Page 1

Imagem ilustrativa do pôster oficial da Copa do Mundo de 2014 da Fifa

Jornal Laboratório da Universidade Federal do Piauí 2013.2 N° 2

UFPI - DCS

Teresina, Piauí, Março de 2014

A Copa do Mundo será nossa!

Além da festa que acontecerá na Copa, ficará como legado toda a infraestrutura e geração de empregos. Os estádios serão utiliza� �������� dos para eventos culturais e para as Olimpíadas de 2016. Pág. 03

HISTÓRIA DAS COPAS

EDUCAÇÃO

As edições que ficaram na memória

Copa provoca mudança no calendário escolar

Iniciada em 1930, a caminhada do Brasil nas Copas é repleta de histórias que nos emocionam, passando pela desilusão de 50 e pela glória de 70.

A Copa pode aumentar o recesso nas escolas que terão folga nos dias dos jogos, mas as mesmas devem cumprir a carga horária de 200 dias letivos conforme lei.

Pág. 15

TURISMO

Destinos internacionais ficam mais populares

Pág. 11

Para quem procura tranquilidade e quer ficar longe da agitação da Copa, as viagens ao exterior chamam a atenção pelos preços mais baixos comparados a outros períodos.

OPINIÃO

“As manifestações provaram que o povo pode transformar o país, mas a grande maioria da população não conhece o poder que tem nas mãos”. Leia o artigo “O Gigante é sonâmbulo” assinado por André Luis Santos. Pág. 02

Pág. 13

ESPORTE

TABELA

Acompanhe as datas dos jogos no País

Cronistas analisam possível escalação

Segundo especialistas, o piauiense Rômulo poderia ser titular na Seleção, mas sofreu uma contusão seguida de uma cirurgia malsucedida e ficou em situação incerta.

Pág. 09

Edição: 16 páginas // Fechamento: Fevereiro de 2014 // Departamento de Comunicação Social: (86) 3215-5965 // Site: www.ufpi.br

Pág. 05


2

Opinião

Índice

Teresina/ Piauí Março de 2014

Editorial

Esportes Pág. 03, 04 e 05

Cidades Pág. 06 e 07

Tabela Págs. 08 e 09

Economia Págs. 10

Educação Pág. 11

Saúde Pág. 12

Turismo Pág. 13

Na Torcida Pág. 14

História das Copas Ensaio

Pág. 15 Pág. 16

Expediente UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ - UFPI

Reitor Prof. Dr. José Arimatéia Dantas Lopes Vice-Reitora Profª. Drª Nadir do Nascimento Nogueira Departamento de Comunicação Social Chefe do DCS/UFPI Profª. Drª. Jacqueline Lima Dourado Coordenadora do Curso de Comunicação Social - Jornalismo Profª Drª. Ana Maria da Silva Rodrigues

Professores: Elizângela Carvalho e Cantídio Filho Editora-chefe: Ana Valéria Carvalho Editores: Edilberto Marques; André Luís Santos; Andreia Santana; Bárbara Oliveira; Cleópatra Loiola; Daniela Oliveira; Fabrynne Rocha; Carlos Gaeth; Ithyara Borges; Maria Luiza Moreira; Paloma Vieira; Priscila Caldas; Tatiane Ramos Repórteres: André Luís Santos; Andreia Santana; Bárbara Oliveira; Carlos Gaeth; Ithyara Borges; José Almeida Filho; Leiara Sampaio; Maria Luiza Moreira; Matheus Rangel; Paloma Vieira; Priscila Caldas; Rafaella Nunes; Suzana Ribeiro; Talita Portela; Tatiane Ramos

Precisa-se mais do que uma taça

Acontece este ano, pela segunda vez no Brasil, a Copa do Mundo de Futebol. O sentimento do povo brasileiro se divide entre a ansiedade para assistir aos jogos, o amor à pátria em campo e a folia que envolve a maior festa da bola; e os questionamentos acerca das quantias vultosas investidas em estádios e aeroportos em um país que ainda clama por creches, escolas de qualidade, atendimento hospitalar humano, segurança e qualidade de vida. Por um lado, a realização do evento proporcionará melhorias nas áreas de infraestrutura, transporte, serviços públicos em geral. A ampliação dos aeropor-

Artigo

tos suprirá a demanda em nível satisfatório dos usuários do sistema aéreo. A construção de novas avenidas e reparos nas vias já existentes diminuirá os problemas causados pelo fluxo intenso de veículos, especialmente nos horários de pico. Esse tipo de beneficio é de inestimável valor ao país, pois mesmo após o final da Copa do Mundo eles permanecerão úteis, permanentes e eficazes em seu propósito. Afinal as vias e os aeroportos não voltarão a ser como eram antes. A geração de novos empregos e o desenvolvimento do mercado informal ajudarão a mover quantias consideráveis que não

irão para os cofres públicos, mas sim para dentro das casas desses trabalhadores, provendo o sustento da sua família. O jovem que trabalhará junto aos estrangeiros, aprendendo sua língua, auxiliando na sua estadia seja nos hotéis ou nas ruas, abrirá a mente para todas as oportunidades que ele poderá ter pós Copa, esse trabalho temporário servirá de experiência que não será tomada dele quando tudo passar, gerando expectativas e oportunidades futuras, mudando um quadro que há tempos permanece o mesmo. Mas esse momento vai ser só de festas? Deveria, mas não é! É claro que todo bra-

sileiro amaria ser anfitrião de um torneio como este se, após cada jogo nesses estádios de primeiro mundo, ele pudesse sair às ruas para comemorar sem ser assaltado, se ele pudesse encarar essa nação e ver que o amor a essa pátria não vem só nas chuteiras, mas no uniforme inteiro que os governantes deveriam vestir diariamente na partida que decidiria pela vitória de um país completo e preparado. O número de brasileiros envolvidos pela euforia do momento é bem maior do que a quantidade de preocupados com a real situação do país. Afinal, essa maioria de brasileiros está rumo ao Hexa!

O “Gigante” é sonâmbulo André Luis Santos – Graduando em Comunicação Social (UFPI)

A onda de protestos que se espalhou pelo Brasil em junho de 2013, ocorrida inicialmente devido ao reajuste das tarifas do transporte público em São Paulo em R$ 0,20, acabou se levantando também contra os excessivos gastos na construção e reforma dos estádios para a Copa de 2014. Criticado por muitos e defendido pela maioria, os protestos atingiram um dos maiores eventos esportivos do mundo, e ameaçaram a tranquilidade dos organizadores da Copa e das autoridades políticas brasileiras. Após a escolha do Brasil como sede do evento em 2007, o Governo afirmou que o gasto com os estádios das cidades-sede seria de R$ 2,3 bilhões. No início de 2010, o valor já chegava a R$ 5,7 bilhões. Em 2013, o valor das 12 arenas somou R$ 7,6 bilhões, segundo dados divulgados no próprio Portal da Copa

(site criado pelo Governo Federal). A indignação logo tomou conta da população, que vendo os serviços públicos (como saúde e educação) descerem ladeira abaixo no quesito qualidade e o aumento excessivo nos gastos da Copa, saiu às ruas e mostraram sua revolta através de manifestações, em sua maioria pacíficas, e que dividiram a opinião pública. Ao mesmo tempo em que a imagem do Brasil caía no conceito dos diretores da FIFA e do resto do mundo, o país se envaidecia por ver o seu povo nas ruas lutando contra os aumentos na alimentação, no material escolar e, sobretudo, contra o aumento no custo da Copa. O orgulho nacional chegava a níveis que desde os “caras pintadas”, em 1992, não se via por aqui. Muitos afirmaram até que o “gigante pela própria natureza” tinha acordado. Mas

pelo visto ele não acordou verdadeiramente. É como se essas manifestações fossem apenas um lapso temporário de patriotismo. Foi um momento histórico e que até chamou atenção de todo mundo. Mas passado um tempo, poucos são os que se lembram e ainda lutam por esta causa tão nobre. Talvez o “gigante” viva um momento de sonambulismo, um estado em que a pessoa, segundo a Psicologia, pode realizar as mais diversas tarefas, embora ainda esteja em um estado inconsciente. Esse estado de inconsciência está relacionado à capacidade que os brasileiros possuem para mudar a sua própria realidade. As manifestações provaram que o povo pode transformar o país, mas a grande maioria da população não conhece o poder que tem nas mãos, mantendo-se assim inconsciente. Cenas

como a dos protestos em torno dos estádios-sede da Copa das Confederações, durante a realização dos jogos, podem durar muito mais do que o período das competições. Devem durar o tempo todo, à medida que seja necessária uma intervenção da população sobre o país. Resta saber se, na Copa de 2014, os protestos que deram o que falar vão ser na mesma proporção da Copa das Confederações ou se vão durar mais do que os 30 dias de Copa do Mundo. Se quiserem que o “Gigante” acorde verdadeiramente, será necessário mais do que manifestações esporádicas, mas sim protestos que tirem a população do seu comodismo e a coloque de novo à realidade. Ou então iremos permanecer sempre no sonambulismo, realizando as mais diversas manifestações, porém imersos na inconsciência.


Esportes

Teresina/ Piauí Março de 2014

Editora: Priscila Caldas

3

2014

A Copa do Mundo será nossa! Além da festa que acontecerá na Copa, ficará como legado toda infraestrutura e geração de empregos que a mesma produzirá

Este ano, pela segunda vez, o Brasil sediará a Copa do Mundo organizado pela Federação Internacional de Futebol (Fifa). A primeira, em 1950, o país anfitrião disputou a grande final com a seleção uruguaia e bastava um empate para ser o grande campeão. Mesmo com todo favoritismo, o Uruguai venceu a partida, conhecida como Maracanaço, por 2 x 1 e protagonizou um dos dias mais tristes na história do futebol brasileiro. Em 2007, após renúncia da Colômbia à candidatura para sediar a Copa do Mundo de 2014, a Fifa ratificou o Brasil, candidato único, como o país-sede do evento. Com a responsabilidade de sede da Copa do Mundo este ano, o Brasil terá que cumprir as várias exigências impostas pela Fifa, como por exemplo, a modernização dos estádios e a preparação das cidades onde as partidas serão realizadas. Para Herbert Henrique, especialista em jornalismo esportivo, além do país ser merecedor da escolha, o Brasil ficará com outro legado grandioso no que diz respeito aos investimentos em infraestrutura e geração de empregos. Segundo o jornalista, além de servirem como palco para as partidas do mundial, os estádios, após a Copa, serão utilizados para outros eventos culturais e para as olimpíadas de 2016, que acontecerá no Rio de Janeiro, o que justifica o alto investimento do governo nas obras (cerca de R$ 25 bilhões, de acordo com o Portal da Transparência do Gover-

copa2014.gov.br

Ithyara Borges Repórter

Estádio Maracanã no Rio de Janeiro - RJ, em que foi gasto R$ 1,192 bilhão para reforma e onde ocorrerá sete jogos da Copa do Mundo da FIFA no Federal). A população, de maneira geral, será beneficiada com as construções e as reformas feitas para receber os turistas e as seleções participantes do campeonato. “Está uma coisa de cinema a reforma feita no Maracanã. Pare-

ce que você está indo para um shopping center. É um lazer para sua família. Lá você se deleita com lojas, lanchonetes, souvenirs da Seleção Brasileira e das outras seleções para serem comprados”, argumenta. Para Herbert, que apoia Foto: Tatiane Ramos

Especialista em jornalismo esportivo, Herbert Henrique

as manifestações pacíficas, a única preocupação deve estar voltada aos protestos que poderão acontecer durante o evento e mancharem a imagem do Brasil. “Vai haver manifestos novamente. A Dilma vai pegar vaia até terminar a Copa, mesmo daquelas pessoas que estão dentro do estádio. Quem está lá dentro são aqueles que quiseram que a Copa viesse para o Brasil. São pessoas que gostam de futebol, que querem ver a Copa, mas elas vão protestar lá dentro do estádio”, explica. Em enquete realizada com 20 alunos da Ufpi, 13 deles, quando perguntados sobre o que acharam da escolha do Brasil para sediar a Copa, argumentaram

como um gasto desnecessário e apontaram outras prioridades existentes. De acordo com Ronny Borges, recém-graduado em Administração, o país corre o risco de passar vergonha perante a população internacional e afirma que “a copa é um processo muito oneroso para o cidadão e para os cofres públicos de um país que há pouco tempo era um mero subdesenvolvido de carteirinha. A infraestrutura de serviços básicos à população está ainda muito a desejar. Tais recursos poderiam servir para melhorar a qualidade da educação, saúde, estrutura urbana das cidades e combater, preventivamente, o uso e tráfico de drogas”, finaliza.


4

Esportes

Teresina/ Piauí Março de 2014

Editora: Daniela Oliveira

Orçamento

Estádios da Copa do Mundo custam 66% a mais do previsto Por outro lado, esses investimentos representam uma transformação radical no potencial esportivo e estrutural do país José Alves Repórter A Copa do Mundo de 2014 é um evento global, que vai reunir no Brasil, toda a elite do futebol mundial. Mas o evento não chama atenção só por isso. Os gastos com a construção e reforma dos estádios em que acontecerão os jogos têm assustado toda a população do país, sobretudo, pelo volume de recursos aplicados nas obras que preveem uma conclusão tardia. Em números, os valores já ultrapassaram 66 % do previsto na matriz de responsabilidade assinada em 2010, mesmo com a contrapartida de governos estaduais e Parcerias Público-Privadas (PPPs). Traduzindo isso em números exatos, estimava-se inicialmente que esses projetos custassem R$ 5,3 bilhões, mas não foi o que aconteceu e o número já alcançou exatos R$ 8,9 bilhões meses antes da conclusão. As informações são do último balanço realizado pelo Ministério do Esporte e divulgado dezembro do ano passado. Segundo a pasta, o estádio mais caro é a Arena Fonte Nova, em Salvador (BA). O projeto foi orçado inicialmente em R$ 591,7 milhões, mas já consumiu recursos na ordem de R$ 689,4 milhões. Somando a contrapartida, o número sobe para espantosos R$ 1,6 bilhão, o que representa 172 % além do orçamento inicial. Em segundo lugar, o estádio Mané Garrincha,

Em destaque: Arena Fonte Nova, em Salvador (BA), logo abaixo da esquerda para direita: Mineirao, em Belo Horizonte (MG) , e o Estádio Mané Garrincha (DF).

Erik Sales BAPress Danilo Borges / Portal da Copa

Portal da Copa

em Brasília(DF), também elevou seus gastos excessivamente. Já custou R$ 1,4 bilhão, sem mencionar os R$ 350 milhões gastos em obras ao redor do estádio pelo governo do Distrito Federal. O orçamento inicial estimava R$ 745,3 milhões, mas a execução da obra custou 88% acima desse valor. As justificativas são diversas para cada caso. Mas o estádio conta com uma

estrutura diferenciada. Contará com dois túneis subterrâneos que levarão os torcedores do estádio ao Parque da cidade, Sara Kubitscheck, e ao Centro de Convenções Ulisses Guimarães, uma inovação em termo de estrutura e acesso. A Professora do curso de arquitetura da UFPI, Betânia Guerra, falou sobre algumas mudanças nos novos estádios e dos seus

benefícios. “Houve uma evolução muito grande em termos de plástica, da forma. A gente vê os estádios supermodernos, o design está muito arrojado. Os materiais também são novos, estão usando muito aço, é um material leve, fácil de ser montado, você pode trabalhar de formas diferentes. São estruturas duradouras, leves e mais fáceis de trabalhar do que o concreto”, explicou. Ela

ainda compara os novos estádios que têm uma estrutura mais leve e orgânica com o famoso Albertão, em Teresina, que é antigo, com arquitetura “brutalista”, feito todo em concreto,. O resultado final e o custo real de todas essas obras só será claro ao final da Copa. Até lá, as estimativas e as hipóteses sobre a efetividade e os custos do evento serão apenas especulação.


Esportes

Teresina/ Piauí Março de 2014

Editora: Maria Luiza Moreira

5

Equipe

Cronistas analisam escalação ideal para o Mundial de 2014 15 nomes ainda podem ser alterados na lista oficial de Luís Felipe Scolari para representar o Brasil no Mundial Paloma Vieira Mourão Repórter

Paloma Vieira

A convocação de um time para a Copa do Mundo parte de decisões difíceis e, não se restringe apenas ao bom desempenho dos jogadores. Preferências políticas, o interesse da equipe técnica, do contato com os clubes locais e estrangeiros podem aumentar ou diminuir as possibilidades de um jogador entrar para a seleção do seu país. A imprensa é um articulador forte que, ao expor em excesso um determinado jogador, acaba gerando preferências no público que exige e cobra da equipe técnica a convocação de certos nomes, como o caso de Neymar que tem sua imagem veiculada constantemente e acabou ganhando a simpatia do público e tornando-se um dos 10 nomes tidos como certos

Garrincha, cronista esportivo, comenta sobre a seleção brasileira

na escalação de Felipão. A Seleção Brasileira irá apresentar 25 nomes que ainda podem ser alterados, mas entre esses 10 já estão definidos e estão em preparação para os jogos que iniciam em junho. Fred é um dos que está se preparando para a competição. O atacante teve uma lesão que devia ter quatro meses de recuperação, mas optou por ficar mais três meses parado para se preparar para o Mundial. Fred voltou a jogar num nível diferenciado, dois meses é o prazo para ele recuperar o ritmo de jogo e estar em forma. Neymar, recém-contratado do Barcelona, ainda precisa mostrar serviço no clube, por isso não está se preparando exclusivamente para a Copa. “Felipão pode convocá-lo porque ele quer jogar, teve uma contusão há pouco tempo e tem um mês de recuperação, mas não pode perder o ritmo”, explica o jornalista esportivo Wellyson Costa. O caso é comum entre os novos jogadores cotados na lista de Felipão como Bernard que atua no Shakhtar na Ucrânia, Fernandinho, do Manchester City, e Paulinho, do Totterrnham. Kaká, Robinho, Ronaldinho Gaúcho e Alexandre Pato são os experientes que estão gerando dúvida. Para Wellyson, se Kaká for convocado ficará no banco com Robinho. “Gaúcho está descartado, Pato teve chance, mas não aproveitou a oportunidade. Não acredito que seja a opção voltar para esses no-

mes”, finaliza Wellyson. Segundo o jornalista esportivo Garrincha, para garantir um bom jogo na Copa é preciso da força dos mais jovens e a experiência dos mais velhos. Nomes como Paulinho, Fernandinho, Bernard são os novos da vez, já os veteranos Kaká, Fred, Robinho, Ronaldinho Gaúcho, Ramires e Júlio César não podem faltar, na opinião do cronista esportivo, já participaram de outras copas e ajudarão os mais jovens a fazerem um bom jogo. Para Garrincha, Gaúcho é um dos mais habilidosos do país e Kaká deve ir por ser um jogador calmo e religioso que controla os ânimos dos outros jogadores, “futebol não é só pé, precisa-se de equilíbrio emocional, acredito que ele já cresceu bastante, aprendeu muito e pode comandar o time nesse quesito”, afirma. Um jogador que estaria na lista de Luís Felipe Scolari é o piauiense Rômulo. Ele poderia ser o titular da seleção, mas sofreu uma contusão seguida de uma cirurgia malsucedida e ficou em situação incerta. O Jogador piauiense do Spartak Moscou voltou a treinar, mas precisa se preparar para o campeonato russo, pode ser uma opção para Felipão, mas não a primeira. Os 10 nomes já confirmados na lista de Felipão, segundo Wellyson são: Júlio César, Jeferson, Thiago Silva, Davi Luís, Luís Gustavo, Daniel Alves, Marcelo, Paulinho, Hernanes e Hulk. Para mudar o ritmo do jogo, Felipão

pode colocar jogadores como Oscar, Willian e Jô. As possíveis surpresas poderão ser: Kaká, Everton Ribeiro, Fernandinho ou Miranda, do Atlético de Madrid. A lista de convocados para o último amistoso da Seleção Brasileira an-

tes da Copa foi divulgada dia 11 de fevereiro (segue box). O jogo será contra a África do Sul dia 5 de março em Johanesburgo. A lista oficial de jogadores que estarão na Copa do Mundo será divulgada no mês de maio.

Convocação do último amistoso Ramires: meiocampista

Bernard: atacante

Júlio César: goleiro

Willian: meiocampista

Thiago Silva: zagueiro

Paulinho: meio-campista

Luiz Gustavo: meio-campista

Marcelo: lateral

Daniel Alves: lateral

Hulk: atacante

Oscar: meio-campista

Fernandinho: meio-campista

Neymar: atacante

Dante: zagueiro

David Luiz: zagueiro

Rafinha: lateral


Cidades

Março de 2014

Editora: Ithyara Borges

Por que o Piauí não é sede? Bárbara Oliveira Repórter Em maio de 2009 foram anunciadas pela Federação Internacional de Futebol (Fifa) as cidades brasileiras que iriam sediar a Copa do Mundo de 2014. Inicialmente, 22 municípios se candidataram. Com a pré-seleção da Fifa e a desistência de Maceió (AL), dezessete capitais concorriam à sede. Entre elas, as escolhidas foram: Manaus (AM), Fortaleza (CE), Natal (RN), Recife (PE), Salvador (BA), Belo Horizonte (MG), Brasília (DF), Rio de Janeiro (RJ), São Paulo (SP), Porto Alegre (RS), Cuiabá (MT) e Curitiba (PR). De acordo com Robert Brown, diretor de futebol da FFP (Federação de Futebol do Piauí), o Piauí nunca se candidatou oficialmente para ser uma das

sedes da Copa do Mundo. No entanto, foi feita uma publicidade em decorrência de um projeto do deputado federal Osmar Júnior que visava a construção de um centro olímpico em Parnaíba. Assim, o Estado poderia se candidatar como sub-sede, local que serve de hospedagem e treinamento para as seleções que disputam o torneiro. O diretor alega que a candidatura não ocorreu devido à falta de estrutura do estado em geral para receber uma delegação e os turistas, tendo em vista a qualidade exigida pelo padrão da Fifa no que se refere à mobilidade urbana, hospedagem e estádios. Numeriano Sá, coordenador do Estádio Governador Alberto Silva, o Albertão, alega que a estrutura não é empecilho para o Piauí sediar a Copa do Mundo. Na opinião dele, o local não deixa a desejar em

relação ao de outras cidades que conquistaram a chance de sediar a Copa. Ele afirma que seria necessária uma reforma para fazer as adequações exigidas pela Fifa. Além disso, há questões políticas que envolvem a Federação Internacional e a Confederação Brasileira de Futebol. Como entidade privada, a Fifa visa o lucro e o poder econômico das cidades entra como critério para a escolha. As seleções também são consultadas para dentro de sua logística optar pelo local onde se hospedarão, entretanto, não interferem diretamente na definição das cidades-sede. A falta de visibilidade do futebol piauiense no cenário nacional também pesa contra o Estado em sua provável candidatura. Para o jornalista esportivo, Wellyson Costa, esse fato é válido, mas não é apenas isso.

Ele explica que a questão do Piauí ainda não conseguir fazer um futebol de qualidade dentro e fora das quatro linhas se deve à falta de incentivo para formar e trazer grandes jogadores a fim de melhorar o nível do futebol piauiense, e acredita que o Estado ainda pode buscar esse espaço. Para ele, a campanha para sediar a Copa não foi adiante por não sair do papel, faltou mais ação. O jornalista também comenta que não sabe se seria viável e possível construir todo o projeto estrutural necessário dentro do prazo para o evento, pois como não há estrutura para um turismo desse nível no Piauí, seriam necessárias grandes obras.

Cidades candidatas a sediar a Copa do Mundo que não foram selecionadas: Belém (PA) Campo Grande (MS) Maceió (AL) Goiânia (GO) Florianópolis (SC) Rio Branco (AC) Na foto, o Estádio Governador Alberto Silva, o Albertão, em Teresina

Foto: Barbára Oliveira

6

Teresina/ Piauí


Cidades

Teresina/ Piauí Março de 2014

Editor: Francisco Carlos

7

Atividades

Saiba o que estará aberto durante os jogos da Seleção Na cidade de Teresina, muitos estabelecimentos não funcionarão nos dias de jogos da Seleção Brasileira, outros continuarão abertos, como os shoppings que disponibilizarão telões para que os clientes acompanhem os jogos do campeonato. Andréia Santana Réporter Durante as partidas do Brasil, na Copa do Mundo, alguns estabelecimentos públicos e privados vão alternar os horários de funcionamento. Na cidade de Teresina, muitos estabelecimentos não funcionarão nos dias de jogos da Seleção Brasileira, outros continuarão abertos, inclusive, durante o campeonato. Os shoppings e alguns restaurantes funcionarão normalmente e inclusi-

ve, deverão instalar telões para a transmissão das partidas do Brasil. O comércio, bancos, Casas Lotéricas e Correios ficarão abertos até duas horas antes do início dos jogos da Seleção Brasileira. Nos demais dias, deverão manter seus horários normais de funcionamento. Supermercados, transporte público, aeroporto e hotéis também vão continuar funcionando normalmente. Hospitais públicos e privados continuarão abertos, mas apenas para atendi-

mentos de urgência e emergência.

Shoppings e restaurantes funcionarão normalmente e deverão instalar telões para a transmitir as partidas do Brasil

Sobre as escolas, segundo o Artigo 64 da Lei nº 12.663 de 05 de Junho de 2012: “Em 2014, os sistemas de ensino deverão ajustar os calendários escolares de forma que as férias escolares decorrentes do encerramento das atividades letivas do primeiro semestre do ano, nos estabelecimentos de ensino das redes pública e privada, abranjam todo o período entre a abertura e o encerramento da Copa do Mundo FIFA 2014 de Futebol”. De acordo com o Calen-

dário oficial divulgado pela Federação Internacional de Futebol (FIFA), a competição ocorrerá entre os dias 12 de junho e 13 de julho. Com isso, foi sancionada pela Presidente Dilma Rousseff, a Lei Geral da Copa, que torna os dias de jogos em que a Seleção Brasileira participar como feriado nacional. Dessa maneira, os serviços em órgãos públicos federais, estaduais e municipais deverão ficar suspensos nos dias de jogos da Seleção.


8

Tabela de Jogos

Teresina/ Piauí Março de 2014

Editora: Tatiane Ramos

3 milhões de torcedores irão assistir aos jogos nos estádios A Copa do Mundo de 2014, sediada no Brasil, está em contagem regressiva. O sorteio dos grupos que jogarão na primeira fase do campeonato já foi feito, formando oito grupos indicados por letras do alfabeto, de A a H,

cada um contendo oito países. Dentre esses grupos, apenas dois países de cada serão classificados para a segunda etapa da Copa. Manaus, Natal e São Paulo serão sedes dos confrontos entre seleções campeãs do mundo, ainda na primeira fase da competição. Segundo dados fornecidos pela FIFA, a quantidade de

ingressos disponíveis para a Copa do Mundo 2014, é de aproximadamente 3 milhões de bilhetes, porém só poderá ser fechado o número exato quando todos os estádios estiverem totalmente prontos. Uma plataforma oficial foi disponibilizada para a venda de ingressos pela internet, através do site oficial do evento (FIFA.com). Além

disso, outros canais também serão desenvolvidos, como o Centro de Ingressos das cidades anfitriãs para facilitar o acesso aos torcedores. Em cada jogo, a Fifa reservou cerca de 16% dos bilhetes para os torcedores das equipes que estarão em campo, ou seja, 8% para os torcedores das referidas seleções.

Os ingressos foram vendidos por categoria. A FIFA desenvolveu quatro, sendo que a categoria 1 é reservada para a área nobre do estádio, 2 e 3 são adjacentes à categoria 1 e a 4 é destinada para pessoas que residem no Brasil, sendo também mais acessível para o público em geral. Os valores variam de R$ 30 a R$ 1.980. copa2014.gov.br

Rafaella Nunes e Suzana Ribeiro Repórteres

Banco Central lança moedas para marcar Copa no Brasil O Banco Central do Brasil lançou moedas comemorativas para a Copa 2014. No total foram feitas 165 mil unidades, sendo cinco mil em ouro, 20 mil em prata e 20 mil em cuproníquel. Para adquirir um exemplar é ne-

cessário ir até umas das dez representações regionais do BC ou através do site do Banco do Brasil. Os preços unitários são : R$ 30 reais para cuproníquel, R$ 190 para as moedas de prata, e R$ 1.190 de ouro.


Tabela de Jogos

Teresina/ Piauí Março de 2014

CONFIRA OS JOGOS DA PRIMEIRA FASE

9

GRUPO B

GRUPO A 12/06 | 17h00 São Paulo Brasil x Croácia

13/06 | 13h00 Natal México x Camarões

13/06 | 16h00 Salvador Espanha x Holanda

13/06 | 18h00 Cuiabá Chile x Austrália

17/06 | 16h00 Fortaleza Brasil x México

18/06 | 16h00 Manaus Camarões x Croácia

18/06 | 13h00 PortoAlegre Austrália x Holanda

18/06 | 16h00 Rio de Janeiro Espanha x Chile

23/06 | 17h00 Recife Croácia x México

23/06 | 17h00 Brasília Camarões x Brasil

23/06 | 13h00 Curitiba Austrália x Espanha

23/06 | 13h00 São Paulo Holanda x Chile

GRUPO C

GRUPO D

14/06 | 13h00 Belo Horizonte Colômbia x Grécia

14/06 | 22h00 Recife Costa do Marfim x Japão

14/06 | 16h00 Fortaleza Uruguai x Costa Rica

14/06 | 18h00 Manaus Inglaterra x Itália

19/06 | 13h00 Brasília Colômbia x Costa do Marfim

19/06 | 19h00 Natal Japão x Grécia

19/06 | 16h00 São Paulo Uruguai x Inglaterra

20/06 | 13h00 Recife Itália x Costa Rica

24/06 | 16h00 Cuiabá Japão x Colômbia

24/06 | 17h00 Fortaleza Grécia x Costa do Marfim

24/06 | 13h00 Natal Itália x Uruguai

24/06 | 13h00 Belo Horizonte Costa Rica x Inglaterra

GRUPO E

GRUPO F

15/06 | 13h00 Brasília Suiça x Equador

15/06 | 16h00 PortoAlegre França x Honduras

15/06 | 19h00 Rio de Janeiro Argentina x Bósnia-Herzegovina

16/06 | 16h00 Curitiba Irã x Nigéria

20/06 | 16h00 Salvador Suiça x França

20/06 | 19h00 Curitiba Honduras x Equador

21/06| 13h00 Belo Horizonte Argentina x Irã

21/06 | 18h00 Cuiabá Nigéria x Bósnia-Herzegovina

25/06 | 17h00 Manaus Honduras x Suiça

25/06 | 17h00 Rio de Janeiro Equador x França

25/06 | 13h00 PortoAlegre Nigéria x Argentina

25/06 | 13h00 Salvador Bósnia-Herzegovina x Irã

GRUPO G

GRUPO H

16/06 | 13h00 Salvador Alemanha x Portugal

16/06 | 19h00 Natal Gana x Estados Unidos

17/06 | 13h00 Belo Horizonte Bélgica x Argélia

17/06 | 18h00 Cuiabá Rússia x Coreia do Sul

21/06 | 16h00 Fortaleza Alemanha x Gana

22/06 | 18h00 Manaus Estados Unidos x Portugal

22/06 | 13h00 Rio de Janeiro Bélgica x Rússia

22/06 | 16h00 PortoAlegre Coreia do Sul x Argélia

26/06 | 13h00 Recife Estados Unidos xAlemanha

26/06 | 13h00 Brasília Portugal x Gana

26/06 | 17h00 São Paulo Coreia do Sul x Bélgica

26/06 | 17h00 Curitiba Argélia x Rússia


10

Economia

Teresina/ Piauí Março de 2014

Editora: Andreia Santana

Comércio

Vendas no Shopping da Cidade crescem com a Copa do Mundo Vendedores autônomos estão lucrando com a comercialização de camisas diversas relativas à competição mundial de futebol.

Aqui já temos camisas infantis e adultas referentes à copa, tanto masculinas quanto femininas, em grande quantidade

vender não. Mas acredito que quando estiver mais perto dos jogos, aqui vai ficar uma loucura, vai haver muito mais vendas”, afirma Cleiton Pe-

reira, vendedor do box MC Esportes. Já para a vendedora Tatiane Silva, do box Mateus Confecções, a procura está bastante fraca, mas já era algo previsto. “Aqui quase não há saída de camisas, acredito que por conta de ainda não estarmos tão próximos do começo da copa. Nós começamos a encomendar aos poucos as camisas da seleção, pois já prevíamos a baixa procura nessa época”, diz. O proprietário do box Geraldo Confecções, Geraldo Ribeiro, acredita que entre os meses de março e abril as vendas melhorarão. “As camisas da seleção brasileira já estão sendo procuradas, mas ainda não estão vendendo muito. Acredito que entre os meses de março e abril as vendas vão começar a aumentar bas-

tante, devido à proximidade do começo dos jogos. Aqui já temos camisas infantis e adultas referentes à copa, tanto masculinas quanto femininas, em grande quantidade”. Fotos:Tatiane Ramos

As cores verde e amarela já se destacam dentre as tantas outras cores no Shopping da Cidade. Camisas personalizadas feitas para a Copa do Mundo, que terá início em junho, já estão sendo comercializadas e podem ser encontradas facilmente no local, como também em outros pontos comerciais, colocando esse produto como o principal item procurado pelos consumidores. São diversos tamanhos e tipos, tanto masculinas, femininas e infantis: enquanto algumas trazem o mascote da competição estampado (o Fuleco), outras, em maior número, são cópias das camisas originais, utilizadas pelos jogadores. Segundo dados do Sebrae

Nacional, a Copa do Mundo já rendeu cerca de R$ 280 milhões em negócios para micro e pequenas empresas. Até o fim da competição, a expectativa é que o faturamento chegue a R$ 500 milhões. Porém, na cidade de Teresina, que não é uma das cidades-sede do mundial, as vendas no momento parecem pouco contribuir para a estatística, mas não frustram as expectativas dos comerciantes do Shopping da Cidade. Dentre os vendedores do shopping, embora hajam divergências pontuais, há uma opinião clara: as vendas das camisas ainda não atingiram seu ápice, porém estão sendo fonte de lucro significativo. “As pessoas já estão se antecipando, já estão comprando as camisas. Desde o começo do ano, aqui nunca parou de

Matheus Rangel Repórter

Camisas diversas do Brasil


Educação 11

Teresina/ Piauí Março de 2014

Editora: Paloma Vieira

Educação

Copa do Mundo de 2014 provoca mudança no calendário escolar A liberação de alunos nos dias de jogos requer reposição de aulas e cumprimento da carga horária exigida em Lei Maria Luiza Moreira Repórter A Lei Geral da Copa, sancionada pela presidente Dilma Rousseff ainda no ano de 2012, define as regras para a realização do Mundial de 2014 no Brasil. Um dos pontos diz respeito às férias escolares e feriados. A proposta, que teve parecer favorável na comissão de educação do congresso, diz que as férias deverão “abranger todo o período entre a abertura e o encerramento da Copa”, ou seja, as férias escolares terão duração de 31 dias em todo o país, quando apenas 12 municípios vão receber os jogos. Porém, em março de 2013, o Ministério da Educação (MEC) revogou a obrigatoriedade de férias durante a Copa do Mundo. Essa decisão foi homologada e publicada no Diário Oficial da União no dia 19 daquele mesmo mês. Desde então cada escola pública e particular de educação básica pode decidir se vai ou não ajustar o calendário letivo desse ano para assegurar férias escolares durante o período de realização da Copa do Mundo. Mas estas não estarão dispensadas de cumprir a regra prevista na Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB), na qual define que deve ser seguida a carga horária mínima anual de 800 horas/aula, distribuídas por um mínimo de 200 dias letivos, segundo parecer do Conselho Nacio-

nal de Educação (CNE). No Piauí, as escolas particulares têm toda a autonomia para decidir em relação tanto à mudança de regime de férias quanto à suspensão de aulas em dias de jogos da Copa. “Cada escola tem seu próprio calendário e, certamente, fará a reposição das aulas eventualmente suspensas da maneira como melhor convir para sua programação”, explica o presidente do Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino do Estado do Piauí (Sinepe-PI), Dalton Leal. Nas escolas públicas municipais, os calendários também são diferenciados. De acordo com Lavínia Chaib Cury, que trabalha na Divisão de Inspeção Escolar na Secretaria Municipal de Educação de Teresina (Semec), a Gerência de Gestão juntamente com a de Ensino Fundamental prepararam a minu-

ta de edital com duas propostas, uma sugerida pelo MEC e a outra como é usada todos os anos e o sistema tem liberdade para se organizar. “A saída que encontramos foi liberar os alunos apenas no horário dos jogos e essas aulas perdidas serão repostas no final do ano”, esclarece Lavínia. O calendário da Universidade Federal do Piauí (UFPI), porém, já está fechado e o alunado pode acessá-lo por meio do Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas (Sigaa). No período da Copa, que vai do dia 12 de junho a 13 de julho, o calendário fecha o mês de junho com 24 dias letivos e o mês seguinte com 27 dias de estudo, não abrindo exceção para os dias dos jogos. Paulo Augusto, diretor do Centro de Ciência da Educação (CCE), aposta que a liberação será obtida por

meio do consenso entre alunos e professores visto que o número de faltas nos dias de jogos será grande, caso não haja a liberação.

Em 2014, o Brasil tem poucos feriados em dias úteis, mas a Copa pode aumentar o recesso letivo Na fase inicial do torneio estão garantidos três jogos da Seleção Brasileira de Futebol em dias úteis: 12 (quinta-feira), 17 (terça-feira) e 23 (segunda-feira) de junho. Caso a Seleção Brasileira avance

até a fase final da competição, serão mais quatro jogos, sendo um em dia útil, já na fase semifinal, dia 8 (terça-feira) ou 9 (quarta-feira) de julho. Os professores, entretanto, não se sentiram lesados quanto ao tempo para explanar seus conteúdos porque a decisão foi tomada ainda no ano passado, havendo tempo suficiente para programar a matéria dentro do prazo do cronograma, como explica o coordenador de comunicação do Sindicato dos Professores e Auxiliares da Administração Escolar do Estado do Piauí (Sinpro-Pi), Cássio Lages. “Além do mais, a Copa é um evento cultural e mobiliza todo o país, especialmente agora que estamos sediando o Mundial. Meus filhos vão entrar de férias junto comigo e ninguém vai sair prejudicado porque houve tempo para se organizar”, alega.

Reposição de aulas é a solução para os estudantes que forem liberados no período dos jogos da Copa do Mundo de 2014 no Brasil


12

Saúde

Teresina/ Piauí Março de 2014

Editor: Edilberto Marques

Cuidados

Consumo de álcool e gordura deve ser reduzido nos jogos Durante a Copa, especialistas alertam torcedores a ingerir bebidas álcoolicas e alimentos gordurosos com moderação. O consumo de álcool nos estádios brasileiros é probido por Lei, mas um acordo com a Fifa autorizou o consumo e porte nos jogos do sistema nervoso central. “Vale lembrar que os problemas do álcool estão no consumo abusivo da bebida, não no moderado”, comenta Fernandes. Esta afirmação responde a estudo realizado pelo Ministério da Saúde que revela que o consumo do álcool tem forte impacto nos atendimentos de urgência e emergência em hospitais do Sistema Único de Saúde (SUS).

Carlos Gaeth Repórter Durante os jogos da Copa do mundo, é comum ver as pessoas passarem dos limites na hora comer e de ingerir bebidas alcoólicas. Seja em casa com a família ou no barzinho com os amigos, ninguém resiste às famosas bebidas industrializadas e grandes quantidades de frituras. O problema é que, além de gordurosos, os lanches, guloseimas e petiscos servidos durante os jogos nem sempre são bem armazenados oferecendo riscos à saúde. Segundo a nutricionista Dayse Melo, o consumo exagerado de petiscos pode ocasionar doenças cardiovasculares, pois estes são ricos em lipídios e sódio, prejudiciais para quem sofre dessas patologias. Já o consumo excessivo de guloseimas e bebidas como os refrigerantes, podem levar o consumidor a adquirir diabetes, pois esses produtos têm um teor de açúcar acima do recomendado diariamente. “O organismo não sintetiza essas substâncias em excesso. Assim, o consumidor adquire essas patologias”, explica Dayse. A nutricionista comenta ainda que o torcedor precisa ficar atento à conservação, produção e manejo de cada alimento antes de consumir, pois estes devem ser feitos de acordo com as instruções da embalagem. Caso contrário, podem vir a proliferar micro-organismos que são prejudiciais à saúde.

Álcool

O clínico geral Odair Fernandes, 42, explica que após a ingestão de álcool os primeiros a sentirem os efeitos da substância no organismo

são os rins. Na pele, há a vasodilatação periférica, acarretando na perda de calor. Ocorre ainda o enfraquecimento muscular, aumento

da pressão arterial, comprometimento da habilidade motora, e, finalmente, queda da velocidade de reação por ser um depressor

Em junho de 2012, a presidente Dilma Rousseff sancionou a Lei Geral da Copa, que determina as regras para a realização dos jogos de 2013 e 2014. Segundo o estatuto do torcedor, a comercialização de álcool nos estádios é proibida, mas um acordo feito entre o Governo Brasileiro e a Fifa antes da lei tramitar no Congresso, possibilitou a venda, porte e o consumo de bebidas alcoólicas nos estádios. Já o levantamento da Vigilância de Violência e Acidentes (Viva) aponta que uma em cada cinco vítimas de trânsito foi atendida nos prontos-socorros brasileiros ingeriram bebida alcoólica. O estudo também mostra que 49% das pessoas agredidas consumiram bebida alcoólica. As principais vítimas são homens com idade entre 20 e 39 anos.


Turismo 13

Teresina/ Piauí Março de 2014

Editora: Fabrynne Sousa

Facilidade

Destinos internacionais ficam populares no mês da Copa Mesmo em cidades como Teresina, que ficaram fora do circuito da Copa do Mundo, a expectativa para o evento é grande. Com praticamente todas as atenções voltadas para as cidades que sediarão os jogos, alguns destinos turísticos ficam fora da preferência de quem procura pacotes de viagem.

Pacotes para Argentina e Chile custam em média R$ 2.500,00 e destinos nacionais, como Gramado, R$ 2.200,00 Em 2014, pela segunda vez na história, o maior evento futebolístico do mundo acontecerá no Brasil. Em todos os cantos do país, torcedores entram no clima e já se preparam para o evento. São 12 as cidades que sediarão as competições: Belo Horizonte (MG), Brasília (DF), Cuiabá (MT), Curitiba (PR), Fortaleza (CE), Manaus (AM), Natal (RN), Porto Alegre (RS), Recife (PE), Rio de Janeiro (RJ), Salvador (BA) e São Paulo (SP). Pacotes de via-

gem para esses destinos sofreram um aumento na demanda e consequentemente no preço. Para quem procura tranquilidade e uma temporada longe dos tumultos que a Copa do Mundo vai agregar ou não conseguiu adquirir ingressos para os jogos a tempo, as viagens internacionais chamam a atenção nessa época onde a procura por destinos nacionais se encontra em alta. Agências de turismo oferecem pacotes internacionais de viagem a preços mais baixos se comparados ao Nordeste do Brasil em alta temporada, por exemplo. Entre os destinos mais procurados se destacam os países da América do Sul: pacotes para países como Argentina e Chile (incluindo passagens aéreas, hospedagem e translado) saem por até R$ 2.500,00 enquanto que destinos nacionais como Gramado ganha um orçamento de R$ 2.200,00 e Rio de Janeiro, um dos mais procurados para a temporada da Copa, sai por R$ 3.100,00 em média. Aline Sumiko, 29, prefere se ver longe de todo o fanatismo do futebol e realizar uma viagem internacional. Atualmente, cogita a possibilidade de visitar outro país nas férias do meio do ano. “Nunca gostei de futebol e agora que a Copa do Mundo vai ter o Brasil como sede eu vejo a oportunidade de viajar para outro país cada vez mais próxima”, diz.

Centro Cultural da cidade de Santiago, Chile. Ponto Turistico que reúne diversos artistas de rua locais Foto: gramado.rs.gov.br

Talita Portela Repórter

Foto: flickr.com/ Municipalida de Santiago

Com a realização da Copa do Mundo no Brasil, pacotes de viagens para destinos de alta temporada se tornam mais acessíveis

Um dos principais pontos turísticos de Gramado é a Prefeitura Municipal com sua arquitetura europeia


14

Na torcida

Teresina/ Piauí Março de 2014

Editora: Bárbara Oliveira

Espectadores

Irmãos piauienses irão ao jogo da Seleção Brasileira na Copa

Eles tiveram a sorte de conseguir os ingressos logo na primeira fase de vendas para assistir a dois jogos do Mundial em Fortaleza

Preparativos para o Mundial

Leiara Sampaio Repórter

Quais as expectativas de vocês em participar da Copa do mundo no Brasil? Adail: É enorme,afinal é o maior evento de futebol do mundo. Fabrício: Foram e são as maiores e melhores possíveis. Já que fomos ver um jogo da Copa das Confederações ano passado e já vimos como Fortaleza está estruturada para receber a Copa.

Da esquerda para a direita, os torcedores Fabrício e Adail gos da Seleção Brasileira em Fortaleza (CE), uma das cidades-sede da Copa do Mundo na Região Nordeste. Os irmãos assistirão a dois jogos em Fortaleza. O primeiro jogo será dia 17 de Junho, entre Brasil e México. O outro jogo será

Primeira fase de venda dos ingressos para a Copa de 2014 terminou com 5,5 milhões de pedidos das quartas-de-final. “Se o Brasil se sagrar vitorioso nas oitavas jogará em Fortaleza novamente neste dia. Foi um palpite acreditando na nossa Sele-

ção”, comenta Fabrício. Eles já contam com alguns artefatos para torcerem com mais alegria junto com seus amigos que também tiverem a sorte de adquirir os ingressos dos mesmos jogos, como canecas personalizadas do Brasil para cada um. Fabrício e Adail pretendem ir a Fortaleza de carro para ir apreciando as belezas do litoral pelo caminho até a capital cearense. Além disso, segundo Fabrício, “ficaremos hospedados em um hotel, mas ainda não fizemos as reservas, pois os preços na beira-mar que já custa caro normalmente nessa época custará muito mais por conta dos turistas nacionais e estrangeiros”, relata. O evento (Copa do Mundo da Fifa) acontecerá entre os dias 12 de junho e 13 de julho deste ano. Segundo dados do site da Fifa, até o início de fevereiro, 80% dos ingressos vendidos para os jogos eram para brasileiros.

Com a confirmação da compra dos ingressos, como funciona o recebimento deles? Adail: Não tem como dizer uma data certa, mas a organização do evento disponibiliza cerca de uma ou duas semanas antes do evento, um local de retirada dos ingressos la em Fortaleza mesmo com identidade e CPF. Vocês estão tendo alguma preparação física para aguentar os dias de jogos durante a Copa? Adail: Sempre nos cuidamos, realizando atividade física como musculação diariamente e o treino funcional tres vezes na semana. E como o Fabrício é educador físico e tem muito conhecimento sobre alimentação, então procuramos sempre ter uma alimentação saudável no dia a dia e evitar qualquer problema de saúde no futuro. Fabrício: Nós sempre nos cuidamos. Inclusive, eu sou professor da turma de treinamento funcional duas vezes na semana na rede de academias que eu trabalho. E é a mesma turma que meu irmão Adail costuma treinar. E eu sempre o oriento sobre uma boa alimentação. Ou seja, condicionamento para aguentar os jogos nos teremos sem dúvida alguma. Fotos: Leiara Sampaio

Muitos brasileiros tentaram, mas poucos conseguiram ter a sorte de receber um e-mail da Fifa (Federação Internacional de Futebol) confirmando a compra de um ingresso para assistir a algum jogo da Seleção Brasileira durante a Copa do Mundo de Futebol deste ano. Dois irmãos piauienses tiveram essa sorte: Fabricio Portela, 30 anos, educador físico; e Adail Modesto, 27 anos, microempresário. Os torcedores mostram orgulhosos o comprovante que confirma a compra dos ingressos para assistir a dois jogos da Seleção. Os irmãos combinaram de tentar, ao mesmo tempo, adquirir os ingressos no site Oficial da Copa do Mundo logo na 1ª fase de venda dos ingressos. O microempresário, Adail tentou, mas não conseguiu adquirir as entradas. Já Fabrício teve a grata surpresa ao abrir seu e-mail no mesmo período. E encontrar o seguinte texto: “Prezado Fabrício Oliveira, Parabéns! O Centro de Ingressos da Fifa (FTC) tem o prazer de informar que os seguintes ingressos mostrados abaixo foram reservados para você baseados na solicitação enviada.” E, a partir da tão esperada informação, os irmãos começaram a organizar os preparativos para a viagem em junho para os jo-

Canecas customizadas são um dos primeiros objetos para a viagem


História das Copas 15

Teresina/ Piauí Março de 2014

Editor: André Luis Santos

www.copa2014.gov.br

Nostalgia

De1930 a 2014: as Copas do Mundo que ficaram na memória

Iniciada em 1930, passando pela desilusão de 50 e pela glória de 70, a caminhada do Brasil nas Copas é repleta de histórias que nos emocionam

A primeira Copa do Mundo foi em 1930 no Uruguai, onde o mesmo foi campeão. Foram basicamente as seleções da América do Sul e pouquíssimos times da Europa, onde na final o Uruguai enfrentou a Argentina e assim como anfitrião, também foi Campeão. Já o Brasil foi sede desse mundial em 1950, onde o mesmo Uruguai levou o título de primeiro lugar para casa, deixando nossa Seleção com o segundo lugar. Em junho de 2014, será a segunda vez que a Copa será sediada no país do futebol. Segundo Abdias Bideh, repórter esportivo, a Copa que provavelmente mais deve ter marcado os brasileiros foi a de 1970, onde o Brasil se tornou a primeira seleção do mundo a ser Tricampeã do Mundo, formada por Tostão, Rivellino, Gérson, Pelé e vários outros grandes jogadores. A mesma é tida para os brasileiros amantes de futebol, como a melhor seleção de todos os tempos, como confirmou Laerte Magalhães em enquete realizada por nossa equipe de reportagem. Foi a Copa que o Pelé firmou seu reinado, confirmando a sua nomenclatura como “rei do futebol”, em que ele tinha 29 anos e a Seleção Brasileira ganhou todos os jogos jogando com maestria, ou seja, dando um show. No que se refere ao fu-

tebol mundial, a Copa de 1974 foi marcante a partir da atuação da Holanda, que apresentou um futebol diferente, conhecido como “carrossel holandês” ou a “laranja mecânica”. O time da Holanda saiu da competição sem ganhar o título, mas com o passar do tempo, essa fama foi se desfazendo. Entretanto diante desses legados em si, afirmamos

O que se espera para essa Copa de 2014 é que nossa seleção seja a vitoriosa

Priscila Caldas Repórter

que a Copa de 70 para o Brasil foi a mais revolucionária e a Copa de 74 para o Mundo, foi sem dúvidas o ápice para história do futebol mundial. Da Copa de 50 realizada no Brasil, só tem um jogador vivo e esse jogador é o Dida, uruguaio que foi o que fez o segundo gol da vitória contra seleção brasileira, naquilo que eles chamam até hoje de “Maracanaço”, que eles ganharam da gente dentro da nossa terra. O Brasil já pousava com

a faixa de campeão. Na manhã do dia jogo, muitas pessoas do Rio de Janeiro, inclusive políticos, invadiram o hotel para comemorar um título que já era certo, até missas de agradecimento foram realizadas com antecedência. O Brasil poderia empatar que seria campeão, pois naquela época o vencedor era consagrado a partir da soma de pontos. Na final, o Brasil quase foi campeão pelo menos três vezes naquele dia: ao entrar em campo, quando fez o primeiro gol e o placar ficou em 1x0 e quando o Uruguai empatou. No entanto, o Uruguai virou a partida no segundo tempo e levou o título. Segundo o historiador Luciano Arrais, “o que interessa para o Brasil é ser o primeiro colocado, é ser o campeão. O título de vice para a Seleção Brasileira não serve para nada”. O que se espera para essa Copa de 2014 no Brasil é primeiramente que a Seleção seja a vitoriosa e não se repita o que aconteceu em 1950, quando o Brasil perdeu na final de forma dramática. Em relação às inovações, erros de arbitragens deverão ser reduzidos, já que o uso da tecnologia evitará que algumas seleções sejam injustiçadas. Enfim, está sendo e serão maiores ainda os desafios enfrentados por nosso país a partir do dia 12 de junho do corrente ano.


16

Ensaio

Teresina/ Piauí Março de 2014

Editora: Cleópatra Loiola

“A bandeira no estádio é um estandarte A flâmula pendurada na parede do quarto O distintivo na camisa do uniforme Que coisa linda, é uma partida de futebol Posso morrer pelo meu time Se ele perder, que dor, imenso crime Posso chorar se ele não ganhar

O tapete da realeza é verde Olhando para bola eu vejo o sol Está rolando agora, é uma partida de futebol” Por Tatiane Ramos

Calandragem 2013 02 nº2  
Advertisement