Page 1

contacto

Yamaha

WR 250 R Não se pode chamar revolução mas WR 250 R representa em boa parte o futuro das motos de Enduro, onde as baixas emissões poluentes e as inovações tecnológicas serão as características mais marcantes para os seus futuros proprietários. Texto: Rodrigo Castro Fotos: pedro lopes

Ficha técnica Dados declarados pelo fabricante

motor Tipo: Distribuição: Cilindrada: Cilindrada x curso: Potência máxima: Torque máximo: Alimentação: Ignição: Refrigeração: Arranque: Embraiagem: Caixa:

monocilíndrico 4 tempos refrigeração liquida 4válvulas por cilindro DOHC 249 cc 77 x 53,6 30.7 Cv às 10.000 rpm 2.42 Kgm às 8.000 rpm Injecção Electrónica CDI Líquido Eléctrico Discos em banho de óleo 6 velocidades

ciclística Quadro: semi-duplo berço Suspensão dianteira: Forquilha Invertida 270 mm de curso Suspensão traseira: Mono Amortecedor 270 mm de curso Travões dianteiros: Disco 250 mm Ø Travão traseiro: Disco 230 mm Ø Pneu dianteiro: 80/90-21 Pneu traseiro: 130/90-18 Dimensões Distância entre eixos: Altura do assento: Distância ao solo: Peso: Cap. do depósito:

+

1.420 mm 930 mm 300 mm 126 kg 7.6 litros

Alumínio a rodos Sabendo que esta liga nobre não é exactamente um mistério para a Yamaha em termos de manuseamento no processo de fundição, no que toca ao chassis mais uma vez recorreu-se à tecnologia empregue nas YZ/ WR de competição adoptando uma estrutura híbrida de semi duplo berço construída em alumínio e também com algumas traves inferiores e sub quadro em aço, estrutura essa que se apresenta extremamente leve e rígida permitindo uma maneabilidade e estabilidade fora do comum. No que tocas aos elementos da suspensão a dianteira está equipada com bainhas invertidas de 46 mm totalmente ajustáveis tal como o amortecedor traseiro que possui um curso de 270 mm idêntico ao das suspensões dianteiras.

Como é no terreno? Não vos vou mentir senão disser que durante anos fui um apaixonado por este tipo de motos que raramente chegavam ao mercado europeu. Na altura das célebres CRM da Honda destinadas unicamente ao mercado japonês sempre esperei pela comercialização de uma trail de 250cc que fosse mais “civilizada” e polivalente até este dia. O primeiro contacto é excelente. O banco é confortável, os comandos fáceis de operar e o barulho muito suave. Quando rodamos a chave ouvimos o tradicional zumbido da injecção a trabalhar,

-

Facilidade de utilização Altura do assento Conceito inovador Suspensão traseira Qualidade de construção 48

A Yamaha está profundamente lançada numa campanha de responsabilidade ecológica nos seus modelos, onde o principal objectivo é a redução das emissões de poluentes e de ruído. Esta campanha tomou grandes proporções que levou este construtor japonês a adiar o lançamento das WR- F para que estas estivessem de acordo com as normas mais exigentes de anti poluição a Euro 3. Na WR 250 R esse passo já foi dado. Adoptando um evoluído sistema de injecção electrónica cujo injector de 12 orifícios aproveita, ainda, a existência de uma válvula que comanda a entrada de ar na caixa do filtro, enquanto que no sistema de escape encontramos uma válvula EXUP, lembram-se das primeiras Y Z- F, e um catalizador incorporado na ponteira com três vias e sonda Lambda. O motor podem, desde já, ficar a saber será a base para os novos motores 2009 da série YZ, em que se deixa definitivamente para trás a cabeça de 5 válvulas, três de admissão e duas de escape, adoptando a arquitectura tradicional de 4 válvulas sendo que as de admissão são fabricadas em titânio. As cotas são as mesmas das YZ/ WR de competição com o diâmetro e curso de 77 x 53,6mm, sendo anunciada uma potência de 30,7 cv às 10.000 rpm. A refrigeração é feita por um único radiador apoiado por uma ventoinha eléctrica que ajuda a manter a temperatura estável nos caminhos mais rigorosos.

MOTO VERDE

n PREÇO 6.290 € n CILINDRADA 249 cc n POTÊNCIA 30,7 CV n PESO 126 n consumo 5,0 l/100 km MOTO VERDE

49


contacto

Yamaha WR 250 R

Sem-se entrar em grande exageros a WR consegue manter um ritmo bastante alegre fora de estrada chegando perfeitamente para acompanhar motos mais potentes

Basta um pequeno toque de embraiagem para que a WR levante a frente com extrema facilidade nos obstáculos mais difíceis

enquanto que, se estivermos parados é perfeitamente perceptível o ruído da bomba de gasolina que está incorporada no depósito de combustível em aço mas coberto por plástico. Em zonas suaves e sem dificuldades exageradas o comportamento da WR é brilhante. O motor responde bem e permite evoluir fora de estrada com uma boa desenvoltura. A suspensão dianteira trabalha de foram bastante correcta e o amortecedor traseiro funciona bastante. Se começamos a puxar mais notam-se algumas limitações, naturais diga-se, no amortecedor traseiro que mesmo recebendo afinações mais rijas não consegue aguentar ritmos muito elevados em todoo-terreno mais violento. No entanto as bainhas dianteiras são surpreendentes oferecendo uma leitura excelente do terreno e uma maior amplitude de afinações consoante o terreno das nossas voltas e passeios. A travagem é muito boa oferecendo a potência q.b. em terra e distâncias de travagem curtas fora dela. Não imaginem este motor como um pequeno míssil, porque não o é. A WR está equipada com um motor muito suave que permite boas performances na estrada, mantendo uma velocidade de cruzeiro na casa dos 120 km/h, enquanto que na terra, desde que não queiram subir a Serra da Estrela pela encosta mais íngreme, tudo é possível para os 249cc desta Yamaha. A suavidade deste motor e o carácter amigável são excelentes para os “guerreiros de fim-de-semana” que procuram uma moto 50

MOTO VERDE

que se dá bem todo o lado, permitindo ainda ir para o trabalho durante a semana. Notámos, no entanto, uma tendência para o motor se calar quando circulamos em zonas de baixa velocidade um comportamento comum nas motos de injecção e que pode ser resolvido aumentando ligeiramente o “ralenti”. Como quisemos testar a WR - R no nosso meio preferido, a terra claro, equipámos a mesma com autênticos pneus de terra que permitem melhores performances e um maior gozo na lama. Os Bridgestone Trail Wing originais têm um comportamento marginal em caminhos mas em estrada são muito bons. Em termos de consumos o depósito de 7,6 litros dá para 150 quilómetros à vontade o que se traduz num consumo médio de 5,0 l/100 km num ritmo bastante alegre. Para as estaturas mais pequenas os 930mm de altura do banco poderão ser exagerados principalmente em zonas técnicas e no trânsito. Por último nota para a tarifa da WR-R, os 6.290 euros são um pouco elevados tendo em conta a cilindrada desta moto, mas se tivermos em conta o concentrado de tecnologia que ela emprega e a extrema polivalência da mesma, atrevome a dizer que será uma moto com um grande futuro comercial.

A tampa de embraiagem está protegida por esta cobertura plástica enquanto que os manómetros digitais têm uma visibilidade excelente em qualquer hora do dia

YAMAHA WR 250 R

Concentrado de tecnologia ● O futuro das motos de enduro está patente na WR. Motores mais limpos equipados com injecção e que ao mesmo tempo oferecem bons comportamentos fora de estrada e com um menor impacto no meio ambiente. Para manter uma boa capacidade de manobra foi utilizado o alumínio em larga escala na construção de alguns componentes como o quadro e braço oscilante

Na ponteira de escape encontramos um catalizador e o célebre sistema de válvula Exup. A ponteira pesa 5,610 kg e emite um nível sonoro bastante reduzido

Os discos de travão recortados oferecem uma potência de travagem semelhante à das YZ/ WR de competição pelo facto de partilharem diversos componentes entre os quais as bombas

O motor será a base das futuras YZ de 2009 estreando uma nova cabeça de quatro válvulas ficando assim para trás o conceito que marcou as YZ-F durante mais de 10 anos, o Génesis

O depósito de combustível em aço alberga 7,6 litros de combustível, e permite fazer cerca de 150 quilómetro sem problemas

As suspensões dianteiras com bainhas de 46mm oferecem um comportamento muito bom fora de estrada e excelente em alcatrão. A amplitude de afinações é vasta e permite adaptar a WR ao estilo de condução de cada um MOTO VERDE

51

48 51 yamaha wr 250r  
Advertisement