Issuu on Google+

Relatos

Voluntariado e Memória são estratégias de comunicação Maio/2008 número 22 B

RP Rodrigo Cogo Conrerp SP/PR 3674

rodrigo@mundorp.com.br

Semana Acadêmica da FAAP/SP O mote do VI Encontros Empreendedores de Relações Públicas e do I Mídia e Sustentabilidade, organizados pela Fundação Armando Alves Penteado/FAAP em São Paulo/SP nos dias 19 e 20 de maio de 2008, era “o profissional de relações públicas como você nunca viu”, e nesta linha foram apresentados temas diferenciados e reforçadas estratégias já conhecidas, e não menos eficazes de mobilização e relacionamento. A campanha “Rir para não Chorar” e o Museu do Futebol são bons exemplos. O diretor de Responsabilidade Social da Cie/Fiesp, Sérgio Morisson, apresentou sua reconhecida ação nacional de engajamento público centrada na denúncia pacífica dos narizes de palhaço, distribuídos em manifestações de diversos tamanhos mas de crucial importância. A campanha, que iniciou em setembro de 2006 às vésperas de uma eleição presidencial e já atingiu os dilemas recentes do apagão aéreo, levou recursos próprios do autor nas primeiras incursões com a compra de 50 mil narizes. Depois, foi incrementada pela adesão de personalidades em campanha publicitária, com folhetos e faixas de rua e uma forte assessoria de imprensa. Atualmente, é combinada pela internet, meio em que está obtendo grande participação em diversos estados numa comunidade no Orkut e que serve para convocar para os encontros presenciais via comunicados por email. “Estamos numa sociedade responsável por sua atitude omissa, mas que pode ser mobilizada”, aponta. Morisson enfrentou a tentativa de um partido político de apropriar-se do símbolo e ainda o desvirtuamento do conceito através do enredo da novela “Duas Caras” em que

uma manifestação na fictícia universidade da trama tinha alunos portanto o nariz mas usando violência, o que é um contrasenso com a proposta. Além disto, houve uma reação de artistas do circo, que utilizam o acessório para fins lúdicos e recreativos, e todo o viés de protesto do movimento. Ele contrapôs o conceito de palhaço no projeto Doutores da Alegria, onde é aquele que não se conforma com a realidade e fala coisas que ninguém tem coragem de denunciar, numa perspectiva subversiva onde o riso atua pra dar leveza às críticas. Independente dos obstáculos, ele continua e o movimento cresce. A campanha agora está envolvida nas ações Pró-Tibete e fez incursões junto à Embaixada da China. Estão sempre atentos a questões de violência, miséria, poluição e outras mazelas da sociedade, sendo que é incentivada a reprodutibilidade da idéia. “O nariz representa uma inconformidade que precisa ser alastrada, com uma presença digna para nunca perder a razão”, orienta. Para cadastrar-se, basta ir no www.rirparanaochorar.com.br . RESGATE - A assessora de

Morrison falou de sua campanha de engajamento

01


Voluntariado e Memória são estratégias de comunicação relacionamento com a imprensa da Fundação Roberto Marinho, Ana Rosa Saraiva, esteve no evento para mostrar o planejamento da construção do Museu do Futebol, em andamento junto ao Estádio Pacaembu em São Paulo/SP. Lá várias marcas privadas e estatais já estão associadas dada a importância do tema no cotidiano brasileiro. Um forte trabalho de arrecadação de objetos de times nacionais com torcedores está em andamento chamado memorabília -, os quais após curadoria ficarão disponíveis num hall de entrada do espaço.

cultura, além da Sala Rito de Passagem, um trecho em completo silêncio para aludir ao comportamento da platéia da final da Copa de 50 quando o Brasil perdeu para o Uruguai no Maracanã. Tem ainda um espaço de números e curiosidades da estrutura deste esporte e uma sala de simulação de dribles e outras brincadeiras interativas. Tudo para resgatar a memória de uma preferência nacional.

Museu do Futebol resgata memória com entretenimento

As divisões internas do Museu contemplam partes de emoção, entretenimento e resgate cultural, em que futebol, além do esporte e saúde, invoca mobilização e sentimentos positivos como capacidade de improvisação diante dos obstáculos e espírito de equipe. Haverá um auditório, uma sala de exposições temporárias para abranger todos os times e seus acervos, a Sala dos Anjos Barrocos (painéis com grandes jogadores e seus momentos indicados por especialistas), Sala de Gols e Rádio com narração do gol da vida de várias personalidades por elas próprias e por narradores esportivos famosos, Sala da Exaltação (projeção de vídeos em telões suspensos nas vigas de sustentação do estádio) e Sala das Origens. Está também em montagem a Sala dos Heróis, com suportes giratórios de personalidades da década de 30, como Portinari, Drummond, Jorge Amado, Carmen Miranda e jogadores da época anunciando o cruzamento entre futebol e

02


Projeto Relatos Mundo-RP: Semana Acadêmica da FAAP