Page 1

saúde

vestibular

 p. 03

 p. 06

LAGUNENSE É APROVADA EM MEDICINA EM CINCO VESTIBULARES

PROJETO “ESF DA ALEGRIA” IREPRESENTARÁ LAGUNA EM EVENTO DO MINISTERIO DA SAÚDE EM BRASILIA

esporte

 p. 08

CAMPEONATO DE BEACH SOCCER ACONTECE NA PRAIA DO MAR GROSSO

FolhaLagunense Laguna, Sábado, 08 de Fevereiro de 2014 - Ano 01 - Edição 06 - Distribuição Gratuita

De Laguna, para os lagunenses!

Quase tombando  p. 04

Edifício tombado pelo IPHAN e de propriedade do Estado encontra-se em situação precária.

Lei em favor dos músicos de Laguna é questionada

Novidades no retorno das aulas

MÚSICOS PEDEM POR OPORTUNIDADES E QUESTIONAM O CUMPRIMENTO DA LEI 1635/13

PARA AJUDAR NO APRENDIZADO DOS ALUNOS, PROJETOS INOVADORES SÃO IMPLANTADOS NA REDE DE ENSINO MUNICIPAL DE LAGUNA

 p. 05

 p. 07


2

FolhaLagunense

08 de fevereiro de 2014

Expediente Jornal Folha Lagunense Laguna - SC Contato (48) 9608-1889 redacao@folhalagunense.com.br Comercial Romulo Camilo (romulo@folhalagunense.com.br)

Colaboradores Mayra Lima (mayra@folhalagunense.com.br) Renato Souza (renato@folhalagunense.com.br) Marcinho Rodrigues (marcinho@folhalagunense.com.br)

coluna

Impressão Diário Catarinense

> Renato Souza

Tiragem 1.000 exemplares Todas as opiniões expressadas são de inteira responsabilidade dos seus autores. Distribuição Gratuita

renatosouza@infosc.com.br www.renatosouza.blog.br Enquanto isso....

As férias de verão continuam e algumas coisas não mudam, não é necessário muitas palavras para dizer o quanto é irritante aqueles bancos virados para os prédios na orla do Mar Grosso em Laguna. Pobre dos turistas, torcicolo é a lembrancinha que levam na bagagem.

Luz no fim do túnel?

Mantenha contato conosco! Curta nossa FanPage no Facebook @JornalFolhaLagunense

Acesse a fanpage do Folha Lagunense no Facebook a partir do nosso QR Code.

> FotoLagunense

Em entrevista ao programa Conversa de Botequim na TV Unisul dia 30 de janeiro o Prefeito Lagunense Everaldo Santos afirmou que a Casan estabeleceu parceria e estará em breve enviando uma empresa para fiscalizar as ligações clandestinas de esgoto lançado na rede pluvial da praia do Mar Grosso, diz ele que processará o infrator ou os infratores, esperamos pois. Ainda no programa rebateu as críticas sobre as obras em seu primeiro ano de mandato alegando ter recebido 17 milhões em dívidas da gestão anterior e que daqui a 3 anos deixará o paço municipal sem dívidas e com uma administração regular e exemplar. Interessante e especulativa a fala do prefeito, concluo que não tem pretensão a uma reeleição em 2016.

Me entendes?

Carnaval 2014? hummmm melhor ficar quieto, já ouvi demais, ademais eu gosto mesmo é de Original.

Ainda sobre os gatos dos Molhes em Laguna...

Algumas pessoas já se mobilizam em defesa dos felinos no molhes da barra, recebi por mensagem um comunicado de Nara Pessoa informando que estão organizando um mutirão no dia 16 de Fevereiro para castração e cuidados básicos. Esclarece ela que foi criada uma comunidade no facebook e que está arrecadando doações para a empreitada, quem puder colaborar é bem vindo. Que tal a secretária de saúde do municipio participar também? Entre em contato fazendo sua doação, o endereço da página é facebook.com/Gatos-dos-Molhes-Laguna-SC

Só em Israel?

Lí na revista Veja que o ex premier Ariel Sharon falecido em Janeiro último teve o dom político de desagradar tanto os que o odiavam como aos que o apoiavam. Não precisa ir muito longe, em uma cidade litorânea a popularidade do alcaide não é muito diferente do polêmico general. É cada tiro no pé.

Praia do Manelome, um paraíso ainda intocado. Foto por PAULO TARSO

Não tem jeito

A problemática da prática de Jet-Ski no molhes do barra e a preservação dos botos pescadores continua, a sensibilidade da administração municipal é tamanha que não me surpreende teremos em breve um monumento aos jeteiros e suas poderosas máquinas, não entende como é difícil entrar com um jet-ski pela praia, seria medo das ondas? Enquanto isso na entrada da cidade nota-se a grande preocupação em valorizar o fruto símbolo do município, o Butiá adorado por todos continua ali na marginal da BR, uma lástima.

Silêncio

Entendo os porques, em muitas cidades onde mais da metade do povo vive do erário seja ele estadual ou municipal, ninguém quer se comprometer, de dois em dois anos tem eleição e com as coligações feitas é sempre salutar ouvir mais e falar menos, ninguém tem opinião formada.

Dos exaustos de pagarem a conta, mas que ainda sonham em colher os frutos de uma grande gestão. Aguardem...


FolhaLagunense

3

08 de fevereiro de 2014

Saúde

ESF da Alegria representará Laguna em evento na Capital Federal. Por Romulo Camilo Fotos: Divulgação

Criado pelo Ministério da Saúde, a Mostra Nacional de Experiências em Atenção Básica/Saúde da Família tem como objetivo incentivar as Práticas da Atenção Básica e valorizar os profissionais de saúde envolvidos e que atuam na rede de atenção básica, no caso, as Equipes de Saúde da Família e Atenção Básica (ESF’s), os Núcleos de Apoio à Saúde da Família (NASF), Consultórios de rua, atenção domiciliar, entre outros. Neste ano sendo realizado em Brasília/DF, entre os dias 12 e 15 de Março, a IV Mostra de Experiências em Atenção Básica/Saúde da Família, deverá receber aproximadamente 10 mil participantes, entre traba-

lhadores do Sistema Único de Saúde (SUS), gestores e usuários da Atenção Básica do Brasil. De todas as partes do país foram inscritos projetos que passaram pela análise do Ministério da Saúde. Com a seleção do “Projeto ESF da Alegria – Cantando Saúde” de autoria da Enfermeira e Coordenadora da Estratégia de Saúde da Família do bairro Mar Grosso, Maria Heloísa Fernandes com a colaboração da sua equipe de trabalho na Atenção Básica, NASF e da comunidade, Laguna será representada no evento. O projeto visa levar informações sobre saúde aos usuários de forma lúdica e com muita descontração,

trabalhando em especial a saúde mental e humanização dos participantes. “O grande objetivo deste projeto é trabalhar a saúde mental das pessoas, tanto dos integrantes, como dos observadores com muito colorido, alegria, descontração, músicas em paródias, além de outros ingredientes considerados fundamentais pela equipe, que é a atenção, o amor à vida e humanização. Essas pessoas através da criação de personagens coloridos, engraçados e dinâmicos, criados por eles próprios cantam músicas que falam e ensinam sobre saúde em geral. Tanto os integrantes do grupo, como aqueles que presenciam as apresentações referem sentir-se muito bem, principalmente pelo espaço que podem experimentar, onde a alegria de viver, a oportunidade de criar, de cantar e contar, nos princípios de humanização, que facilitam o processo de criar e educar para a saúde.”, relata Maria Heloísa Fernandes, coordenadora do ESF do Mar Grosso. A idéia para a criação do projeto aconteceu

em 2012, mas foi colocado em prática efetivamente em 2013. O inicio foi trabalhoso e com o tempo os resultados foram aparecendo. “O maior desafio, para o desenvolvimento deste trabalho foi à criação dos personagens, a incorporação dos mesmos pelos integrantes. Como num passe de mágica, as músicas se desenrolando, as frases sendo ditas sempre no sentido de educar para a saúde, e as ansiedades diminuindo, os medos se transformando, as depressões transparecendo.”, conta Maria Heloísa.

Para a coordenado-

ra, levar uma ideia surgida em Laguna e expor em um evento onde o foco é a evolução do Sistema Único de Saúde, será gratificante e também uma experiência muito recompensadora. “É um evento fundamental, para a Saúde Pública no País, pois proporcionará espaços de intercâmbio de experiências, pretendendo contribuir com a reflexão e constante melhoria na produção do cuidado em saúde nos serviços que constituem o principal ponto de contato dos usuários com o Sistema Único de Saúde (SUS): a Atenção Básica.”, relata Maria Heloísa.


4

Capa

FolhaLagunense

08 de fevereiro de 2014

Um edifício tombado, e quase tombando Prédio onde funciona o SINE, de propriedade do Estado está ruindo. Por Romulo Camilo

Com sete funcionários trabalhando e com uma circulação de mais de 600 pessoas ao mês, o prédio onde fica instalado o SINE em Laguna, um dos mais atuantes e o que mais colocou trabalhadores no mercado de trabalho em 2013 no estado de Santa Catarina, vem sofrendo com a ação do tempo e a falta de manutenção e restauro.

Adquirido em 1984

pelo governo do estado, o edifício para abrigar o órgão público já apresentava problemas na estrutura e segundo a descrição que consta no documento de registro de imóveis, era uma “casa velha de alvenaria, com as respectivas portas e janelas em mau estado de conservação”. Nesses trinta anos que se passaram, apenas duas reformas foram feitas, a última há mais de 15 anos e atualmente o que se vê é

um prédio deteriorado e necessitando de cuidados. Em 2010 a equipe de Infraestrutura da SDR iniciou os trabalho de avaliação para um possível restauro, mas o que não veio a se concretizar. Por estar dentro da Poligonal de Tombamento do Centro Histórico de Laguna e fazer parte das mais de 600 edificações protegidas por lei federal, fica sobre a tutela do Instituto do Patrimônio Histórico e Nacional (IPHAN), que deve zelar, notificar e sugerir restauros quando houver a necessidade ou autorizar intervenções quando for interesse do proprietário do imóvel. Sendo assim, foi requerido por parte do SINE na data de 9 de junho de 2011 uma autorização para reforma simplificada, no caso, para a limpeza do telhado e substituição das telhas quebradas. O parecer técnico da Ar-

quiteta Ana Paula Cittadin, Chefe do Escritório Técnico de Laguna na época foi favorável ao restauro e ainda salientou a importância cultural e de repercussão visual na paisagem do local. Neste mesmo relatório de 2011, Ana Paula ainda aponta em sua análise sobre os possíveis danos que futuramente o prédio viria a ter caso o telhado viesse a ser restaurado. “A importância dos telhados, não se restringe a uma questão de ordem meramente estética ou paisagística. Sabe-se que o estado de conservação de um imóvel depende basicamente da condição em que se encontra se telhado ou sua cobertura, como tecnicamente costumamos chamar. A falta de obras de manutenção e conservação em uma cobertura poderá gerar uma série de problemas causados principalmente pelas intempéries e, em pouco tempo, levar o imóvel a um processo gradativo de deteriorização e finalmente ao colapso.”, analisa Ana Paula. Requerida a autorização para a reforma e mesmo com a aprovação do IPHAN as obras não aconteceram. Por último, segundo Elvis Palma, coordenador do Sine em Laguna, houve o interesse em restaurar o prédio, porém, os orçamen-

to não deveriam ultrapassar o valor de R$50mil reais. “Foi solicitado orçamentos para restaurar a parte externa e o telhado, que estão em estado críticos, mas os orçamentos não deveriam ultrapassar o valor de 50 mil reais, o que eu acho valor inviável para a dimensão do problema e o trabalho de deverá ser feito.”, diz Elvis. Os problemas vão além da fachada com a pintura e reboco caindo, a falta da calçada, janelas sem vidro, assoalho solto e telhado comprometido. Em dias de chuva é necessário parar o atendimento por causa das goteiras e ainda há a preocupação com a segurança dos funcionários e usuários do prédio, já que não conta com um sistema de prevenção de incêndios. “Em dias de chuva precisamos parar o atendimento e proteger os computadores e equipamentos eletrônicos com sacos plásticos por causa das goteiras. Há alguns anos, um inicio de incêndio foi o ponto de partida para a reforma da parte elétrica do prédio. “Tivemos um inicio de incêndio e isso motivou a reforma das instalações elétricas, o que é a uma das únicos pontos que não temos problemas no edifício”, relata Elvis Palma.


FolhaLagunense

5

08 de fevereiro de 2014

Lei em favor dos músicos locais gera dúvidas Músicos pedem oportunidades, Prefeitura diz estar fazendo o seu papel Proposta pelo Vereador Andrey Pestana e aprovada pelo legislativo, a Lei 1635/13, que trata da obrigatoriedade de apresentação de músicos e bandas locais em eventos realizados ou apoiados, sendo apoio logístico, financeiro ou executório pela Prefeitura Municipal de Laguna, está em vigor desde a data de sua publicação, no dia 31 de outubro de 2013. A lei dispõe que em eventos com duração superior a quatro horas de duração, com apresentação das bandas e dos artistas contratadas para o evento, deverá ser disponibilizado uma hora para a apresentação de músicos e bandas locais. A Fundação Lagunense de Cultura é a encarregada de promover e viabilizar o cadastro de todos os

músicos, bandas e artistas da área musical residentes e domiciliados em Laguna. O objetivo da Lei 1635/13, é dar visibilidade aos músicos de Laguna e dar apoio para que os cidadãos daqui desenvolvam seus talentos, valorizar nossos artistas e criar oportunidades. Justificando o então projeto de lei que ia a votação no dia 12 de junho de 2013, o proponente escreve: “Em eventos de grande porte, muitos profissionais e empresários da área se deslocam para nosso município e assim, é uma forma de oferecer aos artistas locais uma maior visibilidade de seus trabalho. Ademais, Laguna carece de apoio para que os cidadãos daqui desenvolvam seus talentos e o exponham ao público, sendo que existem pessoas que possuem grandes aptidões

e estas não são exploradas e, precisamos valorizar nossos artistas, enfatizando-se o talento dessas pessoas criando-se oportunidades”, justifica Andrey. Alexandre Macuco, músico lagunense e integrante de 4 projetos musicais, entre eles, atua como baterista da Banda Sentapua, hoje com mais de 20 anos de estrada, se diz impactado pela falta de oportunidades em Laguna. “Nossa agenda vem diminuindo a cada mês. Se apresentar em grandes eventos como esse que ocorreram durante a temporada de verão seriam ótimas oportunidades para expor nosso trabalho, não só para o lagunense, mas para todos os visitantes da região que por aqui passaram. Falta Laguna dar valor e apostar nos artistas da terra.”, diz Macuco.

Procurados pela tratar do assunto, a Procuradoria do Município na pessoa do Advogado Vitor Baião. Informou que a Prefeitura vem cumprindo a lei desde que foi publicada no Diário Oficial da Câmara de Vereadores, e que em todos eventos que a Prefeitura presta apoio, faz questão de inserir e prestigiar músicos lagunenses. Há pontos na lei de devem ser revistos e a assessoria jurídica da Prefeitura irá estudá-la nos próximos dias, que alguns pontos da lei se tornam impraticáveis em algumas situações. “A Prefeitura está fazendo cumprir a lei. Em todos os eventos que contam com apoio da Prefeitura, fazemos questão de colocar entre as atrações os músicos de Laguna.”,relatou o Procurador Oficial do Município, Vitor Baião. Questionado sobre os eventos na Praça Seival

e se a cessão do espaço público não se enquadraria em uma apoio da Prefeitura aos eventos, Vitor enfatizou que o espaço foi criado com essa destinação e que se tratando de artistas nacionais, muitos estabelecem em seus contratos as atrações na qual dividirão o palco e que essa situação, a cessão do espaço, não caracteriza um apoio da prefeitura. Ainda indagado sobre a presença do brasão da Prefeitura nos materiais de divulgação como apoiador dos eventos na Praça Seival, Vitor se referiu a isso como uma forma da organização do evento agradecer e prestigiar a Prefeitura Municipal, mas que não houve apoio da Prefeitura de nenhuma forma, já que todo o evento foi terceirizado e o Município não sofreu com nenhuma despesa.


6

FolhaLagunense

08 de fevereiro de 2014

coluna

Marcinho Rodrigues marcinho@folhalagunense.com.br

A batalha das bicicletas Eram algumas primeiras vezes: o primeiro vôo, a primeira vez fora do país, a primeira vez em Buenos Aires. Começamos pelo básico: Um gelado de Dulce de leche. Não poderia ser diferente para um faminto por doces como eu. Bem... como estava muito quente – como nos dias de hoje – o sorvete veio muito a calhar. Visitamos alguns pontos turísticos da cidade. Como o tempo era curto, fomos nos mais conhecidos: um lindo passeio pelo Teatro Colón (imperdível), uma parilla em Puerto Madero, uma lágrima escorrida ao contemplar Van Gogh e Rodin no Museu... Bem, embora o tempo fosse curto, foi uma viagem muito bem aproveitada. Uma das coisas que muito me chamou atenção no passeio foi quando fomos conhecer o mais tradicional café da capital argentina: Café Tortoni. Um espaço bastante suntuoso, repleto por bustos dos heróis da cultura portenha, como Carlos Gardel e Jorge Luis Borges. Fomos muito atendidos por Pedro, um rapaz brasileiro que me trouxe uma deliciosa Patagonia de Trigo (Weiss); para minha namorada, um tiramisu acompanhado de um café. Embora fosse tudo demasiamente belo, o que se destacou naquela ocasião foi uma cena ocorrida enquanto aguardávamos nossa vez na entrada do lugar (aguardamos por uns 20min na fila): um grupo enorme, de incontáveis patinadores – talvez uns cem ou duzentos – patinadores desciam as ladeiras da rua, numa perfeita harmonia entre os homens e os carros. O som das rodas de tantos rollers quase perfilhados era maravilhoso. No entanto, numa cultura – ou numa política pública – em que o carro se torna bem de extrema necessidade para os mais amplos usos, veículos com propulsão humana ficam cada vez mais perdidos e sem seu devido lugar. O lazer dos ciclistas, skatistas, patinadores se torna comprometido. Apesar de já contarmos com os problemas locomoção comuns, em nossa cidade, como é sabido, as coisas ocorrem de formas pitorescas. Numa atitude elogiável do Poder Público, foi implantada uma ciclovia na orla da praia do Mar Grosso, devidamente delimitada e sinalizada. A população vê atendido um de seus tantos anseios. Contudo, demos origem a mais um conflito: a guerra dos pedestres com os ciclistas. Pessoas caminham e correm sobre a ciclovia, estabelecem sua roda de amigos ali mesmo, dentre outras tantas situações. O ciclista e o praticante de esporte perde espaço mais uma vez. Todos saem prejudicados, pois a pessoa que permanece sobre a ciclofaixa corre o risco de ser atingido por uma bicicleta, e o ciclista não consegue praticar seu exercício da forma pretendida. Diante disso, faço o apelo aos transeuntes da orla do Mar Grosso para que TENHAM A BONDADE DE RESPEITAR A CICLOVIA! É a única da cidade. Se me permitem, o pôr-do-sol no fim da tarde na Lagoa de Santo Antônio dos Anjos – pode parecer repetitivo, mas sou apaixonado demais por esse momento – ao meu ver é ainda mais belo que o entardecer à beira da praia, horário eleito pelos praticantes do esporte, não somente pela temperatura mais branda, mas por ter trabalhado durante um dia todo. É uma grande experiência contemplativa. Fica minha sugestão.

Vestibular

Um sonho e cinco oportunidades

Por Mayra Lima Fotos: Arquivo Pessoal

A estudante Luiza Guedes foi aceita em cinco universidades para cursar Medicina. A saúde sempre foi a área em que Luiza Guedes pretendia atuar. Desde pequena, a jovem de 19 anos queria participar ativamente do mundo, de uma forma que pudesse contribuir para a melhoria da vida em um todo. Ao se inscrever no vestibular não pensou duas vezes: “Medicina. É isso que eu vou fazer”. E foi com essa certeza e perseverança que a lagunense passou em quatro vestibulares federais e um particular. O relógio desperta às 5h30 da manhã, hora de levantar. Um café da manhã pra reforçar o dia e ficar pronta para pegar a estrada. De Laguna à Tubarão os livros já tomavam conta do colo de Luiza, que gostava de aproveitar cada segundo para fortalecer seu futuro. Ao chegar à cidade azul, a lagunense se dirigia ao cursinho pré-vestibular. Ela só iria parar de estudar quando a noite chegasse. Foram dois anos de cursinho para preparar Luiza. Segundo a futura médica, ela sempre estudou muito. “Estudei conteúdo de vestibular por três anos, o terceirão e mais dois anos de cursinho”, conta. Para estudar em casa, Luiza só precisava da calmaria de seu quarto, uma mesa bem grande e silêncio. Universidade Federal de Santa Catarina, Universidade Federal de Santa Maria, Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre, Universidade Federal do Rio Grande do Sul e Universidade do Sul de Santa Catarina. Todas aceitaram Luiza. A lagunense optou pela UFSC, em Florianópolis.

Por amor as causas Luiza já pensou em ser veterinária, também sentia vontade de ajudar os animais e achava que medicina requeria uma responsabilidade muito grande. Entretanto, mudou de ideia depois de um tempo. “Amadureci o suficiente para ter a certeza do que deveria fazer. A medicina é o meu lugar. É a única área que vou me sentir

• p 08

tradição

• p 06

07QUEM? • pg ÉIS FILHO DE

saúde A TRADIÇÃO

ÇÃO DO A INTERA COM A IMPRESSO INTERNET

DE CINEMA SESSÕES TE SEMANALMEN E DE GRAÇA

esporte coluna

, 20 de Novembro

Edição 01

- Distribuição

Laguna

Gratuita

, Sábado , 21 de

carnava l

de refor necessitam

Há 35 anos , Zé Malaas em deze Everaldo dos Santos abre as portas do seu gabinete embro responde mud e dá vida a de iden questões enviadas pelos leitores. ao bom tidade • p 04 velhinho

para a s disponíveis de esporte os ginásios o de todos Saiba a situaçã na Vila Vitória comunidade. “Dr. Miranda”,

 p 04

os lagu nenses!

a vez!

de Esportes

03 - Distribu

ções na Praia

• p07

• pg e desde Orla da Prainha destruída Saúd ” a ressaca do mar em agosto ainda se a “Mais Médicos do program Médicasituação. encontra na mesma do governo federal Laguna já trabalha em 07

ANUNCIE! (48) 9608 1889

Po

pu • pg 03 Últimas assin lação Municipal araot aturas foram Câmpr ocola aç recolhidas é votado na durante ão Plano Diretor as manifesta Farol de Sta. Marta

Após realizar seu sonhos, a lagunense pode voltar a assistir suas séries preferidas e ouvir as musicas do Red Hot Chili Peppers. Mas não por muito tempo, logo as aulas começam e a rotina de estudos vai voltar à ativa.

 p 06

01 - Edição

a

lagunenses! a, para os De Lagun

de: Futuro da Cida

- Ano

ição Gratuit

De Lag una, para

De Laguna, para os lagunenses!

h Prefeito cede rteasis e g o u , pom sios de esexclusiva mas u m Gináentrevista

Na foto, Ginásio • pg 04

Aliviada e pronta, Luiza se sente completa. “Sei que vou gostar muito da faculdade e da minha profissão. Sinto uma mistura de conforto, por ter conquistado essa luta, com uma felicidade indescritível. É o meu futuro começando”.

BLOC O LANÇA DA PRACINHA E HOM SEU ABAD ENAGEIA Á OFIC BELEZAS IAL AS DE LAGU NA

Dezemb ro de 2013

Laguna, Quarta-feira

“Se tivéssemos como estacionar nossos carros...”, dirão alguns.

O futuro começou

•pp08 02

ETAPA FINAL BRAS DO ILEIR RENA TO SOUZA: FOI DISPU O DE SURF UTOPIA E PAIXÃO, MAR GRO TADA NO A SAGA DO POVO SSO LAGUNENSE

DA REGIÃO FEMININO BANDA FUTSAL DESTAQUE NO GRAVA ÉSEU O EP SUL DO PAÍS PRIMEIR

Laguna, Quarta-feira, 04 de Dezembro de 2013 - Ano 01 - Edição 02 - Distribuição Gratuita

01 de 2013 - Ano

Luiza é diferente de muitos jovens lagunenses. A maioria pensa em se formar e ir para uma cidade grande, ou tentar a vida em um lugar com um maior leque de áreas e caminhos. Entretanto a futura médica afirma que a cidade é o seu lugar. “Pretendo exercer a profissão em Laguna, gosto muito da minha cidade”, relata.

 p 07

RELATÓR APONT IO DA FATM A PRAI A

FARO NHA • p 08 L 06 DO esporte pg PARA IMPR•OPRI A BANH músicaEQUIPE O DE

Folha FolhaLagunense Lagunense eEnse Lagunense n u g a L a lh o F le c

cultura

QUE PASSADA POR DE SAÚDE POSTOGERAÇÕES DA BARRA PASSAGEM ÇÃO RECEBE AMPLIA

Voltar à Laguna

A sua empresa pegando carona por toda Laguna! verão

bem estar

OS PERIGOS DOS INIMIGOS QUASE 02 • pg

INVISÍVEIS: tecnologia OS ÁCAROS

• pg 08

confortável e realizada profissional e pessoalmente”, relata a jovem.

civil pú blica

do Grava tá.  p07

IV Mostra Cultural Escola de Educação Básica

Saúl Ulysséa • p03


FolhaLagunense

08 de fevereiro de 2014

7

Volta às aulas - UDESC

O sonho e a saudade de casa Estudantes saem do conforto do lar para uma terra ainda não conhecida Por Mauella Veiga

Desde pequena ela já sabia o que queria, Manuela Kretzer estudante do curso de Arquitetura e Urbanismo da UDESC, sempre foi apaixonada pelo mundo das construções, por isso não foi difícil a escolha pela profissão. Ainda quando a jovem cursava o ensino médio na cidade natal de Rio do Sul, soube do curso na unidade da UDESC de Laguna, e não pensou duas vezes em prestar o vestibular para cá. Depois de aprovada a vida da adolescente começou a mudar no final de 2011, quando arrumou as malas e veio pela primeira vez para Laguna, já para morar: “Foi bem complicado, eu sentia muito a falta de minha família”. E a partir daí as coisas aconteceram ainda mais, o envolvimento com o curso se tornando intenso com o passar dos semestres e a vida de “gente grande”, ensinando novos desafios a cada dia. Laguna é contemplada por uma fonte riquíssima de paisagismos arquitetônicos históricos. Enche os olhos da atualidade com os traços do passado. A grade curricular de arquitetura e urbanismo da UDESC realiza uma série

Manuela (à direita) e colegas na durante aula de Materiais e Tecnologias Construtivas

de trabalhos, atividades, projetos e pesquisas em diversos pontos da cidade, que é tombada historicamente: “O Centro Histórico me chama a atenção. É cultura, é a história do país, entretanto precisa de maiores cuidados”, revela a acadêmica. Mesmo não conhecendo a terra de Anita Garibaldi, Manuela arriscou todas as fichas em apostar na universidade, que hoje já se tornou a segunda cada da futura arquiteta: “Não conhecida ninguém e fui morar com uma menina que eu também

Volta às aulas - Rede Publica de Ensino

não conhecia. Mas hoje tenho raízes em Laguna, fiz amigos para toda uma vida, que se tornaram minha segunda família”.

Laguna ganha um novo olhar

A UDESC de Laguna abre oportunidades de ingresso para os cursos de Engenharia da Pesca e Arquitetura e Urbanismo, desde sua implantação efetiva que teve início em 2008, o município e os lagunenses só ganharam com a vinda da universidade.

Por Mauella Veiga

Inovações em Sala de Aula

Para aprimorar o ensino educacional, projetos inovadores são implantados nas escolas municipais de Laguna

Os alunos contam os dias, e os professores também. O calendário deste mês marca o início da volta ás aulas, que começa dia 10. Laguna possui 26 unidades dna rede municipal de ensino, todas em fase de preparação para o ano letivo que já bate às portas. Com o objetivo de inovar o desenvolvimento de ensino dos pequenos e a interação entre aluno e professor, as unidades de educação infantil recebem através da Secretaria de Educação o material pedagógico que será trabalhado neste ano. A ferramenta é o sistema de ensino “Aprende Brasil”, editado pela Positivo, material destinado

aos profissionais da área de educação e aos estudantes. O objetivo do investimento do Município com a introdução do sistema é a inovação na forma de aprendizado, auxiliando nas etapas inicias da formação dos pequenos e na metodologia pedagógica dos professores em sala de aula: “A implantação do sistema é uma das maiores revoluções positivas que podemos proporcionar as nossas crianças em Laguna”, afirma o Secretário de Educação, Luis Fernando Schiefler Lopes. Para o ensino fundamental a aposta é no projeto Mind Lab, que faz parte do programa Mente Inovadora.

PEÇAS BICICLETAS

Em 2014, o objetivo é intensificar a metodologia no Município, pioneiro na implantação do projeto, que por meio de jogos de tabuleiro busca a potencialização do raciocínio dos pequenos. Todos os projetos viabilizados para a rede municipal de ensino são viabilizados pela prefeitura de Laguna, e o valor investido já ultrapassa a marca 1 milhão de reais nas inovações para 2014, segundo o Secretário de Educação.

Ponta da Barra A Escola E.B. Francisco Zezuíno Vieira conta com 52 alunos de primeira à quinta-série: “Temos poucos alu-

Que inicialmente se instalava nas dependências do sambódromo de Laguna, e só em 2010 foi removida ao local oficial, no bairro Progresso. Para o diretor administrativo da unidade, Andrey Pestana, o setor econômico da cidade é um dos mais beneficiados com a grande demanda de acadêmicos que moram em Laguna: “Com a chegada desses estudantes, pelo menos 900 mil reais/ mês gira no município”. Ainda o diretor da UDESC, ressalta a movimentação da cidade, que é notável com a presença de centenas de jovens estudantes de todo o Brasil.

Novas Instalações

expetativa todo o desenvolvimento da nova instalação, que está quase pronta. De acordo com a direção administrativa, até o final do primeiro semestre deste ano, as novas salas já estarão sendo usadas pelos acadêmicos. Serão 26 novas salas de aula, auditório com capacidade para 150 pessoas, biblioteca, laboratórios, salas de estudo, salas de atendimento pedagógico e espaços de convivência para os alunos. O investimento de 6,4 milhões para a nova área de 7 mil metros quadrados são recursos públicos viabilizados pela Universidade do Estado de Santa Catarina.

Agora só faltam os últimos detalhes. Em março de 2012 a ordem de serviço para a construção do novo prédio para os alunos foi liberada, e em abril do mesmo ano os trabalhos começaram. Desde o início os alunos acompanharam com grande

nos comparado a outra unidades, entretanto o contato com a história de cada criança é enorme, a ligação entre a escola e as famílias também se torna muito maior”, é o que conta o diretor Júlio Cruzz David. A motivação dos professores é grande para o início do ano letivo, principalmente com a introdução da língua inglesa para os pequenos, que é novidade a ser desenvolvida com a Copa: “Vamos unir a metodologia da língua com os atrativos da copa”, revela Júlio. Com os recursos repassados através do “Programa Dinheiro Direto da Escola”, PDDE, as necessidades gerais foram supridas, todo o material esportivo também é novo e já será utilizado com a volta às aulas. O que ainda é de necessidade e pedido da comunidade é a “cara nova” que falta na escola, a solicitação de uma pintura nas áreas externas e internas já foi licitada e a unidade aguarda o retorno

positivo para o início dos trabalhos.

Vila Vitória

Os preparativos para o início das aulas na creche municipal Profª. Laureni Vieira de Souza estão a todo o vapor. O material didático e mobília da escola são novos e foram viabilizados pela Secretaria de Educação. De acordo com a diretora da creche, Maria de Glória Ribeiro Kfuri, os professores estão preparados: “Estamos organizando os últimos detalhes, o clima é tranquilo para o início das aulas e com os cursos de capacitação nossos professores se sentem muito valorizados”, afirma. A creche possui 250 crianças matriculadas e a necessidade por uma ampliação de salas é necessária. O assunto já está sendo analisado em conjunto com a secretaria, pois a procura por vagas na unidade cresce a cada ano.

IDÉIAS CRIATIVAS E BOAS ESTRATÉGIAS PARA MELHORAR AS VENDAS E ALCANÇAR RESULTADOS.

ACESSÓRIOS (48) 3644 2938 Av. Senador Galotti, 984 Próximo ao Mercado Ponto Final

MANUTENÇÃO

Av. joão pinho, 1003, sala 02 Mar grosso - laguna sc

48

3644 6498

SELECTCE.COM.BR


FolhaLagunense

8

08 de fevereiro de 2014

Esporte

Campeonato de Beach Soccer na Praia do Mar Grosso Começou neste último final de semana (1 e 2 de fevereiro) o Campeonato de Beach Soccer na arena montada na Praia do Mar Grosso. Quatro jogos, da primeira rodada, aconteceram no sábado e domingo. Os jogos estão acontecendo todos os sábados e domingos do mês de feve-

reiro. As partidas iniciam a partir das 19h e têm oito equipes disputando o lugar de campeão. Inscrições abertas para categoria 13 anos Neste sábado (dia 8 de fevereiro) será realizado um torneio de Beach Soc-

cer na categoria 13 anos. As inscrições gratuitas podem ser realizadas no mesmo dia, às 9h, na Arena da Praia do Mar Grosso, em frente à Praça do Vila. O evento é uma realização do Departamento Municipal de Esportes. Mais

no telefone 9632-3827 ou 91029618 ou 3647-1673 Os resultados da primeira rodada: Magalhães/Xavante 03 X 04 Bandeirante 11 de Maio 06 x 00 Peladeiros Dalla / Mecânica Azul 03 X 05 Progresso/ Mercado Kantão Rest. Faísca Center 02 X 03 Tecnitelle

informações

LOG�IC

bidu

gilberto pinho

disc & joker

thales dumbra renan geb�r

groundbas�

felipe teixeira

alison arau jo

gean joaquim

phelipe martins

Folha Lagunense - Edição#06  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you