Issuu on Google+

Outubro 2008

1


Acessórios para limpeza .............................8,13,14,15 Acolchoados para elevador .......................................15 Alarmes .................................................................6,32 Antena coletiva .........................................................32 Armário de aço .........................................................23 Armário ....................................................................23 Arquivo de aço ..........................................................23 Artigos esportivos ......................................2ª capa,30 Aspirador de pó .....................................................8,13 Balde espremedor .....................................................14 Banco lápis ...............................................................12 Bebedouro ..........................................................12,18 Bloqueador de ar p/ hidráulica ...................................23 Bolinhas p/ piscina de bolinhas .................................28 Brinquedos .........................................12,13,28,30,31 Cadeira de praia ........................................................19 Cadeira para portaria ........................................8,13,23 Caixas de correio ........................................................8 Cama elástica ...........................................................30 Câmera de segurança ...................................... 6,32,33 Cantoneira ........................................................4ª capa Capacho ........................................................8,13,16 Capas para Piscinas .................................................13 Carpete .....................................................................29 Carrinho de compras..............................................8,15 Carro funcional ........................................................ 14 Carteirinha de estudante............................................22 Casinha de boneca ...................................12,28,30,31 Cerca elétrica .......................................................32,33 Circuito fechado de TV ...........................................6,32 Claviculário ..........................................................15,23 Cobertura ...........................................................16,17 Cobertura em policarbonato/vidros ......................16,17 Cofre .......................................................................23 Colchonete ...............................................................30 Coletor de copos .......................................................14 Construtora................................................26,27,28,30 Conteiner ..............................................................8,14 Controlador de iluminação para garagens ..................33 Controle de acesso ..............................................32,33 Copiadora: equipamento digital..................................18 Corrimão ..................................................................23 Cortina rolo...............................................................17 Crachá ......................................................................22 Crachá de veículos ....................................................22 Desentupimento: máquinas .......................................18 Dispenser para papel higiênico/papel toalha ..........14,15 Dispenser para sabonete líquido ...........................14,15 Economizadores de água ..........................................23 Elevador: equipamentos .............................20,21,22,23 Elevador: manutenção ................................20,21,22,23 Enceradeira ................................................8,13, 14,16 Engenharia .................................................26,27,28,30 Envidraçamento de sacadas ......................................16 Filtro .........................................................................18 Flip Chart ................................................................15 Grama sintética ...................................................29,31 Guarda sol ...............................................................19 Holofote com sensor .................................................33

Iluminação automática .........................................32,33 Impermeabilização ................................18,26,27,28,30 Impressora ..............................................................18 Interfonia digital ........................................................32 Jardinagem ..........................................................33,34 Lavadora automática de piso ............................8,14,15 Lavadora de alta pressão...................................8,13,15 Limitador de vaga .............................................4ª capa Limpeza de caixa d’agua ...........................................18 Lixeira ..............................................................8,14,15 Lombada ecológica ...........................................4ª capa Lousa .......................................................................15 Manutenção predial ....................................26,27,28,30 Máquinas para limpeza......................................8,13,15 Mesa de futebol de botão ..........................................12 Mesa de pebolim / Totó ............................................12 Mesa de ping pong....................................................12 Mesa de xadrez .........................................................12 Móveis de aço .........................................................23 Ombrellones ...........................................................19 Persianas .................................................................33 Pintura predial ...........................................26,27,28,30 Piscina de bolinhas ..............................................28,30 Piso de borracha ....................................29,31,3ª capa Piso esportivo .........................................2ª capa,29,31 Piso social ................................................................29 Piso vinílico .............................................................29 Piso: restauração ......................................................26 Placas sinalizadoras ....................................8,14,15,22 Playground em madeira ...........................................31 Playground em tronco de eucalípto............................31 Playground em plástico .......................12,13,28,30,31 Portaria................................................................33,34 Proteção periférica ....................................................32 Protetor de coluna p/ garagem...........................4ª capa Protetor de pára-choque ....................................4ª capa Protetor de parede.............................................4ª capa Protetor de porta ...............................................4ª capa Protetor perimetral ............................................4ª capa Purificador de água ..................................................18 Quadra poliesportiva .........................................2ª capa Quadro branco/ magnético ........................................15 Quadro de aviso .......................................................15 Radiocomunicação: venda/locação/assist. técnica: ...19 Rede de proteção .........................................2ª capa,30 Restauração de fachadas ...........................26,27,28,30 Segurança/Medicina no trabalho ...............................19 Sensores ..................................................................33 Serralheria artística ...................................................23 Sinalização: de solo ....................................................8 Sistema de segurança: projeto ...............................6,32 Tamancobol ..............................................................12 Tapete personalizado .........................................8,15,16 Tela de projeção .......................................................15 Terceirização de serviço .......................................33,34 Toldos.......................................................................17 Triturador de alimentos ..............................................12 Ventilador .................................................................12 Vidros: proteção........................................................16


PAISAGISMO POR DÉBORA CARVALHO

Cuidado que vale a pena Uma boa jardinagem valoriza o empreendimento e promove bem estar. É incrível o poder que a contemplação Reino Vegetal possui em promover saúde, refrigério à mente, e sensação de relaxamento, calma e bem estar. Para quem gosta de contemplar a natureza, mas vive numa selva de pedras, nada como um bom projeto de paisagismo para trazer a natureza para bem pertinho. Os condomínios que investem em paisagismo, além de agradar os moradores, ganham valorização no empreendimento que fica com um ar mais leve, aconchegante e sofisticado. “Eu adoro quando chego do trabalho, pois sou recebida por lindas flores e plantas que me ajudam a entrar em casa mais relaxada depois do estresse do trânsito de São Paulo”, diz Vanessa Barros, 27, moradora de um condomínio de prédios na zona Leste da capital. O mercado de serviços de jardinagem está em expansão. Há empresas que oferecem elaboração de projetos, implantação, revitaliação e manutenção profissional para jardins de condomínios. O empresário e paisagista Luciano Lacerda afirma que é fundamental “perceber as necessidades do jardim, posicionar o síndico sobre elas e orientar o funcionário do condomínio sobre

4

Outubro 2008

os cuidados.” Ao optar pela terceirização, o zelador fica com a responsabilidade de apenas regar. Caso o jardim fique a cargo do síndico ou do zelador, alguns conhecimentos ajudam a mantê-lo sempre bonito e agradável. Afinal, de nada adianta implementar um bom projeto de jardinagem se não houver uma manutenção adequada. É preciso conhecer as plantas e suas necessidades individuais antes de colocá-las no jardim. Há espécies que não resistem ao sol, enquanto outras devem ser regadas apenas uma vez por semana. Também é possível contar com o apoio dos próprios moradores, como acontece em um condomínio no bairro do Campo Limpo, zona Sul de São Paulo, onde vários dos moradores trazem mudas de plantas, inclusive orquídeas, e plantam eles mesmos. “Mexer com a terra é uma atividade que relaxa bastante”, diz Amélia da Silva, 54. “Eu plantei babosa, que é ótimo para hidratar o cabelo. Muitas vizinhas usam. Também trouxe para o nosso jardim algumas flores, plantas próprias para o ar livre, algumas que são até medicinais, além de lindas”, conta dona Amélia.

PROJETANDO O >>> PLANTAS: É preciso que as espécies de plantas respeitem o perfil do jardim. Antes de comprar, repare se ele recebe muito sol ou se o local é de sombra. Se é grande ou pequeno. Se recebe muito vento. A umidade do solo e o tipo de terra também devem ser considerados. Essas informações serão fundamentais para que o fornecedor de mudas indique as espécies adequadas. >>> TERRA: Afofar a terra, misturando adubo orgânico. Retirar as impurezas: ervas daninhas, raízes mortas, torrões de terra seca. RECEITA DE MISTURA BÁSICA: Misturar uma porção de areia, com uma de terra e uma de terra vegetal. Para cada cinco litros de mistura básica, acrescentar uma colher de sobremesa de farinha de ossos, uma de farinha de peixe e uma de nitrato de potássio. Adicionar a mistura à terra e mexer bastante. CORREÇÃO DO SOLO: Acrescente areia em solos argilosos e compactos, e terra em solos arenosos. >>> PLANTANDO: Para plantar as mudas, faça um buraco de bom tamanho, retirar o plástico da muda e colocar o torrão dentro do buraco. Colocar aquela mistura básica em torno do torrão. Para plantas com caules finos e altos, colocar também uma


“EU ADORO QUANDO CHEGO DO TRABALHO, POIS SOU RECEBIDA POR LINDAS FLORES E PLANTAS QUE ME AJUDAM A ENTRAR EM CASA MAIS RELAXADA DEPOIS DO ESTRESSE DO TRÂNSITO.” (Vanessa Barros, 27 anos)

O SEU JARDIM estaca de bambu ou madeira e amarrar a planta para que fique bem apoiada. >>> ÁGUA: Prefira as primeiras horas do dia para regar as plantas, evitando molhálas quando o sol estiver forte. Respeite as necessidades de cada espécie. Plantas com caule em vasos devem ser regadas por cima com um regador fino até que a água saia pelo furo da drenagem. Plantas que cobrem a superfície do vaso devem ter o prato aparador cheio, apenas, sem água diretamente sobre a planta. Jardins e canteiros podem ser regados com mangueiras e irrigadores de pressão. >>> FOLHAS: Retire as folhas secas, murchas e doentes, com uma tesoura de poda, sempre que surgirem, mas deixe as flores murchas nas árvores frutíferas, pois elas viram frutos. Combata as pragas com inseticidas vendidos nas casas do ramo. >>> RAÍZES: Trocar os vasos das plantas à medida que as raízes crescem. Com o auxílio de uma pá, soltar a planta do vaso antigo. Segurar firme o caule e bater o vaso para soltar o torrão. Então, replantar no vaso maior ou no solo com a terra devidamente preparada para a espécie.

>>> CACTOS: Se não houver um canto com declive, para cultivar os cactos em jardins, amontoe algumas pedras ou forme montinhos de terra, para drenar bem a água. O solo ideal é obtido com a mistura de partes iguais de areia, terra local e adubo orgânico (humus de minhoca, torta de mamona ou esterco animal). Revolva bem o solo tratado. Observe que a camada tratada tenha pelo menos 50cm de profundidade. No verão as espécies com mais de três anos devem ser regadas a cada cinco ou seis dias, e os mini-cactos, a cada quatro dias. No inverno, a cada 12 e oito dias, respectivamente. Molhar sem encharcar a terra. Água em excesso pode fazer apodrecer as raízes e a base da planta. As pragas mais comuns são as cochonilhas, ácaros e pulgões. >>> AVENCAS: As coloridas e ornamentais avencas podem brotar e se desenvolver em qualquer ambiente, desde que haja calor, umidade e luminosidade, com proteção contra a incidência de raios solares diretos. Em ambientes internos, o ideal é o xaxim, e nada de exagero ao regar. No jardim, escolha cantinhos, pois as avencas não suportam ventos diretos. E para combater pulgões e cochonilhas adote a calda de fumo ao invés de utilizar inseticidas.

Outubro 2008

5


6

Outubro 2008


SEGURANÇA POR DÉBORA CARVALHO

Comportamento dos moradores facilita arrastões em prédios Conheça os principais hábitos que expõem riscos desnecessários, e informe sobre punições para descumprimento das normas de segurança. “Prevenir é melhor do que remediar”, diz o velho ditado. Recentemente a mídia tem noticiado um grande números de incidentes ocorridos em condominios que, aparentemente, são seguros. No entanto, a segurança preventiva dos condomínios está diretamente ligada aos hábitos de síndicos, moradores e funcionários. Em São Paulo, um levantamento da administradora condominial Lello, aponta 10 grandes erros primários de comportamento que devem ser evitados para não expor os edifícios a riscos desnecessários. Normas são estabelecidas como parte de uma estrutura de segurança e bem estar para todos os envolvidos. No entanto, grande parte dos moradores e funcionários descumprem as próprias normas estabelecidas pelo condomínio. Não há sistema de segurança que resista a isso. Mas, infelizmente, existem moradores que repreendem funcionários que causem algum transtorno justamente por cumprir as normas de segurança do condomínio. Outro erro muito comum é a falta de controle de acesso para a garagem, tanto por parte dos porteiros

como por parte dos moradores, onde não há portaria. “Na dúvida, não abra o portão”, recomenda José Maria Bamonde, gerente de relações humanas da Lello. “O profissional de portaria não pode querer identificar o veículo, mas especialmente quem está dentro.” Por vezes, os moradores não se preocupam em observar o movimento das áreas internas do condomínio através do circuito de TV. Tal atitude pode comprometer todo o investimento em equipamentos de segurança. Além disso, é comum que as pessoas, ao se aproximarem do edifício, esqueçam de verificar se há estranhos nas imediações ou mesmo se os funcionários de vigilância e portaria estão devidamente posicionados. Outro apontamento é que moradores entram no condomínio juntamente com visitantes. “As visitas devem passar sempre por um sistema de identificação, por mais incômodo que esse procedimento possa parecer”, afirma José Maria. Por vezes, alguém onde o portão abre automaticamente, visitantes interfonam dizendo que sabem onde é o apartamento da vizinha x, mas que esqueceu o número para

interfonar. “Algumas pessoas abrem, na confiança, mesmo sem se lembrar quem é a tal vizinha.” O gerente diz que nunca o condômino deve pedir ao porteiro que permita a entrada de alguém que está para chegar. A visita deve ser anunciada ao morador, não ao porteiro. Os moradores devem fiscalizar porteiros que deixam seu posto, ainda quer por poucos minutos, sem nenhuma cobertura. “A presença de equipamentos como rádio e TV nas portarias também é incorreta, pois pode tirar a atenção do profissional. Apenas um monitor com imagens do circuito de câmeras deve ser mantido”. Também é arriscado deixar as chaves do apartamento ou do carro na portaria, bem como deixar a porta do prédio aberta, mesmo por minutos. Tudo isso facilita a entrada de intrusos mal intencionados, dentro dos condomínios que, justamente, prezam por maior segurança do que as residências expostas nas ruas abertas. Os moradores devem cobrar os funcionários, e estes, não devem ser cúmplices de quem descumpre as normas de segurança. Outubro 2008

7


8

Outubro 2008


CONVIVÊNCIA POR DÉBORA CARVALHO | FOTO: GREYCI CARVALHO

Joaquim Ângelo Filho comprou um apartamento na planta. Quando as chaves foram entregues, logo na primeira reunião de moradores, ficou proibido ter animais. “Há 10 anos eu tinha um cachorro de 20 quilos, que nasceu comigo. Fui obrigado a vender o apartamento”, conta ele. Segundo a advogada Ana Rita Tavares, da ONG Terra Verde Viva, esse tipo de proibição vai de encontro ao direito de propriedade que é assegurado pela Constituição, nos seus artigos 5 e 170. Maria Mercedes acha que os vizinhos podem criar animais desde que não incomodem. “Com relação ao elevador, por exemplo, para quem não gosta de cachorro, ter que entrar no mesmo elevador e ainda suportar o cachorro cheirando ou lambendo é absurdo”, desabafa.

No entanto, o animal não pode ser proibido de usar o elevador do condomínio quando acompanhado de seu guardião. Qualquer decisão contrária caracteriza-se como crime de constrangimento ilegal previsto no artigo 146 do Código Penal Brasileiro; além de constituir crime ambiental, segundo o artigo 32, da lei n 9.605/98 (crime de maus tratos). Se receber ameaças, é possível entrar com uma ação judicial indenizatória por danos morais. O promotor de Justiça Luiz Alberto Figueiredo acredita que falta ao brasileiro aceitar melhor a presença de animais. E os números confirmam essa necessidade. Estima-se que nos últimos quatro anos, a presença de animais de estimação nos lares brasileiros tenha crescido de 35% para cerca de 50%.

MAUS TRATOS É crime de maus tratos deixar cachorros fechados em varandas ou áreas de serviço, sem alimentação, água ou assistência. A Justiça pode determinar a abertura do imóvel para que o animal seja retirado. As regras para garantir os direitos dos animais, de seus donos, e dos demais moradores, devem ser estabelecidas de forma clara, sem ferir os direitos constitucionais. Cabe ao dono do animal cuidar de sua higiene. Cocô e xixi é ele quem deve limpar, não o zelador. Deixar o animal solto em área não apropriada pode causar desconforto. Reservar um ambiente exclusivo para a convivência de animais é uma tendência nos novos condomínios. Vale a dica como proposta para a próxima reunião.

Saiba orientar os moradores do seu condomínio para uma boa convivência entre seus PETs e os vizinhos que não são fãs de animais domésticos.

PROIBIR ANIMAIS É CONTRA A LEI DA PROPRIEDADE Outubro 2008

9


Terceirização

POR EVANDRO BARBOSA

Terceirização: veja co essas vantagens par

10

Outubro 2008


omo funciona e adote ra o seu condomínio Quantas vezes o seu condomínio já ficou sem limpeza pela falta do funcionário? Quantas vezes, por alguma doença ou qualquer motivo, o porteiro do seu prédio não veio trabalhar? E o que você fez para solucionar este tremendo “abacaxi”? É sabido que uma das primeiras soluções para estes imprevistos é sacrificar os outros funcionários da equipe, estendendo seus horários, gerando horas-extras, e consequentemente aumentando o custo da folha de pagamento para o condomínio. Quando isso não ocorre, e conhecemos várias histórias assim, o próprio síndico se encarrega da cobertura e assume a portaria na tentativa de minimizar os transtornos. A saída, para acabar com problemas deste tipo, que afeta não só o síndico, mas todos os moradores, que dependem do serviço e do conhecimento da rotina do prédio, está na terceirização. E como acertar na contratação de uma empresa para executar os serviços essenciais no seu condomínio? O primeiro passo é verificar a idoneidade da empresa. Como? Antes mesmo da contratação, é possível consultar clientes antigos, solicitar certidões negativas do INSS, FGTS e receita federal, enfim, checar se a empresa realmente está apta a oferecer a solução e não a se transformar em mais um problema para o seu condomínio.

Passada essa fase – empresas sérias já se comprometem na proposta - exija mensalmente comprovantes de recolhimento de FGTS e INSS, e, se for o caso, peça também a cópia da folha de pagamento relativa ao seu condomínio. Dessa forma, qualquer irregularidade será detectada no ato e o condomínio poderá tomar as medidas necessárias, tão logo descubra que a empresa não está cumprindo com suas obrigações. A par tir daí entra o aspecto operacional. Tomemos como exemplo a portaria: funcionários terceirizados geralmente são treinados e capacitados para a execução do serviço. No entanto, cada condomínio possui sua peculiaridade e cabe ao supervisor levantar, junto ao zelador, os detalhes essenciais que o funcionário precisará saber para desempenhar a sua função com qualidade. Tão logo este funcionário esteja preparado, assumirá o serviço e passará a treinar plantonistas, para a sua própria cobertura, numa eventual ausência. Tanto o supervisor quanto o zelador precisam conscientizar os funcionários efetivos da importância desse treinamento, uma vez que estamos sujeitos a qualquer imprevisto e qualquer falha poderá comprometer a segurança do condomínio. No entanto, muitos deles, nesse período de treinamento, têm medo de ver o seu lugar ocu-

pado pelo colega e não realizam o treinamento adequado, ocultando informações importantes, e consequentemente oferecendo vulnerabilidade numa eventual cobertura. Outro ponto a ser destacado é a satisfação dos condôminos com o serviço prestado. Ao contrário do comportamento de funcionários diretos do condomínio, que muitas vezes fazem do prédio refém, maltratando moradores e visitantes, simplesmente por se acharem intocáveis. Na terceirização isso jamais acontece. O acompanhamento constante da supervisão serve exatamente para detectar erros ou falhas cometidas pelo funcionário e corrigi-las. Caso persista, é providenciada a imediata substituição. Portanto, se hoje seu condomínio vive situações semelhantes às descritas aqui, ou antes que elas batam à sua porta, pesquise e reflita sobre as vantagens da terceirização e elimine de vez estas situações desagradáveis. Além das soluções operacionais, a terceirização pode representar uma redução nos altíssimos custos de encargos e impostos com a folha de pagamento atual de seu condomínio, sem contar uma possível reclamação trabalhista, ficando todas as obrigações a cargo da empresa terceirizada.

Outubro 2008

11


12

Outubro 2008


Outubro 2008

13


14

Outubro 2008


Outubro 2008

15


16

Outubro 2008


Outubro 2008

17


18

Outubro 2008


Outubro 2008

19


Informe publicitário

ELEVADORES X SEGURANÇA Qual o preço mínimo para se fazer Uma boa manutenção no seu elevador?

Para que possamos responder esta pergunta, precisamos ter em mente as considerações abaixo relacionadas: Uma empresa de manutenção de elevadores necessita contar, obrigatoriamente, no mínimo, com as seguintes condições estruturais: • 01 (um) engenheiro mecânico devidamente registrado no CREA; • Obter a concessão da PMSP CONTRU-5 para atuar no mercado, obedecendo ao disposto na lei 10.348/87 e Decretos 33.948/94 e 34.179/94 da PMSP, que implica em possuir, além dos itens anteriores, os seguintes; • Oficina com área mínima, com equipamentos em quantidade e qualidade adequadas; • Linhas telefônicas de acordo com o número de elevadores que a empresa conserva; • Veículos conforme o número de elevadores que a empresa conserva; •Técnicos mecânicos, devidamente registrados de acordo com a CLT, em quantidade que atenda a legislação de acordo com o número de elevadores que a empresa conserva; • Manutenção preventiva mensal; • Atendimento 24 horas por dia, 365 dias por ano; • Comunicação via rádio e ou celular entre a empresa e os colaboradores de campo; • Seguro de responsabilidade civil e seguro dos colaboradores; • Sistemas gerenciais informatizados para o controle efetivo dos diversos tipos de ocorrências, sem os quais se torna impossível prestarem um bom serviço. Estas exigências são necessárias para garantir a segurança dos usuários de elevadores. No entanto, gera custos adicionais, que se somam as despesas com manutenção e renovação da frota de veículos, combustível, treinamento dos técnicos, reposição de ferramentas, paga-

20

Outubro 2008

mento de hora extra e adicional noturno, em função do atendimento 24 horas, impostos, entre outros gastos diretos. Dentro deste enfoque, o SECIESP, através da contratação de profissionais capacitados, elaborou um estudo técnico com o objetivo de sinalizar para o mercado, qual o valor mínimo para se prestar um bom serviço de manutenção de elevadores, que proporcione segurança aos usuários e retorno sustentável para as empresas. Este estudo resultou nos seguintes preços mínimos: • Contrato de Manutenção Básica (Não incluso peças e componentes): R$ 480,00 por elevador. • Contrato de Manutenção Total (incluso peças e componentes): R$ 1.100,00 por elevador. Para pensar... O valor acima é caro ou barato? Se considerarmos que, em média, 1 prédio possui 48 apartamentos, temos: R$ 480,00 ÷ 30 dias no mês = R$ 16,00 por dia. R$ 16,00 por dia ÷ 48 apartamentos = R$ 0,33 por família (por elevador). Menos que o valor de um cafezinho para transportar com segurança você e sua família. Dê preferência às empresas associadas ao SECIESP, pois a entidade zela pelo bom funcionamento do mercado de elevadores, tendo, entre outras funções, balizar as ações de seus associados, por intermédio de seu código de ética. Acesse WWW.seciesp.com.br e confira. Mais informações no site www.seciesp.com.br Lembre-se! A manutenção ou a reforma do seu elevador não é uma exclusividade da montadora


Outubro 2008

21


22

Outubro 2008


Outubro 2008

23


24

Outubro 2008


Outubro 2008

25


26

Outubro 2008


Outubro 2008

27


28

Outubro 2008


Outubro 2008

29


30

Outubro 2008


Outubro 2008

31


32

Outubro 2008


Outubro 2008

33


34

Outubro 2008


Outubro 2008

35


36

Outubro 2008


Revista Supra Condominio