Page 1

Então é

Ano 01 | Ed 04 | 2013 | R$ 3,75

NATAL! Que generosas pitadas de paz temperem nossas céias, dando sabor especial as nossas vidas. FELIZ NATAL! E UM 2014 DE PAZ!

CONSISAL Desenvolvendo e fortalecendo a região do Sisal SERRINHA Iluminada para o NATAL

PERFIL -Vereadora EDYLENE FERREIRA

Receitas com AZEITONA para a céia ... hummm

Férias chegando? MUITA CALMA NESSA HORA!

| 1 | 2013


Venha para o melhor colégio da região do sisal! Com o corpo docente qualificado e material didático de primeira qualidade! UMA ESCOLA PARCEIRA DA REDE PITÁGORAS, A MAIOR INSTITUIÇÃO EDUCACIONAL DO BRASIL. 90% de aprovação nas melhores universidades públicas do Brasil.

Rua Prado, s/n - Núcleo Habitacional MFB - Teofilândia, Bahia Fone: (75) 3268-2137 / 3268-2161 / www.colegiodominium.com.br dominium.pitagoras@colegiodominium.com.br

MATRÍCULAS ABERTAS

| 2 | 2013


FELIZ NATAL E UM ANO NOVO REPLETO DE INSPIRADORAS OPORTUNIDADES. Revista VIA MAGAZINE

“Sugestões de presentes para o Natal: Para seu inimigo, perdão. Para um oponente, tolerância. Para um amigo, seu coração. Para um cliente, serviço. Para tudo, caridade. Para toda criança, um exemplo bom. Para você, respeito. Oren Arnold.” RUA ABDON COSTA

Faça como Serrinha! ILUMINE-SE!

CONTORNO DE ENTRADA DA CIDADE

PRAÇA LUIZ NOGUEIRA

IGREJA MATRIZ

PRAÇA MORENA BELA

PRAÇA LUIZ NOGUEIRA

PRAÇA LUIZ NOGUEIRA

PRAÇA LUIZ NOGUEIRA

PRAÇA MORENA BELA

| 3 | 2013


EDITORIAL

M

ais um ano se vai. Hora de fazer balanços, de contar as vitórias, de entender e aceitar as derrotas, para enfrenta-las e se permitir novas oportunidades na perene busca de superação.

www.revistavia.com.br Publicação da VIA EDITA EDITORA LTDA. CNPJ 17.578.326/0001-01. Av. Antonio Rodrigues Nogueira, 88 Centro 48.700-000 Serrinha Ba.

Hora ideal para, acima de tudo, agradecer. Agradecer ao grande Maestro dessa sinfonia belíssima que toca a vida. Agradecer ao inigualável Arquiteto, criador desse projeto perfeito que dá sentido a tudo que somos e a tudo do que fazemos parte. Agradecer ao Artista sem igual, dessa obra encantadora, que adorna nossa existência e nos permite não ser apenas um detalhe passivo, mas agir e interagir em evolução constante. Agradecer ao Pai de inesgotável amor e inquestionável justiça, que nos acolhe em seu seio magistral e nos agracia com tudo de que necessitamos. Obrigado, obrigado, obrigado!

FELIZ 2014! Abrimos essa edição com uma justa homenagem a nossa terra Natal, com um mosaico de fotos que mostram o quanto ela fica ainda mais bela quando se adorna para as festas de fim de ano. Como de gênio e louco todo mundo

Hermano Amador Editor tem um pouco, segundo Augusto Cury, trazemos aqui um alerta para a Doença da Normalidade e seus sensos e contrassensos. A hora é de relaxar e viajar e escolher bem a Empresa Aérea nessa hora é tarefa que requer cuidados que tentamos elucidar, com a matéria “como elas atuam”. Para galerinha que está eufórica com a chegada das férias, sugerimos “muita calma nessa hora”. E mais, vagueamos pelas telas do facebook e seus altos e baixos, sem nos descuidar da alimentação saudável, beleza, dessa vez masculina, moda e os números alarmantes dos Recalls de veículos no Brasil, confrontados com a baixa resposta dos usuários. E, mais uma vez uma matéria de gastronomia de dar agua na boca, com receitas de pratos com azeitona. Humm deliciosas! Está na mesa. Siga essa Via e mantenha-se, sempre, bem informado.

CRÔNICA

MINHA PRECE Por Heráclito Amador Filho

No recolhimento deste momento, No instante desta humilde prece, Neste doloroso e contrito lamento, Minha angustia logo se desvanece, E a fé em mim se torna ornamento. Sinto-me então bastante fortalecido Ao sentir-me próximo da divindade! Meu ser fica contrito e agradecido, Despido de toda e qualquer leviandade, Abençoado e bastante enternecido. Sinto Tua Divina presença meu Senhor, Quando assim, em prece bem sentida, Busco-Te com o mais profundo fervor, E percebo que Tua providencial guarida, | 4 | 2013

Acolhe-me com carinho e paternal amor. Ante a grandiosidade de Tua proteção Compreendo a minha insignificância E vejo muito satisfeito Tua intercessão Desde os prelúdios da minha infância, Até este instante de profunda gratidão. Obrigado porque os meus vícios combati. Por esta existência por Ti concedida, Pela irreflexão que em crença converti, Pelas bênçãos que me deste nesta vida, Obrigado Senhor, porque eu creio em Ti! Heráclito Amador Filho

Escritor e poeta que retrata em seus textos suas vivências pessoais e as belezas e agruras do sertão.

SUPERINTENDÊNCIA: HERMANO AMADOR Diretor- Editor RESPONSÁVEL TÉCNICO Maria Faria |780 SRTE/TO COLUNISTAS Rosangela Parsons Heraclito Amador DIAGRAMAÇÃO Hermano Amador

C O M E R C I A L: CARLA MATOS Diretora 71 9159.8364 | 75 9965.0173 siga@revistavia.com.br

Periódico informativo e publicitário que circula, por critérios próprios, nas cidades de Feira de Santana, Serrinha e sua região circunvizinha, distribuída em domicílios urbanos das cidades de circulação, estabelecimentos comerciais e pontos fixos de distribuição previamente selecionados a exclusivo critério da Editora. As opiniões expressas por terceiros, são de sua inteira responsabilidade e não refletem opiniões de outrem. Não temos qualquer responsabilidade pelos serviços e produtos de nossos anunciantes, nem garantimos o cumprimento das promessas contidas em seus anúncios, uma vez que não nos enquadramos como fornecedores, como prevê o CDC em seu artigo 3º. O leitor adquire produtos ou contrata serviços aqui veiculados por sua livre escolha e, deve avaliá-los criteriosamente, valendose sempre que lhe aprouver, da proteção ou reparação que o CDC e a regulamentação do CONAR podem lhes proporcionar. Reservamo-nos o direito de recusar, a qualquer tempo, a veiculação de qualquer conteúdo textual ou visual, que possam causar dano ou constrangimento aos leitores ou mercados, ou que não atendam nossa linha de ética editorial. Utilizamos com exclusividade, nas regiões de publicação, conteúdo editorial fornecido pela Folhapress. É vedada a reprodução total ou parcial de qualquer material aqui encontrado, como previsto na Lei 9.610/98. No espaço Tribuna do Leitor, acolhemos sugestões, reclamações e demais conteúdos não publicitários, relacionados a temas de interesse do leitor, a Revista Via Magazine, seus editoriais e publicações, e ao caderno de Classificados e-Via. Contudo, nos reservamos o direito de não publicar o que julgarmos inconveniente e inoportuno. Elogios pessoais e insultos serão rejeitados, tanto quanto denúncias sem comprovação cabal. Textos longos serão submetidos à seleção de trechos relevantes. Todo conteúdo deve ser enviados para o e-mail abaixo, com identificação do autor/remetente e comprovação cabal (quando o conteúdo assim o requerer), sem o que serão descartados. Envie sua informação para o E-mail:

siga@revistavia.com.br


SUMÁRIO

15 VIVA BEM

ALIMENTOS QUE PARECEM SAUDÁVEIS

16

08

SAÚDE A DOENÇA DA NORMALIDADE

Em livro, psiquiatra americano diz que a medicina transformou comportamentos normais em

doença

INFORMÁTICA FACEVELHO

18 MODA

CABELOS PROTEGIDOS

19 BELEZA

BARBA BEM CUIDADA

10

TURISMO COMO ELAS ATUAM

Quais são os serviços oferecidos na terra e no ar pelas quatro maiores empresas de voos domésticos do país!

20 VEÍCULOS

NÚMERO DE RECALLS BATE RECORD EM 2013

24 GASTRONOMIA AZEITONA SABOROSA

12

COMPORTAMENTO MUITA CALMA NESSA HORA

Na reta final do ano, crianças comemoram a chegada das férias para, enfim, descansar e brincar sem pressa

26 CLASSIFICADOS

| 5 | 2013


CIDADES

“É cidadania que constrói quando se constrói cisternas”

N

o território do Sisal vivem aproximadamente 555 mil habitantes, nos municípios de Araci, Barrocas, Biritinga, Candeal, Cansanção, Conceição do Coité, Ichu, Itiúba, Lamarão, Monte Santo, Nordestina, Queimadas, Quijingue, Retirolândia, Santaluz, São Domingos, Serrinha, Teofilândia, Tucano e Valente. Tem na agricultura de subsistência a base da economia familiar, atividade muito prejudicada nos períodos de estiagem. O êxodo rural, de jovens de 18 a 24 anos, ainda é expressivo na região.

“A ação não se limita à construção de cisternas para a capitação de água da chuva. Vai muito além, ensina a população beneficiada os cuidados para o consumo da água, reduzindo o índice de doenças causadas pelo seu mau tratamento e armazenamento”, garante o presidente do CONSISAL e prefeito de Serrinha, Osni Cardoso.

1ª ÁGUA, QUALIDADE DE VIDA PARA A FAMÍLIA RURAL Saúde e bem estar das famílias

Experanças renovadas por uma vida melhor | 6 | 2013

Acesso a água de qualidade


CAPACITANDO A POPULAÇÃO

Gestores em campo

Cartilha Consisal - passo a passo

Orientação e treinamento das famílias

RENDA QUE FICA NO MUNICÍPIO Curso de manuseio da agua

Além dos benefícios que o projeto proporciona às populações, promove o ingresso de recursos do governo federal nos municípios, gerando renda para os pequenos empreendedores locais.

Limpeza de aguadas

É CIDADANIA SE ESPALHANDO POR TODO TERRITÓRIO DO SISAL CAPACITANDO PEDREIROS PARA CONSTRUÇÃO DAS CISTERNAS, EM CURSO PRÁTICO COM DURAÇÃO DE 5 DIAS. CADAS CISTERNA TEM CAPACIDADE DE 16.000 LITROS DE AGUA E ATENDE FAMÍLIA DE 5 PESSOAS POR 8 MESES DE ESTIAGEM.

Confecção de placas e longarinas

Revestimento interno das paredes

Dona Olegaria Ribeiro, de 68 anos, de Cansanção é uma das participantes do curso “Eu me sinto muito feliz em tá aqui com meus vizinhos aprendendo todas as coisas que a gente não se preocupava em fazer antes, e mais feliz ainda por que a minha cisterna tá chegando, na idade que eu tenho buscar água é uma coisa que eu não posso mais fazer. Os tanques aqui de perto secaram, o rio secou e achar água tá cada dia mais longe”, relata.

Confecção de placas e longarinas

Colocação da tampa

Construção que dura cinco dias

100 a 1.000 cisternas por cidade | 7 | 2013


SAÚDE

A DOENÇA DA NORMALIDADE Em livro, psiquiatra americano diz que a medicina transformou comportamentos normais em doença

A

“caixa da normalidade” está cada vez menor e a culpa é do excesso de diagnósticos de doenças mentais, diz o psiquiatra americano Dale Archer, autor do best-seller “Better than Normal”, recém-lançado no Brasil com o título “Quem Disse que É Bom Ser Normal?”. Archer, 57, é psiquiatra clínico desde 1987 e fundou um instituto de neuropsiquiatria em Lake Charles, Louisiana (EUA). Em 2008, ele notou que havia algo errado com os seus pacientes: a maioria dizia ter um transtorno mental e precisar de remédios --só que eles não tinham nada. “Estamos ‘patologizando’ comportamentos normais. E isso não é só culpa da psiquiatria”, disse Archer, à Folha, por telefone. Um quarto dos adultos americanos têm uma ou mais doenças mentais diagnosticadas, segundo o Instituto Nacional de Saúde Mental dos EUA. “Isso está errado. Há uma gama de comportamentos que não são doença.” Em um ativismo “pró-normalidade”, Archer descreve oito traços de personalidade comumente ligados a transtornos, como ansiedade (veja acima), e afirma que não há nada errado com essas características, a não ser que sejam muito exacerbadas. “O remédio tem que ser o último recurso, e não é o que eu vejo. As pessoas entram em um consultório e saem com uma receita médica. A psicoterapia é subestimada.” De outubro/2012 a setembro/2013, o mercado de antidepressivos e estabilizadores de humor movimentou mais de

R$ 2 bilhões no Brasil, segundo dados da consultoria IMS Health. Nos últimos cinco anos, o número de unidades vendidas desses remédios cresceu 61%. ‘Para Antônio Geraldo da Silva, presidente da Associação Brasileira de Psiquiatria, os diagnósticos aumentaram, sim, mas da mesma forma como aumentou os de outras doenças, de diabetes a câncer. “Isso é resultado da evolução da medicina e da facilidade de acesso.” O mesmo pensa o psiquiatra Fabio Barbirato, da Santa Casa do Rio de Janeiro. “Também aumentou o número de prescrições de insulina e anti-hipertensivo. Isso ninguém questiona. Mas quando se fala de mente, da psique, todos têm uma opinião”, afirma.

Segundo Silva, o problema é o subdiagnóstico. Para ele, há mais deprimidos sem tratamento do que pessoas sem depressão sendo tratadas. Barbirato dá como exemplo o TDAH (transtorno do deficit de atenção e hiperatividade). “O número de crianças com prescrição de remédios não chega a 1,5% no Brasil, e a estimativa mais baixa de presença de TDAH no país é de 1,9%. Há crianças sem tratamento.”

CRITÉRIO ANTIGO Para a psicóloga Marilene Proença, professora da USP, a sociedade está “medindo”

as crianças com réguas antigas. “Os critérios de diagnóstico de TDAH esperam uma criança que brinque calmamente, que levante a mão para perguntar algo. Isso não condiz com o papel da criança na sociedade. Ela está exposta a muitos estímulos e é tudo muito competitivo”, diz. Para a psiquiatra e psicanalista Regina Elisabeth Lordello Coimbra, da Sociedade Brasileira de Psicanálise de São Paulo, as pessoas estão menos tolerantes às emoções.

“Há pouco lugar para a tristeza. E a exaltação e excitação são confundidas com felicidade. Vivemos de uma forma mais estimulante, na qual emoções mais depressivas, reflexivas, não têm espaço.” De acordo com Silva, o que caracteriza a doença mental é a gravidade dos sintomas. “Deixa de ser normal quando a pessoa tem prejuízo, quando está tão triste que não consegue sair da cama.” Ele argumenta que “invariavelmente”

MATRÍCULAS

ABERTAS RUA PAULINO SANTANA, 25 TEL : 3261-2068 l SERRINHA

| 8 | 2013


encaminha os pacientes para a psicoterapia. E garante: nem sempre eles saem do consultório com uma receita médica.

DEPOIMENTO ‘É mais cômodo dar remédio do que fazer terapia’ Kátia Christina Fonseca da Silva, 38, ajudante de cozinha, desconfia sempre que dizem que uma criança tem deficit de atenção. Sua filha, Valentina, 11, recebeu esse diagnóstico de forma errada, segundo ela. “Valentina sempre deu problema. Com seis anos, a escola me chamou para conversar. Ela tinha tido um surto. Jogou as coisas do armário da sala no chão, puxou o cabelo da professora, agrediu outras crianças. Entrei na sala de aula e comecei a chorar. O psiquiatra disse que ela tinha TDAH (deficit de atenção) e precisava de remédio. A caminho da farmácia, encontrei uma amiga, que me convenceu a não comprar o remédio. Disse que isso tinha acontecido com o filho dela. Comecei a me perguntar se o problema não estava na minha família. Na época, eu estava me separando e trabalhava demais. Passei a dar mais atenção para ela e as coisas começaram a melhorar. Quando dizem que uma criança tem TDAH, penso: será que isso está certo? É mais cômodo dar remédio do que fazer terapia, mudar o comportamento. As crianças são nosso espelho. Será que a agitação delas não é culpa nossa?” PERDOA-ME POR ME TRAÍRES

A maioria das mulheres afirma que não trairia caso suas necessidades afetivas e sexuais fossem satisfeitas Na minha pesquisa sobre casamento e fidelidade, 60% dos homens e 47% das mulheres disseram que foram infiéis. Classifiquei os discursos masculinos em cinco tipos principais. Os “poligâmicos por natureza” dizem que amam e desejam suas esposas, mas não podem trair o próprio desejo de aventura, novidade, sedução. Eles não se sentem culpados por trair, pois consideram que são fiéis à própria natureza. Os “poligâmicos por oportunidade” dizem que traem em viagens de trabalho, festas de fim de ano: “porque a mulher deu mole”, “não consegui dizer não” ,”foi só brincadeira”, “foi uma noite só”. Eles acreditam que sexo com garotas de programa não é infidelidade. Os “monogâmicos infiéis” afirmam que não queriam trair, mas tiveram relações extraconjugais em momentos de crise pessoal ou em uma crise do casamento. Eles se sentem culpados até resolver a situação, quando decidem se separar da esposa ou da amante. Os “monogâmicos fiéis” dizem que não traem suas esposas, pois não querem ser desleais: “Quero que a minha esposa seja também minha amante, minha parceira, minha melhor amiga”. Os “monogâmicos por preguiça” acham que trair dá muito trabalho: “Uma única

mulher já exige demais e reclama de tudo, imagina duas?”. Já as mulheres dizem que querem ser únicas para os seus maridos e querem também que eles sejam únicos para elas. Elas dizem que só foram infiéis porque o marido não satisfazia suas necessidades de atenção, escuta, romance, carinho, sexo, intimidade, diálogo, elogios etc. É óbvio que também encontrei mulheres que traíram por sentir desejo por outro homem, em momentos de crise do casamento ou até mesmo por “pintar uma oportunidade”. Mas a maioria justificou a própria infidelidade afirmando que não trairia caso suas necessidades afetivas e sexuais fossem satisfeitas pelo marido. Uma famosa peça de Nelson Rodrigues parece perfeita para os homens que não conseguem satisfazer os incontáveis desejos femininos e, portanto, são considerados os verdadeiros culpados por serem traídos. Eles deveriam, então, assumir a responsabilidade pela infidelidade feminina e pedir a elas (ou até mesmo implorar, como queria o dramaturgo): “Perdoa-me por me traíres”. MIRIAN GOLDENBERG antropóloga, professora da Universidade Federal do Rio de Janeiro e autora de “A Bela Velhice” (Ed. Record) miriangoldenberg@uol.com.br JULIANA VINES FolhaPres

| 9 | 2013


TURISMO

COMO ELAS ATUAM

Quais são os serviços oferecidos na terra e no ar pelas quatro maiores empresas de voos domésticos do país!

O

que você leva em consideração na hora de escolher sua companhia aérea? Assentos mais espaçosos? Facilidades tecnológicas na hora do check-in? O serviço de bordo faz diferença? Em voos mais longos, o leque de entretenimento da aeronave ganha pontos na sua avaliação? A cerca de dois meses do verão, período em que ocorre o maior fluxo de viagens internas no país, “Turismo” traz uma radiografia dos serviços oferecidos por quatro companhias aéreas. Num mercado que transportou 193 milhões de passageiros em 2012, elas concentraram 99% dos voos domésticos. Avianca tem melhor espaço entre assentos Nesse quesito, empresa é a única a receber nota A da Anac; Azul oferece melhor serviço de entretenimento a bordo. TAM e Gol são as companhias que mais facilitam a vida do passageiro com novas tecnologias de check-in. Escolher a companhia aérea para voar no Brasil depende do que pesa mais no gosto do freguês: conforto, serviços extras ou entretenimento. Se o critério for espaço para esticar as pernas, vence a Avianca: a empresa tem todas as suas 41 aeronaves com distância entre as poltronas superior a 73 centímetros. A empresa é a única a ter 100% da frota dentro da faixa A na escala de espaço entre poltronas elaborada pela Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) --que vai de A, mais espaçoso, a E, mais apertado. Embora o conforto seja importante, a experiência de voo não é definida só por ele. O entretenimento a bordo, por exemplo, pode fazer a diferença --especialmente em trajetos mais longos. Nesse quesito, há uma vantagem para | 10 | 2013

a Azul. A companhia tem 32% da frota com telas individuais. São 40 jatos Embraer que exibem 23 canais de TV ao vivo; também há rádio à disposição. Na Avianca, 29% da frota tem entretenimento individual, com opções de séries, documentários e música. São 12 Airbus A319 e A320 que servem, inclusive, a rotas como a ponte aérea RioSão Paulo e a cidades como Brasília.

SANDUÍCHE FRIO Foi-se o tempo do serviço de bordo com refeições fartas e talheres de metal. Mas, antes de ralhar, saiba: é assim no mundo todo (com raras exceções, como aéreas asiáticas e árabes) --tendência de uma indústria que passou a enxugar custos ao máximo. Hoje, no Brasil, sanduíches e bebida sem álcool são regra. A Avianca é a única a ter sanduíches quentes. Na Azul, são snacks, como salgadinhos. Na TAM, sanduíches (frios) só têm vez em voos mais longos e na ponte aérea. A Gol cobra pelo serviço em 70% de suas rotas --medida comum no exterior, em companhias “low cost”. Companhias aéreas embutem o custo do serviço de bordo no preço do bilhete. A Gol argumenta que o modelo pago desse serviço acaba com essa relação e permite uma oferta maior de produtos.

PELO SMARTPHONE Se ficam atrás da concorrência em termos de conforto e serviço de bordo, as líderes de mercado, TAM e Gol, são as companhias que mais facilitam a vida do passageiro com

tecnologias de compra de passagens, embarque e check-in. As duas permitem fazer o check-in pelo celular e liberam o uso do aparelho como cartão de embarque. A tecnologia dispensa o passageiro da obrigatoriedade de ir ao balcão no aeroporto e elimina a necessidade de cartão de embarque em papel. Azul e Avianca, por enquanto, não oferecem essas facilidades. (ricardo gallo)


Poltronas ‘espaçosas’ custam de R$ 30 a R$ 60

padronizados na faixa mais espaçosa na escala da Anac.

Aéreas permitem reservar assentos sem vizinhos e com mais espaço para as pernas

Na TAM, o Espaço + disponibiliza os assentos das primeiras fileiras (quando o lugar não está ocupado por passageiros prioritários) e das saídas de emergência.

Empresas no Brasil vivem cenário de enxugar custos por causa, dizem, de ‘prejuízos bilionários’ Passageiros durante voo da Avianca de São Paulo para o Rio; companhia oferece maior espaçamento entre as poltronas Contra o aperto, passageiros brasileiros podem contratar o direito de se sentar em poltronas com espaço maior --é claro, por um valor adicional ao preço do bilhete. O serviço é vendido por TAM, Gol e Azul. Na Avianca não há essa oferta, já que os assentos de toda a frota são

A contratação ocorre no check-in. Em voos domésticos, custa R$ 30 por trecho --nos internacionais, varia de R$ 79, na América do Sul, a R$ 229, em rotas à Europa. Na Gol, o assento mais espaçoso só está disponível, nos voos domésticos, em viagens que têm como destino o aeroporto Santos Dumont, no Rio --a partir de Congonhas (SP), Brasília ou Vitória. Como é obrigada a pousar, nesse aeroporto, com 27 assentos vazios --por limitações de peso, já que a pista é muito curta--, a Gol permite escolher poltronas sem vizinhos. Elas custam R$ 30 a mais, e são reservadas no momento da compra da passagem. Quem compra bilhetes da categoria flexível (que permitem alterar a data sem custo) está dispensado da tarifa.

poltronas com 86 centímetros de espaço entre elas --só em 21% da frota da companhia há espaço entre assentos maior que 73 centímetros. Ele custa a partir de R$ 60 por trecho e deve ser reservado na compra da passagem.

O custo de voar Serviços cobrados à parte --do bom e velho serviço de bordo até poltronas mais espaçosas-- fazem parte da atual realidade econômica das companhias aéreas. Ela envolve custos (como o combustível e tarifas aeroportuárias) em alta e receitas em queda --entre 2002 e 2012, o preço dos bilhetes caiu 43%. TAM e Gol, por exemplo, tiveram prejuízos superiores a R$ 1 bilhão no ano passado. Com isso, as aéreas passaram a adotar as mais variadas medidas de economia. Em 2010, reduziram o número de comissários de bordo em aviões de até 150 lugares. Neste ano, Azul e TAM passaram a desligar o ar-condicionado no solo. A Gol dá bônus a tripulantes pela economia de combustível. (RG) RICARDO GALLO FolhaPres

Na Azul há o Espaço Azul, | 11 | 2013


C

om dores fortes na cabeça e nas costas, Kaio Ramos, 12, foi parar no hospital em outubro. Segundo o médico, a causa do desconforto era estresse. “No ano inteiro a gente estudou e fez avaliações. Sem falar nos cadernos que tivemos que carregar. Não estou aguentando mais”, desabafou o garoto antes de entrar em férias. Ele e seus colegas, que estudam na escola municipal Deputado Rogê Ferreira, no Jaraguá, estavam contando os dias para poder descansar. “Quando chega o fim do ano, ficamos enjoados de tudo”, diz Nicoly de Souza, 12. No colégio Sion, no bairro de Higienópolis, as provas finais é que tiram o sossego dos alunos. “A gente chega a ter seis avaliações em uma semana. Vou ficar com saudade dos meus amigos, mas não vejo a hora de ir para a praia”, conta Rodrigo Carvalho, 10. Segundo o psicólogo Antonio Carlos Amador Pereira, o estresse é uma reação frente a uma situação que requer adaptação. “É preciso aprender a lidar com ele. Brincar e se divertir são formas de fazer isso”, afirma.

| 12 | 2013

PARA RELAXAR

car, diz pedagoga

Viajar é o segredo para lidar com o estresse que o excesso de pressão e de provas acaba causando, segundo alunos do Sion. Assim como Rodrigo, a maior parte deles vai à praia, faz viagens internacionais ou participa de acampamentos de férias.

Além de ser uma época de comemorações e festas, o final do ano é um momento de decisões no ambiente escolar.

“Vou passar uma semana no interior com umas amigas. Sem lição de casa e preocupações. Quero chegar descansada no ano que vem”, diz Amanda Tosi, 11.

A expectativa de desempenho e as avaliações nesta época do ano podem ser estressantes, segundo o psicólogo e psicoterapeuta Antonio Carlos Amador Pereira, da PUC. “O estresse é normal para qualquer um. Mas torna-se um problema quando, a todo momento, você não tem tempo de relaxar”, diz.

Quem não pode viajar usa outros métodos para relaxar. É o caso de Guilherme Freitas, 11. Amigo de Kaio e Nicoly, ele conta ter uma técnica simples e infalível. “Pretendo ficar em casa sem fazer nada.”

É importante existir um equilíbrio entre trabalho e repouso. “Brincar é uma forma de enfrentar o estresse. A criança relaxa quando se concentra em uma atividade prazerosa, na qual não se sente cobrada.”

Crianças têm pouco tempo para brin-

No entanto, falta esse tempo para as


C O M P O R TA M E N TO

Na reta final do ano, crianças comemoram a chegada das férias para, enfim, descansar e brincar sem pressa

crianças de hoje, na opinião de Sylvia Gouvêa, pedagoga e membro do Conselho Estadual de Educação de São Paulo. “Elas parecem executivos de empresa, cheios de compromissos e horários.” Segundo ela, tantas atividades podem comprometer o desenvolvimento da criança, sua criatividade e até a imaginação.

| 13 | 2013


MUITA CALMA NESSA HORA! Tempo livre O que fazer nas folgas? Nesta página, leia sugestões de poema de Ruth Rocha e anote o que fizer de legal; guarde de lembrança ou aproveite na hora de escrever a famosa redação ‘Minhas Férias’. Aproveite as férias para mergulhar nas aventuras dos livros; veja dicas. Em 2013, a “Folhinha” sugeriu na “Ciranda do Livro” mais de 130 bons lançamentos. Dez deles estão indicados nesta página. São dicas para quem pretende aproveitar as férias para mergulhar nas mais variadas aventuras. A seleção foi feita por três colaboradoras da

“Folhinha”, especializadas em literatura e infância: Mônica Rodrigues da Costa, Gabriela Romeu e Gabriella Mancini. Não foi tarefa fácil, porque o ano trouxe muitas obras ótimas. Quem quiser outras opções pode buscar na área da “Ciranda do Livro” do site da “Folhinha” (folha.uol.com.br/folhinha/cirandadolivro). “MALDITO PETER PAN” Garoto de oito anos vive uma aventura por cada capítulo (Daniel Antônio; ed. Scipione; R$ 34,50; a partir de 8 anos). BRUNO MOLINERO e GABRIELA VALDANHA FolhaPres

Esta é uma página para guardar ou ajudar na redação “Minhas Férias” na volta às aulas. Do lado esquerdo dicas de temas. Ao lado direito sugestões descoladas de leituras.

| 14 | 2013


VIVA BEM

Alimentos que parecem saudáveis, mas podem fazer mal Seja cauteloso ao comer produtos como queijo processado, alimentos diet e light e sopas de saquinho

F

azer um lanchinho da tarde com queijo branco processado e suco em caixinha é saudável, correto? Não necessariamente. Apesar de oferecer algum grau de nutrientes, como cálcio e algumas vitaminas, seu lanche estará recheado de altas doses de sódio, corantes, conservantes, gorduras e pouquíssimo valor nutricional.

porte Patrícia Narciso.

‘Tudo o que é industrializado tem química, o que pode causar problema à saúde ou tirar a qualidade nutricional do alimento’, afirma o nutrólogo André Veinert.

Além de orientar a substituir certos alimentos industrializados pelas opções naturais, Veinert alerta para a necessidade de observar o rótulo e a tabela nutricional dos alimentos. Pães e barrinhas, por exemplo, costumam aprontar algumas pegadinhas: apesar de se dizerem integrais, alguns são compostos por farinha refinada e levam açúcar.

Apesar de ter uma boa dose de cálcio, o queijinho é rico em sódio, nutriente que compõe o sal e que, em excesso, retém líquidos e aumenta a pressão arterial. Um quadradinho do queijo light tem 11% do sódio necessário para um homem adulto por dia, com base em dieta de 2.000 calorias. ‘Dados da Sociedade Brasileira de Hipertensão mostram que 22,7% dos adultos do país têm pressão arterial alta’, diz a nutricionista do es-

O suco de caixinha oferece muito pouco em relação ao de fruta natural. ‘Sucos em caixinha têm apenas 2% do néctar da fruta. O resto é água e açúcar’, diz Veinert.

Tabela nutricional

A alternativa é optar por frutas, suco de fruta natural e até barrinhas de cereais, desde que não tenham cobertura. Vale também apostar em petiscos como minicenoura crua, mistura de grãos (como castanhas e amêndoas) e sanduíche de pão integral com queijo branco.(Bárbara Souza)

Grãos e vinho fazem bem ao coração Existem lanchinhos que, além de saciar a fome, distribuem pelo corpo nutrientes que melhoram a circulação sanguínea, ajudam a combater o colesterol ruim e ainda fazem bem ao coração. ‘Castanhas, avelãs e amêndoas são excelentes. É bom comer uma porção delas todos os dias’, diz o nutrólogo André Veinert. Uma taça de vinho tinto e suco de uva diariamente também indicados.(BS) FolhaPres

| 15 | 2013


I N F O R M ÁT I C A

facevelho?

Jovens adotam apps como Snapchat e WhatsApp para fugir dos adultos no Facebook, que contra-ataca

N

YURI GONZAGA o fim de outubro, durante a apresentação dos resultados trimestrais do Facebook, o diretor financeiro da empresa, David Ebersman, afirmou que a rede social teve um “declínio em usuários diários, especificamente entre os adolescentes mais jovens”. O motivo do êxodo, que tem beneficiado apps e serviços como o Snapchat e o WhatsApp, é simples: os jovens querem se comunicar longe das vistas de pais, parentes e professores, que muito provavelmente estão entre o 1,1 bilhão de usuários da maior rede social do mundo.

Sul), o tom neon do novo ícone e a ênfase nas figurinhas (emoticons gigantes e ultracoloridos). Nenhum desses concorrentes, porém, age como um substituto direto do Facebook, como o Google+. Além disso, eles às vezes são usados de formas que não haviam sido previstas por seus criadores, observou o analista Benedict Evans.

“As pessoas não estão usando o Instagram para fotos, o WhatsApp para texto e o Line para adesivos. Elas estão usando tudo para tudo: o Instagram para informar aos outros que vão se atrasar, o WhatsApp para compartiÉ a primeira vez em que um executivo do Facebook trata do assunto publica- lhar fotos, o Snapchat para fazer plamente, mas há tempos a empresa se nos para a noite e assim por diante.” preocupa com as ameaças à sua hegemonia e age vigorosamente para combatê-las.

Quando percebeu que as pessoas compartilhavam cada vez mais imagens no Instagram, comprou o aplicativo, em abril de 2012. Diante do sucesso do Snapchat, que permite enviar fotos e vídeos que se autodestroem em alguns segundos, criou um clone, o Poke, que foi um fracasso. Depois, tentou comprar o próprio Snapchat por US$ 3 bilhões --o triplo do que pagara pelo Instagram--, segundo revelou o “Wall Street Journal” em Novembro último. Reformulou seu aplicativo de mensagens para Android e iOS, que agora pode ser usado para a comunicação entre pessoas que não são amigas no Facebook. Além disso, o app tomou emprestado de mensageiros instantâneos populares na Ásia, como o WeChat (China), o Line (Japão) e o KakaoTalk (Coreia do

| 16 | 2013

O Facebook afirmou em nota: “De maneira geral, como o diretor financeiro do Facebook apontou, o uso do Facebook pelos jovens continua estável, eles continuam entre os usuários do Facebook mais ativos e isso está claro para múltiplas plataformas. O Facebook continua liderando em um ambiente em crescimento.” cansou Postagens desagradáveis causam afastamento do Facebook, mas jovens contam ser difícil ficar de fora. Repetitivo, entediante, poluído com propagandas: esses são alguns dos motivos que levam os usuários mais jovens do Facebook a abandonarem, ao menos durante um tempo, a rede social. “Desativei minha conta porque nada do que era postado lá me interessava”, diz o estudante Victor Panizzi, 17. “As pessoas usam o Facebook só para demonstrar superioridade intelectual sobre os outros, em vez de compartilhar coisas sobre a vida.”

Panizzi, que reativou seu cadastro no site depois de três semanas distante, diz que seu pai é um “usuário assíduo” da rede. “É claro que existe um monitoramento. Ele sempre vem me perguntar sobre as coisas que eu posto por lá. Tem que aprender a lidar.” Ele diz que o Instagram é a alternativa favorita. “É onde as pessoas podem expressar seu lado artístico. Fico surpreso com a quantidade de conteúdo legal gerado lá.” O desenvolvedor web Gustavo Kuklinski, 22, diz que as publicações de seus contatos estavam ficando repetitivas com o tempo. “Sem contar as pessoas te bisbilhotando a cada movimento. Mal podia puxar assunto com alguém que já vinha a frase ah, tá, eu vi que você postou isso no Face’. Está se tornando o Orkut.” A rede que entusiasma Kuklinski hoje é o Google+, pela facilidade de organizar amigos em grupos “e poder ser seletivo na hora de postar”. “Em privacidade, o Google+ vence o Facebook.” “O Facebook está muito diferente do que quando começou”, diz a auxiliar administrativa Isis Rodrigues, 19. “Hoje em dia é muito comum [publicarem] pornografia, e eu não acho bacana.” Ainda que sobrem críticas dos mais novos, o site é considerado por alguns deles um “mal necessário”, já que quase todo o mundo está lá. “Perdia muito tempo on-line e precisava parar para estudar. Foi a única vez que desativei a conta, mas depois de algumas semanas, eu a reativei”, conta a estudante Mariana Silva, 17. Isso porque perdeu “contatos importantes, como avisos de provas [da escola] que chegavam pelo grupo da minha classe.” “Às vezes penso em voltar a desativar, sim --toma muito tempo da minha vida. Mas vejo que já se tornou um vício e um que vai ser difícil de conseguir lar-


gar”, diz. Entre os aplicativos usados, o mensageiro WhatsApp foi quase uma unanimidade entre os entrevistados, mas seu uso não interfere no de redes sociais, segundo eles.

pergunte-me Entre os adolescentes brasileiros, um serviço popular é o Ask.fm. Segundo a consultoria Hitwise, ele é mais usado que o Twitter no país.

vestimentos nos aplicativos para tablets e smartphones, por exemplo. Diante da encruzilhada, vale o velho ditado “se você não pode com o inimigo, junte-se a ele”. O que Zuckerberg segue em parte. Ele não se junta ao inimigo, e sim o compra. Deu certo com o Instagram no ano passado, mas o mesmo não se pode dizer --pelo menos por enquanto-- do FolhaPres Snapchat.

“Nosso site é único por dar a oportunidade de fazer perguntas sem se identificar”, disse o porta-voz da empresa Ross Hall em e-mail à Folha. Ele diz que houve crescimento de 80% no número de usuários brasileiros no último ano, chegando a 20 milhões. Mais de metade deles é composta por adolescentes. Nove casos de suicídio de adolescentes foram atribuídos ao bullying que sofreram no Ask.fm, todos fora do Brasil. Para coibir as moléstias, diz Hall, o serviço dispõe de uma ferramenta de denúncia e a opção de proibir postagens de anônimos. análise Jovens veem o Facebook como um adulto encara o LinkedIn. YGOR SALLES Um dos conceitos mais importantes da sociologia, o do papel social, tem muito a ver com a “fuga” dos jovens do Facebook. A teoria diz que nunca somos os mesmos o tempo todo: para cada função na sociedade (pai, filho, aluno, professor, profissional, etc.) temos um papel social --que seria, grosso modo, como nos comportamos em cada uma destas situações. Porém, nem sempre dá para alguém cumprir dois papéis sociais ao mesmo tempo. É este o dilema enfrentado no Facebook. No geral, os jovens gostariam de esconder muitas das coisas que pensam e fazem. Só que, dado o sucesso do Facebook, muitos pais e demais parentes também estão lá. Como cumprir o papel social de jovem com o pai e a mãe vendo tudo? Em uma analogia dentro deste mesmo tema, é a mesma sensação que o adulto tem com o LinkedIn, a rede social especializada em contatos profissionais. Dentro do LinkedIn, é preciso dar vazão ao perfil de um profissional qualificado e equilibrado --não convém compartilhar piadas e fotos pessoais. Afinal, quem o segue ali são colegas de trabalho, chefes e potenciais empregadores. Muitas das mudanças que o Facebook faz em suas ferramentas estão ligadas a esta preocupação. Funções de privacidade e in| 17 | 2013


C A B E L O S P R O T E G I D O S | 18 | 2013

MODA

S

ecadores, chapinhas e modeladores de cachos já fazem parte dos utensílios mais usados pela mulherada no dia a dia. No entanto, o choque de lavar o cabelo e, em seguida, secá-lo e modelá-lo pode prejudicar a estrutura capilar. ‘Quando lavamos os fios, as cutículas ficam abertas, e mexemos lá dentro deles. Quando secamos e passamos uma chapinha, por exemplo, toda a água do fio evapora, deixando-o desidratado e, consequentemente, ressecado’, explica o cabeleireiro Rodrigo Lima, proprietário do Circus Hair. A atriz Diana Bouth, 32 anos, sofreu as consequências do uso contínuo dos secadores e modeladores. ‘As pontas do meu cabelo ficaram destruídas com o tempo. Há alguns meses, fiz uma peça de teatro, e meu cabelo ficou mal quando terminou a temporada’, conta. Desde então, ela usa protetores térmicos. A maior parte desses produtos é constituída por óleos hidratantes que fecham a cutícula capilar, protegendo os fios do vento e da queimadura. De acordo com os especialistas, não há restrições para a utilização. ‘O protetor térmico, ou ativador térmico, é indicado a todos os tipos de cabelo que forem processados por uma fonte de calor. Só não é recomendado usá-lo como “leave-in’ [creme sem enxágue], porque ele não tem essa propriedade, eles não são modeladores’, alerta o cabeleireiro Luiz Cintra. O uso contínuo também não é prejudicial ao cabelo. ‘Quem tem fios finos só precisa ter um pouco de cuidado. Usar produtos com base hidratante pode deixá-los oleosos’, alerta Lima. Para cada tipo de utensílio, existe um produto ideal. ‘A função principal do protetor térmico, como o nome já diz, é proteger os fios do calor excessivo. Existem os que são indicados para cada desejo da cliente. Por isso, se ela quiser somente alisar os fios, deve optar pelo protetor térmico comum. Agora, se o caso é modelar, opte pelo termoativado, que é específico para isso e ajuda a fixar o penteado por muito mais tempo’, ensina Cintra. Na hora de aplicar o produto, certifique-se de que leu as instruções. ‘Existe uma diferença nos protetores que devem ser aplicados antes da secagem ou depois. O calor danifica, sim, a estrutura do fio, e esses produtos diferem entre si para agir da melhor forma possível’, explica Lima.(Gabriela Simionato) FolhaPres

Secadores e modeladores podem prejudicar a estrutura capilar, mas protetores tér-


BELEZA

micos ajudam a prevenir o ressecamento dos fios.

Barba bem cuidada Visual está em alta e dá charme aos homens, mas é preciso ter cuidado para não ficar com uma aparência desleixada. A barba conquistou galãs de Hollywood, como George Clooney, Ben Affleck e Hugh Jackman, e já está estampada no rosto de homens de diversas idades. Porém, para manter uma aparência bonita e agradável, é necessário ter alguns cuidados _que são parecidos com os dispensados aos cabelos. ‘A barba deve ser lavada como o cabelo, com xampu _de preferência neutro, que é mais suave. Usar hidratantes no rosto e esfoliá-lo uma vez por semana evita que o pelo encrave e o deixa mais macio para a hora de aparar’, explica Nice Cavalcante, cabeleireira do salão Maria Beleza.

26 anos, adotou a barba há dois anos. Ele lava com xampu durante o banho e também tem uma dica para não deixá -la desigual. ‘Eu coloco uma régua entre a costeleta e a ponta do bigode. Aí, tiro a parte de cima’, ensina.

Para o dermatologista Domingos Jordão Neto, do Hospital e Maternidade Dr. Christovão da Gama, a forma de fazer a barba é crucial para não estragá -la. ‘É preciso estar em frente ao espelho e com um gel apropriado, a fim de não machucar o rosto e de que os pelos não encravem. Caso isso aconteça, o homem pode passar um gel com antibiótico, mas só é vendido com receita médica’, explica.

A cabeleireira do salão Maria Bonita também tem dicas para quem deseja entrar no grupo dos barbudos. ‘Aconselho a deixar a barba crescer por um mês para, depois, ver o modelo que pretende adotar. Os homens que têm pouco pelo não devem aparar muito para que as falhas não apareçam. Esses devem escolher o estilo caubói.’ (Camila Gomes) FolhaPress

O ideal para quem quer manter a barba cerrada (veja os tipos em alta ao lado) é apará-la de três em três dias. com o barbeador. ‘Para todos os tipos, porém, é preciso respeitar a linha do rosto e não deixar pelo no pescoço. É isso que dá o ar de desleixo’, explica Nice. O publicitário Victor Melo,

| 19 | 2013


VEÍCULOS

Número de recalls bate recorde em 2013 Com 11 convocações só em Outubro, montante de chamados chega a 57 Consumidores reclamam da falta de peças

“O fato de os carros atuais serem bastante complexos eleva a probabilidade de defeitos” Segundo Procon-SP, comparecimento é inferior a 25% quando a convocação é feita para modelos mais antigos. Com 11 recalls de automóveis só em outubro, o ano já acumula 57 chamados para reparo. O montante é recorde e supera em cerca de 12% a marca registrada em 2010. O aumento do número de convocações registradas pelo Ministério da Justiça ocorre em um momento em que o mercado se prepara para a chegada de novas fábricas, com produtos cada vez mais avançados. “O fato de os carros atuais serem bastante complexos eleva a probabilidade de defeitos”, diz Marcus Vinicius de Aguiar, diretor de segurança veicular da AEA (associação | 20 | 2013

de engenharia automotiva). O especialista vê como positivo o fato de a indústria conseguir detectar os problemas e solucioná-los rapidamente. Contudo, Para o Procon-SP, isso mostra que as montadoras precisam investir mais em gestão de qualidade. OS MAIORES A motivação dos chamados neste ano tem sido variada. O grupo Hyundai e Kia, por exemplo, convocou 114 mil proprietários no Brasil para verificação do interruptor da luz de freio de nove modelos importados, produzidos a partir de 2006. Segundo a empresa, os veículos correm risco de sofrer curto, comprometendo até


a desativação do controle de cruzeiro, sistema que mantém a aceleração constante. O maior recall do ano, porém, foi o do compacto nacional Fit. A Honda descobriu que 184 mil unidades produzidas de 2004 a 2008 apresentavam infiltração no interruptor do vidro elétrico. Nos casos mais graves, o problema pode causar incêndios. Por lei, todo carro que oferecer qualquer risco à segurança dos ocupantes precisa ser consertado pelo fabricante, que deve ainda comunicar a ação em grandes meios de comunicação. Mas nem sempre isso é o suficiente. Dono de um Fiat Bravo, Mauro de Azevedo Barretto, 57, conta que só ficou sabendo da convocação pela firma onde trabalha. O motivo do recall foi um defeito no câmbio automático. A concessionária onde ele foi não possuía a peça em estoque. “A mesma situação ocorreu com um colega, que ficou sem poder usar o veículo por dez dias”, rela-

tou. Já Érica Mendes, 29, conta que foi informada do recall de seu Honda Fit quando foi deixá-lo para a revisão -- as montadoras transmitem as convocações às suas oficinas, que são as responsáveis pelos reparos gratuitos. CONSULTA No site portal.mj.gov.br/recall, do Ministério da Justiça, é possível verificar se um modelo foi relacionado em um

recall na última década, informando, por exemplo, o ano de fabricação do carro. Segundo o Procon, boa parte dos proprietários não atende aos chamados. No caso dos veículos mais antigos, esse percentual é inferior a 25%. (BRUNO ROSAS E FELIPE NÓBREGA) Chamando todos os carros Consumidor pode pedir indenização caso tenha pago por troca da peça defeituosa antes do anúncio do seu recall Ao detectar defeito construtivo no automóvel que possa afetar a segurança dos ocupantes, o fabricante deve promover um recall. Até porque será responsabilizado se ocorrer algum acidente devido a um problema preexistente. Segundo o Procon-SP, o consumidor pode entrar com uma ação de ressarcimento caso tenha pago pelo conserto da peça defeituosa antes da divulgação do seu recall. Já o projeto de lei que prevê o bloqueio do licenciamento de carros com recall pendente está sob análise da Comissão de Constituição e Justiça da Câmara. Se aprovado, seguirá para o Senado. FolhaPres

| 21 | 2013


PERFIL

Vereadora

EDYLENE FERREIRA Por Márcio Roque

Parlamentar eleita pelo PV-Bahia, já conta em seu portefólio de trabalhos com extensa folha de projetos em prol da comunicade de Serrinha.

A

pesar do pouco tempo, quase um ano, a frente da Câmara Municipal de Serrinha - Bahia, a vereadora Edylene Ferreira, com sua atuação marcante, pulso firme, habilidade em intermediar as diferenças e um olhar de expressivo alcance social, faz jus ao mandato para o qual, grande número de eleitores, lhe confiaram, ansiosos

por ver seus pleitos verdadeiramente representados. Alçada assim, à casa dos nobres Edis, dá seguimento a uma Historia familiar de sucesso e honra seu sobrenome. De tradicional família da politica local, segue os passos de seu pai, Ernesto Ferreira da Silva, cinco vezes vereador e uma vez vice-prefeito e de sua mãe, Maria José Araujo Lopes (Zezé), vereadora por uma legislatura. Logo em início de mandato tem seu perfil de liderança reconhecido por seus pares e é eleita Presidente da casa do povo, sendo a primeira mulher a alcançar essa honraria nesse município. Dedicada e sagaz, inicia seu mandato

de Presidente realizando uma grande revolução interna, com as reformas físicas (parte ainda em andamento), mas que já fizeram da Câmara Municipal de Serrinha um lugar totalmente novo, aprazível e funcional, e com as reformulações de processos internos, dando nova cara e vida aos trabalhos. Apesar de sua beleza encantadora de mulher, são suas ações que, rapidamente, lhe tornam alvo de todos os olhares e interesses. Presidente da casa, Vereadora atuante, esposa, mãe e mulher. Conciliar todas as tarefas nessa seara de rotinas mil requer heroico esforço, ainda mais quando entram em cena duas figurinhas especiais e que exigem atenção redobrada - Maria Eduarda e Mariana – filhas em tenra idade e exigentes na atenção materna. Parlamentar eleita pelo PV - Partido Verde, já conta em seu portefólio de trabalhos, a indicação de projetos de relevância social, a despeito do ‘Creche do Idoso’, que visa beneficiar a população carente com atenuantes que

| 22 | 2013


contraponham as dificuldades da idade, e outras relacionadas aos perfis sociais, culturais e econômicos das famílias. Contempla, além de instalações que acolham condignamente as pessoas de idade avançada, cujas famílias não tenham condições de sustento e vigília, serviços de cuidadores especializados, de assistência médica, fornecimento de medicamentos, alimentação adequada e oficinas de ocupação e entretenimento. Projeto de sua autoria instituiu a medalha legislativa ‘Vereador Ernesto Ferreira’, que irá agraciar atletas ou equipes do município que obtiveram e que doravante venham a obter destaques em competições desportivas, resgatando assim o valor de reconhecer o esforço, a dedicação, a superação e, por excelência, a conquista de nossos concidadãos, em quaisquer segmentos do esporte e em qualquer instância geográfica. E sua atuação no esporte se amplia a cada dia. Apoia os atletas locais de MMA, de Jiujitsu, os quais foram campeões no Grand Prix 2013 em São Paulo e o Campeonato de Futebol do Campo da Lixa.

Projeto de sua autoria, o CRECHE DO IDOSO, contempla, além de instalações que acolham condignamente as pessoas de idade avançada, serviços médicos, medicamentes, companhia e atividades de lazer e ocupação!

professores de libra e braile para atender as pessoas especiais da rede pública municipal. Instalação de refletores para o campo de futebol da cidade nova conhecido como ‘Sucatão’. Revitalização e cobertura da quadra desportiva do bairro da santa, assim como do córrego do mesmo bairro. Ampliação da escola do recanto, construção da Praça Ernesto Ferreira da Silva, no povoado do Cajueiro, dentre outros. Em tão pouco tempo de trabalho já vê reconhecida sua jornada de confrontos cotidianos com os problemas, necessidade e mazelas com as quais convivem seus concidadãos - que já lhe reverenciam admiração e respeito - ao ser agraciada, no dia quatro de Setembro último, em Salvador, com a medalha ‘TIRADENTES-COLAR DE

OURO’, comenda oferecida a políticos e instituições com comprovado currículo de ações sociais de relevância, ilibada idoneidade moral e relevantes serviços prestados em prol da comunidade. Mas, segundo Edylene, “muito ainda está por vir”. Diante desse currículo, não duvidamos. Aguardaremos ansiosos e esperançosos por ver nossa Serrinha querida, cuidada assim com tanto zelo e dedicação, viver dias muito melhores, em breve. Marcio Roque Oliveira da Silva é Jornalismo formado pela UNEF Feira de Santana e Licenciado em Letra pela FTC Serrinha

Destaca-se ainda, de sua autoria, o projeto de reforma e revitalização da Praça Aloísio Carneiro - situada no bairro da Cidade Nova, justa atenção dada a um bairro de relevância e que ainda se vê carente de ações advindas dos poderes públicos que resultem em benefícios palpáveis para aquela comunidade. Internet para as escolas municipais - que visa inserir os alunos da rede no mundo virtual, pelo alcance à informação, permeada por esse acesso, com vistas a um melhor aproveitamento do aprendizado em condições que possibilitem reduzir a desigualdade de oportunidades e a amplitude de ferramentas do conhecimento. Contratação de

| 23 | 2013


GASTRONOMIA

Azeitona saborosa

LINHA FINA: O fruto das oliveiras é um alimento rico em vitaminas e minerais. Entre os seus benefícios, está a diminuição dos riscos de doenças cardiovasculares

Mesmo importada, a azeitona faz parte do cardápio do brasileiro e é um ingrediente querido pelo rico sabor que dá à preparação de pratos. Mais do que isso, o alimento oferece benefícios à saúde por causa de suas propriedades nutricionais. ‘Ela é composta, em maior parte, por ácido oleico, uma gordura que ajuda a aumentar o colesterol bom e, portanto, a diminuir os riscos de doenças cardiovasculares’, explica Leopoldina Takahashi, nutricionista da Risa Restaurantes Empresariais. A profissional explica que a azeitona é uma fonte de antioxiadantes, elementos que retardam o envelhecimento. ‘Por causa de suas fibras, ela também auxilia na saciedade e no bom funcionamento do intestino’, acrescenta.

tivos, é bom ter cuidado no consumo. ‘Por ter sódio em sua composição, pessoas obesas, hipertensas e com problemas renais devem ingeri-la de forma moderada’, afirma Leopoldina. As azeitonas, bonitas, carnudas e suculentas, também carregam outra desvantagem: as calorias. ‘É por isso que aconselho o consumo sem excessos. É bom usar o alimento como aperitivo, em saladas ou na preparação de pratos’, diz a nutricionista, que recomenda uma dose de cinco a sete unidades diárias ou de até duas colheres de sopa de azeite por dia. A seguir, quatro receitas com azeitonas. Confira. (Jaqueline Mendes)

Crédito da receita: Philadelphia (www. philadelphia.com.br)

‘Montaditos’ de azeitonas Ingredientes 2 fatias de pão preto integral Maionese a gosto 10 azeitonas verdes recheadas 1 picles 4

Molho de azeitonas Ingredientes 1 xícara (chá) de azeitona verde picada 2 dentes de alho 1/2 xícara (chá) de ‘cream cheese’ 3 colheres (sopa) de iogurte natural

Além disso, o alimento é rico em vitaminas A, B1, D e E, e em minerais como potássio, sódio, cálcio, fósforo e magnésio.

3 colheres (sopa) de azeite de oliva

No entanto, mesmo com tantos atra-

Bata todos os ingredientes no liquidi-

| 24 | 2013

ficador. Leve a mistura à geladeira até que fique fria e sirva-a com torradas ou pães

Sal a gosto Modo de preparo

Foto: Henry Lopes/Divulgação

E

m países como Itália, Espanha e Portugal, as azeitonas são facilmente encontradas nas vastas plantações de oliveiras. Já no Brasil, elas são vendidas em conservas ou na forma de azeite, nas prateleiras dos supermercados.


pedaços de mozarela de búfala Mostarda preta a gosto Modo de preparo Corte o pão preto integral em rodelas. Faça dez unidades. Distribua-as em uma travessa e cubra cada uma delas com maionese. Fatie cada azeitona em quatro pedaços e coloque-os em cima da maionese. Em seguida, corte o picles em dez rodelas e, depois, reparta -o ao meio no sentido vertical. Acrescente algumas fatias sobre o pão com a maionese e as azeitonas. Faça o mesmo processo com a mozarela de búfala. Disponha os ingredientes de uma forma que o ‘montadito’ fique bem decorado. Para finalizar, coloque uma gota de mostarda preta no centro Crédito da receita: Jordão Bar (www. jordaobar.com.br)

Refogado de azeitonas com cebola caramelizada Ingredientes

Modo de preparo

Espaguete à pizzaiola

Aqueça o azeite extravirgem em uma frigideira grande e acrescente as azeitonas. Refogue-as em fogo médio a alto por cerca de três minutos. Vire-as com o auxílio de uma colher de pau. Adicione

Ingredientes 10 tomates maduros, sem pele nem sementes, cortados em cubos 200 g de mozarela em cubos

1/4 de xícara (chá) de azeite extravirgem

150 g de azeitonas pretas, sem caroço e picadas

450 g de azeitonas

Queijo parmesão ralado a gosto

1 cebola roxa grande cortada ao meio e, depois, em fatias finas no formato de meia-lua

Folhas de manjericão Sal a gosto

1 dente de alho picado

Para o pesto

1 colher (chá) de orégano

2 dentes de alho

2 colheres (sopa) de vinagre de vinho tinto

1/2 maço de manjericão 1/2 xícara (chá) de azeite

2 colheres (sopa) de cachaça (licor de sambuca ou absinto podem substituir a cachaça)

Modo de preparo

2 colheres (sopa) de salsa fresca picada Pimenta-rosa ligeiramente esmagada

1 embalagem de espaguete

a cebola e refogue-a com as azeitonas por cerca de sete minutos. Acrescente o alho. Reduza o fogo e continue cozinhando até que o alho fique macio e levemente dourado. Junte meia colher (chá) de orégano, o vinagre e a cachaça. Assim que os líquidos começarem a ferver, retire do fogo. Separe a cebola e as azeitonas fritas com uma escumadeira, e reserve o caldo que ficou na panela. Para servir, despeje fios de azeite em um prato e disponha a mistura de cebola e azeitonas no centro. Acrescente um pouco do caldo, polvilhe o restante do orégano, a salsa e a pimenta e, finalmente, regue com algumas gotas de azeite. Crédito da receita: Gaea - Interfood (www.interfood.com.br)

Comece preparando o pesto. Leve ao liquidificador os dentes de alho, o maço de manjericão e o azeite. Acerte o sal e reserve. Em uma panela grande, ferva cinco litros de água com sal a gosto. Coloque a massa e mexa até que a água ferva. Deixe-a cozinhar conforme o tempo indicado na embalagem ou até que fique macia, porém, resistente à mordida. Em um refratário grande, junte os tomates, a mozarela, as azeitonas e as folhas de manjericão. Escorra a massa, despeje-a no refratário, regue-a com o pesto e, com a ajuda de dois garfos grandes, mexa-a delicadamente, até que esteja bem envolvida pelo molho. Para finalizar, polvilhe queijo parmesão Crédito da receita: Adria (www.adria. com.br) FolhaPres

Mais sabor e informação, aqui: http://issuu.com/revistaviamagazine | 25 | 2013


ANUNCIE AQUI!

MOLDURA (182x10mm)

R$ 77,00

cada edição. Exclusivo para pacotes de 12 edições

C������������ e SAÚDE E BEM ESTAR............................. -- SERVIÇOS............................................... 27 GASTRONOMIA E LAZER........................ -- AUTO E CIA............................................27 COMÉRCIO............................................. 26 Saúde e Bem Estar

Gastronomia e Lazer

Comércio

Serviços

Auto & Cia

MATERIAL DE CONSTRUÇÃO

PISCINA

CIDA

MATERIAL DE CONSTRUÇÃO

TUDO PARA SUA OBRA

Av. Manoel Novaes, 842 Ponto de Araci Serrinha - Bahia 75

FESTA

ÁGUA

3261.1565

AÇOUGUE

PET SHOP

BICICLETAS MORENA BELA Rua André Negreiros Falcão, 125 Em frente a Escola Normal de Serrinha Serrinha - Bahia

75 3261.2628

| 26 | 2013


ANUNCIE NOS CLASSIFICADOS: MODULO 01 (56X50mm) Saúde e Bem Estar

Gastronomia e Lazer

R$ 85,00

Comércio

cada, no pacote de 12 edições.

Serviços

Auto & Cia

CONTABILIDADE

ANUNCIE AQUI

ESCOLA

ANUNCIE AQUI

SEGURO

ESCOLA

OFICINA E AUTO PEÇAS

SOM E SERVIÇOS

| 27 | 2013


| 28 | 2013


Via Magazine | Ano 01 | Ed 04 | 2013  
Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you