Page 1

1

Belo Horizonte • Dezembro de 2011

Pampulha

ludmila tavares

em obras

SAÚDE: Academia só para mulheres! stock.xchng

roberto romanelli

O Jornal Interessa! apresenta as princi­ pais obras que mudarão a vida dos moradores e também a paisagem dos bairros da região da Pampulha; Melhoria do trânsito nas Aveni­ das Antônio Carlos, Pedro I e Portugal e maior acessibilidade estão entre os objetivos da Pre­ feitura de Belo Horizonte. páginas 6 e 7

ECONOMIZE: aprenda a fazer o eco-detergente

CRÔNICA: um sansei e o Japão em BH

Uma receita com poucos i­ngredientes e muito simples de fazer que, além de barata, não agride o meio ambiente. página 9

Marco Fukuyama conta sua ex­ periência no Jardim Japonês de BH, sob a ótica de quem viveu por 20 anos na terra do sol nascente. página 5

Redes Sociais: você ainda vai fazer parte de uma! DELÍCIA! Aprenda a receita do famoso Frango com ora-pro-nóbis, de forma simples e rápida, para você e sua família! página 10

A nova proposta para o público feminino tem ganhado força em Belo Horizonte. O verão chegou, não perca mais tempo! página 8

página 4

Conheça as redes de ­relacionamento que estão em alta na internet e as novidades que ­chegaram ao Brasil.

CULTURA: BH Capital do Natal traz dança, teatro e shows para praça página 3 de eventos da lagoa


2

Belo Horizonte • Dezembro de 2011

CARTA AO LEITOR

Um sonho que se torna realidade Já diziam ditados e otimistas que um so­n ho só nasce para a realidade quando acredita­ mos nele de verdade. Que não devemos desis­ tir e que, se temos confiança no seu sucesso, ­encontraremos a maneira certa para que isso aconteça. Assim nasceu o “Jornal Interessa!”, da paixão de um jornalista em fazer o que ama e que acredita no sucesso do seu projeto. Esse jorna­ lista sou eu, Roberto Braz Romanelli, formado há dois anos pelo Centro Universitário Newton Paiva, que com a experiência adquirida nesse pouco tempo de formação, tomei a coragem para criar meu primeiro jornal. A ideia é bem simples, como o próprio nome já diz, o jornal pretende levar a você assuntos interessantes para o seu dia-a-dia. Serão abor­ dados temas variados como saúde, tecnologia, gastronomia, cultura, sustentabilidade, imó­ veis, empregos, entre outros. Em cada mês um assunto diferenciado será tema da matéria principal. Nesta primeira edição, as obras na região da pampulha são o destaque das páginas centrais. A repórter Gabriela Vilaça apurou o que está sendo realizado nas principais vias de acesso

da região, o tempo de duração das obras, quan­ to dinheiro será gasto e os benefícios que elas trarão para os moradores. Nós, do “Jornal Interessa!”, esperamos que o nosso trabalho seja apreciado e que possamos sempre proporcionar informação com quali­ dade para você, leitor. Boa leitura!

EXPEDIENTE Jornal Interessa! Editor: Roberto Romanelli Repórter especial: Gabriela Vilaça Colaboração em fotografia: Ludmila Tavares, Marco Fukuyama e Elaine Fukuyama Colaboração artigo: Thomaz Maioline e Marco Fukuyama Projeto gráfico e diagramação Roberto Romanelli Tiragem: 10 mil exemplares Contato: jornalinteressa@gmail.com Celular: (31) 8842-8047 DISTRIBUIÇÃO GRATUITA

O Jornal Interessa! deseja a todos os leitores um Feliz Natal!

ESPAÇO DO LEITOR O Interessa abre um espaço exclusivo para os moradores dos bairros de circulação enviarem reclamações, ­sugestões ou fotos. A partir da ­próxima edição, o Espaço do Leitor trará as informações e sugestões enviadas. Não fique de fora! Mande-nos sua mensagem por email pelo seguinte contato: jornalinteressa@gmail.com

PARTICIPE Redes sociais FACEBOOK facebook.com.br/jornalinteressa TWITTER twitter.com.br/jornalinteressa

Acesse nossas redes na internet e fique por dentro das promoções, sorteio de brindes e tudo que acontece no seu bairro!


3

Belo Horizonte • Dezembro de 2011

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

BH Capital do Natal chega a sua 3ª edição Evento que promove a cultura mineira pretende transformar a cidade em uma referência nacional do Natal Divulgação

Já se consolidando como uma das principais atrações de fim de ano em Belo Horizonte, o BH na Capital do Natal começou no dia 9 de dezembro, trazendo muitas novidades para este ano. A campanha vai promover ações diversificadas, atraentes para toda a família, centrali­ zadas em dois pontos da ci­ dade, a região da Pampulha e a Praça da Liberdade. Para Cláudia Volpini, coordena­ dora do projeto, esses locais, tradicionais cartões postais da capital, vão abrilhantar os es­ petáculos. “São dois cenários arquitetônicos maravilhosos e reconhecidos internacional­ mente”, disse. “Com isso, va­ mos oferecer entretenimento de qualidade e, ao mesmo tempo, promover a cultura e os valores mineiros de uma forma responsável e sustentável”. LOCAIS. Na praça Geralda Damata Pimentel (Praça de Eventos da Pampulha), foi montado o palco Pampulha,

WORKSHOP Um verdadeiro desfile de noivas no Santa Amélia No dia 24 de novembro, a Accanto - Beleza e Estética abriu suas portas para a realização de um workshop para noivos e noivas conhecerem a casa. O evento teve como objetivo reunir algumas empresas que oferecem diversos serviços para casamento. As instituições presentes foram representadas por seus proprietários, em stands monta­ dos no belíssimo jardim da casa, que também foi palco para um lindo desfile de vestidos de noiva. Para a diretora da Accanto, Patrícia Ferreira, os noivos só têm a ganhar com essa experiência. “A vantagem para os noivos é a oportunidade de conversar diretamente com os donos das empresas que estão contratando. Os proprietários, por sua vez, ganham credibilidade e podem fechar parcerias com outras empresas, que oferecem diferentes serviços”, conta. O workshop ainda guardou uma surpresa, a divulgação de uma grande parceria entre a tradicional Ana Luiza Noi­ vas e a Accanto, que a partir de agora pretendem unificar parte dos serviços oferecidos pelas duas empresas, au­ mentando a comodidade para os clientes. fotos marco fukuyama

onde acontecem apresen­ tações artísticas, circenses, oficinas e corais natalinos, en­ tre outras atividades até o dia 13 de dezembro. Do dia 14 ao dia 16 as atrações acontecerão na Praça da Liberdade, que receberá apresentações cul­ turais como teatro, dança, co­ rais natalinos e folclore, além de um grande show do músico Marcus Viana.

Local do Palco Pampulha > A praça Geralda Damata Pimentel fica na avenida Expedicionário Celso Racioppi, S/N – próximo ao parque ­Guanabara. > Mais informações sobre o evento e programação no site: www.bhcapitaldonatal.com.br

foto acima: a proprietária da Accanto, Patrícia Ferreira e a proprietária da Ana Luiza Noivas e Decorações, Ana Luiza foto da esquerda: desfile de vestido de noivas durante o evento, no jardim da Accanto


4

Belo Horizonte • Dezembro de 2011

TECNOLOGIA

artigo

A febre chamada “redes sociais”

Transações via celular: ainda falta segurança

Encontre amigos, aprenda inglês ou mostre sua empresa para o mundo Se você é um internauta que se conecta regularmente à inter­ net já deve ter observado que todos os dias aparece uma nova rede social pedindo seu cadastro. A­tualmente, a grande bola da vez é o Facebook, que possui cerca de 700 milhões de usuários em todo o mundo. O site tem como principal objetivo ligar as pessoas para que elas possam comparti­ lhar informações de forma fácil e rápida. O primeiro relato desse tipo de site é do ano de 1995, com a criação do Classmates, um site que é mais utilizado nos Estados Unidos e Canadá e tem como ob­ jetivo conectar antigos amigos de colégio ou da faculdade. Mas parece que essa febre está tomando outras proporções, que vão além de apenas conectar pes­ soas, como também ajudá-las a aprender outra língua, por exem­ plo. Esse é o caso do site Livemocha (www.livemocha.com), uma rede social internacio­nal onde os usuários podem aprender línguas através de lições audiovisuais. Ao se cadastrar no site, o usuário escolhe qual a sua língua nativa e qual a língua deseja aprender.

Assim são oferecidos diversos cursos e exercícios de fala e texto, que são corrigidos por nativos da língua pretendida. Outra rede social, esta um tan­ to quanto controversa, que acaba de chegar ao Brasil é a Ohhtel. Seu objetivo é nada mais, nada menos conseguir um amante ou um caso extraconjugal para os usuários. Diferente da maioria das redes, esta é de graça apenas para as mulheres, tendo os ho­ mens que pagar uma taxa mensal de R$60 para se cadastrar.

SUA EMPRESA NA REDE. Os sites de relacionamento chegaram para ficar e com eles inúmeras oportu­ nidades para as empresas divulga­ rem seus produtos e se aproxima­ rem dos seus consumidores. Muitos desses sites oferecem espaços próprios e adequa­ dos para cada tipo de empresa e é cada vez maior o número de profissionais especializados nesta área. São os chamados especialistas em Marketing Digi­ tal. Mas este assunto fica para a próxima edição!

Sim, é isso mesmo. Uma pesquisa realizada na Ingla­terra infor­ ma que o maior receio das pessoas em realizar compras pelo ce­ lular é com a segurança, principalmente depois dos últimos casos onde hackers invadiram celulares de algumas celebridades. Segundo informa o site Slash Gear (www.slashgear.com), a pesquisa foi realizada pela empresa Intersperience, em que 1.000 pessoas foram entrevistadas, onde 17% dos consumidores se mostraram interessados em utilizar seus telefones celulares para pagamentos, enquanto 44% disseram ainda não ter interesse pela falta de programas de segurança. Os entrevistados acreditam ser questão de tempo até que hackers consigam invadir seus disposi­ tivos e roubar seu dinheiro. Um dado interessante informa que 24% das pessoas acreditam que seu telefone tem mais chances de ser roubado na rua, do que a sua bolsa ou carteira. Quando pensamos na forma como se é roubado pela inter­ net hoje, a partir de um computador, sabe-se que o fato ocorre devido a uma série de falhas, principalmente nossa, usuário. A tecnologia de transação financeira por dispositivos móveis ainda é nova, mas acreditamos que educação e bom senso podem re­ solver a maioria dos problemas, do mundo. O artigo de tecnologia é escrito pelo publicitário e relações públicas, Thomaz Maioline. As matérias publicadas no jornal podem ser lidas também pelo site: www.rota42.com


5

Belo Horizonte • Dezembro de 2011

CRÔNICA: por Marco Fukuyama*

Um pedacinho do Japão em BH *Um sansei, que morou por 20 anos na terra do sol nascente, conta algumas histórias e o que sentiu ao visitar o Jardim Japonês belohorizontino... fotos Elaine Fukuyama

Em 2008, como muitos já sabem, foi comemorado o Cen­ tenário da Imigração Japonesa no Brasil. Em todo o nosso país foram cons­truídos muitos monumentos, jardins, répli­ cas de santuários, tudo para a comemoração dos 100 anos da chegada dos japoneses em terras tupiniquins. Nós, nipobrasileiros descendentes dessa geração, tivemos que nos acos­ tumar com os costumes orien­ tais, como o de comer com aqueles estranhos palitos, ta­ mancos de madeira, quimonos, sombrinhas de papel... A grande maioria dos recém chegados ao Brasil foram para as grandes capitais trabalhar na lavoura. Anos mais tarde, mui­ tos partiram para outras áreas de trabalho como floriculturas, lavanderias, e gastronomia, até que seus filhos e depois os netos ingressaram em escolas e facul­ dades, caminhando para um fu­ turo diferente ao dos pais e avós. Com o tempo, os japoneses foram se adaptando ao nosso país e criando seus próprios ambientes, hoje, por exemplo, a diversidade de restaurantes japoneses é muito grande. Mas, diferente do Brasil, no Japão, ainda existem antigos e gigantescos castelos, com seus lindos jardins onde são praticadas caminhadas para passar o tempo e passear com amigos e familiares em harmonia, como era de cos­ tume nos tempos mais distantes. Aqui, em Belo Horizonte, com a chegada da comemoração, um grande projeto foi elaborado e, no dia 16 de Junho de 2008, o Jardim Japonês foi inaugurado. O objetivo foi refletir a cultura e a tradição do povo japonês para os visitantes e turístas da Fundação Zoo-Botânica de BH.

Eu mesmo, depois de ter vivido no país das neves de Yasu­ nari Kawabata, por quase vinte anos da minha vida, ter conhe­ cido muitos castelos, santuários e jardins grandiosos na terra dos samurais e das gueixas de Quioto, me senti como se tivesse voltado para o lago do fabuloso Templo Kinkaku-Ji (Templo do Pavilhão Dourado). O local foi usado para descanso pelo grande Shogun Yoshimitsu Ashikaga. No ano de 1950, o Kinkaku-Ji foi incendiado por um monge que sofria de per­ tubações mentais, uma história que se tornou ficção no livro O Templo do Pavilhão Dourado, do escritor Yukio Mishima, publicado pela primeira vez em 1956. Como disse, ao entrar no Jar­ dim Japonês de BH, me senti como se tivesse voltado ao Japão, com o santuário ao fundo, o lago e a ponte. Sentei-me ao pé de uma árvore, fechei os olhos e me vi ali, diante de um dos maiores e mais conhecidos templos em todo planeta, o Templo de Ouro. O local possui uma extensão de cinco mil metros quadrados, onde há vários elementos da cultura nipponica, como o lago com car­ pas, árvores típicas, a famosa cerejeira e, também, algumas espécies de aves típicas, como o marreco-mandarim. A ponte, o Torii, a lanterna de pedra e a casa de chá, são outros elementos que compõem o cenário. Para mim, foi uma das obras mais belas já realizadas em Mi­ nas Gerais, onde eu, e muitas outras pessoas, poderão ir para sentir um pouquinho do Japão. Um cantinho aconchegante para inspirar meus contos, um pequeno espaço oriental para inspirações de pequenos escri­ tores, pequenas histórias sobre esta cultura.

INFORMAÇÕES > O Jardim Japonês fica na Fundação Zoo-Botânica de BH. > Endereço: Av. Otacílio Negrão de Lima, 8000 - Pampulha. > Informações sobre funcionamento em: www.portalpbh.gov.br


6

Belo Horizonte • Dezembro de 2011

divulgação

INFRAESTRUTURA

Principais

obras

> BRT Antônio Carlos/Pedro I – Trecho sentido Centro/Pampulha O que será feito: Alargamento do pavimento de concreto, visando a colocação de nove estações do transporte rápido por ônibus (BRT) no trecho que vai da Rua Adalberto Ferraz ao Viaduto São Francisco. No trecho entre o Viaduto São Francisco e a Rua José Dias Bicalho, serão instaladas cinco estações BRT. Início: Setembro de 2011 Término: Agosto de 2012 Valor: R$ 23,1 milhões

Olhos voltados para a

Divulgação

Pampulha

Com grande desenvolvimento nos últimos anos, região recebe obras para melhorar a fluidez no tráfego Gabriela Tinoco Tem ficado cada vez mais comum ouvir no rádio ou as­ sistir na televisão notícias so­ bre longos engarrafamentos na Pampulha. E, durante os próximos meses, a tendência é que a lentidão no trânsito per­ maneça uma constante no dia a dia dos moradores da região. Apesar dos transtornos trazi­ dos como congestionamen­ tos, barulho e poeira, as obras que estão sendo realizadas na região trarão diversas benefíci­ os para os moradores e comér­ cio. Os maiores beneficiados serão os bairros no entorno da Avenida Portugal, cujas en­ tradas se dão, principalmente, pelas avenidas Antônio Carlos, Abraão Caram e Pedro I, todas em fase de obras. As intervenções na Pampu­

lha têm como principal objetivo melhorar a fluidez do tráfego de veículos na região, além da realização da Copa de 2014 no Brasil. São quatro obras princi­ pais em andamento simultâneo e fase de conclusão: implan­ tação de transporte rápido por ônibus (BRT) na Antônio Carlos/ Pedro I sentido Centro/Pam­ pulha, interseção da Avenida Abraão Caram com Antônio Carlos, duplicação da Avenida Pedro I e interseção da Pedro I com Vilarinho. Com o alargamento da Ave­ nida Pedro I, que tem três quilômetros e meio entre as avenidas Portugal e Vilarinho, será possível a construção da pista exclusiva de ônibus e a implantação do corredor rápido de ônibus (BRT) Antônio Carlos/ Pedro I. Esse BRT atenderá cinco regionais de Belo Horizonte e

boa parte da demanda metro­ politana de transporte coletivo. Paralelamente, o viaduto da Avenida Portugal será substituí­ do por duas trincheiras que vão permitir o acesso à Avenida Antônio Carlos sem a passagem por semáforos. A reforma da trincheira da Antônio Carlos com Santa Rosa também faz parte da duplicação de toda a extensão da Pedro I, que conta com recursos do Pro­ grama de Ace­leração do Cresci­ mento (PAC) da Mobilidade, do governo federal. O investimento é de mais de R$ 170 milhões. A via, que hoje tem três faixas por sentido, ganhará mais duas em cada lado. Segundo a Superin­ tendência de Desenvolvimento da Capital (Sudecap), o término da obra de duplicação da aveni­ da está previsto para o primeiro semestre de 2013.

Projeção de como serão as estações de ônibus BRT

> Interseção da Abraão Caram com Antônio Carlos O que será feito: Implantação de dois viadutos e uma trincheira, para interligar a Abraão Caram à Avenida Professor Magalhães Penido, que dá acesso ao aeroporto da Pampulha. A obra eliminará cruzamentos com semáforo entre as avenidas Antônio Carlos e Abraão Caram e facilitará o tráfego para o Mineirão. Início: Junho de 2010 Término: Concluído Valor: R$ 34,5 milhões Divulgação

Projeção de como ficará a interseção entre as avenidas


7

ludmila tavares

Belo Horizonte • Dezembro de 2011

LAZER

> Duplicação da Avenida Pedro I O que será feito: A avenida será duplicada em toda a sua extensão (3,5km), entre as avenidas Portugal e Vilarinho. Assim, será possível construir o BRT no centro da avenida, e a partir daí, implantar o BRT Antônio Carlos/Pedro I. Início: Fevereiro de 2011 Término: Março de 2013 Valor: R$ 173 milhões Divulgação

Cartões postais revitalizados até

2014

Promessa é de que a Lagoa da Pampulha tenha água despoluída para a Copa

Projeção do encontro entre as avenidas Pedro I e Portugal

> Interseção da Avenida Pedro I com Vilarinho O que será feito: Alargamento da Avenida Pedro I nos 350 metros finais e construção de viaduto destinado ao BRT. A obra inclui o alargamento do viaduto sentido Belo Horizonte/Confins, além da construção de uma trincheira sob a avenida e ramos de interseção para acesso à Venda Nova e Estação Vilarinho. A avenida também receberá estações do sistema BRT. Início: Setembro de 2011 Término: Janeiro de 2013 Valor: R$ 43 milhões Divulgação

Projeção da futura obra que acontecerá na Estação Vilarinho

Gabriela Tinoco Além das preocupações com a fluidez do trânsito, melhoras no transporte público e com a infraes­ trutura da cidade, Belo Horizonte tem outro problema importante: a despoluição da Lagoa da Pam­ pulha, um dos principais cartõespostais da capital mineira e que faz parte do dia a dia dos moradores dos bairros próximos. Em 2009, a Copasa anunciou um extenso plano de ações, com investimento inicial de R$ 60 mi­ lhões, para despoluir a lagoa an­ tes da Copa de 2014. Em junho do mesmo ano deu-se início às obras, que incluíam a construção de 35 quilômetros de rede sanitária para levar os dejetos até a estação de tratamento de esgoto do Onça, livrando a Lagoa da Pampulha de mais de dois milhões de litros de esgoto diariamente. Segundo a Prefeitura de Belo Ho­

rizonte, até o final de 2013 a lagoa passará por obras de revitalização, com investimentos que chegam a R$ 240 milhões. Os trabalhos estão divididos em três etapas: desas­ soreamento, tratamento de esgoto e melhoria da qualidade da água. Limpeza regular. De acordo com a Secretaria Municipal de Políticas Urbanas, a limpeza da lagoa é feita diariamente, em um trabalho que envolve 30 pessoas e a utilização de dois barcos e uma balsa. Todos os dias, são recolhi­ das 20 toneladas de lixo durante o período chuvoso, e aproximad­ amente metade na época seca. O maior volume de resíduos sólidos se concentra perto dos córregos Ressaca e Sarandi. Além disso, a Secretaria também afirma que, anualmente, são retirados sedi­ mentos que chegam à represa, para evitar assoreamento do es­ pelho d’água.

espera ansiosa pelo novo mineirão Quem mora na região da Pampulha, ainda que não seja totalmente vizinho do Mineirão - como é o caso dos moradores dos bairros do en­ torno da Avenida Portugal -, não deixa de sentir orgulho de ter o majestoso estádio, outro cartão-postal da cidade, nas redondezas. Com a reforma do Estádio Governador Maga­lhães Pinto, a população ganha­ rá um novo espaço, revitalizado e moderno, para lazer. Segundo a Secretaria Ex­ traordinária da Copa (Secopa), as obras do Mineirão seguem em dia com o cronograma. A previsão é de que o estádio seja inaugurado até o primeiro semestre de 2013. Entre as mudanças estão a redução da capacidade para 69 mil espectadores, o que amplia o conforto e torna a visão do jogo mais adequada para to­ dos os setores da arquiban­ cada. Os assentos também serão protegidos de eventuais chuvas durante as partidas. Ao todo, serão investidos R$ 652 milhões.


8

Belo Horizonte • Dezembro de 2011

PARA ELAS

Academia feminina ganha espaço e praticantes Uma nova proposta para as mulheres tem conquistado cada vez mais adeptas no país fotos renata garboci

Final de ano, verão se aproxi­ mando, academias lotadas e falta de tempo. Todos os itens anterio­ res não combinam com mulheres que desejam entrar em forma e, também, manter uma sequência mais longa de treinamentos, que vão além desse período do ano. Para atender essas e muitas outras necessidades, academias especializadas no público femi­ nino oferecem serviços exclusivos que conquistam cada vez mais praticantes no país. Exercícios específicos, busca de resultados, programação adaptável, horários flexíveis, além de professoras capacitadas para dar aulas exclu­ sivas para mulheres são algumas das vantagens. A Academia Curves, maior franquia de academia feminina do Brasil, possui uma unidade no bairro Planalto que ofe­rece diversos serviços para as mu­ lheres, que vão desde motivação a festas e confraternizações en­ tre as alunas.

dança: eventos de dança são organiza­ dos periodicamente para as alunas mostrarem o que aprenderam

caminhada: outra forma de confraternização para as alunas e que estimula hábitos de vida saudável

TEMPO. A correria do dia a dia é um dos principais motivos para grande parte das mulheres não se exercitarem. Foi pensando nisso que a Curves criou um pro­

grama de treinamento que dura apenas 30 minutos e pode quei­ mar até 500 calorias. São realiza­ das atividades que visam, além da perda de peso, potencializar

o tratamento de algumas doen­ ças como osteoporose e artrose. Assim, os exercícios podem ser feitos por mulheres de qualquer faixa etária. motivação. Segundo a pro­ prietária da Curves - Unidade Planalto, Renata Garboci, a proposta da academia faz com que “as alunas fiquem mais mo­ tivadas a permanecer nas aulas e por um período maior do que nas academias convencionais. Temos exemplos de alunas que frequentam a Curves há mais de três anos”, ressalta. Uma ideia bastante eficaz foi transformar as professoras em madrinhas das alunas. “Cada professora possui suas ‘afi­ lhadas’, que são acompanha­ das diariamente quanto a sua frequência na academia, além dos resultados. Além disso es­ tão sempre motivando suas afilhadas a conquistar suas metas”, explica.

Dança,

festas,

caminhadas, e

eventos sociais > A entrada da dança no circuito foi embasada em estudos e pesquisas para não prejudicar o rendimento e os resultados do exercício físico, e permitir que qualquer mulher, de qualquer idade e condicio­ namento físico, possa praticar a atividade sem problemas ou constrangimento. > Ainda são organizadas festas temáticas para que as alunas possam praticar e mostrar os passos aprendidos nas aulas. > Caminhadas e eventos sociais para arre­cadar doações para famílias carentes.


9

Belo Horizonte • Dezembro de 2011

SUSTENTABILIDADE

Detergente biodegradável Economize dinheiro e ainda ajude o meio ambiente com esta receita simples de fazer fotos luís josué

A definição de sustenta­ bilidade na visão atual é atividade economicamente viável, socialmente justa e ecologicamente correta. Em casa, muitas vezes usa­ mos detergentes na hora da limpeza. Esse detergente vai para os rios atráves da rede de esgoto. No contato com a água podem surgir espumas que dificultam a entrada de oxigênio, que afeta o meio ambiente e atrapalha todo um ciclo de vida. A dona de casa Durce Maria produz e utiliza o detergente biodegradável. Aposentada há 5 anos, ela encontrou no produto um meio de não maltratar o meio ambiente e, principal­ mente, diminuir os gastos com as limpezas. “É fácil de fazer, econômico e não po­ lui. Para limpeza pesada ele é ótimo e rende bastante. Uma simples receita dá cin­ co litros do produto”. Quando for comprar um detergente é interessante sempre observar se ele pos­ sui o selo de biodegradável. Agora, para quem pretende economizar e ajudar o meio ambiente siga os próximos passos e faça o seu próprio detergente ecologicamente ­correto. amoníaco: essa substância é biodegradável e absorvida facilmente pelas plantas. Apesar disso, sua manipulação deve ser feita com cuidado, por se tratar de uma substância química.

Itens

necessários:

> 1 sabão de coco neutro > 2 limões > 4 colheres de sopa de amoníaco (biodegradável) > 1 litro de água para dissolver sabão de côco: corte em pequenos cubículos para facilitar o derretimento

o sabão de côco. > 4 litros de água fria.

Modo

de preparo:

1º Derreta o sabão de coco, picado ou ralado, em um litro de água. 2º Observe que ele adquire a consistência pare­ limões: são acrescentados na terceira etapa da receita

cida com a de um mingau. 3º Retire do fogo, acrescente quatro litros de água fria e esprema os dois limões na mistura. 4º Por último, despeje o amoníaco e misture bem. 5º O produto deve ser guardado em garrafas plás­ ticas. Você obterá cinco litros de um detergente que limpa e que, principalmente, não polui. Faça bom uso!


10

Belo Horizonte • Dezembro de 2011 luíz josué

receita

Prove e aprove o frango com ora-pro-nóbis O prato que atravessa séculos conquistando legiões de admiradores

Em Minas Gerais, nas tradi­ cionais casas do interior e também na capital, surgiu essa receita que por muito tempo atravessa gerações, sem perder sua tradição e originalidade de cozinha mineira. E, para começar, o primeiro ingrediente é sim­ plesmente o frango caipira, com seu sabor inconfundível.

Depois vem a ora-pronóbis que, para quem não conhece, é uma planta cheia de espi­nhos, mas que tem suas fo­ lhas suculentas e comestíveis. E são exata­ mente as folhas que utiliza­ remos para dar o gostinho especial ao prato. Não há se­ gredo para essa receita, en­ tão aproveite!

Ingredientes: > Um frango caipira (2kg) > 6 dentes de alho > ½ colher (sopa) de colorau > 1colher de óleo de soja > 20 folhas de

Modo

ora-pro-nóbis (sem talo) > 3 xícaras de água > Um molho de salsinha > 5 folhas de cebolinha > Sal e pimenta a gosto

de preparo:

> Pique o frango em partes e escalde com água fervendo para retirar o cheiro. Tempere com sal e alho. Coloque ½ colher de corante e 1 colher de óleo na panela para esquen­ tar. Coloque o frango em partes dentro da panela e refogue. Quando ele estiver quase fritando adicione 1 xícara de água. Assim a água secar adicione mais 2 xícaras de água e deixe cozinhar. Quando a água secar novamente coloque a salsi­ nha picada, o ora-pro-nóbis e a cebolinha. Essa porção serve até 5 pessoas. Pode ser acompanhado de arroz branco, angu e couve picada. Bom apetite!


11

Belo Horizonte • Dezembro de 2011

PASSATEMPOS > EMAGRECIMENTO:

> baiano e a cobra:

- Doutor, como eu faço para emagrecer? - Basta a senhora mover a ca­ beça da esquerda para a direita e da direita para a esquerda. - Quantas vezes, doutor? - Todas as vezes que lhe oferecerem comida.

Um baiano deitado na rede pergunta pro amigo: - Meu rei... tem aí remédio pra picada de cobra? -Tem não, meu lindo. Por que, você foi picado? - Não, mas tem uma cobra vindo na minha direção.

Labirinto

Tirinha Dr. Pepper

Risadaria

Palavras cruzadas

Respostas


C éu A zu l • I ta p oã • Ja rd i m At l â nt ico • Santa Amé lia • Santa M ô nica • Planalto | Be lo H orizonte | Nº I | D ezembro de 2011

12

Belo Horizonte • Dezembro de 2011

ANUNCIE AQUI! LIGUE: (31) 8842-8047 (31) 3496-6162 OU MANDE UM EMAIL PARA:

classificados@jornalinteressa.com.br

Jornal Interessa! - 1ª ed. | Dezembro de 2011  

Principais notícias: - Obras na pampulha | páginas 6 e 7 - Receita do frango com ora-pro-nobis | pág. 10 - Academias femininas | pág. 10 - J...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you