Page 77

Feminismo contemporâneo De acordo com um informe, as mulheres ocupam 13,7% dos postos de administração das maiores empresas da União Europeia. Com base nisso, a Comissão Europeia aprovou um projeto que fixa como objetivo que as companhias incorporem, até o primeiro dia de 2020, 40% de mulheres em suas equipes diretivas. Mesmo com a aprovação, a discussão na esfera pública continua. Angela Merkel, por exemplo, não concorda com a resolução e acha que a questão é de mérito nacional, e não europeu. Ela ainda defende que a transformação tem de ser fomentada antes de mais nada pela formação e capacitação destas mulheres e que, finalmente, a incorporação deve ser gradativa. E a dirigente alemã não está só. Há uma contrapartida liderada pelo Reino Unido, com apoio de países como Holanda, Bulgária, República Checa, Estônia e Hungria.

Desconecte-se! Um novo conceito de férias está na moda entre os europeus. Balneários badalados, álcool e festas madrugada adentro dão lugar ao campo, montanhas e praias paradisíacas, dietas de desintoxicação, raw food, yoga e massagens. Com o grande complemento da “desintoxicação digital”. Celulares desconectados são a garantia de momentos únicos consigo mesmo e com a natureza. Os pacotes mais recomendados pelas celebridades e pobres mortais são nas Maldivas, Caribe, Peru, Malta, Mallorca e Ibiza e duram 7, 10 ou 15 dias.

Guarde estas palavras: sale, saldi, rebajas, soldes Liquidação na Europa é algo único. Bem diferente dos outlets americanos, com descontos o ano inteiro e peças de outros carnavais, aqui a pechincha tem dia, hora e coleção marcada. Também não é como no Brasil, onde muitas peças não entram na promoção. Funciona mais ou menos assim: na lei da paciência. Se você foi na loja em setembro e caiu de amores por uma ou muitas coisas, é só esperar que elas vêm para você, pela metade do preço, depois do Natal. Entretanto, cada país tem regras, datas e até leis distintas. Na Alemanha e na Áustria, por exemplo, não existe nenhum regulamento e as lojas podem oferecer descontos quando desejarem, enquanto outros países têm datas fixas. É preciso informação para aproveitar o melhor das sales. Se for vir nesta época, esvazie as malas e anote minhas dicas secretas: • Na Inglaterra, tudo começa no “boxing day” (26 de dezembro). Itália recorta os preços ainda na ressaca do 2 de janeiro, apesar de que alguns lugares começam no dia 5. Na Espanha, as rebajas vêm mais tarde, depois dos Reis Magos, no dia 7 de janeiro. Quem for para a França, tem de esperar até 12 de janeiro. E na Alemanha, do meio para o final do mês. • O primeiro dia é sagrado para sapatos, bolsas, jaquetas de couro e, claro, para aquelas peças que você vem namorando há muito tempo. Todo o resto pode esperar. O importante é conseguir percorrer várias lojas e arrematar estas preciosidades antes das concorrentes. Arme-se de paciência, use flats e brigue se o objeto de desejo valer a pena! • Os provadores estarão lotados, as filas gigantescas e por isso minha melhor dica é: preste atenção nas condições de devolução, já que elas podem ser sua maior aliada. Em quase todas as lojas, a “return policy” (anote esta expressão) é de 15 a 30 dias. Isso significa que se ficar na dúvida ou não quiser experimentar, você tem tempo de devolver e de receber seu dinheiro de volta! Guarde bem o recibo, mantenha a etiqueta na peça e cative um aumento de limite no cartão de crédito. • Todas as compras acima de 90 euros numa mesma loja (podem ser de vários recibos, até mesmo de dias diferentes) dão direito a receber os impostos de volta no aeroporto. Peça o formulário no caixa da própria loja. Em inglês, “global refund”, “tax back” ou “tax free”. Em espanhol, é válida a mesma terminologia, mas, se não entenderem, peça “la hoja de reembolso/devolución del IVA”. • Se for ficar mais tempo, dê uma passada nas lojas semanalmente, já que os descontos são progressivos e vão diminuindo. Além do mais, as lojas recebem mais estoque durante todo o período de liquidação. 77

Zelo 22  

Vigésima segunda edição da Revista Zelo

Advertisement