Issuu on Google+


T e at r o   M a r i a   M at o s   ~   L i s b o a

T r ansfor ma   ~   Torres   Vedr a s

6 ~ 7 Maio

20 ~ 21 Maio

Dois Graus Two Degrees

TTT Transforma Think Tank

Conferência + Seminários Conference + Workshops

Alterações Climáticas, Design e Desenvolvimento Sustentável de Eventos de Arte no Espaço Público Climate Change, Design and Sustainable Development of Art Events for the Public Space

Transforma Lab Arte, Localização, Espaço Público Criações Artísticas no Espaço Público Arts, Location, Public Space Arts Projects in the Public Space

8 ~ 9 Julho Terra² Earth² 5 Criações Artísticas para o Espaço Público 5 Artistic Creations for the Public Space

M A T O S

5 Criações Artísticas para o Espaço Público 5 Artistic Creations for the Public Space

17 Junho > 16 Julho

M A R I A

Terra² Earth²

T E A T R O

16 Julho


O Desenvolvimento Sustentável é um conceito surpreendentemente simples. Baseia-se no raciocínio irrefutável de que o crescimento infinito é impossível dentro de um sistema finito e alerta para o facto de a humanidade não poder continuar a extrair minerais, gastar água, desbastar florestas, extinguir espécies de animais e de plantas e poluir o ar, como se todos os recursos fossem inesgotáveis. É necessário aprender a viver dentro dos limites do ecossistema terrestre, pela mais simples das razões: este é o único planeta que temos para viver. As alterações climáticas têm-se tornado o assunto mais falado entre todas as temáticas ecológicas, porque já causam efeitos mensuráveis à escala planetária, mas também existe o risco iminente de ultrapassar os limites em quase todas as áreas do ecossistema global. São necessárias mudanças profundas e drásticas para salvar o equilíbrio ecológico, manter os níveis económicos e sociais dos países desenvolvidos e criar oportunidades para uma vida melhor nas regiões mais pobres. Precisamos de tomar medidas que abranjam todos os sectores da nossa sociedade (pessoas, organizações, empresas e autoridades) e que representem mudanças reais no nosso estilo de vida e no nosso sistema de valores. O programa Arte, Alterações Climáticas e Desenvolvimento Sustentável, uma colaboração entre a Transforma (Torres Vedras) e o Teatro Maria Matos (Lisboa), reconhece que o sector cultural tem um papel no processo de transição para a sustentabilidade. Sustainable Development is an amazingly simple and straightforward concept. It is based on the irrefutable fact that it is impossible to endlessly grow within a finite system and adverts that humankind cannot continue to extract minerals, use water reserves, shrink forests, extinct animal and plant species and pollute the air as if they were endlessly available. It states the obvious truth that humankind has to learn to live within the boundaries of Ecosystem Earth, for the simple reason that it is the only planet we’ve got to live on. Climate change has become the most talked about of all ecological issues, because it is the one that is already causing measurable effects on a planetary scale, but comparable risks of crossing the limits exist on nearly all levels of the global ecosystem. It has become clear that profound and radical change is needed if we want to return to an ecological balance, maintain our economic and social standards and create opportunities for a better life in the poorer regions of the globe. The changes we need are profound because they have to be applied by all people, organizations, enterprises and authorities on all levels of society; they are radical because they imply real changes in life styles and value systems. The program Art, Climate Change and Sustainable Development, realized by Transforma (Torres Vedras) and Teatro Maria Matos (Lisbon) acknowledges that the cultural sector and the arts have a real role to play in the transition to sustainability.

Mark Deputter T e a t r o   M a r i a   M a t o s   —   L IS B OA T R A N S F O R M A

Luís Firmo T r a n s f o r m a   —   T o r r e s   V e d r a s

3


Dois Graus

Two Degrees 6+7 Maio May 6th+7th

Conferência e seminários Conference and workshops Em inglês sem legendagem In English without translation

4

M A R I A

Mark Deputter C o m i s s á r i o ~ C u r a t o r

T E A T R O

O Programa para o Desenvolvimento das Nações Unidas advoga um limite máximo de 2°C para o aumento da temperatura média global, argumentando que, caso se ultrapasse esse valor, as consequências para a vida na Terra serão irreversíveis. Apesar disso, as conferências sobre mudanças climáticas em Copenhaga e Cancun não conseguiram assegurar um acordo viável… Se as emissões continuarem a crescer ao ritmo actual, todas as previsões científicas prevêem um aumento da temperatura média global que pode chegar aos 4°C até ao final do século. O aumento da temperatura não é apenas um problema global, mas também transversal. A emissão de gases de estufa está ligada a todos os sectores da actividade humana e uma redução significativa das emissões só pode ser alcançada através do esforço de todos. Qual é o papel do sector cultural neste contexto? A arte tem a capacidade de informar o público? Tem o dever de incitar as pessoas a reduzir a sua pegada ecológica? Os próprios artistas e agentes culturais podem desenvolver métodos ecológicos para produzir, apresentar e distribuir obras artísticas? The United Nations Development Program puts forward a limit for global warming of 2°C; surpassing this limit would have irreversible consequences for the conditions of life on Earth. Still, neither the UN Conference on Climate Change in Copenhagen, nor the Cancun Summit, managed to provide for a workable agreement. If greenhouse gases continue to grow at the actual rhythm, all scientific models predict a raise in temperature of up to 4°C until the end of the century. Climate change is not only a global issue, but also a transversal one. The emission of greenhouse gasses is caused by all areas of human activity and it is clear that a significant reduction in carbon emissions can only be achieved through the efforts of all. What could be the role of the cultural sector? Do the arts have the capacity to raise public awareness about climate change? Can they warn the public for possible consequences? Should they incite the people to reduce their ecological footprint? And shouldn’t art institutions and artists also develop ecological working methods to produce, present and distribute art?

M A T O S

Teatro Maria Matos, Lisboa


10h00 ~ 10h30

6 Maio · May

Introdução Introduction

Dirigido ao público em geral — Sala Principal

Mark Deputter

E n t r a d a   l i v r e

For a general audience — Main Auditorium

M a r i a   M a t o s  T e a t r o   M u n i c i p a l ,  L i s b o a

F r e e   e n t r a n c e

Delgado Domingos,

10h30 ~ 13h00 As alterações climáticas, a ecologia e o desenvolvimento sustentável: onde estamos e o que podemos fazer? Climate change, ecology and sustainable development. Where do we stand and what can we do?

A  transição  para uma  sociedade  sustentável: uma  abordagem  sistémica The transition to a sustainable society: a systems perspective

Rumo  às  Emissões Carbono  Zero Towards Carbon Zero Emissions Julie Bromilow C e n t r e  f o r  A lt e r n at i v e T e c h n o lo g i e s,  Wa l e s,  U K

Peter Tom Jones

O relatório zerocarbonbritain2030 é uma visão positiva e realista para uma sociedade livre de combustíveis fósseis. Apresenta soluções políticas, económicas e tecnológicas para os desafios urgentes apontados pela ciência climática e explora sinergias entre vários sectores com o objectivo de criar soluções integradas. Explicita como se pode reduzir o uso de energia na construção, nos transportes, na ordenação do território e no comportamento humano e propõe avanços concretos na aplicação das energias renováveis. The zerocarbonbritain2030 report is a positive, realistic vision for a society free from fossil fuels. It provides political, economic and technological solutions to the urgent challenges raised by climate science. It explores the synergies between sectors to create a fully integrated solution to climate change. The report explores how we can Power Down demand in the built environment, transport, land use and behavioural change, then Power Up the energy system with renewable.

T R A N S F O R M A

U n i v e r s i t y   o f   L e u v e n ,   B e l g i u m

Respeitar os limites ecológicos do ecossistema terrestre é condição base não negociável para o nosso desenvolvimento socio-económico. O diagrama de Rockström demonstra que já ultrapassámos a margem operacional de segurança para algumas questões ambientais globais, incluindo as alterações climáticas. De forma a regressar a uma sustentabilidade ecológica, o uso de recursos naturais pelos países desenvolvidos tem de ser reduzido em 90%. É essencial uma transição para a sustentabilidade. Respecting the ecological limits of Ecosystem Earth is the non-negotiable basis for our social and economic development. The Rockström diagram illustrates that we have already breached the safe operating space for several global environmental issues, including climate change. In order to return to ecological sustainability, the use of natural resources by industrialised countries needs to be reduced by 90%. A transition is required.

D e b ate

a b erto

ao

p ú b ico

open

5

de b ate

d o is

d e   E ne r g i a   —   Am b i en t e   d e   L i s b o a

g r a u s • T W O

D E GR E E S

L i s b o a   E - N o v a   •   A g ê n c i a   M u n i c i p a l

c o n fe r ê n cia • c o n fe r e n ce

Conferência  ~  Conference


Conferência  ~  Conference

14h30 ~ 16h00 Arte, Alterações Climáticas e Desenvolvimento Sustentável Art, Climate Change and Sustainable Development

A Transição do Sector das Artes para o Desenvolvimento Sustentável The Arts Sector in Transition to Sustainable Development

Trabalhar as Alterações Climáticas com os Artistas: Produzir, Apresentar e Distribuir Working with Artists on Climate Change: Commissioning, Presenting, Touring

Helen Heathfield i

e

s

B

i

c

y

c

l

e

,

 U

Judith Knight

K

Usando como referência os múltiplos exemplos no Reino Unido de organizações artísticas, redes e parcerias que estão a reduzir o seu impacto ambiental, iremos partilhar os sucessos conquistados e as lições aprendidas referentes a teatros e salas de concertos, digressões, festivais, editoras, artes visuais e dança. Uma visão para um futuro mais sustentável e uma forma de inspirar organizações a atingi-lo. Reporting on the success we’re enjoying and the lessons we’re learning from arts organisations, networks and partnerships in the UK. Covering theatres and touring, music venues, festivals, record labels, visual arts and dance. Sharing a vision for a low carbon future with a flourishing arts sector and inspiring organisations to get on with it!

A

r

t

s

a

d

m

n

,

U

K

M A R I A

g r a u s • T W O

D e b ate d o is

i

Como deve o sector das Artes responder às alterações climáticas? Devemos encomendar trabalhos que chamem a atenção para esta problemática? Devemos continuar a promover digressões internacionais? Nesta conferência, Judith Knight fala sobre os compromissos da Artsadmin face às alterações climáticas: o trabalho no contexto da rede Imagine 2020, a curadoria de arte e os esforços para tornar as digressões mais ecológicas. How should the arts respond to climate change? Should we be commissioning work to draw attention to the subject? Should we continue to tour internationally? Judith Knight will talk about Artsadmin’s engagement with the issue of climate change: the Imagine 2020 Network, commissioning artists’ work and finding ways of making international touring ‘greener’.

M A T O S

l

a b erto

ao

p ú b ico

open

6

de b ate

T E A T R O

u

D E GR E E S

c o n fe r ê n cia • c o n fe r e n ce

J


c o n fe r ê n cia • c o n fe r e n ce

Conferência  ~  Conference

16h30 ~ 18h00

Adam von Haffner Paulsen I N D E X  

André Soares Boom  Festival,  Portugal; Ecocentro IPEC,  Brazil

T R A N S F O R M A

Desde 2006 que André Soares e o Boom Festival embarcaram na viagem de criar um grande festival sustentável, procurando responder ao desafio com práticas ecológicas e novas tecnologias. Actualmente o festival é tido como um caso de sucesso, tendo recebido várias distinções e prémios, incluindo os prémios europeus Green Festival e Green and Clean Festival. Since 2006, André Soares and Boom Festival have embarked on a journey to make a large arts and music festival sustainable, meeting the challenge on many fronts, from the development of sustainable practices to the invention of new technologies. Today, the festival is perceived as an example and has received various awards, including the Green Festival and the Green and Clean Festival Award of Europe.

a b erto

ao

A w a r d s ,  

p ú b ico

open

D en m a r k

INDEX: é uma organização sem fins lucrativos fundada em 2002 e internacionalmente reconhecida pelo seu prémio bienal de design, no valor de 500 000€. INDEX: promove o sonho de um mundo concebido para satisfazer as necessidades e aspirações da humanidade e nove anos de experiência mostram que o design pode ser um factor decisivo na construção de um mundo melhor. INDEX: is a non-profit organization established in 2002, focussing on “Design to Improve Life”. INDEX: is widely recognized for the global biennial design award, the largest monetary design prize in the world, worth €500,000. INDEX: dreams of a world that is designed to suit the needs and aspirations of mankind, and nine years of experience have shown that design can be a decisive factor of a better world.

7

de b ate

g r a u s • T W O d o is

Design para Melhorar a Vida: os INDEX: Awards INDEX: Award & Design to Improve Life

Vale  a  Pena  a  Festa? A  Experiência de Sustentabilidade do  Boom  Festival Is  it  Worth  a  Party? The  Sustainability  Experience of  Boom  Festival

D e b ate

D E GR E E S

Práticas de Desenvolvimento Sustentável nas Artes Practices of Sustainable Development in the Arts


S e m i n á r i o s  ~   W o r k s h o p s

7 Maio · May

Dirigido  a  artistas, estudantes  e  profissionais das  artes do espectáculo Inscrição obrigatória até 4 de Maio, através de: anagomes@egeac.pt Máximo 20 participantes por seminário — Seminários decorrem em simultâneo. E n t r a d a   l i v r e For  artists,  students and  performing arts  professionals Mandatory enrollment until May 4th at: anagomes@egeac.pt Maximum 20 participants in each workshop — The workshops happen simultaneously. F r e e   e n t r a n c e

10h00 ~ 13h00

Como  Gerir um Teatro Sustentável Sustainable Venues and Theatres

Produzir  Espectáculos de  forma  mais  Ecológica A  more  sensible Production  Household for  the  Performing  Arts

Helen Heathfield i

e

s

B

i

c

y

c

l

e

,

 U

Johan Penson

K

Vários teatros no Reino Unido estão a diminuir o seu impacto ambiental. Helen Heathfield expõe casos concretos como o do Arcola Theatre, do National Theatre, do Sage Gateshead e da Wembley Arena. Este seminário procura apresentar propostas concretas, das questões técnicas a medidas de gestão de uma equipa ecológica, passando pela comunicação. Helen Heathfield will share the experience of theatres across the UK who are improving their environmental impact, including Arcola Theatre, National Theatre, Sage Gateshead and Wembley Arena. From technical insights, to how best to manage an eco-team and communicate with incoming productions and audiences, this presentation will be interactive to ensure all your questions are answered.

R

O

S

S

/

b

as

t

t

,

B

e

l

g

i

u

m

O que podem as artes performativas fazer relativamente às alterações climáticas? Como podemos viver de consciência tranquila e desenvolver produções artísticas tendo conhecimento da pegada ecológica que provocamos? Esta intervenção pretende ser um guia prático para a gestão sustentável de processos criativos e apresentar um exemplo de um espectáculo com baixo nível de consumo energético. What can the performing arts do for climate change on a practical day-to-day basis? How can we make good theatre and dance productions and still sleep well overnight because of the carbon footprint we have left behind? This is a practical guide to sustainable management of creative processes in the performing arts and an example of a performance with a low level of power consumption.

M A R I A

W O • T a u s g r d o is

A

M A T O S

l

8

T E A T R O

u

D E GR E E S

semi n

á r i o s

w o r k

s h o p s

J


w o r k s h o p s semi n

á r i o s

S e m i n á r i o s  ~   W o r k s h o p s

D E GR E E S

15h00 ~ 18h00

Educação para o Desenvolvimento Sustentável e para a Cidadania Mundial Teaching Sustainable Development and Global Citizenship

T R A N S F O R M A

u

l

i

e

s

B

i

c

y

c

l

e

,

 U

K

Helen Heathfield apresenta uma pesquisa recente sobre digressões de peças de teatro, orquestras e bandas e sobre a forma como as organizações têm posto em prática as recomendações da agência Julie’s Bicycle. A Industry Green Tool for Touring pode ajudar no planeamento e avaliação das digressões: a escolha de fornecedores, as opções de cenografia, os percursos da digressão, a colaboração das equipas e dos artistas e a partilha dos resultados com o público. Helen will present a recent research on theatre, orchestra and band touring and explore how arts organisations are putting its recommendations into practice. The Industry Green Tool for Touring can help with tour planning and reporting: good supply chain partners, options for set design, tour routing, gaining support from crew and artists and ways of talking about your efforts with your audiences.

Neste seminário, professores e educadores adquirem conhecimentos sobre a sustentabilidade e a sua aplicação num contexto educativo. Os participantes encontrarão inspiração e novas ideias para trabalhar estes temas globais com crianças, estudantes e adultos. As alterações climáticas, o desenvolvimento sustentável e a biodiversidade são abordados através de temas concretos como a comida, a casa e a energia. This workshop allows teachers and educators to find out more about sustainability issues and how to apply them in an educational setting. Participants will acquire inspiration, increase their own knowledge, and gain ideas for bringing global issues to children, students and adults. The wide range of learning covers climate change, global equity and biodiversity through subjects such as food, building and energy.

d o is

Helen Heathfield J

Julie Bromilow

g r

Digressões Sustentáveis de Espectáculos e Concertos? Lower Carbon Touring?

C e n t r e  f o r  A lt e r n at i v e T e c h n o lo g i e s,  Wa l e s,  U K

a u s

T

W O

10h00 ~ 13h00

9


S e m i n á r i o s  ~   W o r k s h o p s

15h00 ~ 18h00 Trabalhar  com Artistas, Públicos  e  Decisores Working  with  Artists, Audiences  and  Stakeholders

Festivais  Sustentáveis Sustainable  Festivals André Soares Boom  Festival,  Portugal; Ecocentro IPEC,  BraZil

Os eventos culturais são janelas de oportunidade para demonstrar a viabilidade de estilos de vida sustentáveis. A sustentabilidade requer um planeamento estratégico e operacional que respeita as limitações da água, da energia, das matérias-primas, do tempo e das pessoas. Neste seminário, usamos a Permacultura como uma ferramenta para discutir estratégias para um evento sustentável. Cultural events represent windows of opportunity to present the viability of sustainable lifestyles. Sustainability is achieved with strategic and operational plans: understanding the limitations of water, energy, materials, time and people is crucial in order to make progress. In this workshop we will use Permaculture as a design tool to discuss the strategies for a sustainable event.

Judith Knight A

r

t

s

a

d

m

i

n

,

U

K

Ao tomar a decisão de tornar as artes “mais amigas do ambiente”, por onde começar? Junto dos artistas, dos públicos, dos financiadores, dos espaços? Como é que uns podem influenciar os outros? Como unir todos estes pontos? Having made a decision to make the arts ‘greener’, where do we begin? Is it with the artists, the audiences, the funders, the venues?  How can each influence the other? How do we join up the dots?

B i o g r a f i a s   ~   b i o s

Peter Tom Jones R e s e a r c h   M a n a g e r  I n d u s t ri a l  E c o l o g y ,  U n i v e r s i t y   o f  L e u v e n ,   B e l g i u m

Além do seu trabalho académico na Universidade de Lovaina, Peter Tom Jones é activo na área do Transition Management. É co-fundador do Plan C, a organização flamenga para a Gestão Sustentável de Materiais, e de Terra Reversa, um think tank para a economia ecológica. É ainda autor de vários livros e artigos sobre ecologia, economia ecológica, alterações climáticas e transition management. Apart from his academic work at the University of Leuven, Peter Tom Jones is active in transition management. He is co-founder of Plan C, the Flemish transition arena for Sustainable Materials Management, and Terra Reversa, a think tank for ecological economics. He is the author of several books and articles concerning ecology, ecological economics, climate change and transition management. w w w.petertomjones.be

André Soares

Co-directora e fundadora da Artsadmin — uma organização ímpar na produção de projectos de teatro, dança, live art e artes visuais — que tem apoiado nos últimos 30 anos alguns dos mais inovadores artistas •

1 0

M A R I A

Judith Knight Dir e c t o r Ar t s a d mi n ,  U K

M A T O S

Dir e c t o r  o f   B o o m F e s t i v a l ,   P o r t u g a l   a n d  E c o c e n t r o   I P EC ,   B r a z i l

André Soares é designer ambiental e consultor. Fundou várias ONGs, incluindo o maior centro de educação para a sustentabilidade na América Latina. Durante os últimos 20 anos, tem sido consultor na área da transição para a sustentabilidade na Austrália, Europa, África, América do Norte e América Latina. André Soares is environmental designer and consultant. He has founded several NGOs, including the largest sustainability demonstration and education centre in South America, Ecocentro IPEC in Pirenópolis, Brazil. For the last 20 years, he has done consultancies in the area of transition to sustainability in North and South America, Australia, Europe and Africa. w w w.boomfestival .org ~ w w w.ecocentro.org

T E A T R O

d o is

g r

a u s

• T

W O

D E GR E E S

B I O S

E n v ir o n m e n t a l  D e s i g n e r  a n d  C o n s u l t a n t .  S u s t a i n a bi l i t y


D E GR E E S

B I O S

Adam von Haffner Paulsen N e w s  D i r e c t o r  INDE X  A w a r d s ,  D e n m a r k

Adam von Haffner Paulsen é responsável pelo recém-formado Departamento de Comunicação da INDEX: e gere a cada vez mais completa galeria de notícias sobre Design to Improve Life. É formado em Creative Basics pelo Graphic Arts Institute da Dinamarca e trabalha com a INDEX: desde 2005. Adam von Haffner Paulsen is in charge of the newly formed INDEX: News Department, managing the ever increasing Design to Improve Life news gallery. He has worked for INDEX since 2005. As a graduate of the Graphic Arts Institute of Denmark, he holds a diploma in Creative Basics. w w w.index award.dk

Helen Heathfield D i r e c t o r   o f  E n e r g y   a n d  E n v i r o n m e n t , J u l i e ’ s   B i c y c l e ,  UK

Tem formação em Economia do Ambiente e tem vindo a aplicar esse conhecimento ao urbanismo, energia, alterações climáticas e comportamento social. Como directora do Departamento de Energia e Ambiente da Julie’s Bicycle, promoveu perto de cem auditorias e avaliações ecológicas, aconselhando centenas de organizações de artes. Helen está determinada em transformar a relação connosco próprios e com o nosso planeta. Helen Heathfield trained as an environmental economist and has been applying it to buildings, energy, climate change and our behaviour ever since. As Director of Energy and Environment at Julie’s Bicycle, Helen has undertaken nearly 100 carbon audits and Industry Green assessments, providing advice to hundreds of arts organizations. Helen is passionate about transforming our relationship with ourselves and with our planet. w w w.juliesbicycle.com

Julie Bromilow

T R A N S F O R M A

E d u c a t i o n  O f f i c e r  C e n t r e   f o r  A l t e r n a t i v e   T e c h n o l o g y ,  W a l e s ,  UK

Depois de se ter formado em Arte e História da Arte, Julie Bromilow leccionou em escolas primárias em Inglaterra e no Gana. Trabalhou como Assessora para a Educação Ambiental no Centro Internacional de Desenvolvimento e Educação Pestalozzi, no Reino Unido. Posteriormente, recebeu uma bolsa de investigação do governo japonês a propósito da Década da ONU para a Educação do Desenvolvimento Sustentável. Tem trabalhado desde 2007 como responsável do Serviço Educativo do CAT, desenvolvendo programas de educação sustentável para todas as disciplinas e idades. Julie Bromilow has a BA in Art and Art History. She then qualified as a teacher and taught in primary schools in England and Ghana. She worked as an Environmental Education Officer at Pestalozzi International Development Education Centre in the UK, then won a Japanese Government scholarship to research the UN Decade of Education for Sustainable Development. She has worked as an education officer at CAT since 2007, running sustainability education programmes for all subjects and ages. w w w.cat.org.uk •

1 1

g r

Com formação em engenharia de som, Johan Penson é Director Técnico da companhia Rosas de Anne Teresa De Keersmaeker e presidente da Associação Belga de Cenógrafos e Técnicos de palco, Bastt, uma organização que valoriza o desenvolvimento sustentável. É membro do eco-atelier Cultuurforum, um think tank do Ministério da Cultura da Flandres sobre o papel da cultura na transição para uma sociedade sustentável. Trained as a sound engineer, Johan Penson is technical director of Anne Teresa De Keersmaeker’s dance company Rosas and president of Bastt (Belgian association of scenographers and theatre technicians), an organization with sustainability high on the agenda. He is also member of Cultuurforum eco-atelier, a think tank created by the minister of culture of Flanders to investigate the role of culture in the transition towards a durable society. w w w.rosas.be ~ w w w.bast t.be

d o is

Johan Penson T e c h n i c a l   d i r e c t o r  R o s a s   a n d   P r e s i d e n t  o f   B a s tt ,   B e l g i u m

a u s

T

do Reino Unido. Artsadmin é membro da rede Imagine 2020 e tem focado, nos últimos anos, grande parte do seu trabalho na problemática das alterações climáticas. Judith Knight is co-director and founder of Artsadmin, a unique organisation producing contemporary theatre, dance, live art, visual arts and interdisciplinary projects, which, over the last thirty years, has supported many of the most innovative artists in the UK. Artsadmin is a member of the Imagine 2020 Network and has, in recent years, focussed much of its work on issues of climate change. w w w. Artsadmin.co.uk

W O

B i o g r a f i a s   ~   b i o s


Transforma Think  Tank Alterações Climáticas, Design e Desenvolvimento Sustentável de Eventos de Arte no Espaço Público Climate Change, Design and Sustainable Development of Art Events for the Public Space

20+21 Maio May Evento reservado a profissionais convidados Exclusive to the invited participants of the programme •

1 2

T E A T R O

Transforma, Torres Vedras

M A R I A

M A T O S

20th+21st


Fac i l i ta d o r e s~Fac i l i tato r s:

Henry Lydiate ~ Elizabeth Lydiate

Henry Lydiate t h e h e n ry ly d i at e pa r t n e r s h i p,u k

Henry Lydiate é um advogado especialista em cultura e artes, gestor, educador e estratega. Tem mais de 30 anos de experiência internacional em consultadoria empresarial no sector das indústrias criativas e culturais; e uma vasta experiência enquanto conferencista, docente, ensaísta e jornalista.  É reconhecido no Reino Unido e internacionalmente pelo seu trabalho e foi recentemente convidado para leccionar na Universidade das Artes de Londres. Henry Lydiate is an arts lawyer, manager, educationalist and strategist. He has thirty years’ experience of international business consultancy work in the creative arts and cultural and in other content-led industries; and extensive experience as a public speaker, lecturer and trainer, published writer and journalist. His recognised nationally and internationally, most recently by appointment as Visiting Professor at the University of the Arts London. w w w.thehenrylydiatepartnership.com

Elizabeth Lydiate

T R A N S F O R M A

b u s s i n e s s  d e v e lo p m e n t  co n s u lta n t,u k

Foi fundadora e directora dos cursos profissionais da Design Business Association e concebeu programas para a licenciatura e mestrado de Gestão do Design na actual Universidade das Artes Criativas. Posteriormente, desenvolveu programas para o mestrado em Empreendorismo e Gestão das Artes Criativas da Universidade das Artes de Londres. Depois de desempenhar a função de directora do curso durante dez anos, trabalha agora de forma independente em consultoria. Em simultâneo, trabalha como investigadora, documentalista e consultora. Elizabeth Lydiate devised and acts as course director for the Design Business Association’s Professional Practice Courses and established and managed BA and MA Design Management Programmes at now University of the Creative Arts. She then established the MA Enterprise and Management for the Creative Arts programmes at the University of the Arts London. After acting as Course Director for ten years she now runs her own consultancy practice. She also acts an External Examiner, as a Specialist Subject Reviewer and as a consultant. w w w.lizlydiate.co.uk

1 3

T H I NK

T A NK

Luís Firmo c u r a d o r~c u r ato r

T R A N S F OR M A

O Transforma Think Tank explora o papel da produção artística e criativa no desenvolvimento competitivo e sustentável das cidades, e a importância potencial da liderança e da economia associada ao sector criativo/cultural, estimulando a partilha entre os diversos interessados, tais como académicos, decisores políticos, proprietários, comunicação social, profissionais da cultura e criadores de diversas disciplinas. Como é que as práticas artísticas e a criatividade podem participar no desenvolvimento de uma cultura de inovação e de concepção sustentável que possa promover a competitividade de uma cidade, de uma região ou de um país? Contando com a intervenção de uma larga rede de colaboradores especializados e centrandose na temática referida, este TTT irá debruçar-se no desenvolvimento de um evento de Arte para o Espaço Público e identificar os seus principais objectivos, os seus valores, crenças e princípios. Transforma Think Tank explores the role of artistic production in the sustainable development of cities, and the economic and leadership potential of the creative/cultural sector, stimulating exchange between the various creative sector stakeholders, such as academics, policy-makers, brand owners and media owners, and of course creative professionals and practitioners across all disciplines. How can artistic practice and creativity participate in the development of sustainable production that is capable of promoting the competitiveness of a city, a region or a country? With the help of an extensive network of expert collaborators and a particular focus on the suggested conceptual framework, this TTT will be look into the generation of a concrete proposal for the development of a major Art event for the Public Space, defining its key purposes, values, beliefs and principles.


Transforma Lab Arte, Localização, Espaço Público Criações Artísticas no Espaço Público Art, Location, Public Space Arts Projects in the Public Space

Transforma, Torres Vedras Faculdade de Belas-Artes UP, Porto •

1 4

T E A T R O

M A R I A

M A T O S

17 Junho a 16 Julho June 17th to July 16th


L A B

Luís Firmo, Gabriela Vaz-Pinheiro, Artista e Investigadora FBAUP

T R A N S F O R M A

c u r a d o r e s ~ C u r at o r s

O programa completo será divulgado durante o mês de Maio. The full programme will be announced in May.

1 5

T R A S N F OR M A

Repensar a cidade com base na recriação de memórias e de significados, bem como na recuperação do carácter singular dos locais, é o objectivo deste Projecto que pretende estimular o desenvolvimento de trabalho criativo que empreenda práticas e formas de relação com a paisagem urbana e com o social. É um projecto que tem o intuito estratégico de investigar, de experimentar e de promover novas formas de actuação no espaço público, considerando aspectos como regeneração, boas práticas ambientais e desenvolvimento sustentável. Neste contexto e no âmbito da IMAGINE2020 Art and Climate Change Network, entre 17 de Junho e 16 de Julho, a Transforma ensaia um novo evento com apresentações em Torres Vedras e no Porto, em parceria com um conjunto diversificado de criadores e de organizações, nomeadamente com a Faculdade de Belas-Artes da Universidade do Porto e na sequência do seu projecto Transformations. The aim of this project is to re-think the city by recreating memories and meanings while simultaneously recovering the singular character of the places involved in it. We are also committed in stimulating the development of artistic work that carries out practices and forms of relation with the urban landscape and with the social tissue. The project’s core strategy is to research, experiment and promote new ways of intervention in the public space, taking into consideration aspects such as regeneration, good environmental practices and sustainable development. In this context and in collaboration with the IMAGINE2020 Art and Climate Change Network, Transforma unveils a new event in partnership with several creators and organizations that will take place between June 17th and July 16th in Torres Vedras and Porto. One of the projects, for instance, is a partnership with the Faculty of Fine Arts, University of Porto, in an attempt to develop further their Transformations project.


1

A Santos—Desenho proposta de performance: desusos

2

Inês Alves—Proposta Light Festival

3

Ana Sofia Santos e Joana Nascimento—Proposta Sobrexposição

4

Ivo Teixeira—Proposta de instalação de luz

5

Joana Nascimento—Proposta de análise cartográfica

6

Barbara Leite—Proposta de intervenção áudio

1

2

3

4

6

M A R I A

1 6

T E A T R O

T R A S N F OR M A

L A B

M A T O S

5


L A B

Joana Nascimento—Proposta de análise cartográfica

8

Miguel Costa—Proposta Bring your chair

9

Mdomingos, Nuno Cassola, Helena Sousa—Proposta intervenção colectiva

T R A S N F OR M A

7

10 Rui Vieira e Patricia Azevedo—Proposta ParkGreen 11

VaniaCunha—Proposta Registos Efémeros

7

8

9

T R A N S F O R M A

11

10

1

7


Terra 2 Earth 2

Teatro Maria Matos, Lisboa •

1 8

M A R I A

Transforma, Torres Vedras

T E A T R O

8+9 Julho July 8th + 9th 16 Julho July 16th

M A T O S

Arte, Cidade e Desenvolvimento Sustentável 5 Criações Artísticas para o Espaço Público Art, Cities and Sustainable Development 5 Arts Projects in the public space


T R A N S F O R M A

c u r a d o r e s ~ C u r at o r s

1 9

2

·

E A R T H 2

Luís Firmo, Mark Deputter

T E RRR A

Sem alterações drásticas na nossa maneira de usar os recursos naturais, iremos precisar até 2030 não de um, mas de dois planetas Terra. Em Março, a Transforma e o Teatro Maria Matos lançaram uma convocatória para apresentação de projectos artísticos para o espaço público, sobre temas ligados à ecologia, desenvolvimento sustentável, biodiversidade e aquecimento global. Foram seleccionados cinco artistas portugueses e estrangeiros para integrar o projecto Terra². Durante o processo de trabalho, os artistas são convidados a participar na conferência Dois Graus, no Transforma Think Thank e numa residência artística na Transforma, com tutoria de especialistas nas áreas da Ciência e Tecnologia e com a presença de um documentalista. As obras resultantes deste processo serão apresentadas em Torres Vedras e em Lisboa. Without drastic changes in the way we use the resources of our planet, we will need not one but two planets Earth by 2030. Last March, Transforma and Teatro Maria Matos launched an open call for public art projects, devoted to issues of ecology, sustainable development, biodiversity and global warming. Five artistic projects by Portuguese and foreign artists were selected to be part of Earth². The participants are invited to partake in the conference Two Degrees the Transforma Think Thank and an artist-inresidence program at Transforma, with tutorial scientific feedback and documentation of the process. The final results will be presented in Torres Vedras and Lisbon.


I N S T A L A Ç Ã O   ~   instalation

Lisbon U-connected

Iglo

Damien Chivialle, França

José Miguel Quinhones, Portugal

U-FARM é uma experiência agrícola dentro de um contentor na baixa de Paris. No local produz-se peixe, frutas e vegetais orgânicos, evitando deslocações desnecessárias e promovendo significado ao consumo dos alimentos. A comunidade dos U-Farmers desenvolve uma rede na Internet para disponibilizar técnicas agrícolas circulares e apoiar projectos similares em todo o mundo. O poder da Internet e dos smart phones facilita a partilha de conhecimento: os U-Farmers acreditam que a experiência física é algo necessário para desenvolver soluções eficientes. Em Lisbon U-connected falarão mais sobre esta transição. U-FARM is a farming experiment inside a 20-foot container downtown Paris. It locally produces organic fish, fruits and vegetables. It avoids unnecessary transports and gives meaning to food consumption. The U-Farmers community develops an internet network to vulgarize circular agricultural technics and to support similar projects all over the world. Power of Internet and smart phones is easing the sharing of knowhow. Lisbon U-connected will tell more about this transition.

O IGLO é um abrigo atraente. Se for transparente e coberto de plantas comestíveis, é um abrigo suculento. Na cidade dos IGLOs tudo se aproveita tudo se transforma, nada se perde. É necessário apenas fazer a recolha do material pelas ruas e praças. As plantas trepam pela superfície exterior, recebendo o sol e o calor, e o interior permanece fresco. The IGLOO is an attractive shelter. When transparent and covered with edible plants, it is a succulent shelter. In the city of IGLOOs everything is used, nothing is lost. You just need to collect the materials on the streets and squares. The plants grow on the outside surface, receiving the warmth of the sun, inside it is cool. T U T O R   :   I n ê s   C l e m a ti s  Arti s t a   P l á s tic a , For m aç ão  e m  P e r m acu ltur a  e  D i n a m i z a dor a do Projecto  Comunitário  Horta do Monte ,  Portugal

T U T O R   :   V I n C E N T   O L I V A R I ,

cred. Damien Chivialle

cred. José Quinhones

2 0

T E A T R O

T E RRR A

2

·

M A R I A

E A R T H 2

M A T O S

P R O G R M A M A D O R   D E   S O F T W A R E ,   F ra n ç a


E A R T H 2

Manifesto

Bárbara Ramalho, Carolina Rocha, Rita Monteiro e Sara Machado, Portugal

Alexandre Osório, Portugal

O conceito de desperdício é inerente a todos os sistemas naturais sendo, no entanto, potenciado pela actividade humana. Vivemos o vazio histórico de um mundo saturado de imagens e informação — a cultura moderna desenvolveu-se como uma cultura de amnésia. O homem moderno esqueceu o passado colectivo que determinou a situação presente. Partindo do método "cadavre exquis" constrói-se uma narrativa sobre uma civilização que funda todos os seus esforços no amanhã e que, ao mesmo tempo, está cada dia mais consciente de que não existe um amanhã melhor. Although inherent to all natural processes, the creation of waist has been enormously augmented by human activity. We live in a historic void, a world saturated with images and information – modern culture has developed into a culture of amnesia. Mankind has forgotten its collective past. Using the method of "cadavre exquis", Manifesto will construct a narrative about a civilization that directs all of its efforts to the future, well knowing that a better future may never exist.  

A nossa proposta coreográfica centra-se no Homem e na urgente mudança que tem que ocorrer no modo como se relaciona com o Mundo em que vive. É necessário que cada um de nós veja, com os seus próprios olhos, o estado catastrófico em que deixaremos o Planeta Terra se continuarmos a tratá-lo pior do que tratamos as nossas quintas virtuais. Our choreographic work is dedicated to Mankind and the urgent changes it needs to make in its relationship with the planet on which it lives. It is urgent that each one of us sees and recognizes the catastrophic state in which we are leaving Planet Earth if we continue to treat her worse than our online farms. T u t o r :   s u j e i t o   a   c o n f i r m a ç ã o

T u t o r   :   J o a n a  A n d r é ,   d e p a r t a m e n t o d e   r e c i c l a g e m   e   v a l o r i z a ç ã o

T R A N S F O R M A

m u lt i m at e r i a l  da  l i p o R ,  p o r t u g a l

Fotografia ~ Sofia Caetano / Pós-produção ~ Sara Machado

cred. Alexandre Osório / Montagem

2

1

T E RRR A

2

40 Graus à Sombra

·

P E R F O R M A N C E   ~   P erformance


P E R F O R M A N C E   ~   P erformance

FIO: pedra que corre no RIO Tana Oliveira, Brasil

FIO: Pedra que corre no RIO propõe uma vivência corpo-imagem-som no rio Tamanduá no estado de Minas Gerais, Brasil. Ameaçado pela actividade mineira e pela expansão imobiliária da cidade de Nova Lima, o rio Tamanduá ainda é cercado por espécies da fauna e flora do Campo Cerrado e Mata Atlântica (classificado como UNESCO World Biosphere Reserve) que dependem das suas águas para florescer e se reproduzir. Ao longo da sua extensão, há já alguns pontos de assoreamento e desmoronamento, cicatrizes provocadas pela Mina do Tamanduá. FIO: Pedra que corre no RIO offers an encounter with the Tamanduá River in the state of Minas Gerais, Brazil. Threatened by the mining industry and the rapid expansion of the city of Nova Lima, the Tamanduá River waters large areas of what remains of the Atlantic Forest that once covered a huge area of Coastal Brazil and is now designated a UNESCO World Biosphere Reserve. Along its course, the Tamanduá Mine is already deteriorating various habitats of a unique fauna and flora. T u t o r   :   G i s e l a   H e r n a n n ,   B I ó l o g a ,

cred. Guto Moniz

2 2

T E A T R O

T E RRR A

2

·

M A R I A

E A R T H 2

M A T O S

d e i s e  t u r r e r ,   a r t i s t a   v i s u a l , b r a s i l


Como teatro municipal, o Teatro Maria Matos dá grande valor ao potencial da arte para nos fazer pensar sobre o mundo em que vivemos. Em cada trimestre, o nosso programa foca um tema específico, através de palestras, debates, oficinas para crianças, eventos ou encomendas de novas criações artísticas. Entre Maio e Julho, o fio condutor do nosso programa é a Abundância. Ao pensar o tema, ficámos impressionados pela distância entre a conotação positiva do conceito da Abundância ao longo da história do homem e a sua inversão nas últimas décadas, numa altura em que cada vez mais a humanidade avança para uma era de escassez. As a municipal theatre, Teatro Maria Matos attaches great value to the capacity of art to make us think about the world we live in. Every trimester, our program focuses on a specific theme, in debates, workshops with children, special events, presentations and commissions of works of art. Between May and July, the thread we are weaving through our program is dedicated to the theme of Abundance. In thinking about it this theme, we were struck by the stark contradiction between the age-old positive image of abundance and its recent discredit, as we are heading for an age of shortage.

A Transforma é um Laboratório para as Práticas Artísticas Contemporâneas que pesquisem novas possibilidades de encontro com a Pessoa no fugaz território da cidade. No âmbito dos processos de trabalho que implementa – residências de criação, ateliers, debates, publicações, muitas são as interrogações que recorrentemente se levantam, e que a cada momento acentuam a necessidade de compreender, de forma mais profícua e divergente, a arte, a criatividade e a sua relação com a natureza e com o mundo em que vivemos. É precisamente aí que se centra este programa, investigando, experimentando e promovendo novas formas de actuação. Transforma is a Laboratory for Contemporary Art Practices that research new possibilities of encounter with People in the transient territory of the city. Many questions arise persistently throughout the many activities fostered by Transforma - artists in residence, ateliers, debates, publications - stressing the need to understand, in a more effective and different fashion, art, creativity and its relationship with the nature and the world we live in. This program deals precisely with that, encouraging investigation, experimentation and the promotion of new ways of acting. 

Este programa faz parte do projecto Europeu IMAGINE 2020, Art and Climate Change, do qual a Transforma é membro organizador. O projecto foi constituído com o objectivo de apoiar o trabalho artístico que investiga as causas e os efeitos das alterações climáticas e que, assim, procura provocar mudanças no sector cultural e na sociedade em geral. T R A N S F O R M A

This programme is part of the European project IMAGINE 2020, Art and Climate Change, of which Transforma is a network

member. It was created to support artistic work that investigates the causes and effects of climate change and advocates changes to the cultural sector and society in general.

www . ima g i n e 2 0 2 0 . e u


Transforma Praça do Município, 8 2560-289 Torres Vedras 261 336 320 | info@transforma.org.pt financiamento ~ financed by:

— Acesso rodoviário ~ Car A8 — saída Torres Vedras A8 — exit Torres Vedras Duração da viagem: entre 30 a 45 minutos Duration: between 30 and 45 minutes — Comboio ~ Train — Autocarro ~ Bus

parceiro ~ in partnership with:

Central do Campo Grande. Duração da viagem: 40 minutos Campo Grande. Duration: 40 minutes

apoios ~ supports:

Teatro Maria Matos Av. Frei Miguel Contreiras, 52 1700-213 Lisboa 218 438 800 | teatromariamatos@egeac.pt — Metro ~ Underground Roma — linha verde ~ green line — Autocarro Carreiras 7, 35, 727, 737, 767

A L V A

Urban buses 7, 35, 727, 737, 767

MYK

www.teatromariamatos.pt www.transforma.org.pt

ANTONE 376 C

D E S I GN

:

RETO


Arte, Alterações Climáticas e Desenvolvimento Sustentável