Page 38

Quais são tuas ideias para o futuro turístico da cidade? Pretendo fazer um guia cultural, com os principais eventos da cidade. Fiz um roteiro com os três museus da cidade, inclui também o arquivo histórico, um ambiente de consulta que contém muitas informações sobre nossa história e sobre os locais com interesse turístico. Este ano estou programando um evento grande, o Expobike, que vai acontecer no Pavilhão de Eventos. Nos dias 11, 12 e 13 de novembro. Esse ano o Circuito do Cicloturismo do Vale Europeu completa dez anos, teremos palestras, oficinas, exposição de fotografia, arte, bicicletas antigas, vamos convidar um pessoal de outros circuitos de cicloturismo do Estado, vai ter o encontro catarinense de cicloturismo. Será feito em parceria com o consórcio. No dia 14 começa o Velotur, será uma semana fazendo o circuito. Também vamos fazer novamente um concurso fotográfico, o concurso dos jardins das casas e também entre as empresas. Também faremos um vídeo institucional do turismo em Timbó. Ideias não faltam à Flávia e a sua determinação está estampada no rosto. Porém, agora é hora de se organizar e de pensar no futuro da cidade. A criação de uma secretaria é fundamental para dar esse salto no turismo em Timbó. O desafio foi lançado, por isso, consideramos importante ouvir o posicionamento do atual Prefeito Laércio Schuster Júnior sobre a questão e sobre seu entendimento da importância do turismo no futuro da cidade e da região. Revista Valeu - Com o impacto que teve o Globo Repórter sobre o Vale Europeu, parece que todo o mundo despertou para a importância do turismo como fator de desenvolvimento da região. Por ser a cidade receptiva por excelência do Circuito de Cicloturismo do Vale, Timbó está numa posição privilegiada para ser o motor desta indústria verde. Como é que o Prefeito encara esta mudança de paradigma de desenvolvimento de uma cidade pólo industrial, para uma cidade pólo turístico e cultural? Laércio - O impacto que teve a reportagem do Globo Repórter só veio a reforçar a certeza que eu já tenho há muitos anos: que o turismo é uma indústria limpa e na qual temos que investir hoje para colher os frutos a médio e longo prazo. Por conta disso fizemos nos últimos anos uma série de investimentos nesse sentido, a exemplo do Parque Central, do Parque Henry Paul, da Praça Frederico Donner, da revi-

38

talização da área central, dos investimentos em melhorias na infraestrutura do Morro Azul e também no Jardim Botânico. O investimento em turismo precisa ser permanente, independente do partido que esteja à frente da Prefeitura. São os casos de Gramado, no Rio Grande do Sul, e de Pomerode, aqui do lado da nossa cidade. Quanto à cidade de Timbó ser um polo industrial, ela irá continuar a ser, até porque é uma característica muito forte da nossa imigração. Porém, o turismo pode conviver harmoniosamente com a indústria e ser uma parceira do comércio e da prestação de serviço. Timbó e o Médio Vale têm muito a oferecer nessa área, mas é importante que os investimentos não parem. Com o decorrer do tempo, os benefícios serão sentidos por todos em nossa região. Revista Valeu - Neste enquadramento, não será chegado o momento de entregar ao setor a importância que conquistou por mérito próprio, elevando o Turismo à dignidade de Secretaria? O Município tem em mãos algum projeto visando a criação dessa Secretaria? Laércio - Com o desenvolvimento do turismo e a valorização do setor será inevitável a médio prazo a transformação da Diretoria de Turismo da Prefeitura em Secretaria. Hoje, porém, a estrutura existente supre as nossas necessidades. Além disso, não podemos esquecer que estamos passando hoje por uma crise econômica e um clamor social pelo enxugamento e maior eficiência da máquina pública, em todos os níveis e esferas de poder. Portanto, hoje não há condições nem financeiras nem sociais de criarmos novas estruturas no município, que luta para manter a qualidade de vida das nossas famílias, apesar da queda na arrecadação e da queda nos repasses dos governos Estadual e Federal. Por outro lado, o turismo não pode ser encarado apenas como um objetivo do poder público. É preciso o empenho da iniciativa privada, que, apesar da crise, também tem feito investimentos, a exemplo do Blue Hill, esse belo hotel construído ao lado da Prefeitura. O nosso Vale atravessa um momento único na sua história. Depois do esforço de desbravamento dos colonos fundadores, que em meio à natureza souberam aproveitar as condições únicas da região e da dedicação dos seus descentes, apostando na exploração das riquezas minerais do seu fértil subsolo e na indústria como meio de crescimento econômico, é chegada a hora de seguir a trilha do desenvolvimento sustentável e ecologicamente equilibrado que o turismo oferece. Uma região que promove o turismo, tem orgulho no seu passado, honra a memória dos seus ancestrais e preserva a sua história, ao mesmo tempo que semeia de forma consolidada as sementes do de um futuro melhor para seus filhos e netos. Como afirmou Flávia Cipriani, é momento de unir forças, esquecer bairrismos e vaidades pessoais e caminhar juntos, empresários, municípios, agentes de turismo, artesãos e produtores locais e todos nós, cidadãos, em direção a um futuro melhor. por Clara Weiss Roncalio e João Moreira

Valeu Março 2016  
Advertisement