Page 1

H ITAJAÍ

158 ANOS

itajaí

é nº 7 Junho 2018

Urbe

Inovamfri inicia fase de execução dos planos de desenvolvimento

Educação

Mudanças ousadas Centro ganhará cinco sistemas binários para melhorar a fluidez no trânsito

IFSC produz vários projetos com aplicações para o setor do pescado

turismo

Cidade obtém projeção mundial com a Volvo Ocean Race

cultura

O grupo Hipócritas conquista o Brasil no movimento de contracultura


4

NAinhoa Sanchez/Volvo Ocean Race (Divulgação)

editorial

l minha cidade l cartão-postal l galeria l urbe l economia l empreendedores l educação l turismo l esporte l cultura l perfil RIC

Uma publicação do Grupo RIC FUNDADOR e Presidente Emérito

Mário J. Gonzaga Petrelli

Grupo RIC SC presidente-Executivo

Marcello Corrêa Petrelli Diretor comercial

Sucesso! Itajaí tem se consolidado ano após ano como importante local para a realização de eventos nacionais e internacionais. O sucesso da terceira passagem

Gilberto João Kleinübing Diretor Administrativo e Financeiro

Albertino Zamarco Jr. Diretor de Planejamento e Estratégia

Derly Massaud de Anunciação Diretor de conteúdo

da Volvo Ocean Race pela cidade foi o prêmio para todo o empenho das pessoas

Luís Meneghim

e entidades que trabalham para o desenvolvimento local. Apesar da resistência

Diretor Regional joinville, itajaí e blumenau

da minoritária turma do contra, o resultado positivo, fruto de muita dedicação,

Silvano Silva

competência e profissionalismo, emudeceu o obsoletismo e legou para Itajaí um próspero caminho de crescimento no setor de eventos. Outra importante estrada, no entanto, ainda precisa ser trilhada para impulsionar o potencial que a cidade tem para se tornar a principal de Santa Catarina. Estudos indicam que as regiões com maior probabilidade de desenvolvimento no mundo são aquelas com grande capacidade logística. Com um complexo portuário, aeroporto em Navegantes e um importante eixo rodoviário, Itajaí tem todas as qualidades para almejar essa posição. Todavia, são necessárias diversas obras na já estrangulada BR-101, mas ainda não há qualquer previsão de realização. É preciso estar atento a isso e fica o alerta. Para o Grupo RIC é uma alegria lançar a sétima edição da revista Itajaí É e destacar algumas das infinitas atrações itajaienses, cumprindo a nossa missão de estar sempre junto da comunidade. A produção de conteúdo regional está em nosso DNA e Itajaí já está definitivamente em nossos corações. Boa leitura!

Revista ITAJAÍ É Produção Editorial

Victor Emmanuel Carlson assistente de produção editorial

Mia Von Baxtet fOTO DA CAPA

Secretaria Municipal de Urbanismo Gerente Comercial iTAJAÍ

Robson Fiamoncini Cordeiro distribuição

Ric Editora IMPRESSÃO

Gráfica Coan (Tubarão/SC)

Rua Antônio Menezes Vasconcelos, 29 Fazenda – CEP 88302-270 – Itajaí/SC (47) 3247-4700

Marcello Corrêa Petrelli Presidente-Executivo Grupo RIC SC

ITAJAÍ É l 2018


Crescer junto sempre gera uma grande amizade. A gente tem muito orgulho de fazer parte desta histĂłria. E queremos estar sempre aqui para cooperar com o crescimento dessa cidade.

ParabĂŠns,

ItajaĂ­,

por seus 158 anos.

sicredi.com.br SAC - 0800 724 7220 / Deficientes Auditivos ou de Fala - 0800 724 0525. Ouvidoria - 0800 646 2519.


6

NAlfabile Santana (Divulgação)

índice

8

l

minha cidade l

cartão-postal

l

galeria

l

urbe

l

economia

l

empreendedores

minha cidade

Nadine Bastos

10 Arquibancada cartão-postal

12

galeria

foco em itajaí

16 de olho no futuro urbe

binários a vista Paliativo na 101 Porto é destaque nacional Ações pelas mulheres

28 cotas para a tainha economia

muito além das commodities

30 construção de obras-primas empreendedores

15 anos de conquistas

34 Solução ambiental na pesca educação

Espécies nativas para aquários

40 Projeção internacional turismo

35ª festa do colono marejada recuperada

46 Orgulho da casa esporte

Jogos Escolares em Agosto

50 O rei está Nu cultura

Fluidez no olhar cultura nos bairros 50 anos de música

62 a nova voz da cidade perfil RIC

presença na Volvo itajaí É l 2018

l

educação

l

turismo

l

esporte

l

cultura

l

perfil RIC


8

NVanessa Carvalho (Divulgação) / Victor Carlson

minha cidade

l

cartão-postal

l

galeria

l

urbe

l

economia

l

empreendedores

l

A Itajaí DE

Nadine Bastos

a ex-bandeirinha conquistou espaço como comentarista em canal a cabo

educação

l

turismo

l

esporte

l

cultura

l

perfil RIC

3 em 1: Os Mirantes “As vistas panorâmicas ‘terrinha’ e oceano proporcionadas pelos três mirantes dos picos da cidade – Morro da Cruz, Morro do Atalaia e Morro do Farol – são extraordinárias e com uma ampla visão ao espectador. Gosto destes lugares, sem preferência por um ou outro, devido às muitas peculiaridades

Nascida em Florianópolis, mas criada

e por ser possível vislumbrar a

em Itajaí, Nadine Bastos estudou no

paisagem belíssima da região”.

colégio Salesiano e cultiva com muito

Para o Morro da Cruz o acesso é pela

orgulho suas amizades de infância.

Rua Antônio Menezes Vasconcelos Drumond.

Formada na Univali como Cirurgiã

A Estrada da Antena no Morro do Atalaia tem

Dentista, exerceu a profissão durante

acesso pela Rua Lila Heusi, enquanto o trajeto

12 anos em sua clínica particular

ao Morro do Farol tem início no canto direito

Odontopoliclínica. No entanto, ela

da Praia de Cabeçudas.

sempre teve uma queda pelas práticas esportivas. “Gosto muito de correr e o exercício serve como terapia. Quando morava em Itajaí percorria o trecho entre a Beira-Rio e a Praia de Cabeçudas”, conta. Outra grande paixão é o futebol e Nadine atuou como bandeirinha no futebol profissional durante dez anos, até 2017. Tanta experiência em campo rendeu resultados. Atualmente no canal Fox Sports, ela é a primeira mulher comentarista de arbitragem da televisão brasileira. Apesar de morar no Rio de Janeiro, sempre que tem um tempinho Nadine vem para Itajaí visitar a família e seus amigos.

Cidade Velha: A Via Clássica

Cidade Nova: Polo

“Um passeio de algumas centenas de

“O Centreventos Itajaí, que

metros me remete à história da Itajahy

anualmente abriga a típica festa

(Itajaí). O trajeto vai da Igrejinha,

portuguesa e outras atrações,

como é carinhosamente conhecida

transformou-se em importante

“A divisão rio-mar que o molhe oferece

a primeira Santa Casa de Oração da

complexo marítimo internacional.

surpreende-me de distintas formas!

cidade, e sua praça frontal do coreto

Além de servir de atracadouro

A beleza natural ao redor, o vento e

e do mosaico cardeal, passando pelos

estratégico diário, também aporta a

as ondas, dentre os quais os pés de

luso-casarões seculares da tradicional

maior competição náutica do mundo,

galinha e faróis são marcantes, além da

Rua Lauro Müller, até o Mercado

a Volvo Ocean Race. Um lugar que

própria ‘ponte’. Ou ainda pelo tráfego

Público, palco da cultura açoriana

contribui para o desenvolvimento e

de embarcações e pessoas (esportistas,

(música, comida e artesanato) ”.

progresso socioeconômico da cidade”.

pescadores, artistas e transeuntes)”.

O Marco Zero de Itajaí está na Praça Vidal Ramos,

O complexo está localizado na Avenida

O acesso ao molhe é pela Rua Dep. Francisco

em frente à Igreja Imaculada Conceição.

Ministro Marcos Konder.

Evaristo Canziani.

Itajaí É l 2018

Uma ponte ao mar: o molhe


10

minha cidade l

cartão-postal

l

galeria

l

urbe

l

economia

l

empreendedores

Mais uma vez a Volvo Ocean Race passou pela cidade e atraiu milhares de pessoas aos molhes do Rio Itajaí-Açu e ao Centreventos.

itajaí É l 2018

l

educação

l

turismo

l

esporte

l

cultura

l

perfil RIC


11 NJen Edney/Volvo Ocean Race (Divulgação)

itajaí É l 2018


12

minha cidade l

cartão-postal

l

galeria

l

urbe

l

economia

l

empreendedores

l

educação

foco em itajaí

l

turismo

l

esporte

l

cultura

Igreja Matriz, Paróquia San

l

perfil RIC

tíssimo Sacramento

uma coletânea das melhores imagens do município a partir da visão do fotógrafo alfabile santana. confira mais na pág. 54

Morro da Cruz Praia de Cabeçudas

Foz do Rio Itajaí-Açu

Praia de Cabeçudas

Praia Brava

Igreja Matriz , Paróquia Santíssimo Sacra Itajaí É l 2018

mento

Praia de Cabeçudas

Bico do Papagaio, Praia do Geremias


13 NAlfabile Santana (Divulgação)

Nascer do sol no Molhe

da Barra

Molhe do Rio Itajaí-Açu

Bico do Papagaio, Praia do Geremias

Mercado Público, Centro Molhe da Barra

Baía Afonso Wippel

Praia Brava Capela de São Sebastião em Laran

Rio Itajaí -Açu

jeiras

Molhe do Rio Itajaí-Açu

Praia de Cabeçudas

Itajaí É l 2018

Praia Brava


HÁ 10 ANOS FAZEMOS PARTE DA VIDA DE ITAJAÍ, NOS ORGULHAMOS DE OFERECER AS MELHORES TENDÊNCIAS EM MODA, GASTRONOMIA, ENTRETENIMENTO E TECNOLOGIA. PROMOVEMOS EXPERIÊNCIAS ÚNICAS E MOMENTOS FELIZES. NESSES 158 ANOS DA CIDADE, COMEMORAMOS COM VOCÊ PORQUE A VIDA

265 LOJAS


16

minha cidade l

cartão-postal

l

galeria

l

urbe

l

economia

l

empreendedores

l

educação

l

turismo

l

esporte

l

cultura

l

perfil RIC

de olho no futuro inovamfri chega na fase de execução dos planos, incluindo a inauguração do Centro de Inovação Regional de Itajaí

Considerada a principal porta de entrada e saída da atividade econômica de Santa Catarina, a região da Foz do Rio Itajaí possui o segundo maior complexo portuário do Brasil, diversos atrativos turísticos e um ambiente propício para o desenvolvimento do setor tecnológico, que já é destaque no cenário nacional. A expectativa é que a região, que atualmente possui mais de 500 mil habitantes, cresça 4% anualmente em média, o que resultará no dobro da população em duas décadas. Para que os municípios não entrem em

Itajaí É l 2018

colapso, é preciso projetar desde já o futuro sustentável e essa é a meta do Inovamfri, que planeja o desenvolvimento da região da Foz do Rio Itajaí para os próximos 25 anos. “O aumento das cidades é inevitável e independe das nossas ações. Cresceremos nestas taxas e precisamos estar preparados para esta metrópole daqui a 20 anos e com 1,5 milhões de habitantes. E o Inovamfri foi criado justamente com a missão de organizar as políticas públicas dos 11 municípios para que todos possam caminhar na mesma direção, de for-


17 N Divulgação

ma organizada e sustentável”, explica o engenheiro e gerente do projeto João Luiz Demantova. A fase de planejamento encerrou em dezembro do ano passado e contém soluções nas áreas de desenvolvimento econômico, a partir do Distrito de Inovação Regional; de mobilidade urbana regional, com um sistema intermunicipal de transporte integrado; e de modernização da gestão pública. De acordo com o gerente, agora vem a fase da execução, com a implantação dos planos e aplicação em escala das soluções apontadas nos estudos. Um dos destaques em 2018 será a inauguração do Centro de Inovação Regional de Itajaí. Projetado pelo Governo do Estado, o edifício será a primeira instalação em operação no Distrito de Inovação e abrigará uma incubadora

de empresas, espaços de coworking para economia criativa, laboratórios, salas para cursos e treinamentos, entre outros locais com serviços ligados à inovação. Planejado no conceito de “Smart City” e com foco na sustentabilidade ambiental, o Distrito será o ponto de referência que conectará as atividades econômicas com as pessoas da região, com um modelo de cidade capaz de gerar riqueza e agregar qualidade de vida a todos os usuários. “O Inovamfri é responsável pelo planejamento do modelo de ocupação e a parte operacional do Distrito de Inovação Regional de Itajaí. Os próximos passos iniciarão em breve e serão coordenados pela Itajaí Participações, que buscará parceiros para a construção da infraestrutura no terreno e iniciará a prospecção de empresas para se instalar no local”, destaca Demantova.

Itajaí É l 2018

Situado na Rodovia BR-486, a 8 km do Centro de Itajaí, o Distrito se estenderá por 221,8 hectares, dos quais 67% serão áreas verdes e de preservação. O ambiente será ideal para a implantação de indústrias limpas, fábricas, centros de negócios, escritórios, terminais de logística e armazenamento, laboratórios compartilhados e incubadora de negócios. Também haverá espaços próprios para residências, comércios, instalações médicas, restaurantes, polícia, defesa civil, entre outros serviços para atender a população. A previsão é que o local esteja apto à ocupação a partir de 2019. Até 2040, o Distrito deverá gerar 25.300 empregos diretos e outros 50 mil empregos indiretos na região da Foz do Rio Itajaí. Outro importante passo do Inovamfri foi a entrega do Plano Integrado de Mobilidade para a Secretaria de Estado do Planejamento. O sistema proposto liga os 11 municípios da Amfri, facilitando a locomoção da população por toda a região. “Ele inclui o Plano


18 NDivulgação

Projeto Pioneiro O Inovamfri é uma iniciativa da Associação de Municípios da Região da Foz do Rio Itajaí (Amfri) e tem as suas ações voltadas para o progresso sustentável por meio de soluções inovadoras, do planejamento e da capacitação. Em parceria com o Governo do Estado de Santa Catarina, através da Agência de Desenvolvimento Regional de Itajaí, a missão é preparar os municípios da Foz do Rio Itajaí para a nova economia mundial, tornando a localidade

Previsão de inaugurar o Centro de Inovação Regional de Itajaí ainda em 2018

globalmente competitiva.

de Transporte Coletivo Intermunicipal, tanto por ônibus integrado quanto prevendo a implantação de VLT (Veículo Leve sobre Trilhos). O estudo de viabilidade técnica e econômica da implantação do Plano Integrado de Mobilidade também será produzido pelo Inovamfri e a expectativa é que até o fim do ano o modelo esteja definido”, explica Demantova. De acordo com o engenheiro, foi estudado um case de mobilidade em Portland, nos Estados Unidos, que começou há 18 anos e envolve 23 cidades americanas. A continuidade das ações em Portland foi possível graças ao envolvimento da sociedade. “No caso do Inovamfri, o primeiro desafio que tivemos foi obter o engajamento dos gestores e a construção da conscientização da importância do alinhamento de todos no processo, já que é essencial que o projeto tenha continuidade nas próximas administrações. O próximo desafio será obter o engajamento popular. Precisamos levar ao conhecimento da sociedade a importância da participação da população no processo, para que todos possam entender qual o melhor caminho para o futuro da nossa região e para que os gestores, desta forma, sejam cobrados e te-

“São metas de crescimento a curto, médio e longo prazo. A proposta é planejar a região composta por 11 municípios como a grande metrópole do amanhã, criando oportunidades de crescimento econômico e social com foco na geração de empregos de qualidade”, explica o engenheiro João Luiz Demantova, gerente do projeto. “O objetivo é ser uma experiência completa de trabalhar, morar e viver”, complementa. Segundo Demantova, a proposta do Inovamfri é pioneira no Brasil, pois gera o fortalecimento regional a partir do momento em que os municípios definem as prioridades e atuam na condução das ações integradas para o avanço de sua localidade. “A partir da conjunção de esforços das prefeituras, governo estadual, entidades empresariais e população poderemos alinhar as necessidades e buscar soluções que beneficiem a todos. Esse é o correto caminho para o progresso sustentável”, afirma.

Itajaí É l 2018

nham um comprometimento ainda maior”, destaca. Pelos próximos dois anos serão realizados seminários, audiências, parcerias com entidades e ações com as comunidades por meio das Câmaras de Vereadores. “Planejar o futuro é cada vez mais essencial. No Brasil se gasta pouco tempo em planejamento e muito tempo em execução, quando deveria ser justamente o contrário. Portanto, esse processo de planejar é primordial para a construção de uma cidade sustentável e economicamente justa. Se não fizemos nada agora, estaremos fadados à construção de mais uma metrópole em desequilíbrio”, alerta o gerente.

João Luiz Demantova, gerente do projeto


20

minha cidade l

cartão-postal

l

galeria

l

urbe

l

economia

l

empreendedores

l

educação

turismo

l

binários a vista

l

cultura

l

perfil RIC

R.

ato iber L r o Heit

R. J osé Per e

ira

Lib e

rato

R. Indaial

Itajaí É l 2018

esporte

R. Dr. Pedro Rangel

Intervenções ousadas nas principais vias da região central visam proporcionar melhor fluidez no trânsito e requalificação das ruas O horário de pico deixa claro que as ruas no centro da cidade estão afogadas pelo trânsito. Além de haver cada vez mais carros circulando, existem outros fatores que corroboram para o caos, como a possibilidade de conversão dos veículos atravessando a pista contrária, o excesso de cruzamentos entre as ruas e os semáforos que atendem mais de dois f luxos de deslocamentos. Outro problema são os caminhos realizados entre o centro e bairros como Dom Bosco e São João, onde o motorista realiza várias manobras no labirinto de ruas para chegar ao seu destino. Esses fatores podem ser minimizados com a adoção de sistemas binários e a Secretaria Municipal de Urbanismo está propondo a criação de cinco sistemas na região central. “Eles permitirão deslocamentos mais rápidos, proporcionando f luidez e desafogando o centro”, explica o arquiteto Rodrigo Lamim, secretário municipal de Urbanismo. A intervenção mais importante é o binário que mudará bastante o aspecto das avenidas Sete de Setembro e Coronel Marcos Konder, duas das principais vias de Itajaí. Além de alterar o sentido para mão única, o projeto prevê a criação de corredores exclusivos de ônibus e ciclovias. No caso da Av. Cel. Marcos Konder, as mudanças serão ainda mais significativas. O canteiro central será retirado e as árvores replantadas em dois canteiros laterais. Para que isso seja efetuado a Fundação do Meio Ambiente está fazendo um mapeamento das árvores e avaliando quais serão realocadas. Ao mesmo tempo, o projeto já prevê o plantio do dobro de árvores em relação às existentes atualmente.

l

R. Jacob Ardigó

all

R

sé G . Jo


21

R.

NRogério Moreira Jr (Mapa) / Divulgação

m Blu au en

n se

nio Muller

R. Duque de

e qu Br

us

o mbr

R. Getúlio Var gas

i

rito

oB ert

Sete

ua

mb

ug

Hu

Ur

R.

ía rc

a lG

a

R.

n ve Ju

R. i

ua

ug

Ur A intervenção mais significativa ocorrerá na Avenida Cel. Marcos Konder Itajaí É l 2018

r

R.

A R.

de ete Av. S

.

lm

so rro a B

o Mulle R. Laur

der Kon

Caxias

rcos

l. Ma

e Av. C

R.

ato iber L r o Heit

R.

u ha orn uB ine . Ir Av

Av. Cel. Eug ê


22

Além de melhorar o trânsito e priorizar o transporte coletivo, a modificação aumentará a segurança e qualidade no espaço destinado para pedestres e ciclistas

A previsão é dar início aos sistemas binários até o final de 2018. Enquanto isso, a prefeitura trabalha em mais de 50 desapropriações, muitas delas já realizadas, inclusive, com edificações demolidas. Essas desapropriações permitirão, por exemplo, que a rua Indaial, que tem vários trechos interrompidos pela existência de casas e terrenos, se torne um dos principais eixos de tráfego da cidade. “Primeiro vamos alterar o trânsito e na sequência, com a chegada dos recursos, realizar todas as intervenções planejadas”, comenta o arquiteto e secretário-adjunto Ricardo Rebello da Cunha. O investimento para a implantação dos sistemas binários será de R$ 240 milhões e está incluído no Fonplata, organismo multilateral latino-americano que aprovou o projeto. O valor inclui principalmente a requalificação das vias com a criação de ciclovias e corredores de ônibus, já que a

alteração de sentido implica em poucos investimentos com placas e semáforos. Além das avenidas Sete de Setembro e Cel. Marcos Konder, também receberão ciclovias e corredores de ônibus as ruas

Árvores do canteiro central serão realocadas Itajaí É l 2018

Uruguai e Brusque. A rua Juvenal Garcia também está incluída, mas isso ainda dependerá de um futuro alargamento e mais desapropriações. “Será uma intervenção urbana que realmente mudará a dinâmica das ruas envolvidas e um marco no desenvolvimento da cidade”, afirma Lamim. Segundo o secretário, as vias de mão única permitem melhor f luxo de veículos, pois reduzem as conversões e cruzamentos que acabam retendo os automóveis. Também diminuem de forma substancial o tempo perdido em semáforos. “Além de melhorar o trânsito vamos privilegiar a qualidade no caminhar, a segurança dos ciclistas e priorizar o transporte coletivo”, comenta Lamim. “Itajaí será a cidade com a maior transformação urbana de Santa Catarina nos próximos anos. Vamos modificar o sistema viário e quebrar paradigmas”, garante.


23 NDivulgação / Marcos Porto (Divulgação) / Divulgação / Miro Rosa (Divulgação)

Desafio para o desenvolvimento Ao mesmo tempo em que a BR-101 trouxe muitas oportunidades e foi importante fator para o desenvolvimento de Itajaí, atualmente ela se tornou um enorme desafio. O trecho da rodovia na região acabou se transformando em avenida urbana, já que boa parte do fluxo de veículos é local e poderia ser absorvido pelas marginais. Como consequência, a capacidade está esgotada e os engarrafamentos são frequentes. O contrato de concessão da rodovia

Planta das quatro alças de acesso da BR-101 com a Rodovia Antônio Heil

Paliativo na 101

não previa a conclusão das marginais, o que inclui diversas pontes no trajeto que passa por Itajaí, Balneário Camboriú e Itapema. Apesar da caótica situação

Um dos maiores gargalos para o

de desapropriação necessários

atual, não há qualquer previsão de

desenvolvimento de Itajaí está no

e, na sequência, as obras. A

investimento. Hoje a BR-101 divide o

entroncamento entre a Rodovia Antônio

construção das alças está orçada

município de Itajaí e se transformou em

Heil e a BR-101. Quem precisa passar

em aproximadamente R$ 40

uma enorme barreira.

por ali todos os dias sabe que, mesmo

milhões e será custeada pelo Banco

Uma proposta seria o aumento do

fora dos horários de pico, é preciso ter

Interamericano de Desenvolvimento

pedágio, mas a medida é extremamente

muita paciência. O cruzamento de nível

(BID). No entanto, como o

impopular. Por outro lado, o reajuste

para diferentes sentidos sob a BR-101

financiamento vence no final de 2018,

na tarifa seria facilmente compensado

causa enormes congestionamentos

há uma grande preocupação para que

com a economia de gasolina. É o que

e até acidentes. Além de resultar em

a obra comece logo. “O município está

defende o engenhero civil Auri Antônio

volumosas despesas logísticas, a falta

em buscas de soluções para agilizar o

Pavoni, assessor especial do prefeito.

de mobilidade prejudica principalmente

inicio das alças junto ao Governo do

“As pessoas só conseguem raciocinar

o desenvolvimento da região onde

Estado e Deinfra”, garante Lamim.

pensando no aumento do pedágio,

justamente deverá ocorrer a grande

quando o certo seria pensar no custo

expansão da cidade.

total do deslocamento. O acréscimo seria

Mas, ao que tudo indica, os moradores

compensado com a redução do gasto

e motoristas já podem sonhar

com o combustível”, explica Pavoni.

com dias menos congestionados.

O arquiteto alerta que é preciso

Foi aprovado o projeto que prevê

diminuir o custo para andar na rodovia

a construção de quatro alças de

e isso só ocorrerá com investimentos

acesso no entroncamento entre as

nas marginais e construção das

rodovias Antônio Heil e BR-101, o que

pontes. Sem essas melhorias, a BR-101

proporcionará mais fluidez e segurança

continuará afogando as cidades. “As

no trânsito. O novo trevo fará com que

regiões que mais crescerão no mundo

não exista mais cruzamento de veículos

são aquelas dotadas de capacidade

em mesmo nível, tornando contínuo o

logística e Itajaí tem tudo para se tornar

fluxo nas quatro alças.

a cidade mais desenvolvida de Santa

O Departamento Estadual de

Catarina. No entanto, se nada for feito,

Infraestrutura (Deinfra) está autorizado a iniciar os processos

a BR-101 poderá se transformar em um Cruzamento em nível causa engarrafamentos Itajaí É l 2018

caos daqui a 15 anos”, alerta.


24

minha cidade l

cartão-postal

l

galeria

l

urbe

l

economia

l

empreendedores

l

educação

Porto é destaque nacional O complexo portuário fechou o mês de abril com crescimento de 80% no total de toneladas em relação a 2017 Nenhum porto do Brasil cresceu tanto como o Complexo Portuário de Itajaí. A movimentação em toneladas foi o maior destaque, com 80% de aumento no mês de abril em comparação ao mesmo período em 2017. O Porto de Itajaí também registrou crescimento de 18.753 para 31.407 TEU’S (Twenty Foot Equivalent Unit, que é a unidade internacional equivalente a um contêiner de 20 pés de comprimento) em relação ao ano anterior, um saldo 67% superior. Além disso, é a primeira vez em uma década que as receitas geradas superaram as despesas. A informação foi anunciada com júbilo pelo engenheiro Marcello Werner Salles, superintendente do Porto de Itajaí. “Desde 2008 o Porto não apresentava um

resultado com saldo positivo entre receitas e despesas. Portanto, a cidade pode se orgulhar do crescimento obtido, principalmente pelo atual cenário. É preciso agradecer a todos os envolvidos, que com muito esforço tornaram possível atingir estes números”, comemora Salles. O Complexo Portuário de Itajaí fechou o resultado de janeiro a abril de 2018 com saldo estável na movimentação de cargas. Foram registradas 84 escalas (uma a menos que o mesmo período em 2017), com movimentação de 1.107.409 toneladas. Mesmo com a diferença mínima na comparação anual, os números são extremamente positivos para o Porto Público (berços 1 e 2) da APM Terminals Itajaí, que somente em abril deste ano somou 32 embarcações,

Itajaí É l 2018

l

turismo

l

esporte

l

cultura

l

perfil RIC

elevando a movimentação em 78% em comparação a 2017. O Superintendente também reforça a importância do empenho realizado nos últimos 18 meses na Dragagem do Rio Itajaí-Açu para atingir a cota de 14 metros, “O crescimento gira em torno de todas as melhorias que estão sendo realizadas no Complexo, como as dragagens realizadas e homologadas pela Delegacia da Capitania dos Portos. Como consequência tivemos aumento na tonelagem, na produtividade e na quantidade embarcada“, destaca Salles. No ranking das exportações o destaque são as mercadorias de cerâmica e vidros, que tiveram crescimento de quase 140%, e madeira e derivados, com 70%. No setor de importações, os materiais de vidro e cerâmica também alcançaram um aumento de 80%, seguidos por alimentos gerais, com 73,5%, e plásticos e borrachas, com 53%. Os números poderiam ser ainda maiores se não fossem as dificuldades para a exportação de frangos e suínos em razão dos embargos russo e europeu. “A nossa margem direita do Rio (Itajaí) continua mantendo o crescimento, o que demonstra uma recuperação no nível de atividade de cais comercial, ocasionando maior movimentação portuária e, por assim, receita e geração de empregos”, explica Héder Cassiano Moritz​, assessor de direção da Superintendência do Porto de Itajaí.


25 NVictor Carlson / Divulgação

No Terminal Portonave foram efetuadas 43 escaladas em abril, o que e​ levou o acumulado do ano​ para 185 n ​ avios a​ tracados. O total até o momento apresenta queda de 17% e​ m relação ao mesmo período em 2017, que totalizou 223 navios​ atracados. O terminal Braskarne registrou três escalas e 22.231 toneladas, com total acumulado de 11 escalas e 60.769 toneladas. Isso representa um crescimento ​de 6% ​n a movimentação de cargas em comparaçã ao ano passado, quando foram registradas 9 escalas e 41.581 toneladas ​movimentadas. Já no Terminal Teporti foram cinco escalas no mês de abril, ​c om 11.272 toneladas, ​e levando a movimentação do ano ​p ara 13 escalas e 27.959 toneladas. A soma representa um acréscimo ​de 11% ​n a atividade de cargas em relação ao ano anterior. No terminal Poly Terminais apenas uma escala foi registrada,​ com 4.000 toneladas, ​c om queda​ de 67% e​ m comparação a 2017.

Foram realizadas diferentes benfeitorias para incrementar as condições de trabalho e de operação

Melhorias impulsionam resultados Diversas ações estruturantes estão

prefeitura de Itajaí, cerca de

sendo realizadas no Complexo

400 toneladas de asfalto para a

Portuário de Itajaí, como a readequação

recuperação da pavimentação do pátio

do acesso aquaviário (nova Bacia de

público do Porto de Itajaí.

Evolução e Reforço do Molhe Norte),

w Nova iluminação: substituição

que permite receber navios de até

de lâmpadas incandescentes por

336 metros de comprimento, além

lâmpadas de LED nas áreas de tráfego

do reforço e realinhamento dos

para restabelecer o nível de iluminação

berços 3 e 4.

conforme as normas.

Para que estas iniciativas possam de

w Sinalização reforçada: novas pinturas

fato refletir em números ainda mais

reflexivas de sinalização viária na área

positivos na movimentação diária,

primária, que visam identificar o caminho

todas as gerências que atendem a

para pedestres, de praça e de guia de

Superintendência do Porto de Itajaí

maquinário pesado, além de delimitar a

acompanham presencialmente

velocidade máxima permitida.

a evolução e o quadro diário das

w Segurança e novas câmeras: 25 novas

atividades operacionais internas.

câmeras de monitoramento online dos

Entre as principais realizações estão:

berços 3, 4 e área da Valeport.

w Operação tapa-buraco (asfalto):

w Banheiro e área de descanso:

foram utilizadas, com apoio da

melhores condições de conforto.

Itajaí É l 2018


26 NDivulgação

minha cidade l

cartão-postal

l

galeria

l

urbe

l

economia

l

empreendedores

l

educação

l

turismo

l

esporte

l

cultura

l

perfil RIC

Ações pelas mulheres Itajaí abraça agenda 2030 da onu apoiando mecanismo de igualdade de gênero e defesa das mulheres A palavra emponderamento sequer está presente em muitos dicionários, mas tem-se ouvido tanto nos últimos tempos que é impossível não se familiarizar com o significado. Em Itajaí, a necessidade de

Érica Paes, campeã mundial de jiu-jitsu, esteve na cidade para colaborar nas ações propostas

ampliar o debate sobre as ações para o

Ajuda campeã

empoderamento feminino foi o ponto

conscientização sem dar condições

de partida para o que está se tornando

para que o empoderamento feminino

um grande movimento em torno do

aconteça. Precisamos trazer essas

Em abril deste ano, quando ainda

tema. Alarmado com o fato da cidade ser

mulheres em situação de violência ou

comandava a Secretaria de Relações

recordista em Santa Catarina em casos

risco para um lugar onde elas se sintam

Institucionais e Temáticas de Itajaí, Thiago

de violência contra a mulher – somente

acolhidas, tenham orientação jurídica e

Morastoni trouxe para a cidade a campeã

em 2017 foram 800 registros, segundo

onde haja condições para encaminhá-las

mundial de jiu-jitsu Érica Paes, única

a Polícia Militar – o vereador Thiago

ao mercado de trabalho”, conta Thiago.

lutadora a derrotar Cris Cyborg no MMA.

Morastoni (PMDB) iniciou uma grande

Agora o município aguarda a inclusão

Autora do projeto “Eu Sei Me Defender”,

pesquisa em busca de mecanismos

do programa Espaço Brasil Mulher

Érica é hoje membro da Secretaria

para mudar esse ranking. “Pesquisamos

na Secretaria Nacional de Políticas

Nacional de Políticas para Mulheres e uma

quais programas e incentivos estaduais

para Mulheres. O processo inicial já

autoridade em defesa pessoal feminina.

e federais poderíamos trazer para o

foi concluído e falta a aprovação da

“Eu já fui vítima da violência doméstica e

município. Estamos atacando todas

documentação. “Com ações mais

sofri duas tentativas de estupro. Consegui

as frentes possíveis e uma das nossas

específicas a esse público, como

me salvar graças aos conhecimentos de

primeiras ações foi solicitar a implantação

as oferecidas no Espaço Brasil

artes marciais e percebi que era preciso

de um Espaço Brasil Mulher em Itajaí”,

Mulher, resgataremos a confiança e

também ajudar outras mulheres em

explica o vereador.

tornaremos mulheres vitimizadas em

situações de assédio, abuso e agressão”,

O programa do governo federal

protagonistas da própria história”, afirma

conta Érica.

tem como finalidade criar um local

o parlamentar.

Por meio de cursos ministrados Brasil

de acolhimento, orientação, ações

O programa Espaço Brasil Mulher é um

afora, a lutadora ensina noções de

e encaminhamentos de mulheres e

mecanismo para alcançar a igualdade

defesa pessoal, o que dá condições para

meninas em situação de risco ou vítimas

de gênero e empoderamento de todas

que as mulheres se livrem de situações

de violência geral, doméstica e sexual. A

as mulheres e meninas, que representa

de violência e possam buscar ajuda,

atuação ocorre principalmente nos eixos

um dos objetivos da Agenda 2030 de

além de restabelecer a autoconfiança.

da autonomia econômica, enfrentamento

Desenvolvimento Sustentável da ONU.

“Assim que tomei conhecimento do

à violência, saúde, educação e espaços

No total são 169 metas globais com foco

‘Eu Sei Me Defender’ quis rapidamente

de poder e decisão.“Percebemos que

nas pessoas, no planeta, na prosperidade

trazer a Érica para a nossa cidade”, conta

não adiantaria fazer campanhas de

e na paz mundial.

Thiago Morastoni.

itajaí É l 2018


Horário de Atendimento Terça a Sexta 11:00 às 14:30 h e 19:00 às 20:30 Sábado a domingo 11:00h às 16:00h e 19:00h às 24 horas

macarronadaitaliana.com.br

Rua Dom Afonso, 230 - Via Gastronômica - Tel. 47 3367 0788


28

minha cidade l

cartão-postal

l

galeria

l

urbe

l

economia

l

empreendedores

l

educação

l

turismo

l

esporte

l

cultura

l

perfil RIC

Outro prejuízo O desempenho do Ministério da Agricultura tem impactado negativamente o mercado do pescado. Recentemente a União Europeia suspendeu a importação do pescado brasileiro justificando que as medidas tomadas pela entidade não foram satisfatórias para a maioria das recomendações solicitadas. Independente das alegadas questões técnicas, o Ministério da Agricultura é criticado pelo setor pela incapacidade de negociar e lidar com a situação. “Será a primeira vez em quase 40 anos de

cotas para a tainha

atividade que não poderei exportar para

A portaria publicada em meados de maio estabeleceu cotas para a pesca da tainha no Brasil. A quantidade foi determinada a partir de estudos de avaliação de estoques e da capacidade máxima de pesca para ter o menor impacto possível. Desta forma, ficou acordada a quantidade de até 3.417 toneladas em Santa Catarina, que representa 80% do mercado nacional. Também ficou estabelecida a autorização de até 130 embarcações de rede anilhada, com limite de 1.196 toneladas, e 50 traineiras, com cota de 2.221 toneladas. A pesca não motorizada já estava autorizada desde o dia 1º de maio; a frota de emalhe anilhado, que não utiliza o sistema de arrasto das traineiras, desde 15 de maio; as traineiras desde 1º de junho. As restrições à pesca da tainha começaram em 2011 por conta de um estudo que indicava uma sobrepesca da espécie. Na época, a Justiça Federal determinou a implantação de um Plano de Gestão a partir de uma ação movida pelo Ministério Público Federal. “O problema é que o governo nunca realizou os estudos necessários do plano e nem fez qualquer revisão, sendo que ele era totalmente inadequado para a frota industrial”, denuncia Agnaldo Hilton dos Santos, coordenador da Câmara do Cerco

a Europa, o nosso principal mercado”,

do Sindipi (Sindicato dos Armadores e das Indústrias da Pesca de Itajaí e Região).

lamenta Cassiano Ricardo Fuck, da

O ajuste apresentado na portaria foi considerado satisfatório pela categoria. “Isso

empresa Caviar Brasil, que produz

permitirá que mais pessoas possam trabalhar. Acompanharemos o resultado da pesca

Bottarga a partir da ova de tainha.

e faremos um estudo do que realmente acontece no dia a dia para verificar se o sistema

Segundo Cassiano, a indústria será mais

de cotas é viável ou não. Caso não dê certo, o plano de 2014 voltará a ser adotado”,

conservadora e seletiva na compra das

explica Agnaldo.

ovas de tainha e exigirá mais qualidade.

O controle do limite máximo de captura se dará por meio do monitoramento das

“Os dois últimos anos foram terríveis

tainhas recepcionadas nas indústrias processadoras de pescado com Serviço de

com as restrições para a pesca da tainha,

Inspeção Federal (SIF), além das informações de Mapas de Bordo e Mapas de Produção

mas essa suspensão da União Europeia

preenchidas pelos próprios pescadores.

será ainda mais prejudicial”, alerta. itajaí É l 2018


29 NJaime Guimarães (Divulgação) / Victor Carlson / Divulgação

Magrelas para os colaboradores Sustentáveis e práticas, as bicicletas estão invadindo os grandes centros urbanos. Para a Allog International Transport, as “magrelas” também se transformaram em uma excelente opção para incentivar os colaboradores a fugir do trânsito e a cuidar da saúde. A empresa – que em 2017 investiu na compra de cinco bicicletas para Brasil também exporta açaí, tapioca, pão de queijo congelado e outros produtos que saem por Itajaí

muito além das commodities

uso coletivo dos funcionários e estrutura especial para ciclistas – lançou o projeto Personal Biker para promover a saúde e o bem-estar dos colaboradores ao estimular o uso das bikes no dia a dia. “O projeto é aberto para todos os funcionários. Além de quem usa as bicicletas da empresa, os que têm uma em casa também são incentivados a participar”, destaca Tiago

O desempenho das exportações

de mercadorias que o Brasil vende.

Schaffrath, analista de marketing da Allog e

brasileiras nos últimos anos não se deve

“Cada produto movimentado tem

um dos voluntários do Personal Biker.

apenas ao crescimento das commodities.

sua especificidade. Os pães de queijo

A diversificação das exportações, com

congelados, por exemplo, devem ser

a inclusão de produtos típicos do país

mantidos refrigerados durante a viagem,

como guaraná, açaí, farinha de

com controle de temperatura e umidade,

mandioca, farinha de polvilho doce

o que gera atenção especial a uma série

e azedo, sucos em polpa, tapioca,

de detalhes logísticos”, pontua Eduardo

pipoca, café, pão de queijo congelado,

Meira, diretor comercial da Allog.

leite condensado, coco ralado e

Para o segmento de bebidas e

palmito, também ajudou a melhorar o

alimentação, os principais destinos

desempenho da balança comercial.

dos produtos brasileiros são Estados

Personal Biker para estimular o uso de bicicletas

O processo de diversificação da pauta

Unidos, Argentina, Holanda, Rússia e

Tiago explica que o nome vem do fato de

de exportação tem aberto portas para

Peru. “O país tem uma indústria muito

que o projeto está desenhado para incluir

que produtos pouco convencionais

diversificada e com condições de suprir

todos os colaboradores. “Se a pessoa não

busquem mercado fora das fronteiras

o mundo com grande variedade de

tem prática de pedalar ou não pedala

nacionais. As commodities, no entanto,

itens”, acrescenta o diretor.

há algum tempo, o Personal Biker tem o

ainda representam cerca de 65% do

Muitas destas mercadorias da pauta

cuidado necessário para que o participante

valor das exportações brasileiras,

de exportação são para consumo dos

possa aproveitar o pedal com instrução e

segundo dados da Conferência das

próprios brasileiros que moram no

segurança”, conta.

Nações Unidas sobre Comércio e

exterior, já que cerca de 2,5 milhões

As pedaladas com o Personal Biker da Allog

Desenvolvimento (UNCTAD). Os outros

residem em outros países. De acordo

são realizadas terças e quintas-feiras, após

35% são divididos pelos mais variados

com Meira, ter uma diversidade de

o expediente. Desde o começo, cada vez

tipos de produtos.

produtos para exportar “fortalece

mais colaboradores estão se interessando

Conforme levantamento feito pelo setor

as negociações com os armadores,

pelo projeto. “Já tivemos mais de 20 pessoas

de exportação da Allog International

agregando mais valor à logística do

diferentes participando das pedaladas e

Transport, empresa de logística com

cliente. Afinal, cada tipo de carga traz

temos alguns assíduos que têm se engajado

sede em Itajaí, os itens chamados

um conhecimento diferenciado para a

e permanecido pedalando constantemente”,

“peculiares” engrossam esta relação

empresa”, afirma.

destaca Tiago. itajaí É l 2018


30

minha cidade l

cartão-postal l

galeria l urbe l economia l

empreendedores

l educação l turismo l esporte l cultura l perfil RIC

construção de obras-primas

Nivaldo Pinheiro comanda dois empreendimentos em Itajaí e que somam mais de R$ 170 milhões em investimentos Itajaí É l 2018


31 NClaus Weihermann (Divulgação)

Procave comemora 40 anos entre as maiores incorporadoras do Sul do Brasil Tudo começou com a venda de lotes em Blumenau e no litoral catarinense no ano de 1978. Mesmo com poucos recursos, o então corretor imobiliário Nivaldo Pinheiro foi ousado ao empreender e deu início a construção de imóveis. Ele contou naquele momento com duas referências: o seu pai, que era carpinteiro, pedreiro e ligado ao ramo da construção civil, e com o arquiteto Delmar Castelo de Sousa. “Ele foi a mão certa para iniciar a construção de imóveis”, relembra Nivaldo, atual diretor da Procave. De lá para cá são muitas histórias de sucesso para contar. Nivaldo encontrou em Balneário Camboriú o local ideal para investir e a decisão não poderia ser mais acertada. Há 30 anos a cidade era o principal reduto de férias dos empresários do interior de Santa Catarina e do Paraná. Atualmente é um dos destinos turísticos mais movimentados do Brasil e, segundo dados da FIPE/2017, a cidade abriga imóveis com a metragem mais cara do país. “A Procave enxergou o mercado de forma holística e sensível aos desejos dos clientes. Foi dessa desta maneira que revolucionamos o conceito de construção civil à beira mar”, analisa Nivaldo. O pioneirismo no conceito de lazer com privacidade, segurança e integração com o mar transformou a Procave em uma referência nacional na construção civil premium. Esse reconhecimento só poderia ser alcançado pela busca permanente da qualidade e excelência na execução. “Não

se constrói uma casa ou um apartamento para morar uma semana ou um mês. É um bem para a vida inteira e para muitas gerações. Construímos o lugar onde viverão os pais, filhos e netos. Portanto, o imóvel é uma garantia de longo prazo”, afirma. Na opinião de Nivaldo, seja grande ou pequeno, o local precisa ser confortável e ter um belo design. “Eu nunca gostei de ambientes apertados e sempre me preocupei com a estética e a funcionalidade. Quero o mesmo para os moradores de um empreendimento da Procave: que eles vivam bem, com conforto e qualidade”, define. Para comemorar os 40 anos em grande estilo a empresa está investindo valores superiores a R$ 170 milhões em dois empreendimentos que serão marcos na construção civil no Sul do Brasil. Na Praia Brava já foram iniciadas as obras do Bravamall, um espaço multiuso com 33 mil m², o único shopping do país que se valerá de escola bilíngue com ensino fundamental e médio. O Bravamall pos-

Empresa já qualificou 28 construções imobiliárias e que somam 550 mil m²

Itajaí É l 2018

sui um conceito lifestyle com posicionamento na área de gastronomia, entretenimento, moda e serviços. O projeto conta com marcas renomadas e restaurantes de alto padrão, salas de cinemas, spa urbano, salão de beleza, empório gourmet, entre diversas outras operações de varejo e serviços. Também em Itajaí está nascendo o Absolute Business, um empreendimento que possui com duas modernas torres que receberão áreas corporativas e hotelaria. No local será instalado o primeiro hotel Mercure do Brasil, projetado com arquitetura moderna e funcional, voltado para receber executivos e turistas. Serão 180 quartos em 16 pavimentos com o diferencial de um centro executivo de alto padrão anexado ao complexo. “O nosso propósito é construir empreendimentos que sejam agentes transformadores e de desenvolvimento. Se uma cidade vai bem, as pessoas vão bem e as empresas também. Esse trabalho de construir não gera ganhos financeiros, mas sim, ganhos compartilhados para a sociedade, para a comunidade e, acima de tudo, ganhos pessoais”, opina o Diretor. Sob o olhar atento de quem vive a arte da construção civil, a família Pinheiro inteira está integrada à filosofia da empresa. A esposa Miriam, por exemplo, é diretora e coordenadora do Núcleo de Decoração da Procave. Ela revela sensibilidade e refinamento ao decorar e entregar apartamentos equipados e mobiliados para os clientes, modalidade que já representa 50% das vendas. “O melhor empreendimento é sempre o seguinte e já possuímos projetos para os próximos 30 anos”, revela Nivaldo. “São milhares de metros quadrados pela frente na construção de obras-primas”, garante com orgulho.


32 NDivulgação

minha cidade l

cartão-postal l

galeria l urbe l economia l

empreendedores

l educação l turismo l esporte l cultura l perfil RIC

Em uma região nobre e de fácil acesso, o Hospital do Coração foi executado com um projeto arquitetônico diferenciado e atrai cada vez mais moradores de Itajaí

15 anos de conquistas Inaugurado em 2003 por um grupo de

180, transversal da Avenida do Estado,

hospital cada vez mais se consolida como

médicos com o propósito de ser um centro

que interliga Balneário Camboriú a Itajaí.

uma instituição que preza pela qualidade

de referência na área de cardiologia em

“Estamos a apenas oito quilômetros do

e segurança dos pacientes, com um

Santa Catarina, o Hospital do Coração

centro de Itajaí e, como consequência,

corpo clínico de extrema competência e

de Balneário Camboriú completa 15

não à toa quase 45% dos nossos clientes

alto padrão tecnológico. Portanto, temos

anos com muitos motivos para celebrar.

são itajaienses”, analisa Alexssander. “Para

muitos resultados para nos orgulhar”,

“Pioneirismo, excelência em atendimento

atingir o público em toda a região da

explica Alexssander.

e humanismo são as bases da instituição”,

Foz do Rio Itajaí-Açu, a instituição está

Ainda de acordo com o diretor, o retorno

afirma Alexssander Silva, diretor-geral do

investindo forte em divulgação desde o

positivo da população, com elogios ao

hospital considerado modelo em todas

início deste ano”, complementa.

atendimento prestado, é o principal

as suas complexidades. “Desde o início o

O projeto arquitetônico diferenciado

indicativo de que o Hospital do Coração

Hospital do Coração acompanha os avanços

foi concebido para oferecer o melhor

conquistou a sua missão de ser um

da medicina, tornando-se referência em

conforto, bem-estar e segurança aos

relevante centro de referência em

diferentes especializações, principalmente no

clientes dentro da hotelaria hospitalar.

cardiologia em Santa Catarina.

segmento da cardiologia”, explica o diretor.

Atualmente o Hospital do Coração dispõe

“Chegamos aos 15 anos com muitas

O local foi planejado e executado em uma

de toda infraestrutura para o atendimento

novidades e avanços para mostrar, mais

região nobre e de fácil acesso no bairro

de emergência e urgência aos pacientes,

fortalecidos do que nunca rumo aos

Pioneiros, na Rua Arthur Max Dôose,

inclusive para as demandas de exames. “O

próximos anos”, celebra.

itajaí É l 2018


34

minha cidade l

cartão-postal

l

galeria

l

urbe

l

economia

l

empreendedores

l

Itajaí É l 2018

educação

l

turismo

l

esporte

l

cultura

l

perfil RIC


35 NVictor Carlson / Acervo IFSC (Divulgação)

Solução ambiental na pesca de arrasto pesquisa do ifsc propõe adaptar as redes de captura do camarão para reduzir impactos ao meio ambiente O camarão é uma das iguarias mais requisitadas nos restaurantes do litoral catarinense, mas pouca gente sabe que o produto é resultado de uma ação que causa grande impacto ambiental. A pesca do arrasto, como o próprio nome sugere, passa “limpando” tudo no fundo do mar e recolhendo todos os organismos. Como consequência, para cada quilo de camarão capturado, mais de 17 kg de outras espécies são descartados, grande parte morta. Algumas espécies de peixes, por exemplo, têm baixo valor para a indústria da pesca e são jogados fora. Para diminuir esse enorme impacto ambiental uma pesquisa realizada no Câmpus Itajaí do Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC) propõe uma adaptação na malha da rede permitindo que peixes menores possam escapar. A rede de arrasto tem uma malha no formato de losango e à medida que o pescado entra no ensacador isso gera um peso que vai tencionando as malhas e fechando a rede, impedindo que os peixes escapem. A ideia é instalar um painel com uma malha quadrada que possibilitará que os peixes menores

Painel com malha quadrada permite a fuga de peixes menores e que seriam descartados após a pesca

escapem. “Infelizmente ainda não se inventou uma forma diferente de pescar camarão. Portanto, a adaptação pode ajudar a reduzir os impactos ambientais causados por esse tipo de pesca”, explica o professor Leonardo Machado. Já o camarão não escapa, pois tem um comportamento diferente. Ele fica saltando sem direção, enquanto os peixes seguem nadando procurando por onde escapar. Para testar esse novo formato de malha, o Câmpus Itajaí do IFSC está adaptando redes de pesca de arrasto que foram apreendidas pelo ICMbio. O trabalho de modificação das redes tem envolvido os alunos dos cursos técnicos em Recursos Pesqueiros e Aquicultura. Elas estão sendo testadas no barco escola do IFSC “Aprendendo com o mar” e serão futuramente testadas na presença de pescadores da região. Itajaí É l 2018

A solução já existe em outros lugares no mundo, mas o que a pesquisa procura observar é qual o melhor tamanho para essa malha conforme o interesse local pelos peixes que são capturados no processo. “Isso pode trazer economia com o óleo, por exemplo, pois evitará ficar rebocando o pescado inútil no ensacador, além de prestar um serviço ao meio ambiente liberando os peixes menores para manter o ciclo de vida das espécies e os estoques de pescado”, analisa Leonardo. Agora a pesquisa segue para o mar onde o barco escola utilizará uma rede normal e outra com a malha quadrada para comparar os resultados. Tudo será medido e o material recolhido será aproveitado pelo Laboratório de Agregação de Valor ao Pescado. A meta é encontrar soluções que utilizem melhor o conteúdo da rede de arrasto para evitar o descarte.


36

Reprodução de Espécies nativas para aquários

O atraente colorido da donzelinha (Stegastes variabilis) levou esta espécie nativa aos laboratórios do IFSC para o desenvolvimento de um sistema de reprodução O peixe-palhaço (Amphiprion ocellaris),

peixes ornamentais que são inofensivos”,

depois disso pensamos na reprodução

muito conhecido pelo personagem do

explica Leonardo.

das espécies”, revela.

desenho animado Nemo, é um dos peixes

A espécie escolhida é conhecida por

O desafio agora é encontrar a melhor

ornamentais mais vendidos para aquários

donzelinha (Stegastes variabilis) e tem

fórmula em cada passo do processo, a

no Brasil. O problema desta e de outras

grande potencial para a aquariofilia

começar pelo acasalamento. O primeiro

espécies exóticas é que elas causam

pelo atraente colorido. Em março foram

casal inicialmente se estranhou e os

desequilíbrio ambiental quando soltas no

coletadas as primeiras matrizes da espécie

peixes foram separados por uma tela,

litoral. “O peixe-leão, originado no Pacífico

nos recifes rochosos do litoral catarinense.

mas aos poucos as donzelinhas estão se

como o peixe-palhaço, foi introduzido na

Agora o trabalho será desenvolver um

aproximando. “Quando observarmos um

região do Caribe e é um tipo carnívoro

processo para criar condições de desova,

comportamento de interação, tiramos a

e predador de outras espécies locais”,

larvicultura e crescimento dos peixes

tela”, diz Leonardo.

revela o professor Leonardo Machado, do

em laboratório. “Queremos incentivar

A donzelinha também foi escolhida por

Laboratório de Piscicultura do Câmpus

a produção das espécies nativas com

ser uma espécie que tem desova adesiva.

Itajaí do IFSC.

certificação e reprodução em aquário para

Quando ocorre a eclosão, as larvas são

Para evitar que danos ambientais

que seja uma vantagem em comparação

transferidas para um aquário com grande

aconteçam, o professor trabalha em um

com a coleta clandestina e predatória”,

concentração de rotíferos (micro animais

projeto com uma espécie nativa do litoral

defende o professor.

utilizados como ração viva). Depois de

catarinense para estimular a reprodução,

Após serem coletadas, as espécies

uma ou duas semanas os peixes são

evitar a coleta clandestina e reduzir os

passam por um período de adaptação de

transferidos para outro aquário para

riscos ambientais decorrentes da soltura

dois a três meses. “Nós temos buscado

se alimentar de artêmias (maiores que

de peixes exóticos. “Nossa proposta é

espécies que tenham características

os rotíferos), sendo que o processo

mostrar a potencialidade das espécies

biológicas que favoreçam a reprodução

segue até o peixe atingir um tamanho

nativas e acabar com essa dependência

em ambientes de cultivo. Um dos nossos

comercial. Além dos diversos artigos que

que se tem dos tipos exóticos,

principais desafios é com a alimentação.

a pesquisa resultará, um novo nicho no

capacitando os alunos dos cursos

Começamos com um mix de animais

setor da aquarofilia será criado e com um

técnicos em Aquicultura e Recursos

marinhos até a elaboração de rações que

nobre propósito que vai muito além da

Pesqueiros do IFSC no cultivo desses

possam suprir essa demanda. Somente

ornamentação dos aquários.

Itajaí É l 2018


37 NÁthila Bertoncini (Divulgação) / Victor Carlson / Divulgação

Burguer de peixe Embora sejam descartados na pesca de arrasto de camarão, muitos tipos de peixes têm alto valor nutritivo. Para não desperdiçar essa fonte de alimento, nas aulas do curso técnico em Recursos Pesqueiros do IFSC os alunos aprendem a utilizar essas espécies para produzir hambúrgueres, pizzas, quibes e esfirras feitas de peixe. “Estima-se que para capturar um quilo de camarão sejam pescados aproximadamente 17 kg de outras espécies como a Maria Luiza, estrelas do mar, siris e demais organismos. Equipamento desenvolvido no IFSC para reduzir o trabalho manual na retirada da carne do siri

Extração a vácuo de carne do siri Na pesca de arrasto do camarão todo o siri

O projeto envolveu os alunos dos cursos

capturado é descartado. Como o processo

técnicos em Mecânica, Eletroeletrônica e

para retirar a carne é manual, a indústria da

Recursos Pesqueiros. As partes obtidas

pesca não tem interesse no produto, ainda

com a extração caem em um recipiente

que a carne do siri seja considerada uma

refrigerado. “Com essa tecnologia

iguaria e com demanda no mercado. Outro

vislumbramos uma redução no tempo

problema nessa atividade é o processo

de extração da carne e nos riscos de

realizado por alguns pescadores artesanais,

contaminação, o que pode interessar à

que de forma clandestina utilizam

indústria pesqueira”, comenta o professor

equipamentos de ar comprimido para

Rodrigo Gomes. O equipamento será

Geralmente descartados, eles

retirar a carne, processo que contamina o

utilizado pelo Laboratório de Agregação de

poderiam ser utilizados para a

produto com óleo.

Valor ao Pescado para o desenvolvido de

produção de alimentos. Com quatro

Para tentar resolver as duas situações o

novas iguarias com a carne do crustáceo,

quilos de peixe é possível produzir

Câmpus Itajaí do IFSC desenvolveu uma

além da famosa casquinha de siri.

cerca de 60 hambúrgueres ricos em

tecnologia que faz a extração a vácuo da

O projeto de desenvolvimento da

fósforo e cálcio”, explica o professor

carne do siri. Além de atender as normas de

tecnologia está concluído. Agora será

Rodrigo Gomes.

segurança alimentar, o procedimento reduz

levantada a possibilidade de fabricação

Na produção do hambúrguer os peixes

o trabalho manual envolvido no processo.

do equipamento em larga escala para

são triturados em um multiprocessador.

“A máquina faz a sucção da carne e através

reduzir os custos e tornar mais acessível

Segue a receita: 1 kg de carne de

da diferença de pressão separa toda a

inclusive para os pescadores. “Entramos

peixe moída, 100 gramas de aveia,

parte líquida da sólida. Desta forma, além

com o processo de registro de patente

100 ml de água gelada (para dar liga),

de manter as fibras da carne, o que dá um

da máquina. A ideia é que as empresas

50 ml de óleo de soja, 1 colher de chá

valor agregado maior ao produto, a parte

do ramo que tenham interesse possam

de sal, noz moscada a gosto, pimenta

líquida pode ser utilizada pela indústria para

pagar royalties pelo uso da máquina, o que

do reino moída a gosto, 50 g de cebola

dar mais sabor aos alimentos”, explica o

poderá ser revertido em novas pesquisas

ralada, 2 dentes de alho, 20 ml de vinho

professor Cássio Suski.

no IFSC”, conta Cássio.

branco ou suco de limão.

Itajaí É l 2018

O cardápio do IFSC para a carne de peixe


Ninguém entende mais de Santa Catarina do que o catarinense. E ninguém fala melhor com o catarinense do que a RIC. Hoje, somos a maior produtora de conteúdo regional do Sul do Brasil, levando para o estado mais informação, mais opinião, mais cultura, mais esporte e tudo o que o nosso povo gosta. Jogamos junto com os nossos times, crescemos junto com a nossa indústria, nos desenvolvemos junto com as nossas cidades. E assim, de catarinense para catarinense, quando o assunto é Santa Catarina, você pode sempre contar com a gente.

SOMOS BEM SANTA CATARINA


40

minha cidade l

cartão-postal

l

galeria

l

urbe

l

economia

l

empreendedores

l

educação

l

turismo

l

esporte

l

cultura

l

perfil RIC

Projeção internacional

Itajaí É l 2018


41 NAinhoa Sanchez (Volvo Ocean Race) / Pedro Martinez (Volvo Ocean Race)

A terceira passagem da volvo ocean race consolida a capacidade de itajaí para receber eventos nacionais e internacionais com estrutura profissional e grande presença de público Além do cenário perfeito, o comprometimento de todos impressionou positivamente os organizadores da regata

As 439.876 mil pessoas que passaram pela Vila da Regata comprovam em números o sucesso da Volvo Ocean Race em Itajaí. Realizado entre 5 e 22 de abril, o evento teve um impacto econômico de R$ 82 milhões, segundo estimativa dos organizadores do Itajaí Stopover. “Foi um grande desafio, pois as edições anteriores já tinham sido um sucesso e muito bem avaliadas pela organização internacional. Ou seja, a expectativa foi ainda maior e era preciso que tudo fosse perfeito. Felizmente o resultado foi muito positivo”, celebra Evandro Neiva, secretário de Turismo e presidente do Itajaí Stopover. Além dos números que ajudam a dimensionar o sucesso, houve um retorno muito positivo quanto à qualidade dos serviços. “Itajaí se consolidou como uma cidade capaz de realizar eventos nacionais e internacionais de forma extremamente profissional. Trabalhamos com pessoas comprometidas e isso impressionou positivamente os organizadores mundiais da regata”, conta Neiva. Antônio Bolaños, diretor da Volvo Ocean Race, confirma a opinião do secretário de Turismo e elogia o

resultado da parada brasileira, principalmente pela participação do público e êxito comercial obtido com a regata. De acordo com Bolaños, na Vila da Regata foi possível observar o público brasileiro e estrangeiro acompanhando as diferentes atividades em uma programação que contemplou educação ambiental e náutica, lazer e gastronomia. Para Amilcar Gazaniga, que presidiu o Comitê Organizador da Parada na primeira edição, a satisfação é enorme. “Na época não fazíamos ideia do resultado que um evento com essa dimensão provocaria na cidade. Não tínhamos proeminência em organizações esportivas nacionais, quanto mais internacionais. Foi uma experiência nova para todo mundo”, relembra o engenheiro. No início não faltaram críticas e barulho da turma do contra. “Não perdemos tempo com eles. O resultado está aí, com a projeção mundial e valorização de Itajaí no contexto turístico do estado”, celebra Gazaniga A realização de três etapas da Volvo Ocean Race posicionou a cidade de forma definitiva como grande polo náutico para o Brasil. “Não existe no país uma localidade com essas Itajaí É l 2018

características, com porto de carga, porto pesqueiro, marina, estaleiros, fábricas de lanchas esportivas e navios de passageiros. Itajaí mostrou capacidade para transformar esse evento esportivo em um processo de desenvolvimento social que impactou a cidade”, analisa. O resultado é observado no padrão dos empreendimentos da Rua Lauro Muller, por exemplo, e no crescimento da rede hoteleira. “O setor impulsionou mais em cinco anos do que em toda a história do município”, aponta Gazaniga. “O mais importante não é o evento em si, mas o envolvimento da população e a confirmação do enorme potencial que temos. E essa conquista é um mérito de todos”, elogia. O ex-secretário de estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável, que apoiou o Comitê na primeira edição, compartilha da mesma análise de Gazaniga. Na opinião de Paulo Bornhausen, Itajaí se consolidou como importante polo náutico internacional e o reflexo desta conquista foi o desenvolvimento da região. Além do incremento da rede hoteleira, uma marina há muito sonhada no Saco da Fazenda e novos


42

NDivulgação / Ainhoa Sanchez (Volvo Ocean Race)

Compromisso com o mar Itajaí foi a primeira cidade brasileira a assinar a Carta Compromisso de Mares Limpos com a Organização das Nações Unidas (ONU). O documento prevê quatro pontos de atuação: publicar novas leis em conjunto com os municípios vizinhos para criação de uma política regional de combate ao lixo no mar; informar os cidadãos de Itajaí sobre a importância deste tema, por meio de campanhas de educação ambiental, palestras, seminários e workshops; encorajar e fomentar a iniciativa privada para que realizem práticas sustentáveis que visem a redução do lixo marinho, especialmente o plástico; e minimizar o uso de plástico nas atividades do executivo municipal.

Primeira atracação

Evento proporcionou visibilidade e convicção de que Itajaí tem estrutura para sediar grandes acontecimentos

eventos como a regata Jacques Vabre vieram na sequência. Mais do que isso, a Volvo demonstrou a capacidade do povo itajaiense em organizar eventos internacionais e com elevado nível de qualidade. “A parada em Itajaí é uma das mais elogiadas pelos velejadores e pela organização da regata. A cidade abraçou a Volvo Ocean Race e o resultado foi fantástico. O sucesso do evento gerou uma visibilidade mundial extremamente positiva e mostrou as enormes possibilida-

des que temos a explorar, desde que não tenhamos medo de inovar”, afirma Bornhausen. O balanço geral acima da expectativa aumentou a possibilidade da cidade sediar pela quarta vez a parada brasileira da maior regata à vela do mundo. “Ainda falta a definição do percurso da competição para anunciar quais cidades farão parte da próxima edição. Provavelmente em julho de 2019 teremos o anúncio oficial”, adianta Bolaños.

Após quatro anos de obras para uma reforma, o berço 3 do Porto de Itajaí registrou sua primeira atracação e justamente para atender um navio envolvido com a Volvo Ocean Race. O cais recebeu o navio “BBC Switzerland”, de bandeira suíça, com 120 metros de comprimento. A embarcação carregou todos os equipamentos utilizados durante a Regata Volvo Ocean Race, em uma operação que movimentou 120 contêineres. O navio saiu de Itajaí rumo a Cardiff, capital do País de Gales, cidade que também abrigará uma das pernas da competição.

Agora fica a expectativa para que a cidade seja escolhida novamente como etapa da competição Itajaí É l 2018


43 NVictor Carlson

guia virtual também em itajaí Em poucas semanas de funcionamento, os Beacons conseguiram impactar mais de 81 mil pessoas nos dez municípios que integram a Costa Verde & Mar. Esses dispositivos se comunicam com os smartphones e tablets nos pontos turísticos via bluetooth para passar informações detalhadas sobre os locais visitados. A tecnologia pioneira no setor turístico brasileiro funciona como um guia virtual e começa a operar quando se chega a 70 metros de distância do dispositivo. Um sinal é emitido e recebido pelo smartphone ou tablet do visitante. À medida que há o deslocamento, os Beacons enviam dados de acordo com o que visitante está vendo no momento. Os relatórios emitidos indicam a quantidade de pessoas online, o número de visualizações, quem acessou o conteúdo no site e os lugares turísticos preferidos. Em Itajaí, nove pontos receberam os dispositivos, sendo que a Igreja Matriz do Santíssimo Sacramento e o Museu Histórico, que dividem o mesmo aparelho por conta da proximidade, são os campeões de visualizações, com 4.956 acessos. Também estão conectados ao sistema: Marco Zero, Mercado Público, Centreventos, Teatro Municipal, Biblioteca Pública, Museu Etnoarqueológico e a Casa Lins (Centro de Documentação). “O levantamento das informações que obtemos com a tecnologia nos fornece um panorama completo dos visitantes, se eles curtiram a atração, se foram conferir mais dados no site e até se compartilharam nas redes sociais”, explica Zene Drodowski, atual presidente do Colegiado de Secretários de Turismo da Amfri. Com este perfil, é possível pensar em ações futuras mais assertivas para atingir o público que está interagindo.

ITAJAÍ É l 2018


44

minha cidade l

cartão-postal

l

galeria

l

urbe

l

economia

l

empreendedores

l

educação

l

turismo

l

esporte

l

cultura

l

perfil RIC

tudo pronto para a 35ª festa do colono As 18 comunidades rurais de Itajaí são novamente homenageadas no segundo maior evento popular da cidade

A 24ª Expofeira Agropecuária será

pelos pioneiros no campo.

um dos destaques da programação,

Várias opções gastronômicas também

com a exposição de diversas raças de

estão previstas, entre elas, churrasco,

gado, torneios e também a exibição de

café colonial e restaurante típico.

ovinos, caprinos e outros animais, o que

Quanto aos shows para animar os

desperta enorme atenção da garotada.

visitantes, a programação ainda é

Pouca gente sabe, mas para trazer

provisória, mas poderá ter a presença

todos esses animais para a Expofeira

do artista Michel Teló na noite de

é realizado um grande trabalho de

domingo. Na sexta se apresentam os

garantia de sanidade e autorização com

grupos Tradição (antiga banda de Teló).

os órgãos competentes.

Já no sábado será a vez do Dazaranha e

Um público superior a 80 mil pessoas

A 35ª Festa do Colono também

Tchê Barbaridade. A entrada é gratuita,

é esperado na Festa do Colono 2018,

abrigará uma exposição de máquinas

mas o estacionamento é pago. “A nossa

que acontecerá entre os dias 26 e 29

e implementos agrícolas, o que

expectativa é receber um grande

de julho. Considerado o segundo maior

representa uma boa oportunidade

público, pois temos um parque aprazível,

evento popular da cidade, diversas

para os produtores rurais realizarem

seguro e limpo. Sempre tivemos um

atrações foram organizadas para

diversos negócios. Já na parte da

ambiente familiar e cheio de atrações

homenagear as comunidades rurais e

diversão a Casa do Colono costuma

para comemorar o Dia do Colono, que

atrair famílias inteiras até o Parque do

ser uma das atrações mais procuradas

são os responsáveis pelo alimento que

Agricultor, com espaço de 34 hectares

pelas famílias. O espaço oferece

temos todos os dias”, comemora César

no bairro Baia, já que a festa reúne

diversas atividades que simulam como

Reinhardt, secretário de Agricultura e

desde homens de negócio até crianças.

era o trabalho realizado antigamente

Expansão Urbana de Itajaí.

ITAJAÍ É l 2018


45 NMarcos Porto (Divulgação)

marejada recuperada O Sucesso da festa em 2017 mostra que o reposicionamento para outubro foi acertado A expectativa dos organizadores da Marejada no ano passado era receber 120 mil pessoas, mas no fim das contas mais de 170 mil visitantes conferiram as diversas atrações. Um sucesso imenso para uma festa que corria o risco de não ser realizada. Para recuperar a Marejada e evitar o pior, uma série de medidas foi tomada e os números de 2017 comprovam que as decisões foram certeiras! “Fizemos uma pesquisa que constatou que a população gostava da festa, mas era preciso reacender o interesse dos visitantes”, conta Evandro Neiva, secretário de Turismo. O evento recebeu tratamento profissional e o resultado foi além do recorde de público: pela primeira vez em 30 anos a Marejada se pagou, ou seja, não foi necessário o aporte de recursos públicos da prefeitura. Uma das medidas mais importantes para o resultado positivo foi o reposicionamento para o mês de outubro, junto com as

A entrada é gratuita e a estimativa é superar o público de 170 mil presentes no ano passado

demais festas catarinenses, em especial, a

programação, pois não combinava com

culturais e gastronômicas, que são o nosso

Oktoberfest. “Conversamos com Ricardo

o ambiente de entretenimento. Isso

forte”, adianta o gestor.

Stodieck, secretário de Turismo de Blumenau

proporcionou um novo layout da festa,

A entrada da Marejada é gratuita e a

e presidente do Parque Vila Germânica,

o que contribuiu para o resultado. “As

expectativa é superar o recorde de

para alinharmos as duas festas, ainda que

modificações despertaram a curiosidade

público alcançado na edição anterior.

a Marejada tenha uma semana a menos”,

das pessoas. Quem compareceu gostou

“A intenção com a festa é proporcionar

revela Neiva. Neste ano a Marejada será

e fez propaganda boca a boca. Foi um

entretenimento para a população local,

realizada entre os dias 4 e 14 de outubro.

sucesso”, lembra o secretário. O desafio

com muitas atividades para a criançada,

“São várias as vantagens de acompanhar

agora é dar continuidade à fórmula usada

além de promover a cidade. E com muito

a Oktoberfest, entre elas, se beneficiar da

em 2017. “Faremos algumas modificações

profissionalismo conseguimos recuperar

circulação dos turistas na região”, explica.

no layout, mas manteremos a mesma

uma atração desacreditada, reforçando

Mas não foi apenas a data que mudou.

roupagem do ano passado que deu certo.

ainda mais a posição de Itajaí como

A feira multisetorial foi excluída da

Também apostaremos nas atrações

importante polo de eventos”, afirma Neiva.

ITAJAÍ É l 2018


46

minha cidade l

cartão-postal

l

galeria

l

urbe

l

economia

l

empreendedores

Itajaí É l 2018

l

educação

l

turismo

l

esporte

l

cultura

l

perfil RIC


47 NLucas Maliverni de Mello (Divulgação)

Orgulho da casa A equipe Itajaí Sailing Team teve participação ativa durante a Volvo Ocean Race No dia 3 de abril, às 11h45, o veleiro do Team Brunel finalizou em primeiro lugar a sétima perna da Volvo Ocean Race, que teve saída na Nova Zelândia e chegada em Itajaí. Pouco tempo depois foi a vez do Dongfeng Race Team concluir o percurso e coube à equipe do Itajaí Sailing Team (IST), embaixadora do município na regata, acompanhar a chegada dos veleiros. “O IST surgiu após a primeira parada da Volvo Ocean Race na cidade, na edição 2011-12, quando um grupo de velejadores se apaixonou pelo evento. Isso aumentou ainda mais a nossa satisfação em receber a maior regata do planeta”, comemora o atleta olímpico e capitão do IST Marcelo Gusmão Reitz. De acordo com o coordenador Gastão Furlin, o IST é um dos poucos times de vela no Brasil, se não o único, que leva o nome do município onde está sediado. “Esse motivo em especial fez com que tomássemos a iniciativa de participar desse momento tão marcante que foi a chegada dos vencedores em Itajaí”, afirma. O próximo desafio do Itajaí Sailing Team será a 45ª Semana de Vela de Ilhabela, considerado o maior even-

to náutico da América Latina, de 20 a 28 de julho no Yacht Club Ilhabela (YCI). Em 2017, a competição reuniu 123 barcos e 900 velejadores do Brasil, Chile e Argentina e de cinco estados brasileiros. “A nossa estreia na Semana de Vela foi em 2015, quando obtivemos a segunda colocação na categoria ORC. No ano seguinte fomos vice-campeões na categoria IRC e em 2017 alcançamos a terceira colocação. Neste ano vamos para ganhar”, garante o manager do IST Alexandre Antônio dos Santos. Assim como nas edições anteriores, os velejadores também devem ministrar palestras em escolas ou instituições assistenciais e desenvolver outras ações sociais na cidade.

atleta com os pais, o campeão olímpico Torben Grael, considerado o maior velejador do Brasil, e a ex-velejadora Andrea Grael, campeã brasileira de Laser. Martine foi recebida por Torben e Andrea a bordo do veleiro do Itajaí Sailing Team, que já pertenceu à família Grael, o que agregou ainda mais emoção ao momento.

3ª colocada na Volvo Academy Na disputa da Volvo Academy, miniregata da categoria Optimist (iniciante) para crianças até 15 anos, a equipe do Team Akzonobel, que contou com a participação de Brenda Furlin, velejadora mirim do Itajaí Sailing Team (IST), terminou em terceiro O primeiro lugar

Um dos momentos mais inesquecíveis para quem acompanhou a Volvo Ocean Race em Itajaí foi a chegada do Team Akzonobel, que tem como integrante a brasileira Martine Grael. Medalha de ouro nos Jogos Rio 2016 e atual campeã mundial na classe 49er FX, junto com a parceira e proeira Kahena Kunze, Martine é a única velejadora brasileira da competição. A equipe holandesa terminou em terceiro a etapa e teve uma chegada triunfal na Vila da Regata. “Esse percurso foi muito difícil fisicamente falando, com bastante frio, vento e condições adversas no mar. Portanto, estou imensamente feliz com o resultado que obtivemos”, celebrou. O ponto alto foi o reencontro da

Itajaí É l 2018

ficou para o Team Vestas e a segunda colocação para o Team Mafre. Ao todo, 32 crianças de Itajaí e Florianópolis participaram da competição e representaram cada uma das sete equipes integrantes da regata Volta ao Mundo. “Foi uma experiência inédita velejar em equipe e gostei muito, pois neste caso não é somente o meu desempenho que conta, mas de todos os integrantes. Isso faz com que o resultado não dependa apenas de mim”, conta a velejadora de 14 anos. Na opinião de Ricardo Navarro, gerente de operações náuticas da Volvo Ocean Race, o evento novamente foi um grande sucesso e de um nível técnico altíssimo. “Mais uma vez Itajaí provou que Optimist, vela e desenvolvimento estão aqui mesmo”, afirma.


48 NDivulgação

minha cidade l

cartão-postal

l

galeria

l

urbe

l

economia

l

empreendedores

l

educação

l

turismo

l

esporte

l

cultura

l

perfil RIC

homenagem em Paris Aos 17 anos, o tenista Mateo Reyes conseguiu um grande feito em um dos mais importantes templos do tênis mundial. Ele foi homenageado no início de junho na quadra central de Roland Garros, em Paris, pela conquista do Junior Wild Card Competition, campeonato organizado pelo torneio e que contou com duas etapas. A primeira foi realizada no Brasil, em Minas Gerais, e foi vencida pelo atleta da ADK Tennis, que repetiu o feito no triangular realizado em Paris. Atual 164º do mundo no

Jogos Escolares em Agosto Atenção, escolas! A 26ª edição dos

estadual e nacional”, celebrou Eurico.

Jogos Escolares de Itajaí e 11ª edição

A outra medalha foi de Matheus

ranking juvenil, Mateo derrotou o indiano

dos Jogos Escolares Paradesportivos

Roberto Pereira, de 16 anos, no judô

Siddhant Banthia (72º) por um duplo 6/3 e

de Itajaí serão realizadas entre 22 e

até 66 quilos. Ele enfrentou o atleta da

passou pelo chinês Zhou Xinmu (228º) por

31 de agosto. As fichas de inscrição e

casa na final e perdeu o ouro por uma

6/4 6/2. Com as vitórias o tenista garantiu

regulamentos estão disponíveis no site

punição da arbitragem. “Os resultados

vaga para ingressar na chave principal na

da Fundação Municipal de Esportes

mostram que o esporte catarinense

categoria Junior de Roland Garros.

e Lazer (www.fmel.itajai.sc.gov.br).

e de Itajaí estão no caminho certo”,

Nascido no Equador e naturalizado

Os jogos reúnem mais de dois mil

elogiou Marco Antônio Otávio, técnico

brasileiro, Mateo treina na ADK há dois anos

estudantes da rede pública e particular

de judô da FMEL.

e a passagem por Roland Garros serviu

nas modalidades de atletismo,

de transição da categoria júnior para a

basquete, futsal, handebol, tênis de

Vice no Bolão 23

profissional. O atleta já retornou aos treinos

mesa, voleibol e xadrez.

Os Jogos Abertos da Terceira Idade,

em Itajaí e começa a se preparar para

realizados em Rio do Sul, foram

disputar os primeiros torneios profissionais

Medalhas no Mundial

especiais para a equipe itajaiense

a partir de julho.

A edição 2018 do Gymnasiade, maior

feminina do bolão 23, que conquistou

“O Mateo tem um potencial muito alto e,

evento de desporto escolar do mundo,

o vice-campeonato. ‘Por detalhes

do ponto de vista técnico, trabalha bem

foi realizada em Marrocos e reuniu

deixamos escapar o título para o time

com todos os golpes”, analisa o treinador

quatro mil atletas com idade entre 15

da cidade sede”, contou o técnico

Patrício Arnold. “Agora começa a fase de

a 18 anos. Os representantes de Itajaí

Fernando Reinert. O JASTI reuniu

transição, período essencial de evolução

fizeram bonito e Eurico Schopchaki foi

172 municípios e cerca de dois mil

mental e física para que possa enfrentar

bicampeão na categoria Shiai Kumite

participantes com idades a partir de

um nível ainda maior de competição. É uma

55 quilos. “Eventos como este nos

60 anos, que disputaram oito

fase crítica, de um ou dois anos, para que

permitem ver o que existe de melhor no

modalidades. Itajaí participou com

o tenista esteja apto a ingressar em um

planejamento para enriquecer cada vez

12 atletas de bolão 23 (masculino e

circuito bem mais duro. Mas o Mateo tem

mais o nosso trabalho a nível municipal,

feminino) e canastra (feminino).

tudo para evoluir como profissional”, afirma.

ITAJAÍ É l 2018


50

minha cidade l

cartão-postal

l

galeria

l

urbe

l

economia

l

empreendedores

Itajaí É l 2018

l

educação

l

turismo

l

esporte

l

cultura

l

perfil RIC


51 NVictor Carlson

O rei está Nu O humor inteligente e irreverente do grupo Hipócritas conquista seguidores em todo o país Fruto do movimento de contracultura que nasceu juntamente com as recentes manifestações populares, o trabalho do trio de Itajaí alavancou quando uma maioria silenciosa passou a expor suas posições em contraponto ao discurso hegemônico vigente há décadas no Brasil. Com humor ácido e politizado, os Hipócritas conquistaram espaço na internet e já contam com mais de 300 mil seguidores no YouTube. O projeto surgiu durante a Copa do Mundo 2014, realizada no Brasil. “A ideia era fazer esquetes de humor satirizando o cotidiano e a hipocrisia em todos os setores da sociedade”, relembra o ator Paulo Vitor Souza. O canal no Youtube, no entanto, se arrastou durante alguns anos. A entrada de Bismark Fábio Fugazza e Augusto Pires Pacheco foi o apoio que Paulo precisava para alavancar a ideia. Bismark, que é empresário, chegou colocando gás no projeto e dando suporte para viabilizar as produções. Já Augusto, que é muito ligado à música, tem forte veia artística. Os três souberam juntar os esforços e os respectivos talentos para produções cada vez melhores. Como resultado, nos últimos dez

meses o canal saltou de oito mil inscritos para 325 mil. São publicados até três vídeos novos por semana, o que é uma missão difícil, já que as esquetes precisam ser factuais e, claro, agradar permanentemente o público. “A produção ainda é caótica, com muito improviso e criação na hora da gravação. Mas basta uma ideia e tudo se desenrola”, revela Paulo, responsável pelos textos. “Os roteiros são crônicas de determinadas situações e a piada surge muitas vezes apenas com um olhar”, complementa Augusto. Para melhorar a produção, o grupo tem investido no uso de chroma key (fundo verde) e em equipamentos de iluminação. “Com o tempo fizemos aquisições simples e com muito suor alcançamos esse resultado”, comemora Augusto. A maioria das gravações acontece na casa de dele, mais especificamente em uma sala transformada em estúdio, mas algumas cenas são realizadas externamente. Para isso, o trio conta com a colaboração de inscritos no canal para acertar locações como em uma farmácia. “O que precisamos no vídeo é só uma referência que dá a impressão de estarmos em algum lugar”, explica Paulo. O grupo foca bastante no noticiário e nas repercussões mais evidentes da internet para bolar os vídeos, sendo que pelo canal eles também recebem muitas sugestões de roteiros. “É fácil ver um discurso hipócrita embutido nos assuntos. E não tem lugar melhor para expor a hipocrisia do que na política, onde ela é reinante”, afirma Augusto. itajaí É l 2018

Os hipócritas também fazem uma posição firme em relação aos valores da sociedade. “Somos cristãos e temos um posicionamento de defesa de valores. Portanto, usamos os vídeos para denunciar tudo aquilo que fere o que consideramos como inviolável. Isso vai além da política e envolve assuntos como desarmamento, educação das crianças e muitos outros temas”, comenta Paulo. “Existem canais que são muito ruins não no sentido técnico, mas pela péssima mensagem. Eles desvirtuam e são extremamente hipócritas. Nós criticamos, por exemplo, a forma como lidam com assuntos destinados às crianças”, diz Augusto. O grupo também recebe muitas denúncias dos inscritos no canal alertando para publicações com apologias questionáveis e viés ideológico. “Nós estamos na contramão dos canais progressistas. Nossa vertente é mais conservadora e na defesa de valores”, defende Paulo. Outro foco é contra o politicamente correto. “É um discurso de grupos minoritários e que estabelecem normas de enquadramento da opinião. Eles ficam amarrando todo mundo com um discurso que tolhe a liberdade de expressão, mas não somos reféns dessa turma”, avisa Paulo. O trio, inclusive, já produziu dezenas de vídeos satirizando a hipocrisia desses grupos. “Eles são auto-contraditórios! Falam em desarmamento, mas são os primeiros que ameaçam pegar em armas. Reclamam da corrupção, mas defendem o estado inchado. O discurso dessa gente é tão absurdo, que basta


52

NVictor Carlson

Augusto e Paulo, do grupo Hipócritas, ganham seguidores diariamente com um trabalho de contracultura que expressa o sentimento de milhões de brasileiros

reproduzir a situação para expor a hipocrisia”, analisa Augusto. A postura tem chamado bastante atenção na internet. “Há muito tempo não existe contraponto em nossa sociedade e estamos colaborando com essa onda liberal-conservadora. Estamos fazendo barulho e incomodado o mainstream instalado e que se acha dono do pedaço”, analisa Augusto. Os Hipócritas, desta forma, estão usando a arte e o bom-humor para mobilizar a sociedade em um movimento de contracultura cada vez mais forte. “Ajudamos a abrir esse caminho da contestação que cresce no Brasil. Começamos a expor opiniões para uma massa silenciosa e que engolia o discurso hipócrita de uma minoria barulhenta. E agora que há um contraponto essa turma vem com o argumento dissimulado de que existe polarização e radicalização”, critica Paulo. Grande parte do sucesso está justamente na capacidade de apontar

o óbvio. “Há um conto sobre um rei enganado por seu alfaiate, que convence o soberano a usar uma roupa transparente que somente as pessoas inteligentes poderiam ver. A notícia se espalha e, como ninguém quer passar por burro, todos elogiam a roupa do rei. Até que aparece uma criança e aponta que o rei está nu”, conta Paulo. Os Hipócritas ganham curtidas e seguidores diários, pois têm a coragem de expressar o sentimento de milhões de brasileiros. “Hoje fazemos parte desse movimento que vê a atual conjuntura social e aponta que o rei está nu. Muita gente já via isso, mas não encontrava pessoas que expressassem esse sentimento. Cutucamos assuntos em que alguns ainda defenderão que a roupa do rei é linda e ficarão incomodados com a verdade. Esse é o papel dos Hipócritas”, argumenta Paulo. Como consequência, o grupo vem enfrentando uma censura velada do “foicebook” (como eles se referem ao Facebook), Itajaí É l 2018

que reduziu acintosamente o alcance da página, expondo uma postura nitidamente progressista, como admitiu recentemente Zuckerberg em audiência no senado americano. “Mas o nosso trabalho continua e a meta é alcançar um milhão de inscritos no canal do Youtube até o final do ano”, espera Paulo. O grupo também tem publicado vídeos apostando na defesa da cultura com qualidade e bom gosto. “Não trabalhamos somente com humor. Temos vídeos de monólogos sobre sentimentos, como a literatura de cordel sobre a Páscoa, que fez muito sucesso”, diz Augusto. A aceitação nos comentários mostra que o trio está no caminho certo. “Tem gente que escreve dizendo que nós fazemos rir, mas também fazemos chorar”, comemora Paulo. “A ideia é mostrar uma nova cultura com qualidade e livre, que foge da mediocridade atual, e dar opção para que as pessoas possam romper essa barreira”, finaliza Augusto.


CANAL 27

DIGITAL 27.1


54

minha cidade l

cartão-postal

l

galeria

l

urbe

l

economia

l

empreendedores

l

educação

l

turismo

l

esporte

l

cultura

l

perfil RIC

Arranha-Céus w Balneário Camboriú

Itajaí É l 2018


55 NAcervo do artista / Marcio Pessoa (Divulgaçao)

Fluidez no olhar O merecido Reconhecimento mundial do trabalho do fotógrafo alfabile alavanca curta carreira A trajetória do catarinense Alfabile Santana é reflexo de um fenômeno recente dos profissionais que começaram a registrar suas imagens com smartphones. A popularização

Atraídas pelo sol w Praia Brava

dos aparelhos viabilizou aos usuários a possibilidade também de fotografar. “Comecei com celular sem qualquer

recentemente o catarinense participou

recursos para comprar filtros ou tripé.

pretensão, mas logo me dei conta que

de uma exposição coletiva em Niterói

“Eu apoiava o aparelho em qualquer

fotografava demasiadamente. Fazia

(RJ). “Faço parte de um grupo do

lugar. Mas dizem que um fotógrafo sem

mais de 100 fotos por dia”, revela

Facebook que lança desafios semanais.

tripé é um cara cheio de histórias para

Alfabile, que sempre explorava as

Os seguidores pontuam as fotos e

contar, pois é preciso se virar”, garante.

diferentes câmeras disponíveis nos

fiquei entre os melhores”, comemora.

Foi essa necessidade de encontrar o

smartphones que adquiria.

Agora a exposição segue para a capital

melhor resultado com poucos recursos

A publicação das imagens na internet

fluminense e depois para Petrópolis.

que moldou o olhar apurado do fotógrafo,

despertou o interesse em se aprimorar

Alfabile fotografa há pouco mais de

que já colhe os resultados mesmo com

ainda mais na fotografia. “Todo mundo

quatro anos, sendo boa parte desse

uma curta trajetória. Ele teve uma foto

elogiava minhas fotos e foi quando percebi

período usando smartphones e sem

publicada na National Geographic de

que fazia um trabalho diferenciado”,

Portugal (veja na página seguinte),

lembra. Autodidata, estudou o métier em

na Photography Week nos Estados

diferentes sites. Ele trocou os smarphones

Unidos (imagem acima), na Landscape

por um equipamento profissional e foi

Photography Magazine, na Fotografe

criando uma identidade visual que virou

Melhor aqui no Brasil e muito mais.

sua marca registrada em fotografias com

Alfabile vende suas fotos com

cores vibrantes, belas paisagens e uma

impressão no método “Fine Art”

pós-produção voltada para trabalhos

com foco na fotografia outdoor,

mais artísticos.

arquitetura&decoração e em um

Outro acerto de Alfabile foi a divulgação

projeto particular chamado “Fluidez”.

no ambiente online. Ele participa de

“Amo fotografar e agora tenho metas

mais de cem grupos de fotografia em

ambiciosas. Já conquistei muito em

todo o mundo. O esforço e a qualidade

apenas quatro anos e posso vislumbrar

das imagens deram resultado e

Alfabile acertou na divulgação do trabalho Itajaí É l 2018

muito mais”, aposta.


56

Fluidez w Praia Brava

Pescariaw Foz do Rio Itajaí-Açu

Saiu na National Geographic “Fiz essa foto em 2016. Era uma manhã nublada e eu estava testando um celular Galaxy S7. De repente o tempo deu uma melhorada rápida. Sem qualquer pretensão me aproximei da pescadora para aproveitar a saída do navio. Após publicar na internet vi que o pessoal gostou muito. Dias depois recebi uma mensagem da National Geographic de Portugal pedindo Fluidez w Vista da Praia de Cabeçudas

autorização para publicar a foto. Li três vezes, pois não acreditei! Quando recebi a revista pelos Correios foi uma grande emoção!”.

Itajaí É l 2018


57 NAcervo do artista

Fine Art of Architecture w Bal. Camboriú

Mobile Fine Art w Itajaí

Projeto Paisagens w Praia de Cabeçudas

Itajaí É l 2018


58

minha cidade l

cartão-postal

l

galeria

l

urbe

l

economia

l

empreendedores

l

educação

l

turismo

l

esporte

l

cultura

l

perfil RIC

Salão Nacional de artes retorna Realizado pela última vez em 2013, o Salão Nacional de Artes está de volta e com mais de 420 inscritos de todo o Brasil. “Atraímos o interesse de pessoas dos cantos mais remotos”, comemora a coordenadora Ângela Peyller. Desse total, 35 artistas foram selecionados para a mostra que tem como tema “Territórios”. “Não é só a questão do espaço, mas o território do outro, da habitação, do corpo. Essa é a poética da mostra”, explica Ângela. O evento priorizará a promoção da

cultura nos bairros Um dos principais programas culturais

audiovisual. A patinação artística e o

arte contemporânea. “Existem várias

de Itajaí está em pleno funcionamento

coro infantil são duas novidades e as

formas de expressão artística e por

e atendendo mais de duas mil crianças

crianças participantes se apresentarão

isso não trabalhamos mais somente

em todos os bairros da cidade. E um

durante o II Natal EnCanto.

com pintura. O Salão está mais voltado

detalhe importante: mesmo com

De acordo com Normélio Pedro

para as artes visuais contemporâneas,

menos recursos, o Arte nos Bairros está

Weber, superintendente da Fundação

pois é basicamente o que temos hoje

contemplando neste ano um número

Cultural de Itajaí, o projeto mantém as

no Brasil. Mas a arte evolui e tudo é

maior de pessoas. O resultado positivo

crianças ocupadas e ajuda a reduzir

permitido na arte contemporânea,

é decorrente de uma gestão que está

a criminalidade. “Estamos criando

como a performance de corpo”, conta a

utilizando a estrutura já existente na

uma perspectiva para elas, com

coordenadora.

Fundação de Cultura. Desta forma,

qualificação e inserção social. É um

A principal ação do evento será

os recursos disponíveis estão sendo

programa pelo qual tenho o maior

trabalhar a educação das crianças.

direcionados exclusivamente para os

carinho”, relata Normélio. Para Hilda

“Vamos estimular a compreensão da

salários dos 32 professores e para a

Carolina Deola, coordenadora do Arte

arte contemporânea nas crianças e nos

compra de material. Além disso, não

nos Bairros, as aulas realizadas nas

adolescentes, pois eles serão o futuro

é necessário pagar aluguel pelo local

localidades distantes criam ainda mais

público”, defende Ângela.

das aulas e as atividades estão sendo

engajamento das pessoas. “Os pais

“Temos muitas pessoas que ainda

realizadas em centros comunitários,

adoram! Quanto mais para o interior,

não estão acostumadas com a arte

escolas, paróquias e até em imóveis

mais empolgados ficam os envolvidos.

contemporânea e isso gera muita

particulares.

Eles abraçam o projeto com muito

polêmica no Brasil. Portanto, se não

Ao todo são 18 cursos de formação

carinho e pedem para que a iniciativa

houver um bom entendimento e uma

que atendem principalmente crianças

não acabe nunca”, comemora Hilda.

boa decodificação fica aquela coisa meio

e adolescentes em 55 polos, com

Os cursos começaram em abril e

estranha. Portanto, a arte-educação

disciplinas nas áreas de música, artes

seguem até novembro. Em alguns deles

serve para desenvolver nos jovens esse

visuais, artesanato, teatro, dança e

ainda são aceitos novos alunos.

sentido artístico”, garante.

ITAJAÍ É l 2018


59 NJames Lourenço (Divulgação) / Divulgação / Marcos Porto (Divulgação)

Festival de Música Considerado um dos mais importantes encontros de música do Brasil, o Festival de Música celebra a 21ª edição entre os dias 31 de agosto a 8 de setembro. Neste ano a programação começará mais cedo e as inscrições para as oficinas abrem em julho. Haverá maior número de opções para atender diversas demandas dos participantes e a quantidade de oficinas passa de 32 para 40. “Em 2017 tivemos mais de 400 inscritos e resolvemos atender muitas das sugestões enviadas. Criamos oficinas inéditas, como a de produção musical de show e de

II Natal Encanto

iluminação. Com isso passaremos a atender profissionais não ligados diretamente com a música e esse será outro diferencial dessa edição”, explica

A emoção que tomou conta da

Duas novidades devem fazer grande

Arnou de Melo, coordenador do Festival

população com o Natal EnCanto de

sucesso nesta segunda edição e

de Música de Itajaí.

2017 transformou o evento de Itajaí na

atrair ainda mais interessados. Um

maior referência de festividade natalina

túnel de luz de 150 metros cobrirá

em Santa Catarina. Lembrando muito

a Praça Arno Bauer com imagens

o Natal realizado tradicionalmente

que mudarão conforme a música

em Gramado, o coro com 600 vozes,

tocada, tendo como modelo uma

a chegada do Papai Noel de barco, o

estrutura instalada em Paris. Também

encontro com as crianças no Mercado

haverá apresentações diárias de

Público e o cortejo pelo calçadão

corais infantis a partir das janelas

da Rua Hercílio Luz foram alguns

da Casa da Cultura e do Palácio

Já os shows terão o mesmo formato do

destaques do evento. O sucesso foi tão

Marcos Konder, nos moldes das

ano passado. O evento também manterá

grande que a Codetran teve que fechar

apresentações tradicionalmente

a intensa maratona das atividades diárias,

a circulação de carros na Avenida

realizadas no centro de Curitiba (PR).

com início às 8h30. As oficinas, hora da

Coronel Marcos Konder.

“No ano passado ficamos sem fôlego,

sineta e música na praça acontecem

Para este ano a estimativa é que

pois nem tínhamos ideia que iríamos

no espaço da Casa da Cultura, além de

mais de 90 mil pessoas assistam

atrair tantas pessoas. Agora temos

grupos de percussão e instrumentos de

aos espetáculos em frente a Igreja

a experiência da primeira edição e

sopro que se apresentam em diversos

Matriz durante os dez dias do Natal

incrementaremos ainda mais a festa”,

bairros da cidade. De noite será a vez

EnCanto. “O evento se transformou

garante Normélio.

da hora do show no Teatro Municipal,

em parada obrigatória e que tem

seguido pela roda de choro no Mercado

tudo para se tornar uma grande

Público, que se estenderá até o inicio da

e tradicional atração turística na

madrugada. Haja fôlego!

região”, afirma Normélio Pedro Weber,

Depois acontecerão os shows de grupos

superintendente da Fundação Cultural

convidados e Big Bands no Mercado

de Itajaí. “No ano passado, metade das

Público, seguidos em dias alternados pela

placas de carro era de outras cidades.

roda de Choro e Jam Session. Garantia

O espetáculo foi tão bom que a notícia

de ótima diversão para quem prestigiar a

se espalhou”, celebra.

extensa programação do Festival. ITAJAÍ É l 2018


60

NMariá Zabote/Divulgação

minha cidade l

cartão-postal

l

galeria

l

urbe

l

economia

l

empreendedores

l

educação

l

turismo

l

esporte

l

cultura

l

perfil RIC

Arnou de Melo

50 anos de harmonia As cinco décadas de uma vida dedicada à música e à cultura de Itajaí serão celebradas com o lançamento de “Monções”, terceiro disco de Arnou de Melo. O trabalho já está quase finalizado, faltando apenas a etapa da masterização. A obra terá oito composições instrumentais de Arnou, sendo que as músicas foram gravadas com uma banda formada por amigos catarinenses e parceiros de várias jornadas. As composições refletem as histórias de vida do artista e fazem diferentes homenagens, entre elas, aos pescadores e a Praia do Atalaia. “São composições que falam de Itajaí. É um pensamento meu sobre as questões da vida inspirado na dinâmica cotidiana que temos”, conta. O nome do trabalho, “Monções”, remete às estações do ano e questões dos tempos bons e dos tempos mais difíceis. “Monção é a designação dada aos ventos sazonais que alternam a estação das chuvas com a estação das secas. A vida da gente também é assim, alternando tempos duros e amenos. E quem tem uma história sabe que é preciso aprender a perceber, aceitar e se adequar a esses momentos”, explica. As músicas que fazem parte do disco foram apresentadas por Arnou e mais dois colegas em uma turnê pela Europa no ano de 2016. Na ocasião ele tocou no “Torino Jazz Festival”, um dos mais importantes encontros europeus de jazz, como na foto desta página. O evento aconteceu na linda Galleria Subalpina, um edifício histórico de 1874. Detentor de um vasto currículo, o que inclui a formação pelo Bass Institute of Technology do Musicians Institute de Los Angeles, atualmente Arnou trabalha como gerente de apoio à diversidade cultural pela Fundação de Cultura de Itajaí; como professor no Conservatório de Música; e como coordenador do Festival de Música e do espetáculo Natal EnCanto, além de desenvolver o seu trabalho como músico. De onde ele tira tanta energia? “A música ajuda a conservar a gente!”, se diverte. Parabéns pelos 50 anos de carreira!

itajaí É l 2018


62

minha cidade l

cartão-postal

l

galeria

l

urbe

l

economia

l

empreendedores

l

Itajaí É l 2018

educação

l

turismo

l

esporte

l

cultura

l

perfil RIC


63 NVictor Carlson

a nova voz da cidade O APRESENTADOR Calebe Moreno assume o comando DO BALANÇO GERAL com ainda mais dinamismo, informação e participação do telespectador Para comandar a recente fase do Balanço Geral, com um jornalismo ainda mais dinâmico e interativo, o Grupo RIC conta com o carisma e experiência do apresentador Calebe Moreno. O jornalista tem ampla vivência em rádio e na televisão, com passagens por quatro emissoras como repórter e apresentador. De acordo com Calebe, o programa tem uma dinâmica diferente de um jornal produzido atrás da bancada. “A proposta é adotar um formato ainda mais próximo da população, com um jornalismo mais aberto e com mais opinião do telespectador”, analisa. “Além disso, agora contamos com tecnologias como o mochilink, que permite a participação de repórteres ao vivo com muito mais imediatismo”, conta. No Balanço Geral a proximidade com o público é o principal mote do programa. Para isso, a produção trabalha bastante com as mensagens e a interação por meio de ferramentas da internet. “Logo na abertura, quando relaciono os assuntos da edição, o público já começa a participar”, explica Calebe. Desta forma, o telespectador que antes só assistia

passivamente aos programas de televisão, agora quer interagir. “As pessoas se sentem como integrantes do programa, podendo opinar, sugerir pautas e colaborar com a equipe de jornalistas. Temos grande penetração na comunidade de Itajaí e gera uma enorme satisfação nos telespectadores quando suas participações entram ao vivo”, relata. O apresentador está dividindo a apresentação do Balanço Geral com a jornalista Bruna Radtke, mas essa não a primeira vez que a dupla trabalha junto. Há nove anos eles tiveram suas primeiras experiências na televisão em um programa transmitido por um canal fechado de TV. “Dividimos um jornal no formato de bancada. Foi um período muito legal e de grande aprendizado. O Calebe é uma pessoa fácil de trabalhar e temos ótima sintonia, o que é bastante necessário em um jornal ao vivo”, opina Bruna, há sete anos no Grupo RIC. O reencontro no Balanço Geral também deixou Calebe bastante feliz. “Foi muito bacana trabalhar com a Bruna, sempre tivemos grande amizade e tudo isso facilita na hora do programa”, elogia.

Itajaí É l 2018


64

NGuma Miranda (Divulgação) / Divulgação / Marco Santiago (ND) / Divulgação

grande Cobertura Uma novidade tecnológica permitiu a realização de uma cobertura ainda mais especial durante a passagem da Volvo Ocean Race por Itajaí. O chamado mochilink, equipamento que cabe em uma pequena mochila, possibilitou maior movimentação da equipe responsável pelas transmissões ao vivo da competição. “O mochilink dá um dinamismo enorme nas transmissões, garantindo qualidade e

lounge do Grupo RIC marca presença na Volvo

variedade em nossa cobertura”, conta Marcelo Nunes, jornalista responsável por mais de 15 horas de transmissões

O Grupo RIC esteve presente na Vila da Regata com um amplo lounge que recebeu diversos convidados da região do litoral norte catarinense. Vários colegas do Grupo RIC de Florianópolis, Blumenau e Joinville prestigiaram o momento. Com DJ, telão

ao vivo para a programação local e

e coquetéis, as equipes da

regional da RIC.

emissora confraternizaram com

O sucesso do trabalho realizado pela

o público do evento, parceiros

RIC na Volvo Ocean Race também

comerciais e representantes do

foi resultado da competência do

poder público de Itajaí. “Foi uma

apresentador Marcelo Nunes. Foi um

ótima oportunidade de conhecer

desafio e tanto, afinal, não é qualquer

pessoas que trabalham nas outras

jornalista que segura dezenas de

sedes e a direção da empresa”,

entradas ao vivo realizadas nos

conta satisfeito o apresentador

programas da RIC de Itajaí, Blumenau

Marcelo Nunes, responsável pelos

e Florianópolis. “Na transmissão ao

programas transmitidos ao vivo ou

vivo é preciso cativar a audiência e

gravados no lounge. Na ocasião,

ser dinâmico. É importante passar a

o Grupo RIC, representado por

informação sem ser muito burocrático e

Silvano Silva, diretor regional

saber conduzir as entrevistas”, explica.

da RICTV, recebeu uma placa

Essa foi a terceira cobertura da

comemorativa de agradecimento

competição realizada pelo jornalista.

pela divulgação da regata das

“A Volvo é uma competição de ponta.

mãos do prefeito de Itajaí Volnei

Seria como um grand slam da vela, se

Morastoni e do secretário municipal

comparada com o tênis, e a cobertura

de Turismo Evandro Neiva.

foi muito bacana. Sem dúvida uma enorme experiência”, celebra. Itajaí É l 2018


REGIONALISMO , Esta e a nossa marca.

A RICTV | RECORD TV OFERECE AOS MORADORES DA REGIÃO DE ITAJAÍ DUAS HORAS POR DIA DE COBERTURA REGIONAL. SOMOS A EMISSORA CATARINENSE QUE VALORIZA CADA REGIÃO, CADA SOTAQUE E CADA CULTURA.


Quem chega a Itajaí percebe um clima diferente. O orgulho de viver aqui é visto no olhar de cada cidadão, de cada pessoa que ama essa cidade e trabalha para que ela fique melhor a cada dia que passa. • Praias de beleza exuberante. • Tradições locais preservadas e festejadas. • Expansão do porto, aumentando sua capacidade e aquecendo a economia. • Abertura do CIS, para trazer mais saúde de qualidade a mais pessoas. • Ampliação do número de vagas em creches. • Fortes investimentos em infraestrutura em toda a cidade. • Sede latino-americana da Volvo Ocean Race, maior regata do mundo.


itajai.sc.gov.br

Lei nº 6.678. Veículo: Revista Itajaí É (Editora Notícias do Dia Ltda / CNPJ: 00.481.841/0001-68) - 1 Inserção de anúncio sequencial página dupla + página simples (contracapa): R$ 40.000,00.


itajai.sc.gov.br

Itajai É nº 7  
Itajai É nº 7  
Advertisement