Page 1


Introdução Esporotricose é uma micose profunda de maior incidência no Brasil, sendo causada pelo fungo Sporothrix schenckii, o qual exprime a possibilidade de infecção em diversas espécies como homens, caninos, felinos, bovinos, entre outras (FERNANDES, et al, 2004).


Introdução


Objetivos Auxiliar em caráter informativo a respeito dos conceitos de esporotricose podendo assim determinar as ações do médico veterinário no controle dessa zoonose. Como objetivos específicos busca-se elucidar a respeito dos mecanismos de transmissão, diagnóstico, agente causador, a anatomia do animal estudado (neste momento o gato doméstico), determinando sempre o papel do médico veterinário nestes casos.


Material e Métodos As informações aqui descritas são provenientes de busca bibliográfica e baseadas em livros, artigos e resumos de congressos disponíveis em plataformas de busca como Scielo e PubMed, a fim de realizar uma revisão bibliográfica informativa e descritiva a respeito do que é a esporotricose e suas particularidades.


Resultados e Discussão A esporotricose é uma micose zoonótica subcutânea caracterizada por lesões restritas normalmente à pele, tecido celular subcutâneo e vasos linfáticos, adquirida pela inoculação de um fungo através da pele, que acomete os homens e diversos animais (BARROS, et al, 2010). O fungo parasita desde humanos até gatos e cachorros, neste trabalho iremos nos deter especificamente à esporotricose felina, uma vez que estes são os mais acometidos pela infecção e os que representam maior potencial de transmissão (MADRID, et al, 2013).


Resultados e Discussão As formas clínicas da esporotricose são classificadas em cutânea fixa ou localizada, cutâneolinfática, cutânea disseminada, mucosa e extra-cutânea ou sistêmica Se tratando de diagnóstico, um dos grandes problemas da esporotricose é a diferenciação desta com outras dermatopatologias como leishmaniose, criptococose, entre outras


Resultados e Discussão A respeito da transmissão da doença, está comumente ocorre por meio da arranhões ou mordidas, por felinos enfermos ou portadores assintomáticos. O felino faz o papel de vetor no ciclo, se contaminando através da terra e de plantas que possuem o fungo e transmitindo o mesmo para outros felinos ou para o homem (ALMEIDA, et al, 2015).


Resultados e DiscussĂŁo


Resultados e Discussão Para tratamento da micose são utilizados antifúngicos, mas deve-se atentar porque alguns medicamentos têm atividades in vitro diferentes de in vivo e por vezes a ação é exercida no hospedeiro ao invés de ser focada no parasita.


Conclusão A esporotricose constitui um dos maiores desafios atuais no campo da saúde pública. Se tornando epidemia atualmente e infectando diversas espécies, cabe aos médicos veterinários o estudo da doença, bem como suas formas infectantes, diagnósticos precisos e diferenciais, além de pesquisas para o combate desta zoonose. A medicina veterinária têm diversas contribuições para o possível controle da doença desde o estudo da pele com a dermatopatologia e com a histopatologia, até ao estudo das características moleculares do agente causador,além de orientar a comunidade sobre a doença e seu tratamento.

Layout apresentação ppt interdisciplinar 2018 f  
Layout apresentação ppt interdisciplinar 2018 f  
Advertisement