Issuu on Google+

o

PANTOKRATOR

Informativo da Comunidade Católica Pantokrator

Ano II - Dezembro/2013 - nº 23

NATAL É COMO UM MITO? Caro leitor,

“Era uma vez...”. Assim começam nossas histórias extraordinárias, os mitos que querem trazer novos ensinamentos e alegrar o coração, mas que são indefinidos no tempo e na história, portanto, são irreais. “Não temais! Eis que vos anuncio uma grande alegria, que será para todo o povo: nasceu-vos hoje um salvador” (Lc 2,10). Assim é narrado o acontecimento do menino Deus entre os homens. Um fato tão preciso quanto o esforço dos evangelistas em vinculá-lo com outros fatos conhecidos, como o recenseamento do Imperador César Augusto em Lc 2, 1; ou mesmo Mateus precisando as coisas ao dizer: “Tendo pois, Jesus nascido em Belém de Judá, no tempo do Rei Herodes...” (Mt 2,1). O nascimento do menino Deus é mais extraordinário que os mitos, mas ao mesmo tempo, é definido e real. Que maravilha! Enquanto sonhávamos com algo portentoso, e contávamos história aos nossos filhos, Deus fez acontecer a história de salvação de toda a humanidade. O mito tenta se renovar cada vez que é contado. O narrador se esforça para que os ouvintes revivam a história. Nisso também o fato Natal supera o mito. Ao mesmo tempo que o acontecimento do Natal se deu num momento determinado da história, ele é perene porque é também um mistério. O que é um mistério? O mis-

Meninos e meninas aprendem de modo diferente p. 2 - Lidando com as diferenças na educação

tério é aquilo que está em Deus e nos é revelado. Assim como Deus, que não passa e é eterno, o mistério é sempre novo e atual. O nascimento de Jesus é real e atual, e fazemos essa experiência a cada vez que Ele entra na nossa vida, em nosso coração, ou nos acontecimentos do dia a dia. O que pensar no dia do Natal? Mais um Natal. Não! Ao mesmo tempo em que é o Natal de sempre é um novo Natal. Em

Deus, ao mesmo tempo que as coisas são perenes elas são sempre novas. Por isso eu posso dizer: “esse é o Natal de minha vida, hoje nasceu o meu Salvador”

Calendário Litúrgico p. 3 - Entenda como funciona o calendário

Missionários no RS p. 4 - Nova casa de missão da Comunidade Pantokrator em Passo Fundo - RS

litúrgico da Igreja Católica

Feliz Natal! André Luís Botelho de Andrade

Fundador da Comunidade Católica Pantokrator


Meninos e meninas aprendem de modo diferente Todo ser humano nasce com inteligência, no entanto, cada pessoa se desenvolve de maneira diferente, dependendo da genética, da sexualidade e a influência do meio em que se vive, isto torna as pessoas diferentes umas das outras, com graus variados de cada inteligência e com maneiras diferentes de as combinar e organizar. Neste sentido, meninos e meninas precisam estímulos desde a infância para que possam ser moldados intelectualmente assim se desenvolverem. É muito importante que os pais conheçam os seus filhos e saibam identificar os estilos de aprendizagem de cada um e assim usá-los com estratégia, afim de que possam aprender melhor. As meninas têm mais facilidade com a linguagem, a memória de longo prazo, processamento analítico, enquanto o homem tem o raciocínio espacial e tridimensional, tem mais facilidade com o que é visual, capacidade musical, processamento sintético. A mulher tem a área motora da fala mais desenvolvida do que os homens, o que gera melhores habilidades de articulação verbal, processos gramaticais e produção de palavras. Assim, a maioria das meninas se dão bem com instruções verbais, por isso é preciso que os pais tenham cuidado para não cair no mais fácil, é necessário estimulá-las com informações visuais também, mostrando lhes mapas, organogramas etc. Na educação dos meninos, a escola é um ambiente predominantemente feminino, principalmente nos anos iniciais, e logo passa a ser um ambiente não tão favorável para eles, pois ao tentar descobrir o que é ser homem, podem buscar ser o oposto das meninas, ou da professora e se não tiverem modelos masculinos pensarão que ser homem é ser o oposto das mulheres e terão dificuldades para descobrirem suas características, aceitá-las e desenvolvê-las. Se na maioria das vezes a menina tende a ser mais quieta na sala de aula, logo o menino que acredita que é necessário ser o oposto vai buscar fazer bagunça, pois ele é homem e não mulher, aí entra a impor-

EXPEDIENTE

tante figura do pai presente, para que os meninos tenham uma referência. Para os meninos também existe as situações de desvantagem nas premiações de atividades esportivas e acadêmicas. As meninas acabam por ganhar os prêmios acadêmicos, enquanto os meninos ficam com os prêmios esportivos, essa situação os fazem concluir que estudar é para as meninas e uma vez que são “opostos” a elas não precisam estudar. Diante disso é necessário que os pais e professores desenvolvam estilos de aprendizagem estratégica para seus filhos e filhas, trabalhando com eles aquilo que é competência própria da sua

sexualidade, mas também ajudando-os a desenvolverem habilidades que exigem deles um pouco mais de esforços. Portanto, o trabalho conjunto do pai e da mãe na educação de seu filho é primordial para que ele aprenda, se desenvolva em sua inteligência e se torne um adulto maduro capaz de agir a partir das competências e habilidades desenvolvidas em seus anos escolares. Texto extraído da formação: Meninos e meninas aprendem de modo diferente, realizada pelo “Projeto Família” na Comunidade Católica Pantokrator no dia 29/10 pela pedagoga, especialista em neuroeducação Simone Schmidt Neves.

O Pantokrator é uma publicação mensal dirigida aos sócios, membros, engajados e amigos da Comunidade Católica Pantokrator Direção Geral: Edgard Gonçalves | Grupo de Comunicação: Eliana Alcântara, Jildevânio Souza, Juliana Campos, Vanessa Cícera, Vanessa Ozelin, Vanusa Silva e Renata Andrade | Jornalista Responsável: Renata Andrade MTB 56 525 | Planejamento, Criação, Edição e Revisão: Comunidade Católica Pantokrator - www.pantokrator.org.br

.

O Pantokrator 2


Tempos Litúrgicos:

Cristo, Senhor do Tempo A Sagrada Liturgia é, conforme a Sacrosacntum Concilium no seu artigo 10º, “a fonte e o cume” de toda a ação da Igreja. Tudo aquilo que a Igreja vive e celebra, toda a sua ação apostólica e evangelizadora encontram o seu sustento e o seu coroamento na Liturgia, que por meio da celebração dos sacramentos, de maneira especial a Eucaristia, consagra toda a vida do fiel ao Pai por meio de Cristo. Nós sabemos que a liturgia tal como a temos hoje foi desenvolvida ao longo dos séculos de vida da Igreja, aprofundando-se na Palavra de Deus, assimilando culturas e buscando sinais temporais que pudessem manifestar o Eterno ao homem. A sabedoria da Igreja “assistida pelo Espírito”(cf Mt-16), usou então ao longo dos séculos de vários desses sinais para manifestar o senhorio de Cristo sobre todas as realidades humanas e talvez o sinal mais contundente do reinado perene de Cristo sobre os homens seja o calendário litúrgico ou o que estamos acostumados a chamar de “tempos litúrgicos”. Os tempos litúrgicos conduzem a Liturgia da Igreja na contemplação dos mistérios de nossa salvação, nos fazem contemplar todas as faces do mistério de Cristo. Dividido em 05 tempos (Advento, Natal, Quaresma, Páscoa e Tempo Comum) o calendário litúrgico é uma pedagogia da Santa Igreja para que percebamos que o próprio Cristo passou por todos os aspectos da vida do homem e esteve também ele, sujeito ao tempo. Com duas grandes solenidades – Natal e Páscoa –, que são precedidas pelas respectivas preparações

– Advento e Quaresma – e prolongadas pelos respectivos tempos – Tempo do Natal e Tempo da Páscoa – celebramos os dois grandes mistérios da nossa salvação – Encarnação do Verbo, Paixão Morte e Ressurreição – com o tempo comum celebramos o cotidiano da vida de Jesus sendo assim chamados a viver como ele ofertando todo o nosso tempo ao Pai e manifestando nas coisas mais simples o chamado à santidade, feito a nós pelo próprio Deus. Inseridos entre esses tempos estão as celebrações dos santos e da Ssma. Virgem

que manifestam para nós que a realização desse chamado é possível a todos homens de qualquer tempo ou lugar. Conscientes e inseridos nessa realidade da Santa Mãe Igreja esperamos consagrar a Deus os nossos dias meditando nos mistérios revelados, na pregação e na vida dos santos e possamos assim “edificar, até o fim da história, o templo onde se adora EL SHADDAI! (cf: RVESP nº02) Bruno Chimenes Discípulo da Comunidade Católica Pantokrator

Fique atento à programação de fim de ano da Comunidade Pantokrator A Comunidade Católica Pantokrator convida a todos para participarem da Missa de Natal, no dia 24 de dezembro, às 19h, em sua sede, à rua Culto à Ciência, 238, Botafogo, Campinas -SP.

Do dia 26 de dezembro ao dia 08 de janeiro de 2014, as atividades da comunidade estarão em recesso. Os Grupos de Oração voltam a partir do dia 09 de janeiro.

A comunidade deseja a todos os leitores um santo Natal e um 2014 cheio de paz e muitas realizações. O nosso muito obrigado por mais um ano juntos. Deus os abençoe!

.

O Pantokrator 3


Nova Casa de Missão da Comunidade em Passo Fundo - RS A Comunidade Católica Pantokrator, diante do apelo da Igreja e o mover do Espírito Santo, abre mais uma casa de missão no Brasil. Desta vez a Comunidade Pantokrator estará na Arquidiocese de Passo Fundo, no estado do Rio Grande do Sul. O convite foi feito pelo arcebispo de Passo Fundo Dom Antonio Carlos Altieri, ao fundador da Comunidade Católica Pantokrator, André Luis Botelho de Andrade. A Comunidade Pantokrator administrará a Casa de Retiro da Arquidiocese de Passo Fundo, tendo como um dos objetivos ser uma presença e testemunho de vida evangélica em meio aos grupos que frequentam a casa. Também exercerá atividades missionárias na Arquidiocese, como grupos de oração, pregações, cursos, retiros etc. Luiz Oliveira Júnior, que irá coordenar os trabalhos da Comunidade Pantokrator na Missão de Passo Fundo, diz que “todos nós missionários enviados para esta missão estamos muito entusiasmados e não vemos a hora de iniciarmos nossas atividades

na administração da Casa de Retiros e suas atividades no início de 2014. na atuação pastoral na Arquidiocese”. Jildevânio Souza Os missionários se estabelecerão em Passo Fundo em meados Discípulo da Comunidade Católica Pantokrator de dezembro próximo e iniciarão

São Nicolau - Rogai por nós São Nicolau é também conhecido por Nicolau de Mira e de Bari. É venerado, amado e muito querido por todos os cristãos do Ocidente e principalmente do Oriente. Nasceu no ano 275 na cidade de Pátara, na Ásia Menor, na metade do século III, filho de pais nobres e desde a infância demonstrou uma profunda religiosidade. Após a morte de seus pais, Nicolau herdou uma grande fortuna que começou a distribuir entre os pobres. Ele se empenhou a ajudar secretamente, para que ninguém pudesse agradecer-lhe. Tornou-se sacerdote da diocese de Mira. Após a sua ordenação São Nicolau resolveu: “Até agora pude viver para mim mesmo e para a salvação de minha própria alma, mas daqui em diante, todo o tempo da minha vida deve ser dedicado aos outros.” E esquecendo-se de si mesmo, abriu a porta da sua casa a todos, tornando-se um verdadeiro pai dos órfãos e dos pobres, defensor dos oprimidos e benfeitor de todos. Conforme o testemunho de seus contemporâneos, ele era humilde, pacífico,

vestia-se com simplicidade, alimentava-se com o estritamente necessário. Conta a tradição que certa vez, Nicolau sabendo que três pobres moças não tinham os dotes para o casamento e por isso o próprio pai, na loucura, aconselhou-lhes a prostituição, mas Nicolau jogou pela janela da casa das moças três bolsas com o dinheiro suficiente para os dotes das jovens ajudando-as a se casar. Morreu no dia 6 de dezembro de 326, em Mira. Imediatamente, o local da sepultura se tornou lugar de intensa peregrinação. A sua figura bondosa e caridosa, mantém-se viva e perpetuada através dos comerciantes que se vestem de Papai Noel nos países latinos, de Nikolaus na Alemanha e de Santa Claus nos países anglo-saxões. Mesmo sob falsas vestes, São Nicolau nos exemplifica e recorda o seu grande amor às crianças e aos pobres e a alegria em poder servi-los em nome de Deus. Juliana Campos Discípula da Comunidade Católica Pantokrator

.

O Pantokrator 4


Informativo Pantokrator - Dezembro 2013