Page 1

Teresina - Edição nº 01 - Ano 01- Preço R$ 5,90


Incorporação e Construção

Vendas

Rua Des. Manoel Castelo Branco, esquina com Rua Hugo Napoleão. Corretores no loca.

Graça Sousa Imóveis (86) 9924.1923


Expediente

Expediente

03

Editorial

07

Artigo: vendedores de sonhos...

08

Opinião

09

Marta Tajra (DRT. 130) Editora e Publisher

Marta Tajra David Vecki Lorenzo Tajra Direção Executiva

D&P Propaganda Projeto Gráfico e Diagramação

Halley S. A. Gráfica e Editora Impressão

Márcia Jardim

Dicas: João e Gustavo Almeida

11

Consultoria Imobiliária

12

Que cidade é essa?

14

Lançamento Imobiliário

16

Crédito Imobilário

20

Artigo: Plano Diretor

23

Dicas cartoriais

30

Revisão

(86) 9972.4391 (86) 9994.6216 Departamento de Marketing

A revista Mercado do Imóvel abre um espaço para você, leitor, enviar seus anúncios de imóveis particulares, assim como sugestões e comentários, análises do conteúdo. Sua participação é importante para o nosso crescimento. Redação

mercadododoimovel@hotmail.com


Mudança Teresina cresce em progressão geométrica. A cada dia, a cada mês e a cada ano, novos empreendimentos imobiliários riscam o horizonte e o céu azul anil da cidade verde, modificando, definitivamente, a nossa arqueologia urbana com uma nova arquitetura, especialmente nas áreas consideradas nobres da cidade. Velhos casarões dão lugar a arranha-céus que impressionam o visitante e os mais desavisados, especialmente pela sua beleza plástica. Uma mudança está em andamento. A Revista Mercado do Imóvel chega em boa hora para descortinar este mercado e gerar um novo conceito de negócio no Piauí. Os empreendimentos imobiliários são o foco principal de nossa revista que, sem perder a fé na nossa economia e na fibra nordestina, encontrou em seu primeiro número os parceiros certos entre os nomes que fazem mais significativo o Piauí para consolidar a sua marca.

Marta Tajra Editora

Fazer uma revista com forte sentimento de laços afetivos com a terra nos dá individualidade, identidade e bastante responsabilidade. Com circulação, inicialmente restrita a Teresina, a revista quer atingir todos que têm uma relação direta com o mercado imobiliário.

Nossa proposta editorial visa munir o leitor de todo e qualquer tipo de informação no que se refere ao segmento IMÓVEL, desde os grandes lançamentos das principais construtoras do Piauí, passando pelas melhores ofertas das imobiliárias, lojas de material de construção e decoração, bem como informações específicas no que se refere, por exemplo, ao direito imobiliário, tributos, dicas cartoriais, créditos ou financiamentos bancários, públicos e privados, dicas de ambientação e muito mais, ou seja, assuntos que o leitor, normalmente, só encontraria em revistas altamente especializadas. Enfim, nossa idéia foi colocar as melhores informações sobre o mercado imobiliário de Teresina em uma só revista.

07


Artigo

“O corretor de imóveis é, antes de tudo, um vendedor de sonhos” 08

Neste importante ano de 2006, quando se dará a implantação efetiva dos Planos Diretores no Brasil, por força do determinado no Estatuto da Cidade (Lei n° 10.257 de 10 de julho de 2001), ao mesmo tempo em que teremos a Copa do Mundo de Futebol e as eleições para Presidente da República, cresce a importância do Corretor de Imóveis nas questões relativas ao mercado imobiliário e aos espaços urbanos. A competitividade do mercado de trabalho, a difusão da informática, a criação do Código de Defesa do Consumidor, com o aumento do nível de exigência por parte dos clientes e, em especial, com a criação dos cursos de Tecnólogos de Ciências Imobiliárias, o Corretor de Imóveis deixou de ser mero intermediador de negócios, passando a ser um verdadeiro consultor imobiliário de seus clientes, o que veio trazer tranqüilidade e harmonia ao mercado imobiliário.

Batista Paz Presidente do CRECI-PI

Na semana em que comemoramos o Dia Internacional da Água (dia 22 de março), no momento em que são divulgadas pesquisas mundiais que trazem perspectivas sombrias em relação ao alto grau de degradação à biodiversidade, em razão da predatória ação humana, que vem destruindo o meio ambiente e colocando em sério risco o futuro do nosso planeta, se fortalece ainda mais o papel do corretor de

imóveis na melhoria da qualidade de vida de nossa sociedade. No instante em que são trazidas notícias de que apenas 12% (doze por cento) das principais bacias do planeta não sofrem com os efeitos do represamento das águas; que existe um desmatamento anual no mundo de seis milhões de hectares das florestas primárias; que ocorreu uma redução de 35%(trinta e cinco por cento) dos manguezais existentes; da possibilidade da extinção de 52%(cinqüenta e dois por cento) das aves estudadas em todo o mundo; da queda de cerca de 40%(quarenta por cento) nas populações de plantas e animais em estudo na natureza, é crucial o papel do corretor de imóveis na defesa dos interesses da sociedade, no combate aos maus profissionais e loteamentos irregulares porque, além de configurar-se como séria violação ao nosso Código de Ética e denegrir a imagem do profissional ético e responsável, transforma o sonho da casa própria no pesadelo de uma vida inteira.


Opinião

A construção é uma das mais antigas atividades da humanidade Desde os tempos imemoriais o homem procurava abrigo, segurança e conforto construindo seu habitat. Na sociedade moderna, a construção é o principal vetor de seu desenvolvimento: fábricas, hospitais, rodovias, tudo, enfim, depende da construção para seu completo desenvolvimento. E é a construção, que, com maior rapidez, responde com a abertura de vagas de trabalho.

Januário Pinheiro Engenheiro e presidente do Sindicato da Indústria de Construção Civil do Piauí

A importância dessa publicação é demonstrar para nossa sociedade a força do setor imobiliário da construção apresentando nossas construtoras e seus empreendimentos e as diversas formas de financiamento do mercado.

A casa própria é o sonho de toda família. Sonho esse mais próximo da realidade visto a disposição do mercado financeiro em abrir linhas de crédito para aquisição de imóveis, permitindo que as construtoras atuem em seu objetivo principal, que é planejar e construir com qualidade.

Temos convicção de que essa revista atuará como um marco no setor imobiliário demonstrando à sociedade e aos nossos governantes que o setor imobiliário formal é capaz de resolver o problema do déficit habitacional e, principalmente, equacionar os problemas de urbanização, segurança e saúde de nossa sociedade.

09


25 anos construindo com credibilidade e tecnologia.

• Construção civil; • Administração de obras; • Reformas em geral; • Projetos.

Piso do Hospital São Marcos.

Especializada também em pisos industriais de alta resistência.

Ed. Terra de Siena Entregue em outubro de 2005

Av. Pedro Freitas, 1495 - Vermelha Fone 86 3211.6699 - 3221.0595 E-mail: gbengenharia@superig.com.br


Dicas de como decorar uma casa ou apartamento • Procurar sempre a ajuda de um bom profissional. O resultado será sempre melhor e mais econômico. • Passar para o profissional um programa real de todas as necessidades e sonhos. • Ser franco quanto ao orçamento que se pode gastar e quanto ao tempo que poderá durar toda a obra. • Escolher um piso claro e de fácil manutenção, isto define se sua residência será ou não prática. • Abusar de paredes claras como o branco neve e off White. Use acrílico acetinado nas paredes para ser mais prático. • Tetos sempre brancos (neve também e tinta fosca). • Usar sempre estofados de cores neutras e claras. • Cores apenas pontuais. Ex. numa poltrona, nas almofadas, numa tela grande, em objetos de decoração. • Fugir de modismos. Deixar isto para detalhes descartáveis. • Quanto menor as dimensões, maiores o uso de espelhos. • Usar cortinas de tecidos leves e pouco franzidas. • Persianas rolôs em tela solar ou black-out, dependendo do cômodo a ser usada. Quando necessário, elas desaparecem. • Poucas plantas nas salas, de preferência apenas uma alta. • Trabalhar com artistas plásticos locais em telas, esculturas e fotografias: Fátima Campos, Gabriel Arcanjo, Kalina Rameiro, Abrahão Cavalcante, Cícero Manoel, Stênio, Osmir Pierot, Júnior Brandão, Regina Medeiros, Antonio Quaresma, Rodrigo Ferraz, Wolfgang Sulzer.

João e Gustavo Almeida Arquitetos

• Caso seu orçamento não permita, não improvise sacrificando a qualidade. Vale sempre esperar e ter o que é bom e durável, evite arrependimentos.

11


Consultoria imobiliária

Contrato: olho bem aberto na hora de fechar a venda e o contrato 12

Diz o velho ditado popular que o seguro morreu de velho, o que no nosso caso significa dizer que todo cuidado é pouco na hora de fechar uma venda ou de assinar um contrato imobiliário. Comprar o seu imóvel, seja ele para morar ou para investir, é sempre uma maravilha. Mas, para evitar aquelas famosas surpresinhas de última hora, alguns cuidados são sempre recomendáveis. Para começar, cuidado com as letras miúdas, são elas quem, às vezes, contêm as cláusulas mais importantes do seu contrato. Caso seu contrato seja todo redigido com as tais letrinhas, o jeito é pegar seus óculos e lê-lo calmamente, sem pestanejar. Não se incomode com os outros, pois eles- os outros- estarão superinteressados na sua assinatura. Vão saber esperar. Antes de fechar uma venda, por exemplo, faça um levantamento da situação da empresa que está lhe vendendo o imóvel e até mesmo dos membros de sua diretoria. Esse tipo de ação chamada de ação contra poderá ser encontrada em cartório de protesto competente. Outro cuidado, verifique se há pendências através de reclamações trabalhistas contra os sócios da empresa ou contra a própria empresa, assim como pendências familiares contra algum dos sócios, principalmente contra aquele que responde pela empresa em questão, o que pode, por incrível que pareça, acarretar problemas na hora da venda.


Informe Publicitário

O “boom” imobiliário no Brasil Investidores estrangeiros estão de olho nos imóveis no nosso país. Segundo Antonio Quintela, presidente do banco Credit Suisse, no Brasil, o potencial de crescimento do setor imobiliário no país é explosivo. Dados da agência de classificação de risco, Fitch, indicam que apenas 4,8% da carteira de crédito bancário, no país, é destinada ao setor imobiliário. Na Alemanha, 28%, e nos Estados Unidos, 38% (excluindo-se as gigantes Fannie Mãe e Freddie Mac, que transformaram hipotecas em títulos mobiliários, a chamada securitização). Na Inglaterra, nada menos que 50% dos créditos dos bancos vão para imóveis, residenciais e comerciais. Planos econômicos, legislação confusa e dificuldade na retomada do imóvel são fatores que afastaram bancos e outros investidores externos do setor, nos últimos 25 anos. Agora o quadro mudou e alguns fatores são responsáveis por essa nova avaliação positiva na área imobiliária. Em primeiro lugar, uma lenta mudança das regras. Nos últimos dez anos, foram criadas as bases para que as hipotecas se transformassem em produtos financeiros. Depois veio o patrimônio de afetação (que aparta os imóveis financiados dos ativos da construtora) e a alienação fiduciária, mecanismo pelo qual o financiador pode retomar o bem, em caso de inadimplência, com relativa rapidez. Mas nada disso teria sido suficiente sem um cenário de queda na taxa de juro. E é essa perspectiva que agora tem chamado à atenção dos estrangeiros. Pelas contas de Zeca Grabowski, responsável pela área imobiliária do banco Pactual, são produzidas 100 mil unidades imobiliárias no Brasil. No México, 700 mil. “Mas eles saíram de um patamar parecido com o nosso e evoluíram muito nos últimos anos. Com a queda dos juros, esse é o caminho natural para o Brasil”. No México, segundo dados Prudential Real Estate Investors, o preço dos imóveis teve uma valorização de 60% nos últimos anos. Desde 2000, um em cada US$ 5 investidos, no setor imobiliário da América Latina, foi destinado ao país. Aqui no Brasil ainda não houve um crescimento imobiliário como esse e, segundo o presidente da Prudential Real Estate, Roberto Ordorica, quem entrar hoje no mercado imobiliário brasileiro vai pagar menos. Um sinal que tem entusiasmado os estrangeiros é a queda do risco país, que bateu o recorde de 2.443 pontos base, em setembro de 2002, e hoje está em 215 pontos. Daniel Citron, presidente da Tishmaspeyer, no Brasil, diz que o imóvel é a última categoria de ativos que se valoriza quando os fundamentos de um país vão bem. “E o risco país não está mentindo” diz Citron. Segundo Steve Dolman, da Hines, as oportunidades fora do Brasil são limitadas já que os imóveis nos EUA e Europa estão caros. Os investidores estrangeiros apostam num futuro alinhamento de preços e por isso estão, especialmente, interessados em investir aqui. A expectativa é de que os primeiros segmentos a ter valorização serão os ligados a empresas: escritórios ou fábricas construídas sob medida, o sistema “build to suit”. Só depois vêm os imóveis residenciais. Mas aí, o potencial de valorização é enorme. “Há uma defasagem de preços dos imóveis residenciais, no Brasil, porque o volume de financiamentos é muito baixo. Com taxas mais baixas e prazos mais longos, o número de pessoas com capacidade de comprar um imóvel cresce e, conseqüentemente, a demanda e os preços aumentam”. Os dois maiores bancos privados do país também anunciaram, na semana passada, que pretendem ampliar, significativamente, suas carteiras de financiamento habitacional. O Itaú, que fechou 2005 com um saldo de R$ 2,3 bilhões em crédito ao setor, vai destinar mais R$1 bilhão este ano. O Bradesco é ainda mais otimista. Pretende destinar R$ 2 bilhões ao mercado imobiliário, em comparação com os R$ 740 milhões do ano passado. Há muitos anos não se via, no Brasil, um período tão auspicioso para o mercado imobiliário. Os empréstimos voltados para o setor devem crescer acima de 30% neste ano, o que faz dos imóveis uma grande promessa para 2006.

Fontes: Jornal Valor Econômico e Revista Exame Autores: Marcolino Rio Lima Neto e Daniel Pires Rio Lima

25


IMOBILIÁRIA

A

ROCHA & ROCHA

o longo de duas décadas, a história da Rocha & Rocha vem se mesclando ao desenvolvimento do mercado de imóveis no Piauí.

Visão de futuro.

Arquivo Rocha & rocha

Uso da tecnologia aplicada aos relacionamentos interpessoais. Formação de parcerias. Estas são apenas algumas das bases do nosso crescimento. Porque de pouco adiantaria crescer tecnologicamente,

para atender à demanda, se não investíssemos no aspecto humano que toda negociação envolve.

Há 20 anos, o orgulho de ser uma empresa a seu serviço

*

*

Av. Frei Serafim, 1853 2106-4545 www.rochaerocha.com.br

Revista Mercado do Imóvel  
Revista Mercado do Imóvel  
Advertisement