Issuu on Google+

A Sociedade da informação Yoneji Masuda

Apresentação: Antonio Miranda


Objetivo da obra (1980) a Apresentar uma visão geral do que poderá ser a sociedade da informação e uma previsão do seu caráter e estrutura. a Analogia histórica Sociedade Industrial → Sociedade da Informação (SI)

a Análise dos invariantes: valores, tendências do pensamento, tecnologia inovadora, mercado, estrutura econômica, sistemas políticos. Masuda apresenta um novo conceito, para cada um desses elementos.


A Sociedade da informação Yoneji Masuda aParte 1 . Composição da Sociedade da Informação . Implantação da Sociedade da Informação . Estrutura da Sociedade da Informação - a época da informação e seu impacto social - o globalismo - a unidade produtora de informação


A Sociedade da informação Yoneji Masuda aParte 2 . Economia centrada na informação - expansão da economia pública - sistema econômico sinérgico . Democracia participativa . Privacidade da informação


A Sociedade da informação Yoneji Masuda aParte 3 . O princípio do objetivo: novo princípio fundamental do comportamento humano. . Comunidades solidárias . Computopia


A composição Informação - SI

da

Sociedade

Construída a partir de duas premissas: aA produção de valores informacionais, e não valores materiais, será a força motriz da formação e do desenvolvimento dessa sociedade. aA partir do ciclo de desenvolvimento da sociedade industrial podemos prever a composição geral da sociedade da informação.

da


Comparação entre a Soc. Industrial e a Sociedade da Informação Sociedade industrial – máquina a vapor Novo período de inovação tecnológica tecnologias de telecomunicações + informática Produção de valores materiais → valores informacionais Direito de propriedade → Direito de uso Competição → Sinergia

Na SI, os indivíduos terão um objetivo social comum.


Comparação entre a Soc. Industrial e a Sociedade da Informação a S. Industrial

a S. Informação

. . . .

. Computador

Máquina a vapor Substituição trabalho físico Poder produtivo material Bens e serviços úteis

. Fábrica moderna . Colônias . Economia de bens

. Substituição trabalho mental . Poder produt. informacional . Informação, tecnologia, conhecimento . Unidade produtora de info. . Espaço informacional . Economia sinérgica


Comparação entre a Soc. Industrial e a Sociedade da Informação aS. Industrial . Empresa

aS. Informação

. Sociedade de classes . Democracia parlamentar . Consumo em massa

. Sociedade funcional . Democracia participativa . Criação do conhecimento em massa . Choque do futuro, terror . Globalismo

. Desemprego, guerra . Renascimento

. Comunidades voluntárias


A implantação Informação

da

Sociedade

da

Quatro estágios de desenvolvimento, conforme a área é afetada pelo uso do computador: 1º. Científico (1945-1970) 2º. Gerencial (1955-1980) 3º. Social

(1970-1990)

4º. Individual (1975-2000)


A

implantação

da

Sociedade

da

Informação A informatização do ponto de vista do espaço informacional → distribuição espacial da informação, conforme o alcance de uma rede de computadores. A expansão do espaço informacional compreende 3 estágios: 1º - informatização em espaço limitado 2º - informatização do espaço nacional-regional 3º - informatização do espaço global


A estrutura da Sociedade da Informação Época da informação – transformação silenciosa da sociedade, centrada na tecnologia de telecomunicações e informática - TTI.

A TTI leva à época da informação. 1. O computador tem 3 características superiores: . A objetivação completa da informação. . Produção de informação cognitiva sofisticada (lógica e seletora de ações). . Formação de redes de informação estruturalmente orgânicas.


A estrutura da Sociedade da Informação 2. O impacto social da época da informação. Transformação dos sistemas sociais e econômicos: . Estágio 1 – tecnologia executa o trabalho feito pelo homem (automação). . Estágio 2 – tecnologia permite executar trabalhos que o homem nunca foi capaz de fazer anteriormente (criação do conhecimento). . Estágio 3 – transformação das estruturas sociais e econômicas em novos sistemas (inovação sistêmica).


A Unidade Produtora de Informação – UPI Símbolo social da SI. Base de produção de valores informacionais (bancos de dados, redes de informação). Quatro requisitos indispensáveis: a Facilidades de processamento a Facilidades de processamento à disposição do público em geral. a Viabilizar, ao usuário, a obtenção de informação. a Custo baixo


Tipos de Unidades Produtoras de Informação a Comercial Capital privado; operações baseadas no lucro; informações de conveniência diária. a Governamental Capital governamental; aumento do bem-estar do povo; informações sobre políticas governamentais. a Particular Capital de pessoas físicas; operações administradas pelos cidadãos.


Globalismo: o renascimento

espírito

de

um

neo-

Objetivo: liberação do espírito humano. Características do globalismo: aPensamento da nave espacial . O destino é o próprio planeta.

aSimbiose do homem com a natureza . Resposta à degradação do ambiente, produzida pela produção industrial.

aEspaço informacional global - EIG . Espaço ligado pelas redes de informação, sem fronteiras regionais.


A Sociedade da Informação Como Sociedade Pós-Industrial Yoneji Masuda

Parte 2


Economia centrada na Informação 1

- A informação está no centro das necessidades econômicas da sociedade; 2 - A economia e a própria sociedade crescem e se desenvolvem em função da produção e do uso de valores informacionais; 3 - A importância da informação, como produto econômico, excede a de bens, energia e serviços.


Mudanças na estrutura da Economia

Estrutura industrial centrada na produção de bens, energia e serviços

Estrutura industrial baseada na informação


I - Estrutura industrial baseada na informação 1º Estágio - Aparecimento de indústrias relacionadas com a informação; As indústrias líderes serão classificadas no setor quaternário da economia (diferentes das indústrias de serviços). 4 tipos: 1 - Ind. da informação: gráficas, editoras, equipamentos da informação... 2 - Ind. do conhecimento: advogados, consultores, centrais de idéias, escolas...

3 - Ind. das Artes: inf. afetivas (compositores, cantores...); serviços de inf. afetivas (grupos teatrais, produção de filmes...); equipamentos de inf. afetivas (equip. fotográficos, inst. musicais...).

4 - Ind. Éticas: filósofos, líderes religiosos, profetas; ind. Religiosa; ind. de treinamento espiritual (centros de treinamento espiritual, grupos de serviços voluntários, ioga...)


I - Estrutura industrial baseada na informação 2º Estágio - Informatização Industrial - equipamentos da informação presentes nas máquinas industriais (avanço da microeletrônica)

3º Estágio - Desenvolvimento de Sistemas Industriais, que podem variar de sistemas relativamente simples armazenamento e diagnóstico automático - a sistemas complexos, como a indústria de saúde e a indústria de oportunidades (visa despertar as possibilidades pessoais para o futuro: educação, informação, ética e financeira)


II - Expansão da Economia Pública Maior participação do setor público nas atividades econômicas, visando o benefício público ao invés do lucro A expansão da Econ. Pública se dará de 3 maneiras : 1 - Fortalecimento da infra-estrutura - O serviço mais significativo será o das Unidades Produtoras de Informação. São notáveis as facilidades do tipo faça-você-mesmo (haverá um desejo maior de se fazer coisas para si).

2 - As indústria básicas de materiais se tornarão públicas O esgotamento dos recursos naturais, as mudanças de clima, o aumento da população, além do progresso na automação dessas indústrias levarão à necessidade de que se tornem públicas.


II - Expansão da Economia Pública

3 - A expansão do consumo social (parques, estradas, escolas...) - A saturação do consumo individual com seus problemas decorrentes (poluição, congestão urbana, destruição da natureza), levarão as pessoas a dar mais importância à utilidade social, impondo limites ao consumo individual e criando uma tendência ao aumento do consumo social.


III - O Surgimento de uma Economia Sinérgica 1 - Produção sinérgica e utilização compartilhada Aproximação

entre produção e consumo, união homemmáquina e produção da informação caracterizada pela automultiplicação.

2 - Sinergia voluntária para se atingir um objetivo econômico comum - Sujeitos econômicos individuais desenvolvendo atividades econômicas de forma sinérgica para atingir um objetivo econômico comum (contraposição à livre iniciativa).


III - O Surgimento de uma Economia Sinérgica 3 - Auto-restrições do povo ao consumo • Substituição do consumo e produção em massa pela autorestrição ao consumo de bens, para assegurar o desenvolvimento estabilizado da economia. • Os problemas inflacionários e de racionamento de recursos naturais deixarão de ser resolvidos por leis impostas de cima para baixo e passarão a ser resolvidos por meio de restrições voluntárias.


III - O Surgimento de uma Economia Sinérgica 4 - Participação crescente na administração e no capital O lado privado da empresa privada vai decrescer e o seu lado social, crescer, na medida em que a natureza pública da atividade econômica mudar da participação na administração para a participação no capital, pelos trabalhadores e pelo público em geral.


IV - Democracia participativa: decisões políticas pelos cidadãos Democracia parlamentar

Democracia participativa

4 razões:

1 - O padrão de comportamento dos cidadãos vai mudar: haverá maior desejo de autorealizações e maior demanda pela participação na tomada de decisões e na administração dos sistemas econômico, social e político.


IV - Democracia participativa: decisões políticas pelos cidadãos 2 - As decisões políticas tomadas pelo Estado e grandes corporações não podem ter efeito de grande alcance na vida das pessoas comuns temas como a geração de energia nuclear, poluição, inflação dizem respeito direto às vidas das pessoas. 3 - Existência de assuntos globais, que afetam toda humanidade explosão demográfica, racionamento de energia e de recursos naturais. 4 - Eliminação das dificuldades técnicas, em virtude da revolução nas telecomunicações e informática.


V - Privacidade da informação Estágio de desenvolvimento da informatização 1 - Informatização da área científica

2 - Informatização da gestão empresarial

Privacidade da informação Não há problemas - fortalecimento do controle governamental sobre os cidadãos; - os cidadãos sofrem prejuízos psicológico, social ou econômico caso as empresas utilizem dados pessoais com propósitos gerenciais ou administrativos, em seu benefício; - o direito da pessoa à privacidade é violado, caso esses dados sejam revelados a terceiros. O problema da privacidade da informação pode ser agravado se for adotado um sistema nacional de número-código para os cidadãos e se as “pequenas” invasões forem aceitas sem protestos. Para proteger a privacidade será necessário que o governo não adote um sistema nacional de número-código e que não seja permitida a utilização de dados com fins diferentes dos originalmente pretendidos.


V - Privacidade da informação Estágio de desenvolvimento da informatização

3 - Informatização voltada para o benefício da sociedade

Privacidade da informação A questão da privacidade da informação muda, tanto em caráter como em conteúdo, porque nesse estágio os computadores serão usados não só para o controle administrativo do governo e empresas, mas também em amplos campos sociais (controle do trânsito, prevenção da poluição...). O problema da privacidade da informação pode ser agravado se o Estado usar mal os dados pessoais voltados para o bem-estar social e se as empresas utilizarem esses arquivos pessoais com propósitos gerenciais. Para proteger a privacidade será necessário: 1 - que a administração e utilização dos dados estejam sob o controle de uma comissão composta por representantes de órgãos públicos e de cidadãos, com maioria destes. 2 - medidas sociais e econômicas para impedir que qualquer pessoa sofra discriminação social em função dos arquivos de dados pessoais para o bem-estar social


V - Privacidade da informação Estágio de desenvolvimento da informatização

4 - Informatização voltada para as necessidades individuais

Privacidade da informação Os cuidados do estágio anterior são necessários, mas nesse estágio o tema da privacidade perderá muito de sua significação histórica. Numa sociedade sinérgica da criação do conhecimento, sob condições de controle autônomo das unidades produtoras de informação, será do interesse de todos os cidadãos dispor de seus próprios arquivos de dados da forma mais aberta possível, bem como utilizar de maneira conjunta os arquivos de dados pessoais. As informações sobre solução de problemas e o desenvolvimento de oportunidades para os cidadãos terão grande valor para outras pessoas.


V - Privacidade da informação

...O direito humano de guardar segredos vai se transformar em dever humano ou ética de compartilhar a informação.

Revolução Copernicana no tocante à privacidade das pessoas


A Sociedade da Informação Como Sociedade Pós-Industrial Yoneji Masuda

Parte 3


O PRINCÍPIO DO OBJETIV0: NOVO PRINCÍPIO FUNDAMENTAL DO COMPORTAMENTO

a Modelo cíclico básico de satisfação das necessidades humanas

Necessidades Humanas

Produção de Meios para Satisfazer as Necessidades Humanas

Desenvolvimento da Força Produtiva na Sociedade

Satisfação das Necessidades Humanas


CARACTERÍSTICAS DO PRINCÍPIO SOCIA TIPOS DE SOCIEDADE

a As necessidades humanas sempre foram orientadas no sentido da satisfação de necessidades materiais. a A força produtiva da sociedade, que é a base de satisfação das necessidades humanas, sempre foi uma força produtiva material. a A satisfação das necessidades humanas sempre foi alcançada, basicamente através da produção e consumo de bens materiais.


Aparecimento do Princípio Objetivo Características aAs necessidades humanas serão orientadas no sentido da busca de um objetivo autodeterminado. aA base da satisfação das necessidades humanas será a força produtiva informacional. aAs necessidades humanas serão satisfeitas através do processo de produção de informação e da ação orientada por um objetivo a atingir.


Comparação entre Modelo Cíclico da Satisfação das Necessidades Humanas do Tipo Consumo Material com o Tipo Consecução de Objetivos TIPO CONSUMO MATERIAL Necessidade de Consumo

Produção de Bens Materiais

Consumo de Bens Materiais

Satisfação de Necessidades

Desenvolvimento da Força Produtiva Material

TIPO CONSECUÇÃO DE OBJETIVO Realização Pessoal

Produção de informação

Ação orientada para um objetivo

Desenvolvimento da força produtiva informacional

Satisfação de necessidades


SISTEMAS PROALIMENTADOS 1º TIPO

Proalimentação Dependente

Sujeito da Ação

Ambiente Sujeito da ação Externo depende do ambiente externo.

2º TIPO

Proalimentação Controlada

Sujeito da Ação

Ambiente Sujeito da ação controla Externo o ambiente externo.

3º TIPO

Proalimentação Equilibrada

Sujeito da Ação

Ambiente As relações de força Externo entre o sujeito da ação e o ambiente externo são equilibradas, em função de um controle mútuo.

4º TIPO

Proalimentação Sinérgica

Sujeito da Ação

Ambiente O sujeito da ação e o Externo ambiente externo cooperam para atingir um objetivo comum.


COMUNIDADES VOLUNTÁRIAS a NÚCLEO DA ESTRUTURA SOCIAL a FUTURIZAÇÃO: O PADRÃO FUNDAMENTAL DA VIDA `Serão formadas por comunidades voluntárias; `A força produtiva social vai resultar de uma força produtiva informacional ; `Orientado para a realização de um valor temporal futuro;


ESTÁGIOS DE FUTURIZAÇÃO a FUTURIZAÇÃO INDIVIDUAL a FUTURIZAÇÃO GRUPAL aCOMUNIDADES VOLUNTÁRIAS


NOVAS CARACTERÍSTICAS DAS COMUNIDADES VOLUNTÁRIAS DA SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO aAs Comunidades Voluntárias tornar-se-ão a unidade organizacional mais importante da sociedade da informação. aConceito de espaço informacional, invisível mas perceptível, ligado por redes de informação, com base na tecnologia de telecomunicações e informática. aSerá o crescimento das comunidades multicentradas abertas, independentes.


TIPOS DE COMUNIDADES VOLUNTÁRIAS a Local – existirá em local específico, que se formará pelos movimentos ativos de cidadãos de acordo com os interesses próprios. Ex: comunidade de idosos, cientistas, naturistas... a Informacional – tem como base um espaço informacional ligados por redes de informação.


COMPUTOPIA Conceitos a Busca e realização de valores temporais. a Liberdade de decisão e igualdade de oportunidades. a Florescimento de diversas comunidades voluntárias. a Sociedades sinérgicas interdependentes. a Sociedades funcionais livres do poder dominante. a Computopia. a Renascimento do Sinergismo.


O objetivo final dessa sociedade da futurização Global será a harmonia das ações humanas com as da natureza para a construção de um mundo sinérgico.


Referências bibliográficas adicionais a ARRUDA, Mª. da Conceição C. A informação em questão ou a questão da informação? Boletim SENAC - Volume 26 - Número 2, Maio/Agosto 2000. a AUN, Marta. Políticas supranacionais de informação: resultados e perspectivas das Conferências Mundiais. www.cinform.ufba.br/v_anais/palestras/politicassupranacionaispalestra. acesso em 23abr.2005.

informação. A informação: tendências para o novo milênio. Brasília: IBICT, 1999. Sociedade informática: as a SCHAFF, Adam. conseqüências sociais da segunda revolução industrial. Ed. Brasiliense, 1997. a MOORE,

Nick.

A

sociedade

da


Yoneji Masuda