Issuu on Google+

Em busca do Cristo hist贸rico nos documentos antigos


 20:00 min | Nascimento 25/12 - J.C foi concebido nesta

data.  20:42 | Constelação da Virgem ou “Casa do pão” Belêm aparece entre Agosto e Setembro - J.C nasceu entre Setembro e Outubro.  23:10 | 12 signos = 12 discípulos – J.C escolheu 12 discípulos porque são Israel era divida em 12 tribos.  27:20 | Símbolo do Peixe é pagão – J.C usou a figura do peixe para fazer referencia as almas e a igreja. (Igreja primitiva usava A palavra ICHTUS, "peixe" em grego, servia para traduzir a expressão Jesus (Iesous) Cristo (CHristos) Filho de Deus (THeouUios) Salvador (Sôter).


 30:00 min | Horus “deus-sol” - Horus foi o deus do céu, Rá

foi o deus-sol.  30:10 | Anuncião, divina concepção e adoração de Horus – Isis gerou Horus após relação sexual com o deus Osiris.  31:15 | Plágio da Arca de Noé – As evidencias provam que o dilúvio realmente aconteceu.  32:20 | Moisés é um mito – arqueologia a cada dia confirma a bíblia com relação a genealogias. (A presença de outros escritos que se referem a um legislador antigo com nome parecido com de Moisés na mesma região indica a existência real desse personagem.)


“Se Cristo não ressuscitou, é inútil a nossa pregação, como também é inútil a fé que vocês têm.” - 1 Coríntios 15:14

• Tácito – Historiador Romano do I século. "Mas nem todo o socorro que um pessoa poderia ter prestado, nem todas as recompensas que um príncipe poderia ter dado, nem todos os sacrifícios que puderam ser feitos aos deuses, permitiram que Nero se visse livre da infâmia da suspeita de ter ordenado o grande incêndio, o incêndio de Roma. De modo que, para acabar com os rumores, acusou falsamente as pessoas comumente chamadas de cristãs, que eram odiadas por suas atrocidades, e as puniu com as mais terríveis torturas.Christus, o que deu origem ao nome cristão, foi condenado à extrema punição [i.e crucificação] por Pôncio Pilatos, durante o reinado de Tibério; mas, reprimida por algum tempo, a superstição perniciosa irrompeu novamente, não apenas em toda a Judéia, onde o problema teve início, mas também em toda a cidade de Roma" – (TACITUS, Cornelius, Annales ab excesso div August. Charles Dennis Fisher, Clarendon Press, Oxford, 1906)


“Se Cristo não ressuscitou, é inútil a nossa pregação, como também é inútil a fé que vocês têm.” - 1 Coríntios 15:14

 Suetônio - Secretário do Imperador Adriano em torno de

120 d.C. "O castigo de Nero foi infligido aos cristãos, uma classe de homens dada a uma nova e perigosa superstição." Vida dos Césares,26.2 "Como os judeus estavam fazendo perturbação constante a instigação de Crestus, ele os expeliu de Roma." A Vida de Cláudio, 25.4.” Lucas faz referência a mesma expulsão: Atos 18:1-2 “ Depois disto Paulo partiu de Atenas e chegou a Corinto. E encontrando um judeu por nome Áqüila, natural do Ponto, que pouco antes viera da Itália, e Priscila, sua mulher (porque Cláudio tinha decretado que todos os judeus saíssem de Roma), foi ter com eles,”


“Se Cristo não ressuscitou, é inútil a nossa pregação, como também é inútil a fé que vocês têm.” - 1 Coríntios 15:14

 Flávio Josefo - Revolucionário judeu entre 37-97 d.C.

"Mas para alguns judeus a destruição do exército de Herodes pareceu ser vingança divina, e certamente uma justa vingança, pelo tratamento dado a João, de sobrenome Batista. Porque Herodes o tinha condenado à morte, mesmo ele tendo sido um homem bom e tendo exortado os judeus a levar uma vida correta, praticar a justiça para com o próximo e a viver piamente diante de Deus, e fazendo isto se batizar.[...] Quando outros também se juntaram à multidão em torno dele, pelo fato de que eles eram agitados ao máximo pelos seus sermões, Herodes ficou alarmado. Eloqüência com tão grande efeito sobre os homens pode levar a alguma forma de sedição. Porque dava a impressão de que eles eram liderados por João em tudo que faziam. Herodes decidiu então que seria melhor atacar antes.[...] De qualquer forma João, por causa da suspeita de Herodes, foi trazido acorrentado à Machaerus, a fortaleza de que falamos antes, e lá executado, contudo o veredito dos Judeus era de que a destruição que visitou o exército de Herodes era vingança de João, que Deus achou por bem infligir este castigo à Herodes." - Sobre João batista Antiguidades dos Judeus, Livro 18


“Se Cristo não ressuscitou, é inútil a nossa pregação, como também é inútil a fé que vocês têm.” - 1 Coríntios 15:14

 Flávio Josefo - Revolucionário judeu entre 37-97 d.C.

Festus estava morto, e Albinus estava viajando; assim ele reuniu o sinédrio dos juízes, e trouxe diante dele o irmão de Jesus, o que era chamado Cristo, cujo nome era Tiago e alguns outros; e quando ele formalizou uma acusação contra eles como infratores da lei; ele os entregou para serem apedrejados; mas para aqueles que pareciam ser os mais equânimes entre os cidadãos, e igualmente mais precisos quanto as leis, eles não gostaram do que foi feito; eles também enviaram ao rei (Herodes Agripa II); pedindo que ele ordenasse a Ananus que não agisse assim novamente, porque isto que ele tinha feito não se justificava; alguns deles foram também ao encontro de Albinus, que estava na estrada retornando de Alexandria, e informaram a ele que era ilegal para Ananus reunir o sinédrio sem o seu consentimento. Albinus concordou com eles e escreveu iradamente a Ananus, e o ameaçou dizendo que ele seria punido pelo que havia feito; por causa disso, o rei Agripa tirou o sumo sacerdócio dele, quando ele o tinha exercido por apenas três meses, e fez Jesus, filho de Damneus, sumo sacerdote- Sobre Thiago em Antiguidades dos Judeus, Livro 20:9


“Se Cristo não ressuscitou, é inútil a nossa pregação, como também é inútil a fé que vocês têm.” - 1 Coríntios 15:14

 Flávio Josefo - Revolucionário judeu entre 37-97 d.C. Texto com interpolações : "Havia neste tempo Jesus, um homem sábio [, se é lícito chamá-lo de homem, porque ele foi o autor de coisas admiráveis, um professor tal que fazia os homens receberem a verdade com prazer]. Ele fez seguidores tanto entre os judeus como entre os gentios.[Ele era o Cristo.] E quando Pilatos, seguindo a sugestão dos principais entre nós, condenou-o à cruz, os que o amaram no princípio não o esqueceram;[ porque ele apareceu a eles vivo novamente no terceiro dia; como os divinos profetas tinham previsto estas e milhares de outras coisas maravilhosas a respeito dele]. E a seita dos cristãos, assim chamados por causa dele, não está extinta até hoje."


“Se Cristo não ressuscitou, é inútil a nossa pregação, como também é inútil a fé que vocês têm.” - 1 Coríntios 15:14

 Flávio Josefo - Revolucionário judeu entre 37-97 d.C. Versão árabe sem interpolações : “Havia neste tempo um homem sábio chamado Jesus, e sua conduta era boa, e ele era conhecido como sendo virtuoso. E muitas pessoas entre os judeus e de outras nações se tornaram seus discípulos. Pilatus o condenou a ser crucificado e à morte. E aqueles que tinham se tornado seus discípulos não abandonaram sua lealdade a ele. Eles relataram que ele tinha aparecido para eles três dias após a crucificação, e que ele estava vivo. Eles acreditavam que ele era o Messias, a respeito de quem os profetas tinham contado maravilhas.“ – no Século X em Livros dos Títulos, Agapius


“Se Cristo não ressuscitou, é inútil a nossa pregação, como também é inútil a fé que vocês têm.” - 1 Coríntios 15:14

 Talo - Historiador samaritano em 52 d.C. Ele escreveu (em uma obra perdida, referente Julius Africanus em Cronografia, XVIII de 221 d.c). "O mundo inteiro foi atingido por uma profunda treva; as pedras foram rasgadas por um terremoto, muitos lugares na Judéia e outros distritos foram afetados. Esta escuridão Talos, no terceiro livro de sua História, chama, como me parece sem razão, um eclipse do Sol. – O que me parece ilogico."

- Tentando dar uma explicação natural para as trevas que ocorreram

na crucificação de Jesus.

(Cf. Mc. 15:33)


“Se Cristo não ressuscitou, é inútil a nossa pregação, como também é inútil a fé que vocês

têm.” - 1 Coríntios 15:14

 Plínio, o jovem governador da Bitínia na Ásia Menor, em 112

d.C.

Ele escreveu ao imperador Trajano, sobre a prática de adoração dos primeiros cristãos e a atitude deles quando perseguidos. " ...amaldiçoar a Cristo, é o que um cristão genuíno não pode fazer.” "Eles afirmaram, no entanto, que toda sua culpa, todo seu erro, era que eles tinham o hábito de se reunirem num dia fixo antes da amanhecer, para cantar versos alternados em hino a Cristo - tratando-o como um deus e fazem um juramento solene, de não fazer o mal, nunca cometer qualquer fraude, roubo, adultério, nunca mentir, não negarem a verdade quando forem instigados a fazê-lo, depois disso tinham o costume de separar-se e reunir novamente para compartilhar a comida – comida do tipo comum e inocente “ - nas Epístolas 10.96


“Se Cristo não ressuscitou, é inútil a nossa pregação, como

também é inútil a fé que vocês têm.” - 1 Coríntios 15:14

 Trajano , imperador de Roma, em 112 d.C. Ele escreveu em resposta a Plínio. " Nenhuma busca para encontrar pessoas deve ser feita; quando eles forem denunciados e condenados, devem ser punidos, mas com restrição de que, quando a pessoa negar ser um cristão, e provar que não é (ou seja, adorando nossos deuses), ela será perdoada por arrependimento, apesar de ter incorrido em suspeita anteriormente.- ibid., 10.97


“Se Cristo não ressuscitou, é inútil a nossa pregação, como também é inútil a fé que vocês têm.” - 1

Coríntios 15:14

 Mara Bar-Serapion entre séculos I a III d.c

"Que proveito os atenienses obtiveram em condenar Sócrates à morte? Fome e peste lhe sobrevieram como castigo pelo crime que cometeram. Que vantagem os habitantes de Samos obtiveram ao pôr em fogo em Pitágoras? Logo depois sua terra ficou coberta de areia. Que vantagem os judeus obtiveram com a execução do seu sábio rei? Foi logo após esse acontecimento que o reino dos judeus foi aniquilado. Com justiça Deus vingou a morte desses três sábios: os atenienses morreram de fome; os habitantes de Samos foram surpreendidos pelo mar; os judeus arruinados e expulsos de sua terra, vivem completamente dispersos. Mas Sócrates não está morto, ele sobrevive aos ensinos de Platão. Pitágoras não está morto; ele sobrevive na estátua de Hera, Nem o sábio rei está morto; ele sobrevive nos ensinos que deixou“ – Manuscrito siríaco, add 14, 658; citado em Habermas, p. 200


“Se Cristo não ressuscitou, é inútil a nossa pregação, como também é inútil a fé que vocês têm.” - 1 Coríntios 15:14

 Talmude entre séculos I a II d.c

" Entretanto foi ensinado que, na vigília da festa da Páscoa, Jesus foi suspenso(1Ou seja, foi crucificado )1. Porém, quarenta dias antes, o arauto havia proclamado que ele seria apedrejado por praticar a magia e por ter seduzido Israel para a apostasia. Poderia, quem quisesse, vir e falar algo em sua defesa, mas como nada foi feito em sua defesa, foi suspenso2 na véspera da Páscoa. Ula objetou: “Tu acreditas que algo poderia ser dito na defesa dele? Ele não era um sedutor, como fala a Escritura: ‘não o perdoarás, nem o defenderás’3(Cf. Dt 13,9)?” Contudo, as coisas foram diferentes com Jesus porque estava em relação4 (Isto é, era uma pessoa influente entre as autoridades civis.) com o governo.” – Talmude babilonico , Sanhedrin. 43 a .


“Se Cristo não ressuscitou, é inútil a nossa pregação, como também é inútil a fé que vocês têm.” - 1 Coríntios 15:14

 Flegon escravo liberto por Imperador Adriano entre séculos

II d.c Nenhuma obra de Flegon sobreviveu, mas ele é citado por vários autores posteriores. " Jesus enquanto vivo, não se preservou, mas ressuscitou depois da morte e exibiu as marcas do seu castigo, e mostrou como suas mãos foram transpassadas pelos cravos” – em Crônicas , citado Orígenes, 4.445, v.Habermas, 210; Anderson , p. 19 “O eclipse na época de Tibério Cesar , em cujo reino Jesus parece ter sido crucificado, e o grande terremoto e o grande terremoto que aconteceu na época.” – Orígenes , p. 14. Julio Africano confirma a citação em Julio Africano, p. 18


“Se Cristo não ressuscitou, é inútil a nossa pregação, como também é inútil a fé que vocês têm.” - 1 Coríntios 15:14

 Conclusão:       

1. Jesus era de Nazaré, 2. viveu de modo virtuoso e sábio, 3. foi crucificado na palestina sob Pôncio Pilatos durante o reinado de Tíberio Cesar, na época da páscoa sendo considerado rei dos judeus, 4. ressuscitou dos mortos depois de 3 dias, segundo os seus seguidores, 5. Seus inimigos admitiram que ele realizou efeitos extraordinários, que eles chamaram de feitiçaria, 6. Seus seguidores se multiplicaram e alcançaram Roma, 7. Seus discípulos negavam o politeísmo vivam de maneira modesta e adoravam a Cristo como Divino.


Lição 4 - A historicidade de Jesus