Page 1


Campanha elaborada por: Ana Paula Covolan, Daniel Zierhut, Jefferson PorciĂşncula e Rilori Braga Modelo: Eduardo Amaro


ÍNDICE 4

CULPAR OU CONAR

5

FORA DA LEI

6

RELAXA E GOZA

7

HORÓSCOPO (?)

8

CORES E VALORES

14

HQ VELMA

15

AJUDA AOS UNIVERSIT´ÁRIOS

16

ATENÇÃO: CONTÉM SPOILERS

18

UMA CILADA NO ESTAÇÃO

24

FALANDO SÉRIO

25

HQ JOE

26

7 ERROS

EDITORIAL

Sejam bem vindos! Esta é a primeira edição da Revista TARJA, que tem como objetivo proporcionar experiências de mercado e estudo aos alunos de Comunicação Social – Publicidade e Propaganda, abordando temas de diversas áreas da comunicação. Este projeto surgiu quando seis alunos de Publicidade da Universidade Estadual do Centro Oeste uniram-se para formar uma equipe e criar uma revista online voltada para a comunicação. A intenção de fazer uma revista além de informativa, mas também divertida, esteve presente desde a primeira reunião, criando pautas em cima desta ideia. A TARJA possibilitará que não apenas os seis alunos responsáveis, mas qualquer um que se interesse na área faça parte da revista, escrevendo matérias, sugerindo pautas, diagramando, entre outras funções. A primeira edição leva o nome de TARJA Preta, e cada uma terá uma tarja de cor diferente. A TARJA Preta conta com dois ensaios fotográficos, Cores e Valores e Uma cilada no Estação; matérias sobre o CONAR e CONANDA, além de cinema, quadrinhos e comédia. A Revista TARJA apresenta sua primeira edição, e os convida a um momento de conhecimento e diversão. Novamente, sejam bem vindos, e aproveitem esse passeio pelo mundo da comunicação.

EXPEDIENTE Editor: Daniel Zierhut Conselho Editorial: Ana Paula Covolan, João Antonio Franz, Mateus Barcelos, Taysa Holocheski e Yhara Freire. Revisão: Ana Paula Covolan e Mateus Barcelos Fotografia: Taysa Holocheski Ilustração: João Antonio Franz Produção: Yhara Freire Diagramação: Daniel Zierhut e João Antonio Franz

Colaboradores: Amanda Molinari, Vanessa Barbosa, Gracieli Crotti, Fabiane Pereira,, Fernanda Szeremeta, Jefferson Porciuncula, Eduardo Amaro, Rilori Braga, Julia de Moura, Valquiria Radünz, Mayara Kurta, Rafaeli Lunkes, Silnei Scharten Soares, Helton Costa, Andressa Rickli e Iris Tomita


FORA DA LEI

Por Gracieli Crotti

Uma campanha de publicidade deve ser gerada respeitando-se as leis estabelecidas pelo CONAR, caso contrário poderá ser punida e até censurada. Quando uma agência de publicidade cria uma campanha, são inúmeras as precauções e cuidados que devem ser tomados. Além de pensar no público-alvo e qual a melhor forma de se comunicar com ele, os criadores da campanha devem se preocupar com todas as pessoas que poderão ser atingidas pela mesma, logo, pensar um tipo de linguagem que não venha midores afirmou que o anúncio era a desacatar, ofender ou desrespeitar extremamente apelativo, malicioso, este público. Os consumidores tem o e contra os princípios socioeducatidireito de reclamar junto ao CONAR vos, pois estimulava a prática sexu(Conselho Nacional de Autorregu- al, sendo que não há menção ao uso lamentação Publicitária) quando se de proteção. A agência responsável sentem de alguma forma ofendidos defendeu que a ideologia da marca com o anúncio. O órseguia a linha do hu“O órgão, por sua gão, por sua vez, recemor e da modernidabe tantas denúncias, vez, recebe tantas de, e que a intenção que muitas delas nem denúncias, que muitas era se comunicar com vêm ao caso de serem o público jovem, mas delas nem vêm ao caso analisadas, por se traao mesmo tempo tarem de argumentos de serem analisadas” demonstrou preocuprecipitados ou até exagerados. pação e respeito aos consumidores Quem não se lembra da avó atre- insatisfeitos com a campanha, a veivida que protagonizou o comercial culação desta ficou restrita ao horádas Havaianas em 2009? No anúncio rio adulto. a vovozinha em conversa com a neta, Outro exemplo é o da Fiat com a aconselhava a mesma a ter uma vida campanha “Vem pra rua”. No período amorosa moderna, fazendo sexo sem de veiculação do anúncio o povo brase preocupar com compromisso. Se- sileiro organizava manifestações nas gundo o CONAR um grupo de consu- ruas. Logo a população passou a usar

Cena do comercial da Havaianas.

o slogan e a música utilizados pela Fiat, para protestar e reivindicar seus direitos. Como a ideia da campanha era totalmente avulsa aos movimentos, a mesma teve que ser tirada do ar. Seja por insatisfação popular ou por rumos indesejados que a campanha venha a tomar, muitas vezes as agências são obrigadas ou optam por tirar seus anúncios de veiculação. É importante que todos saibam que as campanhas publicitárias são regulamentadas pelo CONAR, e devem existir de acordo com as leis prescritas, caso contrário o próprio consumidor poderá exigir seus direitos através de reclamações, e as campanhas podem ser censuradas.

Para mais informações sobre o Conar acesse:

www.conar.org.br


Por Fabiane Pereira

Publicidade Infantil: Culpar ou Conar?

A lei que proíbe a publicidade direcionada ao público infantil foi aprovada e inflamou ainda mais o debate sobre o assunto Agora é oficial: o Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente (Conanda) proibiu qualquer propaganda para crianças e com crianças. Com base no Estatuto da Criança e do Adolescente e no Código de Defesa do Consumidor, o texto, aprovado em abril, diz ser ilegal e abusiva toda publicidade com apelo ao público infantil. O Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária (Conar) proibia somente as ações de merchandising com exposição de produtos infantis, entretanto determina agora que a publicidade deve ser destinada exclusivamente ao público adulto. A decisão é recente mas o assunto vem causando polêmica há algum tempo. Pais e mães se mobilizaram nas redes sociais para que a regulamentação saísse do papel, argumentando que a publicidade voltada para as crianças é invasiva e que seus filhos não distinguem a realidade da ficção. Porém a maior preocupação são as propagandas de alimentos industrializados com alta porcentagem de gordura, açúcar e

sódio. Quem nunca viu uma criança

chorando no mercado para comprar o chocolate do personagem de desenho animado favorito? Mas nem todos culpam a publicidade. O criador da turma da Mônica, Mauricio de Sousa, deu sua opinião ao publicar em sua conta no instagram a foto de uma

garotinha segurando um cartaz que mostrava: “Eu tenho direito de assistir publicidade infantil. A televisão não é só para os adultos. Alguém sabe quais produtos infantis lançaram por esses dias?” O cartunista, um dos maiores anunciantes na área, defendeu que os anúncios de seus produtos sempre foram feitos com responsabilidade e respeito ao seu público, e por isso seus personagens são queridos por gerações. Os defensores da prática acreditam que é função dos pais educarem seus filhos para não serem consumistas exacerbados. Outros preferem o velho discurso de que a mídia manipula e influencia. Resta aos anunciantes e publicitários, que perderam um grande mercado, o dever de achar uma nova forma de vender seus produtos, adaptando-se à nova legislação.

Para mais informações acesse: www.sdh.gov.br


Relaxa e Goza Por Ana Paula Covolan e Mateus Barcelos

Se renovando a cada dia, a indústria pornográfica usa a criatividade para não perder seu público na era da internet. Para atrair, utiliza várias artimanhas, dando a todos as mais diversas oportunidades de interação dentro deste universo. A pornografia brinca com o imaginário popular. Traz em cenas a montagem perfeita dos desejos sexuais mais profundos e até profanos de cada um. Em contrapartida, também mostra os preconceitos e os tabus que ainda pairam pela sociedade. As produtoras trabalham e estão se reinventando para atrair o público e satisfazer os desejos alheios. A indústria pornô já teve seu auge na segunda metade do século XX, mas com a chegada da internet, a lucratividade com a venda de DVD e VHS diminuiu, forçando as produtoras a tomarem rumos alternativos para manter o negócio. No ano passado, em torno de 30% das pesquisas feitas na inter-

net eram referentes a sexo, tornando a internet o maior cartão de visita da área. As novas formas de entretenimento da indústria não se resumem apenas a filmes. A interatividade da internet proporciona grandes oportunidades para as produtoras explorarem aquilo que pode satisfazer seus clientes na eterna busca do prazer. Reality shows 24 horas onde o público pode, literalmente, interagir com os atores e atrizes são a grande aposta da produtora Brasileirinhas para aumentar sua visibilidade do mercado após a queda de vendas dos filmes. E pra quem acha que não é o suficiente, ainda existem os planos de assinatura e fidelidade. As produtoras disponibilizam acesso ilimitado às câmeras da casa, onde duas atrizes competem

entre si para estrelar um filme. Nesse tempo, as garotas fazem jogos sexuais e atendem aos pedidos daqueles que estão assistindo em tempo real. Quem se sair melhor, atrair os expectadores e ganhar o maior número de provas vai ter a chance de se tornar uma atriz profissional e estar presente nos sonhos

“No ano passado, em torno de 30% das pesquisas feitas na internet eram referentes a sexo”

eróticos de muita gente. Os atores que fazem pornô confessam que ainda sofrem preconceito, muitas vezes sendo rotulados como vagabundos, putas, vadias, piranhas, raparigas, mulheres da noite pessoas que não merecem o respeito da sociedade. E o cachê por filme, ao contrário do que muitos pensam, mal cobre o valor de um aluguel. Os profissionais se defendem alegando que é uma profissão como qualquer outra e que apenas mostram em frente às câmeras, sem vergonha nenhuma, o que as pessoas fazem ou tem vontade de fazer entre quatro paredes. E no final, eles estão mentindo?


´ HOROSCOPO ´

ARIES Os ares estão fedidos. Cuidado com problemas intestinais. A sua lua em feijão está indicando que deverá comprar um bom ar. Música recomendada: Rita Lee – Tudo vira bosta

TOURO É na sola da bota, é na palma da mão, bote um sorriso na cara e mande embora a solidão. Música recomendada : Xiru Missioneiro- corpo esgualepado

^ CANCER Fique atento na rotação do Planeta HGBB-57029-Alfa-45, ele terá uma influência muito grande nas suas escolhas. Recomendação: Sinais

~ LEAO Cuidado com sequestros. Seu sol em zoológico está indicando viagens, relacionamentos passados podem retornar. Canal recomendado: Animal Planet

LIBRA O tempo passará e você sofrerá calado, não vai dar para tirar ela do pensamento, e quando dirás que está apaixonado, vai receber um convite de casamento. Dupla recomendada: Gian e Giovani

´

CAPRICORNIO No dia de seu nascimento o sol estava queimando, os planetas estavam girando e a Rede Globo estava reprisando A Lagoa Azul. Isso não significa nada. Boa sorte. Cantora recomendada : Vanessa da mata

~ ESCORPIAO Suas atitudes parecem um pouco venenosas ultimamente, não guarde rancor no coração e não saia por aí distribuindo picaduras. Filme Recomendado pra você: O Escorpião Rei

´

AQUARIO Nada de relevante está acontecendo na sua vida neste momento. Pare de ficar em casa assistindo novela e saia para se divertir. Recomendação: H20 Meninas Sereias

^ GEMEOS A indústria de filmes adultos está buscando algo novo. Se forem siameses o cachê será maior, acessar o setor de fetiches. Site recomendado: wwww. acasadasbrasileirinhas.com.br

VIRGEM Nada do que foi será de novo do jeito que já foi um dia. Filme recomendado: O virgem de 40 anos

SAGITARIO

PEIXES A piracema pode começar a qualquer momento, escute muito Sandy e Junior e vamos pular. É hora de mudança, um pulo para o futuro. Filme recomendado: Piranha 3D

Diagramação : Júlia de Moura


CORES E VALORES Uma coisa antes menosprezada hoje vira arte enfeitando o cotidiano daqueles que passam e observam o colorido ou o preto e branco impactantes em seu sentido, muitas vezes crítico e repleto de expressões. O grafite virou algo que traz aos olhos um pouco de arte no dia-a-dia corrido e rotineiro da maior parte das pessoas. No ano passado, a cidade de Guarapuava recebeu o evento “Virada Cultural”, que além de muita música, gastronomia e dança, trouxe também artistas de outras localidades para preencherem muros da cidade. O colégio Newton Felipe Albach e o Centro Cultural de Guarapuava ganharam uma nova cara com grafites e muralismo. Muita cor e traços marcam a presença dos artistas na cidade e deixam boquiabertas as pessoas que as observam. O desenho de um olho expressivo, um contorno diferenciado ou até mesmo imagens um tanto “psicodélicas” transformam grafites nos muros em sentimentos. Dois artistas que fizeram parte da Virada Cultural, Claudio Celestino Dimas e Tom Mais Amor, deram uma entrevista para a equipe da Revista Tarja falando um pouco sobre sua carreira, grafite e sua presença na Virada Cultural. Claudio contou que já era apto a outras artes como música e fotografia quando começou a grafitar aos 20 anos. Quando perguntamos o que achou de ser convidado para o evento ele foi claro: “Foi muito bacana esse trabalho, coordenei com mais alguns colegas as ações de artes visuais nas outras cidades da Virada, além de oficinas e do Mural. Foi bastante intenso, mas gratificante”. Ele afirma que recebe convites frequentes para grafitar, mas como ele

Por Ana Paula Covolan

mesmo diz “alguns mais interessantes que outros”. Entrando no assunto do preconceito com essa arte e artistas, Claudio diz não ter sofrido muito com isso já que não faz parte do estereótipo dado a grafiteiros, como o hip hop, apesar de já ter sido abordado pela polícia, mas está ciente de que o preconceito ainda existe. Dimas contou que muitas vezes foi convidado a grafitar em cima de um muro pichado, algo belo, mas diz que “existe uma crença de que pichadores não atacam grafite, bem, é um grande equívoco, pois são essencialmente a mesma coisa, e sim, os pichadores “atropelados” vão voltar, é um ciclo”. Ele disse ainda que adorou ter feito uma arte tão

ro, mas conta que começou a pintar no ano 2000. Quando perguntamos a ele o que achou do convite para a Virada Cultural, disse “acho brilhante o conceito da maratona cultural, cultura para todos, cidadãos e cidades, poderia rolar uma por mês. A cultura é o verdadeiro valor que dá significado a nossa existência”. Ao contrário de Dimas, Tom conta que já sofreu não só preconceito, mas juízos, e isso não o intimida: “Nunca parei nem vou parar de pintar na rua por isso, ao contrário, é uma missão de vida resgatar ou reclamar nosso direito de interagir na cidade que habitamos, com respeito, lógico, porém com liberdade”.

grandiosa na Casa da Cultura: “O fato de ser na Casa da Cultura foi muito especial, pois potencializa o conceito da casa e da obra. Um espaço que merecia um pouco de atenção e cuidado”. E de ante mão ainda contou que haverá uma exposição sua em Guarapuava no mês de outubro, no mesmo mês em que também acontecerá a Virada Cultural 2014. Tom, diz que não se considera grafitei-

“O encontro das formas com a vida, as cores e o amor”, foi a frase que Tom escolheu para descrever a sua arte. Toda expressão artística é válida, quando passa a nós um sentimento, uma emoção a mais. Seja na música, no cinema, na poesia ou na beleza de um grafite, a arte transforma cada instante bom ou ruim da nossa vida em algo mais que apenas tempo, e isso acaba sendo, quase, que inquestionável.


cores e valores Um ensaio fotográfico mostrando a beleza do grafite.

Fotos: Taysa Holocheski | Modelo: Vanessa Barbosa Produção: Yhara Freire e Ana Paula Covolan | Diagramação: Jeff Porciúncula


Essa ĂŠ Velma Velma fotografou Gandalf O Branco...

Mas nĂŁo ajustou o branco 18%cinza. Gandalf ficou cinzento.


S O I R Á T I S R E AJUDA DOSAOUNIVERSITÁRIOS S UNIV

Filmes, séries e documentários são um método eficaz de tornar o interesse por alguma coisa maior. Os professores da Universidade Estadual Do Centro Oeste recomendaram produções audiovisuais para aqueles que se interessam pela área de Comunicação Social e desejam seguir carreira na mesma. Confira abaixo as dicas: INDICAÇÃO POR ANDRESSA RICKLI Clube da Luta (Fight Club, 1999) Direção: David Fincher Por não representar a publicidade em seus velhos rótulos, mas incitar uma interessante reflexão sobre o universo do consumo. Afinal de contas, até mesmo os publicitários precisam entender que “você não é o seu emprego. Você não é quanto dinheiro você tem no banco. Você não é o carro que você dirige. Você não é o conteúdo da sua carteira”.

INDICAÇÃO POR IRIS TOMITA Mad Men (2007-2014) Criador da série: Matthew Weiner Mad Men é uma série que entra na lista de “leitura obrigatória” para alunos de Publicidade. A série apresenta o cotidiano de uma agência de publicidade em Nova York. Don Drapper, o protagonista, é um publicitário bem-sucedido e, embora aparente ter uma carreira de sucesso, uma família perfeita e uma vida perfeita, é uma pessoa infeliz e com constante crise de identidade. Bebidas e adultérios são suas válvulas de escape para fugir de seus problemas. Além da rotina de uma agência, a série apresenta por meio de outros personagens um panorama dos anos sessenta e debate polêmicas temáticas como o tabagismo, alcoolismo, adultério, homofobia, machismo. Quem assiste à série tem ainda a oportunidade de conhecer uma primorosa direção de arte, figurinos e caracterizações bem estruturadas. Enfim, Mad Men é um entretenimento inteligente que convida o espectador a refletir, com boa dose de sarcasmo e bom humor.

No (2012) Direção: Pablo Larraín Por reconstituir um fato histórico, de forma A Cobra Fumou (2012) ficcionalizada, consequentemente com algu- Direção: Vinicius Reis “A Cobra Fumou” (2002) é um documentário mas “licenças”, uma vez que é um ponto de que mostra a luta de 25 mil soldados brasivista. Retrata um publicitário que assume uma leiros que combateram o nazi-fascismo na II posição de grande risco ao se dispor a ser o Guerra Mundial (1944-45), pela Força Expedigrande mentor da campanha que dizia não à cionária Brasileira – FEB, uma história pouco ditatura de Pinochet. É assistir para ver. conhecida no país. A expressão que dá nome ao documentário nasceu porque a imprensa da época dizia que era mais fácil uma cobra fumar que o Brasil entrar na Guerra. O Brasil foi, lutou e venceu. INDICAÇÃO POR RAFAELI LUNKES Obrigado por fumar (Thank You For Smoking,2005) Direção: Jason Reitman Este filme ficou conhecido principalmente entre os profissionais de Relações Públicas e Publicidade, pois apresenta de forma curiosa como funciona o trabalho movimentado dessas pessoas e também os modos de persuasão. Divergente do que parecia a primeira vista, não retrata os malefícios do cigarro, e sim o poder da palavra, poder de comandar a informação, o modo da argumentação. É uma crítica social a emissão de verdades que abrangem poder, dinheiro, lucros e jogos de interesses. Deixa muitas reflexões no ar. Liberdade de escolha em um mundo dominado pela publicidade é liberdade de verdade?

INDICAÇÃO POR SILNEI SOARES A Revolução Não Será Televisionada (2003) Direção: Kim Bartley e Donnacha O’Briain Em 2002, a Venezuela sofre um golpe de Estado, patrocinado pela oposição ao governo de Hugo Chávez. Uma equipe da TV irlandesa, que estava no país produzindo um documentário sobre o governo bolivariano, registra o desenrolar dos acontecimentos. A edição é primorosa na desconstrução da farsa montada pelos golpistas, com apoio da mídia privada e da CIA. Destaque para episódio do massacre da Ponte Llaguno, arquitetado pela oposição como pretexto para a legitimação do golpe.


Um novo ponto de partida para a reunião dos Vingadores

Por Daniel Zierhut

O filme Capitão América: o Soldado Invernal estreou em abril nos cinemas e está sendo responsável por uma grande transformação na chamada Fase 2 da Marvel que vai culminar no filme dos Vingadores: Era de Ultron (Atenção contém spoilers) Neste filme vemos o Capitão como uma pessoa que ainda está se acostumando a vida moderna (inclusive com um caderninho de anotações, sobre fatos da cultura pop que ele deve conhecer, depois do tempo que ficou congelado). Vamos direto ao ponto alto do filme que é o que realmente pode mudar os rumos do Universo Marvel nos cinemas. Há muito tempo a HIDRA estava infiltrada na SHIELD, e com essa descoberta se tem uma quebra na linha que uniu os Vingadores no primeiro filme, mas vemos que Nick Fury tendo descoberto isso antes já se preparou para tudo o que vinha a seguir. A ameaça é temporariamente controlada graças ao Capitão, a Viúva Negra e ao Falcão mas, como citado no filme, quando se corta uma cabeça na HIDRA, nascem duas no lugar, isso só vem para confirmar que eles ainda vão dar muita dor de cabeça para os heróis. Já na cena pós créditos vemos Barão Von Strucker, um importante membro da HIDRA, que mostra que tem sob seu poder dois “milagres”(já que mutantes estão sob domíbio da FOX), são eles Mercúrio e Feiticeira Escarlate, também conhecidos no mundo dos quadrinhos como Pietro e Wanda ou ainda filhos do Magneto. Isso mesmo, mas essa bagunça a gente explica em uma próxima edição da revista. Agora destacando os personagens do filme, vemos a Viúva Negra tornando-se

uma personagem quase tão importante quanto o Capitão América, e já foi garantido que a participação dela no Vingadores 2 será de maior impacto. Sam Wilson, o Falcão, não tem ligação com a SHIELD, e graças a isso serve como um importante ponto de apoio ao Capitão e a Viúva quando é descoberta a influência da HIDRA. E é claro o Soldado Invernal que aparece até no título do filme, o personagem acaba não sendo o principal atrativo do filme, foi mais como uma apresentação e já podemos esperar futuras participações dele no Universo Cinematográfico da Marvel, isso fica claro em uma das cenas pós créditos onde ele começa a se lembrar de quem ele era, um amigo do Steve que todos pensavam estar morto. Outros detalhes aparecem durante a leitura dos alvos dos porta-aviões, temos um vislumbre da torre Stark que agora é a torre dos Vingadores, e ainda a menção a um nome que há muito vem sendo especulado como próximo filme de herói solo da Marvel, Stephen Strange ou Dr. Estranho, é a Marvel expandindo ainda mais seu Universo, que tem como aposta mais arriscado este ano o filme dos Guardiões da Galáxia, voltamos a falar desse filme na revista depois da es-

treia ou antes, talvez. O que dizer do filme então: é um filme que funciona muito bem sozinho, mas que sabemos que representa o início de algo muito maior que vai culminar no filme dos Vingadores, que tem como principal vilão o Ultron, por isso talvez a HIDRA sirva mais como uma coadjuvante, mas de qualquer forma os eventos do Capitão América 2 vão repercutir em todas as criações da Marvel Studios (na série de TV, já está repercutindo). A construção de personagens sólidos e a boa escolha de atores para interpretá-los vem transformando a Marvel Studios em uma das empresas que mais lucram no cinema, cada filme supera o faturamento do anterior, tudo isso fruto de um planejamento muito bem estruturado. Com todos estes acontecimentos, os Vingadores vão encontrar em sua próxima reunião um mundo totalmente modificado. Para os espectadores isso é ótimo, porque agora sim serão capazes de distinguir a Fase 1 da Fase 2, e com um precedente como Capitão América: o Soldado Invernal, a expectativa para o próximo Vingadores é elevada as alturas.


A consolidação e os desafios do Espetacular Homem Aranha Quanta coisa pra um filme só hein?! MAS, alguns círculos foram fechados e outros ficaram escancarados para os próximos filmes, 3 e 4 já foram confirmados, além de um filme sobre o Sexteto Sinistro. Quem torcia o nariz para o número de vilões nesse filme estava equivocado. Cada um teve o seu tempo e souberam aproveita-lo muito bem. Começando pelo subtítulo do filme: a ameaça de Electro, vemos um vilão interessante, que era fã do Homem Aranha. O sentimento de solidão do personagem serve de base para construção de um vilão que era o oposto do popular herói. Os efeitos especiais do filme deram um toque especial no personagem que é muito bem interpretado pelo Jamie Foxx. Para destruir o vilão, Peter recebe ajuda de Gwen, uma nerd linda <3, e que guiados por conceitos da física, destroem o vilão. Mas quando se pensa que está tudo bem, aparece o Duende Verde. Para esse vilão se misturou uma doença, com uma “cura” e uma armadura. Assim, chega-se ao seu visual bizarro. Harry Osborn, voltando de viagem, encontra o pai no leito de morte tomado por uma doença genética. O pai lhe entrega um dispositivo com informações sobre a Oscorp, e com isso ele acaba descobrindo que o sangue do Homem Aranha pode ajudá-lo a se curar. Homem Aranha este que recebeu seus poderes de uma aranha criada no la-

boratório da empresa para tentar se criar a cura. Harry vai atrás de Peter pedir ajuda ao antigo amigo e mais tarde, ele percebe que o próprio é o Homem Aranha. Tomado pela doença que começa a se manifestar ele descobre que pode ter um remédio na Oscorp e vai atrás de Electro. Invade a empresa, encontra o antídoto e o injeta. Começa então uma transformação em que surge a “armadura” do Duende Verde. Voltando ao ponto onde Electro se desintegra e Peter e Gwen estão comemorando, os dois são surpreendidos pelo Duende Verde. Começa então uma perseguição, ele pega Gwen e quando a solta, todos ficam na expectativa de sua morte. Felizmente Peter consegue pegá -la, mas eis que a cena continua e ela cai novamente. Parker ainda joga sua teia, que até se transforma em uma mãozinha, mas de nada adianta. Quando ele a alcança... já é tarde demais. :’( Peter entra em crise. Desde o começo do filme ele foi atormentado pelo fantasma do pai de Gwen que pedia para ele se afastar dela. Então é hora da querida Tia May dar um puxão de orelha no herói. Enquanto isso vemos o garotinho que apareceu em algumas fotos com o Homem Ara-

nha na internet, que na verdade até atua no filme. Na cena em questão ele está fantasiado de Homem Aranha e se coloca na frente do terceiro vilão, Rhino. Quando todos já estavam chorando, Peter Parker aparece, luta com Rhino e então... termina o filme. Deixando a porta escancarada para os próximos, durante o filme temos uma ideia sobre a formação do Sexteto Sinistro, que deve contar com o Duende Verde, Rhino, Doutor Octopus e Abutre. Os outros vilões já devem começar a aparecer no próximo, antes de estrelarem o filme da equipe completa que já foi confirmado (além do filme solo de Venom, que não deve ser um “Emo-Aranha”). Neste filme Andrew Garfield já está bem mais à vontade no papel do Aranha e vemos o espírito brincalhão e o alívio cômico do personagem aparecendo, característica dele e da própria Marvel. A química com Emma Stone é um dos pontos certeiros da produção e agora fica a dúvida se a entrada de Mary Jane vai ser bem aceita. A personagem até tinha uma cena nesse filme, que acabou sendo excluída no corte final. O Homem Aranha hipster dessa série começa a funcionar e o filme acaba cumprindo bem seu papel no cinema.


UMA CILADA NO ESTAÇÃO Por Taysa Holocheski

MODELO: AMNADA MOLINARI PRODUÇÃO: YHARA FREIRE ANA PAULA COVOLAN MATEUS BARCELOS AGRADECIMENTO: ESTAÇÃO CHOPP BAR


JOE

Por Mayara Kurta, Valquiria Rad端nz e Yhara Freire


Sempre tem aquela pessoa que é comparada com algum artista famoso, e a ideia aqui é exatamente essa, comparar o original com o “falsificado”. Para que a comparação fique mais divertida, que tal brincar de “Jogo dos sete erros”? Talvez, SEte seja só o começo de uma enumeração infinita, mas já que o importante é compArar, o número é o de menos.

Clara Lua Dell Ducca

DI FERRERO

Taylor Lautner

Luis Krieger

Jeferson Ribeiro

Shakira

Jessica Korocoski

PIKACHu

Maria Fernanda Bida


Agora que você já acabou de ler, que tal dar uma passada na nossa página e mandar um inbox contando o achou da revista? Como esta edição é uma piloto, toda opinião sobre ela é muito bem vinda! Seu Feedback é muito importante para nós.


Revista Tarja Piloto