocupação de setenta e dois apartamentos. Negociou com os invasores e prometeu auxílio moradia para aqueles que comprovassem renda mínima; que embarcou na promessa, denuncia que o beneficio nunca chegou. “Desde novembro aguardo minha meu cadastro no auxilio aluguel, mas até hoje não fui contemplada”, reclama a desempregada Marilena de Carvalho. A secretaria de Ação Social de Porto Velho, Josélia Ferreira da Silva, nega que os despejados tenham sido ignorados pelo poder público, e afirma que várias famílias recebem o auxilio moradia. “Quem se enquadrou nos critérios do programa está recebendo o apoio, mas houve casos onde o solicitante não conseguiu comprovar que necessitava do apoio. Muita gente que foi tirada de lá, disse que tinha casa de parente para morar”, esclareceu.


10

Especial

/jornalrondoniagora @rondoniagoranet

PORTO VELHO, DE 25 À 31 DE JANEIRO DE 2014

Quase 100 anos: uma viagem pela Capital de ontem e hoje PESQUISADOR LUIZ BRITO TROUXE UM ACERVO DE FOTOS ANTIGAS NO LIVRO REVELANDO PORTO VELHO

Hospital São José, no antigo Bairro Favella; hoje Hospital da Astir

Canteiro de obras da Estrada de Ferro Madeira Mamoré, marco inicial da cidade

Banco da Borracha, hoje sedia a moderna sede do Basa Colégio Dom Bosco Porto Velho 1960

Bairro Caiari em Porto Velho (Atual bairro Arigolândia)

Catedral de Porto Velho


Especial

/jornalrondoniagora @rondoniagoranet

PORTO VELHO, DE 25 À 31 DE JANEIRO DE 2014

Drogas Mida na década de 70 na esquina da Campos Sales

Esquina da Presidente Dutra com Sete de Setembro, onde a cidade era dividida no início

11


12

Ji-Paraná

/jornalrondoniagora @rondoniagoranet

PORTO VELHO, DE 25 À 31 DE JANEIRO DE 2014

Meta de 4 mil casas para Ji-Paraná Rondoniagora

ALÉM DO PROJETO EM ANDAMENTO, OUTRAS 2.500 UNIDADES SERÃO CONSTRUÍDAS O prefeito de Ji-Paraná, Jesualdo Pires (PSB), deu uma boa notícia nesta semana. Em seu mandato, a meta é reduzir o déficit habitacional investindo na construção de casas populares em parceria com a União e Governo de Rondônia. Segundo Jesualdo, 2.500 unidades serão entregues no município, totalizando 4 mil novas residências, uma marca histórica. Em entrevista a imprensa, ele explicou que há mais dois projetos adiantados no setor Capelasso no segundo distrito. “Se somarmos com as 593 residências do residencial Bosque dos Ipês, o município de Ji-Paraná chegará à marca histórica de 4.000 habitações sociais”, anunciou Jesualdo.

“Há mais dois projetos adiantados no setor Capelasso”

Prefeito Jesualdo Pires esteve visitando as obras do condomínio popular

Prefeitura recupera seis pontes na zona rural Para melhorar as condições de trafegabilidade nas zonas urbana e rural, a Secretaria Municipal de Obras e Serviços Públicos (Semosp), através da sua equipe especializada em trabalhos com pontes e pontilhões, vem massificando o trabalho de recuperação e construção de pontes no mês de janeiro em Ji-Paraná. A Linha 102 no Setor Riachuelo foi contemplada pela recuperação de duas pontes, localizadas no seu Km 5 e 40 além da construção de uma outra na estrada vicinal. A zona urbana também vem recebendo a atenção da Semosp com a construção da ponte da Rua Acre e na Rua Antônio Lázaro, ambas Ponte na rua Dr. Fiel Ponte rua Antônio Lazaro no bairro Jardim Presidencial, além da reconstrução e prancheamento da ponte da Rua Dr. Fiel entre os Bairros São Francisco e Vila Jotao. A Linha Itapirema está recebendo um reparo emergencial em suas vias, antes da pavimentação que será feita com verba proveniente do Governo Federal através de emenda do Senador Acir Gurgacz. Ponte Linha 8 Itapirema Ponte construída Ponte 102 2ª Após 128 Ponte 102 Na última quinta-feira (23) o bueiro da Br 364 próximo a empresa Motor que nestes primeiros dias de 2014 está faltam apenas cinco bairros da cidade dreazza) para a conclusão do trabalho Norte também está sendo desobstruído relacionado ao melhoramento da ilu- (Cafézinho, São Pedro, São Cristóvão, de substituição de lâmpadas, troca de pela Semosp. Outro trabalho de desta- minação pública no município, onde Jardim das Seringueiras e Mário An- reles e braços de luminárias.


Cacoal

/jornalrondoniagora @rondoniagoranet

PORTO VELHO, DE 25 À 31 DE JANEIRO DE 2014

POLÍTICA & ESPORTE P Jornalista

/jornalrondoniagora

@rondoniagoranet

Por Adair J.de Oliveira comercial@rondoniagora.com

Hospital Municipal de Cacoal Na ultima segunda-feira (20/11) foi assinado o convênio no valor de R$ 20 milhões para a construção do Hospital

13

Prefeitura abre Orçamento e inicia serviços Arquivo/Rondoniagora

Municipal. A obra ocupará uma área de 40.000m2, terá 100 leitos e será construída no bairro Green Ville.

HOSPITAL MUNICIPAL DE CACOAL II A obra vem ao encontro dos problemas da Saúde do município. Com a constante troca de secretários e com a pasta sendo alvo de notificações do Ministério Público e Defensoria Pública o sistema de saúde de Cacoal vive os piores momentos dos últimos anos.

HOSPITAL MUNICIPAL DE CACOAL III

Em 2013 a população se viu no meio de uma constante briga para se definir a mudança do Hospital Unidade Mista e do Materno Infantil, onde todas as alternativas se mostraram falhas ou inviáveis. A construção do Hospital Municipal colocaria fim neste problema estrutural.

RESIDÊNCIA MÉDICA I Desde o dia 16 estão abertas as inscrições para a residência médica no Hospital Regional de Cacoal (HRC). O edital do processo seletivo está disponível no Portal do Governo de Rondônia, através do endereço eletrônico www.rondonia. ro.gov.br. As inscrições poderão ser feitas até o dia 28 de janeiro.

Prefeito conversou com líderes de bairro para saber os pontos mais críticos

RESIDÊNCIA MÉDICA II “O Hospital Regional de Cacoal é o primeiro e único hospital a oferecer residência no interior do estado. Isso em função da estrutura hospitalar e da parceria com uma instituição de ensino superior (Facimed) que oferece cursos na área da saúde e é parceira do HRC”, enfatizou Regina.

RESIDÊNCIA MÉDICA III No dia 24 de janeiro, 7 novos inscritos disputam mais uma vaga para residência em cirurgia buco maxilo facial. Após a seleção, o candidato aprovado inicia a residência em março. No primeiro ano de residência o residente apenas acompanha o trabalho dos 7 cirurgiões buco-maxilares do Hospital Regional de Cacoal. A partir do segundo ano, ele já começa a auxiliar os cirurgiões e no terceiro ano, sobre a supervisão dos cirurgiões, o residente realiza os procedimentos cirúrgicos.

SEMÁFOROS Mais uma semana e nada dos novos semáforos de Cacoal entrar em operação. Parece que as situações climáticas não dão tréguas para administração trabalhar. Enquanto isso a população segue sofrendo com o trânsito caótico em Cacoal.

GESTÃO DE PADRE FRANCO GARANTE RECURSOS PRÓPRIOS PARA OBRAS DE INFRAESTRUTURA Em entrevista a imprensa nesta semana, o prefeito Franco Vialetto (PT) anunciou a realização de obras de recapeamento de 20 quilômetros de asfalto com recursos próprios. O chefe do Executivo assegurou a economia de verbas públicas durante o ano passado e em 2014 terá condições de tocar várias frentes de serviço pela própria prefeitura. Padre Franco também confirmou a abertura do Orçamento do município deste ano. A partir de agora, as secretarias poderão abrir processos administrativos para aquisição de equipamentos e a execução de vários serviços.

“Pessoalmente percorri as ruas do município para verificar os pontos mais urgentes. Em seguida me reuni com os presidentes de bairros e solicitei que cada um fizesse um relatório dos trechos mais comprometidos de sua localidade. Com esses relatórios em mãos, iremos elencar os principais pontos que receberão o recapeamento”, disse o prefeito. Segundo o secretário municipal de Obras, Celso Adame, estima-se que a execução do recapeamento de ruas e avenidas do município deve acontecer dentro de três meses, pois é necessária a tramitação burocrática dos processos, conforme estabelece a Lei. O mais importante, na opinião do assessor, é que a prefeitura já tem o dinheiro alocado para a realização das obras. “Nossa equipe já está trabalhando para garantir celeridade nesses serviços”, enfatizou Celso Adame.


14

Ouro Preto do Oeste

/jornalrondoniagora @rondoniagoranet

PORTO VELHO, DE 25 À 31 DE JANEIRO DE 2014

Praça da Liberdade será revitalizada Rondoniagora

PREFEITO TEM RECURSOS PRÓPRIOS PARA INICIAR OS TRABALHOS Considerado o cartão postal do município de Ouro Preto do Oeste, a Praça da Liberdade será revitalizada em breve, garantiu nesta semana o prefeito Alex Testoni (PSD). A revitalização do espaço público que foi inaugurado em 2002, e desde então não passou por obras de natureza estruturais salvo pequenos reparos, é uma reivindicação popular que o prefeito atende. O chefe do Executivo afirmou que a reforma da Praça da Liberdade ocorrerá em breve e serão feitas obras pontuais como: arborização, construção de mais banheiros, edificação de um novo palco, renovação total das partes elétricas e hidráulicas entre outros benefícios a exemplo de um playground. A origem do recurso será próprio, segundo assegurou o prefeito, que explicou ainda a participação do deputado estadual Jaques Testoni (PSD), nesta obra esperada pela população já que a Praça da Liberdade é uma referencia turística da cidade. “A revitalização da Praça da Liberdade é uma obra importante pelo valor que o local representa para todos nós moradores do município. O nosso compromisso como gestor público será sempre pela busca do bem estar dos moradores. Nossa ideia é mostrar mais uma ação de carinho e amor pela cidade. Queremos mostrar também que estamos do lado dos que querem a cidade limpa, dos que querem bem a cidade”, disse otimista o

“Não podemos esquecer também do Distrito de Rondominas que também esta recebendo asfalto”

Praça da Liberdade, segundo Testoni, será revitalizada com recursos próprios prefeito Alex que acrescentou – “Vamos fazer do local um ponto de encontro das famílias no final da tarde e finais de semana e não tão somente em dias de eventos musical ou religioso “.

CHUVAS NÃO VÃO ATRAPALHAR Em entrevista ao programa de jornalismo da Rádio Rondônia nesta semana, o prefeito Alex Testoni garantiu que as

obras de asfaltamento das ruas de Ouro Preto não serão paralisadas por causa do período de chuvas. Segundo ele, já foram construídos 10 quilômetros de asfalto com meio fio, dos 15 que estão previstos para a cidade. Alex agradeceu o empenho do irmão, deputado Jaques, que intercedeu junto ao governador Confúcio Moura. “Não podemos esquecer também do Distrito de Rondominas que também esta recebendo asfalto. São qua-

tro quilômetros onde vai dar uma melhor trafegabilidade a população daquela localidade”, explicou. O prefeito retomou a administração do município depois de um curto período de descanso e prometeu fazer grandes realizações neste ano de 2014. Ele não tocou no assunto de pré-candidatura, mesmo com comentários na mídia de que ele teria desistido para apoiar a reeleição do governador Confúcio Moura.

Amir exige pagamento Vagas para cursos no de ação a servidores Ifro já estão abertas O deputado federal Amir Lando (PMDB-RO) atendendo a pedidos dos servidores federais prejudicados no pagamento dos precatórios do Sintero, pretende quando for tratar do assunto transposição de servidores na Advocacia Geral da União, exigir providências aos advogados sobre os valores do precatório principal dos técnico-administrativos que até agora não tiveram nenhum posicionamento com relação ao pagamento deles. Amir Lando entendeu que houve pro-

blemas em parte do pagamento da multa, quando alguns servidores e uma advogada falsificaram procurações e aplicaram um golpe contra a União. A Polícia Federal abriu inquérito para investigar e culminou com duas operações, a Pretório I e II.

Uma parceria entre o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Rondônia (Ifro) e a Prefeitura de Ouro Preto do Oeste disponibiliza 100 vagas para o município em dois cursos técnicos gratuitos – Informática para Internet (50 vagas) e Finanças (50 vagas). As inscrições para o processo seletivo 2014/1 estão abertas desde o dia 13 de janeiro e seguem disponíveis até o dia 31 de janeiro no site www.ifro.edu.br. Os dois cursos de Ensino a Distância (EaD) ofertados são gratuitos e tem

duração de um ano e meio. A prefeitura disponibilizará a sala de computação da Escola Municipal Edna Carioca, localizada na rua Castelo Branco (antigo Educandário Curumim). No ambiente serão realizadas as aulas uma vez por semana, elas são aplicadas através do sistema presencial via satélite. O interessado deve ter concluído o Ensino Médio. Durante a inscrição um questionário socioeconômico é respondido. As fichas são analisadas e um processo seletivo define os 50.


Articulista

/jornalrondoniagora @rondoniagoranet

PORTO VELHO, DE 25 À 31 DE JANEIRO DE 2014

15

ALEXANDRE ARAÚJO COLUNA Jornalista

CORPO DE BOMBEIROS

O Grupamento do Corpo de Bombeiros de Ouro Preto que num passado não muito distante faltou espaço físico para guardar as viaturas, hoje sofre com o sucateamento. Com apenas uma ambulância e um caminhão de combate para atender uma região com mais de 200 mil habitantes distribuídos em cinco municípios: Ouro Preto, Vale do Paraíso, Nova União, Mirante da Serra e Teixeirópolis além dos Distritos de Rondominas e Santa Rosa. E dinheiro não é problema para a respeitada instituição que cobra por um serviço que na sua grande maioria não é feito no caso a vistoria nos veículos. A alegação é a falta de bombeiro militar para executar a tarefa, um fato que precisa ser devidamente esclarecido.

/jornalrondoniagora

@rondoniagoranet

Números que não batem O Distrito de Rondominas, distante 50 km de Ouro Preto do Oeste, é um privilegiado em relação a segurança pública. Nada menos do que 14 policiais militares estão lotados no grupamento militar local que tem uma população de 3.261 habitantes.

Já o município do Vale do Paraíso com uma população segundo o censo do IBGE de 8 mil habitantes conta com 9 policiais militares lotados. Com a palavra as autoridades responsáveis pela segurança pública no Estado.

GOVERNISTAS SE CALAM

No inicio da gestão do governador Confúcio Moura (PMDB) uma equipe de técnicos esteve na região polarizada por Ouro Preto do Oeste e fez um levantamento dos imóveis e áreas pertencentes ao Estado. Pois bem feito todo o trabalho e, segundo ficou apurado, muitos imóveis e áreas estão sendo ocupados por pessoas influentes no meio político e empresarial razão pelo qual a turma governista achou melhor ficar em silêncio. Como perguntar não ofende seria bom o Ministério Público – MP solicitar informação sobre o fato, certamente uma sugestão que o povo vai agradecer.

ALEX VERSUS MAGNO O que era de conhecimento de grande maioria agora se tornou pública a guerra declarada envolvendo o prefeito Alex Testoni (PSD) e o deputado federal Carlos Magno (PP). Magno em entrevista a uma emissora de rádio local deixou claro sua antipatia pelo alcaide e não poupou adjetivos nada republicanos. Por seu turno o prefeito ocupou o espaço na mesma rádio e ao invés de partir para o ataque usou a tática “afago de gato”, ou seja, preferiu falar de sua gestão e os projetos que serão executados ao longo de 2014 que soma mais de R$ 50 milhões de reais.

comercial@rondoniagora.com

PÉSSIMO ATENDIMENTO Agência do Banco do Brasil continua prestando aos seus clientes um péssimo atendimento fato este que a cada dia gera uma revolta. Os clientes alegam estar recebendo um péssimo atendimento por parte da gerencia e de alguns funcionários, além da demora em prestar os serviços chegando em muitos casos ao tempo de mais de duas horas o que vai de encontro a uma lei municipal que estipula o tempo máximo em 35 minutos. Outra reclamação sobre os caixas eletrônicos que frequentemente apresentam problemas principalmente no período noturno e nos finais de semana. Mostrando a falta de comprometimento a gerencia da agência não recebe a imprensa e tão pouco demonstra respeito ao clientes para explicar o porquê do péssimo serviço prestado.

FRIO DE RONDÔNIA

FEDENTINA SEM CONTROLE

Moradores que residentes no entorno da Casa de Detenção de Ouro Preto do Oeste estão convivendo com uma fedentina insuportável, por culpa da falta de respeito que o governo do Estado vem tendo com o cidadão. Ocorre que todo o desejo da unidade prisional é jogado através de uma tubulação diretamente no igarapé que passa no perímetro urbano sem qualquer tipo de tratamento. Este fato é de conhecimento das autoridades inclusive do Ministério Público – MP, mas até o momento os grandes prejudicados com este jogo de empurra com a barriga são os moradores que não sabem a quem mais recorrer para acabar com a fedentina.

HOMENS COVARDES O delegado titular da DP de Ouro Preto Roberto dos Santos confirmou através de registros policiais o aumento da violência domestica no ano de 2013 e nos primeiros dias do ano de 2014 a toada continua a mesma. O delegado disse que mesmo com a aplicação da Lei Maria da Penha as mulheres continuam sendo vitimas da ação de homens covardes. A autoridade policial revelou que é regra todo final de semana ser lavrado uma média de três flagrantes com base na Lei Maria da Penha que parece não intimidar os valentões.

REFLITA O discurso político sempre será o mesmo: educação, segurança, saúde e corrupção.

Agora temos uma nova espécie de funcionário público o chamado “frio de Rondônia”, ou seja, é aquele sujeito que aparece de vez enquanto no seu local de trabalho. Tudo isso com a ciência do chefe que abona a folha de ponto do parasita do erário público é muita safadeza no serviço público.

GRILAGEM URBANA Um dos maiores problemas que os gestores públicos enfrentam é a grilagem urbana um fato que se avoluma a cada e o município não está imune a este tipo de “malandragem”. Como exemplo claro um cidadão morador de uma área nobre da cidade simplesmente ergueu um muro em uma área pública (foto) com a clara intenção de grilar uma valorizada área. O cidadão passou por cima da Lei que diz que não é permitida qualquer construção as margens de rio ou igarapés de no mínimo 5 metros, o que se observa neste tipo de esperteza é que os grileiros urbanos são em sua grande maioria pessoas com bom nível de conhecimento e que sempre tem algum político dando proteção para a ilegalidade.


16

Geral

/jornalrondoniagora

PORTO VELHO, DE 25 À 31 DE JANEIRO DE 2014

@rondoniagoranet

Descontos no IPTU até dia 31 Rondoniagora

CONTRIBUINTE PAGA 20% MENOS SE QUITAR IMPOSTO EM PARCELA ÚNICA Termina no próximo dia 31 o prazo para o desconto de 20% para o contribuinte que quiser quitar o IPTU deste ano em parcela única. Os carnês começaram a ser distribuídos a população. Este ano, segundo a prefeitura, os proprietários podem pagar o imposto em parcela única ou esperar até o final de fevereiro esse desconto cai para 10%. Caso o titular queira parcelar o débito a opção pode ser feita pelo pagamento em até três vezes, mas a divisão será pelo valor integral, sem qualquer desconto. De acordo com o prefeito em exercício, Luizão do Trento, a prefeitura está correndo para que a entrega seja

feita em tempo hábil em todos os imóveis. Ele também explicou os motivos da antecipação da cobrança. “O mês base é janeiro em praticamente todo o país. Este ano é atípico. Em todos os municípios do país há essa antecipação, uma vez que o IPTU é um imposto próprio das cidades. Por estarmos às vésperas de uma eleição para governadores, presidente, senadores e deputados federais, depois de abril os repasses do Estado e da União tendem a diminuir”, argumentou. Ainda de acordo com o prefeito, os carnês serão entregues nas residências, mas, por Lei, o não recebimento da cobrança não exime o contribuinte da obrigação de pagar. Caso o documento não chegue até os donos dos imóveis, estes devem procurar o setor de arrecadação do município para buscá-lo. Caso não haja o pagamento no prazo correto, a cobrança poderá ser feita extrajudicial.

Prefeito Luizão do Trento alerta para os riscos da inadimplência

Rondoniagora - Versão impressa - Ed.82  

Confira noticiário exclusivo de Rondônia e região.

Advertisement