Issuu on Google+

Telefonia

para todos Um conceito de acessibilidade à telefonia pública da Praça do Ferreira


Responsáveis

Laís Duarte Madson Kaique Michele Falcão Raquel Rodrigues


Sumรกrio


Apresentação A telefonia pública brasileira disponibiliza um serviço telefônico, tendo como forma de pagamento das ligações, cartões telefônicos que usam o sistema de unidades. Tal serviço pode ser encontrado, geralmente, em locais públicos, como praças, aeroportos, terminais de transporte, esquinas e centros comerciais.

A nossa proposta tem como ponto mais relevante a criação de um novo serviço de telefonia pública que seja acessível a todo tipo de usuário, resolvendo questões como a atualização do equipamento/sistema e sugerindo uma nova maneira de uso para o público em geral, como o envio de sms.

Desde a década de 90, com o avanço da telefonia móvel, o celular, a telefonia pública veio perdendo espaço, principalmente nos grandes centros urbanos, pois a relação custo/benefício (manutenção/lucros obtidos com o uso) é baixa e essa situação tem sido ainda mais agravada pelo aumento da violência, consequentemente do vandalismo.

Para a resolução das questões detectadas foi necessária uma pesquisa aprofundada sobre como as pessoas percebem e em que circunstância utilizam o serviço oferecido atualmente, sobre o público que costuma usá-lo com mais frequência. Partindo dos dados coletados elaboramos um projeto pautanto a acessibilidade e a usabilidade dos novos telefones públicos, elaborando um desenho universal.

Com a falta de investimento das operadoras telefônicas, os telefones públicos tornaram-se quase obsoletos e estão em via de extinção nas grandes cidades, contraditoriamente longe dessas metrópoles, nas cidadelas, esse serviço ainda é bastante solicitado, o que denota a importância de preservá-lo.

O projeto leva em conta alguns quesitos como o material a ser utilizado, considerando o vandalismo, o formato da cabine e do próprio aparelho telefônico, proporcionando mais conforto ao usuário, a localização de suas teclas e o modo como dispô-las.

Com a realização desse projeto, temos como objetivo geral a revitalização da telefonia pública urbana, mais especificadamente, a dos telefones públicos do quiosque de atendimento ao turista, adjacente à banca da Edna, na Praça do Ferreira.

Propomos também um novo sistema de cobrança por crédito, no qual o usuário não saia prejudicado, onde o cartão telefônico pode ser reutilizado, mostrando a preocupação com o meio ambiente.

Analisamos o problema da obsolescência dos aparelhos telefônicos e propomos nesse projeto soluções para a sua desatualização e desvalorização, levando em consideração também o local a ser inserido o novo sistema.


A problemática O problema principal do atual sistema de telefonia pública é a desatualização e a desvalorização desse serviço. Partindo dessa premissa, foram levantados inúmeros subproblemas que serão analisados a seguir, para os quais foram desenvolvidas as soluções expostas.

A partir de uma pesquisa feita com os usuários que costumam usar a telefonia da Praça do Ferreira, mais especificamente os telefones do quiosque de atendimento ao turista, pudemos levantar alguns dados: w A grande maioria do público que costuma usar o sistema de telefonia pública do quiosque é formada por cidadãos idosos w Não há muitos pontos de venda de cartões telefônicos w Telefones com defeito w Não há privacidade para o usuário w Poucos usam o telefone público como primeira opção pois têm celular, ou o usam numa emergência quando o esquecem em casa ou ele se encontra descarregado A nossa equipe também visitou o local e pode constatar mais outros problemas que serão citados a seguir, na próxima página.


Pontos Negativos

Justificativa

Há diferença nas alturas das cabines analisadas, pois há uma cabine mais baixa que às demais, já com o intuito de deixar acessível às pessoas de baixa estatura e cadeirantes. Altura não universal Entretanto, uma questão relevante foi unanimidade entre as pessoas entrevistadas pertencentes a esse grupo: a altura diferenciada do telefone constrange ainda mais quem o usa, pois isso termina por ser uma forma de segregação O formato da cabine telefônica faz com que a iluminação Cabine mal seja insuficiente para que se tenha uma boa visibilidade até iluminada mesmo durante o dia aliado ao fato de o próprio telefone possuir cores e material pouco visíveis Espaço entre as cabines Difícil utilização do leitor de cartão telefônico O formato côncavo e proeminente da cabine é inadequado Inacessibilidade a pessoas com deficiência Falta de manutenção

Instruções de uso insuficientes

Solução Aplicar uma altura acessível a todos, partindo dos parâmetros do desenho universal e tomando cuidados com a visibilidade dos teclados e da tela que exibirá as informações Os teclados passarão a ser luminosos (emitir luz)

Diminuir o número de cabines, pois a demanda não é grande, e aumentar o espaço entre elas Implantar um sistema de leitura Há dificuldade na inserção e na retirada do cartão de código de barras, o que telefônico, que é maleável, em uma fenda de fina espessura barateará o custo do cartão e o e pouca visibilidade tornará reutilizável O fato da concavidade ressaltada da cabine e a falta de sinalização para os cegos, faz com que eles, mesmo com o Uso de sinalização horizontal e uso de bengala, não consigam saber que ali há um aparelho novo design das cabines telefônico e acabem se acidentando ao colidir com o mesmo. A distância entre as cabines não fornece a privacidade necessária e nem o conforto aos usuários do sistema.

Nenhum dos orelhões do quiosque são preparados para serem utilizados por pessoas com deficiência auditiva, visual Implantar mecanismos de e motora. Há ausência de equipamento sonoro de acessibilidade decodificação para surdos. Alguns dos telefones públicos analisados não estavam funcionando e nem em bom estado de conservação além de estarem sujos. O modo de uso localizado no próprio aparelho telefônico possui letras pequenas, de pouca visibilidade além de as informações fornecidas serem pouco esclarecedoras aos usuários inexperientes

Agendar manutenção mensal dos telefones Aumentar e esclarecer as instruções de uso da ferramenta


O conceito É proposto que esse novo aparelho telefônico seja acessível a todo tipo de usuário, desse modo, é preciso que a revitalização do novo aparelho de telefonia pública utilize um desenho que tenha a finalidade de atender a todas as pessoas, com a maior extensão possível, independente do tamanho, idade ou que tenha alguma mobilidade reduzida. Respeitando a diversidade física e sensorial dos usuários e levando em consideração a autonomia e a capacidade dele na manipulação do aparelho telefônico, decidiu-se fazer o uso do desenho universal nesse projeto. O desenho universal visa atender simultaneamente todas as pessoas de forma autônoma, segura e confortável e não adaptando os espaços ou objetos a fim de atender apenas um grupo de pessoas. Para chegarmos a um design acessível, nos baseamos nos princípios do desenho universal, listados à seguir: § Uso equitativo - equipara as possibilidades de uso; § Uso flexível - pode ser utilizado por uma gama de indivíduos; § Uso simples e intuitivo - uso de fácil compreensão; § Informação de fácil percepção - comunica ao usuário as informações necessárias, de forma facilitada; § Tolerância ao erro - minimiza o risco e as consequências adversas de ações involuntárias ou imprevistas; § Baixo esforço físico - pode ser utilizado por qualquer usuário com o mínimo esforço físico; § Dimensão e espaço para acesso e uso - espaço e dimensões apropriados para a interação, alcance, manipulação e uso, independente de tamanho, postura ou mobilidade do usuário.


O processo Nos primeiros esboços discutimos sobre alguns problemas encontrados e algumas propostas de melhoria. Entretanto, demos prioridade à questão acessibilidade do aparelho telefônico e a legibilidade das informações contidas nele.

Primeira ideia Layout horizontal, arredondado nas pontas e tendo uma espessura pequena, mas ainda não definida. Esse formato tem como finalidade dispor melhor a organização do local das teclas , das instruções e da tela de LCD

Tela de LCD não móvel, localizada no meio e na parte de superior do layout. A partir disso, pensamos em um sistema que fizesse com que o próprio aparelho telefônico se ajuste de acordo com a altura do usuário a fim de que as informações contidas na tela sejam vistas


O processo Sistema de cobrança: cartão telefônico não reutilizável, permanecendo o sistema de pagamento por unidade. Entretanto, ao invés de colocar esse cartão telefônico no orifício pequeno e fino, propomos que o sistema de cobrança seria semelhante ao sistema de cobrança utilizado no transporte publico de Fortaleza. Assim, o cartão telefônico seria eletrônico e já seria comprado com uma quantidade fixa de unidades de acordo com o preço ao qual foi comprado. Além disso, no aparelho telefônico irá conter, na parte inferior esquerda do layout, um leitor de cartão. Portanto, o usuário passa o cartão eletrônico no leitor de cartão e tanto na tela quanto uma mensagem sonora informará quanto ele tem de unidade. O cartão começará a perder unidade quando o usuário efetuar a ligação e o receptor atender a ligação. E quando o usuário terminar a ligação ele terá que passar novamente o cartão no leitor de cartão a fim de que desconte as unidades que foram utilizadas.

Após a primeira reunião para discussão do problema, chegamos à conclusão de que as novas funções que seriam inseridas ficariam melhor distribuídas se o telefone fosse feito com um layout vertical

As instruções seriam mais esclarecedoras e com maior tamanho de fonte da letra a fim de que se tornem mais legíveis. Essas estariam localizadas no próprio aparelho telefônico ou na própria cabine telefônica além de ter em braile e conter no aparelho telefônico um botão escrito “ouvir instruções”. Todas essas opções tem como objetivo atender uma maior gama de usuários No aparelho telefônico contém uma câmera de segurança. Pois, quando uma pessoa for ligar para um numero de emergência, seria avisada que estaria sendo filmada e com isso, diminuiria, assim, a quantidade de trotes passados para tal numero. Além de ser uma forma de segurança para o próprio parelho telefônico, gravando a ação de algumas pessoas que poderiam quebra-lo, e, assim, contribuir na identificação desses


Ă€ medida que as discussĂľes foram ocorrendo, novos problemas foram sendo detectados e sendo resolvidos sempre primando a acessibilidade e a simplicidade.


O processo A iluminação será na própria cabine telefônica, sendo uma fita de LED ao redor da cabine Apesar de termos pensado no quesito da iluminação, não havíamos desenvolvido o formato da cabine ainda. Entretanto, tivemos a ideia de que a cabine poderia conter folhetos culturais e guias culturais de eventos que ocorrem no centro da cidade e em outros locais da cidade, passando a ter, assim, uma função complementar que é a de se tornar um ponto ao qual as pessoas poderiam passar pela cabine telefônica e se informar dos eventos culturais que estão ocorrendo pela cidade. Além disso, seria interessante a cabine possuir ganchos a fim de que, quando as pessoas fossem usar o telefone, possam pendurar suas bolsas e sacolas que supostamente poderiam estar carregando e assim, a pessoa se sentirá mais confortável para telefonar Uma saída de som acoplado ao aparelho de telefonia publica ao lado do botão “ouvir instruções” e localizado no lado inferior esquerdo do layout Formato menor e mais arredondado do fone Nessa primeira discursão ainda não havíamos pensado nem pesquisado quais os principais materiais que seriam feitos o próprio aparelho telefônico e sua cabine Teclado do QWERT, semelhante ao teclado de computador, a fim de que os deficientes auditivos ou pessoas com dificuldades de fala possam se comunicar por meio de mensagens de texto. Portanto, assim que um deficiente auditivo retira do gancho o telefone, as instruções na tela já vão ser mostradas e passando essas instruções no botão siga >, logo abaixo dessa tela, ele vai ler as instruções especificas para ele de como usar o aparelho telefônico. Assim ele irá compreender que é preciso digitar o numero da pessoa com quem ele quer falar e, após esse receptor atender o telefonema, é que começaria a fazer a cobrança por unidade. Entretanto, a cobrança por unidade seria diferente, pois a forma de pagamento por unidade seria de quantidade de caracteres e não por tempo de ligação. Assim, quando o receptor atender o

telefone, o deficiente auditivo digitaria a mensagem que desejar e após a formulação dessa mensagem ele apertaria um botão verde que enviaria e transformaria essa mensagem de texto em uma mensagem sonora, se o receptor não for deficiente auditivo, e se for, esse receptor teria que estar em um aparelho que aceitasse receber mensagem de texto. Já quando esse receptor falar, essa fala automaticamente seria transformada em mensagem de texto localizada na tela de LCD. Já para evitar um futuro problema, pensamos em dividir o espaço da tela de LCD ao meio a fim de que a metade superior seja destinada a mensagem de texto a partir da transformação da fala do receptor em linguagem textual se o receptor não for deficiente auditivo; e a outra metade do espaço da tela inferior seria destinado ao próprio usuário que ia ver sua mensagem de texto, podendo modificá-la a sua maneira para depois enviar essa mensagem ao receptor. Terá também uma tecla na parte inferior esquerda do aparelho telefônico um botão de “instruções” com a finalidade de, quando uma pessoa ao tirar o telefone do gancho, de além de ver as instruções na tela pode, também, ouvi-las, sendo guiando, assim, por mensagem de voz. Terá teclas, ao lado do teclado numérico, de aumentar e diminuir o volume § Tecla com o símbolo de seguir § Tecla com o símbolo de retroceder ação § Botão de “Emergência-190” § Tecla de “ativar sistema de telefonia para surdos” § Duas teclas, uma para instruções em inglês e outra em espanhol para os turistas § Tecla para ativar o envio de sms

Partindo da análise desses pontos, levantamos alguns problemas e durante as discussões do grupo pode-se chegar à soluções que atendem ao conceito do projeto que é de acessibilidade e simplicidade. Tais resoluções estão listadas a seguir.


Problema Sistema de altura ajustável Cartão não reutilizável

Instruções inseridas no aparelho telefônico e na cabine

Câmera embutida no aparelho telefônico Iluminação na cabine Formato mais compacto do fone

Justificativa Esse sistema que ajusta a altura do telefone publico de acordo com a necessidade de cada usuário, se torna inviável, pois não conseguimos desenvolver o funcionamento desse sistema de forma pratica e acessível. O cartão sendo não reutilizável é prejudicial ao meio ambiente, num mundo onde a escassez de matéria-prima tende a ser um problema. Como o texto escrito das instruções é bastante extenso, não iria caber, seria preciso reduzir o tamanho da fonte que seria utilizada, voltando, assim, para o problema inicial que já fora mencionado antes que era a dificuldade de ler as instruções localizadas no aparelho telefônico atual, justamente por terem um texto com o tamanho da fonte pequena. Além de que a repetição de instruções tanto na cabine quanto no aparelho telefônico para atender usuários diferentes iria ficar em desacordo com o nosso objetivo inicial que é a questão de desenvolver um aparelho telefônico com desenho universal, atendendo assim uma maior quantidades de pessoas possíveis, sem fazer diferenciação entre elas. Percebemos que seria desnecessária já que seria fácil de cobri-la antes de filmar a pessoa que poderia praticar um ato de vandalismo. Assim, seria mais seguro ter uma câmera no quiosque onde estaria localizado o aparelho telefônico ou em outro lugar mais seguro. As fitas de LED seriam desnecessárias, além de aumentar o gasto de energia elétrica. Embora o design seja mais moderno, o seu formato não é anatômico e por ser pequeno não atenderia a todos os tipos de usuários.

Solução O telefone ficará fixo numa altura universal de 1,10m e a tela de LCD será móvel. A utilização de um sistema eletrônico de cobrança que propicie a recarga do cartão.

A inserção de uma tecla de instruções, que, quando solicitada, as instruções passarão a ser mostradas no visor de LCD.

Retirada da câmera de segurança do aparelho. Todas as teclas e a tela de LCD são iluminadas. A utilização do atual modelo e dimensões dos fones dos telefones públicos.


A pesquisa de materiais Cabine do telefone, aparelho e teclas Inicialmente, analisando a estética e a resistência, pensou-se em aço inox escovado para o aparelho telefônico. Depois, vendo o custo e o grande peso tornou-se inviável e nada interessante a utilização deste material. Uma segunda hipótese foi a utilização de liga de alumínio (ainda para o aparelho). A qual mostrou uma gama de qualidades como estética, durabilidade, resistência à corrosão e mecânica, aplicabilidade de tintas. Porém, assim como o aço, possui alta condutibilidade elétrica além de esquentar rapidamente sob a luminosidade. Para solucionar esse problema, cogitou-se a utilização de fibra de carbono, um material altamente maleável, leve e resistente. Ele deve ser utilizado em combinação com outros materiais para ser viabilizado. Então, considerou-se a utilização de material composto por plástico e fibra de carbono. É o chamado “CFRP”. Esse composto pode ter grande resistência térmica e características de durabilidade e resistência mecânica melhor que o aço. Portanto optou-se pelo uso desse material na cabine telefônica.

Capô de carro feito com CFRP

Projeto das cabines do Telefonia para todos

Pela resistência, aspecto e durabilidade o aço escovado foi escolhido para o aparelho e para as teclas, que, inspiradas nos teclados dos produtos da Apple, serão vazadas e preenchidas por resina transparente para que as luzes de LED se tornem visíveis.

Teclado iluminado de um produto da Apple


Tela Utensílio feito com aço escovado

Desde o início ficou estabelecido que a tela fosse do tipo LCD. As telas LCDs são amplamente conhecidas por serem leves, finas e terem melhorado a qualidade de imagens nas tv's. Porém para o tipo de utilização neste projeto, a nova tecnologia de telas OLEDs é mais apropriada. Essa nova tecnologia permite uma melhor visualização da imagem, a sua tela orgânica possui luz própria, usando menos materiais do que os LCDs. E ela produz realmente melhor contraste (de 1000:1 contra 100:1 das telas LCD no escuro) e cores mais puras que a LCD, utilizam muito menos energia que as LCDs. Também suportam melhor o calor e o frio e são produzidas de forma mais simplificada. Tudo isso é desejável em uma tela ao ar livre e de uso público. Além do mais, ela permite que se veja a tela perfeitamente de um ângulo de até 180°, sem aquele efeito escurecido da LCD. Isso é muito bom para efeito de acessibilidade universal.

Aspecto visual do aço escovado Comparativo das espessuras

Comparativo da resolução e contraste


A proposta final Primando pela simplicidade de uso, a acessibilidade e o benefício das pessoas, foi desenvolvido o Projeto Telefonia para todos, que busca revitalizar o atual sistema de telefonia da Praça do Ferreira, oferecendo novos serviços que atrairão um novo tipo de usuário, além de consolidar o público que já costuma utilizar o serviço, propondo uma nova maneira de a sociedade se relacionar com o mesmo.

Telefonia

para todos O telefone O layout vertical e arredondado nas extremidades irá proporcionar um posicionamento harmonioso das teclas e do telefone, facilitando assim a coordenação na utilização do aparelho telefônico.


Tela de LCD A tela de LCD dinamizará o serviço oferecido, além de trazer o uso da tecnologia para mais perto da sociedade comum. O fato de ela ser móvel a tona acessível às pessoas das mais diversas estaturas, desde os altinhos aos cadeirantes. Isso será possível por meio de uma simples inserção de um pino central que proporcionará uma movimentação ao redor do seu próprio eixo, entretanto terá apenas uma pequena rotação de 10º graus a fim de que essa inclinação possibilite a visualização do conteúdo mostrado na tela por pessoas com alturas diferenciadas. Assim, basta o usuário pressionar na parte de cima ou na parte de baixo da tela a fim de que ela se ajuste para que o usuário veja o seu conteúdo. Além disso, para não perder a visualização do conteúdo na tela e por causa do vandalismo, a tela será revestida nas suas extremidades por um metal resistente.

Cartão Telefônico

T

O C ELE

D R CA

O cartão passará a ser reutilizável e recarregável. Assim, o usuário compra o cartão eletrônico nas bancas de jornal e passa a comprar créditos que serão depositados no cartão. Além disso, o sistema passaria a ser um pouco diferente; a partir de agora cada cartão teria um numero de serie, como se fosse um código de barra. Assim, quando o usuário passar o cartão, quando for efetuar uma ligação, os créditos tem um sistema online de atualização, desse modo, não será mais preciso esse usuário passar novamente o cartão no leitor quando acabar a ligação. E, na medida que a duração da ligação vai passando, irá aparecer na tela o quanto esse usuário está gastando de credito além de uma mensagem sonora sinalizando cada perda de um crédito.


A proposta final Teclas Todas as teclas terão iluminação de Led além de terem um formato de “meia lua” e as letras ou os números inseridos serão dispostos proporcionalmente com o tamanho do botão. Assim, não precisará mais ter a iluminação na cabine telefônica pois, quando um usuário do aparelho telefônico retirar do gancho o telefone, a tela e as teclas ficarão iluminadas.

Instruções As instruções a partir de agora, serão mostradas na própria tela do aparelho telefônico além de ter a opção de “ouvir instruções” § Para instruções de como enviar mensagens digite 1 § Para instruções especificas de usuários com deficiência auditiva digite 2 § Para instruções básicas de como efetuar ligações digite 3 § Para instruções básicas de como utilizar o telefone digite 4

Sistema de cobrança Introduzimos, na parte inferior e no centro, ao lado do leitor de cartão, uma fenda destinada a introdução de um chip de celular. Assim, o usuário pode utilizar o aparelho de telefonia publica como se fosse seu próprio celular, podendo ligar e mandar mensagens gastando os créditos de seu chip. Além disso, se o usuário estiver sem seu chip, poderá utilizar seu Número de Identificação Pessoal (PIN) que já é uma senha secreta numérica compartilhada entre um usuário e um sistema que pode ser usada para autenticar o usuário ao sistema. E esse PIN é fornecido num cartão que vem junto com o chip na hora da compra daquele, mas ele também pode ser fornecido ligando para a operadora correspondente ao chip do usuário, podendo até modifica-lo se necessário. Desse modo, percebemos que seria mais prático e fácil utilizar uma senha já existente para ter acesso ao sistema de acesso ao chip a partir de um telefone público do que criar uma nova senha, seja ligando para uma operadora, ou seja, acessando a internet para se cadastrar em um site e criar uma nova senha. Uma vantagem na utilização do chip é a disponibilização da agenda telefônica gravada no chip que será mostrada na tela.


O que tem de novo ü ü ü

Novo layout do aparelho telefônico Mudança no formato da cabine Teclado Alfanumérico, constando letras, símbolos e teclas especiais

ü

Instruções mais esclarecedoras, sendo apresentadas na tela de OLED

ü

Altura universal do aparelho telefônico a fim de atender uma grande gama de usuários diferentes que será de 1,10m partindo do chão.

ü ü ü ü

Tela de OLED com uma rotação em seu próprio eixo Teclas com iluminação de LED Função de mandar “sms” O Usuário poderá utilizar o aparelho de telefonia publica utilizando seu chip ou seu PIN

ü

Pode acessar por meio do uso do seu chip a agenda telefônica gravada no chip

ü ü

Cartão telefônico reutilizável que poderá ser creditado

ü

Botões de navegação: “seguir” e “retroceder” uma ação “INSTRUÇÕES” “EMERGÊNCIA 190” “ativar o sistema de telefonia para surdos” “ENVIAR SMS”

ü

E mais duas teclas, uma para a mudança das instruções para inglês e outra para espanhol

ü

Nova distribuição das cabines, duas em um lado quiosque, e três do outro lado

Sistema de cobrança utilizando um cartão eletrônico que será passado pelo leitor de cartão e, assim, após o termino da ligação, será descontado os créditos em um sistema online


Conhecendo para o projeto todos Telefonia

O telefone

Tela móvel de OLED

Fone Instruções em braile Teclas de navegação

Saída de áudio

Teclado QWERT

Teclas de ação: Teclado numérico

Retroceder Seguir Ativar sistema para surdos Emergência

Instruções básicas

Volume do som do fone Enviar SMS

Leitor do cartão

Instruções Instruções em inglês/espanhol

Fenda para o chip GSM


Novo layout externo do quiosque Nova distribuição das cabines

Cabine

Gancho para pendurar sacolas Piso especial para deficientes visuais


Conhecendo para o projeto todos Telefonia

Medidas



projeto_3_-_telefonia_para_todos3