Page 1


Previsão para o mês

02/11 Sábado Pouco Nublado + 26 ºc

Página 02

01/11 Sexta- Feira L - 13 km/h

RIO DE JANEIRO, 10 de Novembro de 2013

Direção Genaro Braga

FEITO PARA VOCÊ PESCADOR ESPORTIVO

LOJAS EM

ONDE ENCONTRAR COPACABANA CENTRO DO RIO BARRA JACAREPAGUÁ TAQUARA FREGUESIA ILHA DO GOVERNADOR PENHA BAIXADA FLUMINENSE NITEROI JURUJUBA SÃO GONÇALO

01/11 Sexta - Feira Sol e Nuvens + 25 ºc

02/11 Sábado L - 13 km/h

Estações do Ano Verão 21/12

Outono 20/03

03/11 Domingo L - 10 km/h

Inverno 21/06

Primavera

06/11 Quarta - Feira Trovoadas + 23 ºc 04/11 Segunda- Feira NO - 8 km/h

Fases da Lua

22/09

07/11 Quinta - Feira Chuva + 24 ºc

05/11 Terça - Feira Nublado + 26 ºc

03/11 Domingo Sol e Nuvens +29ºc 04/11 Segunda - Feira Pouco Nublado + 31 ºc

Nova

03/11

Cresc. 10/11

Lembrando que as previsões dependem do clima e podem sofrer alterações !

05/11 Terça - Feira SO- 13 km/h

Cheia

06/11 Quarta - Feira S - 16 km/h

Ming.

17/11

25/11

Ganhador da Promoção

Tábua de Marés 1º Semana

Sexta - Feira - 01/11 01:30 09:15 02:20 10:05

pesqueiros

@ contato@riopesca.com

RIOPESCA.COM

www.riopesca.com.br

Ano 0 - Edição Nº 02 O canal de Informação para o Esporte Distribuição gratuita e dirigida Direção: Genaro Braga Editora Chefe: Cristiane Cavalcante Revisão: Elaine Dourado Reporter: Barbara Cristina

Colaboradores Eduardo Barreira Sergio Vinicios

Redação: Rua Visconde de Itabaiana 113 Engenho Novo - 20780180 Web

www.riopesca.com.br

@

contato@riopesca.com.br comercial@riopesca.com.br Atendimento 21 2135 8966 Comercial 21 7609 0052

O Jornal Rio Pesca, é um produto de circulação mensal, com caráter informativo ao público em geral. Não nos responsabilizamos por opiniões e conceitos emitidos em artigos assinados. O material publicado só poderá ser reproduzido com autorização expressa da direção ou dos respectivos autores.

1,3 m 14:45 0,1 m 22:15

Domingo - 03/11 03:10 10:45

1,3 m 15:25 0,1 m 22:50

Segunda - Feira - 04/11 04:00 11:20

1,2 m 0,1 m

1,3 m 16:05 0,2 m 23:25

1,2 m 0,1 m 1,2 m 0,0 m 1,2 m 0,1 m

Terça - Feira - 05/11 1,3 m 16:35 0,3 m 23:55

1,2 m 0,1 m

Quarta - Feira - 06/11

PRAIA VERMELHA PORCÃO PRAÇA XV ICARAI GRAGOATÁ JURUJUBA SACO DE SÃO FRANCISCO PIRATININGA

Participem enviando suas fotos, dúvidas e sugestões para o Jornal Rio Pesca e concorra a diversos brindes!

1,2 m 14:00 0,1 m 21:35

Sábado - 02/11

04:40 12:00

COPACABANA IPANEMA NIEMAYER SÃO CONRRADO BARRA RECREIO GRUMARI LEME URCA

07/11 Quinta - Feira NNE - 11 km/h

05:15 12:45

1,2 m 17:05 0,5 m

1,1 m

Quinta - Feira - 07/11 00:35 06:05

0,2 m 14:20 1,2 m 17:45

0,6 m 1,1 m

Tábua de Marés 2º Semana Sexta - Feira - 08/11 Bob e Vinicius entregando para o vencedor do sorteio, o Chinês Le Kua. Um Molinete Daiwa Regal Xia 3000 de 10 Rolamentos, oferecida pela “Pesca Del Mare”

Tabela de conVersão LIBRAS x KILOS 1 lb 2 lb 3 lb 4 lb 5 lb 6 lb 7 lb 8 lb 9 lb 10 lb 12 lb 15 lb 20 lb 25 lb 30 lb

0,45 KG 0,9 KG 1,35 KG 1,81 KG 2,26 KG 2,71 KG 3,17 KG 3,62 KG 4,07 KG 4,53 KG 5,43 KG 6,79 KG 9,06 KG 11,32 KG 13,59 KG

35 lb 40 lb 45 lb 50 lb 55 lb 60 lb 65 lb 70 lb 75 lb 80 lb 85 lb 90 lb 95 lb 100 lb

15,85 KG 18,12 KG 20,38 KG 22,65 KG 24,91 KG 27,18 KG 29,44 KG 31,71 KG 33,97 KG 36,24 KG 38,5 KG 40,77 KG 43,03 KG 45,3 KG

Tabela de conVersão

02:20 07:15

0,3 m 15:20 1,1 m 18:40

Sábado - 09/11 03:20 08:20 11:35

0,3 m 12:30 1,0 m 16:25 0,8 m 19:55

0,9 m 0,7 m 1,0 m

04:30 09:15 11:30

0,4 m 12:50 1,0 m 18:00 0,9 m 20:50

1,0 m 0,6 m 0,9 m

DIAMETRO x LIBRAS Domingo - 10/11

0,14 0,16 0,2 0,25 0,275 0,3 0,35 0,375 0,4 0,45 0,5 0,6 0,65

2 lb 4 lb 6 lb 8 lb 10 lb 12 lb 14 lb 17 lb 20 lb 25 lb 30 lb 40 lb 50 lb

0,7 m 1,0 m

Segunda - Feira - 11/11 06:05 13:00

0,3 m 18:50 1,0 m 22:00

0,5 m 0,9 m

Terça - Feira - 12/11 07:00 12:45

0,3 m 19:25 1,0 m

0,4 m

Quarta - Feira - 13/11 00:00 07:40

1,0 m 12:45 0,2 m 19:55

1,0 m 0,3 m

Atividade dos Peixes Muito Alto Alto Médio Baixo


08/11 Sexta - Feira Sol e Chuva + 25 ºc

10/11 Domingo Chuva + 29 ºc

12/11 Terça - Feira Trovoada + 31 ºc

14/11 Quinta - Feira Chuva + 30 ºc

09/11 Sábado Sol e Nuvens + 28 ºc

11/11 Segunda - Feira Chuva + 30 ºc

13/11 Quarta - Feira Chuva + 27 ºc

Lembrando que as previsões dependem do clima e podem sofrer alterações !

08/11 Sexta - Feira OSO - 6 km/h

09/11 Sábado SE - 6 km/h

10/11 Domingo SE - 6 km/h

11/11 Segunda- Feira NNE - 8 km/h

12/11 Terça - Feira ONO - 5 km/h

13/11 Quarta-Feira SO - 6 km/h

Previsão para o mês

14/11 Quinta-Feira NNE- 5 km/h

Direção Genaro Braga

RIO DE JANEIRO, 10 de Novembro de 2013

Página 03

Quinta - Feira - 14/11 00:45 08:20

1,1 m 13:05 0,2 m 20:35

1,0 m 0,2 m

Tábua de Marés 3º Semana Sexta - Feira - 15/11 01:20 09:05

1,1 m 13:30 0,2 m 21:15

1,1 m 0,1 m

Sábado - 16/11 02:05 09:50

1,1 m 14:05 0,2 m 22:00

1,1 m 0,0 m

Domingo - 17/11 02:55 10:30

1,2 m 14:50 0,2 m 22:35

1,1 m 0,0 m

Segunda - Feira - 18/11 03:40 11:00

1,2 m 15:35 0,2 m 23:10

1,2 m 0,0 m

Terça - Feira - 19/11 04:15 11:30

1,2 m 16:10 0,3 m 23:35

1,2 m 0,1 m

Quarta - Feira - 20/11 04:45 11:55

1,2 m 16:40 0,4 m

1,2 m

Quinta - Feira - 21/11 00:05 05:20

0,2 m 12:20 1,2 m 17:15

0,5 m 1,2 m

Tábua de Marés 4º Semana

Sexta - Feira - 22/11 00:35 06:00

0,3 m 13:45 1,1 m 17:55

0,6 m 1,1 m

Sábado - 23/11 02:10 06:55 12:15

0,3 m 12:15 1,1 m 14:50 0,6 m 18:55

0,7 m 0,6 m 1,1 m

Domingo - 24/11 03:05 08:00

0,4 m 15:40 1,0 m 19:55

0,6 m 1,0 m

Segunda - Feira - 25/11 03:55 08:50

0,4 m 17:00 1,0 m 20:50

0,6 m 1,0 m

Terça - Feira - 26/11 05:35 09:40

0,4 m 18:25 1,0 m 21:50

0,5 m 1,0 m

Quarta - Feira - 27/11 06:40 11:10

0,3 m 19:05 1,0 m 23:25

0,4 m 1,0 m

Atividade dos Peixes Muito Alto Alto Médio

Baixo


Serviço Página 04

RIO DE JANEIRO, 10 de Novembro de 2013

Direção Genaro Braga

15/11 Sexta - Feira Chuva + 30 ºc

17/11 Domingo Sol e Nuvens + 28 ºc

19/11 Terça - Feira Nublado + 25 ºc

16/11 Sábado Chuva + 26 ºc

18/11 Segunda-Feira Chuva + 25 ºc

20/11 Quarta - Feira Sol e Nuvens + 28 ºc

15/11 Sexta- Feira SE - 8 km/h

16/11 Sábado SO - 10 km/h

17/11 Domingo S - 8 km/h

18/11 Segunda- Feira SSO - 11 km/h

Decifrando a pescaria

CASTING termo em inglês que significa arremesso. Também dá a capacidade de arremesso de uma vara em gramas ou onças ARRANQUE linha amarrada à frente da linha principal de maior resistência e diâmetro

A restrição vai até o dia 15 de fevereiro de 2014. Apenas 80 barcos no país possuem autorização para pescar no período.

O

período de defeso da sardinha começou no dia 1º de Novembro, quando a pesca passa a ficar suspensa no litoral do estado do Rio, assim como em todo o Sul e Sudeste do país, onde se encontram os principais estoques da espécie. O defeso tem como objetivo permitir a reprodução da espécie. Com a suspensão da pesca nesse período, a sardinha atinge o tamanho ideal de captura ( 17cm ). Quem não respeitar o defeso pode pagar multa e ser preso por crime ambiental. A restrição vai até o dia 15 de fevereiro de 2014. De acordo com o IBAMA, 80 barcos em todo o país têm liberação para pescar a sardinha nesses quatro meses de defeso, e a sardinha geralmente é capturada por meio da pesca industrial. Segundo a lei de crimes ambientais (lei 9.605/98), quem for pego pescando durante esse período pode pagar multa e ser preso por crime ambiental. O valor da multa varia entre R$ 700 e R$ 1.000, com acréscimo de R$ 20 por quilo ou fração do produto da pescaria.

ENTENDENDO O DEFESO

Oito milhões de quilômetros quadrados de costa esta é a extensão do litoral brasileiro. Dá para imaginar a abundância de peixes? ... Não é bem assim... Estima-se que 80% das principais espécies exploradas nessa imensa região estejam em situação de sobrepesca, ou seja, captura-se muito mais do que o ambiente tem capacidade de repor. Realmente o que está acontecendo é que as espécies de real valor comercial estão, em sua grande maioria, em declínio. A situação é preocupante porque existe excesso de captura, isto é, a pesca de certas espécies está “sobre explorada”. É o caso, por exemplo, DA SARDINHA,

LAGOSTA, CAMARÃO, CORVINA E A PESCADA. Para não chegarmos a um colapso da pesca, as épocas de defeso foram estipuladas pelo IBAMA. Defeso é um período de paralisação obrigatória da pesca sobre um determinado recurso pesqueiro.No nosso litoral Sul e Sudeste temos os defesos da Sardinha e do Camarão. No caso da Sardinha, a medida serve para proteger a espécie nas fases vulneráveis de seu ciclo de vida, ou seja, no período de pico da desova e do recrutamento da espécie. A sardinha-verdadeira (Sardinella brasiliensis) é o mais tradicional recurso pesqueiro das regiões Sul e Sudeste.

Os períodos do defeso da Sardinha são: de 01 de novembro a 01 de março e de 21 de julho a 20 de setembro.A desova da sardinha ocorre anualmente, entre o final da primavera e todo o verão. Caracteriza-se pelo tipo de desova parcelada, ou seja, cada fêmea desova mais de dez vezes durante o seu período reprodutivo. Garantir todas as fases é importante, mas o início da desova é fundamental, pois garante várias contribuições entre as sucessivas desovas. Para o consumidor Para o consumidor, pouca coisa muda, visto que é possível comprar a sardinha congelada, por preços que não devem variar muito. Para quem deseja consumir peixe fresco sem ter que pagar mais caro, é possível substituir a sardinha pela cavalinha e a trilha, que oferecem os mesmos nutrientes da sardinha e têm preços semelhantes.

Lembrando que as previsões dependem do clima e podem sofrer alterações !

19/11 Terça - Feira S- 10 km/h

dicionàrio da pesca

SARDINHA EM DEFESO

21/11 Quinta - Feira Nublado + 31 ºc

CORRICO Modalidade de pesca em que a isca é solta a uma certa distância do barco que fica em movimento e em baixa velocidade, a espera do peixe morder a isca. CABELEIRA Resultado de um arremesso de carretilha, quando a linha solta mais rápida que isca, fazendo um emaranhado de linha sobre o carretel. FLUORCARBONO Material usado para linhas mais resistentes à abrasão, com menor elasticidade e maior transparência, geralmente usado para fazer líder.

20/11 Quarta - Feira ESSE- 10 km/h

21/11 Quarta - Feira N - 6 km/h

Quinta - Feira - 28/11 07:25 12:15

0,2 m 1,0 m

19:45

0,3 m

Tábua de Marés

5º Semana

Sexta - Feira - 29/11 00:25 08:05

1,1 m 0,2 m

Sábado - 30/11 01:15 09:00

1,1 m 0,2 m

12:50 20:25

1,1 m 0,2 m

13:30 21:15

1,1 m 0,1 m

Atividade dos Peixes Muito Alto Alto Médio Baixo As previsões de marés são válidas somente como referência para a pesca esportiva. Não devem ser utilizadas como guia para a navegação.


22/11 Sexta - Feira Chuva + 27 ºc

24/11 Domingo Pancadas + 25 ºc

26/11 Terça - Feira Tempestade + 25ºc

28/11 Quinta-Feira Nublado - 26 ºc

23/11 Sábado Pancadas + 25 ºc

25/11 Segunda- Feira Pancadas + 25 ºc

27/11 Quarta-Feira Chuvas + 25 ºc

Lembrando que as previsões dependem do clima e podem sofrer alterações !

22/11 Sexta - Feira SSO- 14 km/h

23/11 Sábado SSO - 10 km/h

24/11 Domingo SSO - 8 km/h

25/10 Segunda- Feira SE - 8 km/h

26/11 Terça- Feira SE - 10 km/h

27/11 Quarta- Feira SE - 14 km/h

Espécies 28/11 Quinta- Feira SO - 10 km/h

Direção Genaro Braga

RIO DE JANEIRO, 10 de Novembro de 2013

Página 05

Baia de Robalos ARTIGO:

O

LEO SIRI DA CORALPESCA lá pescadores! Sou o Leo Siri da Coral Pesca. Pesco com iscas artificiais há uns 12 anos e sou apaixonado por essa modalidade. Nesta edição falaremos do robalo. Mesmo com a pressão da pesca predatória, a Baia de Guanabara é rica em especies de peixe esportivos. O robalo é encontrado em estuários e mangues, mas também pode ser achado em grandes cardumes no mar. Está especie se alimenta de pequenos peixes e crustáceos. Fica mais ativo nas luas “quebradas” (minguante ou crescente). Com a chegada de dias mais quentes e temperaturas mais elevadas, este fabuloso predador se torna mais agressivo ao ataque as iscas artificiais.

+

TIPOS DE ROBALO

Existem, basicamente, 3 tipos de Robalos que podem ser encontrados na Baia de Guanabara: FLECHA: (Centropomus Undecimalis) Com o corpo mais esguio e sua coloração de barbatana mais amarelada, podendo chegar ate 28kgs. Sendo a especie mais procurada pelos pescadores esportivos.

PEVA OU O PEBA: (Centropomus Paralelus) : tem o corpo mais arredondado e de coloração mais prateada. Podendo chegar ate 6 kgs

TRICK: (Centropomus Mexicanus) É bem parecido com o peva. A diferença é: que seu ferrão anal se estende até cauda.

Para pescar o robalo, procure sempre estruturas no fundo como: pedras, cascos de barcos, galhadas e cercadas abandonadas. Trabalhando a isca bem rente as estruturas, renderá boas fisgadas!!!

? CURIOSIDADE

+

Material utilizado na pesca

ISCAS: plugs de meia agua e superfície, camarões de silicone, shads e grubs e jumping jigs de 12 a 40 gramas. VARAS: 5´6 a 6´0 pés, de 12, 17, 20lbs molinete ou carretilha.

Para iscas de silicone ou softs, são indicadas varas maiores de 6´0 a 6´5 pes . Para facilitar o trabalho da isca, fazendo com que o nado da isca se pareça com de um peixe ferido.

LINHAS: multifilamentos de 15 a 30 lbs com um líder ou arranque de flúor carbono de 0,47mm a 0,60mm. CARRETILHAS E MOLINETES , que comporte ate 130 mtrs de linha.


Página 06

RIO DE JANEIRO, 10 de Novembro de 2013

Direção Genaro Braga

29/11 Sexta - Feira S - 10 km/h

01/12 Domingo Sol e Nuvens + 27 ºc

03/12 Terça - Feira Sol e Nuvens + 28ºc

30/11 Sábado Sol e Nuvens + 27 ºc

02/12 Segunda- Feira Sol e Nuvens + 28 ºc

04/12 Quarta-Feira Sol e Nuvens + 28 ºc

30/11 Sábado L - 8 km/h

01/12 Domingo NE - 10 km/h

CARTEIRA DE PESCADOR AMADOR Sua importância + SOBRE A PESCA AMADORA

N

o ano de 2010, o Ministério da Pesca e Aquicultura (MPA) promoveu o 1º Encontro Nacional da Pesca Amadora, com o intuito de construir a política da pesca amadora no Brasil. Este encontro estava embasado no fato de o Brasil ter um grande potencial para a pesca amadora, começando a ser valorizado pelo governo federal como um forte instrumento indutor do desenvolvimento econômico e social. Afinal, a exemplo do que ocorre em outros países, a pesca amadora faz parte de uma cadeia produtiva que envolve o turismo, a indústria e o comércio. E movimenta mesmo a economia local de um sem número de comunidades.

Os praticantes da pesca amadora são pessoas de ambos os sexos e de distintas faixas etárias que buscam a pesca como recreação e consumo familiar. Esta pesca é realizada com apetrechos de pesca pessoais, que variam conforme o tipo de pesca, região ou peixe e em acordo com a legislação local. Apesar de estar classificada como amadora, a atividade requer conhecimentos técnicos especializados para sua prática, exigindo do pescador conhecimento e domínio de técnicas de pesca de diversas modalidades e equipamentos, assim como a responsabilidade socioambiental. Considerando que a pesca amadora é motivada basicamente pelo lazer, caracterizado pelo usufruto dos recursos naturais de forma sustentável, o pescado não pode ser caracterizado como um produto, inclusive por sua comercialização ser proibida. Sendo o recurso pesqueiro capturado um dos principais atrativos para o pescador amador. Por outro lado, a indústria da pesca

amadora movimenta uma extensa cadeia produtiva que gera receitas diversas, envolve um grande contingente de trabalhadores e, consequentemente, dinamiza e interioriza a economia brasileira. Ademais, os produtos da pesca amadora são aqueles que o pescador amador compra para viabilizar a sua prática. Neles, estão inclusos o turismo de pesca (serviços e equipamentos de agenciamento, transporte, hospedagem, alimentação, eventos, lazer e entretenimento), os serviços de suporte (aluguel de embarcações, contratação de guias de turismo, contratação de condutores de turismo de pesca, aquisição de iscas naturais, etc.) e a aquisição de bens duráveis e de consumo (embarcações, material de pesca, revistas, livros, cursos, etc.). Dessa forma, a pesca amadora gera uma ampla atividade econômica, cuja cadeia produtiva constitui-se de muitos elos, sendo sustentada através da atividade do pescador amador na exploração sustentável dos recursos pesqueiros.

02/12 Segunda-Feira NE - 6 km/h

03/12 Terça-Feira NE - 6 km/h

04/12 Quarta-Feira NNE - 13 km/h

O limite de cota de captura e transporte de pescado por pescador é de 10 kg mais um exemplar para águas continentais e 15 kg mais um exemplar para águas marinhas e estuarinas

Documentação

29/11 Sexta - Feira Céu Limpo + 27 ºc

+ POTENCIAL DA PESCA AMADORA A pesca amadora é pouco conhecida e estudada, praticamente inexistindo base de dados, oficiais ou não, que possam orientar políticas públicas. Em contraponto, estima-se que a pesca amadora seja uma das atividades de esporte e lazer mais praticadas no Brasil. O Brasil possui, em quase todas as suas regiões, características propícias ao desenvolvimento da pesca amadora. As bacias hidrográficas das regiões Sudeste e Sul já possuem ampla exploração da pesca amadora, necessitando, ainda, de profissionalização do setor.

A pesca amadora também é praticada em todo o litoral do Brasil O Brasil possui potencial para se tornar um dos maiores mercados mundiais da pesca amadora, o que nos leva a uma comparação inevitável com os Estados Unidos, que provavelmente corresponde ao maior mercado atual deste segmento. Segundo o Departamento do Interior e o Departamento de Comércio dos Estados Unidos, em 2006 os 30 milhões de pescadores amadores americanos gastaram 42 bilhões de dólares em atividades ligadas à pesca amadora (viagens, equipamentos e outras despesas), demandando serviços que geraram 890 mil empregos diretos. No Brasil, esses dados são inexistentes.


A Pesca em dados As informações disponiveis sobre a pesca no Brasil são geralmente incompletas e intermitentes, que vem sendo obtidas através de metodologias variadas. Atualmente são em torno de 390.761 pescadores. O Rio de Janeiro é o segundo estado mais importante, com 13.305 mil pescadores equivale a 3,40% do total e só na Baia de Guanabara são mais de 22 mil pescadores.

Documentação Direção Genaro Braga

RIO DE JANEIRO, 10 de Novembro de 2013

Página 07

Períodos de defesos vigentes no Estado do Rio Cherne Poveiro Polyprion americanus 06/out/2005 a 06/out/2015 Mero Epinephelus itajara 16/out/2012 a 16/out/2015 Sardinha verdadeira Sardinella brasiliensis 15/jun a 31/jul e 01/nov a 15/fev

?

AUSÊNCIA DE INFORMAÇÕES

De uma forma geral, as informações sobre a pesca amadora são escassas, o que prejudica todo o processo de planejamento, desenvolvimento e ordenamento da pesca amadora, o que compromete o planejamento e ordenamento da atividade, mapeamento das áreas com maior concentração desta prática e de áreas potenciais, entre outros. A metodologia de coleta de dados empregada no âmbito dos programas nacionais de monitoramento da atividade

!

de pesca não considera a pesca amadora. Existe, assim, ausência de informações atualizadas do perfil do pescador amador. O perfil é importante para dar subsídios para elaboração de estratégias de promoção e comercialização para os gestores públicos e cadeia produtiva. Outro ponto é a inexistência de estudo de impacto econômico, que tem como objetivo subsidiar políticas públicas e definir investimentos para o setor.

FAÇA A SUA PARTE

Para que o MPA possa ter dados de quem somos e quantos somos, precisamos tirar a licença. Apenas uma classe organizada e com representatividade pode ser ouvida e ter suas reinvidicações cumpridas. Quanto tiver um corpo

representativo de pessoas licenciadas na pesca amadora, poderemos exigir pesqueiros mais bem equipados, com iluminação suficiente, banheiros, segurança etc, para que essa modalidade seja realmente praticada pela família.

SOBRE A LICENÇA

1

A Licença para Pesca Amadora do MPA é válida por 1(um) ano em todo território nacional e, uma vez licenciado, o pescador pode pescar em qualquer região do país, não havendo necessidade de pagamento da licença estadual. No entanto, as normas estaduais devem ser respeitadas quando forem mais restritivas do que a norma federal. O limite de cota de captura e transporte federal de pescado por pescador é de 10 kg mais um exemplar para águas continentais e 15 kg mais um exemplar para águas marinhas e estuarinas. A licença de pesca amadora é individual, portanto o

2

boleto, após impresso, somente pode ser pago uma única vez. A licença provisória apenas terá validade mediante a apresentação do comprovante de pagamento bancário. Não é preciso tirar duas ou mais licenças, a categoria C cobre a categoria B e a categoria B cobre a categoria A, porém a licença para pesca subaquática - categoria C- é recomendada somente para quem pratica a pesca subaquática (de mergulho). A licença definitiva só estará disponível depois de passados trinta dias da data de pagamento do boleto bancário.

3

4 5

Tainha Mugil platanus 15/mar a 15/ago Camarão sete barbas Xiphopenaeus kroyeri 01/mar a 31/mai Camarão branco Litopenaeus schmitti 01/mar a 31/mai Camarão rosa Farfantepenaeus paulensis 01/mar a 31/mai Camarão barbaruça Artemesia longinaris 01/mar a 31/mai Camarão santana ou vermelho Pleoticus muelleri 01/mar a 31/mai Caranguejo uçá Ucides cordatus 01/out a 30/nov e 01/dez a 31/dez Caranguejo guaiamum Cardisoma guanhumi 01/out a 31/mar Mexilhão Perna perna 01/set a 31/dez


Embarcações Página 08

RIO DE JANEIRO, 10 de Novembro de 2013

A)

Direção Genaro Braga

Ancorar ou Fundear?

A

ncorar ou fundear são sinônimos de uma mesma situação que significa parar o barco e mantê-lo num mesmo local mediante o uso de uma âncora presa ao fundo do mar por uma corda (cabo). Este cabo que liga o barco à âncora é chamado de amarra. Normalmente fundeamos (ancoramos) durante um passeio com nosso barco quando pretendemos dar um mergulho, nadar ou praticar aquela gostosa pescaria. A primeira providência de quem pretende ancorar é escolher um bom local. Este bom local para largar a âncora deve ter as seguintes características: - ter um fundo de areia, lama ou cascalho (não se larga a âncora em locais com fundo de pedra); - ser um local protegido de ventos e correntezas (uma pequena enseada, por exemplo) - que não seja um local de constante passagem de outros barcos (é proibido ancorar em canais de acesso a outros lugares);

ARTIGOS PARA PESCA ESPORTIVA EM GERAL Grupos para pesca de praia e embarcada, com assessoria técnica especializada.

21 3763-9836 21 7237-5772 (VIVO) 21 7741-6555 ID 83*86766 Rua Alexandre Fleming, 678 Vila Nova - Nova iguaçu revendedor:

- que tenha uma profundidade compatível, nem muito raso e nem muito fundo. Feita a escolha do local, dirija-se agora para este local e quando já estiver próximo a ele avalie se há vento ou correnteza. Se houver, manobre seu barco de forma que você se aproxime deste local contra o vento e a correnteza, para que estes fenômenos da natureza ajudem a parar o barco. Quando estiver a cerca de 20 metros do local escolhido para ancorar, pare o motor e deixe o barco se aproximar deste local apenas com o seguimento do barco (quando paramos o motor, o barco não pára imediatamente, ele ainda se desloca mais um pouco até parar por completo). Quando o barco estiver sobre o local escolhido, segure na amarra e deixe a âncora cair (âncora não se joga para a frente, basta deixá-la cair). Ela descerá e tocará no fundo do mar, mas ainda não estará presa ao fundo (diz-se que ainda não unhou).

Para que a âncora unhe firmemente no fundo, engate motor a ré bem devagar e fique olhando para a amarra. Quando ela esticar firmemente é sinal de que a âncora unhou no fundo. Agora seu barco está ancorado mas ainda não comece a mergulhar ou pescar. Há outras providências a serem adotadas: A) Todo barco ancorado tem uma tendência de girar em redor da âncora ao sabor do vento e da correnteza. Para que a âncora não solte do fundo durante este giro, é necessário que a amarra tenha um comprimento adequado. Este comprimento da amarra é de cerca de 3 vezes a profundidade do local em caso de bom tempo ou de 5 vezes a profundidade em caso de ventos fortes. B) Avalie se há outros barcos ou perigos submersos na área de giro do barco enquanto estiver ancorado para que o barco não venha a bater nestes perigos durante seu giro.

É muito comum um barco fundeado vir a sair do local onde ele se encontra. Tal fato ocorre quando a âncora começa a arrastar no fundo causado pela ação do vento ou da correnteza. Para avaliar se seu barco continua no mesmo local onde você ancorou, adote o seguinte procedimento: verifique em terra dois ou mais pontos fixos (um poste, um coqueiro, uma casa, etc) e trace uma linha reta imaginária unindo seu barco e dois destes pontos fixos. Se algum tempo depois esta linha reta entre seu barco e os demais pontos não está mais reta, é porque seu barco saiu do local onde você fundeou e a âncora está arrastando no fundo. Veja a figura a seguir.

Autor: Sebastião Fernandes - Capitão amador Instrutor dos cursos de Arrais, mestre e Capitão Amador na Escola Náutica APRENDENDO A NAVEGAR de Balneário Camboriu/SC. Visite seu site: www.apredendoanavegar.com.br


Embarcando pela primeira vez : O que devo fazer? Atendimento 21 2135 8966 Comercial 21 7609 0052

S

aiba que 8 a cada 10 pescadores enjooam na primeira vez que embarcam nessa modalidade de pesca. E por isso é importante conhecer alguns procedimentos que podem aliviar esses sintomas e não acabar com a pescaria. O pescador não precisa exatamente vomitar para demonstrar o mal estar. Pode também estar com apenas mareado, e quando o pescador não vomita e esconde este mal maior.

AS CAUSAS: Enjoos são causados quando os olhos dizem ao cérebro que estamos parados, porém o estômago e os ouvidos dizem que não, continuamos a nos mexer; então o cérebro entra em confusão. Existem pessoas que não tem este tipo de problema, mas para quem tem vão umas dicas para amenizá-los até o pescador acostumar-se.

REMÉDIOS: Meia hora a uma hora antes de entrar no barco tome um comprimido para o enjoo, que pode encontrar em qualquer farmácia e é vendido sem receita médica (vomidrine, dramamine, marezine, bonine, benedryl). Estas são algumas das marcas de comprimidos à venda - pertencem quase todas à categoria dos anti-histamínicos e têm, normalmente, efeitos colaterais como a sonolência, boca seca e, em alguns casos, alterações da visão. Estas drogas são bastante eficazes e os seus efeitos variam, naturalmente, de indivíduo para indivíduo e duram de 6 a 8 horas. Cerca de uma hora depois do início da

contato@riopesca.com @ comercial@riopesca.com

viagem tome um 2º comprimido, mas tendo sempre atenção às indicações contidas na bula o que acompanha a embalagem do medicamento. O mais importante é você antes de tudo visitar um médico para saber suas reais condições. Somente ele (o médico) poderá receitar remédios que o ajudarão a combater este mau. Nunca tome qualquer remédio ou droga sem a prescrição médica.

PRECAUÇÕES: - Evite café, procure tomar chá, substitua o pão pela torrada ou biscoitos de água e sal (sem manteiga ou margarina); - Coma frutas, menos a banana que é pesada, ácida e de demorada digestão; - No dia da pescaria ou passeio no mar, tome um bom desjejum matinal, com pelo menos uma hora de antecedência. Mar e estomago vazio não combinam!

FORMAS DE PREVENIR O ENJÔOPREVINA-SEDEVÉSPERA Tente dormir uma noite descansada, com as horas de sono de que o seu organismo necessita; Não beba álcool - evite gorduras, cafeína e os excessos alimentares; Nunca embarque de estômago vazio. O enjoo deve ser prevenido antes do aparecimento dos primeiros sintomas, pois quando aparecem já pouco se pode fazer. Estes, porém, podem ser atenuados, através da aplicação de alguns dos seguintes “truques”: Pelo menos 30 horas antes de entrar

Embarcações Direção Genaro Braga

www.riopesca.com www.facebook.com/rio.pesca

no mar não ingira gorduras, comidas pesadas, doces em excesso e bebidas alcoólicas; Evite manter-se no interior do barco, em cabines ou outras – coloque-se no deck em local arejado; Não deixe que a cabeça acompanhe o movimento do barco – tente mantê-la fixa olhando o horizonte ou outro ponto de referência que esteja fixo (um objecto na costa, outro barco ao longe, etc) Coloque-se preferencialmente na popa do barco e longe do fumo e cheiro do combustível; Coma bolachas de água e sal e beba água; Ou coma duas colheres de mel; Passe água fria ou gelo na nuca; Pressione o umbigo com o dedo polegar durante 15 a 20 segundos – repita a cada 5 minutos; Respire fundo e lentamente; Mastigue pastilha elástica ou pastilhas de mentol.

+

RIO DE JANEIRO, 10 de Novembro de 2013

Página 09

O QUE LEVAR?

Rapalas e Garateia media e grande. Miçangas para quando o chumbo bater no girador não machucar a linha. Castroador de pelo menos um palmo ou empate de aço. Chumbo de vários peso de 30 gr a 100 gr até mais dependendo da correnteza que tiver no dia. Girador vários tamanhos. Anzóis pequeno a grande. Boiá grande e ser for a noite boiá luminosa. Linha de nylon 35mm para peixe pequeno, 40,50,60mm para cação ,prejereba ,Corvina etc… Para espada se você quiser emoção 35mm com vara de 15 a 30 libras se for na linhada use luvas para não cortar a mão.

OUTRAS DICAS

A linha de multi são as melhor mas pode ser linha mono no máximo 30.

Use TAMPÕES nos ouvidos – há uns em silicone outros em esponja …ouvidos bem tapadinhos …e depois a coca-cola bem fresca !!! Beber uma coca-cola antes de embarcar e outra uma hora depois do início da viagem; Juntar uma colher de sopa de uma drink (Campari, por exemplo) a meio copo de água e beber antes de embarcar; Pôr um adesivo a apertar o umbigo; Tapar um dos olhos – a explicação é que antigamente os piratas usavam este truque, não por falta de um dos olhos mas sim para evitarem o enjoo; Comer uma lasca de bacalhau salgado crú (não demolhado) assim que entrar no barco.

Leve também material leve porque além de não ter estruturas e nem pedras para quebrar a linha a emoção e grande. Elástico para amarrar as iscas e leve também sabiki Não esquecer material para lulas ( elas quase sempre aparecem na pescaria ) Iscas: Artificiais, Sardinha , Camarão e lula Não esqueça: Protetor solar , chapéu , comprimido para enjoo , óculos , muito liquido, comida leve. No chicote - Pernadas igual da de pesca de praia com uma pernada longa mas não deixe de levar de 2 ou 3 também


Pesqueiros Página 10

RIO DE JANEIRO, 10 de Novembro de 2013

Direção Genaro Braga

Gragoatá - Niterói

A Prefeitura de Niterói foi a única que se preocupou em colocar esperas de varas para que o pescador possa pescar sem problemas. Embora essas esperas estejam tortas e precisando de novas, mesmo assim a Prefeitura estará de parabéns se trocar as esperas por novas. Um exemplo que deveria ser seguido pela Prefeitura do Rio. Atendimento 21 2135 8966 Comercial 21 7609 0052

contato@riopesca.com @ comercial@riopesca.com

www.riopesca.com www.facebook.com/rio.pesca

Conheça alguns dos principais pesqueiros encontrados no Rio 19

1 2

C

3

omo podemos reparar o Rio de Janeiro possui uma das melhores opções para a pesca em todo o vasto litoral Brasileiro. Seja em qualquer tipo de modalidade de pesca, o esportista encontra, em um raio de até 150 km, quaisquer modalidades de pesca ou espécie de peixes que desejar e com fartura. Mar, rios, represas ou

4

canais, praias, costões, ilhas, barcos, traineiras ou pesca de oceâno, robalos-flecha, tucunarés, dourados (tanto o de água salgada como o de doce), pirapitingas, trutas, pampos e mais uma incontável variedade para encher os olhos dos fãs do esporte. Onde, como e o que cariocas ou visitantes quiserem pescar, o Rio de Janeiro tem. Como exemplo

56

7 8

disso é a quantidade de turistas de pesca cada vez mas visitando a nossa cidade em busca de fortes emoções. É importante porém, salientar dois aspectos básicos, um de cada das modalidades abordadas. A pesca de praia pode ser considerada, dentre todas as modalidades conhecidas, a mais complexa. Porque, além de

18 17 16 15 14 13 12 9 1011

técnicas, o pescador precisa saber interpretar todas as circunstâncias meteorológicas e naturais possíveis, como mar agitado, ventos, correntezas e marés, entre outras. Isso exige raciocínio lógico e material adequado para arremessos em distâncias variadas, também é necessário um bom grau de experiência para não se frustrar ao sair da praia

20

21

22

com poucas capturas. Para isso o Jornal Rio Pesca foi em busca dos mas conhecidos pesqueiros do nosso litoral e conversamos com os frequentadores para decifrar a infraestrutura do local e para que os visistantes conheçam os tipos de peixes encontrados nesses pesqueiros como mostra a tabela ao lado.


Pesqueiros

19

MELHOR PERÍODO

PRAÇA XV

PEIXES Cocoroca - Espada Corvina - Garoupa Baiacu - Bagre Olho de cão Cavalinha

MELHOR PERÍODO

PEIXES

Corvina - Cocoroca Espada - Anchova Sargo - Cavalinha Xerelete - Cioba Olho de cão - Lula

MELHOR PERÍODO

PEIXES Cocoroca - Espada Corvina - Garoupa Baiacu - Bagre Olho de cão Cavalinha, Robalo

15

21

MELHOR PERÍODO

PEIXES Cocoroca - Espada Cavalinha - Robalo Olho de cão - Lula bICUDA

MELHOR PERÍODO

PEIXES Cocoroca - Corvina Baiacu - Bagre Anchova - Pescada Branca - Betara e Ubarana

16

MELHOR PERÍODO

22

PEIXES Cocoroca - Espada Cavalinha - Robalo Olho de cão - Lula Corvina

MELHOR PERÍODO

PEIXES Cocoroca - Corvina Baiacu - Bagre Anchova - Pescada Branca - Betara e Ubarana

10 de Novembro de 2013

6 COSTA BRAVA

PEIXES

Corvina - Espada Cocoroca - Pampo Porco - Betara Bagre - Carapeba Marimba - Lula

11

MELHOR PERÍODO

12 COPACABANA

PEIXES

Corvina - Baiacu Cocoroca - Pampo Galhudo- Betara Bagre - Ubarana Parati-barbudo

CANAL DA BARRA

BARRA -POSTO 8

MELHOR PERÍODO

MELHOR PERÍODO

ARPOADOR

PEIXES

Corvina - Viola Cocoroca - Betara Bagre - Baiacu Michole - Carapicu

SEM INFRAESTRUTURA

14

20

LEBLON

Corvina - Anchova Xerelete - Pampo Galhudo - Betara Bagre - Carapeba Marimba - Espada

10

PEIXES

Corvina - Cocoroca Pampo - Xeréu Betara - Bagre Carapeba - Michole Parati-barbudo

5

RIO DE JANEIRO,

PEIXES

Corvina - Cocoroca Espada - Anchova Sargo - Cavalinha Robalo - Cioba Olho de cão - Lula

17

MELHOR PERÍODO

18

PEIXES Cocoroca - Espada Corvina - Garoupa Baiacu - Bagre

AEROPORTO S.DUMONT

LEME

PEIXES

Corvina - Viola Cocoroca - Pampo Galhudo- Betara Bagre - Carapeba Ubarana - Roncador

PEIXES

MELHOR PERÍODO

MELHOR PERÍODO

PORCÃO - ATERRO

MELHOR PERÍODO

9

MELHOR PERÍODO

LAGE DA NIEMEYER

PEIXES

Corvina - Viola Cocoroca - Pampo Galhudo- Betara Bagre - Carapeba Ubarana - Roncador

8

PEDRA DO LEME

13

MELHOR PERÍODO

APENAS ESTACIONAMENTO

GRAGOATÁ - NITEROI

SÃO CONRADO

7

PEIXES

Corvina - Anchova Xerelete - Pampo Galhudo - Betara Bagre - Carapeba Marimba - Espada

4

IPANEMA -POSTO 9

APENAS ESTACIONAMENTO

MELHOR PERÍODO

MURETA DA URCA

PEIXES

Corvina - Robalo Cocoroca - Peixe Galo - Betara Bagre - Garoupa e Baiacus-mirins

PRAIA VERMELHA

Corvina - Viola Cocoroca - Pampo Xereu- Betara Bagre - Carapeba Marimba - Lula

PIRATININGA - NITEROI

PEIXES

3

MELHOR PERÍODO

ITAIPUAÇU - NITEROI

2

MELHOR PERÍODO

PRAINHA

GRUMARI

1

@

Direção Genaro Braga

www.riopesca.com www.facebook.com/rio.pesca

contato@riopesca.com comercial@riopesca.com

PONTAL

Atendimento 21 2135 8966 Comercial 21 7609 0052

Página 11

MELHOR PERÍODO

PEIXES

Corvina - Espada Cocoroca Carapeba Marimba - Lula Garoupas e Baiacu

MELHOR PERÍODO

PEIXES

Corvina - Viola Cocoroca - Pampo Betara - Bagre Ubarana - Parati Michole

MELHOR PERÍODO

PEIXES Cocoroca - Espada Corvina - Garoupa Baiacu - Bagre Robalo APENAS ESTACIONAMENTO

+ LEGENDAS DE INDENTIFICAÇÃO ESTACIONAMENTO ILUMINAÇÃO BANHEIROS

SEGURANÇA LANCHES TODOS OS PESQUEIROS FORAM TESTADOS PELA NOSSA EQUIPE


Técnicas de Pesca Página 12

RIO DE JANEIRO, 10 de Novembro de 2013

Direção Genaro Braga

Atendimento 21 2135 8966 Comercial 21 7609 0052

contato@riopesca.com @ comercial@riopesca.com

www.riopesca.com www.facebook.com/rio.pesca

EVOLUÇÃO TÉCNICA DA PESCA ESPORTIVA NO RIO DE JANEIRO - Parte 2 ARTIGO: José Vinicio Costa de Toledo

C

omo publicamos na edição anterior " Os estilos de pesqueiros que encontramos no Estado daremos continuidade a essa matéria levando ao leitor as estruturas encontradas em diversas modalidades de pesca oferecida pelo nosso Rio de Janeiro uma cidade realmente abençoada na qual podemos usufluir de várias opções de pescaria, esse tipo de cidade com tanta divercidade de pesca não é muito comun em outros estados, por isso acreditamos que o Rio de Janeiro tem um grande potencial de mercado de pesca

1

PRAIA DE MAR ABERTO

Estrutura de pesqueiro mais comum em litorais. São praias típicas de surfistas, com ondas e marolas. Podemos citar alguns exemplos como Praia de Copacabana, Ipanema, Barra da Tijuca e Itaipuaçú. Neste estilo de pesqueiros encontramos forte corrente de água, os peixes tem

CONJUNTOS CLÁSSICOS DE MATERIAIS: VARA – ENTRE 3,90m E 4,50m TOTALMENTE RÍGIDA COM LEVE FLEXIBILIDADE NA PONTA MOLINETE – GRANDE E COM O CARRETEL CÔNICO

LINHA – 0,18m.m A 0,25m.m ANZÓIS – MARUSEIGO Nº 12

EMPATADO COM LINHA 0,40mm, E N° 14 EMPATADO COM LINHA 0,45mm, PERNADA ENTRE 60cm E 1m

ARRANQUE – 0,50m.m A 0,60m.m CHICOTE – 50m.m a 0,60m.m de

acordo com a espessura do arranque

CHUMBO – PIT-BOMBER DE 125gr A 150gr E PIRÂMIDE Nº 04 e 05 Distorcedor de pelo menos 40lb e grampo de aço com pelo menos 80mm

tendências de se alimentar caçando minhocas de areia, corruptos e tatuís, sempre em constante movimento. Por isso , para conseguirmos capturá-los temos que procurar poitar (ancorar) o chumbo dentro d água, para que o peixe possa encontrar á isca ao passar por ela.

? MÉDIA DE TEMPO DE ESPERA COM A LINHA NA ÁGUA BEIRA ENTRE 3 E 10 MINUTOS

MEIA-ÁGUA

ENTRE 5 E 10 MINUTOS

FUNDO

ENTRE 10 E 20 MINUTOS

+ PEIXES MAIS COMUNS Pampo, Galhudo, Riscadinho, Papa-terra, Corvina, Baiacu Arara e Cação viola

2

PRAIA DE ENSEADA DE BAIA

Estrutura de praia encontrada dentro de baias, um exemplo prático é a nossa famosa baia de guanabara na qual encontramos praias como á praia de icaraí em niterói, nesse estilo de praia com águas sempre tranquilas, o peixe tem a tendência de se alimentar fuçando as estruturas submersas muitas vezes entre os corais ou buracos que se formam ao fundo, para encontrar micro-organismos ficam entocados (escondidos) e não costumam se locomoverem por grandes distancias quando estão se alimentando neste tipo de pescaria. Quando a maré está parada os peixes têm tendência a atacar as isca quando estão sendo movimentadas pelo pescador. Uma técnica bastante funcional para incentivar o apetite do peixe, é arrastar lentamente o chumbo, fazendo a isca passar por varias estruturas submersas onde os cardumes estão a espera dos alimentos. Essa ação provoca uma sutil remoção de micro organismos que estão misturados ao lodo e a areia do fundo, e por onde o chumbo passa é formado um rastro que é semelhante á uma poei-

ra, o peixe associa essa nuvem de poeira como uma fonte de alimento e ataca á isca.

CONJUNTOS CLÁSSICOS DE MATERIAIS: VARA – ENTRE 3,30m E 4,20m TOTALMENTE RÍGIDA COM LEVE FLEXIBILIDADE NA PONTA MOLINETE – GRANDE E COM O CARRETEL CÔNICO LINHA – 0,18mm A 0,25mm ANZÓIS – MARUSEIGO Nº 10 EMPATADO COM LINHA 0,35m.m, E N° 12 E 14 EMPATADO COM LINHA 0,40mm, PERNADA ENTRE 60cm E 1m ARRANQUE – 0,40mm A 0,50mm CHICOTE – 0,40mm a 0,50mm de acordo com a espessura do arranque CHUMBO – PIT-BOMBER DE 75gr A 120gr Distorcedor de pelo menos 40lb e grampo de aço com pelo menos 80mm

? MÉDIA DE TEMPO DE ESPERA COM A LINHA NA ÁGUA BEIRA

+ PEIXES MAIS COMUNS Carapicu, Cocoroca, Michole, Peixe-Porco, Marimba, Corvina.

ENTRE 3 E 5 MINUTOS

MEIA-ÁGUA

ENTRE 5 E 10 MINUTOS

FUNDO

ENTRE 10 E 20 MINUTOS


Técnicas Atendimento 21 2135 8966 Comercial 21 7609 0052

3

@

contato@riopesca.com comercial@riopesca.com

4

MOLES

Estrutura de pesqueiros que encontramos em calçadões ou barrancos, sempre com pedras nas margens ou submersas, sempre dentro de baías, os peixes se alimentam do mesmo jeito escrito anteriormente em praias de baia. Os exemplos mais conhecidos

CONJUNTOS CLÁSSICOS DE MATERIAIS: VARA – ENTRE 2,70M A 3,30M

TOTALMENTE RÍGIDA COM LEVE FLEXIBILIDADE NA PONTA

MOLINETE – PEQUENO A PORTE MÉDIO

LINHA – 0,14mm A 0,20mm ANZÓIS – MARUSEIGO Nº 6 E 8

EMPATADO COM LINHA 0,30m.m, E N° 10 EMPATADO COM LINHA 0,35mm, PERNADA DE 60cm

ARRANQUE – 0,30mm A 0,40mm CHICOTE – 0,30mm a 0,40mm de

acordo com a espessura do arranque

CHUMBO – PIT-BOMBER DE 75gr E BATATINHA DE 30gr A 50gr Distorcedor de pelo menos 20lb e grampo de aço com pelo menos 60mm

popularmente destes pesqueiros aqui no do Rio de Janeiro são: Urca, Praça 15 e Gragoatá em Niterói, as espécies mais típicas são as mesmas citadas anteriormente na parte que falamos das espécies encontradas nas praias de baía.

? MÉDIA DE TEMPO DE ESPERA COM A LINHA NA ÁGUA BEIRA ENTRE 3 E 5 MINUTOS

MEIA-ÁGUA

ENTRE 5 E 10 MINUTOS

FUNDO

ENTRE 10 E 20 MINUTOS

+ PEIXES MAIS COMUNS Carapicu, Cocoroca, Michole, Peixe-Porco, Marimba, Corvina

Direção Genaro Braga

www.riopesca.com www.facebook.com/rio.pesca

COSTÃO

Esta é a estrutura que mais oferece riscos ao pescador, o principal é ter sempre atenção, pois todo o cuidado é pouco,e quanto menos material o pescador

levar, melhor será a sua performance. Leve somente o que for necessário, pois esta estrutura é bem semelhante a um penhasco ilhado.

? CONJUNTOS CLÁSSICOS DE MATERIAIS: VARA – ENTRE 3,90m E 4,50m

TOTALMENTE RÍGIDA COM LEVE FLEXIBILIDADE NA PONTA

MÉDIA DE TEMPO DE ESPERA COM A LINHA NA ÁGUA BEIRA ENTRE 3 E 10 MINUTOS

MEIA-ÁGUA

MOLINETE – GRANDE E COM O

ENTRE 5 E 10 MINUTOS

LINHA – 0,25mm A 0,35mm ANZÓIS – MARUSEIGO Nº 12

ENTRE 10 E 20 MINUTOS

CARRETEL CÔNICO

EMPATADO COM LINHA 0,40mm, N° 14 EMPATADO COM LINHA 0,45mm, N° 16 EMPATADO COM LINHA 0,50mm, PERNADA ENTRE 60cm E 1m

ARRANQUE – 0,50mm A 0,60mm CHICOTE – 0,50mm a 0,60mm CHUMBO – PIT-BOMBER DE 125gr A 150gr E MODELO PIÃO DE 120 Á 150GR Distorcedor de pelo menos 40lb e grampo de aço com pelo menos 80mm

FUNDO

+ PEIXES MAIS COMUNS Peixe-Espada, Garoupa, Bandejo, Cherne, Robalo, Marimba, Sargo, Sargento, Pampo Galhudo, Corvina, Cocoroca, Xerelete, Sernambiguara, Enxada, Peixe-Porco, (Perua), Anchova, Tainha, Etc.

RIO DE JANEIRO, 10 de Novembro de 2013

Página 13


Técnicas Página 14

RIO DE JANEIRO, 10 de Novembro de 2013

Direção Genaro Braga

4

Atendimento 21 2135 8966 Comercial 21 7609 0052

contato@riopesca.com @ comercial@riopesca.com

PLATAFORMA

Esta estrutura não é muito encontrada no nosso estado. Estruturas com pontes, cais e píer, encontradas tanto dentro das baías em mar aberto, os exemplos mais populares que podemos citar nos pesqueiros aqui no Rio são: Píer da Barra no Posto Zero, Píer da praia de São Bento na Ilha do Governador e ponte da ilha do governador.

CONJUNTOS CLÁSSICOS DE MATERIAIS: VARA – ENTRE 2,70M A 3,60M TOTALMENTE RÍGIDA COM LEVE FLEXIBILIDADE NA PONTA MOLINETE – PEQUENO A

PORTE MÉDIO LINHA – 0,25mm A 0,35mm

ANZÓIS – MARUSEIGO Nº 12

EMPATADO COM LINHA 0,40m.m, E N° 14 EMPATADO COM LINHA 0,45mm, PERNADA DE 60cm

ARRANQUE – 0,35mm A 0,40mm CHICOTE – 0,30mm a 0,40mm de

acordo com a espessura do arranque

CHUMBO – PIT-BOMBER DE 100gr E BATATINHA DE 50gr Distorcedor de pelo menos 40lb e grampo de aço com pelo menos 80mm

Espécies que variam de acordo com o tipo de mar, se a plataforma for em mar aberto iremos encontrar as espécies citadas na parte onde falamos sobre as espécies que habitam com mais freqüência o mar aberto e se for baia iremos encontrar as espécies citadas na parte que falamos das espécies que a habitam mais as baias.

? MÉDIA DE TEMPO DE ESPERA COM A LINHA NA ÁGUA BEIRA ENTRE 3 E 5 MINUTOS

MEIA-ÁGUA

ENTRE 5 E 10 MINUTOS

FUNDO

ENTRE 10 E 20 MINUTOS

+ PEIXES MAIS COMUNS Carapicu, Cocoroca, Michole, Peixe-Porco, Marimba, Corvina. Pampo, Galhudo, Riscadinho, Papa-Terra, Baiacu Arar E Cação Violá

5

www.riopesca.com www.facebook.com/rio.pesca

LAGOA

Esta estrutura de águas mansas e salobras, ideal para a reprodução de variadas espécies de peixes, por

CONJUNTOS CLÁSSICOS DE MATERIAIS: VARA – ENTRE 1,80M A 2,70M TOTALMENTE RÍGIDA COM LEVE FLEXIBILIDADE NA PONTA MOLINETE – PEQUENO LINHA – 0,14mm A 0,20mm ANZÓIS – MARUSEIGO Nº 6 E 8

EMPATADO COM LINHA 0,30mm, E N° 10 EMPATADO COM LINHA 0,35mm, PERNADA ENTRE 60cm

ARRANQUE – 0,30mm CHICOTE – 0,30mm de acordo com

a espessura do arranque

CHUMBO – BATATINHA DE 30gr A 50gr DE ACORDO COM A VARA Distorcedor de pelo menos 20lb e grampo de aço com pelo menos 60mm

isso trata-se de um berçário de alevinos, sendo difícil capturarem peixes de maiores portes.

? MÉDIA DE TEMPO DE ESPERA COM A LINHA NA ÁGUA BEIRA ENTRE 3 E 5 MINUTOS

MEIA-ÁGUA

ENTRE 5 E 10 MINUTOS

+ PEIXES MAIS COMUNS Carapicu, Bagre, Corvinotas E Mamareis (Famoso Peixe Rei), e em algumas épocas do ano podemos encontrar os Robalos.


Técnicas Atendimento 21 2135 8966 Comercial 21 7609 0052

6

contato@riopesca.com @ comercial@riopesca.com

7

CANAL

Estrutura de saída e entrada de lagoa que deságua no mar, encontramos grandes movimentações de cardumes, pois se trata de uma passagem de

CONJUNTOS CLÁSSICOS DE MATERIAIS: VARA – ENTRE 1,80M A 2,70M TOTALMENTE RÍGIDA COM LEVE FLEXIBILIDADE NA PONTA MOLINETE – PEQUENO LINHA – 0,14mm A 0,20mm ANZÓIS – MARUSEIGO Nº 6 E 8

EMPATADO COM LINHA 0,30mm, E N° 10 EMPATADO COM LINHA 0,35mm, PERNADA ENTRE 60cm

ARRANQUE – 0,30mm CHICOTE – 0,30mm de acordo com

a espessura do arranque

CHUMBO – BATATINHA DE 30gr A 50gr DE ACORDO COM A VARA Distorcedor de pelo menos 20lb e grampo de aço com pelo menos 60mm

peixes, as espécies encontradas nos canais são as mesmas citadas na parte que falamos das espécies que habitam nas lagoas.

? MÉDIA DE TEMPO DE ESPERA COM A LINHA NA ÁGUA BEIRA ENTRE 3 E 5 MINUTOS

MEIA-ÁGUA

ENTRE 5 E 10 MINUTOS

+ PEIXES MAIS COMUNS Carapicu, Bagre, Corvinotas E Mamareis (Famoso Peixe Rei), E Em Algumas Épocas Do Ano Podemos Encontrar Os Robalos.

Direção Genaro Braga

www.riopesca.com www.facebook.com/rio.pesca

CAIS

Estrutura que lembra uma plataforma, sua diferença é que fica numa altura bem mais baixa. Este tido de estrutura é encontrado próximo de estaleiros, portos e marinas, sua função é facilitar o acesso de embarque

CONJUNTOS CLÁSSICOS DE MATERIAIS: VARA – ENTRE 1,80M A 2,70M TOTALMENTE RÍGIDA COM LEVE FLEXIBILIDADE NA PONTA MOLINETE – PEQUENO LINHA – 0,14mm A 0,20mm ANZÓIS – MARUSEIGO Nº 6 E 8

EMPATADO COM LINHA 0,30mm, E N° 10 EMPATADO COM LINHA 0,35mm, PERNADA ENTRE 60cm

ARRANQUE – 0,30mm CHICOTE – 0,30m de acordo com a

espessura do arranque

CHUMBO – BATATINHA DE 30gr A 50gr DE ACORDO COM A VARA Distorcedor de pelo menos 20lb e grampo de aço com pelo menos 60mm

e desembarque, nestes pesqueiros são encontrados peixes de variados portes sendo a grande maioria de porte pequeno e médio, as espécies variam muito com o tipo de mar onde o cais se encontra.

? MÉDIA DE TEMPO DE ESPERA COM A LINHA NA ÁGUA BEIRA ENTRE 3 E 5 MINUTOS

MEIA-ÁGUA

ENTRE 5 E 10 MINUTOS

+ PEIXES MAIS COMUNS Pampo, Galhudo, PapaTerra, Cocoroca, Carapicu e Michole

RIO DE JANEIRO, 10 de Novembro de 2013

Página 15


Pesca Ultralight

Página 16

RIO DE JANEIRO, 10 de Novembro de 2013

Direção Genaro Braga

Dica

Os Shads pode se trabalhar de diversas formas. No fundo ou com toques ou com arrasto, na meia água ou com toques ou com recolhimento contínuo rápido ou lento. Nos dias em que os robalos estão suspensos na meia água, mas não estão atacando os plugs, os Shads com toques ou recolhimento contínuo dão bons resultados. Atendimento 21 2135 8966 Comercial 21 7609 0052

contato@riopesca.com @ comercial@riopesca.com

Material Ultralight, uma nova mania DICAS DE PESCARIA E EQUIPAMENTOS ADEQUADOS PARA ESSA NOVA MODALIDADE DE PESCA

+

www.riopesca.com www.facebook.com/rio.pesca

Material utilizado

VARAS: de 4-8lb e 2-8lb e 4-10lb MOLINETES: Tamanho micro, e tamanho 1000 do

padrão shimano

LINHAS: Nano Fil 4lb (Berkley) e Power Shot 12lb 0.08mm (maruri) ISCAS: Iscas Soft ( Grubs e Shads de até 2 polegadas)

com jigheads de até 2g, Plugs de barbela de até 4cm (floating, sinking e suspending)

ARTIGO:

Roberto Mello "Bob" da Loja Pesca Del Mare

O

que parece loucura para alguns, para outros é material indispensável na sua tralha de pesca: o material ultraligth, ou o material ultraleve, tem se transformado em uma mania para muitos pescadores no Rio de Janeiro, e o seu uso pode se traduzir em sensibilidade. Basicamente, o material “Ultralight” é composto de varas para linhas com resistência até oito libras, equipadas com molinetes pequenos e leves, e iscas de quatro a cinco centímetros no máximo. Este conjunto equilibrado de forma correta, com certeza fará com que a sensação da briga com aquele xaréuzinho pescado na beira de cais se transforme num combate com a esportividade bem maior, proporcionando uma emoção muito maior, e te obrigando a utilizar da sua técnica de forma muito mais apurada para não deixar que o seu troféu escape. Além disso, arremessar aquela isquinha peso pena, naquele lugarzinho certinho, e trabalha-la sutilmente até o ataque do peixe, já será um bom desafio e um grande prazer ao mesmo tempo. Foi com esta ideia e com este material que partimos para pescar na Baia de Guanabara, mais exatamente na Pedra da Onça, lá dentro da Ilha do Governador, um local que podemos considerar como extremamente agredido pela poluição ambiental. E o que encontramos lá foi uma triste realidade. A nossa Baía de Guanabara, a porta de entrada da nossa linda cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro, já não suporta mais tanta agressão com despejo de lixo de todo tipo e gênero, com esgoto sem tratamento, com a

Bob, da Loja Pesca Del Mare, utilizando a tecnica da pesca "Ultralight" pesca comercial que não respeita nem defesos e nem tamanhos mínimos de captura. O que vimos e constatamos lá foi uma Baia que esta doente e correndo um grande risco. Podemos afirmar que devido justamente a essa grande pressão da pesca e da infeliz poluição, a quantidade e o tamanho dos peixes vem a cada ano diminuindo. É nessa hora que o “Ultralight” pode mostrar toda a sua versatilidade. Peixes pequenos e até mesmo aqueles pouco maiores garantem a diversão do pescador. Chegamos lá por volta das sete da manhã, com uma maré de “minguante” que quase não corria ou fazia grandes variações na altura da água. É exatamente essa mexida da maré que agita o fundo da areia e mostra os alimentos aos peixinhos, mas a falta disso acaba se tornando um fator ruim para a nossa pescaria. Resolvemos esperar um pouco a movimentação da maré, e enquanto isso fizemos um bom lanche, arrumamos as tralhas, seleciona-

mos os pequenos “grubs e plugs de barbela” da nossa preferência. E logo depois dos primeiros arremessos veio a nossa primeira captura: um xaréu-olhudo, que no ultraligth proporcionou uma linda briga na varinha oito libras, e de quebra deu a dica da isca do dia, o Grub, que traduzido significa “larva”, e consiste numa isca de borracha macia com um rabinho, e um anzol com um pesinho na ponta, passando por dentro dela, que tem o nome de “jig head”. Essas pequenas iscas soft se mostraram muito eficazes, e após uma série de arremesso após arremesso, indicavam que o peixe estava ali, porém ainda não atacam as iscas com vontade, e estavam muito manhosos e desconfiados. Decidimos então aumentar o peso dos jig head hooks para 1,5 grama, e passamos de cores cítricas para cores mais neutras e ... Bingo! Era um peixe após o outro. Eles atacavam, eram capturados e em

seguida liberados. E o trabalho mais eficiente foi sempre o de recolhimento contínuo, e bem devagar. Com isso passamos praticamente todo o dia na companhia dos pequenos xaréus, que nos proporcionaram momentos lindos de esportividade. Infelizmente, há de se relatar que o cheiro bem desagradável de esgoto fez com que a gente mudasse constantemente de lugar, além de termos que desviar nossas iscas dos lixo trazido pela maré. Até mesmo um “cardume de 3 preservativos” passaram na maré, nos arrancando algumas risadas, mesmo estando indig-

nados . Um dos momentos mais produtivos foi quando direcionamos nossos arremessos próximos aos pilares de um cais em construção. Cada arremesso era acompanhado da certeza de uma captura. Vale ressaltar que, para evitar problemas, deve-se repeitar a proximidade da área militar que se encontra logo do outro lado dos pilares, pois ali já é o limite para a área restritiva de pesca do Exército, podendo ate o pescador ver seu material apreendido pelos militares se insistir a pescar a partir dali. Para concluir esta matéria, podemos dizer que assim como este pesqueiro da Pedra da Onça, existem outros bons pontos de pesca onde podemos fazer excelentes pescarias utilizando material ultralight espalhados pela cidade do Rio de Janeiro, todos de fácil acesso, e que podem proporcionar momentos aprazíveis e emocionantes, recheados de esportividade. Na próxima matéria vamos apresentar a vocês outro ponto em outro bairro tradicional da nossa cidade.


Quem disse que pescador não ouve música?

O Rock também faz parte dessa paixão

Gincana da Primavera Evento realizado pela loja pelo Clube Náutico Gonçalense com o apoio da “Aquática” de São Gonçalo atrai diversos pescadores da região.

R

ealizada em 19 de outubro de 2013, no CNG, com início às 8h e com término às 15h, teve a participação de 23 lanchas e um total de 76 participantes. Em um ambiente de muita amizade e alegria, onde todos puderam perceber a intenção do Diretor Social Alexandre Toffano, da importância da participação de um número cada vez maior de sócios do clube e seus famíliares, tendo como meta para a próxima gincana ultrapassar o número de 100 participantes. Parabéns à diretoria do CNG bem como ao seu Comodoro, o Sr. Orlando da Silva pelo excelente trabalho realizado no CNG, em especial nesta maravilhosa Gincana da Primavera.

+ LANCHAS PARTICIPANTES SONHO MEU II, PIQUITO FOREVER, FERRO VELHO, OCEAN STAR, ATOL III, SCANERS, MY MORENA, ESTRELA SOLITARIA I, TORO’, AGAPE V, SOBERANIA, NÃO SE AFOBE NÃO, FERRARI RIO, FRANAN, NARAKA, LAMA PRETA, PRINCESA LETICIA, RELUDA, VILLA VICTORIA e BUZUNTA

Evento Direção Genaro Braga

RIO DE JANEIRO, 10 de Novembro de 2013

Página 17

Ganhadores da Gincana 1 Lugar - Lancha ROCK ROLL 2 Lugar - Lancha MARLUMAR III 3 Lugar - Lancha NILMAR

Ganhador da maior peça Lancha MARLUMAR III


Página 18

RIO DE JANEIRO, 10 de Novembro de 2013

Direção Genaro Braga

www.riopesca.com

Caiaques

Simone Novo

Curiosidade

Falaremos dos caiaques Duplos e suas Vantagens

Caiaque duplo O caiaque Explorer Fishing foi desenvolvido

+ DICAS DO MÊS:

exclusivamente para sua pescaria

O

O caiaque Explorer Fishing é muito seguro e divertido! Você e sua família vão passar momentos muito agradáveis e com diversão garantida. Tanto para 1 ou 2 passageiros a remada vai ser macia e com bastante estabilidade, além de ser uma ótima ferramenta para pesca com seus 4 porta varas e 2 tampas de inspeção e espaço o suficiente para sua tralha faz do Explorer

Fishing o melhor caiaque para pesca acompanhado. Com cores variadas e navegabilidade com estrema qualidade vocês poderão desfrutar de um ótimo passeio em família ou mesmo uma pescaria com aquele amigo. O Explorer Fishing ainda vem com dois bancos ajustáveis completos fazendo as diversas horas de pescaria mais prazerosas e

caiaquesecias@gmail.com

www.caiaquesecias.com.br

Na Próxima edição

O Caiaque nasceu na Groenlândia e existe desde tempos imemoriais, servindo de meio de pesca e trabalho aos esquimós

seu casco foi concebido para ser o mais estável possível, sem deixar de lado a a execução da manobra e o bom desempenho, além de ser a melhor opção para sua pescaria ou mesmo para seus passeios.

www.facebook.com/rio.pesca

menos incomodas. Diversão e segurança são os pontos fortes desse caiaque, lembrando sempre utilize coletes salva vidas. Com diversas opções de acessórios que podem ser adicionados, podemos citar alguns bem simples que já ajudam bastante na nossa modalidade. Tais como carrinho de transporte, porta-varas esternos com movimento, elásticos aranha e suporte de motor são alguns dos itens que podem ser adicionados, assim deixando seu caiaque ainda melhor . Na próxima edição vamos falar sobre o encontro de caiaques em Boiçucanga, São Paulo, que vai acontecer nos dias 15 e16 de novembro. Estarei lá com meus amigos grupo do CPC RJ. “Grupo de pesca com Caiaque do Rio de Janeiro”.

!

E não podemos esquecer de falar da pescaria de caiaque, te possibilitando pescar com isca artificial e natural. Assim podendo explorar encostas com espécies de peixes mais cobiçados dos pecadores como:

1

Ancoras ( poitas ) de 2,5 a 3 kg tipo, garateias de inox

2

Carrinho desmontável da Bruden Náutica

3

Colete salva vidas com design em especial para remadas Bruden Náutica

4

Cooler para bebidas e para a isca ficar fresquinha

5

Salva vara, para ter sempre seu material com segurança

Robalo, Badejo, Pampo e outros. E claro, para isca natural não pode esquecer o cooler para manter sua isca fresquinha, atraindo mais peixe, assim sua pescaria fica mais garantida.


www.riopesca.com

www.facebook.com/rio.pesca

Artificiais

Direção Genaro Braga

Eduardo Barreira

Na Próxima edição

Nervosa a isca que fez a diferença

RIO DE JANEIRO, 10 de Novembro de 2013

Página 19

metalz.jumpingjig@gmail.com www.riopesca.com

A isca nervosa foi uma das iscas mais usadas em itacuruça quando os jumping jig começaram a ser introduzidos no mercado do Rio de Janeiro

A Coringa dos jumping jig Hoje vamos falar do Sapinho Um das melhores iscas artificiais do mercado

A

migo pescador , dando continuidade na pesca com jumping jig , nesta edição falaremos do tão consagrado sapinho , isca que tem um formato que de nada parece com um sapo , alguns chamam de lulinha , mas isso não vem ao caso. Hoje em dia, existem inúmeros fabricantes com cores que vão do branco a cores muito inusitadas como o roxo com preto; normalmente a gente pensa “Isca preta? Como seria possÍvel?”. Ao longo dos tempos , os adeptos da pesca com jumping jig, foram modificando cores e brilhos para chegar ao mais próximo de pequenos peixes, crustáceos e moluscos.

TÉCNICAS DA PESCA COM SAPINHO Existem muitas técnicas para o uso do sapinho , vou focar na mais utilizada e que da melhores resultados , e uma coisa que tenho visto junto aos pescadores iniciantes na pesca com sapinho é a forma certa de prender os suportes Se você estiver pescando junto as ilhas no qual a isca é arremessada junto as cracas , deixamos a isca vir descendo junto com as ondas que se formam assim a isca vem quase que varrendo as cracas , muitas vezes prendendo , para que isso não aconteça nunca deixe que a isca fica

Glow ( tatuí )

Preto com gliter amarelo efeito em laranja ( marisco)

Ela se tornou uma isca que não pode faltar na caixa de pesca , pois apresenta inúmeras técnicas para a pesca. Irei citar algumas.

Pescando com jumping jig Sapinho

Utilizando as de 15 gramas, podemos pescar os peixes junto às cracas (com um suport), como já é feito com as famosas iscas pindoca; com as de 30 gramas, usamos nas lajes submersas, lugares não muito fundo ( com dois suport ); e as de 55 gramas em diante, para lugares mais fundos ou quando há correntesa por influência de dias de grandes marés, como dias de lua cheia e nova.

Se eu for falar aqui que essa isca foi feito para o pampo especialmente, estarei mentindo, pois, a cada dia que passa, uma nova isca aparece no mercado e, se tratando de pesca em água salgada, especialemente com jumping jig, nunca se sabe o que vai trancar na ponta de sua linha; claro que muitas iscas nasceram com o intuito de atraiar um certo peixe, mas isso nem sempre acontece, portanto, a isca sapinho é sim uma isca versátil.

São inúmeros peixes que podem ser pegos no sapinho; vou citar alguns Vão de simples cocorocas, bagres, corvinas, pampos, robalos, badejos e até peixes de passagem como olho de boi, olhete e anchova.

Se você estiver pescando próximo a lajes ou cascalhos a pesca é feito da seguinte forma , deixamos a isca bater no fundo , e damos toques seguidos , ou damos toques longos seguidos de uma parada a cada toque de ponta de vara

+ DICAS DE MONTAGEM Existem muitas técnicas para o uso do sapinho , vou focar na mais utilizada e que da melhores resultados , e uma coisa que tenho visto junto aos pescadores iniciantes na pesca com sapinho é a forma certa de prender os suportes

A maneira certa de prender os suport e a linha , assim a isca trabalha da forma certa podendo chegar mais rápido ao fundo

! O pulo do Gato

Aqui vai o pulo do gato , não esqueça de colocar uma missanga glow em cada anzol do suport pois o peixe pensa que a isca está desovando e ataca .

muito parada de vês em quanto de uns toques e recolha a linha conforme for afrouxando , e cuidado como muitas vezes acontece com a pesca se for pescar de arremesso qualquer beliscada por mais simples que seja , pode ser que você tenha um peixe bom de olho em sua isca


Página 20

RIO DE JANEIRO, 10 de Novembro de 2013

Direção Genaro Braga

www.riopesca.com

Oficina

www.facebook.com/rio.pesca

Eliseu Cherene

Cuidados

caiaquesecias@gmail.com

www.caiaquesecias.com.br

Na Próxima edição

Limpe sempre o equipamento depois da pesca, ele não deve ser encostado no canto ao chegar da pescaria

Falaremos da troca de passadores

Aprendendo a trocar ponteiras

J

á aconteceu do seu caniço lhe deixar na mão? Porque a ponta do caniço quebrou ou o anel da ponteira saiu? Tenha sempre na sua maleta de pesca uma reserva para não perder a pescaria. A dica de hoje é como colocar uma nova ponta em caso de quebra e trocar uma ponteira com defeito durante a pescaria.

+ SÃO NECESSÁRIOS: 1 - Um Isqueiro; 2 - Um bastão de cola

quente, que pode ser encontrado em papelarias; – Um alicate de bico; - Uma ponteira nova um pouco mais grossa que a original e outra igual a original (Para saber a medida correta, leve o caniço à loja como amostra).

Principal Causa Uma das grandes causas de quebra da ponta é o transporte indevido, não deixe os caniços soltos dentro do carro:

Ponta quebrada Caso a ponta tenha quebrado, apenas será necessário colocar uma nova com a medida um pouco mais grossa:

3 4

2º PASSO:

1º PASSO: Derreta a cola com o isqueiro

Passe a cola derretida na ponta do caniço

3º PASSO:

4º PASSO:

Encaixe a ponteira

Retire o excesso de cola

Imagens: www.fujitackle.com

Outro caso Outra situação é quando uma ponteira é danificada por descuidos como estes:

1º PASSO: Aqueça a ponteira defeituosa e Retire-a usando um alicate

Para resolver esse problema devemos remover a ponteira defeituosa e colocar uma nova na mesma medida que a original

2º PASSO:

3º PASSO:

4º PASSO:

Derreta a cola com o isqueiro

Passe a cola derretida na ponta do caniço

Encaixe a ponteira e retire o excesso de cola


Destaques do mês na pesca Página 22

RIO DE JANEIRO, 10 de Novembro de 2013

Direção Genaro Braga

Este espaço é destinado a divulgação de eventos de pesca ou similares

DIVULGUE SEU EVENTO GRATUITAMENTE ENVIANDO FOTOS E TEXTOS PARA CONTATO@RIOPESCA.COM Atendimento 21 2135 8966 Comercial 21 7609 0052

contato@riopesca.com @ comercial@riopesca.com

www.jornalorlasul.com.br www.facebook.com/rio.pesca

Sergio Paulo Bersano sppbersano@gmail.com PIRATAS CDA ILHA/SC - 2013 em MAIS UM ENCONTRO DA NPB (NOVA PESCA BRASIL)

PESCADA AMARELA

O Pescador jorge jose da silva filho na bacia de Itacuruçá Isca usada: Jump Jig - Metal Z

F

oi realizada em Florianópolis,Santa Catarina, nos dias 12 e 13 de outubro, a 32ª Edição da Prova PIRATAS DA ILHA, com uma competição de Lançamento Limitado no sábado e duas de Pesca no domingo. Compareceram inúmeros Clubes filiados à Confederação Brasileira de Pesca e Lançamento-NPB, mais de 20, com inscrições com um número acima de 160 , nas categorias Masculino,Master,Senior, Feminino e Juvenil. Foram muitos os vitoriosos de todas as Federações presentes :Rio de Janeiro,Rio Grande do Sul,Rio Grande do Norte,São Paulo, Sta.Catarina.

+ CLASSIFICAÇÃO FINAL

CAMPEÃO: Clube Atlântico Sul do Rio Grande do Sul 2º LUGAR: Tortuga CP de Sta. Catarina 3º LUGAR: Mauá CP de São Paulo

ANCHOVA

O Pescador Eduardo Bazilio no Recreio, posto 10 - 1,100kg Isca usada: Lula

CORVINA

O Pescador Marcelo Breciani na praia do Leme - Isca usada: Lula


PARTICIPE VOCÊ TAMBÉM ENVIANDO SUAS FOTOS

METAZLvaZi dar

Atendimento 21 3763 6201 ETAL AM Comercial 21 3763 6201 um kit com 10 iscas METAL Z para a melhor foto utilizando os jumping jig fabricados pela empresa

Para participar é muito fácil envie um email para: contato@riopesca.com com sua foto, local, e tipo de isca usada, junto com seu telefone de contato e concorra a brindes!

riopesca.com@gmail.com @ contato@riopesca.com

Destaques do mês na pesca

www.riopesca.com www.facebook.com/rio.pesca

Direção Genaro Braga

RIO DE JANEIRO, 10 de Novembro de 2013

Página 23

“METAL Z”

ROBALO FLECHA

ROBALO FLECHA

Um belo exemplar pego pelo pescador :

Um belo exemplar pego pelo pescador : Manuel usando isca artificial ( Camarão )

João Mauricio

usando isca artificial ( Camarão )

PESCADA

O Pescador André NA ILHA CAW a Isca usada: Camarão Monster

LINGUADO

O Pescadora JANE COSTA embarcada Isca usada: Lula

ROBALO

O Pescador FLAVIO VASCÃO Com um belo prêmio

CORVINA Capturado pelo pescador :

MARCELO

usando a lula como isca embarcado

LINGUADO

O Pescador Fabio Filipus em Itacuruça Isca usada: Jumping

Jig Sapinho

ROBALO FLECHA

O pescador DODOÉ

em Itacuruça Isca usada: Jumping

Jig Sapinho


Jornal rio pesca 2º ed  
Advertisement