__MAIN_TEXT__
feature-image

Page 1

Ano I N” 2 abril deR$2007 7,00 www.zelodigital.com.br

Meio ambiente Entrevista com Washington Novaes Perfil As paixıes de Stepan Nercessian

Decoração Cantinhos Prediletos Paisagismo Harmonia com o verde

MODA

Inverno em alto estilo


ZELO - Goi nia, abril de 2006 3 - PÆgina


ZELO 8 Cr nica

Pablo Kossa

10 Entrevista

Washington Novaes

12 Por a ...

Ros ngela Motta

17 Zelo Mundo

Roberta Brum

19 Perfil Reggie 21 Perfil

Max Miranda

22 Guia

Stepan Nercessian Ranulfo Borges

23 Cr nica

Max Miranda

25 Gastronomia

10

29 Design e Arte

Marcos Naves

30 Decora ªo

Carol Magalhªes

32 Decora ªo

Astero Fontenelle

33 Decora ªo

Adriana Frausino

34 Evento

10

AndrØ Barros

Casa Cor

35 Paisagismo 36 Ensaio de Moda 44 Espa o SophistiquØ 46 Revista Zelo 49 Flamboyant Fashion

10 21 Stepan Nercessian

Perfil: “Eu sou um cara de sorte”

EDITORIAL

hora de soltar as fantasi rom nticas. A chegada do inverno anuncia gla›mour sofistica ªo, como mostra o en do fot grafo Bernardo Borghett tons mais fechados tambØm estª garantidos, Ø claro. Mas s pa roupas. No nosso clima tropica cØu e o verde da natureza - cont am em evidŒncia. Pelo menos po enquanto, jÆ que o aquecimento global amea a alterar toda - a g grafia da terra. Este Ø o - tema trevista com o jornalista Wash Novaes. Em sua segunda edi ªo, Zeloprossegue com a proposta d levar ao lei›tor uma revista d cada e atual, com as principai tendŒncias da moda, cul›tura, tronomia, consumo, decora ªo, ecologia, pessoas e temas - do m mento. E gente interessante Ø o que falta. Em mais uma visita a Go Stepan Nercessian marca presen na Zelopara falar sobre suas pr cipais paixıes: pol tica, - samb bol e natureza. Outra goiana q nos dÆ uma palinha Ø Reggie, q trabalha com a estilista-Gl ri ho em Sªo Paulo. De Londres, a jornalista Roberta Brum nos ap senta o Banner·s, restaurante decora ªo inusitada. E por falar em ambientes - aco che›gantes, entramos nas casas ClÆudia Ducatti, Liliane Lobo, Teles e Marcelo Trento para mo seus cantinhos prediletos. - Vej bØm as dicas da pai›sagista Fa ana Bellini para transformar s jardim num pequeno para so. E ainda a estrØia de Marcos Nave


Cartas / e-mails

O que vocΠacha da sua Zelo? Rua C-185 Qd. 609 Lt. 10 Nova Su E-mail zelomagazine@gmail.com

Cr nica quintado. E as letras? Sem ParabØns ao Max Miranda comentÆrios. O Chico tem pela inteligente cr nica. uma poesia visceral. Fiquei encantada com aQuerida Ros ngela maneira com que ele brinca A cada pÆgina, uma bela sur com as palavras. Renata presa, uma bela fotografia. Firmino / professora. ParabØns pela edi ªo 1 da Zelo. Espero que muitas ou› Ros ngela tras venham para nosso Adorei Revista a Zelo. Pe› - deleite. A imprensa goiana guei um exemplar no Bazar. cresce com atitudes assim Para›bØns, ela estÆ-linda. corajosas. De ParabØns-exten sejo muito sucesso para sivos querida ´ngela Mott vocŒs. Sei como Ø dif ecil ao jornalista Ranulfo Bor nossa vida de editora. - ges, Qualdois talentosos - profis quer coisa, conte conosco. sionais nesta empreitada. Um grande beijo! Adriana Abra os! Adriano Rocha de Alves Godinho / Contato - Paula Co / Rela ıes Pœblicas. munica ªo. Let cia Cruvinel Souza Editores da Revista Zelo EditoresRevista da Zelo , ge Nªo concordo com o artigo nial a idØia de unir um gru do jornalista Pablo Kossa, de artistas na Blend. Eu li que diz que o Caetano revista Ø dez do come o ao fim. vezes melhor que Chico. Muita O sorte Zelo para. Chico sempre se aprofundou Paulo Souza Araœjo Costa na complexidade harm nica e mel dica de suas canEditores ıes. da Revista Zelo O Caetano vive dando tiro Prezados senhores, inicial no escuro. Olha, gente, mente nªo quero parabenizÆ-los consigo achar defeito - pela musi revista. Vi a edi ªo e cal no Chico mesmo. Paula um consult rio e apreciei Ferreira. muito o conteœdo diversific do e de qualidade. Encontro Me interessei pela matØria A Revista Zelo teve o mØri - da Bouquet Confraria, pois to de promover o encontro sou do Sul e apreciadora de en›tre nomes de expressªo vi›nhos. Gostaria de recebe da cultura goiana, como - se PitÆ for poss vel, telefone p goras, FlÆvio Rodrigo - contato e Fa› com uma das-inte b ola Moraes e trouxe grantes tona da confraria, - para vÆrios assuntos que-mere formar-me se aceitam - ade› cem ser abordados. -Para› sıes e o que Ø necessÆrio bØns equipe, que, depara cara, que isto aconte a. come ou muito bem. Marco Bernadete Priamo / -bpri›amo Brandªo Salles @terra.com.br

QUEM FEZ ESTA EDIÇÃO

Ranulfo BorgesCarol Magalhªes

Pablo Kossa

Carlos Sena

Max Miranda

Kell Motta

Fran ois Calil Astero Fontenelle

a

Bernardo Borghetti morou em Sªo Caetano X Chico Paulo e Nova York, onde trabalhouPablo Kossa comete um como fot grafo numa agŒncia de engano ao dizer que o Chico Ø dez vezes melhor que Cae neg cios de moda. De volta a Goi nia, tano. Pra mim, o Chico Ø atua em fotografia publicitÆria ecom›pleto, de tem harmonias ex moda. celentes... Tudo sempre re

CAPA Marcos Manzutti Marcos Naves

EXPEDIENTE

Edi ªo geral Ros ngela Motta Edi ªoRanulfo Borges Conselho editorial Carlos Sena, Ranulfo Borges e Ros ngela Motta Edi ªo de Fotografia ´ngela Motta e Kell Motta Dire ªo comercial ´ngela Motta mottaangela@yahoo.com.br RevisªoFÆtima Toledo (9928 0587) Projeto grÆfico e diagrama Carlos Sena (MatizBrasil) Fotolito e impressªo Grafopel

Colaboradores Max Miranda e Pablo Kossa (artigos e cr nicas) Barros e Astero Fontenelle (colunistas); Marc ti (produ ªo de moda); Carol Magalhªes, Ranulf e Sebastiªo Vilela de Abreu (reportagem) Fran e Bernardo Borghetti (fotografia), Marcos Sim Adriana Frausino (decora ªo)

Foto da Capa Manuella Gomide (Matriz Models), fotografada por Bernardo Borghetti, veste Forum Tufi Duek. Styling: Marcos Manzutti. Beleza: AndrØ Moreira Cabelo: Le Touche

ZELO - Goi nia, abril de 2006 6 - PÆgina

Motta Editora Ltda /Rua C-185 esquina com C-180, Quadra 609, Lote 10, Nova Su a - CEP 74.280-1 Goi nia - GoiÆs - Telefone: (62) 3259-6510 E-mail: zelomagazine@gmail.com


ZELO

PÆgina 7


ARTIGO

Pablo Kossa

Como eu entrei nessa vida pablokossa@bol.com.br

jÆ tinha ouvido falar disso to em run Second Life, but it will proba algum lugar. Deve ter sidorun em very slowly. Try ? anyway um site qualquer e nªo dei aSim menor bola. Sou adepto fiel daquela idØia Error de Paulo Francis de nªo ir desesperado atrÆs . do novo, afinal de contas, se algo tiver. realmente valor, irÆ passar pelo crivo de outras Frustra pessoas ªo. Muitas vezes, a vontad e vai chegar atØ mim. Nªo serÆ preciso compartilhar que uma nova experiŒncia - tec eu me esforce e vÆ atØ o objeto Øgica s sentar esbarra em problemas com a placa no sofÆ que ele baterÆ na sua porta. v deo ou coisa que o valha. E o que Ø Pois entªo, foi dessa maneira que tudo: o tal vocŒ do nªo faz a m nima idØia - de Second Life entrou em minha vida. Agora, solver. na uma pena, eu realmente quer hora em que escrevo, o rel gio -do meu compartilhar com meu segundo nascimento c putador marca 19h51. Ops, acabou devocŒ, virarleitor. Mas, ao mesmo tempo em para 19h52. Coloco o mouse em cima - tecnologia do rel nos ajuda, tambØm frustra gio e aparece quarta-feira, 21 de planos. mar o de 2007 . Na œltima segunda, eu estava na Eu Pol atØ poderia simular que eu tinh cia Federal aguardando minha vez - denoser programa, aten falar que achei tudo hor dido para fazer o passaporte. Por - coincidŒn criticar de maneira desmedida o jogui cia, encontrei minha tia que estava - causar com a uma re polŒmica. Eu atØ poderia.. vistapocanas mªos. Na capa, oSectal do meu esp rito beatnªo me permite tamanha ond Life . falcatrua com o texto. Aqui, vocŒ - s Hoje, quarta-feira, estou com - umdade. do› cumento de Wordaberto e em branco. TenhoVoltando Second ao Life , nªo procurei - a a a missªo de produzir um texto Zelo. Por para sistŒncia a tØcnica para resolver meu p que diabos deixo tudo para o dead - line? Nªo sei En se me preocupo por nªo -ter um quanto isso, meu computador baixa - um gunda pro vida, a virtual. Uma pena que o graminha de 30 megas para o joguinho texto que nªo Ø teve Æpice,clnªo max ,teve foi -ape a febre do momento. JÆ preenchi- um nas cadas uma tentativa frustrada de -lidar tro bÆsico, escolhi meu nome (KossaformÆtica. Klees) e Como a vida real. Poucas c vocŒ, car ssimo leitor, vai acompanhar minammeu como a gente planejou. E -essas, nascimento da segunda vida. Divulga ªo Calma a , vou ali instalar o programa que o downloadterminou. . . Start Second Life ? now Sim . . Unsupported video (card ) You can try

Eu

ZELO

PÆgina 8


WASHINGTON NOVAES

foto: Kell Mo

Futuro incerto ENTREVISTA

Jornalista diz que efeitos do aquecimento global só podem ser contidos com uso de fontes renováveis de energia

Sebastiªo Vilela

HÆ 50 anos, Washington Novaes concluiu o curso de Direito -pela Facul dade do Largo de Sªo Francisco - (Uni versidade de Sªo Paulo). Mas, - feliz mente, optou por outra via: a carreira de jornalista. Hoje, aos 72 anos, ele Ø uma referŒncia nacional em meio am biente. No entanto, ele rejeita o r tulo de jornalista temÆtico. Sou jornalista e um dos temas que escrevo com mais freq Œncia Ø sobre o meio ambiente. Ponto. Isso porque ele acredita que, para escre›ver sobre a sociedade, o meio ambiente passou a ser um tema determinante, sobretudo agora, na era das assustadoras mudan as climÆti cas, e que nªo Ø poss vel dissociÆ-lo de outras questıes. Ao escrever sobre economia sem tratar da conseq Œncia que vai gerar ao meio ambiente, vocŒ vai fazer uma anÆlise capenga. O mesmo ocorre ao abordar a pol tica, o planejamento go›vernamental... . Em entrevistaZelo, ele comenta pes› quisas recentes que tra am um futuro incerto para o planeta por causa do aquecimento global e explica que uma das solu ıes para combater o- proble ma Ø a mudan a urgente de matrizes energØticas menos poluentes, como o Ælcool. Mas afirma que GoiÆs e o Brasil nªo podem ser transformados num imenso canavial. ZELO

PÆgina 10


“As perspectivas são assustadoras, como um aumento provável de temperatura da Terra entre dois e quatro graus e meio. Até agora subiu menos de meio grau e as conseqüências estão aí”

lhar. Nªo podemos seguir com essa - f r la: consumir mais do que o planeta po repor.

Zelo O plantio da cana-de-a œcar no Centro-Oeste nªo pode gerar a extin ª sıes da de subst ncias t xicas. Se- nªodomuCerrado? Zelo O senhor acredita que, a partir darmos divulga ªo sistemÆtica dos problemas do isso, se nªo partimos para fontes Washington Novaes As energias das - bio limpas e reno›vÆveis de energias, nªo tem meio ambiente, o homem vai tomar - cons› massas inclusive a do Ælcool e a do solu ªo. ciŒncia de que a Terra estÆ morrendo? podem ser uma das partes, nªo a sol Mas isso precisa ser feito de forma q Zelo E quais seriam essas fontes de Washington NovaesEu creio que nes›ses traga mais preju zos do que benef cio limpas e renovÆveis? œltimos meses, com a divulga ªo do ener›gias Painel podemos transformar GoiÆs, o Brasil e Intergovernamental e do Relat rio Stern imenso canavial. preciso ter regras Washington Novaes Sªo vÆrias. As - bio (Inglaterra, 2006), a situa ªo -mudou bas isso. O ideal Ø que se crie uma Ærea massas podem ser uma das possibilidades, tante. A comunica ªo em geral Ø desatenta zoneamento para as planta ıes. GoiÆs a energia e lica Ø outra, a energia solar tam a essas questıes ambientais, mas levou um energia muito mais do que podia ou d susto e fez um estardalha o enorme.bØm, O e estªo tentando viabilizar a desmatou Da mesma for›ma, hÆ a possibilidade d atravØs do hidrogŒnio, que pode ser outra quadro mudou de figura porque tudo que planta ıes de soja avan arem pela - Ama solu ªo. Sªo muitas, mas Ø preciso traba› estÆ no relat rio do Painel Intergoverna nia para produzir biodiesel, uma cois mental teve o consenso de mais de dois mil nªo pode acontecer. cientistas do mundo. E s foram inclu das

previsıes que eles consi›deram que tenham Zelo A Amaz nia vai continuar mais de 90% de probabi›lidade de ocorrer. Utilidade pú b li c a intocÆvel, vai sobreviver a ª As perspectivas sªo assustadoras, como humana? Para ente um aumento provÆvel de temperatura da nder melh o r o r q e u n e d Terra entre dois e quatro graus e meio. AtØ o com o p -estÆ ocor laneta Te rra - o a Washington Novaes IntocÆvel ela mento glo agora subiu menos de meio grau -e as con queci ›bal, efe ito estuf jÆ nªo Ø mais. Para se ter uma i seq Œncias estªo a . Vemos todos os dias temperatura m a , a umento da undial, d nos - des e p g o elo das c œltimos quatro anos foram nos jornais e nas televisıes. Com mais dois lares, gase alotas s poluent matados oitenta e quatro mil quil e s s e -suas a quatro graus e meio, haverÆ a eleva ªo eq Œncias con , o jorna tros quadrados. A sobrevivŒncia d lista Was do n vel dos oceanos, intensifica ªo das Novaes indica hing›ton cinco obr Amaz nia dependerÆ do que for fei as fundam secas, das inunda ıes, da desertifica ªo, entais: SerÆ uma irracionalidade, uma - teme -Relat ri a perda de gelo nas montanhas... o do Pain el Intergdade de›vastÆ-la. Primeiro porque tal Sobre overnamen Mudan as Clim(ÆItPiCcCa, Zelo Para o Brasil, o cenÆrio tambØm Øsigla em inglŒ s tem uma influŒncia enorme no clima s), da Or nªo apenas na Regiªo -Amaz N g a a niza ªoBrasil, ıes Unida assustador? da s (ONU), - Se lan ado e ca, smas tambØm no Centro-Oeste. Paris, em m fevereiro d gundo, porque a Amaz nia re›present e r 2 e 007. O co uniu cent Washington Novaes O cenÆrio tra ado mitŒ enas de c ientist-as grande parte da biodiversidade bras sentantes pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espa e repre de 113 pa s e que representa um ter o da exis›ten s. Relat rio ciais (Inpe) Ø preocupante. Um aumento -ao SteLran ado p elo gover plane›ta. E Ø na biodiversidade que longo desse sØculo na tempe›ratura na brit nico em ou no tubro de possibilidade do nosso futuro d e 200-6 e cmelhor n a d o Amaz nia entre seis e oito graus. - E no Cen pelo econ oor omista Ni dela que virªo novos medicamentos, n ( e x c h B olas Ster anco Mund tro-Oeste, de trŒs a quatro graus. Tudo isso n ial). alimentos, novos materiais, inclusiv R e l at rio Pl Ø muito grave. aneta Viv subs›titu rem o que se esgotarem. Ent o E2l0a0b-6o rado em c onjunto p elo Progr e perder a biodiversidade a ama dde›vastar Zelo Qual atitude humana Ø mais - per Na ıes Unidas d as o Meio Am sequer de conhecŒ-la Ø uma irracional c o biente e m a rede niciosa ao meio ambiente? WWF (Worl d W absoluta. ildlife F em portug und uŒs, Fund o Mundi-al Washington Novaes Continuar vivendo tureza). da Na Zelo Como praticar o ecoturismo sem elat rio como vive hoje, com os mesmos padrıes- Rde La Sombra A G l agredir o meio ambiente? a o n n a g d a e d a de la consumo e com as matrizes energØticas que ri,a da Orga niza ªo p c u l t a u r a a Agri n s temos no mundo. Hoje, a fonte - princi ra e Alimen ta ªo (FA Washington Novaes Nªo sobrecar O documen O), da ON pal de energia sªo os combust veis f- sseis, tÆUrmiao Verd U. a d v e regando os lugares com o fluxo tur st e n I i ncon nt,e estrel petr leo, gÆs e carvªo mineral,- que sªo ere ado e nar G ecoturismo Ø uma das maiores possibil o r r a e, ex-vic do por Al sponsÆveis pela quantidade brutal - de emis e-pre›sid ente dos brasileiras. Qual pa s tem - a Am Estadades dos nia, o Vale do Araguaia, a Chapada do ZELO PÆgina11 Veadeiros, a Chapada de Diamantina, a


POR AÍ. . .

ROSÂNGELA MOTTA

Divulga ªo

Foto:Pedro Prestes

foto: ´ngela Motta

Natureza exuberante

A Ellus encontrou em GoiÆs o cenÆrio para fotografar sua nova campanha, qu como tema a for a da natureza como f caos urbano . Em lugares como a cacho Po o Encantado, o Vale da Lua e Jardi Maytrea, a top Let cia Birkheuer e o catarinense Rudney Graczyk mostram a cole ªo da marca jeanswear de Nelson varenga.

Rosa Chá

Peremulter na Wöllner

O desfile da Rosa ChÆ, no Flamboyant Fashion, contou com a participa ªo de Amir Slama, gŒnio criativo da marca, e de sua mulher, Riva (foto). Nas passarelas, o estilista dedicou uma cole ªo cantora Rita Lee, que estÆ comemorando 40 anos de estrada. Batizada O segmento feminino Ø a nova cartada como Ritz, a cole ªo tem 15 camisas com ilustra ıes e frases que remetem carreira W llner. A marca carioca acaba de con de Lee. Algumas frases foram cunhadas pela cantora e compositora, como Meu peito nªo Ø de silicone Pagu),( AlguØm dentro de mim Ø mais eu do queEueue mesma o (estilista MÆxime Peremulter como co de estilo. Ele vai cuidar especialmen mim) e A gente faz amor porMania telepatia de vocŒ ).( looks fe›mininos. Com isso, a grife p foto: RogØrio Mesquita duzir de vez as meninas, uma vez que homens chegam a 60% das compras. - A in ten ªo de Lauro W llner Ø inverter es No entanto, o estilo Peremulter- na ma rioca s vai entrar em cartaz na cole que chega s lojas em agosto.

Alegria do circo

Les Filós

A Eckzem buscou inspira ªo no rock and roll e na alegria do circo para criar a sua cole ªo outono-inverno 2007. OsGrife preferida entre as paulistanas 80, a Les Fil s entra em nova fase ap modelos prometem agradar os dan a de sua dire ªo. A marca contrat moderninhos de plantªo. Os destaques TBC The Brands Company, empresa esp ficam por conta do arrojado jeanswear. A cole ªo conta ainda com camisetascializada em gestªo de marcas. A jorn fo superdivertidas, bonØs, sapatŒnis econsultora de moda Erica Palomino bolsas. Todo o estilo da marca Ø sponsÆvel pela dire ªo da publicidade Baum, que conquistou fashionistas na desenvolvido em Nova York. O responsÆvel pela dire ªo de arte e porada estilo de desfiles brasileiros, esta fotos da campanha. Ø Cleydson Francisco. ZELO

PÆgina 12


D’Bou

Divulga ªo

O casal Fernando Samauma e AndrØa Motta continua expandindo os neg cios- gas tron micos. ProprietÆrios do Restaurante Samauma, inau›guram outro espa -o na Cap ital, o D’Bou, um restaurante com clima lounge ancorado no terceiro piso do Shopping Bougainville. A casa vai trabalhar com as culinÆrias italiana, japonesa e francesa. O projeto leva assinatura do arquiteto LØo Ro mano. HorÆrio de funcionamento:- de segun da a sÆbado, para jantar, das 18 s 2 horas, e sÆbado e domingo, para almo o, a partir das 12 horas. Inaugura ªo prevista para dia 3 de maio.

Quarto dos sonhos

Rasga Chita

A empresÆria Moema Tavares ampliou os seus dom nios. Ela inaugurou na Rua 3, no Setor Central, a Rasga C loja de roupas, acess rios e objet espa o da loja foi projetado pela designer de interiores Giovana San que usou tecidos decorativos e m v antigos na composi ªo do ambiente. proposta Ø atender s exigŒncias d uma mulher antenada com as novidades da temporada, mas que busca nos acess rios e roupas a expressªo de sua personalidade. A Rasga Chita tambØm se dedica ao garimpo de objetos dos mais dive lugares.

Toyota Lince

A concessionÆria Toyota Lince, em Goi nia, ganhou uma nova sede no As designers de interiores FÆtima Mesquita, œltimo dia 12 de abril. A inaugur MÆrcia AlbiØri e Regina Amaral concebem um contou com a presen a de Shozu dos mais aconchegantes e concorridos am Hasseb, presidente da Toyota Merco bientes da Casa Cor GoiÆs, versªo 2007: o e de Luiz Carlos Andrade Jr., vice quarto do casal. O projeto foi criado para um presidente sŒnior da Toyota Mercos A marca Ø uma das l deres de merca casal contempor neo. Ela, uma mu›lher A nova cole ªo Gregory Outono/Inverno em GoiÆs. apaixonada pela sØtima arte. Ele, um expert en logo. Uma vez que o quarto do - casal2007 per Ø fortemente inspirada no das dØcadas de 60, com o tence a dois indiv duos distintos, comromantismo per retorno da Livre de estilo ou tema, o restaur sonalidades dife›rentes, o maior - desafio das de tendŒncia Disco, dos anos 80. A cole ªo Ø dividida em temas como Cor 2007, assinado pelo desig Casa signers de interiores foi projetar um ambiente o Vintage , com forte presen a da de interiores GenØsio Maranhªo, te onde essas dualidades convivessem - pacifi cintura marcada, e casacos em linha A. compromisso com o conforto, seja e camente. A manga tulipa e as golas arredondadas visual, tØrmico ou acœstico. O mix promove uma atmosfera nos remetem a uma silhueta retr . estilos O acolhedora e acon›chegante. O sutileza O nadador italiano Filippo Magnini Ø aameixa, tons terrosos, junto mobiliÆrio, a luz na medida certa, estrela da nova campanha publicitÆria das da rendas e pØrolas,com estampas de tratamento acœstico, para a boa mœ Emporio Armani, a EA7, fotografada porbichos como o leopardo. brasileira ou internacional, criam Aldo Fallai. Medalha de ouro nos 100m foto: ´ngela Motta cenÆrio mais que perfeito para a estilo livre em 2005, no Campeonato Mundi degusta ªo do cardÆpio al de Nata ªo, no CanadÆ, o nadador de 25 contempor neo, assinado pelo chef anos tambØm chama aten ªo pela beleza. Rodrigo Sanches, do badalado Prova disso Ø a sua legiªo de fªs na ItÆlia, Restaurante Imaestri, da Capital que lhe rendeu atØ um fª-clube oficial Federal.

Romantismo

Paladar

Novo rosto

Leveza

Engenheira agr noma e paisagista, o trabalho de Patr cia Garcia estÆ mais em alta do que nunca. Ela Ø a responsÆvel por deixar residŒncias mais belas e agradÆveis por meio de seus projetos paisag sticos. O paisagista deve ser leve para captar a energia das pessoas e do lugar , diz Patr cia.

Brasilidade

A Oxford convidou Marcelo Rosenbau para assinar uma linha de lou as e designer optou por dar continuidad seu olhar sobre as coisas simples, elementos do cotidiano e as ra zes cultura brasileira. O resultado Ø Brasil , que traz pratos e x cara cer mica decorados com cinco ilustra ıes que remetem ao univers chita, renda renascen a, maracatu


ZELO

PÆgina 15


Foto Dona Doida


Incredible Banner's!

MUNDO

Restaurante londrino freqüentado por artistas reserva boas surpresas no cardápio e na decoração Divulga ªo

Roberta Brum, de Londres

-se lÆ quantos- restau rantes existem nesta Londres cosmopolita! O que dÆ para saber Ø queTime s aOut revista jÆ avaliou, mais de 3,5 mil. O privilØgio de morar aqui Ø que vocŒ pode fechar os -olhos e escol her o que quer comer. Chinesa, -japonesa, tai landesa, marroquina, turca, libanesa, americana, jamaicana e atØ uma feijoada brasileira; qualquer comida a gente encontra aqui. E Ø a que entra o Banner s, uma mistura de lugares, da deco ra ªo ao cardÆpio. O restaurante fica em Crouch End, no Norte de Londres, uma Ærea habitada por artistas e profissio›nais liberais. Chegar ao Banner s Ø sempre um pra›zer. Ine›vitavelmente vocŒ vai ser recebido por um enorme sorriso (o que parece normal pra n s brasileiros, mas nªo Ø sempre uma regra por aqui). O ambiente Ø informal e a decora ªo, hilÆria. JÆ estive lÆ algumas vezes e sempre des› cubro uma coisa nova. Um sinal de tr nsito pendurado na parede, uma foto vintage da fam lia real, uma parede cheia de p steres, onde existe o anœncio do show de uma bandaRoberta Brum em mais uma de suas noitadas no Banner’s: “É preciso reservar com Jornalista de rock. E quem te atende Ø o ultrasimpÆtico antecedência, vestir-se de bom humor e estar aberto a novas experiências gastronômicas” baixista de tal banda. A noite come a com pipoca, mesmo que vocŒ nªo pe a. E se quiser mais, a pipoqueira carneiroØ com castanha de caju, servido com fica bem ali no meio do salªo. O cardÆpio Serviço molho de tomate e manjericªo e arroz tailandŒs. vasto e bem original. Para beber, vocŒ pode ir que nada combina com nada, mas hÆ Road, London N8 de caipiri›nha ou de Palma Loca (a Parece nossa Kaiser, 21 Park quatorze - Tel:de020 suces vendida aqui com este nome), ou- ainda escol anos esta tem sido a receita 8348 2930 do lugar. A dona do espa o Ø- inglesa e her uma cerveja espanhola ou Checa.soFashion Tipo de via comida: Internacional jou uma o mundo. O resultado Ø este ambiente, people pedem um cosmopolitan...- E eu, ab onde exis›te› um pouco de `sia, AmØrica, solut e um milk shake de chocolate, que Ø um HorÆrio`frica de funcionamento e Europa em tudo o que se vŒ, se ouve e se a Quinta: 09:00-23:30 peda o do para so. Segunda Sempre vou ao Banner s pra comercome. petisco! Sexta: 09:00-00:00 O pre prin o da noite, com bebidas e SÆbado:10:00-00:00 refei ªo, Falo isso porque raramente chego - ao prato Ø de R$ aceitam 10:00-23:00 cipal. As entradas sªo tªo maravilhosas que100 (£25) por pessoa. Eles Domingo: os cartıes de crØdito e, ao pagar a conta, nunca consigo escolher. Pe o trŒs: todos Camarªo Reserva: Essencial vocŒo ganha procurei, gre›lhado com Wasabi maionese, Chouri (uma umas balinhas, que eu jÆEsta ªo de metr mais pr xima: Highga nªo existem ling i a espanhola) ao vinho tinto mas e garlic chips, iguais em lugar algum. Para conferir, Ø preciso reservar com antecedŒncia, que Ø uma batata frita no alho, bem temperada. ves›tir-se de bom humor e estar aberto a novas Pra quem conseguir comer mais, pe a o

Sabe

ZELO

PÆgina 17


PERFIL

Reggie é assim

Modelo relembra tempos de Goiânia e bate um papo rápido sobre moda e o trabalho em São Paulo

PÆgina 19

eggie. Personalidade forte. - Obst da. Modelo. Menina. Atual, music Magra, alta, linda e teatral. 54 1,77 de altura. Loir ssima. Vinte e a porque nem perguntei a idade dela. Na S sei que estÆ feliz, tem um belo em numa das lojas de Gl ria Coelho em Sª Paulo, onde vive desde .Casada. 2004 Sim, com Daniel, tambØm um belo homem. De passagem por Goi nia para fotografar, pessoas do cora ªo, fam lia e tomar u de cachoeira em Piren polis, Reggie M conta um pouco do momento de hoje. G nia me colocou em contato com pessoas diferentes Æreas, interligadas com a mœsica. Tudo isso refletiu num -tipo d dizado. Trabalhei em diversas coisas morei em Goi nia. Mode›lava e era ass de produ ªo, o que me mostrava -um out gulo. Trabalhava na noite, festas, ac mentos e mœsica eletr nica. Ela vive dØcada de hist rias de moda, mœsica, amigos... E, mesmo agora de chuteira duradas, ainda me convidam para um en e outro ou para um fashion-show. Semp topo porque me divirto muito. BÆsicas, bÆsicas: Moda Nossa maior forma de expressªo. Guarda-roupa Nªo guardo coisas inœteis e sempre re presenteio ou dou s pessoas que pode fazer melhor uso. Pe a inseparÆvel Calcinha. Nªo fico sem. Sapatos Prefiro os mais confortÆveis. TŒnis p longas caminhadas quando viajo. Botas sandÆlias de salto baixo no trabalho. Perfume J’adore, de Christian Dior. Nas- pesso mente prefiro o perfume natural. Trabalho HÆ quase trŒs anos trabalho para a es Gl ria Coelho. Agora, fui convidada p ciar a nova loja, no Shopping Morumbi aberta em fevereiro passado. EstÆ sen prazeroso e estimulante. Amor Essencial para a minha felicidade. Da marido. Sªo Paulo Cosmopolita! Roupa A sua segunda pele. o que nªo apare

R

foto: Fran ois Calil

ZELO

Max Miranda


foto: ´ngela Motta

“Sou um cara de sorte”

PERFIL

Stepan abre o coração para falar de futebol, política e outras paixões Sebastiªo Vilela

Presidente Vargas. Resultado: desse en volvimento com o samba, Stepan tornou hoje, depois -de qua pre›sidente de honra da Escola de Sam tro dØcadas em - ter Caprichosos de Pilares, que, Øpoca ras cariocas, o ator inesquec ›vel viagem ao Rio de Janeir Stepan Nercessian, 53, ainda pode ser des›crito fazia parte do primeiro time do- samba como um t pico goiano. Embora tenha - ca. adquiri do os trejeitos dos fluminenses, - a sua essŒnO futebol. O time Botafogo e Terceira: cia Ø a mesma. Nascido em Cristalina em de suaGoiÆs, vida gra as a um nome: o- craqu o atual vereador do Rio de Janeiro rincha pelo PPS (1933-1983). E, como todo meni (Partido Popular Socialista) diz que suasempre Øpoca,foi Stepan tinha o hÆbito de c comunista. Nªo mudei de partido, ofi›gurinhas partido Ø da emblemÆtica sele ªo de que mudou de nome. Ele refor -a suas nªo con escondia que seu dolo maior era vic ıes pol ticas, referindo-se ao de extinto pernasPCB tortas que encantou ge›ra ı (Partido Comunista Brasileiro), e ressalta Quarta:que O apego natureza, s coisa foi criado em Goi nia. simples da terra, fam lia, aos - amig Sou um homem de sorte porque nasci e maradagem, a humildade. O goiano - Ø h passei minha inf ncia no melhor lugar do mundo milde, mas isso nªo significa que - sej e hoje moro na melhor cidade do mundo. Tive O goiano gosta de agregar, serviente. a felicidade de construir meu carÆter - de brigar no Cen , enaltece. tro-Oeste, pois acredito que a personalidade, Em recente visita a Goi nia, Stepa a alma, o esp rito de uma pessoa seaproveitou formam para exercitar os dotes fa atØ os 10 anos de idade , filosofa rever o ator, que de amigos. Falou -entusi dezenas se mudou de Goi nia para o Rio de Janeiro do sobreaos a filha recØm-nascida da jor 11 anos, seguindo os pais o armŒnio - LaraKara Nercessian, sua sobrinha e filha bet e a cearense Luiza. irmª Anita, mªe de mais trŒs sobrinho E foi naturalmente em Goi nia - onde Elesnasce sªo os œnicos membros do clª - Ner ram algumas das paixıes que o acompa›nham ian que ainda residem em GoiÆs. O res atØ hoje: da fam lia, como a irmª Celina (mªe d Primeira : A pol tica. O garoto-prod - Pedro, gio co no elenco do humor stico O Pro - globa munista, ainda na prØ-adolescŒncia,grama aos 10 do Didi ), transferiu-se para o Rio anos, vendia o jornal Novos comunista Rumos , Janeiro. quando estudava no GinÆsio Pedro Gomes, Contratado da TV Globo, ele anda m na dØcada de 60, per odo marcado - pelo au afastado das novelas. Mas em 2007 est toritarismo. Desde entªo, nªo abandonou cartazmais em dois filmes: na Pode comØdia Crer , os ideais do partidªo . de Arthur Fontes, e no longa-metragem Chega Segunda: O amor incondicional pelo de som Saudade, de La s Bodanzky (diretora da cu ca. Ele recorda-se: Me apaixonei pelo elo›giado Bicho de Sete Cabe as). carnaval em Goi nia. Os bailes infantis eramcom 26.740 votos no œltimo Eleito divertidos, alegres e vivia na -Vilamunicipal, OperÆria pu o vereador Stepan Nercessi lando congada com os negros. Antes Ødedefensor nos de uma causa œnica. Nªo mudarmos de GoiÆs, eu e minha mªe fomos vereador temÆtico, tenho uma visªo ma de nibus atØ o Rio de Janeiro -assistir des , real a. Ele assegura nesse ao sentido file das escolas de samba, ainda naque Avenida a denominada cidade maravilhosa s

Ainda

ZELO

PÆgina 21


GUIA

Caco de Te

Divulga ªo

Show FÆbio Jr. Data: 01/06 - Sexta-Feira Local: Clube Ja

AxØ GO Music Data: 05 e 06 - sÆbado e domingo Local: Aut dromo de Goi nia

Os meses de abril, maio e junho trazem - cardÆpio vari MADE IN BRAZIL ado de shows, festas e espetÆculos teatrais. Ivete San Data: Quinta-feira, 17 galo e Banda Eva estªo entre os que vªo comandar HorÆrio: 21 horas o trio-elØtrico nos dois dias do AxØ -Go Music, no Bolshoi Aut Local: Pub Goi nia Ouro dromo. AlØm da programa ªo fixa, casas noturnas Comemorando 40 anos ofe›recem atra ıes extras, como o show de Marcelo de banda, pela primeira Segunda Aberta - Rock Nova, no Bolshoi. No Goi nia Ouro, um bom repert vez em rio Goi nia um dos Acœstico, com Canalhas e Zabriskie de pe as para todos os gostos e idades. grupos que influenciaram Funbox › uma gera ªo de Dia: 30/04 roqueiros. HorÆrio: 20 horas A de TØspiscom Rosi Pre o: 5,00 Martins Sextas-feiras , Born a Lion (Portugal) + 21 horas MQN Espa o Prosa e Verso Noite Decameron, com Data: Quarta-feira, Literatura 23 Ouro dire ªo de Ana Cristina HorÆrio: 22 horas Dias: de 15 em 15 dias, aos Evangelista FÆbio Jr. ClÆudia Vieira Local: Bolshoi Pub domingos SÆbados - cafØ teatroData: Sexta-Feira - 1” Local: Chopp 10 Detalhes: O DecibØlica HorÆrio: 18 horas bar aberto s 20 horas, Data: a confirmar apresenta o melhor do Pre o: Entrada Franca Local: Clube Ja espetÆculo a partir das Cantora apresenta show Show da nova turnŒ do can novo rock internacional 21 de comemora ªo dos tor, Minhas Can ıes . com Born a Lion (Portu - Bar CafØ Cultura horas dez anos da casa Informa ıes: 3261-9622 gal) e MQN (GO) Mœsica de Trabalho Shows acœsticos Minha Vida de Palha o, (62) 3281-3287/ Teatro Goi nia Ouro AxØ GO Music Dias: todas as quartas-feiras com Marcelo Marques Marcelo Nova (Camisa de Data: 05 e 06 - sÆbado e (62)3515-1205 HorÆrio: 20h30 Domingos, s 17 horas VŒnus & Banda) domingo www.axegomusic.com.br Pre o: 2,00 Data: Quarta-feira, 6 Local: Aut dromo de HorÆrio: 17 horas Endere o: Rua 148 n” Goi nia Tributo a Led Zeppelin Local: Bolshoi Pub Envelopes, com a 248 Setor Marista (Rua Dois trios-elØtricosData: Quinta-feira, 10 Um dos principais nomes Cia Nu Escuro JUNHO da `trio) Telefones: Atra ıes: Ivete Sangalo do rock anos 80, Marcelo HorÆrio: 21 horas Dias: 11 e 12 Nova, l der da banda (62)3093.5542 (Cerveja & Cia Folia), Local: Bolshoi Pub zteatro@bol.com.br Camisa de VŒnus, se- apre Banda Eva, Jammil e Show ao vivo com a Show com senta na quarta-feira, Uma Noites, Alexandre banda Blues & Derivados vØspera de Corpus Christi. DomÆ da Concei ªo Divulque seu evento: conPeixe, Banana com- Cetocando grandes hits de Dia: 9 tato@zelodigital.com.br vada. Postos de Venda: Led Zeppelin Informa ıes Goi nia Ouro: Sede GO Music - Stand 3524-1712 e O Alienista, com Cidade de GoiÆs Flamboyant 3524-1743 Cia Nu Escuro IX Fica - Festival - Inter Tribo do A a e Tecm dia Dias: 26 e 27 nacional de Cinema e Informa ıes: V deo Ambiental

Teatro

Maio

Mœsica


D DECORAÇÃO

Astero Fontenelle Casa Cor Goiás 2007

A 11“ edi ªo da Casa Cor GoiÆs 2007 serÆ aberta ao pœblico entre os dias 18 de maio e 24 de junho, no- con dom nio hori›zontal Jardins Milªo. A mostra ocupa 8 mil me›tros quadra dos, divididos em 39 ambientes - dec orados com a participa ªo de 63 profissio›nais. AlØm de lofts, sala de cinema, estœdios e os espa os - com erciais, o evento deste ano abrange foto: Adriana um bistr sob os dom nios de- Rodri go Sanches, do Restaurante I Maestri, Reciclando vidas de Bras lia; Pizza Bar, a cargo da Piz zaria Originale; e um CafØ com - a pre No œltimo dia 24 de abril, a Maxim s sen a da Doce Doce. Pre o do- in inaugurou o projeto social Reciclarte, gresso: inteira - R$ 20 e meia - R$ 10. que visa preparar e encaminhar, R ainda este ano, 80 jovens carentesAs designers de interiores na Amaral, FÆtima Mesquita e Ma de 14 a 18 anos para o mercado de Espaço elegante ca Albieri foram escolhidas - par O Hall da Casa Cor GoiÆs 2007, no trabalho, por meio da capacita ªo e ticipar da mostra da Galeria Ta Condom nio Jardins Milªo, leva a reciclagem das sobras dos materiais que estÆ em cartaz desde o dia utilizados na fÆbrica. A Maxim·s conta assinatura dos arquitetos Miguel Gus de abril. O objetivo da mostra com a parceria da institui ªo goiana tavo, Ticiana Stefenoni, Arytana Ste resentar a diversidade da heran Osceia para realiza ªo deste projeto. fenoni e Wanessa Chaveiro. As cores cultural do Brasil e da ˝ndia, verde, azul e dourado sªo as- escol A inten ªo nªo Ø apenas qualificar o termØdio de fotos e pe as - decor hidas para dar glamour e aconchegojovem para que ele seja um elemento vas importadas por Alessandra I ao ambiente. O piso de madeira - re œtil e produtivo ao mercado de trabalho, mas formar o cidadªo em sua recente via›gem de 40 di ceberÆ tapete persa, proporcionando ao pa s indiano (foto). A ˝ndi charme e eleg ncia sem ser piegas.participativo, ciente de seus direitos, conscientes de seus deveres e desemelhante ao Brasil em termos Poucos objetos e pouca luz garan climÆticos, religiosos, sociais sua responsabilidade social , afirma tem ao Hall a certeza de nªo- ser es mesmo em certos tra os de- com quecido por quem passar por ali. Carlos Augusto Borges, diretor da portamento , diz Alessandra. A Maxim s. mobiliÆ›rio, uma exposi ªo de 1 Ornamentais fotos, clicadas por Adriana - Bit As plantas ornamentais produzidas Destaque tegra a mostra, propondo -um ret pelo Garden Tamburil, localizado no d O ArmazØm do Artesanato reservato aberto e plural da ˝ndia munic pio de Teres polis, assim como Z ıes. brante mosaico de tradi os belos vasos e cachep s de vidromuitas surpresas para o visitante da Casa Cor GoiÆs 2007. O arquiteto do viveiro, ganham destaque- na dec Pedro Paulo Rego Luna buscou ora ªo do apartamento-modelo do inspira ªo nas festas folcl ricas do Condom nio Reserva do Lago, no Divino Pai Eterno e nas Cavalhadas sofisticado endere o da Rua T-66, em de Piren polis para criar o ambiente frente ao Bosque Vaca Brava.- A ini da Casa Cor 2007. ciativa marca a parceria entre - o Gar den Tamburil e a Construtora Gafisa.

Passagem pela Índia

ZELO

PÆgina 23

astero@zelodigital.com.b


CRÔNICA

Max Miranda

maxmaxmax3@gmail.com.br

“B

ZELO

PÆgina 24

Ilustra ªo: Max Miranda

astou uma nuvem sair do lugar para a Terra banhar-se de Sol , fala baixo. Levantou a calda do mundo azul, se ergueu da grama bem esmeralda. Cal a os altos. Estica horizontes. Olhou o CØu: Algas marinhas e artØrias. A Natureza nunca tem leis. inventa e a eterna fÆbrica de sentidos naturais nªo escapa: Produz pØrolas , entende a Luz. A Flor aparece, aquela claridade descortina quente. Natureza Ø nuvem que muda e, sempre e nunca, Ø a mesma. Pensou antes de caminhar. O rumo era o jardim, jardim de horas e hor de mœsica-colibri. HÆ v os na contempla ªo. Viu o mar, uma ostra acena. PØrola Ø espelho. Viu-se. Nem todas as nuvens-sªo tempestu osas , profetiza. O reflexo do recente raio de brisa eclipsa o Sol d fresquidªo. O nascimento ou atØ mesmo o renascimento rasga a fresta e abre for a. HÆ pØrola, PØrola. E dentro dela mesma nasce o que estava para ter nascido. Nascido. Sim, no partic pio. Ao nascer, esc momentaneamente, a nova face: se enve›lhece ali um pouco s para nªo estar com a cara de nascida. PØrola teve vergonha de ser jovem tanto jovem. De tªo pouquinha que achava, uma bruta for a fez-se pele aind mais bruta. A concha abriu-se feito borboleta. Nªo voou. O nado era mar de vento rajado. Azul tambØm. PØrola ficou a ver a imensidªo. Nu sœbito mergulho, lan ou-se ao mar. Um banho de algas. Chegou a ir no fundo, mas como nªo tinha guelras, respirou assim mesmo e ganhou novamente a Ostra-Universo. Got culas descem seu corpo. Brilho e amor da j ia pela Terra. Ostra aberta, nua. Elas, uma-vez mais, se c fundem no tempo: Ostra e PØrola. Ar e Ar. Tªo juntas, a œltima pØrol Ostra. HÆ uma sinceridade entre elas que se abre como flores, soment Z para exalar o grato perfume da existŒncia.


AndrØ Barros

foto: ´ngela Motta

GASTRONOMIA

Prazer sensorial!

primeiro utens lio, pr prio para conhecer avam da obeleza de seus pratos, do uru mundo. Cabe a ela o papel de ’fazer’. colocado Sªo na œltima hora, da folhinha os dedos dos homens que pintam os manjericªo trazida de casa, entristec pouco tempo esteve aqui Joºl quadros, tocam os ins›trumentos, - descas Trabalhava num centro de preparo - e di Robuchon, o co›zinheiro do cam as batatas. Mas o que engendra - tribui a pin ªo de merenda para 18 mil cria sØculo. E uma das coisas tura, que a mœsica, o banquete Ø o -esp erito, nem pensar sem em enfeitar nada com che diz da comida Ø o seguinte: Um prato pre sajudado pela mªo, este utens - lio verde, mila tinha mais Ø que se preocupar faz realmente sucesso quando acordagroso. todos a higiene. os sentidos. E ainda o olhar, a visªo. O menino Mas, chegade repente, lembrou-se de uma Um toque da mªo, da boca, da l ngua no refeit rio da escola. Com um- rÆpido coisapas e o rosto se iluminou: Olha, n permite apreciar a consistŒncia, a sar textura, de olhos, vŒ qual Ø a comida. Se semestÆ gra a deve ser nossa comida. Chei o gosto do alimento. Um macarrªo muito bonita e apetitosa, vem imediatamente lØguas, a invade o bairro. Um dia tocou mole, passado do ponto, Ø um anticlÆgua max,na boca, tem desejo, tem vontade. campainha O e era uma grÆvida com desej uma tristeza. Um feijªo duro demais, quecom dizer da sopa de macarrªo, -muito E no bran dia seguinte, outra e outra... T caldo ralo, uma salada murcha, querem co e mole, e a batida seca da concha a contragosto no que cortar os desejos a coisa pior? E como descobrir o ponto prato certo? de Ægate? O pr ximo! que acabassem as merendas! preciso saber pegar, mexer, trabalhar Depois o que o olho se deleitou com aO nariz Ø mesmo impressionante e o alimento e principalmente, muito - principal beleza, o olfato vem confirmar -ou nªo que as acho im mais sensacional Ø que mexe mente, respeitÆ-lo. pressıes da visªo. Na hora de comer, comnªo a mem ria. Um perfume nos faz - via Os chefs franceses, como este - Robu hÆ nada mais importante do que o cheiro. jar anos, leva-nos para junto do quin chon, ficam na porta de entrada do Osalªo olfato do estÆ intimamente ligado aoinf paladar, ncia, da lavanda da barba do prim restaurante, e quando passa o bife,coisa o peito evidente. namorado, de um lugar beira-mar, da de frango, eles apertam, pıem o dedo O consultor Olivier Anquier, quando fogueira tinhade Sªo Joªo. Reparem que tod mesmo, para ver se o cliente vai receber uma pousada na praia, usava um truque os livros de texto sobre comida sªo l tudo no ponto certo. E se a comida para estiver que os h spedes nªo demorassemde lembran as, ou quase todos. mais para dura do que mole, mais mole muito do no banho e se aprontassem logo Epara a audi ªo, o que tem a audi ªo c que dura, volta, volta pra fazer deo novo, almo o. e Ao que iam chegando, -ele ofrita gosto da merenda? assim vai. va um alho na frigideira e passava ela Na pela cozinha, Ø verdade, ela aparece E como Ø importante a mªo, que - in cozinha, num ballet animado. mesmo menos. Mas jÆ come a com o sino strumento perfeito, s lido e complexoUma para merendeira de escola pœblica, chamando para a merenda. Tem gente qu tocar, prender, segurar. A mªo Ø o numa nossoconversa em que todas se vanglori - bate no pªo - toc, toc - para ouvir

ZELO - PÆgina 25


PAISAGISMO

Harmonia com o verde Fabiana Bellini humaniza espaços com integração entre homem e natureza

Sebastiªo Vilela

tas. poss vel inovar sempre ou atØ paisag mesmo stico, Fabiana Bellini chama a resgatar espØcies jÆ em desuso. Considero para outro aspecto que considera - de s Ø mera coincidŒncia que todas lindas, desde que bem cuidadas, portclaro ncia., A execu ªo do projeto nec Fabiana Frei›tas Bellini ensina. Ela dÆ preferŒncia vegeta - doªoolhar nati cl nico do profissional. Por tenha como ponto de - refer va. AlØm da facilidade de adapta ªo traba›lho devido vai alØm da cria ªo, se est Œncia para o seu trabalho a obra - doaopaisag clima, trazem de volta atØ a fauna, etapacomo seguinte da e›xe›cu ªo, que - Ø a ista paulista Gilberto Elkis. O- mestre das for Mas tudo com o consentimen os pÆssaros. - nuten ªo , conclui. mas retil neas defende a tese de - que to odopais cliente. ele quem deve se sentir bem agismo aproxima o homem da naturezae efeliz com o resultado final. abomina a idØia de que esse segmento Outra seja preocupa ªo percept vel frente da empresa IpŒ Paisagismo - no traba› simplesmente descrito como jardinagem. Vaipaisagista relaciona-se com Fabiana Bellini atende a todas -as nec lho da planta ªo muito alØm do jardim. dades paisag sticas, seja em condom n de Ærvores, inclusive as frut feras. Procuro Somando a esse princ pio bÆsico, - arborizar o tra residŒncias, parques, playgrounds, pr sempre, Ø uma forma de climatizar balho da paisagista goiana Fabiana eBellini piscinas e jardins. Rea›liza trabalho contribuir para oxigenar a atmosfera, afinal, segue outra regra inalterÆvel: o paisa›gismo - do P n s vivemos um momento dif cil, de manuten mudan asªo, como faz nos jardins deve estar integrado ao projeto- arquitet ni terr veis , avalia. cio das Esme›raldas, e atØ mesmo os m climÆticas co. Essa uniªo Ø determinante,- fundamen complexos, am Fabiana Bellini tambØm estÆ atenta a uma a exemplo da assessoria tal e faz a diferen a , teoriza, - acrescentan biental que presta Prefeitura- de Hi nova tendŒncia: as pessoas hoje passam do ainda que uma das principais funmaior ıes do dia. ouresponsÆ›vel pelas formas de p parte do tempo nas Æreas externas paisagismo Ø humanizar os espa -os. de A par conv vio coletivo. Com isso, - a pœblicas, import n avenidas, parques, escolas, tir dessas diretrizes, ela concebe - cia seusdopro execu ªo manuten ªo dos projetos. paisagismo aumentou. Em outras jetos atendendo o desejo de seus clientes. Na pr xima edi ªo da Casa Cor, - o t palavras, a decora ªo saiu dos ambientes Normalmente, quando o paisagista entra de ex Fabiana Bellini poderÆ ser - vis fechados e ga›nhou mais espa o -nas lho Æreas em cena, o cliente jÆ estÆ estressado - ternas, devi mas com o diferencial verde, ciado que pelo fica pœblico. O ambiente esco›l do ao desgaste natural de uma obra.ainda PorØm, ela? Aesses pra a, naturalmente. mais charmoso , ilustra. Seguindo Ø nesse momento em que ele realiza ensinamentos um na hora de elaborar o projeto Av. C-4, 55 - Jardim AmØrica sonho, de estar integrado tambØm na Goi nia-GO - Tel.: (62) 3275-1099 tureza , esclarece. ipepaisagismo@terra.com.br Fabiana gosta de inovar em seus proje tos recorrendo s diversas espØcies de plan

Nªo

Perfil

ZELO -

PÆgina 26


Goi nia Shopping, Shopping Flamboyant e Shopping Bougainville

www.wollner.com.br ZELO

PÆgina 27


ARTE E DESIGN

De volta às origens

O que seria do mundo sem as imagens... Consegue imaginar? Nada é por acaso e o passado pode nos ajudar a compreender essa necessidade humana de se expressar através da arte e do design Marcos Naves

Toulouse-Lautrec se destacaram.

onhecemos o mundo atravØs dasToulouse, nªo a pequena cidade france i›ma›gens que cada civiliza - sa, ªo mas pro o pequeno e notÆvel -artista co› duz; sªo como c digos visuais que como Toulouse-Lautrec, com seu nhecido comunicam. Artistas e designers dese›nho traduzem penetrante e delgado, que, alØm visualmente uma Øpoca, um momento, de quadros, criava anœncios, programas fazendo parte de nossa hist ria.deAntes da cartazes e gravuras. Sua fama teatro, escrita e da fala, nossos ancestrais - deve-se se ao co primeiro trabalho de cartaz para municavam atravØs de desenhos, - taman o Moulin Rouge, em 1891. Sua produ ªo Marcos Naves - colagens . cadernos - 1998 ha import ncia dessa forma de expressªo de p steres representou uma -for a im no processo evolutivo do chamadoportante homem na forma ªo e transi - ªo do esti civilizado . PorØm, somente na revolu ªo industrial Ø que a comunica ªo visual se Matisse - ilustra ªo - livro Jazz torna imprescind ›vel, devido necessidade de embalar os produtos e diferenciÆ-los com uma marca; de produzir ilustra ıes para os livros e revistas; de - divulgar acon tecimentos e propagar idØias- atravØs de car tazes e folhetos. Atendendo a esse novo modelo de produ ªo em alta escala, surge o que denominamos de design grÆfico. Muitos artistas e desi›gners produzem pe as grÆficas nes›te per odo e, dentre eles, alguns criativo sobrepıe a representa ªo Henri Matisse texto. - do en Toulouse-Lautrec - cartaz - A liberdade das formas e cores Arte contramos na produ ªo de Matisse, em e design gráfico O design egrÆfico surgiu da esfe suas telas, vitrais, tape arias, cenÆrios e gradativamente caminhou par figurinos. TambØm incursionou noarte campo a esfera produtiva, se configurand das artes grÆficas, ilustrando - livros e poe como uma prÆtica profissional. - O l sias. de Toulouse-Lautrec, Matisse, c O livro Jazz, de 1947, traz vinte - doilus de Øou›tros tra ıes de Matisse em que o -texto coad grandes artistas,- Ø imp tante para a forma ªo de uma- con juvante entre cores e formas. Utilizou-se sciŒncia estØtica. Atualmente, inœ para sua produ ªo folhas de papel colorido pe as com guache, restrito a poucos tons de grÆficas sªo resolvidas com ıes por eles- real amarelo, vermelho, azul e verde,nas queexperimenta eram izadas, tornando o conhecimento tØ recortadas e coladas. Para Matisse, as nico e hist rico das artes parte i cores nªo necessariamente seguem um scind vel para a prÆtica do -design critØrio de verossimilhan a, a cor tambØm fico. Ø desenho. Matisse, com suas- possibili dades construtivas, contribuiu para uma nova ilustra ªo em que o pensamento Marcos Naves- designer grÆfico e artista p

C

ZELO

PÆgina 29

ZELO

PÆgina 28


Refúgios DECORAÇÃO

Decoradora Cláudia Ducatti, empresária Liliane Lobo, arquiteto Marcelo Trento e estudante Flávia Teles mostram o lugar que reservam em casa para relaxar e esquecer preocupações do dia-a-dia Carol Magalhªes

Quarto, sala, cozinha, home office, ateliê, varanda, jardim. O local é indiferente quando o assunto é reservar um cantinho da casa para o bem-estar. E como a prioridade é o conforto, vale soltar a imaginação e partir para uma decoração que tenha a sua cara. Alguns preferem mesclar as tendências modernas com as clássicas. Outros optam por algo mais rústico. Tem ainda aqueles que não abrem mão de brincar com os tecidos e a disposição dos móveis. Alguns simplesmente seguem a máxima: “com equilíbrio, tudo é permitido”. Na verdade, não existem regras, o que importa mesmo é se sentir bem nesse espaço dedicado ao relaxamento, leitura, meditação, convívio familiar ou entretenimento. Conheça um pouco do “universo particular” de algumas personalidades que se destacam na cena goianiense. fotos: Equipe Haroldo Cardoso

Cozinha arrojada

ClÆudia Ducatti Ø decoradora, artista -plÆstica e pro prietÆria da Casa Mix. Seu lugar preferido na casa Ø a cozinha. lÆ que ela reœne a fam lia para momentos de extrema descontra ªo. O espa o Ø bastante - amplo e are jado. As paredes brancas dªo um toque clean , mas, ao mesmo tempo, envolvente. A ilumina ªo combina l mpadas frias e amarelas. Nas paredes, quadrinhos e um rel gio de design arrojado. Dentre os-eletrodomØs ticos estªo: duas geladeiras, um freezer e uma adega, o mais novo xod da casa. A decoradora comenta que o almo o Ø preparado por uma funcionÆria, enquanto que o jantar Ø elaborado por ela, os filhos e, sobretudo, pelo marido, Ricardo Pina, que jÆ realizou diversos cursos de culinÆria. N s nªo gostamos de ver televisªo. Quando estamos em casa, priorizamos o conv vio familiar, algo que Ø concretizado na nossa cozinha , frisa. ZELO - Goi nia, abril de 2006 30 - PÆgina


Quarto zen

Liliane Lobo Ø empresÆria do ramo de gastro fessa que seu cantinho preferido Ø o quarto. A segue o estilo zen, com luminÆria japonesa e c madeira com ares tailandeses. O ambiente-Ø com tado por uma ilumina ªo fraca, ideal para medi No canto se localiza a grande atra ªo do-espa nheira de hidromassagem, harmonizada com plant e sais de banho de todos os tipos. Ao lado, es uma poltrona de leitura e um m vel que guarda dos livros de culinÆria. Contribui ainda para do lugar a pintura da parede principal em - cor trastando com as demais paredes em branco. quarto que recarrego as minhas energias.-O ast

Varanda moderna

Marcelo Trento Ø arquiteto e proprietÆrio da Interpam Ilu mina ªo. Quando estÆ em casa, nªo dispensa agradÆveis horas de reflexªo, lazer e leitura na varanda. Localizada em frente piscina, a Ærea externa combina-o melhor da na tureza com toda a comodidade do mobiliÆrio moderno e de qualidade. O ambiente conta com duas espregui adeiras, alØm de um belo futon branco no chªo, protegido por uma charmosa tenda. L mpadas subaquÆticas e a ilumina ªo pr pria do jardim ajudam a criar o clima de leveza e bemestar. AlØm do verde das plantas, o espa-o possui detalh es em preto e cinza. O lugar transmite muita tranq ilidade e sossego. A varanda Ø ideal para aliviar o stress do dia-adia e buscar inspira ªo para novos projetos , afirma.

Gazebo tailandês

FlÆvia Teles Ø estudante de Jornalismo, coo da creche da Teuto e esposa do empresÆrio Walt No final da tarde, desfruta de seu charmoso ga localizado ao ar livre, em frente piscina e ofur s, sendo um maior para o casal e um menor pequena Ana Liz, de um ano. A decora ªo utiliz de deuses da ˝ndia e da Tail ndia, assinadas p plÆstico Gilvan Cabral. Feito em pau-brasil co em dourado, o gazebo conta com duas confortÆve cortinas de voil e inœmeras almofadas. Os m ve o estilo rœstico, a exemplo dos banquinhos em traba›lhada. O espa o Ø utilizado por FlÆvia e relaxar, com direito a som instrumental -e mass atsu trŒs vezes por semana. O contato com a n o que faz do gazebo um lugar bastante especial define.


DECORAÇÃO

Adriana Frausino e Marcos Simão Café na Casa Cor

Ampliação de negócios

Um dos ambientes que prometem seLana Bezerra abre, ainda no primeiro semestre, nova loja de roupas e destacar na Casa Cor Ø o do -cafØ, ela› acess rios femininos multimarca. A fil borado pelas arquitetas AndrØa Fonseca, ial serÆ na Av. 136 e o projeto jÆ estÆ Fabiana Cabral e Renata Aratake. nas pranchetas de Luana e Mariana Mendon a.

Santa do Pau Oco

Lumière Cinema Design

Foi inaugurado no œltimo dia 23 de As empresÆrias Isabela Lopes - e An um espa o cultural com inclina ªo drØa Hermano continuam incremen desi›gn contempor neo e s artes. tando as vitrines da Santa do Pau onde o pœblico pode assistir a bon Oco , em frente ao Parque Vaca Brava. foi trans›formado tambØm num ambie O projeto de arquitetura de interior Ø para con›vivŒncia que possibilita Arquitetura online do arquiteto Marcos Simªo, um dos idØias antes ou depois da sessªo. JÆ estÆ na internet mais um site sobre a parceiros desta coluna, que criou um ta e FÆbio, do D’Ayala, e Rafael, arquitetura feita em GoiÆs: ambiente ousado e utilizou formas que tœdio de Arquitetura, acerta›ram a www.mustafabucar.com. Vale um passeio ajudam a otimizar o espa o. - O proje conseguiram agradar os mais exigen pelo trabalho cuidadoso desse - profissio› to deixa o pœblico vontade para co›entadores do LumiŁre Ci›nema freq nal que enche os olhos do internauta e de nhecer um cantinho apimentado da sign, que fica no Shopping Bougai quem gosta do que Ø bonito!


CASA COR Fotos: Silvio Simıes

LØo Romano e Carlos Augusto Alves Ana Paula de Castro, Eduardo Bittar Fabiana Beline

Sheila PodestÆ e Eliane Martins

Cores do ano

A 11“ edi ªo da Casa Cor GoiÆs foi lan ada no dia 6 de mar o, d um brunch no Castro’s Park Hotel. A apresenta ªo contou com a pr dos profissionais envolvidos no projeto, como fornecedores, apoi arquitetos, decoradores, entre outros. O coquetel de abertura da serÆ dia 17 de maio e, no dia seguinte, a mostra serÆ aberta ao

Pedro Paulo Luna e Mesqui Ana Paula Moraes, Virginia Naves MÆrcia Simonsen Ros ngela Dias de Paula e FÆtima ta e GenØsio Maranhªo

ZELO

PÆgina 32


MODA Camisa em seda com mangas bufantes Jolie Jolie,

sobreposto com vestido em ty-die J

Jolie e trand colt de estampa de on a Luc the Sky para Susy Darley

Sportswear de luxo

Aestação lança um mix de desejos; estampas de feras, desejos tribais, fantasias românticas, segredos... Viva a pluralidade!


MODA Vestido Caos, cal a em denim com estampa

de zebra Name e casaco Entrelinhas para Carmem Cardoso


MODA Parka com capuz em tecido metalizado Pactus


MODA Nesta pÆgina, cal a jeans resinada com tinta metalizada e blusa em malha fria com manga morcego, camiseta em bola de metal e minicasaco Zoomp

Camisa em tecido plano com detalhes em babado e vestido em seda Les Fil s


MODA Ele veste camisa e camiseta VR casaco e shorts Mandi Ela veste camiseta em malha, vestido sobreposto com bermuda e casaco de veludo W llner


MODA

Camisa branca em tricoline, camiseta em malha sobreposta, shorts em bordados e pedrarias Offows. Bolsa Pelliccia


MODA Camiseta manga longa e bata em malha, casaco curto e cal a em jeans Calvin Klein. Bota Pelliccia


MODA Camiseta de manga longa, camisa xadrez com detalhes em moleton e cal a jeans Eckzem

Fotos: Bernardo Borghetti Styling: Marcos Manzutti Assistente: Micael Bezerra Beleza: AndrĂ˜ Moreira Cabelo: AndrĂ˜ Moreira e Le Touche

Modelos: Manuella Gomide e R mulo, da Matri


Outro Flamboyant Fashion, outra maratona de moda. Foram nove marcas que se s, apresentaram em quatro dia acomodando até 1.100 pessoas por apresentação, uma área de 6,4 mil m2 de circuito, 80 modelos das principais agências, dois camarins, além de 500 e profissionais trabalhando dia noite nos bastidores, de cabeleireiros a iluminadores. o Nas passarelas, o público viu que brilhará na temporada outono / inverno 2007 das marcas Eckzem, Forum, Kipling, Lilica & Tigor, , Osklen, Pura Mania, Renner o Rosa Chá e TNG. Este ano, tema da edição foi “Reciclabem, a moda que combina com todas as a estações”. A cenografia levou assinatura do arquiteto Léo Romano e do produtor Cleydson Francisco, que trabalharam um conceito ambientalmente correto.

Fotos: Rubens

Osklen

Lilica & Tigor

Flamboyant Fashion

MODA

m

Eckze

Rosa ChÆ

Kipling

Pura Mania


BAZAR

Henrique Rodovalho e Marcos Caiado

“Zelo” e Sophistiqué

Leonora Rocha Lima, PitÆgoras e Alexandre

Luiz OtÆvio

Sissi Macedo

O Centro Cultural Oscar Niemeyer abrigou a primeira edi ªo do Bazar Sophis O descolado e concorrido evento, que reuniu marcas superchiques, contou ai uma eclØtica programa ªo cultural: DJs em cena, celebra ªo dos 99 anos do Niemeyer, galeria de arte, show e atØ uma performance dominical do inquiet plÆstico PitÆgoras. Artistas, imprensa e formadores de opiniªo passaram pe Revista Zelo no Bazar SophistiquØ.

Juliana, Ana ClÆudia, FlÆvia e Luis Fernando Rocha Lima Ana FlÆvia Perillo

Cristina Carneiro e JosØ EpitÆcio

Daniela Montrezol

Maur cio, Rose e Christiane Freitas

Anna Luiza Sant·Anna e Adriana SÆ Peixoto ZELO

PÆgina 14

Gracinha e Ronaldo Caiado


Emanoel Camargo e Glauce, e sua filha

Andrea Rocha Lima

Areda Fiori

Alessandra Gusmªo, Erick Politano e Cleo Peixoto

Ricardo e Diane Mauriz Jayme

Tereza Piccolo

AndrØ Barros

Augusto TomØ e Jœnior Roriz

Marc lio Lemos

MÆrcio Mello

Sheila Brito

Marco Antonini

Mar lia Teixeira

KÆtia Barreto e SÆlvio JulianoFernando Parrode

Fran ois Calil

Izabela Drummond

Fernando Eur pedes e M nica Navar rete ZELO

Aroldo de Sousa e ClÆudia Vieira

Isadora Castro, Ci a Carvelo e Guilherme de Freitas

Jackeline Kellen SilvØrio Abadia Haich PÆgina 15


EVENTO Fotos: equipe Haroldo Cardoso, FÆio Lima, Paulo JosØ, Thalles Frederico e Pedro Motta

Fernanda e Luiz RogØrio Gouthie

Ros ngela Motta, Cleumar Gomes Freitas e ´ngela Motta Kell Motta e IvanClØria Pimenta e Alex Gebrim Grande

Número 1

A festa de lan amento da revista Zelo contou com a presen a de mais de convidados, no espa o Le Blanc. Comida de Liliane Lobo, decora ªo de Va Junqueira, driques do Rushowbar e a diversªo dos convidados fizeram o sucesso da festa.

Adevania Silveira, Marielza Rattes e Carolina Oliveira e Simone Louren o Kely Cristina Mavione de Souza

Renato Monteiro e

rsula

Bruna Oliveira, Bruno Oliveira, Juliana de Oliveira e Wanessa Chaveiro

Carla Rattes ZELO

Severino de Souza PÆgina 16

Cinthia FidØlis Adelair Batista


Ruth de Paula e ClÆudia Oliveira, Fernando Parrode Haroldo Cardoso e Rosa Donzelli

Ma sa Gouveia

Fabiana Queiroga e Marina Potrich

Tana, Liliane Lobo, Jœnior Roriz e Cristal

Ranulfo Borges, Andrea Mena Marangoni e Leite e Pablo Kossa Ivone Silva

ClÆudio Valente e Magno Pinheiro››

Edi Carlo, Carlos Augusto Alves Borges e Daniel Almeida e Lorrane CabralFabr cio Psicodelic Tobias Ragonesi JosØ Guilherme Schwam Geyza Porto, Ricardo Souza, Beatriz Godoy e Adriele Costa

Anselmo Troncoso, Rudson Zia, Fab ola Arroyo ZELO

PÆgina 17

Joªo Nelson e Rita


EVENTO

MÆrcia Simonsen

Luciana Finholdt, Luiz Carlos Lopes e J Almeida

Neusa Baiocchi

Nelson Mendes, Simone Borges, Ronan Gon alves

Doricelma Mariotto

Sebastiªo Damasceno

Astero e Diva Motta

Jœlio Sousa e

Helmo Jœnior

Renata Portela, Viriato e Rœbia Guimarªes Lourival Batista e Mira Porto

Luc ola Correia e Doris Costa

Renata Barbosa, Bruno, MÆrcia Moreira e RogØrio Moreira ZELO

PÆgina 18


EVENTO

Antonio Loss e JosØ Guilherme

Donizeth e Moema Tavares

Susy Resende

Luciano de Castro e Chirlei Camargo

Mix de marcas

Eunise e Joaquim Rodrigues

Jantar do Skal

Polyana Morais

O Skal Internacional de GoiÆs, entidade do trade tur stico, A Suzy Darley realizou um coquetel rea›lizou jantar no Restaurante Florentino. JosØ Guilherme lan amento da cole ªo outono / inve Schwam, atual presidente do Skal, foi o anfitriªo da noite. 2007. O evento reuniu convidados e gos, que foram conferir o mix de ma modernas.

Gilson Ramos e Ma sa Gouveia

Joana Dar c e Miguel Abrªo

Hebe Carvalho

SØrgio Rios e Helo sa Cristina Neves Chistianne Zupelle Miguel Rodrigues e Tereza Yamada ZELO

PÆgina 19


Festa alto-astral

Morgana Ribeiro preparou uma festa alto-astral para festejar mais um aniversÆrio, no salªo do Edif cio PalazzoEdmo Avezzano. Neto, A Breno, EdmoMarina e Morena, Fernando Torquatto e Erusa Dias gastronomia ficou por conta de Liliane Lobo, que encantou os S nia Pinheiro convidados com um cardÆpio bem elaborado.

Marcello, Malkon, Ana Cristina e Geovana Merziam

Morgana Ribeiro e Carlos Pedrinho Abrªo e Margarida Alberto de Oliveira Coutinho

Mostra fotográfica

Em badalada noite de coquetel, Fernando Torquatto, um dos melhores fot grafos e maquiadores de moda do Pa s, abriu, no Shopping Bougainville, a mostra S n com fotos de artistas nus.

Estanislau e Eva de Araœjo HØlio CØsar e Helenice da Costa

Rasga Chita A empresÆria Moema Tavares recebeu amigos, fam lia e parceiros para o coquetel de inaugura ªo da loja Rasga Chita. Luiz OtÆvio Drummond e M nica Quinan

Raquel Teixeira e Marcos Caiado

Festa com poesia

CÆssia Fernandes e FÆbio Siqueira Vilmondes JosØ de Souza

Moema e Donizeth Tavares

Giovana Santos

Marcos Caiado recebeu os amigos no Vallentina CafØ pa come›morar o aniversÆrio dele. Imprensa, artistas, po gente do circuito social foram dar um abra o- no poeta JosØ Guilherme tribuiu Patr cia Barbosa Schwam ClØria PimentaC ntia Morais


EVENTO

Alcione Silva

Eleuza Sarkis

Carmem Cardoso

Lucimar Cardoso e Pollyanna Rocha

Eliane Can ado e Ana Carla Clemente Maia

A multimarcas Carmem Cardoso reuniu clientes e amigas para o lan amento das cole ıes de inverno de seu poderoso casting de marcas. As vi›trines e prateleiras da loja estªo recheadas das marcas Carmim, Caos, Iorane Rabelo, Trafico Z, Lia Rabelo, Name, Alexandre Herchcovitch, T mara Capelªo, Regina Salomªo, Shampoo, Reivindique, Blue Banana, Civil, M nica Negreiro, dentre outras. Para conferir, basta dar uma passadinha na loja Carmem Cardoso, na Rua C-155, Qd 236, no Jardim AmØrica.

FlÆvia Fleury

Gabriela Maia

MÆrcia Cassiano Guedes

Mirna ClÆudia

FlÆvia CantuÆria e ClÆudia Carvalho Luciane Marques

Morgana Ribeiro

NÆ Nunes de Oliveira e Lucimar Cardoso

Nadja Bettini e Tereza Pedroso

Rita de CÆssia e Eleonilza Mendes

Lucimar Cardoso e MÆrcia Oliveira

Neuzete Moreira e MÆrcia Dias


EVENTO

Tana, MÆrio Melo, Liliane e Cristal

Festa para Liliane Lobo

Ricardo e Diane ClÆudia e AristŒnio Jayme de SÆ

O quŒ: AniversÆrio de Liliane Lobo Onde: ResidŒncia da aniversariante, no Condom nio Aldeia do Vale Comida: preparada pelo pr prio buffet de Liliane Lobo Destaque para o Fundue de Frutas com Chocolate, Penne AsiÆtico, Musselines de M com Cogumelos Frescos e Risoto de Bacalhau Bebida: Prosecco, cerveja, Ægua, refrigerante e u sque Decora ªo: Liliane Lobo Trilha sonora: DJ Marcos, da Marka Som Fotos: ´ngela Motta

Suzana Hahn, Liliane Lobo, Ana Gustavo Jayme e Manuela Fiadeiro e Britz Lopes Telma Jayme

Alberto e Simone Las Casas

KÆtia Rocha e Ricardo Simªo

Carol e Condinho Lobo

JosØ Roberto Barreto e Nair Xavier Lobo

Adriano Rocha

GlÆucia Lobo e Lana Lobo ZELO

PÆgina 22


EVENTO

IlØzio Ferreira, Elza Ferreira, Joaquim Barbosa e Elizabeth Oliveira ZØlia e Carlos Calixto

Marco Simªo, Fernanda Loyola e Camila Tonello, Nara Rœbia e Kelly Cristina Borges Camila Loyola Hilberto Santana e

Mostra Ambientar

Edmara Cavalc

Coquetel de abertura da Ambientar 2007 Mostra de Interiores, no Residencial Tayamª. O evento reuniu arquitetos, deco radores,

Luzimar Pereira e Marcello Lins


Profile for Revista Zelo

Zelo 02  

Segunda edição da Revista Zelo

Zelo 02  

Segunda edição da Revista Zelo

Advertisement

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded