Issuu on Google+

11/8/2010

1


11/8/2010

O alfabeto hebraico é constituído somente de consoantes. São 22 letras. Ele não contém vogais. modo, ganhava-se muito espaço para A leituraDeste era feita com base na tradição oral de pronúncia.

mais palavras, já que o material de escrita era muito caro.

vc cnsg lr q st scrt q você consegue ler o que está escrito aqui Também escreviam sem fronteiras de palavras, o que não causava problemas, pelo mesmo motivo.

vocêconsegueleroqueestáescritoaqui vcncnsglrqstscrtq

Existem pequenas diferenças entre o carácter que é impresso e o que escrevemos com nossas canetas e lápis, justamente por causa das possibilidades mecânicas. Veja o exemplo:

`

Existe ainda uma terceira forma de escrever o alfabeto hebraico no dia-a-dia. Esta é a chamada “forma cursiva”. É assim que é escrito o hebraico moderno. Ela é muito diferente da forma impressa. Ela não é utilizada nos seminários teológicos. Veja o exemplo do alfabeto:

nl ljkihgfedcba` zyxwuvstrqopm

2


11/8/2010

Bem, se isso parece estranho, basta pensar em como temos tantos tipos de letra, mesmo em nosso alfabeto. Qualquer um que utilize editores de texto digitais já percebeu isso. Veja os exemplos: Qualquer um que utilize editores de texto digitais já percebeu isso.

Qualquer um que utilize editores de texto digitais já percebeu isso.

dâtÄÖâxÜ âÅ Öâx âà|Ä|éx xw|àÉÜxá wx àxåàÉ w|z|àt|á }ö ÑxÜvxuxâ |ááÉA Qualquer um que utilize editores de texto digitais já percebeu isso.

Qualquer um que utilize editores de texto digitais já percebeu isso. Qualquer um que utilize editores de texto digitais já percebeu isso. Qualquer um que utilize editores de texto digitais já percebeu isso. Qualquer um que utilize editores de texto digitais já percebeu isso.

As edições que usaremos contém as vogais e fronteiras de palavras.

^ïb.b'l.-lk'B. ^yh,_l{a/ 6

3


11/8/2010

manuscrito acadêmico

impresso acadêmico

Áleph

manuscrito acadêmico

impresso acadêmico

Beth

4


11/8/2010

manuscrito acadêmico

impresso acadêmico

Guímel

manuscrito acadêmico

impresso acadêmico

Dálet

5


11/8/2010

manuscrito acadêmico

impresso acadêmico

manuscrito acadêmico

impresso acadêmico

Vav

6


11/8/2010

manuscrito acadêmico

impresso acadêmico

Záin

manuscrito acadêmico

impresso acadêmico

Hêth

7


11/8/2010

manuscrito acadêmico

impresso acadêmico

Têth

manuscrito acadêmico

impresso acadêmico

Yôd

8


11/8/2010

manuscrito acadêmico

impresso acadêmico

Káf

manuscrito acadêmico

impresso acadêmico

Káf Final

9


11/8/2010

manuscrito acadêmico

impresso acadêmico

Lâmed

manuscrito acadêmico

impresso acadêmico

Mem

10


11/8/2010

manuscrito acadêmico

impresso acadêmico

Mem Final

manuscrito acadêmico

impresso acadêmico

Nun

11


11/8/2010

manuscrito acadêmico

impresso acadêmico

Nun Final

manuscrito acadêmico

impresso acadêmico

Sâmekh

12


11/8/2010

manuscrito acadêmico

impresso acadêmico

Aiyn

manuscrito acadêmico

impresso acadêmico

13


11/8/2010

manuscrito acadêmico

impresso acadêmico

Pê Final

manuscrito acadêmico

impresso acadêmico

Tsade

14


11/8/2010

manuscrito acadêmico

impresso acadêmico

Tsade Final

manuscrito acadêmico

impresso acadêmico

Kóf

15


11/8/2010

manuscrito acadêmico

impresso acadêmico

Rêsh

manuscrito acadêmico

impresso acadêmico

Sin

16


11/8/2010

manuscrito acadêmico

impresso acadêmico

Shin

manuscrito acadêmico

impresso acadêmico

Tav

17


11/8/2010

Algumas letras possuem duas formas, chamadas formas “inicial/medial” e “final”, conforme a posição delas na palavra, respectivamente no início, meio, ou fim. Por razões lingüísticas, ao longo da história, apenas algumas letras mantiveram suas duas formas. Veja alguns exemplos:

v u

n m

kj

Algumas letras levam um pequeno ponto no centro para marcarem um pronúncia dura, isso é, um aperto nos lábios, ao invés da pronúncia branda. Este grupo é chamado mnemonicamente de “BeGaD KeFaT”.

Y z R t M k C c Bb A a

Algumas letras são muito parecidas entre si. É importante guardar as diferenças nestes grupos de similaridades.

k t w p o x

a s b j c

i f q n z g u v

e m h d r

18


11/8/2010

Segue uma comparação para que se perceba como as mesmas diferenças se mantém no manuscrito acadêmico.

kf tp ac

ih fz eu

we s;

qx mo

pb

bd

nn hy

oi

jl

z, gj dv

xr cs

u.

vm rg

É preciso atentar para a altura das letras em relação à linha de escrita. Ela precisa existir, ainda que seja uma linha imaginária, pois ela será responsável para a escrita proporcional de cada letra. Veja o exemplo tanto do carácter impresso, como o do manuscrito:

zyxwuvstrqopmnljkihgfedcba`

,are.m;pgxibonklfhyjzuvsdct Também é preciso respeitar a proporção vertical de cada letra, pois assim como na Língua Portuguesa temos letras de diferentes larguras, na Língua Hebraica também. Veja os exemplos: Na Língua Portuguesa :

m n i

Na Língua Hebraica:

` p e

19


O Alfabeto