Issuu on Google+

4

VISÃO SINTICAL | N° 39 | JULHO | 2010

Eleições 2010

Calendário para pagamentos do Abono Salarial e dos Rendimentos do PIS Exercício 2010 / 2011

Ficha Limpa vale este ano A Lei da Ficha Limpa, oriunda de projeto apresentado ao Congresso Nacional, por iniciativa popular, e sancionada pelo presidente Luis Inácio Lula da Silva, em junho, já está valendo para este ano. Com a nova lei, as candidaturas de políticos com a ficha suja que foram condenados por um colegiado de segunda instância, já estão inelegíveis. Políticos de ficha suja famosos como Paulo Maluf já estão inelegíveis, porque a Lei abrange condenações anteriores a quatro de junho. Além dos casos de condenação por improbidade administrativa, dos gestores que tiveram suas contas rejeitadas pelo Tribunal de Contas da União (TCU), também ficam inelegíveis os parlamentares que foram flagrados em atos de corrupção e que renunciaram aos mandatos para escapar dos processos de cassação, A lista dos que estão impedidos de disputar as eleições de outubro, por mau uso do dinheiro público, poderá a chegar a 15% do total dos candidatos inscritos pelos partidos, conforme dados que estão sendo computados pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Até agora, os estados de Alagoas, Sergipe e Mato Grosso do Sul aparecem com maiores percentuais de impugnação de candidaturas, mas o resultado definitivo somente será conhecido em agosto. Até lá, fica o suspense sobre a impugnação de candidatos que já estão em campo, como é o caso de Pompeu de Mattos (PDT), candidato a vice-governador com José Fogaça (PMDB).

“Sou sócio, sou SINTICAL”

Nascidos em

XIV Olimpíada da Alimentação A maior festa esportiva da Alimentação já tem data marcada e local definido: é no dia 14 de novembro, em Santa Cruz do Sul. Participe!

Recebem a partir de

Recebem até

Julho

11 / 08 / 2010

30 / 06 / 2011

Agosto

18 / 08 / 2010

30 / 06 / 2011

Setembro

25 / 08 / 2010

30 / 06 / 2011

Outubro

14 / 09 / 2010

30 / 06 / 2011

Novembro

21 / 09 / 2010

30 / 06 / 2011

Dezembro

28 / 09 / 2010

30 / 06 / 2011

Janeiro

14 / 10 / 2010

30 / 06 / 2011

Fevereiro

21 / 10 / 2010

30 / 06 / 2011

Março

28 / 10 / 2010

30 / 06 / 2011

Abril

11 / 11 / 2010

30 / 06 / 2011

Maio

17 / 11 / 2010

30 / 06 / 2011

Junho

24 / 11 / 2010

30 / 06 / 2011

Base territorial nos municípios de Santa Maria, Caçapava do Sul, São Sepé, Jaguari, São Pedro do Sul, Nova Palma, Dona Francisca, Restinga Seca, Faxinal do Soturno, Formigueiro, Agudo, São João do Polêsine, Pinhal Grande, São Vicente do Sul, Toropi, Mata, Dilermando de Aguiar, Silveira Martins, Ivorá, São Martinho da Serra e Itaara.

Nova direção eleita em abril assume mandato na FTIA/RS

A

Chapa 1 “Unidade e Renovação - Essa é do Peão” é a vencedora da eleição da Federação dos Trabalhadores nas Indústrias da Alimentação do Rio Grande do Sul FTIA/RS, ocorrida nos dias 19 e 20 de abril. A Chapa do Peão reelegeu como presidente Cairo Reinhardt e também elegeu dois diretores do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias e

Indicadores econômicos - Julho PISOS DA CATEGORIA

Extensão de Base

Santa Maria

Alimentação geral (até 90 dias) ..... (após 90 dias) .. Frigoríficos (até 90 dias) ............... (após 90 dias) ........... Cooperativas................................

R$ 535,00 R$ 570,00 R$ 535,00 R$ 562,00 R$ 559,93

Alimentação ................................. R$ 600,00 Frigoríficos ................................... R$ 600,00 CVI/Coca-Cola ............................. R$ 609,57 Cooperativas ................................ R$ 550,29

R$ 510,00

Calcula-se o valor do Salário Médio dos últimos três meses trabalhados e aplica-se a tabela abaixo:

Faixas de Salário Médio

Valor da Parcela

Até R$ 841,88

Multiplica-se salário médio por 0,8 (80%) Ex.: 841,88 x 0,80 = 673,51

Salário Regional R$ 571,75 Salário Família

Acima de R$ 841,89 até R$ 1.403,28

O que exceder a R$ 841,88 multiplica-se por 0,5 (50%) e soma-se a 673,51. Ex: 983, 00 – 841,12 = 141,12 / 141,12 x 0,50 = 70,56 / 673,51 + 70,56 = 744,07

Acima de R$ 1.403,28

O valor da parcela será de R$ 954,21

R$ 27,64 (para quem ganha até R$ 539,03) R$ 19,48 (para quem ganha de R$ 539,04 até R$ 810,18) R$ 0,00 (para quem ganha acima de R$ 810,18)

Tabela de descontos do INSS O valor do benefício não poderá ser inferior ao valor do Salário Mínimo R$ 510,00. Em vigor a partir de 1° de janeiro de 2010. Fonte: Ministério do Trabalho e Emprego

CONVÊNIOS • Assessoria Jurídica - Escritório: Rua Alberto Pasqualine, nº 58 / sala 01 (em cima da Cuca & Cia).Advogados: Neriane Clélia Veeck Canavezi, Dilza Carloto, João Francisco de Assis Ilha e Aura Barnasque Brum Ilha. Fone: 55 3223-5005 e 3027-3800. Plantão no Sindicato todas as sextas-feiras, das 10h às 12h. • Laboratórios: Oswaldo Cruz - Rua Serafim

Valandro, 1483 (esq. com Av. Presidente Vargas). Fone: 55 3221-3631; Filial 2 - Camobi, Galeria Mainardi, Sala 8. Fone: 55 3226-3415; PAMPA - Rua Armim Schvarcz, 341, Centro Comercial Tancredo Neves. • Dr. Celso Nunes - Clínico Geral e Pediatra Sede I do SINTICAL. Atendimento de terça-feira à sexta-feira, às 13h30min. • Dr. Luiz Alberto Fugante de Oliveira - Clínico Geral. Rua Venâncio Aires, 1795, sala 25. Ed. Princesa. Fone: 55 3221-5441.

Salários até R$ 1.040,22 De R$ 1.040,23 até R$ 1.733,70 De R$ 1.733,71 até R$ 3.467,40

Cooperativas da Alimentação de Santa Maria e Região - SINTICAL: Valdemir Correa, foi eleito secretário geral e Lucinara Bueno Dias, diretora de Saúde do Trabalhador do sindicato, eleita suplente da diretoria executiva da Federação. A participação do SINTICAL na composição da nova direção da FTIA/RS é ressaltada pelo presidente Cláudio Hoher como reconhecimento do trabalho dos sindicalistas, da experiência e compromisso com as lutas dos trabalhadores.

Votação expressiva na região do SINTICAL

Salário Mínimo TABELA PARA CÁLCULO DO BENEFÍCIO • SEGURO-DESEMPREGO

ANO IX | Nº 39 JULHO | 2010

Publicação do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias e Cooperativas da Alimentação de Santa Maria e Região | Filiado à CUT, FTIA/RS, CONTAC e DIEESE

8% 9% 11%

• Assistência Odontológica - Clínica. Rua do Acampamento, 60, Sala 01, Edifício Província Bairro Centro - Fone: 55 3026-2848. • Serviços médicos e odontológicos ASCIFE - Rua Cel. Niederauer, 1471, conjunto 11. Fone: 55 3223-6916. • Assistência Odontológica - Cirurgião dentista Willlian R. Roos. Rua Germano Hentschke, 378. Bairro Centro. Agudo, RS. • Farmácia Casa Dos Remédios - Av. Concórdia, 603. Agudo, RS.

Primeira reunião da direção que assumiu oficialmente em junho

Na região de Santa Maria, base territorial do SINTICAL, a Chapa 1 obteve 1.056 (mil e cinquenta e seis) votos e a Chapa 2, 40 (quarenta) votos. Os votos em branco somaram 11 (onze) e os nulos 9 (nove) votos. Essa votação representa 95% dos votos na região do Sindicato. Em todo o Estado, votaram 17.989 (dezessete mil e novecentos e oitenta e nove) trabalhadores da alimentação. Do total de votantes, a Chapa 1 obteve 11.376 (onze mil e trezentos e setenta e seis) votos e a Chapa 2, 5898 (cinco mil e oitocentos e noventa e oito) votos. Os votos brancos somaram 328 (trezentos e vinte e oito) e os votos nulos 387 (trezentos e oitenta e sete) votos. Conforme Valdemir Corrêa, a nova diretoria assume com o compromisso de construção da Federação, da CUT e da CONTAC, em atuação unitária com os movimentos sociais e as lutas da classe trabalhadora. A nova direção da FTIA/RS foi empossada oficialmente no dia 27 de junho, na sede da CUT RS em Porto Alegre. A posse festiva ocorrerá no dia 21 de agosto, juntamente com as comemorações dos 65 anos da Federação. Página 3

Em defesa do SUS Uma decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), em favor do Conselho Regional de Medicina do Rio Grande do Sul-(Cremers) divulgada em maio, altera a forma de atendimento prestado pelo Sistema Único de Saúde (SUS) em um município gaúcho – e novas ações em curso podem ampliar a medida para todo o estado. Válida inicialmente para Giruá, na região Noroeste, a medida permite que um paciente opte por condições especiais de

internação, como quarto exclusivo e médico de sua escolha, desde que pague a diferença em relação ao que o sistema público oferece. O recurso chama-se “diferença de classe”. Permite ao paciente pagar a um hospital a diferença entre o que o SUS oferece para um atendimento padrão e o necessário para ocupar um quarto mais privativo e confortável, por exemplo. Possibilita ainda que receba medicamentos e realize exames custeados pelo

Pré-Olímpico do SINTICAL

serviço público, mas pague para ser atendido por um médico de escolha. Em artigo, Valdevir Both, diretor do Centro de Educação e Assessoramento Popular (CEAP) denuncia e critica a decisão. “Vinte anos depois da criação do SUS, parece que nos arrependemos do feito e “queremos” lhe tirar a essência, que é a Universalização”, escreve. Confira o artigo completo e a Nota Pública da CUT RS sobre a questão. Página 3

É hora de organizar as equipes e caprichar nos treinos. Vem aí o 3º PRÉ OLÍMPICO DO SINTICAL, previsto para o início de setembro. A festa esportiva também seleciona equipes e atletas que representarão o sindicato na Olimpíada da Alimentação promovida pela FTIA/RS. Participe!


2

VISÃO SINTICAL | N° 39 | JULHO | 2010

VISÃO SINTICAL | N° 39 | JULHO | 2010

14º Encontro Regional do Fórum de Mulheres do Mercosul

NOSSOS DIREITOS

Perfil Profissiográfico Previdenciário – PPP

O

PPP é o documento histórico-laboral do trabalhador que reúne dados administrativos, registros ambientais e resultados de monitoração biológica, entre outras informações, durante todo o período em que este exerceu suas atividades. Deverá ser emitido e mantido atualizado pela empresa empregadora, no caso de empregado; pela cooperativa de trabalho ou de produção, no caso de cooperado filiado; pelo Órgão Gestor de Mão de Obra (OGMO), no caso de trabalhador avulso portuário e pelo sindicato da categoria, no caso de trabalhador avulso não portuário. O sindicato da categoria ou OGMO estão autorizados a emitir o PPP somente para trabalhadores avulsos a eles vinculados. Os antigos formulários para requerimento de aposentadoria especial (SB-40, DISES-BE 5235, DSS-8030 e DIRBEN 8030) somente serão aceitos pelo INSS para períodos laborados até 31/12/2003 e desde que emitidos até esta data, segundo os respectivos períodos de vigência. Para os períodos trabalhados a partir de 1º/1/2004 ou formulários emitidos após esta data, será aceito apenas o PPP. O PPP poderá conter informações de todo o período trabalhado, ainda que exercido anteriormente a 1º/1/2004. A empresa é obrigada a fornecer cópia autêntica do PPP ao trabalhador em caso de rescisão do contrato de trabalho ou de desfiliação da cooperativa, sindicato ou Órgão Gestor de Mão de Obra. O segurado que tiver exercido sucessivamente duas ou mais atividades em condições prejudiciais à saúde ou integridade física, sem completar em qualquer delas o prazo mínimo para aposentadoria especial, poderá somar os referidos períodos. A conversão de tempo de atividade sob condições especiais em tempo de atividade comum dar-se-á de acordo com a seguinte tabela:

Tempo a converter

Multiplicadores Mulher Homem (para 30) (para 35)

de 15 anos

2,00

2,33

de 20 anos

1,50

1,75

de 25 anos

1,20

1,40

A caracterização e a comprovação do tempo de atividade sob condições especiais obedecerá ao disposto na legislação em vigor na época da prestação do serviço. As regras de conversão de tempo de atividade sob condições especiais em tempo de atividade comum aplicam-se ao trabalho prestado em qualquer período. Nas próximas edições abordaremos sobre temas relacionados à Previdência Social sugeridos pelos leitores do Visão SINTICAL. Quem tiver sugestão deve fazer contato com a sede do Sindicato ou com os diretores nos locais de trabalho. Neriane Clelia Veeck Canavezi - OAB/RS60071 Assessoria Jurídica do SINTICAL

Mulheres de diversas áreas de atuação no Brasil, Argentina, Uruguai e Paraguai estiveram reunidas em Santana do Livramento, nos dia 18, 19 e 20 de junho, participando do 14º Encontro Regional do Fórum de Mulheres do Mercosul que abriu o Seminário Internacional Na Fronteira dos Ventos: o Poder das Mulheres, com as seguintes temáticas: o protagonismo do Fórum de Mulheres do Mercosul; o empoderamento das mulheres para a transformação individual e coletiva, a participação na política; cidadania e direitos humanos, educação, moradia e saúde, o fim da violência contra as mulheres, crianças e adolescentes, trabalho e alimentação, entre outros. Ao lado de lideranças dos quatro países que compõem o Fórum, a presidente do Capítulo Brasil do Fórum das Mulheres do Mercosul, deputada federal Emília Fernandes (PT) emocionou a platéia formada por cerca de 500 pessoas, ao lembrar os casos recentes de mulheres santanenses que foram assassinadas e cujos casos ainda estão à espera de respostas da justiça. Também salientou a baixa representatividade das mulheres em cargos eletivos no Brasil. “Queremos avançar não em lado oposto aos homens, mas junto com eles para fortalecer cada vez mais a luta pela igualdade e dignidade”, afirmou a deputada. O Fórum de Mulheres do Mercosul é uma organização não-governamental, suprapartidária, criada em 1995, integrando feministas, parlamentares, sindicalistas, empresárias, mulheres do campo e da cidade, com o objetivo de desenvolver atividades com a perspectiva de gênero, raça e etnia, no âmbito da Argentina, Brasil, Uruguai e Paraguai. Em cada país, o Fórum articula suas ações com diversas entidades para incidir em áreas como educação, trabalho, autonomia econômica, saúde, sexualidade, violência, meio ambiente, formação de lideranças e legislação relacionada com os direitos das mulheres.

A deputada Emília Fernandes abriu o Seminário Internacional das Mulheres do Mercosul. A diretora do SINTICAL Lucinara B. Dias participou do evento, realizado na Câmara de Vereadores de Santana do Livramento

Aposentados conquistam reajuste de 7,7% O presidente Luiz Inácio Lula da Silva sancionou em 15 de junho o reajuste de 7,7% para os aposentados que ganham mais de um salário mínimo. O índice, sancionado depois de uma longa batalha entre deputados e senadores, foi considerado uma decisão positiva pelas centrais sindicais frente aos tecnocratas do governo que defendiam um reajuste bem menor. Um dos maiores articuladores em favor do reajuste de 7,7% para os aposentados, o senador Paulo Paim (PT-RS), também elogiou a decisão de Lula por não ter vetado o aumento. O senador, entretanto, lamentou que não tenha sido sancionado o fim do fator previdenciário e disse que, agora, a luta é para derrubar, no Congresso Nacional, o veto ao mecanismo que leva em conta o tempo de contribuição, a idade do segurado e sua expectativa de vida. “Ganhamos uma etapa da luta, mas a luta pela derrubada do veto ao fim do fator previdenciário continua”, disse.

EXPEDIENTE VISÃO SINTICAL é uma publicação do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias e Cooperativas da Alimentação de Santa Maria e Região. R. Francisco Mariano da Rocha, 182 - Caixa Postal 187 - Fone/Fax: 55 3221.7054 e 3026.2656, e-mail: sintical@terra.com.br - Santa Maria/RS. Sindicato na Base 2006/2010: DIRETORIA EXECUTIVA: Cláudio G. Hoher - Presidente; Rogério Aguirre - Secretário Geral; Cleumar G. de Godoy - Secretário de Finanças; Jorge L. L. Cezar - Secretário de Administração e Patrimônio; Claudio Gentil Nunes - Secretário de Políticas Sociais e Sindicais; Gilmar Paim - Secretário de Formação Sindical e Profissional, Imprensa e Divulgação; Lucinara Bueno Dias - Secretária de Saúde do Trabalhador. CONSELHO FISCAL - Efetivos: Altamir Ribas de Ribas; Julio C. C. Gomes e Atair de Oliveira Lopes. DELEGADOS REPRESENTANTES: Cleumar G. de Godoy e Cláudio Hoher. DELEGADOS SINDICAIS DE BASE: Adriano Zucheto - Jaguari e Hermes Bertoldo - Nova Palma. Conselho Editorial: Gilmar Paim, Claúdio G. Hoher e Cleumar G. de Godoy. Redação e Edição: Carmem R. A. Pereira – MTb/RS: 6202. Diagramação: André Machado Fortes. Impressão: Gráfica Pozzatti - Santa Maria - RS. Tiragem: 2.000 exemplares.

3

A “diferença de classe” no SUS viola a Constituição

N

o processo constituinte de 1988, criamos no Brasil um sistema público de saúde SUS - para realizar uma ampla reforma da saúde no país. Um dos grandes sonhos de então, era transformar a saúde em um direito de todos, para acabar com a exclusão de grande número de pessoas do acesso à saúde, especialmente as mais pobres. O máximo a eles permitido era o acesso às “Casas de Caridade”, que deles exigia um humilhante atestado de pobreza. Lamentavelmente, e para a surpresa da sociedade brasileira, vinte anos depois da criação do SUS, parece que nos arrependemos do feito e “queremos” lhe tirar a essência, que é a universalização. Refiro-me aqui, a decisão do Supremo Tribunal Federal, que julgou procedente a ação movida pelo Conselho Regional de Medicina do Rio Grande do Sul-Cremers, que institui a chamada “diferença de classe”. Ela permite que o cidadão pague uma diferença (quarto, médico, exames, medicamentos) e tenha um aten-

dimento fora do padrão oferecido pelo SUS. Em outros termos, legaliza uma prática que já estava vigente, mas proibida. Atuando longos anos na área da saúde, percebo a resistência do Cremers em implantar o SUS. Portanto, parece não haver nenhuma surpresa na ação movida por ele. Obviamente, seria injusto se aduzisse esta prática a todos os indivíduos médicos. No entanto, a surpresa veio da mais alta Corte de Justiça do país, que em nome do argumento da “liberdade de escolha do paciente”, da “ampliação dos serviços do SUS” (que até agora não entendi a que se referem) aceitou a utilização desta prática, que fere de morte o preceito constitucional da saúde como direito de todos. Explico-me! Esta decisão do Supremo fortalece duas filas, dois tipos de atendimento. Um para os que podem pagar e outro para os que não podem pagar, os pobres. Aos primeiros, um atendimento digno, aos últimos, uma pequena cesta básica, um mínimo em nome do “possível”, mesmo que isso lhe custe so-

frimento ou até mesmo a morte. A gravidade é que essa prática desconsidera o conteúdo fundamental dos direitos humanos, que exige que a política pública não faça nenhuma distinção entre as pessoas na efetivação dos seus direitos. O fato já me leva a imaginar sua triste consequência, a dizer, cidadãos, completamente fragilizados em seus leitos, e rodeados por seus próximos, precisando negociar com o complexo hospitalar a continuidade do seu direito mais básico, o direito à vida. Ao invés do STF se posicionar favoravelmente a ação que institui a “diferença de classe”, deveria exigir dos entes federados a implantação plena do SUS, estendendo o atendimento digno a todos, e não somente aos que podem pagar. Afinal, se todos são sujeitos de direitos, porque para um grupo apenas o mínimo? Eis que urge fazer cumprir o que reza a Constituição em seu art. 196: A saúde é direito de todos e dever do Estado! Valdevir Both Diretor Geral do CEAP e professor do IFIBE

CUT/RS repudia decisão do STF A Central Única dos Trabalhadores do RS repudia a decisão do Supremo Tribunal Federal que autorizou pagamento de diferença de classe a usuários do Sistema Único de Saúde (SUS). Entendemos que a ampliação universal do atendimento integral e igualitário do SUS foi uma das maiores conquistas do povo brasileiro, ao longo dos anos. Não aceitaremos o retrocesso que a decisão equivocada do STF provoca. A medida é um atentado contra o direito constitucional de acesso universal à saúde, prejudica toda a sociedade e principalmente, o usuário que não possui condições financeiras para pagar seu atendimento na rede privada.

Justiça do Trabalho determina Reintegração de Dirigente Sindical A Justiça do Trabalho de Santa Maria determinou à Empresa Colônia que reintegrasse ao trabalho o Diretor Cláudio Gentil Nunes, que havia sido afastado do trabalho por iniciativa da empresa que pretendia indenizar o período em que o mesmo possui estabilidade no emprego. A sentença fez valer o direito constitucional dos trabalhadores terem sua representação sindical legitimamente eleita. Porém, a empresa está cumprindo apenas parcialmente a decisão judicial: paga o salário, mas não permite que o diretor preste os serviços para os quais é contratado e lhe veda o acesso aos colegas dentro de suas dependências. O Sindicato continuará agindo nas esferas competentes para que seu dirigente possa exercer plenamente o mandato para o qual foi eleito. Claudio Gilberto Hoher, Presidente do SINTICAL

FTIA/RS comemora 65 anos A FTIA/RS foi fundada em 21 de dezembro de 1943, data em que foi constituída uma diretoria provisória tendo Manoel Tavares, um dos idealizadores do projeto, como presidente. O Sindicato de Santa Maria também contribui com esse projeto, sendo que na época, chamava-se Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Alimentação, da Panificação, Confeitarias, De Massas Alimentícias e Biscoitos de Santa Maria. O objetivo era encaminhar registro junto ao Ministério de Estado dos Negócios do Trabalho, Indústria e Comércio. Em 31 de março de 1945 (data oficial de existência), a Federação foi reconhecida como entidade sindical de 2º Grau. A sede em que se encontra foi inaugurada em 1978. A área construída é de, aproximadamente, 1000 m², na rua Jerônimo Coelho, nº 303, centro de Porto Alegre.

A consequência será a precarização dos serviços do SUS com a falta de leitos e de medicamentos, o aumento nas filas, a distorção no orçamento público e a sociedade sem direito a serviço de saúde digno. Além disso, a CUT-RS defende a gestão pública do SUS e se posiciona contra qualquer fundação de direito privado no gerenciamento do Sistema Único de Saúde e de seus programas. O SUS é de todos e a sua defesa deve ser incondicional. A defesa deste sistema é função de toda a sociedade que se beneficia e acredita no SUS como um mecanismo de inclusão social. CUT/RS

Governo Yeda corrói o Piso Regional O governo Yeda destrói o serviço público e acaba de vez com o Piso Regional no Rio Grande do Sul. No dia 23 de junho, a Assembléia Legislativa aprovou por 23 votos favoráveis e 17 contrários, o reajuste de apenas 6,9% para os pisos salariais no Estado. Uma das emendas, com proposta de reajuste de 7,7% foi rejeitada e outras foram prejudicadas, entre elas, a proposta de reajuste de 9,68%. O Piso Regional foi implantado em 2001 e atinge cerca de 1,2 milhão de trabalhadores gaúchos, que não são protegidos por acordos ou convenções coletivas. Saiba quem são os deputados que traíram os trabalhadores gaúchos e votaram contra o reajuste de 9,68% para o piso regional: Alberto Oliveira – PMDB Alceu Moreira – PMDB Alexandre Postal – PMDB Edson Brum – PMDB Gilberto Capoani – PMDB Luiz Fernando Záchia – PMDB Márcio Biolchi – PMDB Nedy Marques – PMDB Adolfo Brito – PP Francisco Appio – PP Jerônimo Goergen – PP João Fischer – PP Leila Fetter – PP

Mano Changes – PP Silvana Covatti – PP Nelson Marchezan Jr – PSDB Pedro Pereira – PSDB Zila Breitenbach – PSDB Aloísio Classmann – PTB Berfran Rosado –PPS Luciano Azevedo – PPS Paulo Odone –PPS Carlos Gomes – PRB Francisco Pinho – DEM Paulo Borges – DEM

Veja abaixo, o valor do novo mínimo regional para o setor da Alimentação: • R$ 571,75 (R$ 534,85 no ano passado), para empregados das indústrias do mobiliário, químicas, famacêuticas e cinematográficas, de alimentação, empregados do comércio em geral e empregados de agentes autônomos do comércio.


JORNAL SINTICAL