Page 1




A utopia está lá no horizonte. Me aproximo dois passos, ela se afasta dois passos. Caminho dez passos e o horizonte corre dez passos. Por mais que eu caminhe, jamais alcançarei. Para que serve a utopia? Serve para isso: para que eu não deixe de caminhar.

30

Eduardo Galeano

10

AUTO-AJUDA

Nutricionista ensina truques na hora de ir ao supermercado

18

SAÚDE

Especial Diabetes: aprenda a lidar com essa doença

26

CAPA

Algumas dicas especiais para viver um grande amor

INSPIRAÇÃO

Aventuras após a aposentadoria. Conheça as histórias e as lições de Kiyoharu Miike

SEMPRE AQUI 04 08 32 33 35 36 38

Carta a você Sala de Espera Gourmet Gente | Daura Carneiro Almanaque Humor | Jaime Reiss Eterno Aprendiz


carta a você

Beleza interior Quantos anos sua cabeça tem? A resposta para essa pergunta talvez seja a grande chave para uma vida melhor. Num mundo que nos oferece tanta artificialidade, conhecer a nossa idade interior, aquela que não está no nosso rosto nem na certidão de nascimento, é ter acesso a um grande tesouro. Tenho visto tanta gente cansada, fria e amargurada com pele de pêssego que só posso imaginar que por ali os peelings foram apenas para o corpo. A ciência evolui a cada dia, mas se não houver um desejo interior de mudança, de renovação, de nada adiantam os tratamentos. Estes dias eu conversava com um dos melhores cirurgiões plásticos da cidade e ele fez questão de destacar que uma intervenção estética pode realmente representar uma nova fase da vida, mas só se vier acompanhada de um rejuvenescimento da alma. Mas o que fazer para deixar para trás as camadas que nos deixam fracos e envelhecidos por dentro? Poderíamos fazer uma revista inteira só com idéias; aliás, é esta a missão da VIVER: inspirar pessoas a viver mais e melhor. Mas um bom começo seria o convívio com bons amigos, um leitura agradável, uma boa dose de perdão, evitar comparações com as outras pessoas, valorizar os pequenos momentos da vida (eles são os melhores) e principalmente não olhar para a idade cronológica. Afinal, idade é algo muito subjetivo. Diante dessa pequena reflexão, faça o teste. Você tem mais anos ou menos que sua carteira de identidade registra? Deus é tão bom que nos permitiu responder e alterar essa idade como num passe de mágicas. Você aceita o desafio? Um abraço,

15 DE JULHO Amigo Viver Palestr a com Dr. Ism ael Lag o Os ingr essos c ustam R$ 5,00 e o Tea tro fica no Sho pping E stação .

Editor Luís Carneiro Fotos Ellen Nogueira Projeto Gráfico Erika Miike Finalização Paulo Schiavon Relações Públicas Daura Carneiro

Luís Carneiro, Editor luis@vivermaturidade.com.br

AMIGO VIVER

A Revista VIVER Maturidade é uma publicação bimestral da Editora Ruah*

27 de julho Baile D ança Comigo da Rev 10 anos ista Viv er

Inform a 41 301 ções 8-8805

Capa Fábio Jr. Foto Divulgação

Rua Casemiro José Marques de Abreu, 706 82.200-130 - Ahú Curitiba/PR - 41 3018-8805 leitor@vivermaturidade.com.br www.vivermaturidade.com.br

ATENDIMENTO AO LEITOR (41) 3018-8805





evento

Dia dos av贸s especial DONA DAURA, Fundadora da VIVER, convida todos para o baile dos 10 anos da revista




O que falar de uma mulher que é a melhor amiga do tempo e que a cada ano que passa tem mais energia? Às vésperas de completar 70 anos, Daura Carneiro comemora os 10 anos da Revista VIVER com o tradicional baile Dança Comigo e o desejo de reunir muitos amigos. “Este ano o evento será muito especial porque marca uma década de VIVER e vamos reunir todas as pessoas que fizeram e fazem parte desta história”, conta. Vale lembrar que Dona Daura é a ‘alma’ da VIVER, a pessoa que representa a revista em todos os grupos da maturidade. Todos os meses ela cumpre a rotina de visitar cerca de 60 grupos, distribuindo revistas e alegria por onde passa. “Para mim, a maior alegria é poder estar perto das pessoas. É ali que conheço gente nova, que escuto os problemas, que dou e recebo conselhos e que troco muita energia”, explica. Dona Daura é a própria essência da missão da Revista VIVER, que se propõe a oferecer inspirações para viver mais e melhor. Com sua inconfundível alegria, ela incentiva as pessoas a se superarem e a não ficarem paradas após a aposentadoria. “Gosto sempre de dizer que viver é voluntário, é preciso ter muita determinação para ser feliz”, ensina. Para ela, que fundou uma revista e com mais de 60 anos ingressou na faculdade de Jornalismo, desafio pouco é bobagem. Seu próximo passo é desenvolver em Curitiba uma central de informações para viver mais e melhor. “Nosso objetivo é garantir mais qualidade de vida às pessoas e isso só é possível com acesso à informação”.

Baile Dança Comigo 27 de julho, a partir das 15h, na Sociedade Thalia

Ingressos: R$ 10,00 (antecipado) e R$ 15,00 (no dia) Informações: (41) 3018-8805

Como sempre, os dançarinos convidados serão o grande atrativo do baile Dança Comigo. O evento será realizado no Dia dos Avós, 27 de julho, na Sociedade Thalia, a partir das 15h. “Quem já participou sabe que esse é um baile diferente de tudo que acontece em Curitiba. É uma grande festa que reúne amigos em torno de boas músicas e muita dança, num ambiente muito agradável”, afirma Dona Daura.




SALA DE ESPERA Participe da coluna enviando sua dúvida para nosso email: leitor@vivermaturidade.com.br.

Dr. João Grossi Periodontista e Implantodontista

João Paulo de A. Alarcão Prof. de Ed. Física e Fisioterapeuta

Lucíola M. da Nova Fernandes Psicóloga

Qual a real importância de cuidar dos dentes?

O padrão estético atual atrapalha as pessoas que querem se exercitar?

Qual a importância de participar dos grupos da maturidade?

Muitas pessoas não fazem natação, por exemplo, porque têm vergonha do corpo e acham que quando vão chegar em uma academia só vão encontrar pessoas atléticas, mas o benefício está aberto para todos. Basta sair de casa e dar início a uma nova e prazerosa atividade. Antes de qualquer coisa, é fundamental que a pessoa tenha força de vontade e o desejo de estar bem consigo mesma.

Sabemos que há uma grande demanda de idosos no Brasil e temos hoje mais de 15 milhões de pessoas com mais de 60 anos. Só em Curitiba, já ultrapassamos a marca das 133 mil pessoas nesta faixa etária. Num grupo a pessoa exercita todas as suas habilidades, constrói relacionamentos saudáveis e faz uma atualização de assuntos do dia-a-dia, exercitando a memória.

Devemos ter como objetivo dentes bons não somente para a estética, mas principalmente funcionais, que triturem corretamente os alimentos. O resultado é um maior número de anos de vida, pois como a ciência já indicou, com o passar dos anos a capacidade de absorção dos nutrientes dos alimentos naturalmente diminui, resultando num decréscimo da saúde. Negligenciar os cuidados podem trazer graves conseqüências.







auto-ajuda

compras saudáveis A Nutricionista Cassiana Domingues ensina 10 truques na hora fazer as compras Supermercado é uma grande armadilha para quem quer viver uma vida saudável. Produtos industrializados, refinados e com alta concentração de conservantes estão sempre à mão. Outro grande pecado que cometemos na hora das compras é levar para casa o que não precisamos. Convidamos a nutricionista Cassiana Germano Domingues, especializada em tratamentos e acompanhamento nutricional, para ensinar alguns truques de sobrevivência saudável no supermercado.

Atenção nas dicas e boas compras! 10


1.

Nunca vá às compras com fome. Isso o levará a provar e comprar produtos que você não precisa.

2.

Planeje suas compras para o momento mais calmo da semana, evitando tensão e ansiedade na hora da escolha dos alimentos.

3.

Sempre vá às compras com sua lista. Consuma o mínimo de produtos industrializados, refinados e com concentrações altas de conservantes. Alguns corantes e conservantes, quando consumidos em grande quantidade e com muita freqüência, podem provocar sérios danos ao organismo.

4.

Concentre sua atenção nas partes laterais e fundos do supermercado. Lá encontram-se produtos frescos, como frutas, verduras e laticínios.

5.

Pegue primeiro os produtos não perecíveis, depois os produtos frescos e de geladeira, e por último os congelados. Fique atento ao rótulo. Verifique sempre a composição do alimento e o prazo de validade.

6.

Passe somente nas seções que interessam, pegando o que consta na sua lista; evite passar nas seções “perigosas”: doces, salgados, enlatados e bolachas.

7.

Não leve crianças, amigos ou parentes que possam incentivar você a adquirir mais coisas do que o necessário.

8.

Selecione as hortaliças e as frutas de acordo com a safra. São mais fáceis de serem encontradas, além de mais nutritivas e baratas. Focalize suas compras em produtos frescos, tais como frutas, vegetais, produtos integrais, carnes magras, aves e frutos do mar.

9.

Procure variar bem suas compras, conforme as substituições. Não adianta comprar em grande quantidade, pois vários alimentos têm data de validade. Os produtos enlatados, congelados e não perecíveis têm um prazo de validade maior, mas laticínios e frios duram, no máximo, 10 dias; já as frutas e as verduras devem ser adquiridas a cada semana.

10.

Quando o consumo de frios light for pequeno (queijo minas, ricota, requeijão light, kaschmier light, embutidos de frango ou peru), divida em porções menores e congele. Assim, você não desperdiça dinheiro e sempre tem à mão o seu alimento.

O alimento é muito mais que um simples combustível para o corpo. Além de fornecer energia, previne doenças, promove saúde e melhora a qualidade de vida. Para isso acontecer, é necessário NUTRIR nosso organismo adequadamente. Invista nessa idéia e faça da sua alimentação uma grande aliada!

O conselho acima é da nutricionista Cassiana G. Domingues, especialista em Fisiologia do Exercício, que a partir deste mês passa a ser colaboradora da Revista VIVER. Além de atender em seu consultório, Dra. Cassiana é nutricionista das Academias Gustavo Borges (Barigui e Tarumã). Seu trabalho é direcionado ao atendimento clínico nutricional. Ou seja, se você precisa de informações sobre obesidade e sobrepeso, magreza, doenças cardiovasculares, diabetes e gestação, entre em contato com a Dra. Cassiana Domingues. Ela também trabalha com o atendimento nutricional esportivo (praticantes de exercício físico, atletas profissionais e amadores) e além disso, presta consultoria nutricional para empresas e realiza diversas palestras.

Consultório de Nutrição Cassiana G. Domingues Av. Cândido Hartmann, 570 cj. 271 Tel. 41 3078.8911 Email: cassiana@cdnutri.com.br Site: www.cdnutri.com.br

11


ação

Beleza solidária Desfile Solidário promovido pela Rede Feminina de Combate ao Câncer Mais de 700 pessoas participaram, no dia 29 de maio no Restaurante Madalosso, do Desfile Solidário, promovido pela Rede Feminina de Combate ao Câncer, do Hospital Erasto Gaertner. O evento teve como objetivo arrecadar fundos para a ampliação da instituição. Destaque para as seis lojas que mostraram suas coleções e mais dez expositores que ofereceram novidades ao público. O coral da Rede Feminina abriu o evento, o desfile foi realizado pelas belas manequins da 3M Fashion e o encerramento ficou por conta da Maison Veridiane. O evento contou com o apoio do restaurante Madalosso, Clube da Mulher Nissei e Ouro Fino.

Voluntárias recebem VIVER A partir desta edição, todas as voluntárias da Rede Feminina de Combate ao Câncer receberão periodicamente a Revista VIVER. Segundo a Relações Públicas da revista, Daura Carneiro, o presente é uma homenagem a tantas mulheres que dedicam boa parte de suas vidas ao atendimento dos pacientes do hospital. A presidente da Rede, Janice Gastaldon, parabeniza a ação: “Conheço a VIVER há muito tempo e fico muito feliz por saber que nossas voluntárias receberão esse presente que incentiva, sobretudo, a qualidade de vida das pessoas”.

12

Fotografia

Rua Lamenha Lins, 636 - Rebouças 41 3014-0110 www.viladaimagem.com.br


13


bem-estar

30 minutos e um corpo saudável Sensação em Curitiba, a academia Curves alia praticidade a grandes resultados

Uma academia diferente, só para mulheres, onde apenas 30 minutos, 3 vezes por semana, são o bastante para garantir resultados como perda de peso, fortalecimento muscular, aumento da massa corporal e condicionamento físico. À primeira vista, a idéia pode parecer mais uma daquelas fórmulas milagrosas, mas fomos até a Curves para saber exatamente como é este método que vem sendo uma sensação em Curitiba. Não é a toa que já são mais de

quatro milhões de praticantes em todo o mundo. Basta conversar com qualquer aluna da academia para descobrir a razão de tanto sucesso. Algumas tinham vergonha de sair de casa, outras jamais entrariam em uma academia por acharem que não conseguiriam seguir um programa de exercícios. Para espanto de todas, o programa não só deu um belo de um resultado no físico, como trouxe benefícios para a saúde e auto-estima. É o caso de Juçara Terezinha

Me surpreendi com a energia do ambiente, com gente animada e professoras que nos incentivam e que colocam a saúde como um objetivo comum

Juçara Gonçalves, que está na Curves Jardim Botânico desde outubro

14

Pereira Gonçalves, que está na Curves Jardim Botânico desde outubro. “Conheci a Curves a convite de uma amiga e me surpreendi com a energia do ambiente, com gente animada e professoras que nos incentivam e que colocam a saúde como um objetivo comum”, conta. Em se tratando da Juçara, os elogios são bem significativos, já que ela era avessa à academias: “Nunca gostei daquele verdadeiro desfile que acontece nas academias tradicionais, que só servem para constranger quem está começando uma atividade”. Na Curves, ela já reduziu 6,5 quilos, melhorou sua qualidade de vida e ganhou muitas amizades. “Procuro me exercitar em horários diferentes para conhecer cada vez mais pessoas”, destaca. Como funciona? A série de exercícios da Curves é na forma de um circuito que inclui aquecimento, fortalecimento muscular, exercícios cardiovasculares, resfriamento e alongamento. Nesta dinâmica, o praticante circula por várias estações, que intercalam exercícios de fortalecimento muscular e aeróbicos. Todos passam pelas mesmas atividades, a diferença está na intensidade e na velocidade com que realizam os exercícios. O treinamento da Curves utiliza resistência hidráulica, ou seja, a carga varia em função da velocidade, quanto mais rápido o movimento, maior a resistência. “Equipamentos deste tipo


Professora Sandra Regina Mihok Ribeiro, da Curves Santa Felicidade

são simples de usar e elaborados especificamente para mulheres, porque permite um treinamento aeróbico ao mesmo tempo que realiza exercícios de força”, destaca a Professora Sandra Regina Mihok Ribeiro, da Curves Santa Felicidade. Resultados Especialistas garantem a eficácia desta nova maneira de se exercitar. De fato, estudos mostram que nestes escassos 30 minutos, é possível perder peso, melhorar a tonicidade muscular, a capacidade cardiorrespiratória e a freqüência cardíaca. Pesquisadores do Baylor University Exercise and Sports Nutrition Laboratory, comandados pelo Dr. Richard Kreider, mediram o gasto calórico e identificaram que as participantes da pesquisa menos condicionadas gastaram de 164 a 238 calorias em 30 minutos, enquanto as participantes com melhor condicionamento físico

gastaram até 522 calorias. Esta flexibilidade na intensidade do exercício permite que as mulheres permaneçam no programa obtendo uma melhora substancial e duradoura no controle de peso, aumento de massa magra, fortalecimento muscular, condicionamento físico, qualidade de vida e saúde. O estudo mostrou que mulheres sedentárias e com sobrepeso que seguiram o programa da Curves por 14 semanas aumentaram o metabolismo basal em até 400 calorias/dia. Elas reduziram o peso em média 6 kg e perderam uma média de 5 centímetros no quadril e 7 centímetros de cintura. Mostraram uma melhora de 20 a 30% em força muscular e em média 15 % de aumento na capacidade aeróbica. Os resultados de colesterol, freqüência cardíaca em repouso e pressão arterial também apresentaram melhora. Foi comprovada a eficiência do programa em ajudar as mulheres a perder peso, ganhar força muscular, aumentar o metabolismo, melhorar o condicionamento cardiovascular e manter músculos, ossos e articulações saudáveis. Para todas O programa não possui restrição de idade O programa não possui restrição de idade. “Após uma entrevista, será definido o objetivo de cada pessoa, que é dividido em quatro modalidades: perda de peso, fortalecimento muscular, aumento da massa corporal e condicionamento físico”, explica a Professora Sandra. A boa notícia para quem quer conhecer melhor a Curves é que basta marcar uma avaliação gratuita para ganhar uma semana grátis ou um desconto. Por que não?

Você não tem que se preocupar com seu cabelo ou sua maquiagem. Você não tem que perder cinco quilos para se sentir em condições de frequentar a Curves e nem tem de se preocupar com os olhares masculinos enquanto faz os seus exercícios.

Relato do idelizador da maior rede de academias do mundo, no manual da sócia da Curves, distribuído para as alunas iniciantes. O livro, aliás, traz histórias de mulheres que chegaram a perder cerca de 63 quilos com o método Curves. Isso porque sentiam-se em um ambiente emocionalmente seguro.

SERVIÇOS: Batel (41) 3018-2020 | Bigorrilho (41) 3029-8282 | Cabral (41) 3076-2020 | Centro (41) 3077-5888 | Hauer (41) 3016-8858 | Jd. Botânico (41) 3027-8080 | Sta. Felicidade (41) 3076-9040 | S. J. dos Pinhais (41) 3035-4660

15


bem-estar

VIDA ATIVA Exercício físico É uma das principais atividades do século XXI. O que você tem feito? Há alguns anos, quando se falava em aposentadoria, a imagem que vinha à cabeça era a de um idoso sentado na poltrona e assistindo televisão. Pois este quadro já deixou de ser real há muito tempo. Hoje, se aposentar significa muitas vezes, ter mais atividade do que se tinha antes. Ana Teresa Campelo, de 83 anos é a prova disso: “comecei a me agitar depois da aposentadoria. Quando era professora ficava acomodada em casa”. Hoje, ela freqüenta o Centro de Esporte e Lazer da praça Ouvidor Pardinho e é adepta da ginástica. O exercício físico é uma das principais atividades dos aposentados do século XXI. Uma pesquisa da prefeitura de Curitiba revelou que quem tem mais de sessenta anos pratica mais atividade física do que os jovens e adultos. Entre os 4mil entrevistados com menos de 60 anos, apenas 21,7% fazem alguma atividade física. Entre os mais velhos, o índice ficou em 40%. “Esta é a primeira pesquisa que quantifica a atividade física em relação à idade e ao nível de instrução”, afirma o secretário municipal do Esporte e Lazer, Neivo Beraldin. Ele completa: “na última década,

16

os mais velhos passaram a se preocupar com a saúde e, aos poucos, estão abandonando a imagem da vovó que bordava e do vovô que ficava lendo jornal”. faz bem para a mente Para incentivar, principalmente quem tem mais de 60 anos, não faltam argumentos. Estudos comprovam que os exercícios diminuem as chances de desenvolver várias doenças como a osteoporose e o mal de Alzheimer, melhoram o equilíbrio e dão mais energia para o diaa-dia. E tem mais! Uma pesquisa realizada pela Universidade de Illinóis nos Estados Unidos constatou que a atividade física melhora o desempenho intelectual. Por um período de três meses, 41 pessoas entre 58 e 78 anos foram monitoradas. Um grupo foi submetido a exercícios com intensidade crescente. O outro realizou apenas atividades de aquecimento e alongamento. No final da pesquisa, descobriuse que o grupo com carga crescente de exercícios teve maior atividade cerebral e melhorou em 11% a tomada de decisões. Então, se você ainda não faz da atividade física um hábito, é melhor correr!!

A todo momento estamos tentando melhorar a nossa saúde e qualidade de vida. Para otimizar estas duas qualidades que só auxiliam no bem estar e na longevidade, o exercício aparece como fator principal, além de alimentação balanceada e hábitos saudáveis. Não podemos nos enganar achando que a qualidade está diretamente ligada com quantidade. Para um atleta está ótimo correr alguns km por dia ou escalar uma montanha de difícil acesso. Mas isso não tem relação direta com a qualidade de vida que buscamos aqui. Neste caso particular, o exercício deve priorizar a personalidade de cada um, o grau de interesse e, principalmente, a satisfação com o exercício. Para se obter os benefícios do exercício é necessário praticar pelo menos três vezes por semana durante 30 a 60 minutos de atividade contínua e ser orientado por um profissional devidamente registrado no Conselho de Educação Física da sua região. O resto fica por sua conta e prazer, claro!”

João Carlos Escosteguy Neto Professor de Educação Física


8 passos para se mexer 1.

Planeje com antecedência: estipule um plano de exercício, local, companhia e horário, sempre analisando as condições climáticas e alguns imprevistos. E não fure!

2.

Estabeleça metas realistas: Não se proponha a fazer algo muito além da sua capacidade, como por exemplo correr 10 km no primeiro dia. Isto causará uma falsa sensação de fracasso.

3.

Prepare-se: mantenha seu equipamento em ordem, tenha um descanso adequado, alimentese corretamente e hidrate-se.

4.

Não tenha medo de tentar diversos tipos de atividade, até encontrar uma que realmente lhe agrade.

5.

Pessoas extrovertidas podem se adaptar melhor à jogos coletivos e pessoas introvertidas à atividades individuais. Mas e porque não inverter isso? Quem sabe você não esteja precisando de novas amizades e desafios?

6.

Filie-se à algum clube ou academia com profissionais capacitados. É imprescindível para o sucesso de sua atividade.

7.

Estipule metas. Um objetivo a ser alcançado é a melhor forma de estímulo para manter-se ativo.

8.

E lembre-se: disciplina não significa tortura. Estipule suas metas mas não se transforme no seu próprio carrasco!! O importante é o seu bem estar!

17


especial | diabetes

Cuide-se e viva bem

Diabetes é uma doença séria, mas com os cuidados necessários é possível viver de forma saudável.

Viver terá seção especial sobre Diabetes A partir desta edição, a VIVER oferece a você um espaço exclusivo sobre o diabetes. A coluna contará com a participação dos profissionais do Centro de Diabetes Curitiba e tem como objetivo oferecer informações para que os leitores que possuem diabetes possam conviver da melhor maneira com a doença. “É uma iniciativa nobre e fundamental de uma revista séria, que tem o foco na qualidade de vida”, destaca Dr. Edgar Niclewicz.

18

“É uma doença boazinha para quem se cuida e extremamente traiçoeira para quem não lhe dá a devida importância”. É assim que o Dr. Edgar Niclewicz, diretor do Centro de Diabetes de Curitiba, define o diabetes. Segundo o especialista, a doença é séria, requer cuidados especiais, mas há como lidar com ela de maneira tranqüila. Prevenção, controle e informação são os caminhos mais indicados para isso. “É preciso saber respeitar a doença para conviver bem com ela”, explica. O diabetes é uma enfermidade que provoca o aumento da quantidade de açúcar (glicose) no sangue por falta absoluta ou relativa de insulina. O diabetes tipo 1 ocorre com mais freqüência em jovens e decorre da falta de insulina ou sua produção insuficiente pelo corpo, que obriga a pessoa a aplicar insulina. Quando a pessoa produz insulina, mas esta não funciona de forma adequada, o diabetes é do tipo 2. Atinge mais os adultos, pessoas com antecedentes familiares de diabetes ou com excesso de peso. Obesidade, sedentarismo, envelhecimento e histórico de diabetes na família estão entre as causas dessa forma da doença. Dr. Niclewicz destaca que o diabetes é uma conseqüência do estilo de vida do homem moderno. “Estamos pagando o preço de

nossas próprias ações. Afinal, antes não havia diabetes tipo 2, pois as pessoas comiam alimentos saudáveis, se movimentavam muito mais e por conseqüência não eram obesas”. O médico alerta que já estão sendo detectados casos de diabetes do tipo 2 em crianças. “Isso é trágico, porque aos 30 anos certamente elas terão problemas graves em função da evolução da doença”. Atenção Dos 300 mil brasileiros que morrem todos os anos por infarto ou derrame, 40% são diabéticos. A doença, quando não tem a taxa de glicose controlada, aumenta de três a cinco vezes os riscos cardiovasculares, pois prejudica os vasos sangüíneos. Outro problema são as complicações crônicas do mal em si, relacionadas aos pequenos vasos, que afetam os olhos - podendo causar cegueira - e comprometem o funcionamento dos rins. Por essa razão, a doença é a causa número um de perda de visão e de falência renal. Os nervos também são atingidos e há falta de irrigação e perda de sensibilidade nos pés ou nas mãos. Sem cicatrização, qualquer ferida vai piorando e quando se percebe uma grande área já foi comprometida. O diabetes fora de controle também causa duas ve-


...podem acontecer complicações decorrentes do diabetes em estágio avançado. 1. Cérebro O perigo de derrame é triplicado: por volta de 25% dos diabéticos morrem vítima deste problema. Motivo: o mal provoca erosões nas paredes internas dos vasos do cérebro. Eles podem estourar ou entupir, levando ao derrame.

É bom se cuidar, senão...

2. Olhos Os riscos de cegueira são 25 vezes maiores: a doença é a primeira causa de perda de visão entre indivíduos dos 20 aos 74 anos. Motivo: como o diabetes prejudica a irrigação sangüínea dos olhos, o corpo cria uma rede paralela de vasos - e eles podem provocar hemorragia. 3. Coração A probabilidade de um diabético sofrer do coração é de duas a quatro vezes maior que a de um indivíduo não diabético: 35% dos que apresentam a doença morrem vítimas de infarto. Motivo: o excesso de açúcar no sangue facilita o acúmulo do colesterol ruim e o de triglicérides nas artérias do coração - primeiro passo para o infarto. 4. Rins O diabetes é uma das principais causas de morte por insuficiência renal crônica: cerca de 30% dos brasileiros submetidos a hemodiálise são diabéticos. Motivo: por causa da doença, os tecidos internos dos rins incham, levando à falência do órgão. 5. Nervos O mal é a causa mais freqüente de amputação não traumática de pés. Motivo: em excesso no sangue, o açúcar leva à perda da sensibilidade, especialmente nos membros inferiores. Pequenos machucados, frieiras e calos podem se transformar em ulcerações sérias.

19


especial | diabetes

zes mais problemas periodontais (infecções na gengiva). O motivo é o excesso de açúcar no sangue, que forma um ambiente perfeito para a cultura de bactérias, favorecendo problemas que podem deixar o dente exposto até a raiz. “Por isso, é preciso ter cuidado redobrado com a higiene bucal”. O tratamento dentário sempre deve ser feito em conjunto com o médico do paciente diabético, para evitar males como hipoglicemia (falta de glicose no sangue) ou até mesmo hemorragias mais sérias. O que fazer Segundo Dr. Niclewicz, o primeiro passo quando se detecta a doença é perceber que é preciso mudar os hábitos de vida. “Alimentação adequada, exercícios físicos, controle de peso, combate ao estresse e, medicamentos, sejam comprimidos ou insulina, ajudam no controle da maioria dos casos”, destaca. Por se tratar de uma doença tranqüila no início, a tendência é o paciente não dar importância. De acordo com o médico, “a maior dificuldade é convencer o paciente de que ele tem uma doença grave a longo prazo e que é preciso que ele se cuide para que essa bomba não estoure”. Para isso, Dr. Niclewicz sugere que o paciente tenha atenção para sua saúde de uma maneira global, com o acompanhamento de uma equipe multidisciplinar. “No Centro de Diabetes de Curitiba contamos com médicos, educadores, enfermeiros e nutricionistas, entre outros profissionais, com o objetivo de mostrar de forma clara o que é o diabetes, como se comportar e como evitar complicações”. Informação e acompanhamento são fundamentais para que o diabético tenha consciência de que possui uma doença grave, mas capaz de viver de forma saudável.

20

Dr. Niclewicz: “Estamos pagando o preço de nossas próprias ações”.

ENQUANTO ISSO A CIÊNCIA... Veja o que pesquisadores estão desenvolvendo para melhorar a qualidade de vida dos diabéticos: Insulina glargina: havia apenas um tipo de insulina para o diabético aplicar. Mas o pâncreas fabrica dois, um lento (basal), para atuar durante 24 horas, e outro, rápido, para cobrir os picos de glicose quando a pessoa se alimenta. A insulina glargina (fa-

bricada com o nome de Lantus) faz o papel da basal e permite melhor controle da doença. Bomba de infusão de insulina: é um pequeno aparelho, do tamanho de um pager, que funciona como um pâncreas artificial. Preso no corpo por meio de um cateter, vai liberando insulina lentamente. Quando o diabético come, aperta o botão e injeta mais insulina para compensar.

SERVIÇOS: Associação Paranaense de Diabéticos Juvenis (APAD) - Av. Iguaçu, 4263 - Água Verde - Tel.: (41) 3244-7711 | Centro de Diabetes Curitiba - CDC - Rua Alcides Munhoz 433 - Mercês - Tel.: (41) 3079-8633 | Serviço de Endocrinologia e Metabologia do Hospital de Clínicas da UFPR (SEMPR) - Unidade de Diabetes - Rua Padre Camargo, 262 - Tel.: (41) 3360-7876 | SBEM Paraná - Rua Cândido Xavier, 575 - Água Verde Tel.: (41) 3024-1415, ramal 217.


21


especial | diabetes 22

De olho nos pés Pé diabético requer cuidados especiais e pode até levar à morte

Pessoas portadoras de diabetes devem ter cuidados especiais com seus pés. Como conseqüência do mau controle da doença, com o decorrer do tempo os pés podem desenvolver modificações não percebidas pelo paciente, indicando na maior parte das vezes que a circulação e a sensibilidade não anda bem. Quando a pessoa não percebe que os pés estão com algum problema (rachaduras, calos ou até mesmo uma unha encravada), ela pode ser portadora de uma enfermidade chamada “Pé Diabético”. Isso mesmo, não é o pé que ficou diabético, mas sim um conjunto de alterações nos pés decorrentes da doença. Estas alterações compreendem a diminuição parcial ou total da sensibilidade protetora, que de uma maneira geral significa risco de vida para o paciente quando estes mecanismos estão alterados. Nos pés, existem terminações nervosas responsáveis pela sensação de dor, calor, frio e pelo suor. Com o passar do tempo, estas funções podem ser prejudicadas pela doença a qual já atingiu os nervos. Além disso, a circulação nos pés torna-se diminuída em virtude do estreitamento das artérias (arteriosclerose), que são vasos que levam sangue com oxigênio e nutrientes para todos os órgãos do corpo. Pode ocorrer também mo-

dificação na curvatura dos pés, resultando em formação de calos, que se não tratados adequadamente, evoluem para hemorragia abaixo da pele e posteriormente em uma ferida local (úlcera por pressão, conhecida também como mal perfurante plantar). Cuidados Pessoas diabéticas não podem e nem devem utilizar nenhum tipo de instrumento para raspar calos, remover cutículas ou tentar desencravar suas unhas. Em pessoas não diabéticas, um pequeno ferimento nos pés cicatriza com facilidade, mas nos indivíduos com excesso de açúcar no sangue, um simples ferimento na cutícula pode facilmente evoluir para uma infecção bacteriana, que precisa de tratamento emergencial pela equipe de diabetes. quem procurar Atualmente são poucos os profissionais especializados em pés diabéticos em Curitiba (ver quadro). Vale lembrar que o podólogo é o profissional da Área da Saúde capacitado e habilitado legalmente para cuidar da saúde dos pés. Para tratar das doenças superficiais dos pés de pacientes diabéticos é preciso ter curso de especialização na área. “São poucos os podólogos que atuam nesta ativi-

dade, pois se requer conhecimento técnico-científico e experiência neste segmento”, afirma o podólogo Adelcio José Cordeiro. Ele é sócio-fundador da Associação Paranaense de Podólogos-APP, com Curso de Extensão em Pés Diabéticos e Podologia Médica Pela Universidad de La Republica, em Montevidéo, no Uruguai. Adélcio alerta ainda que profissionais sem a respectiva habilitação não podem anunciar em seus serviços que tratam de pés diabéticos. “Afinal, este é um capítulo muito específico da área da saúde e merece ter abordagem e acompanhamento por profissionais que sabem o que fazem”, explica. Adelcio José Cordeiro – Podólogo - Tel.: (41) 30775999 / 9136-7054 - adelciopodologiageri@bol.com.br - Podólogo Especializado em Pés Diabéticos e III Idade | Responsável pelo setor de Orientação e Prevenção do Pé Diabético da Associação dos Diabéticos do Paraná-APAD (41) 3244-7711 | Membro do Curso de Capacitação emPés Diabéticos da Fundação Pró-Renal Brasil - (41) 3312-5400 / 0800-41-6002 | Membro do Centro de Diabetes Curitiba (Hospital Nossa Senhora das Graças) (41) 3240-6060 e da Fundação de Apoio e Valorização do Idoso-FAVI.


BOM NO pé Especialista destaca alguns cuidados na hora de comprar sapatos

Você sabia que em Curitiba há uma loja de calçados especializada na saúde dos pés? É a Bom no Pé, localizada no Shopping Estação, que oferece calçados das linhas Antistress, Diabética e Gestante, da marca Opananken. Para o gerente Wellington Carlos, a prioridade da loja é oferecer conforto e segurança ao cliente na hora de escolher o melhor calçado. “Contamos com uma equipe treinada, capaz de indicar o calçado adequado ao cliente”, explica. Vale lembrar que a grande maioria dos problemas podológicos tem a ver com a relação entre os pés e os calçados que usamos. Na realidade, o conforto deveria ser o primeiro quesito a ser avaliado na compra de

um sapato, bem antes da estética, da moda e dos preços. DICA ESPECIAL Saiba como escolher um bom calçado, tanto para o lazer como para o trabalho. 1.Tente escolher sempre o calçado adequado, avaliando o clima, o seu peso e a forma do pé. O melhor material é o couro, flexível e que favorece a ventilação do pé. 2. O volume do pé altera-se ao fim do dia. Por isso, é preferível comprar os sapatos ao final do dia, quando tem os pés mais inchados e calçá-lo com o tipo de meias que se vai usar com eles. 3. Verifique que o dedo maior não toca na ponta do sapato ao ca-

minhar. Atenção às costuras: não devem coincidir com uma articulação ou uma proeminência óssea. 4. Examine sempre a flexibilidade do sapato, os contrafortes, e a biqueira. A sola deve ser resistente, mas não muito rígida. 5. O salto recomendável para as mulheres é o largo e com máximo de 40mm de altura. Evite os bicos finos, principais causadores de joanetes e unhas encravadas. Com sapatos de sola plana, o peso do corpo fica distribuído de maneira mais uniforme pela extensão dos pés. O resultado pode vir em diversos graus. Cansaço e dor são os mais usuais e fáceis de enfrentar, no entanto, existem outros problemas mais complicados que requerem um especialista.

Diabetic’s Line (Linha para Diabéticos)

A Opananken desenvolveu sapatos completamente diferentes do que havia no Brasil. Inovou no processo de fabricação, no uso de couros de melhores procedências, na criação de palmilha anatômica e no lançamento de calçados especiais destacando o sapato para diabéticos. Conforto é a marca dos calçados Opananken com solados leves, flexíveis, antiderrapantes e resistentes, são destaques na coleção. Essa linha é desenhada para não oferecer pontos de atritos recebem um tratamento para torná-lo ainda mais macio, palmilhas fixas flexíveis, de memória permanente, forro com espessura entre 0,7 e 0,9 mm, sem emendas e solado em poliuretano: leve, antiderrapante e flexível, costurado manualmente.

BOM NO PÉ

Shopping Estação - Av. 7 de Setembro, 2775 - Loja 2044 - Rebouças - Curitiba - PR Tel. 41 2101-8366 - www.bomnope.com.br

23


especial | diabetes

Delícias sem açúcar Não faltam opções para quem não pode ou não quer comer açúcar

Doces sem açúcar

foto meramente ilustrativa.

www.confeitariasemacucar.com.br Em dois endereços em Curitiba, a Confeitaria Sem Açúcar oferece delícias para quem está buscando a qualidade de vida e a manutenção da forma física ou ainda controlando o diabetes. Da famosa torta Marta Rocha a doces como suspiros, beijinho e dois amores, todos os produtos são direcionados para dietas com ingestão controlada de açúcar. “Todos os nossos doces são produzidos sem açúcar e com redução de gordura de até 40%”, destaca a proprietária Débora Cardoso Sansana. Av. Iguaçu, 4211 – Água Verde – Tel. (41) 3342-6818 R. Itupava, 415 – Alto da Glória – Tel. (41) 3363-6865

Tradição e sabor

www.casadechocolates.com.br

Com produção totalmente artesanal, os chocolates Shimmelpfeng são feitos embalados à mão com um alto controle de qualidade. “Possuímos um segredo caseiro, que torna o sabor de nossos chocolates inconfundível e único no mercado”, destaca o diretor Jorge Cury. A marca conta com combinações exclusivas com mais de 400 itens, além de uma linha exclusiva de produtos diet e a possibilidade de pedidos sob encomenda. Vale lembrar que os chocolates Shimmelpfeng são produzidos sem conservantes e com o mínimo de produtos industrializados. R. Augusto Stresser, 35 - Alto da Glória Tel/Fax: (41) 3252-1323 / 3353-7206 Shopping Mueller - Tel. (41) 3324-6981 Park Shopping Barigui - Tel. (41) 3317-6994

24


GRUPO DE APOIO diabéticos conseguem entender melhor a doença e ter uma vida normal Há 25 anos um grupo de jovens fundou em Curitiba a Associação Paranaense do Diabético Juvenil (Apad), uma entidade sem fins lucrativos, que atende pessoas diabéticas. Apesar do juvenil no nome, não há distinção com a faixa etária. “Na verdade atendemos pessoas de zero a cem anos”, conta a presidente da entidade, Maria Cecília Munhoz da Rocha Carreiro. Hoje a Apad tem dez mil e quinhentos associados, 50% deles são pessoas carentes. “Nossa prioridade é atender a pessoa diabética, em tudo o que diz respeito ao tratamento dela”, conta Maria Cecília. Ela diz ainda que a doença é séria, mas que é possível levar uma vida normal. “Senti na pele a doença. Tenho um filho que é diabético desde os qua-

tro anos, e hoje ele está com 25 anos. Na época não tinha nada para a alimentação dele, mas hoje já existe uma porção de coisas”, lembra. “Ainda hoje a notícia é um baque, para os pais também, mas a pessoa que tem diabetes pode e deve levar uma vida normal, apenas mais regulada do que outras pessoas”, ensina Maria Cecília. “O diabético tem que se tratar, e ter uma alimentação balanceada. O tratamento é caro, custa em torno de cinco a seis salários mínimos por mês em medicamentos, insulina, aparelho e fitas”, diz. Sem contar com apoio governamental, a Apad se mantém com doações, e com a ajuda de associados. Os profissionais que trabalham na Associação (equipe multidisciplinar formada por médico, psicólogo, oftal-

mologista e nutricionista), bem como toda a diretoria, são voluntários. “Mantemos carnês para os associados, e recebemos ajuda de quem quiser colaborar”, explica Maria Cecília. Diversos eventos também são realizados para arrecadar fundos. No dia 17 de agosto a Apad promove um bingo na Sociedade Dom Pedro I, aberto ao público. “Quem quiser ajudar pode comprar convite para o bingo, ou doar alguma prenda”, diz. A Apad também promove, às quintas-feiras, o “Clube das mães”, onde mães diabéticas ou de diabéticos fazem bordados e tricô. Estes trabalhos são vendidos nos bazares da Associação. Apad - Av. Iguaçu, 4263 – Vila Izabel Tel.: 41 3244-7711

25


capa

Para viver um grande amor Vinícius já dizia, para viver um grande amor é preciso...

26

Um feriado prolongado, uma sexta-feira ou mesmo uma tarde de domingo. Quem está sozinho sabe bem o que isso representa. Mas como encontrar a pessoa certa para dividir o tempo, as tristezas e alegrias. Quanto mais o tempo passa, parece que fica mais distante a esperança de encontrar esse alguém. Segundo os especialistas, é possível sim encontrar um novo amor, mas antes é preciso buscar o auto-conhecimento. “Infelizmente, a maior parte das pessoas odeia sua própria companhia e vê no outro uma forma de “salvação”, destaca o psiquiatra Roberto Shinyashiki, autor de livros como Amar pode dar certo, O sucesso é ser feliz e A carícia essencial. Para ele, normalmente, a compulsão de casar e de viver junto nascem de uma dependência. As pessoas esperam um complemento. “Essa não é a função de um relacionamento, o outro não vai preencher uma lacuna, mas sim, ajudar a desenvolver o que elas não têm”.

amando. “A medida em que você vai desenvolvendo a paz, mais você vai gostando de ficar com você e seleciona melhor seu possível companheiro”, destaca Shinyashiki. Ou seja, se a pessoa tem baixa autoestima, usará o outro para “tapar o buraco” de suas carências, no entanto, ninguém resolve a carência de ninguém.

Ame-se primeiro Outro ponto muito conhecido, mas que ajuda bastante nos relacionamentos é perceber que a única maneira de amar o outro é nos

Jogue limpo Cada um de nós sabe que amar alguém pode provocar uma sensação de fragilidade e dependência. Na maturidade, então, isso é muito

Evite comparações Um dos maiores inimigos de qualquer relacionamento são as comparações. As pessoas vivem fazendo comparações entre elas mesmas e os outros. Comparam também as pessoas entre si. O tempo todo ficam imaginado que, se algo fosse diferente no parceiro, ele seria melhor. “Quando você entra no jogo da comparação, sempre, há alguém que sai perdendo. E, geralmente, quem sai perdendo é você mesmo. Ao se comparar, você fica impedido de ver quanto você é o único e especial”, explica o psicanalista.

comum. A presença do outro torna-se vital, e a possibilidade de ser abandonado a qualquer momento fica tão ameaçadora que, em geral, as pessoas optam pela saída mais fácil: sabotar a possibilidade de viver um grande amor. Shinyashiki explica que o medo de amar é uma praga, uma erva daninha que corrompe o coração da maioria das pessoas. E depois vêm as queixas de solidão, desilusão, sofrimento. “O medo de amar existe. Esse medo faz com que as pessoas arrumem desculpas e justificativas para explicar suas inseguranças. Ele faz parte da nossa vida. Negá-lo ou inventar respostas fáceis é o que menos resolve”. Sim... é preciso ter coragem para viver um grande amor. Trilha sonora Ninguém melhor que o cantor Fábio Jr. para compor essa trilha sonora em busca de um novo amor. Suas músicas freqüentemente falam sobre encontros, desencontros, idas e vindas nos relacionamentos e parecem refletir o estado de espírito de sua vida pessoal. Apesar de discreto, Fábio Júnior nem sempre consegue fugir da mídia e seus casamentos são motivo de destaque


na imprensa. O cantor já casou seis vezes, entre eles um casamento relâmpago com a atriz Patrícia de Sabrit, que só durou três meses. Dono de um carisma inegável, Fábio Júnior, aos 54 anos, continua arrastando centenas de fãs a seus shows. Charme, simpatia, bom humor, estes são apenas alguns dos atributos deste homem que há décadas encanta platéias de todas as idades. Em recente passagem por Curitiba, Fábio Júnior levou ao delírio as mulheres em seu show. Nos intervalos das músicas é difícil conseguir ouvir o que Fábio Júnior diz, isso porque as fãs gritam o tempo todo. Algumas mais atiradas invadem o palco, tentam de toda forma chegar perto do ídolo. Sempre atencioso, o cantor diz até hoje não entender o porque desta reação nas mulheres, e parece até meio tímido com tanto assédio. Questionado sobre o motivo do seu sucesso com tantas gerações, ele afirma que não sabe explicar. “Tem que perguntar para os meus fãs!”, brinca.

Minhas canções Fábio Correa Ayrosa Galvão gravou seu primeiro disco em 1975. O mais recente, Minhas Canções, traz treze músicas de grandes cantores, regravadas com um toque particular. Segundo ele, o processo de seleção das músicas foi extremamente difícil. “Foi complicado pra caramba, porque graças a Deus tem muita coisa boa”, conta. Ao todo Fábio selecionou sessenta músicas. “Tirar treze dessa lista foi complicado, mas eu quero cantar todas as músicas que eu achei, quero fazer o Minhas Canções dois e três também”, adianta. Para Fábio, a escolha das músicas de seus discos é sempre um processo intuitivo. “A música tem que tocar o público, tem que fazer a pessoa sentir. Eu faço as coisas do jeito que eu acredito. Acima de tudo sou verdadeiro”, garante. Talvez este seja um dos segredos do sucesso deste cantor romântico que encanta gerações.

Minhas Canções Fábio Jr.

A música tem que tocar o público, tem que fazer a pessoa sentir.

27


capa

7 passos para encontrar alguém Tom Blake, autor norte-americano que escreveu Middle Aged and dating again, no qual ele lista os passos que possibilitam os encontros amorosos na meia-idade defende que se os métodos de conquista tradicionais não funcionam mais, é preciso adequar-se aos novos tempos, independentemente da idade. A busca é legítima e merece empenho. Mas, o mais importante, é que ela seja uma aventura divertida e prazerosa. Sem desespero, com planejamento, e certa dose de paciência, você chega lá. Concentre-se, pegue seu estoque de coragem, e boa sorte.

1.

Saia de casa. Estar na rua é essencial para ser visto. Aproveite para observar as pessoas. Prestar atenção ao outro ajuda a compreender e a aceitar as diferenças, o que será fundamental no seu relacionamento futuro.

2.

Espalhe a sua intenção. Você quer um par, certo? Os amigos podem ajudar nessa tarefa. Comente a sua busca, peça que eles apresentem os amigos.

3.

Saiba esperar. Determinação nada tem a ver com aflição. Sua busca deve ser firme, porém tranqüila. Não de-

28

monstre desespero. Relações que começam assim, em geral não vão adiante.

4.

Pense na concorrência. Na hora de escolher um programa, pense na relação custo e benefício. Portanto, não perca tempo nem dinheiro com programas que, provavelmente, não trarão resultados.

5.

Há quanto tempo você pratica exercícios? Se você pensa em praticar esportes e sempre adia o início, aproveite para unir o útil ao agradável. Entre em grupos de caminhada, de ciclismo, busque as atividades que você gosta.

6.

Torne suas obrigações agradáveis. Aproveite lugares que você tem de freqüentar, como bancos, supermercados, farmácias, para conhecer pessoas. De um comentário simples pode surgir uma boa conversa.

7.

Confie em seus instintos. Se você tem um mau pressentimento sobre alguém, você provavelmente tem razão. Não brinque com sua segurança física e emocional. Diante de um sinal de perigo, afaste-se.


PARA VER

Quem não gosta de cinema?

NUNCA É TARDE PARA AMAR

A DONA DA HISTÓRIA

ALGUÉM TEM QUE CEDER

Direção: Amy Heckerling

Direção: Daniel Filho

Direção: Nancy Meyers

Nesta comédia romântica, Michelle Pfeiffer é Rosie mãe de uma adolescente às voltas com a primeira paixão. Mal sabia ela que, aos quase 40 anos, o amor iria bater mais uma vez à sua porta e com uma surpresa: o pretendente é bem mais jovem do que ela. O difícil é saber o que é mais conturbado para Rose: lidar com a filha apaixonada ou decidir se deve ou não se entregar a este amor.

Marieta Severo e Débora Falabella encarnam a personagem principal desta história aos 55 e aos 18 anos. Depois de criar os filhos, a dona de casa Carolina passa por uma crise pessoal e começa a se perguntar se fez a escolha certa ao abandonar a possível carreira de atriz para casar com Luis Cláudio (Antônio Fagundes e Rodrigo Santoro). Apesar da dúvida angustiante da personagem, a história é contada de maneira leve e divertida, com diálogos engraçadíssimos entre o casal.

Jack Nicholson e Diane Keaton estão hilários nesta comédia. Ela é Erica, uma escritora de teatro famosa que decide tirar uns dias na casa de praia da família. A tranquilidade acaba quando a filha chega com o namorado Harry (Nicholson): um bon vivant de 63 anos, famoso por colecionar relacionamentos com meninas bem mais jovens. Irritada, a escritora nem imagina que vai acabar se envolvendo com Harry e terá que decidir se fica com ele ou com o charmoso Johnny (Keanu Reeves), bem mais novo e completamente apaixonado por ela.

29


inspiração

A vida pode ser maior Miike ensina que superar desafios é a melhor maneira de se manter vivo

30

Aos 55 anos, Kiyoharu Miike enfrentou mais de 800 quilômetros de caminhada ao fazer o Caminho de Santiago, peregrinação tradicional que cruza a Espanha inteira, de leste a oeste. Hoje em dia, pessoas de todas as idades partem da França e vão em direção à cidade de Santiago de Compostela, os motivos pessoais são diversos, uns por espírito cristão e outros para uma aventura esportiva e cultural. Este foi o caso do Miike, que com sua experiência nos ensina que os desafios são a grande chave para nos mantermos vivos, ativos e saudáveis no corpo e principalmente na mente. Anos depois repetiu o caminho. E também foi à Patagônia - Glaciar Perito Moreno, Torres del Paine e Ushuaia. E aprendeu a andar de moto. E agora vai aprender a mergulhar. Vale lembrar que Miike não é nenhum super-homem, mas apenas alguém determinado a viver e dar sempre um passo a frente, ampliando seus limites e experiências.


NADA NO IMPROVISO Comprei muitos livros, manuais, pesquisei na internet e procurei adquirir todos os equipamentos necessários. Quanto à parte física, saí na frente porque sempre joguei tênis, mas mesmo assim comecei a fazer treinamentos complementares. Acredito que não se pode fazer nada no improviso. UMA EXPERIÊNCIA SEM IGUAL A experiência foi maravilhosa. Só o fato de estar em outro país já é interessante, mas o caminho é universal. Você tem contato com outras culturas, são japoneses, americanos, canadenses, europeus. O caminho cativa porque você encontra pessoas muito diferentes com o mesmo objetivo, que é de chegar a Santiago de Compostela e acaba percebendo que o Ser Humano é igual. As diferenças são circunstanciais, mas a solidariedade, a alegria, a fraternidade e a superação são comuns. Você descobre isso porque a distância é muito grande e fazendo o caminho a pé, só depende de você. Não existem artifícios como existe no mundo. Numa caminhada como aquela, o rico e o pobre, o branco e o negro têm as mesmas dificuldades. O ambiente

por si só derruba as artificialidades e mostra o que há verdadeiramente dentro de cada pessoa. É uma experiência sem igual. Assim como na vida, cada pessoa vive sua experiência de maneira diferente. A caminhada e o cansaço afloram a sensibilidade e oferecem a oportunidade de viver momentos especiais ao ver uma flor, um pássaro ou ouvir uma música ao longe. NÃO DEIXAR AS OPORTUNIDADES PASSAREM Desde criança, sempre tive o sonho de conhecer o mundo. Quem coloca o trabalho como um fim, fica arrasado quando chega a aposentadoria. Trabalho tem de ser um meio de construir muita coisa. Eu mesmo nunca deixei passar as oportunidades de viver. Quando terminei o Caminho de Santiago, fiz o propósito de ir à Patagônia. Como os amigos e meu irmão desistiram, pensei comigo mesmo - porque não fazer sozinho? - preparei minhas coisas durante um mês e parti. Sabia que aquela viagem deveria acontecer naquele momento ou então ficaria para trás. Embarquei numa viagem muito bonita, para lugares muito diferentes da nossa realidade, dos quais nunca me esquecerei.

VENCER AS DIFICULDADES Um amigo convidou para viajar de moto. Mas aos 60 anos eu nunca havia pegado uma moto. Acredito que a gente nunca pode improvisar. Os desafios são importantes e fazem com que a gente se mantenha vivo, entusiasmado, mas não se pode correr riscos desnecessários. Por isso, fiz a coisa certa. Matriculeime numa auto-escola e depois de algum tempo estava com a habilitação. A melhor coisa de tudo isso é que, quando você aceita o desafio, cada dia descobre como vencer as dificuldades que aparecem. Meu próximo passo é aprender a mergulhar. Até já fiz a matrícula na escola de mergulho. PRODUZIR SEMPRE Hoje, faço um trabalho voluntário, como presidente da Associação Brasileira de Dekasseguis e participo do Programa Dekassegui Empreendedor Sebrae/Bid. Acredito que a gente não pode desperdiçar o potencial apenas porque se aposentou. É preciso encontrar uma nova maneira de produzir.

31


gourmet

QUENTÃO DO CEARÁ Conhecido por todos como Ceará, proprietário do Calamengau, é fã de festas juninas. “São João pra mim tem gosto de fogueira, de brincadeiras, de batata assada na brasa, de animadas conversas ao som do crepitar da lenha, dos primeiros namoros, das primeiras juras de amor e outras, como as de se tornar para sempre compadres e comadres de São João, que ainda hoje muita gente leva a sério”, diz. Segundo ele, outra coisa importante que marca esta festa no nordeste é a comida típica desta data. “São muitos os quitutes, principalmente os derivados de macaxeira, milho e batata. Minhas preferidas: bolo de fubá, mungunzá - tanto o doce quanto o salgado - canjica, pamonha (que lá leva leite de côco) e, principalmente, milho assado na brasa”, conta. Mas para ele, o que não pode faltar em uma festa junina que se preze, para acompanhar o frio típico da estação, é o quentão. “Fui crescendo e tomando gosto pela bebida. Lá (no Nordeste) se toma muito quentão, mas o de pinga mesmo que é o tradicional quentão brasileiro”.

Ingredientes

• 1 ½ xícaras de açúcar • 1 ½ xícara de água • 50g de gengibre cortado em fatias finas (1/4 de xícara) • 3 limões cortados em rodelas • 4 xícaras de pinga • 3 cravos da índia • 2 pedaços de canela em pau

Modo de fazer

32

Aqueça o açúcar em fogo alto, mexendo de vez em quando até caramelizar. Junte todos os ingredientes, menos a pinga, mexendo até dissolver o açúcar. Acrescente a pinga com cuidado, de preferência fora do fogo para não incendiar. Deixe ferver por 3 a 4 minutos.


gente

| Daura Carneiro

SHOW DE QUADRILHA Destaque para a muito bem ensaiada quadrilha do SESC Água Verde, que se apresentou em vários eventos. Na foto, a apresentação na Igreja do Portão.

A força das mulheres Gleisi Hoffmann conversou com nossos leitores no evento AMIGO VIVER, realizado em maio no Teatro Regina Vogue. Na palestra, Gleisi falou sobre a força das mulheres e como podemos fazer a diferença nestes novos tempos. O evento contou também com a participação dos participantes do Programa de Voluntariado da Rede de Farmácias NISSEI, que receberam nossa homenagem pelo brilhante serviço prestado às várias instituições da nossa cidade. çalves, da Nissei

Gleisi, Dona Daura e Daniela Gon

Sucesso Dr. Alexandre Gomes de Azevedo no lançamento do seu segundo livro de dieta: A dieta antiinflamatória. Na foto, com Ana Lore e a Dra. Maria Amélia Gomes de Azevedo.

33


O leite da moça

* Imagens do livro Marca

ac Rio s de Valor / Editora Sen

O leite condensado surgiu em meados de 1870 para conservar o leite, já que o produto podia ser diluído em água e conservado como leite já açucarado. Os primeiros carregamentos de leite condensado chegaram ao Brasil em 1890 e em pouco tempo o Brasil se tornou o maior mercado mundial de leite condensado, posição que mantém até hoje. Como a ilustração da lata era de uma leiteira suíça, o leite passou a ser conhecido como “leite da moça”. Assim, quando o produto começou a ser produzido no Brasil a Nestlé decidiu manter o nome criado espontaneamente pelos consumidores.

O que a lagarta chama de fim do mundo, o homem chama de borboleta. Richard Bach

Meu baú Jeannie é um gênio Lembro dos seriados com muita saudade. Eu e meus irmãos não perdíamos nenhum minuto. Lembro que a Jeannie saía da garrafa sempre arrumada e nós, ainda crianças, perguntávamos a nossa mãe: “Por que a roupa da Jeannie sai da garrafa sempre limpa e sem estar amassada? Seu cabelo sempre arrumadinho?” E mamãe dizia que era porque ela já fazia mágicas dentro de sua garrafa. Que momentos inocentes que não voltarão mais. Soraia Gonçalves

34

Barbara Ed en Jeannie


35


faça você mesmo

CAIXA PARA PRESENTE DECORADA

MATERIAL • 1 caixa de madeira • 1 lixa de mandeira • 1 guardanapo decorado • Tinta látex • Tinta acrilex • Cola colorida • Cola branca • Água

Para deixar a madeira uniforme, lixe a caixa antes de começar o trabalho. Corte o guardanapo para que ele fique do mesmo tamanho que a tampa da caixa. Retire todas as camadas do guardanapo deixando apenas a ilustrada. Dissolva uma colher de cola em duas colheres de água e com um pincel espalhe a mistura na tampa da caixa. Cole o guardanapo e passe delicadamente um pano por cima para não formar bolhas. Depois de seco, use tinta acrilex e cola colorida para decorar.

Jaime Reiss |

Complicou...

O empregado diz ao patrão que está chegando na empresa: - Isso é hora de chegar, seu imbecil, tonto, otário e idiota? - Não! Eu estou voltando do médico que curou minha surdez! - ...

Poderia ser pior

Melhor agora

- Doutor. Eu ando vendo manchas diante dos olhos. O médico examina e sugere: - Experimente estes óculos! Ele põe os óculos e diz: - Ah! Agora estou vendo as manchas muito melhor!

Muito irritado após a reunião de pais e professores no colégio, o pai reclama com o filho: - Eu faço um sacrifício enorme pra pagar a sua escola e a professora me diz que dos 20 alunos da sala, você é o pior! - A situação poderia ser ainda pior né, pai! - Pior? Como assim? - É... a sala podia ter 40 alunos!

36

No Caribe

Dois homens estão pescando no Caribe, quando um diz: - Estou aqui porque minha casa pegou fogo. A companhia de seguros pagou tudo, e com o que sobrou, vim para cá. - Que coincidência! Estou aqui porque minha casa foi levada por uma enchente. O seguro cobriu tudo! - diz o outro. O primeiro fica calado por alguns instantes, e então pergunta: - E como você começou a enchente?


37


eterno aprendiz

Mulheres são como maçãs em árvores. As melhores estão no topo. Os homens não querem alcançar essas boas, porque têm medo de cair e se machucar. Preferem pegar as maçãs podres que ficam no chão, que não são boas como as do topo, mas são fáceis de conseguir. Assim, as maçãs no topo pensam que algo está errado com elas, quando na verdade, eles é que estão errados. Elas têm que esperar um pouco para o homem certo chegar, aquele que é valente o bastante para escalar até o topo da árvore.

Mário Quintana

38


39


40

Viver_90  

Especialista em qualidade de vida

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you