Page 1


Previsão para o mês Página 02

RIO DE JANEIRO, 10 de Janeiro de 2014

Direção

Genaro Braga Nei Araujo

FEITO PARA VOCÊ PESCADOR ESPORTIVO

pesqueiros

LOJAS EM

ONDE ENCONTRAR BAIXADA FLUMINENSE NITEROI JURUJUBA SÃO GONÇALO CABO FRIO ITACURUÇA BARRA DE GUARATIBA CAMPO GRANDE

COPACABANA CENTRO DO RIO BARRA JACAREPAGUÁ TAQUARA FREGUESIA ILHA DO GOVERNADOR PENHA COLÈGIO PILARES

COPACABANA IPANEMA NIEMAYER SÃO CONRRADO BARRA RECREIO GRUMARI LEME URCA

PRAIA VERMELHA PORCÃO PRAÇA XV ICARAI GRAGOATÁ JURUJUBA SACO DE SÃO FRANCISCO PIRATININGA

Participem enviando suas fotos, dúvidas e sugestões para o Jornal Rio Pesca e concorra a diversos brindes!

@ jornalriopesca@gmail.com

RIOPESCA.COM

www.riopesca.com

Ano 0 - Edição Nº 04 O canal de Informação para o Esporte Distribuição gratuita e dirigida Direção: Genaro Braga / Nei Araujo Editora Chefe: Cristiane Cavalcante Revisão: Elaine Dourado

Colaboradores Eduardo Barreira Sergio Vinicios

Redação: Rua Visconde de Itabaiana 113 Engenho Novo - 20780180 Web

www.riopesca.com contato@riopesca.com

@ jornalriopesca@gmail.com Atendimento Comercial

21 2135-8966

21 9 7609-0052 / 21 9 7543-0405 / 9 7372-0316 O Jornal Rio Pesca, é um produto de circulação mensal, com caráter informativo ao público em geral. Não nos responsabilizamos por opiniões e conceitos emitidos em artigos assinados. O material publicado só poderá ser reproduzido com autorização expressa da direção ou dos respectivos autores.

10/01 Sexta - Feira Pouco Nublado + 33 ºc

12/01 Domingo Pouco Nublado + 33ºc

14/01 Terça - Feira Sol e Nuvens + 35 ºc

11/01 Sábado SOL + 35 ºc

13/01 Segunda - Feira Pancadas + 34ºc

15/01 Quarta - Feira Pouco Nublado + 36ºc

10/01 Sexta- Feira NE - 10 km/h

11/01 Sábado NE- 11 km/h

Estações do Ano Verão 21/12

Outono 20/03

12/01 Domingo ENE- 8 km/h

Inverno 21/06

Primavera

13/01 Segunda- Feira NE- 8 km/h

Fases da Lua

22/09

Nova

03/11

Cresc. 10/11

16/01 Quinta - Feira Chuva + 34 ºc Lembrando que as previsões dependem do clima e podem sofrer alterações !

14/01 Terça - Feira NE- 8 km/h

Cheia

15/01 Quarta - Feira ENE- 5 km/h

Ming.

17/11

25/11

PESQUE COM CONSCIÊNCIA, SIGA A TABELA DE MEDIDAS MINIMAS DO IBAMA Nome / Nome científico

Tamanho mínimo

Badejo-de-areia / Mycteroperca microlepis Badejo-mira / Mycteroperca acutirostris Bagre / Cathorops spixii Bagre / Genidens genidens Bagre-branco / Genidens barbus Cação-anjo-asa-longa / Squatina argentina Cação-anjo-asa-curta / Squatina occulta Cação-anjo-espinhoso / Squatina guggenheim Caçonete / Mustelus schmitii Cherne / Epinephelus niveatus Corvina / Micropogonias furnieri Garoupa / Epinephelus marginatus Linguado / Paralichthys patagonicus/P. brasiliensis Miraguaia / Pogonias cromis Palombeta / Chloroscombrus chrysurus Pampo-viúva / Parona signata Pampo/Gordinho / Peprilus paru Papa-terra-branco ou Betara / Menticirrhus littoralis Parati ou Saúba / Mugil curema Peixe-espada / Trichiurus lepturus Peixe-porco, Peroá ou Cangulo (*) / Balistes capriscus Peixe-rei / Odonthestes bonariensis Pescada-olhuda ou Maria-mole / Cynoscion striatus Pescadinha / Macrodon ancylodon Robalo-flexa / Centropomus undecimalis Robalo-peba ou Robalo-peva / Centropomus parallelus Sardinha-lage / Opisthonema oglinum Tainha / Mugil platanus/Mugil liza Trilha / Mullus argentinae

Tabela de conVersão LIBRAS x KILOS 1 lb 2 lb 3 lb 4 lb 5 lb 6 lb 7 lb 8 lb 9 lb 10 lb 12 lb 15 lb 20 lb 25 lb 30 lb

0,45 KG 0,9 KG 1,35 KG 1,81 KG 2,26 KG 2,71 KG 3,17 KG 3,62 KG 4,07 KG 4,53 KG 5,43 KG 6,79 KG 9,06 KG 11,32 KG 13,59 KG

35 lb 40 lb 45 lb 50 lb 55 lb 60 lb 65 lb 70 lb 75 lb 80 lb 85 lb 90 lb 95 lb 100 lb

15,85 KG 18,12 KG 20,38 KG 22,65 KG 24,91 KG 27,18 KG 29,44 KG 31,71 KG 33,97 KG 36,24 KG 38,5 KG 40,77 KG 43,03 KG 45,3 KG

30 cm 23 cm 12 cm 20 cm 40 cm 70 cm 70 cm 70 cm 50 cm 45 cm 25 cm 47 cm 35 cm 65 cm 12 cm 15 cm 15 cm 20 cm 20 cm 70 cm 20 cm 10 cm 30 cm 25 cm 50 cm 30 cm 15 cm 35 cm 13 cm

Tabela de conVersão

DIAMETRO x LIBRAS

0,14 0,16 0,2 0,25 0,275 0,3 0,35 0,375 0,4 0,45 0,5 0,6 0,65

2 lb 4 lb 6 lb 8 lb 10 lb 12 lb 14 lb 17 lb 20 lb 25 lb 30 lb 40 lb 50 lb

16/01 Quinta - Feira ESSE - 5 km/h

Tábua de Marés 2º Semana

Sexta-Feira- 10/01

07:00 10:10

0,5 m 19:10 0,9 m

0,4 m

Sábado - 11/01 00:15 07:40

0,9 m 11:55 0,4 m 19:50

Domingo - 12/01 00:55 08:25

1,0 m 12:40 0,4 m 20:35

Segunda - Feira - 13/01 01:35 09:10

1,0 m 13:20 0,3 m 21:25

0,9 m 0,2 m 1,0 m 0,2 m 1,0 m 0,1 m

Terça - Feira - 14/01 02:25 10:00

1,1 m 14:05 0,3 m 22:10

1,1 m 0m

Quarta-Feira - 15/01 03:15 10:35

1,1 m 15:00 0,3 m 22:15

Quinta-Feira - 16/01

03:50 11:05

1,2 m 15:40 0,2 m 23:15

Sexta-Feira - 17/01

04:20 11:30

1,3 m 16:15 0,3 m 23:45

Sábado - 18/01

04:45 11:55

1,3 m 16:45 0,3 m

1,2 m 0m 1,3 m 0m 1,3 m 0 ,1m 1,3 m

Domingo - 19/01 00:10 05:20

0,1 m 12:15 1,3 m 17:20

0,4 m 1,3 m

Tábua de Marés 3º Semana Segunda - Feira - 20/01 00:35 05:55

0,2 m 12:25 1,2 m 17:55

0,5 m 1,3 m

Terça - Feira - 21/01 01:20 06:40

0,3 m 12:35 1,2 m 18:50

0,5 m 1,2 m

Quarta - Feira - 25/12 02:35 07:35

0,4 m 14:40 1,1 m 19:50

0,5 m 1,1 m

Atividade dos Peixes Muito Alto Alto Médio Baixo


Serviço Página 04

RIO DE JANEIRO, 10 de Janeiro de 2014

Direção

Genaro Braga Nei Araujo

17/01 Sexta - Feira Sol + 34 ºc

19/01 Domingo Chuva + 30 ºc

21/01 Terça - Feira Pancadas Chuva + 32 ºc

18/01 Sábado Pancadas Chuva + 30 ºc

20/01 Segunda-Feira Chuva + 30 ºc

22/01 Quarta - Feira Sol entre nuvens + 33 ºc

17/01 Sexta - Feira ENE - 6 km/h

18/01 Sábado SSO - 3 km/h

19/01 Domingo O - 3 km/h

20/01 Segunda -Feira SSO - 3 km/h

Decifrando a pescaria

Arrasto de fundo: Nessa modalidade é usada uma rede cônica, presa à duas estruturas que mantém a rede aberta no fundo, chamadas "portas", e tracionadas por uma embarcação. Pode ser usado na captura de camarões, peixe-sapo, pescadas, linguado, trilha, raias, entre outras espécies.

A restrição vai do dia 01 de Dezembro à 31 de Março 2014

O

defeso é um período de paralisação obrigatória da pesca sobre determinado recurso pesqueiro. No caso da anchova, a medida serve para proteger a espécie na fase vulnerável de seu ciclo de vida, ou seja, no período de pico da desova. A anchova é um importante recurso pesqueiro da Região Sul / Sudeste. A portaria proíbe, anualmente, o exercício da pesca de anchova no período de 1º de novembro a 31 de março de cada ano e o transporte, a estocagem, a comercialização, o beneficiamento e a industrialização de qualquer volume de anchova, que não seja oriundo do estoque declarado na forma do artigo citado ou de pesca permitida, a ser comprovada, no ato da fiscalização.

COMPORTAMENTO A Anchova é considerada “piranhas marinhas”, por possuir dentes triangulares e afiados. E também por conta da brutalidade com que devoram suas presas e tudo o que é oferecido, inclusive iscas artificiais e naturais. Um peixe capaz de comer membros da sua própria espécie, além de contar com uma voracidade tremenda. A anchova é uma espécie localizada no Atlântico, Índico, Mediterrâneo e até no Mar Negro. A sua presença está em todo o território brasileiro e a sua pesca é muito comum junto a costões em ilhas ou no continente. Além de ser um peixe que habita águas agitadas.

Lembrando que as previsões dependem do clima e podem sofrer alterações !

21/01 Terça - Feira SE- 5 km/h

dicionário da pesca

ANCHOVA EM DEFESO

23/01 Quinta - Feira Pancadas Chuva + 32 ºc

Cerco: Consiste em uma grande rede liberada do barco principal, e com a ajuda de uma embarcação auxiliar, conhecida como "panga", é feito o cerco do cardume de peixes pelágicos, fechando a rede. É utilizada para a captura de sardinhas, xerelete/ carapau, galo, cavalinha. Espinhel: Em uma linha principal são presas linhas secundárias espaçadas, com anzóis nas pontas. Essa arte de pesca atua de forma passiva, com as iscas atraindo os peixes. O espinhel pode ser vertical ou horizontal, de fundo, meia-água ou superfície. É utilizado para a captura de atuns e afins, cações, dourado, namorado, pargo.

22/01 Quarta -Feira SE- 6 km/h

23/01 Quinta -Feira NE - 8 km/h

Quinta - Feira - 23/01 03:25 08:20

0,5 m 1,0 m

15:30 20:45

Sexta - Feira - 24/01 05:30 09:10

0,5 m 0,9 m

Sábado - 25/01 06:55 10:30

0,4 m 0,9 m

18:10 21:50

0,6 m 1,0 m

19:10 23:55

0,4 m 1,0 m

Domingo - 26/01 07:45 12:10

0,4 m 0,9 m

0,5 m 1,1 m

19:55

0,2 m

Atividade dos Peixes Muito Alto Alto Médio Baixo As previsões de marés são válidas somente como referência para a pesca esportiva. Não devem ser utilizadas como guia para a navegação.


24/01 Sexta- Feira Pancadas Chuva + 32 ºc

26/01 Domingo Chuva + 27 ºc

28/01 Terça - Feira Nublado + 30 ºc

30/01 Quinta-Feira Nublado + 32 ºc

25/01 Sábado Chuva + 28 ºc

27/01 Segunda - Feira Chuva + 29 ºc

29/01 Quarta-Feira Pouco Nublado + 31 ºc

Lembrando que as previsões dependem do clima e podem sofrer alterações !

24/01 Sexta - Feira OSO - 3 km/h

25/01 Sábado O - 16 km/h

26/01 Domingo SO - 5 km/h

27/01 Segunda- Feira SE - 6 km/h

28/01 Terça - Feira L - 6 km/h

29/01 Quarta-Feira ENE - 10 km/h

Previsão para o mês

30/01 Quinta-Feira ENE- 8 km/h

Direção

Genaro Braga Nei Araujo

RIO DE JANEIRO, 10 de Janeiro de 2014

Página 05

Tábua de Marés 4º Semana Segunda - Feira - 27/01 01:00 08:35

1,1 m 13:00 0,3 m 20:45

Terça - Feira - 28/01 01:55 09:35

1,2 m 13:45 0,3 m 21:40

Quarta - Feira - 29/01 03:05 10:20

1,2 m 14:35 0,2 m 22:25

Quinta - Feira - 30/01 03:50 10:55

1,3 m 15:25 0,2 m 23:00

Sexta - Feira - 31/01 04:20 11:25

1,3 m 16:00 0,3 m 23:35

1,0 m 0,1 m 1,1 m 0m 1,2 m 0,1 m 1,2 m 0,1 m 1,3 m 0m

Tábua de Marés 1º Semana Sábado - 01/02 04:45 11:55

1,3 m 16:35 0,3 m

1,3 m

Domingo - 02/02 00:10 05:10

0 m 12:25 1,3 m 17:05

0,4 m 1,3 m

Segunda - Feira - 03/02 00:50 05:40

0,2 m 13:00 1,2 m 17:40

0,4 m 1,3 m

Terça - Feira - 04/02 01:45 06:10

0,3 m 13:55 1,1 m 18:25

0,5 m 1,2 m

Quarta - Feira - 05/02 02:40 06:55

0,4 m 12:25 1,0 m 19:25

0,6 m 1,1 m

Quinta - Feira - 06/02 03:25 07:40 12:25

0,5 m 12:50 1,0 m 15:30 0,5 m 20:20

0,6 m 0,5 m 1,0 m

Quinta - Feira - 07/02 00:25 01:00 04:50

0,7 m 08:25 0,8 m 17:30 0,6 m 21:10

0,9 m 0,5 m 0,9 m

Atividade dos Peixes Muito Alto Alto Médio

Baixo


Entrevista Página 06.

RIO DE JANEIRO, 10 de Janeiro de 2014

Direção

Genaro Braga Nei Araujo

31/01 Sexta - Feira Sol + 32 ºc

02/02 Domingo Pancadas Chuva + 29 ºc

04/02 Terça - Feira Sol entre nuvens + 30 ºc

01/02 Sábado Nublado + 33 ºc

03/02 Segunda-Feira Chuva + 29 ºc

05/02 Quarta - Feira Pouco Nublado+ 29 ºc

31/01 Sexta - Feira ENE - 8 km/h

01/02 Sábado L - 8 km/h

02/02 Domingo NE - 32 km/h

03/02 Segunda -Feira NNE - 34 km/h

04/02 Terça - Feira N- 14 km/h

06/02 Quinta - Feira Pouco Nublado + 30 ºc Lembrando que as previsões dependem do clima e podem sofrer alterações ! 05/02 Quarta -Feira N- 14 km/h

06/02 Quinta -Feira NNE - 10 km/h

HAJIME SUGIMOTO

APOSTAR NO FUTURO DAS ISCAS ARTIFICIAIS SEMPRE FOI O DESAFIO

D

ificilmente encontramos pessoas com tanta determinação e coragem para ir ao encontro do seu sonho e fazer do esporte um estilo de vida. Apesar do preconceito e da descrença, Hajime Sugimoto tornou-se um ícone da pesca com iscas artificiais. Precursor da modalidade no Brasil, lutou para sua implementação, hoje bastante difundida em todo o mercado de pesca. Organizando grandes pescarias, sempre produtivas, Hajime é um pescador esportivo – pratica o pesque e solte, de forma consciente. Conheça um pouco da história desse pescador, ganhador de vários prêmios de pesca.


Atendimento Comercial

21 2135-8966

21 9 7609-0052 / 21 9 7543-0405 / 9 7372-0316

Rio Pesca: : Hajime, há quanto tempo você está nesse mercado de pesca? Conte-nos um pouco de sua história: HAJIME - Abrimos a loja Kings Pesca em 1995 e este ano vai se completar 19 anos de muitas batalhas, passando por muitas dificuldades. Como na época não tínhamos nenhum crédito no mercado, ninguém quis alugar nenhuma loja no centro ou na zona sul . Fomos obrigados a comprá-la em prestações caríssimas. Como não havia dinheiro para compra de materiais, tive que pendurar meus próprios apetrechos de pesca para enfeitar os espaços vazios da parede. Todas as lojas concorrentes da época diziam que a Kings não duraria nem 6 meses por ser uma loja especializada só em iscas artificiais(a 1ª do Brasil). Na 1ª semana da abertura da loja só consegui vender apenas R$ 50,00 (nunca me esqueci disso e fiquei muito feliz pela 1ª venda). As pessoas entravam na loja pelo brilho das iscas e achavam que vendíamos bijuterias. Fomos nós que introduzimos a WAVY (Smith), MARIA(Yamashita) e ATHLETE (Jackson) em 1995 pela 1ª vez no Brasil. A coisa mais grave era que os pescadores não acreditavam em ISCAS ARTIFICIAIS. Só para se ter uma ideia, tive que presentear (de graça) aos frequentadores da loja várias GOTCHAS e JIGS da MARIA para verificar a funcionalidade, mesmo assim teve gente que jogou-as fora. Rio Pesca: Conte pra o leitor como é a infraestrutura da pesca que você encontra em suas viagens: HAJIME - As infraestruturas são de boa qualidade se contratar bons agentes. Além disso, nunca devemos arriscar em locais duvidosos e atualmente a internet nos ajuda com várias informações. Levo grupos de pesca desde 1998 a Amazonas. Já levei muitos grupos , inclusive estrangeiros, ao sul do Pará , Thaimaçu que já foi muito famoso na década passada. Araguaia e Tocantins , diversas vezes. Lago do Peixe em Palmas, quando só tinha grandes tucunarés azuis. .Já fiz várias turmas para Arraial do

contato@riopesca.com @ jornalriopesca@gmail.com

Seguramente pescar na Patagônia Argentina ou Chilena é o sonho de pescadores de fly do mundo inteiro e certamente são muito felizes aqueles que como nós conseguiu realizá-lo. Hajime Sugimoto

www.riopesca.com www.facebook.com/rio.pesca

Cabo e Cabo Frio. Ilha Grande, anchovas e olhetes. Itacuruçá, quando tinha muitos robalos. Cagarras, Redonda e Rasa, fazia grupos e grupos para pegar anchovas , olhetes, xaréus, badejos, etc.. Todas essas pescarias somente com iscas artificiais. No mar, desde 1995 , para ensinar a pescar de Rapala (como era conhecida a pescaria), aliás dou aulas de iscas artificiais desde daquela época. Ainda administro aulas de fim de semana na Urca. Atualmente aulas de bait e de fly.

ISCAS FLY

ISCAS BAIT

Rio Pesca: Na sua opinião o que falta para o Rio de Janeiro se tornar um pólo turístico de pesca? HAJIME - O Rio de Janeiro tem um potencial que nem ele sabe, basta despoluir a Baia e criar normas específicas para realizar pescas esportivas. Pescas esportivas é sinônimo de não matar peixes . É meio radical mas, traria benefício a todos. Exemplo: Baia de Tokyo e de Osaka. Rio Pesca: Pesque e solte, na sua opinião qual a diferença em fazer esse procedimento também no mar? HAJIME - Pesque e solte é muito, muito importante. Estou há 18 anos no ramo e sei o que está acontecendo, porém temos a mania (a educação de colocar sempre a culpa nos outros) de fulano não faz ,porque eu devo fazer? Assim, a gente gosta de dar o tiro no próprio pé. Infelizmente, daqui alguns anos vamos precisar fechar as lojas e dizer: antigamente dava muito peixe.

Entrevista

Rio Pesca: Fale um pouco sobre a pesca com mosca: HAJIME - Pesca de Fly, em poucas palavras, para quem gosta de desafio é muito mais do que simplesmente pescar : é ZEN . Disciplina, dedicação, perseverança. Rio Pesca: Qual será a sua próxima aventura? HAJIME - Na semana que vem estou levando uma turma para Patagonia para pescar trutas arco-iris e marrom.

Direção

Genaro Braga Nei Araujo

RIO DE JANEIRO, 10 de Janeiro de 2014

Página 07


Conscientização Página 08

RIO DE JANEIRO, 10 de Janeiro de 2014

Direção

Genaro Braga Nei Araujo

Atendimento Comercial

21 2135-8966

21 9 7609-0052 / 21 9 7543-0405 / 9 7372-0316

SEJA UM PESCADOR CONSCIENTE

NÃO POLUIRÁS:

Seja qual for a pescaria: de rio, lagoa, praia, costão, mar aberto ou pequenos riachos, nunca deixe de incluir na preparação das tralhas, sacos de lixo assim evitar jogar na água substâncias, detritos e objetos que possam poluir de alguma forma, a água. A água tempera os peixes. A mesma importância que o ar tem para os humanos. Não se esqueça de que peixes não comem latas vazias, garrafas, sacos de plástico, papelão e restos de tralhas. Esses materiais não se dissolvem por si, e quando jogados na água, ali ficarão, até que alguém os retire.

NÃO MATARÁS EM VÃO:

É comum, pescadores sem consciência, fisgarem peixes que não são objeto de sua preferência, principalmente os pequenos ou os de sabor não apreciados. Deixá-los fora d’água até morrerem, ou tirá-los do anzol de forma violenta, ferindo-os de morte. Isso acontece com pequenos peixes fisgados muitas vezes, sem querer. Lembre-se que os outros peixes que você gosta de pescar alimentam-se desses peixes. Portanto, preservar a vidas desses pequenos indesejáveis, pode ser a garantia de uma boa pesca futura.

NÃO PESCARÁS TODOS OS PEIXES: Leve para casa, apenas a quantidade de peixe para o seu consumo próprio. Lembre-se que o prazer da pescaria esportiva é a qualidade do esporte e não a quantidade de peixes. Se você tem certeza de que não vai comer o peixe que fisgou, devolva-o à água, para que ele se desenvolva e se multiplique. Pode ser que um dia seu filho também goste de pescar. O ideal seria a adoção da modalidade pesque e solte, mas não vamos querer ser mais realistas do que o rei e ignorar o prazer de um prato bem feito a base de peixe. É possível conciliar preservação com o prazer da pesca. “Só depende de nós.”

RESPEITARÁS OS LIMITES:

Existem varias leis no Brasil, tanto a nível federal, quanto estadual, para a proteção dos peixes, definindo épocas de pesca, tamanhos, pesos mínimos, material de utilização proibida, etc... É importante que você respeite todas elas. Mas a lei que você tem que respeitar mesmo é a da natureza. Pescar uma fêmea com centenas e centenas de ovas prestes a se transformarem em filhotes é uma atitude que lei nenhuma precisaria dizer que não é correto. Muitos pescadores insensatos, quando promovem pescarias, fazem de tudo para fugir e se esconder dos fiscais. Quando não existirem mais peixes, talvez tenham que fugir e se esconder atrás de suas consciências.

DIVULGARÁS A CONSCIETIZAÇÃO:

Se cada pescador se tornar um propagador da necessidade de que todos tenham um mínimo de consciência ecológica, com certeza poderemos garantir o futuro da pesca. Se cada um pensar não na pesca de hoje, mas de amanhã, dos nossos filhos, com certeza contribuiremos para a preservação da água, dos peixes, das margens, das vazantes, dos pássaros ribeirinhos, das capivaras, dos jacarés. É importante a atitude isolada de cada um, pois poderemos formar uma enorme corrente de conscientização. Se cada um deixar para o governo ou para o pescador vizinho, em breve seremos privados das belezas das fisgadas, da puxada pesada de um peixe.

NÃO SERÁS CÚMPLICE:

Quando presenciar qualquer ato criminoso contra a água, o rio, o peixe, e até mesmo as vegetações, denuncie, chame a atenção, discuta, converse, mas não se omita. Quem vê o crime e se cala, também é conivente. Lembre-se que qualquer ato contra a natureza é também contra você. Ou será que essa é a última pescaria que você vai fazer?

NÃO NEGARÁS SUA LUCIDEZ: Existem muitos crimes praticados por pescadores principiantes, por populações ribeirinhas e até por crianças, por ignorância e não por malvadeza. Você, que tem melhor nível, e, portanto maior consciência (presume-se pelo menos) dê sua contribuição, instruindo, orientando transmitindo formas corretas de preservação do meio ambiente

A nossa busca desmedida por peixe e o descontrole de indústrias cada vez mais eficazes está a transformar os oceanos em desertos fruto de uma exploração até ao esgotamento total


Curiosidade

O robalo será, talvez, o predador mais especializado do meio ambiente costeiro, cuja habilidade e extraordinária rapidez, bem como os hábitos vorazes, o convertem no grande predador dos cardumes de pequenos peixes e dos agrupamentos de crustáceos que populam a nossa costa. Atendimento Comercial

21 2135-8966

21 9 7609-0052 / 21 9 7543-0405 / 9 7372-0316

@ jornalriopesca@gmail.com contato@riopesca.com

O REI DO MANGUE A HORA DA MARÉ MORTA ARTIGO:

RIOS LONGOS

Os rios de maior extensão, normalmente, possuem um volume Robalo é uma espécie maior de água. Desse modo, a água pode que se torna mais vazar o tempo todo, ativa no movimento durante a maré morta, das marés, quando sai criando um movimenem busca de alimento. Por esse to de água interessante para pescar. Nestas motivo, pescar em locais onde os melhoexiste movimentos mais intensos condições res locais para a pesca das águas, durante as marés são os tradicionais, de lua de quarto, costuma ser com estruturas formadas por galhadas, muito mais produtivo. A maré morta, conhecida também como pedras e pilastras de ponte, por exemplo.

LEO SIRI DA CORALPESCA

O

maré louca, é aquela em que praticamente não existe variação no nível da água, correndo hora para um lado, hora para o outro. Isto acontece logo antes, durante ou logo depois do dia da mudança de lua crescente ou minguante. Pescar Robalos nessas condições é um tanto limitado, pois eles costumam ficar inativos. No entanto, não vale a pena desistir. Veja algumas alternativas de locais para pescar o Robalo quando a maré morrer.

Espécies

Direção www.riopesca.com Genaro Braga www.facebook.com/rio.pesca Nei Araujo

Final

Baías As baías são locais que geralmente recebem águas de vários rios. Nesse caso, a variação do nível d’água se dá no interior da baía, em função dos diferentes fluxos de água. Dentro das baías, os pontos mais produtivos ficam próximos a ilhas e a parcéis (pedras) submersos.

Ilhas Sem levar em conta o tamanho ou tipo de formação de uma ilha de mangue, evite os pontos que ficam de frente para o mar. Procure explorar sempre as laterais, onde existe os movimento das águas. Os pontos mais produtivos costumam ficar nas cabeceiras das ilhas, onde a força d’água (ou a correnteza da maré suave e lenta da lua de quarto) bate diretamente, lugar onde os Robaloscaçam.

Parcéis

Canais São estruturas formadas por pedras submersas. Neste tipo de local, a pesca do Robalo costuma ser menos produtiva quanto maior a profundidade. No entanto, em parcéis mais profundos, o pescador pode ter a agradável surpresa de capturar Garoupas, badejos, Caranhas e outras espécies que habitam este tipo de estrutura.

Como as baías, os canais também recebem águas de vários rios. Geralmente localizados paralelamente ao mar, sua extensão pode ser quilométrica, com várias barras. Por este motivo, antes de pescar convém consultar a tábua de marés do ponto mais próximo. A maré morta nas luas de quarto é a mais indicada para realizar uma boa pescaria nessas regiões, já que as marés maiores praticamente inviabilizam a pesca, principalmente com iscas artificiais

RIO DE JANEIRO, 10 de Janeiro de 2014

Página 09


Federação Página 10

RIO DE JANEIRO, 10 de Janeiro de 2014

Direção

Genaro Braga Nei Araujo

Atendimento Comercial

21 2135-8966

21 9 7609-0052 / 21 9 7543-0405 / 9 7372-0316

Final da Temporada 2013

A

pesca de praia desportiva, no rio de janeiro é dirigida pela Federação de Pesca e lançamento do estado do Rio de Janeiro (fepelerj), fundada no ano de 2012, e atualmente possui 8 clubes filiados. Por sua vez, a Fepelerj é filiada a Confederação Brasileira de Pesca e Lançamento-Nova Pesca Brasil (CBPL-NPB), assim como as demais federações que representam os estados de São Paulo, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Espírito Santo. Além da pesca desembacada, o lançamento limitado e o longcasting, são as demais modalidades regidas pela CBPLNPB, atualmente. A temporada de 2013, no Rio de Janeiro, teve sua premiação realizada no dia 15 de Dezembro. Após serem disputadas 3 provas de lançamento, 3 de pesca interclubes e 4 de pesca individuais, seus campeões foram decretados.

ARTIGOS PARA PESCA ESPORTIVA EM GERAL Grupos para pesca de praia e embarcada, com assessoria técnica especializada.

21 3763-9836 21 7237-5772 (VIVO) 21 7741-6555 ID 83*86766 Rua Alexandre Fleming, 678 Vila Nova - Nova iguaçu revendedor:


Federação Atendimento Comercial

21 2135-8966

21 9 7609-0052 / 21 9 7543-0405 / 9 7372-0316

@ jornalriopesca@gmail.com contato@riopesca.com

www.riopesca.com www.facebook.com/rio.pesca

Direção

Genaro Braga Nei Araujo

RIO DE JANEIRO, 10 de Janeiro de 2014

Página 11

A TEMPORADA 2014 TERÁ SEU INÍCIO COM DUAS PROVAS ABERTAS (PARA PESCADORES FEDERADOS OU NÃO):

1 2

TORNEIO SÃO SEBASTIÃO DE PESCA E LANÇAMENTO - INDIVIDUAL (PAMPO CLUBE DE PESCA), EM JACONÉ, NOS DIAS 18 E 19 DE JANEIRO. INFORMAÇÕES: www. Os árbitros: Arnaldo Herz, Pádua Costa e Roberto Herz pampo.com.br (boné) com o presidente da FEPELERJ, Valério Pedra.

Equipe do Gaivotas na 2ª prova de lançamento

Atletas do Macaé, Charles, Phillipi e Pablo com o presidente

FEST VERÃO MACAÉ 2014 – DUPLAS (MACAÉ CLUBE DE PESCA), PRAIA CAMPISTA – NO DIA 23 DE FEVEREIRo. INFORMAÇÕES: CHARLES - 22 99845-8420

AOS INTERESSADOS EM CONHECER COMO FUNCIONA UM CLUBE DE PESCA OU SE FILIAR A UM DELES, SEOs campeões individuais de pesca com o presidente GUEM OS CONTATOS:

Equipe do Orca, campeões juvenis

Sra Ana Herz, ícone da pesca de competição no Brasil, recebendo homenagem, com Waldelice e Roberto Herz (atual presidente da Fepelerj)

+ SERVIÇO FEDERAÇÃO DE PESCA E LANÇAMENTO LIMITADO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO (BIÊNIO 2012/13) PRESIDENTE: VALÉRIO PEDRA VICE-PRESIDENTE: JORGE MOURA (BIÊNIO 2014/15) PRESIDENTE: ROBERTO HERZ VICE-PRESIDENTE: PAULO TABOAS http://www.fepelerj.com.br

Disponível também nas cromadas


Técnicas de Pesca Página 12

RIO DE JANEIRO, 10 deJaneiro de 2014

Direção

Genaro Braga Nei Araujo

Atendimento 21 2135-8966 Comercial

21 9 7609-0052 / 21 9 7543-0405 / 9 7372-0316

@ contato@riopesca.com jornalriopesca@gmail.com

Arremesso de praia LONG CASTING MODALIDADE DE PESCARIA MAIS USADA, O LONG CASTING , É PREFERÊNCIA DA MAIORIA DOS PESCADORES DE PRAIA ARTIGO: José Vinicio Costa de Toledo

A

maioria dos pescadores de praia, sempre estão em busca de arremessos cada vez mais longos, mas o que a grande maioria não imagina, é que por trás de uma pescaria de "long casting", existe toda uma complexa ciência, depois de adquirir um conjunto de material de boa qualidade, o treinamento de reconhecimento do material, é fundamental para que o pescador pegue a mão do caniço. Alem do balanceamento do conjunto (vara e molinete), é necessário também que o pescador descubra a altura certa do chumbo para fazer o caniço fletar ao máximo. A técnica de aceleração mais adequada para o caniço em questão, a distancia entre o molinete e o pé do caniço, o peso do chumbo que mais faz o caniço trabalhar, tudo isso faz parte da ciência do long casting, por isso, é necessário obter todo um conhecimento técnico sobre os equipamentos e sobre as técnicas de arremesso, e treinar até alcançar a perfeição. Para isso não basta ler sobre o assunto, é fundamental aprender com o auxílio de um perito em long casting.

VARAS OU CANIÇOS PARA LONG CASTING O tamanho das varas para a prática do long casting, é de fundamental importância, o pescador deve estudar um padrão de tamanho de vara que ele se sinta confortável ao arremessar, devendo adaptar uma conjunto de material para ele, e não ele tentar a se adaptar a um padrão imposto por pura moda, moda esta, que o mercado impõe e outros pescadores acabam adotando. Muitas vezes o que pode ser excelente pra uns, pode ser de difícil adaptação para outros, cada pescador tem uma “batida”, (puxada, explosão, força) diferente uns dos outros, sem contar que tem pessoas de diferentes alturas, estruturas corporais, envergadura e dificuldades físicas como bursite, dificuldades de coordenação motora ou até mesmo habilidade técnica, porém existe um padrão mundialmente comum á ser seguido em relação as medidas destas varas, essas medidas seguidas mundialmente a muito tempo são:

3,60m - 3,90m - 4,20m - 4,50m Há relatos de antigos atletas pescadores, que no passado quando a medida padrão ainda era de 3,60m, um ilustre atleta pescador chamado Eduardo Elias, o Eduardinho da famosa dupla Eduardinho e Jonny, que ganhavam sempre nas competições de dupla. Pois bem, esse fantástico atleta bateu a marca dos 200m com uma vara de 3,60m na praia da Barra da Tijuca, quando treinava para o mundial de clubes de 1999, bateu essa marca com uma vara chamada Long Surf da marca Shimano. Testemunhas falaram que o nó entre o enchimento do carretel e o fim da ponta da linha mestra, linha que ele havia minutos antes enrolado dois rolos de 100m, da linha 0,20m.m no carretel do molinete, o nó da linha havia saído de dentro do carretel do molinete e a linha de enchimento chegou a passar pela ponteira do caniço, hoje o padrão mais clássico de medidas dentro do Brasil para as varas de long casting é 4,20m, mas muitos já preferem as de 4,50m

PAREDE DE FIBRA: Alem dos padrões de tamanhos das varas para long casting a serem seguidas e estudadas por cada pescador, é de extrema importância escolher uma vara que tenha uma boa parede de fibra. Parede é a espessura interna da fibra tubular da vara. O módulo do carbono também é muito importante, modulo são fios da fibra. Existem vários módulos, um módulo (IM 12), equivale a 12 milhões de fios de carbono trançando as placas da parede de fibra da vara. Quanto mais grossa for a parede e quanto maior os módulos do carbono, mais forte será a vara, aquentando uma capacidade maior de chumbo para o arremesso. Porém, algumas varas costumam á ficam mais pesadas quando a parede é muito grossa. Hoje as melhores marca já nos oferecem varas top de linha que pesam apenas 500g ou até menos, o que já é bem leve para a categoria do material.

www.riopesca.com www.facebook.com/rio.pesca

Fletagém das varas para long casting. Este é um assunto de diferentes opiniões, alguns gostam de varas de ação rápida, outros já preferem varas de ação mais lenta, porem na América do Sul, a maioria dos pescadores preferem as varas de ação rápida, pois temos um tipo de mar onde a correnteza está presente na maioria de nossas pescarias em praias de mar aberto. Como isso, obrigamo-nos a optar por chumbos mais pesados, entre 130g e 150g e às vezes até mais um pouco, para que nossos chumbos consigam poitar no fundo de areia dentro dos canais, ou pelo menos que o chumbo ande (role), em uma velocidade lenta ,que assim passe pelos cardumes e os peixes consigam fisgar. Por isso, temos que analisar além da parede da fibra da vara que iremos utilizar, tendo absoluta certeza que ele irá suportar essas gramaturas de chumbos, temos que prestar a atenção na ação de fletagém da vara, pois cada ação de vara arremessa melhor com uma gramatura diferente. Um caniço de ação lenta pode não ter força para impulsionar um chumbo de 150g para frente, com a mesma velocidade que poderia ter quando utilizamos um chumbo de 100g ou 120g. Já no caso das varas de ação rápida, a vara dá uma resposta bem mais rápida na trajetória de arremesso, mesmo quando utilizamos chumbos mais pesados, assim fazendo com que o chumbo pegue muito mais velocidade e chegue a distâncias muito mais longas. O arremesso é basicamente uma energia cinética, massa vezes velocidade.


Técnicas de Pesca Atendimento Comercial

21 2135-8966

21 9 7609-0052 / 21 9 7543-0405 / 9 7372-0316

contato@riopesca.com @ jornalriopesca@gmail.com

www.riopesca.com www.facebook.com/rio.pesca

Direção

Genaro Braga Nei Araujo

O fantástico mundo do Long Casting Estilos de caniços para a prática do long casting: 1

+ LONG CASTING Long Casting, é o nome técnico que se dá na Europa para as variadas modalidades de arremessos de longas distancias. Quando falamos em pescarias de Long Castng, aqui no Brasil, estamos falando de pescaria de fundo, acima das 164,04 jardas (150m) de distância, nesta modalidade de pescaria é onde encontramos com muito mais facilidade. Os maiores peixes de praia. Para conseguirmos enviar nossos chumbos a essas distancias tão estremas, é necessário ter todo um conhecimento técnico, um grande domínio de controle do material e das técnicas de aceleração do chumbo.

Caniço de ação parabólica São caniços de ação lenta utilizados para pesca de Long Casting na Europa para arremessos de pêndulo com chumbos de 100g a 125g. No estilo de arremesso “Groud Casting” é um estilo de vara muito técnica, pois o pescador terá que atrasar ao máximo a ponta do caniço e acelerar gradativamente o chumbo até chegar em uma posição que terá que acelerar puxando mais forte, dando um sprint final na ponta do caniço. Nesse estilo de arremesso, o caniço trabalha por inteiro, chegando a formar o que chamamos de ângulo em forma de “U”, dando muita velocidade a chumbos de menores gramaturas, é um estilo de arremesso que o pescador faz menos uso de força física, pois o próprio caniço ajuda no arremesso.

2

3

Caniços de ação semi parabólica Caniço de ação rápida É um caniço que tem muita ação de ponta, mas não trabalham o corpo todo, como os caniços de ação parabólica citados acima, nesse estilo de caniço o pescador não precisa atrasar tanto a ponta do caniço, basta ajustar o tamanho do chicote para o caniço ou simplesmente ajustar a altura do chumbo em relação ao corpo do caniço. É um caniço clássico nas pescarias brasileiras, muito utilizados nos arremessos mais simples no estilo Frontal (machadada) ou no arremesso gadanho lateral. Com esse tipo de caniço os pescadores também não precisam fazer muita força física para obter boas distâncias.

Caniço utilizado para dar mais velocidade a chumbos de gramaturas superioras a 125g, e com isso dar mais potência aos chumbos mais pesados para chegarem a distancias extremas. É um tipo de caniço muito utilizado no Brasil por atletas de clubes que disputam campeonatos de pesca de praia. No caso dos atletas pescadores, este caniço ajuda quando o mar está com fortes correntezas, pois não podem escolher o melhor dia para a disputa da prova, já que tudo é programado no inicio do ano em um calendário organizado pela federação de pesca.

RIO DE JANEIRO, 10 de Dezembro de 2013

Página 13


Página 14

RIO DE JANEIRO, 10 de Janeiro de 2014

Direção

Genaro Braga Nei Araujo

Caiaques Curiosidade

O Caiaque nasceu na Groenlândia e existe desde tempos imemoriais, servindo de meio de pesca e trabalho aos esquimós

www.riopesca.com

Simone Novo

A partir da próxima edição você vai saber como turbinar o seu caiaque

A

caiaquesecias@gmail.com

www.Caiaquesecias.com.br

Qualquer dúvida ou sujestões, entrem em contato através do email caiaquesecia@gmail.com

Bricolagem no Caiaque ssim como em todo hobbie a personalização acaba por bater a nossa porta e no caiaque não é diferente. Nessa foto um belo exemplo de caiaque Tunning. Esses dois Caiaques modelo Barracuda da lontras, um quase original e o Amaguk (sim, o caiaque tem nome e personalidade forte), são grandes exemplos do antes e do depois da paixão em personalizar. O enfeitado com jeitão de gringo é do nosso amigo Ademar, um dos primeiros Barracudas do Rio de Janeiro. Foi sendo montado com acessórios importados e nacionais, um destaque para a tampa de fibra da Hidroglass Rio e os suportes de vara da Hook1. Não vamos detalhar muito para dar espaço ao seu proprietário e consultor Ademar Couto que falará melhor sobre suas adaptações na próxima matéria. Traremos na sequência os caiaques turbinados, caiaques com motores elétricos e à combustão com estabilizadores duplos e simples, potências variadas e performance surpreendentes. Um caiaque a vela que tem como 2ª opção um motor acoplado, em caso de total falta de vento o velejador não fica na mão, não deixem de acompanhar o desenrolar dessa série.

www.facebook.com/rio.pesca


www.riopesca.com

www.facebook.com/rio.pesca

Costão

Direção

Genaro Braga Nei Araujo

Alexandre Mange

Na Próxima edição

Na próxima edição escreverei sobre a pesca do Pampo, um peixe altamente esportivo

RIO DE JANEIRO, 10 de Janeiro de 2014

Página 15

alexmange@hotmail.com www.riopesca.com

Qualquer dúvida ou sujestões, entrem em contato através do email alexmange@hotmail.com

MARIMBÁ O BOM DE BRIGA

Diferente técnicas para a captura desse excelente peixe de carne saborosa ARTIGO: + Armando o equipamento: Alexandre Mange

N

essa matéria irei passar um pouco da minha experiência sobre a pesca do Marimbá, um peixe de carne saborosa e que proporciona boa briga quando fisgado. Poucos comentam sobre a esportividade na pesca do Marimbá, e dependendo do tamanho do peixe, a briga torna-se emocionante. A modalidade de pesca desse peixe é leve, o material a ser usado é que vai determinar o sucesso na pescaria, um peixe que vive sempre em cardumes e onde a água tenha mais espuma (Água com mais oxigenação). É um tipo de pescaria com bastante diversidade sobre o material empregado, podemos fazer essa pesca de três formas diferente: Com bóia, jogadinha e de fundo, e o material a ser usado vai depender de vários fatores como, profundidade do local onde se está pescando, vento e mar agitado. Portanto, o pescador mais sagaz e inteligente jamais usará bóia com um mar agitado e com vento, assim como nunca pescará de fundo em local raso, mar calmo e sem vento. Quando o Marimbá está comendo bem, a pescaria fica frenética e a cada jogada é um peixe fisgado, e dependendo do tamanho do peixe que pode chegar a quase dois quilos (São raros os exemplares desse tamanho hoje em dia), o pescador tem que trabalhar bem o peixe, deixando a fricção do molinete um pouco aberta para que o peixe

Pescando Marimba com bóia de isopor pequena:

+

Características

Peixe de escamas que não atingem grandes proporções. Seu peso gira entre 200 e 500 gramas normalmente, mas podem atingir 1,9kg e medir até 31cm de comprimento. Boca muito pequena. Dente anteriores achatados, desenvolvidos e incisiformes. Coloração cinza-prateada no dorso e mancha preta na cauda. Corpo em forma ovalada e comprimida. Os jovens com até 20 cm apresentam faixas escurecidas, menos evidentes com o tamanho, verticais no corpo e tal padrão pode ocorrer também em adultos, especialmente à noite. Carne saborosa. tome linha e se canse para ser retirado da água com mais facilidade. O Marimbá pode estar bem ativo a qualquer hora do dia, mas particularmente eu sempre prefiro fazer essa pescaria na parte da tarde, entre 14 e 20hs sendo que na parte da manhã ele também come muito bem, principalmente antes do sol ficar alto.

1- Pegar uma bóia de tamanho pequena, daquelas de isopor com formato de pião que é furada no meio e tem um canudo de plástico branco. 2- Passar a linha do molinete por dentro do orifício da bóia. 3- Observar a altura da maré, se tiver muito vazia use uma braça de linha de aproximadamente 1,5mt e se a maré estiver cheia use uma braça maior, de aproximadamente 2mt. A altura da bóia irá sempre depender da altura da maré. 4- É importante que o anzol com a isca nunca bata no fundo quando se pesca de bóia.

5- Depois de regular a altura da bóia na linha que vem direto do molinete (Não use distorcedor, grampos, paradinha de aço... Quanto menos metal na linha melhor o peixe vai pegar). 6- Use uma chumbada furada de aproximadamente 8 a 10 gramas numa distância do tamanho de um palmo da sua mão, eu costumo fixar a chumbada usando um alicate para apertá-la e não deixar que ela corra na linha. 7- Isque o anzol com Tatuí, Camarão ou filete de lula e tente manter sempre a bóia perto da pedra onde tem mariscos.

Escolha do material: 1- Anzol Super Strong número 4 da Marine Sports 2- Bóias de isopor de tamanho médias ou pequenas. 3- Chumbadas pequenas para bóia e jogadinha, e Oliva para pesca de fundo. 4- Elastricot.

Dica importantíssima que fará com que sua pescaria seja bem sucedida:

Pescando Marimbá na jogadinha: 1- O esquema é exatamente o mesmo da bóia, a única diferença é que nessa modalidade não será usada a bóia.

2- É importante que o arremesso seja sempre onde há bastante con-

Pescando Marimba de fundo: 1- É o mesmo esquema usado na jogadinha, porém o chumbo a ser utilizado será a Oliva de 20, 25, 30 gramas.

Melhores iscas para pesca do Marimbá: 1- Tatuí vivo (ou morto que tenha sido bem conservado no freezer), isque o anzol sempre fazendo uma pequena bucha com dois ou três tatuís. (Para pescaria de bóia, de fundo ou jogadinha) 2- Camarão, dependendo do tamanho do camarão ele deve ser cortado de acordo com o tamanho do anzol que se estiver usando. (Para pescaria de bóia ou Jogadinha) 3- Corogondó (Sacuritá em outras

regiões), quebrar a concha e fazer uma pequena bucha com dois ou três Corogondós. (Somente para pescaria de fundo). 4- Filé de Sardinha, tirar o filé da Sardinha e cortar em retângulos de aproximadamente do tamanho da metade de um dedo indicador, aconselho o uso do Elastricot para se amarrar essa isca, pois é muito fácil sair na hora do arremesso. 5- Marisco, procurar usar mariscos

ENGODAR, o que é isso? É normal alguns pescadores não saberem o que significa isso. Engodar, é o simples ato de de vez em quando jogar um punhado de isca para atiçar o peixe. Pode ser Mariscos bem socados com casca e tudo, punhados de Tatuís bem socados, Corogondó também bem socados com concha e tudo e as cascas que sobram dos camarões entre outros. Bom amigos leitores, essa é a dica do mês da minha coluna Pescaria em Costão e espero que tenham gostado e desejo bastante sucesso na pesca do Marimba.


PEIXES DA ESTAÇÃO Atendimento Comercial

21 2135-8966

21 9 7609-0052 / 21 9 7543-0405 / 9 7372-0316

contato@riopesca.com @ jornalriopesca@gmail.com

Direção www.riopesca.com Genaro Braga www.facebook.com/rio.pesca Nei Araujo

RIO DE JANEIRO, 10 de Janeiro de 2014

Página 17

Conheça um pouco sobre a corvina Você sabia que existem mais de 270 tipos de Corvinas espalhadas pelo mundo ? ARTIGO: Biólogo Tulio Portella

F

acilmente reconhecida, a Corvina - Micropogonisfunieri é um peixe muito comum em nossas águas. É uma grande fonte de diversão para pescadores amadores e importante fonte de renda para pescadores artesanais, segundo o instituto de pesca de São Paulo, em 2005 foram capturadas 4 mil toneladas dessa espécie.

+ HÁBITO ALIMENTAR

+ HÁBITO REPRODUTIVO

Alguns estudos apontam tamanho máximo de fêmeas por volta de 60centímetros e machos por volta de 83centímetros, porém há registro de um espécime capturado que possuía 96 centímetros de comprimento. A corvina possui desova parcelada, se reproduzindo Comumente encontradas em canais, as corvinas mais de uma vez dentro de cada possuem um hábito bentônico (associado ao fun- período reprodutivo. Um estudo do) e boca voltada para baixo, o que pode expli- na região de Ubatuba aponta car sua alimentação. Estudos na baía da Ribeira períodos reprodutivos durante o (Angra dos Reis) apontam para uma preferência ano, uma no outono, (abril – jualimentar de poliquetas seguidas por camarões, nho), uma no inverno (agosto – ambas as presas associadas ao fundo. Outro essetembro) e outro na primaveratudo aponta que a alimentação da espécie está -verão (novembro – fevereiro). diretamente ligada com a poluição do local, em áreas com águas límpidas, a corvina tende a se O tamanho médio de primeira maturação, alimentar de peixes, enquanto que em áreas onde 50% da população estão aptos a se com presença de resíduos domésticos, há uma reproduzirem, gira em torno de 25 a 30 centendência em ingerir principalmente camarões. tímetros, dessa forma é indicada a soltura de Essa variação pode ser explicada pela disponibili- indivíduos abaixo deste tamanho. Indivídudade de presas no local, o que por sua vez pode os abatidos antes de se reproduzirem não ser moldada pelo nível de poluição, dessa forma, propagam seus genes dentro da população, a poluição teria um efeito indireto no hábito ali- dessa forma não contribuem para a evolução da espécie. mentar da corvina. Poliquetas A preferência alimentar da Corvina

3

+ A PESCA Na pesca profissional as formas que capturam mais indivíduos de corvinas são as parelhas (arrasto de dois barcos com rede) e a pesca de arrasto. Esses dois métodos de pesca são altamente danosos ao meio ambiente, pois retiram do mar milhões de peixes sem valor comercial e abaixo do tamanho de maturação. A Corvina possui um tipo de estratégia reprodutiva a qual é muito difícil de ser ameaçada de extinção, porém a pesca de arrasto, redes e outras

A Corvina do Atlântico, por exemplo, habita uma região bastante ampla nas águas do nordeste dos EUA Atlântico, enquanto a Corvina do Golfo habita uma área muito limitada no Golfo da Califórnia.

formas de pesca predatórias vêm contribuindo para uma diminuição no número de indivíduos maiores, o que pode gerar grandes problemas no futuro. Na pesca com iscas artificiais as iscas de fundo se destacam na captura desses peixes. Essa espécie possui a boca relativamente pequena dessa forma, iscas como sapinhos, baiacus, cambalhota e até mesmo camarão artificiais (sempre no fundo), não ultrapassando cinco a seis centímetros são altamente recomendáveis.


Turismo de pesca Página 18

RIO DE JANEIRO, 10 de Janeiro de 2014

Direção

Genaro Braga Nei Araujo

Atendimento Comercial

21 2135-8966

21 9 7609-0052 / 21 9 7543-0405 / 9 7372-0316

Espirito Santo um pólo de pesca oceânica

D

entro e fora do Brasil, o litoral do Espírito Santo é famoso pela variedade e quantidade de peixes. Nas praias de Camburi, Ilhas do Frade e Boi, e em toda orla da Baía, a pesca de arremesso, redinha ou puçá, rende ao turista boas histórias, ou quem sabe, um troféu num dos inúmeros concursos realizados na ilha. A pesca oceânica, sem sombra de dúvidas, é o cartão de visitas da pesca em Vitória. Todos os anos, do Iate Clube do Espírito Santo, na praia do Canto, saem às embarcações para o Campeonato Internacional de Pesca Oceânica, que reúne os maiores pescadores de “peixes de bico” do mundo. Em Vitória, foram conquistados dois recordes mundiais de pesca: o maior Marlim Azul, com 636 kg, pescado em 1992, e o maior Marlim Branco, com 82,5 kg, pescado em 1979. A melhor época de pesca do Marlim Azul é de outubro a março, e do Marlim Branco, é a partir de novembro. Mas em qualquer época do ano, a pesca é farta e certa.

Um mercado em amplo crescimento onde o comércio local se beneficia com esse tipo de turismo

+ DIFERENCIAL

Pesqueiros próximos ao litoral Espécies variadas de peixes 11 meses de ótima pesca por ano Pesca de Currico e Pesca Vertical Jigging Lanchas, iscas, equipe e equipamentos excelentes Capitão, marinheiro e equipe com mais de 10 anos de experiência Embarque na lancha no píer do hotel

O Estado também se tornou referência nesse segmento. O Iate Clube foi o primeiro no país a implantar o tagueamento dos peixes – marcação de peixes com o objetivo de monitorar sua locomoção e seu desenvolvimento, entre outros – e o sistema pesque e solte nas competições. A Secretaria de Estado do Turismo (Setur) entendendo a importância do segmento para o Turismo do Estado estruturou um pacote totalmente voltado para os amantes da pesca oceânica em sua costa. O Serviço é resultado de uma parceria entre a operadora paulista Nascimento Turismo e a operadora capixaba Poltrona 1 e proporciona aos praticantes da pesca ou amadores a oportunidade de realizar essa atividade tão prazerosa nos mares do capixabas.


www.riopesca.com

www.facebook.com/rio.pesca

Artificiais Na Próxima edição

KRILL a isca que vai revolucionar a pesca jumping jig

KRILL

migo pescador , O verão chegou e com ele os peixes se aproximam da nossa costa e pensando no amigo pescador, a METAL Z traz a isca que muitos estão falando que vai ser a isca coringa, que nao vai poder faltar na caixa , KRILL jumping jig que tem o corpo que se assemelha com uma meia lua. Essa isca foi desenvolvida exclusivamente para ser trabalhada junto ao fundo, portanto, para aqueles que gostam de uma boa briga com corvinas , pescadas , bagres , badejos , sargos , robalos e até pampos ( quando se pesca em cascalho ). Você vai se perguntar: “O pampo nao é pescado em lajes e costões de pedra?”. Nem sempre, em muitas pescarias feitas em cascalhos, muitos exemplares foram pegos , pois esses lugares são ditos como passagem para inúmeras espécies.

RIO DE JANEIRO, 10 de Janeiro de 2014

Página 19

metalz.jumpingjig@gmail.com www.riopesca.com

Qualquer dúvida ou sujestões, entrem em contato através do email metalz.jumpingjig@gmail.com

Por que esse nome? O krill é o nome coletivo dado a um conjunto de espécies de animais invertebrados semelhantes ao camarão e, se falando dessa isca, quando trabalhada com toques de ponta de vara seu movimento na água se assemelha ao krill.

Por se tratar de uma isca que ao trabalhada ele faz o movimento como se fosse uma cambalhota usaremos suport hook curto, pois muitas veses quando se usa suport hook longo ele tende a enroscar na linha.

Material indicado: Por se tratar de uma isca não muito pesada, usaremos varas de 15 a 20 libras com morinete ou carretilha com linha multifilamento de 20 libras e um arranque de fluorcabono 45 milimetros.

+ Trabalhando a KRILL Como já citei, com toques curtos de ponta de vara ela faz o movimento de uma cambalhota, com esse trabalho tivemos bons resultados com pescadas e corvinas, depois de muitos testes descobrimos outro movimento que foi muito produtivo quando os peixes estão manhosos, dando toques longos seguidos de uma parada e em seguida dois toques curtos ela tende a dar uma volta em si mesmo assim parecendo um peixe ferido.

Temos que resaltar uma coisa, nem sempre o trabalho da isca vai ser o mesmo na situação em que se pesca, portanto, pescar com jumping jig a cada dia se cria um movimento.

Genaro Braga Nei Araujo

+ Montagem da isca

Revolucionando a pesca de artificiais

O

Eduardo Barreira

Direção

Sargo de beiço pego pelo amigo pescador Leandro Mattos com a krill silver


Página 20

RIO DE JANEIRO, 10 de Janeiro de 2014

Direção

Genaro Braga Nei Araujo

Oficina

www.riopesca.com

Eliseu Cherene

Cuidados

www.facebook.com/rio.pesca

Tel : 22 9 9975-7869 http://campospesca.blogspot.com

Na Próxima edição

Limpe sempre o equipamento depois da pesca, ele não deve ser encostado no canto ao chegar da pescaria

Falaremos da troca de Reel Seat (Fixador)

Aprendendo a trocar reel seat

M

uitos pescadores se sentem incomodados com caniços que vem com o fixador do molinete (ReelSeat) de rosca, também com a EVA (Borracha) localizada acima e abaixo dele.passador.

de amarração e resinagem podem ser vistos + Osna detalhes edição anterior (TROCA DE PASSADORES).

+ SÃO NECESSÁRIOS: 1 – Um alicate universal;

A troca por um ReelSeat de engate rápido (Jacaré) pode ser realizada de maneira simples, isto proporcionará mais leveza e uma empunhadura mais confortável

2 – Um alicate de corte; 3 – Uma serra;

4º PASSO:

4 – Uma chave de fenda;

Com auxílio da chave de fenda desloque para os lados e remova a parte restante.

5 – Um estilete; 6 – Uma lixa 80 e outra 600; 7 – Verniz Spray; 8 – Linha para amarração; 9 – Resina epoxy; 10 – O novo reelseat, de preferência NS6 ou NS7 dependendo do tamanho de seu molinete ou carretilha.

5º PASSO: Lixe retirando toda cola e materiais que houver com a lixa 80 e dê um acabamento mais fino com a lixa 600. Em seguida marque com fita os limites para o verniz aplique conforme indicações do fabricante.

1º PASSO: Remova a EVA com auxílio do estilete e do alicate universal

6º PASSO: Retire o acabamento plástico do novo reelseat.

Imagens: www.fujitackle.com

2º PASSO: Remova a parte rosqueável e corte a parte metálica

7º PASSO: Faça a amarração e resinagem podem ser vistos na edição anterior (TROCA DE PASSADORES).

3º PASSO:

8º PASSO:

La linha indicada pela seta faça um corte com cuidado.

Depois de seco, encaixe novamente o acabamento plástico, seu caniço está mais leve e anatômico.


ECOLOGIA Atendimento Comercial

21 2135-8966

21 9 7609-0052 / 21 9 7543-0405 / 9 7372-0316

contato@riopesca.com @ jornalriopesca@gmail.com

Direção www.riopesca.com Genaro Braga www.facebook.com/rio.pesca Nei Araujo

CHUMBADAS ECOLÓGICAS Uma chumbada para pesca que não deveria ser chamada de chumbada, já que não é feita de chumbo mas sim de cerâmica. Taí uma boa ideia! Para quem não sabe ou nunca viu uma delas, chumbadas são pesos de formas e tamanhos variados usados pelos pescadores para levar a linha ou a rede para o fundo de rios, lagos e também no mar. A novidade não é lançamento, a chamada “chumbada ecológica” já existe há três anos no mercado e foi desenvolvida por pesquisadores das Universidades Federal de São Carlos e UNESP de Araraquara. A maior vantagem, de acordo com os pesquisadores, é que os pesos não possuem chumbo (metal pesado e venenoso). Eles são fabricados com os mesmos materiais do fundo dos rios e lagos (argila, areia e pó de pedra ferro). Daí, quando perdidas durante uma pescaria, o processo de degradação começa em seis meses e até três anos estão totalmente dissolvidas e integradas ao fundo do rio.

E por que usá-las? Estima-se que anualmente cerca de 40 toneladas de chumbo poluam as águas da região do Pantanal, por exemplo, por causa da perda de chumbadas. No ambiente aquático, ainda de acordo com a pesquisa, o chumbo dessas peças contamina as plantas e, em seguida, os peixes que delas se alimentam. Finalmente, acumula-se no organismo das pessoas que consomem a carne dos peixes, podendo, com o tempo, causar problemas neurológicos e cardíacos. O Brasil ainda não proibiu o uso desse metal em materiais de pesca, como ocorre em outros países, daí a importância da pesquisa e de se buscar materiais ecologicamente menos agressivos, para que nós pescadores deixemos de contribuir involuntariamente com a poluição dos rios.

RIO DE JANEIRO, 10 de Janeiro de 2014

Página 21

Uma ideia iluminada!

Os pesquisadores e fabricantes defendem o uso do peso feito de cerâmica e justificam: o chumbo degrada-se lentamente no meio ambiente, persistindo durante décadas no solo e no fundo de rios, lagos e represas. Não é metabolizado pelos animais e sofre o processo de bioacumulação, afetando mais os animais do topo da cadeia alimentar, entre os quais está o homem. Ele é comprovadamente causador de alguns tipos de câncer, teratogênico (causa malformações estruturais no feto, baixo peso e/ou disfunções metabólicas e biológicas) e tóxico para o sistema reprodutivo (causa disfunções sexuais, aborto e infertilidade). A presença de quantidades elevadas de chumbo no sangue está relacionada a problemas neurológicos, como a falta de concentração e dificuldades na fala. Mais informação visite o site www. chumbadaecologica.com.br


Destaques do mês na pesca Página 22

RIO DE JANEIRO, 10 de Janeiro de 2014

ROBALO O Pescador Alex Ribeiro em Itacuruça com Shad da DOA

Arraia/Corvina O Pescador Tulio Santos Com uma dupla de respeito em Itacuruça

Direção

Genaro Braga Nei Araujo

Atendimento Comercial

PARTICIPE VOCÊ TAMBÉM ENVIANDO SUAS FOTOS Para participar é muito fácil envie um email para: JORNALRIOPESCA@GMAIL.COM com sua foto, local, e tipo de isca usada, junto com seu telefone de contato e concorra a brindes! 21 2135-8966

21 9 7609-0052 / 21 9 7543-0405 / 9 7372-0316

@ jornalriopesca@gmail.com contato@riopesca.com

www.jornalorlasul.com.br www.facebook.com/rio.pesca

XEREU BRANCO O Pescador Marcelo dos Santos na ilha do Jorge Grego Isca usada: Jump Jig pescaria vertical

PAMPO O Pescador Idele Coutinho na Boca da Barra com Pindoquinha

PAMPO

O Pescador Wilian da Silva na Boca da Barra Isca usada: Pindoquinha

PAMPO

O Pescador Ronald Roseto - Isca usada: Pindoquinha


METAL Z

A METAL Z vai dar um kit com 10 iscas METAL Z para a melhor foto utilizando os jumping jig fabricados pela empresa lembrando que ( A foto tem que conter a isca na boca do peixe )

Atendimento 21 2135-8966 Comercial

21 9 7609-0052 / 21 9 7543-0405 / 9 7372-0316

jornalriopesca@gmail.com @ contato@riopesca.com

ROBALO

Sergio Dantas

usando isca artificial na Baia de Guanabara

ROBALO

www.facebook.com/rio.pesca

O Pescador Leonardo Albernaz na Praia Vermelha Isca usada: Lula

viva(inteira)

Genaro Braga Nei Araujo

RIO DE JANEIRO, 10 de Janeiro de 2014

PIRAUNA

José Manoel na Baia de Guanabara usando como isca Camarão Artificial

( Camarão )

O Pescador Maicon da Silva Gouvea em Itacuruça Isca: Artificial Jig

CORVINA

Direção

PESCADA

CORVINA

O Pescador do Empório do Pescador na praia de Japariz , Isca usada: Camarão Artificial

Um belo exemplo: Flávio de Solza, na BG com Sardinha e solto por estar em Extinção

www.riopesca.com

O pescador :

Um belo exemplar pego pelo pescador :

Cação Viola

Destaques do mês na pesca Página 23

Um belo exemplar pego pelo pescador : André Ricardo na Baia de Guanabara usando isca artificial

CORVINA

O Pescador Danilo Com um belo prêmio, pego em Rio das Ostras

LINGUADO

O pescador Antonio Carlos no Forte São João (Urca),


Jornal rio pesca 4º edweb  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you