Page 5

A 2a edição de Palcos – Mostra de Artes Cênicas dá continuidade ao objetivo inicial: questionar as relações entre a cultura judaica e as artes cênicas. Com ajustes, novidades e ampliações, a mostra cresce com o objetivo de incentivar novos modelos, formar novas plateias e fomentar a criação nas artes cênicas e o entendimento da cultura judaica.

Com mais de um ano de preparação, as três peças deste ano foram pensadas dentro de um processo de trabalho longo, permitindo o desenvolvimento de projetos de maior fôlego. O espetáculo de abertura, Crianças da Noite, foi um dos vencedores do Concurso de Montagem Teatral realizado em 2011. Essa peça inédita, realizada pelo grupo Arte Ciência no Palco a partir de um texto do dramaturgo israelense Gabriel Emanuel, reforça a importância do Concurso de Montagem Teatral – que celebra sua 4a edição este ano – na criação de um repertório brasileiro de cultura judaica. A segunda peça é uma encomenda feita a Nir de Volff, jovem coreógrafo israelense radicado em Berlim. Sua realização se tornou possível graças às parcerias firmadas com o Goethe Institut e o SESC. O “híbrido” Nir de Volff, como ele mesmo se define, trabalha há um ano nesse projeto transacional: a partir de audições, workshops, aulas e ensaios abertos realizados no Bom Retiro – no icônico ICIB, prédio do TAIB, famoso Teatro de Arte Israelita Brasileiro –, ele montou uma equipe heterogênea com o objetivo de criar uma peça coerente. KIKAR, praça em hebraico, é o nome deste encontro, ou dessas “colisões” (para utilizar um vocabulário que corresponde melhor à técnica desenvolvida pela sua companhia Total Brutal), entre participantes de diferentes origens no palco do SESC Pinheiros. A terceira peça está no meio do caminho entre uma remontagem e uma nova criação. Convidamos Vivi Tellas, diretora portenha de teatro experimental, para repetir um espetáculo de teatro documentário desenvolvido por ela em Nova Iorque em 2009. Em Rabbi Rabino, ela trouxe dois rabinos novairoquinos ao palco para contar e encenar suas vivências e visões de mundo. Desta vez, em O Rabino e seu Filho,

Vivi Tellas põe em cena o rabino Ruben Sternschein e seu filho, Uriel Sternschein. Se essas três peças vêm consolidando a mostra no seu formato anterior, o que torna essa edição mais consistente é a fundamental participação de Aimar Labaki, homem de teatro, parceiro de longa data do Centro da Cultura Judaica e curador convidado desta edição. Aimar Labaki é diretor, dramaturgo, tradutor, ensaista, curador e roteirista. Já foi curador dos Festivais Nacionais de Teatro de Recife e São José dos Campos e dos “Eventos Especiais” do Festival Internacional de São Paulo (1995) além de ter publicado José Celso Martinez Correa (Publifolha, 2000) e O Teatro de Aimar Labaki (Imprensa Oficial, 2010). Partindo do formato construído ao redor das três peças, Aimar desenvolveu uma programação densa e complexa, que transcende o uso do nosso palco como ferramenta principal de reflexão – incentivando inclusive uma mudança do nome da mostra, que deixou de se chamar No Palco! para se tornar Palcos. Além de ter acompanhado o desenvolvimento de cada peça de perto, encomendou performances que ocupam espaços diversos do Centro da Cultura Judaica, assim como leituras, ensaios, encontros, oficinas e contações de histórias. Ativando todos os departamentos do Centro da Cultura Judaica – programação, mediação cultural, cursos – Aimar deixou a sua marca autoral no projeto Palcos e se torna o rosto desta mostra por ele apresentada nas próximas páginas deste programa. Não podemos terminar essa introdução sem deixar de agradecer ao grande inspirador deste projeto, o inclassificável Jacó Guinsburg. Ao lado de Anatol Rosenfeld, ele será homenageado nesta edição pela diretora Cibele Forjaz. Pelo apoio de sempre, exercido com cumplicidade e espirito crítico, dedicamos ao Jacó essa edição da mostra.

Benjamin Seroussi Programação

5

Palcos  

Programa para mostra de arte cênicas

Advertisement