Page 1

nº4

Florianópolis VERÃO 2015 4 Este exemplar é seu.

BEM-VINDO

SHOW ME PARA CURTIR SANTA CATARINA

DESCUBRA ATRAÇÕES AS IMPERDÍVEIS ATRAÇÕESEM DA PASSEIOS, GASTRONOMIA E LAZER BALNEÁRIO REGIÃO ONDE CAMBORIÚ ESTÁ HOSPEDADO E EM BALNEÁRIO CAMBORIÚ REGIÃO E REGIÃO

NO ROTEIRO EXPLORE SANTA CATARINA COM NOSSAS SUGESTÕES DE VIAGEM

NA BAGAGEM PRODUTOS DO COMÉRCIO LOCAL QUE SÃO A CARA DO VERÃO

VOLTE SEMPRE MOTIVOS PARA NOS VISITAR EM OUTRAS ÉPOCAS DO ANO

Vem viver o verão! APROVEITE AO MÁXIMO SUAS FÉRIAS NO LITORAL CATARINENSE E CONHEÇA AS ATRAÇÕES DE UM ESTADO DE MÚLTIPLAS CULTURAS E ENCANTOS


Seu melhor momento pode ser um cafezinho. Um sapato novo. Duas mãos dadas no cinema. Um jantar com os amigos. Uma nova cor para o cabelo. Um sorvete com as crianças. Vinte minutos correndo na esteira. Ou uma tarde inteira andando sem compromisso. Pode ser uma joia. Um bombom. Um livro. Uma massagem. Seu melhor momento só depende de você. E nós? Nós sentimos o maior prazer em fazer parte dele.

GRANDES NOVIDADES DESTE VERÃO: Camicado, Clube Melissa, John John, Kids Park, Le Lis Blanc, Los Paleteros, Maison Trois, Moncloa, Rosa Chá, Sports Nutrition Center, Tyrol, Superlegal Brinquedos.


beiramar.com.br


10 BEM-VINDO ÍNDICE

Márcio Schaefer/Divulgação

Praia Mole, Floripa

Balneário Camboriú

12

58

12

58

editorial

UM ESTADO A DESCOBRIR

14

82

verão ric

sÃO francisco do sul

16

88

opinião

DEZ praias QUE VOCÊ PRECISA CONHECER

20

102

Bem-vindo

Nossas sugestões para aproveitar todas as atrações da cidade onde você está hospedado em 10 dias de passeios e descobertas que incluem também os municípios vizinhos. Em seguida, uma amostra das delícias da gastronomia local em pratos que harmonizam perfeitamente com o verão. Temos ainda um mapa das baladas, para você se orientar pelas melhores festas desta temporada, além de um panorama do mercado imobiliário local e das oportunidades para quem quer investir em um imóvel no litoral catarinense.

no roteiro

Verão animal

108

AVENTURA EM SC

116

PELAS TRILHAS DA COSTA ESMERALDA

118

POR DENTRO DOS SHOPPINGS


SHOW ME 11

Daniel Queiroz/Arquivo ND

PMSFS/Divulgação

PMSFS/Divulgação

O verão está na mesa Divulgação

O mapa das baladas

São Francisco do Sul

122

134

122

134

124

138

126

142

nA bagagem

BEACHWEAR

moda verão

ACESSÓRIOS

128

ARTESANATO

130

DELICATESSEN

volte sempre

UM ROTEIRO DE DAR ÁGUA NA BOCA

VIAJANDO A NEGÓCIOS

TE ESPERAMOS NO INVERNO


12 BEM-VINDO EDITORIAL

SUA MELHOR COMPANHIA PARA APROVEITAR AS FÉRIAS Uma publicação do Grupo RIC FUNDADOR E PRESIDENTE EMÉRITO Mário J. Gonzaga Petrelli

Grupo RIC/SC presidente-Executivo Grupo RIC/SC Marcello Corrêa Petrelli Diretor Comercial Reynaldo Ramos Diretor Administrativo e Financeiro Albertino Zamarco Jr. DIRETOR REGIONAL ITAJAÍ ALEXANDRE ROCHA GERENTE RIC EDITORA PAULO ARTHUR MOREIRA SCHENK

P

ara a maioria das pessoas, a escolha do lugar onde vai passar as férias de verão é uma

decisão de grande relevância, um verdadeiro investimento no bem-estar e na qualidade de vida da família. Imagine economizar durante 12 meses para fazer aquela tão sonhada viagem e, ao chegar ao destino, não conseguir aproveitar sua estadia de forma satisfatória. A sensação que se tem é de ter perdido um ano inteiro. Para evitar que isso aconteça, ter uma boa fonte de informação sobre o destino escolhido é essencial. Ainda mais se você estiver em

Revista SHOW ME CoordenaÇÃO geral, EDIÇÃO E diagramação Diógenes Fischer REPORTAGEM Adão Pinheiro, Beatrice Gonçalves, Fabiana Henrique, Fábio Bianchini, Fabrício Rodrigues, Jerônimo Rubim, Juliete Lunkes, Leo Laps, Luciana Zonta, Marco Túlio Brüning, Mônica Pupo Fotografia Daniel Queiroz E Leo Laps IMAGEM DE CAPA Jag_cz/Shutterstock.com (Balneário) e LIUNIAN/SHUTTERSTOCK.COM (FLORIPA) MAPAS RENATO NASCIMENTO (BALADAS) e LUIZ FERNANDO FERRARY PROJETO GRÁFICO LUIZ FERNANDO FERRARY REVISÃO Lu Coelho IMPRESSÃO Gráfica Posigraf www.revistashowme.com.br Circulação de 20 de dezembro DE 2014 a março DE 2015 Avenida do Antão, 1.857 CEP 88025-150 – Florianópolis/SC (48) 3212-4100

Santa Catarina, um dos estados brasileiros de maior variedade cultural e geográfica, com atrativos para os mais diversos perfis de turista. Na verdade, temos tantos recantos naturais, lugares históricos, restaurantes, lojas e casas noturnas, que fica até difícil escolher o que fazer diante de tantas opções. Foi por isso que o Grupo RIC decidiu criar a revista que você tem em mãos. Em sua quarta edição, a SHOW ME se consolida como uma das mais relevantes fontes de informação para o turista que visita Santa Catarina. Valiosa ferramenta tanto para o leitor quanto para o trade turístico local, a publicação é distribuída gratuitamente e circula de dezembro a março em 35 cidades catarinenses, com edições diferenciadas para Florianópolis e Balneário Camboriú. Nas páginas a seguir, oferecemos um roteiro completo para que você possa viajar, se divertir e consumir mais e melhor nesta temporada. Nossa intenção é que a SHOW ME se torne uma companhia indispensável para que você, sua família e seus amigos possam aproveitar da melhor forma possível o tempo que passarem em Santa Catarina. E que todos compartilhem a sensação de ter escolhido bem seu destino, retornem nos anos seguintes e indiquem o Estado a outras pessoas. Uma excelente temporada a todos! Marcello Corrêa Petrelli Presidente-Executivo do Grupo RIC/SC


14 BEM-VINDO VERÃO RIC Divulgação

na valorização de todas as regiões de Santa Catarina, e não só apenas aquelas já tradicionalmente consagradas. Desta forma a RICTV Record estimula o aumento do fluxo turístico, com a criação de destinos diferenciados daqueles mais badalados pela mídia. Com o case “Projetos de Verão da RICTV Record: Incentivando o Turismo em toda Santa Catarina”, o Grupo RIC e a RICTV Record Santa Catarina assumiram o desafio de desencadear um inédito conjunto de ações interligadas para atingir o maior público do verão catarinense. Os principais projetos da temporada 2013/2014 são: Destino SC Verão, Summer Balneário, Summer Sul, Beach Soccer, Estação Verão, Carnaval de Itajaí, Verão Its, Night Run, Praia Boa é Praia Limpa e Revista Show Me. Para o diretor comercial do Grupo RIC SC, Reynaldo Ramos Júnior, o reconhecimento vem do envolvimento dos mais de 1,3 mil funcionários da empresa. Segundo ele, valorizar não só os grandes eventos, mas também os de médio e pequeno porte, contribuiu para projetar a diversidade de atrações de Santa Catarina. “Há vários encontros como a Festa do Colono, em Itajaí, a Festa do Morango, em Rancho Queimado, e a Festa do Milho, em Santo Amaro da Imperatriz, que são realizados e não têm divulgação. Fomentar esses eventos, que são de muita qualidade, também nos dá visibilidade. Além de promovermos nossos próprios eventos, ainda há divulgação e cobertura editorial do turismo em todo o Estado”, ressalta Reynaldo.•

O Summer Balneário foi um dos eventos do case vencedor na edição 2014 do Top Turismo

em sintonia com A ESTAÇÃO Grupo RIC SC conquista o PRÊMIO TOP TURISMO DA ADVB pelo QUARTo ano consecutivo com o case “PROJETOS DE VERÃO Da RICTV record”

O

trabalho do Grupo RIC SC foi evidenciado com a conquista, pela quarta vez consecutiva, do Prêmio Top Turismo ADVB/SC. O conglomerado de comunicação destacou-se entre os dez cases concorrentes, conquistando a maior nota (Top One) na edição 2014 do prêmio, que reconhece lideranças, empreendimentos e ações públicas ou privadas que contribuem para o crescimento do turismo catarinense.

Tendo como filosofia corporativa o enfoque regional, o Grupo RIC SC definiu como prioridade o apoio ao turismo de forma permanente e qualificada. Por meio da RICTV Record Santa Catarina foram promovidas e apoiadas festas, eventos esportivos, entretenimento, cultura, lazer e gastronomia, movimentando a economia e os negócios em todo o Estado. Esta cobertura baseou-se na descentralização da atividade turística e

PROMOVENDO O BEM COMUM A campanha Sou Bem Floripa, do Grupo RIC SC, promove as boas práticas sociais e incentiva que moradores e visitantes pensem a cidade com foco no bem-estar de todos que a compartilham. Desde setembro de 2013 já foram dezenas de eventos e ações em toda a capital. Em março de 2014, mês de aniversário de Florianópolis, foi promovido um grande seminário para discutir a mobilidade

urbana, um dos motes do movimento e grande problema vivido pelos florianopolitanos. Totens coloridos e itinerantes foram distribuídos em três pontos da cidade, integrando belas paisagens que inspiram uma foto. Compartilhe a sua nas redes sociais com a hashtag #SouBemFloripa. Saiba mais em www.ricmais. com.br/sc/soubemfloripa/ou facebook.com/ soubemfloripa.

Flávio Tin/Divulgação

CAMPANHA DO GRUPO RIC SC QUER INCENTIVAR BOAS PRÁTICAS NA SOCIEDADE E AJUDAR A MELHORAR A CONVIVÊNCIA URBANA


16 BEM-VINDO OPINIÃO Divulgação

VERÃO COM ESTRUTURA E SEGURANÇA É

Valdir Rubens Walendowsky Presidente da Santa Catarina Turismo (Santur)

Divulgação

grande o movimento de turistas circulando pelas praias da capital e das principais cidades do litoral catarinense. Além dos visitantes de outros estados, destacam-se visitantes de várias nacionalidades, principalmente argentinos, chilenos, uruguaios e paraguaios. Em função do câmbio muitos turistas do Cone Sul deixaram de viajar para outros países este ano e estão vindo para Santa Catarina. Diante disso, a expectativa é de que esta seja uma das melhores temporadas em muitos anos. A questão da segurança está sendo solucionada pela Operação Veraneio, lançada no dia 4 de dezembro em Florianópolis, cujo objetivo é garantir um verão seguro em todo o Estado. Durante a temporada, 10 mil profissionais da segurança pública

Presidente do Conselho Estadual do Turismo

Divulgação

hegamos a mais um verão e Santa Catarina é novamente um dos destinos mais procurados por turistas que buscam sol e mar. Mas hoje podemos dizer que nosso estado não é apenas conhecido por suas belas praias, contando com inúmeros atrativos fora do eixo do litoral, como as belezas da Serra e a tranquilidade das estâncias hidrotermais. O Conselho Estadual de Turismo orgulha-se de fazer parte do trabalho de desenvolvimento da atividade turística em Santa Catarina. O Conselho é um órgão vinculado à SOL, com caráter deliberativo e consultivo, que realiza reuniões quinzenais para aprimorar o debate e o diálogo entre os setores público e privado que atuam no segmento

Presidente da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes em Santa Catarina (Abrasel SC)

responsável por 12% do PIB catarinense. Em 2014, fizemos visitas a todas as dez regiões turísticas, realizando reuniões técnicas nas regiões do Caminho dos Cânions, Caminho dos Príncipes e Caminhos da Fronteira. Com essas ações, entramos em contato com as demandas de cada região e auxiliamos os municípios a trabalhar melhor seus potenciais turísticos. O objetivo é desenvolver políticas para atender necessidades específicas desses locais, com sustentabilidade econômica e social. Você que nos visita nesta temporada tenha a certeza de que estamos trabalhando para receber cada vez melhor todos os turistas em nossa Santa e Bela Catarina. Seja bem-vindo!

OTIMISMO PARA A TEMPORADA À

Fábio Queiroz

DESENVOLVENDO O TURISMO catarinense C

Ivan Cascaes

atuarão em Santa Catarina, até março de 2015. Outras instituições federais, estaduais e municipais na área de segurança e saúde trabalharão com o objetivo de fazer o melhor não só para os turistas, mas para toda a população catarinense. A cada ano estamos mais equipados e com melhor infraestrutura, incluindo hotéis, restaurantes, lojas, shoppings e outras áreas de entretenimento e lazer que proporcionam ao turista uma estada tranquila e segura. Além disso, o trabalho que a Santur desenvolve ao longo dos anos em todas as regiões turísticas de Santa Catarina proporcionará ao turista a possibilidade de não limitar sua visita somente ao litoral, mas aproveitar todas as áreas turísticas que Santa Catarina oferece.

s vésperas de mais uma temporada, é inevitável que o setor de bares e restaurantes tenha boas perspectivas quanto ao movimento dos fregueses, realizando melhorias em suas casas e aguardando um grande número de clientes. Este otimismo é inerente à atividade, até mesmo por Santa Catarina estar entre os principais destinos turísticos do país. Porém os desafios são muitos e esbarram principalmente em infraestrutura. Diante do desastre da falta de água e luz ocorrido em anos anteriores – sem falar em saneamento básico e estrutura aeroportuária – Celesc e Casan anunciaram obras para minimizar esses inconvenientes, mas não ex-

tingui-los, com o risco de prejuízos seriíssimos no caso de não contarmos com estes dois itens básicos para o funcionamento dos estabelecimentos. Mesmo assim, a contratação de temporários está a todo vapor e aguardamos os visitantes de braços abertos. É notória a vocação do povo catarinense em receber bem e não é diferente com nosso setor, pronto para mostrar o que temos de melhor em gastronomia e atendimento. A equipe da Abrasel luta para dirimir cada gargalo que possa atrapalhar esta temporada, tanto para turistas como para os proprietários de bares e restaurantes. Nossa meta é colecionar cada vez mais conquistas e conseguirmos tranquilidade e infraestrutura para todos.


SHOW ME 19 Daniel Queiroz/Arquivo ND

PLANEJAR PARA RECEBER BEM S

Maria Cláudia Evangelista Secretária de Turismo de Florianópolis

Divulgação

egundo destino turístico mais visitado por estrangeiros, de acordo com o Ministério do Turismo, Florianópolis se prepara para receber mais de 1,5 milhão de turistas nesta temporada. De dezembro a março a população praticamente duplica e, para minimizar os impactos do grande fluxo de pessoas, o município está promovendo a Operação Presença – Verão 2015. Com a participação de 70 entidades, a operação vem sendo planejada desde agosto e é dividida em quatro eixos temáticos: infraestrutura, sustentabilidade, serviços e equipamentos turísticos e cultura e lazer. Entre as novidades está a criação da linha de ônibus exclusiva para atender os turistas que chegam ou saem da cidade, além da rede de hotéis, passan-

Presidente do Floripa Convention & Visitors Bureau

Divulgação

ais um verão se aproxima. As temperaturas quentes convidam para longas jornadas à beira da praia, aos prazeres da gastronomia, aos roteiros culturais e à convivência social. É momento de treinar os profissionais para a temporada com os cursos oferecidos por instituições, de contratar mão de obra extra, de incrementar a infraestrutura de hotéis, pousadas e restaurantes. O trade turístico da capital catarinense aguarda com grande expectativa a chegada dos visitantes do Brasil e do exterior, em especial dos hermanos de países do Mercosul. Apesar da retração da economia argentina, que comprometerá a vinda dos nossos costumeiros vizinhos a Santa Catarina, tere-

Diretor-presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis em Santa Catarina (ABIH-SC)

mos o incremento dos voos provenientes do Uruguai, Paraguai e Chile, já anunciados nas últimas feiras setoriais. A população flutuante na alta estação precisa de serviços de qualidade. Por isso, ao longo do ano as entidades do trade reuniram-se com representantes de órgãos municipais, estaduais e as empresas Casan e Celesc para cobrar os investimentos preventivos a fim de evitar um novo apagão no abastecimento de água e energia. A informação é de que as providências foram tomadas. Agora restanos receber bem nossos hóspedes temporários em todos os espaços urbanos para abrilhantar ainda mais suas tão sonhadas férias de verão.

mais turistas e melhores serviços C

Samuel Koch

Floripa de braços abertos M

Marco Aurélio Floriani

do pelas principais ruas do Centro. Os horários serão compatíveis com os de chegadas e partidas dos voos. A distribuição de material de divulgação sobre a cidade para taxistas é outra ação de destaque. Cerca de mil kits com mapas, o Manual do Turista Feliz e o Guia de Bares e Restaurantes serão entregues aos profissionais para distribuição aos turistas. Outra ação inédita é a fiscalização da locação irregular de imóveis. O Conselho Regional de Consultores de Imóveis (Creci-SC) vai fiscalizar as locações durante a temporada com o intuito de coibir a superlotação, evitando problemas como falta de água e energia. Com planejamento, esperamos uma temporada proveitosa para quem nos visita e muito melhor para quem aqui vive.

onsiderado uma das atividades mais expressivas na economia mundial, o turismo é o maior prestador de serviços no mundo e um grande gerador de empregos, de renda e de divisas. Para se ter uma ideia, em 2013 o setor turístico movimentou 600 mil empregos diretos em Santa Catarina e totalizou 12,5% do PIB do Estado, graças às belezas naturais e ao crescente turismo de eventos. Mas o turista não busca apenas sol, belas praias e paisagens exuberantes – ele investe seu dinheiro em momentos de lazer com a família e amigos, e isso envolve infraestrutura e qualidade de serviços. É chegada a hora de vivermos mais uma temporada e a expectativa é superar o verão passado em

números e qualidade. Principalmente na rede hoteleira, que na última temporada apresentou uma leve queda no fluxo de turistas no litoral catarinense. O motivo ainda são os acessos ao Estado, seja por meio aéreo, rodoviário ou náutico. Os empresários da hotelaria estão investindo em novos empreendimentos e em qualificação dos recursos humanos e confiam na conclusão das obras que são de responsabilidade do poder público para garantir um melhor atendimento aos turistas. E a parceria entre Governo e trade turístico é muito importante para elaborar políticas públicas para desenvolvimento e crescimento sustentável do turismo de Santa Catarina.


20 BEM-VINDO

NESTAS FÉRIAS, DEIXE A ROTINA DE LADO E COLOQUE O PÉ NA ESTRADA PARA EXPLORAR OS MAIS BELOS RECANTOS DA GRANDE FLORIANÓPOLIS EM UM ROTEIRO PELOS QUATRO CANTOS DA CAPITAL CATARINENSE E POR cidades VIZINHAS, REVELANDO NOVAS SURPRESAS A CADA DIA

• Por Jerônimo Rubim

Victor Carlson

10 dias para curtir floripa


SHOW ME 21 Luis Carlos Torres/shutterstock.com

1º dia

CENTRO Mirante do Morro da Cruz Victor Carlson

C

omece pelo coração da cidade: a Praça XV de Novembro. A figueira centenária, bem no meio, é um dos orgulhos locais. Foi ali, em 1662, que Dias Velho iniciou o povoamento Nossa Senhora do Desterro, que depois se tornaria Florianópolis. Um passeio a pé pela região desvela as atrações do centro histórico da capital. Ao lado da praça está o Palácio Cruz e Sousa, antigo Palácio Rosado, que foi sede do Governo do Estado até 1984. Construído no século 18, o casarão já recebeu os imperadores D. Pedro I e II e hoje abriga o Museu Histórico de Santa Catarina. A poucos passos dali, no local onde foi erguida a primeira capela do povoado, fica a imponente Catedral Metropolitana, com um grande acervo de arte sacra. Do largo da igreja, na esquina da Rua Francisco Machado com a Praça XV, vê-se cinco sobrados tipicamente portugueses. Casas coloniais, aqui e ali, vão colorindo o passeio. Uma volta despreocupada pelas ruas do Centro, muitas de paralelepí-

Sobrados portugueses

pido, revela bonitos prédios oitocentistas que se misturam com a arquitetura mais recente. O Museu da Escola Catarinense, o tradicional bar Kibelândia e o Museu Victor Meirelles, logo ao lado, são alguns exemplos. Outro ponto imperdível no trajeto é a escadaria que dá acesso à Igreja Nossa Senhora do Rosário, uma das partes mais charmosas do Centro. Do lado oposto do largo fica a Praça Fernando Machado, que hospeda as colunas construídas como monumento em homenagem ao Miramar – antigo trapiche e ponto de encontro da elite intelectual da cidade, que desapareceu com a construção do Aterro da Baía Sul, nos anos 1970. Dali, vá pela Rua Conselheiro Mafra, seguindo a antiga orla do mar, para chegar ao Mercado Público. Durante a caminhada, olhe para cima e contemple sobrados que

Victor Carlson

Palácio Cruz e Sousa

já foram os mais belos da cidade em sua época portuária. O Largo da Alfândega, que normalmente hospeda uma feirinha de agricultores, está no meio do caminho. Não deixe de visitar a Casa da Alfândega, que vende artesanato local. O Mercado Público oferece gastronomia e cultura: sente-se para ouvir o verdadeiro sotaque mané e entender um pouco mais da ilha. A Rua Francisco Tolentino, logo atrás, tem uma longa e bem conservada fachada de casario colonial. Subindo nessa direção, a 1 km dali, fica a cabeceira da Ponte Hercílio Luz (vá de carro se bater a preguiça). Um mirante permite a contemplação do mais famoso cartão-postal da ilha. Outra dica é visitar o Forte de Santana, bem embaixo da ponte, na Avenida Beira-Mar Norte. A vista ficará gravada na memória do visitante.


22 BEM-VINDO 10 dias para curtir floripa

2º dia

A

a caminho do norte

caminho do norte da ilha há uma região indispensável aos visitantes. Na SC-401, faça o retorno na entrada marcada pelo empreendimento Square Corpore, ainda em construção, e passe por baixo do viaduto para pegar a Estrada Haroldo Soares Glavam, que leva ao Bairro do Cacupé. Começa aí um dos melhores passeios da capital. Dali pode-se seguir até passar por Santo Antônio de Lisboa, atravessar o Bairro do Sambaqui e chegar à sua ponta. Costeando a baía norte, vendo a Beira-Mar e a ponte Hercílio Luz do outro lado das águas calmas, você vai presenciar uma das mais lindas vistas da capital. Infelizmente, as águas são impróprias para banho. Historicamente, o Cacupé era casa de pescadores e colonizadores que possuíam terras para lavoura e gado. Também havia muitos engenhos de farinha na região. A tranquilidade do bairro e as residências dos nativos (com as fachadas voltadas para a estrada, de costas para o mar) ganharam a companhia de residenciais e casas de alto

Lionel Baur/wikimedia commons

Victor Carlson

Sambaqui Dauro Veras

Fim de tarde no Cacupé

padrão nos últimos anos. Restaurantes como o tradicional Zé do Cacupé apresentam as delícias da culinária ilhoa. Seguindo reto, pegando a Estrada Caminho dos Açores, chega-se à vizinhança que é a menina dos olhos dos turistas de todo o mundo: Santo Antônio de Lisboa. A imponente Igreja de Nossa Senhora das Necessidades saúda os visitantes à direita e anuncia o belo centrinho histórico. Vale estacionar ali perto e circular a pé pelas ruas com casas tombadas pelo Patrimônio Histórico, lojas de artesanato e restaurantes com gastronomia de alto padrão e vista de tirar o fôlego. De volta ao carro, o passeio continua pela Rua Gilson da Costa Xavier, seguindo pelo Sambaqui, bairro que ainda mantém o charme de vila de pescadores e a beleza dos aglomerados de pedra ao longo da orla recortada, cenário para um pôr-do-sol perfeito. A Ponta do Sambaqui, ao final da via, conta com ótimos (e concorridos) restaurantes. Chegue cedo para se deliciar com a gastronomia e a paz do lugar.

Santo Antônio de Lisboa


SHOW ME 23 Victor Carlson

Victor Carlson

Canasvieiras Victor Carlson

Jurerê

Praia da Daniela

3º dia NORTE DA ILHA

A

maior atração, é claro, é Jurerê Internacional. Ano após ano, a praia reúne gente de todos os cantos que quer ver e ser vista em meio à badalação e glamour característicos do lugar. As águas calmas contrastam com o agito, que começa na areia lotada e nos beach clubs com festas diurnas e atravessa a noite em baladas empolgantes. Sua “irmã mais velha”, Jurerê, divide a mesma faixa de areia mas é muito mais calma e sem grandes pretensões. Se, em vez entrar em Jurerê Internacional, o turista segue direto no último trevo vai encontrar a Praia da Daniela, de mar calmíssimo e ideal para crianças. A água quente parece um espelho e da areia avista-se a parte continental. Canasvieiras, na sequência, é a meca dos turistas argentinos, que frequentam a praia desde os anos 1980. É quase uma pequena cidade, e é normal que muita gente nem deixe o bairro durante o verão. É de seu trapiche que saem embarcações levando turistas até a Ilha de Anhatomirim, a Baía dos Gol-

finhos (ambos em Gov. Celso Ramos) e um mergulho em frente à Ilha do Francês. A Scuna Sul é um das que realizam o passeio. A calma Cachoeira do Bom Jesus divide as areias com Ponta das Canas, um agradável destino para famílias que mistura boa infraestrutura com um ar de colônia de pescadores. A Praia Brava, cada vez mais cheia de residenciais e prédios, é um recanto bonito que reúne gente jovem e sarada, com boas ondas para surfistas. Ingleses, um dos maiores bairros da ilha, fica lotado no verão. É muito frequentado por famílias com filhos jovens. Depois da praia, as pessoas passeiam a pé pelo bairro para jantar, comprar no comércio ou aproveitar os muitos bares. O Santinho, de ondas fortes, é a parte mais selvagem do norte. O famoso resort Costão do Santinho fica lá, mas não há mais estrutura. A visão desde o costão direito é incrível, e lá está o Museu Arqueológico ao Ar Livre, aberto e gratuito, com inscrições rupestres datadas de até 5 mil anos e murais informativos com dados históricos.


24 BEM-VINDO 10 dias para curtir floripa Victor Carlson

4º dia

Campeche

SUL DA ILHA

Victor Carlson

Victor Carlson

S

eguindo em direção ao sul, a primeira e mais movimentada praia da região, o Campeche, também tem a melhor infraestrutura. Sequência da mesma faixa de areia da Joaquina, tem águas agitadas e se estende por 3,5 km e intercala espaços vazios, famílias e aglomerações como o Riozinho. Point dos jovens e sarados, o famoso pico reúne também praticantes de futevôlei, frescobol e surfe. Fica de frente para a belíssima Ilha do Campeche, um tesouro tombado como Patrimônio Histórico que tem águas caribenhas, areia branca e trilhas com inscrições rupestres. Barcos levam até 400 turistas a partir da praia e também da Armação. A dica é ir de manhã bem cedo. Seguindo a Rodovia SC-405, o turista terá que tomar uma decisão no Trevo do Erasmo: à direita, o idílico Ribeirão da Ilha; à esquerda, as praias agrestes do sul. O ideal é conhecer os dois. O Ribeirão foi um dos primeiros assentamentos da cidade e é fácil identificar os sinais da colonização açoriana ao longo dos 21 quilômetros da

Ribeirão da Ilha

Baldicero Filomeno, sua via única. De cara, o bairro apresenta uma de suas especialidades: a gastronomia. Restaurantes para todos os tipos de bolso servem maravilhas tradicionais como as famosas ostras da região. Ao final da via, depois de passear entre as casas de arquitetura portuguesa dos séculos 17 e 18 e as águas calmas emolduradas pela Serra do Tabuleiro, chega-se à Caieira da Barra do Sul. É dali que partem barcos ou pega-se a fácil trilha para Naufragados, um paraíso selvagem na ponta sul da ilha, casa de surfistas e de gente que busca o sossego. Seguindo do outro lado do trevo, avista-se a praia da Armação, de águas agitadas. No final dela, depois de uma pequena trilha pelo costão, surge o Matadeiro, agraciado com Mata Atlântica e boas ondas. Exatamente na

Lagoa do Peri

outra ponta da Armação está a Lagoa do Peri, um espelho d’água de 5 km² dentro de uma reserva biológica. Seguindo adiante, o caminho até o Pântano do Sul é cercado de verde, com animais pastando tranquilos e o clima de vila de pescadores. Um almoço típico em um de seus vários restaurantes, olhando para os barcos de pesca e as ilhas Três Irmãs em frente, é programa indispensável para entender a cultura da capital catarinense. Na mesma extensão de areia estão Açores e Solidão. Do outro lado, contornando o costão esquerdo por barco ou atravessando o morro por uma trilha íngreme e que exige bom preparo físico, está um dos tesouros da ilha: a Lagoinha do Leste. Figura fácil nas listas de mais bonitas do Brasil, é o modelo perfeito para quem idealiza a mais rústica e exuberante Florianópolis.


26 BEM-VINDO 10 dias para curtir floripa

5º dia

O

LESTE DA ILHA

Victor Carlson

passeio começa com uma parada obrigatória no mirante do Morro da Lagoa para registrar – na câmera e na memória – o cenário que mais parece uma pintura. Descendo o morro, o centrinho da Lagoa tem ótima infraestrutura de bares, restaurantes e serviços para receber turistas de todas as partes do mundo. Mas além do agito da área central, o bairro tem outros encantos como o Canto dos Araçás, charmosa região residencial entre o verde da mata nativa e as águas calmas da Lagoa. No fim do caminho para o Canto dos Araçás fica a entrada da trilha que cruza a Costa da Lagoa, um dos lugares mais especiais de Florianópolis. Relativamente fácil, o caminho de duas horas revela um universo paralelo com ruínas de engenhos, casarios antigos, riachos e pontos de banho. É possível ir de barco também, saindo da ponte da Lagoa. O Canto da Lagoa, à direita no fim do morro, também é um passeio agradável e – assim como a Costa – tem várias opções de restaurantes.

Em seus 20 km², as águas da Lagoa da Conceição são perfeitas para esportes náuticos. Com vento é possível fazer aulas de windsurfe e kitesurfe, e nos dias mais calmos, stand up paddle. Há aluguel de pranchas, caiaques e boias no final da Avenida das Rendeiras, que conta com diversos restaurantes e bares com vista para a água. A famosa Joaquina, logo na sequência, é point de surfistas mas também de excursões de turistas. Subir as imensas pedras do costão esquerdo proporciona uma bela e contemplativa vista. No final das Rendeiras, virando à esquerda antes de chegar à Joaquina, o visitante aporta na badalada Praia Mole. Cercada por dois lindos costões e com ondas constantes, é frequentada por jovens de corpos esculpidos e conta com diversos bares do estilo lounge. No topo do morro da Mole, outro mirante revela a Lagoa talvez do seu mais belo ângulo. Seguindo a avenida, mais restaurantes típicos e, ao final, a Barra da Lagoa, boa opção para famílias e esportes aquáticos. Victor Carlson

Lagoa da Conceição Victor Carlson

Barra da Lagoa

Praia Mole


SHOW ME 27 Aline Rebequi/PMF

Santur/Divulgação

Praia de Itaguaçu Daniel Pereira/PMSJ

Parque de Coqueiros

6º dia

CONTINENTE E São José

São José

A

parte continental de Florianópolis tem vida própria e muitas opções de lazer. Coqueiros, o primeiro bairro depois da ponte, é residencial e tem ótima infraestrutura. Logo no início, o Parque de Coqueiros é uma opção para se movimentar ou fazer um piquenique com vista para a ponte Colombo Salles. Seguindo a via principal do bairro, acompanhando a baía sul, pequenas e charmosas praias (impróprias para banho) revelam a Ilha de um ângulo diferente. E é na Praia do Meio que fica a Via Gastronômica de Coqueiros. Botecos, pizzarias, casas de massa, sushis e restaurantes de outras especialidades formam um variado cardápio de opções para aquele jantar ou almoço especial. A Praia de Itaguaçu vem logo em seguida e revela um cenário apaixonante com suas pedras lisas e redondas espalhadas pelas águas calmas da baía e com o desenho das montanhas da Serra do Tabuleiro ao fundo. Lugar ideal para passar o fim de tarde. O bar Recanto das Pedras, junto a um costão

no canto direito da praia, serve comida e é uma ótima pedida. Vale ir a pé até a Praia das Palmeiras, logo em seguida, e se maravilhar com mais um recanto perfeito para fotos. Do outro lado de Coqueiros, saindo da ponte à direita, a recente Beira-Mar Continental também traz um cenário de cartão-postal. Passando embaixo da Ponte Hercílio Luz, apresenta a Beira-Mar Norte de frente. É impressionante ver a estrutura da ponte de tão perto. Vale a visita e muitas fotos. São José, município que faz divisa com a capital, foi um dos primeiros assentamentos de imigrantes do Estado. Hoje bastante urbanizada, a cidade ainda guarda características coloniais em regiões como o Centro Histórico, com vielas sossegadas que são um convite à caminhada. A Praça Hercílio Luz é arborizada e o canto dos passarinhos tenta os visitantes a um descanso bem à moda manezinha. O casario colonial em volta, colorido e bastante preservado, encanta. Charmosos restaurantes e botecos completam o ambiente.


28 BEM-VINDO 10 dias para curtir floripa Divulgação

7º dia TIJUCAS

Museu de Tijucas

PASSEIO PEDRA BRANCA

M

uito mais que acolhedores, os moradores de Tijucas – encantadora cidade localizada a 50 km de Florianópolis e 34 km de Balneário Camboriú – fazem questão de manter os costumes deixados de herança pelos seus antepassados. Em 1530, o navegador italiano Sebastião Caboto, que viajava a serviço dos espanhóis, foi um dos primeiros a avistar Tijucas, dando-lhe o simpático nome de Freguesia de São Sebastião. O nome Tijucas surgiu com o passar dos tempos, após ser observada na foz do Rio Tijucas e arredores uma lama escura, chamada de “tyuca” pelos indígenas. Um dos principais responsáveis pelo resgate da história do município é o Museu Tijucas, localizado em um casarão de 1898 construído para ser moradia da família Gallotti. Hoje, a construção preserva fazeres e costumes que identificam a população local, além de abrigar o Centro Cultural Benjamim Gallotti, que se tornou uma referência cultural para toda a região.

Divulgação

Passeio Pedra Branca

Quem visita o Museu Tijucas, além de conhecer um pouco da história da tradicional família Gallotti, poderá viajar por um mundo cheio de encantos e se imaginar dentro de cada manifestação cultural, como os desfiles de Carnaval, o Boi de Mamão e a Festa do Divino. O museu ainda apresenta material sobre a cultura da pesca e a produção artesanal de doces e farinha de mandioca. Junto a este importante acervo estão guardados também exemplares dos primeiros jornais a circular na cidade, ainda da época imperial, louças e pertences da família Gallotti, imagens antigas da cidade e muito mais. A cidade de Tijucas conta também com um roteiro turístico que agrada em cheio ao paladar da maioria dos brasileiros: a Rota dos Doces. Uma tradição repassada de geração a gera-

Divulgação

Rota dos Doces

ção se mantém até hoje numa pequena comunidade do interior do município, o Bairro Timbé. Os moradores da localidade produzem os mais diferentes doces, a sua maioria de forma artesanal, que são comercializados em toda a região. Cocadas, rapadura, bombocados, queijadinhas, beijus, broas e bolachas caseiras encantam o paladar de quem visita as fábricas e pode acompanhar de perto o processo de produção de toda essa riqueza culinária. Antes de retornar à Ilha, vale dar uma esticada até Palhoça para conhecer o Passeio Pedra Branca, a primeira rua compartilhada do Brasil. Dentro de um conceito que prioriza o pedestre, oferece lojas e cafés e costuma ser palco de eventos culturais, gastronômicos e de lazer. Depois de um dia de praia, é o lugar ideal para curtir o fim de tarde com a família e os amigos.


SHOW ME 29

8º dia

D

STO. AMARO DA IMPERATRIZ, ÁGUAS MORNAS e RANCHO QUEIMADO

entro da mesorregião da Grande Florianópolis, composta por 22 municípios, há várias possibilidades de passeios. A ideia desta parte do roteiro é sair da ilha, seguir pela BR-101, direção sul, e entrar na BR-282. Começar o dia com um banho nas águas termais de Santo Amaro da Imperatriz, a apenas 33 km da capital, é uma ótima pedida. Quando ouviu rumores sobre a descoberta de uma fonte a 39°C no Sul do País com águas medicinais, o rei D. João VI decretou imediatamente a construção de um hospital no local. Estava fundada a primeira estância termal brasileira, batizada de Caldas da Imperatriz após a ilustre visita de Dom Pedro II e da Imperatriz Dona Tereza Cristina, em 1845. Mais de 150 anos depois, ainda é a maior atração local. É possível se hospedar em um dos hotéis da região, como o Hotel Caldas da Imperatriz ou o mais luxuoso Plaza Caldas da Imperatriz Resort, ou passar o dia no parque público, que conta com piscinas e churrasqueiras rodeadas pela mata nativa.

Santur/Divulgação

Santur/Divulgação

Rancho Queimado Santur/Divulgação

Águas Mornas

A qualidade das águas termais da vizinha Águas Mornas é considerada uma das melhores do mundo. O único hotel da cidade, o Águas Mornas Palace Hotel, além de piscinas internas e externas, oferece trilhas ecológicas, passeios de charrete e quadras de esporte. Além das águas, a natureza exuberante da região é ideal para uma série de esportes radicais como rafting, rapel, canoagem e parapente. A Ativa Rafting e Aventuras é uma das agências que organiza passeios do tipo. Subindo pela BR-282 em direção ao oeste, o clima fica mais frio, a paisagem mais montanhosa e as pessoas ganham um carregado sotaque alemão. Rancho Queimado, no pé da serra, está a apenas 63 km da capital e é o lugar perfeito para o turismo rural. A mistura de gastronomia serrana com alemã pode ser degustada em lugares como o restaurante Costa da Serra e a cafeteria Kaafeehaus. Também é possível alugar um chalé no Rancho Eco Frutícola e conhecer sua produção orgânica de frutas nobres.

Santo Amaro da Imperatriz


30 BEM-VINDO 10 dias para curtir floripa

9º dia PASSEIOS DE BARCO

V

er a ilha de um novo ângulo, de fora, desperta um encantamento instantâneo. No verão, as escunas partem normalmente às 10h, da Beira-Mar Norte e de Canasvieiras, no norte, e retornam às 17h. O passeio custa em média R$ 50, e o almoço é pago separadamente. Saindo de Canasvieiras, o passeio costeia as praias de Jurerê, Forte, Daniela e vai até a Ilha de Anhatomirim. Foi a primeira sede do governo de Santa Catarina, quando ainda era uma capitania, no município de Governador Celso Ramos. Lá está a Fortaleza de Santa Cruz de Anhatomirim, uma imponente obra construída no século 17 para a proteção de invasões espanholas. Depois a escuna segue para a Baía dos Golfinhos, que abriga botos tucuxis, só encontrados ali e que costumam dar o ar da graça, para alegria geral. Na volta, um mergulho na pequena Ilha do Francês, a 1 km da costa de Canasvieiras. As escunas que saem da Beira-Mar Norte normalmente fazem trajeto parecido. A primeira parada é na ilha de

Ratones Grande para visita à Fortaleza Santo Antônio (terceiro vértice de um sistema triangular de defesa, formado ainda pelas fortalezas de Santa Cruz de Anhatomirim e São José da Ponta Grossa). Depois, o passeio segue o mesmo roteiro. As empresas Scuna Sul e a Capitão Gancho Escuna Martin fazem o passeio. Alguns oferecem shows de atores vestidos de piratas a bordo – consulte a operadora para saber, já que nem todos apreciam. Mas algumas operadoras, como a Vento Sul, oferecem outras opções de passeios. Uma bastante especial é para a Ilha do Arvoredo, localizada entre Florianópolis e Bombinhas. Faz parte de uma reserva biológica que é um dos maiores patrimônios naturais e arqueológicos do litoral brasileiro. Por causa do encontro de correntes de águas quentes, vindas do norte, e de águas frias, vindas do sul, há uma infinidade de espécies de animais. A ilha é considerada um dos melhores pontos de mergulho do país, com uma visibilidade que pode chegar a 18 metros.

Santur/Divulgação

Santur/Divulgação

Ilha de Anhatomirim Santur/DIvulgação

Ilha do Arvoredo

Baía dos Golfinhos


SHOW ME 31 Roberto Tetsuo Okamura/shutterstock.com

10º dia GOV. cELSO rAMOS

Ganchos do Meio Santur/Divulgação

A

o norte da Ilha de Santa Catarina, uma península cheia de caprichos e recortes apresenta 23 praias aos visitantes. Em Governador Celso Ramos, repleta de recantos intocados à beira-mar, a alma açoriana resiste ao tempo. Em alguns lugares do município a vida ainda segue o ritmo calmo da pesca, enquanto em outros – como a Praia de Palmas, com seus resorts e jet skis – o progresso já se anuncia. Depois de dirigir 40 km, saindo da capital e subindo a BR-101 para pegar a SC-410, o visitante aporta no centro administrativo do município, Ganchos do Meio. Dezenas de barcos e casas de limpeza de peixe marcam a praia, que é imprópria para banho. A partir daí, de preferência com um mapa em mãos (não hesite em pedir informações), pode-se escolher alguma praia específica para visitar ou dirigir a esmo, curtindo o remanso do lugar. Quem gosta de contar com infraestrutura pode rumar para a Praia de Palmas e aproveitar suas águas limpas, com boas ondas para

Armação da Piedade

o surfe. A maior praia do município também é o destino mais procurado, e famílias e jovens se misturam na areia branca e fina. Há diversos restaurantes por lá, como o recomendado Raízes. Há muitas opções para os aventureiros que querem se isolar, e as praias exclusivas para pedestres, com acesso geralmente por meio de trilhas, são as melhores opções. Uma boa dica é a sequência de praias Tinguá de Fora, Defunto, Bananeiras e Cordas, que seguem a mesma curvatura e são separadas por breves costões. Ao final, é possível contemplar as quatro praias. Governador Celso Ramos faz parte da Reserva Biológica Marinha do Arvoredo, santuário de espécies raras, um dos melhores locais de mergulho do país e moradia de golfinhos tucuxis, que alegram os passeios de barco que saem da Praia do Antenor. Mais de

Daniel Queiroz/Arquivo ND

Praia de Palmas

cem cetáceos vivem na Baía dos Golfinhos, que tem seu início na Armação da Piedade. Esta praia de apenas 150 metros de extensão, bastante disputada por turistas, foi sede do maior e mais importante núcleo baleeiro de Santa Catarina. É um ótimo lugar para um típico almoço ou para assistir ao pôr-do-sol, e os turistas adoram tirar fotos na frente da igreja Nossa Senhora da Piedade, de 270 anos. A gastronomia local merece menção especial. Inspirada na cozinha açoriana, com base de frutos do mar, ao longo dos anos incorporou traços regionais e a influência dos índios carijó. Entre as especialidades estão o Marisco Lambe Lambe, um risoto feito com mariscos na casca, a tainha assada na folha de bananeira e o caldo de peixe. Ervas, urucum e farinha de mandioca ajudam a ressaltar os sabores.•


32 BEM-VINDO 10 dias para curtir floripa

MUIto mais para DESCOBRIR INFORMAÇÕES PARA VOCÊ explorAR as atrações citadas nesta matéria e CONHECER UM POUCO MAIS SOBRE A REGIÃO MUSEU HISTÓRICO DE SANTA CATARINA Aberto de terça a sexta, das 10h às 18h. Sábados e domingos, das 10h às 16h. Ingresso: R$ 5. Alunos e professores de escolas da rede particular pagam R$ 2. Crianças de até 5 anos, alunos e professores da rede pública de ensino, brasileiros maiores de 65 anos e guias turísticos não pagam. Aos domingos a entrada é gratuita para todos. Palácio Cruz e Sousa, Praça XV de Novembro, 227, Centro, Florianópolis. (48) 3665 6363. www.fcc.sc.gov/mhsc MUSEU VICTOR MEIRELLES Neste antigo sobrado colonial nasceu o pintor Victor Meirelles de Lima (1832-1903), autor das famosas pinturas A Primeira Missa no Brasil, Combate Naval do Riachuelo, Passagem de Humaitá, Moema e Casamento da Princesa Isabel. O museu expõe um acervo de telas e esboços de Victor Meirelles, além de obras de artistas contemporâneos. Aberto de terça a sexta, das 10h às 18h. Ingresso: R$ 2. Rua Victor Meirelles, 59, Centro, Florianópolis. (48) 3222 0692. www.museuvictormeirelles.gov.br MUSEU DA ESCOLA CATARINENSE O casarão construído no início dos anos 1920 para abrigar a Escola Normal Catarinense também foi sede, a partir de 1963, da Faculdade de Educação da Universidade do Estado de Santa Catarina. Mesmo em reformas, a construção em estilo neoclássico e com colunas gregas ornamentais vale a visita. Rua Saldanha Marinho, 196, Centro, Florianópolis. (48) 3225 8658. www.museudaescola.udesc.br MERCADO PÚBLICO MUNICIPAL O coração do centro histórico de Florianópolis acaba de ser reformado e volta a funcionar normalmente nesta temporada. Além de ponto de reunião de artistas, boêmios e intelectuais, é um dos melhores lugares para se comprar peixe fresco e degustar de comidinhas de boteco à culinária típica da Ilha. O vão central costuma receber apresentações artísticas. Rua Conselheiro Mafra, 225, Centro. (48) 3225 8464. CASA DA ALFÂNDEGA Considerada o melhor exemplo de arquitetura neoclássica em Florianópolis, foi erguida em 1875 e encerrou suas atividades em 1964, quando o Porto de Florianópolis foi desativado. Na construção tombada como patrimônio histórico-cultural funciona uma loja de artesanato que reúne obras de dezenas de artesãos locais. Rua Conselheiro Mafra, 141, Centro. (48) 3665 6097. www.fcc.sc.gov.br/casadaalfandega

Victor Carlson

www.zedocacupe.com.br SCUNA SUL Com filiais em Canasvieiras e no Centro, a empresa promove passeios marítimos para conhecer a costa de Florianópolis e as ilhas em seu entorno. Av. Osvaldo Rodrigues Cabral, s/nº, Centro. (48) 3225 1806. Rua Antônio Heil, 605, Canasvieiras. (48) 3266 1810. www.scunasul.com.br

Museu Histórico de SC

CATEDRAL METROPOLITANA A matriz Catedral de Nossa Senhora do Desterro foi edificada no mesmo local da antiga capelinha erguida em 1678 pelo fundador da cidade, Francisco Dias Velho. Ainda preserva a portada original, o arco cruzeiro em cantaria, a elaborada porta de madeira da Capela da Nossa Senhora das Dores e os sete altares de linhas neoclássicas. No acervo de arte sacra, destaque para a escultura Fuga para o Egito, talhada em tamanho natural em dois blocos de cedro. Rua Padre Miguelinho, 55, Centro. (48) 3224 3357. www.catedralflorianopolis.org.br FORTE DE SANTANA Construído em 1761 e restaurado em 1969, foi tombado como Patrimônio Histórico e Artístico Nacional e abriga desde 1975 o Museu de Armas da Polícia Militar de Santa Catarina. Aberto à visitação de terça a domingo das 9h às 17h. Av. Beira-Mar Norte, Centro, próximo à cabeceira insular da Ponte Hercílio Luz. (48) 3229 6263. CHOPERIA KIBELÂNDIA O tradicional ponto de happy hour do Centro de Floripa tem petiscos deliciosos e freguesia variada, misturando políticos, jornalistas, artistas e intelectuais. Atende de segunda a quinta, das 16h à meia-noite. Sextas das 11h à meia-noite e sábados das 10h às 16h. Rua Victor Meirelles, 98, Centro. (48) 3879 5429. ZÉ DO CACUPÉ O simpático proprietário do restaurante recebe os fregueses com toda a simpatia e a cordialidade do típico manezinho da Ilha. No menu, o melhor da gastronomia local baseada em frutos do mar. Aberto de terça a sábado, das 11h30 às 23h. Domingos, das 11h30 às 16h. Rodovia Haroldo Soares Glavan, 1964, Cacupé, Florianópolis. (48) 3335 6229.

WINDCENTER Aulas de windsurfe e kitesurfe. Rua Rita Lourenço da Silveira, 675, Lagoa da Conceição, Florianópolis. (48) 3232 2278. www.windcenter.com.br RECANTO DAS PEDRAS Um dos mais populares bares e restaurantes da praia de Itaguaçu, serve petiscos e pratos baseados em frutos do mar. Perfeito para um happy hour à beira-mar. Atende de segunda a sexta, das 17h à 1h. Aos sábados das 11h à 1h, e aos domingos das 17h à 0h30. Rua Desembargador Pedro Silva, 3280, Itaguaçu, Florianópolis. (48) 3249 0766. PRAÇA HERCÍLIO LUZ Ponto central do Centro Histórico de São José, a praça abriga a Casa da Cultura do município e o Theatro Adolpho Mello. Costuma ser palco do Festival de Inverno, bem como de feiras, eventos e mostras literárias. Rua Padre Macário, Centro, São José. PASSEIO PEDRA BRANCA As lojas abrem de segunda a sábado, das 10h às 21h, e aos domingos e feriados, das 14h às 20h. As áreas de gastronomia funcionam de segunda à sábado, das 11h às 21h, e aos domingos e feriados das 14h às 20. A Alameda de Serviços abre de segunda à sexta, das 8h às 20h, e nos sábados das 9h às 15h. Rua da Universidade, s/nº, Cidade Universitária Pedra Branca, Palhoça. (48) 3086 9700. www.passeiopedrabranca.com.br CAMPING BEIRA RIO Opção para acampar com segurança na Guarda do Embaú, com wi-fi grátis, restaurante, churrasqueiras, banheiros e lavanderia. Também aluga chalés. No final da Rua Nicolau Luciano dos Santos (conhecida como Rua da Torre), Guarda do Embaú, Palhoça. (48) 9963 8880. www.campingbeirario.com.br ESPAÇO MAEPORÃ A apenas 400 metros da praia da Guarda


SHOW ME 33

do Embaú, oferece estrutura para camping, passeios escolares e eventos em instalações de baixo impacto ambiental. Rua Manoel Alfredo dos Santos, s/nº, Guarda do Embaú, Palhoça. (48) 6167 6607. www.maepora.com.br HOTEL CALDAS DA IMPERATRIZ Um patrimônio histórico preservado há mais de 150 anos, que abriga uma das mais famosas estâncias termais do Estado. Fica a apenas 20 minutos do centro da capital. Rodovia Princesa Leopoldina, km 4, Santo Amaro da Imperatriz. (48) 3245 7088. www.hotelcaldas.com.br PLAZA CALDAS DA IMPERATRIZ RESORT Suas águas termominerais são muito procuradas devido a suas qualidades curativas. Conta com um biólogo disponível para orientar os hóspedes em caminhadas pelas quatro trilhas do resort localizado em meio à mata nativa da Serra do Tabuleiro, a 38 km de Florianópolis. Rodovia Princesa Leopoldina, 3355, Santo Amaro da Imperatriz. (48) 3281 9000. www.plazahoteis.com.br/caldasimperatriz ÁGUAS MORNAS PALACE HOTEL Uma fonte natural abastece diariamente cinco piscinas com quase 500 mil litros de

água que jorra a uma temperatura média de 39°C. Suas qualidades medicinais são conhecidas internacionalmente. Rua Hilda Maria Trierweiler Lehmkuhl, 2487, Centro, Águas Mornas. (48) 3245 7015. www.aguasmornaspalacehotel.com.br ATIVA RAFTING E AVENTURAS Especializada em turismo ecológico e de aventura, foi pioneira na implantação do rafting no Estado. Oferece também atividades como rapel, canionismo, caminhadas e cicloturismo. (48) 3245 7021. www.ativarafting.com.br RESTAURANTE COSTA DA SERRA Localizado em um empreendimento que reúne spa e condomínio, abre só no fim de semana para almoço. Aos sábados serve feijoada e aos domingos, gastronomia caseira, além de serviço à la carte. Atende sob reserva. Estrada Geral da Invernadinha, km 71, Rancho Queimado. (48) 3275 1163. www.costadaserra.com.br CAFÉ COLONIAL KAFEEHAUS Em uma casa de traços germânicos, serve um vasto bufê com especialidades da gastronomia alemã e produtos coloniais de produção local. Rua Mathias Augusto Schwabe, 100, Centro,

Rancho Queimado. (48) 3275 0400. www.cafedorancho.com.br RANCHO ECO FRUTÍCOLA Eco-hospedaria localizada em uma propriedade que é referência na produção de morangos orgânicos. Com apenas um chalé para hóspedes, oferece atendimento exclusivo e possibilita ao visitante participar das atividades diárias do sítio. Estrada Geral do Rio Acima, 1511, Taquaras, Rancho Queimado. (48) 3275 1437. www.ranchoecofruticola.com.br CAPITÃO GANCHO SCUNA MARTIN Passeios em escunas com capacidade para 140 pessoas. O passeio dura aproximadamente cinco horas e crianças com menos de 1,20 m de altura não pagam. Descontos especiais para grupos. Saídas do trapiche de Canasvieiras. (48) 9963 9273. www.escunamartin.com.br VENTO SUL Organiza atividades de turismo ecológico, educação ambiental, mergulho, surfe e passeios marítimos. Oferece seis opções de roteiros de um dia e outras seis de dois dias, com pernoite a bordo do barco Vento Sul II. (48) 9982 2867. www.ventosul.com

RPM

MULTISERVIÇOS

Especializado em: - Elétrica - Hidráulica - Marcenaria - Montagens

- Pinturas - Projetos Especiais - Reformas - Serralheria

Ligue: (48) 9686-1290

facebook.com/rpmmultiservicos rpmmulti@hotmail.com


34 BEM-VINDO 10 dias para curtir floripa Alexandro Albornoz/Arquivo ND

Vista aérea da cabeceira da Ponte Hercílio Luz

Informações E SERVIÇOS úteis PARA O TURISTA DDD FLORIANÓPOLIS (48) Informações turísticas 0800 644 6300 Portal Turístico de Florianópolis   Av. Engenheiro Max de Souza, 236, Coqueiros (48) 3244 0002 Aeroporto Internacional Hercílio Luz  Av. Deputado Diomício Freitas, 3393, Carianos (48) 3331 4000 Terminal Rodoviário Rita Maria Av. Paulo Fontes, 1101, Centro (48) 3212 3100 Envio de moedas Moneygram – Confidence Câmbio Floripa Shopping Rod. SC-401, 3116, Saco Grande (48) 4004 5700 Western Union – Aeroporto Internacional Hercílio Luz Av. Deputado Diomício Freitas, 3393, Carianos (48) 3421 2771 Documentos Instituto Geral de Perícias – Instituto de Identificação Rua Pastor William Richard Schisler Filho, 590, Itacorubi Atende de segunda a sexta, das 8h às 17h (48) 3331 4570

Guarda Municipal de Florianópolis Rua Cap. Euclides de Castro, 236, Coqueiros (48) 153 SAMU Rua Esteves Jr., 390, Centro (48) 192 Atendimento de emergência Hospital Nereu Ramos Rua Rui Barbosa, 800, Agronômica (48) 3216 9300 Pronto Atendimento Unimed 24h Rua Iracema Nunes da Silva, 60, Trindade (48) 3216 8999 Taxi 24h Rua Sete de Setembro, s/nº, Centro (48) 8861 1766 Transporte executivo Apritur Av. Mauro Ramos, 717, Centro (48) 3204 7258 Aluguel de carros LeMans Rent a Car 24h Av. Deputado Diomício Freitas, 3062, Carianos (48) 3222 9999 Inova Aluguel de Carros Rua Silva Jardim, 495, Centro (48) 3225 7777


38

BEM-VINDO

o verão ESTÁ na MEsa ENTRE LANCHES RÁPIDOS E REFEIÇÕES LEVES À BASE DE PEIXES E FRUTOS DO MAR, FLORIPA oferece DEZENAS DE OPÇÕES gastronômicas para DAR MAIS SABOR ÀS SUAS FÉRIAS

• Por Mônica Pupo

Porção de carapeva frita servida à beira da Lagoa, no restaurante Lagoa Azul


SHOW ME 39

Daniel Queiroz

N

em só de belas praias e paisagens exuberantes são feitos os passeios por Florianópolis. Quem visita a Ilha da Magia se encanta também com a variedade de sabores e ingredientes da culinária local. Muito além das onipresentes – e necessárias – sequência de camarão e anchova grelhada, a gastronomia ilhéu está a cada dia mais diversificada e repleta de opções leves e saborosas que são a cara da estação. E nada melhor do que aproveitar os longos dias de verão para petiscar à beira da Lagoa da Conceição – mais precisamente vislumbrando o canal da Fortaleza da Barra, no Leste da Ilha. Composta por uma rua principal e diversas servidões perpendiculares, a região de ares bucólicos concentra diversos restaurantes especializados em peixes e frutos do mar. Fundado há pouco mais de duas décadas, o Rancho de Canoa é um dos mais concorridos. Com mesas dispostas em um deque sobre o Canal da Barra, oferece aperitivos como os bolinhos de garoupa ou siri (R$ 7,50 a unidade). Outra especialidade é a porção de lula à dorê (R$ 33). Para acompanhar, cervejas artesanais como a Saint Beer Pilsen, produzida na cidade catarinense de Forquilhinha (R$ 14, com 600 ml), ou a gaúcha Coruja Viva (R$ 31, com 1 litro). Quem quiser seguir com a refeição completa pode optar pelo camarão na moranga, acompanhado de arroz, pirão e fritas (R$ 82 para duas pessoas). Curioso para provar um peixe típico de Florianópolis? Então não deixe de visitar a Costa da Lagoa, comunidade acessível apenas por barco (30 minutos a partir do centrinho da Lagoa) ou trilha (mais ou menos 7 quilômetros de extensão). Cercados pela vegetação nativa, na região mais isolada da Lagoa da Conceição, encontram-se diversos restaurantes familiares abastecidos pelos pescadores locais. Por ali, um dos destaques é um pequeno e saboroso peixe nativo do local, chamado de “ca-

rapeva” e servido exclusivamente na área. “Seja em iscas, filé ou postas, o peixe está sempre muito fresco e não pode ser encontrado em nenhum outro local da cidade”, ressalta Renovato Laureano, proprietário do restaurante Lagoa Azul, fundado em 1988. Preparada por Dona Rosinha, esposa de Renovato, a carapeva à milanesa com molho de camarão é a sugestão de prato a ser degustado numa das mesas localizadas debaixo das árvores às margens da Lagoa. Acompanhada de arroz, fritas e pirão, a iguaria custa R$ 64,50 e serve duas pessoas. Mas se o objetivo é apenas curtir o visual enquanto mata a fome depois de ter encarado a trilha, experimente a casquinha de siri (R$ 6 a unidade). Para beber, há cerveja Serramalte (R$ 10) ou Stella Artois (R$ 6,50). Banquete à beira-mar Não menos descontraído, o Sul da Ilha é outro local obrigatório para os amantes de pescados. Aliás, poucos programas gastronômicos traduzem tanto a essência da cidade quanto provar a sequência de frutos do mar no Bar do Arante, o mais antigo restaurante da região. Localizada de frente para a tranquila Praia do Pântano do Sul, a casa fundada em 1958 possui as paredes e o teto forrados de bilhetes deixados por visitantes, tradição iniciaDaniel Queiroz

Bolinho de siri, no Rancho de Canoa


40 BEM-VINDO O VERÃO ESTÁ NA MESA Victor Carlson

Divulgação

Camarões à Moda Africana, no Barracuda Victor Carlson

As ostras cultivadas no Ribeirão da Ilha são as grandes estrelas do cardápio no Ostradamus

da pelos estudantes que acampavam por ali na década de 1970. Tão tradicional quanto bem servida, a sequência de frutos do mar da casa é um verdadeiro banquete que inclui camarão nas modalidades à milanesa, ao bafo e frito ao alho e óleo, além de casquinha de siri, mariscos, ostra gratinada e filé de peixe ao molho de camarão com arroz, batata frita, pirão e salada. O serviço custa R$ 139 e serve até quatro pessoas. É o tipo de refeição ideal para ser compartilhada com os amigos após um longo dia de praia. Cortesia da casa em pequenas doses, a cachaça artesanal produzida no Sertão do Peri também aparece em drinques como a tradicional caipirinha de limão (R$ 6). No Barracuda Grill, às margens da Lagoa da Conceição, as estrelas desta temporada são os Camarões à Moda Africana (R$ 187,90). A receita elaborada pelos chefs Sandro José da Silva e Rivaldo Moisés Silva leva 700g de camarão rosa grelhado e tem um sabor

intenso e inesquecível, inspirado na culinária da África. Acompanha arroz e batata sauté, além de uma tigelinha com uma porção extra do molho à base de manteiga, uísque, suco de limão e pimenta piri-piri. O caminho das ostras Continuando o passeio pelo Sul da Ilha é possível provar outro prato regional que combina muito bem com o verão: ostras. Referência internacional em maricultura, Florianópolis se destaca pelo cultivo da espécie Crassostrea gigas. Originária do Pacífico, esse tipo de ostra não se reproduz naturalmente no litoral brasileiro, mas é criada em cativeiro pelas dezenas de fazendas marinhas distribuídas ao longo da costa do Ribeirão da Ilha. Não por acaso, esta que também é considerada a mais antiga comunidade da Ilha concentra diversos restaurantes especializados na iguaria, alguns com nomes engraçadinhos que evocam tro-

O ambiente único do Bar do Arante

cadilhos inevitáveis, como o Ostradamus. Decorada com motivos marinhos, a casa tem garçons vestidos de marujo e mesas dispostas por um trapiche coberto de vidro que avança sobre o mar de águas calmas. Principal estrela do cardápio, os moluscos servidos no local são cultivados em uma fazenda própria, que fica a aproximadamente cinco quilômetros dali. Para garantir a qualidade do produto e evitar qualquer tipo de contaminação, as conchas passam por um depurador exclusivo que as desinfeta com radiação ultravioleta. Depois, é possível provar as ostras das mais diversas formas, seja in natura ou em preparações mais elaboradas, como a que leva queijo brie, manga e pera (R$ 36 a dúzia). Para harmonizar, a carta de vinhos inclui opções refrescantes como o espumante catarinense Abreu Garcia (R$ 70). Todo roteiro gastronômico de Floripa que se preze deve passar por Santo An-


tônio de Lisboa, outro bairro histórico que reúne alguns dos mais charmosos restaurantes da cidade, muitos deles à beira-mar, com opções para happy hour, almoço e jantar. A partir do deque externo forrado de conchinhas do Rosso Restro, é possível desfrutar a vista panorâmica para a Ponte Hercílio Luz e Baía Norte – que se torna ainda mais bela durante o pôr-do-sol – enquanto se prova as delícias preparadas pelo chef manezinho Alysson Muller. Para petiscar, ele sugere a porção de camarão empanado na farinha panko e acompanhado de vinagrete rosé (R$ 59). Depois, a sugestão é provar o Polvo à Rosso, um dos carros-chefes da casa, que leva tentáculos de polvo crocantes caramelizados em molho tarê, acompanhados de um leve purê de mandioquinha, arroz de amêndoas com alho poró e pirão (R$ 125). A adega prioriza rótulos produzidos em Santa Catarina, como o espumante Abreu Divulgação

Garcia Rosé Brut (R$ 59). No verão, o cardápio também ganha opções de sobremesas geladas como o semifreddo de doce de leite uruguaio coberto com ganache de amarula (R$ 18). Ligeiros e gostosos Lanches rápidos também são boas opções para matar a fome durante o agito do verão. Em meio a restaurantes e paradores luxuosos, os frequentadores da praia de Jurerê Internacional também têm à disposição opções mais simples e igualmente saborosas. No descolado Cine Café & Creperia, por exemplo, o destaque são os crepes de camarão (R$ 24,90) e frango com catupiry (R$ 16,90). Para beber, há o geladíssimo smoothie de morango, cranberry ou maçã verde (R$ 6), além de mais de 15 sabores de sucos naturais, incluindo o clássico abacaxi com hortelã, um dos mais pedidos. Os amantes da cerveja contam com opções regio-

nais como a Eisenbahn Strong Golden Ale (R$ 8). Para adoçar, crepe na versão doce recheado de nutella com morango e sorvete de creme (R$ 16,90). Tendência nas grandes cidades, os food trucks – carros equipados para vender comida de rua – não são tão comuns em Florianópolis, mas já é possível encontrar alternativas, sobretudo na região central. No coração do Bairro Santa Mônica, a Toshi Temakeria se autointitula “a primeira temakeria móvel de Santa Catarina”. Prático e nutritivo, o temaki é muito procurado nas noites quentes da alta temporada. Instalados em mesas ao ar livre em volta do trailer, os clientes provam delícias como o temaki de salmão, cream cheese, pepino e suco de limão coberto com amêndoas laminadas (R$ 14,90). A sobremesa é uma versão doce do temaki preparada com casquinha de sorvete recheada com morango, creme de avelã e flocos de chocolate (R$ 12,90).• Divulgação

Crepe de morango e chocolate, no Cine Café Daniel Queiroz

Temaki com amêndoas, na Toshi Temakeria

Tentáculos de polvo caramelizados em molho tarê com purê de mandioquinha, no Rosso Restro


42 BEM-VINDO O VERÃO ESTÁ NA MESA

ROTEIRO GASTRONÔMICO ONDE PROVAR OS PRATOS CITADOS NESTA REPORTAGEM e OUTRAS sugestões para exploraR a gastronomia local Daniel Queiroz

Rancho de Canoa Rua Laurindo José de Souza, 188, Fortaleza da Barra, Florianópolis. Atende de segunda a sábado, das 11h às 23h30. Domingos e feriados das 11h às 23h. (48) 3232 3639. www.ranchodecanoa.com.br

Cantina Sangiovese (italiano) Rua Padre Lourenço Rodrigues de Andrade, 496, Santo Antônio de Lisboa, Florianópolis. De terça a sábado, das 19h30 à meia-noite. Aos sábados abre também do meio-dia às 16h30. Aos domingos, apenas almoço. (48) 3371 1200.

Lagoa Azul Caminho da Costa da Lagoa, 177, ponto 17, Costa da Lagoa, Florianópolis. Aberto todos os dias, das 10h às 19h. (48) 3335 3009. www.restaurantelagoaazul.com.br Arante Rua Abelardo Otacílio Gomes, 254, Pântano do Sul, Florianópolis. Aberto todos os dias, das 11h30 à meia-noite. (48) 3237 7022. www.bardoarante.com.br Barracuda Restaurante e Grill (pescados) Av. das Rendeiras, 1562, Lagoa da Conceição, Florianópolis. Aberto diariamente, 11h30 à meia-noite.(48) 3232 5301. Ostradamus Rod. Baldicero Filomeno, 7640, Ribeirão da Ilha, Florianópolis. Atende de terça a sábado, do meio-dia às 23h15. Domingos até 17h. (48) 3337 5711. www.ostradamus.com.br Rosso Rua Gilson da Costa Xavier, 201, Santo Antônio de Lisboa, Florianópolis. Atende de segunda a sábado, do meio-dia às 23h30. Domingos até às 17h. (48) 3206 7665. www.rossorestro.com.br Cine Café & Creperia Av. das Raias, 261, Jurerê Internacional, Florianópolis. Aberto todos os dias, do meio-dia à meia-noite. (48) 3282 1005. www.cinecafejurere.com.br Toshi Temakeria Av. Madre Benvenuta, 1332, Santa Mônica, Florianópolis. Atende de segunda a sábado, das 19h à meia-noite. (48) 3012 3322. www.facebook.com/toshitemakeria

20h. Sábados até as 15h. (48) 3224 5588.

Rancho de Canoa Aberto todos os dias das 11h30 à meia-noite. (48) 3232 0759. RED DINNING (cozinha fusion e peruana) Rua Almirante Lamego, 1147, Centro, Florianópolis. De quarta a sábado, a partir das 20h. (48) 3225 1266. Sabor da Costa (pescados) Costa da Lagoa, ponto 16, Florianópolis. Aberto todos os dias, das 9h às 19h. (48) 3335 3070. Porto do Contrato (pescados) Rodovia Baldicero Filomeno, 5544, Ribeirão da Ilha, Florianópolis. Atende de terça a sábado das 11h30 às 23h. Domingos até as 17h. (48) 3337 1026. Ponto G Brasa & Fogão (carnes) Rua Quinze de Novembro, 18, Santo Antônio de Lisboa, Florianópolis. De terça a sábado, do meio-dia às 15h e das 19h às 23h. Aos domingos abre apenas para almoço. (48) 3235 2623. Santo Antônio Spaghetteria e Café (cardápio variado) Rua Cônego Serpa, 30, anexo à Casa Açoriana, Santo Antônio de Lisboa, Florianópolis. (48) 3235-2356.

EXPERIMENTE TAMBÉM

Marisqueira Sintra (português) Rua Quinze de Novembro, 147, Santo Antônio de Lisboa, Florianópolis. Atende do meio-dia às 15h30 e das 19h à meia-noite. Sábados e domingos, apenas almoço até as 17h. Fecha às terças. (48) 3234 4219.

Chef Fedoca (pescados) Rua Senador Ivo D'Aquino, 133, Marina Ponta da Areia, Lagoa da Conceição, Florianópolis.

Box 32 (petiscos) Mercado Público Municipal, box 32, Centro, Florianópolis. De segunda a sexta, das 10h às

Mar Massas (italiano) Rua Laurindo Januário da Silveira, 3843, Morro do Badejo, Lagoa da Conceição, Florianópolis. Aberto de terça a domingo, das 17h à meianoite. (48) 3232 6109. Nave MãE (pizzaria) Rua Laurindo Januário da Silveira, 1296, Lagoa da Conceição, Florianópolis. Diariamente, das19h à meia-noite. Sextas e sábados até 1h. (48) 3232 8623. Haikai Sushi Lounge (japonês) Av. das Raias, 400, loja 9, Jurerê Internacional, Florianópolis. Aberto de terça a domingo, das 19h à meia-noite. (48) 3282 0182. Suco da Saúde (sucos e lanches) Rua Henrique Veras Nascimento, 415, loja 2, Lagoa da Conceição, Florianópolis. Aberto de terça a domingo, das 11h à 0h30. (48) 3232 1998. Cabral (pescados) Ponto 19, s/nº, Costa da Lagoa, Florianópolis. Atende diariamente, das 10h às 19h. Serve jantar mediante reserva. (48) 3335 3132. Macarronada Italiana (italiano) Av. Jornalista Rubens de Arruda Ramos (BeiraMar Norte), 2458, Centro, Florianópolis. Diariamente, das 11h à 0h30. (48) 3223 2666. Bar do Boni (happy hour) Av. das Rendeiras, 67, Lagoa da Conceição, Florianópolis. Diariamente, das 11h à meia-noite. Sextas e sábados até as 2h. (48) 3232 1139. Boteco Bacana (boteco) Av. Madre Benvenuta, 1678, Santa Mônica, Florianópolis. De segunda a quarta, das 18h à 0h30. Quintas e sextas até 1h30. Aos sábados, das 19h à 1h30. Coisas de MariaJoão (happy hour) Rua Cônego Serpa, 57, Santo Antônio de Lisboa, Florianópolis. Diariamente, do meio-dia às 2h. (48) 3338 1937.


Especializado em Frutos do Mar e Bacalhaus. Carta de Vinhos e Cervejas Gourmet. Atendemos a eventos Faça sua reserva

(48) 3232-5301

Área de lazer infantil Ambiente climatizado Estacionamento gratuito

Venha provar do melhor da culinária de Floripa com vista para a Lagoa da Conceição. barracudagrill@barracudagrill.com.br

www.barracudagrill.com.br Av. das Rendeiras | 1562 | Lagoa da Conceição | Florianópolis - SC


Foi-se o tempo em que para pegar balada era preciso atravessar a ponte e ir para a Ilha. No Continente, cidades vizinhas de Florianópolis já provaram que também sabem organizar ótimas festas. Com um perfil mais sertanejo e pagodeiro, mas sem exlcuir as noitadas de música eletrônica, reúnem um público jovem em busca de curtição. PARA BADALAR: Quiosque Chopp Brahma e Cervejaria Original, em São José. Mansão Luchi e Mumbai Live Club (foto), em Palhoça

Divulgação

Olho na Foto

44 BEM-VINDO O MAPA DA BALADA

Dependendo da área, o Centro pode ser o lugar dos hipsters e indies da cidade, aquele povo descolado que gosta de música moderninha. Também pode ser palco para a diversão desenfreada da música sertaneja, já que abriga a mais badalada casa da Ilha deste estilo musical. Ao mesmo tempo, na Avenida Beira-Mar, reúnem-se os adeptos da house music e aqueles que preferem – e podem bancar – ambientes exclusivos e de alto luxo. PARA BADALAR: Blues Velvet, Jivago, Fields (foto), Cash Exclusive, Sete Night Club

o mapa da balada SAIBA ONDE ESTÃO aconteceNDO as melhores festas deste verão e planeje o roteiro PARA as suas noites na grande florianópolis

•Por Jerônimo Rubim

No Saco dos Limões fica o tradicional Armazém Vieira, que serve uma cachaça premiada e reúne público de meia-idade para ouvir shows com os clássicos do rock.


O Bairro João Paulo abriga o Célula Show Case, com espaço para shows de bandas locais e nacionais, além de outras atividades artísticas.

PARA BADALAR: Café de La Musique, Complexo Music Park, P12, Donna Jurerê Internacional, Posh Club (foto)

Divulgação

Na Trindade, o destaque é o General Lee, um pub pequeno para sentar e ouvir o rock ao vivo tomando boa cerveja.

O Norte da Ilha é sede dos baladeiros de plantão, do clã adepto aos destilados e aos espumantes. Capitaneado pelo internacionalmente conhecido Bairro de Jurerê Internacional, tem festas diurnas nos paradores de praia, como P12 e Taikô, e sunsets com champanhe de R$ 12 mil. Esteja pronto para muito glamour de branco e dourado – e esteja certo de que sua conta bancária possa acompanhar. Lugares como a Pacha reúnem a nata mundial de DJs. Modelos, atores e celebridades costumam dar as caras no verão.

No Córrego Grande, o Chopp do Gus reúne um público jovem com bandas cover de repertório baseado em rock e música pop.

Divulgação

SHOW ME 45

Região relaxada da cidade durante o dia, a Lagoa reúne diferentes estilos durante a noite. O famoso centrinho, com seus bares de música ao vivo, junta gente que veio direto da praia, mochileiros internacionais de Havaianas e casais gola-polo-e-minissaia. As baladas se concentram principalmente nesta região e na Avenida das Rendeiras. Tenha paciência com o tráfego e encarne o espírito “estou de férias em Floripa”. PARA BADALAR: Confraria Club, Mustafá, The Black Swan, John Bull Pub (foto), Casa de Noca


46 BEM-VINDO O MAPA DA BALADA

AGITO PARA TODOS OS GOSTOS explore a noite DA GRANDE FLORIANÓPOLIS com um serviço completo das melhores festas dA ESTAÇÃO Divulgação

Fields A maior balada sertaneja da Ilha, com grandes shows nacionais. Av. Paulo Fontes, 1025, Centro, Florianópolis. (48) 3025 6646. www.fieldsfloripa.com.br Jivago Alia entretenimento, arte, música, gastronomia e drinques diferenciados. Com DJs da cena eletrônica e alternativa, reúne também o público LGBT. Rua Deputado Leoberto Leal, 4, Centro, Florianópolis. (48) 3028 0788. www.jivagolounge.com Blues Velvet Fica bem no centrão da cidade, em um sobrado dos anos 1970. Nas paredes, geralmente alguma exposição de artes ou fotografia. No som: jazz, blues, rock e música experimental. Rua Pedro Ivo, 147, Centro, Florianópolis. (48) 3225 4111. www.bluesvelvet.com.br SETE NIGHT CLUB Ambiente moderno, com tecnologias e efeitos exclusivos de som e iluminação, aliados a uma decoração descontraída e sofisticada. Na programação, os melhores DJs de house music e suas vertentes. Av. Beira-Mar Norte (em frente ao trapiche), Centro, Florianópolis. (48) 3225 1266. www.setenightclub.com.br CASH EXCLUSIVE Brincando com desejos e pecados, o private club de alto luxo abre apenas às sextas-feiras em um espaço compacto que recebe somente 200 clientes por noite. Rua Almirante Lamego, 1147, Centro, Florianópolis. (48) 3225 1266. www.cashexclusive.com.br Confraria Club Casa de música eletrônica, é a meca local do beautiful people e da azaração em alto estilo. Rua João Pacheco da Costa, 31, Lagoa da Conceição, Florianópolis. (48) 3232 2298. www.confrariaclub.com.br Mustafá A poucos metros do Confraria, no complexo Art Shop Center, a casa traz hip hop, rock, reggae e até uma festa para gringos na segunda-feira. Rua Afonso Delambert Neto, 103, loja 7, Lagoa da Conceição, Florianópolis. (48) 3232 2018. www.mustafafloripa.com.br John Bull Pub Um clássico da Lagoa, reúne um público à procura de paquera ao som de muito rock. Av.

da casa. Rua Aldo Alves, 2, Saco dos Limões. (48) 3333 8687. www.armazemvieira.com.br Café DE La Musique Ponto de encontro para os fins de tarde de janeiro. Música lounge para combinar com o mar tranquilo de Jurerê. Av. dos Merlins, s/nº, Posto 1-B, Jurerê Internacional, Florianópolis. (48) 3282 1325. www.cafedelamusiquefloripa.com.br

P12, em Jurerê Internacional das Rendeiras, 1046, Lagoa da Conceição. (48) 3232 8535. www.johnbullfloripa.com.br The Black Swan Com boa variedade de cervejas importadas, o pub em estilo irlandês traz bandas cover de rock de quinta a sábado. Rua Manoel Severino de Oliveira, 592, Lagoa da Conceição, Florianópolis. (48) 3234 5682. www.theblackswan.com.br Casa de Noca O foco aqui é música brasileira, com artistas que tocam samba, MPB, samba-rock, forró, reggae e projetos autorais. Av. das Rendeiras, 1176, Lagoa da Conceição, Florianópolis. (48) 3238 5310. www.casadenocafloripa.com Chopp do Gus Mesas dentro e no espaço externo permitem uma boa conversa, enquanto na área do palco – com bandas cover de rock e pop – o clima é de pegação saudável. Rua João Pio Duarte Silva, 1650, Córrego Grande. (48) 3028 5807. www.choppdogus.com.br General Lee Um pub pequeno para sentar e ouvir rock ao vivo tomando uma boa cerveja. Rua Cônego Bernardo, 101, Trindade, Florianópolis. (48) 9173 2981. www.generalleefloripa.com.br Célula Show Case Seu palco hospeda tanto bandas locais quanto shows nacionais, além de dança, teatro, cinema e instalações artísticas. Rod. João Paulo, 75, Saco Grande, Florianópolis. (48) 8416 9900. www.celulacultural.com Armazém Vieira O casarão em estilo açoriano reúne público de meia-idade para ouvir shows com os clássicos do rock. Destaque para as premiadas cachaças

COMPLEXO Music Park O ponto das grandes atrações internacionais de verão. Além do espaço para shows, no Devassa On Stage, traz ainda as casas de música eletrônica Pacha, Terraza, Garden Music Park e Posh. Rod. Maurício Sirotsky Sobrinho, s/nº, Km 1,5, Jurerê, Florianópolis. (48) 3282 2054. www.musicpark.com.br P12 Segue a linha dos maiores day clubs mundiais, com espaço para 2 mil pessoas. Servidão José Cardoso Oliveira, Jurerê Internacional, Florianópolis. (48) 3284 8156. www.parador12.com.br Taikô Decoração de inspiração asiática, gente jovem e saudável com champanhes à beira-mar. Av. das Lagostas, s/nº, Jurerê Internacional, Florianópolis. (48) 3024 3270. www.taikofloripa.com.br Donna jurerê internacional Aposta na fusão entre música e gastronomia. Batidas mais lentas no fim de tarde dão lugar a um ritmo mais acelerado no início da noite. Av. dos Pampos, Jurerê Internacional, Florianópolis. (48) 3282 1816. www.donnajurere.com.br Mansão Luchi Em um casarão de 1950, a casa tem diversos ambientes e uma agenda variada: de dupla sertaneja a DJs de música eletrônica, de grupos de pagode a revivals dos anos 1980. Rua João Born, 2070, Centro, Palhoça. (48) 3286 6704. www.mansaoluchi.com.br Mumbai Live Club A casa se apresenta como versátil e abraça os diversos estilos musicais. A estrutura traz palco, lounges e camarotes. Reúne público jovem e bastante produzido. Caetano Silveira de Mattos, 2463, Centro, Palhoça. (48) 3093 0593. www.mumbailive.com.br


48 BEM-VINDO

Memórias à beira-mar VOCÊ SABIA QUE O CONTINENTE JÁ TEVE AS PRAIAS MAIS agitadas DE FLORIPA? ACOMPANHE A HISTÓRIA DE COMO nasceu o turismo de verão NA CAPITAL CATARINENSE

•Por Juliete Lunkes

Praia da Saudade, Coqueiros, nos anos 1960

A hoje movimentada Praia de Canasvieiras, no Norte da Ilha, durante a década de 1960

A Saudade lotada num dia de verão em 1965

Q

uem não tem idade o bastante para ter circulado de roupa de banho, cadeira e guarda-sol pelo Bairro Coqueiros, em Florianópolis, na década de 1960, talvez não consiga imaginar o que aquelas praias já significaram para a alma da cidade. O que hoje em dia nada mais é do que um belo pano de fundo para quem utiliza as calçadas e ruas do bairro, um dia já foi o coração da capital, principalmente nos dias quentes de verão. Na época era praticamente impossível chegar às hoje badaladas praias do Norte da Ilha em tempo hábil para se divertir e retornar ao cair da noite, por causa da falta de estradas em boas condições. Bem mais próximas do Centro, a Praia

da Saudade, a Praia do Meio e a Praia de Itaguaçu eram alguns dos destinos preferidos de jovens e famílias da região. Isso, claro, depois que vestir roupas de banho deixou de ser um tabu, e principalmente depois que a população deixou de enxergar o mar como mero depósito de detritos. Ao completar 70 anos, o fiscal da Fazenda aposentado e eterno pesquisador das histórias de Florianópolis, Ney Viegas, lembra que os primeiros colonizadores que chegaram à Ilha trouxeram consigo o hábito de erguer as casas com fundos para o mar e de frente para a estrada, como comprovam os poucos exemplares ainda preservados. “Algumas praias serviam realmente

como depósito de lixo, outras tinham balneabilidade mas eram pedregosas e lamacentas. O fundo das casas dava para o mar porque ficava mais fácil depositar dejetos ali.” Mais tarde, entre as décadas de 1930 e 1940, depois que o banho de mar passou a ser recomendado pelos médicos da cidade e passou a se tornar um hábito cada vez mais corriqueiro, os banhistas começaram a se espalhar pela Baía Norte – onde toda a extensão que hoje é a Avenida Beira-Mar dividia-se em 14 diferentes praias com nomes de cada família que ali morava –, pela Baía Sul, onde ficava a famosa “Praia do Vai Quem Quer”, e também pela parte continental da cidade.


SHOW ME 49

Fotos: Edson da Silva (acervo pessoal)

Trapiche da Praia da Saudade, em 1962

Cartão-postal de 1970 mostra a Praia do Meio, em Coqueiros, quando ainda recebia banhistas

“A partir da década de 1950, Coqueiros, no Continente, virou uma verdadeira coqueluche, já com as moças usando maiôs bem mais ousados. Havia muitos bares na praia, a água era limpa e dava para mergulhar de um trampolim que deve estar por lá até hoje”, lembra o advogado Edy Leopoldo Tremel, 86, um dos personagens mais célebres de Florianópolis, conhecido por presidir o famoso Senadinho. Mas a badalação na areia, que logo se estendeu para locais como o Praia Clube e o famoso bar Tritão, durou bem menos do que todos esperavam. Ao longo da década de 1960, quando as maravilhas das praias do Continente já chegavam aos ouvidos

de quem morava longe, as primeiras movimentações de turistas e de gente interessada em fixar residência na cidade começaram a dar sinais. Na década seguinte, as praias de Coqueiros e da região em seu entorno já não eram mais as mesmas. Poucos banhistas se arriscavam a cair no mar, já com traços de poluição, e os prédios começavam a brotar às dezenas pelo Centro. Desbravando o Norte “A poluição chegou no momento em que a gente percebeu que a praia não era mais nossa. Perdemos a hegemonia nos anos 1970. A partir daí já não éramos mais a maioria dos frequentadores”, lembra Edson da Sil-

Praia de Itaguaçu na década de 1950

va, 61, conhecido como Velho Bruxo, um verdadeiro acervo ambulante de histórias sobre Florianópolis. "Foi um grande baque quando percebemos que não podíamos mais frequentar as praias do Continente. De repente está tudo poluído, como assim? Foi uma grande sacanagem com a minha geração.” Segundo Edson, isso aconteceu na mesma época em que novas estradas melhoravam o acesso ao Norte da Ilha e “todo mundo começou a partir para outras praias”. O pesquisador Ney Viegas lembra que até então sua família era uma das poucas a manter uma casa de veraneio em Canasvieiras, em meio aos vastos cajueiros que se espalhavam pela


50 BEM-VINDO MEMÓRIAS À BEIRA-MAR

Bar das Pedras, Itaguaçu, nos anos 1970

A Praia da Joaquina, no Leste da Ilha, já era uma das preferidas dos banhistas desde a década de 1970

Na mesma época, a Praia Mole só era frequentada por alguns poucos surfistas e aventureiros

região. Foi em meados da década de 1970 que o bairro passou a ganhar uma rápida adesão. “Nessa época os argentinos também começavam a chegar em bandos. Eles eram apelidados de ‘dame dos’, porque para eles era tudo tão barato que eles já compravam logo dois”, lembra Viegas. Enquanto isso, surfistas vindos de todo o Brasil descobriam o mar da Joaquina e passaram a dominar o território, criando campeonatos, festas e lançando para o país e o mundo vários campeões do esporte. “Os surfistas começaram a chegar por causa das ondas e do acesso. A partir da Joaquina foram indo para a Mole e para a Barra da Lagoa, onde só se chegava de bal-

sa. Nessa época quase não havia bares nas praias. A gente levava bebida, pescava e comia por lá mesmo. Só na Joaquina que logo surgiu o famoso Bar do Chico”, conta o Velho Bruxo. Poucos olhares para o Sul Em meados dos anos 1980, depois que praias do Norte e do Leste da Ilha se popularizaram de vez entre turistas e novos moradores – além de começarem a atrair celebridades brasileiras e estrangeiras –, a região do Sul da Ilha começou a ser mais procurada pelos banhistas. “As pessoas não iam muito para o Sul porque era muito longe e ainda não havia estradas, por isso o Ribeirão da Ilha acabou mais preserva-

Canal da Barra da Lagoa, nos anos 1970

do. Um terreno lá não valia nada na época”, lembra o Velho Bruxo. Para Ney Viegas, a região demorou a se desenvolver por falta de investimentos do poder público. “O Sul da Ilha até hoje tem pouca atenção. O Ribeirão era um lugar de pesca, antiquíssimo, e o Campeche, mesmo com o campo de pouso, não se desenvolveu. A predileção sempre foi mesmo pelo Norte. A luz chegou primeiro lá, o asfalto chegou primeiro lá”, observa o pesquisador. Para quem visita Florianópolis nos dias de hoje, a parte boa dessa polêmica é que o Sul da Ilha tornou-se a região da cidade onde mais se encontram praias agrestes e paraísos naturais ainda preservados.•


A vida nas calçadas está de volta. No Passeio Pedra Branca, você encontra lojas, gastronomia, serviços e entretenimento. Que tal um passeio pelas calçadas largas, um café, uma boa leitura, uma volta de bicicleta ou um happy hour com os amigos? Venha nos visitar. Veja quem está por aqui:

Gastronomia, Cultura e Lazer. #minhapedrabranca

marque suas fotos e apareça em nossas redes sociais.

passeiopedrabranca.com.br

3086.9700

Rua da Universidade, em frente à Unisul - Pedra Branca - Palhoça


52 BEM-VINDO Eduardo Valente/Arquivo ND

de visitante a morador APROVEITE AS FÉRIAS EM FLORIPA PARA CONHECER O MERCADO IMOBILIÁRIO DE SANTA CATARINA E QUEM SABE REALIZAR O SONHO DE VIR MORAR NO LITORAL

• Por Beatrice Gonçalves

Passear no fim de tarde pela Avenida Beira-Mar pode entrar na lista de suas rotinas diárias

S

e você se encantou pelas belezas da Grande Florianópolis e gostaria de passar mais tempo na região ou está apenas à procura de um investimento com retorno garantido, saiba que esse é um dos melhores momentos para adquirir imóveis no litoral. Segundo Hélio Bairros, presidente do Sindicato das Indústrias da Construção Civil (Sinduscon) da Grande Florianópolis, as construtoras têm unidades em

estoque e estão oferecendo descontos especiais. “No caso de obras que já tenham sido concluídas, é possível negociar o valor dos imóveis, porque para as construtoras não é vantajoso manter esses imóveis parados.” O presidente do Sinduscon da capital explica também que mesmo com o aumento da taxa Selic, as taxas de financiamento de imóveis se mantêm estáveis. “O crédito imobiliário conti-

nua alto e as taxas não subiram. Isso porque os juros imobiliários não costumam ser indexados pela Selic e sim pelo FGTS e pela poupança.” Segundo Bairros, o mercado da construção civil se manteve estável em 2014 por conta das indefinições a respeito do Plano Diretor de Florianópolis, mas há perspectiva de crescimento para 2015 e inclusive de aumento nos valores dos imóveis. “As obras que estão sendo


SHOW ME 53

construídas na cidade foram aprovadas no Plano Diretor antigo. Entre as regiões que mais crescem estão Campeche, Estreito, Canasvieiras, Agronômica e Córrego Grande. Nessas regiões, a valorização média dos imóveis a cada ano varia de 10% a 20%.” Alto padrão Se essas regiões são as que mais crescem, as que mais registram valorização dos imóveis são Jurerê, Abraão, Centro e João Paulo, áreas conhecidas pelo alto padrão dos imóveis. É o que mostra a pesquisa sobre o mercado imobiliário realizada pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de Santa Catarina (Fecomércio SC) e pelo Sindicato da Habitação (Secovi) de Florianópolis e Tubarão. “À medida que cada bairro vai sendo gradativamente adensado, com construções de boa qualidade, a valorização vai acompanhando esse movimento. O mercado de luxo é mais restrito, qualificado

e portanto de menor volume, mas mantém um alto nível de atratividade e volume de negócios”, explica Marcelo Brognoli, presidente da Câmara Empresarial de Mercado Imobiliário da Fecomércio de Santa Catarina. Segundo a pesquisa, esses bairros registram os maiores valores do metro quadrado na Grande Florianópolis, segundo o levantamento da Fecomércio. No Bairro Abraão, que fica no continente, e no Centro o preço médio do metro quadrado é de R$ 5,4 mil. Na Agronômica, em Jurerê e no João Paulo o valor médio é de R$ 5,2 mil. De acordo com Brognoli, a demanda por imóveis é alta para todas as faixas de investimentos na Grande Florianópolis. “Profissionais liberais, estudantes e técnicos costumam procurar imóveis para comprar no Centro, Kobrasol e Trindade. Há um outro perfil de consumidor que quer morar próximo das praias e no interior da Ilha, e ainda há os clientes de alto poder aquisitivo que

buscam imóveis em Jurerê Internacional e Cacupé.” Brognoli avalia que a temporada de verão é um período de aquecimento das vendas no setor imobiliário. “A região da Grande Florianópolis continua tendo grande poder de atração para investidores imobiliários pelas características naturais, socioeconômicas e pelas vantagens implícitas da segurança e rentabilidade deste tipo de investimento. Muitas pessoas de outros estados e inclusive do exterior têm escolhido morar na Grande Florianópolis. O que nós observamos é que depois do fluxo histórico da vinda de gaúchos para a região, nos últimos anos há uma forte migração de clientes de São Paulo, Paraná, Rio de Janeiro e Goiás.” Quem adquire um imóvel na região da Grande Florianópolis tem também uma alta taxa de retorno com a locação do bem. “Além da valorização média de 10% do imóvel por ano, com o aluguel é possível ter um retorno na faixa

Victor Carlson

Janine Turco/Arquivo ND

Casas de luxo em Jurerê Internacional Daniel Queiroz/Arquivo ND

De ocupação recente, a região do Novo Campeche é uma das que mais crescem hoje na capital

No Centro há imóveis para diferentes perfis


54 BEM-VINDO DE VISITANTE A MORADOR Flávio Tin/Arquivo ND

PARA FECHAR NEGÓCIO CONSTRUTORAS E INCORPORADORAS NO LITORAL CATARINENSE WOA empreendimentos imobiliários Comercializa unidades do empreendimento Simphonia Woa Beiramar, composto por quatro condomínios de luxo na Avenida Beira-Mar Norte: Soprano Hall, Jazz Club, Sonata Place e Opera House. Cada um deles é totalmente independente, com fachadas diferenciadas, materiais contemporâneos e projetos assinados por profissionais de renome nacional. Avenida Beira-Mar Norte, 3974, Florianópolis. (48) 3224 1001. www.woa.com.br KOERICH IMÓVEIS Oferece atualmente seis modelos de empreendimentos, entre edifícios residenciais e corporativos. Em 2015 prepara a entrega de três novos condomínios, dois no Centro e um na região do Novo Estreito. Avenida Prefeito Osmar Cunha, 528, Centro, Florianópolis. (48) 3330 9000. www.koerichimoveis.com.br COTA EMPREENDIMENTOS Atua em Florianópolis, Itajaí, Palhoça e Bombinhas. Nestas cidades, conta com oito empreendimentos prontos e cinco em construção, tanto residenciais quanto comerciais. Rua Victor Konder, 125, 11º andar, Largo Benjamin Constant, Florianópolis. (48) 3028 0100. www.cota.com.br

Balneário Camboriú e região também atraem o interesse de quem busca investir em imóveis

de 6% ao ano. Esse é um dos melhores investimentos disponíveis no mercado.” Oportunidades na costa Assim como na Grande Florianópolis, o mercado imobiliário na região da Costa Verde e Mar é um dos que mais crescem no Estado. Em 2013 foram aprovados cerca de 8 milhões de metros quadrados para novas construções em Itajaí, 1 milhão de metros quadrados em Balneário Camboriú e cerca de 1,2 milhão em Itapema. “Itajaí é um dos municípios com maior potencial para verticalização e, por conta disso, a tendência é de crescimento nos próximos anos”, avalia Sérgio Luiz dos Santos, presidente do Sindicato da Habitação de Santa Catarina (Secovi). Em Balneário Camboriú, o destaque são as obras de alto padrão. “A cidade

é referência em imóveis de luxo e esse segmento continua aquecido. As imobiliárias chegam a receber de 5 mil a 6 mil consultas de compra por mês. Isso demonstra que há muita gente interessada em investir na região”, diz Santos. Em Itapema, o mercado de alto padrão também cresceu nos últimos anos. As construtoras locais se especializaram em imóveis amplos, com opção de várias garagens por apartamento e com metro quadrado com valor mais baixo do que o de Balneário Camboriú – o que atraiu muitas pessoas para a região, inclusive muitos famosos. “Neymar e o cantor Alexandre Pires têm apartamentos em Itapema, e quem adquiriu, recentemente, um imóvel em Balneário Camboriú foi o cantor Luan Santana”, diz o presidente do Secovi.•

EMBRAED EMPREENDIMENTOS De frente para o mar de Balneário Camboriú, dispõe de um empreendimento pronto para morar e outros três em construção, além de diversos outros imóveis no Centro e a uma quadra do mar. Rua 3300, esq. Av. Brasil, 3223, Centro, Balneário Camboriú. (47) 3264 0008. www.embraed.com.br FG EMPREENDIMENTOS A construtora está lançando em breve seis novos empreendimentos de alto luxo na região de Balneário Camboriú, dois deles de frente para o mar. Há ainda outros imóveis em construção, disponíveis na planta. Av. Brasil, 2260, Centro, Balneário Camboriú (47) 3361 2000. www.fgempreendimentos.com.br CONSTRUTORA MENDES SIBARA A empresa está construindo em Balneário Camboriú o Marina Beach Towers, único residencial da América do Sul equipado com marina. Tem outros dois imóveis em construção em Itajaí e um em Camboriú. Av. Ministro Victor Konder (Beira-Rio), 800, Centro, Itajaí. (48) 3045 4200. www.mendessibara.com.br


O Paraíso das Águas é o melhor lugar para curtir as férias!


58 NO ROTEIRO

um estado a descobrir

DO LITORAL AO EXTREMO-OESTE, EMBARQUE CONOSCO EM UMA VIAGEM PELA DIVERSIDADE NATURAL E CULTURAL QUE FAZ DE SANTA CATARINA UM LUGAR ÚNICO NO MUNDO

• Por Marco Túlio Brüning

As dunas da Praia da Joaquina, no Leste da Ilha de Santa Catarina, atraem turistas de todas as idades para praticar sandboard ou apenas caminhar pela areia


SHOW ME 59

visitantes encontrarão as mais encantadoras opções de hospedagem, lazer e gastronomia, seja sob o sol que deixa verdes as águas cristalinas do mar nas praias de Bombinhas, na Costa Verde e Mar, ou debaixo de neve na cidade mais fria do país, Urupema, que integra o roteiro da Serra Catarinense. Não podem ficar de fora da programação as festas típicas que fazem parte do calendário de eventos, das quais a mais famosa é a Oktoberfest, que ocorre desde 1984 em Blumenau, no Vale Europeu. Também merece destaque nacional o Festival de Dança de Joinville, cidade que abriga a única escola do renomado Balé Bolshoi – criado em Moscou em 1773 – fora da Rússia. Indo para sua 18ª edição em 2015, o Festival de Música de Itajaí consolida-se como o mais importante do Sul do país, e já

trouxe para deleite do público nomes como Paulinho da Viola, Dominguinhos e Milton Nascimento. Os amantes de esportes de aventura encontram opções que agradam a todos: rafting e canoagem nas corredeiras do Rio Itajaí-Açu; pesca esportiva do robalo em Garuva; mergulho na Reserva Biológica Marinha do Arvoredo (onde está a Ilha de Anhatomirim e sua centenária Fortaleza de Santa Cruz, erguida pelos portugueses durante os tempos do Império); voo livre em Itapema, a capital catarinense de ultraleves; exploração de cavernas em Botuverá, que abriga a maior formação deste tipo no Sul do Brasil e considerada uma das mais belas de toda a América Latina; e muito, muito mais. Prepare o seu roteiro e venha. Santa Catarina está de portas abertas!

Victor Carlson

U

ma imensa variedade de cenários, passando de praias paradisíacas a enormes campos perfeitos para uma cavalgada, além de um verdadeiro caldeirão cultural – herança dos imigrantes oriundos da Alemanha, Itália, Portugal, Áustria, Rússia, Japão, Hungria, Ucrânia, Noruega e Polônia –, são os atributos que fazem de Santa Catarina um estado ímpar quando se fala em turismo, seja de aventura, negócios, campeiro, litorâneo ou simplesmente para relaxar, como ocorre nas diversas estâncias de águas termais com efeito terapêutico disponíveis para os que escolhem as terras catarinas por destino. Com geografia diversificada, o clima subtropical traz uma característica rara a este estado do Sul do Brasil: quatro estações bem definidas no decorrer do ano. Portanto, não importa a época, os


60 NO ROTEIRO UM ESTADO A DESCOBRIR

Victor Carlson

GRANDE florianópolis

Principal cartão-postal de Florianópolis, a Ponte Hercílio Luz recepciona os

visitantes que chegam à capital catarinense

A

Grande Florianópolis é um dos destinos turísticos mais visitados de Santa Catarina. É nessa região que está situada a capital do Estado, Florianópolis, reconhecida pelas belezas naturais e alta qualidade de vida. Além das belíssimas praias – na Ilha, em Governador Celso Ramos ou Palhoça – existem outros atrativos nas redondezas, como as estâncias de águas termais de Santo Amaro da Imperatriz e as paisagens rurais de Rancho Queimado, Anitápolis, São Bonifácio e São Pedro de Alcântara. A bela Governador Celso Ramos integra a Reserva Biológica Marinha do Arvoredo. É um dos melhores locais de mergulho do país, com espécies raras da fauna marinha, incluindo golfinhos da espécie tucuxi. Outra atração é a Ilha de Anhatomirim, que abriga a centenária Fortaleza de Santa Cruz, construída pelos portugueses durante os tempos do Império. A vizinha Biguaçu tem por destaque seu acervo arquitetônico, que conserva edificações coloniais centenárias. Há ainda atrativos naturais como o Balneário de São Miguel, que apresenta a gastronomia açoriana, com restaurantes especializados em frutos do mar.

seus, igrejas, teatros e o cartão-postal da cidade: a Ponte Hercílio Luz. São José, fundada em 1750 por açorianos, mantém traços dessa cultura no casario do charmoso Centro Histórico. Mas sobretudo é um importante polo industrial catarinense e possui comércio intenso. Há diversas opções de compras e também gastronomia e vida noturna. Já Palhoça é famosa em todo o Brasil pela praia da Guarda do Embaú. As belezas naturais são o seu maior destaque. Localizada entre o litoral e a serra, possui rios, cachoeiras,

Não é à toa que a capital catarinense é conhecida como Ilha da Magia. A beleza natural de Florianópolis encanta à primeira vista. São cerca de cem praias espalhadas pela ilha costeira e na pequena península continental que formam a cidade. Há muito para se conhecer, como a bela e agitada Lagoa da Conceição, a tranquila Lagoa do Peri, o tradicional Centro Histórico, a cosmopolita Avenida Beira-Mar Norte, os bucólicos bairros açorianos de Santo Antônio de Lisboa e Ribeirão da Ilha, além de fortalezas portuguesas, mu-

governador celso ramos

antônio carlos angelina rancho queimado

anitápolis

São Pedro de alcântara águas mornas

são bonifácio

biguaçu

São josé palhoça Sto. Amaro da Imperatriz

Florianópolis


Victor Carlson

SHOW ME 61

A Praia de Calheiro s é apenas um dos muitos recantos à beira-m ar de Governador Celso Ramos

Victor Carlson

A poucos quilômetros do

Victor Carlson

s O Museu da Casa do exibe çu, ua Açores, em Big lios nsí móveis, roupas e ute usados pelos colonos 18 e 19 açorianos nos séculos

ilhas, morros com vistas espetaculares e a área aberta à visitação do Parque Estadual da Serra do Tabuleiro. Avançando para o interior, Antônio Carlos reúne diversos atrativos. Parques aquáticos, igrejas e grutas religiosas – incluindo a primeira capela construída por imigrantes alemães no Estado – estão na preferência dos visitantes. A vizinha São Pedro de Alcântara, primeira colônia alemã de Santa Catarina, mantém até hoje o clima rural e a vida tranquila. Os produtos artesanais merecem destaque, em especial a aguardente produzida em antigos engenhos movidos a água. Se você aprecia a bebida, não deixe de fazer a Rota da Cachaça. Conhecida como Vale das Graças, Angelina possui alguns dos mais belos pontos de peregrinação do país, como o Santuário

Nossa Senhora de Angelina. A cidade é considerada – segundo definição da Igreja Católica – local privilegiado para obtenção de graças. Santo Amaro da Imperatriz é famosa por suas fontes de águas termais com propriedades terapêuticas. Mas o município tem muitos outros encantos. Região montanhosa, cortada por rios e cachoeiras, possui 63% de seu território coberto por Mata Atlântica. Destino ideal para a prática do voo livre, rafting, rapel, canoagem e outros esportes. Em Águas Mornas, o nome já revela: as fontes de águas termais são o grande destaque. Seu cenário montanhoso, recortado por rios, cachoeiras e trilhas diversas, é perfeito para a prática do ecoturismo. São Bonifácio também tem nas termas seu maior atrativo. A relaxante Estância

litoral, Rancho Queimado tem o clima e a paisagem característicos da serra

Hidromineral São Bonifácio oferece águas termais, cachoeiras e açude para pesca. Não deixe de apreciar o saboroso mel produzido na cidade, reconhecido como um dos melhores do Brasil. Situado a apenas 60 quilômetros do litoral, Rancho Queimado tem o clima da Serra Catarinense. A temperatura é amena, entre 10°C e 22°C, e a paisagem montanhosa favorece passeios ao ar livre. Outro ponto alto é a gastronomia campeira e a boa oferta de produtos coloniais. A pequena Anitápolis é o destino certo para quem quer descansar. O município de colonização ítalo-germânica integra o projeto Acolhida na Colônia, que oferece hospedagem em propriedades rurais. A geografia montanhosa do município atrai também quem busca aventura, praticando rapel, montanhismo e trekking.


62 NO ROTEIRO UM ESTADO A DESCOBRIR

COSTA VERDE E MAR

Infraestrutura urban

ae belas praias fazem de Balneário Camboriú um dos destinos turístico s mais procurados do Sul do Brasil

Bombinhas, o menor município catarinense, guarda algumas das mais belas praias do Estado

A

beleza do litoral catarinense revela-se em todo seu esplendor na Costa Verde e Mar, assim batizada pelas águas de cor verde-esmeralda que banham suas praias. Este roteiro começa a uma hora de carro da capital Florianópolis, no menor município de Santa Catarina – Bombinhas, com 34,5 km² de área –, e segue até Barra Velha, no Norte do Estado, onde o encontro das águas do Rio Itapocu, da lagoa e do mar forma imensas dunas, compondo uma exuberante paisagem. Nos 35 km de costa que separam a Ilha do Macuco, em Bombinhas, e a Praia do Plaza, em Itapema, passando pela badalada Porto Belo, o turista encontra diversidade de cenários como morros, enseadas e costões pedregosos, águas límpidas propícias para o mergulho, trilhas em meio à Mata Atlântica,

além de cachoeiras e locais para observação de aves e animais silvestres. Em um dia perfeito na região pode haver surfe em Quatro Ilhas, degustação de variedade de frutos do mar, incluindo bolinho de siri, lula empanada ao vinho e vieiras servidas na conchinha, observação de navios transatlânticos e ainda muito agito na noite de Perequê. Em Meia Praia destaca-se o ambiente familiar, com crianças brincando na praia, namorados jogando frescobol e pescadores nativos puxando suas redes. A venda dos peixes é feita ali mesmo, na areia fina. Os municípios contam com boa infraestrutura, e o visitante pode escolher entre hotéis e pousadas de excelente padrão. Seguindo pela BR-101, encontramos Camboriú e Balneário Camboriú. A primeira tem 211 km² de extensão,

André Balestra/Divulgação

Victor Carlson

sendo 177 km² de área rural, onde cachoeiras, trilhas e pesque-pagues compõem o cenário. O Pico da Pedra é um atrativo à parte, com exuberante vegetação de Mata Atlântica, bromélias, orquídeas e uma infinidade de espécies da fauna e flora. Já Balneário, como é chamada pelos moradores, é o maior polo turístico do Sul do Brasil e recebe mais de 1 milhão de turistas por ano. Na orla central, descobre-se a razão de seus predicados: visual paradisíaco, centenas de bares, música ao vivo, restaurantes, casas de shows, cervejarias, centros de compras, boates... Há opções de entretenimento para todas as idades. As cidades vizinhas, Itajaí e Navegantes, estão localizadas às margens do Rio Itajaí-Açu e integram um eixo de escoamento estratégico com as


SHOW ME

63

Victor Carlson

Victor Carlson

luís alves

Em Itajaí, a Praça Irineu Bornhausen abriga a Igreja Matriz e é ponto de partida para um roteiro pelo Centro Histórico

Bastante familiar

balneário piçarras penha

camboriú

balneário camboriú

itapema meia praia

bombinhas

porto belo

durante o dia, a Praia de Perequê tem uma das noites mais agitadas do litoral Norte

principais rodovias e aeroportos do país. Para curti-las em um dia a sugestão é pegar o ferry-boat e passar a manhã nas praias do Gravatá, do Pontal ou Central, com boas condições para o surfe e outras atividades de lazer, e conhecer as atrações de Navegantes, que investe no turismo para complementar suas atividades econômicas: a pesca (é o terceiro maior centro de captura e beneficiamento de pescado da América Latina) e a construção naval. Na volta para Itajaí a pedida é almoçar na Av. Ministro Victor Konder (Beira-Rio), via gastronômica do município, e depois fazer a Rota do Pedestre, um roteiro de 2,5 km pelo casario histórico do Centro, com construções do início do século 19, como a Igreja Matriz, o Museu Histórico e a Casa da Cultura. No fim do passeio, vale descansar no

Mercado Público Municipal, petiscando peixe frito com cerveja e jogando conversa fora com os nativos. Nem todas as cidades da Costa Verde e Mar são banhadas pelas águas do Atlântico. O município rural de Ilhota tem no ecoturismo e no turismo de compras suas principais atrações. Trilhas para caminhada e mountain bike disputam com as confecções de moda praia e lingerie a preferência dos turistas. As propriedades rurais ainda são parte importante da paisagem, e algumas ficam abertas para visitação e pescaria. Já na porção Norte do Estado ficam Penha e Balneário Piçarras, distantes apenas 5 quilômetros. Como atrativos, história, gastronomia, natureza e clima de vila de pescadores, além do maior parque multitemático da América Latina, o Beto Carrero World. São mais

de cem atrações em uma área de 14 km2, que recebe anualmente mais de 1 milhão de visitantes. Destacam-se as belas praias e uma área rural com vegetação nativa, boa infraestrutura e atrações culturais Um pouco mais longe do mar, Luís Alves é um dos mais tradicionais produtores de cachaça do país. Vários alambiques produzem, artesanal ou industrialmente, a famosa bebida. Na bela paisagem, destacam-se cachoeiras, grutas com imagens de santas e a Igreja Matriz São Vicente de Paulo. Para fechar o roteiro, Barra Velha tem como um de seus principais atrativos a Lagoa de Barra Velha, paralela ao mar, que tem 6 quilômetros de extensão e forma uma península de 200 metros de largura, perfeita para a prática de esportes náuticos. ■


64 NO ROTEIRO UM ESTADO A DESCOBRIR

Benedito Novo, um dos diversos roteiros de ecoturismo da região

Patrick Rodrigues

VALE europeu

Queda d'água no Campo do ZInco, em

Sede da Oktoberfest, a Vila Germânica de Blumenau é parada obrigatória para quem visita a cidade

P

assear pelos 19 municípios que compõem a região conhecida por Vale Europeu resulta em uma rota cênica de 235 quilômetros, 145 deles percorridos pela BR-470, beirando o Rio Itajaí-Açu. Neste surpreendente roteiro, a arquitetura, os costumes, a gastronomia e até os dialetos que se ouve remetem à herança cultural dos colonizadores alemães, italianos, austríacos, poloneses e portugueses. O contorno ao Parque Nacional da Serra do Itajaí – partindo a 30 quilômetros do litoral e indo pelo lado norte até o início da Serra Catarinense – começa a se delinear na cidade de Nova Trento, segundo destino brasileiro que mais recebe fiéis, peregrinos e romeiros no Brasil devido ao Santuário Santa Paulina, consagrado à primeira santa brasileira que ali viveu até 1942. O visitante poderá conhecer Botuverá, que abriga a maior caverna do

Sul do país e uma das mais belas da América Latina. Vale apreciar os cenários rurais do município ao seguir rumo a Brusque, conhecido destino para compras de artigos têxteis. O prato típico da cidade é o marreco com repolho roxo, receita germânica que ganhou até uma festa própria: a Fenarreco. A chegada a Gaspar, com sua herança cultural de imigrantes alemães, italianos e açorianos, marca o encontro com as águas do Rio Itajaí-Açu e também com a importante rodovia BR-470. Polo econômico e turístico do Vale do Itajaí e coração do Vale Europeu, Blumenau é conhecida pela Oktoberfest, que atrai 600 mil visitantes por edição. Fundada em 1850, a cidade preserva suas origens nas casas, parques e monumentos. Traços da cultura germânica podem ser apreciados nas edificações de arquitetura alpina e enxaimel, na

Um bondinho leva peregrinos e romeiros de todo o Brasil ao Santuário Santa Paulina, em Nova Trento

arte, na rica gastronomia e nos jardins floridos que enfeitam a cidade. Em torno do terceiro maior centro urbano do Estado ficam pequenos municípios com marcante presença das culturas alemã e italiana, com arquitetura e gastronomia típica. Indaial destacase pelas ruas largas e limpas, jardins floridos e pontes de madeira. Timbó, por sua vez, oferece aos visitantes vegetação exuberante, encravada em região montanhosa, ideal para o voo livre. A lembrança dos imigrantes vindos da Pomerânia é marcante em Pomerode, cuja área rural foi tombada pela Unesco sob a designação de Paisagem Cultural.


SHOW ME 65 Santur/Divulga ção

Santur/Divulgação

a o tom da Fest A animação dá as a br le e ce Pomerana, qu Pomerode em s ia pe tradições euro

Santur/Divulgação

Inserida num majestoso cenário formado por rios, lagos e quedas-d’água, a região montanhosa do Vale Europeu favorece o ecoturismo. Colonizada por italianos, austríacos, alemães, poloneses e russos, Rio dos Cedros fica 1 mil metros acima do nível do mar e é um dos mais belos lugares para praticar atividades como canoagem, trekking e rapel. Benedito Novo é outro ótimo destino, com cachoeiras de até 100 metros de altura. O cenário é perfeito para cavalgadas, pescarias e trilhas. Já Doutor Pedrinho oferece inúmeras corredeiras, morros e cânions propícios para rapel, trekking e canyoning.

Passeando pelas ruas da cidade de Rodeio, é possível ouvir os moradores falando o dialeto trentino. As principais atrações são o Museu de Usos e Costumes da Gente Trentina, algumas vinícolas e a Cascata O Salto – queda-d’água com 80 metros de altura. A natureza é o grande atrativo de Apiúna, considerado um dos melhores municípios de todo o Brasil para a prática do rafting. Há uma centena de cascatas, morros e vales que favorecem o canyoning, rapel, trekking e mountain bike.

Ibirama tem inúmeros rios, cachoeiras, piscinas naturais, grutas e montanhas. Mais de 30 mil pessoas por ano desfrutam todas essas belezas, praticando esportes ou visitando antigas casas de campo. Também conhecido como Vale das Cachoeiras, Presidente Getúlio possui mais de 70 quedas espalhadas pelo município, sendo bastante procurada pelos praticantes de rapel. Se o turista deseja relaxar e apreciar belas paisagens rurais, Vitor Meireles é o lugar certo. A Serra da Abelha abriga a maior reserva de araucárias do país, além de outras espécies nativas. Chegando na porção mais oeste do Vale Europeu, Rio do Sul não somente é ponto de encontro das culturas alemã e italiana como também dos rios Itajaí do Sul e Itajaí do Oeste, formando o Itajaí-Açu, principal rio de Santa Catarina. Situada entre a Serra do Mar e a Serra Geral, a cidade é rica em paredões de cachoeiras, rios e montanhas. Ituporanga é outro município que se destaca por suas inúmeras cascatas, cachoeiras e grutas envolvidas por cortinas d’água. Em Agrolândia, a apenas 50 km da Serra Catarinense, o visitante pode curtir sítios, parques aquáticos e pesque-pagues. As atrações incluem pesca da truta, jogos típicos, trilhas, visitas a cachoeiras e grutas religiosas, além de refeições coloniais e venda de produtos caseiros.

doutor pedrinho RIO DOS CEDROS

benedito novo VITOR MEIRELES PRESIDENTE GETÚLIO

TIMBÓ RODEIO

INDAIAL

BLUMENAU GASPAR

IBIRAMA RIO DO SUL

BOTUVERÁ

brusque NOVA TRENTO

AGROLÂNDIA

ITUPORANGA


66 NO ROTEIRO UM ESTADO A DESCOBRIR Santur/Divulgação

dão um charme especial à antiga São Francisco do Sul

A Casa da Memória, em Joinville, é uma antiga

Santur/Divulgação

CAMINHO DOS PRÍNCIPES

As coloridas fachadas dos imóveis históricos

O

Caminho dos Príncipes é um dos roteiros mais diversificados do Estado, unindo história, cultura, desenvolvimento econômico, belas paisagens litorâneas e bucólicos recantos rurais. O nome turístico da região tem origem num episódio ocorrido em 1853, quando terras locais foram incluídas no dote de casamento do príncipe de Joinville com a princesa Francisca, irmã de Dom Pedro II. A colonização alemã predomina, mas há influência italiana, suíça, húngara, tcheca, ucraniana, norueguesa, polonesa e até japonesa. O ponto de partida é a cidade situada mais ao Norte: Itapoá, na divisa com o Paraná, oferece praias tranquilas, matas, cachoeiras, passeios de escuna, pesca e esportes aquáticos. Garuva, por sua vez, é conhecida nacional e internacionalmente pelos amantes da pesca esportiva graças ao robalo. A cidade localizada na base da Serra do Mar é cortada por dezenas de rios e possui pousadas especializadas em hospedar os pescadores.

estação ferroviária transformada em espaço cultural e atração turística

A festejada Joinville, principal polo industrial catarinense, abriga um dos maiores eventos culturais do país: o Festival de Dança. O Parque Zoobotânico, com 17 mil m2 e mais de 200 animais em cativeiro, oferece lazer junto à natureza. No Parque Porta do Mar há um trapiche que favorece a apreciação do lindo visual da Baía da Babitonga. Para

quem curte turismo rural, vale passar pelos 23 quilômetros da Estrada Bonita, onde as localidades lembram uma colônia do século retrasado. Outra opção é a região do Piraí, com rios cristalinos, cachoeiras e casas centenárias erguidas pelos colonizadores. Araquari tem no ecoturismo sua principal atração. Passeios de caiaque,

Paraná garuva mafra rio negrinho

itapoá são bento do sul

itaiópolis papanduva

joinville

são francisco do sul

araquari

corupá jaraguá do sul

balneário barra do sul barra velha


SHOW ME 67

Santur/Divulga

Em Jaraguá do Sul, o Morro da Boa Vista é ponto de encontro dos praticantes de parapen te e voo livre

ção

Victor Carlson

jet ski e barco são comuns nos rios que cortam o município. São Francisco do Sul respira história em seu conjunto urbanístico e arquitetônico. A ocupação da ilha onde se situa a cidade teve início em 1504, resultando no primeiro povoado de Santa Catarina: Nossa Senhora da Graça de São Francisco do Sul. Balneário Barra do Sul conta com 12 quilômetros de praia, um arquipélago com cinco ilhas e duas lagoas próprias para banho, além de restingas, manguezais e dunas. Em São João do Itaperiú as atrações são os produtos coloniais locais, a Igreja de São João Batista e a Festa de São João, padroeiro da cidade. O turismo rural e as festas típicas nos levam a Massaranduba, colonizada por alemães, italianos e poloneses. As pousadas e propriedades rurais oferecem várias atividades ao ar livre, como cavalgadas, pescarias e trilhas. Com economia agropecuária, Guaramirim preserva costumes e tradições dos colonizadores alemães, portugueses e italianos. Destaca-se o Festival de

Rock Alternativo, que reúne bandas de todo o Brasil. Schroeder está localizada numa região serrana de grande beleza, cenário perfeito para o ecoturismo e esportes como mountain bike. Em Jaraguá do Sul, cidade cercada por morros, cachoeiras e picos de grande altitude, o cenário favorece a prática do voo livre, rapel, trekking, escalada e arvorismo. Neste importante polo têxtil e industrial, uma boa opção é conhecer o Parque Malwee e saborear um almoço típico alemão ou fazer um agradável piquenique. Corupá fica em um vale repleto de quedas d’água. São mais de 60 espalhadas pela região, formando a Rota das Cachoeiras. O Parque Emílio Battistela é um verdadeiro paraíso natural com centenas de espécies nativas. São Bento do Sul cultiva tradições trazidas pelos europeus em ofícios como a marcenaria, sendo o maior exportador de móveis do Brasil. A Estrada Dona Francisca é uma atração que merece ser visitada. Em Campo Alegre, a natureza é o grande atrativo. A região

puma A Cachoeira Es das D'Água é uma nas as id belezas escond der oe serras de Schr

tem clima típico de serra e paisagens que mesclam montanhas, cachoeiras e campos de araucárias. Rio Negrinho é excelente destino para adeptos do ecoturismo e dos esportes de aventura. O turismo de compras e de negócios também se destaca. A cada ano, o turismo rural vem ganhando força em Mafra, cercada por floresta nativa, cachoeiras e campos perfeitos para cavalgar. Outro destino de ecoturismo é a tranquila Itaiópolis. Os traços da colonização alemã, polonesa e ucraniana estão presentes, em especial no artesanato, com bordados ucranianos, wycinank (recortes de papel) e ovos coloridos (pêssankas). Papanduva tem inúmeras cachoeiras, cavernas, sítios paleontológicos e florestas preservadas, além de trilhas e estradinhas de terra muito procuradas por jipeiros e motociclistas. Já Monte Castelo é um pequeno município agrícola que se destaca na produção de batata-semente, cultura trazida pelos japoneses. Sua principal atração é o turismo rural.


68 NO ROTEIRO UM ESTADO A DESCOBRIR

Santur/Divulgação

vale do contestado

O Museu do Vale do Contestado, em Caçador, conta a história da guerra civil que marcou a região

O

A Guerra do Contestado teve em Canoinhas seu principal cenário. O Museu Orty Machado possui um bom acervo sobre o conflito e merece uma visita. Outro destaque vai para a Festa da Erva-Mate. Porto União possui mais de 100 cachoeiras, sendo ótimo destino de ecoturismo. O Parque Monge João Maria é outra atração. A cidade mais populosa da região, Caçador foi bastante marcada pela guerra. Era em sua estação ferroviária que as tropas desembarcavam para combater os

Vale do Contestado é marcado pelo grande valor histórico em função da guerra que lhe cede o nome, ocorrida no início do século 20. Mas além das atrações culturais e históricas, há lindos vales, planaltos de vegetação preservada e cachoeiras, onde o ecoturismo é uma excelente opção. Também não há como não se encantar com a arquitetura típica das construções e a riqueza multicultural, resultado da colonização austríaca, japonesa, italiana e alemã.

Paraná porto união

caçador treze tÍlIas seara

irani

pinheiro preto

tangará

rio das antas

videira

fraiburgo

joaçaba itá

concórdia piratuba

Rio Grande do Sul

capinzal

curitibanos campos novos

“rebeldes” que se insurgiram contra o Governo Federal. No Museu do Contestado há grande acervo a ser apreciado. Em Rio das Antas, as paisagens naturais e os esportes aquáticos são os maiores atrativos turísticos. Colonizada por italianos e alemães, Videira é um importante produtor de uvas. Uma das principais atrações da cidade é o Museu do Vinho, que preserva equipamentos dos primeiros imigrantes italianos. Também destaque na área, Pinheiro Preto é responsável por 50% do vinho feito no Estado, e tem duas vinícolas abertas à visitação. A cidade preserva com carinho os marcos históricos da Ferrovia do Contestado, construída em 1909. Tangará é o principal produtor catarinense de uvas e possui várias vinícolas artesanais, propriedades rurais abertas à visitação, pousadas e restaurantes que servem a comida típica dos imigrantes italianos. Fraiburgo é a Terra da Maçã, sendo um dos maiores produtores nacionais da fruta. Construções antigas em estilo normando e alpino, como o Castelinho e o Hotel Renar, chamam a atenção. A mais autêntica colônia japonesa do Sul do país está em Frei Rogério, local perfeito para contemplar a beleza das


SHOW ME 69

Santur/Divulgaç

ão

Pinheiro Preto prod uz metade do vinho feito em Santa Catarina e tem du as vinícolas abertas para visita ção Santur/Divulgação

PMTT/Divulgação

Em Treze Tílias, os traços da colonização austríaca estão por

Em Itá, as estâncias de águas termais e o lago da usina (ao fundo) atraem milhares de turistas a cada ano

toda parte

cerejeiras trazidas do Japão. Curitibanos, ponto de passagem de tropeiros e palco de diferentes conflitos históricos, conserva diversos marcos, monumentos e tradições. A culinária típica é uma delas, com arroz de carreteiro, paçoca de pinhão, carne de porco frita, virado de feijão e couve refogada. Conhecida como celeiro do Estado pela grande produção de grãos, Campos Novos oferece águas termais, ideais para curtir bons momentos com a família. Colonizada por italianos e alemães, Joaçaba é um importante polo industrial e comercial do Meio-Oeste catarinense. O Teatro Alfredo Sigwalt, em forma de piano, é uma de suas atrações. O Carnaval e o Festival de Dança, em novembro, são boas oportunidades para conhecer o município. A simpática Treze Tílias é uma cidade tipicamente austríaca em Santa Catarina. Além da

paisagem, tudo ali lembra a Áustria: sobrados brancos com detalhes em madeira e floreiras nas janelas, gastronomia, festas e danças típicas. Os vales, riachos e cachoeiras de Irani foram cenários de importantes fatos históricos, como o primeiro combate da Guerra do Contestado, em 22 de outubro de 1912. O visitante pode aproveitar os espaços culturais da cidade para conhecer melhor esta história. O cartão-postal de Capinzal é a Igreja São Paulo Apóstolo, cuja abóbada é uma réplica da Basílica de São Pedro, no Vaticano. A cidade tem outras atrações, como a Ponte Pênsil Padre Mathias Michelizza, construída em 1932, sobre o Rio do Peixe. Destaque também para a Expovale, evento bianual com exposições agropecuárias, esportes motorizados, leilão de gado e shows. Em Piratuba, os atrativos são

o parque de águas termais, a maria-fumaça, a Usina Hidrelétrica Machadinho e a Cascata do Monge. Em Concórdia, um dos principais pontos turísticos é a Praça Dogello Goss e sua bela fonte de águas dançantes. A cidade conserva o mais antigo Centro de Tradições Gaúchas do Estado. O Museu Entomológico Fritz Plaumann é o grande destaque cultural de Seara, reunindo a maior coleção de insetos da América Latina. A região no entorno foi núcleo de colonização alemã e conserva muitas casas dos pioneiros. A antiga cidade de Itá foi inundada para a construção de uma usina hidrelétrica. Em 1996, a nova cidade foi inaugurada para receber os moradores. Cercada por montanhas e florestas nativas, tem por atrativos turísticos os parques de águas termais e o próprio lago da usina.


70 NO ROTEIRO UM ESTADO A DESCOBRIR PMC/Divulgação

grande oeste

ia Chapecó homenage m co r o desbravado um monumento ao nto lado da Catedral Sa a nid ave na Antônio,

Santur/Divulgaç

ão

central da cidade

B

em-vindo à região turística mais selvagem de Santa Catarina. No Grande Oeste, a predominância é de paisagem campeira, adornada por cascatas e cachoeiras. O visitante pode desfrutar de estâncias de águas termais com ótima infraestrutura na chamada Rota das Termas, em meio a belíssimos recantos de natureza preservada, que convidam para a prática do ecoturismo. A cidade de Chapecó é o principal centro urbano e polo econômico da região, que tem diversos municípios com população inferior a 10 mil moradores. Gastronomia, museus e festas típicas fazem do Grande Oeste um safári de atrações irresistíveis. Partindo do município situado mais a leste no roteiro, temos uma pequena localidade colonizada por imigrantes

Em Abelardo Lu z, o pôr-do-sol no Pa rque das Quedas é um espetáculo da na tureza

italianos e caboclos: Vargeão. Os habitantes guardam com carinho os hábitos e costumes dos pioneiros. O Domo de Vargeão, uma das oito crateras existentes no Brasil formadas por impacto de meteorito, é a principal atração do município. Xanxerê tem muitas belezas naturais e boa estrutura turística. A Festa Estadual do Milho é um de seus principais atrativos. Formada por três quedas d’água, a cascata S’manella é visita obrigatória. Com vocação agropecuária, Xaxim é um importante produtor de milho, soja, erva-mate, feijão, trigo, leite e aves. O destaque vai para os campings e parques da cidade. Chapecó reúne o ritmo de vida agitado de um centro urbano e a tranquilidade do campo. O turismo de eventos e negócios é a grande atração

do município, que possui mais de 40 centros de eventos, salas de conferência e grandes auditórios. O turismo rural também vem ganhando espaço, aproveitando a natureza preservada, a culinária típica e os traços culturais que atraem cada vez mais visitantes de todas as partes do país. Já quem curte os esportes náuticos e a pesca deve conhecer Guatambu, município de economia baseada na agricultura. Trilhas para caminhada, campings e pesque-pagues são opções de lazer para os visitantes. Banhado pelos rios Uruguai e Chapecó, Águas de Chapecó é um dos principais destinos turísticos do Grande Oeste, com suas estâncias de águas termais com propriedades terapêuticas, cujas primeiras fontes foram des-


SHOW ME 71

Santur/Divulgação

Santur/Divulgaçã

o

Em Palmitos, a gastr onomia típica oferece delícias como esta tilápia ao queijo aco mpanhada de chope artesanal local

cobertas em 1896. Junto às vizinhas São Carlos, Saudades e Palmitos, compõem a Rota das Termas. São Carlos tem como destaque ainda o Balneário de Pratas e as praias à beira dos rios Chapecó e Uruguai. Já Palmitos oferece rica gastronomia típica, com muitos eventos como as festas do Vinho Colonial, da Ovelha, do Porco, do Frango e da Linguiça. Colonizado por alemães, Mondaí

é banhado por três rios: Uruguai, das Antas e Laju. O porto do município é uma das mais antigas vias de acesso ao Rio Grande do Sul. As principais atrações para os turistas são os passeios de barco, as pescarias e a Festa da Fruta. As belas paisagens rurais são a principal atração de Maravilha, cidade fundada por descendentes de italianos e alemães vindos do Rio Grande do Sul. O turismo de eventos se destaca em

Paraná

Argentina

são lourenço do oeste são domingos

abelardo luz Ipuaçu

maravilha

xanxerê

saudades palmitos são carlos mondaí

águas de chapecó

xaxim chapecó

guatambu

Rio Grande do Sul

vargeão

Formada por três quedas d'água, a cascata S'manella é uma das principais atrações do ecoturismo em Xanxerê

São Lourenço do Oeste, com atrações como a Mostra Interestadual de Dança, o Festival Nacional da Canção e o Baile do Chopp. Trilhas e pontos para prática de rapel e voo livre, além das grutas religiosas Curva Fria e Nossa Senhora de Lourdes, são boas indicações para os visitantes. Ponto de encontro dos rios Bonito e Chapecó, São Domingos é um dos centros turísticos mais procurados da região Oeste. O turismo religioso, a Cascata do Rio Chapecó e o Parque Estadual das Araucárias encantam quem por ali passa. Ipuaçu tem por atração a Usina Hidrelétrica Quebra-Queixo, além da Reserva Indígena Xapecó. Os índios, a propósito, compõem metade da população. Um dos maiores produtores de grãos do Estado, Abelardo Luz possui um rico mosaico de culturas e etnias. Gaúchos e caboclos, além de paranaenses e paulistas descendentes de italianos e alemães, preservam seus costumes e tradições em vários festejos. Para os visitantes, as principais atrações são o Parque das Quedas e a Igreja Matriz São Sebastião.


72 NO ROTEIRO UM ESTADO A DESCOBRIR

CAMINHOS DA FRONTEIRA

Datada de 1948, a igreja matriz de Sã o João do Oeste ch ama a atenção com se us traços coloniais

Santur/Divulgação

O museu histórico de Guaraciaba é um dos maiores museus do Brasil localizado em uma área rural

chamam a atenção, assim como os jardins floridos das casas. Outra atração é o Museu Comunitário Almiro Theobaldo Müller, com seu acervo que inclui descobertas arqueológicas que comprovam a presença de civilizações pré-históricas na região. Os visitantes podem desfrutar dos passeios de balsa no Rio Uruguai e apreciar o visual deslumbrante em seus mirantes. Também colonizada por imigrantes vindos da Alemanha, a próxima cidade, São João do Oeste, tem como principal atrativo a Igreja Matriz São João Berchmans, uma edificação em madeira datada de 1948, que ainda tem os sinos que vieram há quase 70 anos da Alemanha. Vale visitar a Gruta Nossa Senhora de Lourdes, formação rochosa adornada por mata nativa, e o Parque Termas São João, que oferece piscina de águas termais adulta e infantil, tobogã, lago para pesca, trilhas ecológicas, campo de futebol e chur-

Paraná dionísio cerqueira

Argentina

F

azendo jus ao título de estado brasileiro com maior diversidade de cenários e culturas, Santa Catarina é cruzada em seu Extremo-Oeste pelo roteiro Caminhos da Fronteira, ideal para quem gosta de desbravar terras agrestes. O trajeto vai da fronteira com o Rio Grande do Sul até encontrar o Paraná e a Argentina, passando por pequenos municípios que misturam tradições dos imigrantes europeus aos costumes gaúchos, paranaenses e argentinos, formando um rico mosaico. Partindo do sul rumo ao norte, próximo ao Parque Estadual do Turvo – atração do estado vizinho famosa pela maior queda d’água longitudinal do mundo, o Salto do Yucumã – encontramos Itapiranga, a primeira cidade catarinense a organizar a Oktoberfest, com direito a gastronomia e danças típicas, chope em metro, tiro ao alvo e desfile de carros alegóricos. As construções em estilo germânico também

são josé do cedro guaraciaba

são miguel do oeste

itapiranga

são joão do oeste

Rio Grande do Sul


SHOW ME 73 Santur/Divulgaç

ão

Santur/Divulgação

Santur/Divulgação

O Memorial da Fronteira, em Dionísio Cerqueira, fica ao lado da fronteira tríplice entre Santa Catarina, Quitutes germânicos, como esta torta doce, são característicos da culinária típica do ga município de Itapiran

rasqueiras. O calendário cultural traz festas e eventos tradicionais como a Ertedankfest – Festa da Colheita, e a Festa do Leitão, com destaque para a culinária e as danças típicas. Logo em seguida aparece o município mais populoso dos Caminhos da Fronteira, São Miguel do Oeste, com boa infraestrutura hoteleira e de eventos. A cada dois anos ocorre a Expo São Miguel, maior mostra de produtos agropecuários e industriais do Estado. Seus pontos fortes são a Igreja Matriz São Miguel Arcanjo – uma das maiores de Santa Catarina –, as grutas Nossa Senhora de Lourdes e Ventorino Poletto, o Museu Histórico Ruy Arcádio Luchesi e os centros de lazer que oferecem arvorismo, tirolesa, escalada, rapel e trekking.

Guaraciaba tem como atração os cinco rios que cortam o município: Peperiguaçu, das Antas, das Flores, Maria Preta e Índio. Pescar e tomar banho são atividades que divertem os turistas que visitam a região. O Museu Histórico Prof. Edvino Carlos Hölscher, um dos maiores do Brasil em área rural, é uma excelente dica para os que curtem roteiros culturais, e o Santuário de Nossa Senhora de Caravaggio, que atrai milhares de fiéis durante a romaria realizada em maio, é ótima indicação para o turismo religioso. Já o ecoturismo é o que desponta em São José do Cedro. Os rios, cânions e cachoeiras são procurados por adeptos de trekking, rapel e off-road. O mais famoso é o Cânion São Vendelino, que leva a uma cachoeira de

Paraná e Argentina

18 metros de altura. A cidade também organiza a sua Oktoberfest, além da Festa do Colono. Fundada por italianos e alemães oriundos do Rio Grande do Sul, Dionísio Cerqueira atrai visitantes de toda a região, incluindo argentinos. As belezas de suas cachoeiras com piscinas naturais explicam o movimento cada vez maior no município. Sua atração turística mais curiosa, no entanto, é o Marco das Três Fronteiras, onde é possível estar ao mesmo tempo em três cidades e dois países: um pé em Dionísio Cerqueira, no lado catarinense, outro em Barracão, no Paraná, e o braço esticado sobre Bernardo de Irigoyen, na província argentina de Misiones. Outras atrações são o Cânion do Assentamento e os eventos e festas típicas da região.


74 NO ROTEIRO UM ESTADO A DESCOBRIR

Xico Putini/shutter

stock.com

serra CATARINENSE Porta de entrada

da região, a Serra do Rio do Rastro impressiona pela beleza e pelas curvas fecha das Santur/Divulgação

Em Urubici o visitante tem a oportunidade de reviver a memória dos tropeiros em passeios guiados a cavalo

A

incrível rota turística da Serra Catarinense está a apenas duas horas de carro da cidade litorânea de Laguna, passando por Lauro Müller para em seguida encarar as curvas fechadas da Serra do Rio do Rastro. A região abriga os primeiros hotéis-fazenda do país e o turismo rural dá o tom às bucólicas paisagens formadas por florestas de araucárias, rios, cachoeiras, vales, campos de altitude e grandes cânions. A Serra do Corvo Branco e o Morro da Igreja também são destaques, com estradas que rasgam as montanhas até atingirem alguns dos pontos mais altos do nosso território. De lá, em dias de céu claro, é possível avistar o litoral a uma centena de quilômetros. A Serra Catarinense tem picos com altitudes que chegam a 1.827 metros (Morro da Boa Vista). É umas das regiões mais frias do Brasil e a única onde neva em quase todos os invernos, mes-

mo que por poucos dias. É nessa época do ano que a paisagem ganha um toque especial, com geadas, nevoeiros, granizo, cachoeiras congeladas e nevascas que fazem a alegria dos turistas. Bom Jardim da Serra é a porta de entrada da região. Suas belezas naturais impressionam, incluindo rios, cachoeiras e vertiginosos cânions. Também é aqui que fica a mais famosa e desafiadora rodovia brasileira: a Serra do Rio do Rastro, com 12 quilômetros de curvas sinuosas que ligam a planície litorânea à região serrana. As opções de hospedagem vão de charmosas pousadas a tradicionais hotéis-fazenda. São Joaquim reúne três ingredientes para se tornar um dos roteiros mais prestigiados de Santa Catarina: neve, maçãs e vinho. O município é hoje o principal destino dos turistas ávidos em apreciar a beleza do inverno em solo brasileiro. Considerada uma das cida-

des mais frias do país, conta com uma rede de hotéis-fazenda e pousadas que não ficam lotados apenas na estação mais fria do ano. A cidade também é bastante procurada de março a maio, época da colheita de seu principal produto agrícola: a maçã. Com a chegada de vinícolas de renome, São Joaquim também se tornou rota dos enoturistas, com vinhos e espumantes premiados no Brasil e no exterior. A maior e mais populosa cidade da serra é Lages, com cerca de 156 mil habitantes. Foi fundada em 1677 por bandeirantes e tropeiros, que a utilizavam como parada ao conduzir o gado entre os estados do Rio Grande do Sul e São Paulo. A economia sempre esteve ligada à pecuária, com um rápido ciclo madeireiro entre 1950 e 1960. No início dos anos 1980, fazendas tradicionais começaram a hospedar visitantes, iniciando o turismo rural no Brasil.


SHOW ME 75

Santur/Divulgação

Além de vinhos premiados, as vinícolas de São Joaquim promovem o enoturismo com visitas e degustações em suas propriedades Santur/Divulgação

A Catedral de Lages é um dos principais marcos históricos da maior cidade do Planalto Serrano

Em Correia Pinto, as paisagens serranas e as cascatas são o grande atrativo. Com ritmo tranquilo durante todo o ano, a cidade é indicada para os visitantes que desejam relaxar. Seguindo rumo ao litoral pela BR-282, o turista vai encontrar a pequenina Bocaina do Sul. As tradições herdadas dos viajantes tropeiros são a principal atração do município de 3 mil habitantes onde se pode apreciar o verdadeiro estilo rústico de vida. Na cidade de Bom Retiro, recantos naturais como grutas, cachoeiras e o Morro da Cruz costumam encantar os turistas que se hospedam nos hotéis-fazenda ou pousadas da região. Com cenários exuberantes, Urubici é uma das principais estrelas da Serra Catarinense. As atrações naturais do município fazem dele um dos destinos mais procurados no país pelos adeptos do ecoturismo. Entre as opções estão rapel em cachoeiras com até 100 metros de altura, cavalgadas por vales e campos de altitude, canoagem, pesca esportiva, mountain bike, tirolesa, arvorismo e caminhadas guiadas em torno de cânions. Imperdível também

é a vista da Pedra Furada, no Morro da Igreja, o segundo ponto mais alto do Sul do Brasil (1.822 m de altitude), e a Serra do Corvo Branco. Há excelentes opções de hospedagem. As belas paisagens e o artesanato de vime são os principais atrativos de Rio Rufino. Com apenas 2.436 habitantes, a agricultura familiar e a criação

de gado formam sua base econômica. Urupema – esta sim, a cidade mais fria do Brasil – oferece a oportunidade de vivenciar a autêntica vida no campo. As atividades de destaque são cavalgada e pescaria (a truta é abundante na região). Cachoeiras e cascatas atraem turistas especialmente no inverno, quando suas águas chegam a congelar.

correia pinto

lages

rio rufino

bocaina do sul

urupema

urubici

são joaquim bom jardim da serra

Rio Grande do Sul

bom retiro


76 NO ROTEIRO UM ESTADO A DESCOBRIR

Santur/Divulgação

ENCANTOS DO SUL

Em Laguna, um museu preserva a memória da heroína italiana Anita Garibaldi

N

esta região o visitante encontra um pouco de tudo: cidades históricas, ecoturismo, esportes de aventura e algumas das mais belas praias e lagoas do Sul do Brasil. Essa faixa litorânea também é berçário das baleias-francas no inverno, outra atração que encanta aqueles que as avistam. No interior, destaque para as estâncias termais e as tradições italiana e alemã, como é o caso das duas maiores cidades deste roteiro: Tubarão e Criciúma.

Garopaba é um dos municípios catarinenses mais procurados por turistas no verão. A natureza é o grande atrativo aqui, em localidades que ainda conservam o clima das antigas vilas de pescadores, em meio a praias de grande beleza natural. Surfe, sandboard, mergulho, passeios de barco e voo livre são algumas das atividades praticadas pelos visitantes. Em Imbituba fica a Praia do Rosa, única representante brasileira no Clube das Mais Belas Baías do

santa rosa de lima garopaba são martinho imbituba orleans

gravatal

imaruí

são ludgero

treviso

urussanga

siderópolis nova criciúma veneza

laguna tubarão

jaguaruna içara

Mundo. A combinação de mar, lagoa e Mata Atlântica preservada atrai um seleto grupo de turistas. O município abriga a Área de Proteção Ambiental da Baleia-Franca e desenvolveu o turismo de observação de baleias. A Lagoa de Imaruí, cachoeiras e recantos de Mata Atlântica preservada são as principais atrações de Imaruí. Ranchos de pescadores e barcos de pesca são parte importante da paisagem local, que encanta pela simplicidade. A Gruta de Santa Albertina é o ponto de romaria mais visitado. São Martinho, cidade de rara beleza colonizada por alemães oriundos da Westfalia, preserva com carinho suas origens nas casas enxaimel, nos jardins bem cuidados e na culinária típica. Destacam-se recantos naturais como o Salto do Rio Capivara, a Cascata Recanto das Pedras, o Salto de Cima e o Sítio Salto das Águas, que tem cachoeiras, trilha de bromélias e pousada. O turismo rural e as águas termais merecem destaque em Santa Rosa de Lima. No projeto Acolhida na Colônia, o visitante pode vivenciar o dia a dia dos agricultores nas plantações e no preparo dos alimentos. Os banhos de águas termais fizeram de Gravatal um dos principais


SHOW ME 77

Luciano Queiroz/s

hutterstock.com

Pescadores nativos e turistas se misturam na Praia

do Luz, em Imbitub

a

Santur/Divulgação

A rede hoteleira de Gravatal oferece

Santur/Divulgação

O turismo rural é destaque em Santa Rosa de Lima, sede brasileira do projeto Acolhida na Colônia

destinos turísticos de Santa Catarina. Localizado entre a serra e o mar, o complexo termal reúne hotéis e parque aquático, onde a ordem é relaxar e aproveitar as propriedades terapêuticas da água. Laguna, com cerca de 600 edificações tombadas pelo patrimônio histórico, é quase um museu a céu aberto, com casario colonial que faz o visitante viajar no tempo. O município abriga o Farol de Santa Marta, o maior em alcance visual da América do Sul. Em Tubarão, além das relaxantes estâncias hidrotermais, existem vários museus, casas de cultura e até um trem maria-fumaça que percorre antigas estações e povoados da região. Orleans integra o Roteiro Nacional de Imigração. Em locais como a Casa Barzan, a Igreja Matriz Santa Otília e o Museu ao Ar Livre, o turista entra em

contato com a cultura dos imigrantes italianos que chegaram à região há mais de 100 anos. Urussanga também é um dos mais autênticos redutos de colonização italiana de Santa Catarina, e assim como Orleans integra o roteiro do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. A cidade apresenta inúmeras cantinas e vinícolas abertas à visitação, em meio a parreirais que cobrem os vales. Para quem procura praias sossegadas cercadas por dunas e vegetação de restinga, há Jaguaruna com uma faixa costeira de 37,5 km por onde se distribuem dez balneários. A recém-emancipada cidade de Balneário Rincão tem belezas que atraem visitantes de todo o Brasil, como a Lagoa dos Esteves, duas plataformas de pesca e a movimentada praia principal. A pescaria e os esportes náuticos são

estrutura e orientação para relaxar e se divertir nas águas termais

as atividades preferidas pelos turistas. Já Içara cresceu a partir da construção de uma das estações da Ferrovia Tereza Cristina, em 1919. Entre suas atrações, destacam-se as praias de mar aberto, lagoas, museus e casas noturnas. Criciúma é a maior cidade da região Sul de Santa Catarina. Sua economia cresceu em torno da exploração do carvão e, mais recentemente, da indústria cerâmica. Museus e minas abertas à visitação resgatam a trajetória histórica do município, além de igrejas, grutas, centros culturais e boas opções gastronômicas. Nova Veneza é outro importante reduto da cultura italiana na região. Seus antigos sobrados de pedra, o Museu do Imigrante, a Igreja São Marcos, as festas religiosas e o Carnevale di Venezia atraem centenas de turistas todos os anos.


78 NO ROTEIRO UM ESTADO A DESCOBRIR Santur/Divulgação

caminho dos cânions

Mirante do Cânion do Itaimbezinho, no Parque Nacional de Aparados da Serra

Santur/Divulgação

Com 7,5 km de extensão, o Cânion da Fortaleza, em Jacinto Machado, é um dos maiores do Brasil

N

o Extremo-Sul do Estado, a impressionante geografia do Parque Nacional Aparados da Serra marca o limite entre Santa Catarina e o Rio Grande do Sul. A parte superior pertence ao estado gaúcho, e os penhascos, baixadas e leitos de rios abaixo das bordas são catarinenses. A região ganhou a denominação de Caminho dos Cânions por abrigar diversas ocorrências dessas formações naturais. Entre os cânions mais conhecidos estão Itaimbezinho, Fortaleza, Malacara, Churriado, Faxinalzinho, Josafaz, Índios Coroados, Molha Coco e Amola Faca. Para quem viaja no sentido da capital Florianópolis para o estado mais meridional do Brasil, o roteiro começa em Balneário Arroio do Silva. A longa praia de 22 quilômetros de extensão é a principal atração do município. É nela que acontece a maioria das atividades esportivas e recreativas, especialmente no verão. A Arrancada de Caminhões, um dos maiores eventos do gênero no mundo, atrai até 100 mil

pessoas todos os anos. A Plataforma de Pesca Entremares, local bastante visitado pelos turistas, fica a 5 quilômetros do balneário central, na Praia da Meta. A Festa do Peixe, que ocorre em julho, é o evento de maior destaque. Logo em seguida chega Araranguá, município colonizado por descendentes de açorianos, italianos, alemães e afrobrasileiros e que tem no ecoturismo seu

principal atrativo. A região central da cidade tem vida intensa, com um bom número de bares, restaurantes e casas noturnas. Indo para o litoral, o destaque são as praias, lagoas, dunas, restingas, furnas e a foz do Rio Araranguá. Um dos mais belos cartões-postais do Sul do país fica nessa região: o Morro dos Conventos. A natureza proporciona condições perfeitas para a prática de

araranguá arroio do silva

jacinto machado sombrio balneário gaivota

praia grande

passo de torres

Rio Grande do Sul


SHOW ME 79

Santur/Divulga

As formações rochosas da região do Morro dos Convento s, em Araranguá, compõem um cenário único à beira-mar

ção

stock.com

Xico Putini/shutter

voo livre, sandboard e atividades offroad, além de cavalgadas programadas para o Parque Aparados da Serra. Jacinto Machado também marca presença com roteiros de ecoturismo, tendo se consagrado um dos melhores destinos no Estado para apreciadores da natureza. O município é o principal acesso para o Cânion Fortaleza, o maior da região e um dos maiores do Brasil, com 7,5 km de extensão e até 1.157 metros de altura. Trilhas centenárias utilizadas pelos tropeiros, cachoeiras, piscinas naturais, rios pedregosos e vegetação exuberante tornam o passeio pelo cânion uma autêntica aventura, feita em total segurança com auxílio de guias credenciados. As atrações naturais e o turismo de compras são os principais destaques de Sombrio. O município possui indústrias calçadistas, cerâmicas, moveleiras e alimentícias, além de artesanato de qualidade. O Calçadão Cultural e a Igreja Matriz Santo Antônio de Pádua são os destinos indicados no Centro,

onde se percebe os traços da colonização açoriana e portuguesa. Ainda assim um passeio pela Lagoa do Sombrio – a maior lagoa de água doce do Estado – ou conhecer o complexo Furnas de Sombrio, conjunto de quatro grutas localizado às margens da BR-101, são as opções preferidas dos visitantes. Balneário Gaivota é um destino tranquilo a maior parte do ano. No verão, turistas vindos principalmente do Rio Grande do Sul mudam a rotina da cidade, ocupando os hotéis, pousadas e casas de veraneio. Surfe, pesca e motonáutica são praticados em toda a orla de cerca de 23 quilômetros. Com praias interligadas, dunas, lagoas, restingas e remanescentes de Mata Atlântica, a movimentada Praia da Gaivota e a sossegada Lagoa Cortada, são muitos os atrativos do balneário. Localizada na divisa com o estado vizinho Rio Grande do Sul, Praia Grande é um destino ecoturístico por excelência. O município fica nas baixadas dos cânions protegidos pelos parques

riciclo Passeio de quad cara, ala M pelo Cânion em Praia Grande

nacionais de Aparados da Serra e da Serra Geral. A paisagem é de tirar o fôlego, com cachoeiras, piscinas naturais, rios pedregosos e imensos penhascos de até 1 mil metros de altura. A região oferece boa estrutura turística, com hotéis, pousadas e operadoras de ecoturismo. Além de atividades como trekking, canyoning, rapel, boiacross, passeios a cavalo, cicloturismo e off-road, existem lojas de artesanato e eventos que comemoram as tradições dos colonizadores e da cultura gaúcha. No fim do roteiro está Passo de Torres, balneário bastante procurado por surfistas. As praias dos Molhes, Rosa do Mar e Bella Torres são as mais famosas. Outras atrações são os passeios de barco para a Ilha dos Lobos (RS), unidade de conservação ambiental criada para proteger lobos e leões-marinhos, e o Morro dos Macacos, parque de proteção do macaco-prego, a 8 quilômetros do Centro. Destaque também para a Festa de Nossa Senhora dos Navegantes, realizada em fevereiro.•


82 no roteiro sÃO francisco do sul

ONDE TUDO COMEÇOU

FUNDADA QUATRO ANOS DEPOIS DO DESCOBRIMENTO DO BRASIL, São FRANCISCO DO SUL FOI O PRIMEIRO TERRITÓRIO POVOADO POR EUROPEUS EM SANTA CATARINA E preserva ATÉ HOJE TRAÇOS DO PASSADO COLONIAL

PMSFS/Divulgação

• Por Leo Laps


SHOW ME 83

Q

uem contempla as belezas da Baía da Babitonga, cercada por montes verdes e com águas calmas salpicadas por pequenas ilhas, entende facilmente que motivos podem ter levado o capitão francês Binot Paulmier de Gonneville a aportar em tal cenário em 1504, apenas quatro anos após o descobrimento do Brasil. A partir de então, espanhóis e açorianos foram contribuindo ao longo dos séculos para transformar a ilha de São Francisco do Sul na primeira povoação europeia em solo catarinense. Todo este legado se mantém preservado nos

mais de 400 imóveis tombados pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), nos quatro museus que contam a história do município e na gastronomia local. Navegar, seja em pequenas canoas de madeira ou em suntuosos navios de cruzeiro, faz parte do cotidiano de “São Chico”, assim como aproveitar suas belezas naturais, que incluem praias, trilhas ecológicas e cachoeiras. A estagnação econômica do município após a década de 1940 – resultado da escassez em Santa Catarina de pro-

dutos como a erva-mate e a madeira, da própria conjuntura nacional e da recessão pós-guerra – representou, de certa forma, a salvação do casario histórico da cidade. Sem grandes investimentos imobiliários, São Francisco do Sul nunca cresceu muito e, hoje, 167 anos após ser elevada à categoria de cidade, soma menos de 50 mil habitantes. Seu porto, no entanto, é o quinto maior do país, movimentando 5 milhões de toneladas a cada ano e garantindo a presença de grandes cargueiros entre as canoas, caravelas, bal-

O Centro Histórico guarda a maior parte dos mais de 400 imóveis tombados como patrimônio cultural


84 no roteiro sÃO francisco do sul Fotos: PMSFS/Divulgação

A Praia Grande tem mais de 23 km de natureza praticamente intocada, enquanto a Prainha (ao fundo) é o point preferido dos surfistas locais

sas e veleiros que passeiam pela Baía da Babitonga. Ao longo de toda a orla marítima, bancos de praça se voltam para o verde-esmeralda das águas da baía, convidando moradores e visitantes à contemplação. As praias mais procuradas, como a da Enseada e Ubatuba, contrastam com a beleza agreste de outras como a Praia Grande, que se estende por mais de 23 km de natureza praticamente intocada, e a do Forte, localizada junto ao museu militar da cidade, o Forte Marechal Luz. O local conserva canhões ingleses datados dos séculos de Brasil colônia, expostos em um mirante que era usado no passado para vigiar e defender a costa de possíveis invasões. Já a Prainha é a mais procurada por surfistas, enquanto as praias do Capri e de Paulas são conhecidas pelas águas tranquilas e pela abundância de peixes – bons locais também para andar de caiaque ou stand up paddle (SUP). Os passeios de barco são uma das melhores formas de conhecer a região. Com saídas diárias do Centro Histórico

(com agendamento prévio), embarcações de vários estilos levam turistas através da Baía da Babitonga até o pedacinho continental de São Chico: o Saí, distrito de pescadores conhecido pelas trilhas ecológicas e refrescantes quedas d’água, pelas praias tranquilas e sítios históricos, e também pela variedade de opções gastronômicas – servindo do tradicional pirão com linguiça a sofisticados pratos com ostras e camarões. Composto pelas localidades de Vila da Glória, Estaleiro e Torno do Pinto, o Saí também pode ser acessado de carro ou motocicleta através de um ferry boat em Joinville, próximo ao aeroporto, em uma travessia de 15 minutos. Outra balsa liga a Vila da Glória à região central da cidade em uma viagem um tanto mais longa, de quase uma hora. HIstória a céu aberto No Centro Histórico, a grande atração é gratuita: caminhar pelas estreitas ruas de desgastados paralelepípedos apreciando os estilos arquitetônicos de séculos passados, em construções jus-

tapostas, pintadas em cores vibrantes, com grandes janelas e portas e afrescos que demonstram que, ali, já houve tempos áureos. Muitos imóveis revelam um triste abandono; outros, impecáveis, demonstram o cuidado de seus proprietários com a história do município. Quem chega pelo mar tem uma bela visão geral do conjunto de construções, mas caminhando em um dos vários trapiches que adentram a baía o visitante também pode apreciar uma bela vista da cidade. Os principais pontos turísticos ficam muito próximos um do outro. Com mais de 300 anos, a Igreja Nossa Senhora da Graça foi levantada por escravos, milicianos e pela própria população. Suas paredes são feitas, segundo o Iphan, com uma mistura de cal, conchas, areia e óleo de baleia. No altar, a imagem da santa que dá nome ao templo é ainda mais antiga: foi deixada em São Francisco do Sul por navegadores espanhóis em 1553. Perto dali, à beira-mar, fica o Mercado Público Municipal. Na construção


SHOW ME 85

Baía da Babitonga

Centro Histórico

A tradição carnavalesca dos bonecos gigantes

Cascata no distrito do Saí

Ostras gratinadas

Centro da cidade, com o porto ao fundo


86 no roteiro sÃO francisco do sul

inaugurada no começo do século 20 são vendidos camarão, marisco e peixes de várias espécies como a tainhota, a anchova e a corvina na peixaria do Seu João, além de embutidos e queijos em um pequeno açougue. Também há duas lojas de artesanato, uma delas é uma extensão de projetos da Fundação Cultural Municipal. Dá até para aproveitar e cortar o cabelo ou fazer a barba na pequena barbearia e acompanhar o bate-papo dos locais nas mesinhas que hospedam longas partidas de dominó nos fundos do prédio, junto ao cais. Seguindo a pé pela Rua da Babitonga, o Museu Nacional do Mar é parada obrigatória. Fundado em 1993 para contar a saga da navegação mundial no Brasil, soma mais de 15 salas temáticas, onde estão distribuídas embarcações originais de todo o país, entre jangadas, saveiros, canoas, botes, traineiras e baleeiras. O famoso navegador brasileiro Amyr Klink conta com uma exposição permanente, onde figuram o seu primeiro barco, ganho de um tio aos seis anos de idade, e o IAT, com o qual atravessou o Atlântico Sul,

PMSFS/Divulgação

Uma das 15 salas do Museu Nacional do Mar

sozinho, em cem dias, usando apenas a força das correntes marítimas ou de suas próprias remadas. No final da visitação, uma cafeteria temática serve refeições e lanches rápidos, além de livros relacionados aos oceanos, artesanato e miniaturas de embarcações que custam de R$ 8 a R$ 400. Algumas das mais belas peças à

venda foram criadas pelo artista Enio Rodrigues, que há três trabalha como uma vitrine viva no museu, criando miniaturas a partir de troncos, folhas e raízes que encontra ao longo da orla de São Francisco do Sul. É também no Centro Histórico que se celebra o aniversário da cidade, comemorado no 15 de abril. A Festilha costuma trazer bandas de renome nacional e celebrar as tradições açorianas. O colorido Boi-de-Mamão e a Dança do Vilão são presenças obrigatórias, bem como os pratos típicos da região. Outro evento muito esperado é o Estação Verão, quando a Praia da Enseada recebe quadras de futebol de areia, futebol de salão e vôlei de praia, além de outras atividades físicas. Há quatro anos o município passou a contar com seu próprio festival gastronômico (leia mais sobre o tema na pág.150), reunindo pratos novos de quase 20 restaurantes da região em um evento com quatro dias de duração, onde as porções são vendidas a R$ 5, permitindo a degustação de todas – ou quase todas – as receitas.•

PARA APROVEITAR SÃO CHICO ALGUNS ENDEREÇOS E CONTATOS PARA VOCÊ CONHECER MELHOR AS ATRAÇÕES CITADAS NESTA REPORTAGEM

Atrações Históricas Museu Nacional do Mar Rua Manoel Lourenço de Andrade, s/nº, Centro Histórico. Aberto de terça a sexta, das 9h às 18h. Sábados e domingos das 10h às 18h. Entrada a R$ 5. (47) 3481 2155. www.museunacionaldomar.com.br Forte Marechal Luz Estrada do Forte, s/nº, Forte. Aberto diariamente, das 8h às 17h. Entrada a R$ 2. (47) 3444 5257. Museu de Arte Sacra Igreja Matriz Nossa Senhora da Graça, na Praça Dr. Getúlio Vargas, 180, Centro Histórico. Ingressos a R$ 2. Museu Histórico Rua Coronel Carvalho, s/nº, Centro Histórico.

De terça a sexta, das 9h às 18h. Sábados, domingos e feriados, das 11h às 18h. (47) 3444 5444. Mercado Público Municipal Rua da Babitonga, s/nº, Centro Histórico. De segunda a sexta, das 7h30 às 18h. Sábado, das 7h30 às 16h. (47) 3444 5257.

Passeios de barco Pérola Negra (47) 3442 3748 ou (47) 9129 1215. www.barcoperolanegra.com.br Barco Príncipe (47) 3455 4444. www.barcoprincipe.com.br Escuna Vô Preto (47) 3449 5004 ou (47) 9186 5981.

Barco Pirata Corsário Negro (47) 9163 9728 ou (47) 9243 9854. www.escunamaraike.com.br

Gastronomia Restaurante do Helias Especializado em frutos do mar. Rua Geral do Estaleiro, s/nº, Vila da Glória. (47) 9662 9961. VillaReal Especializado em frutos do mar. Rua Francisco Machado Souza, 1135, Hotel Villa Real, Paulas. (47) 3444 2010. www.hoteisvillareal.com.br Portela Especializado em frutos do mar. Rua Babitonga, 84, Centro Histórico. (47) 3444 1512.


Tijucas: hist贸r ia, cult ura e la zer.


88 NO ROTEIRO

10

Praias de santa catarina que você Precisa conhecer

• Por Mônica Pupo

praia da sepultura, bombinhas Em tons de azul e verde, suas águas transparentes e tranquilas são perfeitas para um mergulho, inclusive para crianças e pessoas de mais idade. Com aproximadamente 100 metros de extensão, a faixa de areia branca é cercada de verde, rochas e lendas sobre seu passado. Dizem os moradores mais antigos que a praia foi assim batizada devido à suposta existência da sepultura de um escravo, morto no local após uma briga em meados de 1840.

Um dos cartões-postais mais belos e reservados de Bombinhas, o local possui fácil acesso, mas inclui um pequeno trecho de estrada a pé. Também é possível ir de bicicleta ou caminhando pelo costão direito da Praia de Bombinhas, atravessando a Prainha, Embrulho e Lagoinha. De carro, siga pela Rua das Garoupas – continuação da Avenida Manoel José dos Santos – até o local próprio para estacionamento. A partir dali pegue uma trilha com cerca de 200 metros até a praia.


Victor Carlson

SHOW ME 89


Victor Carlson

90 NO ROTEIRO 10 praias QUE VOCÊ PRECISA CONHECER

PRAIA DE PALMAS, GOVERNADOR CELSO RAMOS Distante cerca de 40 km de Florianópolis, Governador Celso Ramos serve de refúgio para quem deseja fugir do agito típico da alta temporada na capital. Considerada um verdadeiro santuário ecológico – e um dos melhores pontos de mergulho do Brasil – a cidade faz parte da Reserva Biológica Marinha do Arvoredo. Situada em meio a uma área preservada de Mata Atlântica, a Praia de Palmas é a mais procurada e urbanizada da região.

Com 2,7 km de extensão e com areia fina e branca, a praia fica de frente para as ilhas Grande, de Palmas e dos Trinta Reis. A água cristalina costuma oferecer boas condições para a prática do surfe, especialmente em dias de swell de leste e vento sul terral. A partir de Palmas também é possível acessar outras praias vizinhas e menos conhecidas. Através de uma breve caminhada pelo costão norte chega-se à quase deserta Praia de Baleate e, pelo sul, às praias do Cipó e dos Ilhéus.


Victor Carlson

SHOW ME 91

PRAIA DO ROSA, IMBITUBA Com paisagem deslumbrante, boas ondas para o surfe e duas belas lagoas à beira-mar, um dos destinos mais celebrados do litoral brasileiro consegue reunir badalação e tranquilidade em um só lugar. O clima alternativo surgido nos anos 1970 – quando era frequentada por hippies e surfistas – sobrevive em harmonia com o recente fluxo de turistas de todas as partes do planeta, principalmente depois de ter sido classificada pela Unesco como uma das mais belas baías do mundo.

Com aproximadamente 2,5 km de extensão, a faixa de areia é banhada por um mar límpido que, durante o inverno, costuma abrigar as baleias que visitam a região. A praia é dividida em duas partes: Rosa Sul, à direita, e Rosa Norte, à esquerda – sendo esta última a mais procurada pelos surfistas. Entre os “dois Rosas” está localizada a chamada “lagoa do meio”, muito procurada como opção de banho por famílias com crianças pequenas.


Victor Carlson

92 NO ROTEIRO 10 praias QUE VOCÊ PRECISA CONHECER

PORTO DO CAIXA D'AÇO, PORTO BELO Reduto de calmaria e beleza, esta é uma das praias mais acolhedoras e paradisíacas do litoral norte. Cercado de Mata Atlântica, o local ganhou este nome devido à posição estratégica que o resguarda dos ventos e ondulações. Localizada na pacata cidade de Porto Belo – a cerca de 65 km da capital – a área também abriga uma tradicional colônia de pescadores. Como uma piscina natural, a água rasa e tranquila de cor verde-azulada é propícia para o banho e a prática dos mais va-

riados esportes aquáticos, como caiaque, mergulho e jet ski. Acessível apenas por trilha ou pela água, a praia conta com uma pequena faixa de areia e um trapiche para embarcações. Os bares flutuantes que funcionam no local atraem dezenas de barcos e lanchas, que chegam a disputar espaço na água durante os dias mais agitados da alta temporada. Uma dica é visitar a praia próximo ao fim de tarde, quando o pôr-do-sol torna a paisagem ainda mais exuberante.


Marcelo Fernandes/Brasil Imagens

SHOW ME 93

estaleirinho, balneário camboriú Muito além da agitada orla crivada de arranha-céus, Balneário Camboriú está cercada de praias mais calmas e menos urbanizadas. É o caso da reservada Estaleirinho, localizada a cerca de 12 quilômetros ao sul do centro da cidade. De fácil acesso pela rodovia Interpraias, o local tem opções luxuosas de hospedagem e paradores à beira-mar que se encarregam de trazer algum agito à região com concorridas festas ao som de música eletrônica nos fins de tarde.

Com aproximadamente 1 km de extensão, a praia possui águas limpas e cristalinas que fazem a alegria de surfistas e banhistas. A areia de textura um pouco mais grossa confere um tom dourado à paisagem cercada pela densa vegetação de restinga. O costão direito é formado de pedras, enquanto atrás do verdejante costão esquerdo está a também preservada – e, por vezes, quase deserta – Praia do Estaleiro, muito procurada por adeptos da pesca amadora.


Marcelo Fernandes/Brasil Imagens

94 NO ROTEIRO 10 praias QUE VOCÊ PRECISA CONHECER

PRAIA DA FERRUGEM, GAROPABA Uma das praias mais famosas e badaladas da pacata cidade de Garopaba é democrática e agrada de surfistas a famílias com crianças. Embora mantenha uma aparência rústica e pouco urbanizada, é repleta de barzinhos, restaurantes e pousadas que costumam lotar durante a temporada. Localizada a aproximadamente 6 km do centro de Garopaba – e a 90 km da capital – a praia de areia grossa tem mar de águas cristalinas e dunas de onde brotam piscinas

naturais. No canto norte, oferece excelentes condições para o surfe, especialmente em dias de swell de leste ou sudeste. No lado direito fica o Morro da Barra, que abriga um sambaqui – antigo cemitério indígena –, de onde se tem uma vista panorâmica. Nas proximidades está o canal que a separa da Praia da Barra e que foi inspiração para o nome da praia. Em certos dias, quanto seu fundo se enche de areia, as águas se tornam amareladas e adquirem um tom de ferrugem.


PMSFS/Divulgação

SHOW ME 95

PRAINHA, SÃO FRANCISCO DO SUL Também chamada de Praia da Saudade, é uma das praias mais bonitas e famosas da histórica ilha de São Francisco do Sul. Situada entre as praias Enseada e Grande, a cerca de 20 km do Centro Histórico da cidade, possui mar aberto e agitado, muito procurado pelos surfistas devido às ondas pesadas, fortes e constantes. Não por acaso, o local costuma sediar diversas competições de surfe. Com formato que se assemelha a uma ferradura, a faixa de

areia é ladeada por dois costões recobertos de Mata Atlântica preservada, um dos cenários mais belos do litoral norte de Santa Catarina. Outra atração são os sambaquis depositados no lado direito, cuja história remonta há mais de 5 mil anos. Repleta de bares, restaurantes e pousadas, a Prainha se destaca ainda pelo agito noturno, que atrai milhares de turistas durante a temporada de verão, sobretudo em épocas de Ano Novo e Carnaval.


thebookisonthetable.me

96 NO ROTEIRO 10 praias QUE VOCÊ PRECISA CONHECER

PRAIA DO MOÇAMBIQUE, FLORIANÓPOLIS Engana-se quem pensa que o nome da praia mais extensa – e talvez uma das mais belas – da Ilha tem alguma relação com o país africano. Moçambique, na verdade, faz referência a um molusco semelhante à ostra, abundante na região. Chamada pelos íntimos de “Moçamba”, a praia tem 7,5 km de extensão e faz parte do Parque Florestal do Rio Vermelho, uma unidade de conservação de 1.532 hectares que assegura ainda mais o isolamento e a preservação da área.

A cerca de 25 km do Centro, a praia é praticamente deserta – cercada por florestas de pinus, dunas e restingas que se estendem até a faixa de areia. Em tons de azul e verde, o mar aberto e de tombo garante boas ondas para o surfe e ótimas condições para a pesca artesanal. No canto norte fica a Ponta das Aranhas, costão que faz divisa com a Praia do Santinho, um dos cantos mais isolados da praia. Mais ao sul, na divisa com a Barra da Lagoa, há opções de camping.


Adail Pedroso Rosa/Acervo Pessoal

SHOW ME 97

guarda do embaú, PALHOÇA Uma das mais belas localidades do litoral catarinense – e talvez do Brasil – a Guarda possui características únicas. Situado em Palhoça, a cerca de 50 km da capital, o pequeno vilarejo de pescadores foi descoberto por surfistas e hippies durante a década de 1970. O charme rústico sobrevive até hoje nas pequenas ruas de areia ou paralelepípedos, por onde se espalham pousadas, bares e restaurantes que costumam lotar no verão.

Com visual estonteante, a extensa praia principal está separada do continente pelo Rio da Madre, que pode ser atravessado de barco, canoa ou a pé em dias de maré baixa. Um banco de areia garante ondas tubulares próximas à junção das águas, atraindo os praticantes do surfe. Em alguns pontos da margem esquerda do rio podem ser encontrados resquícios de arte rupestre. Outra atração é a Pedra do Urubu, mirante no canto norte com uma bela vista da praia.


Flávio Tin/Arquivo ND

98 NO ROTEIRO 10 praias QUE VOCÊ PRECISA CONHECER

PRAIA DA JOAQUINA, FLORIANÓPOLIS A “Joaca”, como é conhecida pelos nativos, ganhou fama nos anos 1980 como sede de campeonatos internacionais de surfe, como OP Pro e Hang Loose Pro. E não é pra menos, pois trata-se de um dos picos com as ondas mais constantes de todo o Brasil, que chegam a três metros nos dias mais altos. Tanto no meio da praia como à esquerda, junto ao costão, a condição costuma ser excelente para a prática do esporte, principalmente em dias de vento nordeste e ondulação leste.

Mas não é só o belo mar azul-esverdeado que chama atenção de quem visita a praia. Um extenso campo de dunas de areias brancas recobertas por vegetação de restinga se espalha pela região, compondo uma paisagem que se torna ainda mais bela ao nascer e pôr-do-sol. Além de caminhadas para apreciar o visual, outra atração por ali é o sandboard, esporte que consiste em deslizar sobre a areia a bordo de uma prancha presa aos pés.


102 NO ROTEIRO


SHOW ME 103 Divulgação

verão animal ENTRE BICHOS VINDOS DA ÁFRICA E ESpÉCIES RESGATADaS DA FAUNA NATIVA, VALE SEPARAR UM TEMPINHO NAS FÉRIAS PARA FAZER UMA VISITA AOS PRINCIPAIS ZOOlógicoS E PARQUES DE CONSERVAÇÃO DA VIDA SELVAGEM NO ESTADO

• Por Juliete Lunkes

F

Separadas por um vidro reforçado, as crianças chegam bem perto de um leão branco no Jardim Secreto do zoo do Beto Carrero World

ugir por pelo menos um dia daquele clássico roteiro de verão que envolve uma tarde todinha com o pé na areia curtindo a brisa do mar pode ser bem divertido e ainda dar às férias da criançada ares educativos sem soar enfadonho. Além da oportunidade de ver de perto dezenas de espécies animais e vegetais, os zoológicos e parques naturais espalhados pelo litoral catarinense reservam atrações e trilhas exclusivas para quem busca um dia tranquilo cercado pela natureza. Destino certeiro de famílias com crianças que vêm do Brasil todo para Santa Catarina, o parque Beto Carrero World, localizado em Penha, no litoral Norte, é famoso por seus brinquedos ultrarradicais, mas resguarda em sua estrutura um zoológico com mais de 900 animais, entre mamíferos, aves e répteis. Lá dentro, um dos espaços de maior interatividade com a bicharada é o Mundo Mágico das Aves, onde os

visitantes podem entrar no momento em que elas se alimentam, dormem ou voam. Segundo Daniel Fedullo, médico veterinário do zoológico, a área imita perfeitamente o ambiente natural dos pássaros. “Também temos o serpentário, onde é possível observar as serpentes em seus terrários e conferir os murais com diversas informações sobre estes animais”, explica. O mais novo ambiente do zoo é o Jardim Secreto, inaugurado em 2012 e idealizado pelo próprio Beto Carrero como um refúgio particular. “Quando ele estava muito cansado, precisando recarregar as energias, se refugiava no local para ficar em contato com os animais que moravam aqui”, conta a bióloga e coordenadora do zoo, Kátia Cassaro. Antes de ser aberto ao público, o espaço foi reformulado e hoje abriga dois exemplares de chimpanzés, um tigre branco e quatro leões brancos.


104 NO ROTEIRO Verão animal Divulgação

A girafa é apenas uma das 290 espécies que habitam o Zoo Pomerode, o mais antigo do Estado

Aprendendo com os animais Construído em 1932 ao redor de um lago no Centro da pequena Pomerode, no Vale do Itajaí, o Zoo Pomerode foi o primeiro zoológico privado do Sul do país e atualmente abriga cerca de 1,4 mil animais de 290 espécies, entre anfíbios, répteis, aves e mamíferos. Como muitas delas estão ameaçadas de extinção, o zoo trabalha na conservação e na promoção da educação ambiental para contribuir com sua preservação. “Anualmente cerca de 220 mil visitantes vêm a Pomerode por causa do zoo, o que o torna a maior e mais importante instituição do Estado no segmento”, revela o biólogo Claudio Maas, responsável técnico do zoo. Além disso, é o único zoológico de Santa Catarina a participar do Plano Internacional de Manejo e Conservação do Mico-leão-de-cara-dourada, espécie que corre risco de extinção. Quem investir em uma visita ao zoo neste verão contará com um espaço totalmente arborizado, com áreas de descanso e Divulgação

Na sede do Projeto Tamar em Florianópolis é possível conhecer o trabalho de preservação de espécies de tartarugas ameaçadas de extinção


SHOW ME 105

passeios pavimentados, além de um restaurante. Já em Balneário Camboriú, o Complexo Ambiental Cyro Gevaerd é a prova de que nem só de praias lotadas e noites agitadas vive a cidade. Constituído por aproximadamente 1,2 mil animais, o Zoo Balneário conta com uma série atrações exclusivas: o serpentário, onde são mantidas espécies de serpentes peçonhentas, como a cascavel e a jararacuçu, e não peçonhentas, como canina, jiboia, cobrado-milho; o aquário, formado por 20 tanques de água doce; e o terrário. Quem se interessa por conhecimentos mais aplicados sobre a natureza pode visitar também os quatro museus do complexo – o do Artesanato Catarinense, do Pescador, Arqueológico e Oceanográfico. O parque abriga ainda uma minicidade, onde coelhos habitam casinhas e pequenos castelos, e a minifazenda, onde vivem caprinos, equinos, bovinos e aves. Para descansar e matar a fome depois de horas de passeio, há também uma lanchonete, um ponto de crepe e áreas de convivência onde os visitantes podem sentar e curtir o clima silvestre.

Divulgação

Além dos tigres, o Parque Cyro Gevaerd conta com um serpentário, um aquário e um terrário Victor Carlson

Preservação e lazer Em Florianópolis o projeto Tamar, responsável pela preservação de espécies de tartarugas ameaçadas de extinção, também reserva uma série de atividades abertas ao público. De acordo com a bióloga Camila Trentin Cegoni, gestora do centro de visitantes do Tamar, a estrutura está sempre aberta para receber famílias e grupos que quiserem passar uma tarde por lá. “Grupos de escolas ou instituições com mais de 10 pessoas podem agendar visitas guiadas. No caso de famílias ou grupos menores sempre haverá algum monitor disponível para tirar qualquer dúvida”, explica. A visita guiada dura 40 minutos, mas, segundo Camila, dá para passar tranquilamente duas horas curtindo o local, que conta com cinco tanques e 11 tartarugas de quatro espécies dife-

No Projeto Lontra, lontras, iraras e guaxinins podem ser observados em uma trilha de 200 metros


106 NO ROTEIRO VERÃO ANIMAL Divulgação

Inaugurada em 2014, a Trilha Ecológica do Rio Vermelho tem 15 viveiros com animais da fauna local que foram resgatados pela Polícia Ambiental

rentes, entre filhotes e adultos. Além disso, há painéis de réplicas de tartarugas e de seus ovinhos, uma sala de vídeo e uma loja exclusiva com produtos do Tamar. O local ainda não possui lanchonete, mas os visitantes podem levar seu lanche e fazer piquenique em uma área verde reservada para isso. “Todos os dias, às 15h30, fazemos a alimentação das tartarugas, que pode ser observada pelos visitantes, além das eventuais solturas de animais ao mar”, diz a bióloga. Ela explica que não há como saber com muita antecedência quando haverá soltura, já que depende de haver animais em tratamento e da liberação deles pelo veterinário. Caminhando entre os bichos Perto dali, a Trilha Ecológica do Rio Vermelho, inaugurada em 2014, proporciona uma genuína experiência em meio à natureza em uma caminhada de cerca de um quilômetro de extensão. Ao longo da estrutura totalmente equipada com banheiros, bebedouros e mirantes, os visitantes podem observar 15 viveiros com cerca de 150 animais silvestres, de 35 diferentes espécies da fauna catarinense, além de um espaço

onde é possível entrar e interagir com pássaros. As visitas ocorrem de terça a domingo, entre 10h e 17h, sempre acompanhadas por um guia que conta a história dos animais – muitos deles vítimas de maus-tratos, apreendidos em operações da Polícia Ambiental. As saídas rumo à trilha são de meia em meia hora e a capacidade de atendimento é de até 650 pessoas por dia. No Sul da Ilha, dentro do Parque da Lagoa do Peri, o Projeto Lontra também mantém um circuito de visitas guiadas abertas ao público. Uma trilha de 200 metros permite aos visitantes ver de perto lontras, iraras e guaxinins vivendo em locais especialmente projetados que simulam o ambiente natural. “Nosso objetivo é sensibilizar a sociedade sobre a importância dessas espécies para o ecossistema e a biodiversidade, e a partir dessa sensibilização apoiar as ações de conservação que desenvolvemos”, diz Alesandra Bez Birolo, presidente do Instituto Ekko Brasil, responsável pelo projeto. As visitas são feitas diariamente, das 8h às 10h e das 16h às 18h. Nos fins de semana e feriados é preciso agendar com antecedência.•

como chegar Beto Carrero World Rua Inácio Francisco de Souza, 1597, Praia de Armação, Penha. (47) 3261 2222. www.betocarrero.com.br Zoo Pomerode Rua Hermann Weege, 180, Centro, Pomerode. (47) 3387 2659. www.pomerzoo.org.br COMPLEXO AMBIENTAL CYRO GEVAERD Rodovia BR-101, 137, Nova Esperança, Balneário Camboriú. (47) 3367 3277. www.zoobalneariocamboriu.com.br Projeto Tamar Rua Professor Ademir Francisco, 140, Barra da Lagoa. (48) 3236 2015. www.tamar.org.br PROJETO LONTRA Servidão Euclides João Alves s/nº, Armação do Pântano do Sul, Florianópolis. (48) 3237 5071. www.projetolontra.org.br PARQUE ESTADUAL DO RIO VERMELHO (TRILHA ECOLÓGICA) Rodovia João Gualberto Soares, 1 (SC-406), Rio Vermelho, Florianópolis. (48) 3665 4492. www.fatma.sc.gov.br


E esta vida em rede pede uma nova economia e um outro jeito de resolver a vida financeira. Mais sustentável e humano, mais empreendedor e rentável para todos. Somos uma instituição financeira cooperativa. Feita por pessoas para pessoas. E isso significa que além de termos conta-corrente, investimentos, cartões de crédito e financiamentos como um banco, a gente sabe que os valores que importam nem sempre são feitos de números.

XXX

SAC Sicredi - 0800 724 7220 / Deficientes Auditivos ou de Fala - 0800 724 0525. Ouvidoria Sicredi - 0800 646 2519.

As pessoas, juntas, são a força que move o mundo.

Aqui não somos clientes, somos associados. E no lugar de agências, temos unidades de atendimento. São nomes diferentes porque a filosofia é diferente. Somos mais de 2,8 milhões de associados, temos voz de decisão e participamos dos resultados. Juntos, viabilizamos produtos e serviços mais acessíveis e reinvestimos os recursos nas comunidades onde vivemos, em cada um dos 11 estados em que estamos presentes. Para nós, ninguém precisa perder para todo mundo ganhar. Ao contrário, gente que coopera cresce. Se você também pensa assim, você acredita no que a gente já pratica há mais de 100 anos. Agora só falta viver a sua vida financeira assim também.

Conta-corrente • Investimentos Poupança • Consórcios • Crédito Cartão de Crédito • Seguros

sicredi.com.br gentequecooperacresce.com.br


A U G Á NA

108 NO ROTEIRO AVENTURA EM SC

ANTA URA, S T N E LHE V CURA A ERTO. MERGU DE O R P Ê RC TA SE VOC O LUGA IAGEM REPLE É A N A I CATAR UMA V A ADRENALIN M E A Ç T E E MUI ESTADO O DE CAB D S A paisagens ORREDEIR C BELAS NDAS E O S A L PE upo

ônica P

• Por M

Victor Carlson

Com o auxílio de guias, até mesmo iniciantes podem praticar o rafting em Santo Amaro da Imperatriz


SHOW ME 109

C

om praias, rios, lagoas e cachoeiras por todos os lados, Santa Catarina é referência nacional em praticamente todos os tipos de esportes radicais na água. A começar pelo surfe, que faz parte da identidade e do estilo de vida do litoral catarinense. Ao todo, são mais de 130 praias indicadas para quem gosta de pegar onda – algumas famosas e outras quase desertas. Não por acaso, poucas cidades brasileiras são tão associadas à modalidade como Florianópolis. Palco de etapas de algumas das principais competições do esporte, como o World Qualifying Series (WQS), a capital funciona como uma espécie de ímã para os entusiastas do surfe, que chegam durante todo o ano dispostos a surfar as boas – e geralmente constantes – ondas da região. Ao leste da Ilha estão localizados alguns dos principais redutos do surfe, como as praias da Joaquina, Mole, Moçambique e Matadeiro. No norte, o destaque fica por conta do Santinho, com ondas boas de direita e esquerda. Dependendo das condições do mar e do vento, locais como Campeche, Brava e Lagoinha do Leste surpreendem os surfistas com ondas para todos os gostos. Em cidades próximas – como Palhoça e Imbituba – estão localizados outros picos clássicos do surfe, como a Guarda do Embaú. Separada do continente pelo Rio da Madre, a praia possui ondas

tubulares provocadas pela bancada de areia formada na junção das águas do mar e do rio. Um pouco mais ao sul, os surfistas concentram-se em locais como a Praia do Rosa, em Imbituba, o Farol de Santa Marta, em Laguna, e as praias da Silveira e Ferrugem, em Garopaba. Mais ao norte, é possível encontrar boas ondas na Praia Brava, em Itajaí, além das praias Central, dos Amores e Estaleiro, todas em Balneário Camboriú. A chamada Prainha, em São Francisco do Sul, também é famosa pelas ondas constantes durante todo o ano. Para os praticantes de windsurfe, kitesurfe e vela, o que não faltam são ótimos ventos em toda a costa, e também em paraísos como a Lagoa de Ibiraquera, em Imbituba. Em Floripa, os ventos constantes que sopram dos mais variados quadrantes atraem muitos adeptos das modalidades para a Lagoa da Conceição. A Praia do Campeche, na área entre o Novo Campeche e o Riozinho, também concentra diversos kitesurfistas, especialmente em dias de vento nordeste.

Águas do interior Muito além das praias, Santa Catarina também está repleta de opções de esportes aquáticos mais para o interior do Estado. Aliás, uma das aventuras mais emocionantes que se pode experimentar Basílio Ruy/Fecasurf

A Praia do Santinho, em Floripa, tem as melhores ondas para o surfe de todo o Norte da Ilha

Victor Carlson

Windsurfe na Lagoa de Ibiraquera, Imbituba

em terras catarinenses é deslizar pelas corredeiras de um rio a bordo de botes infláveis. Alguns rios catarinenses estão entre os melhores do país para a prática do rafting, a exemplo do Rio Itajaí-Açu, localizado na região do Vale Europeu. Com trechos para todos os níveis técnicos – do iniciante ao experiente – o Rio Itajaí-Açu é cercado pela Mata Atlântica e reúne atrativos como topografia e grande volume de água. Onze dos seus 14 quilômetros são de corredeiras ininterruptas e o desnível é de 180 metros. Um dos pontos de partida fica em Apiúna, a cerca de 50 quilômetros de Blumenau. A descida do rio dura cerca de seis horas e só é recomendada para equipes com bastante experiência. Já o trecho básico possui 7,5 km e intercala corredeiras radicais, trechos mais calmos, pequenas cachoeiras e paisagens estonteantes. Além do Itajaí-Açu, alguns afluentes também oferecem condições ideais para a prática do rafting, como o Rio Hercílio, no entorno do município de Ibirama. Outro ponto onde é possível praticar rafting e canoagem é no Rio Cubatão, em Santo Amaro da Imperatriz, cujas águas claras cortam o Parque Estadual da Serra do Tabuleiro e oferecem ótimas condições tanto para iniciantes – em aventuras acompanhadas por guias – como para os veteranos das corredeiras.


110 NO ROTEIRO AVENTURA EM SC

O arvorismo pode ser praticado em diversas regiões do Estado, com toda a segurança e em diferentes graus de dificuldade

Victor Carlson

A R R E T A N

A rvorismo A L E ,o ESSÍV escaladas do aC tem desafiadoras atarinense C à ório junto de territ de lazer es õ opç para aventureiros natureza níveis de experiência os todos


SHOW ME 111 Jonatha Junge/Divulgação

P

ara quem gosta de manter os pés secos, Santa Catarina está repleta de opções que mesclam adrenalina e paisagens exuberantes. Em todas as regiões do Estado existem excelentes trilhas para trekking e mountain bike, com diferentes níveis de dificuldade. Algumas áreas de Florianópolis, inclusive, só podem ser acessadas por terra através de uma boa caminhada ou pedalada. É o caso das praias de Naufragados, Saquinho e Lagoinha do Leste – todas localizadas no sul da Ilha –, além da Costa da Lagoa, só para citar algumas. Saindo de Floripa, é possível radicalizar ainda mais no Morro do Cambirela, situado no Parque Estadual da Serra do Tabuleiro, em Palhoça. Com mais de 1 mil metros de altitude, o local é considerado um dos percursos mais exigentes para os praticantes de trekking. O esforço para vencer a subida inclinada compensa com uma das mais belas vistas panorâmicas do litoral catarinense. Mais ao sul do Estado – em cidades como Jacinto Machado e Praia Grande, na divisa com o Rio Grande do Sul – a atração são os cânions, que permitem ainda a prática de outros esportes como canyoning, rapel e tirolesa. Um dos locais mais procurados da região é o Parque Nacional Aparados da Serra, em Praia Grande, onde é permitido fazer trilhas pelas bordas e interior dos cânions com mais de 700 metros de altura. Na região serrana estão outros importantes pontos de trekking e rapel, a exemplo do Morro da Igreja, em Urubici. Com 1.822 metros de altitude, trata-se do ponto habitado mais alto do Sul do Brasil, onde são registradas a menores temperaturas do país, que atingem até 20°C negativos. De lá de cima é possível admirar a Pedra Furada, escultura natural com uma “janela” de cerca de 30 metros de circunferência. Santa Catarina também é pioneira do cicloturismo no Brasil, que consiste na realização de viagens curtas de bicicleta. Um dos roteiros mais famosos passa por pontos históricos das principais cidades do Vale Europeu, incluindo Timbó, Blumenau, Indaial e Rio dos Cedros. Já o circuito conhecido como Costa Verde & Mar passa por algumas das mais belas e recortadas praias do litoral norte, como Piçarras, Itapema, Penha e Bombinhas.

Roteiros de cicloturismo levam os turistas por pequenas localidades rurais no interior do Estado

No litoral sul, o trajeto que tem início na Praia de Itapirubá, em Laguna, e segue até a Praia do Sonho, em Palhoça, passa por costões, dunas, restingas e diversas praias de Imbituba e Garopaba. Entre os meses de junho e novembro é possível ainda observar as baleias-francas que se reproduzem na região.

e rochas de qualidade (conglomerados) – tudo isso em meio aos belos rios e cachoeiras que adentram a Mata Atlântica preservada da região. Em Floripa, mais precisamente no Morro da Cruz, encontram-se outras vias muito procuradas por escaladores mais experientes. Vinicius Attuy

Entre árvores e montanhas Há quem prefira percorrer trilhas elevadas por entre as copas das árvores – modalidade conhecida como arvorismo, que requer infraestrutura e equipamentos de segurança específicos. Neste caso, vale a pena conhecer o percurso instalado no Costão do Santinho Resort & Spa, em Florianópolis. Considerado o maior do Sul do Brasil, possui 29 atividades acrobáticas suspensas a 10 metros de altura, incluindo cabos aéreos, tambores e tirolesas de até 100 metros de comprimento. Mas também é possível fazer arvorismo e tirolesa em diversos locais, incluindo Jaraguá do Sul, São Bento do Sul, São Joaquim e São Miguel do Oeste, entre outros. O relevo montanhoso também atrai adeptos da escalada esportiva a muitos pontos do Estado, com destaque para os municípios de Corupá e São Bento do Sul, onde estão concentradas muitas vias

Em Corupá a escalada requer experiência


112 NO ROTEIRO AVENTURA EM SC

Sílvia Bomm/Divulgação

R A NO

EM RA QU A P E T I EM É O LIM ES RADICAIS U É C O NTA SPORT DO CO E A T A S C I E T ES PRA RINA. O S E EXCELENT A T A C IO SANTA CENÁR INDOS entusiastas L com RA os A P S E ÇÕ CONDI e do paraquedismo livre do voo

O Morro do Careca, em Balneário Camboriú, oferece ótimas condições tanto para principiantes quanto para quem já é veterano no voo livre


SHOW ME 113

P

ara quem gosta de se aventurar pelos ares, Santa Catarina oferece excelentes condições para a prática de esportes como voo livre, parapente e paraquedismo, com a assistência de operadoras que oferecem aulas, voos duplos e aluguel de equipamentos em diversas regiões. Também conhecido como paraglider, o parapente consiste em uma espécie de paraquedas, cuja direção pode ser controlada através de cabos que ligam o praticante ao equipamento. Em Florianópolis estão alguns dos principais redutos do esporte, sobretudo no morro que circunda a Lagoa da Conceição, onde está uma das rampas mais procuradas por praticantes das duas principais modalidades de voo livre: a asa-delta e o parapente. A partir do topo do chamado Morro das Sete Voltas é possível alçar voos acima de 600 metros de altitude, conduzidos através de suaves correntes térmicas. De cima, é possível avistar, além da Lagoa da Conceição, as praias do Leste e a Baía Norte. Nas praias Mole, Brava, Santinho, Moçambique e Matadeiro estão outras rampas de decolagem – locais que também funcionam como mirantes naturais, de onde os menos radicais podem relaxar e contemplar a paisagem exuberante ao redor.

Débora Klempous/Arquivo ND

80 metros de altitude, a rampa é ideal para iniciar até mesmo crianças a partir de cinco anos. Em Gaspar, no Vale Europeu, localizam-se outras importantes pistas de decolagem, como o Morro da Cruz, que graças a uma das melhores térmicas do Brasil foi escolhido como sede de competições nacionais de voo livre. Sua rampa, a 290 metros de altura, é considerada a melhor do Estado para voos com ventos terrais. Voando por aí

Planando sobre Santo Amaro da Imperatriz

Santo Amaro da Imperatriz, a aproximadamente 35 km da capital, tem um dos melhores pontos de voo da região. Conhecido como Morro Queimado, o local também permite voos acima de 600 metros de altitude. A paisagem inclui vista para o mar e para a reserva de mata nativa do Parque Estadual da Serra do Tabuleiro. Para quem quer voar mais baixo, uma sugestão é decolar a partir do Morro do Careca, em Balneário Camboriú. Com Teté Lacerda/Arquivo Pessoal

Saltos duplos com instrutores, como este em Itapema, são ideais para iniciantes no paraquedismo

Os apaixonados por voar não podem deixar de conhecer outros pontos mais ao norte, como o Morro das Antenas, em Jaraguá do Sul, com 870 metros de altura – um dos picos mais altos da região. No município de Presidente Getúlio, a 90 km de Blumenau, fica a Serra do Mirador, de onde é possível alçar voos de mais de 1,5 mil metros de altura. No Sul do Estado, o Morro dos Conventos, em Araranguá, também é muito procurado. Em Garopaba o destaque é o Morro do Ferraz – próximo à Praia do Siriú – com sua rampa a 130 metros de altitude e uma vista panorâmica das praias e lagoas da região. Mais para o interior, em Tangará, no Vale do Contestado, há outro ponto bastante procurado pelos amantes dos esportes aéreos. Com 1.075 metros de altura, o Morro Queimado é famoso pelas ótimas térmicas – correntes de ar quente que permitem a realização de voos de longa distância conhecidos como cross-country. Quem prefere voos mais breves, velozes e adrenalizantes pode optar pelos saltos de paraquedas. Para os iniciantes, há opções de salto duplo em diversas regiões, como os oferecidos pelo Aeroclube de Santa Catarina, em São José. Cidades como Balneário Camboriú e Blumenau também fazem parte do roteiro deste que é um dos mais radicais esportes aéreos e que propicia cerca de 45 intermináveis segundos de queda livre – seguidos de outros sete minutos de voo sustentado pelo paraquedas. Tempo de sobra para relaxar e aproveitar a paisagem.•


114 NO ROTEIRO AVENTURA EM SC

ADRENALINA AO ALCANCE DE TODOS POR TODO O ESTADO Dezenas de AGÊNCIAS, ESCOLAS E ASSOCIAÇÕES PROMOVEM O TURISMO ESPORTIVO E DE AVENTURA Jonatha Junge/Divulgação

NA Terra Cicloturismo Vale Europeu www.circuitovaleeuropeu.com.br

Ativa Rafting e Aventuras Estrada Geral da Várzea do Braço, s/nº, Caldas da Imperatriz. (48) 3245 7021.

Cicloturismo Costa Verde & Mar www.costaverdemar.com.br/cicloturismo

NO AR

Caminhos & Trilhas Trilhas, off-road, ciclismo. Rua Rio Bombinhas, 44, Zimbros. (47) 3393 4327 e 9973 0584. www.caminhosetrilhas.com.br Caminhos do Sertão Cicloturismo. Rua Vento Sul, 197, Campeche, Florianópolis. (48) 3234 7712 e 9633 4007. www.caminhosdosertao.com.br Corvo Branco Expedições Caminhadas de um dia ou mais e travessias com acampamento. SC-370, Km 22, Serra do Corvo Branco, Urubici. (48) 8401 7304. www.facebook.com/corvobrancoexpedicoes Tribo Xokleng Turismo Trekking, mountain bike e passeios. Av. Natal Zilli, 3.006, Centro, Urubici. (49) 3278 5658 e 8402 5658. Graxaim Ecoturismo e Aventuras Trekking, passeios off-road 4x4, caminhadas de um dia, travessias com acampamento e city tour. Rua Adolfo Konder, 3.286, Urubici. (49) 3278 5617 e 9151 4011. www.graxaim.com Caminhos da Serra Passeios pelos pontos turísticos, trekking, cavalgadas, bike, passeios 4x4, trilhas, jeep tours com piquenique. Av. Adolfo Konder, 2.628, Esquina, Urubici. (49) 3278 4273 e 8802 2610. www.caminhosdaserra.tur.br Refúgio Ecológico Pedra Afiada Trekking, montanhismo, quadriciclos e tirolesa. Estrada Geral Vila Rosa s/nº, Praia Grande. (48) 3532 1059. www.pedraafiada.com.br Rota dos Canyons Turismo Roteiros de ecoturismo. Estrada Geral, s/nº, Pé da Serra, Praia Grande. www.rotadoscanyons. com.br. (48) 9911 5199 e 9142 3975. Verdes Canyons Operadora de Ecoturismo e Aventura. Rua Geni de Souza, 354, Praia Grande. (48) 3532 1104 e 9154 9621. www.verdescanyons.com.br

Ibirama Rafting (47) 3357 2130. www.ibiramarafting.com.br

Cicloturismo em Floripa

Associação TIGRE PRETO Guias e condutores de turismo para o Caminho dos Cânions. (48) 3535 1656 e 9639 8803. Canyons do Sul Operadora de ecoturismo em Praia Grande. (48) 3532 1085. www.canyonsdosul.com.br Adventure Park Snow Valley Tirolesa, pista de arvorismo, pista de escalada, trilhas ecológicas e trilha de quadriciclo. SC-438, Km 10, São Joaquim. (49) 3233 3447. www.snowvalley.com.br

NA ÁGUA Joaquina Surf Escola Praia da Joaquina, Florianópolis. (48) 9121 2878. Adrenailha Surfe, mergulho, ecoturismo e turismo de aventura. Praia do Moçambique, Rio Vermelho, Florianópolis. (48) 3284 3585 e 3269 1414. www.adrenailha.com.br Escola de Surf North Shore Orla Marítima, próximo à Rua 1.901, Balneário Camboriú. (47) 8483 3235 e 9902 6659. www.northshore.com.br

SC PARAQUEDISMO Rua Dr. Pedro Zimmermann, 4.500, Salto Norte, Blumenau. (48) 8445 8075. www.scparaquedismo.com.br Clube de Parapente do Vale Rua Artur Poffo, s/nº, Santa Terezinha, Gaspar. (47) 9602 5240. Escola de Voo Livre Parapente Sul Rua João Antônio da Silveira, 201, Lagoa da Conceição, Florianópolis. (48) 3232 0791 e 9155 9641. www.parapentesul.com.br Fly Curreca Cursos e voos duplos de parapente em Floripa. (48) 9608 3500. www.flycurreca.com.br Ícaro Voo Livre Rua Fridolino Schimitz, Santo Amaro da Imperatriz. (48) 9997 4939 e 9969 4410. www.icarovoolivre.com.br Pégasus Voo Livre Av. Carlos Drummond de Andrade, 327, sala 101, Praia dos Amores, Balneário Camboriú. (47) 3361 5322 e 9987 1151. www.pegasusvoolivre.com.br Jaraguá Clube de Voo Livre Santilia Pures Rangel, s/nº, Ilha da Figueira, Jaraguá do Sul. (47) 3373-6101 e 9943 0534. www.jcvl.com.br Clube Céu Azul de Parapente Av. Exp. José Pedro Coelho, 1.693, fundos, Revoredo, Tubarão. (48) 9928 3130.

Vento Sul Escola de Surf Rua Amendoeiras, 1.555, Morrinhos, Garopaba. (48) 3254 4520 e 9973 0512. www.ventosul.com.br

Associação de Voadores do Extremo Sul (AVES) Estrada Geral de Espigão da Pedra, s/nº, Araranguá. (48) 9975 0608.

Floripa Windcenter Windsurf Rua Rita Lourenço da Silveira, 675, Lagoa da Conceição, Florianópolis. (48) 3232 2278. www.windcenter.com.br

Calixtro Escola de Voo Livre Rua Canela, 81, Morro dos Conventos, Araranguá. (48) 9975 0608.


116 NO ROTEIRO

FÉ NO TURISMO MUNICÍPIOS SE UNEM AO SEBRAE-SC PARA DESENVOLVER A ATIVIDADE TURÍSTICA NO VALE DO RIO TIJUCAS

A identificação e a sinalização das principais trilhas da região garantem acesso seguro ao turista

PELAS TRILHAS DA COSTA ESMERALDA PROJETO DESENVOLVIDO PELO SEBRAE-SC FAZ DA REGIÃO o novo destino do ecoturismo no sul do Brasil

P

raia de Bombinhas, Ilha de Porto Belo, Meia Praia. Quem nunca ouviu falar desses ícones do turismo da Costa Esmeralda? O que poucos sabem é que nesses municípios existem mais de 42 km de trilhas, até pouco tempo atrás quase desconhecidas do grande público. Porém, desde 2013 as três cidades se uniram ao Sebrae-SC para criar um novo produto turístico para a região: o Projeto Turismo nas Trilhas da Costa Esmeralda. O projeto foi baseado na identificação do potencial da região para o ecoturismo, um segmento da atividade turística em forte crescimento no Brasil e no mundo e que é praticado por turistas que utilizam os recursos naturais de forma consciente e ainda valoriza os aspectos da cultural local. “Buscamos então identificar o potencial de todas as trilhas da região com o intuito de mapear os trajetos de forma georreferenciada (uso do GPS) para que fosse possível criar o Plano de Sinalização de

Orientação Turística nas trilhas da Costa Esmeralda”, afirma o diretor de Administração e Finanças do SEBRAE-SC, Sérgio Cardoso. Como resultado do plano foram criadas 269 placas de sinalização, que estão sendo instaladas nas trilhas para indicar aos visitantes o caminho a seguir. Nesta primeira etapa do projeto estão sendo sinalizadas oito trilhas em Bombinhas, cinco em Porto Belo e outras cinco em Itapema. Além disso, para fomentar a visitação, está sendo produzido o Guia de Trilhas da Costa Esmeralda que trará informações descritivas e imagens de cada uma das trilhas, para que todo tipo de público possa identificar qual a trilha mais adequada para o seu perfil. Com tanta beleza e tanto investimento na melhoria da infraestrutura, com certeza você ainda vai ouvir falar muito das Trilhas da Costa Esmeralda. Mais informações e aquisição dos guias nas secretarias de Turismo de cada município.•

Lançado em agosto de 2014, o Projeto de Turismo Cultural Religioso do Vale do Rio Tijucas é uma iniciativa do Sebrae-SC, em parceria com a Prefeitura de Nova Trento, que tem como objetivo aumentar a competitividade e a sustentabilidade das empresas ligadas à atividade turística da Região do Vale do Rio Tijucas, com foco no turismo religioso e gastronômico. Além de Nova Trento, outros cinco municípios fazem parte do projeto: Tijucas, Canelinha, São João Batista, Major Gercino e Brusque. Entre as ações realizadas em 2014 estão missões empresariais a cidades como Aparecida e Campos do Jordão (SP), que se destacam nacionalmente pelo turismo religioso, além de cursos técnicos e palestras voltadas a aprimorar a gestão dos negócios locais e o atendimento ao turista. Em novembro, em parceria com a Fecomércio-SC e o Sincomvati, foi realizado em Nova Trento o seminário de turismo “Trilhando Novos Caminhos”. No dia 10 de dezembro foi realizada uma viagem de benchmarking a Natal, para visitar a Expo Tour Católica, evento nacional de referência no setor. Além disso, o Sebrae propôs a criação ou redesenho de marcas para o fortalecimento da identidade visual de 24 empresas de turismo do Vale do Rio Tijucas. Santur/Divulgação

Santuário de Santa Paulina, em Nova Trento


118 NO ROTEIRO Divulgação

POR DENTRO DOS SHOPPINGS ALém dE COMPRAS COM TODO CONFORTO E SEGURANÇA, OS SHOPPING CENTERS DE SANTA CATARINA AINDA OFERECEM SERVIÇOS E EVENTOS especiais NA TEMPORADA DE VERÃO

• Por Fábio Bianchini

Recém-ampliado, o Balneário Camboriú Shopping dobrou de tamanho e ganhou mais três salas de cinema


SHOW ME 119 Divulgação

O Beiramar Shopping é um dos mais tradicionais centros de compra da capital, e a partir do dia 15 de janeiro promove o Festival Aroma Sabor e Arte

S

hopping center no verão é aquela opção para os dias chuvosos, certo? Na verdade, há tempos que não é bem assim. Os shoppings catarinenses investem em atrações e novidades para se tornarem alternativas interessantes a qualquer momento durante as férias. “As pessoas buscam experiências diferentes e agradáveis quando estão em férias e é isso que procuramos oferecer, seja nas opções de compras, diversão ou gastronomia. Além disso, o ambiente climatizado proporciona conforto e bem-estar, independente da estação”, explica Monique Campos, superintendente de marketing corporativo do Grupo Almeida Junior, que congrega o Continente Shopping (São José), Balneário Shopping (Balneário Camboriú), Garten Shopping (Joinville), Neumarkt Shopping e Norte Shopping (Blumenau), além de preparar o lançamento do Nações Shopping, em Criciúma. O Balneário Camboriú Shopping confirma essa aposta com a recente ampliação, inaugurada em novembro. O empreendimento dobrou de tamanho e recebeu uma praça gourmet e mais três salas de cinema (agora são

cinco), incluindo uma sala VIP. “O grupo investiu R$ 150 milhões na expansão e com isso espera um incremento de 30% no fluxo de pessoas. Percebemos que esta expectativa já foi atingida nos primeiros dias após a inauguração da ampliação”, afirma Monique. Também em Balneário Camboriú, o Atlântico Shopping conta com diversas atrações diferenciadas para esta temporada de verão. Na Praça de Eventos,

o destaque, a partir de 5 de janeiro, é o Espaço Magic Games, com atrações especiais para crianças, jovens e adultos, além de novidades exclusivas vindas dos Estados Unidos. Outra novidade, que fica até 10 de março de 2015, é o simulador de Montanha Russa, que oferece 16 cenários em quatro categorias: ação, aventura, terror e infantil. O cliente coloca óculos especiais e um fone de ouvido para entrar na realidaAngelo Santos/Divulgação

Após o Natal, a praça de eventos do Shopping Iguatemi de Florianópolis recebe eventos infantis


120 NO ROTEIRO POR DENTRO DOS SHOPPINGS Divulgação

VAMOS ÀS COMPRAS OS PRINCIPAIS SHOPPINGS EM BALNEÁRIO CAMBORIÚ E NA GRANDE FLORIANÓPOLIS Balneário camboriú Shopping Aberto de segunda a sábado, das 11h às 23h. Nos domingos e feriados as lojas atendem das 14h às 21h e as áreas de alimentação das 11h às 23h. Av. Santa Catarina, 1, Bairro dos Estados, Balneário Camboriú. (47) 3263 8444. www.balneariocamboriushopping.com.br

Em São José, o Continente Shopping prioriza a convivência com um projeto totalmente horizontal

de virtual do ambiente. Outra atração, mais conhecida da clientela do Atlântico, são as caricaturas feitas pelo artista Rogério Gomes, que podem ser impressas em canecas e camisetas, e o espaço Fotos de Época, com vestimentas e ambientação características do período da imigração europeia. Compras e lazer em Floripa Na capital, o Iguatemi recebe, de 13 de janeiro a 27 de fevereiro, o evento “Era uma vez…”, com o resgate de brincadeiras antigas que marcaram as infâncias de muitas gerações e ainda não se perderam. Uma pracinha cenográfica vai ser montada na Praça de Eventos do shopping, onde brincadeiras como jogos de botão, oficinas de bonecas de papel ou pipa, 5 marias, roda pião, ioiô, bolinha de gude, bambolê e pogobol vão divertir os pequenos. Certamente muitos adultos devem se sentir tentados a participar, mas o evento é voltado para crianças de 2 a 12 anos, com monitores que auxiliarão e ensinarão as brincadeiras. O Beiramar Shopping fica no centro da cidade e já é dos estabelecimentos mais tradicionais da Florianópolis moderna e cosmopolita que o Brasil passou a conhecer a partir dos anos 1990. De 15 de janeiro a 8 de fevereiro, apresenta o Festival Aroma Sabor e Arte. O evento é realizado em parceria com o Sebrae/SC e reúne artesãos e produto-

res rurais de toda Santa Catarina, com participação de núcleos produtivos dos setores de artesanato e agronegócio, além de cooperativas e associações que vão comercializar os produtos. O shopping tem área de 87.358,96 m², em seis pavimentos, fornece diferentes serviços para todas as idades e pretende aprimorar ainda mais esse atendimento, com novas lojas e ampliação da praça de alimentação. O Floripa Shopping tem uma facilidade a mais para receber os turistas: fica na SC-401, a caminho das praias do Norte da Ilha, as mais badaladas de Florianópolis. Está aberto desde 2006, tem 140 lojas em dois andares e recebe cerca de 450 mil visitantes por mês. Também demonstra atenção especial à conservação do meio ambiente, com o programa Preserva Floripa, que apoia ações educativas, culturais ou esportivas e já ganhou diversos prêmios pelo pioneirismo em Gestão Ambiental. A inauguração do Quiosque da Brahma, no final de novembro, confirmou a vocação do Continente Park Shopping como ponto de encontro e lazer em São José. O shopping se destaca pelo projeto arquitetônico arrojado, totalmente horizontal, e prioriza o espaço de convivência para toda a família, com espaços direcionados para as crianças e amplos lounges. Também privilegia a conectividade, com wi-fi disponível em todos os espaços.•

Atlântico Shopping Aberto diariamente. As lojas funcionam das 11h às 23h e a praça de alimentação das 11h à meia-noite. Av. Brasil 1271, Centro, Balneário Camboriú. (47) 3367 6464. www.atlanticoshopping.com.br Iguatemi Florianópolis Aberto de segunda a sábado, das 10h às 22h. Aos domingos as lojas atendem das 14h às 20h e as áreas de alimentação e lazer das 11h às 22h. Av. Madre Benvenuta, 687, Santa Mônica, Florianópolis. (48) 3239 8700. www.iguatemi.com.br/florianopolis Beiramar Shopping Aberto de segunda a sábado, das 10h às 22h. Aos domingos, as lojas abrem das 14h às 20h e a praça de alimentação das 11h às 22h. Rua Bocaiúva, 2468, Centro, Florianópolis. (48) 3212 4600. www.shoppingbeiramar.com.br Floripa Shopping Abre de segunda a sábado, das 10h às 22h. Nos domingos e feriados as lojas abrem das 14h às 20h e a praça de alimentação das 11h às 21h. Rodovia SC-401, 3116, Saco Grande, Florianópolis. (48) 3331 7000. www.floripashopping.com.br Continente PARK Shopping Abre de segunda a sábado das 10h às 22h. Nos domingos e feriados, as lojas abrem das 14h às 20h e as áreas de alimentação das 11h às 22h. Rodovia BR-101, km 211, esquina com a Rodovia SC-407, Distrito Industrial, São José. (48) 3094 9268. www.continentepark.com.br Shopping Center Itaguaçu Abre de segunda a sábado das 10h às 22h. Aos domingos, as lojas abrem das 14h às 20h e as áreas de alimentação, lazer e serviços do meio-dia às 21h. Rua Gerôncio Thives, 1079, Barreiros, São José. (48) 3288 5900. www.shoppingitaguacu.com.br


/soubemfloripa

E AÍ, VOCÊ É BEM FLORIPA? Caso você não tenha entendido a pergunta, deixa que a gente explica. Você curte e, principalmente, cuida da praia? Então você provavelmente é bem Floripa. Para você, sustentabilidade é uma questão de fundamental importância? Então existem grandes chances de você ser bem Floripa. Você é gentil no trânsito, respeita as outras pessoas, se preocupa com os animais? Então você certamente é bem Floripa. “Sou Bem Floripa” é o movimento que está incentivando quem mora ou visita Florianópolis a adotar atitudes positivas. São pequenos gestos cotidianos que, juntos, fazem uma grande diferença. Tudo isso porque a gente, assim como você, acha que Floripa é linda. Mas acredita, também, que nós podemos tornar ela ainda melhor. Ficou com vontade de participar? Acesse a nossa página no Facebook e entenda como você pode fazer a sua parte.

UMA CIDADE SEM IGUAL. UM POVO QUE FAZ A DIFERENÇA.


122 NA BAGAGEM BEACHWEAR

TENDÊNCIAS SOB O SOL

Ve rd e e Ro sa

es lugar-comum com cor O duas peças sai do e ão. O rosa, o branco que são a cara do ver , top do ria dra a linda pe o verde, juntos com bronzeado. destacam qualquer

O MELHOR DA Moda praia para te deixar À altura das belezas dO verão em santa catarina

l, or iú. Av. Cen tra Baln eár io Ca mb Na Etc e Tal , EM 254 , Ca lça dã o.

Ba lne ár io Ch iqu e Chique e prático, o maiô flor ido e com bojo da catarinense Dal Cos ta é ideal para encarar um final de tard e na praia ou para um passeio al mare. Na Dal Cos ta, EM Baln eári o Cam bor iú. Av. Cen tra l 180, loja 3, Cal çad ão.

Peppa Pig A porquinha mais amada da criançada estampa este biquíni fofo cheio de frufrus. A calcinha tem o tamanho ideal para as bebês de fralda. Na Bebê de Goma, EM São José. Av. Lédio João Martins , 209, Kobraso l.

Pe ix in ho A Sunga da Track & Field é perfeita para os peixinhos elastano utilizad .O o minimiza o de sgaste da peça e ga conforto nos mo rante mentos de lazer ou em atividades físicas, como a natação. Na Tr ac k & Fie ld , EM Ba ln eá rio Ca mb or iú. Ba ln eá rio Ca mb or iú Sh opp ing , Av. Sa nt nº 1, lo ja 15 3. a Cata rin

a,


SHOW ME 123

ruan ção Pe

a

hem dina enc ultura an c a d s a s típic r neste estampa ai causa Cores e ça íni que v u iq b o mais gra nalidade m ainda o re rs fe e n p o e c d s colorida ortada. s lhamas ais comp verão. A m o ã rs e v as m e s. Av. d peças n ó p o li ao duas Fl o r ia

Insp ir a

a s, EM ão. a Mod o n c ei ç n d e Il h a da C Na Gra , La g o 0 0 9 1 r a s, R en d ei

Do is em um da Cia. O biquíni Tropicália, em não Marítima, é para qu top vai O r. tem tempo a perde num ia da academia à pra er a pulinho, é só revert parte com babados. ria nó po lis . Na Bik ini ’s de Flo ng , Ru a Bei ram ar Sho ppi lo ja 418 . 8, 246 a, iúv ca Bo

Proteç

al ã o id e

são chapéu um belo e l o -s a guard dias Protetor, entar os para enfr s o ri á ss e apéu itens nec Mas o ch e verão. d s o d ra legítima ensola , feito em o tt a rc a ito da M a, dá mu namenh . palha pa ã ç prote o za a essa le e b is a m eá r io

os

B a ln ic , EM 0, ho Ch si l, 1 3 1 N a So n Av. B r a . . iú r o C en t r o Camb

qu en os De ta lh es tã o pe

detalhes em couro e da carioca Despi. Os nt pri al im an em i carar uma prainha, É pura bossa o biquín aia perfeito para en e-c -qu ara tom ao e is charm spikes dão ainda ma . set piscina ou sun Int ern ac ion al. Flo ria nó po lis . Na San tal ina , EM

, sal a 1, Jur erÊ Av. da s Rai as, 855

• Por Fabiana Henrique


124 NA BAGAGEM moda verão

DE férias com estilo Praticidade, conforto e ESTAMPAS CRIATIVAS são as pedidas para ESTA ESTAÇÃO

M in i-

heró

i

tade de dá von re p m se s de Criança upinha com ro a d ti s bê e V seu be apertar! . Para o .. o tã o n h enzin eróis e er-hom super-h p u s m ar u fofo. muito se torn . s é . Av S ã o Jo a, em asol. m r o b G o 09, K bê de ins , 2 Na Be M a rt Jo ã o L é d io

Bl ue je ans No guarda-roupa

masculino o velho jeans é a so lução prática em todas as estaç ões. Para uma produção mais ca sual, mas não menos elegante, combine a bermuda jeans co m uma polo ou camisa de linho . Na Ma kenj i, em Flo ria nó po lis . Sh opp ing Igu at em i, Av. Ma dr e Ben ve nu ta , 687 , Sa nta Mô nic a.

Body

Colours O vestido da carioca Farm, combinado com uma rasteirinha e um bronze na medida, é perfeito para flanar por aí. O comprimento mídi e as estampas têm tudo a ver com a época mais colorida do ano. Na Marta Maria, em Balneário Camboriú. Atlântico Shopping, loja 44, Av. Brasil, 1271, CENTRO.

tricô da O body de o tem Cecília Prad profundo um decote e é todo nas costas o. por babad detalhado k or um loo Para comp -lo sá u l que ta arrasador, e e calça flar com uma e salto? sandália d

q u e, em h Bo u ti . N a Be a c bo ri ú . Av m a C o Ba ln eá ri o. tr en C 1, br a si l, 74


SHOW ME 125

RefRescante Parte do short boxer, da Calvin Klein, é feita em couro ecológico furadinho, necessário para dar aquela refrescada nos dias mais quentes. Na Beach Urban, em Balneário Camboriú. Av. Brasil, 1241, loja 2, Centro.

Bu zz zZ zz Desde 2012 qu e os insetos têm invadido as passarela e a ca miseta Buzzzzzz Insect, da Varal, reafirma essa tendência. A estampa de mosquinha é ex clusividade da m arca.

Na Va ra l, em Fl or ian óp ol is. Ga le ria Pa lo ja 10 5, Ru rt he no n, a Te ne nt e Sil ve ira , 11 1, Ce nt ro .

Tie Dye A peça em tie dye, da Yacamin, pode ser usada com shorts, minissaia, legging ou sozinha. Para os dias de verão que pedem uma produção mais despojada! Na Yacamin , em Balneári o Cambori ú. Atlântic o Shopping , loja 44, Av. Brasil, 1271, CENTRO.

frida pop O vestido longo com estampa exclusiva da Oh, Boy! é cheio de detalhes que transformam qualquer mulher numa versão supercontemporânea da artista Frida Kahlo. Os minipompons enchem ainda mais de graça o

Lady

rado o acintu O vestid quê tem um e florido sado. ntico ou de româ s, das flore A doçura ote c e da ao d combina a uma nte, form provoca la. bela dup

m ulô, e a na F r iú . N a P is o b m a 26, á r io C g , l o ja B a ln e h o pp in t ic o S o. r t n e At l â n 71, c s il , 1 2 Av. B r a

modelito colorido. NA BK STORE, EM FLORIANÓPOLIS. TRAVESSA CARREIRÃO, 104, loja 5, centro.


126 NA BAGAGEM ACESSÓRIOS

a beleza no detalhe

Puro Uma p

Gl a m

roduç ã

com c vento

abelos

ou pre

our

o capr soltos

ichada ao

,

sos e o mbros a ainda charm mais osa e bonita o supe c om rbrinc o de p colorid edras as com o coad Na M juvant a k e nj e. i, EM CAM à mos

tra, fic

Acessórios, joias e produtos de beleza que vão transformar seu visual nesta temporada

1615,

BALN B ORIÚ EÁRIO .A CE N TRO v. B r a s il , .

Jo ia Pe rs on al iza da orais. Ainda mais Joias são eternas e atemp ira, em ouro branco assim, como esta pulse es delicados em com diamantes e detalh para as produções água marinha. Perfeita verão. mais elaboradas deste lier de Joi as, Na Per son alit é ate ens de Arr uda Rub Av. is. pol nó EM Flo ria . Ram os, 960 , CEN TRO

D esp o ja d o O sapato da

c h ic

Kargo, em ge, parece um

dourado e be

espadrille. O

a a lembra

salto de cord

o despojamen to típico dest a estação. Confortável e elegante, é o par perfeito para um look mais descolad o.

Na Ka rg o , em Ba ln eá ri o Ca m bo At lâ nt ic o ri ú. Sh o pp in g, Av. Br as il, Ce nt ro . 12 71 ,

o M ak e d e ve rã e aveludado, a e com um toqu inh qu se le pe a e deixa em quer uma ra superfina, qu a certa para qu Com uma textu renice? é a pedid Be sse Di melada. em da Qu o risco de ficar o pó translúcido o perfeita e sem rã ve de m ge r maquia ol is. Be ira ma EM Fl or ian óp . e Be re ni ce ?, , 24 68 , CE NTRO Na Qu em Di ss a Bo ca iú va Sh opp in g, Ru


SHOW ME 127

Pe g a d a r et rô Os óculos Yv es Saint Laur ent já estão na lista de ob desta tempo jetos de dese rada. Sua leve jo pegada retrô de personalid adiciona um ade à produç toque extra ão minimalist a de praia. Na Be ac h

Bo ut iq ue , EM Ba ln eá Av. Br as il, ri o Ca m bo 74 1, Ce nt ro ri ú. .

Com e

xtrato de vitó Brum ria-rég a Per ccitan ia típic fuma e deix a da Am da a a pe ser util azônia le mac izado , o hid ia e pe divers r a as vez t r ante fumad es dur a. Perf ante o eito p uma d d a ia N a L’ ra , elicios este p O c c it a frag roduto ane, r EM F l â t n r c a ia z o r ia de sua nópo ve fres l is . A Av. D cor. e p. D erop io o da L’O

m íc io

rt o Herc F r e it íl io L as, 3 uz, 393, C a r ia nos.

Sac Bag Três coisas despertam o desejo imediato na bolsa da Lucci Baruffi – o nome (Gaudi), a cor (amarelo) e o formato (um saco). Feita em couro natural e macio, é o acessório ideal para desfilar por aí na estação mais quente e colorida.

Art Fin

Na Luci Baruffi, EM Florianópolis. BEIRAMAR SHOPPING, Rua Bocaiúva, 2468, centro.

Chiq

Para u

sar os

u i ta

superc

Baca

olares

na

it não da precisa de mu ão, po it a is o ac essório si só, é , por o pont o foca qualqu l e leva er look nta mais d iscretin Colorid ho. o e ap arecido , é a ca ra desta e stação Na Ar . tF produç

Camb

in it, EM B a ln At l â n e á r io t ic o S h o pp Av. B r in g , a s il , 1271, Centr o.

o r iú .

PORTA -TUDO A nécessaire da Fruto Tro

pical

pode ir da sacola de pra

ia à mala

de viagem numa boa. Com estampas coloridas e feita em pur o algodão, a bolsinha é um porta-trec os superútil e fofo. Se sujar ou pegar areia, é só lavar! Na Fru to Tro pic al, Em Flo ria nó pol is. Rua Joã o Pio Dua rte Silva, 175 0, loj a 8, Cór reg o Gra nde .


128 NA BAGAGEM ARTESANATO

ENCANTO ARTESANAL DELICADAS PEÇAS FEITAS À MÃO SÃO LEMBRANÇAs PERFEITAS DA SUA VIAGEM A SANTA CATARINA

Co ra çã o re nd ad o

Os sachês perfumado

s da Villa Chic são pura tentação nã o só pelo aroma agradável, com o pelo formato lindo e pelos materiais utilizados: a mais pu ra renda e fitas de veludo. Na Vill a Ch ic, em Baln eár io Ca mb or iú. Atl ân tic o Sho ppi ng , LO JA 24, Av. Bra sil , 127 1.

Croch ê no décor Os pufes feitos em crochê, da Ana Gern Acessórios, são pura fofura. Dão um up na decoração como mesinha de apoio para livros e objetos, como assento reserva ou simplesmente para descansar as pernas. No Atelier Santo de Casa, em Florianó polis. Rua XV de Novembr o, 181, Santo Antônio de Lisboa.

T r a nsf o

A Rita, pro

prietária da

BAILE DA COTA – Parte do folclore do Boi de Mamão, a Maricota adora que nada, estaba e a vaidos moça altíssima, pela rodopiar – foi fielmente reproduzida em argila Josi, da Cores e Barras. is. Feira das Na Cores e Barra s, em Floria nópol Santo Antôn io Alfaia s, PRAÇA ROLDÃO DA ROCHA PIRES, de Lisboa .

m ad e El eg ân ci a ha nd em teares A Fouta, produzida a peça dos anos 1930, é um eo. ân err dit tradicional do Me lha toa como Também conhecida espaço na turca, ocupa pouco ia, barco bolsa e pode ir à pra ou tin ou piscina, ves do . po enxugando o cor o, em Na Per fei to Mim Travess a Flo ria nó po lis . Cen tro . Ca rre irã o, 33,

rmação

Arte Para Você, transf orma em p eç as de decoração utensílios q ue tinham como desti no o lixo. A frigideira gracinha, q ue saúda o s visitantes da cozinha, é uma delas. Na

Arte Pa ra Vo cê , em Ca m bo ri Ba ln eá ri ú . AV. d a o La g o a, lo d a Bí bl ia ja 36 , Pr , Vi la d o aç a Arte sa n at o , Ce n tr o .


SHOW ME 129

Elefa ntin ho de mam ão O gracioso elefantinho azul, feito em papel machê

, lembra os personagens queridos do Boi de Mamão, manif estação cultural típica dos açorianos que vieram para Santa Catari na. Na Casa da Árvor e, em Floria nópol is. Rua Lauro Linhar es, 2055, loja 17 – Trinda de.

Psicodelia light A luminária da 2 por 2, feita em madeira, corda e tecido, deixa qualquer cantinho mais descolado. O tecido psicodélico quebra a neutralidade do restante dos materiais. Na 2 por 2 Luminárias, em Balneário Camboriú. Av. da Lagoa, loja 17, Praça da Bíblia, Vila do Artesanato, Centro.

ARTE EM VIDRO As peças em vidro derretido, criadas pela 2 Pontos Vidraria Artesanal, são funcionais e quase uma obra de arte. O pratinho de desenho exclusivo faz bonito pendurado na parede ou como serviço de mesa. Na 2 pontos Vidraria Artesanal – Av. da Lagoa, loja 09, Praça da Bíblia, Vila do Artesanato – Centro.

Shar Pei do amor Ao ver o cachorrinho de tecido estampado, à venda na Zenir Disarz, não tem como não lembrar dos enrugadinhos e dóceis cãezinhos chineses da raça Shar Pei. Na Zenir Disarz, em Balneário Camboriú. Atlântico Shopping, piso térreo, Av. Brasil, 1271.


130 NA BAGAGEM DELICATESSEN

DElÍCIAS DE VERÃO O melhor da boa mesa para saborear a época mais festejada DO ANO

Para relaxar após

nada melhor do

H o ra d o Ch á

um dia intenso

de atividades,

que um bom ch á. E se ele for drinque, então, fic a irresistível! Combine a infus ão de frutas Go od Feelings com seu espumante o preferido e prep are-se para prov uma mistura re ar frescante e inusitada. transformado em

Na Mo nc lo a DO Ba ln eá rio Ca mb or iú

ay r d o nn

sp e i t de re

o

vinícola 11 da 0 2 a r f sa ,é onnay Joaquim O chard de São , e v ves e da N ratos le Quinta nhar p a p ada m o uta ass ara ac omo tr ideal p c , o ã ç uflê de da esta ates, s m típicos o t e d na ncassé eadas com co iras salt ie v lo a u o es e servicamarõ enda-s m o c e iga. R mante

Cha

e á r io B a ln o. e r , EM cant Centr e , D 0 4 a 0 ,2 otec e n id a v N a En A ª 3 o r iú , Camb

10°C.

SHO PP IN G. Av. Sa nta Ca ta rin a, nº 1, lo ja 21 4.

ndo versa , con e t n rdeja ca iq do ve has fi DE P rama bidin g e b m DIA e bela sol nu uma inhas o de omid ar ao c d g a s e jo h a Se ntico mpan do bo româ o aco ustan o d r g r n e o os a d e em f res e or qu Esta t talhe melh . , o e s it u o t u m ueniq s, pra de piq r taça cesta moda o c a . Av. para o l is lugar o. nóp entr . o r ia C s l , o F 3 c 3 m e a j , e petis o ,l rd

que ueni

3 Ve a, 18 yga unh Na S ar C Os m

Mel Orgânico Para os adeptos de produtos naturais o mel de marmeleiro, da Mandala, é oriundo da primeira florada do ano, por isso tem uma tonalidade mais clara. Considerado um alimento orgânico, fica uma delícia acompanhado de biscoitos, torradas ou mesmo puro. No Empório Daqui, EM Florianópolis. Jurerê Open Shopping, loja 20, Jurerê Internacional.


SHOW ME 131

iv e N er e PatÈ D i Ol

Gri ssin i art esa nal Os grissinis artesanais, da República

utoras de regiões prod Herança das Liguria, Itália, como azeitona na azeitona lia, a pasta de Toscana e Sicí realçar r usada para preta pode se o creme assas ou com o sabor das m ettas. es ou brusch para sanduích

Itália,

mantêm viva a tradição da verdadeir a comida italiana. O petisco é ótimo puro, acom panhado de um patê ou pasta e perfeito para ser saboreado num final de tarde pós-praia. Na Essen Vinh os, EM Flor ianó polis . Rua Herm ann Blum enau , 207, Cent ro.

Av en ue , EM Bo ut iq ue il, 99 9, Na Be ac h ú. Av. Br as ri bo m Ca Ba ln eá ri o . nt ro sa la 10 , Ce

QUEI JO EM BI SN AGA

A receita do qu Kraeuterkaese)

eijo fundido (ou

foi criada na dé cada de do fundador da Laticínios Pomerode. A er va principal é or iginária da Suíça, o que dá ao produto um sabor leve e inigualável. Ideal para canapés, sa nduíches, torradas, lanches e na culinária. 1940 pelo avô

Na qu es tã o de Go st o, em Ba ln eá rio Ca mb or iú . At lâ nt ico Sh opp in g, Av. Br as 12 71 , Ce nt ro il, .

m ed id a So fis tic aç ão na

é um los chefs, a bottarga e muito utilizada pe De sabor marcante ado stic ue especial e sofi que pode dar um toq ou ingrediente versátil lhos, arroz, massas gustá-la ralada em mo De a. eit rec r ue alq a qu sensações. é provar um mar de com frutos do mar . 130 , Cen tro or iú. Ru a 511 , nº Baln eár io Ca mb Na Spe cia li, EM

VERÃ o na ga rra fa Produzida em Blumenau, a Bierland Oceânica é uma witi bier – versão belga das cervejas de trigo – que harmoniza bem com saladas e frutos do mar. Sua s notas cítricas e de especiarias como coentro e gengibre, combinadas ao corpo médio baixo e à alta carbonatação, a tornam leve e refrescante, perfeita para o verão. Na Boo ks e Beer s, EM Flo rian ópo lis. Rua Sena dor Ivo D'Aq uino , 103, Lag oa da Con ceiç ão.


134 volte sempre

um roteiro de dar água na boca

A

mesa catarinense tem pirão, marreco recheado com repolho roxo e ravioli. Tem ostras, truta defumada e sardinha na brasa, chocolates especiais, polenta, entrevero… e muito mais. Para acompanhar, você pode escolher entre premiados vinhos de altitude ou cervejas artesanais de vários estilos. Tudo feito por aqui. Além de ter uma das gastronomias mais diversificadas do País, nos últimos anos Santa Catarina vem ganhando força como produtor de alimentos premium. Para explorar esse cardápio cada vez mais multiétnico, as oportunidades vão bem além dos nossos melhores restaurantes. Com cada vez mais intensidade, festas tradicionais como a Oktoberfest, a Festa do Pinhão e a Fenaostra, além de festivais gastronômicos municipais, fazem da boa comida a nova estrela do turismo catarinense. As principais tradições culinárias de Santa Catarina são a açoriana, facilmen-

DURANTE O ANO TODO, SANTA CATARINA PÕE À MESA SUAS DIFERENTES TRADIÇÕES CULINÁRIAS EM UM MOVIMENTADO CALENDÁRIO DE FESTIVAIS GASTRONÔMICOS

• Por Leo Laps Santur/Divulgação

Santur/Divulgação

Mesa de frios na Festitália, em Blumenau Santur/Divulgação

Em Pomerode, a Festa Pomerana combina culinária germânica e os melhores chopes da região

Marreco recheado na Fenarreco, em Brusque


SHOW ME 135

te saboreada na maior parte do litoral; a alemã, destaque no Vale do Itajaí e no Norte do Estado; a tropeira, predominante na Serra e na região Oeste; e a italiana, espalhada pelos imigrantes e seus descendentes em todo o território catarinense. Ao mesmo tempo, outras escolas como a japonesa, francesa, espanhola e indiana adicionam um tempero contemporâneo ao cenário gastronômico local. “Essa mescla de receitas simples e regionais com pratos mais sofisticados é algo que cresce junto, e em Santa Catarina há um movimento favorável a isso. Estamos melhorando a forma de oferecer nossa gastronomia, sabendo valorizar e vender tanto o tradicional quanto o moderno”, resume o jornalista especializado em enogastronomia João Alexandre Lombardo, autor do livro Gourmandises catarinenses: a culinária tradicional e os produtos premium de Santa Catarina.

De janeiro a dezembro, o calendário está recheado de possibilidades. Das famosas festas de outubro, como a

Oktoberfest e a Fenaostra, aos eventos de inverno, como a Festa do Pinhão, é fácil conciliar o passeio com um evento gastronômico. Logo no primeiro mês do ano, a Festa Pomerana vence o calor do verão e traz milhares de visitantes para comer joelho de porco, marreco recheado, cucas e outros doces, celebrando a fundação do pequeno município do Vale do Itajaí. Na vizinha Blumenau – onde eventos como o Festival de Botecos, o Festival Brasileiro da Cerveja e a própria SC Gourmet garantem atrações para as quatro estações – o ano começa com o Festival Blumenau Gastronômico, onde cerca de 40 restaurantes locais preparam pratos especiais durante um período de tempo determinado. A fórmula tem se repetido em vários municípios do Estado, com pequenas variações. Em Balneário Camboriú, o Balneário Saboroso, em julho, tem como regra que cada restaurante deve servir uma

Divulgação

Santur/Divulgação

Os festivais gastronômicos são um atrativo a mais para visitar destinos turísticos já consagrados, como Florianópolis, Balneário Camboriú, Pomerode, Blumenau, São Francisco do Sul e Lages. Há eventos que enaltecem as tradições locais e outros que abrem espaço para a criatividade dos chefs – e alguns apresentam tudo ao mesmo tempo. Foi o que aconteceu na última edição da Marejada, em novembro de 2014. Com uma proposta inovadora desenvolvida pela SOL Feiras & Eventos, empresa blumenauense especializada no ramo, a festa da cultura açoriana de Itajaí abriu espaço para pratos alemães e italianos e para cervejarias artesanais – sem esquecer, é claro, da famosa sardinha na brasa, uma tradição local. Menu de atrações

O legítimo “entrevero” da Festa do Pinhão Marco Santiago/Divulgação

Simples e deliciosa, a tradicional sardinha na brasa é o prato mais popular da Marejada de Itajaí

Porção de ostras gratinadas, na Fenaostra


136 volte sempre UM ROTEIRO DE DAR ÁGUA NA BOCA Leo Laps

APETITE POR EVENTOS FESTIVAIS GASTRONÔMICOS EM SC Festa Pomerana De 16 a 25 de janeiro, em Pomerode. www.festapomerana.com.br Festival Blumenau Gastronômico Em janeiro, nos restaurantes da cidade. Festival Brasileiro da Cerveja De 11 a 14 de março, em Blumenau. www.festivaldacerveja.com Festival de Botecos Maio e dezembro, em Blumenau. www.scgourmet.com.br

Em agosto, Blumenau reúne produtos premium da gastronomia catarinense na feira SC Gourmet Leo Laps

Divulgação

Festa do Pinhão De 29 de maio a 7 de junho, em Lages. www.festadopinhao.com Festival Gastronômico de Pomerode De 8 a 19 de julho, nos restaurantes da cidade. www.vemprapomerode.com.br Balneário Saboroso De 9 a 26 de julho, em Balneário Camboriú. www.balneariosaboroso.com.br Festitália De 10 a 19 de julho, em Blumenau. www.festitalia.com.br

Delícias do Festival de Botecos, em Blumenau

Um dos pratos do festival Balneário Saboroso

entrada, um prato principal e uma sobremesa com novas receitas desenvolvidas especialmente para o evento. Em todos os participantes, a refeição especial tem o mesmo preço (R$ 39,90 em 2014). Já em São Francisco do Sul, o festival acontece em um único lugar durante quatro dias, e as porções, menores, custam cerca de R$ 5, permitindo experimentar um pouco de tudo. Na Serra Catarinense, a cidade de Lages é outra que começou a perceber o valor da gastronomia nos últimos anos. Depois de muito tempo servindo basicamente fast-food, a Festa do Pinhão resgatou tradições culinárias e passou a servir pratos onde o pinhão e o frescal (uma espécie de charque típica dos gaúchos) são destaque em receitas como o entrevero e a paço-

ca. Em 2015, segundo a Fundação Municipal de Cultura, será criado um espaço gastronômico na festa, com a participação de restaurantes locais e serviço dos premiados vinhos de altitude desenvolvidos na região. E assim como bons vinhos, em Santa Catarina também são produzidas excelentes cervejas e cachaças artesanais, bem como produtos que são praticamente exclusividades catarinenses: é o caso da famosa e versátil linguiça defumada, dos queijos que variam do Kraeuterkaese ao Raclette, das ostras cultivadas na Capital, do palmito pupunha in natura, da carne de pato e de frutas como o mirtilo e a maçã. Aproveite e – depois de experimentá-los em nossa mesa – leve alguns para brincar de chef quando voltar para casa.•

SC Gourmet De 26 a 29 de agosto, em Blumenau. www.scgourmet.com.br Festival Gastronômico de Joinville Em agosto, nos restaurantes da cidade. www.festivalgastronomicojlle.com.br Oktoberfest De 7 a 25 de outubro, em Blumenau. www.oktoberfestblumenau.com.br Fenarreco De 8 a 18 de outubro, em Brusque. www.brusque.sc.gov.br Fenaostra Em outubro, em Florianópolis. www.pmf.sc.gov.br/sites/fenaostra/ Marejada Em novembro, em Itajaí. www.visiteitajai.com.br


138 volte sempre Mercoagro/Divulgação

Chapecó, na região Oeste, é um dos principais polos catarinenses do turismo de negócios, com grandes eventos nas áreas de logística, móveis e carnes

VIAJANDO A NEGÓCIOS De LESTE A OESTE, SANTA CATARINA OFERECE UMA VARIEDADE DE Eventos EMPRESARIAIS QUE ATRAEm visitantes para conhecer e trabalhar NO ESTADO

• Por Fabrício Rodrigues

T

odos os anos, um número cada vez maior de pessoas visita Santa Catarina sem trazer na bagagem chinelos, biquínis ou bermudas. Com roupas de trabalho e munidas de seus laptops, elas representam um mercado que cresce a olhos vistos e que em 2013 movimentou R$ 209,2 milhões em todo o país. É o turismo de negócios, que está gerando oportunidades em diversas cidades catarinenses, tanto para os visitantes quando para os empresários locais. Engana-se quem pensa que a capital Florianópolis – repleta de praias e já

tradicional destino de congressos e feiras nacionais e mesmo internacionais – é que concentra os principais eventos. Do Norte ao Sul catarinense, passando pela Serra e o Oeste, o Estado conta com mais de cem espaços cadastrados que recebem mais de 10 mil eventos a cada ano. Distante mais de 500 quilômetros do litoral, Chapecó, a maior cidade do Oeste de Santa Catarina, se transformou com a ampliação da infraestrutura para receber eventos e feiras de negócios. A inauguração do Centro

de Cultura e Eventos Plínio Arlindo de Nes em 2006, um espaço multiuso que pode receber mais de 2 mil pessoas e conta também com amplo teatro com mil lugares, capacitou a cidade a receber cada vez mais visitantes. Foi lá que, em 2011, aconteceu a Convenção Estadual do Comércio Lojista, evento que levou mais de 2 mil empresários do varejo à cidade e que em 2015 será novamente realizado em Chapecó. Os voos regulares ao aeroporto Serafim Bertaso também aproximam o município das grandes capitais do Sul e do Sudeste – em cerca de uma hora e meia é possível chegar a São Paulo ou Porto Alegre. A rede hoteleira também está cada vez mais preparada para receber o turista. São mais de 2,3 mil leitos e um calendário agitado de eventos: entre agosto e outubro deste ano, a cidade recebeu três grandes feiras nas áreas de móveis (Mercomóveis), carnes (Mercoagro) e logística e transportes (Logistique). E quem preferir descansar alguns dias na região pode conhecer também as águas termais, em cidades próximas como Águas de Chapecó e São Carlos.


SHOW ME 139

Na beira do mar Florianópolis, um destino irresistível aos visitantes do Brasil e do exterior, se destaca no cenário de negócios por grandes arenas para eventos como o Centro de Convenções CentroSul, localizado bem na entrada da cidade e que recebe feiras e congressos de porte nacional, e o Centro Internacional de Eventos do Costão do Santinho, anexo a um resort no Norte da Ilha. Em 2014, o local foi sede do Congresso Técnico da FIFA, que trouxe à Ilha treinadores e representantes das 32 seleções que disputaram a Copa do Mundo do Brasil. Cinco anos atrás, o mesmo local sediou o congresso mundial do World Travel and Tourism Council (WTTC), considerado o mais importante evento sobre turismo do planeta. Outro destino, que costuma unir negócios a um clima mais descontraído, é Jurerê Internacional, mais conhecida pelos beach clubs e festas com celebridades. Devido à infraestrutura de alto padrão de seus hotéis e restaurantes, a praia é um dos destinos prediletos para eventos corporativos para cerca de 200 a 300 pessoas ao longo do ano. E a vizinha Canasvieiras, parada quase obrigatória dos argentinos que chegam a Florianópolis, espera quebrar a sazonalidade de verão com a inaugu-

ração, em 2015, de um grande centro de convenções capaz de receber mais de 3 mil pessoas, com espaço para feiras, exposições, lojas e infraestrutura de alimentação. A localização da obra é estratégica para o turismo de negócios – na mesma rodovia, está sendo erguido um dos maiores empreendimentos para empresas de tecnologia do país, o Sapiens Parque. Localizado no centro da cidade, poucos metros após a entrada da ponte Pedro Ivo Campos, o CentroSul também capitalizou grandes eventos em 2014: a Interseg, maior convenção de segurança pública da América Latina, deixou o eixo Rio-São Paulo para trazer à capital catarinense as principais autoridades da segurança pública do Brasil, além de representantes das polícias dos Estados Unidos, Argentina, Colômbia e Equador. Com capacidade para acomodar até 3,5 mil pessoas sentadas e com dois salões de exposição com espaço para até 13 mil visitantes, o CentroSul já tem alguns eventos consolidados no calendário de Florianópolis, como o Salão do Imóvel, que acontece todos os anos, e a AveSui, congresso e feira técnica do setor de aves e suínos que tradicionalmente é realizado na Ilha, reunindo lideranças internacionais da indústria. Divulgação Costão do Santinho

OPORTUNIDADES O ANO TODO EVENTOS CONFIRMADOS PARA 2015 Convenção Estadual do Comércio Lojista No mês de abril, em Chapecó. 6ª Feira Mulher Brasil – Produtos, Serviços e Tendências No mês de abril, em Blumenau. Bolsa de Negócios Turísticos Mercosul No mês de maio, em Itajaí e Balneário Camboriú. Feira Internacional de Soluções para Indústria Têxtil No mês de maio, em Blumenau. Feira Bem Casados – Festas e Casamentos No mês de maio, em Chapecó. Móvel Brasil 2015 – Feira de Móveis e Decorações No mês de maio, em São Bento do Sul. Exposuper No mês de junho, em Joinville. 2ª Fenafashion – Feira Nacional para a Indústria da Moda No mês de julho, em Criciúma. 22º Salão do Imóvel / Construfair No mês de agosto, em Florianópolis. 20ª EFAPI – Exposição Feira Agropecuária, Industrial e Comercial No mês de outubro, em Chapecó. 10ª Intermach – Tecnologia, Máquinas e Equipamentos para Indústria MetalMecânica No mês de setembro, em Joinville. 12ª Feira e Congresso da Construção Civil No mês de outubro, em Joinville. Fonte: Santur

A capital catarinense já foi sede do WTTC, congresso anual do conselho mundial de turismo


140 volte sempre VIAJANDO A NEGÓCIOS

PRINCIPAIS CENTROS DE CONVENÇÃO NO ESTADO Joinville • Expoville • Centreventos Cau Hansen

Jaraguá do Sul • SCAR

Chapecó • Centro de Cultura e Eventos Plínio Arlindo de Nes

Blumenau • Parque Vila Germânica

Itajaí • Pavilhão Centreventos

Florianópolis Lages

• CentroSul • Costão do Santinho

• CentroSerra

Criciúma • Centro de Eventos José Ijair Conti

No litoral norte, Itajaí aproveitou o crescimento do setor naval e portuário para se estabelecer como destino de negócios. Só no 1º Salão Náutico Internacional de Itajaí, realizado em novembro, cerca de cem expositores mundiais estiveram no Pavilhão Centreventos da cidade, um espaço de quase 19 mil m2 de área construída localizado no Centro – próximo a restaurantes, lojas e hotéis e a poucos minutos de praias e do aeroporto de Navegantes. É lá que será realizado, em maio de 2015, a Feira de Negócios Turísticos (BNT) Mercosul, que vai reunir expositores dos principais destinos turísticos do Brasil e do Cone Sul.

dades como Florianópolis, Joinville, Blumenau, Criciúma, Chapecó, Tubarão, Jaraguá do Sul, Balneário Camboriú, Itapema, Concórdia e São Joaquim. Em Joinville, maior cidade do Estado, a reforma e a reinauguração da Expoville em 2013 deram um novo ânimo para o setor de turismo – em 2013 foram 79 eventos e em 2014, 130. O espaço, capaz de receber mais de 4 mil pessoas, é o endereço de grandes feiras de negócios como a Exposuper,

voltada ao setor supermercadista, e a ExpoGestão, referência nacional em administração. O turismo de negócios vem avançando também em cidades com pouca tradição na área, resultado da construção de novos espaços em todo o Estado. O CentroSerra, em Lages, e o Centro de Eventos José Ijair Conti, em Criciúma, já movimentam o setor de serviços com eventos em áreas como moda e construção civil.• Divulgação

Estrutura em expansão Para além do litoral, a diversidade catarinense surpreende os turistas que viajam pelo Estado a negócios. Cidades com alta qualidade de vida, belezas naturais e infraestrutura de serviços em crescimento já contam com centros de convenção e se capacitam para receber mais eventos nos próximos anos. Parte da profissionalização neste segmento se explica pelo crescimento das associações que organizam o turismo de negócios em Santa Catarina, os Convention and Visitors Bureaus, que atuam em ci-

Em 2015, o Centreventos de Itajaí vai receber a maior feira de negócios turísticos do Mercosul


XXX


142 volte sempre

Na maior parte das cidades da Serra Catarinense, a ocorrência de nevascas fomenta o turismo principalmente nos meses de junho e julho

TE ESPERAMOS NO INVERNO VISITAR Santa Catarina NA estação mais fria do ano É uma experiência QUE INCLUI BELAS paisagens, BOA COMIDA, vinhos finos e até A observação de baleias

• Por Fabrício Rodrigues

É

praticamente uma tradição. Não há inverno que a neve não baixe em Santa Catarina e traga consigo uma peregrinação de turistas com um único desejo: ter a experiência de encarar o frio e a nevasca em um país tropical. A Serra Catarinense é a região do Estado que mais se beneficia pelas baixas temperaturas, mas não é a única que oferece atrativos aos visitantes durante a estação. O Meio-Oeste de colonização germânica e tirolesa oferece paisagens e destinos perfeitos para os dias mais frios, assim como o Vale

e a região Sul, com sua gastronomia tipicamente italiana. Para quem vem pela primeira vez ao Estado durante o inverno, a viagem pelo roteiro da neve pode começar tranquilamente pela capital Florianópolis. A 65 km da Ilha, na hospitaleira Rancho Queimado, o visitante já começa a se acostumar com o clima de inverno serrano. Colonizada por alemães, a cidade que foi ponto de parada de tropeiros e hoje conta com menos de 3 mil habitantes vem se consolidando como um ponto obrigatório

de visitação de quem sobe a Serra Catarinense – especialmente por alguns restaurantes especializados na culinária tropeira, no centro da cidade e na comunidade de Taquaras. A proximidade com a capital faz crescer também o investimento em condomínios rurais e na produção de vinhos de altitude. São os vinhos catarinenses, por sinal, que ajudam a trazer cada vez mais turistas ao Estado. Especialmente à cidade de São Joaquim, área urbana que recebe a maior incidência de neve no Brasil e que se tornou há poucos anos uma referência na produção de vinhos finos. Seguindo os passos das vinícolas das frias regiões do Chile e Argentina, empresas como Villa Francioni, Pericó, Suzin e a cooperativa Sanjo montaram verdadeiras estruturas turísticas para receber amantes de vinho e também do frio catarinense. Almoços e jantares harmonizados com rótulos premiados são o ponto alto das visitas, que costumam lotar as cantinas – sempre é bom fazer uma reserva antecipada. Um “aperitivo” do inverno é a Vindima de Altitude de Santa Catarina, que acontece em abril, quando os produtores comemoram a colheira da uva e o


SHOW ME 143

A truta com pinhão harmoniza com o vinho local em uma aconchegante pousada de Urubici

esforço na obtenção de vinhos de qualidade. A programação une negócios e lazer, com degustações, colheita, piqueniques e demais refeições saboreadas com os vinhos de altitude. Ao lado de São Joaquim está a cidade que tem batido os recordes de temperatura negativa no país nos últimos anos, Urupema, que faz jus à fama de “cidade mais fria do Brasil” – os termômetros já chegaram a marcar 14°C abaixo de zero à relva. Repleta de rios, campos e

pinheiros, a região se transforma em um cartão-postal do inverno catarinense quando a neve e as fortes geadas caem, congelando a vegetação e até mesmo as cachoeiras. No auge da estação acontece o mais esperado festival da Serra Catarinense: a Festa Nacional do Pinhão. Criada há quase 40 anos como uma comemoração comunitária ela é, desde 1987, realizada todos os anos sempre no Parque Conta Dinheiro, que reúne em média Fotos: Santur/Divulgação

Na Festa do Pinhão, em Lages, a tradição campeira sobe ao palco na Sapecada da Canção Nativa

Macieiras sob a neve de São Joaquim

a cada edição um público em torno de 130 mil pessoas durante 10 dias de atrações nacionais. A programação é uma verdadeira celebração das raízes e da cultura do povo serrano, com destaque para a Sapecada Nacional da Canção Nativa, concurso onde autores e intérpretes disputam prêmios em categorias como arranjo, melodia, letra e escolha popular, entre outras. Conforto na natureza Uma das cidades que mais tem se beneficiado do turismo de inverno é Urubici, localizada a 160 quilômetros de Florianópolis. Com pouco mais de 10 mil habitantes, tem como mais famoso destino o Morro da Igreja, ponto mais alto do Estado e com uma vista encantadora do planalto catarinense. Acima dos seus 1.822 metros sobre o nível do mar, o turista pode se maravilhar com o horizonte de matas nativas preservadas e formações rochosas como a Pedra Furada. A região também é pródiga em cascatas, como a do Avencal, em que as águas despencam em queda livre a mais de 100 metros de altura. Mas é nas opções de hospedagem e alimentação que a cidade vem se des-


144 volte sempre TE ESPERAMOS NO INVERNO Leo Laps

que emergem a uma temperatura de 38°C, e com um grande parque termal que conta com atividades recreativas e terapêuticas. Baleia à vista!

Rio dos Cedros, no Vale Europeu, oferece um refúgio de inverno entre morros, lagos e cachoeiras

tacando. Ao longo da principal avenida de Urubici há uma série de pousadas – também conhecidas por guest houses – de ótimo padrão, com capacidade para poucos casais. No café da manhã, os visitantes são servidos com pães e tortas da casa, muitas vezes recém-tiradas do forno. À noite, os restaurantes oferecem pratos de inverno – risotos e massas, em especial – recheados com o melhor da comida serrana, de pinhão a tilápias até o clássico entrevero. E, claro, os premiados vinhos da região. Outra vantagem da Serra Catarinense durante o inverno é a localização privilegiada para outros destinos no Estado. De lá, o turista pode escolher por seguir adiante, rumo ao Meio-Oeste, descer a deslumbrante Serra do Rio Rastro em direção à região Sul ou mudar a rota para o Vale Europeu, conduzido pelo curso do Rio Itajaí-Açu. É por este caminho que o visitante pode aproveitar o clima romântico da estação para conhecer, por exemplo, a cidade de Rio dos Cedros, cercada pela Mata Atlântica e por diversos lagos e cachoeiras. Casarões, chalés e pousadas rústicas, mas com infraestrutura completa para o descanso, são o destino não só de casais mas também de amantes do ecoturismo e do turismo de aventura. Sob baixas temperaturas,

o clima se torna ainda mais irresistível. Rumo ao Oeste do Estado, a opção é o turismo termal e rural. Na “Rota da Amizade”, que inclui os municípios de Joaçaba, Fraiburgo, Treze Tílias, Videira e Piratuba, o turista pode encontrar uma encantadora mistura cultural que remete à Áustria, Itália e Alemanha. O destaque são as cidades de Treze Tílias – conhecida como o Tirol catarinense, que recebe por ano mais de 130 mil visitantes, 16 vezes a sua população – e Piratuba, localizada acima de um lençol de águas sulfurosas e quentes,

Outra atração do inverno catarinense é a presença, no litoral sul, das baleias-francas, que deixam as águas da Antártida durante o inverno para locais mais quentes e rasos, onde podem se reproduzir e dar à luz os filhotes, longe dos predadores de áreas mais profundas. A região é conhecida como a Área de Proteção Ambiental (APA) da Baleia Franca, que abrange nove municípios de Santa Catarina e se tornou um roteiro internacional de whale watching (observação de baleias) graças aos passeios onde os turistas podem ver de perto pares de mães e filhotes nadando juntos e dando impressionantes saltos sobre as águas. Os passeios – mais frequentes entre os meses de julho e setembro – saem das cidades de Imbituba e Garopaba, localizadas a menos de 100 km ao sul de Florianópolis, e são regulamentados pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da BIodiversidade (ICM Bio), que movimentam a hotelaria e o comércio local e mostram como Santa Catarina, de inverno a verão, é um destino inesquecível.• Santur/Divulgação

De julho a setembro, cardumes de baleias-francas podem ser avistados no litoral sul catarinense


ABRA A SUA LOJA NO MELHOR ENDEREÇO:

A CASA DO CONSUMIDOR. Que cada vez mais consumidores estão comprando pela internet não é nenhuma novidade. A novidade é que você pode fazer parte deste universo de forma simples e com o suporte da Fecomércio SC. Basta entrar no Fecomércio Shopping, o centro de compras digital que está colocando inúmeros empresários catarinenses no comércio eletrônico. O Fecomércio Shopping reúne lojistas de diversos segmentos em uma plataforma segura com um sistema de pagamento único. Venha fazer parte deste negócio, garantido pela credibilidade e pela experiência da Fecomércio SC. Reserve a sua loja. Gente querendo comprar é o que não vai faltar. Com a contribuição sindical em dia, você ganha descontos na taxa de adesão, além de outras vantagens na implantação da loja. Para mais informações: shopping@fecomercio-sc.com.br ou [48] 3024-7055

www.fecomercioshopping.com.br


Show me Floripa  

Confira a revista Show Me Verão de Florianópolis.

Advertisement