Issuu on Google+

Jornal da Cidade O NOVO JEITO DE FAZER JORNAL

Ano 1 • Número 1

Penápolis, de 16 a 22 de abril de 2012

Opnião Pensar o Desenvolvimento

Pág. 2

Penápolis ganhará praça paradesportiva Pág. 3

R$ 1,00

www.cidadedepenapolis.com.br

Bienal do Livro reuniu crianças e jovens e deu novo folego para a literatura marginal

CAP está a uma vitória do acesso ao Paulistão Pág. 8


2 | Penápolis, 16 a 22 de Abril de 2012

JORNAL DA CIDADE DIRETOR DE REDAÇÃO: RICARDO FARIA JORNALISTA RESPONSÁVEL: RICARDO FARIA

Administração, Redação e Publicidade: Rua Antônio Francisco Rillo, 75 | Penápolis, São Paulo | 16300-000 Telefone: 18 3652 8606 | E-mail: redacao@cidadedepenapolis.com.br Edição online: www.cidadedepenapolis.com.br

Pensar o desenvolvimento

Silvio Caccia Bava Estamos, aos poucos, ções não visam o território retomando uma trajetória em que operam, mas sim interrompida: a discussão sua reprodução no cenário pública acerca dos rumos do internacional, e levam as desenvolvimento brasileiro. riquezas geradas no Brasil Bloqueado desde os anos para o circuito financeiro 1990 pela hegemonia do internacional. O território, pensamento neoliberal, que nessa concepção, é sua não se preocupa com o futu- plataforma de acumulação. ro, esse debate ganha agora Não há preocupações com nova vitalidade, quando a a qualidade de vida no locrise internacional obriga o cal nem com a sustentabigoverno brasileiro a traçar lidade ambiental. E se os novas estratégias de defesa fatores de produção ficarem de nossa economia e socie- mais baratos em outro lugar, dade, desta vez apostando então se mudam para lá. em uma nova dinâmica do Já os pequenos e mémercado interno, na am- dios empreendimentos não pliação da capacidade de têm os mesmos objetivos. consumo das maiorias. Eles são dependentes dos A retomada da dis- consumidores presentes cussão traz uma disputa en- em seu território e que nele tre distintos e importantes vivem. Sua existência está atores presentes na socie- condicionada à evolução da dade brasileira. As grandes economia e da sociedade corporações transnacionais, local. São a grande maioria, os maiores grupos finan- mais de 6 milhões de miceiros, identificam desen- cro e pequenas empresas. volvimento como sendo Outro setor imporcrescimento, e suas opera- tante, outros atores, são

opinião os 64% da população economicamente ativa que estão no setor informal de nossa economia, que em muitos casos se articulam de maneira cooperativa e solidária, e não se pautam por relações capitalistas de produção, pela exploração do trabalho, mas lutam pela sobrevivência contando com pouco apoio de políticas públicas para sua reprodução. A discussão sobre estratégias de desenvolvimento precisa acolher e articular em sua formulação esses distintos atores, mas subordinar os interesses de lucro à função social da propriedade e da produção, isto é, ao fortalecimento dos agentes que atuam e vivem no território. Articular esses distintos atores na óptica da defesa do interesse público e do desenvolvimento do território é papel do Estado e significa uma ruptura com as políticas que apoiavam e financiavam as grandes corporações e o “livre mercado”. Nunca houve o “Estado mínimo” preconizado pela doutrina do Consenso de Washington. O Estado sempre teve papel determinante para garantir as condições de reprodução dos interesses transnacionais no território. Agora a discussão é se o Estado pode cumprir outro papel, atendendo à demanda de outros atores da sociedade.

JORNAL DA CIDADE Pernambuco, por exemplo, está vivendo um boom de sua economia – portos, estaleiros, polo petroquímico, construção civil etc. –; falta mão de obra especializada e o regime é de pleno emprego, mas não há qualquer preocupação com a questão social e ambiental. Ainda vigora a concepção de que crescimento é igual a desenvolvimento, mesmo que ele continue a gerar desigualdade e pobreza. Da mesma forma, nosso plano nacional de energia precisa acelerar seus investimentos para garantir o suprimento e assim sustentar o crescimento econômico. Não saiu da pauta a construção de usinas nucleares e termelétricas, que atendem aos interesses de investimentos transnacionais, mas estão sendo questionadas na Europa como formas perigosas e ultrapassadas de enfrentar a questão, principalmente depois do acidente de Fukushima. O desastre ambiental modificou a política de muitos países, que suspenderam investimentos em energia nuclear e pretendem fechar as usinas em operação. Nós, não. Continuamos com os planos de antes, como se nada tivesse acontecido. A disputa pelas alternativas de desenvolvimento está na ordem do dia, potenciada pela necessidade de o

Brasil se defender da invasão de produtos mais baratos; de o Brasil se defender do “tsunami financeiro” mencionado pela presidente Dilma. São necessidades de curto, médio e longo prazos que precisam ser combinadas. Elas podem convergir para a criação de um novo modelo de desenvolvimento, como podem também manter a estratégia de facilitar os negócios das grandes empresas. A questão não é técnica, mas política. A quem beneficiará o novo modelo? É possível continuar com a estratégia de manter as facilidades para os grandes negócios e aumentar a renda e a capacidade de consumo dos mais pobres? Se a economia deixar de crescer ao ritmo dos últimos anos, vai acabar esse jogo em que todos ganham? Quais são os atores que podem impulsionar o surgimento de um novo modelo de desenvolvimento, este, sim, sustentável? Essas e outras perguntas estão ganhando espaço e importância na sociedade civil, estão sendo debatidas por grupos que buscam recuperar o papel da cidadania na definição dos rumos da nação. Bem-vindos os debates sobre as alternativas de desenvolvimento! Silvio Caccia Bava é editor de Le Monde Diplomatique Brasil.


JORNAL DA CIDADE

cidade

Penápolis, 16 a 22 de Abril de 2012 |

3

Penápolis ganhará praça paradesportiva

SECOM – PMP Ainda neste primeiro semestre do ano Penápolis contará com um espaço adaptado para que as pessoas com deficiência possam se exercitar. Trata-se da Praça Paradesportiva, com academia de ginástica. A efetivação desse projeto será possível graças a um convênio para repasse de verbas que será celebrado entre a Prefeitura Municipal e o Governo do Estado de São Paulo. O recurso para implantação da academia de ginástica virá da Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência. Para tratar do convênio e dos benefícios que o mesmo possibilitará à população, esteve recentemente na cidade o Assessor de Gabinete para Educação Esportiva da Secretaria, o penapolense Vanilton Senatore, que foi recebido pelo prefeito João Luís dos Santos; pelo secre-

tário municipal de Esporte Lazer e Juventude de Penápolis, Roberto Carlos Calez; e o vereador Caíque Rossi. Segundo informou o secretário Roberto Calez, a academia é composta de um kit com 11 aparelhos, sendo que o custo dessa aquisição é de aproximadamente R$ 60 mil. “Estes aparelhos de ginástica adaptados serão instalados na Praça Paradesportiva, cujo espaço destinado fica na avenida João Antonio de Castilho, na marginal do córrego Santa Leonor, em área privilegiada da cidade”, contou ele. A Administração Municipal entregou toda a documentação para formalização do convênio e, em seguida, a assinatura do mesmo, o Governo do Estado deverá autorizar o processo licitatório para aquisição dos equipamentos. Entre os aparelhos de ginástica adquiridos estão: máquina tríceps, máquina bíceps,

espaço publicitário anuncie aqui

Foto: Secom | PMP

Prefeito João Luís em reunião com representante do Estado de SP Vanilton Senatore, secretário Roberto Calez e o vereador Caíque Rossi

máquina de puxada alta, máquina de supino vertical, máquina de remada sentado, máquina de abdominal, máquina twist, jogo de barras, giro de punho, paralelas e bicicleta de mão.

“Agradeço ao penapolense Vanilton Senatore, sempre parceiro do Município de Penápolis e uma das maiores autoridades paradesportiva do nosso país, o que nos honra muito, ao

espaço publicitário anuncie aqui

vereador Caíque Rossi que, em conjunto conosco, apresentou o pedido inicial para implantação desse projeto em nossa cidade, bem como toda a equipe da Secretaria Municipal de Esportes”.

espaço publicitário anuncie aqui


4 | Penápolis, 16 a 22 de Abril de 2012

cidade

JORNAL DA CIDADE

Vereador Hugo apoia Adefipe na busca de benefícios em Brasília

Foto: Imprensa Câmara

Vereador Hugo com a presidente da Adefipe, Letícia Sader e a deputada federal Mara Gabrilli, em Brasília

Imprensa | Câmara A Associação dos Deficientes Físicos de Penápolis (Adefipe), conseguiu quarta-feira significativas aberturas em nível federal para a viabilização de benefícios. O avanço aconteceu em audiências em Brasília com apoio do vereador Hugo Crepaldi (PDT). O pedetista levou a presidente da Adefipe, Letícia Sader, para encontros que poderão viabilizar desde a construção

da sede própria da entidade até recebimento de recursos para cursos de capacitação. Durante a reunião com a deputada federal Mara Gabrilli, em momento em que era discutida a necessidade de construção de sede própria da Adefipe, Hugo Crepaldi colocou a parlamentar em contato telefônico com o prefeito João Luís dos Santos (PT), para tratar da doação de um terreno do município destinado à

futura obra da entidade. Mara Gabrili se comprometeu a tentar obter junto ao governo federal, R$ 200 mil para a construção. Segundo Hugo Crepaldi, o prefeito assegurou a doação de terreno à Adefipe na Marginal Santa Leonor. O local, além de privilegiada localização, favorece a entidade pela proximidade com o Terminal Rodoviário e previsão de instalação de uma academia ao ar livre adaptada, conseguida pelo vereador Caíque Rossi (PSD). Hugo Crepali também acompanhou a presidente da Adefipe em visita ao gabinete do deputado federal João Dado (PDT), com o qual ele já viabilizou a conquista do título de utilidade pública federal à entidade. Em outro encontro, o vereador e Letícia Sader estiveram no Conselho Nacional dos Direitos da Pessoa Portadora de Deficiência (CONADE), ligado a Secretaria de Direitos Humanos. O contato permitiu

à Adefipe conhecimento de meios para recebimento de recursos para capacitação de profissionais no atendimento às pessoas com deficiência. O benefício, pode ser direto entre o CONADE e a Adefipe. Os valores vão de R$ 50 mil a R$ 150 mil. “Agradecemos ao vereador Hugo pelo apoio à Adefipe em Brasília. Foi uma oportunidade muito importante para a entidade”, diz Letícia Sader. Em continuidade de respaldo à Adefipe, Hugo Crepaldi agenda para os próximos dias audiência com a deputada estadual Célia Leão. Nas últimas semanas, ele também apresentou projetos de lei em defesa da categoria, como para atendimento preferencial para portadores de deficiência e idosos nos estabelecimentos públicos de saúde e aquisição de livros em braille pela biblioteca municipal. Hugo Crepaldi agradece o prefeito pelo atendimento de doação de terreno à Adefipe.

anuncie aqui

comercial@cidadedepenapolis.com.br

Biblioteca terá palestra sobre Mediação de Leitura

A Biblioteca Pública Municipal “Prof. Fausto Ribeiro de Barros” realiza no próximo dia 27, sexta-feira, às 19h30, a Palestra sobre Mediação de Leitura, que será ministrada pela educadora do Museu de Língua Portuguesa, Rita Braga. A palestra é voltada para todos os profissionais da cidade e região que trabalham com mediação de leitura e também para aqueles que têm interesse no assunto. “Os interessados devem fazer a inscrição o quanto antes, pois as vagas são limitadas”, orientou a bibliotecária Solange Chótolli. O evento é gratuito, porém, as inscrições precisam ser feitas antecipadamente, até o dia 25 de abril, na Biblioteca Municipal. A palestrante Rita Braga irá discorrer sobre o tema “Mediação, literatura e leitura no Museu da Língua Portuguesa”, quando fará a apresentação das práticas educativas relacionadas à leitura e à literatura no contexto do Museu da Língua Portuguesa, com ênfase no processo de criação de atividades e materiais educativos utilizados nas visitas às exposições temporárias. Rita Braga é graduada em Letras pela USP - Universidade de São Paulo.


JORNAL DA CIDADE

mundo

Cúpula das Américas termina sem consenso sobre inclusão de Cuba em futuros encontros

Agência Brasil

Os Estados Unidos vetaram os parágrafos 17 e Brasília – A 6ª Cúpula das 18, referentes à inclusão de Américas encerrou ontem Cuba en futuras cúpulas e à (15) suas deliberações sem necessidade de acabar com consenso em dois pontos o bloqueio econômico e coprincipais, relacionados à mercial da ilha. O Parágrafo inclusão de Cuba em futuros 17 dizia textualmente: “os encontros, o que tornou chefes de Estado decidem impossível a elaboração de convidar a República de uma declaração final acor- Cuba a participar da próxidada entre todos os chefes ma Cúpula das Américas, a de Estado e de governo que realizar-se no Panamá”, e o se reuniram durante dois Parágrafo 18 assinalava: “os dias em Cartagena das Ín- chefes de Estado lembram dias, no Caribe colombiano. com interesse as recen-

tes resoluções aprovadas pela Assembleia Geral das Nações Unidas relativas à necessidade de pôr fim ao bloqueio econômico e comercial da República de Cuba”. Os dois parágrafos foram vetados pelos Estados Unidos, que, durante as deliberações, tiveram apoio do Canadá e, em consequência, não foi possível obter uma declaração consensual entre os países participantes da cúpula.

Da Agência Lusa Brasília – O regime sírio advertiu que suas Forças Armadas responderão a ataques intensificados dos rebeldes. As forças sírias bombardearam ontem o bairro de Khaldiyé, em Homs. “Os bombardeamentos a Khaldiyé intensificaram-se hoje de manhã”, disse Rami Abdel Rahmane, presidente do Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH),

Exército sírio já tinha bombardeado Homs, matando três civis. Em toda a Síria, 14 pessoas foram mortas. O cessar-fogo vigora desde quarta-feira (11). No entanto, há relatos de violações da trégua cometidas por ambos os lados. Ativistas políticos informaram ainda que hoje houve confrontos entre o Exército sírio e combatentes da oposição. Apesar de os combates terem baixado de in-

Penápolis, 16 a 22 de Abril de 2012 |

5

Afeganistão anuncia acordo com os EUA sobre operações noturnas

Agência Brasil Brasília – O governo do Afeganistão anunciou ontem ter chegado a um acordo com os Estados Unidos pelo qual as autoridades afegãs assumirão a responsabilidade pelas operações noturnas de forças especiais contra rebeldes. Segundo um portavoz do governo, o ministro da Defesa afegão e o comandante das forças norte-americanas no país assinarão

um memorando de entendimento para deixar as operações sob controle afegão. As operações noturnas têm sido um foco de tensão entre as Forças Armadas americanas e o governo afegão. O presidente do Afeganistão, Hamid Karzai, afirmou que a invasão de lares afegãos por tropas estrangeiras vem elevando o apoio aos militantes rebeldes.

tensidade e de o número de mortes ter diminuído, o Exército sírio ainda não retirou os tanques das cidades, como prevê o plano do enviado especial das Nações Unidas e da Liga Árabe, Kofi Annan. “Desde o início da aplicação do plano Annan, não houve qualquer mudança no dispositivo militar e de segurança. As barreiras e os tanques continuam lá”, afirmou Abdel Rahmane. Seis observadores

das Nações Unidas já estão a caminho da Síria e devem chegar ao país hoje à noite. Eles fazem parte de um grupo que tem como missão avaliar o cumprimento do cessar-fogo entre o regime de Damasco e os rebeldes. O envio de uma equipe avançada de até 30 observadores para a Síria foi aprovado ontem (14) pelo Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU).

Regime sírio responderá a ataques intensificados dos rebeldes com sede em Londres. Segundo Abdel Rahmane, um avião de reconhecimento sobrevoou o bairro durante o ataque, que atingiu também o bairro de Bayyada. Os dois bairros são controlados pelos rebeldes. O Exército sírio controla 70% de Homs, terceira cidade da Síria, apelidada pelos opositores ao regime de Bashar Al Assad como “capital da revolução”. No sábado (14), o

anuncie aqui

comercial@cidadedepenapolis.com.br


6 | Penápolis, 16 a 22 de Abril de 2012

cultura

JORNAL DA CIDADE

Literatura marginal ganha espaço e conquista leitores

Daniella Jinkings Agência Brasil

estética da periferia. O tema foi destaque de um ciclo de debates realizado ontem, Brasília – Como um na 1ª Bienal Brasil do Livro retrato autêntico da vida e da Leitura, em Brasília, nas periferias brasileiras, que reuniu escritores como a literatura marginal vem Vaz, Ferréz e o rapper GOG. ganhando espaço e con- Autor de coletâneas quistando leitores, prin- de poemas que tratam do cipalmente os jovens. cotidiano da periferia de “A literatura que eu São Paulo, Vaz conta que se escrevo vem de ruas que os engajou nesse tipo de literaanjos não frequentam, de tura por ser revoltado com pessoas que não têm voz”, diz a vida. Para ele, os livros o poeta Sérgio Vaz, referin- sobre a realidade das “quedo-se à expressão literária e bradas” mostram como as Foto: Elza Fiúza | ABr

A 1ª Bienal Brasil do Livro e da Leitura defende o estímulo à leitura de crianças

espaço publicitário anuncie aqui

pessoas da periferia estão se tornando protagonistas de sua própria história. “Antigamente, as pessoas escreviam sobre a gente, eramos coadjuvantes. Hoje, somos nós que contamos a nossa história. A literatura é uma arte como outra qualquer e tem compromisso social.” Há mais de dez anos, Vaz criou o Cooperifa, um projeto social que busca disseminar a leitura entre as pessoas de comunidades de São Paulo. Durante o ano, são realizados saraus, oficinas e outras atividades culturais. Atualmente, 150 pessoas estão engajadas no projeto. “Começamos a dar uma função social para a literatura por meio da oralidade. Nós fazemos a gentileza de recitar, e a pessoa faz a gentileza de ouvir. É uma ferramenta para chegar ao livro.” A professora Aline Evangelista Martins acompanhou a evolução do sarau da Cooperifa, em São Paulo

Foto: Elza Fiúza | ABr

O escritor Ferréz participa do debate sobre literatura periférica na 1ª Bienal Brasil do Livro e da Leitura

e o modo como os livros que tratam da realidade do gueto vem impactando as comunidades. “O grande mérito no trabalho deles [de escritores de literatura marginal] é a democratização da leitura, da imagem do leitor, da quebra de estereótipo. [Eles] conseguem ampliar bastante as possibilidades e formar leitores onde muitas vezes a gente não consegue.” A literatura marginal, que tem forte ligação com a cultura do rap e do hip hop, está atraindo cada vez mais os jovens. O estudante

espaço publicitário anuncie aqui

brasiliense Fernando Borges, de 16 anos, viu na literatura uma forma de melhorar o comportamento e mudar de vida. “Eu bagunçava muito na escola, por isso, a professora me passou alguns contos do Ferréz [escritor de literatura marginal], e eu me inspirei. Tomei gosto pela leitura, porque, antigamente, eu não gostava de ler.” Morador da Cidade Estrutural, no Distrito Federal, Fernando tornou-se escritor e deve lançar um livro com textos, poesias e letras de música ainda neste ano.

espaço publicitário anuncie aqui


JORNAL DA CIDADE

entretenimento

QUADRINHOS Rodrigo se comove ao ver as fotos de Gracinha. Fernando reclama com Dimas sobre o descontrole de seu primo. Zé desconversa quando Josué tenta descobrir se ele viajará com Valéria. Rodrigo pede para Kleber liberar Priscila para trabalhar na ONG. Melissa comenta com Rodrigo sobre a joia que ela pediu para Miriam lhe entregar. Beatriz sugere a Gabriel que esperem para revelar às famílias sobre seu relacionamento. Jacira conta para Valéria que Rodrigo beijou Miriam, mas ela não acredita. Rodrigo consegue acesso à ficha de Melissa como funcionária da empresa. Rodrigo convida Dimas, Fernando e Melissa para jantar em sua casa.

Penha, Cida e Rosário se conhecem na delegacia à noite. O relógio começa a voltar para trás. Penha desperta na madrugada com a vinheta do programa do Gentil. Cida varre a entrada da casa. Rosário põe a mesa do café enquanto sonha com Fabian. Sidney se preocupa com a postura da filha ao servir o bufê no camarim do cantor. Penha comemora a construção do “puxadinho”, mas é surpreendida pela fiscalização. Naldo descobre que Socorro denunciou a construção e a repreende. Chayene exige que Penha vá imediatamente para sua casa, pois é noite de show com Fabian. Malaquias resolve colocar Dinha para servir o bufê do camarim. Rosário não gosta da decisão do chefe. Cida diz a Rodinei que não vai à sua apresentação no Pavilhão do Som, porque tem que ajudar com o noivado de Ariela.

Penápolis, 16 a 22 de Abril de 2012 |

JIm Davis

Angeli

Laerte

Nina afirma a Lucinda que não deixará nada atrapalhar o seu acerto de contas com a ex-madrasta. Carminha elogia a comida de Nina e todos em casa comemoram. Muricy e Leleco discutem por causa de Tessália. Jorginho acusa Lucinda de ter mentido sobre o paradeiro de Rita. Nina observa Max e Carminha juntos. Cadinho fica enciumado ao ver Alexia conversar com Ruy. Nina chora pensando em Jorginho. Lucinda encontra Jorginho vagando e o leva para sua casa. Cadinho tenta interferir na conversa de Alexia e Ruy. Jorginho mente para Débora e sai do treino para procurar Nina. Adauto sequestra Muricy.

anuncie aqui

comercial@cidadedepenapolis.com.br

7

Tiago Abravanel teme ficar marcado como Tim Maia

Tim Maia – Vale Tudo é o musical que fez explodir o nome Tiago Abravanel para a mídia e para os diretores. Todo mundo ficou de olho no rapaz de 24 anos, tanto que Glória Perez o convidou para fazer um papel em sua nova trama, Salve Jorge!, da Globo, mas ele confessa para O Fuxico que tem receio de ficar estigmatizado com o personagem que lhe trouxe a fama. “Fico com um pouco de receio de ficar marcado, mas encaro como um novo desafio fazer novos personagens. De qualquer forma sou muito grato ao Tim por este presente!” Informações - Site “O Fuxico”.

espaço publicitário anuncie aqui


8 | Penápolis, 16 a 22 de Abril de 2012 Vôlei Futuro comemora ida à final e dá a receita: ‘Só temos de nos divertir’

esporte

JORNAL DA CIDADE Foto: Silas Reche

CAP vence Noroeste e fica a uma vitória do acesso ao Paulistão 2013

Alexandre Gabriel Rodrigues globoesporte.com

Depois de ter dado um passo largo a vaga inédita na final da Superliga, os jogadores do Vôlei Futuro dizem que o título é um sonho possível. Ao lado de Ricardinho, Lorena, que chegou à equipe no começo da temporada, se transformou no grande nome do time de Araçatuba durante a competição. O oposto garante que, para a partida decisiva contra o Cruzeiro, não há mistérios. Não temos de mudar nada. Só temos de nos divertir. Nenhuma mudança, nenhuma pressão. Hoje, nós nos divertimos. O time jogou muito bem. Demos risadas em quadra. Nós nos divertimos jogando vôlei. E é o que devemos fazer de novo.

O atacante Fio dando o toque para fazer o quarto gol da goleada de 4x1 em cima do Noroeste, pela terceira rodada da 2ª fase, o Penapolense fica a uma vitória da A1.

Ricardo Faria O Penapolense deu um importante passo rumo a divisão de elite do futebol paulista. Nesta manhã, 15, vence o bom time do Noroeste de Bauru por 4x1. Agora o CAP lidera o grupo 3 com 7 pontos, seguido por 4 pontos do rival. Para se classificar, basta a pantera da noroeste, vencer o Norusca no próximo

sábado, 21, às 19h, no estádio Alfredo de Castilho, em Bauru. E torcer por um empate no jogo entre São Bernardo e Red Bull que jogam também no sábado, às 18h, no Primeiro de Maio, em São Bernardo. O jogo começou bem para o Penapolense que logo aos 3 minutos abriu o placar com Santos que finalizou após rebote do

goleiro Nicolas. Mas o Norusca não se intimidou e aos 13 minutos, o time empatou com um belíssimo chute de Romarinho que colocou a bola no ângulo de Ricardo. Depois do gol, o CAP foi para cima do Noroeste e, aos 44, Guaru desempata a partida, após ótima jogada de Luciano Gigante. No segundo tempo, a pantera continuou jogando

anuncie aqui

nos contras ataques do Noroeste. E aos 16 minutos, o time da casa, converte um pênalti com Luciano Gigante. E fio, aos 30, só tocou para o fundo das redes, depois de ótima jogada de Niander e Guaru. O Norusca ainda acertou duas bolas na trave do goleiro Ricardo, mas ficou assim, CAP a uma vitória do acesso 4x1 em cima do Noroeste.

comercial@cidadedepenapolis.com.br


Jornal da Cidade | Primeira Edição