Page 1

Ano 5 • Nº 14 • 2017 | Distribuição Gratuita

Turismo organizado Guias catarinenses se capacitam em Blumenau

novo atrativo

Observação de Baleias por terra? Só em Santa Catarina

HOSPEDAGEM

Estado lidera ranking nacional


SANTA CATARINA. Investir aqui é um bom negócio.

Juro Zero. Oferece crédito aos microempreendedores individuais.

R$ 180 MILHÕES A 63 MIL PESSOAS.

PRODEC. Fortalece e gera novos empregos nas grandes indústrias.

9.000 EMPREGOS DIRETOS E INDIRETOS.

Geração Tec. Capacita profissionais para a área da tecnologia.

6.800 ALUNOS E 4.700 EMPREGOS.

Sinapse da Inovação. Transforma boas ideias em negócios de sucesso.

300 EMPRESAS E 1.200 EMPREGOS.

Jucesc Simplifica. Agiliza a abertura de empresas no Estado.

3.800 NEGÓCIOS BENEFICIADOS. Com vocação empreendedora, investimentos em educação, excelente infraestrutura, qualidade de mão-de-obra, grande capacidade energética e sem aumentar impostos, Santa Catarina está criando um ambiente favorável a negócios, atraindo empresas e gerando empregos, mesmo em um cenário de crise. Acesse desenvolveSC.com.br e veja por que vale a pena investir em Santa Catarina.


EXPEDIENTE

EDITORIAL

Produção Fábrica de Comunicação Av. Madre Benvenuta, 1332 Florianópolis – SC Fone: (48) 3027-6000 www.fabricacom.com.br Idealizador do projeto e Diretor executivo Homero Gomes Diretora-geral Karin Verzbickas Editora-chefe Camila Latrova Colaborou com esta edição Heloísa Medeiros Diagramação Sullivan Caldeira e Thiago Alan Moratelli Impressão Gráfica Impressul Para anunciar: (48) 9 9911 4086 comercial@revistatradetur.com.br Para se corresponder com a redação: redacao@revistatradetur.com.br Para receber a revista: cadastre sua empresa ou instituição em: cadastro@revistatradetur.com.br Distribuição Cinco mil cópias gratuitas e dirigidas em todo o Estado de Santa Catarina Foto de Capa Camila Latrova “A revista não se responsabiliza pelo conteúdo dos anúncios, nem pelas opiniões contidas em artigos e entrevistas”

Nosso País vive uma crise sem precedentes na história recente. Com epicentro em Brasília, a instabilidade alcança diversos Estados, sugando a economia e comprometendo até mesmo o horizonte estratégico de uma indústria em crescimento como a do turismo. O Brasil parado inibe o setor privado. E quem trabalha no setor turístico sabe bem o que isso significa. Portanto, não passa de uma idéia exótica a separação entre economia e política em uma nação com as características do Brasil. Esperamos sim, o desfecho dessa crise política o mais rápido possível. O turismo possui enorme capacidade para gerar o desenvolvimento com alta empregabilidade, geração de receitas e multiplicação da renda em cada um dos muitos destinos turísticos existentes no País. E que cada um faça a sua parte. Nesta edição, o leitor irá se deparar com algumas das boas práticas que comprovam a força deste setor que segue lutando, sobretudo, aqui em Santa Catarina. Veremos o fortalecimento da atividade dos Guias de Turismo, atividade fundamental do receptivo turístico, que buscam se fortalecer e capacitar a atividade, trocando experiências e aprendizado. Abordamos o turismo de observação de baleias na beira da praia, diante de belas encostas e trilhas de Imbituba e Garopaba, encantando turistas nacionais e do exterior. Outro tema importante é sobre o crescimento do Enoturismo na Serra Catarinense. A falta de infraestrutura e serviços de qualidade ameaça a consolidação dos destinos e destoa do capricho e profissionalismo das vinícolas de altitude no Estado. Também nesta edição confira como os eventos e a atuação dos Conventions são importantes para a quebra da sazonalidade turística e o desenvolvimento da atividade ao longo do ano. E não percam a entrevista com o superintendente de Turismo de Florianópolis, professor Vinícius de Lucca, e outras boas novas para o setor. Vale a leitura.

Homero Gomes

/revistatradetur

/revistatradetur

www.revistatradetur.com.br


SUMÁRIO

10 20 40 06

COLUNA CONEXãO

Homero Gomes conta as últimas do trade turístico

08 ENTREVISTA

28

TURISMO DE OBSERVAÇÃO

Grupo desenvolve experiência privilegiada de observação de baleias no litoral

Vinicius de Lucca relata como é gerir a Setur

32

10

Mais uma vez, segmento MICE segura demanda de visitantes enquanto a temporada não volta

EM Blumenau

GRANDES EVENTOS

Guias de Turismo se capacitam na cidade e fortalecem a atividade

36 PESQUISA

16

Representantes analisam liderança do Estado no ranking de hospedagem no Brasil

HOTELARIA

Hotéis sem bandeiras consquistam seu espaço no Estado

20

TURISMO CRIATIVO

Relatório do Sebrae ajuda empresários do setor a encontrar nichos de atuação

24 Enoturismo Vindima se consolida, mas precisa vencer desafios para seguir crescendo

38 qualificação Programa nacional capacita jovens em cursos na área de turismo e hospitalidade

40

TURISMO LGBT

Apesar do crescimento do segmento, redução de visitantes preocupa comércio da Capital

42 ARTIGO A experiência de uma boa alimentação


Tcharles Barbosa

COLUNA

Conexão Continua estatal O complexo termal de Caldas de Imperatriz, em Santo Amaro da Imperatriz, passará definitivamente para as mãos do município. A primeira estância termal do Brasil já recebeu o imperador Dom Pedro II e a imperatriz Teresa Cristina, em 1845. Hoje, o belo equipamento leva consigo uma dívida de R$ 7 milhões.

Por: Homero Gomes homero@revistatradetur.com.br

Acervo Plaza Caldas da Imperatriz Resort

Encatho chega a 30ª edição Preocupada com o desenvolvimento e a qualificação do turismo, em especial dos meios de hospedagem, a Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH-SC) realizou a trigésima edição do Encontro Catarinense de Hoteleiros (Encatho). O evento reuniu mais de 50 palestrantes e debatedores em três dias de qualificação, relacionamentos e negócios. Paralelamente, a Feira de Produtos e Serviços da Hotelaria (Exprotel) também movimentou o local, onde mais de 80 expositores puderam apresentar seus produtos e serviços.

Novo olhar sobre o litoral catarinense

Boas práticas reconhecidas

Ricardo Scherer, engenheiro catarinense, estudioso das questões que envolvem os terrenos de marinha no Brasil, apresenta o primeiro ensaio sobre as demarcações de Terrenos de Marinha na Ilha de Santa Catarina. O assunto é de interesse ao trade turístico e traz um novo olhar sobre o poder da União e os imbróglios judiciais que pairam sobre o litoral catarinense. Segundo o autor, não há fundamento legal para a SPU identificar e caracterizar domínio da União nas margens das águas costeiras que banham a Ilha de Santa Catarina. Scherer acredita que a municipalização é a saída para a profissionalização e o desenvolvimento do turismo sustentável.

Reconhecer os benefícios de práticas sustentáveis na atividade turística é um dos objetivos do Prêmio Braztoa de Sustentabilidade, realizado pela Associação Brasileira de Operadoras de Turismo, em parceria com o Ministério do Turismo. A premiação tem como objetivo reconhecer e disseminar as boas práticas no turismo. As inscrições para a edição 2017 podem ser feitas até 1º de setembro. São reconhecidos como negócios sustentáveis no turismo àqueles que geram, além de lucro para a empresa, benefícios para a sociedade, reduzem o impacto ambiental e atingem relevância social. Mais informações nos sites da Braztoa e do MTur.


7 Embratur corre risco de parar Acervo Prefeitura Municipal de Joinville

Cinquenta anos após sua criação, a Embratur poderá parar suas atividades de promoção internacional e campanhas publicitárias. É dramática a situação do Instituto, que foi alcançado pelo contingenciamento no orçamento e está sofrendo os efeitos colaterais da crise política. Para o presidente Vinícius Lummertz, a saída passa pelo Congresso Nacional, basta que os parlamentares aprovem a transformação do Instituto em agência. O reforço no caixa viria de recursos das loterias federais e um percentual do valor pago pela emissão de bilhetes aéreos internacionais. Ficamos na torcida.

PPP é o caminho Vivendo uma de suas piores crises fiscais, a Prefeitura de Florianópolis aposta todas as suas fichas nas parcerias público-privadas. O xadrez das PPP’s passa pela aprovação do Plano Diretor e a criação de um ambiente de garantias jurídicas capaz de seduzir investidores e contentar a sociedade local. Tem tudo para ser um verdadeiro gol de placa. O tempo dirá.

Nova atração

Acervo Beto Carrero World

Três tigres brancos são os novos moradores do Zoo do Beto Carrero World. A nova atração celebra os 25 anos do parque e homenageia o fundador do empreendimento, notório admirador da espécie. Ravi, Rahny e Amal estão totalmente adaptados à nova casa e muito entrosados. A visitação pode ser feita todos os dias no Jardim Secreto, local do Zoo onde moram também os leões brancos.

Rota turística A cidade de Joinville acaba de ganhar uma nova rota turística na região central. Desenvolvida exclusivamente para pedestres, o circuito conta com cerca de 5 km de extensão, que integra os principais pontos turísticos da região, sinalizados por 20 placas. Cada placa traz dados do local e indica outros dois ou três atrativos mais próximos. A obra contou com o apoio do Ministério do Turismo.

Check-In •

A Mega Marketing de Experiência, de Joinville, é a nova agência de comunicação do Hotel Internacional Gravatal.

Homem do Turismo, o presidente licenciado da ABAV/SC, Eduardo Loch, assumiu o cargo de secretário-adjunto do Desenvolvimento Econômico, Turismo e Inovação da Prefeitura de Florianópolis.

Fenaostra 2018: a Prefeitura de Florianópolis promete novidades, em especial o retorno às suas origens, com participação efetiva dos maricultores. REVISTA

Sucesso absoluto o 8º Festival Gastronômico Balneário Saboroso. Destaque para a programação paralela que bombou no Sibara Flat & Convenções. Salve BC Convention. O negócio do turismo

REVISTA

O negócio do turismo

REVISTA

Revista

REVISTA

O negócio do turismo

O negócio do turismo

REVISTA

REVISTA


ENTREVISTA

Tempo de aprendizado Vinicius De Lucca

Superintendente de Turismo de Florianópolis

Acervo Vinicius de Lucca

Novo superintendente de Turismo sai do universo acadêmico para assumir o grande desafio que é a Setur

RTT: O Sr. concedeu uma entrevista para o portal da Revista TradeTur dias após assumir a pasta. Passados seis meses de gestão, o que mudou nos seus planos? Qual a realidade atual da Setur?

de comissionados e enxugou a máquina para tentar tornála viável. Foram medidas necessárias para enfrentar a situação complicada. O momento ainda é muito delicado e estamos usando as parcerias para viabilizar as coisas. Aliás, continuamos nessa

VDL: Uma transição de gestão é complexa. No caso da

mesma toada: parcerias para a resolução de problemas.

Prefeitura de Florianópolis os problemas financeiros são

Conseguimos viabilizar o Carnaval (com apoio do Governo

gigantes. Dívidas milionárias, com vários fornecedores.

do Estado) e o show na Beira Mar sem recursos públicos

A Secretaria não tem nenhuma condição de realizar

(outras secretarias, em especial a de Cultura, Esporte e

investimentos com recursos próprios. Não tínhamos coisas

Juventude organizaram dezenas de outras atividades, todas

básicas, como condições para abastecer o veículo oficial,

sob o comando do Gabinete do Prefeito e sem recursos

papel e tinta de impressão. A nova gestão cortou o número

financeiros públicos).


9

RTT: O que vem pela frente agora? Quais os projetos em andamentos na Secretaria? VDL: Conseguimos alguns avanços na aprovação dos projetos de Lei do Selo de Turismo, da taxa de equipamentos turísticos e da Marca Floripa e estamos trabalhando na regulamentação de todos. Além disso, iniciamos um trabalho para coibir a atuação dos guias ilegais e iniciamos a discussão com a sociedade sobre o modelo do Carnaval 2018. Outra ação, chamada de “Balcão de Eventos”, está sendo

“Os desafios são muito grandes: a falta de recursos financeiros, de informações, uma nova equipe, conhecer pessoas e os caminhos internos. Mas, ao mesmo tempo, há uma dedicação sem igual”

criada junto com outros órgãos públicos para facilitar as empresas que buscam autorizações e alvarás para eventos. Hoje em dia existe uma dificuldade de informações e de operacionalização. Começamos também a trabalhar no modelo de concessão de quiosques, banheiros e chuveiros para a próxima temporada. No mais, seguimos buscamos recursos e submetemos

RTT: O Sr. saiu do ambiente acadêmico para uma nova administração municipal. É a primeira experiência em um cargo público? Quais as principais diferenças? E os desafios?

propostas junto ao Ministério do Turismo, via edital, para custear o Natal e o Réveillon e submetemos mais quatro

VDL: Sou servidor público concursado há 10 anos. No IFSC

projetos: de levantamento hidrográfico em Canasvieiras,

atuei como professor e tive, por sete anos, experiências em

do canal de navegação das Baias Norte e Sul (para

cargos administrativos, como coordenador de eventos,

Cruzeiros), um projeto para melhorias nas trilhas da

assessor da Reitoria e diretor de comunicação, então

cidade, outro projeto de sinalização turística e um

já conhecia a rotina, os processos e procedimentos da

projeto de reforma da Intendência Municipal do Ribeirão

administração pública.

da Ilha, formada pelo casario histórico do Distrito. Parte dela se tornará um local para atendimento ao turista.

Os desafios são muito grandes: a falta de recursos

Por último, seguimos atuando administrativamente para

financeiros, de informações, uma nova equipe, conhecer

viabilizar a Marina na Beira Mar Norte.

pessoas e os caminhos internos. Mas, ao mesmo tempo, há uma dedicação sem igual entre os servidores, sejam

RTT: Neste o segundo semestre iniciam os preparativos para a próxima temporada. O que será diferente na preparação para o próximo verão?

comissionados ou não, que realmente me surpreendeu. Além disso, existe uma ajuda mútua constante, uma troca de informações de forma ágil, todos realmente se doando e fazendo o melhor possível. Aceitei o desafio porque

VDL: Cada temporada é um aprendizado para a próxima.

penso que não basta estarmos na academia criticando e

A partir de nossas percepções da Operação Presença que

apontando falhas e defeitos.

poderemos falar com mais propriedade. Mas já podemos

REVISTA

dizer que a fiscalização de ambulantes e a melhoria da

É preciso contribuir de forma mais efetiva e por isso aceitei

infraestrutura, como quiosques, banheiros e chuveiros,

a missão. As demandas de trabalho são muito grandes. O

serão a tônica da atuação da Secretaria. E quem sabe não

tamanho do desafio é proporcional à oportunidade, que é

aparece uma surpresa pelo mar?

contribuir com a nossa cidade.

O negócio do turismo

REVISTA

O negócio do turismo

REVISTA

Revista

REVISTA

O negócio do turismo

O negócio do turismo

REVISTA

REVISTA


CAPACITAÇÃO

Blumenau

é cenário de capacitação e fortalecimento de Guias de Turismo


11

Profissionais de várias cidades catarinenses conheceram diferentes atrativos do município e puderam aprender e compartilhar experiências. A ação tem como objetivo fortalecer a atividade no Estado

REVISTA

O negócio do turismo

REVISTA

O negócio do turismo

REVISTA

Revista

REVISTA

O negócio do turismo

O negócio do turismo

REVISTA

REVISTA


12

Texto e fotos por Camila Latrova*

uias de Turismo das cidades de Florianópolis, São José,

G

Ela pontua que o objetivo é demonstrar ao trade turístico que

Balneário Camboriú, Navegantes e Itajaí se reuniram

os guias estão organizados e se capacitando para melhor

com profissionais de outras cidades em Blumenau para

receber os visitantes e profissionalizar a atividade. “Temos

vivenciar um dia de capacitação, troca de conhecimento,

grandes expectativas que esse tipo de ação vai diminuir a

compartilhamento de experiências e de fortalecimento

atuação dos guias irregulares, ao mesmo tempo em que fará

da atividade no Estado, cujo principal desafio é vencer a

os visitantes ficarem mais satisfeitos e, consequentemente,

informalidade e a atuação de pessoas descredenciadas

trazê-los de volta a Santa Catarina”, completa.

e não capacitadas. Além dos 43 guias participantes, dois profissionais da imprensa especializada acompanharam o

Em Blumenau, a primeira parada foi na tradicional

grupo, entre eles, a Revista Trade Tur.

Confeitaria Cafehaus Glória, sediada no hotel de mesmo nome. Ali, Cristiano Klemz, gerente do empreendimento,

A iniciativa é resultado da união do Núcleo Setorial de

recebeu os profissionais e ressaltou a importância desse

Guias de Turismo da Associação Comercial e Industrial de

tipo de ação. “Ficamos honrados em receber esse tipo de

Florianópolis (ACIF) e da Associação de Guias de Turismo

encontro. Nosso hotel está à disposição para demonstrar a

do Vale Europeu (AGVALEU) e contou com o apoio da

nossa forma de receber bem os turistas.”

Secretaria Municipal de Turismo de Blumenau (SECTUR). Também participaram empresários que abriram seus

Em seguida, o grupo teve a oportunidade de conhecer

espaços para um dia repleto de atividades, incluindo visitas

o Museu de Hábitos e Costumes, um casarão que

a museus, bares, restaurantes, cervejarias e outros atrativos

proporciona aos visitantes, por meio de roupas e objetos

que tornaram Blumenau um polo turístico no Estado. “Esta

de época, uma verdadeira viagem ao passado. A próxima

foi a primeira de outras capacitações que acontecerão em

etapa foi conhecer o mirante do Museu da Água, a primeira

diversas cidades catarinenses. Teremos uma na primeira

estação de tratamento da cidade, que oferece uma vista

quinzena de agosto em Balneário Camboriú e entre agosto

ampla e geral da cidade.

e setembro estão previstas outras em Itajaí e Joinville. A capital também sediará um encontro a partir de setembro”,

O passeio seguiu para destinos que oferecem o maior

explica Natália Regina Salomão de Freitas, guia de Turismo

commodity turístico do município: a cultura da Cerveja.

de Florianópolis e uma das responsáveis pela organização

Blumenau é considerada oficialmente a Capital Nacional

do encontro.

da Cerveja (Lei 13.418/2017), reconhecimento dado pelo


13

Guias de todo o Estado trabalham para buscar mais representatividade e regularização da profissão, promovendo ações de fiscalização, capacitações e a aproximação com entidades e agências de turismo

REVISTA

O negócio do turismo

REVISTA

O negócio do turismo

REVISTA

Revista

REVISTA

O negócio do turismo

O negócio do turismo

REVISTA

REVISTA


14

Indo alĂŠm dos locais tradicionais e jĂĄ conhecidos, a viagem foi uma oportunidade para os guias conhecerem outra parte da cultura blumenauense


15

A estimativa é que nos próximos cinco anos Blumenau receba cerca de trezentos mil turistas por ano, de acordo com o Blumenau e Vale Europeu Convention & Visitors Bureau Governo graças ao esforço e dedicação do município em

O empresário, também presidente da Blumenau e Vale Europeu

construir uma cadeia econômica estratégica do turismo

Convention & Visitors Bureau, está otimista com o futuro

na região.

da atividade turística na cidade. “Blumenau recentemente inaugurou dois hotéis e outros dois estão em construção. A

Eles conheceram a Escola Superior de Cerveja e Malte,

estimativa é que nos próximos cinco anos teremos cerca de

instituição que atrai visitantes, pesquisadores, estudantes e

trezentos mil turistas por ano. Acredito que existe muita coisa

interessados na arte cervejeira para uma experiência única.

boa vindo aí, muita oportunidade para fazer os visitantes virem

“Aqui turistas podem aprender e degustar diversos tipos de

o ano inteiro, não apenas na Oktober”, defende.

cervejas dentro de um ambiente adequado por um preço acessível”, alega Douglas Nunes, sommelier de cerveja que

Indo além dos locais tradicionais e já conhecidos, a viagem

acompanhou os guias durante a visitação.

foi uma oportunidade para os guias conhecerem outra parte da cultura blumenauense. Os guias visitaram o Museu

O almoço especial do tour foi realizado na Cervejaria

dos Clubes de Caça e Tiro, onde conheceram um pouco

Blumenau, case de sucesso catarinense do segmento

da história e das tradições dessas associações recreativas,

cervejeiro e que ostenta no currículo diversos prêmios

e puderam participar das brincadeiras, como o “Pássaro ao

internacionais por seus rótulos. Ali o os guias foram

Alvo” e a “Bagatela”.

recebidos por Valmir Zanetti, sócio proprietário do empreendimento, que contou um pouco a história da

Por último, na Vila Itoupava, distrito rural de Blumenau,

cervejaria e o potencial a ser explorado com o fortalecimento

o grupo foi recepcionado com muita música e dança

do turismo cervejeiro. “Blumenau não é apenas um lugar

folclórica alemã, chamada de “Festa do Rei. Em seguida,

onde as pessoas vem beber cerveja em outubro. Existe

tomaram um café colonial e degustaram chocolates

um mundo de novos negócios acontecendo em função

e licores artesanais, além de participarem de uma

desse produto, uma nova cadeia produtiva formada, que

competição de tiro ao alvo. Em cada atrativo, eram os

abrange desde a empresa de maquinário, cervejarias,

colegas de Blumenau que compartilhavam dados e

lugares de capacitação, bares e restaurantes temáticos,

curiosidades sobre cada parada. “Ficamos gratos com a

lojas especializadas e principalmente o turismo. É uma

vinda de todos, já que pudemos divulgar e apresentar as

oportunidade ímpar que vem gerando emprego e renda

belezas da nossa cidade”, concluiu Renato Pereira, um dos

para a região, trazendo transformação e crescimento.”

guias que recebeu o tour. REVISTA

Para mais informações sobre esta capacitação: agvaleu@gmail.com e consultor5@acif.org.br

O negócio do turismo

REVISTA

*a jornalista participou da capacitação a convite do Núcleo O negócio do turismo Núcleo Setorial de Guias de Turismo da ACIF REVISTA

Revista

REVISTA

O negócio do turismo

O negócio do turismo

REVISTA

REVISTA


Fotos: Acervo Fazzenda Park Hotel

HOTELARIA

o l o s o o V


17

Hotel em Gaspar é prova de que nem sempre se integrar a uma grande rede é a melhor solução

Q

uando um empreendimento hoteleiro chega a um certo nível de crescimento, a saída para seguir avançando pode ser a vinculação a uma grande bandeira hoteleira, certo? Nem sempre. Existem muitos hotéis que não

são redes e têm qualidade reconhecida pelo público e pelo mercado. “Com criatividade e foco na excelência é possível ter um empreendimento de sucesso mesmo não fazendo parte de uma rede”, analisa Evandro Coradini, gerente de hospedagem do Fazzenda Park Hotel, considerado um dos melhores do País para se viajar com a família, segundo o site Trivago em 2017. O Hotel é um exemplo catarinense que deu certo. O que começou como um lugar para receber a família, se transformou em um pesque e pague e evoluiu até chegar a estrutura atual. “Com cinco prédios, que somam 249 REVISTA

apartamentos em seis categorias diferentes, o nosso hotel fica dentro de uma área com dois milhões de metros O negócio do turismo

quadrados de natureza e atrações para todas as idades”, conta Evandro. É ele quem traz algumas dicas de como ser destaque nesse mercado tão concorrido.

REVISTA

O negócio do turismo

REVISTA

Revista

REVISTA

O negócio do turismo

O negócio do turismo

REVISTA

REVISTA


18

Equipe treinada

Programação especial

Em todos os setores de um hotel é preciso contar com os melhores

Uma forma que garante mais procura

profissionais. Um atendimento e um serviço bem feitos são garantias de

é promover programações temáticas

que o hóspede vai voltar. E ainda pode falar bem do seu estabelecimento

e

para toda a sua rede de relacionamentos.

comemorativas, como Dia das Mães,

eventos

voltados

para

datas

Dia dos Namorados e Festas Juninas. “Nestas datas diferenciadas o hotel

Cuidado com a estrutura

tem a chance de se transformar com atividades, decorações e cardápios

Assim o hóspede pode aproveitar e se divertir sem mesmo sair do hotel.

especiais

“Ofereça muitas opções de lazer. Quadras de vôlei e tênis, campo de

visitantes.”

futebol, piscinas adulto e infantil, saunas, jacuzzis, caminhos para fazer trilhas, lagos para praticar pescaria, tobogãs e muito espaço para andar a cavalo e de bicicleta são atrativos que decidem uma reserva.”

que

surpreendem

os


19

Refeições inclusas Isso pode fazer muita diferença na hora de uma família escolher um destino. “Em uma diária incluímos cinco refeições por dia, que são preparadas com ingredientes frescos saídos da nossa horta orgânica.”

Experiências inesquecíveis para as crianças Uma criança geralmente não gosta de ficar dentro de um hotel o dia inteiro. Para mudar essa situação, um hotel precisa conhecer e estar preparado para o seu público. “É preciso apostar em muita diversão para as crianças, dentre elas brincadeiras, oficinas de culinária, artesanato, atividades com animais, entre outros.”

REVISTA

O negócio do turismo

REVISTA

O negócio do turismo

REVISTA

Revista

REVISTA

O negócio do turismo

O negócio do turismo

REVISTA

REVISTA


INOVAÇÃO

Hector García


21

Como oferecer um turismo criativo e se diferenciar no mercado? Relatório do Sebrae apresenta as respostas para micro e pequenos empresários do setor

M

ais do que viajar para conhecer pontos famosos no local de destino, fazer turismo pode ser uma atividade

criativa. É o que apostam muitos empreendedores do setor que aproveitam o potencial culinário, musical e artístico das cidades, envolvendo também a população local, para encantar e atrair visitantes. Esse é o preceito do turismo criativo, uma nova segmentação que pode trazer boas oportunidades de negócio e que é detalhada em recente relatório produzido pelo Sistema de Inteligência Setorial (SIS) do Sebrae. Entre as tendências que irão influenciar o setor pelos próximos anos está o turismo de experiência. A busca por novas sensações em viagens, que vão além da visitação de pontos turísticos, é algo que tem crescido no mercado e deve se desenvolver ainda mais. Alguns comportamentos auxiliam a desenhar o perfil do turista criativo: procura REVISTA

experiências diferenciadas que o integrem ao local O negócio do turismo

escolhido e combina diversos tipos de turismo em uma mesma viagem, compartilhando ativamente as vivências REVISTA

nas redes sociais.

O negócio do turismo

REVISTA

Revista

REVISTA

O negócio do turismo

O negócio do turismo

REVISTA

REVISTA


22

Hector García

Enquanto alguns países exploram com muito sucesso seus

Os questionamentos possibilitam a reflexão e observação

diferenciais - como a culinária e a fotografia pelas ruas de

da localidade, com o fim de desenvolver novos serviços,

Paris, os cursos de body art em Ibiza e mesmo aulas que

proporcionando experiências aos turistas. Para tanto, é

vão da massagem ao boxe, na Tailândia - algumas cidades

importante ter um olhar diferenciado do comum para

brasileiras começam a se destacar no turismo criativo.

identificar as oportunidades.

O turismo criativo é uma oportunidade para empresas do setor estudarem a própria região para conhecer e desenvolver roteiros e serviços que proporcionem experiências inesquecíveis. Por isso, quem pensa em atuar nesse nicho deve responder algumas questões: •

O que a sua cidade ou região faz de melhor?

Qual o diferencial da sua cidade ou região?

Que aspectos da cultura diferenciam a cidade de outras?

Quem são as figuras importantes da comunidade local?

Há algum tipo de artesanato que caracteriza a região?

Quais são os pratos típicos da cidade?

Qual a história da cidade? Existem monumentos que representam?

O turismo criativo é uma oportunidade para empresas do setor estudarem a própria região e desenvolverem serviços que proporcionem experiências inesquecíveis


23 História, cultura e tradições locais podem servir de base para novos roteiros criativos

Tiago Vidal Dutra

Noel Portugal

Viagens temáticas e incursão na natureza Em Santa Catarina, a agência Floripa Xperience atua com o planejamento, organização e gestão de experiências turísticas na Ilha de Santa Catarina como, por exemplo, visitar fazendas de ostras, degustação de cachaças artesanais, jantares com um chef de cozinha, passeios de escuna, trilhas e rafting para grupos, além de pesca de tainhas. Outro exemplo é o da agência Viare Turismo Criativo, que proporciona experiências a partir da organização de viagens personalizadas, a dois ou em grupo. Eles realizam tours como “A arte da ourivesaria na Itália”, “Expedição Mata Atlântica”, entre outros. Além disso, pessoas ou grupos interessados em roteiros específicos podem sugeri-los no site da empresa para serem avaliados. Se forem viáveis, serão oferecidos ao público. Para os micro e pequenos empresários do setor que querem investir em serviços focados no turismo criativo, o SIS/Sebrae recomenda: •

Perceba o que sua região oferece de melhor que pode ser tratado como uma experiência turística. Gastronomia, belas paisagens, vida cultural e até mesmo vida rural são alguns temas a serem explorados;

REVISTA

Participe de eventos do setor turístico para conhecer as tendências, tecnologias e O negócio do turismo

informações sobre o comportamento do turista. Esses eventos dão oportunidade para adquirir novos conhecimentos, fazer networking e garantir novos negócios e parcerias. REVISTA

O negócio do turismo

REVISTA

Revista

REVISTA

O negócio do turismo

O negócio do turismo

REVISTA

REVISTA


Gastronomia

Enoturismo alcança novo patamar Vinícolas estão planejando melhorias e novidades para Vindima 2018

O

enoturismo está consolidado no calendário

que os turistas voltem, não apenas pelos atrativos de

turístico do Estado e avançando de forma

sabores e aromas dos vinhos de altitudes, mas pela

acelerada. Uma prova disso é a Vindima de Altitude,

melhoria da infraestrutura turística e capacitação de

que há quatro anos movimenta toda a cadeia de

profissionais que devem ser repensadas para este

negócios do enoturismo, desde vinícolas, rede de

novo público.

hospedagem, restaurantes, até o comércio varejista. Somente a última edição, mais de 50 mil pessoas

Na Vinícola D´Alture, de São Joaquim, foi inaugurado

participaram dos eventos. “A Vindima está numa

um bistrô, que é a primeira parte de um projeto de

crescente”, comemora Guilherme Grando, presidente

receptivo que está sendo desenvolvido para incluir

da Vinho de Altitude Produtores Associados, entidade

restaurante, sala de degustação e hospedagem.

realizadora da festa em celebração à colheita das uvas.

“Inicialmente, iríamos abrir apenas nos finais de

Ele complementa que o setor não sentiu o reflexo da

semana para almoço e jantar, mas em função da

crise econômica.

grande procura passamos a atender diariamente”, conta o proprietário Roberto Chaves Soto. Segundo

Essa crescente do evento trouxe novos desafios aos

ele, a visitação também gerou incremento na venda

empresários da região para o próximo ano: fazer com

dos rótulos em cerca de 30%.


25

O crescimento do evento trouxe novos desafios aos empresários da região: suprir a demanda crescente de público

REVISTA

O negócio do turismo

REVISTA

O negócio do turismo

REVISTA

Revista

REVISTA

O negócio do turismo

O negócio do turismo

REVISTA

REVISTA


Acervo Camerata Florianópolis

26

A Vinícola Abreu Garcia, localizada em Campo Belo do Sul,

de obra para atender melhor os turistas. A proprietária

também ampliou a agenda para atender o interesse dos

Sílvia Lemos conta que a Vindima de Altitude já entrou

visitantes. Além dos quatros sábados de atividades durante

no planejamento anual da empresa. “Esperamos pelo

a Vindima, o local teve que fazer extra para dar conta da

evento porque, antes deles, o movimento era muito fraco

procura. Ao todo, em média, 60 pessoas circularam pelos

nessa época do ano”. Ela dobrou a equipe de funcionários

vinhedos a cada final de semana, o dobro registrado em

e contratou cinco temporários, que se juntaram aos seis

2016. “Com esse resultado positivo já estamos planejando

regulares para atender o maior número de clientes.

novidades para 2018, com passeios mais curtos para ampliar as opções e o número de visitantes”, afirma o proprietário

No complexo turístico Snow Valley não foi diferente. A

Ernani Garcia. Em outra vinícola, a Villaggio Grando,

ocupação dos 16 leitos, divididos em quatro cabanas,

em Água Doce, o incremento foi de 20% no número de

alcançou o índice de 80% durante o período do evento,

visitantes e no faturamento.

o dobro para o normal dessa época do ano. Na parte de alimentação, foram duas operações: a tradicional, do

Restaurantes e hospedagem

restaurante e café, que atendeu com capacidade máxima, e

O Restaurante Pequeno Bosque, em São Joaquim, é outro

uma criada especialmente para o período. “Tivemos 70% de

exemplo de crescimento: investiu e contratou mais mão

ocupação nesse segundo caso, o que considero um sucesso


em razão do modelo de negócio que oferecemos: um local mais exclusivo, com pratos preparados por chef internacional e preços diferenciados”, afirma o proprietário

Oscar Rivas

Rodrigo Nunes

27

Segundo os empresários, esse tipo de evento preenche uma lacuna entre o fim da temporada de verão e o inverno

Daniel Scortegagna Pagani. O empresário defende que a Vindima de Altitude “construiu uma ponte” de negócios entre o verão e o inverno na região. “Antes era um vazio, principalmente em

REVISTA

relação à hospedagem, pois a O negócio do turismo

gente manteve a movimentação depois do verão até temporada de

REVISTA

inverno.”

O negócio do turismo

REVISTA

Revista

REVISTA

O negócio do turismo

O negócio do turismo

REVISTA

REVISTA


DESTINO

De olho nas

Caroline Schio

baleias


29

Grupo desenvolve experiência privilegiada de observação no litoral

O

Turismo de Observação de Baleias por Terra (TOBTerra) é uma rede de pessoas e entidades que

desenvolvem um turismo de base cultural e comunitário. A organização sem fins lucrativos oferece uma experiência única, com roteiros eco-culturais e trilhas com paradas em mirantes naturais, proporcionando a apreciação da vida silvestre e a observação de baleias em seu berçário natural. Os roteiros incluem também visitação a engenhos de

farinha,

alambiques,

comunidades

quilombolas,

sítios arqueológicos e ranchos de pesca artesanais, permitindo aos visitantes a convivência e a integração com personagens da cultura e do artesanato local. “As trilhas ecológicas são acompanhadas por condutores ambientais que ensinam sobre a história local, a flora e a fauna da região, em meio à paisagens de praias, costões e estuários paradisíacos”, explica Simone Polleto, uma das representantes da Rede. Atuando nos municípios de Garopaba, Imbituba, Paulo Lopes e região, a ação conta com a participação de várias entidades, incluindo a Associação de Desenvolvimento Territorial Costa Catarina (ADTC), condutores ambientais autônomos e associados do Coletivo Taiá Terra, o REVISTA

Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC), a Associação O negócio do turismo

Amigos do Meio Ambiente (AMA) e a Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa REVISTA

Catarina (EPAGRI), entre outras instituições. REVISTA

O negócio do turismo

Revista

REVISTA

O negócio do turismo

O negócio do turismo

REVISTA

REVISTA


30 Diversas opções de passeios

Turismo sem ameaças

Atualmente a Rede oferece roteiros turísticos eco-culturais

O avistamento de baleias por terra é considerada a melhor

que integram três atrativos: visitas a receptivos culturais

forma de observação, pois não molesta os animais nem

das comunidades de artesãos, da pesca artesanal e da

invade os “berçários” da Baleia Franca. “Elas se aproximam

agricultura familiar; trilhas ecológicas acompanhadas por

e ficam por longos períodos muito perto da costa, para

condutores ambientais locais e a observação terrestre de

descansar e amamentar seus filhotes, proporcionando um

Baleias Francas e outros animais.

espetáculo que não existe em outros locais, onde geralmente as baleias ficam em alto mar”, afirma a representante.

Um exemplo é o Roteiro Rosa-Luz (da praia do Rosa a Praia da Luz, em Imbituba), que oferece a visitação a ranchos

As trilhas ecológicas são acompanhadas por condutores

de pesca, oficinas líticas, além do contato com os artesãos

capacitados. “Para as comunidades que recebem os

e com lideranças comunitárias. Inclui almoço típico e

visitantes, cada roteiro traz pessoas que contribuem com as

trilhas ecológicas com condutores locais especializados,

vendas e a continuidade das tradições de cada lugar, além

permitindo apreciar e aprender sobre a vegetação de

de valorizar o saber e a cultura local, os maiores tesouros do

restinga em meio às paisagens de dunas, ilhas, lagoas,

território de uma comunidade”, diz.

costões e praias paradisíacas. “O passeio proporciona também a observação de baleias por terra, um espetáculo

Divulgação TobTerra

a parte”, defende Simone.


Walter Caira Caroline Schio

As trilhas ecológicas são acompanhadas por condutores capacitados, que explicam sobre arqueologia, flora e fauna local

Daniel Bampi

Divulgação TobTerra

Walter Caira

31

REVISTA

O negócio do turismo

REVISTA

O negócio do turismo

REVISTA

Revista

REVISTA

O negócio do turismo

O negócio do turismo

REVISTA

REVISTA


MICE

Acervo Hotel Sibara

Eventos e negócios mantém movimento turístico

Florianópolis é a quarta cidade que mais recebe eventos internacionais no Brasil


33

O

segmento MICE, cuja denominação internacional significa “Meetings” (encontros), “Incentives” (incentivos), “Conferences” (conferências) and “Exhibitions” (feiras) é responsável, mais

uma vez, por manter a movimentação da cadeia turística em Santa Catarina. Segundo o Instituto Brasileiro de Turismo, o ramo tem capacidade de movimentar cerca de R$193 milhões no Brasil até 2025. E apesar de ter passado da 11ª para a 15ª posição no ranking global da ICCA (Associação Internacional de Congressos e Convenções), o País continua sendo o lugar que mais sedia eventos na América Latina. Em 2016 foram promovidos 244 encontros. Este ano, Santa Catarina já recebeu diversos eventos de negócios que movimentaram a região no último semestre. Florianópolis, Balneário Camboriú, Joinville e Criciúma são as cidades que mais se destacaram e estão na expectativa de receber até o final do ano um volume maior de feiras e congressos. “O turismo de negócios é um dos poucos setores da economia que apresenta números positivos nos últimos anos e não poderia ser diferente em Santa Catarina”, destaca Marco Aurélio Floriani, presidente do Floripa Convention. A tendência é que esse segmento ganhe cada vez mais espaço no Estado. Por isso, é importante que os setores envolvidos se adequem às características desse segmento. “Estamos bastante otimistas para os próximos anos. Em breve teremos uma nova pista no aeroporto de Navegantes e de Florianópolis, além da inauguração de novos espaços para eventos”, comemora o presidente.

Alternativa segura para as cidades catarinenses Os eventos corporativos são considerados uma alternativa de faturamento no período de baixa temporada. De acordo com os dados da Embratur, esse visitante de negócios gasta aproximadamente US$300 por dia, o que representa quatro vezes mais do que o turista de lazer, que desembolsa em média US$70. Se o destino agradar, existe uma grande chance do viajante voltar de férias com a família ou indicar para os amigos e contatos profissionais. Além disso, o ranking da ICCA mostrou que Florianópolis é a quarta cidade que mais sedia eventos internacionais no Brasil. Balneário Camboriú é outro destino procurado para o turismo de negócios. Nos REVISTA

meses de maio e junho, a cidade sediou dois congressos nacionais da O negócio do turismo

área médica que movimentaram a cidade. Segundo o vice-presidente de Captação do Convention Bureau de Balneário, Geninho Goes, a REVISTA

O negócio do turismo expectativa é que a cidade receba 30 eventos até o fim do ano.

REVISTA

Revista

REVISTA

O negócio do turismo

O negócio do turismo

REVISTA

REVISTA


34

No norte do Estado, a Rodada de Negócios foi destaque em Joinville no primeiro semestre deste ano. O evento contou com a participação de 24 empresas âncoras e 41 empresas fornecedoras. O executivo da Joinville Região Convention & Visitors Bureau, Giorgio Augusto Souza, adiantou que a região receberá muitos congressos na área de engenharia. “A realização de eventos contribui na vinda de diversos especialistas da área, que apresentarão tendências e novidades para a nossa cidade.” A presidente da entidade, Rosi Dedekind, concorda. “O retorno sempre é positivo e todos costumam sair satisfeitos desses encontros. São eventos deste tipo que mostram que estamos no caminho Acervo Joinville Região Convention & Visitors Bureau

certo, garantindo a prospecção de negócios e oportunizando novas parcerias aos nossos associados”, declara. No início de agosto, foi realizado o III Seminário MICE, encontro promovido pela Secretaria de Estado de Turismo, Cultura e Esporte (SOL), por meio do Grupo de Trabalho de Turismo, Negócios e Eventos, e correalizado pelo Santa

Os eventos corporativos são considerados a alternativa de faturamento no período de baixa temporada, quando o número de turistas e a taxa de ocupação dos hotéis ficam menores

Catarina Convention & Visitors Bureau e pelo Joinville e Região Convention & Visitors Bureau, que na oportunidade comemorou 20 anos de atividades. O Seminário reuniu gestores, operadores e agentes de turismo, associados de Convention & Visitors Bureaux do Estado e empresas do segmento. Em Criciúma, os turistas de negócios são atraídos por conta do grande número de empresas instaladas na região. “Em 2017, três feiras de negócios movimentaram juntas mais de 200.000 pessoas que vieram para Tubarão e Criciúma especificamente para esses eventos. Além disso, está sendo prospectado também para o mês de novembro a realização dos Jogos da Juventude, que atrairá esportistas de todo o Brasil”, defende Jaqueline Backes, presidente EMTURSUL CVB.


35

Confira o que vem aí... LOCAL

EVENTO

PERÍODO

Florianópolis

The International Symposium on Multibody Systems and Mechatronics – MuSMe

24 a 28/10 de 2017

XIII Congresso Nacional dos Defensores Públicos

15 a 17/11 de 2017

54º Congresso Brasileiro de Cirurgia Plástica

15 a 18/11 de 2017

XV Jornada Catarinense de Psiquiatria

22 a 25/11 de 2017

XXII Simpósio Brasileiro de Recursos Hídricos

26/11 a 1/12 de 2017

XIV Seminário da ANPTUR

13 a 15/9 de 2017

IX Fórum Brasileiro de Educação Ambiental (FBEA)e IV Encontro Catarinense de Educação Ambiental (ECEA)

17 a 20/9 de 2017

Encontro Nacional e Latino Americano de Conforto no Ambiente Construído – ENCAC E ELACAC

27 a 29/9 de 2017

XVII COLACMAR – Congresso Latino Americano de Ciências do Mar

13 a 17/11 de 2017

45ª Congresso Brasileiro de Educação em Engenharia –COBENGE

26 a 29/9 de 2017

Intercon – Feira e Congresso da Construção Civil

4 a 7/10 de 2017

37º ENEGEP – Encontro Nacional de Engenharia de Produção

10 a 13/10 de 2017

XVI Congresso Brasileiro do Sono

1 a 4/11 de 2017

17º Simpósio Brasileiro sobre Fatores Humanos em Sistemas Computacionais

23 a 27/10 de 2017

7º Agroponte – Agronegócios e Agricultura Familiar e 5ª Exposição Estadual de Animais e 2º Leilão de Animais

16 a 20/8 de 2017

15ª Feira CasaPronta

18 a 22/10 de 2017

Balneário Camboriú

Joinville

Criciúma

REVISTA

O negócio do turismo

6º Simpósio de Integração Científica e Tecnológica do Sul Catarinense

REVISTA

23 a 25/10 de 2017 O negócio do turismo

REVISTA

Revista

REVISTA

O negócio do turismo

O negócio do turismo

REVISTA

REVISTA


PESQUISA

Santa Catarina possui maior capacidade de hospedagem do PaĂ­s

Luciano Guelfi

Representantes do setor hoteleiro analisam liderança do Estado no ranking de hospedagem no Brasil

Luciano Guelfi


37

D

e acordo com uma pesquisa divulgada pelo

Essa variedade de atrações e as possibilidade de visitar Santa

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística

Catarina durante todo o ano faz com que o trade turístico se

(IBGE), Santa Catarina tem a maior capacidade de

especialize em oferecer ao turista uma experiência completa,

hospedagem do País, considerando a sua população. No

com atrativos de encher os olhos e atendimento primando a

Estado, são 819 unidades habitacionais (suítes, quartos,

excelência. “Por ter consciência de todo o potencial turístico

chalés) e 2.125 leitos a cada 100 mil habitantes.

do nosso Estado, levamos o turismo muito a sério. Investimos sempre em uma estrutura cada vez melhor e diferenciada

O levantamento, realizado em convênio com o Ministério

e em treinamento de toda a equipe porque entendemos

do Turismo, tem como objetivo trazer um diagnóstico

que esses são fatores importantes na hora de escolher um

dos principais aspectos da rede hoteleira nacional. Para

destino e, principalmente, retornar a ele. Esse sentimento e

o presidente do Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e

esforço, compartilhados entre todos os envolvidos com o

Similares de Blumenau e Região (SIHORBS), Emil Chartouni

setor em Santa Catarina, trazem resultados como o revelado

Neto, a diversidade de produtos e destinos turísticos é o

na pesquisa”, exalta a gerente geral do Fazzenda Park Hotel,

principal motivo para o Estado liderar esse ranking. “Da

Cássia Treuk.

Serra ao Litoral, oferecemos muitas opções. Nós temos, por exemplo, turismo rural, turismo de aventura, as nossas festas de outubro, o turismo de Inverno. Nosso Estado é privilegiado pois nas quatro estações do ano temos opções”, destaca.

Mais números da pesquisa Em Santa Catarina, são 1.782 estabelecimentos

Susan Corrêa, presidente do Colegiado de Turismo e

de hospedagem (5,7% do total do País); 56.573

representante da Costa Verde & Mar, acredita que esse é o

unidades habitacionais (5,6%), e 146.837 leitos

resultado de muito trabalho e dedicação de profissionais

(6,1%). Do total de estabelecimentos, 44,8% são

que sempre apostaram no potencial turístico do Estado.

hotéis, 36,9% pousadas e 9,5% motéis. Não foram

“É importante relembrar que essa expansão se iniciou na

considerados itens como aluguel de imóveis por

década de 60. Naquela época, surgiram os primeiros hotéis

temporada ou casas de parentes e amigos. O maior

com mais de 100 leitos e estes passaram a expandir os

percentual de estabelecimentos do Estado (32,1%)

atrativos internos para atraírem mais visitantes. Em função

são de menor porte, com 10 a 19 quartos ou chalés.

disso, a nossa rede hoteleira passou a ser mais consolidada. Atualmente, a diversidade de hospedagem, desde hotéis, pousadas, hostels e recentemente o Airbnb, acabaram se somando aos equipamentos hoteleiros, agregando novos atrativos e serviços de interesse turístico”, frisa.

Da Serra ao Litoral, o Estado oferece muitas opções dentro de vários segmentos, como o turismo rural, de aventura, festas de outubro, negócios e turismo sazonal (inverno e verão)

REVISTA

O negócio do turismo

REVISTA

Rodrigo Soldon

Mike Vondran O negócio do turismo

REVISTA

Revista

REVISTA

O negócio do turismo

O negócio do turismo

REVISTA

REVISTA


QUALIFICAÇÃO

Formação Técnica Programa nacional capacita jovens em cursos na área de turismo e hospitalidade

A

atividade turística enfim foi contemplada com cursos gratuitos para a formação de técnicos de nível médio, que atenderão às necessidades do

mercado. O MedioTec, modalidade do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec), do Ministério do Turismo, oferece cerca de 10 mil vagas destinadas aos estudantes de escolas públicas brasileiras em 18 estados. Os cursos são presenciais, em horários diferentes dos cursos regulares, e ministrados por entidades cadastradas pelo Ministério da Educação. A previsão é que as aulas comecem neste segundo semestre de 2017. Ao todo, são sete cursos técnicos nas áreas de agenciamento de viagens, cozinha, eventos, guia de turismo, hospedagem, lazer, restaurante e bar. Os jovens terão aulas sobre processos de recepção, viagens, gastronomia, serviços de alimentação e entretenimento. A Região Sul será contemplada com 2.410 vagas e Santa Catarina é o Estado que vai contar com mais cidades participantes da região, com 14 municípios. Além da Capital, Balneário Piçarras, Bombinhas, Concórdia, Garopaba, Gravatal, Laguna, Palhoça, Pomerode, São Bento do Sul, São José, Tubarão, Urubici e Videira estão oferecendo vagas para os estudantes interessados. Segundo o Ministro do Turismo, Marx Beltrão, a iniciativa vai tentar resolver um dos principais gargalos do setor, que é a carência de pessoal qualificado. “Com este programa, o jovem sairá do Ensino Médio com uma profissão e terá condições de concorrer a uma vaga no mercado de trabalho.”


39

Mapa de demandas

Santa Catarina é o Estado com mais cidades participantes. Além da Capital, Balneário Piçarras, Bombinhas, Concórdia, Garopaba, Gravatal, Laguna, Palhoça, Pomerode, São Bento do Sul, São José, Tubarão, Urubici e Videira oferecem vagas

A definição da oferta levou em conta a demanda apresentada pelos estados e a capacidade de atendimento do Programa. Um dos pré-requisitos para seleção dos municípios contemplados é que estes estejam enquadrados nas categorias A, B ou C do Mapa do Turismo Brasileiro. O mapa, utilizado como ferramenta de gestão do Ministério do Turismo, apresenta mais de 2.170 municípios, organizados em 291 regiões turísticas de todo o País. REVISTA

Para participar, basta entrar em contato com a Secretaria O negócio do turismo

de Turismo de cada localidade. Os órgãos irão definir o formato de inscrição, juntamente com as secretarias de REVISTA

Educação de cada Estado.

O negócio do turismo

REVISTA

Revista

REVISTA

O negócio do turismo

O negócio do turismo

REVISTA

REVISTA


SEGMENTO

Empoderamento e diversidade Turismo LGBT consolida espaço e é oportunidade de negócio

A

medida que são conquistados direitos e o respeito

O segmento também é menos afetado por crises

à diversidade, o turismo destinado ao segmento

econômicas, pois o rendimento salarial está acima da

LGBT vem se consolidando nas principais cidades

média nacional. Com esse perfil econômico, o turista

brasileiras como Rio de Janeiro, Salvador, São Paulo, Porto

é extremamente bem informado e exigente. Considera

Alegre, Brasília, Recife e Florianópolis. Segundo dados do

o profissionalismo do prestador de serviços e prefere

Community Marketing & Insights, o Brasil é considerado o

contratar suas viagens por meio de agências de viagens

destino mais hospitaleiro da América do Sul e o país latino-

especializadas.

americano com maior potencial para o turismo LGBT.

Capital perde espaço no mercado O nicho cresce 11%, ao passo que o turismo “convencional” tem crescido na faixa de 3,5% ao ano. De acordo com a

Florianópolis é um dos destinos gay friendly mais

Associação Brasileira de Turismo LGBT (ABRAT), o principal

desejados por turistas brasileiros e estrangeiros. A cidade,

mercado emissor para o Brasil inclui os Estados Unidos,

hospitaleira e multicultural, foi pioneira em oferecer festas e

a Argentina, a França, a Itália e a Espanha e o gasto per

eventos desse tipo. O carnaval “Pop Gay” conquistou fama

capta desse segmento chega a ser 3 vezes superior ao dos

internacional e acontece, anualmente, desde 1995. Já a

turistas heterossexuais.

Parada da Diversidade é realizada desde 2006. Apesar de ser a última capital do Brasil a realizar a Parada, o evento já

A pesquisa aponta outro dado interessante: 45% desses

foi considerado o segundo maior do País e o terceiro maior

turistas costumam viajar para o exterior, percentual muito

evento público do Estado, movimentando a economia de

maior do que os 9% em média auferidos pelo turista não

toda a região e impactando positivamente a rede hoteleira,

LGBT. Viajam, em média, quatro vezes por ano e não

restaurantes, bares, casas noturnas e a realização de eventos,

estão presos ao calendário escolar. Como hóspedes, eles

além é claro de incrementar o comércio local.

também são mais vantajosos: gastam em média 30% a mais nos destinos em que costumam reservar. Apenas esses

Segundo entidades do setor, somente a Parada da

diferenciais seriam suficientes para despertar a atenção de

Diversidade é responsável pelo incremento das vendas no

gestores públicos, planejadores e do mercado em geral,

comércio local em torno de 15%, sendo que grande parte

mas o perfil desse turista apresenta outras considerações

do público é composto por jovens de classe média, que

importantes.

costumam ficar hospedados entre 3 a 5 dias na cidade.


41 No entanto, desde 2011, quando o evento atingiu seu ápice em termos de participação – com mais de 150 mil pessoas colorindo a avenida Beira-Mar Norte –, o mercado vem percebendo sinais de uma possível retração. Em 2015, o público da Parada caiu para 90 mil participantes. No ano seguinte, apenas 10 mil pessoas desfilaram pela avenida Beira-Mar. Outro dado preocupante divulgado pela Embratur é relativo ao ranking das cidades mais procuradas pelo segmento LGBT. Florianópolis caiu duas posições, passando do terceiro para o quinto lugar. Os números causam apreensão, pois impacta na arrecadação da cidade chamando a atenção dos gestores públicos e do trade turístico. A próxima Parada da Diversidade de Florianópolis está programada para o dia 7 de setembro e será a chance de reverter este quadro.

Como atender este público Acervo Prefeitura Municipal de Florianópolis

• Mostrar respeito na mesma medida. Trate como você gostaria de ser tratado • Aja com a cortesia e a naturalidade que todos merecem

No hotel • Confirme todos os dados da reserva sem dar ênfase às informações sobre o tipo de cama. •Tenha a preocupação de adaptar o quarto em relação aos artigos de uso pessoal e brindes para casais do mesmo sexo. • Apresente todas as opções de hospedagem sem dar

Banheiros sociais

preferência a uma ou outra.

Os banheiros sociais devem respeitar a identidade

• Quando for realocar hóspedes, mantenha a

de gênero das pessoas. Caso algum cliente

preferência indicada no ato do check-in.

heterossexual LGBTfóbico reclame, explique que não

Nos restaurantes e bares

e a a Constituição Federal veda a discriminação.

existe legislação que proíba uso de banheiro no Brasil •Algumas ações de etiqueta são remetidas normalmente a homens ou a mulheres. Uma forma amistosa é

Tratamento

perguntar quem do casal irá degustar o vinho.

• Transgêneros, muitas vezes, têm documentos com

•Para mulheres, deve-se puxar a cadeira para as duas e, na

nomes diferentes dos que usam socialmente. Quando

dúvida, colocar a conta no meio da mesa ou entregá-la a

for necessário o uso de documento, não se abale

quem pediu.

com a discrepância do nome ou da foto e aja com

•Não coloque casais homoafetivos em mesas ou

naturalidade.

localizações obviamente desprivilegiadas, todos devem

• Sempre trate a pessoa pelo gênero com qual ela

ser tratados com a mesma presteza e atenção.

se identifica e não pelo sexo de nascimento ou

•Não se intrometa ou queira fazer companhia a duas

orientação sexual. Isso significa observar se a pessoa se

mulheres “sozinhas”,

veste e se identifica de forma masculina ou feminina.

•Não pergunte se estão esperando mais alguém e não

• Opte por formas que não marquem o gênero: Deseja

faça referências a namorados ou maridos.

mais alguma coisa? Posso ajudar em algo?

REVISTA

O negócio do turismo

REVISTA

Fonte: DICAS PARA ATENDER BEM TURISTAS LGBT / Embratur – Ministério do Turismo

O negócio do turismo

REVISTA

Revista

REVISTA

O negócio do turismo

O negócio do turismo

REVISTA

REVISTA


ARTIGO

A experiência de uma Acervo Sebrae/SC

boa alimentação Por Roberto Tavares de Albuquerque Gerente da Unidade de Atendimento Coletivo do Sebrae/SC

á algum tempo, a alimentação fora do lar faz parte

H

o processo de produção de um prato, conhecer a marca

da rotina dos brasileiros. Ao longo dos anos, o setor

e o conceito da empresa, participar de alguma atividade,

se fortaleceu e atualmente conta com mais de 1 milhão

degustar e apreciar a história do local. Vivemos em um tempo

de empresas formalizadas no País. De acordo com o

em que a experiência vivida tem um valor imensurável.

IBGE, nos centros urbanos, os gastos com alimentação fora do lar ultrapassam 25% da renda média familiar. O

Somado a isso, está o crescimento na procura por alimentos

setor representa 2,4% do PIB, movimenta R$ 140 bilhões

orgânicos, funcionais, sustentáveis e saudáveis. De acordo com uma pesquisa da Associação

na economia, e responde por 3,1% da arrecadação de impostos. Para muitos, a escolha por comer fora de casa é diretamente associada à praticidade. Porém, um novo conceito vem ganhando espaço e expandido a

oportunidade

de

mercado.

O

Food Experience é um modelo que considera, além da comodidade, do sabor e do preço, outros componentes intangíveis que são levados em conta pelo consumidor na hora de optar por fazer uma alimentação fora do lar.

O Food Experience é um modelo que considera, além da comodidade, do sabor e do preço, outros componentes intangíveis que são levados em conta pelo consumidor na hora de fazer uma alimentação fora do lar

A busca por uma vivência memorável

Paulistana de Supermercados (APAS) em

2015,

79%

dos

consumidores

disseram ter trocado sua alimentação por comidas mais saudáveis. Esses números, se inseridos no contexto do Food Experience, podem gerar resultados positivos para o setor. Diante desse cenário, há uma grande oportunidade de atuação, em que os empreendedores podem explorar, de maneira planejada, formas de oferecer ao cliente mais do que uma refeição, mas uma experiência cultural carregada de sentimentos. O Sebrae/SC, juntamente

é cada vez mais comum entre quem opta por comer fora

com parceiros do segmento e por meio de projetos específicos,

de casa. O consumidor relaciona a ida a um restaurante

busca incentivar os empreendedores catarinenses a inovar,

com um momento carregado de simbologias. Os clientes

com o objetivo de valorizar a gastronomia do nosso Estado e

buscam atendimento primoroso, gostam de aprender sobre

transformá-la em referência mundial.


Cânion do Xingó – Sergipe turismo.gov.br #veraonordeste

Divulgue os destinos do Nordeste. Você é muito importante para tornar o verão no Nordeste uma estação inesquecível. Venda os destinos e mostre para os seus clientes como paisagens lindas, comidas deliciosas e muita diversão estão esperando por eles.


Juntos há cinco décadas, Embratur e profissionais dom turismo do Brasil se dedica a preparar e a apresentar nar nosso país para proporcio momentos inesquecíveis. Que venham os próximos , 50 anos de mais parcerias sil mais resultados e mais Bra recebendo o mundo inteiro.

visitbrasil.com

Revista TradeTur #14  

Guias catarinenses se capacitam e se fortalecem

Advertisement