Page 1

Empreendedores de São Miguel receberão curso de capacitação

Foto: Divulgação

ÓRGÃO INFORMATIVO DA EMPRESA ANTONIO CARLOS & RISELDA MORAIS LTDA ME TEL.: (11) 2785-5339 - Site: www.jornalpolopaulistano.com.br ANO X - Nº 275 - DISTRIBUIÇÃO GRATUITA - São Paulo, 1ª quinzena de agosto de 2019

SP registrou média de 23 desaparecimentos de crianças e adolescentes no primeiro semestre

Riselda Morais

Um luto sem fim, a tortura de não saber onde está um ente querido, se está com fome, com frio, se está vivo ou morto. O sofrimento da perda sem explicação, a incerteza é o sentimento de muitas famílias brasileiras. Segundo dados da Secretaria de Segurança

Foto: Divulgação

Pública do Estado de São Paulo foram registrados no primeiro semestre deste ano, uma média de 23 desaparecimentos de crianças e adolescentes, por dia, o que nos leva a ter mais de 4.197 menores desaparecidos em São Paulo nos últimos seis meses. No mesmo período

Parques e praças oferecem lazer para cães e seus donos

Foto: Marcelo Pereira / Secom

foram encontradas 5.135 pessoas. Segundo dados do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, o estado de São Paulo registrou 24.368 desaparecimentos de pessoas em 2018. Desse total, 1/3 era criança ou adolescente - 215 eram crianças de 0 a

7 anos, 1.035 eram crianças de 8 a 12 anos e 7.255 eram adolescentes. Isso representa 8.505 crianças e adolescentes desaparecidos no estado. Número inferior a 2017, quando São Paulo registrou mais de 25 mil desaparecidos. Leia mais na pág. 03

Inscrições abertas para a 58ª Corrida e Caminhada Contra o Câncer de Mama - IBCC

Foto: Divulgação

A cidade de São Paulo conta com espaços exclusivos para a diversão de cães e seus tutores. São 21 locais próprios e mantidos pela Prefeitura para passeios, conhecidos como “ParCão”, espalhados por todas as regiões da cidade, sendo oito na Zona Sul, três na Zona Oeste, sete na Zona Leste, dois na Zona Norte e um na região central.

Confira abaixo os endereços. Os locais são gratuitos. As restrições aos “ocupantes caninos” são as de cunho legal, pois a Lei nº 11.531, de 11/11/2003, exige que raças consideradas mais agressivas, como mastim napolitano devem usar focinheira, mesmo que os cães sejam dóceis. Leia mais na pág. 02

Especialista no tratamento do câncer de mama e hospital com a maior demanda dessa especialidade na cidade de São Paulo, o IBCC - Instituto Brasileiro de Controle do Câncer - realiza no próximo dia 29 de setembro, a 58ª edição da Corrida

e Caminhada contra o Câncer de Mama. Organizado pela Life Marketing Esportivo com o apoio da Prefeitura de São Paulo, o evento ocorre a partir das 7h, no Campo de Marte. Leia mais na pág. 03

Leia Leia na na pág. pág. 02 05

Famílias trocam material reciclável por comida na Zona Leste de SP Foto: Divulgação

Leia na pág. 03


São Paulo, 1ª quinzena de agosto de 2019

Editorial Onda antivacina aumenta número de doenças evitáveis

Por: Riselda Morais Muitas doenças infecciosas já poderiam ter sido erradicadas no mundo se todas as pessoas que tem acesso as vacinas se imunizassem e vacinassem seus filhos. Entre as doenças evitáveis que poderiam estar extintas está o sarampo e a poliomielite. No Brasil, das oito principais vacinas, disponibilizadas gratuitamente e obrigatórias para bebês, apenas a BCG, vacina que previne tuberculose, tem alcançado a meta de cobertura da vacinação por ser aplicada nas maternidades. As outras sete vacinas alcançaram no ano passado, cobertura bem abaixo da meta de 95% do público alvo. Apesar da vacinação proteger contra doenças potencialmente graves e que levam a morte, da vacina estar disponível gratuitamente na rede pública, das campanhas terem seus prazos, na maioria das vezes, prorrogados para alcançar uma maior cobertura... a adesão continua baixa, como é o caso das vacinas contra sarampo, gripe e febre amarela. A resistência a vacinação dos menores tem trazido de volta ao Brasil doenças antes erradicadas como é o caso do Sarampo. O Sarampo é uma doença transmitida por vírus e altamente contagiosa. É transmitido por meio de contato direto e pelo ar. Antes da existência da vacinação, em 1963, ele causou aproximadamente 2,6 milhões de mortes, segundo a Organização Panamericana da Saúde. A Organização Mundial da Saúde tem alertado sobre o surto de sarampo em outros países. Apesar da maior incidência do Sarampo ser na Ásia e na África, em 2017, os casos de sarampo aumentaram em 400% em 53 países da Europa. No mesmo ano, 110 mil pessoas morreram por sarampo, sendo a maioria, crianças menores de 5 anos. Segundo dados da

OMS, os casos de sarampo cresceram, neste ano, 300% em comparação a 2018. Foram registrados casos da doença em 170 países. No Brasil mais de 10 mil pessoas tiveram sarampo na região norte em 2018, já neste ano, o epicentro do surto foi no estado de São Paulo que contabilizou 484 casos de janeiro a julho., a maioria na capital paulista. Mas afinal porque alguns grupos optam por não vacinar seus filhos? O movimento antivacinas surgiu em 1998, quando foi publicado na revista Lancet, um artigo científico, uma pesquisa fraudulenta na qual, o médico inglês Andrew Wakefield associou o aumento no número de crianças autistas com a vacina tríplice viral, que protege contra sarampo, caxumba e rubéola. A partir daí muitos pais deixaram de vacinar seus filhos. Alguns anos depois a revista se retratou. O trabalho foi investigado e os dados eram falsos. Foi descoberto que o médico recebia pagamentos de advogados em processos por compensação de danos vacinais. Nas redes sociais, em especial no Facebook existem grupos antivacinas com mais de 11 mil membros que trocam informações, em sua maioria, falsas. A informação é a melhor forma de se proteger e proteger as crianças. Se tem dúvidas converse com o pediatra do seu filho, ouça suas recomendações. A vacinação deve fazer parte da vida da pessoa desde seu nascimento, é a melhor forma de prevenir doenças e reforçar o sistema imunológico da criança. Pela legislação brasileira, não vacinar as crianças é ilegal. O artigo 227 da Constituição Federal, prevê que “Família, sociedade e Estado devem assegurar a criança, com absoluta prioridade, o direito à vida e a saúde. Já o Estatuto da Criança e do Adolescente, no artigo 14, diz que “é obrigatória a vacinação das crianças nos casos recomendados pelas autoridades sanitárias”. Não se trata de os pais terem direito de escolher se os filhos vão ou não tomar as vacinas e sim, do direito da criança receber a vacina. Logo, os pais que optam por não vacinar os filhos, podem ser legalmente responsabilizados. Vale lembrar que a vacinação além de prevenir doenças na criança é também uma questão de saúde coletiva. É importante manter a carteira de vacinação atualizada e as vacinas em dia.

Jornal Pólo Paulistano

Página 02

Parques e praças oferecem lazer para cães e seus donos Capital conta com 21 Parcães, espalhados por todas as regiões da cidade, todos com ambientes próprios para passeios e diversão

A cidade de São Paulo conta com espaços exclusivos para a diversão de cães e seus tutores. São 21 locais próprios e mantidos pela Prefeitura para passeios, conhecidos como “ParCão”, espalhados por todas as regiões da cidade, sendo oito na Zona Sul, três na Zona Oeste, sete na Zona Leste, dois na Zona Norte e um na região central. Confira abaixo os endereços. Os locais são gratuitos. As restrições aos “ocupantes caninos” são as de cunho legal, pois a Lei nº 11.531, de 11/11/2003, exige que raças consideradas mais agressivas, como mastim napolitano, pitbull, rottweiller, american stafforshire terrier e animais com raças derivadas das indicadas devem usar focinheira, mesmo que os cães sejam dóceis. Também devem ser observadas algumas regras básicas como por exemplo: o recolhimento rápido das fezes dos cachorros para diminuir a possibilidade de uma eventual contaminação do solo. O cão também deve ter carteira de vacinas em dia, ser tratado com antipulgas e anticarrapatos. Algumas unidades foram reformadas recentemente, como o Parcão da Praça Buenos Aires. Uma das melhorias feitas no local foi a substituição do portão de acesso por portões duplos, com espaço para clausura, com o objetivo de aumentar

Foto: Marcelo Pereira / Secom

a segurança dos animais durante os acessos. Dicas importantes - Os donos são legalmente responsáveis pelas ações e comportamentos dos seus cães, em todos os momentos. - Ao entrar ou sair do espaço, os cães devem estar presos à guia. - Não são permitidos filhotes de até quatro meses, fêmeas no cio e cães agressivos. - Evite passear com os bichinhos nos horários de sol forte. O asfalto pode queimar a patinha deles. - Não são permitidos adestradores realizando atividades comerciais. - Não é permitido entrar com alimentos, tanto para cães como para seus donos. - Crianças de até 12 anos devem estar acompanhadas por um adulto. - De acordo com a Lei

13.131/2001, regulamentada pelo Decreto nº 41.685/2002, todo proprietário de animal é obrigado a vacinar seu cão ou gato contra a raiva. - Além disso, ao ser conduzido em vias e logradouros públicos, eles devem obrigatoriamente usar coleira e guia. Em caso de descumprimento dessa regra, o infrator está sujeito a multa de R$ 100 (cem reais), por animal. - A mesma lei obriga o condutor de um animal a recolher o cocô das ruas e proíbe a permanência de animais soltos, bem como toda e qualquer prática de adestramento em vias e logradouros públicos ou locais de livre acesso ao público. Confira abaixo os locais: Centro - ParCão Vila Buarque - R. Maj. Sertório, 691, Vila Buarque - Praça Rotary. Zona Sul - ParCão Chácara Klabin - R. Inácio Estéfano,

Jardim Vila Mariana, ParCão Zeus - Praça Nossa Senhora Aparecida, 1035, Indianópolis – Moema, Praça Pereira Coutinho (Vila Nova Conceição), ParCão Rosa Alves - Praça Rosa Alves da Silva, 671, Vila Mariana, ParCão Jd. Santa Cruz - R. Amadeu Giusti, 203251, Jd. Santa Cruz (Sacomã), ParCão Praça Cidade de Milão (ao lado do Ibirapuera), Parcão Praça Ayrton Senna (Modelódromo do Ibirapuera), Parcão Praça Giordano Bruno (Chácara Klabin). Zona Oeste - ParCão Mateus Grou - R. Mateus Grou, Pinheiros, ParCão Maria Noeli Carly - Pç. Maria Noeli Carly Lacerda (BNH Vila Madalena), ParCão Amadeu Decome - R. Sepetiba, 1367, Siciliano. Zona Leste - ParCão Tatuapé - Lgo. Nossa Sra. do Bom Parto (R. Serra de Japi), Tatuapé, ParCão Catumbi - Rua Paulo Andrighetti, 83, Alto do Pari/ Catumbi, ParCão Penha - Praça Luiz Moutinho (Vila Matilde), ParCão Penha - Praça Dilva Gomes Martins (Artur Alvim), ParCão Penha - Praça Maria Lorecchio Basílio (Cangaíba), ParCão Penha - Praça Comunidade Nossa Senhora do Alívio de Ituaçu (próximo ao metrô Vila Matilde e Rua Demini), ParCão Ermelino Matarazzo “ErmeliCão” - Praça Benedito Ramos Rodrigues, Av Milene Elias. Zona Norte - ParCão Mandaqui/Reinaldo Proetti - Praça Reinaldo Proetti, Santana, ParCão Limão - Praça 3 de Outubro - Limão.

Empreendedores de São Miguel receberão capacitação para desenvolver os seus negócios

Atividades serão oferecidas gratuitamente na unidade do Descomplica da região leste A Ade Sampa – Agência São Paulo de Desenvolvimento, entidade vinculada à Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Trabalho da Prefeitura de São Paulo, está com inscrições abertas para o curso de capacitação do Programa Fábrica de Negócios, no Descomplica, unidade São Miguel Paulista, na zona leste da capital. As atividades ocorrem durante o mês de agosto e são divididas em duas fases que auxiliarão o empreendedor a tirar sua ideia do papel e potencializar o seu negócio.

“A metodologia empregada no curso contempla as necessidades que o novo empreendedor enfrentará para obter êxito nos negócios. Por meio do relacionamento com a sua área de atuação, o empreendedor terá a possibilidade de formar uma rede de contatos, imprescindível para alavancar seu empreendimento”, afirma a secretária de Desenvolvimento Econômico e Trabalho, Aline Cardoso. A primeira fase da ação é responsável pela estruturação da ideia e avaliação da viabilidade. Durante

dois dias, os alunos aprenderão os passos que sucedem a criação da ideia que desejam colocar em prática. Na segunda fase do curso, os participantes farão exercícios práticos apelidados de “Teste seu negócio pondo a mão na massa”. O Programa Fábrica de Negócio procura estimular a troca de informações entre os participantes e o aprendizado múltiplo, por meio soluções e conhecimentos que contribuam para o desenvolvimento de seus negócios, com workshops, oficinas e

palestras oferecidas por profissionais capacitado. Os interessados em participar podem se inscrever pelo link: http://bit.ly/ade_saomiguel. Serviço: Horário: 9h às 16h Local: Descomplica São Miguel - Endereço: Rua Dona Ana Flora Pinheiro de Souza, 76 - Inscrições: http://bit.ly/ ade_saomiguel. “Tenho uma ideia e agora?”1ª fase, Data: 14 até 16 de agosto, “Teste deu negócio pondo a mão na massa”- 2ª fase. Data: 21, 23, 28 e 30 de agosto.

Vo c ê a c r e d i t a . S e u f i l h o c h e g a l á .

Com o Kumon, você percebe a diferença! • Matemática • Português • Inglês • Japonês

PARA TODAS AS IDADES

Unidades: Fones: Vila Matilde - Metrô............................. 2653-0774 Ponte Rasa - Rosa Mendes................ 2862-5095

EXPEDIENTE: JORNAL PÓLO PAULISTANO

Tel.: (11) 2785-5339 Site: www.jornalpolopaulistano.com.br / E-mail: contato@jornalpolopaulistano.com.br

Antonio Carlos & Riselda Morais Ltda - ME CNPJ: 03.905.472/0001-81

JORNAL IMPRESSO E DIGITAL Especialista em Comunicação e Mercado - Editora Chefe e Jornalista: Maria Riselda Morais B. Malta Prefixo Editorial Nº 907573 - MTB/SP Nº 34.190 Diretor Comercial e Jornalista Responsável: Antonio Carlos Borges Malta - MTB/SP Nº 34.072 Depto Jurídico: Gabriela Morais B. Malta - OABSP: 386639 Diagramação e Arte: Empresa Jornalística ACRM Circulação: Zonas Leste e Norte de São Paulo Periodicidade: Quinzenal - Tiragem: 40.000 O Jornal não se responsabiliza por idéias ou opiniões emitidas em artigos assinados e reserva-se ao direito democrático, a liberdade e a imparcialidade não oferecendo exclusividade.

Jornais da Empresa Jornalistica ACRM

Seguros: Auto - Vida - Condomínio Empresa - Residência Transportes - Saúde Previdência - Consórcio

Trabalhamos com as melhores Cias de Seguros Tel: 2082-8222 / 8236 Cel: 9163-3060 / Fax: 2651-0500

Rua Visconde do Uruguai, 19 - Sl. 03 e-mail: roncarate@uol.com.br

Para anunciar ligue: (11) 2785-5339 contato@jornalpolopaulistano.com.br www.jornalpolopaulistano.com.br


Jornal Pólo Paulistano

São Paulo, 1ª quinzena de agosto de 2019

SP registrou média de 23 desaparecimentos de crianças e adolescentes no primeiro semestre Estado lidera o ranking de desaparecimentos que chega a 226 pessoas por dia em todo o território nacional

Acidentes de trânsito custam R$ 6 milhões à Saúde

Este é total de gastos registrados de janeiro a maio na cidade de São Paulo; 25,2% envolvem pedestres Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Por: Riselda Morais Um luto sem fim, a tortura de não saber onde está um ente querido, se está com fome, com frio, se está vivo ou morto. O sofrimento da perda sem explicação, a incerteza é o sentimento de muitas famílias brasileiras. Segundo dados da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo foram registrados no primeiro semestre deste ano, uma média de 23 desaparecimentos de crianças e adolescentes, por dia, o que nos leva a ter mais de 4.197 menores desaparecidos em São Paulo nos últimos seis meses. No mesmo período foram encontradas 5.135 pessoas. Segundo dados do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, o estado de São Paulo registrou 24.368 desaparecimentos de pessoas em 2018. Desse total, 1/3 era criança ou adolescente - 215 eram crianças de 0 a 7 anos, 1.035 eram crianças de 8 a 12 anos e 7.255 eram adolescentes. Isso representa 8.505 crianças e adolescentes desaparecidos no estado. Número inferior a 2017, quando São Paulo registrou mais de 25 mil desaparecidos. Em todo o Brasil são cerca de 226 desaparecimentos por dia. Em 2017, foram registrados em todo o Brasil 82.684 desaparecimentos, aumento considerável se comparado a 2016, quando o país registrou 71.796 casos de pessoas desaparecidas. Um estudo realizado pelo Comitê Internacional da Cruz Vermelha no Brasil indicou que foram registrados de 2007 a 2016, 693.076 boletins de ocorrência de pessoas desaparecidas. Neste período desapareceram em média 190 pessoas por dia no Brasil. Nesse levantamento, o estado de São Paulo também lidera as estatísticas com um total de 242 mil pessoas desaparecidas no mesmo período. É considerado desaparecimento o sumiço de alguém sem avisar familiares ou amigos. Quando a pessoa não for encontrada nos lugares que costuma frequentar, nem em hospitais ou IML, considera-se desaparecido. A

recomendação é que não se deve esperar 24 horas para procurar ajuda, porque quando o desaparecimento é involuntário ou forçado, procurar ajuda rápido aumenta as chances do reencontro. Os desaparecimentos de pessoas são classificados de três formas: voluntário (fuga do lar devido a desentendimentos familiares, violência doméstica ou outras formas de abuso dentro de casa), involuntário (afastamento do cotidiano por um evento sobre o qual não se possui controle, como acidentes ou desastres naturais) e forçado (sequestros realizados por civis ou agentes de Estados autoritários). O desaparecimento forçado, em geral, é provocado por redes de pedofilia, tráfico de órgãos, prostituição ou escravidão. A Ouvidoria Nacional dos Direitos Humanos do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos divulgou, em julho desse ano, o balanço anual do Disque 100 referente ao tráfico de pessoas no Brasil. Em 2018, foram registradas 159 denúncias, destes 36 foram em São Paulo. Os dados apontam as violações mais registradas durante 2018, entre elas: tráfico interno para exploração sexual (16,9%), internacional para exploração sexual (8,1%), interno para adoção (7,5%), interno para exploração de trabalho (6,9%), internacional para exploração de trabalho (5,0%), internacional para adoção (2,5%), internacional para remoção de órgãos (1,8%) e, por fim, interno para remoção de órgãos (0,63%). Outros representam 57,23% das violações. Entre as vítimas 53,1% são do sexo feminino, seguidas por sexo masculino (11,7%), e de sexo não informado (35,14%). O balanço também informou o percentual de vítimas com idade entre 15 a 17 anos (18,9%), 0 a 3 (7,2%), 25 a 30 (6,31%), 12 a 14 (4,50%), 18 a 24 (3,6%) e recém-nascido (1,8%). Desses, 54,9% não informaram a faixa etária. Relatório da Organi-

zação Internacional do Trabalho (OIT) Brasil, estima que o tráfico de pessoas movimenta 32 bilhões de dólares anualmente, e ocupa a segunda atividade ilícita mais lucrativa do mundo, perdendo apenas para o tráfico de drogas e armas em termos de rentabilidade. A Cartilha de Enfrentamento ao Desaparecimento do Ministério Público de São Paulo orienta que em caso de desaparecimento, deve-se primeiro fazer Boletim de Ocorrência do desaparecimento imediatamente, quanto mais rápido se iniciar as buscas mais chances de encontrar. É importante que constem no BO todas as informações do desaparecido que possam auxiliar na investigação: • Características físicas; • Cicatrizes, marcas de nascença, tatuagens, piercings, pintas visíveis, próteses etc.; • Roupas e pertences pessoais usados na última vez em que foi visto/a; • Hábitos e estado emocional recente; • Último lugar em que foi visto/a; • Dados do aparelho celular, se for o caso; • Contexto do desaparecimento: qual o último lugar em que a pessoa foi vista, como ela estava vestida, para onde ela estava indo, com quem ela estava, etc. Procurar outros órgãos que possam auxiliar na busca, em São Paulo tem o Programa de Localização e Identificação de Desaparecidos (PLID), do Ministério Público do Estado de São Paulo (MPSP), a Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social da Prefeitura de São Paulo, por meio do setor conhecido como SMADS-Desaparecidos e o Balcão de Atendimento da Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania, também da Prefeitura. Descartar a possibilidade de falecimento, procurar em hospitais e prontos-Socorros, no Instituto Médico Legal (IML) e no Serviço de Verificação de Óbitos da Capital (SVOC).

Famílias trocam material reciclável por comida na Zona Leste de São Paulo Foto: Divulgação

Cooperativa firmou parceria com a Ceasa e alimentos que seriam descartados são doados para 300 famílias cadastradas Famílias que fazem uma parceria com a Ceasa a coleta de material reci- (Central de Abastecimento clável podem trocar as em- do Estado), e os alimentos balagens por comida todas que seriam descartados as terças-feiras em uma acabam servindo de alimencooperativa em São Miguel to para quem está ligado ao Paulista, no extremo da projeto. Zona Leste de São Paulo. Só podem receber os A cooperativa fez alimentos, entre eles frutas,

feijão e hortaliças, famílias previamente cadastradas na Cooperativa Rainha da Sucata, localizada no Jardim Matarazzo, região de São Miguel Paulista. Hoje são 300 famílias que recebem também orientação sobre como separar os resíduos. A presidente da cooperativa afirma que a ideia começou há 3 anos em sua casa e, depois, expandiu-se para a comunidade, atendendo moradores da região. Muitos dos associados à cooperativa são dependentes químicos, que trabalham na coleta e separação do material reciclável e óleo de cozinha, que é transformado em sabão. Mas há também moradores da região, que usam como complemento de renda. Mariana Aldano.

Página 03

A famosa foto dos Beatles atravessando a Abbey Road, em Londres, no ano de 1969, é o símbolo do Dia Mundial do Pedestre, comemorado na quinta-feira 08/08. A data, instituída pela Organização das Nações Unidas (ONU), pede conscientização de motoristas e pedestres para evitar traumas e mortes no trânsito. De janeiro a maio de

2019, o município gastou R$ 6,2 milhões com internações hospitalares em estabelecimentos da rede municipal, por conta de acidentes envolvendo pedestres, ciclistas e motoristas em 3.879 acidentes. Em 2018, o gasto com o atendimento das vítimas do trânsito foi de R$ 14,4 milhões. O impacto desses números na saúde pública e

na vida das pessoas merece atenção e, sobretudo, ações preventivas. Em fevereiro de 2019, a Prefeitura de São Paulo estabeleceu um grupo de trabalho para integração das bases de dados das secretarias municipais de Mobilidade e Transportes e da Saúde, sobre acidentes com vítimas no trânsito da cidade em favor das políticas para zerar as mortes no tráfego da capital. A medida conta com o apoio da Iniciativa Bloomberg para a Segurança Global no Trânsito, que desde 2015 auxilia a Prefeitura nas intervenções de segurança viária e prevê o cruzamento de dados, inclusive da Saúde municipal, para uma análise mais efetiva dos locais dos acidentes, possibilitando ações e intervenções para evitar ocorrências futuras e, por consequência, salvar vidas.

A Companhia Metropolitana de Habitação (Cohab-SP) oferece a oportunidade para mutuários colocarem as parcelas de suas unidades que estejam pendentes em dia. A ação ocorre em parceria com o Centro Judiciário de Solução de Conflitos e Cidadania (Cejusc), por meio de reuniões mensais, que já levaram o serviço para mais de 7000 famílias, obtendo aproximadamente 99% de acordos efetuados. Somente no mês de julho, os acordos firmados geraram a expectativa de retorno de R$1 milhão para os caixas da Companhia.

Os mutuários que possuem três ou mais parcelas em atraso recebem a convocação da Cohab-SP, com o timbre da Justiça, para comparecerem aos locais dos eventos. Nesses lugares, mediadores treinados pelo Cejusc e um funcionário da Companhia efetuam as conciliações. Durante o encontro são apresentadas ofertas para o mutuário escolher a que melhor se enquadra no orçamento de sua família. Se a negociação for frutífera, o novo contrato segue para o juiz presente homologar no ato, validando o novo acordo. A conciliação tem

sido a melhor forma de garantir que o mutuário em atraso não perca seu imóvel financiado e também que a Companhia volte a receber as prestações dos contratos renegociados. Efetivamente, desde o início da parceria, estima-se que mais de R$24 milhões retornarão para os caixas do município. Além disso, a medida desjudicializa o processo, economizando tempo e dinheiro para ambas as partes. Hoje, um processo como esse pode custar ao mutuário mais de R$ 4.000,00, com prazo médio de cinco anos para um desfecho.

Além da conscientização, a prática de atividades esportivas contribui muito para uma vida saudável. “É comprovado que pessoas que mantém um estilo de vida saudável, aliando uma alimentação balanceada a prática regular de atividade esportiva, tem uma probabilidade menor de serem diagnosticados com câncer, além de outras doenças”, afirma o responsável técnico do IBCC, Dr. Walter Galvão.

Os valores líquidos arrecadados pela Corrida serão revertidos para a Campanha “O Câncer de Mama no Alvo da Moda”, cuja marca o IBCC detém os direitos exclusivos de uso no Brasil desde 1995, e que desde então tem colaborado para o crescimento e aperfeiçoamento dos serviços prestados pelo IBCC. Este ano, a corrida abre o calendário de ações da campanha Outubro Rosa que será realizada pelo instituto. A 58ª Corrida e Caminhada Contra o Câncer de Mama será realizada no domingo, dia 29/09 no Campo de Marte. Programação do Evento 06h40 – Alongamento Geral 07h00 – Largada PCD 07h05 – Largada 5K / 10K 07h40 – Largada Caminhada 3K 08h30 – Premiação aos Primeiros Colocados 11h00 – Encerramento.

Cohab oferece oportunidades de renegociação de contratos inadimplentes

Inscrições abertas para a 58ª Corrida e Caminhada Contra o Câncer de Mama - IBCC

Especialista no tratamento do câncer de mama e hospital com a maior demanda dessa especialidade na cidade de São Paulo, o IBCC - Instituto Brasileiro de Controle do Câncer - realiza no próximo dia 29 de setembro, a 58ª edição da Corrida e Caminhada contra o Câncer de Mama. Organizado pela Life Marketing Esportivo com o apoio da Prefeitura de São Paulo, o evento ocorre a partir das 7h, no Campo de Marte, e terá os percursos de corrida de 5km e 10 km e caminhada de 3km para mulheres e homens. As inscrições podem ser feitas no www.corridaibcc.com.br Em 2018, o evento reuniu mais de 8 mil pessoas entre participantes e acompanhantes, num dia especial para comemorar a vida. Os participantes procuram bater recordes pessoais, mas são as histórias de vida de cada um que fazem a diferença nesse dia. A corrida é uma forma de engajamento na luta contra a doença mostrando a prevenção e detecção precoce como fator de superação. Quem participa da Corrida e Caminhada, mais do que lutar pelo pódio de chegada, luta pela conscientização sobre o câncer de mama e a importância do diagnóstico precoce do tipo de câncer que mais mata as mulheres no país, através do autoexame e mamografia. A cada ano, quase 60 mil novos casos surgem no Brasil e podem ser curados em mais de 90% dos casos - se diagnosticada em fase inicial.


Jornal Pólo Paulistano

São Paulo, 1ª quinzena de agosto de 2019

Saúde Educação e Cultura Número de mulheres afetadas Grande Cortejo da Memória Paulistana percorre o pelo câncer de pulmão aumenta Triangulo Histórico SP progressivamente, diz estudo

Cruzadas

Página 04

Foto: Divulgação

Relatório internacional aponta que uma a cada seis mulheres desenvolve a doença

Foto: Divulgação

De acordo com dados recentes da Agência Internacional para a Pesquisa sobre Câncer (IARC, na sigla em inglês), publicados neste ano, uma em cada seis mulheres desenvolve câncer de pulmão. O aumento dos casos da doença evoluiu para 5,3% ao ano, dado alarmante que pode estar relacionado, entre outros fatores, à exposição ao tabaco. Traços biológicos, sociais e genéticos podem ser as causas combinadas de um resultado endossado por pesquisas médicas: o risco de desenvolver câncer de pulmão é maior nas mulheres quando comparado aos homens. No entanto, especialistas alertam: a doença atinge os homens em maior proporção. Isso porque, segundo eles, o tabagismo, que é a principal causa para desenvolver o tumor, embora não única, é mais presente no sexo masculino. “O câncer de pulmão acomete mais os homens, porém, o risco de mulheres terem a doença, corrigidos outros fatores de risco, é maior. Apesar disso, as causas não são claras. Acredita-se que existam fatores genéticos, hormonais e comportamentais agindo em conjunto”, afirma a médica Denise Leite, oncologista do Centro Paulista de Oncologia (CPO). De acordo com os pesquisadores do IARC, um em cada oito pacientes nunca fumou. A incidência pode estar nestes casos associada ao fumo passivo, em especial em mulheres com menos de 55 anos, o que também indicaria uma “sensibilidade” biológica maior a alguns elementos cancerígenos da fumaça, assim como a poluentes presentes no ar das grandes cidades. Para a médica, o fumo passivo, que também aumenta o risco de câncer de pulmão, entra na equação de risco. “E pode responder pelo aumento dos casos de câncer em mulheres, mas o risco é multifacetado e existe uma ligação intrínseca associada ao sexo, independente do tabagismo, embora, ressalte-se, o tabagismo seja o principal fator de risco conhecido”, diz. Já Tércia Reis, oncologista do Núcleo de Oncologia da Bahia (NOB), aponta as diferenças de costumes entre os dois gêneros como causa principal para o resultado da incidência da doença, que é maior entre os homens do que entre as mulheres, apesar do fator de risco ser o contrário. “As diferenças no hábito de fumar entre os homens e as mulheres refletem as mudanças epidemiológicas na incidência de câncer de pulmão. Com o aumento do tabagismo em mulheres para níveis muito semelhantes aos dos homens, houve um aumento na incidência de câncer de pulmão. Com a diminuição contemporânea do tabagismo, a incidência de câncer de pulmão atingiu um platô e diminuiu ligeiramente nos homens. Nas mulheres, o aumento na taxa foi substancialmente atrasado”, informa. Tabagismo Os fumantes apresentam probabilidade 22 vezes maior de morrer por neoplasia de pulmão do que os

não fumantes. Além disso, mulheres passaram a fumar cerca de 20 anos depois do que os homens por questões culturais e, por isso, apenas nos últimos anos foi possível estabelecer uma relação de impactos diferentes na incidência de câncer entre fumantes dos dois gêneros. No Reino Unido, o índice de câncer de pulmão caiu nos últimos anos em 44%, mas cresceu 69% em mulheres justamente porque, assim como começaram a fumar depois, também decidiram parar mais tarde. Nos anos 80 a média era de quatro homens com câncer de pulmão para uma mulher. Atualmente já está em 1 para 1. Para Denise, o fato de as mulheres, social e historicamente, terem começado a fumar mais tardiamente que os homens refletiu no aumento dos casos de câncer de pulmão em determinados momentos históricos hoje equiparados. O diagnóstico conforme a médica, ainda é, na maioria das vezes, feito em estágios mais avançados da doença e é uma minoria o número de casos diagnosticados em fases iniciais. “Com os métodos de screening que vêm sendo desenvolvidos nos últimos anos (tomografias para pacientes tabagistas a partir de determinadas faixas etárias) aumenta-se lentamente a taxa de pacientes diagnosticados mais precocemente”, comenta. Causa de Mortes Segundo o relatório da Agência Internacional para a Pesquisa sobre Câncer (IARC), é importante conscientizar a população sobre o risco do tabagismo e a exposição passiva do cigarro, pois o câncer de pulmão é a principal causa de morte de homens e mulheres em 28 países. No entanto, segundo dados registrados pelo Ministério da Saúde, no Brasil a doença é, atualmente, a primeira causa de morte por neoplasia em homens e a segunda entre as mulheres. Em 2009, a estimativa de casos novos nos Estados Unidos foi de 219.440, sendo que destes, 47% eram mulheres. A estimativa de morte neste mesmo ano foi de 159.390 neste país, onde 44,2% eram do sexo feminino. Desta forma, essa enfermidade é responsável por 26,12% de mortes por câncer em mulheres. Tabagismo, consumo de álcool, excesso de peso, alimentação não saudável e falta de atividade física são os cinco principais motivos que levam as pessoas a serem mais propensas a desenvolver algum tipo de câncer. Quanto ao risco da doença no pulmão, a principal medida para combatê-lo, independente do sexo, são duas: prevenção e interrupção do tabagismo. “O tabagismo é o maior fator de risco conhecido para o desenvolvimento do câncer de pulmão. Ele está diretamente envolvido em 90% dos casos”, alerta Denise. Tércia também é taxativa quanto à prevenção: “O controle do tabaco pode prevenir mais mortes por câncer do que qualquer outra estratégia de prevenção primária”, conclui.

O Grande Cortejo da Memória Paulistana vai percorrer no sábado 17/08, a partir das 15h, o Triangulo Histórico SP, criando um roteiro de memória conduzido pelo ator Pascoal da Conceição, que entra em cena como o escritor Mario de Andrade, e apresenta personagens históricos, interpretados por grandes nomes da dramaturgia brasileira. A iniciativa integra a programação da Jornada do Patrimônio 2019. Com direção artística de Georgette Fadel e dramaturgia de Bernardo Galegale, o espetáculo traz Beth Araújo como Marquesa de Santos, Kelly Campelo como Anita Malfatti, Cassio Scapin como Adorinan Barbosa, Laila Garin como Elis Regina, Aílton Graça como Tebas, arquiteto negro e autor de alguns projetos como a torre da primeira Catedral da Sé, elementos decorativos da fachada da Igreja da Ordem Terceira do Carmo, entre outros, Leopoldo Pacheco como Plinio Marcos e Fernando Sampaio como Piolin. O percurso será feito pelo Pátio do Colégio, Solar da Marquesa, Praça da Sé, Casa de Francisca, Largo da

Misericórdia, Largo São Francisco, Praça Antônio Prado, Largo São Bento, Edifício Sampaio Moreira, Líbero Badaró, Theatro Municipal, Largo do Paissandu e Praça das Artes. Parte do Agendão, calendário cultural integrado do programa São Paulo Capital da Cultura, da Secretaria Municipal de Cultura (SMC), a Jornada do Patrimônio acontece no próximo fim de semana (dias 17 e 18 de agosto) com mais de mil atividades em cerca de 500 pontos espalhados pela capital. O evento celebra histórias, memórias, pessoas e lugares que traduzem o nosso patrimônio histórico e cultural. A programação inova nas atividades e oferece mais de 400 roteiros históricos, 300 visitas a imóveis tombados, 210 oficinas e 50 sessões de cinema do Circuito Spcine, com documentários realizados com investimento da Secretaria Municipal de Cultura para o programa “História dos Bairros de São Paulo”. A programação completa das atividades da Jornada do Patrimônio 2019 está disponível no site da Secretaria Municipal de Cultura.

A rede municipal de ensino de São Paulo ganhou em 2016 o Programa São Paulo Integral. No início, pouco mais de 13 mil estudantes, de 71 Escolas Municipais participavam do projeto. Os constantes investimentos realizados pela Secretaria Municipal de Educação (SME) permitiram a ampliação do Programa, atingindo em 2019 cerca de 18 mil alunos e 146 Escolas beneficiadas. Entre 2018 e 2019, houve aumento de 43%, passando de 102 Escolas para 146 unidades. Para aprimorar a experiência vivida nas escolas e formular políticas públicas voltadas ao tema, a SME realizou na terça-feira 06/08, na Uninove, o IV Seminário de Educação Integral, cujo tema escolhido para esta edição foi “Por uma abordagem integradora transformando espaços em territórios do saber como projeto compartilhado”. O evento contempla

o plano de metas da cidade (2017-2020) e durante todo o dia, cerca de 500 profissionais, entre diretores, coordenadores pedagógicos e professores das 13 Diretorias Regionais de Educação (DREs) estiveram reunidos para discutirem suas experiências pedagógicas e trocarem experiência para as atividades desenvolvidas nas Escolas. “Temos um grande desafio, que é ampliar o total de estudantes matriculados no Ensino Integral. Desde o seu lançamento, o Programa São Paulo Integral obteve bons resultados, num rápido crescimento. Nossa proposta é aumentar o acesso nos diversos pontos da cidade”, destacou o secretário municipal de Educação Bruno Caetano. A abertura contou com apresentações culturais do Slam Azevedo, do Coral Sabiá e do Projeto de Balé – educando através da dança.

Soluções

Cantinho da Poesia

Educação Integral na rede municipal de ensino cresce 43% em São Paulo

Receitas Bolo salgado de pizza

Foto: Divulgação

Poetisa e Autora: Riselda Morais

Simplicidade Viver com simplicidade se manter alegremente pois a multiplicidade complica o que se sente Se a tudo quero ter vou em muitas direções tenho pressa de viver liberdade e sensações

O muito não faz feliz é caminho sem descanso tenho tudo que eu quis e de querer não me canso Pois o ponto de chegada é também o de partida e o ponto de encontro é também de despedida Porem se meu coração busca uma coisa só vou em única direção sabendo o que é melhor Mantendo minhas certezas convivendo em harmonia podendo fazer gentilezas conservando muita alegria A vida é o que é aprecio o momento sem tristezas ou dores ansiedade ou lamento

Ingredientes: 200 ml de água morna 1 envelope de fermento biológico seco 3 colheres (sopa) de açúcar 5 colheres (sopa) de azeite 3 xícaras (chá) de farinha de trigo 1 colher (café) de sal 1 xícara (chá) de molho de tomate 2 xícaras (chá) de calabresa defumada e fatiada 3 xícaras (chá) de muçarela ralada Orégano a gosto

o açúcar, o azeite, e o sal. Adicione a farinha aos poucos até desgrudar das mãos. Deixe crescer por 45 minutos. Separe a massa em 2 pedaços e abra-os em uma superfície enfarinhada. Com uma das massas, forre uma forma redonda de fundo removível e corte outra massa em 2 discos do tamanho da assadeira. Recheie a massa com o molho de tomate, a muçarela e o queijo. Tampe com um disco de massa e repita outra camada. Cubra com o disco restante e feche a as laterais. Modo de Preparo: Leve para assar em forno pré Em um bowl, mistu- aquecido a 250 graus por 25 re a água com o fermento, minutos aproximadamente.

Feliz com o que sou grata pelo que tenho pois o ontem já passou o que aprendi mantenho Não trago o peso do ontem nem a ansiedade do amanhã tristezas que não me contem pois da felicidade sou uma fã Sigo com a leveza de um simples existir agindo com a destreza de quem sabe onde ir Quisera eu conseguir ser simples como uma flor que com água, sol e ar dá ao mundo cheiro e cor!

Blogger de notícias: http://riselda.blogspot.com Blogger de poesias: http://riseldamorais.blogspot.com


São Paulo, 1ª quinzena de agosto de 2019

Jornal Pólo Paulistano

Página 05

IMÓVEIS Falta de pagamento responde por 89,1% das ações locatícias em junho Foto: Divulgação

Levantamento realizado pelo Secovi-SP no Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo mostra que, das 1.243 ações judiciais relacionadas ao mercado de locação na capital paulista, 1.107 processos foram motivados por falta de pagamento do aluguel, representando 89,1% do total ajuizado na cidade de São Paulo. As ordinárias, relativas à retomada de imóvel para uso próprio, de ascendente ou descendente, refor-

ma ou denúncia vazia totalizaram 62 ações (5%). As ações para renovação compulsória de contratos comerciais com prazo de cinco anos responderam por 61 processos (4,9%) e as consignatórias, quando há discordância de valores de aluguéis, motivaram 13 processos (1%). Evolução mensal das ações locatícias O levantamento mostra ainda que houve redução de 17,1% no total de ações que ingressaram no Tribunal

em junho (1.243 processos), em comparação com o mês de maio deste ano (1.499 processos). Em relação a junho do ano passado (1.479 ações), a redução foi de 16%. “A diminuição da quantidade de ações indica a consolidação de um mercado de locação forte. Alguns ainda encontram dificuldades para pagar, mas a lei clara, com consequências conhecidas, em alguns casos, o despejo, permite o bom rumo das

locações”, afirma o advogado Jaques Bushatsky, diretor de Legislação do Inquilinato do Secovi-SP. Acumulado No primeiro semestre, as 7.993 ações contabilizadas representaram pequena redução de 0,2% em relação a igual período de 2018, quando foram totalizadas 8.012 ações. Também houve queda no total das ações acumuladas no período de julho de 2018 a junho de 2019, com o ajuizamento de 16.031 ações, um recuo de apenas 1% diante do acumulado de julho de 2017 a junho de 2018, com 16.196 ações. Entenda o significado de cada ação Consignatória: movida quando há discordância de valores de aluguéis ou encargos, com opção do inquilino pelo depósito em juízo. Falta de pagamento: motivada por inadimplência do inquilino. Ordinária (Despejo): relativa à retomada de imóvel para uso próprio, de seu ascendente ou descendente, reforma ou denúncia vazia. Renovatória: para renovação compulsória de contratos comerciais com prazo de cinco anos. Assessoria de Comunicação.

Preço dos imóveis tem queda real em julho

Em julho, o preço médio de venda de imóveis residenciais foi de 7.179 reais por metro quadrado Foto: Divulgação

O preço dos imóveis residenciais à venda encerrou o mês de julho próximo da estabilidade, com variação de -0,03% em relação a junho. É o que aponta o Índice Fipezap. O indicador monitora o preço de imóveis anunciados para venda em 50 cidades brasileiras.

Considerando a inflação esperada pelo IPCA, que é de 0,23%, o preço médio de venda de imóveis residenciais encerrou o mês com queda de 0,26% (em termos reais). Vale destacar que a queda real não é obtida com uma simples subtração. Para realizar o cálculo,

é preciso dividir a oscilação dos preços pela variação da inflação. No acumulado do ano, o Índice FipeZap de venda residencial aponta alta nominal de 0,26%, variação inferior à inflação no período segundo o IPCA (+2,46%). A comparação

entre a variação acumulada do Índice FipeZap e a inflação ao consumidor impõe ao preço médio de venda de imóveis residenciais uma queda real de 2,15% no balanço parcial do ano. Preço médio Em julho, o preço médio de venda de imóveis residenciais foi de 7.179 reais por metro quadrado entre as 50 cidades monitoradas. A cidade do Rio de Janeiro se manteve como a capital monitorada com o preço do metro quadrado mais elevado 9.398 reais por metro quadrado, seguida por São Paulo 8.952 reais por metro quadrado e Brasília 7.268 reais por metro quadrado. Já entre as capitais monitoradas com menor valor médio de venda residencial por m², destacaram-se: Campo Grande 4.102 por metro quadrado, Goiânia 4.247 por metro quadrado e João Pessoa 4.492 por metro quadrado. Karla Mamona.

Unidades Habitacionais são entregues em Heliópolis

COMPRA E VENDA DE IMÓVEIS ADMINISTRAÇÃO DE BENS

Tels: 2726-6465 / 2724-8222

imobkelly@globo.com / www.kellyimoveissp.com.br Av. Inconfidência Mineira, 2081 - Vila Antonieta

APTO VL. FORMOSA

CASA VL. ANTONIETA

2 drms, sl, cz, wc, lavand, 1 vaga. Lazer: piscina, quadra, salão festa. R$ 235 Mil + Cond. R$ 450,00 Doc. Ok - Ac. Financ.

2 dorms, sl, cz, wc, lavand, 1 vaga. Aluguel R$ 1.000,00 + IPTU Fiador, seguro fiança, depósito. Ref. 328

CASA JD. SÃO JOSÉ

SALÃO VL. ANTONIETA

8X20, 1 salão 35m² c/ wc. 1 casa c/ 2 drms, sl, cz, wc, quintal nos fundos, 2 relógios (água/luz) R$ 250 Mil - Ref. 447-C/Site: 779

SOBR VL. ANTONIETA

Com wc, 1 pia, aproximadamente 40m² Aluguel R$ 900,00 + IPTU Fiador, Seguro Fiança, depósito.

SOBRADO VILA RICA

3 drms, sl, cz, 2 wcs, 5 vagas, bom acabamento, terr. 8X20. R$ 470 Mil - Ref. 575-S, site 1370

2 dorms, sl, cz, lav, wc, 1 vaga, + 1 cômodo na parte de baixo. Aluguel R$ 1.400,00 cond. incl. Fiador / Seguro fiança

SOBR. VILA BANCÁRIA

APTO JD. STA. TEREZINHA

3 drms sdo 1 ste, sl, cz, lavabo, wc, quintal 2 vagas. R$ 380 Mil - Ac. financ. doc. Ok. Ref. 351-S / 352-S / 353-S

2 drms, sl, cz, wc, 1 vaga. Aluguel R$ 1.200,00 + condomínio R$ 300,00 Fiador, Seguro Fiança ou depós.

PETIU IMÓVEIS

FONE: 2651-5289 / 99829-1726 www.petiuimoveis.com.br

CRECI: 39.364

Av. Waldemar Carlos Pereira, 1598 - Jd. Maringá

CASA JD. ELIANE

APTO JD. MARINGÁ

2 drms, sl, cz, wc, lavand, sacada, 1 vaga, portão automático. Aluguel R$ 1.300,00 Fiador ou depósito de 3 meses.

2 drms, sl, cz, wc, 1 vaga, água e luz independente Aluguel R$ 850,00 Fiador, ou dep. 3 meses

APTO JD. MARINGÁ

SALA COMERCIAL

2 drms, sl, cz, wc, 1 vaga, lavand., Aluguel R$ 900,00 Fiador ou depósito de 3 meses

APTO JD. MARINGÁ

Av. Itaquera, 30m², wc. Aluguel R$ 650,00 Fiador, ou dep. 3 meses

SOBR. JD. BRASÍLIA

1 drm, sl, cz, wc, quintal, 1 vaga, portão automático. Aluguel R$ 1.250,00 Fiador ou depósito de 3 meses

2 drms, sl, cz, 2 wcs, lav, 2 vagas. Aluguel R$ 1.500,00 Fiador ou depósito de 3 meses

CASA JD. MARINGÁ

TERRENO JD. MARINGÁ

2 drms, sl, cz, wc, lavand, 2 vagas. Aluguel R$ 1.300,00 Fiador ou depósito de 3 meses.

Metragem: 10x30 - declive Venda R$ 380 Mil

CRECI 39.364

VENDAS

ALUGUEL

APTO - VILA CARRÃO

APTO - VILA FORMOSA

2 drms, sl, cz, wc, 1 vga - R$ 2.100,00 (pacote)

APTO - TATUAPÉ

3 dorms, sl, coz, 2 wcs, á.s., 2 vagas, lazer cpmpleto, - R$ 580 Mil

CASA E APTO JD. VILA FORMOSA

APARTAMENTO - VILA MATILDE

3 drms, sl, coz, wc, á.s., 1 vg = R$ 2.000,00 2 drms, sl, coz, 2 wcs, 1 vga = R$ 1.100,00

3 drms, sdo 1 ste, sl, cz, 2 wcs, á.s., c/ armários, lazer completo - R$ 470 Mil

SALÃO COMERCIAL VILA CARRÃO

Fino acabamento, 380m² mez/esc. - R$ 5.800,00

SOBRADO - JD. 9 DE JULHO

2 drms, sl, cz plan, 2 wcs, 2 vgs = R$ 1.700,00

SALA COMERCIAL - VILA CARRÃO 36m² - R$ 1.300,00 - 39m² - R$ 1.500,00

SALÃO COMERCIAL - VILA CARRÃO 170m² aprox., cz, 2 wcs - R$ 4.500,00

SALÃO COMERCIAL - TATUAPÉ

2 pavimentos, 180m² aprox, salão térreo c/ 2 wcs, e 5 salas c/ 2 wcs na sobreloja - R$ 6.700,00

APARTAMENTO - TATUAPÉ

2 dorms, sl, coz, 2 wcs, 1 vaga, mobiliado, lindo R$ 490 Mil

CASA TÉRREA - JD. ARICANDUVA Terreno 5 X 25 - 2 drms, sl, cz, 2 wcs, 2 vagas. R$ 320 Mil

SALA COMERCIAL - VILA CARRÃO Com wc e vaga. R$ 350 Mil

TERRENO 1.100m²

Três frentes, escrit., wc, vestuário - R$ 4.900,00

(11) 2 2 9 4 - 6 6 5 9

-

(11) 2294-9549

Atenção proprietários: Traga seu imóvel para alugar ou vender e anuncie conosco gratuitamente. GIUSEPPE PALMISANO - ADVOGADO - CAUSAS CIVIS - CRIMINAIS - FAMÍLIA www. giuseppeimoveissp.com.br

VENDO LINDO SOBRADO EM ITAQUERA

Parceria entre Prefeitura e Governo do Estado realiza sonho de 120 famílias

Construído por meio de uma parceria entre a Prefeitura de São Paulo e o Governo do Estado, a inauguração da terceira etapa do empreendimento contou com a entrega das chaves de 120 unidades habitacionais, de um total de 1.200 do Condomínio Residencial Girassol aos seus novos donos. O convênio, assinado em 2011, estabelece a produção de 1.200 apartamentos, distribuídos em cinco condomínios, cada um com 240 unidades. A

construção das outras 120 unidades do Condomínio Residencial Girassol está em processo de licitação. As unidades entregues contaram com investimento total de R$ 25,5 milhões, sendo R$ 17,1 milhões da pasta estadual e outros R$ 8,4 milhões da contrapartida municipal. O investimento total para a execução dos cinco condomínios é de R$ 295,5 milhões, sendo R$ 171,5 milhões da CDHU e outros R$ 124 milhões da Prefeitura de São Paulo.

As famílias beneficiadas estavam em auxílioaluguel por terem sido removidas de áreas de risco entre dezembro de 2010 e janeiro de 2011. Até a regularização completa do empreendimento, elas pagarão taxa de permissão de uso à Secretaria Municipal de Habitação (Sehab). Após a averbação do condomínio, passarão a pagar financiamento habitacional, com prestação compatível com a renda familiar, e integrarão a carteira de mutuários da CDHU.

Condomínio Residencial Girassol Todos os condomínios possuem a mesma tipologia e são formados por oito blocos de oito pavimentos com 30 unidades por bloco, servidas por um elevador. Os apartamentos têm 50 m² de área útil, dois dormitórios, banheiro, sala, cozinha e área de serviço. Os condomínios também contam com salão de festas, playground, equipamentos de ginástica, sala de estudos, bicicletário e área de jardim. O projeto foi assinado pelo arquiteto Ruy Ohtake e oferece um conceito diferenciado de moradia popular, com ventilação cruzada entre os espaços internos, mantendo a temperatura mais amena se comparada ao ambiente externo e o uso compartilhado dos espaços com prédios que integram a área comum entre os condomínios. Outras entregas Desde dezembro de 2017 foram entregues 600 apartamentos, já contabilizando o Residencial Girassol. Os outros 600 apartamentos restantes do empreendimento devem ser entregues até dezembro de 2022. O convênio entre governo e prefeitura viabilizou também a construção de mais 200 unidades do empreendimento Sacomã H, entregue em 2014.

2 dormitórios, sala 2 ambientes, cozinha, lavabo; 1 vaga de garagem, área de serviço com churrasqueira, em condomínio fechado, à 5 minutos da estação Dom Bosco da CPTM, próximo do atacadão e assaí. À 10 minutos do centro de Itaquera e metrô.

R$ 300 Mil - Aceita Financiamento CEF

Contato: (11) 95816-1003


Jornal Pólo Paulistano

São Paulo, 1ª quinzena de agosto de 2019

Mulheres vítimas de violência doméstica aprendem uma nova profissão e começam as atividades nas Frentes de Trabalho da Prefeitura de São Paulo

Página 06

Fundo Social de SP lança plataforma para mulheres em situação de vulnerabilidade Além do aplicativo, SOS Mulher agora reúne informações sobre segurança, saúde e independência financeira

Foto: Comunicação Fussp

Mulheres receberão treinamento para atuar em feiras livres participantes do Programa de Combate ao Desperdício e à Perda de Alimentos A Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Trabalho iniciou na segunda-feira, 12 de agosto, no Banco de Alimentos da Prefeitura de São Paulo, o treinamento das primeiras mulheres selecionadas pelos programas Tem Saída e POT – Programa Operação Trabalho. A iniciativa, que promove a independência financeira de vítimas de violência doméstica, qualificará as participantes para a manipulação de alimentos e sensibilização nas feiras livres doadoras do Programa Municipal de Combate ao Desperdício e à Perda de Alimentos. Até o fim do ano, 100 mulheres irão participar da ação, que oferece uma bolsa de R$ 1.047,90 por mês, para seis horas de atividades de segunda a sexta feira. O treinamento das participantes terá cinco dias de duração. No primeiro encontro, a equipe técnica do Banco de Alimentos promoveu dinâmicas descrevendo a importância da atuação dos agentes técnicos participantes do programa, desde a manipulação de alimentos até o contato com as entidades assistenciais cadastradas pelo Banco. Higiene, manuseio e aproveitamento integral de alimentos serão os assuntos abordados nos próximos dias de qualificação, que dará uma certificação de boas práticas na cozinha para cada mulher participante. As participantes atuarão em duplas para maior abrangência de coleta e destinação dos alimentos às entidades. A escolha das feiras e das duplas foi feita de acordo com a moradia de cada participante, buscan-

do facilitar o deslocamento das agentes. Também foram priorizadas organizações que atendem crianças e idosos que oferecem refeições na própria entidade. Inicialmente, 16 feiras serão atendidas nas regiões central, oeste, leste e norte. As agentes de Combate ao Desperdício de Alimentos atuarão em 100 feiras da cidade até o final deste ano. Nas feiras serão coletadas as frutas, verduras e legumes e nas entidades nas 200 das 310 entidades cadastradas no Banco de Alimentos ocorrerá a triagem dos alimentos que estejam em condições de consumo. Toda segunda-feira, dia em que não ocorre feira livre em São Paulo, as Agentes de Combate ao Desperdício de Alimentos visitarão as organizações sociais para passar orientações sobre o uso adequado dos alimentos, ensinar receitas nutritivas e ampliar as ações para redução do descarte dos itens recebidos. Programa de Combate ao Desperdício e à Perda de Alimentos Iniciado em outubro de 2017, o Programa idealizado pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Trabalho recolhe alimentos em boas condições de consumo, mas que seriam descartados por não possuir valor comercial. Atualmente, 12 feiras livres e dois mercados municipais participam da ação, que já doou mais de 112 toneladas de frutas, legumes e verduras. Por meio de agentes operacionais vinculados ao POT – Programa Operação Trabalho, a coleta é direcio-

nada para o Banco de Alimentos, local em que as frutas, verduras e legumes são submetidos a um processo de triagem. Por fim, a arrecadação é distribuída para as mais de 310 entidades assistenciais cadastradas pelo banco, responsáveis por oferecer refeições para pessoas em situação de vulnerabilidade. Programa Tem Saída Lançado em agosto de 2018, o Programa Tem Saída é uma política pública voltada à autonomia financeira e empregabilidade da mulher em situação de violência doméstica e familiar. A ação é uma parceria entre a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Trabalho, Ministério Público, Defensoria Pública, Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, OAB-SP e ONU Mulheres. A mulher atendida pelo sistema judiciário será encaminhada aos equipamentos de seleção de emprego da Prefeitura de São Paulo. No local, ela terá atendimento especial e entrevista prioritária às vagas disponibilizadas pelas empresas parceiras do Programa. Programa Operação Trabalho O Programa Operação Trabalho (POT), administrado pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Trabalho, possui atualmente 11 projetos e 1.420 pessoas atendidas. Tem como objetivo qualificar o trabalhador desempregado, residente na capital e que pertença a família de baixa renda, visando estimulá-lo à busca de ocupação, bem como à sua reinserção no mercado de trabalho.

Lei Maria da Penha completa 13 anos com avanços

De janeiro a junho, Ligue 180 recebeu 46.510 denúncias, um aumento de 10,93% em relação ao mesmo período do ano anterior Foto: Divulgação

A prevenção e o combate à violência contra a mulher ganharam novo fôlego a partir da Lei Maria da Penha (Lei nº 11.340). A lei completou 13 anos na quarta-feira 07/08 e é considerada um marco por fortalecer a discussão sobre a violência doméstica e produzir avanços no combate às violações, de acordo com a Secretária Nacional das Mulheres, Cristiane Britto. Segundo ela, o encorajamento para denunciar casos de violência é um desses avanços. Dados do Ligue 180, por exemplo, mostram que foram mais de 92 mil denúncias de violação contra mulheres em 2018. Nos primeiros seis meses de 2019, foram 46.510 denúncias, um aumento de 10,93% em relação ao mesmo período do ano anterior. “Muitas mulheres ligam ainda na fase inicial do ciclo de violência para saber como proceder. Outras ligam para saber onde procurar a rede de atenção, o que fazer se já foi agredida”, explicou a secretária. Milhares de mulheres passam por situação de violência todos os dias. É o caso de Larissa Rodrigues dos Santos, que mora em

São Paulo e por três anos viveu um relacionamento abusivo. A paixão do início do namoro logo deu lugar a brigas violentas. Larissa era agredida com frequência, mas acabava perdoando o namorado. “Ele sempre dizia que estava arrependido e que gostava muito de mim”, contou. O fim do relacionamento ocorreu após uma briga que deixou o rosto dela muito machucado. Mas dessa vez, ela não perdoou e resolveu agir. Procurou uma delegacia e denunciou o ex-namorado pelas agressões. Para Larissa, é preciso ter coragem para ir às autoridades e conseguir proteção do poder público. Apesar de ter saído da relação e denunciado o agressor, ela não conseguiu superar os traumas, que refletem até hoje na sua vida. “Hoje em dia tenho receio de pessoas que falam alto, gritam. Meu relacionamento atual é meio conturbado, temos uma briga e começo chorar. Fiquei com medo. Se um homem me bateu, e o outro?”. A maior parte das denúncias no Ligue 180 de janeiro a junho é referente a casos de violência domésti-

ca e familiar (35.769). Os dados foram registrados pela Ouvidoria Nacional dos Direitos Humanos. A secretária Cristiane Britto destacou a importância da união de todos para combater a violência contra mulher e ressaltou que a denúncia pode partir de qualquer um, não apenas da vítima. “É um desafio que devemos compartilhar com a sociedade. O vizinho tem que ligar para o Ligue 180 e denunciar o caso de uma agressão que ele está presenciando”, afirmou. O Ligue 180 é um canal gratuito que funciona 24 horas por dia, todos os dias da semana. Além de registrar denúncias de violações contra mulheres, encaminhá-las aos órgãos competentes e realizar seu monitoramento, o serviço também fornece informações sobre direitos da mulher, amparo legal e a rede de atendimento e acolhimento. O serviço também pode ser acionado por meio do aplicativo Proteja Brasil. Alteração na Lei Maria da Penha Como parte da celebração dos 13 anos da Lei Maria da Penha foi acrescentado na lei um artigo que torna obrigatória a informação sobre a condição de pessoa com deficiência da mulher vítima de agressão doméstica ou familiar. No registro policial é preciso registrar se a violência sofrida resultou em sequela, deixando a vítima com algum tipo de deficiência ou com agravamento de deficiência preexistente. A medida foi publicada no Diário Oficial da União do último dia 5 de agosto.

O Fundo Social de São Paulo lançou na quarta-feira 07/08 a plataforma virtual SOS Mulher, que disponibiliza informações sobre segurança, saúde e independência financeira para mulheres em situação de vulnerabilidade. Para ter acesso à plataforma, basta acessar www.sosmulher. sp.gov.br. O portal na internet é uma ampliação do projeto iniciado em março pelo Governo do Estado, com o lançamento do aplicativo de mesmo nome. O SOS Mulher permite que as vítimas de violência doméstica peçam ajuda à Polícia Militar apertando apenas um botão do celular por cinco segundos. A ferramenta é válida para mulheres que tenham alguma medida protetiva (como ordem de afastamento), determinada pelo Tribunal de Justiça de São Paulo. A partir de agora, além do aplicativo, a plataforma vai trazer orientações para que as mulheres saibam reconhecer, evitar e combater as principais formas de violência listadas na

Lei Maria da Penha: física, psicológica, sexual, moral e patrimonial. “Além de tutoriais gravados por especialistas, essa plataforma unifica todos os serviços relacionados à mulher oferecidos pelo Estado”, explica o Presidente Executivo do Fundo Social, Filipe Sabará. Para a Primeira-Dama e Presidente do Conselho do Fundo Social, Bia Doria, a plataforma chega para estimular a autonomia feminina: “Precisamos mudar essa cultura de violência contra as mulheres e ensinar a todos a respeitarem e entenderem que não somos sexo frágil”, afirma. A curadoria da plataforma foi feita em parceria com a empresária Fabi Saad, autora do “Mulheres Positivas”, que por meio de um termo de doação disponibilizou seu trabalho gratuitamente ao projeto do Fundo Social de São Paulo. Como funciona O SOS Mulher será atualizado diariamente com vídeos informativos de aproximadamente um minuto. Além de assistir, há a pos-

sibilidade de compartilhar o conteúdo via redes sociais e aplicativos de mensagens. Especialistas Os vídeos disponibilizados na plataforma foram produzidos e gravados por diversas especialistas, como delegadas, promotoras, juízas, médicas, psicólogas e economistas, entre outras, que participaram do projeto de forma voluntária. App SOS Mulher Com 11.659 downloads ativos até o momento e 1.955 usuários cadastrados, o aplicativo já possibilitou, por meio do Centro de Operações da Polícia Militar, 181 atendimentos às vítimas. Para usar o aplicativo, é preciso baixar a ferramenta por meio das lojas virtuais Google Play e App Store. Depois, é necessário a realização de um cadastro com os dados pessoais para que as informações possam ser checadas junto ao Tribunal de Justiça de São Paulo, que fornece as informações do banco de dados das medidas protetivas. Após a confirmação positiva da ferramenta, o serviço poderá ser utilizado.

Profile for   ANUNCIE :   55 11 27855338

Jornal Polo Paulistano  

Jornal impresso distribuído na capital paulista. São Paulo - Brasil Visite o site www.jornalpolopaulistano.com.br

Jornal Polo Paulistano  

Jornal impresso distribuído na capital paulista. São Paulo - Brasil Visite o site www.jornalpolopaulistano.com.br

Advertisement