Issuu on Google+

Vinte e Um 394

edição zero novembro 2010

páginas de literatura unem oito amigas

CONHEÇA A MAQUIADORA DA DILMA

VIAGEM

visitamos a Galeria Ouro Fino, em SP

ACIMA DO PESO SIM, E DAI?

&

Quatro meninas plus size se assumem e contam como mantêm o estilo

Música + Cinema + Gastronomia + Carreira + Meio ambiente

SUMÁRIO

CAPA Meninas plus size mostram que têm estilo

36

MEIO AMBIENTE O que são cosméticos orgânicos e como eles ajudam a natureza e a saúde?

29

VIAGEM Em São Paulo, conheça a Galeria Ouro Fino, uma boa opção para compras criativas OPINIÃO

4 Carta das editoras 5 Colaboradores + Online

MODA

14

CINEMA Saiba porque Marilyn Monroe foi a diva mais falada de Hollywood em sua época

2

Vinte e Um - Novembro 2010

(Fotos Trícia Oliveira e divulgação)

18

6 Cada estilo, um blog Conversamos com quatro blogueiras superestilosas 11 Guarda-roupa da vovó A moda dos brechós tomou conta das ruas de Brasília 15 O estilo Marilyn Looks inspirados na atriz sexy e ousada Marilyn Monroe 20 Certo e Errado Se você é ou está acima do peso, saiba o que vestir 22 Editorial de moda Duas amigas plus size vão às compras no Brasília Shopping 41 Por aí Inspire-se nos melhores looks para trabalhar da cidade

38

LITERATURA Oito amigas reunidas por um clube do livro: a cultura e a diversão estão garantidas BELEZA

8 Muito além da maquiagem Batemos papo com Rose Paz, maquiadora da presidente

MÚSICA

16 Discotecar virou moda DJs de festa ensinam como se tornar um bom profissional

COMPORTAMENTO

32 Ordem na bagunça Consultoras dão dicas para organizar o armário

GASTRONOMIA

42 Comida que não pesa Lugares em Brasília para comer bem, sem gastar tanto

SAÍDA

40 Artigo 43 Onde encontrar

CARTA DAS EDITORAS

A CARA DO NOVO SÉCULO

N

ão sei você, mas para nós o século Vinte e Um chegou e mudou nossa vida completamente. Vídeocassetes e telefones públicos são objetos do passado. Quem hoje em dia não vive colada na tela do computador ou do celular? Todo dia, fazemos mil coisas ao mesmo tempo e quase não sobra um momento para descansar. Contra essa correria, que tal uma boa revista, feita sob medida para você sentar e relaxar? A partir de agora, você verá um conteúdo diferente, com histórias de mulheres reais, e não celebridades ou modelos perfeitas. São mulheres como nós, como você, sua irmã ou sua melhor amiga. Na matéria da capa, a estudante Ana Cecília e mais três meninas acima do peso (Ana Angélica, Priscila e Gabriela) contam como adaptam a moda aos seus estilos e tamanhos, provando que se gostam do jeito que são. Já a consultora de imagem Rosanna Tarsitano ajuda quem ainda não está satisfeita com o manequim e quer ressaltar o que tem de melhor. Para completar, levamos Ana Cecília e Ana Angélica às compras. O resultado? Um divertido ensaio fotográfico no Brasília Shopping. Além disso, fizemos uma viagem especial a São Paulo para mostrar a você um dos lugares mais descolados da cidade: a Galeria Ouro Fino, com roupas e acessórios para todos os gostos e tamanhos. Outro destaque é um grupo de amigas que criou um clube do livro. Em vez de só falarem sobre homens, beber caipiroskas e comer cupcakes, elas aproveitam os fins de semana juntas para conversar sobre literatura. Aproveitem a leitura! Beijos,

(Fotos Trícia Oliveira e Marcos Serra)

PS: Esta revista é o Trabalho de Conclusão de Curso de Jornalismo da Universidade Paulista, campus Brasília.

4

Vinte e Um - Novembro 2010

COLABORADORES

Conheça os colaboradores desta edição da revista... (Foto Taís Meireles)

A mineira Marília Paiva, 19 anos, estuda Desenho Industrial na UnB e, nesta edição, fez os desenhos da matéria sobre DJs e moda plus size. Em três palavras, o século Vinte e Um representa para ela inovação, conexão e liberdade.

(Foto Trícia Oliveira)

As maquiadoras da loja Ocimar Versolatto, Denise Moreira e Fernanda Vallú são as responsáveis pela beleza do editorial de moda plus size. Para elas, o século Vinte e Um remete à autenticidade, ao feminismo e à modernidade.

(Foto Iano Andrade)

(Foto Rodrigo Gimenes)

Desde os 16 anos, Anderson Miranda, 32, trabalha como designer. Aqui ele assina a arte das páginas 13 e 33. Pressa, consumo e produtividade são as três palavras que, para ele, melhor resumem o século Vinte e Um.

Rosanna Tarsitano trabalha como consultora de imagem há seis anos, mas sempre gostou de moda. Ela colaborou com as dicas de estilo para as plus size e sintetiza o século Vinte e Um como liberdade, tecnologia e artesanato.

No blog (revistavinteeum.wordpress.com), veja fotos dos bastidores da revista. Além disso...

ONLINE

... Escute a playlist do DJ Fábio Pop ... Confira ainda dicas para boas compras em brechós ... Vote em nossa enquente para saber qual a famosa plus size mais bonita ... Participe também do concurso cultural e ganhe uma revista impressa

(Fotos Trícia Oliveira)

... Veja mais looks de trabalho por aí

CONTE O QUE ACHOU Pelo twitter: @revistavinteeum Por email: revistavinteeum@gmail.com Vinte e Um - Novembro 2010

5

MODA

Cada estilo, um blog

Essas quatro jovens amam moda e resolveram mostrar como entendem do assunto por meio de um blog pessoal de moda Por Taís Meireles

U

ma moça extrovertida sai às compras com frequência e sempre escolhe minuciosamente o que vestir. Alguém com esse perfil pode ser apenas elegante ou um pouco mais criativa. No segundo caso, provavelmente tem um blog de moda pessoal. Febre na internet depois dos blogs de estilo de rua, esses sites servem para exibir as combinações do dia a dia. Além de bom gosto, a blo-

gueira demonstra que tem muita atitude. O melhor? Se conseguir muitos acessos, o que era brincadeira pode virar uma fonte de renda, com anúncios e patrociníos. A francesa Jessica Dauchy, 25 anos, do Lulla Blog, nunca trabalhou com moda, mas achou interessante catalogar na internet o que vestia. “Com certeza o blog influencia o jeito que eu me visto, assim, sempre procuro novas ideias”, diz. Geral-

JESSICA DAUCHT Profissão: estudante Cidade: Paris Blog: lullablog.net

6

Vinte e Um - Novembro 2010

mente, ela gasta duas horas por dia com o site, criado há dois anos. O esforço vale a pena, já que recebe, em média, 500 visitas diárias. Com quase o dobro de acessos, a “carioca de Recife”, Kira Aderne, 28 anos, escreve em português, inglês e espanhol no Kira Fashion. No blog, ela mostra viagens que faz com o marido, achados de moda e, claro, fotos de seus looks. “Quando o blog começou a cres-

KIRA ADERNE Profissão: jornalista Cidade: Rio de Janeiro Blog: kirafashion.com.br

(Fotos de acervos pessoais)

ANA CAROLINA Profissão: publicitária Cidade: Rio de Janeiro Blog: hojevouassimoff. blogspot.com

cer, deixei o trabalho para me dedicar a ele. Não poderia estar mais feliz”, orgulha-se do site que cuida há três anos. Verdadeiro exemplo Provavelmente a blogueira de moda brasileira mais famosa é Cris Guerra, dona do Hoje Vou Assim (hojevouassim.blogspot.com). O blog faz tanto sucesso, que já inspirou muitas meninas. Uma delas, Ana Carolina, 31 anos, descobriu um jeito bem humorado de parodiar o blog. No Hoje Vou Assim OFF, ela comprova que tem “um faro apurado para pe-

PRISCILA MAGALHÃES Profissão: estudante Cidade: Brasília Blog: newtasty.com/ milkybrown

chinchas”. Ao contrário do original, expõe no blog roupas de liquidações. “A ideia era fazer só uma brincadeira. Mas a Cris descobriu o blog e fez um post que mudou tudo!”, lembra Ana. A brasiliense Priscila Magalhães, 24 anos, também está nesse caminho. Há menos de um ano, criou o Milky Brown, inspirada, principalmente, no site de moda coletivo Lookbook.nu. “Ao contrário de algumas blogueiras, não coloco dicas, textos, nem fotos de produtos. Dedico-me apenas a tirar fotos de looks

criativos para o dia e a noite”, comenta. Para as estilosas que querem seguir o exemplo dessas blogueiras, elas aconselham que sejam criativas. “Tente ser você mesma porque é muito fácil se influenciar”, sugere Jessica Dauchy. “O grande barato da moda é se divertir: não ter medo de ousar, arriscar e ser uma pessoa diferente todos os dias”, enfatiza Ana Carolina. Priscila concorda com elas: “Acho que tem muitos e muitos blogs surgindo e destacam-se apenas os que têm mais personalidade”. Vinte e Um - Novembro 2010

7

BELEZA

Muito além da maquiagem Rose Paz é a maquiadora oficial de Dilma Rousseff, a primeira presidente mulher eleita no Brasil, e fala sobre sonhos e conquistas Por Trícia Oliveira

E

Para a preparação, água termal La Roche Posay, corretivo L´Oreal e base MAC.

Nos olhos, Rose Paz usou sombra Jordana, delineador Bourjois e máscara Dior.

Nas sobrancelhas, um truque mais que especial: lápis grafite.

8

Vinte e Um - Novembro 2010

la já teve a oportunidade de embelezar grandes personagens brasileiras. A lista de quem passou por suas mãos é das mais ecléticas possíveis: de Renata Sorrah, Marina Person e Camila Pitanga a Renato Aragão, Marta Suplicy e Dilma Roussef. A maquiadora Rose Paz é um dos grandes nomes do ramo em Brasília. Com seu jeitinho simples e simpático, ela se consolidou no mercado local e nacional. Natural de Luziânia, cidade interiorana de Goiás, a carreira da maquiadora começou mesmo quando se mudou para São Paulo, aos 17 anos. Na capital paulista, Rose ajudou a maquiar diversos artistas da TV Record e, depois de acompanhar a apresentadora

Ana Maria Braga para a Rede Globo, não parou mais. Coordenou a maquiagem de especiais do canal, saiu em turnê com a cantora Roberta Miranda e depois passou pela MTV, pela Rede TV e pelo Canal Futura.

As maçãs do rosto foram pintadas com blush da linha mineral da MAC...

...e os lábios com batom MAC e lápis Mary Kay.

Novos rumos A política surgiu quando teve a oportunidade de maquiar integrantes do Partido dos Trabalhadores (PT) em eventos de Porto Alegre, há quatro anos. Foi nessa época que Rose Paz decidiu voltar para a cidade natal e trabalhar com candidatos a cargos públicos. Mas o plano não deu tão certo quanto ela esperava. “Eu não ganhava tão bem e sempre pensava: vou morrer de fome nessa cidade”, brinca.

(Fotos por Trícia Oliveira)

Eu quero maquiar a Madonna, porque ela é fashion, linda e atualizada

Ela compara o mercado brasiliense com o de São Paulo. “Aqui, a maquiagem ainda não é profissional. Não achava que havia espaço para os maquiadores, mas percebi que, na verdade, o mercado é carente de bons profissionais”. Desde que iniciou a profissão, ela sabe que houve muitas mudanças. “Hoje existem vários cursos profissionalizantes de maquiagem e, em três meses, a pessoa já sai achando que é maquiadora. Há 10 ou sombra”, filosofa. 15 anos, ninguém sabia o que Na opinião dela, muita genera ser maquiador, hoje é gla- te desdenha o trabalho da mamour”, despeja. quiagem sem entender que é uma arte que envolve, até mesVocação mo, um pouco de psicologia, A paixão de Rose Paz pela já que ajuda na autoestima da maquiagem começou quan- cliente. “É impressionante! Só do ela ainda era muito nova. com blush e batom já dá para “Desde jovem, eu sempre fui a virar outra pessoa”, diz. mais vaidosa da minha família. Apesar de já ter trabalhaAprendi a gostar de maquia- do para muitas figuras imporgem com mamãe. Ela estava tantes e amar o que faz, Rose sempre maquiada”, recorda. Paz ainda tem um sonho não O entusiasmo é notável realizado. Ela quer maquiar quando a maquiadora se refere uma das maiores celebridades à profissão. “Hoje eu trabalho da música pop internacional. com o que gosto. A maquia- “Eu quero maquiar a Madongem é muito detalhista, é uma na, porque ela é fashion, linda espécie de arte. Eu a vejo como e atualizada”, diverte-se a proa arquitetura: um jogo de luz e fissional.

Top Secrets 3 itens indispensáveis? Blush, corretivo e uma máscara para cílios. O que levanta um look? Batom e delineador. Os dois mudam tudo. Melhor marca de make? A MAC é sempre a mais pedida, mas também gosto muito da Kryolan. Onde comprar bem e barato? A Royalle é uma loja que tem de tudo, a preços bem acessíveis. Vinte e Um - Novembro 2010

9

BELEZA

No corpo A Mary Kay criou um verdadeiro salvadecotes. O spray corporal para peles com tendência à acne ajuda a combatê-las em áreas como ombros, costas e pernas. Controla o óleo da pele e reduz as espinhas. R$ 55.

Demaquilante Os lenços da Nivea limpam e hidratam, além de revigorar a pele ressecada. As toalhas têm óleo de amêndoas e extrato de calêndula. São indicadas para remover maquiagem. Entre R$ 19 e R$ 26.

Antipelos Com fórmula calmante e hidratante, o Dermage Regenerage pósdepilação acalma a pele e garante a redução dos pelos, aumentando o intervalo entre as depilações. Entre R$ 53 e R$ 58.

Para uma pele perfeita... A maquiadora Rose Paz sugere produtos por menos de R$ 70 para limpar, hidratar, corrigir e proteger a pele do corpo e do rosto. Face Perfector Esse produto da linha Avon Magix controla a dilatação da pele, disfarçando poros e manchas. Deixa a pele homogêna, mais fina, hidratada e sem brilho. Pode ser usado sozinho para cobrir a pele ou como um primer, uniformizando o rosto e aumentando a durabilidade do make. R$ 38.

10

Vinte e Um - Novembro 2010

Água termal O produto em aerosol cuida de peles sensíveis, proporcionando suavidade, bem-estar e frescor. A água termal da Avéne deixa uma fina camada protetora sobre a pele, protegendo-a. Também acalma e tira irritações e inflamações do rosto. Entre R$ 24 e R$ 69.

(Fotos divulgação)

Firmador Para a flacidez sumir, a Nivea desenvolveu um hidratante firmador com o dobro das enzimas dos produtos usuais do mercado. O Q10 Plus vem em frasco de 200 ml, tem textura e aroma agradáveis e, o melhor, custa pouco. Entre R$ 10 e R$ 25.

Multicor A base Custom Creations da Revlon permite o alcançe de cinco tonalidades de cores diferentes, graças à embalagem inovadora. A fórmula não oleosa completa a cobertura suave da maquiagem. Entre R$ 40 e R$ 67.

MODA

No guarda-roupa da “vovó” Comprar em brechós pode ser uma arte: o garimpo pelas pilhas e pilhas de roupas usadas se torna uma verdadeira caça ao tesouro Por Aída Rodrigues

Se antes brechó era sinônimo de loja empoeirada e frequentada por quem não tem dinheiro, o cenário atual é bem diferente. Em Brasília existem, hoje, cerca de 50 lojas de usados. Os clientes desses brechós são fashionistas e descolados de plantão. A ideia é encontrar roupas e acessórios que imprimam personalidade e estilo, transformando a compra em uma verdadeira caça ao tesouro. Resgatar o estilo de décadas passadas e adaptá-las à moda atual é um exercício dos mais inspiradores. Dos clássicos aos alternativos, existem lojas de segunda mão para todos (veja mapa na próxima página). A psicóloga Laura Pereira de Sousa, 24 anos, frequenta brechós desde os 14. Ela conhece lojas em São Paulo, no Rio de Janeiro, em Nova York e na Europa. Hoje, consegue ser mais criteriosa na hora de garimpar, porque considera o bom gosto das peças disponíveis, o custobenefício, o corte diferenciado e a qualidade do tecido. O objetivo dela é comprar roupas de outras épocas que

sejam exclusivas. “Assim, evito esbarrar em alguém que esteja usando a mesma roupa que eu”, diz. “Encontrar uma saia plissada dos anos 80 da Cacharel, em ótimo estado por R$ 50 é o máximo”, explica. Mas a busca pelo achado ideal pode ter suas dificuldades. Como a maioria das peças são únicas, a concorrência, às vezes, é grande. Laura sabe bem como é: “lembro uma vez que eu e uma menina brigamos por causa de um vestido. A confusão acabou se tornando um

leilão com a dona da loja para definir quem iria pagar mais pela peça. Quando ela viu que estávamos brigando muito, decidiu não vender para nenhuma das duas porque a roupa ficaria com uma energia negativa”. A publicitária Nadine Lôbo Amaral, 22 anos, compartilha a paixão por brechós. Ela conheceu a primeira loja de usados há um ano e meio e não parou mais de frequentá-las. Em um só dia, já visitou cinco brechós. Para ela, a ideia de ter uma peça antiga é o mais interessante. “É importante o item estar em (Foto Taís Meireles) bom estado, limpo e cheiroso, sem nunca esquecer o custobenefício”. Nadine reconhece, no entanto, que os preços mais baixos podem causar estragos se a consumidora não souber se controlar. “O inusitado do brechó é o que me contagia. Vou com a intenção de comprar uma peça e saio de lá com outra completamente diferente. Ainda bem que não recebo ligações de vendedoras contando as novidades, senão gastaria Há mais de 10 anos, Laura Sousa, tudo, não conseguiria me con24 anos, faz compras em brechós. trolar”, brinca Nadine. Vinte e Um - Novembro 2010

11

MODA

Brechós por todos os lados Brasília aderiu à moda das lojas de roupas usadas há pouco tempo, mas já está cheia de bons brechós para você conhecer

A publicitária Nadine Amaral, 22 anos, passou a frequentar brechós recentemente, em especial por conta das pechinchas. Os preferidos dela em Brasília são o Peça Rara e o Emporium Naide Gaia.

Peça Rara Esse brechó é, provavelmente, o maior de Brasília, com 400 m² de área, e vende roupas femininas, masculinas e infantis, além de móveis e brinquedos. As peças são bem selecionadas e a rotatividade, intensa. Endereço: 307 Sul, Bloco C, Loja 3. Telefone: 3242-6707. Evelin No segundo andar do ateliê de bijouterias e coisas para casa, funciona o pequeno e charmoso brechó. É possível encontrar roupas e acessórios em ótimo estado. A dona, Evelena de Carvalho, seleciona os produtos pessoalmente e busca peças vintage. Endereço: 201 Norte, Bloco A, Loja 71. Telefone: 3326-2954.

12

Vinte e Um - Novembro 2010

Lixo de Luxo Divide-se em loja de aluguel de fantasias e venda de roupas e acessórios usados. A parte do brechó foi criada há 20 anos e possui preços mais acessíveis. Endereço: 304 Norte, Bloco C, Loja 43. Telefone: 3326-1023.

Varal Brechó

Emporium Naide Gaia

Duas irmãs autodenominadas “moderninhas” criaram uma loja de usados para quem gosta de artigos diferentes, inclusive importados. Endereços: 213 Sul, 213 Norte e CLSW 103. Telefone: 3343-0511.

Com decoração vintage, quem escolhe a dedo as peças da loja são Naide e Ariela, mãe e filha. Endereço: SQS 106, Bloco D, Sala 102. Telefone: 3242-9012.

Usadao Brasília

Usado Transado

Inaugurado em 1982, vende desde peças íntimas, roupas e sapatos até discos, livros e (pasme!) talheres. Endereço: 213 Sul, Bloco A, Loja 33. Telefone: 3346-0415.

Entre algumas grifes encontradas na loja estão Victor Hugo, Siberian, Forum e Colcci. Endereço: 306 Sul, S/N, Bloco A, Loja 22. Telefone: 3242-3344.

(Fotos Taís Meireles) (Arte Anderson Miranda)

Vinte e Um - Novembro 2010

13

CINEMA

A diva máxima do cinema No cinquentenário de seu último filme, Os Desajustados, a atriz norte americana Marilyn Monroe ainda é considerada um ícone atrizes de seu tempo que não via problemas em mostrar o corpo na revista Playboy. Hoje, o lado destemido e infinitamente sexy de Marilyn é mais lembrado que a carreira no cinema, mesmo que ela tenha participado de vários sucessos de bilheteria e crítica. Há exatos 50 anos, Marilyn filmava seu último filme: Os Desajustados.

B

atizada Norma Jeane Mortenson, Marilyn Monroe viveu de uma forma totalmente diferente das californianas de seu tempo. Aos 16 anos, casou-se com o primeiro dos três maridos e, aos 21, passou a figurar em pequenas produções no cinema. Até o final da carreira, foram mais de 30 filmes e uma lista ainda maior de polêmicas. Adorada pelos homens e odiada pelas mulheres, ela mantinha um ar de mistério e sedução ao seu redor e ficou marcada por falar o que pensava. A personalidade dela era tão forte, que foi uma das poucas

O corpo é para ser visto, não para ser coberto

No longa, Monroe é uma mulher frágil e ingênua, o oposto da imagem de símbolo sexual. O mais interessante é que o papel foi criado especialmente para ela por Arthur Miller, diretor do filme e marido dela. A intenção de Miller era mostrar o lado humano de Marilyn, ofuscado pela fama. Apesar da aparência, consideravamna tímida e melancólica, assim como a personagem do filme, Roslyn. Um ano depois do lançamento de Os Desajustados, em 1962, Marilyn e Clark Gable durante as filmagens de Os Desajustados Marilyn Monroe foi encontra-

14

Vinte e Um - Novembro 2010

(Fotos divulgação)

Por Taís Meireles

Monroe em um dos vários ensaios que ela fez para a revista Playboy

da morta em casa, após tomar uma overdose de tranquilizantes. Ela trabalhava na comédia Something´s Got to Give, que não chegou a ser finalizada por conta da tragédia. Apesar de cancelado, trechos do filme acabaram inseridos no documentário Marilyn: The Final Days, de 2001. Até o fim do ano, começam as gravações de uma das várias biografias da atriz. The life and opinions of Maf the Dog, and of his friend Marilyn Monroe descreve os últimos dois anos da vida da atriz pela ótica de seu cachorro, Mif, um presente do amigo Frank Sinatra. Quem interpretará a loira no cinema será Angelina Jolie.

MODA

Óculos de acetato Arezzo R$ 139,90 Batom Perfect Wear vermelho intenso Avon R$ 14

Vestido de tricot e viscose Le Lis Blanc R$ 295 Brincos de strass Accessorize R$ 73

Sutiã de renda Hope R$ 69

Regata algodão e renda MOB R$ 39

O estilo Marilyn

Sempre inspiradora, Monroe é sinônimo de ousadia e sedução Algumas das marcas registradas da atriz são as sobrancelhas arqueadas, os cílios postiços, os lábios e as unhas vermelhas, além do famoso vestido branco. Os cachos loiros platinados também são copiados até hoje. No entanto, mais importante que a roupa ou a maquiagem, a atitude de Marilyn Monroe foi o que mais marcou seu estilo. Provocativa, ela gostava de brincar de seduzir.

Sandália de salto City Shoes R$ 169,80 (Fotos divulgação)

Vinte e Um - Novembro 2010

15

MÚSICA

Discotecar virou moda Conheça as histórias de DJs amadores e profissionais e inspire-se para animar qualquer pista de dança e não deixar ninguém parado Por Trícia Oliveira

A

Assim como Marília, você pode ter aulas para ser DJ. Confira lugares em Brasília que oferecem o curso: DJ Academy Brasil Custo médio: R$ 540 Local: Taguatinga Telefone: 3967-6191 Reflexsom Custo médio: R$ 700 Local: Asa Sul Telefone: 3224-5482 DJ Radio Escola Custo médio: R$ 700 Local: Taguatinga Telefone: 3201-4450

16

Vinte e Um - Novembro 2010

lgumas vezes a presença dele passa despercebida pela multidão na balada. Mas é culpa dele se você se acaba na pista de dança ou se fica encostada na parede. A onda dos DJs virou febre entre modelos, atores e subcelebridades. Hoje em dia, todos conhecem alguém que já se arriscou a tocar em festas. Selecionar músicas, dar o play e improvisar na mixagem têm se tornado comum, mas ser um DJ vai muito além disso. Marília Lopes, 21 anos, sempre foi apaixonada por música. Mas a vontade de discotecar começou quando foi a um show dos DJs de música eletrônica Marky e Patife. Inspirada por eles, há um mês, a secretária se matriculou em um curso para DJs. “Já fui convidada para tocar em algumas festas, mas não estou segura ainda. Não adianta tocar por tocar”, diz. Marília nem começou a discotecar e já tem nome artístico, DJ Lia Lopes, e perfil no Twitter. “Na hora de montar a setlist, penso como quem está

do outro lado, na pista. Quero tocar de tudo um pouco, mas gosto de house, electro house, drum & bass e breaks”, conta. Fábio Popinigis, ou simplesmente Fábio Pop, toca em várias festas pop/rock de Brasília. O DJ é formado em economia e começou a carreira em 1999. “No começo, tocava rock mesmo, só dando play em músicas que eu gostava. Depois, desenvolvi interesse profissional na área de mixagem e produção. Isso me levou para a música eletrônica. Hoje, toco bandas de rock que usam batidas eletrônicas e misturo com remixes”, explica. Experiente, Fábio não vê problemas na febre de DJs. “Eles têm de começar de algum lugar, né?”. Com o aumento da concorrência, ele sabe exatamente como destacar-se e diz que, para isso, coloca mais personalidade no som. Para quem pensa em seguir a carreira, ele alerta. “Normalmente, quem começa a tocar só quer apresentar umas musiquinhas ao público e corre o risco de não se profissionalizar. Eu

nunca toquei só para animar a galera. É ótimo ver uma pista cheia, mas esso não é o grande desafio”. Com um estilo completamente diferente de Fabio, a arquiteta, estilista e também DJ, Clarice Garcia, 30 anos, toca rock, new wave, black e samba. Ela conta que começou a discotecar porque não ouvia as músicas que gostava na balada. Depois, acabou fazendo um curso, mas hoje acredita que, na hora de tocar, a questão pessoal do DJ vale mais. “Para ser um bom DJ é necessário ser um pesquisador

nato e ter curiosidade pela música. Precisa ter presença de palco, virar um personagem. Eu sempre estou lá dançando e isso acaba cativando as pessoas. Acho que a minha personagem é uma rock star, com direito a tocar guitarra no ar e tudo”, brinca Clarice. Outro DJ de personalidade forte é o estudante Yuri Pardi, 19 anos, que discotecou pela primeira vez em uma boate que já frequentava. “Lá mesmo aprendi o básico para operar a CDJ”, diz referindo-se ao aparelho usado pelos DJs. Apesar de ainda estar come-

çando, Yuri sabe o que faz e prefere músicas rápidas quando vai montar a setlist dele. “Primeiro, considero a vontade do público, depois vem o meu gosto pessoal. Para agradar todo mundo, toco um pouco de pop e às vezes hits da web. Depois é só organizar as músicas para o ritmo não cair”. Mesmo não pretendendo virar DJ, o estudante aproveita o momento. “Tocar não é complicado, difícil é mixar. Já que minha área é outra, contentome em criar uma setlist legal e fazer passagens bem feitas”, afirma.

LIST T E S A A CONFIR IO POP: B DO DJ FÁ Fabio·s Playlist Pop Playlist Fabio·s Pop

Copacabana Club Phoenix Cut Copy Yeah Yeah Yeahs La Roux

Music

MENU

(Arte Marília Paiva) (Fotos Trícia Oliveira) Vinte e Um - Novembro 2010

17

CAPA

ACIMA DO PESO E FELIZES! Quatro jovens plus size contam por que têm orgulho de si mesmas, sem medo de rótulos Por Aída Rodrigues, Taís Meireles e Trícia Oliveira

Q

uando criança, ela fazia ginástica artística. Depois, foi perdendo o interesse pela atividade física e, aos 12 anos, começou a engordar. Hoje, estar acima do peso não é uma preocupação para a estudante Ana Cecília Schettino, 19 anos. Pelo contrário. Ela é feliz com o corpo que tem e aprendeu a valorizar suas qualidades. Da mesma forma, Ana Angélica Saraiva, 26 anos, não se incomoda com os quilos a mais. A jovem plus size (nova maneira de chamar as gordinhas) já foi

18

Vinte e Um - Novembro 2010

magra, mas engordou depois de terminar um namoro na adolescência. Angélica desabafa: “tomei antidepressivos e engordei. Com isso, resolvi tomar remédios para emagrecer, o que também não deu certo”. Atualmente, a estudante de administração garante que não se importa com os quilos a mais, preocupa-se apenas com a saúde. Na hora de se vestir, tanto Cecília quanto Angélica usam truques para adequar a moda da passarela ao guarda-roupa tamanho G.

Angélica afirma ter um estilo básico e procura usar decotes em formato V para valorizar o colo. Já Ana Cecília prefere comprar calças e transformá-las em shorts. “Os shorts à venda por aí ficam muito curtos em mim, porque tenho pernas grossas”, explica. Outra boa saída que a estudante encontrou foi comprar em brechós. “Como sai mais barato do que em lojas comuns, tenho a liberdade de mexer na peça e, se estragar, não será tão ruim”.

ELAS ESTÃO NA MODA Finalmente um tipo de beleza curvilínea aparece nas passarelas. As modelos plus size estão fazendo sucesso. Conheça algumas delas: (Foto biluzik.com)

Para Cecília, o que vale, ma apelar para a mão de uma na verdade, é o bom senso. costureira. “Como gosto muito de moda, “A minha maior dificuldade sei escolher o que cai bem em é na hora de comprar blusas. mim”, comenta. Quando ficam boas no busto, Outra jovem acima do peso ficam folgadas na cintura e e cheia de estilo é Gabriela vice-versa. Se gosto do modePereira, 23 anos. Ela veste ma- lo, levo para ajustar e uso do nequim 48 e garimpa bastan- mesmo jeito”, ensina. te para encontrar peças que a Priscila considera seu jeito vistam bem. de se vestir como diversifi“Nas lojas onde eu vou, cado. “Não tenho um estilo encontro vestibem defidos, batas e blunido, gosto Não acho ruim sas com cortes de misturar ter uns quilos a mais, que favorecem muita coisa. desde que esteja tudo o meu busto e Sei que não bem com a saúde não marcam as sou clássigordurinhas”. ca, gosto Ana Angélica Santana Gabriela dede peças estudante de administração fine seu estilo diferentes” como descondiverte-se. traído, com várias referências Mesmo plus size, a estudante das passarelas. de moda acha que o mais imUm problema para a estu- portante é ter estilo próprio e dante é comprar roupas de não se limitar pelos tamanhos festa. “Os vestidos disponí- das roupas. veis, muitas vezes, são modeAs meninas, bem resolvidas, los para mulheres velhas”. dão a dica para se vestir bem Priscila Viana, 23 anos, sabe mesmo estando acima do bem do que Gabriela fala. Ela peso: o importante é assumirtambém sofre com esse pro- se e vestir o que der vontade! blema e, nesses casos, costu- Sempre com bom senso...

Fluvia Lacerda brasileira (Foto David Oldham)

Tara Lynn norte-americana (Foto evans.co.uk)

Toccara Jones norte-americana Vinte e Um - Novembro 2010

19

CAPA

Tr u q u e s p a r a s e r u m a p l u s s i ze m a i s fa s h i o n

Para quem ainda não está tão à vontade com o corpo que tem e sofre na hora de escolher o que vestir, a consultora de imagem Rosanna Tarsitano dá dicas de moda para valorizar os pontos fortes (Arte Marília Paiva)

APERTADO NÃO

Calças do tipo skinny, que apertam a parte de baixo da perna, não caem bem porque acentuam o volume do quadril, normalmente a área mais cheia do corpo. A lavagem clara dos jeans ajuda a engordar a área. Também atrapalham o look as mangas bufantes da blusa, que aumentam os braços.

PANTALONAS

Para aliviar o volume da barriga e do quadril, prefira calças pantalonas, daquelas bem anos 70. Sapatos no mesmo tom, de preferência escuros, alongam a silhueta e as listras verticais da camisa finalizam o look “emagrecedor”.

20

Vinte e Um - Novembro 2010

SAIA EVASÊ

O modelo é o que veste melhor quem está acima do peso, porque equilibra o tamanho do quadril com o das pernas. O comprimento ideal é logo acima dos joelhos, para não mostrar tanto as coxas. O salto alto e a blusa de tom mais sóbrio e mangas 3/4 completam o look.

FUJA DAS BOLAS

Estampas redondas, especialmente as grandes e com fundo claro, desfavorecem o visual, criando uma noção de volume maior que o natural. Blusas muito justas e de alcinha também não caem bem em quem tem braços largos.

COUNTRY

Cada um tem seu estilo. E não há nada de errado nisso. Mas as roupas tem de ser usadas com consciência. Calça para dentro da bota e cinto achatam a silhueta e ajudam a criar um efeito de recorte no corpo.

PRETO SEMPRE CAI BEM

Velho truque, o preto é curinga para disfarçar gordurinhas. Para não parecer de luto, vale investir em estampas pequenas e médias, com fundo escuro. O decote e o casaco ajudam a valorizar o colo. Vinte e Um - Novembro 2010

21

CAPA

COMPRAS EM TAMANHO G Salto alto, decote em destaque, acessórios glamourosos. Vestir um número a mais que as modelos não precisa ser nenhum sacrifício. Veja, a seguir, looks possíveis e inspiradores para quem encara o provador em uma simples tarde de compras Fotos: Trícia Oliveira Produção de moda: Taís Meireles Produção executiva: Aída Rodrigues Modelos: Ana Cecília Schettino e Ana Agélica Saraiva Agradecimento: Brasília Shopping

M G

Cecília usa vestido cor-derosa Checklist (R$ 159). Angélica veste calça Opção (R$ 19,90) e blusa Checklist (R$ 75). Bolsas e sapatos de acervos pessoais.

CecĂ­lia usa vestido jeans Basic Collection (R$ 229). AngĂŠlica usa vestido corde-rosa Folic (R$ 316,80). Sapatos de acervos pessoais.

Angélica usa vestido azulmarinho Basic Collection (R$ 198). Cecília usa vestido florido (R$ 89,90) e blazer boyfriend Opção (R$ 79,90). Bolsas e sapatos de acervos pessoais.

AngĂŠlica veste regata azul (R$ 46) e blusa laranja (R$ 82) Checklist. CecĂ­lia usa vestido cinz a (R$ 129,90) e cinto (R$ 89,90) Equus.

CecĂ­lia veste blusa azul Folic (R$ 198,60) e saia de acervo pessoal. AngĂŠlica usa vestido vermelho Basic Collection (R$ 232). Bolsas e sapatos de acervos pessoais.

BRASÍLIA DECO R AÇ Ã O DESFILES GENTE RADAR SOCIEDADE

NA

MODA

GASTR O N OM I A C LO S ES E D I TO R I A I S N O I VA S VITRINE

H Á Q U AT R O A N O S N O A R CO M O QUE BRASÍLIA TEM DE MELHOR

W W W . F INIS SI M O . COM . B R T W ITTER . COM / F INIS SI M O

VIAGEM

MOSAICO CULTURAL São Paulo pode não ser a capital brasileira, mas é o maior e mais diversificado centro de compras nacional. Na metrópole, a Galeria Ouro Fino destaca-se como ponto de encontro dos estilosos.

Vinte e Um - Novembro 2010

29

VIAGEM

Passeio pela Galeria Ouro Fino Conheça um dos lugares mais estilosos de São Paulo, onde o novo encontra o velho e o mais importante é ser sempre autêntico

Por Aída Rodrigues, Taís Meireles e Trícia Oliveira (enviadas especiais a São Paulo)

V

iajar é sempre uma delícia. Para lugares que não saem tão caro, pode ficar melhor ainda. E se, de quebra, ainda der para fazer umas comprinhas? Perfeito! São Paulo é o tipo de cidade onde é possível divertir-se sem gastar muito e, ainda, aproveitar

lojas, divididas em quatro andares, além do piso separado para escritórios. Quem frequenta o nº 2690 da Rua Augusta, na região nobre da cidade, tem muito estilo e criatividade. Como dicas, escolhemos uma loja imperdível por andar. Confira!

Subsolo

(Fotos Trícia Oliveira)

30

para atualizar o guarda-roupa. Para fugir do óbvio em uma visita à capital paulista, sugerimos a Galeria Ouro Fino. Espécie de shopping antigo, o espaço reúne produtos descolados em São Paulo. De roupas de ginástica a brechó vintage, o lugar possui 110

Brechós Revival Vintage e Passado Presente

A dona desses dois brechós escondidos no subsolo da Galeria é Gilza Magaly de Camargo, 77 anos. Fina e educada, ela está ali há mais de 26 anos e não troca o lugar por nada. “No começo da década de 60, quando inaugurou o shopping Iguatemi, todas as lojas de marca que ficavam aqui foram para lá e meus filhos acabaram trazendo um movimento jovem para a Galeria, enchendo novamente as lojas. Meus breVinte e Um - Novembro 2010

chós surgiram nessa época e, desde então, eu cuido deles sozinha, sempre aqui nesse ponto”, conta dona Magaly. A comerciante, que passa mais de oito horas por dia no local, explica que, no começo, garimpava peças em brechós e lojas do Brasil e do exterior. Hoje, muita gente chega interessada em vender partes do guarda-roupa. “Mas não aceito qualquer coisa. As peças aqui são especiais, de época, originais mesmo”, orgulha-se. Por esse motivo, as roupas dos brechós de dona Magaly não são das mais baratas. Ainda que não compre nada, vale a visita para apreciar as peças e a decoração.

Térreo Pop Chiq

Quem aprecia moda e cultura de vanguarda vai gostar da Pop Chiq. Muito voltada para as artes, essa loja existe desde 2005 na Galeria Ouro Fino. “A escolha pelo prédio foi pela fama de vanguarda que ele tem”, revela Raquel Carlos, 29 anos, estilista da Pop Chiq. As confecções da marca são produzidas de forma artesanal

e as roupas são pensadas para as consumidoras. “Quem trabalha com moda para o coletivo precisa deixar seus próprios conceitos de lado e ir na onda da moda”, comenta Raquel. Assim, a cada coleção, novas ideias surgem conforme a aceitação das clientes, na maioria jovens.

1º andar Minha Mãe que Fez Eunice Navarro, 50 anos, tem duas filhas e sempre trabalhou com moda. “Ela fazia as nossas roupas e, quando perguntavam, a resposta era sempre a mesma: minha mãe que fez”, conta Mi-

chele Navarro, 28 anos. Assim, surgiu a marca Minha Mãe que Fez, com loja. “As roupas são peças jovens e únicas. O femininas e fáceis de ar retrô e os preços acessíveis também caracterizam a combinar”, garante Eunice.

2º andar Santa do Cabaré Inaugurada em 2002 por Cintia Keller, 37 anos, essa loja tem uma história peculiar. A estilista paulistana, criada pelos avós comerciantes, começou a trabalhar aos 16 anos com moda e, em 2001, passou para um curso do Senai.

“Não tinha dinheiro para fazer a matrícula, então resolvi vender as roupas que nunca tinha usado. Vendia para garotas de programa que trabalhavam em saunas. Muitas mulheres e dinheiro à vista, foi assim que nasceu a marca Santa do Cabaré”, explica Cintia.

O objetivo da estilista é propocionar às clientes uma experiência de compra como na época de nossos avós. “Procuro desenvolver uma relação duradoura com as clientes, na qual elas são mais importante que o produto. As pessoas sabem seu nome, conhecem sua história, contam casos e vender acaba sendo só uma consequência”, conclui. Vinte e Um - Novembro 2010

31

COMPORTAMENTO

Ordem na bagunça

Especialistas comentam sobre a importância da organização diária, para deixar a preguiça de lado e manter tudo em ordem sempre Por Taís Meireles

H

á um ano, a vida de Patrícia Ramos, 21 anos, era completamente diferente do que é hoje. Ela morava em Sobradinho com os pais e não dirigia. Ia para o trabalho e para a faculdade de ônibus e dependia de caronas para sair nos finais de semana.

apartamento”, diz orgulhosa. Apesar das inúmeras vantagens de morar sozinha, ela admite que manter tudo em ordem, às vezes, é complicado. “Eu costumo deixar a sala e a cozinha sempre arrumadas para o caso de visitas, mas, como tenho pouco tempo para dedicar a casa mesmo, acabei criando um quarto da bagunça”, diverte-se mostrando o cômodo cheio de roupas e toalhas sem dobrar. Patrícia não chega a ter vergonha do ambiente, mas conta que não deixaria uma visita entrar ali, por exemplo. Segundo a consultora de organização Renata Costa, da empresa Tudo em Ordem Sem Bagunça, esse tipo de constragimento é bom começo para repensar a arrumação da casa. “Se a pessoa leva muito tempo para se arrumar porque não encontra as peças que quer no meio da bagunça, ou se passa a sentir vergonha de abrir a porta do armário na presença de amigos ou parentes, ela já apresenta sinais de desorganização”, comenta. Para começar, a também esPatrícia Ramos, 21, mora sozinha há um ano e consegue manter pecialista no assunto, Juliana quase toda a casa em ordem, com exceção do quarto da bagunça. Drummond, da Order Home

32

Vinte e Um - Novembro 2010

Depois de se mudar sozinha para um apartamento alugado na Asa Sul e ganhar um carro dos pais, agora é ela quem faz favores para os amigos. “Já abriguei uma amiga por dois meses aqui em casa e, sempre que alguém precisa de um lugar para dormir, ofereço o

Consultoria, diz que a pessoa deve estar preparada para se desfazer de boa parte do que tem. “O pontapé inicial tem de ser o do descarte. Tudo que estiver estagnado deve ir embora e aquilo que precisa de reparos, por exemplo, deve ser separado para tal finalidade, sem remorsos”, explica. A consultora Renata Costa sugere que as peças e acessó-

rios sejam separadas em três grupos: de conserto, doação e lixo. Porém, ela alerta. “Organização dá muito trabalho e gera muito estresse. Se a pessoa não estiver preparada, melhor nem tentar”. Para facilitar o esforço, ela sugere a companhia de uma amiga, prima ou tia sincera, que pode ajudar, inclusive, na hora de definir o que vai e o que fica.

A consultora Cristiane Joffily, da Simplesmente Organizado, dá a dica para manter a casa sempre organizada. “Cada coisa deve ter um lugar definido e a pessoa tem de lembrar que cada peça precisa voltar para o lugar. Assim, fica mais fácil manter tudo em ordem”, diz. Para Renata Costa o ideal é fazer essa reorganização geral pelo menos duas vezes ao ano, a cada mudança de estação.

(Arte Anderson Miranda) (Fotos Taís Meireles e polyvore.com) Vinte e Um - Novembro 2010

33

COMPORTAMENTO

Soluções práticas de organização 5

1

Desapego fundamental

Para guardar esmaltes

Uma ideia simples e criativa para guardar a coleção de esmaltes é enfileirá-los em uma cesta de arame, como esta da Tok Stok (R$ 39,90). O acessório pode ficar dentro de um armário ou exposto em uma prateleira.

3

Sem orelhas de burro Para manter os livros em ordem, sem amassar nem sujar, a dica é mantê-los ordenados em prateleiras. O aparador de livros ajuda a deixá-los sempre no lugar, podendo ser usado em mesas, escrivaninhas ou armários. Bagunça encaixotada Nesse caso, o gatinho de metal Quando a quantidade de peças da Tok Stok (R$ 16,50) ainda é em um armário é muito decorativo. grande, vale separá-las em caixas de organização. Assim, fica mais fácil para achar o que precisa, sem fazer bagunça. Estas de papelão decorado Roupas livres de mofo são da Leroy Merlin custam em Consultora da Tudo em média R$ 20. Ordem Sem Bagunça, Renata Costa sugere colocar pedaços de giz de quadro negro ou cal virgem em vidros destampados dentro dos armários. A medida ajuda a espantar a umidade e o mofo.

2

(Fotos por Taís Meireles)

4

34

Vinte e Um - Novembro 2010

Após organizar todas as peças, é hora de se livrar do desnecessário. Juliana Drummond, da Order Home, dá dicas para se desfazer do que não quer mais. “Além de doar para a caridade, dá para montar uma garage sale ou uma troca entre amigas. Vender para brechós também é legal para gerar uma renda”, diz.

6

Chega de embaraço Parece difícil, mas é possível manter os colares separados e desenrolados. Para isso, basta pendurá-los em ganchos como os puxadores de gaveta da foto. Fica prático e bonito.

MEIO AMBIENTE

a z e l Be

l e v á t n e t s su

Empresas especializadas em cosméticos investem pesado em uma indústria que cresce cada vez mais: a dos produtos orgânicos Por Aída Rodrigues

V

ocê sabia que aquele blush lindo e aquele xampu de castanha que deixa seus cabelos cheirosos e sedosos podem ser formulados a partir de elementos que não agridem a natureza? São os chamados cosméticos orgânicos ou naturais. Hoje em dia, esses produtos não são considerados um simples capricho, mas um cuidado a mais com a saúde. No Brasil, existem empresas sérias que se preocupam com o consumidor e com as futuras gerações, a exemplo da Natura, do O Boticário e da Jequiti. Os xampus, condicionado-

res, cremes, óleos e sabonetes são desenvolvidos por essas e outras marcas de maneira totalmente sustentável - sem utilização de elementos químicos e sem agredir o meio ambiente. Em vez da química, as empresas dão prioridade a matérias-primas naturais como frutos e frutas da Amazônia. Uma nova consumidora deste tipo de produto é Márcia Figueroa, 25 anos. Antes de entrar para o curso de farmácia da UnB, ela não tinha noção da importância de se utilizar produtos ecologicamente corretos para cuidar da beleza e

Óleo de amêndoas e baunilha O Boticário

6

R$ 2

36

Vinte e Um - Novembro 2010

da saúde. Hoje, Márcia se define como uma mulher vaidosa e natural, que não sai de casa sem usar sabonete em barra 100% vegetal. Além disso, ela valoriza produtos que podem ser comprados em refil, pois acredita que, assim, ajuda a reduzir a poluição. “Sou fiel às empresas que usam compostos naturais produzidos de forma sustentável”, garante Márcia. A publicitária Maíra Carvalho, 27 anos, segue o mesmo caminho de Márcia. Ela conta que, depois da experiência de morar fora, começou a dar mais

Sabonetes de açaí Natura

5

R$ 1

atenção ao meio ambiente. “Na Suíça e na Finlândia, eu levava os potes de xampu e condicionador para reabastecê-los em lojas de cosméticos orgânicos, evitando comprar novas embalagens”, conta. Ela foi se conscientizando aos poucos quanto à importância de defender o meio ambiente, mesmo que indiretamente. “Acho que a transformação precisa ser de dentro para fora”, enfatiza Maíra. A Natura é um exemplo de empresa que divide as preocupações de Márcia e Maíra. Líder de vendas no mercado de cosméticos, vende produtos com matérias-primas brasileiras desde que surgiu, há mais de quatro décadas. O Boticário segue o mesmo exemplo e percebeu, recentemente, a necessidade de investir na sustentabilidade. Parte do novo planejamento estratégico da empresa está focado em diminuir os impactos ambientais do processo industrial. A Jequiti também segue a linha natureba e até o nome da marca foi baseado em uma planta:

Exfoliante para pés de erva doce Jequiti

2

R$ 2

a jequitibá. Com a inspiração da árvore centenária, oferece diversos produtos “verdes” (confira a lista abaixo). Com atitudes de empresas cosméticas de grande porte como estas, percebe-se que a preocupação com o meio ambiente está mudando as atitu-

des das consumidoras. O uso de produtos orgânicos não é modismo e sim um novo modo de vida. A dica é simples: troque o creme que está terminando por um de linha verde. Dessa forma, você cuida da saúde e também ajuda a natureza. (Foto Trícia Oliveira)

Márcia Figueroa, 25 anos, se formou em farmácia e passou a ver os cosméticos orgânicos como alternativa saudável.

Sabonete de abacate e mel O Boticário

7

R$ 2

Vinte e Um - Novembro 2010

37

LITERATURA

Apaixonadas por literatura

Estas oito estudantes de Letras criaram um clube nada tradicional: a cada mês elas se reúnem para fofocar, beber e falar sobre... livros! Por Taís Meireles e Trícia Oliveira

F

im de tarde de sábado. A com duração de duas ou três acontece o contrário, as pesmesa já está posta, com horas, quase sempre nos fins soas acham legal”, orgulhasanduíches, alfajores, cupde semana. A anfitriã de cada se Juliana Freitas, 24 anos. cakes e caipiroskas. A trilha encontro escolhe o livro da Gabriela conta que um sonora é tango e, para comvez e quem será a próxima amigo achou a ideia tão intepletar o ambiente, escuta-se encarregada. ressante que resolveu mono som da conversa desconA empolgação delas com tar seu próprio clube, desta traída da cozinha. Na sala, o clube é contagiante: “todo vez sobre cinema. terminam de chegar as commês nós temos um comproAlém das reuniões do Liteponentes do grupo de oito misso prazeroso. Para nós, é ratas Clube, elas mantêm um amigas. uma delícia sentar para disblog e um perfil no Twitter, Neste sábado, elas não vão cutir literatura”, resume a nos quais colocam citações para a balada. O programa é idealizadora, Gabriela Berbide livros, músicas e poemas. muito mais intelectual. Milegier, 24 anos. “Pensamos que “A gente se preocupa em cona, Luiza, Aquíria, Daniela, pareceria coisa de nerd, mas mentar sobre o livro no blog. Gabriela, VanesO encontro é mais sa, Juliana e Luzia livre e podemos vão se reunir para falar sobre outros falar de literatura. assuntos”, explica As oito amigas Luiza Vieira, 22 fazem o curso de anos. Letras Português Luiza se refere da UnB e, há sete às fofocas típicas meses, resolveram entre amigas, além começar o clube de discussões vado livro. riadas, de política A ideia é coma meio embiente. partilhar os gosAnfitriã do últos literários e distimo encontro, cutir as emoções Melina Alves, 19 que cada livro trás anos, acredita que para elas. O Liteo clube ajudou a Em sentido horário, a anfitriã Melina, Aquíria, Luzia, ratas Clube tem fortalecer a amizaDaniela, Luiza, Juliana, Vanessa e Gabriela reuniões mensais, de delas.

38

Vinte e Um - Novembro 2010

(Fotos por Trícia Oliveira)

Anfitriã do último encontro, Melina Alves leu Cem Anos de Solidão pela primeira vez no ensino médio

Tradição dos encontros, os cupcakes são feitos pela prima de Gabriela, que os decora segundo a história do livro

Para os encontros, a organizadora prepara lembrancinhas para as amigas, acompanhadas por trechos literários personalizados para cada uma delas. Desta vez, Melina fez chaveiros de flores e levou partes de um livro de Mário Quintana. “Deixei tudo planejado durante a semana, inclusive o presente para a próxima anfitriã, novidade trazida pela Dani na última reunião”, comenta. A escolha da encarregada seguinte é o momento mais esperado pelas meninas, que tentam especular quem vai escolher a nova leitura.

Nessa hora, elas se reúnem, cada uma com seu drink na mão, e a anfitriã é quem quebra o suspense. O mês seguinte fica a cargo de Luzia Pires, 21 anos, que ganha de presente o livro As Armas Secretas, de Julio Cortázar. Emocionada, ela diz que pensou em vários livros para a ocasião, mas a decisão final ficou para o dia do encontro. “Escolhi uma obra mais politizada, totalmente diferente do que já lemos juntas, por indicação do meu pai”, anuncia em seu discurso. O próximo livro chama-se A Mãe, do escritor russo Máximo Gorki.

Leia também os livros que já passaram pelo Clube das Literatas

Madame Bovary De Gustave Flaubert, escolhido por Gabriela

Lavoura Arcaica De Raduan Nassar, escolhido por Luiza

Meu Pé de Laranja Lima

De José Mauro de Vasconcellos, escolhido por Vanessa

Um Sopro de Vida

De Clarice Lispector, escolhido por Daniela

Cem Anos de Solidão

De Gabriel Gárcia Márquez, escolhido por Melina Blog do clube: literatasclube.blogspot.com Twitter: @literatasclube

Vinte e Um - Novembro 2010

39

CARREIRA

A REVOLUCIONÁRIA GERAÇÃO “Y”

Vinte e Um - Novembro 2010

O trabalho precisa ter significado e dignificar

Ao contrário, ser da Geração Y significa ser desafiado e treinado para fazer sempre mais e melhor. É ter voz ativa e apresentar suas ideias, independente do tempo de casa e da posição hierárquica. O ditado de que “manda quem pode e obedece quem tem juízo” não é reconhecido pela geração Y. Isso porque, para ela, são os fortes argumentos e a gestão profissionalizada que levam ao lucro. Aliás, os jovens que compõem a nova geração são intimamente comprometidos com o sucesso psicológico, ou seja, ganhar dinheiro por uma causa nobre que faça sentido.

Não era de se estranhar que tais comportamentos provocariam inúmeros conflitos no mercado corporativo. Os Y são pró-qualidade de vida. Trabalham o bastante para garantir a realização de seus sonhos pessoais e sociais. Nada de depressão ou de virar refém do emprego por causa do salário. O trabalho precisa ter significado e dignificar. O profissional da nova geração clama por feedback, bem como é ávido por conhecimento e constante treinamento. A empregabilidade é vista em ciclos de dois a quatro anos e acontecem naturalmente, porque a estabilidade é a mudança, já diziam Cummings e Worley. Uma geração que incomoda, que é impaciente em relação às desigualdades e às diferenças, e que não pensa duas vezes em trocar o certo pelo desafio. Alguma dúvida de que a geração Y nasceu sob medida para o século Vinte e Um? (Fotos de acervo pessoal)

40

No entanto, os jovens Y se depararam com uma imensa barreira, já que a maioria das corporações ainda são dominadas pelas gerações anteriores. Gerações essas que, durante muitos anos, acreditaram que o bom profissional era aquele que escolhia uma empresa para a sua vida. Em nome da estabilidade, tornaram-se pessoas mais conformadas com o que a empresa proporcionava.

D

edicar a vida inteira a uma determinada empresa está se transformando em um perfil do passado. Hoje, os profissionais não priorizam o trabalho em relação à família e à saúde, nem obedecem seussuperiores sem questionamentos. A globalização da economia, o desenvolvimento tecnológico e o entendimento de que a diversidade produz inovação provocaram inúmeras mudanças no mercado corporativo. Dentre as novidades, destacase o surgimento da Geração Y, também conhecida como Geração Millenium, formada pelos nascidos a partir de 1980. É a geração dos talentos, reconhecida por provocar uma verdadeira revolução dentro e fora das corporações. Os “Ipisilons” assumiram a responsabilidade de salvar a espécie humana por meio de um planeta equilibrado em todos os sentidos. Principalmente, no que diz respeito ao sentido do trabalho para as suas vidas. Para os membros dessa geração, a carreira profissional é planejada e não precisa ser dedicada a uma empresa só. Com isso, trabalham por motivação e priorizam o trabalho bem feito ao invés do trabalho feito por fazer, o que beneficia - e muito - o mercado.

Carmen Cavalcanti

Psicóloga e Sociadiretora da empresa Rhaiz Soluções em Recursos Humanos

POR AÍ

Todo tipo de trabalho (Fotos Trícia Oliveira)

Não importa se você está fazendo estágio ou se já está formada. Trabalhar faz parte da vida e não é complicado conciliar estilo e profissão. Para provar que isso é possível, estas cinco garotas escolhem seus looks, de acordo com a carreira de cada uma.

Nislei Lima, 25 anos supervisora de compras de uma loja de informática estilo: social

Maria Cândida Luger, 23 anos estagiária de filosofia estilo: romântico

Fernanda Ultra, 23 anos estagiária de fisioterapia estilo: arrumadinho ONLINE

Fernanda Salé, 20 anos estagiária de psicologia estilo: casual

Confira no blog outros looks clicados em Brasília: revistavinteeum. wordpress.com

Paula Vianna, 20 anos estagiária de direito estilo: sério despojado Vinte e Um - Novembro 2010 41

GASTRONOMIA

Com palitinhos A Maki Temakeria, na 309 Norte, tem pratos cheios de cores e sabores. Além de sushis, temakis e harumakis, o cardápio oferece pratos doces. Os preços variam de R$ 6,70 a R$ 21,90. Telefone: 3272-5934. De segunda a domingo, das 12h à 1h.

Charmes de doces A Rota do Charme, na 314 Sul, tenta os clientes com tortas e doces finos. As trufas e bombons custam R$ 1,50 cada. Telefone: 3346-5002. De segunda a sábado, das 10h às 20h, e aos domingos, das 13h às 19h.

Comida que não pesa

...pelo menos no bolso. Cinco opções para deixar o dia mais gostoso. (Fotos por Aída Rodrigues)

Não é palhaçada Inaugurado há menos de um ano por Dudu Camargo, o Respeitável Burguer, na 403 Sul, diferencia-se pela decoração. Com temática circense, serve hambúrgueres, beirutes, pratos, saladas, sobremesas e mais. Os preços vão de R$ 6,20 a R$ 29,60. Telefones: 3224-8852. De segunda a segunda, 24h.

Momento light Além de comidas naturais, o Kimo vende 28 sucos e 33 vitaminas. Os mais pedidos são os sucos terapêuticos, como o anti-stress, de morango, banana, pêra e hortelã (R$ 4,20). Telefone: 3226-7951. De segunda a sábado, das 13h às 23h, e domingos, das 16h às 22h.

42

Vinte e Um - Novembro 2010

Rapidinha gourmet Uma das três pizzarias do chef Gil Guimarães, a Baco em Pedaços tem opções simples para lanchar antes da balada. A fatia sai por R$ 4,90 e o local oferece serviço de delivery. Telefones: 3321-4695. De segunda a domingo, das 18h às 23h.

ENDEREÇOS

ONDE ENCONTRAR BELEZA

Avéne aveneusa.com 0800-7021037 Avon br.avon.com 0800-7082866 Bourjois bourjois.com 0800-7043440 Dermage dermage.com.br 0800-0241064 Dior dior.com 0800-170506 Jordana jordanacosmeticos.com.br jordanacosmeticos@gmail. com Kryolan kryolan.com.br (11) 3045-0087 La Roche Posay laroche-posay.com.br 0800-7011552 L´Oreal loreal.com.br 0800-7016992 MAC maccosmetics.com 0800-2828998 Mary Kay marykay.com.br 0800-163113 Nivea nivea.com.br 0800-7764832

Revlon revlon.com 0800-7733450 Royalle (61) 3345-6391 / 3245-7052 / 3445-1010

MEIO AMBIENTE Jequiti jequiti.com.br 0800-776757 Natura natura.net 0800-115566 O Boticário boticario.com.br 0800-413011

MODA

Acessorize accessorize.com.br (11) 3061-5136 Arezzo arezzo.com.br (11) 3081-4929 Basic Collection basiccollection.com.br (61) 3327-3295 Brechós Revival Vintage e Passado Presente (11) 3081-6253 Checklist checklist.com.br (61) 3306-1333 / 3306-1730 City Shoes

cityshoes.com.br (21) 2121-0300 Equus equus.com.br (61) 33272444 / 3327-2733 Folic folic.com.br (61) 3202-7989 Hope hopelingerie.com.br 0800-550018 Le Lis Blanc lelisblanc.com.br (11) 2149-2594 Minha Mãe que Fez flickr.com/minhamaequefez (11) 5539-0481 MOB mobonline.com.br (11) 3081-0323 Opção opcaojeans.com.br (61) 3326-1258 Pop Chiq popchiq.com.br (11) 3086-3594 Santa do Cabaré santadocabare.com.br (11) 3064-3816

OUTROS

Leroy Merlin leroymerlin.com.br (11) 5506-1144 Tok Stok tokstok.com.br 0800-7010161 Vinte e Um - Novembro 2010

43

O QUE VEM POR AÍ

NÃO PERCA NA PRÓXIMA EDIÇÃO...

BANDAS LEGAIS COM VOCALISTAS MULHERES DRINKS D E FEITOS E CHEF M CASA

RIHANNA E KATY PERRY: FAMOSAS AMIGAS 44

Vinte e Um - Novembro 2010

IM

D

S IGA

!

A UIÇ

G

RE P À

(Fotos - em sentido horário - Trícia Oliveira, Taís Meireles, Divulgação, Getty Images e justjared.com)

AS: U R S NA TAS E S I CAM


Revista Vinte e Um