Issuu on Google+

Minha terra tem palmeiras, Onde canta o Sabiá; As aves, que aqui gorjeiam, Não gorjeiam como lá.

gorjeiam cantam cismar pensar, refletir

Gonçalves Dias.

Gonçalves Dias escreveu “Canção do exílio” quando era um jovem estudante em Coimbra, Portugal. Assim, pode-se entender que o advérbio cá se refere à terra portuguesa, e o advérbio lá, ao Brasil.

Nosso céu tem mais estrelas, Nossas várzeas têm mais flores, Nossos bosques têm mais vida, Nossa vida mais amores. Em cismar, sozinho, à noite, Mais prazer encontro eu lá; Minha terra tem palmeiras, Onde canta o Sabiá. Minha terra tem primores, Que tais não encontro eu cá; Em cismar – sozinho, à noite – Mais prazer encontro eu lá; Minha terra tem palmeiras, Onde canta o Sabiá.

Martin Johnson Heade. 1864. Óleo sobre tela. Museum of Art/Rhode Island School of Design, Nova York

Este poema de Gonçalves Dias é uma verdadeira canção pelo seu caráter melódico, construído não somente pelas redondilhas maiores (versos de 7 sílabas), mas também pela sonoridade provocada pela repetição do fonema /a/, como se observa nas rimas “Sabiá / lá”; “cá / lá”.

Literatura

Anônimo. c. 1860-1864. Gravura. Coleção particular

A mais famosa dessas exaltações à natureza brasileira é o poema “Canção do exílio”, escrito em 1843 por Gonçalves Dias (1823-1864), um dos mais importantes nomes da primeira geração de escritores românticos.

Não permita Deus que eu morra, Sem que eu volte para lá; Sem que desfrute os primores Que não encontro por cá; Sem qu’inda aviste as palmeiras, Onde canta o Sabiá. DIAS, Antônio Gonçalves. Poesias americanas e Os timbiras. Rio de Janeiro: Zelio Valverde, 1939. p. 113-114.

E xercícios

Floresta brasileira, 1864. 1. A nostalgia do poeta se deve não somente ao fato de estar longe de seu país, mas sobretudo por não reconhecer na paisagem portuguesa a exuberância que caracteriza a paisagem brasileira.

1. O poeta está longe de sua pátria. A distância é a única causa da saudade que sente? Justifique sua resposta. 2. Além da saudade, que outros sentimentos Gonçalves Dias revela com as declarações feitas no poema? Sentimentos de amor à pátria, de valorização dos encantos do Brasil.

3. Como se chama a figura de linguagem que engrandece ou diminui exageradamente a verdade das coisas? Chama-se hipérbole.

4. Qual estrofe indica que o poeta faz declarações de modo mais contundente e demonstra um sentimento exagerado? A segunda estrofe.

TEMA 1 – Pátria amada

15


Literatura

O guarani e muitos outros romances indianistas, bastante afinados ao gosto popular, colaboraram para a ampliação do público leitor. No início de 1857, cada edição do Diário do Rio de Janeiro era aguardada com ansiedade pelos leitores, que acompanhavam as aventuras do índio Peri divulgadas em capítulos nesse jornal. O escritor Visconde de Taunay, contemporâneo de Alencar, assim descreve a recepção calorosa que O guarani recebeu do público urbano.

Os romances publicados dessa forma seriada, nos rodapés dos jornais, foram chamados de folhetins. Essa forma de difusão, que tem origem na França, na primeira metade do século XIX, facilitou o acesso do público à literatura em uma época em que a produção e o comércio do livro ainda eram restritos, especialmente num país como o Brasil, que contava com poucas editoras e livrarias e cuja população era, em grande parte, pobre e analfabeta.

O Rio de Janeiro, para assim dizer, lia O guarani e seguia comovido e enleado os amores tão puros e discretos de Ceci e Peri [...]. Quando a São Paulo chegava o correio, com muitos dias de intervalo, então reuniam-se muitos e muitos estudantes numa república, em que houvesse qualquer feliz assinante do Diário do Rio, para ouvirem boquiabertos e sacudidos, de vez em quando, por elétrico frêmito, a leitura [...]. E o jornal era depois disputado com impaciência e, pelas ruas, se viam agrupamentos em torno dos fumegantes lampiões da iluminação pública de outrora – ainda ouvintes a cercarem ávidos qualquer improvisado leitor. MAGALHÃES JÚNIOR, Raimundo. José de Alencar e sua época. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1977. p. 79.

Rugendas. Século XIX. Óleo sobre tela. Coleção particular

Leia em seguida um trecho desse romance que conquistou o público do século XIX. Neste episódio, Peri, chefe dos índios goitacás, aprisiona uma onça. [...] Era uma onça enorme; de garras apoiadas sobre um grosso ramo de árvore, e pés suspensos no galho superior, encolhia o corpo, preparando o salto gigantesco. Batia os flancos com a larga cauda e movia a cabeça monstruosa, como procurando uma aberta entre a folhagem para arremessar o pulo; uma espécie de riso sardônico e feroz contraía-lhe as negras mandíbulas e mostrava a linha de dentes amarelos; as ventas dilatadas aspiravam fortemente e pareciam deleitar-se já com o odor do sangue da vítima. O índio, sorrindo e indolentemente encostado ao tronco seco, não perdia um só desses movimentos, e esperava o inimigo com a calma e serenidade do homem que contempla uma cena agradável: apenas a fixidade do olhar revelava um pensamento de defesa. [...] [Peri] tomou na cinta uma flecha pequena e delgada como espinho de ouriço, e esticou a corda do grande arco, que excedia de um terço a sua altura. Índio flechando uma onça, obra de Rugendas.

TEMA 1 – Pátria amada

19


Interpretação e estudo da língua

Existem algumas regras para se grafar números por extenso. Veja algumas delas. UÊ “«Ài}>‡ÃiÊ>ÊVœ˜Õ˜XKœÊe entre: ➔ dezenas e unidades: quarenta e cinco; ➔ centenas e unidades: cento e três; ➔ centenas e dezenas: quatrocentos e vinte; ➔ numerais da mesma ordem de grandeza (bilhões, milhões, milhares, centenas): vinte e um bilhões, seiscentos e setenta e sete milhões, cento e vinte e dois mil, oitocentos e noventa e sete. UÊ KœÊÃiÊi“«Ài}>Ê>ÊVœ˜Õ˜XKœÊe nem vírgula entre: ➔ milhares e centenas: mil seiscentos e cinquenta e quatro. Obs.: quando a centena for o último numeral, então se emprega a conjunção e: dois mil e trezentos. UÊ “«Ài}>‡ÃiÊ>ÊۉÀ}Տ>Êi˜ÌÀi\ ➔ bilhões e milhões: quinze bilhões, trezentos e seis milhões; ➔ milhões e milhares: cento e sete milhões, duzentos e vinte e três mil.

E xercícios

Anúncio da Editora Abril (Aventuras na História). 2004. Criação: Fracta Propaganda.

1. Artigos e numerais, como qualquer palavra, dependem do contexto para fazer sentido. Observe a publicidade a seguir. a) No título da publicidade (“O império de um homem só”), a palavra um tem valor de artigo indefinido ou de numeral? Justifique sua resposta explicando o sentido da expressão “um homem só”. b) O artigo definido especifica o sentido de um substantivo, que o leitor/ouvinte é capaz de reconhecer, seja porque o termo já foi mencionado, seja porque o contexto ajuda a identificar o sentido desse substantivo. Observando as imagens e os textos que compõem a publicidade, explique por que foi possível empregar o artigo definido o em “o império de um homem só”. a) Um é numeral na expressão “um homem só”, porque a expressão indica que apenas um homem – Ramsés II (e não dois ou mais homens) – construiu o império. Caso um fosse artigo indefinido, a expressão teria provavelmente o sentido de “um homem (qualquer) solitário”. b) A imagem da capa da edição da revista, que faz menção a Ramsés II e ao império do Egito, permite que o leitor identifique qual é o império definido pelo artigo.

REVISTA BRAVO!. São Paulo: Ed. Abril, jul. 2004.

TEMA 1 – Pátria amada

41


Produção de textos

DICAS

DE AUTOAVALIAÇÃO

Verifique se: ™VXVgiVZmea^XVXaVgVbZciZfjVa‚degdWaZbVfjZdaZkVVZhXgZkZgVd\ZgZciZYVad_V0 ™Va^c\jV\ZbZhi{YZVXdgYdXdbhZj^ciZgadXjidg/jb\ZgZciZ0 ™ZhidegZhZciZhZVYZfjVYdhdhZaZbZcidh[dgbV^hYVXVgiVYViV!adXVa!kdXVi^kd!Vhh^cVijgV# Troque a carta com a de um colega e discutam se o texto é suficientemente objetivo e esclarecedor. Dê sugestões a ele, caso julgue necessário que algum trecho seja reescrito.

2. Leia a reportagem transcrita a seguir.

Phot

odisc/Getty Im ages

Introduzido no Brasil em 1995, o wakeboard, mistura de surfe, skate e esqui aquático, é um sucesso. Um dos motivos é a facilidade para começar a praticá-lo, em aulas com todos os acessórios incluídos, antes de se decidir pela compra do equipamento. Uma lição custa entre 100 e 150 reais, e há pacotes de quatro ou oito aulas com descontos. Outra opção são as clínicas, programas de uma semana com aulas intensivas. Alguns incluem hospedagem e alimentação por 1 500 reais. Embora possa ser praticado no mar, o mais indicado para o wakeboard são as águas paradas de represas ou lagos, como a Lagoa Rodrigo de Freitas, no Rio de Janeiro, o Lago Paranoá, no Distrito Federal, e a Lagoa dos Ingleses, em Belo Horizonte. FONTENELLE, André. O preço do esporte radical da moda. Tabela com preços dos equipamentos básicos. Veja. São Paulo: Abril Comunicações S/A, 14 jan. 2004.

Imagine que você seja um instrutor de wakeboard e receba pedidos de informações a respeito dos cursos oferecidos para os que querem se iniciar nesse esporte radical. O remetente da carta é um jovem de 20 anos, Douglas Araújo, e pergunta sobre: ™dhadXV^hdcYZhZd[ZgZXZbdhXjghdh0 ™dheg‚"gZfj^h^idhfjZdegVi^XVciZYZkZiZg0 ™VYjgVdYZXVYVVjaVZdcbZgdYZVjaVhd[ZgZX^YVhedghZbVcV0 ™dhg^hXdhfjZd^c^X^VciZXdggZYjgVciZVhVjaVh0 ™diZbedb†c^bdfjZd^c^X^VciZ\VhiVeVgVXdchZ\j^ggZVa^oVgVheg^bZ^gVhbVcdWgVh# Apresentam-se a seguir a introdução da carta e a despedida. Você deve redigir os parágrafos centrais, com as respostas às perguntas feitas por Douglas Araújo. Procure escrever três parágrafos, reunindo em um mesmo parágrafo as perguntas que pertencem à mesma categoria; por exemplo, fornecer em sequência a duração das aulas e o número de aulas oferecidas por semana. Date e assine a carta.

Parágrafo de apresentação Prezado Senhor Douglas, Agradecemos seu interesse em conhecer os nossos cursos e iniciar a prática de wakeboard, um esporte radical para gente que gosta de viver intensas emoções. Informamos que a nossa escola oferece, desde 1995, cursos de wakeboard com professores brasileiros bastante treinados em transmitir seus conhecimentos aos alunos.

Encerramento da carta Esperamos ter respondido a suas perguntas. Caso necessite de mais esclarecimentos, entre em contato pelo e-mail wakeboard@esporteradical.com.br. Atenciosamente,

TEMA 1 – Pátria amada

51


Interpretação e estudo da língua

8. O adjetivo é frequentemente usado de maneira enfática, flexionando-se no grau superlativo absoluto sintético. Veja.

Manteve-se caladíssimo . (calado + sufixo íssimo) adjetivo no grau superlativo absoluto sintético

Na linguagem coloquial, há muitas outras maneiras, interessantes e divertidas, de se enfatizar o adjetivo. Reformule as sequências a seguir empregando o adjetivo no grau superlativo sintético, como mostra o exemplo. um homem podre de rico ➞ um homem riquíssimo a) gente chata até não poder mais chatíssima b) um filme superinteressante interessantíssimo c) sabor ruim pra diabo péssimo d) divertido de montão divertidíssimo e) uma viagem trigostosa gostosíssima f) marido fiel pra caramba fidelíssimo

Há alguns adjetivos que apresentam formas menos comuns no grau superlativo absoluto sintético. Veja. muito sábio = sapientíssimo muito ruim = péssimo muito grande = enorme muito amigo = amicíssimo muito humilde = humílimo muito cruel = crudelíssimo muito sensível = sensibilíssimo muito sério = seriíssimo muito simples = simplicíssimo ou simplíssimo muito doce = dulcíssimo muito pobre = paupérrimo muito amável = amabilíssimo muito fiel = fidelíssimo muito bom = ótimo, boníssimo muito provável = probabilíssimo muito frio = friíssimo muito pequeno = mínimo muito livre = libérrimo

g) irmão bom paca boníssimo h) assunto hipersério seriíssimo i) o café estava doce, doce dulcíssimo 9. Ao contrário do que ocorre com os substantivos, a norma gramatical padrão não prevê o grau diminutivo para adjetivos. Na língua coloquial, entretanto, costuma-se flexionar o adjetivo no aumentativo e no diminutivo para indicar certas nuanças de sentido. Indique o valor semântico do aumentativo ou do diminutivo dos adjetivos (determinados abaixo) no contexto das frases. ênfase – ironia – afeto – valor pejorativo a) O céu estava azulzinho. ênfase / afeto

d) Comprou uma casa grandona. ênfase

b) O bebê parecia calminho. afeto / ênfase

e) Não me ocupo com rapazes fracotes. valor pejorativo

c) O adversário valentão se deu mal! ironia

© Ciça Alves Pinto. Publicado mediante autorização da autora

10. Leia a tirinha de Ciça e explique por que os diminutivos empregados pela pomba da paz no adjetivo bonitinho e no substantivo ovinhos são importantes para caracterizar essa personagem.

CIÇA. O Pato – 10 anos. Rio de Janeiro: Codecri, 1978. p. 23. Os diminutivos indicam que a pomba é bem-intencionada e revelam o caráter sensível e afetivo dela.

152

TEMA 3 – O reino das aparências


001 400 v2