Page 1

REVISTA VITRINI | EDIÇÃO 01 | CURITIBA-PR

VITRINI

FRANCESCA CÓRDOVA NAS LENTES DE

LUIZ GUSTAVO MAURÍCIO

AS BELEZAS DE CURITIBA MOSTRADAS EM FORMA DE FOTOGRAFIA O FOTÓGRAFO DE CASAMENTO PODE MUDAR SEU EVENTO PARA

MELHOR E-SESSION: FOTOS ATUAIS COM UM OLHAR ÚNICO ENTREVISTA COM FOTÓGRAFO ANDRÉ

DIB EDITORIAL DE MODA INSPIRADO EM CONCEITO

VINTAGE


VITRINI ÍNDICE

31

EDITORIAL DE MODA INSPIRADO EM CONCEITO VINTAGE

38

AS BELEZAS DE CURITIBA MOSTRADAS EM FORMA DE FOTOGRAFIA

21

FRANCESCA CÓRDOVA NAS LENTES DE LUIZ GUSTAVO MAURÍCIO

05

O FOTÓGRAFO DE CASAMENTO PODE MUDAR SEU EVENTO PARA MELHOR

19

WEDDING BRASIL 2014

12

E-SESSION: FOTOS ATUAIS COM UM OLHAR ÚNICO

VITRINI

47

2

Fotógrafos: Ester Couso Maurício João Cavalheiro Junior Luiz Gustavo Maurício Regina Biscaia Robson Lisboa

ENTREVISTA COM FOTÓGRAFO ANDRÉ DIB

Diagramação e arte final: João Cavalheiro Junior Revisão textual: Amália Dornellas Jornalista Responsável: Isabelle Neri DRT/PR. 5460 Contato com os responsáveis: contato.vitrini@gmail.com Curitiba, 2014


conceito O conceito da Revista Vitrini é mostrar para o leitor que existe uma afinidade fotográfica e social entre três áreas: casamento, moda e natureza. Esses itens farão parte da vida das pessoas em algum momento. A Vitrini mostra ao leitor que não é preciso realizar um casamento com grande desgaste financeiro se estiver aliado à criatividade. É reuniro clássico com o moderno sem gastar muito. É possível fazer casamento ou editoriais criativos e importantes com poucos recursos. A cada edição, um profissional renomado destacará dicas importantes em entrevistas exclusivas para todos os públicos.

VITRINI

3


EQUIPE TÉCNICA ESTER COUSO MAURÍCIO Curitibana, fotógrafa formada pela Universidade Positivo. Desde pequena sempre gostei de desenhar e pintar lindas paisagens e incentivada pela família fui aperfeiçoar a técnica registrando em telas.

Buscando inspiração na natureza e no povo de minha cidade, nas viagens e festas em família e postais recebidos de familiares que moram no exterior, tudo se transformou em inspiração. câmera e não parei mais.

Foi quando ganhei uma

Com o desejo de saber mais sobre esta área

entrei na faculdade e migrei para a fotografia, descobrindo uma nova paixão.

Espero neste trabalho trazer um pouquinho de inspiração e mostrar o que mais gosto de fazer.

JOÃO CAVALHEIRO JUNIOR Fotógrafo, formado pela Universidade Positivo. Desde pequeno tenho um lado artístico. Com nove anos já fui me aventurar no desenho e pintura. Nasci em Santa Catarina e ao vir para Curitiba decidi que queria algo novo para mim, e a paixão pela matemática me fez cursar dois anos de Sistemas de Telecomunicações e dois anos de Engenharia Elétrica. Mas não teve jeito, o amor pelas artes falou muito mais alto. Comprei minha primeira câmera. Gostei tanto da brincadeira que desde então as coisas voaram. Hoje sou um amante desta linda arte, a arte de descrever lindas histórias através de imagens.

LUIZ GUSTAVO MAURICIO Fotógrafo formado pela Universidade Positivo, largou a faculdade de biologia para seguir carreira com sua grande paixão pela arte da fotografia.

Descobriu durante o curso ser apaixonado pela fotografia de moda. Busca no seu tempo livre se dedicar à moda, assim como a fotografia.

REGINA BISCAIA Nasceu em Curitiba, cursou jornalismo, mas foi em fotografia que se formou, na Universidade Positivo. A paixão pelas lentes veio cedo, pois desde pequena gostava de fotografar e pegava a máquina escondida de seu pai para fotografar seus colegas no colégio.

Paisagens, praia e natureza é o que mais gosta de retratar. Para ela, estar em contato com as paisagens que a natureza proporciona é mentalmente revitalizante, passa uma energia que renova as forças e os

VITRINI

pensamentos.

4

ROBSON LISBOA Admirador da arte em geral e de processos criativos, Rob Lisboa começou desenhando retratos na adolescência. Em 2012 iniciou os estudos na Universidade Positivo no curso de Fotografia, onde iniciou seu portfólio de fotografia de moda, retratos e alguns projetos autorais de pintura na pele. Suas fotografias tem influência da arquitetura, musicalidade e poesia.


Foto: João Cavalheiro Junior

FOTOGRAFIA SOCIAL

CASA MENTO Q ual é a sua prioridade na

cial, por exemplo. Outro lado da moeda também existe, um casamento simples, financeiramente falando, pode se tornar um casamento com registros lindos se forem reunidos alguns fatores, como o bom gosto do casal na decoração, uma maquiagem muito bem executada e, claro uma foto bem tirada, pois eles podem transformar uma imagem simples em uma foto dinâmica, impactante e bela! Ao decorrer da matéria daremos algumas dicas para que você também possa entender melhor como as fotos foram elaboradas.

5

VITRINI

hora de contratar os fornecedores para o seu casamento? Um casamento bonito depende de vários fatores, desde o convite em um formato diferente até um arranjo especial. Tudo vai ornar como um todo para que no grande dia tudo saia lindo conforme planejado. Mas não se deve esquecer que nada é válido sem um bom profissional para registrar todos esses detalhes, que com tanto carinho foram pensados. Um fotógrafo ruim, técnicamente falando, pode tirar toda a beleza da luz ambiente se usar de maneira errada a iluminação artifi-

por João Cavalheiro Junior


EXIF: F/4 V: 1/100 ISO 2500 CANON 6D LENTE: 24-105MM

VITRINI

EXIF: F/4 V: 1/100 ISO 2500 CANON 6D LENTE: 24-105MM

6


Fotos: João Cavalheiro Junior

EXIF: F/1.8 V: 1/320 ISO 5000 CANON 6D LENTE: 50MM

EXIF FOTOS ACIMA: F/1.8 V: 1/100 ISO 5000 CANON 6D LENTE: 50MM

A luz local não favorecia muito, tivemos que achar uma forma de

7

VITRINI

torna-lá mais suave. Neutralizamos a luz da lâmpada utilizando a da janela, que está ao lado esquerdo da noiva, e com maior intensidade. Foi fechada uma janela de vidro escuro para funcionar como se fosse um difusor. A partir daí utilizamos somente as luzes disponíveis variando somente na composição e ângulo.


Fotos de detalhes e de objetos tem uma aten-

VITRINI

ção especial. Caso o objetivo seja uma profundidade de campo maior (mais áreas em foco), deve-se deixar o diafragma da câmera com uma abertura pequena, a partir de f13, por exemplo. Lembrando que, sempre que possível neste tipo de fotografia, deve-se utilizar o tripé para que a imagem não saia tremida, pois trabalharemos com uma velocidade menor para conseguir uma profundidade de campo maior, já que estaremos com diagrafma fechado.

8

EXIF: F/4 V: 1/125 ISO 6400 CANON 6D LENTE: 24-105MM

Fotos: João Cavalheiro Junior

EXIF: F/1.8 V: 1/200 ISO 4000 CANON 6D LENTE: 50MM


EXIF: F/1.8 V: 1/200 ISO 4000 CANON 6D LENTE: 50MM

Temos que ser criativos nas fotos da noiva enquanto ela se arruma, ou assim que estiver pronta. Porém nunca se esqueça da importância de obter as fotos tradicionais também, como por exemplo, a foto da noiva com o buquê. Tínhamos uma luminária grande acima da cabeça da noiva, pedi pra ela se afastar um pouco, dando um passo pra trás, consegui que a luz ficasse mais suave, evitando as sombras duras em seu rosto. Fotometrei na parte mais clara de seu rosto para que não estourasse as altas luzes!

9

VITRINI

Fotos: Ester Couso Maurício

EXIF: F/10 V 1/100 ISO 500 NIKON D7000 LENTE 24-70MM105MM


EXIF FOTOS ACIMA: F/4.5 V: 1/180 ISO 2000 CANON 6D LENTE: 24-105MM

10

Fotos: Jo達o Cavalheiro Junior

VITRINI

EXIF: F/7.1 V: 1/180 ISO 2000 CANON 6D LENTE: 50MM


EXIF: F/1.8 V: 1/180 ISO 1600 CANON 6D LENTE: 50MM

EXIF: F/5 V: 1/180 ISO 800 CANON 6D LENTE: 50MM

Durante a cerimônia, a parte mais tensa do casamento em minha opinião, temos que ficar muito atentos. Aqui o trabalho de tirar fotos boas vai muito além de técnicas. O mais importante neste caso é a parte emocional, tentar capturar momentos únicos, um olhar, um aperto de mão, ou qualquer acontecimento que julgarmos importante para ajudar na narrativa do casamento. Tecnicamente falando, nestas fotos da cerimônia, além da luz ambiente disponível eu tive que utilizar um flash rebatido 100% no teto do ambiente. Desta forma a luz espalhava com com maior facilidade, ajudando com que as fotos parecessem mais naturais, evitando sombras duras marcadas nos rostos.

VITRINI

EXIF: F/5 V: 1/180 ISO 800 CANON 6D LENTE: 50MM

11


E-SESSION EXIF: F/1.8 V: 1/400 ISO 250 CANON 6D LENTE 50MM

por João Cavalheiro Junior

Fotografia: João Quinteiro Cavalheiro Junior Make: Samara Dornellas Modelos: Daniele e Fabiano

VITRINI

A

12

sessão pré-casamento, ensaio de casal, e-session (engagement session ou, em português, sessão se noivado), como você preferir é um ensaio que é realizado com os noivos antes do casamento. Além de criar a possibilidade de terem fotos para postar durante a festa de casamento, a sessão tem como principal objetivo proporcionar uma maior interação entre os noivos e os fotógrafos. Assim, aquele gelo i inicial é quebrado, possibilitando que no grande as fotos mostrem de forma mais natural o momento e os noivos, assim as cenas serão conseguidas com maior facilidade, pois já existe um vínculo entre fotógrafo e fotografado. Tenho o costume de tirar um dia para o meu casal fotografado,

pois assim teremos mais tempo de nos conhecermos. Com a Dani e com o Fabiano não foi diferente, eles queriam fazer as fotos em um clube de campo em Curitiba mesmo, e lá fomos nós, em um domingo maravilhoso de sol, aproveitamos para saborear um delicioso churrasco feito pelo Fabiano e logo após começamos a busca por lugares perfeitos para fotografar. Tento em minhas fotos demostrar o sentimento que existe entre o casal, e espero que você consiga senti-lo. Sobre a parte técnica vou falar adiante, em pequenos textos contidos em algumas fotos.


EXIF: F/4 V: 1/400 ISO 250 CANON 6D LENTE: 24-105MM

EXIF: F/1.8 V: 1/1600 ISO 250 CANON 6D LENTE: 50MM

VITRINI

13


Sempre tente olhar

VITRINI

em volta do motivo. Poderia ter dado um zoom e fotografado o casal em plano fechado, porĂŠm perderia este lindo lugar que fomos! Achei lindo o tom que a ponta dos galhos tinha. Decidi registrar e o resultado foi este!

EXIF: F/4 V: 1/320 ISO 250 CANON 6D LENTE: 24-105MM 14


VITRINI

15


VITRINI

A cada sessão que vou sempre tiro um

EXIF: F/4 V: 1/30 ISO 1000 CANON 6D LENTE: 24-105MM 16

momento, alguns minutos, meia hora quem sabe, para tentar achar lugares que possam servir como plano de fundo para as fotos que estou planejando fazer. Meus critérios são os seguintes: sempre tento achar lugares bonitos, obviamente, porém clean ao mesmo tempo para poder encaixar o casal na cena em que estou pensando. Procuro linhas, pois sempre conduzem o olhar do espectador para o tema da foto. Na foto abaixo passei por essas árvores lindas, olhei pra cima e não deu outra, ali estava o local perfeito, clean, diferente e com as linhas que levam ao casal se beijando!


EXIF: F/4.5 V: 1/125 ISO 2000 CANON 6D LENTE: 24-105MM

VITRINI

EXIF: F/4 V: 1/125 ISO 250 CANON 6D LENTE: 24-105MM 17


VITRINI

EXIF: F/1.8 V: 1/160 ISO 320 CANON 6D LENTE: 50MM

18

EXIF: F/4 V: 1/200 ISO 250 CANON 6D LENTE: 24-105MM


WEDDING BRASIL 2014

por João Cavalheiro Junior

Wedding Brasil é uma convenção de

abertura. Logo de cara Rafael Benevides, com toda humildade e simpatia, muito ensinou

fotografia de casamento organizada pela

sobre composição, iluminação e bom gosto

Editora Photos. Hoje é indiscutivelmente

estético. Figurinhas marcadas também fo-

o maior Congresso sobre o tema na América

ram um show a parte, como David Beckste-

Latina. Foi realizado entre 13 e 17 de

ad, que com seu amor pelo futebol palestrou

abril, no Anhembi Parque, em São Paulo.

usando

Foram três dias discutindo sobre vários

a camisa do Brasil e encantou o público.

assuntos ligados ao nosso ramo, além

Essa foi minha primeira de muitas par-

dos Workshops individuais, ocorridos nos dias

ticipações no evento. Hoje classifico como in-

anteriores ao evento principal. Em paralelo,

dispensável para me tornar o profissional que

para um público menor, ocorreu o Núcleo de

almejo ser. Foi um “tapa na cara” da minha

Tecnologia, com assuntos mais específicos.

fotografia, reconstruí (e espero cada dia mais

É uma oportunidade de experiência única e

reconstruir) o meu olhar através dos conteú-

indispensável para aqueles que, assim como

dos

eu, querem se aprofundar muito na profis-

que aprendi.

são. Independentemente de quanto tempo

Espero ter passado pelo menos

de fotografia você tem nas costas, sempre se

um pouquinho do que foram estes três

aprende muito em um evento como esse.

dias intensos de muita informação. O Wed-

Fotógrafos do Brasil e de outros países

ding

reuniram-se para que todos os espectadores

Brasil, cada vez mais, está marcando época.

pudessem mergulhar no mundo da fotogra-

Parabéns a Editora Photos, a todos os partici-

fia de casamento e reinventá-la, sem se es-

pantes da produção, palestrantes e principal-

quecer de rever conceitos.

mente aos congressistas, pois sem eles de

fia mundial palestrando, sem dúvida a grande palestra do evento foi na

nada adiantaria toda aquela estrutura.

VITRINI

Apesar de grandes nomes da fotogra-

19


VITRINI

Eu com David Beckstead durante o evento.

Fotos: : JULIO TRINDADE 20


FRANCESCA CÓRDOVA nas lentes de Luiz Gustavo Maurício

No primeiro editorial decidimos usar o conceito da Estilista Francesca Córdova. Vencedora do 1º Prêmio João Turin de Incentivo aos Novos Designers de Moda, ela se mantém fiel ao propósito de criar peças atemporais e sofisticadas, seguindo o conceito do Slow Design. “Utilizo tecidos naturais de alta qualidade, sem subterfúgios, e nada de estamparia para que as peças sejam permanentes e sobrevivam à próxima coleção”, disse a estilista. “Desenho para uma mulher feminina, mas não ingênua, de sofisticação minimalista, madura e que imprime sua personalidade à roupa”, explica. “O princípio da minha marca são peças essencialmente urbanas, puras e minimalistas”, completa.

Por isso, como fotografo decidi utilizar o Conceito de urbano para fotografar as peças. Fiz imagens pela cidade de Curitiba para mostrar o grafismo e como as roupas e a fotografia se unem, aproveitando da luz e sombra naturais da Cidade.

VITRINI

21


VITRINI

EXIF: F/2 V: 1/800 ISO 100 CANON 6D LENTE: 35MM

22


EXIF: F/2 V: 1/640 ISO 100 CANON 6D LENTE: 35MM

EXIF: F/2 V: 1/1600 ISO 320 CANON 6D LENTE: 35MM

VITRINI

23


VITRINI

EXIF: F/2 V: 1/250 ISO 100 CANON 6D LENTE: 35MM

24


EXIF: F/2 V: 1/2000 ISO 3200 CANON 6D LENTE: 35MM

Fotografei num típico dia curitibano, nublado. Começamos o primeiro look às 11 horas da manhã, pois a maquiagem levou cerca de uma hora para ser finalizada. Fizemos as fotos na Rua XV de Novembro, com intenso movimento de pessoas, pois nosso editorial se baseia na nossa cidade e as roupas foram desenhadas baseadas no conceito urbano. Tecnicamente, quando você deseja fotografar pela cidade e o clima não ajuda, é necessário um rebatedor ou o uso de flash. Escolhi não usar flash para o trabalho adquirir uma forma o mais natural possível.

VITRINI

25


VITRINI

EXIF: F/2 V: 1/2000 ISO 320 CANON 6D LENTE: 35MM

26


EXIF: F/2 V: 1/2000 ISO 320 CANON 6D LENTE: 35MM

VITRINI

27


VITRINI

EXIF: F/2 V: 1/2000 ISO 320 CANON 6D LENTE: 35MM 28


O segundo look, mais formal, foi desenhado para a mulher trabalhadora, que acorda cedo e tem que estar presente em uma reunião de trabalho. É para a mulher que gosta de estar arrumada tanto para o trabalho quanto em casa. É um estilo mais executivo. Fotografei esse look na Universidade Federal do Paraná, onde o próprio lugar é um rebatedor, então não tivemos problemas com luz. O terceiro look fotografei no Palácio Garibaldi, pois é um local muito usado em Curitiba para eventos, como casamentos e festas da alta sociedade. Esse é desenhado para usar fora de casa, para um evento mais chique em que a necessidade de estar bem vestida fala mais alto.

EXIF: F/2 V: 1/800 ISO 100 CANON 6D LENTE: 35MM

VITRINI

29


VITRINI

EXIF: F/2 V: 1/800 ISO 100 CANON 6D LENTE: 35MM

30


VITRINI

31


VITRINI

32

EXIF: F/5.6 V:1/160S ISO:100 CANON EOS REBEL T3I LENTE:18 -135MM.


VITRINI

EXIF: F/4.5 V:1/200S ISO:100 CANON EOS REBEL T3I LENTE:18 -135MM.

33


VITRINI

O ensaio foi iniciado por volta das 10h da manhã, as primeiras fotografias em frente à igreja foram feitas em ambiente externo, foi utilizado somente luz natural pois o céu estava nublado. Nos ambientes internos foram utilizados, o rebatedor para aproveitar a iluminação das janelas e o difusor para amenizar a luz forte do sol do meio dia. O direcionamento da modelo foi feito com o objetivo de demonstrar a naturalidade e o romantismo da mulher artista.

EXIF: F/5.6 V:1/80S ISO:100 CANON EOS REBEL T3I LENTE:18 -135MM. 34


VITRINI

EXIF: F/4 V:1/20S ISO:400 CANON EOS REBEL T3I LENTE:18 -135MM.

35


VITRINI

36

EXIF: F/5.6 V:1/13S ISO:800 CANON EOS REBEL T3I LENTE:18 -135MM.


VITRINI

EXIF: F/5 V:1/1250S ISO:1600 CANON EOS REBEL T3ILENTE:18 -135MM.

37


natureza urbana POR: ESTER COUSO MAURÍCIO

VITRINI

Desde a minha infância gosto

38

de registrar de alguma forma as belezas e as cores da natureza, usei telas, desenhei e morando em uma cidade com muito verde e belas paisagens sentia-me cada vez mais inspirada. Neste momento nasceu uma grande paixão “a fotografia”, busquei estudar, ler e pesquisar sobre a vida e a obra dos grandes mestres e profissionais buscando o aperfeiçoamento e a inspiração que me faltava e que me completaria. Dentre as diversas formas de fotografia percebo que a fotografia de natureza tem muito a ver comigo, sinto uma forte ligação por ela, e vejo que ela tem sido pano de fundo dos momentos mais importantes na vida de diversas pessoas, inclusive a minha. Vemos isto quando registramos

uma viagem em família, uma bela lua de mel, um casamento, editoriais de moda, aniversários e muitos outros momentos, afinal, quem nunca procurou uma paisagem bonita e deslumbrante para compor sua fotografia? Seja profissional ou amador, seja um leigo ou até mesmo um simples turista, numa foto de flor ou numa bela cachoeira, estas imagens são eternizadas num belo álbum ou num arquivo digital. Nesta revista, colocamos como matéria especial algumas pinceladas sobre a fotografia de natureza, para que você nosso leitor possa entrar neste mundo mágico e sentir-se inspirado pela grandiosidade desta criação Divina.

Foto: Ester C. Maurício

EXIF: F/2.8 V: 1/320 ISO 100 NIKON D7000 LENTE: 24-70MM


Foto: Ester C. Maurício

Foto: Ester C. Maurício

Exif: f/2.8 v: 1/400 ISO 100 Nikon D7000 lente: 24-70mm

Foto: Ester C. Maurício

Foto: Ester C. Maurício

Exif: f/2.8 v: 1/320 ISO 100 Nikon D7000 lente: 24-70mm

Exif: f/2.8 v: 1/160 ISO 100 Nikon D7000 lente: 24-70mm

Foto: Ester C. Maurício

Foto: Ester C. Maurício

Exif: f/2.8 v: 1/400 ISO 100 Nikon D7000 lente: 24-70mm

Exif: f/2.8 v: 1/30 ISO 100 Nikon D7000 lente: 24-70mm

Foto: Ester C. Maurício

Foto: Ester C. Maurício

Exif: f/2.8 v: 1/30 ISO 100 Nikon D7000 lente: 24-70mm

Foto: Ester C. Maurício

Exif: f/2.8 v: 1/40 ISO 100 Nikon D7000 lente: 24-70mm

Exif: f/2.8 v: 1/800 ISO 100 Canon 7D lente: 100mm macro

Exif: f/2.8 v: 1/160 ISO 100 Nikon D7000 lente: 24-70mm

Exif: f/7.1 v: 1/13 ISO 100 Canon 7D lente: 100mm macro

VITRINI

Foto: Regina Biscaia

Exif: f/1.8 v: 1/160 ISO 100 Nikon D7000 lente: 50mm

Foto: Regina Biscaia

Foto: Ester C. Maurício

Exif: f/2.8 v: 1/40 ISO 100 Nikon D7000 lente: 24-70mm

Na correria do dia a dia muitas vezes deixamos passar despercebidos detalhes e pequenas coisas que podem mudar e alegrar nosso dia. Pensando nisto a Revista Vitrini colocou uma galeria de fotos em detalhes para você caro leitor admirar. Uma fotografia é um momento único que fica para sempre, por isso aproveite, observe, seja criativo, fotografe. “A natureza é grande nas coisas grandes e grandíssima nas pequeninas.” ( Saint-Pierre) “Se tua foto não está boa é porque você não se aproximou o suficiente.” (Robert Capa).

39


Fotos: Ester C. Maurício

EXIF: F/2.8 V: 1/40 ISO 100 NIKON D7000 LENTE: 24-70MM

VITRINI

EXIF: F/2.8 V: 1/400 ISO 100 NIKON D7000 LENTE: 24-70MM

40


Fotos: Regina Biscaia

EXIF: F/9 V: 1/125 ISO 400 CANON 7D LENTE: 18-135MM

EXIF: F/3.5 V: 1/320 ISO 2000 CANON 7D LENTE: 100MM MACRO

VITRINI

41


VITRINI

42

Foto: Ester C. Maurício

EXIF: F/2.8 V: 1/15 ISO 100 NIKON D7000 LENTE: 24-70MM


Foto: Regina Biscaia

EXIF: F/9 V: 1/125 ISO 400 CANON 7D LENTE: 18-135MM

VITRINI

43


Fotos: Ester C. Maurício

EXIF: F/16 V: 1/300 ISO 100 NIKON D7000 LENTE: 24-70MM

EXIF: F/16 V: DIVERSAS (HDR) ISO 100 NIKON D7000 LENTE: 24-70MM

Usamos

HDR (Hight Dynamic Range) ou seja, alto alcance dinâmico. É basicamente a quantidade de luz de diferentes intensidades que consegue ser gravada na nossa camera. usamos esta tecnica para não perder nenhum detalhe do céu, que estava com altas luzes no entardecer no jardim Botânico. Para maiores informações, acesse nossa página nas redes sociais.


A

longa exposição é utilizada para fotografar cenas em que o sensor precisa de mais tempo para captar a imagem, o que é frequente em ambientes com pouca luz e luz em movimento. Usamos esta técnica para realçar os detalhes das luzes do Parque Barigui, com o intuito de mostrar sua beleza e seus reflexos mesmo que noturno.

Fotos: Regina Biscaia

EXIF: F/3.5 V: 3.2S ISO 100 CANON 7D LENTE: 100MM MACRO

VITRINI

EXIF: F/3.5 V: 1/320 ISO 2000 CANON 7D LENTE: 18-135MM

45


Foto: Ester C. Maurício

EXIF: F 2.8 V:1/125 ISO 100 NIKON D7000 LENTE 27-70MM

Usar o desfoque nas fotografias, é uma técnica muito usada que visa dar destaque aos detalhes e colocar em foco o tema principal da imagem.

46

Foto: Regina Biscaia

VITRINI

EXIF: F/5 V: 1/5 ISO 800 CANON 7D LENTE: 18-135MM


ENTREVISTA COM O FOTÓGRAFo

André Dib

Fotógrafo desde 2002, colabora com as principais revistas de natureza, aventura e expedições do país, e já teve trabalhos publicados nas revistas os Caminhos Terra, Viagem e Turismo, Alpha, National Geographic, O2, Terra da Gente, Go Outside entre outras. Atualmente compõe e publica matérias na revista Aventura & Ação, além de produzir fotos para catálogos publicitários e imagens institucionais, sempre abordando o tema “Outdoor”. Hoje também administra seu próprio banco de imagens, o Stock Adventure, dando suporte ao mercado editorial.

Para melhorar o entendimento e compreensão sobre o tema abordado foram anexados abaixo algumas respostas que podem facilitar a compreensão sobre o assunto natureza e sobre as imagens que podem ser geradas por um profissional da área, desta forma entrevistamos o Sr. André Dib (foto), este profissional que tem longa experiência na arte da Fotografia de Natureza e pode acrescentar alguns aspectos que são importantes. • Qual o caminho para se tornar um bom fotógrafo de natureza? Acho que o principal, como em todas as profissões, é gostar do que faz. E ter vocação, claro. Tudo aquilo que se faz com amor, dedicação e entreguismo, tem suas compensações. • No mercado da fotografia de natureza, existe algum nicho que carece de profissionais? Temos bons profissionais, não creio nessa hipótese. w

VITRINI

• Descreva o perfil de um fotógrafo de natureza. Um fotógrafo, em todos os campos, tem que conhecer profundamente aquilo que se propõem a fazer. Um trabalho consistente precisa de argumento, portanto não é uma atividade simples, mas que precisa de aprofundamento. Para fotografar a natureza é preciso conhecer seus aspectos, sua constituição.

47


• Quais as limitações da fotografia de natureza? Acho que não só na fotografia, mas nas profissões que envolvem atividades na natureza. No país, temos essa cultura Outdoor há pouco tempo. As pessoas começaram a conhecer e a praticar atividades ao ar livre faz pouco tempo. Claro que não podemos generalizar, mas em âmbito geral, isso é algo novo para a grande maioria dos brasileiros. Começamos a ouvir sobre meio ambiente há 2, 3 décadas, aproximadamente. E isso, apesar de estar na mídia hoje, ainda é algo muito incipiente e apartado do público geral. A própria política pública espanta as pessoas que se despertaram pra isso. Pegamos o exemplo dos parques nacionais, que têm uma política protecionista e que tratam o cidadão como inimigo. Os fotógrafos de natureza têm problemas, ainda hoje, para desenvolver um trabalho mais consistente nas unidades de conservação, e para difundir esses paraísos teoricamente protegidos para as pessoas. Nos EUA, por exemplo, a política nas Unidades de Conservação é justamente oposta. Imagens de Parques Nacionais como Yosemite e Grand Canion, por exemplo, já rodaram o mundo através de fotografias e trabalhos de fotógrafos de todo o planeta.

• Quais os erros mais comuns que os fotógrafos de natureza cometem ou podem cometer? Desistir do caminho, que não é fácil. • Quem são os consumidores ou possíveis clientes de fotografias de natureza? O mercado editorial. Livros, revistas e publicações didáticas. • Quais os meios mais eficazes para se chegar até os clientes? Ter uma história. Fazer uma boa foto, apenas, não é suficiente. Temos que convencer através de uma carreira. • Você daria dicas ou conselhos para quem está começando no universo da fotografia de natureza? É um caminho longo, mas extremamente prazeroso. Como disse, tudo aquilo que fazemos com determinação, é reconhecido, inevitavelmente.

VITRINI

Para conhecer mais do trabalho de André Dib, acessar o site: www.stockadventure.com

48


PUBLICIDADE

VITRINI

49


agrade cimentos

VITRINI

Agradecimentos especiais aos que colaboraram para que a revista pudesse tomar forma. À Francesca Córdova por ceder suas criações para o editorial de moda urbana. Agradecemos também a modelo e colega de profissão Vanessa Leal. No editorial inspirado no estilo vintage, nossos agradecimentos para a modelo Letícia Thais. Francisca Patricio, Dra. Regina por nos autorizar a utilizar o Solar do Rosário como locação. do ensaio. E ao estilista Juliano Fonseca por ceder as roupas. A maquiagem e cabelo dos editoriais ficou por conta de Jhonny Macartney. Muito obrigado. Agradecemos também a maquiadora Samara Dornellas pela make linda realizada na editoria de casamento. Nosso agradecimento especial ao contador e patrocinador, Luiz Fernando Maurício.

50


patrocĂ­nio master

VITRINI

51


VITRINI

VITRINI 52

Revista vitrini  

facebook: https://www.facebook.com/revistavitrinifotografia?fref=ts

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you